Вы находитесь на странице: 1из 13

Uma abordagem psicopedagógica do currículo do curso de formação de soldados

ARTIGO DE REVISÃO

UMA ABORDAGEM PSICOPEDAGÓGICA DO CURRÍCULO DO


CURSO DE FORMAÇÃO DE SOLDADOS

A PSYCHOPEDAGOGICAL APPROACH TO THE CURRICULUM


OF THE SOLDIERS TRAINING COURSE

Paulo Fernando da Silva


Diplomado em Segurança Pública (APMCB), especialista em Gestão Ambiental (Cândido Mendes),
Mestrando em Sistemas Agroindustriais (UFCG)
José Rivamar de Andrade
Graduado em Letras (FIP), Especialista em Língua, Linguística e Literatura (FIP), em Gestão do
Trabalho Pedagógico (UNINTER), em Linguística Aplicada na Educação (Cândido Mendes), em
Metodologia do Ensino de Língua Estrangeira e Portuguesa (UNINTER), e mestre em Sistemas
Agroindustriais (UFCG)
E-mail: Rivamar_andrade@hotmail.com
Flávia Regina Pinheiro Leite
Graduada em Fonoaudiologia (UNICAP-PE). Especialista em Fonoaudiologia com Ênfase em
Motricidade Orofacial (IMIP)

Resumo: O trabalho focaliza o currículo prescrito para o Curso de Formação de


Soldados da Polícia Militar do Estado da Paraíba, a partir da necessidade da
formulação de um currículo que tenha uma aproximação psicopedagógica da
75
prática da Caserna, das situações e comportamentos observáveis e observados
nas práticas estabelecidas por instrutores e monitores. Através de uma
abordagem de cunho bibliográfico, busca-se apontar caminhos para uma
formação mais humanizada, democrática, participativa e dinâmica aos novos
policias militares, formando um profissional que saiba atuar como negociador de
conflitos. Privilegiou-se a abordagem metodológica qualitativa e a linha teórica
foi fundamentada pelos estudos de Freire (1996), Stenhouse (1984), Torres
(2001), Wolkmer (2007), dentre outros que discutem as temáticas de ensino
militar, currículo, a prática pedagógica e psicopedagógica. O caminho trilhado
por esta pesquisa aponta para a necessidade de se assumir como prioritário às
polícias uma formação mais apurada e constantes treinamentos. Um decálogo, ao
final, indica os pontos que afloraram como conexões entre o currículo, o
comportamento, os processos mentais e as novas demandas.

Palavras-chave: Currículo. Prática Psicopedagógica. Comportamento.


Processos Mentais.

Abstract: The paper focuses on the curriculum prescribed for the Training
Course for Soldiers of the Military Police of the State of Paraíba, based on the
need to formulate a curriculum that has a psychopedagogical approach to
Barracks practice, observable situations and behaviors observed in established
practices By instructors and monitors. Through a bibliographic approach it seeks
to point out ways for a more humanized, democratic, participatory and dynamic
formation to the new military police, forming a professional who knows how to
act as a conflict negotiator. The qualitative methodological approach was favored
and the theoretical line was based on the studies of Freire (1996), Stenhouse

REVISTA LATINO-AMERICANA DE EDUCAÇÃO, CULTURA E SAÚDE


v. 1, n. 1, p. 75-87, jan.-mar., 2017
Uma abordagem psicopedagógica do currículo do curso de formação de soldados

(1984), Torres (2001), Wolkmer (2007), among others that discuss the themes of
military education, curriculum, practice Pedagogical and psychopedagogical. The
path taken by this research points to the need to take priority training of the
police to a more accurate training and constant training. A decalogue, in the end,
points out the points that have emerged as connections between curriculum,
behavior, mental processes, and new demands.

Keywords: Curriculum. Psychopedagogical Practice. Behavior. Mental Proce.

