Вы находитесь на странице: 1из 14

GEOGRAFIA 1 - REPRESENTAÇÃO DO ESPAÇO

GEOGRÁFICO prof. saul


Email para tirar dúvidas - saul.filho@uol.com.br

RESUMO

I. ESPAÇO GEOGRÁFICO
Estudar geograficamente o mundo, no todo ou em parte, é buscar entender como e por que as
paisagens – sejam elas quais forem – apresentam as características que observamos. Ou seja, o que se
busca é o entendimento do espaço geográfico, que, dessa forma, deve ser entendido como algo que inclui
não só aquilo que vemos (paisagem), mas também os fatores determinantes da aparência.
A Geografia é a ciência do espaço. Ela tem como objeto de estudo a organização do espaço
geográfico, preocupando-se com a paisagem e com a dinâmica social que atua na mesma.

1. FUNDAMENTOS PRELIMINARES

I. Lugar: local que a paisagem geográfica se manifesta.


II. Paisagem: aparência do espaço geográfico. Poder ser:
 Paisagem natural – 1.ª natureza: não teve a participação do homem. Ex.: rio, solo.
 Paisagem cultural – 2.ª natureza: teve a ação da sociedade. Ex.: hidrelétrica, atividade agrícola.
III. Configuração territorial: corresponde a lugar com a sua paisagem geográfica.
IV. Dinâmica social: trabalho realizado pela sociedade, na organização do espaço geográfico, através
da produção, circulação (consumo) e ideias.
V. Espaço geográfico: configuração territorial + dinâmica social.
VI. Território – o termo território refere-se a superfície terrestre de um Estado, seja ele soberano ou
não. É definido como o espaço físico sobre o qual o Estado exerce seu poder soberano.
VII. Região – Uma região pode ser qualquer área geográfica que forme uma unidade distinta em
virtude de determinadas características
VIII.
2. Elementos que organizam o espaço geográfico
 PRODUÇÃO: diz respeito a todos os modos de produzir os objetos em uma sociedade. Ex.: fábricas,
oficinas, áreas agrícolas etc.
 CIRCULAÇÃO (CONSUMO): diz respeito a todos os meios por onde todas as atividades envolvidas
na dinâmica social se comunicam. Ex.: estradas, ruas, lojas, bancos, rodovias etc.
 IDÉIAS: diz respeito ao conjunto de pensamentos e de regras que, aceitos pela maioria das pessoas,
possibilitam o relacionamento existente entre elas. Ex.: escolas, teatros, TVs, universidades etc.
3. Espaço geográfico: produto histórico-social
 O espaço geográfico se relaciona, portanto, diretamente com a história da humanidade. Com o
passar do tempo as sociedades se transformam porque o que vemos (paisagem) e o que determina
o que vemos (a dinâmica social, o trabalho) também foram transformados.
II. IMPLICAÇÕES DO MOVIMENTO DE TRANSLAÇÃO DA TERRA
 Estações do ano (têm como causas:
movimento de translação e a inclinação
do eixo terrestre da Terra).

I) Pelo calendário todos os lugares do HN e HS têm as 4 estações do ano.


II) De acordo com as características apresentadas as estações do ano são: primavera (frio/calor) –
verão (calor) – outono (calor/frio) – inverno (frio). Nem todos os lugares do globo tem as 4
estações bem definidas.

