You are on page 1of 29

CÓDIGO PÁG

T.01.12 1 / 29
NORMA APROVAÇÃO
DEX n° 272
DATA
17/12/1999
REVISÃO DATA
03 21/11/2011
TÍTULO
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
PALAVRAS-CHAVE
Equipamento de Proteção Individual e Especial, EPI, EPE, Segurança no Trabalho, Proteção
Individual

SUMÁRIO

Pág.
1. OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO...................................................................... 01
2. DOCUMENTOS COMPLEMENTARES....................................................................... 01
3. PROCEDIMENTOS BÁSICOS.................................................................................... 02
3.1 Definições, Siglas e Abreviaturas............................................................................ 02
3.2 Levantamento de Necessidades.........................................................................
3.3 Classificação e Tipos de EPI................................................................................. 03
3.4 Especificação e Utilização..................................................................................... 03
3.5 Solicitação de Aquisição........................................................................................ 03
3.6 Controle de Fornecimento..................................................................................... 04
3.7 Fiscalização e Controle de Ocorrências................................................................ 05
3.8 Multas e Penalidades............................................................................................ 05
4. DISTRIBUIÇÃO........................................................................................................... 06
5. AUDITORIA................................................................................................................. 06
6. APROVAÇÃO.............................................................................................................. 06
7. ANEXOS........................................................................................................................ 07

1. OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO

Regulamentar procedimentos relacionados ao fornecimento e à utilização de Equipamento de Proteção


Individual – EPI e ou Especial - EPE, compatíveis com os riscos das atividades desenvolvidas no âmbito
dos portos de Salvador, Aratu e Ilhéus, para seus empregados, dirigentes e estagiários, bem como
regulamentar os procedimentos de fiscalização dos demais trabalhadores e profissionais que laborem ou
acessem esses portos.

Objetiva, ainda, regulamentar procedimentos que visam minimizar, controlar e preservar a integridade
física do empregado em caso de doenças, acidentes e/ou incidentes no âmbito de trabalho.

2. DOCUMENTOS COMPLEMENTARES
NR – 06 Equipamentos de Proteção Individual e NR – 29 Segurança Nas Operações Portuárias

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Rev. 03 PÁG 1 / 29


NORMA T.01.12
CÓDIGO PÁG
T.01.12 2 / 29
NORMA APROVAÇÃO
DEX n° 272
DATA
17/12/1999
REVISÃO DATA
03 21/11/2011
TÍTULO
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
PALAVRAS-CHAVE
Equipamento de Proteção Individual e Especial, EPI, EPE, Segurança no Trabalho, Proteção
Individual

3. PROCEDIMENTOS BÁSICOS

3.1. Definições, Siglas e Abreviaturas


Para efeito desta norma, devem ser observadas as seguintes definições, siglas e siglas:
a) Equipamento de Proteção Individual (EPI) Básicos
São aqueles que são utilizados por todas as pessoas, para acesso às instalações da sede e Portos
administrados pela CODEBA, inclusive de áreas arrendadas, tais como: bota de segurança,
capacete com jugular, protetor auricular, luva de vaqueta e óculos contra impacto.
b) Equipamentos de Proteção Especial (EPE)
São aqueles utilizados para proteção de riscos específicos de determinada área ou equipamento,
como uso eventual ou em caso de emergência, tais como: luvas (especiais), aventais, óculos ampla
visão contra gases e respingos químicos, protetor facial, máscaras semi-faciais, perneiras,
vestimentas em PVC, macacões especiais etc.
c) Equipamento de Proteção Coletiva
Equipamentos destinados a proteção/salvaguarda de uma coletividade, instalados ou posicionados
em locais estratégicos, tais como: equipamentos de salvatagem, luminárias de emergência,
isolamentos acústicos, extintores etc.
d) Ficha Individual de Fornecimento de EPI/EPE
Formulário individual de entrega de EPI com Declaração de Responsabilidade, nome, matrícula, nº
do certificado de aprovação do equipamento e função, assim como os registros correspondentes, as
datas e equipamentos entregues ao mesmo.

3.2 LEVANTAMENTOS DE NECESSIDADES


3.2.1 A Coordenação de Assuntos Estratégicos – CAE, através do Núcleo de Gestão Ambiental – NGA,
deve realizar anualmente levantamento das necessidades de EPI junto às diversas áreas da
Companhia, através do formulário “Requisição de EPI por Coordenação” Anexo “B”, obedecendo ao
cronograma apresentado no Anexo “A”.
3.2.2 Após a consolidação dos pedidos de cada área, a CAE-NGA deve enviar a Requisição de Material
- RQM à Coordenação de Gestão Administrativa - CAD para providenciar aquisição dos itens
necessários, caso o estoque existente não atenda integralmente as necessidades para o exercício
seguinte.
3.2.3 As provisões de EPI devem prevê o atendimento às necessidades das áreas de janeiro a dezembro
do ano subsequente, inclusive quantidades necessárias para atendimento aos estagiários e visitantes.

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Rev. 03 PÁG 2 / 29


NORMA T.01.12
CÓDIGO PÁG
T.01.12 3 / 29
NORMA APROVAÇÃO
DEX n° 272
DATA
17/12/1999
REVISÃO DATA
03 21/11/2011
TÍTULO
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
PALAVRAS-CHAVE
Equipamento de Proteção Individual e Especial, EPI, EPE, Segurança no Trabalho, Proteção
Individual

3.3 CLASSIFICAÇÃO E TIPOS DE EPI


3.3.1 Para proteção individual dos empregados da Companhia e da fiscalização quanto ao uso pelos
usuários das áreas arrendadas, fornecedores e visitantes, no que se refere à proteção individual, devem
ser exigidos os EPI a seguir especificados e agrupados por:
a) ÁREA / LOCALIZAÇÃO - Anexo “C”;
b) RISCO DA ATIVIDADE – Anexo “D”.

3.4 ESPECIFICAÇÃO E UTILIZAÇÃO


3.4.1 A CAE-NGA é responsável pela especificação de todos os EPI e EPE necessários às atividades da
Companhia e sua atualização, seguindo os padrões técnicos e legislação específica vigente, inclusive as
exigências contidas na NR-06 e NR-29 do MTE.
3.4.2 Para transitar ou atuar nas áreas internas da Companhia e seus Portos, os empregados e demais
pessoas devem portar os equipamentos determinados no Anexo “C”, observando os riscos da sua
atividade e equipamentos de proteção sugeridos no Anexo “D”.
3.5.3 A não utilização dos EPI ou EPE no âmbito dos portos, ensejará em penalidades previstas no item
3.7 e na legislação específica.
3.4.4 Os capacetes e uniformes fornecidos a empregados, dirigentes e chefias da CODEBA devem
apresentar, em caracteres indeléveis, a sigla e logomarca da Companhia, devendo ser observadas as
disposições contidas nesta Norma.
3.4.5 Para aplicação, higienização, modo de uso e prazo de durabilidade de cada EPI, deve ser
observador o que prevê o Anexo “G”.
3.4.6 A CODEBA deve dar conhecimento ao Órgão Gestor de Mão-de-obra de cada porto e às
empresas que atuam nos portos, das exigências e recomendações contidas na presente norma,
inclusive fazendo constá-la nas cláusulas contratuais de arrendamento, locação, prestação de serviços
diversos, execução de obras, fornecimentos e outros.

3.5 SOLICITAÇÃO DE AQUISIÇÃO


3.5.1 As solicitações de fornecimento de EPI ou EPE para empregados, dirigentes e chefias da
CODEBA devem ser efetuadas pela CAE-NGA, conforme previsto no subitem 3.1.1.

