Вы находитесь на странице: 1из 4

TROCA DE FERRAMENTA

Torno mecânico

Redução do Tempo de Troca de Ferramentas (setup)

Procedimentos conforme os 13 passos para setup rápido.

INTRODUÇÃO: Devido a competitividade nas indústrias, existe uma necessidade de


obter vantagens nos processos produtivos e nos setups. Para isso temos uma
ferramenta elaborada pelo engenheiro Shingeo Shingo nos anos 50: a troca rápida de
ferramentas (TRF),. O presente trabalho visa mostrar a aplicação desta ferramenta
para o melhoramento dos processos de produção continua.

OBJETIVOS: É apresentar a Troca Rápida de Ferramentas com o intuito de reduzir o


tempo de preparação (ou setup) de equipamentos, minimizando períodos improdutivos.

METODOLOGIA: Os dados coletados a partir da medição do tempo (4’51’’) da troca


dos elementos de corte do torno mecânico.Para atingir o resultado desejado foi
necessário a colocação de mais um jogo de ferramentas de corte no porta ferramenta
diferenciado, de duas posições, na máquina, otimizando assim o setup interno para
setup externo, ou seja, sem parar a máquina.

1. Formar uma equipe de redução do setup


Para este estudo foi formado uma equipe técnica de 5 elementos:

Pasolini, Eliomar Eudes, Alex e Rayane

2. Selecionar o equipamento a ser estudado


Torno mecânico Harrison M390

Conhecendo o equipamento
• Definição:
São máquinas que executam trabalhos de torneamento destinados a remover material
da superfície de uma peça em movimento de rotação por meio de uma ferramenta de
corte que se desloca continuamente
Ferramenta de corte.

3. Determinar uma meta para redução do setup

META: tentar diminuir o tempo de setup de 4’51’’ para menos de 30’’(trinta segundos).

4. Gravar, se possível, em vídeo as etapas de um setup


Não aplicado no momento, neste trabalho.

5. Documentar as atividades
Antes: O operador tinha o trabalho de tomar a ferramenta de corte, chaves, etc. para próximo
de si. Desmontar o porta ferramenta do torno, colocar outra, nivelar e montar em menos de 5
minutos.

Agora: O operador tem o trabalho de destravar o porta ferramenta, girar, travar, conferir o
nivelamento, caso haja erro, e continuar trabalhando sem a necessidade parar a máquina se for
o caso.

6. Identificar os elementos internos versus os externos

• Elemento internos, com a maq. Parada:

- Uso de ferramentas de multi voltas para parafusos Allen.

- Afrouxar e apertar 4 parafusos para troca da ferramenta de corte o porta ferramentas.


- Troca da ferramenta de corte com seus calços não padronizados.

- Ajustes e nivelamento da ferramenta de corte com o centro da peça.

• Elementos externos: maq. operando

- Limpeza do local

- Separação da ferramenta de corte a ser trocada

- Separação de ferramentas de manipulação

- Aproximar mesa de trabalho para troca

- Troca de óleo de resfriamento.

7. Operações de manutenção e de limpeza


Limpeza de cavaco, local como tarefa secundaria.

8. Mudar as atividades internas para externas

• mudar

Porta ferramentas comum para porta ferramenta diferenciado múltiplo de pelo menos duas
ferramentas de corte montadas e travadas de forma a girar o porta ferramenta para troca da
ferramenta de troca.

Em alguns casos o porta ferramenta já dá essa condição.

9. Melhorar as operações elementares


- Deixar um galão de óleo de resfriamento próximo ao tanque de reserva para minimizar a
troca de óleo.

- Utilizar o tempo economizado para limpeza externa e recolhimento de cavacos

- Aproximar a próxima peça bruta e ferramentas como chaves próximas ao local.

Aproveitar para troca da ferramenta de corte que não está usando caso esteja cega.

10. Implementar e testar novos métodos

A implementação de um novo método seria implantação de grampos de travamento ou


parafusos em numero menor com menor numero de giros

Pode-se usar parafusadeira pneumática ao invés de chaves manuais Allen em parafusos de


múltiplas voltas.
11. Analisar o novo método por meio de fita de vídeo
Não aplicado nesse trabalho.

Mas fica a sugestão de tomar uma máquina e fazer testes cronometrando e aplicando outras
ideias.

12. Padronizar o novo método


Padronizada ferramenta de corte em seu tamanho e ranhuras de encaixe com calços
padronizados para nivelamento automático e giro de 180º do porta ferramenta.

13. Meta realizada

RESULTADOS: Com a otimização no processo de Troca Rápida de Ferramentas


observou-se maior produtividade do Torno, melhorando seu tempo de produção.

CONSIDERAÇÕES FINAIS: Aplicando a Troca Rápida de Ferramentas na prática,


podemos avaliar sua utilidade e importância para a indústria, devido mostrar na prática
a melhoria contínua significativa no processo de produção

Prof. André Luís Araújo Gomes

Serra, 06 de março de 2018

_________________________________________

Antonio Lucimar Pasolini

Похожие интересы