You are on page 1of 32

Como montar um

serviço de
reciclagem de
papel

EMPREENDEDORISMO

Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br


Expediente

Presidente do Conselho Deliberativo

Robson Braga de Andrade – Presidente do CDN

Diretor-Presidente

Guilherme Afif Domingos

Diretora Técnica

Heloísa Regina Guimarães de Menezes

Diretor de Administração e Finanças

Vinícius Lages

Unidade de Capacitação Empresarial e Cultura Empreendedora

Mirela Malvestiti

Coordenação

Luciana Rodrigues Macedo

Autor

Paulo César Borges de Sousa

Projeto Gráfico

Staff Art Marketing e Comunicação Ltda.


www.staffart.com.br
TOKEN_HIDDEN_PAGE

Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas /


Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
Sumário

1. Apresentação ........................................................................................................................................ 1

2. Mercado ................................................................................................................................................ 2

3. Localização ........................................................................................................................................... 3

4. Exigências Legais e Específicas ........................................................................................................... 3

5. Estrutura ............................................................................................................................................... 5

6. Pessoal ................................................................................................................................................. 5

7. Equipamentos ....................................................................................................................................... 6

8. Matéria Prima/Mercadoria ..................................................................................................................... 7

9. Organização do Processo Produtivo .................................................................................................... 8

10. Automação .......................................................................................................................................... 9

11. Canais de Distribuição ........................................................................................................................ 10

12. Investimento ........................................................................................................................................ 11

13. Capital de Giro .................................................................................................................................... 12

14. Custos ................................................................................................................................................. 13

15. Diversificação/Agregação de Valor ..................................................................................................... 14

16. Divulgação .......................................................................................................................................... 14

17. Informações Fiscais e Tributárias ....................................................................................................... 15

18. Eventos ............................................................................................................................................... 17

19. Entidades em Geral ............................................................................................................................ 18

20. Normas Técnicas ................................................................................................................................ 18

21. Glossário ............................................................................................................................................. 23

22. Dicas de Negócio ................................................................................................................................ 24

23. Características .................................................................................................................................... 25

24. Bibliografia .......................................................................................................................................... 26

25. Fonte ................................................................................................................................................... 27

26. Planejamento Financeiro .................................................................................................................... 27


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas /
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
Sumário

27. Soluções Sebrae ................................................................................................................................. 27

28. Sites Úteis ........................................................................................................................................... 28

29. URL ..................................................................................................................................................... 28


Apresentação / Apresentação
1. Apresentação
A produção de papel reciclado no Brasil vem aumentando e 75% das produtoras de
papel no País têm mais de 50% dos seus produtos originários da reciclagem.

Aviso: Antes de conhecer este negócio, vale ressaltar que os tópicos a seguir não
fazem parte de um Plano de Negócio e sim do perfil do ambiente no qual o
empreendedor irá vislumbrar uma oportunidade de negócio como a descrita a seguir. O
objetivo de todos os tópicos a seguir é desmistificar e dar uma visão geral de como um
negócio se posiciona no mercado. Quais as variáveis que mais afetam este tipo de
negócio? Como se comportam essas variáveis de mercado? Como levantar as
informações necessárias para se tomar a iniciativa de empreender?

O termo reciclagem tornou-se amplamente difundido na mídia brasileira no final da


década de 1980, quando vários estudos publicados indicando que as fontes de
petróleo e de outras matérias-primas não renováveis estão caminhando de forma muito
rápida para o sua escassez. Além desse fator também surge uma nova situação
principalmente nas grandes cidades que é a falta de espaço físico adequado a ser
destinado para a montagem de depósito de lixo (lixões, aterros sanitários) e de outros
dejetos produzidos pela sociedade na natureza.

Neste cenário, baseado em pesquisas científicas realizadas por órgãos federais e


privado, se dissemina os mecanismos e maneiras que possibilitam as diversas formas
de reciclagem, agora intitulados “reaproveitamento dos materiais descartados como
lixo”, agora “matéria-prima” para ser transformada e destinada a fabricação de um
novo produto. Neste momento, estaremos tratando especificamente da reciclagem de
Papel.

As principais vantagens de reciclar é a sensível redução de consumo das fontes


naturais de matéria-prima, sendo que na maioria das vezes não são renováveis. Além
disso tem também o fato de quanto maior for o número de produtos reciclados menor
será o quantitativo de resíduos que necessitam serem tratados, seja em aterros
sanitários, incineração ou pior ainda serem lançados nos leitos de córregos, rios,
dentre outros sem nenhum controle ambiental.

A principal matéria-prima para produção de papel são fibras celulósicas originadas de


árvores, que podem ser via desmatamento de matas virgens ou de áreas de
reflorestamento. Com isto a reciclagem de papel se transforma em um bem à
sociedade.

A reciclagem de papel reduz a necessidade de corte de árvores da natureza, seja de


matas virgens ou de reflorestamento, o que aumenta a possibilidade de absorção do
gás carbônico que vai para atmosfera. O processo de reciclagem de papel é
processado com o reaproveitamento de fibras celulósicas de papéis usados, para
produção de um novo artefato de papel.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 1


Apresentação / Apresentação / Mercado
Assim reciclar significa contribuir com o meio ambiente de uma cidade, estado e país,
sendo sua matéria-prima exclusivamente papéis usados e que teriam seu destino os
lixões.

Uma empresa de reciclagem de papel deverá ser concebida com visão profissional,
desde o seu projeto embrionário, o que irá requerer uma avaliação objetiva sobre a
forma de atuação, bem como as expectativas comerciais que esse tipo de
empreendimento requer. Sendo assim será necessário que seja montado um plano de
negócio. E para elaboração deste plano consulte o Sebrae mais próximo.

2. Mercado
O Brasil tem o maior mercado de reciclagem da América Latina. Apresentam-se abaixo
alguns dados de reciclagem no Brasil, considerando a base de elaboração desse
trabalho:

a) Papel ondulado (Papelão) – Quase 90% do volume total de papel ondulado


consumido no mercado nacional no ano de 2013 são provenientes de reciclagem.

b) Papel de escritório – 40% do papel que foi comercializado no Brasil em 2013


retornou às linhas de produção por meio da reciclagem.

A intensidade do processo de reciclagem de papel é bastante diferente, de acordo com


as regiões brasileiras onde se realiza. Nas regiões Sul e Sudeste, onde se concentram
as principais indústrias do País, as taxas de recuperação são mais altas, e a demanda
por papel reciclado também é maior nessas regiões.