Mal definidas
A = Zonas Glaciais ou Polares
C = Zona Tropical
Bem definidas
B = Zona Temperada

 Ano bissexto: com 366 dias, ocorrendo de 4 x 4 anos. É para compensar a diferença de 6H entre o
ano astronômico (365 dias e 6H) e o ano civil (365 dias).
 Desigual distribuição de luz/calor e de duração entre os dias e as noites, exceto no Equador.
 Movimento aparente anual do Sol (eclíptica)

NOTA DO PROFESSOR:
Cuidado!!!! Existe o movimento aparente anual do
sol, causado pela translação terrestre. Porém, tem ainda
o movimento aparente diário do sol, provocado pela
rotação terrestre: onde o sol nasce ao leste e se põe ao
oeste, estando às 12 horas no ponto mais alto acima da
tua cabeça (se estiver perpendicular é chamado de
posição de zênite)

 Sucessão dos equinócios e solstício:


- Equinócios : Sol perpendicular ao Equador. (21/3 ou 23/9)
 HN = HS
D=N
 Início:
- Primavera
- Outono
- Solstícios : Sol perpendicular a um dos trópicos. (21/6 ou 21/12)
 HN  HS
DN
 Início:
- Verão  (+) iluminado - DN
- Inverno  ( - ) iluminado – ND

Horário de verão
a) Condição para ser usado: nos períodos que a duração do dia já está bem maior do que a noite (ou
seja, o Sol está nascendo mais cedo e se pondo mais tarde). Deve-se usar o horário de verão nos
lugares que tem uma boa variação na duração do fotoperíodo (período de iluminação).
b) Procedimento: adianta-se o relógio em 1 hora.
c) Não deve ser usado: nas proximidades do Equador, onde a duração do dia é aproximadamente
igual a da noite. Ex.: regiões Norte e Nordeste do Brasil – no horário de verão brasileiro 2011-2012
a Bahia pediu para ser incluída.
No Brasil: tem término: em fevereiro, antes do equinócio de 21/3. Tem início: normalmente em
outubro, depois do equinócio de 23/9
d) O mais importante no horário de verão é a economia de energia nos momentos de pico (entre as 18
e 20H), pois alivia o sistema e aumenta a margem de segurança.
III. ORIENTAÇÃO
1) CUIDADO COM O REFERENCIAL ADOTADO:

Qual a localização do ponto “B” em relação ao “A”??? O referencial é o


ponto “A”. Assim, faça a rosa-dos-ventos em cima dele.
Resposta: O ponto “B” está a noroeste (NW) de “A”.

2) GPS (Sistema de Posicionamento Global):


Utiliza para a orientação uma rede de satélites artificiais, determinando direção, altitude e
coordenadas geográficas (latitude e longitude)
IV. COORDENADAS GEOGRÁFICAS
Servem para determinar a nossa posição geográfica em relação ao Equador (latitude – paralelos) e ao
meridiano de Greenwich (longitude – meridianos).

a) PARALELOS E LATITUDE
Os paralelos determinam a latitude (distância em graus, em relação ao Equador).
1. Os paralelos são círculos menores: dividem a Terra em partes desiguais.
2. A latitude pode ser: Norte (LN), nula (0°L = Equador) ou Sul (LS).
3. Variação da latitude: 0°L (Equador) até 90° LN (Polo Norte) ou 90° LS (Polo Sul).
4. Os principais paralelos (trópicos e círculos polares) delimitam as zonas térmicas (polares,
temperadas e tropical).
5. Existem infinitos paralelos.
6. O hemisfério Norte é também chamado setentrional ou boreal, e o hemisfério Sul é chamado
meridional ou austral.

b) Meridianos e longitude
1. Os meridianos determinam a longitude (distância em graus, em relação a Greenwich).
2. Os meridianos são círculos maiores: dividem a Terra em partes iguais.
3. A longitude pode ser: Oeste (LNW), nula (0° LN = Greenwich) e Leste (LNE).
4. Variação da longitude: 0ºLN (Greenwich) até 180° (LID: Linha Internacional da Data).
5. Determinam os fusos horários da Terra.
6. Os principais meridianos são: Greenwich e Linha internacional da Data.
7. O meridiano de 180° (LID) é comum aos dois hemisférios, assim como o de 0° (Greenwich). Os
hemisférios Oeste e Leste começam em Greenwich e terminam na LID.
8. Existem infinitos meridianos.

