You are on page 1of 3

fls.

1591

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO


COMARCA de SÃO PAULO
FORO CENTRAL CÍVEL
39ª VARA CÍVEL
Praça João Mendes s/nº, 12º andar - salas nº 1220/1226 - Centro
CEP: 01501-900 - São Paulo - SP
Telefone: (11) 2171-6258 - E-mail: sp39cv@tjsp.jus.br

Para conferir o original, acesse o site https://esaj.tjsp.jus.br/pastadigital/pg/abrirConferenciaDocumento.do, informe o processo 1077460-13.2018.8.26.0100 e código 4B826A7.
DECISÃO

Processo nº: 1077460-13.2018.8.26.0100


Classe - Assunto Procedimento Comum - Assembléia
Requerente: Maria Regina Macedo e outros
Requerido: Cooperativa Habitacional dos Bancarios de Sao Paulo - Bancoop

CONCLUSÃO

Este documento é cópia do original, assinado digitalmente por JULIANA PITELLI DA GUIA, liberado nos autos em 30/07/2018 às 18:35 .
Em 30 de julho de 2018, faço estes autos conclusos a(o) MM. Juiz(a) de Direito da
39ª Vara Cível a(o) Dr(ª). Juliana Pitelli da Guia. Eu, Gustavo Alves de Almeida, digitei.

Vistos.

I. Recebo a inicial. Diante da idade de alguns dos autores, defiro a tramitação


prioritária, nos termos do artigo 1.048, inciso I do CPC. Anote-se.

II. Requerem os autores, em sede de tutela de urgência, a determinação de que a ré


BANCOOP se abstenha de votar, em assembleia designada para 31/07/2018, itens voltados à sua
dissolução, alegando que a ré não atua como verdadeira cooperativa e que a dissolução lhes trazia
inegável prejuízo, bem como ocorreria em violação a pedidos formulados pelo Ministério Público
do Estado de São Paulo em demandas judiciais ainda em curso.
DECIDO.

Segundo os autores, a ré teria sido constituída como cooperativa da categoria


profissional dos bancários, mas, no curso de suas atividades, a finalidade se desvirtuou, passando a
atuar como incorporadora imobiliária. Narram, todos os vinte litisconsortes ativos, que firmaram
contrato para aquisição de unidades em empreendimento imobiliário ("Torres da Mooca")
incorporado pela ré BANCOOP no final do ano 2000 e que, quitado o preço, a obra não foi
concluída e não há regularização do empreendimento.

De fato, consta que o Ministério Público do Estado de São Paulo moveu ações civis
públicas em relação à BANCOOP, nas quais se postulava sua desconsideração como cooperativa,
buscando responsabilização do corpo diretivo, bem como a nomeação de interventor para

Processo nº 1077460-13.2018.8.26.0100 - p. 1
fls. 1592

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO


COMARCA de SÃO PAULO
FORO CENTRAL CÍVEL
39ª VARA CÍVEL
Praça João Mendes s/nº, 12º andar - salas nº 1220/1226 - Centro
CEP: 01501-900 - São Paulo - SP
Telefone: (11) 2171-6258 - E-mail: sp39cv@tjsp.jus.br

Para conferir o original, acesse o site https://esaj.tjsp.jus.br/pastadigital/pg/abrirConferenciaDocumento.do, informe o processo 1077460-13.2018.8.26.0100 e código 4B826A7.
administra-la e, ao fim, sua dissolução, sendo que um dos processos ainda está em curso. Não por
outra razão, a d. Promotora de Justiça, em parecer às fls. 1582/1585, opinou pelo deferimento da
tutela de urgência. A consulta, em sistema eletrônico, à mais recente decisão nos autos da ação nº
0159572-66.2012.8.26.0100, confirma a pertinência do pedido dos autores.

De fato, o E. Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo deu provimento à


apelação do MP para que aquela demanda prosseguisse, sendo um dos pedidos a dissolução da
BANCOOP, não sem antes nomear-se interventor e apurar-se responsabilidade de seu corpo

Este documento é cópia do original, assinado digitalmente por JULIANA PITELLI DA GUIA, liberado nos autos em 30/07/2018 às 18:35 .
diretivo por eventuais desvios. Assim, estão presentes não só a probabilidade do direito, como o
perigo da demora, nos termos do artigo 300 do CPC. Os argumentos trazidos pela ré, em sua
manifestação às fls. 916/950 não infirmam essa conclusão, desta feita, concedo a tutela de
urgência e determino que não sejam votados os itens I, II e IV da pauta de assembleia da
BANCOOP designada para 31/07/2018, bem como quaisquer outros relacionados a sua
dissolução, sob pena de multa única de R$30.000,00 (trinta mil reais), sem prejuízo de sanções por
ato atentatório à dignidade da justiça (artigo 77 do CPC).

SERVIRÁ A PRESENTE DECISÃO, DESDE QUE DIGITALMENTE


ASSINADA, COMO OFÍCIO, A SER APRESENTADO PELO(A) INTERESSADO(A) A
FIM DE PROMOVER O IMEDIATO CUMPRIMENTO JUNTO À RÉ, posteriormente
comprovando-se nos autos.

III. Considerando a natureza dos fatos noticiados e o teor do parecer da


representante do MP, por ora, deixo de designar audiência prévia de conciliação.

IV. Como já determinado na decisão de fls. 1581, tendo havido comparecimento


espontâneo da ré, desnecessário expedir-se mandado ou carta de citação. Aguarde-se a vinda da
contestação.

V. Por fim, considerando que há outras demandas, de idêntico pedido e ré, em


trâmite nas 20ª e 44ª Varas Cíveis deste Foro Central, manifeste-se o Ministério Público sobre
eventual conexão, inclusive como forma de evitar decisões contraditórias, dada a relevância do
tema, bem como considerando que já há outras duas demandas relativas à ré promovidas pelo

Processo nº 1077460-13.2018.8.26.0100 - p. 2
fls. 1593

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO


COMARCA de SÃO PAULO
FORO CENTRAL CÍVEL
39ª VARA CÍVEL
Praça João Mendes s/nº, 12º andar - salas nº 1220/1226 - Centro
CEP: 01501-900 - São Paulo - SP
Telefone: (11) 2171-6258 - E-mail: sp39cv@tjsp.jus.br

Para conferir o original, acesse o site https://esaj.tjsp.jus.br/pastadigital/pg/abrirConferenciaDocumento.do, informe o processo 1077460-13.2018.8.26.0100 e código 4B826A7.
Parquet.

Intime-se.

São Paulo, 30 de julho de 2018.

JULIANA PITELLI DA GUIA


Juíza de Direito Auxiliar
(assinatura digital)

Este documento é cópia do original, assinado digitalmente por JULIANA PITELLI DA GUIA, liberado nos autos em 30/07/2018 às 18:35 .
DOCUMENTO ASSINADO DIGITALMENTE NOS TERMOS DA LEI 11.419/2006,
CONFORME IMPRESSÃO À MARGEM DIREITA

Processo nº 1077460-13.2018.8.26.0100 - p. 3