Importantes fatores deverão influenciar o mercado brasileiro de gerenciamento de


resíduos nos próximos anos, o que irá fomentar de forma muito positiva o mercado de
reciclagem, tais como:

- As empresas serão “forçadas” a redefinir o design de seus produtos, visando


melhorar a tecnologia de produção e utilizar-se regularmente da análise do ciclo-de-
vida de produto e sua biodegradação;

- As ONGs deverão aumentar sua pressão sobre os políticos e empresários no intuito


de que sejam promulgadas legislações mais severas com o objetivo de alterar a
posição atual em relação a poluição lançada na natureza, o que de forma direta poderá
beneficiar ainda mais o mercado de reciclagem;

- A legislação ambiental a cada dia que passa está mais severa e também com visão
restritiva. Como em economias desenvolvidas, o gerenciamento deverá tornar-se um
mercado promissor, atraindo investimentos e criando vários postos de trabalho.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 2


Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas
No Brasil o mercado de reciclagem de papel possui uma estrutura bem definida e de
muitos anos de atuação, pois existe desde a formação das grandes indústrias
papeleiras, que sempre reaproveitaram os papéis gerados nas sobras de linha de
produção incorporando-os novamente a base de matéria-prima para fabricação de
novos papéis.

Segundo a BRACELPA – Associação Brasileira de Celulose e Papel


(www.bracelpa.org.br) o mercado de reciclagem cresceu 60% de 1997 para 2012,
enquanto o consumo de papel cresceu 26% no mesmo período. O que quer dizer que
há uma produção maior de papel reciclado. Das 175 empresas produtoras de papel
instaladas no País, 75% têm mais de 50% dos seus produtos originários da
reciclagem.

Com todos esses processos o mercado de reciclagem de papel, caso o empreendedor


estruture uma boa base de fornecedores de matéria-prima, sejam estes catadores
autônomos, ou via cooperativas de catadores, ou ainda via acordo com os grandes
fomentadores de descarte de papel, que são os escritórios em geral, poderá sim ser
um empreendimento bastante promissor. Mas como todo segmento de mercado deve
ser encarado com muita responsabilidade profissional e com extrema organização
operacional e de gestão empresarial.

3. Localização
A localização de empresa de reciclagem de papel deverá ocorrer em uma área
industrial, já que esse tipo de empresa é grande geradora de ruídos e poluentes.

Assim o empreendedor deverá procurar os distritos agroindustriais, ou nos municípios


que não contem com esse tipo de área deverá fazê-lo em bairros que seja permitido
pelo poder público municipal.

A empresa deverá estar numa região que permita fácil acesso aos colaboradores e
fornecedores, incluindo caminhões e caçambas coletoras. Deve-se atentar para outras
facilidades como rede de distribuição de água, luz elétrica e saneamento básico.

O empresário deverá verificar junto à prefeitura local os requisitos para o


funcionamento da recicladora, incluindo habite-se, assim como toda a documentação
necessária. Atentar ainda para as vias de acesso e manobras de veículos, bem como
se a área está sujeita a inundações.

4. Exigências Legais e Específicas


O empreendedor de uma empresa de reciclagem de papel deverá cumprir algumas
exigências iniciais, e somente poderá se estabelecer depois de cumpridas, quais

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 3


Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas
sejam:

a) Registro da empresa nos seguintes órgãos:


- Junta Comercial;
- Secretaria da Receita Federal (CNPJ);
- Secretaria Estadual de Fazenda;
- Prefeitura do Município para obter o alvará de funcionamento;
- Enquadramento na Entidade Sindical Patronal (empresa ficará obrigada a recolher
por ocasião da constituição e até o dia 31 de janeiro de cada ano, a Contribuição
Sindical Patronal);
- Cadastramento junto à Caixa Econômica Federal no sistema “Conectividade Social –
INSS/FGTS”;
- Corpo de Bombeiros Militar.

b) Visita à prefeitura da cidade onde pretende montar a sua empresa para fazer a
consulta de local e emissão das certidões de Uso do Solo e Número Oficial.

c) Antes de iniciar as atividades operacionais faz-se necessário que seja obtido o


Alvará de Licença Sanitária, o qual para ser obtido irá requerer que o estabelecimento
produtor esteja adequado às exigências do Código Sanitário (especificações legais
sobre as condições físicas). Em âmbito federal a fiscalização cabe a Agência Nacional
de Vigilância Sanitária, estadual e municipal fica a cargo das Secretarias Estadual e
Municipal de Saúde.

O empresário deverá, ainda, estar atento a algumas legislações e normas que


regulamentam o seu segmento empresarial:

a) Lei n°. 6.938/81. Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e
mecanismos de formulação e aplicação- Regulamentada pelo Decreto nº. 99.274/1990,
Alterada pela Lei nº. 7.804/1989, Lei nº. 8.028/1990, Lei nº. 9.960/2000, Lei nº.
9.966/2000, Lei nº. 10.165/2000 e Lei nº. 11.284/2006.

b) Lei nº. 9.605/98. Dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de


condutas e atividades lesivas ao meio ambiente – Alterada pela Lei nº. 9.985/2000, Lei
nº. 11.284/2006 e Medida Provisória nº. 2.163-41/2001.

c) Estar sempre atento as resoluções do CB-23 – Comitê Brasileiro de Embalagem e


Acondicionamento, esse comitê congrega diversas comissões de estudos, sendo que
cada uma representando um segmento do setor de embalagem;

d) Resolução nº. 258 do CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente);

e) Atentar também aos preceitos das normas de gestão ambiental as denominadas


ISO, principalmente as ISO 14.000, 14.001 e 14.004.

A Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS foi lançada em 2010 e em algum


momento deve impactar o setor de reciclagem de papel. Seu principal marco
regulatório é a Lei nº 12.305, de 02 de agosto de 2010.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 4


Pessoal
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
5. Estrutura
A estrutura física de uma empresa de reciclagem de papel deverá ser concebida
considerando um espaço de aproximadamente 500m². Nesse espaço devem ser
instaladas as áreas de produção, comercial e administrativo-financeira.

Produção
a. Área para recepção dos papéis para reciclagem;
b. Área para seleção por tipo e espécie de papéis recebidos/coletados;
c. Área destinada ao acondicionamento/estocagem dos papéis selecionados, enquanto
aguarda o encaminhamento para linha de reciclagem/transformação;
d. Área para que seja montado todo o maquinário que será utilizado na reciclagem de
papel;
e. Área para estocar os papéis reciclados;
f. Área reservada para depositar os resíduos não passíveis de reciclagem, até que seja
dada a devida destinação final a tais resíduos;
g. Área externa para manobra de entrada e saída de caminhões;
h. Plataforma de descarga e carga, tendo em sua retaguarda uma área destinada a
expedição de papéis reciclados.

