Вы находитесь на странице: 1из 1

Os 5 hábitos dos executivos bem-sucedidos MARCOS LEITE EM 26/09/2014 .

Ao analisar alguns perfis que se enquadram nessa categoria é possível reconhecer algumas
similaridades entre eles. Por isso, se o seu objetivo é se tornar um executivo bem-sucedido confira os 5
hábitos que precisam ser cultivados desde agora:

Manter o controle

Apesar de não ser possível ter um conhecimento aprofundado sobre todas as particularidades de um
negócio, as pessoas bem-sucedidas sabem como manter o controle em situações diversas.

Isso porque elas contam com o apoio de diretores, gerentes, coordenadores ou supervisores para
repassarem uma visão sistêmica de cada minúcia dos negócios, bem como do mercado e do
desenvolvimento dos objetivos estratégicos. Além disso, elas se baseiam em dados e não em
“achismos” para tomar suas decisões. Dessa forma, elas conseguem manter o controle sobre os
acontecimentos que as competem.

Não se desesperar diante das adversidades

Executivos bem-sucedidos sabem que as adversidades fazem parte do dia a dia de quem assume
responsabilidades e que para inovar e crescer é preciso arriscar. Por isso, eles nunca se desesperam
diante dos problemas corriqueiros e buscam rapidamente soluções para resolvê-los. Afinal, eles sabem
que de nada adiantará lamentar o ocorrido e que é preciso conter os problemas enfrentados evitando,
assim, que eles tomem maiores proporções.

Aprender com os erros

Um dos requisitos para o sucesso está em saber arriscar. Isso, por sua vez, reflete diretamente na
possibilidade de errar. Os executivos bem-sucedidos sabem disso. Assumem as falhas cometidas sem
se preocupar em apontar alguém como culpado, mas sim onde ocorreu os erros para que eles não
sejam replicados em outras situações.

Saber delegar tarefas

Todo líder bem-sucedido sabe que monopolizar atividades e processos não contribui em nada para o
crescimento dos negócios. Por isso, eles sabem que é preciso delegar ou, mais do que isso, saber
como e para quem delegar cada uma das tarefas.

Para isso, acompanham de perto os resultados de sua equipe não apenas quantitativa, mas também
qualitativamente, gerando a eles uma visão mais ampla sobre seus colaboradores e a confiança
necessária para saber a quem, quando e como delegar tarefas.

Focar mais nos resultados

Os grandes executivos sabem que processos são importantes para assegurar que os objetivos
estratégicos sejam alcançados. Contudo, eles utilizam desses procedimentos apenas como uma
ferramenta de apoio para a equipe, e não uma forma de fiscalizar como as tarefas têm sido
desenvolvidas.

Eles não se apegam aos mínimos detalhes, pois sabem que erros fazem parte do aprendizado e
confiam nos profissionais que estão à sua volta. Por isso, dão mais importância aos resultados gerados
do que aos processos executados.