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Rev. 03 PÁG 3 / 29


NORMA T.01.12
CÓDIGO PÁG
T.01.12 4 / 29
NORMA APROVAÇÃO
DEX n° 272
DATA
17/12/1999
REVISÃO DATA
03 21/11/2011
TÍTULO
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
PALAVRAS-CHAVE
Equipamento de Proteção Individual e Especial, EPI, EPE, Segurança no Trabalho, Proteção
Individual

3.5.2 Para atender a casos excepcionais, a CAE-NGA deve justificar, no ato da solicitação, o motivo da
compra, e solicitar autorização do Diretor de Gestão Administrativa e Financeira.
3.5.3 Antes do fechamento da compra dos EPI ou EPE, a CAD ou a COPEL deve apresentar amostras
fornecidas pelo licitante vencedor, a fim que a CAE-NGA aprove ou reprove os equipamentos. Após
análise dos equipamentos, as amostras dos lotes adquiridos, deverão ser devolvidos ao fornecedor
licitante vencedor.

3.6 CONTROLE DE FORNECIMENTO


3.6.1 O recebimento do EPI no Almoxarifado deve ser efetuado após nova inspeção do material pela
CAE-NGA, com vistas a verificar o atendimento aos requisitos, especificações técnicas e amostra
enviada e aprovada.
3.6.2 A entrega dos EPI aos empregados deve ser efetuada pela CAE-NGA, estando condicionada ao
preenchimento dos dados referentes aos itens fornecidos e entrega do EPI/EPE antigo, no “Controle
Individual de EPI” (Anexo “E”), emitido pelo Técnico de Segurança do Trabalho da unidade portuária, e
assinado pelo empregado, que atestará o respectivo recebimento.
3.6.3 O preenchimento do formulário “Controle Individual de EPI” deve ser preenchido de forma contínua
por empregado, permitindo a utilização de outra folha apenas após o término da primeira. Desta forma,
não deve ser interrompido após término do ano civil.
3.6.4 Os EPI devem está condicionados em local limpo e arejado, longe de agentes físicos, químicos e
biológicos que possam deteriorar o produto e/ou alterarem suas características e especificações.
3.6.5 Em todos os portos, será designado um Técnico de Segurança do Trabalho como responsável
para controlar o estoque dos materiais e enviar, no início de cada mês à CAE-NGA, uma planilha
informando o estoque final do mês anterior.
3.6.6 Ao entregar o EPI o Técnico de Segurança do Trabalho deve anotar no formulário “Controle de
Saída EPI” Anexo “H”, para que o responsável pelo estoque faça o registro na planilha de “Controle de
EPI” Anexo “I”. O formulário deve estar em local disponível a todos os Técnicos de Segurança do
Trabalho que atuam no respectivo porto.

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Rev. 03 PÁG 4 / 29


NORMA T.01.12
CÓDIGO PÁG
T.01.12 5 / 29
NORMA APROVAÇÃO
DEX n° 272
DATA
17/12/1999
REVISÃO DATA
03 21/11/2011
TÍTULO
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
PALAVRAS-CHAVE
Equipamento de Proteção Individual e Especial, EPI, EPE, Segurança no Trabalho, Proteção
Individual

3.7 FISCALIZAÇÃO E CONTROLE DE OCORRÊNCIAS


3.7.1 A fiscalização pelo uso do EPI deve ser iniciada nos portões de acesso, com a ação da Guarda
Portuária, que, somente deve permitir a entrada conforme Norma de Acesso ao Porto vigente e
disposições contidas neste documento.
3.7.1.1 Estas exigências se aplicam a todos os trabalhadores (portuários avulsos ou não), operadores,
usuários, portuários e arrendatários, autoridades, visitantes e outros.
3.7.2 O uso do Equipamento de Proteção Individual, nas instalações portuárias, será fiscalizado pela
Coordenação/Liderança em que o empregado esteja lotado e pela CAE, através dos Técnicos de
Segurança do Trabalho.
3.7.3 Não é permitido, dentro das instalações dos portos, o uso de bermuda, sandália ou desnudo; bem
como de camiseta, salvo em instalações arrendadas com procedimento preestabelecido e acordado
junto a esta autoridade.
3.7.4 As não conformidades observadas na fiscalização, quanto ao correto uso e condições do EPI,
serão lançados no “Registro de Ocorrência” (Anexo “F”), expedido pelo Técnico de Segurança do
Trabalho, encaminhando ao Coordenador da CAE e deste ao Coordenador da(s) área(s) envolvida(s),
para conhecimento e providências.
3.7.5 Trimestralmente um Técnico de Segurança do Trabalho em cada Porto realizará inspeção de
utilização de EPI – EPE, utilizando-se o formulário – Utilização de Equipamentos de Proteção (anexo
“K”), devidamente preenchidas e tratadas.

3.8 MULTAS E PENALIDADES


3.8.1 Por falta, perda, extravio ou uso inadequado do EPI/EPE pelos profissionais da CODEBA, poderão
ser aplicadas medidas disciplinares constantes no art.462 paragrafo 1º da Consolidação das Leis do
Trabalho – CLT, por solicitação.
3.8.2 Durante inspeções deverá ser observado uso adequado dos equipamentos de proteção exigidos
pela atividade e local, assim como a qualidade, conservação e estado geral.
3.8.3 Quanto às empresas prestadoras de serviços, operadores portuários, arrendatários, fornecedores
e demais usuários dos portos, as multas e penalidades serão arbitradas pela Diretoria Executiva, após
apuração dos fatos, pelas áreas específicas.

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Rev. 03 PÁG 5 / 29


NORMA T.01.12
CÓDIGO PÁG
T.01.12 6 / 29
NORMA APROVAÇÃO
DEX n° 272
DATA
17/12/1999
REVISÃO DATA
03 21/11/2011
TÍTULO
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
PALAVRAS-CHAVE
Equipamento de Proteção Individual e Especial, EPI, EPE, Segurança no Trabalho, Proteção
Individual

4. DISTRIBUIÇÃO
Diretoria Executiva, Coordenações, Sindicatos Laborais, Sindicatos Patronais, Órgãos de Gestão de
Mão-de-obra, Receita Federal, SRTE, ANVISA, Ministério da Agricultura e outros que atuam nos portos
organizados da CODEBA.

5. AUDITORIA
As atividades regulamentadas pela presente Norma devem ser auditadas pela Coordenação de
Auditoria Interna – COA, conforme plano anual de auditoria.

6. APROVAÇÃO
A revisão da presente Norma foi aprovada na 436ª Reunião Ordinária da DEX, realizada em 21 de
novembro de 2011.

7. ANEXOS

ANEXO “A” - CRONOGRAMA


ANEXO “B” – REQUISIÇÃO DE EPI POR ÁREA/COORDENAÇÃO
ANEXO “C” – USO DE EPI/EPE POR ÁREA E LOCALIZAÇÃO
ANEXO “D” – USO DE EPI / EPE POR EXPOSIÇÃO A RISCOS
ANEXO “E” – FORMULÁRIO DE ENTREGA DE EPI / EPE
ANEXO “F” – REGISTRO DE OCORRÊNCIA
ANEXO “G” – EPI / EPE, INDICAÇÕES, FORMA DE HIGIENIZAÇÃO E DURABILIDADE
ANEXO “H” – CONTROLE DE SAÍDA DE EPI/EPE
ANEXO “I” – CONTROLE DO ESTOQUE DE EPI/EPE
ANEXO “J” – ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE EPI/EPE PARA OS PORTOS DE SALVADOR, ARATU
E ILHÉUS
ANEXO “K” – UTILIZAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO

JOSÉ MUNIZ REBOUÇAS


Diretor Presidente

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Rev. 03 PÁG 6 / 29


NORMA T.01.12
CÓDIGO PÁG
T.01.12 7 / 29
NORMA APROVAÇÃO
DEX n° 272
DATA
17/12/1999
REVISÃO DATA
03 21/11/2011
TÍTULO
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
PALAVRAS-CHAVE
Equipamento de Proteção Individual e Especial, EPI, EPE, Segurança no Trabalho, Proteção
Individual

8. ANEXOS

ANEXO “A” - CRONOGRAMA

LEVANTAMENTO DE NECESSIDADES DE EPI/EPE – PARA COMPRA BIANAL, OU ATENDIMENTO


ÀS NECESSIDADES EXTRAORDINÁRIAS,
CAE E COORDENAÇÕES ENVOLVIDAS.