Comercial
a. Espaço sugerido é de aproximadamente 40m², devendo ser estruturado com mesas,
cadeiras, telefones, sempre visando o melhor atendimento aos clientes, tanto via
contato telefônico ou recepção direta.

Administrativo-financeira
a. Esse espaço deverá ser instalado o escritório administrativo-financeiro da empresa.

Todos os espaços indicados acima devem ser dotados de lay-out adequado,


respeitando a facilidade de movimentação das pessoas. Também deverá ser
elaborada a estruturação integrada da área de estoque dos produtos a serem
reciclados, linha de transformação/reciclagem, área de expedição e área de gestão da
empresa.

6. Pessoal
Considerando a estrutura física sugerida, entende-se que o quadro de funcionários
fixos para o início das atividades deve ser na ordem de 12 (doze), distribuídos
conforme abaixo:

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 5


Pessoal / Equipamentos
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
- Uma pessoa para atuar no atendimento de clientes e atendimento de telefone;

- Uma pessoa para trabalhar como encarregado da linha de produção / reciclagem;

- Quatro pessoas na área de produção, sendo dois operadores de máquinas e dois


auxiliares;

- Uma pessoa para atuar na área de serviços gerais, será o encarregado de proceder à
limpeza de toda a empresa e em especial cuidar da higienização da área produtiva da
empresa;

- No mínimo três pessoas para a área de comercial, tanto para venda interna quanto
externa;

- Duas pessoas para a área de escritório, que serão os responsáveis pela área de
faturamento e controle financeiro da empresa.

Além desse quadro fixo a empresa poderá contar com um número bastante variável de
colaboradores indiretos que são os catadores de papel e as cooperativas de catadores
para reciclagem.

Ressalta-se que o proprietário do negócio deverá participar ativamente em todas as


operações da empresa, principalmente acompanhando a linha de
indústria/transformação, bem como a parte comercial e de gestão administrativo-
financeira da empresa.

7. Equipamentos
Os equipamentos básicos necessários para a montagem de uma empresa de
reciclagem de papel estão listados abaixo.

Produção de papel ondulado ou papel de escritório:


1. Calandra;
2. Balanças;
3. Seladora;
4. Prensa hidráulica;
5. Guilhotina Industrial;
6. Caminhão de transporte de fardos;
7. Caminhão para a coleta.

Móveis para área de vendas e escritório:


1. Mesas;
2. Cadeiras;
3. Arquivo;
4. Máquina de calcular;

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 6


Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
5. Microcomputador;
6. Impressora;
7. Fax;
8. Internet;
9. Telefone.

A parte tecnológica é um item importante. Havendo a possibilidade, o empreendedor


deverá dotar sua empresa de reciclagem de papel de todo aparato tecnológico
disponível no mercado, principalmente no que se refere ao controle de estoques de
matéria-prima, produtos acabados e operacionalização de máquinas, além da gestão
administrativo-financeira, gestão comercial, enfim a gestão geral do negócio.

Diante desse fato será de grande auxílio contar com um software amigável, que
possibilite a gestão integrada da empresa em todas as suas áreas, inclusive que
viabilize o controle de custos de produção, visando melhorar o resultado operacional
da empresa.

8. Matéria Prima/Mercadoria
A gestão de estoques no varejo é a procura do constante equilíbrio entre a oferta e a
demanda. Este equilíbrio deve ser sistematicamente aferido através de, entre outros,
os seguintes três importantes indicadores de desempenho:

Giro dos estoques: o giro dos estoques é um indicador do número de vezes em que o
capital investido em estoques é recuperado através das vendas. Usualmente é medido
em base anual e tem a característica de representar o que aconteceu no passado.

Obs.: Quanto maior for a freqüência de entregas dos fornecedores, logicamente em


menores lotes, maior será o índice de giro dos estoques, também chamado de índice
de rotação de estoques.

Cobertura dos estoques: o índice de cobertura dos estoques é a indicação do período


de tempo que o estoque, em determinado momento, consegue cobrir as vendas
futuras, sem que haja suprimento.

Nível de serviço ao cliente: o indicador de nível de serviço ao cliente para o ambiente


do varejo de pronta entrega, isto é, aquele segmento de negócio em que o cliente quer
receber a mercadoria, ou serviço, imediatamente após a escolha; demonstra o número
de oportunidades de venda que podem ter sido perdidas, pelo fato de não existir a
mercadoria em estoque ou não se poder executar o serviço com prontidão.

Portanto, o estoque dos produtos deve ser mínimo, visando gerar o menor impacto na
alocação de capital de giro. O estoque mínimo deve ser calculado levando-se em conta
o número de dias entre o pedido de compra e a entrega dos produtos na sede da
empresa.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 7


Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
As principais matérias-primas utilizadas na empresa de reciclagem de papel são as
seguintes:

1. Ondulado (papelão);
2. Apara misto;
3. Apara de computação;
4. Kraft;
5. Jornal;
6. Saco de cimento;
7. Branco de primeira;
8. Branco de segunda.

Os produtos que podem ser produzidos via as matérias-primas citadas acima são
diversos, devendo, contudo ser respeitados as orientações técnicas sobre o que pode
ou não ser reciclados com cada tipo de matéria-prima.

9. Organização do Processo Produtivo


O processo produtivo de uma empresa de reciclagem de papel deve, em princípio,
seguir o roteiro abaixo:

1. Papel ondulado
Deve-se proceder à seleção desse material recebido na empresa, já que tem vários
componentes que podem contaminar o papel ondulado. Os elementos que inviabilizam
a reciclagem desse material são: cera, plástico, manchas de óleo, terra, pedaços de
madeira, barbantes, cordas, metais, vidros, entre outros. Outro fator limitante a
reciclagem deste material é a mistura com a chamada caixa ondulada amarela, que é
composta por fibras recicladas que perderam a resistência original.

Para que esses produtos contaminantes não inviabilizem a reciclagem de papel


ondulado os índices não podem exceder a 1% do volume e a perda total no
reprocessamento não deve passar de 5%. Deve-se atentar também ao excesso de
umidade, pois esse fator altera as condições do papel, o que irá dificultar e até mesmo
inviabilizar sua reciclagem.

