Вы находитесь на странице: 1из 9

Instituto Superior de Transportes e Comunicações

Departamento de Ciências Básicas

Curso: LEMT

Actividade Industrial e Ambiente

M31

Tema:

Convenção da Biodiverdade

Discente:

 António Freitas
 Joel Madeira
 Faustino Biyen
 Raimundo Mandlule
 Ren͐é Sevene
 Vanda Manjate

Docente: Elmer Matos

Maputo, Abril de 2018


Indice
Introdução ..................................................................................................................................................... 1
Diversidade Biológica ................................................................................................................................... 2
Definição ....................................................................................................................................................... 2
A Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB) ...................................................................................... 2
Motivos da criação e objectivos .................................................................................................................... 3
Impactos como: ......................................................................................................................................... 3
Os principais pontos abordados na Convenção são: ..................................................................................... 4
Medidas para prevenir a diminuição da biodiversidade ................................................................................ 5
Importância da Biodiversidade ..................................................................................................................... 5
Conclusão...................................................................................................................................................... 6
Bibliografia ................................................................................................................................................... 7
Introdução
A conservação e a preservação da diversidade biológica são fundamentais a essencial qualidade
de vida das pessoas. A biodiversidade, como conjunto de recursos genéticos, biológicos e
ambientais tem se mostrado importante activo no contexto global, tornando-se uma aposta
econômica estratégica por parte de países detentores de tecnologia, como dos detentores de
biodiversidade, estes, em sua maioria, países em desenvolvimento (ANDRADE, 2006).

1
Diversidade Biológica

Definição
O art. 2º, III, da Lei Brasileira n.°9.985/2000, incorporou a definição de diversidade biológica
citada no art. 2º do mesmo, definida assim, como: “variabilidade de organismos vivos de todas as
origens, compreendendo, entre outros, os ecossistemas terrestres, marinhos e outros ecossistemas
aquáticos e os complexos ecológicos de que fazem parte, compreendendo ainda a diversidade
dentro de espécies e de Ecossistemas”.

A Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB)


A Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB) é um tratado da Organização das Nações
Unidas e um dos mais importantes instrumentos internacionais relacionados ao meio ambiente.

A Convenção foi estabelecida durante a notória ECO-92 – a Conferência das Nações Unidas
sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (CNUMAD), realizada no Rio de Janeiro em junho de
1992.

Mais de 160 países já assinaram o acordo, que entrou em vigor em dezembro de 1993.

A Convenção está estruturada sobre três bases principais:

 a conservação da diversidade biológica,


 o uso sustentável da biodiversidade
 a repartição justa e equitativa dos benefícios provenientes da utilização dos recursos
genéticos

Se refere à biodiversidade em três níveis:

 ecossistemas,
 espécies
 recursos genéticos.

A Convenção sobre Diversidade Biológica tem como objectivos a conservação da


biodiversidade, a utilização sustentável de seus componentes e a repartição justa e equitativa dos
benefícios derivados da utilização dos recursos genéticos, mediante, inclusive, o acesso
adequado a estes recursos e a transferência de tecnologias pertinentes (BRASIL, 2000).

2
Motivos da criação e objectivos
De acordo com o principal manual americano sobre biologia da conservação (GROOM; MEFFE;
CARROLL, 2006), a comunidade científica falou sobre os impactos humanos sobre a
biodiversidade, “há uma taxa de extinção de espécies que está hoje de 100 a 1000 vezes acima do
que seria o normal (no processo evolutivo, espécies desaparecem e surgem ao longo do tempo),
ou seja, a uma crise global da biodiversidade”.

Impactos como:
 Sobre exploração e poluição - A caça insustentável, a pesca e a extracção de matérias-
primas estão aumentando a pegada ecológica, uma medida da demanda humana pelos
ecossistemas da Terra. A poluição ocorre quando os seres humanos emitem mais resíduos
do que o ecossistema pode absorver. Gases-estufa, fertilizantes, resíduos agrícolas e
tóxicos, todos perturbam interacções e impactam a biodiversidade.
 Alterações climáticas - A distribuição dos animais selvagens e domesticados e das
plantas é sensível à temperatura e à humidade, factores que mudaram drasticamente
devido as industriais.
 Perda do habitat - Pode ocorrer naturalmente, através de secas, doenças, incêndios,
vulcões, terremotos e mudanças de temperatura ou precipitação sazonal. Mas são as
mudanças no uso da terra pelas atividades humanas os principais motores da
fragmentação, da degradação e da perda do hábitat. A agricultura é geralmente a culpada,
mas também constam da lista a construção de infraestrutura, a exploração madeireira, a
mineração e a urbanização rápida.

Revusta planeta/www.revistaplaneta.com.br

A Convenção sobre Diversidade Biológica tem como objectivos a conservação da


biodiversidade, a utilização sustentável de seus componentes e a repartição justa e equitativa dos
benefícios derivados da utilização dos recursos genéticos, mediante, inclusive, o acesso
adequado a estes recursos e a transferência de tecnologias pertinentes (BRASIL, 2000).