c)Latitude + longitude = coordenadas geográficas

Exemplo 1:
PONTOS COORDENADAS GEOGRÁFICAS
A 40ºLN e 60ºLNE
B 0ºL e 0ºLN
C 30ºLS E 50ºLNw
Exemplo 2:

PONTOS COORDENADAS GEOGRÁFICAS


A 15ºLS e 30ºLNE
B 11ºLS e 37,5ºLNE

V. FUSOS HORÁRIOS
I) 1 fuso = 15º = 1h
II) Oeste   HORA aumenta
dim inui
 leste
III) Fuso de referência: Greenwich (0º LN) – hora de Londres (GMT)
IV) LID (Linha Internacional da Data ou antimeridiano de Greenwich – 180º - LN)
No Oceano Pacífico – sofre desvios para não passar em locais habitados.

5) Mudanças nos fusos do Brasil


 O Brasil tinha deixado de ter 4 fusos e tinha passado a ter três. O 4° fuso (75°LNW) tinha
desaparecido. Tinha ficado assim:

60 45 30 15 0°LN
LNW LNW LNW LNW
MT, MS, Regiões: Ilhas
RO, RR, NE-SE-S; Oceânicas
AC, AM PA, TO,
GO, AP
3° FUSO 2° FUSO 1° FUSO
FUSOS DO BRASIL
 Mudanças: O AM ficou somente no 3º fuso; o PA ficou só no 2º fuso; o AC foi para o 3º fuso;
o 4º fuso foi extinto.

 BRASIL VOLTA A TER 4 FUSOS HORÁRIOS - De acordo com a Lei 12.876, sancionada pela presidente
no final da tarde de quarta-feira(30-10-2013) e publicada na edição do Diário Oficial da União desta
quinta, a partir do dia 10 de novembro populações do Acre e parte do Amazonas (extremo oeste)
voltam a conviver com duas horas a menos que Brasília. Sob a alegação de que a população sofria
prejuízos econômicos, sociais e culturais por causa da diferença em relação ao restante do país. Agora
o Brasil volta a ter 4 fusos – com o AC e o extremo oeste do AM voltando a compor o 4º fuso. Apenas
o PA ficou totalmente no segundo fuso.

VI. Cartografia
1) Escalas cartográficas
I) A questão de Geografia sobre escala cartográfica são resolvidas diretamente através do significado
dela.

Escala =
Tamanho no mapa (cm) Numerador
Tamanho no terreno(cm) Denomidor

II) Leitura de de uma escala numérica


1: 100.000 1 cm no mapa equivale a 100.000 cm no real.
III) Leitura de uma escala gráfica
0 10 20 30 km 1 cm no mapa equivale a 10 km no real.

IV) Relação denominador  escala  riqueza de detalhes

2) Projeções cartográficas

a) DEFORMAÇÃO DE UMA PROJEÇÃO


Representação de uma superfície esférica (a Terra) em uma plana (o mapa).
Toda projeção cartográfica tem deformações na forma (configuração) e/ou na distância e/ou nas
áreas. Cabe o cartógrafo escolher o tipo de projeção que melhor atenda aos objetivos do mapa. As
opções são de 3 tipos:
 equidistante: não deforma a distância;
 equivalente: não deforma a área. (ex.: projeção cilíndrica de Arno Peters);
 conforme: não deforma a forma (Ex.: projeção cilíndrica de Mercator).

b) PRINCIPAIS TIPOS DE PROJEÇÕES:


NOTA DO PROFESSOR: A projeção azimutal é muito usada em situações que revelam o poder
geopolítico.
ATENÇÃO: A PERIFERIA DA ONU.
O mundo é visto na bandeira da ONU por meio de
uma projeção azimutal polar. Como não está centrada em
nenhum país, mas no Polo Norte, onde só há gelo, tenta
transmitir a ideia de que a entidade é neutra e representa os
interesses de todos os seus países membros. Porém, na
prática, sabemos que quem manda na ONU são os cinco
membros permanentes do Conselho de Segurança: os Estados
Unidos, o Reino Unido, a França, a Rússia e a China.
Coincidentemente, esses países estão mais próximos do centro da projeção polar do que, por exemplo,
os países subdesenvolvidos, localizados na periferia do mapa. Será essa representação, símbolo da ONU,
uma alegoria das relações do poder no mundo?

c) AS PROJEÇÕES CILÍNDRICAS MAIS FAMOSAS SÃO AS DE MERCATOR E ARNO PETERS.