Outros fatores que inviabiliza tecnicamente a reciclagem de papel ondulado são os


tipos de tintas usadas na fabricação do papelão. Essa inviabilidade decorre quando o
papelão tenha recebido tratamento antiumidificação com resinas insolúveis em água.

Ressalta-se que o rendimento no processo de reciclagem de papel ondulado


dependerá basicamente do sistema adotado no pré-processamento do material, que
vai desde a seleção, limpeza e finalmente na forma que o aparista irá proceder a
prensagem do produto.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 8


Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
2. Papel de Escritório
O lixo derivado do papel de escritório é formado por diversos tipos de papéis. Com isto,
força-se que as empresas de reciclagem de papel elaborem esquemas especiais de
seleção e coleta de algumas categorias de papéis mais valiosas, como por exemplo, o
papel branco e o de computador.

O papel mesclado, aqueles que são compostos com diferentes fibras e cores, também
oferecem condições de serem reciclados, embora seu valor de mercado seja
relativamente baixo.

Os papéis destinados a higiene pessoal em ambientes sanitários (toalhas e higiênico)


não são matérias-primas passíveis de serem recicladas. Fato semelhante se aplica aos
papéis vegetais, parafinados, carbono, plastificados e metalizados.

Os papéis coletados devem passar por um rigoroso processo de seleção, já que a


matéria-prima que tem maior valor no mercado são as que sejam totalmente isentas de
impurezas como metais, vidros, cordas, pedras, areia, clips, elástico e outros materiais
que dificultam o reprocessamento do papel usado.

Ressalta-se, no entanto, que os avanços tecnológicos na área de limpeza do papel


para reciclagem já tem encontrado algumas soluções que tem minimizado o impacto
dessas impurezas, fato que possibilita um maior aproveitamento de materiais para
reciclagem.

Produzir o papel reciclado é muito semelhante à produção de papel comum após a


entrega da celulose. É preciso moer, molhar, criando uma massa que lembra o papel
machê, prensar, tingir e secar o papel. A principal diferença está na necessidade da
utilização de vários produtos químicos para retirar as impurezas do papel como tintas e
colas, o que, para alguns críticos, pode ser também perigoso para o meio ambiente, se
não for feito de maneira correta.

Além disso, deve se atentar sempre a gestão administrativa da empresa, como


controle das finanças e pessoal.

10. Automação
No segmento de reciclagem de papel, como se trata de uma indústria, e que requer
diversas fases em sua cadeia produtiva, torna-se importante que todos os processos
sejam automatizados.

No entanto ressalta-se que normalmente o maquinário de uma empresa de reciclagem


de papel já vem estruturado com o processo automatizado, restando pouco a
complementar, claro que dependendo dos opcionais que complementam as máquinas.

Para esse tipo de negócio o ideal é que o empreendedor invista em automação,

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 9


Canais de Distribuição
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
visando dinamizar toda a sua área de produção, controle da capacidade produtiva,
controle de matéria-prima e de estoque de produto acabado, controle de pedidos de
venda, bem como manter o controle integral da área administrativa, financeira,
comercial e operacional.

Para efetuar a automação de todos os processos de uma empresa de reciclagem de


papel deve-se buscar no mercado um software amigável para auxiliar na gestão
integrada da empresa.

Ressalta-se que a empresa é uma parte integrante da vida do empresário, portanto,


conhecer todos os seus atos e fatos será de fundamental importância, já que uma
empresa bem gerida estará bem encaminhada rumo ao sucesso empresarial.

11. Canais de Distribuição


O principal canal de distribuição do papel reciclado é via venda direta, cabendo ao
empreendedor dotar sua empresa com uma estrutura comercial que viabilize a venda
de toda a sua produção no menor espaço de tempo possível.

Entende-se como fundamental que para cada produto que seja processado na
empresa de reciclagem de papel, se possível, já se tenha o comprador final definido, o
que significará a venda líquida e certa de toda a sua produção, fator que poderá gerar
entrada de recursos em caixa de forma mais segura.

Ressalta-se, no entanto, que a venda direta, vinculada a um único comprador funciona


como um limitador de mercado, já que o valor de seu produto estará sendo ditado pelo
consumidor e não pelo vendedor. Claro que esse processo poderá ser amplamente
negociado, mas mesmo assim não estará presente a máxima da capacidade de
negociação, que é o de vender pelo maior preço e comprar pelo menor possível. Existe
ainda a desvantagem de se ter apenas um único comprador e qualquer imprevisto com
essa empresa compradora poderá haver uma dificuldade financeira na recicladora de
papel.

Assim sendo, torna-se importante que seja aberto canais de distribuição entre várias
indústrias. Claro que isto depende do montante de produto que sua empresa irá
conseguir disponibilizar para as indústrias consumidoras, por isso será fundamental no
início das atividades da empresa de reciclagem se estruturar no sentido de mapear
todos os possíveis compradores de seu produto final.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 10


Canais de Distribuição / Investimento
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
12. Investimento
O investimento estimado para montar uma empresa de reciclagem de papel, de porte
médio, deverá girar em torno do que segue abaixo:

Área produtiva

1. Calandra – 2 = R$ 10.000,00;
2. Balanças – 4 = R$ 5.000,00;
3. Seladora – 2 = R$ 10.000,00;
4. Prensa hidráulica – 1 = R$ 10.000,00;
5. Guilhotina Industrial – 2 = R$ 5.000,00;
6. Caminhão para a coleta – 1 = R$ 50.000,00.

Investimento área produtiva .... R$ 90.000,00

Móveis para área de vendas e escritório:

1. Mesas – 6 = R$ 2.000,00;
2. Cadeiras – 18 = R$ 3.000,00;
3. Arquivo – 2 = R$ 1.000,00;
4. Máquina de calcular – 4 = R$ 500,00;
5. Microcomputador – 5 = R$ 6.000,00;
6. Impressora a laser – 2 = R$ 1.000,00;
7. Fax – 1 = R$ 500,00;
8. Internet – 1 = R$ 100,00;
9. Telefone – 6 = R$ 400,00.

Investimento área escritório e comercial ....... R$ 14.500,00

INVESTIMENTO TOTAL ..................... R$ 104.500,00.

ADEQUAÇÃO DO IMÓVEL
Para a instalação da área de produção/indústria da empresa de reciclagem de papel, o
ideal é que o espaço escolhido seja um galpão; o que irá facilitar bastante a
distribuição dos ambientes requeridos para esse tipo de empreendimento, tanto na
parte da instalação das máquinas para produção, quanto na área administrativa, e
ainda os espaços destinados ao armazenamento e estocagem de matéria-prima e
produtos acabados.