SEDE, PORTOS DE SALVADOR, ARATU Anualmente, até 30 de novembro.


E ILHÉUS

SOLICITAÇÃO A CAD PARA COMPRA BIANUAL OU REPOSIÇÃO DE ESTOQUE

Pela CAE - NGA Até 10 de dezembro, a cada dois anos


(para reposição de estoque ou aquisição de novos
itens, a qualquer data).

RECEBIMENTO DO MATERIAL

Pela CAD Até 20 meses após solicitação de compra maio, a


cada dois anos, exceto para reposição de estoque ou
aquisição de itens novos.

DISTRIBUIÇÃO AOS EMPREGADOS

Pela CAE - NGA A partir de 10 de junho, a cada dois anos. Casos


especiais, a qualquer data.

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Rev. 03 PÁG 7 / 29


NORMA T.01.12
TÍTULO
REQUISIÇÃO DE EPI/EPE POR ÀREA/COORDENAÇÃO
Coordenação DATA:

PALAVRAS-CHAVE

NORMA T.01.12
Nome

visão
Calça
ruído

Função
Bota de

vaqueta
vaqueta

Bota de
impacto
Luva de
Protetor

Matrícula
Luvas de
Luvas de
Luvas de
Auricular
Aram. ML

Sapato de
partic. em

Segurança
Segurança
Segurança
Segurança
Máscara p/

Camisa MC
Camisa ML
Respirador

Abafador de
Capacete de

Óculos ampla
Calça Brigada

Óculos contra
Capacete com

Segurança pvc
Capa de chuva
Japona Nomex
protetor Facial
susp. descart.

Segurança fem.
Segurança pvc
Camisa Brigada
semif. Multigás

Segurança latex
NORMA

Individual

Relação de materiais
Bota de Camisa Camisa Japona
Bota de Segurança Sapato de Calça Camisa
Segurança Calça Manga Manga Nomex
em vaqueta Segurança fem. Brigada Brigada
em pvc Curta Longa Aram. ML
Quant.
n° n° Quant. pares n° qt. n° qt. n° qt. n° qt. n° qt. n° qt. n° qt.
pares

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL


Nº37 Nº34 Nº37 Nº38 Nº02 Nº02 Nº38 Nº02 Nº02
CÓDIGO

REVISÃO

Nº38 Nº35 Nº38 Nº40 Nº03 Nº03 Nº40 Nº03 Nº03


03

Nº39 Nº36 Nº39 Nº42 Nº04 Nº04 Nº42 Nº04 Nº04


T.01.12
APROVAÇÃO

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL

Nº40 Nº37 Nº40 Nº44 Nº05 Nº05 Nº44 Nº05 Nº05


DEX n° 272

Nº41 Nº38 Nº41 Nº46 Nº46


Nº42 Nº39 Nº42 Nº48 Nº48
PÁG

Nº44 Nº40 Nº44 Nº50 Nº50


DATA
DATA

Rev. 03
Total - Total - Total - Total - Total - Total - Total - Total - Total -
ANEXO “B” - REQUISIÇÃO DE EPI POR ÁREA/COORDENAÇÃO
8 / 29

Luvas de Luva para Capacete Máscara p/


21/11/2011
17/12/1999

Óculos de Óculos de Luvas de Luvas de Capacete Respirador


Segurança procedimen Capa Protetor Abafador com partic. em
Segurança contra Segurança ampla segurança Segurança de semifacial.
em to não Chuva Auricular de ruído protetor susp.
impacto visão em PVC em picari Segurança Multigás
vaqueta cirurgico facial descart.
Equipamento de Proteção Individual e Especial, EPI, EPE, Segurança no Trabalho, Proteção

PÁG 8 / 29
USO DO EPI/EPE POR LOCALIZAÇÃO/ÀREA

TÍTULO

LOCALIZAÇÃO/ÁREA PALAVRAS-CHAVE

Calça
Curta
Longa

NORMA T.01.12
em pvc

em pvc
em latex
Multigás

em picari
Capacete

Sapato de

em vaqueta
em vaqueta
Capacete c/

Calça Brigada

Camisa Manga
Capa de chuva
Japona Nomex
protetor Facial

Camisa Mamga

Segurança fem.
Camisa Brigada
Máscara p/ partic.

Óculos c/ impacto
Protetor Auricular
Abafador de ruído
em susp. descart.
Respirador semif.

Bota de Segurança
Bota de Segurança
Óculos ampla visão
Luva de segurança
Aram. Manga Longa

Luvas de segurança
Luvas de segurança
Luvas de segurança
PORTO DE SALVADOR

Escritório/ Sede * *
Terminais/ Contêiner x x x x x x x x
Almoxarifado, Arquivo x x x x x * * x
Serviço Médico e Odont. x x x x x * * x
Balança x x x x * * *
Cais x x x x * * x *
Armazens x x x x x * * x x
Oficina Mecânica x x x x x x x * * x x
Oficina Eletrica x x x x x x x * * x x *
Guaritas x x x x * x x
NORMA

PORTO DE ARATU
Escritório/Sede * * x
Individual

Almoxarifado x x x x x * * x x
Serviço Médico x x x x x * * x x
Balança x x x x * * x x x
Pieres Sólidos (TGS I, II) x x x x x x * * x x x
Pieres de Gases/Liquidos x x x x x x * * x * x

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL


Armazem/ Pátio de estocagem x x x x x * * x x x
CÓDIGO

REVISÃO
03

Oficina Eletrica x x x x x x x * * x x x x x
T.01.12
APROVAÇÃO

Oficina Mecânica x x x x x x x x * * x x x
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
DEX n° 272

Guaritas x x x x x * x x x x
PORTO DE ILHÉUS
PÁG

Escritório * *
ANEXO “C” - USO DE EPI/EPE POR ÁREA E LOCALIZAÇÃO
DATA
DATA

Rev. 03
Almoxarifado x x x x x * * *
9 / 29

Serviço Médico x x x x x x * * x
21/11/2011
17/12/1999

Balança x x x x * * *
Armazens x x x x * * x x
Cais x x x x * * x *
Equipamento de Proteção Individual e Especial, EPI, EPE, Segurança no Trabalho, Proteção

PÁG 9 / 29
* Uso de material condicionado a exposição do empregado a ruído ou partículas em suspensão
CÓDIGO PÁG
T.01.12 10 / 29
NORMA APROVAÇÃO
DEX n° 272
DATA
17/12/1999
REVISÃO DATA
03 21/11/2011
TÍTULO
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
PALAVRAS-CHAVE
Equipamento de Proteção Individual e Especial, EPI, EPE, Segurança no Trabalho, Proteção
Individual

ANEXO “D” - USO DE EPI / EPE POR EXPOSIÇÃO A RISCOS

RISCO QUÍMICO – Poeiras, Fumos, Névoas, Neblinas, Gases, Vapores, Substâncias, compostos
ou produtos químicos.
Trabalhos com cargas classificadas (perigosas), gases comprimidos (conjunto óxido-acetileno, ou
outro gás inflamável), líquidos inflamáveis (tintas, solventes, gasolina, óleos e graxas ou qualquer
outro hidrocarboneto), substâncias tóxicas, venenosas (aplicação de vermicidas, trabalhos com
venenos para desratização e etc) uso de materiais de limpeza a base de cloro ou outro que se
comportem expulsando o oxigênio do local, poeiras, líquidos corrosivos, dispersantes,
desengordurantes e outros.
EPI / EPE A SEREM OBSERVADOS –Item 1 ou 2 ; item 5, item 6 item 7, item 9, item 11, item
12, item 13, item 15 (a depender da situação); item 17; item 22, item 23 ,24, 25 ou 26 ( a
depender da situação). do anexo “G”

RISCO BIOLÓGICO – Vírus, Bactérias, Protozoários, Fungos, Parasitas, Bacilos.