Planisfério de Mercator Planisfério de Peters


I) século XVI (1569); I) século XX (1973);
II) momento histórico: grandes navegações e II) momento histórico: crítica ao colonialismo e
supremacia europeia; processo de descolonização;
III) projeção: cilíndrica conforme; III) projeção: cilíndrica equivalente;
IV) forma dos continentes: conservada; IV) forma dos continentes: deformada;
V) área dos continentes: deformada; V) área dos continentes: conservada;
VI) escala: depende da latitude; IV) escala: única;
VII) planisfério: do eurocentrismo; VII) planisfério: do terceiro-mundismo;
VIII) tendência: desigualdades entre os países. VIII) tendência: igualdade entre os países.

3) Curvas de nível
1. São linhas que unem pontos de mesma
altitude do relevo.
2. São equidistantes.
3. Técnica utilizada para realizar cultivo em áreas
montanhosas, evitando a erosão acentuada do
solo.

Declividade Distância entre as


do terreno curvas de nível
Maior Menor
Menor Maior
Tamanho do
Altitude
círculo
Maior Menor
Menor Maior

EXCEÇÃO: área de depressão


4) Sensoriamento remoto
É um recurso técnico para ampliar os sentidos naturais do homem, ou seja, é um dispositivo ou
equipamentos: câmaras fotográficas (já existem câmaras aéreas – aerofotogrametria), radares, satélites
etc., que capta e registra sob a forma de imagens, a energia refletida ou transmitida pelas áreas,
acidentes, objetos e acontecimentos do meio ambiente ou artificial. Facilitou a elaboração de mapas.
É utilizado para fazer: previsão do tempo, deslocamento de furacão, o uso do solo urbano ou rural
(útil no planejamento de intervenção no espaço geográfico) , desmatamento de florestas (útil para
orientar a ação governamental), os incêndios florestais, a expansão urbana , a poluição das águas etc.
“Geoprocessamento é a tecnologia que abrange o conjunto de procedimentos de entrada,
manipulação, armazenamento e análise de dados espacialmente referenciados. O geoprocessamento
permite analisar esses elementos separadamente ou em conjunto para elaborar mapas, planejar
intervenções numa determinada área ou monitorar qualquer modificação na paisagem, como nos casos
de devastação de florestas, queimadas, poluição de rios, determinação da extensão de áreas alagadas
por enchentes etc.
- Geo-referencimento é uma situação em que uma entidade geográfica é referenciada
espacialmente ao terreno por meio de sua localização, utilizando-se para tal um sistema de
coordenadas conhecido”.
Conclusão: As técnicas são desenvolvidas por computadores e por sistemas de processamento e
análise de dados espaciais.
- O SIG (Sistema de Informação Geográfica) é um deles, usando o geoprocessamento e o geo-
referenciamento.

VII. REGIONALIZAÇÃO DO BRASIL


I) IBGE

Considerações Características
Critérios Político – administrativos
Predominância dos elementos Naturais (físicos), demográficos (sociais) e econômicos
Delimitação das divisas das Obedece aos limites estaduais, pois cada Estado só pode ficar em uma única
macrorregiões macrorregião
Divisão 5 macrorregiões: Norte, Nordeste, Sudeste, Sul e Centro-Oeste
Maranhão Estado integralmente da macrorregião Nordeste
II) Geoeconômica
DIVISÃO REGIONAL GEOECONÔMICA
Considerações Características
Critério Geoeconômicos
Delimitação das divisas dos Não obedece aos limites estaduais, pois um Estado pode ficar em mais de
complexos regionais complexo regional
Divisão 3 complexos regionais: Amazônia, Nordeste e Centro-Sul
Maranhão Está no Complexo Regional do Nordeste e no Complexo Regional da
Amazônia (predominantemente)