A área que se destina ao comercial deve ser uma sala comercial conjunta com a área
de indústria para essa finalidade. Qualquer que seja o ambiente, será necessário dotá-
lo adequadamente de toda a estrutura operacional para ser possível atender com
qualidade toda a clientela, seja via fone ou o consumidor que busque a empresa.

O empreendedor deverá ter um custo estimado entre R$ 25.000,00 e R$ 50.000,00,

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 11


Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
para efetuar a reforma do espaço que irá funcionar a empresa de reciclagem de papel.
Já se opção for de construir o espaço o custo deverá girar em torno de R$ 200.000,00.
Nesses custos já estão previstas as instalações elétricas, rede de computadores,
hidráulicas e área administrativa.

13. Capital de Giro


Capital de giro é o montante de recursos financeiros que a empresa precisa manter
para garantir fluidez dos ciclos de caixa. O capital de giro funciona com uma quantia
imobilizada no caixa (inclusive banco) da empresa para suportar as oscilações de
caixa.

O capital de giro é regulado pelos prazos praticados pela empresa, são eles: prazos
médios recebidos de fornecedores (PMF); prazos médios de estocagem (PME) e
prazos médios concedidos a clientes (PMCC).

Quanto maior o prazo concedido aos clientes e quanto maior o prazo de estocagem,
maior será sua necessidade de capital de giro. Portanto, manter estoques mínimos
regulados e saber o limite de prazo a conceder ao cliente pode melhorar muito a
necessidade de imobilização de dinheiro em caixa.

Se o prazo médio recebido dos fornecedores de matéria-prima, mão- de-obra, aluguel,


impostos e outros forem maiores que os prazos médios de estocagem somada ao
prazo médio concedido ao cliente para pagamento dos produtos, a necessidade de
capital de giro será positiva, ou seja, é necessária a manutenção de dinheiro disponível
para suportar as oscilações de caixa. Neste caso um aumento de vendas implica
também em um aumento de encaixe em capital de giro. Para tanto, o lucro apurado da
empresa deve ser ao menos parcialmente reservado para complementar esta
necessidade do caixa.

Se ocorrer o contrário, ou seja, os prazos recebidos dos fornecedores forem maiores


que os prazos médios de estocagem e os prazos concedidos aos clientes para
pagamento, a necessidade de capital de giro é negativa. Neste caso, deve-se atentar
para quanto do dinheiro disponível em caixa é necessário para honrar compromissos
de pagamentos futuros (fornecedores, impostos).

Portanto, retiradas e imobilizações excessivas poderão fazer com que a empresa


venha a ter problemas com seus pagamentos futuros.

Um fluxo de caixa, com previsão de saldos futuros de caixa deve ser implantado na
empresa para a gestão competente da necessidade de capital de giro. Só assim as
variações nas vendas e nos prazos praticados no mercado poderão ser geridas com
precisão.

A necessidade estimada de capital de giro irá variar na ordem de 20 a 30% do

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 12


Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
investimento total, isso porque em geral o pagamento pela matéria prima (aparas e
coleta seletiva) é feito a vista, e a venda é feita a prazo. Deve-se estar atento a esse
descasamento entre custo e receita, evitando-se assim o financiamento do capital de
giro.

14. Custos
São todos os gastos realizados na produção de um bem ou serviço e que serão
incorporados posteriormente no preço dos produtos ou serviços prestados, como:
aluguel, água, luz, salários, honorários profissionais, despesas comerciais, insumos
consumidos no processo de prestação e execução de serviços, depreciação de
maquinário e instalações.

O cuidado na administração e redução de todos os custos envolvidos na compra,


prestação e venda de serviços que compõem o negócio, indica que o empreendedor
poderá ter sucesso ou insucesso, na medida em que encarar como ponto fundamental
a redução de desperdícios, a compra pelo melhor preço e o controle de todas as
despesas internas. Quanto menores os custos, maior a chance de ganhar no resultado
final do negócio.

Os custos para a operação de uma empresa de reciclagem de papel podem ser


estimados considerando os itens e valores referenciais indicados abaixo:

1. Salários, comissões (caso a remuneração de serviço de colaboradores seja feita


com base em desempenho) e encargos: - R$ 8.000,00;
2. Tributos, impostos, contribuições e taxas: R$ 2.000,00;
3. Aluguel, taxa de condomínio, segurança: R$ 3.000,00;
4. Água, luz, telefone e acesso a internet: R$ 3.000,00;
5. Manutenção de software: R$ 300,00;
6. Produtos para higiene e limpeza da empresa e funcionários: R$ 700,00;
7. Recursos para manutenções corretivas e preventivas de maquinários, equipamentos
e instalações: R$ 500,00;
8. Valores para quitar possíveis financiamentos de equipamentos e construções: R$
4.000,00;
9. Propaganda e publicidade da empresa: R$ 1.000,00;
10. Aquisição de matéria-prima, além de outros produtos e acessórios para a
operacionalização da empresa de reciclagem de papel: R$ 40.000,00;
11. Despesas comerciais para desenvolvimento do negócio: R$ 1.000,00.

O empreendedor deve primar pelo controle de todos os gastos envolvidos no


desenvolvimento do negócio, de forma criteriosa, mantendo em níveis pré-
estabelecidos no Plano de Negócio, as despesas e os custos, buscando alternativa
para minimizar esses dois elementos, mas sem comprometer a desempenho
comercial.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 13


Divulgação
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
15. Diversificação/Agregação de Valor
Diversificar nesse segmento empresarial não é tão simples, já que o seu produto será
sempre o mesmo, que é a matéria-prima básica para as indústrias de papel. O
importante é estar sempre em contato com os clientes, entendo quais são suas
necessidades atuais e futuras, tanto quanto aos produtos como a qualidade do
reciclado.

O empresário desse setor deve estar atendo a inovações e tendências de consumo,


que podem alterar significativamente as fontes de matéria prima e a demanda para
seus produtos.

Em relação a agregação de valor ao seu produto o empresário deverá se esmerar ao


máximo para que no processo produtivo de reciclagem de papel, seja executado com o
máximo refinamento. Isto visa ter um produto de alta qualidade, o que poderá garantir
um bom mercado para o produto final da recicladora de papel.

16. Divulgação
A divulgação de uma empresa de reciclagem de papel deverá seguir os conceitos
tradicionais de divulgação existentes no mercado, via os meios de comunicação como,
por exemplo: TV, rádio, outdoors, internet, jornais e revistas especializadas.