1 INTRODUÇÃO que para se construir a cidadania devemos fazer


do cotidiano das atividades laborais uma ação
Para construir esta obra abandonaram-se pedagógica.
as especulações em cima das corporações Aqui, sob a ótica pedagógica passamos a
militares, entregando-nos as observações aliar a prática educativa com o fortalecimento
precisas e substituir as ideias pelos fatos, da cidadania, apoiando e vigiando uma
procurando as razões que levam os membros a educação mais policial do que militar voltada
agirem. Donde é importante, é importante uma para a singularização, consequentemente
pequena remontagem histórica das primeiras indivíduos livres, isto é criativos e autônomos,
épocas da história da instituição pertinentes que de fato tomem nas mãos de suas vidas e de
experiências sobre a origem e a geração de outrem.
ideias, formação e o progresso da linguagem Sobre isto, Paulo Freire insiste por
própria da caserna. E durante todo este tempo, diversas vezes em todas em suas obras que a
é fato que, em cada época, produzem um integração1 faz parte da natureza humana como
discurso dominante considerado autorizado e resultado da realidade captada e modificada,
aceito. aparelhada com a crítica. E ao perde está
Ao realizar estas observações metódicas e capacidade de julgar e submetido às ordens de
escolher os fatos que recaem sobre “o soldado”
podemos compreender como o miliciano se
outras pessoas, já não se integra, ou seja tornar-
se incapaz de alterar sua realidade. Acomoda- 76
constrói pouco a pouco pela educação e pela se, ajusta-se e adapta-se (FREIRE, 1996).
cultura. Convencido que os signos estão,
intimamente ligados na transformação de 2 REFERENCIAL TEÓRICO
sensações em símbolos de linguagem. 2.1 ORIGEM DA CORPORAÇÃO
Ao estudar a etnografia e a etnologia dos
grupos militares verificamos uma estreita A primeira concepção da ideia de Polícia
ligação entre o Exército e a Polícia Militar como com funções mais próximas, aos dias atuais,
força auxiliar e reserva do exército. Sendo esta pode ser encontrada através dos relatos dos
utilizada para atender as demandas do Estado, livros de história, principalmente no
e no contexto das lutas políticas uma barreira desenvolvimento de atividades de proteção as
ideológica dos movimentos de emancipação legislações abarcadas por cada povo. Neste
popular. contexto, os Hebreus e os Egípcios foram os
Estabelecer limites ao aparelho policial é primeiros povos a registrarem suas leis e
questão-chave para que se pense em uma adotarem ações de caráter policial. Mas é na
sociedade democrática com cidadãos plenos, organização política Greco-Romana, nos
pois, conforme (COMPARATO, 1987, p. 16): tempos dos Imperadores, surgiram as primeiras
“Ninguém, nem na mais alucinada divagação, organizações responsáveis pela Manutenção da
imagina suprimir as forças policiais numa Ordem Pública (WOLKMER, 2007).
sociedade complexa, como a nossa. Mas todos Na Grécia antiga, existia um grupo de
nós sabemos e o governo é o primeiro a saber homens de propriedade dos magistrados,
que o exercício da ação policial conduz compostos por 300 escravos conhecidos
necessariamente ao abuso.”
Para a construção da cidadania, parte-se 1
do principio que os seus membros devem ser A integração de saberes é um processo em que um novo
saber liga-se a saberes anteriores na aplicação de
também cidadãos. E dentro da estrutura da
conteúdos específicos em situações concretas (Brasil,
policial militar tomamos a liberdade de afirmar 2005).

REVISTA LATINO-AMERICANA DE EDUCAÇÃO, CULTURA E SAÚDE


v. 1, n. 1, p. 75-87, jan.-mar., 2017
Uma abordagem psicopedagógica do currículo do curso de formação de soldados