III) Divisão regional em quatro Brasis (Milton Santos e Maria Laura Silveira): divide o Brasil em quatro
OS “QUATRO BRASIS” regiões (Amazônia, nordeste, centro-oeste e concentrada),
através de critérios técnico-científicos0informacional.
 Região Amazônica: AM – PA – RO – RR – AP – AC
 Região Nordeste: MA – PI – CE – RN – PB – PE – AL –
SE – BA
 Região Centro-oeste: GO – TO – MT – MS – DF
 Região Concentrada: MG – ES – RJ – SP (sudeste) e RS
– SC – PR (sul).
IV) O IDH foi criado para medir o nível de desenvolvimento humano nos países a partir de 3 indicadores:
 esperança de vida ao nascer, representando uma vida longa e saudável;
 nível educacional (frequência escolar e analfabetismo), representando o conhecimento;
 renda (produto interno bruto per capita em paridade do poder de compra), representando um
padrão de vida decente.
O índice varia de zero (nenhum desenvolvimento humano) a 1 (desenvolvimento humano total).

Exercícios

1)Leia o texto a seguir:


[...] Fechado ao sul pelo morro, descendo escancelado de gargantas até o rio, fechavam-no, a oeste, uma
muralha e um vale. De fato, infletindo naquele rumo, o Vaza-Barris, comprimido entre as últimas casas e as escarpas
a pique dos morros sobranceiros, torcia para o norte feito um cañon fundo. A sua curva forte rodeava,
circunvalando-a, depressão em que se erigia o povoado, que se trancava a leste pelas colinas, a oeste e norte pelas
ladeiras das terras mais altas, que dali se intumescem até aos contrafortes extremos do Cambaio e do Caipá; e ao sul
pela montanha. [...]
(CUNHA, Euclides da. Os Sertões).
O texto acima descreve um(a):
a)Paisagem.
b)Território.
c)Região.
d)Lugar.
e)Redes

2)Observe a figura abaixo. Ela representa a Terra em uma determinada posição em relação ao Sol.

Adaptado de FERREIRA, Graça M. L.; MARTINELLI, M. Geografia em mapas: noções básicas de Geografia. São Paulo: Moderna, 2000. p. 29.

No momento em que a Terra se encontra na posição apresentada, verifica-se que, na cidade brasileira identificada na
figura pelo ponto A, é:
a) manhã de um dia de verão.
b) anoitecer de um dia de inverno.
c) manhã de um dia de inverno.
d) entardecer de um dia de primavera.
e) Manhã de primavera
3)Para chegar a um determinado lugar pela primeira vez é preciso ter referências ou o endereço, isso no campo ou
na cidade, no entanto, nem sempre temos em nossas mãos instrumentos ou informações para a orientação. (...) Nos
dias atuais, a orientação e a localização cartográfica são de extrema importância para o deslocamento entre cidades
e países. Qual direção a ser tomada por um avião que saiu de uma cidade localizada a 5° S 48° W, para uma outra
localizada a 30° S 66° W?
a) ESE.
b) SW.
c) WNW.
d) NE.
e) WSW

4) Um navio que, navegando pelo Atlântico, cruza o Trópico de Câncer e segue do norte para o sul, de tal forma que
a trajetória percorrida é representada como uma reta. Esse percurso descrito no enunciado revela que o navio...
I.Seguirá passando por latitudes cada vez maiores até cruzar a linha equatorial.
II.Estará modificando constantemente a latitude, porém permanece na mesma longitude.
III.Estará se aproximando cada vez mais do meridiano de origem.
IV.Estará navegando pelas águas do hemisfério austral.
V.Estará se distanciando cada vez mais do círculo polar ártico.
Estão corretas as afirmações:
a) II e V, apenas.
b) I, II e IV.
c) I, III e V.
d) II e III, apenas.
e) III, IV e V.