No entanto a divulgação via meios de comunicação tradicionais, apresentam em sua


grande maioria custo bastante expressivo, por isso, o empresário deverá reforçar o
departamento de vendas externas, visando a colocação de seus produtos no mercado
sem gastar muito com as propagandas tradicionais.

O uso da internet, através da construção de um site atraente e funcional, é um recurso


barato e extremamente eficiente. A internet é hoje a principal fonte de consulta para as
empresas buscarem seus fornecedores.

O empresário da área de reciclagem de papel deverá vincular o seu empreendimento


aos benefícios ambientais, os quais sua empresa estará representando para toda a
sociedade e o planeta. Assim deve-se vincular, por exemplo, a volume de papel que for
reciclado ao número de árvores que deixarão de ser “sacrificadas”, bem como o
volume de papel que deixou de ser descartado no meio ambiente, contribuindo pela
despoluição do nosso planeta.

Diante disto o empresário deverá buscar uma consultoria especializada no sentido de


divulgar sua empresa perante os meios de comunicação, bem como a forma que será
apresentada o ativo social da recicladora de papel.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 14


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
17. Informações Fiscais e Tributárias
O segmento de RECICLAGEM DE PAPEL, assim entendido pela CNAE/IBGE
(Classificação Nacional de Atividades Econômicas) 3839-4/99 como a atividade de
recuperação de aparas e desperdícios de papel e papelão, para a produção de
matéria-prima secundária, poderá optar pelo SIMPLES Nacional - Regime Especial
Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas ME
(Microempresas) e EPP (Empresas de Pequeno Porte), instituído pela Lei
Complementar nº 123/2006, desde que a receita bruta anual de sua atividade não
ultrapasse a R$ 360.000,00 (trezentos e sessenta mil reais) para micro empresa R$
3.600.000,00 (três milhões e seiscentos mil reais) para empresa de pequeno porte e
respeitando os demais requisitos previstos na Lei.

Nesse regime, o empreendedor poderá recolher os seguintes tributos e contribuições,


por meio de apenas um documento fiscal – o DAS (Documento de Arrecadação do
Simples Nacional), que é gerado no Portal do SIMPLES Nacional (http://www8.receita.f
azenda.gov.br/SimplesNacional/):

• IRPJ (imposto de renda da pessoa jurídica);


• CSLL (contribuição social sobre o lucro);
• PIS (programa de integração social);
• COFINS (contribuição para o financiamento da seguridade social);
• ICMS (imposto sobre circulação de mercadorias e serviços);
• INSS (contribuição para a Seguridade Social relativa a parte patronal).

Conforme a Lei Complementar nº 123/2006, as alíquotas do SIMPLES Nacional, para


esse ramo de atividade, variam de 4,5% a 12,11%, dependendo da receita bruta
auferida pelo negócio. No caso de início de atividade no próprio ano-calendário da
opção pelo SIMPLES Nacional, para efeito de determinação da alíquota no primeiro
mês de atividade, os valores de receita bruta acumulada devem ser proporcionais ao
número de meses de atividade no período.

Se o Estado em que o empreendedor estiver exercendo a atividade conceder


benefícios tributários para o ICMS (desde que a atividade seja tributada por esse
imposto), a alíquota poderá ser reduzida conforme o caso. Na esfera Federal poderá
ocorrer redução quando se tratar de PIS e/ou COFINS.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 15


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
Se a receita bruta anual não ultrapassar a R$ 60.000,00 (sessenta mil reais), o
empreendedor, desde que não possua e não seja sócio de outra empresa, poderá
optar pelo regime denominado de MEI (Microempreendedor Individual) . Para se
enquadrar no MEI o CNAE de sua atividade deve constar e ser tributado conforme a
tabela da Resolução CGSN nº 94/2011 - Anexo XIII
(http://www.receita.fazenda.gov.br/legislacao/resolucao/2011/CGSN/Resol94.htm ).
Neste caso, os recolhimentos dos tributos e contribuições serão efetuados em valores
fixos mensais conforme abaixo:

I) Sem empregado
• 5% do salário mínimo vigente - a título de contribuição previdenciária do
empreendedor;
• R$ 1,00 mensais de ICMS – Imposto sobre Circulação de Mercadorias.

II) Com um empregado: (o MEI poderá ter um empregado, desde que o salário seja de
um salário mínimo ou piso da categoria)

O empreendedor recolherá mensalmente, além dos valores acima, os seguintes


percentuais:
• Retém do empregado 8% de INSS sobre a remuneração;
• Desembolsa 3% de INSS patronal sobre a remuneração do empregado.

Havendo receita excedente ao limite permitido superior a 20% o MEI terá seu
empreendimento incluído no sistema SIMPLES NACIONAL.

Para este segmento, tanto ME, EPP ou MEI, a opção pelo SIMPLES Nacional sempre
será muito vantajosa sob o aspecto tributário, bem como nas facilidades de abertura do
estabelecimento e para cumprimento das obrigações acessórias.

Fundamentos Legais: Leis Complementares 123/2006 (com as alterações das Leis


Complementares nºs 127/2007, 128/2008 e 139/2011) e Resolução CGSN - Comitê
Gestor do Simples Nacional nº 94/2011.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 16


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
18. Eventos
Existem vários eventos, com enfoques específicos, por isso é muito importante que o
empreendedor esteja sempre atento aos conteúdos e informações que são
disponibilizados nos sites dos seguintes órgãos:

- GREENFIELD Business Promotion, empresa que realiza o evento EMBALA. Esse


evento foi desenvolvido para apoiar a promoção de produtos, tecnologias e serviços
para milhares de empresas do segmento de embalagens e equipamentos. Disponível
em: http://www.greenfield-brm.com/

- FISPAL TENCONOLOGIA – Feira Internacional de Embalagens, Processos e


Logística. Disponível em: http://www.fispaltecnologia.com.br/pt/

- FEIPACK – Feira Sul Brasileira da Embalagem. Disponível em:


http://www.ubrafe.org.br/

- ABES - Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental –


www.abes.org.br

- CEMPRE – Compromisso Empresarial para Reciclagem – é uma associação sem fins


lucrativos dedicada à promoção da reciclagem dentro de conceito de gerenciamento
integrado do lixo. www.cempre.org.br

- ABLP – Associação Brasileira de Resíduos Sólidos e Limpeza Pública – essa


associação surge no ano de 1965, pela então Faculdade de Higiene e Saúde Pública
da USP, patrocinada pela Organização Panamericana de Saúde (OPAS) e da
Organização Mundial de Saúde (OMS). www.ablp.org.br

- ABRE – Associação Brasileira de Embalagem – é uma associação voltada para


congregar e organizar o setor produtivo de embalagens no Brasil. www.abre.org.br

- ANAVE - Associação Nacional dos Profissionais de Venda em Celulose, Papel e


Derivados - www.anave.org.br

- BRACELPA – Associação Brasileira de Celulose e Papel – www.bracelpa.org.br

- Associação Brasileira das Indústrias Recicladoras de Papel - http://www.abirp.org.br/

- ABPO – Associação Brasileira do Papelão Ondulado - www.abpo.org.br

- ANBio – Associação Nacional de Biossegurança - www.anbio.org.br

- ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária - www.anvisa.gov.br

Em todos esses endereços encontra-se vários eventos relacionados a área de

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 17


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
reciclagem de papel em geral.