Trabalhos com lixo orgânico (restos de alimento), hospitalares (postos médicos), varrição/limpeza
de dejetos de pombos, ratos e outros animais que possam servir de vetores de fungos, vírus,
bactérias, protozoários, parasitas e bacilos e outros.
EPI / EPE A SEREM OBSERVADOS – Item 2; item 5, item 6;item 9, item 11, item 12 e 13, item
15 (a depender da situação) item 17, item 22 item 26; do anexo “G”.

RISCO FÍSICO – Ruídos, Vibrações, Radiações ionizantes, Radiações não ionizantes, Frio, Calor,
Pressões anormais, Umidade
Trabalhos com ferramentas, máquinas e equipamentos ruidosos (furadeiras, lixadeiras,
esmerilhadeiras, trabalhos com solda, empilhadeira, betoneiras, marteletes, tratores, pás
carregadeiras, retroescavadeiras. Trabalhos de mergulho, jateamento com uso de água, serviços
em ambientes ou embalagens (contêineres refrigerados) com baixas temperaturas e outros.
EPI / EPE A SEREM OBSERVADOS – Item 1 ou 2, item 3, item 4, item 7, item 10, item 12, item
13 ou 14 (a depender da situação) item 15 e/ou 16 ( a depender da situação); item 18, item 20;
item 22 item 27; item 28, item 29, item 30, item 31 do anexo “G” .

RISCO ERGONÔMICO – esforço físico intenso, levantamento e transporte manual de peso,


exigência de postura inadequada, controle rígido de produtividade, imposição de ritmos
excessivos, trabalho em turno e noturno, jornadas de trabalho prolongadas, monotonia e
repetitividade, outras situações causadoras de stress físico e/ou psíquico.
Trabalhos com deslocamento/transporte de peso, posturas inadequadas, pressão de
trabalho/produtividade que direcionem a ritmos excessivos, trabalhos de turno e noturno,
repetitividade de trabalho/movimento ou outras que gerem stress físico e/ou mental.

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Rev. 03 PÁG 10 / 29


NORMA T.01.12
CÓDIGO PÁG
T.01.12 11 / 29
NORMA APROVAÇÃO
DEX n° 272
DATA
17/12/1999
REVISÃO DATA
03 21/11/2011
TÍTULO
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
PALAVRAS-CHAVE
Equipamento de Proteção Individual e Especial, EPI, EPE, Segurança no Trabalho, Proteção
Individual

EPI / EPE A SEREM OBSERVADOS – exige materiais e móveis ergonomicamente adequados

RISCO DE ACIDENTE – arranjo físico inadequado, máquinas e equipamentos sem proteção,


ferramentas inadequadas ou defeituosas, iluminação inadequada, eletricidade, probabilidade de
incêndio ou explosão, armazenamento inadequado, animais peçonhentos, outras situações de
risco que poderão contribuir para a ocorrência de acidentes.
Atividades e trabalhos, administrativos ou operacionais, que gerem risco de acidente junto aos
tópicos supracitados.
EPI / EPE A SEREM OBSERVADOS – Todos os itens do anexo G (a depender da situação que o
trabalhador estiver exposto)

NOTA TÉCNICA

A responsabilidade técnica das especificações dos Equipamentos de Proteção Individual - EPI,


Equipamentos de Proteção Especial - EPE e Equipamento de Proteção Coletiva – EPC, e
conforme NR 04, é do Profissional de Segurança do Trabalho, cabendo a este, também, listar
os equipamentos a serem utilizados/adotados em qualquer serviço/atividade, nos portos de
Salvador, Aratu e Ilhéus, que oferte risco a integridade física e/ou psicológica do trabalhador.

Os riscos e recomendações dos equipamentos de proteção supracitados não dispensam a


consulta prévia, em caso de dúvidas, ao profissional competente em Segurança do Trabalho por
parte do encarregado direto, pelo empregado ou por qualquer outro que observe uma situação de
risco nas atividades e operações nos portos de Salvador, Aratu e Ilhéus.

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Rev. 03 PÁG 11 / 29


NORMA T.01.12
TÍTULO
SEDE E PORTO DE
CONTROLE INDIVIDUAL DE EPI - EPE SALVADOR
PORTO DE ARATU

PORTO DE ILHÉUS

NOME CARGO/FUNÇÃO MATRICULA LOTAÇÃO PALAVRAS-CHAVE

NORMA T.01.12
Declaro que está sob minha inteira responsabilidade a guarda e conservação dos equipamentos de proteção individual ou especial, constante neste documento. Assumo a responsabilidade de devolvê-los
integralmente ou parcialmente, quando solicitado, ou na data da rescisão de contrato, quando esta ocorrer.
Também, estou ciente que, na eventualidade de danificar ou extraviar os equipamentos por ato doloso ou culposo, estarei sujeito ao desconto do valor em seu salário, conforme paragrafo único do art.158 da CLT e
título I, capítulo II Art.462, §1º. , bem como deve efetuar o registro de extravio de EPI-EPE na Guarda Portuária da unidade. Comprometo-me a utilizá-los de forma correta e de acordo com as instruções de
treinamento referentes ao uso correto, guarda, e higienização dos EPI – EPE, recebidas na presente data, fornecidas por profissional Técnico de Segurança do Trabalho. Também estou ciente que a não utilização
dos mesmos em minhas atividades profissionais, é ato faltoso e possível de punição legal e disciplinar de acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) – Capítulo V seção I – Art. 158º. Normas
Regulamentadoras (NR) - NR -1 e NR-6, alínea 6.7, disciplinadas pela Portaria MTE. nº3.214/78 e artigo 191 itens I e II da CLT e súmula n.80 do TST, além de Norma da Codeba.
Além do referido treinamento, declaro ter recebido orientações sobre os danos da exposição ao ruído intenso ou outros riscos comprometendo-me a requisitar a reposição dos EPI – EPE, caso haja necessidade, ou
com a periodicidade normal requerida.

DATA DA DECLARAÇÃO ASSINATURA

CERTIFICADO RECEBIMENTO DEVOLUÇÃO


QUANT DISCRIMINAÇÃO DO EPI OBSERVAÇÃO
DE APROVAÇÃO -
CA DATA RUBRICA DATA RUBRICA
NORMA

Individual

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL


CÓDIGO

REVISÃO
03
T.01.12
APROVAÇÃO

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL


DEX n° 272

ANEXO “E” – CONTROLE INDIVIDUAL DE EPI/EPE


PÁG

DATA
DATA

Rev. 03
12 / 29

21/11/2011
17/12/1999

Equipamento de Proteção Individual e Especial, EPI, EPE, Segurança no Trabalho, Proteção

PÁG 12 / 29
CÓDIGO PÁG
T.01.12 13 / 29
NORMA APROVAÇÃO
DEX n° 272
DATA
17/12/1999
REVISÃO DATA
03 21/11/2011
TÍTULO
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
PALAVRAS-CHAVE
Equipamento de Proteção Individual e Especial, EPI, EPE, Segurança no Trabalho, Proteção
Individual