[pabloucoi] (portadores de varas) que eram E para não serem punidos procuram controlar
empregados em distúrbios, bem como na sua capacidade criativa e a conter-se em seu
guarda dos presos. Contudo, os cidadãos gregos silêncio (FREIRE, 1996).
desempenhavam o papel da investigação dos Ações que remetem os alunos policiais a
crimes. Já, em Roma, a segurança pública era uma série de representações sociais a defensiva
realizada pelos soldados e a investigação era a de mudança que os leva para adaptação de sua
cargo dos magistrados. conduta ao sistema da vida militar. Caso
As primeiras ideias de organização militar contrário, os inadaptados são considerados
originaram-se em Roma durante o Reinado de “folgados2”. Por isso, as primeiras orientações
Caio Júlio César Otaviano, o primeiro da Corporação Policial Militar sempre surgem
Imperador e herdeiro de Júlio Cesar, chegando nas salas de aula e nos períodos de formação
ao poder através do segundo triunvirato, tendo dos recém-ingressos. Para que possam adquirir
o Império mais de um milhão de habitantes. os saberes necessários a pratica profissional e
Por este motivo, a capital foi dividida em “arrefecer” o caráter original de cada um,
regiões administrativas, tendo a proteção de transformar o conjunto diversificado em uma
sete cohortes vigilum (coortes de vigilância), massa homogênea (LUDWIG, 1998, p. 36),
compotas cada uma por mil vigias. Elas sintoma de sua desumanização (FREIRE, 1996).
funcionavam como forças de intervenção Ou seja, durante a educação profissional a
antidistúrbios, combate a incêndios e defesa identidade policial é construída, paralelamente
civil (DEGAN, 2013). a incorporação de uma série de pequenos
E nesta linha pretérita, o termo “polícia” hábitos comuns a caserna. É neste sentido,
assentou-se da palavra grega politéia e do latim raramente não há espaços para debates na sala
politia, e em sentido mais amplo é um conjunto de aula. “(...) o soldado é algo que não existe a
de leis e regras impostas aos cidadãos, arte de priori, mas que é fabricado, transformando de
assegurar o cidadão, segurança de um grupo uma massa disforme, um corpo inapto, em um
social, segurança do grupo social e a arte de corpo com todas as insígnias de poder que um
governar os cidadãos. Com o passar dos anos, soldado deve ter” (COSTA, 2002, p.28).
este tipo de organização foi adotada por outros
povos e difundida para todo o mundo (ROCHA,
Mesmo com a incidência e o foco da
educação emancipadora há ainda insistência em 77
2012). acordos e significados pedagógicos que levem o
Nota-se que a instituição, ao longo da novo policial ao êxito em suas ações frente a
história, esteve ligada aos magistrados como criminalidade e o bom atendimento ao cidadão.
consequência a concentração do poder. Seja Lembra Torres (2001) que para entendermos
ele, Chefe Tribal, Sacerdote, Senhor Feudal, como os dispositivos do poder funcionam, há a
Líder político local, qualquer que exercesse o necessidade de compreender as diversas
poder de julgar, a fim de fazer cumprir as relações entre a política, educação e economia e
decisões tomadas. Em direção diametralmente suas respectivas dimensões, se quisermos
oposta, a concentração do poder, no século realmente compreender os dilemas
XVII, vários cientistas procuraram uma educacionais do nosso tempo e agir sobre eles.
maneira mais justa de administrar sempre Em relação a isto, (MONET, 2002) põe-se
preocupados em combater as tiranias. John a questionar sobre a estrutura organizada das
Locke, 100 anos antes da publicação do livro da polícias militares seriam, suficientemente capaz
obra “O Espírito das Leis”, (1748), já apontava de atender o anseios dos cidadãos. É válida a
para a divisão dos entre os tipos de poderes e as pergunta, pois nos remete a outra sob um outro
novas reformulações que implicaram nas enfoque ao qual o controle e a manutenção do
formas de atuação das forças responsáveis pela poder obriga a educação militarizada a fim de
manutenção da ordem pública. assegurar o controle de um instrumento dócil
não desviante dos corpos policiais na
2.2 SÍMBOLOS, SIGNOS, RITOS E expectativa de servir ao poder hegemônico, em
REPRESENTAÇÕES detrimento dos interesses da democracia, a
favor dos interesses partidários.
É comum nas salas de aula os policiais-
estudantes, nos primeiros dias, logo são 2
Jargão militar ao qual faz referência aos profissionais
ensinados a falarem, apenas ao levantar a mão e
que resistem em obedecer às regras do militarismo, ou
manter-se organizados para serem controlados. seja, subversivos.

REVISTA LATINO-AMERICANA DE EDUCAÇÃO, CULTURA E SAÚDE


v. 1, n. 1, p. 75-87, jan.-mar., 2017
Uma abordagem psicopedagógica do currículo do curso de formação de soldados

Michaud (1989, p. 98) destaca que: “(...) a de um sistema organizacional submetido ao