19. Entidades em Geral


• ABES - Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental –
www.abes.org.br

• CEMPRE – Compromisso Empresarial para Reciclagem – www.cempre.org.br

• ABLP – Associação Brasileira de Resíduos Sólidos e Limpeza Pública –


www.ablp.org.br

• ABRE – Associação Brasileira de Embalagem – www.abre.org.br

• ANAVE - Associação Nacional dos Profissionais de Venda em Celulose, Papel e


Derivados - www.anave.org.br

• BRACELPA – Associação Brasileira de Celulose e Papel – www.bracelpa.org.br

• Associação Brasileira das Indústrias Recicladoras de Papel - http://www.abirp.org.br/

• ABPO – Associação Brasileira do Papelão Ondulado - www.abpo.org.br

• ANBio – Associação Nacional de Biossegurança - www.anbio.org.br

• ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária - www.anvisa.gov.br

20. Normas Técnicas


Norma técnica é um documento, estabelecido por consenso e aprovado por um
organismo reconhecido que fornece para um uso comum e repetitivo regras, diretrizes
ou características para atividades ou seus resultados, visando a obtenção de um grau
ótimo de ordenação em um dado contexto. (ABNT NBR ISO/IEC Guia 2).

Participam da elaboração de uma norma técnica a sociedade, em geral, representada


por: fabricantes, consumidores e organismos neutros (governo, instituto de pesquisa,

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 18


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
universidade e pessoa física).

Toda norma técnica é publicada exclusivamente pela ABNT – Associação Brasileira de


Normas Técnicas, por ser o foro único de normalização do País.

1. Normas específicas para uma Reciclagem de Papel:

ABNT NBR 15483:2009 - Aparas de papel e papelão ondulado – Classificação.

Esta Norma define uma classificação para as aparas de papel e papelão ondulado.

ABNT NBR 15484:2007 - Aparas de papel e papelão ondulado - Determinação do teor

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 19


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
de umidade - Método por secagem em estufa.

Esta Norma especifica um método por secagem em estufa para a determinação do


teor de umidade de amostras de aparas de papel e papelão ondulado.

ABNT NBR 15769:2009 - Aparas de papel e papelão ondulado — Comercialização de


aparas.

Esta Norma estabelece as condições de fornecimento e recepção das aparas de papel


e papelão ondulado, classificadas conforme a ABNT NBR 15483.

2. Normas aplicáveis na execução de uma Reciclagem de Papel:

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 20


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
ABNT NBR 15842:2010 - Qualidade de serviço para pequeno comércio – Requisitos
gerais.

Esta Norma estabelece os requisitos de qualidade para as atividades de venda e


serviços adicionais nos estabelecimentos de pequeno comércio, que permitam
satisfazer as expectativas do cliente.

ABNT NBR 12693:2010 – Sistemas de proteção por extintores de incêndio.

Esta Norma estabelece os requisitos exigíveis para projeto, seleção e instalação de


extintores de incêndio portáteis e sobre rodas, em edificações e áreas de risco, para
combate a princípio de incêndio.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 21


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
ABNT NBR 5410:2004 Versão Corrigida: 2008 - Instalações elétricas de baixa tensão.

Esta Norma estabelece as condições a que devem satisfazer as instalações elétricas


de baixa tensão, a fim de garantir a segurança de pessoas e animais, o funcionamento
adequado da instalação e a conservação dos bens.

ABNT NBR ISO IEC 8995-1:2013 - Iluminação de ambientes de trabalho - Parte 1:


Interior.

Esta Norma especifica os requisitos de iluminação para locais de trabalho internos e os


requisitos para que as pessoas desempenhem tarefas visuais de maneira eficiente,
com conforto e segurança durante todo o período de trabalho.

ABNT NBR 5419:2005 - Proteção de estruturas contra descargas atmosféricas.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 22


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas /
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
Esta Norma fixa as condições de projeto, instalação e manutenção de sistemas de
proteção contra descargas atmosféricas (SPDA), para proteger as edificações e
estruturas definidas em 1.2 contra a incidência direta dos raios. A proteção se aplica
também contra a incidência direta dos raios sobre os equipamentos e pessoas que se
encontrem no interior destas edificações e estruturas ou no interior da proteção
impostas pelo SPDA instalado.

ABNT NBR IEC 60839-1-1:2010 - Sistemas de alarme - Parte 1: Requisitos gerais -


Seção 1: Geral.

Esta Norma especifica os requisitos gerais para o projeto, instalação, comissionamento


(controle após instalação), operação, ensaio de manutenção e registros de sistemas de
alarme manual e automático empregados para a proteção de pessoas, de propriedade
e do ambiente.

21. Glossário
Apara: sobra de papel resultante da operação de aparar o excedente, processo
ocorrido na linha de produção.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 23


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas /
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
Biodegradação: Decomposição de substância biodegradável.

Biodegradável: Diz-se de substância suscetível de decomposição por microrganismos.

Microrganismos: Designação comum a organismos microscópicos, como, p. ex.,


bactérias, vírus, fungos e protozoários

Lay-out: distribuição de mobiliário, máquinas e outros itens que compõe uma empresa,
com vistas a deixar o ambiente o mais agradável possível, tendo um amplo
aproveitamento de espaços.

Catadores: é a nomenclatura dada as pessoas que atuam na coleta de lixo reciclagem


nas vias públicas ou em aterros sanitários (lixões).

ERP (Enterprise Resource Planning): é um software de gestão integrada de empresas.

Apara: sobra de papel resultante da operação de aparar o excedente.

Desvulcanizantes: aplicar tratamento a borracha oriundas de pneus, visando eliminar o


processo de vulcanização feito anteriormente em tal borracha.