ANEXO “F” - – REGISTRO DE OCORRÊNCIA


DATA Nº RO

REGISTRO DE OCORRÊNCIA
SEGURANÇA NO TRABALHO E MEIO AMBIENTE HORA PORTO

LOCAL DA OCORRÊNCIA TIPO DA OCORRÊNCIA

OCORRÊNCIA (RELATO RESUM IDO)

PROVIDÊNCIAS OU AÇÕES ADOTADAS

RECURSOS UTILIZADOS NO REGISTRO DA OCORRÊNCIA

Fotográf ico Filmagem Outros (especif icar)

Medição Documentos Provas materiais

PARECER PRELIM INAR OU RECOM ENDAÇÃO

EM ITENTE: NGA:

RUBRICA: RUBRICA:

DE: NGA DE: COORDENAÇÃO DA CAE PARA:

PARA: COORDENADOR DA CAE Arquivamento/CAE

Recomendações: Solicitamos Parecer Técnico

Solicitamos providências

Para conhecimento dessa área

Outros (especif icar)


DATA: RUBRICA DATA RUBRICA

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Rev. 03 PÁG 13 / 29


NORMA T.01.12
CÓDIGO PÁG
T.01.12 14 / 29
NORMA APROVAÇÃO
DEX n° 272
DATA
17/12/1999
REVISÃO DATA
03 21/11/2011
TÍTULO
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
PALAVRAS-CHAVE
Equipamento de Proteção Individual e Especial, EPI, EPE, Segurança no Trabalho, Proteção
Individual

ANEXO “G” - EPI / EPE, INDICAÇÕES, FORMA DE HIGIENIZAÇÃO E DURABILIDADE

EPI / EPE APLICAÇÃO HIGIENIZAÇÃO OBSERVAÇÃO DURABILIDA


QUANTO AO USO DE MÉDIA
PREVISTA
1 Bota e
Sapato Indicado para prevenção Lavar com água e Não usar em área
(feminino/m de agentes químicos, sabão neutro, alagadiça ou que
asculino) de mecânicos, assim como usando pano limpo possua umidade em 01 ano
Segurança impactos provenientes. e macio, secando a excesso.
em vaqueta. sombra.

2 Bota de Indicado para áreas Lavar com água e Usar em área


segurança alagadiças, produtos sabão neutro, alagadiça ou que
em PVC ácidos. usando pano limpo possua umidade em
e macio, secando a excesso, bem como 01 ano
sombra. em locais onde haja
presença ou risco de
material ácido.
3
Calçado de Utilizados para proteção Lavar com água e Utilizar o EPI 01 ano
segurança dos pés do usuário contra sabão neutro. corretamente.
para baixa e agentes térmicos.
alta
temperatura

4 Óculos Usar em locais onde haja Lavar com água e Colocar de forma
contra risco de projeção de sabão neutro que se ajuste 01 ano
Impactos partículas ou material secando com pano perfeitamente ao
manuseado. ou papel limpo e rosto.
macio.

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Rev. 03 PÁG 14 / 29


NORMA T.01.12
CÓDIGO PÁG
T.01.12 15 / 29
NORMA APROVAÇÃO
DEX n° 272
DATA
17/12/1999
REVISÃO DATA
03 21/11/2011
TÍTULO
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
PALAVRAS-CHAVE
Equipamento de Proteção Individual e Especial, EPI, EPE, Segurança no Trabalho, Proteção
Individual

5 Óculos Usar em locais onde haja Lavar com água e Colocar de forma
Ampla risco de contaminação sabão neutro que se ajuste
Visão ocular por agente secando com pano perfeitamente ao 01 ano
biológico e químico ou papel limpo e rosto
(gases e respingos). macio.

6 Luvas de Indicado para trabalhos Poderá ser Utilizar corretamente


segurança com ácidos orgânicos, higienizada para observando as
em PVC inorgânicos, Álcoois, novo uso, porém especificações em
bases, hidrocarbonetos, nunca reformada FISPQ do produto a 01 ano
solventes, tintas, corantes ou recuperada. ser manuseado.
e outros.
7
São empregada para Não lavar Utilizar o EPI 03 meses
Luvas de trabalhos com abrasivos, corretamente.
Segurança exemplo, transporte e
em Vaqueta manuseio de blocos de
concreto, tijolos ou
cimento; em operações
que desprendam
fagulhas, peças quentes
ou agentes escorianets,
cortantes ou perfurantes;
serviços de funilaria e
montagem de estruturas
metálicas entre outros.
8
Luvas se Aplicação em alta tensão A higienização não Utilizar o EPI 01 ano
Segurança com capacidade isolante é aplicável. Este corretamente. Não
em picarí ( de 500 à 40.000 volts. equipamento só utilizar em serviços
Trabalhos pode ser utilizado que envolvam
elétricos) por profissional líquidos em geral.
devidamente
habilitado.
9 Luva de A higienização não Utilizar o EPI 3 meses
segurança Preserva as mãos de é aplicável desde corretamente de
para ressecamento, rugas, que sejam acordo com a coluna
procedimen ferimentos e seguidas de aplicações.
to não contaminação por corretamente as
cirúrgico produtos ou materiais indicações de
(látex) agressivos. aplicação.
10
Luva de Utilizados para proteção Lavar com água e Utilizar o EPI Varia
segurança das mãos do usuário sabão neutro. corretamente. conforme

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Rev. 03 PÁG 15 / 29


NORMA T.01.12
CÓDIGO PÁG
T.01.12 16 / 29
NORMA APROVAÇÃO
DEX n° 272
DATA
17/12/1999
REVISÃO DATA
03 21/11/2011
TÍTULO
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
PALAVRAS-CHAVE
Equipamento de Proteção Individual e Especial, EPI, EPE, Segurança no Trabalho, Proteção
Individual

para baixa e contra agentes térmicos. cuidados de


alta conservação/h
temperatura igienização,
manutenção e
frequência de
utilização.

11
Luva Utilizada para proteção Lavar com água e Utilizar o EPI Varia
nitrílica das mãos e punhos do sabão neutro. corretamente. conforme
empregado contra cuidados de
agentes químicos conservação/h
e biológicos igienização,
manutenção e
frequência de
utilização.
12
Calça Exposição a agentes Lavar com sabão Utilizar conforme Varia
físicos, químicos e neutro secando a manual do conforme
biológicos. sombra. fornecedor. cuidados de
conservação/h
igienização
13
Camisa Exposição a agentes Lavar com sabão Vestir sobre a roupa Varia
com manga físicos, químicos e neutro, secando à convencional. conforme
longa biológicos. sombra. cuidados de
conservação/h
igienização
14
Camisa Exposição a agentes Lavar com sabão Vestir sobre a roupa Varia
com manga físicos, químicos e neutro secando à convencional. conforme
curta biológicos. sombra. cuidados de
conservação/h
igienização e
âmbito de
trabalho.
15
Protetor Áreas com ruídos à partir Lavar com água e Utilizar, direcionando Varia
auricular de 80 dB sabão neutro, os plugs para a conforme
tipo plug. enxugando com entrada do canal cuidados de
tecido ou papel auditivo ajustando- conservação/h
limpo e macio. os, verificando se há igienização e
uma boa vedação. âmbito de
trabalho. Para
plug de
inserção de

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Rev. 03 PÁG 16 / 29


NORMA T.01.12
CÓDIGO PÁG
T.01.12 17 / 29
NORMA APROVAÇÃO
DEX n° 272
DATA
17/12/1999
REVISÃO DATA
03 21/11/2011
TÍTULO
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
PALAVRAS-CHAVE
Equipamento de Proteção Individual e Especial, EPI, EPE, Segurança no Trabalho, Proteção
Individual

silicone, 6
meses.
16
Abafador de Áreas com ruído à partir Lavar com água e Ajustar os
ruído tipo de 80 dB. sabão neutro, abafadores às
concha. enxugando com orelhas de forma que 01 ano
tecido ou papel toda esta seja
limpo e macio, se acomodada dentro
necessário, secar a da concha.
sombra.
17 Indicado para operações Solicitar envio a Utilizar em Varia
Macacão que envolvam produtos empresa operações que exista conforme
TYVEK quimicos. especializada para risco de cuidados de
higienização. contaminação por conservação/h
agentes químicos. igienização,
manutenção e
frequência de
utilização.
18
Capa de Indicada para proteção à Limpar com um Vestir sobre a roupa 01 ano
chuva chuva. pano seco e macio convencional.
após a utilização.

