Вы находитесь на странице: 1из 3

Nefrologia Semiologia - GESEP

O edema localizado costuma ocorrer por


1 EDEMA insuficiência venosa ou linfática. Por exemplo,
a trombose venosa profunda costuma afetar
um dos membros superiores ou inferiores.
Dr. Carlos Cardoso Outro exemplo é o linfedema, já referido
anteriormente.
Objetivos O edema generalizado apresenta três causas
1. Saber o que é edema principais: insuficiência cardíaca congestiva,
2. Saber reconhecer o edema no exame físico síndrome nefrótica e insuficiência hepática
3. Saber como classificar o edema com hipertensão portal.
4. Conhecer as suas principais causas
O edema de origem cardíaca ocorre pela
falência das câmaras esquerda e direita,
ocasionando congestão pulmonar e, em
1. Como o edema ocorre? consequência, estase venosa na veia cava
superior e inferior.
O movimento de líquido entre o espaço
intravascular e extravascular é relacionado a A síndrome nefrótica se caracteriza por
forças que interagem entre si: pressão hipoalbuminemia e proteinúria, que levam ao
hidrostática, pressão oncótica edema generalizado, por doença renal
(coloidosmótica), permeabilidade capilar e primária ou secundária (diabetes, por
efeitos da drenagem linfática. exemplo).
O edema ocorre quando há desequilíbrio
entre estas forças, através da diminuição da A insuficiência hepática, geralmente devido à
pressão oncótica (hipoalbuminemia), aumento cirrose hepática, leva à hipoalbuminemia, com
da pressão hidrostática, aumento da diminuição da pressão oncótica. Comumente,
permeabilidade capilar, ou uma combinação ocorre também hipertensão do sistema porta,
destes fatores. O edema também pode estar levando ao edema por aumento da pressão
relacionado à obstrução do fluxo linfático. hidrostática.

Edema com sinal do cacifo

3. Como fazer o diagnóstico diferencial


de edema generalizado através dos
exames complementares?

Se o edema não sugere, pela propedêutica,


insuficiência cardíaca, incluindo a percepção
2. O edema pode ser localizado ou do não ingurgitamento jugular, pensaremos
generalizado. Cite as principais causas inicialmente em causa renal ou hepática.
de cada um deles: Devemos solicitar dosagem de albumina sérica
Nefrologia Semiologia - GESEP
e analisar a presença de proteinúria,
inicialmente pelo parcial de urina e, depois,
mais detalhadamente, através da proteinúria
de 24 horas. As dosagens séricas de uréia e
creatinina podem auxiliar, embora nem
sempre estejam muito alteradas, como na fase
inicial da síndrome nefrótica.

Estando a albumina sérica com valores < 3,5


g/dl, e a proteinúria de 24 hs com valores
entre 3 e 5g, os dados são compatíveis com
síndrome nefrótica. Valores < 3-5 g na
urinálise de 24 hs indicam investigação de
outras causas, onde se destaca a possibilidade
de hepatopatia.SEMIOLOGIA ⇥ FEPAR PROBLEMAS ENDOCRINOLÓGICOS

Neste caso, devem ser solicitados


CLÍNICA testes para E HIPERTIREOIDISMO
DO HIPOTIREOIDISMO
avaliação hepática, tais como: bilirrubinas
totais e frações, transaminases, TAP, fosfatase
alcalina, gama-GT. Aliados estes resultados à
Ascite: hepatopatia crônica e hipertensão portal.
hipoalbuminemia, poderão ser indicados testes
de imagem buscando confirmação de
4. Cite outras causas de edema
hepatopatia crônica e hipertensão portal.
generalizado.
Por outro lado, havendo sinais e sintomas de
a) Edema relacionado ao uso de
insuficiência cardíaca congestiva,
corticoesteróides ou outros medicamentos,
ingurgitamento jugular e edema, será seguido
incluindo estrógenos.
outro caminho, avaliando a possibilidade de
cardiomegalia à radiografia de tórax, associada
b) Mixedema , relacionado ao hipotireoidismo,
a sinais de congestão pulmonar.
devendo se solicitar TSH e T4 livre para o
diagnóstico diferencial.

c) Desnutrição: esta apresenta-se com edema


por hipoalbuminemia.

d) Hipertensão pulmonar, relacionada aos


casos de cor pulmonale (insuficiência cardíaca
direita devido à doença pulmonar crônica).

Urina espumosa, devido à proteinúria, na síndrome


nefrótica.

Mixedema. Macroglossia.

GESEP PÁGINA 4
Nefrologia Semiologia - GESEP

Edema e Desnutrição infantil.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

1. MUSHLIN S. B., GREENE, H. L. Decision


Making in Medicine, Mosby Elsevier, 2009.

2. TOY, E. C., PATLAN, J. T. Case Files


Internal Medicine, McGraw Hill Lange, 2009.