5) Três internautas (A, B e C) navegam pela rede mundial e visitam a página da BBC de Londres. No momento em que
eles acessam a referida página, são 15h (hora local em Londres (0º Gr.). Sabe-se que o internauta A mora numa
cidade a 105ºL de Gr., o internauta B a 30ºO de A, e o internauta C, a 45ºW de Gr.
Com base nessas informações, é correto afirmar que as cidades dos internautas A, B e C, no momento em que eles
acessam a referida página, têm, como hora local, respectivamente,
a) 20h, 18h e 12h.
b) 20h, 22h e 18h.
c) 22h, 17h e 12h.
d) 22h, 20h e 12h.
e) 22h, 20h e 18h.

6) Sobre um mapa, na escala de 1:500 000, tenciona-se demarcar uma reserva florestal de forma quadrada
apresentando 7 cm de lado.
A área da reserva medirá no terreno:
a) 12,25 km2
b) 1.225 km2
c) 12.250 km2
d) 122,5 km2
e) 12.255 km2
7) Apoiando-se em pressupostos da geopolítica associada à cartografia, analise
itens relativos à representação cartográfica constante na figura abaixo.
I. É um mapa básico que indica a localização e a configuração exata dos
continentes com suas devidas proporções geométricas.
II. Caracteriza-se como uma representação cartográfica com fins geopolíticos,
apresentando o Brasil numa posição privilegiada em relação a outros países.
III. Considerando o formato da Terra, pode-se afirmar que o mapa analisado é o mais preciso na representação dos
continentes existentes.
Da leitura das afirmações acima, é correto afirmar que:
a) apenas I é verdadeira.
b) apenas II é verdadeira.
c) apenas III é verdadeira.
d) apenas I e II são verdadeiras.
e) apenas II e III são verdadeiras.
8)Esta questão deve ser respondida a partir da análise da figura abaixo:

Qual o perfil topográfico que corresponde ao corte A-B da figura?

9)“Apesar de haver certa integração entre os estados do Sudeste brasileiro, as características econômicas de cada
um determinam significativas desigualdades intra-regionais. Quando se fala em Sudeste, em geral considera-se o
chamado Sudeste geoeconômico.” (Igor Moreira)
Para a delimitação do chamado Sudeste geoeconômico deve-se:
a) excluir os estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo, de localização litorânea e mais identificados com a Zona da
Mata nordestina;
b) incluir toda a Região Sul, por apresentar as mesmas características naturais, demográficas e econômicas;
c) excluir a zona semiárida do norte de Minas Gerais e incluir o norte do Paraná (área de Londrina e Maringá), um
prolongamento do oeste paulista;
d) excluir todo o estado de Minas Gerais, o menos industrializado da região;
e) excluir o estado do Espírito Santo e incluir a região Centro-Oeste que apresenta as mesmas identidades
econômicas.
10)Considere os textos:
I. Região Administrativa: O critério da regionalização é principalmente de ordem natural, considerando ainda
aspectos socioeconômicos. Esta divisão, que respeita os limites estaduais, corresponde à divisão oficial do
território brasileiro (IBGE. e é utilizada para fins estatísticos e didáticos. (IBGE, 1998).
II. Região Geoeconômica: O critério da regionalização é basicamente socioeconômico e não considera os limites
estaduais. Cada complexo regional tem características importantes em comum que ultrapassam as divisões
político-administrativas dos estados.
(VESENTINI, 1999).
Esses textos referem-se, respectivamente, aos mapas:

a) d)
b) e)

c)

Gabarito
1E 2C 3B 4A 5D 6B 7B 8A 9C 10D