Indicadas para Lavar Vestir conforme 01 ano


Conjunto atividades que envolvem periodicamente roupa convencional.
19 para altas temperaturas ou com água e sabão
Brigadista apresentam formação de neutro.
(calça e arcos elétricos.
jaqueta)

20 Indicadas para Limpar com pano Vestir sobre a roupa


Japona atividades que envolvem úmido, deixar convencional ou
para alta altas temperaturas ou secar, não pode ser fardamento. 01 ano
temperatura apresentam riscos de lavado.
explosão ou a formação
de arcos elétricos.
21
Capacete Protege crânio e face nos Limpar com pano Ajustar o capacete à Indeterminado
de trabalhos com esmeril, úmido e sabão cabeça e utilizando . Observar
Segurança serras, impactos, neutro. efetivamente a desgaste dos
com penetrações, onde os proteção facial. materiais
protetor estilhaços e respingos componentes.
facial químicos possam ocorrer

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Rev. 03 PÁG 17 / 29


NORMA T.01.12
CÓDIGO PÁG
T.01.12 18 / 29
NORMA APROVAÇÃO
DEX n° 272
DATA
17/12/1999
REVISÃO DATA
03 21/11/2011
TÍTULO
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
PALAVRAS-CHAVE
Equipamento de Proteção Individual e Especial, EPI, EPE, Segurança no Trabalho, Proteção
Individual

22 Capacete
de Regular tensores da
Segurança carneira de modo
(vermelho – Água morna (40ºC) que a carapaça fique
brigadista, Contra impactos e e sabão neutro. a uns 4 cm da 04 anos
verde – penetrações. Secar com pano cabeça. Deve ser
segurança e limpo e macio. colocado de modo a
meio não ter inclinações
ambiente e laterais em relação
azul – ao crânio.
demais
empregado
s)
23
Máscara Leve o respirador ao
descartável Indicadas para áreas com Não lavar rosto cobrindo a Descartável,
valvulada presença de partículas boca e o nariz. Puxe máximo 8
para sólidas em suspensão, o elástico de cima horas de
partículas tais como: poeiras e passando pela trabalho.
em névoas. cabeça e ajustando
suspensão acima das orelhas.
(PFF1)
24 Máscara Utilizado para proteção Não lavar Leve o respirador ao
descartável contra partículas finas, rosto cobrindo a Descartável,
valvulada fumos e névoas tóxicas. boca e o nariz. Puxe máximo 8
para o elástico de cima horas de
partículas passando pela trabalho.
finas. cabeça e ajustando
(PFF2) acima das orelhas.

25
Colocar na face na
Para trabalhadores com Lavar levemente altura do nariz
Máscara de presença de vapores com algodão envolvendo a boca 2 anos,
segurança orgânicos, gases, névoas, umedecido com ficando com as tiras aplicando o
semifacial fumaça e outros. álcool ou solução elásticas por sobre a teste de
multigás normal que seja no nuca, regulando e vedação.
máximo a 43ºC, verificando a
enxugar e secar. vedação.
Verificar e substituir
as partes
danificadas.

26
Contra gases e respingos Solicitar envio a Colocar na face com
Máscara químicos pressão empresa vedante ao contorno Varia

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Rev. 03 PÁG 18 / 29


NORMA T.01.12
CÓDIGO PÁG
T.01.12 19 / 29
NORMA APROVAÇÃO
DEX n° 272
DATA
17/12/1999
REVISÃO DATA
03 21/11/2011
TÍTULO
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
PALAVRAS-CHAVE
Equipamento de Proteção Individual e Especial, EPI, EPE, Segurança no Trabalho, Proteção
Individual

panorâmica positiva, para trabalhos especializada para do rosto, passar conforme


onde haja riscos de higienização. tirantes por todo o cuidados de
contaminação/ crânio, ajustar conservação/h
intoxicação por produtos tirantes, efetuar teste igienização,
químicos. de vedação e manutenção e
acoplar dispositivo a frequência de
ser utilizado (filtros utilização.
multigás, sistema de
ar mandado ou
autônomo.

27
Óculos com Utilizada para proteção Lavar levemente Utilizar o EPI
lentes dos olhos contra com pano macio e corretamente. 01 ano
especiais luminosidade intensa; sabão neutro.
para proteção dos olhos
contra radiação
ultravioleta;
para proteção dos olhos
contra radiação
infravermelha.
28
Utilizada para proteção Solicitar envio a Utilizar o EPI Varia
Braçadeira do antebraço contra empresa corretamente. conforme
agentes cortantes. especializada para cuidados de
higienização. conservação/h
igienização,
manutenção e
frequência de
utilização.
29
Utilizada para proteção Solicitar envio a Utilizar o EPI Varia
Perneira dos membros inferiores empresa corretamente. conforme
do usuário contra lesões especializada para cuidados de
provocadas por higienização. conservação/h
materiais ou objetos igienização,
cortantes, partículas manutenção e
volantes, escoriantes, frequência de
perfurantes, utilização.
picadas de animais
peçonhentos e névoas na
aplicação de produtos
químicos.
30
Capuz Utilizada para proteção Solicitar envio a Utilizar o EPI Varia
da cabeça e pescoço do empresa corretamente. conforme

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Rev. 03 PÁG 19 / 29


NORMA T.01.12
CÓDIGO PÁG
T.01.12 20 / 29
NORMA APROVAÇÃO
DEX n° 272
DATA
17/12/1999
REVISÃO DATA
03 21/11/2011
TÍTULO
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
PALAVRAS-CHAVE
Equipamento de Proteção Individual e Especial, EPI, EPE, Segurança no Trabalho, Proteção
Individual

usuário contra respingos. especializada para cuidados de


higienização. conservação/h
igienização,
manutenção e
frequência de
utilização.
31
O avental de raspa
Utilizado em atividades Solicitar envio a deve ser Deverá ser
que envolvam risco de empresa inspecionado substituído
respingo de especializada para visualmente antes de quando
Avental materiais em fusão, higienização. sua utilização. apresentar
para operação de solda e rasgo ou
soldador agentes cortantes ou atividades guardar qualquer tipo
escoriantes. em local adequado, de dano que
seco e distante de possa
prejudicar a
deixar o avental mal proteção do
acondicionado, usuário.
impregnado de
substâncias
agressivas ou
exposto a
intempéries.

32 Bloqueador Utilizado para proteção Não se aplica utilizar o EPI para


solar da pele contra radiação atividades expostas
UVA e UVB. a luz solar

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Rev. 03 PÁG 20 / 29


NORMA T.01.12
CÓDIGO PÁG
T.01.12 21 / 29
NORMA APROVAÇÃO
DEX n° 272
DATA
17/12/1999
REVISÃO DATA
03 21/11/2011
TÍTULO
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
PALAVRAS-CHAVE
Equipamento de Proteção Individual e Especial, EPI, EPE, Segurança no Trabalho, Proteção
Individual

ANEXO “H” – CONTROLE DE SAÍDA DE EPI/EPE.