Autoclave: aparelho que gera alta pressão e calor sobre o produto que estiver em seu
interior.

Degradação: deterioração de algo, nesse estudo o meio ambiente.

Hidrolítica: reação da água sobre um composto com fixação de íons hidrogênio e/ou de
íons hidroxila.

22. Dicas de Negócio


O candidato a empresário no segmento de reciclagem de papel deve entrar neste
negócio consciente de que deverá estar presente tempo integral, principalmente no
início das atividades do novo empreendimento, tanto na parte comercial, quanto
operacional e na gestão financeira do negócio.

Com a tendência mundial de preservação ambiental, o empreendedor deverá inserir-se


nesse mercado visando a valorização do meio ambiente, respeitando as leis que
regulamentam esse setor, transformando o processo de reciclagem em uma atividade
rentável econômica e financeiramente, aproveitando o grande apelo popular de
praticamente todas as nações mundiais.

Assim o empreendedor deverá vincular sua empresa às oportunidades requeridas pela


sociedade como um todo, ou seja, o empreendimento deverá estar inserido no
conceito de despoluição e descontaminação ambiental por meio da reciclagem de

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 24


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas /
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
produtos, que até então, eram descartados em lixo comum ou mesmo em aterros
sanitários. Criando desta forma uma empresa com fins lucrativos, mas com forte apelo
sócio ambiental.

23. Características
O empreendedor que quiser iniciar uma empresa de reciclagem de papel, deve ter
algumas características básicas, tais como:

1. Ter conhecimento específico sobre reciclagem e suas diversas variações


tecnológicas e de tipos de produtos a serem reciclados, em especial sobre reciclagem
de papel. Esse conhecimento poderá ser adquirido por intermédio de serviços
prestados em empresas do segmento ou via participação em cursos e eventos sobre
reciclagem;

2. Este conhecimento requer habilidades para analisar os materiais recebidos para


reciclagem, de forma a conseguir selecionar os passíveis de serem processados e
reciclados daqueles que não oferecem tal condição. Todo esse processo tem o intuito
de elevar a qualidade dos materiais a serem reciclados e valorizar o produto resultante
da reciclagem de papel;

3. Estar amparado nas tendências de mercado, ser capaz de elaborar e até mesmo
alterar o viés de sua empresa na busca de atingir o que as indústrias esperam das
empresas de reciclagem de papel, com isto o empreendedor estará agregando valor
ao seu produto final, fato que irá melhorar e muito sua atuação perante as indústrias
consumidoras de sua matéria-prima ou produto reciclado;

4. Ser uma pessoa que sempre busca melhorar o nível de seu negócio, tanto com a
participação em cursos específicos sobre reciclagem de papel ou reciclagem em geral,
biodiversidade, ambivalência de produtos, quanto de gestão empresarial, pois não
basta ter conhecimento de reciclagem, é necessário também estar preparado para
gerir o seu empreendimento;

5. Ter habilidade no tratamento com pessoas tanto com seus colaboradores quanto
com clientes, fornecedores/catadores/cooperativas, enfim com todos que de forma
direta ou indireta tenha ligação com a empresa;

6. Ser empreendedor com visão prospectiva, atuando com antecipação de tendências,


ter visão de futuro no que tange o interesse de mercado das indústrias, além de estar
sempre antenado com as inovações tecnológicas e de mercado de seu setor de
atuação;

7. Entender que reciclar “lixo” não significa ter um empreendimento desorganizado,


sujo, com mau cheiro, dentre outros adjetivos. Portanto deverá manter seu
empreendimento incluindo a linha de produção, muito limpa e com odor agradável,

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 25


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas /
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
fazendo com que este requisito seja um ponto positivo a mais em seu segmento
empresarial;

8. Além destas características acima listadas o empresário de reciclagem de papel tem


que ser uma pessoa extremamente criativa, sempre com capacidade de sugerir ou
mesmo criar formas inovadoras de uso de seus produtos ou incrementar novas
matérias-primas que possam ser inseridas na produção de papel, tendo como foco e
objetivo de estar sempre a frente de seus concorrentes.

24. Bibliografia
História da reciclagem. Disponível em: . Acesso em: 20 de setembro de 2014.

História de Papel reciclado. Disponível em: . Acesso em: 20 de setembro de 2014.

Mercado crescente. Disponível em: . Acesso em: 22 de setembro de 2014

Sites úteis:

• ABES - Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental –


www.abes.org.br

• CEMPRE – Compromisso Empresarial para Reciclagem – www.cempre.org.br

• ABLP – Associação Brasileira de Resíduos Sólidos e Limpeza Pública –


www.ablp.org.br

• ABRE – Associação Brasileira de Embalagem – www.abre.org.br

• Grupo Dias Lopes, por intermédio do Instituto de Ensino e Pesquisa –


www.diaslopes-iep.com.br.

• ANAVE - Associação Nacional dos Profissionais de Venda em Celulose, Papel e


Derivados - www.anave.org.br

• BRACELPA – Associação Brasileira de Celulose e Papel – www.bracelpa.org.br

• Associação Brasileira das Indústrias Recicladoras de Papel - http://www.abirp.org.br/

• ABPO – Associação Brasileira do Papelão Ondulado - www.abpo.org.br

• ANBio – Associação Nacional de Biossegurança - www.anbio.org.br

• ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária - www.anvisa.gov.br

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 26


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas /
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
• ABRE – Associação Brasileira de Embalagem – www.abre.org.br

• Grupo Dias Lopes, por intermédio do Instituto de Ensino e Pesquisa –


www.diaslopes-iep.com.br.

• ANAVE - Associação Nacional dos Profissionais de Venda em Celulose, Papel e


Derivados - www.anave.org.br

• BRACELPA – Associação Brasileira de Celulose e Papel – www.bracelpa.org.br

• Associação Brasileira das Indústrias Recicladoras de Papel - http://www.abirp.org.br/

• ABPO – Associação Brasileira do Papelão Ondulado - www.abpo.org.br

• ANBio – Associação Nacional de Biossegurança - www.anbio.org.br

• ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária - www.anvisa.gov.br

25. Fonte
Não há informações disponíveis para este campo.

26. Planejamento Financeiro


Não há informações disponíveis para este campo.

27. Soluções Sebrae


Não há informações disponíveis para este campo.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 27


Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /

28
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas /
http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/ideias/Como-montar-um-servi%C3%A7o-
Não há informações disponíveis para este campo.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br


28. Sites Úteis

de-reciclagem-de-papel
29. URL