A Convenção abarca tudo o que se refere direta ou indiretamente à biodiversidade – e ela


funciona, assim, como uma espécie de arcabouço legal e político para diversas outras
convenções e acordos ambientais mais específicos, como o Protocolo de Cartagena sobre
Biossegurança; o Tratado Internacional sobre Recursos Fitogenéticos para a Alimentação e a
Agricultura; as Diretrizes de Bonn; as Diretrizes para o Turismo Sustentável e a Biodiversidade;
os Princípios de Addis Abeba para a Utilização Sustentável da Biodiversidade; as Diretrizes para

3
a Prevenção, Controle e Erradicação das Espécies Exóticas Invasoras; e os Princípios e Diretrizes
da Abordagem Ecossistêmica para a Gestão da Biodiversidade.

A convenção sobre a biodiversidade é composta por um preâmbulo de 23, de um texto principal


de 42 extensos artigos, ementados e, de 2 anexos. O anexo I versa sobre a “Identificação e
Monitoramento”, e o anexo II, sobre “arbitragem”.

Os principais pontos abordados na Convenção são:


A distinção entre conservação e utilização sustentáveis da biodiversidade. A CB define
utilização sustentável (art. 2º) sem definir o termo utilização, empregando-o tanto em sentido
amplo quanto restrito, consequência da reivindicação de países em desenvolvimento e da
importância por eles atribuídos aos seus recursos biológicos como integrantes de sua riqueza
nacional.

A principal meta da CB é a conservação da biodiversidade, estabelecendo para isso, obrigações


aos Estados. Ao regular os direitos e os deveres dos Estados em relação aos elementos
componentes da biodiversidade, a CB busca apenas combater as causas da perda de
biodiversidade, não se preocupando com a manifestação desse fato. Assim, a CB se apresenta
como um instrumento normativo multilateral de regulamentação de recurso cujo interesse em
preservar é de toda a humanidade.

Praticamente todos os artigos da CB apresentam ressalvas que fazem distinção entre Estados
industrializados ou em vias de desenvolvimento. Por esse facto, a CB tem recebido muitas
críticas ao permitir, em um instrumento de natureza conservacionista internacional, discriminar
os tipos de obrigações. Acredita-se que as discriminações entre os destinatários das normas,
levando-se em consideração o grau de desenvolvimento interno dos Estados, representem a
consagração, num texto normativo, do Princípio 7º da Declaração do Rio sobre Meio Ambiente e
Desenvolvimento, de 1992: “responsabilidades comuns, porém diferenciadas”.

4
Medidas para prevenir a diminuição da biodiversidade

Alguns dos metodos para prevenir a diminuição da biodiversidade que foram criados na CB são
as pesquisas e treinamento de pessoal para investigar a biodiversidade dos locais, haver uma
divulgação sobre a biodiversidade para o publico. Existe vários outros metodos que pode se
encontrar na CB mas os metodos de prevenção estão entre os artigo 6 ao artigo 14.

Importância da Biodiversidade
Razões de várias ordens estão na base deste princípio mundialmente aceite – da preservação:

 Motivos éticos – pois o ser humano tem o dever moral de proteger outras formas de vida,
como espécie dominante no planeta.
 Motivos estéticos – uma vez que as pessoas apreciam a natureza e gostam de ver animais
e planetas no seu estado selvagem.
 Motivos económicos – a diminuição de espécies pode prejudicar actividades já existentes
(pesca de uma espécie com elevado valor comercial que esta desaparecer). Pode ainda
comprometer a sua utilização futura (ex: para a produção de medicamentos). Não
podemos esquecer que pelo menos 40% da economia mundial e 80% das necessidades do
povo depende dos recursos biológicos.

5
Conclusão

A diversidade biológica ou biodiversidade como um conjunto, é essencial para para a qualidade


de vida de todos os seres vivos. Sendo a sua conservação e preservação de extrema importância,
a CDB criou políticas e leis ambientais directamente ligadas à biodiversidade, com vista a
garantir a sua existência, provendo um uso racional e a igualdade entre as espécies, os
ecossistemas e os recursos genéticos de modo que se evite a extinção ou o desparecimento de um
( ou até mesmo todos ) dos níveis, comprometendo assim o próprio equilíbrio da biodiversidade
e a sua existência.

6
Bibliografia

- Portal Ministério do meio Ambiente. Disponível em:


«http://www.mma.gov.br/biodiversidade/conven%C3%A7%C3%A3o-da-diversidade-
biol%C3%B3gica»

- Revista planet. Disponivel em:

«http://www.revistaplaneta.com.br»

Portal do ambiente e do cidadão. Disponível em:

«http://www.ambiente.maiadigital.pt/ambiente/biodiversidade-e/mais-informacao-1/sobre-a-
importancia-da-biodiversidade. »