CONTROLE DE SAÍDA DE EPI/EPE

Porto de Salvador / Sede


Porto de Aratu
Porto de Ilhéus MÊS/ANO:

QUANT. DESCRIÇÃO DO EPI DATA HORA RUBRICA

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Rev. 03 PÁG 21 / 29


NORMA T.01.12
mês/ano

TÍTULO
CONTROLE DE ESTOQUE DE EPI
RESPONSÁVEL:

PALAVRAS-CHAVE

NORMA T.01.12
DIA
Quantidade Estoque
Descrição do Item Estoque para Final do
inicial do 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10.11.12.13.14.15.16.17.18.19.20.21.22.23.24.25.26.27.28.29.30.31. reposição Mês
mês
Bota de Segurança vaqueta -
Abafador de ruído -
Bota de Segurança pvc -
Calça -
Calça de Brigada -
Camisa manga curta -
Camisa manga longa -
Capa de chuva -
NORMA

Capacete de Segurança com protetor


facial -
Individual

Capacete de Segurançacom protetor


facial -
Japona Nomex, aramida, manga longa -
Luvas para procedimento não cirurgico (
Latex) -

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL


Luvas de picari -
CÓDIGO

REVISÃO
03

Luvas de Segurança PVC -


T.01.12
APROVAÇÃO

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL


DEX n° 272

Luvas de Segurancça vaqueta -


ANEXO “I” – CONTROLE DO ESTOQUE DE EPI/EPE.

Máscara de Segurança para partículas em


suspensão descartável -
PÁG

DATA
DATA

Óculos de Segurança ampla visão

Rev. 03
-
Óculos de Segurança contra impacto -
22 / 29

21/11/2011
17/12/1999

Protetor auricular -
Respirador de Segurança semifacial
multigás -
Equipamento de Proteção Individual e Especial, EPI, EPE, Segurança no Trabalho, Proteção

PÁG 22 / 29
Sapato de Segurança feminino -
CÓDIGO PÁG
T.01.12 23 / 29
NORMA APROVAÇÃO
DEX n° 272
DATA
17/12/1999
REVISÃO DATA
03 21/11/2011
TÍTULO
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
PALAVRAS-CHAVE
Equipamento de Proteção Individual e Especial, EPI, EPE, Segurança no Trabalho, Proteção
Individual

ANEXO “J”

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE EPI/EPE PARA OS PORTOS DE SALVADOR ARATU E ILHÉUS

04010280

Botina de Segurança: com elástico lateral encoberto;


Cabedal: confeccionado em couro vaqueta lisa, hifrofugada, espessura de 1,6 a 2,0 mm,
resistente a cortes, escoriações, agentes químicos e desgaste em condições normais de
uso, forro de gáspea em couro raspa camurça natural;
Palmilha: em couro natural, espessura mínima de 2,5 mm, costurada através do sistema
strobel e palmilha de limpeza antibactericida;
Alma: em fibra plástica;
Solado: em poliuretano bidensidade bicolor, injetado diretamente ao cabedal,
comentressola em poliuretano de baixa densidade e sola em poliuretano
compacto,antiderrapante, sola mínima de 3 mm de espessura e salto mínimo de 2,0 cm;
Biqueira: em fibra sintética, com forro de espuma de látex com espessura mínima de 3mm;
Contraforte: termoplástico, formato anatômico, com espessura mínima de 1,6 mm;
Costuras: em linha de nylon fio 30, sendo 4 costuras para união da gáspea com as partes
laterais;
Taloneira: reforçadas;

04010100

Botina de Segurança Eletricista:Calçado de segurança, tipo botina modelo com elástico


lateral coberto, dorso acolchoado, confeccionado em couro curtido ao cromo, sem biqueira
de aço, palmilha de montagem em não tecido antimicrobiana, solado de poliuretano
bidensidade injetado direto no cabedal para proteção dos pés do usuário em áreas que
apresenta riscos leves e em áreas onde há presença de eletricidade

04030300

Capacete de segurança
a) Casco: deve ser confeccionado em polietileno de alta densidade, na cor (a definir), com
reforço na parte superior, de alta rigidez dielétrica, sem porosidade, trincas e emendas,nem
partes metálicas ou perfuração. O capacete deve ser provido de fendas laterais para

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Rev. 03 PÁG 23 / 29


NORMA T.01.12
CÓDIGO PÁG
T.01.12 24 / 29
NORMA APROVAÇÃO
DEX n° 272
DATA
17/12/1999
REVISÃO DATA
03 21/11/2011
TÍTULO
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
PALAVRAS-CHAVE
Equipamento de Proteção Individual e Especial, EPI, EPE, Segurança no Trabalho, Proteção
Individual

acoplamento de protetores auriculares e faciais, apresentar alta resistência mecânica e


rigidez dielétrica, além de conter a logomarca da Secretaria.
b) Copa: parte superior do casco provida de reforço de amortecimento de impacto.
c) Aba frontal: a aba terá a largura definida entre 38 mm e 76 mm, medidas a partir de sua
linha de junção com o casco, o declive da aba deve ser compreendido entre 15º a 37º.
d) Carneira: parte da suspensão ajustável para todas as medidas de cabeça,
confeccionada em polietileno de baixa densidade, de alta resistência, composta de cinta
dupla ajustável, em tecido de poliéster, deslizante entre as fendas dos clips de fixação da
suspensão ao capacete, destinadas a absorver o impacto. A carneira deve ter um mínimo
de quatro pontos de fixação e estar posicionada em forma de cruz. O sistema de fixação,
por catraca giratória, deve impedir que a suspensão se solte facilmente durante a utilização.
e) Testeira absorvente de suor: deve ser confeccionada em laminado de PVC atóxico,
dublado com espuma multi-perfurada em poliéster, na cor cinza.

04030070

Luva de segurança (algodão pigmentada):Par de luvas com punho, tricotada 4 fios,


100% algodão com punho elástico,antiderrapante na palma, grande flexibilidade e
resistência a abrasão, sem costura. Os pigmentos em PVC no formato bola, firmemente
aderidos aos fios.

04031060

Luva de segurança luva de raspa (cano longo): Par de luvas confeccionado em raspa de
couro de 1ª. qualidade tipo groupon, curtida ao cromo, com reforço interno na palma, dedo
polegar e indicador, tira de reforço entre polegar e indicador, punho com costura dupla,
costura em fio de algodão com 2 a 3 pontos por centímetro linear, punho com
aproximadamente 20 cm de comprimento, suficientemente macia de modo que permita
fechar as mãos totalmente sem excessivo esforço e sem ferir os dedos.
Tamanho único

04010190

Luva de segurança vaqueta com dorso em raspa de couro (cano curto): Par de luvas
confeccionada em raspa de couro de 1ª. qualidade tipo groupon, curtida ao cromo, com
reforço interno na palma, dedo polegar e indicador, tira de reforço entre polegar e indicador,
punho com costura dupla, costura em fio de algodão com 2 a 3 pontos por centímetro
linear, punho com aproximadamente 20 cm de comprimento, suficientemente macia de

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Rev. 03 PÁG 24 / 29


NORMA T.01.12
CÓDIGO PÁG
T.01.12 25 / 29
NORMA APROVAÇÃO
DEX n° 272
DATA
17/12/1999
REVISÃO DATA
03 21/11/2011
TÍTULO
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
PALAVRAS-CHAVE
Equipamento de Proteção Individual e Especial, EPI, EPE, Segurança no Trabalho, Proteção
Individual

modo que permita fechar as mãos totalmente sem excessivo esforço e sem ferir os dedos.
Tamanho único.

06050084

Luva de segurança para procedimento não cirúrgico: luvas em látex, com talco,
cobertura acima do punho, sem emendas, adequada elasticidade, ajuste confortável às
mãos, antialérgica, espessura uniforme, apresentar boa resistência e 100% impermeável.

04010140
Capa para chuva: tipo morcego, lamina de PVC mangas anatômicas, fechamento frontal.
Confeccionada em tecido sintético (tecido poliéster) revestido de PVC em uma das faces,
fechamento frontal através de botões plásticos de pressão e costuras através de solda
eletrônica.

04031080
Respirador PFF1 purificador de ar: tipo peça semi-facial filtrante para
partículas
• Descartável
• Sem válvula
• Formato dobrável
• Solda térmica em todo o seu perímetro
• Tamanho único
• O respirador é composto basicamente por dois painéis de não-tecido e
um meio filtrante em microfibras sintéticas, tratadas
eletrostaticamente
• Nas laterais da peça existem quatro grampos metálicos, dois de cada
lado, por onde passam as pontas de dois tirantes elásticos
• A parte superior externa da peça possui uma tira de material
metálico moldável, utilizada para ajuste do septo nasal.

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Rev. 03 PÁG 25 / 29


NORMA T.01.12
CÓDIGO PÁG
T.01.12 26 / 29
NORMA APROVAÇÃO
DEX n° 272
DATA
17/12/1999
REVISÃO DATA
03 21/11/2011
TÍTULO
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
PALAVRAS-CHAVE
Equipamento de Proteção Individual e Especial, EPI, EPE, Segurança no Trabalho, Proteção
Individual

04030011
Respirador PFF2 purificador de ar: tipo peça semi-facial filtrante para
partículas
• Descartável
• Com válvula
• Formato dobrável
• Solda térmica em todo o seu perímetro
• Tamanho único
• O respirador é composto basicamente por dois painéis de não-tecido e
um meio filtrante em microfibras sintéticas, tratadas
eletrostaticamente
• Nas laterais da peça existem quatro grampos metálicos, dois de cada
lado, por onde passam as pontas de dois tirantes elásticos
• A parte superior externa da peça possui uma tira de material
metálico moldável, utilizada para ajuste do septo nasal.

04031173

Respirador de fuga com conjunto bocal em neoprene, presilha nasal e cartucho químico
composto de recipiente metálico contendo carvão ativado. Com bolsa para acondicionar o
referido dispositivo.

Incolor – 04030018
Amarelo – 04031174
Escura – 04031175
Óculos de segurança: óculos de segurança, constituído de armação confeccionada em
uma única peça de pvc transparente, sem ou com sistema de ventilação indireta composta
de aberturas localizadas nas partes laterais de armação, tirante-elástico para ajuste a face
do usuário e visor de policarbonato incolor. Modelo cobre toda a região em tornos do olho
do usuário. Ref. Óculos de seg. Ampla visão com ventilação indireta através de seis
válvulas, cor das lentes: incolor, verde e escura.

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Rev. 03 PÁG 26 / 29


NORMA T.01.12
CÓDIGO PÁG
T.01.12 27 / 29
NORMA APROVAÇÃO
DEX n° 272
DATA
17/12/1999
REVISÃO DATA
03 21/11/2011
TÍTULO
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
PALAVRAS-CHAVE
Equipamento de Proteção Individual e Especial, EPI, EPE, Segurança no Trabalho, Proteção
Individual

04030025

Fita plástica zebrada para isolamento de área, nas cores amarela preta em rolos de
7cmx100 e com 0,06mm de espessura.

04030010

Cone zebrado de acordo à NBR 15071 acoplado, tamanho 41 x 41 cm.


04010090
Guarda-pó em brim santista 100% algodão, gramatura: 275 g/m2 com costura reforçada,
com logotipo da CODEBA no bolso superior esquerdo, cor a definir.

04030031

Biruta de Sinalização - biruta composta por cone produzido em poliamida resinada com
refletivos medindo 2,5 metros de comprimento , boca de entrada 50 cm e de saída 25 cm. O
cone é acoplado ao maestro de 2,0 m de altura através de rolamentos blindados.

04030032
Tecido de lona ou PVC (cone produzido em poliamida resinada com refletivos medindo 2,5
metros de comprimento, boca de entrada 50 cm e de saída 25 cm) de biruta para reposição,
quando houver necessidade de troca.

04010031

CAMISA-Manga longa em brim santista 100% algodão gramatura: 275 g/m2, na cor verde,
com logomarca da CODEBA ( estampada no fundo branco, e nas proas da logomarca
50% de preto, 30% de preto e 100% de preto no bolso superior esquerdo com a
expressão: Meio Ambiente e Segurança do Trabalho, na cor branca, nas costas.

04010010

CAMISA-Manga curta em brim santista 100% algodão, gramatura: 275 g/m2na cor verde,
com logomarca da CODEBA ( estampada no fundo branco, e nas proas da logomarca
50% de preto, 30% de preto e 100% de preto no bolso superior esquerdo, com o nome
Meio Ambiente e Segurança do Trabalho na cor branca, nas costas.

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Rev. 03 PÁG 27 / 29


NORMA T.01.12
CÓDIGO PÁG
T.01.12 28 / 29
NORMA APROVAÇÃO
DEX n° 272
DATA
17/12/1999
REVISÃO DATA
03 21/11/2011
TÍTULO
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
PALAVRAS-CHAVE
Equipamento de Proteção Individual e Especial, EPI, EPE, Segurança no Trabalho, Proteção
Individual

04010012

CAMISA-Manga curta em brim santista 100% algodão gramatura: 275 g/m 2, na cor azul,
com logomarca da CODEBA ( estampada no fundo branco, e nas proas da logomarca
50% de preto, 30% de preto e 100% de preto no bolso superior esquerdo.

04010011

CAMISA-Manga longa em brim santista 100% algodão, Gramatura: 275 g/m2 na cor azul,
com logomarca da CODEBA ( estampada no fundo branco, e nas proas da logomarca
50% de preto, 30% de preto e 100% de preto no bolso superior esquerdo.

04010112

Calça: em brim, com fio de urdume tinto, trama crua. A densidade superficial superior a
271 g/m², algodão puro.

04031090

Cinturão de segurança, tipo paraquedista, confeccionado de cadarço de material sintético


amarelo com duas listras pretas centrais, dotados de (uma) fivela de pressão sem pino,
confeccionada de aço forjado e utilizada para ajuste na cintura (uma) meia argola em ''d'',
confeccionada de aço forjado, posicionada nas costas, na altura dos ombros, regulável no
cinto através de passante do mesmo material deste. Cada cinturão é acompanhado de
talabarte confeccionado de corda de polipropileno torcida na cor azul, com 12 mm de
diâmetro e 1,60 m de comprimento, com (um) mosquetão de aço forjado, de trava simples,
fixo em uma das extremidades através de encastroamento e laço na outra extremidade, fixo
através de encastroamento.

04010132

Macacão TYVEK: Para produtos químicos em TYVEK com capuz com elástico, costuras
cobertas com fita selante com laminado interno anti-ácido, elástico nos punhos e
tornozelos, fechamento frontal com zíper e velcro, Cor amarelo.

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Rev. 03 PÁG 28 / 29


NORMA T.01.12
CÓDIGO PÁG
T.01.12 29 / 29
NORMA APROVAÇÃO
DEX n° 272
DATA
17/12/1999
REVISÃO DATA
03 21/11/2011
TÍTULO
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
PALAVRAS-CHAVE
Equipamento de Proteção Individual e Especial, EPI, EPE, Segurança no Trabalho, Proteção
Individual

ANEXO “K” – UTILIZAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO


OBSERVAÇÕES
TÉCNICO DE SEGURANÇA DO
TRABALHO:

BOTA
DATA

FARDAMENTO LUVAS
UTILIZAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO

ÓCULOS
PORTO: ( ) SALVADOR ( ) ARATU ( ) ILHÉUS

P.AURIC.
CAPACETE
LOCAL
FUNÇÃO
MATRÍCULA EMPRESA
NOME

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Rev. 03 PÁG 29 / 29


NORMA T.01.12

Related Interests