profissão policial – centrada na observação do comando do Governador do Estado (CE, 2007).
anormal e a aplicação das regras – atrai Podemos começar este parágrafo,
personalidades rígidas, punitivas, com afirmando que a polícia é uma instituição
tendência a pensar através de estereótipos, e responsável pela manutenção do equilíbrio
reforça as personalidades nessa direção. Um social. Visto que é responsável pela ordem
policial não convencional viveria conflitos pública através do policiamento ostensivo
demais”. fardado. E em seus membros é construída uma
É também necessário entender que um espécie de ethos3 e hexis4 aos quais os deveres
dos pontos fortes da corporação é a resiliência policiais militares emanam de vínculos
fora do comum de um policial ao sofrer reacionais que ligam o policial militar à
pressões internas e externas de si e do público comunidade estadual e a sua segurança, e
exigente. E suas formas de organizar-se limitam compreendem essencialmente na dedicação
a fronteira do desespero e outras emoções que integral ao serviço policial militar e a fidelidade
possam atrapalha sua função social. Tudo isto, à instituição a que pertence.
perpassa pelo sua formação profissional Este vínculo entre o policial e a
instrumentalizada pelo currículo. Uma comunidade Estadual é também materializado
educação desta natureza não é, essencialmente através do ensinamento aos seus membros
libertária e não pode ser de forma alguma estar através do culto aos Símbolos Nacionais, a
reduzida ao discurso formal do poder. probidade, a lealdade em todas as
É nesta perspectiva, ao organizar um circunstâncias, na disciplina e o respeito à
vasto material empírico sobre as experiências hierarquia, o rigoroso cumprimento das
da história das Forças de Segurança Pública, obrigações e ordens, a obrigação de tratar a
tais como: guerras, revoluções e modos de vida subordinado dignamente e com a urbanidade.
ficam evidentes que a polícia sempre esteve Lévi-Strauss denomina isto de Antropologia
envolvida com atos de violência. estrutural considerada como sistema lógico ao
A Polícia Militar é Responsável de qual o homem obedece inconscientemente em
executar com exclusividade, ressalvadas as
missões peculiares às Forças Armadas, o
suas instituições e em seus comportamentos.
Outro exemplo prático é o compromisso 78
policiamento ostensivo, fardado, planejado que todo cidadão, após ingressar na Policia
pelas autoridades policiais competentes, a fim Militar, mediante inclusão, matrícula ou
de assegurar o cumprimento da Lei, a nomeação, prestará um no qual afirmará a sua
manutenção da ordem pública e o exercício dos aceitação consciente das obrigações e dos
poderes constituídos. Diante disto, a deveres policiais e manifestará sua firme
Constituição Federal de (BRASIL, 1988) disposição de bem cumpri-los. Neste eixo, o
destaca: compêndio das leis da Polícia Militar do Estado
da Paraíba (PARAÍBA, 2004) destaca:
Art. 144. A segurança pública, dever do
Estado, direito e responsabilidade de todos, é O INGRESSAR NA POLÍCIA MILITAR (...),
exercida para a preservação da ordem pública PROMETO REGULAR MINHA CONDUTA
e da incolumidade das pessoas e do PELOS PRECEITOS DA MORAL, CUMPRIR
patrimônio, através dos seguintes órgãos: RIGOROSAMENTE AS ORDENS DAS
(...) V - polícias militares e corpos de AUTORIDADES A QUE ESTIVER
bombeiros militares. SUBORDINADO E DEDICAR ME
(...) § 5º - às polícias militares cabem a polícia INTEIRAMENTE AO SERVIÇO POLICIAL
ostensiva e a preservação da ordem pública; MILITAR, E A MANUTENÇÃO DA ORDEM
aos corpos de bombeiros militares, além das PÚBLICA E A SEGURANÇA DA
atribuições definidas em lei, incumbe a COMUNIDADE, MESMO COM O RISCO DA
execução de atividades de defesa civil. PRÓPRIA VIDA.

A segurança e a defesa social constituem


dever do Estado, direito e responsabilidade de
3
todos, devendo ser exercidas para preservar a Ethos significa o modo de ser, o caráter. Isso indica o
ordem pública, a incolumidade das pessoas, do comportamento do ser.
4
patrimônio e, também, com o propósito de São movimentos corpóreos que os sujeitos que exerce
uma determinada prática laborativa realiza quando
garantir a defesa civil da coletividade, por meio
exercem, movimentos harmônicos.

REVISTA LATINO-AMERICANA DE EDUCAÇÃO, CULTURA E SAÚDE


v. 1, n. 1, p. 75-87, jan.-mar., 2017
Uma abordagem psicopedagógica do currículo do curso de formação de soldados

Esta ideia de manter um sistema com a polícia militar sempre é associada à violência
própria vida é interpretado pelo sujeito, para o público civil, provocando medo e
máquina simbólica, como um conjunto de desconforto. E sob ponto de vista de seus
sinais inconscientes estruturados através da membros o cidadão é visto como um inimigo
língua para produzir sentido (LACAN, 1966). subversivo, indisciplinado e desobediente. Em
Por isso, não se pode desconsiderar a ambas, a imagem o lado figurativo da
importância do uso de símbolos ou de imagens representação dá inicio ao um processo de
como elementos no ambiente sociocultural elaboração cognitiva e simbólica que
(BURKE, 1994). A partir disso, percebe-se que desencadeia comportamentos. “As lutas de
as representações, entendidas desta forma, representações têm tanta importância como às
alteram, influenciam e limitam os meios de lutas econômicas para compreender os
ação sociais. mecanismos pelos quais um grupo impõe, ou
tenta impor, a sua concepção do mundo social,
2.3 REPRESENTAÇÕES SOCIAIS: Um guia os valores que são os seus, e o seu domínio”
para formulação de um currículo (CHARTIER, 2002, p.17).
Neste ínterim, a identidade dos
Ao realizarmos esta pequena distinção componentes impõe-se por um conjunto de
teórica, para este momento passamos a comportamentos convenientes e particulares
entender que muito se aplica a caserna e seu com os quais se podem distinguir as pessoas de
sistema educativo os conceitos formulados uma sociedade dos outros grupos sociais. Não
sobre o mundo das representações, privilegiado resta dúvida, que este individualismo constitui
a racionalização. Aqui vamos tomar alguns um dos valores especiais da instituição. Na
conceitos de Durkeim ao qual consagrou o verdade, conferem um inegável fator de
método de reduzir os fatos sociais a coisas, vínculos, sem os quais não seria possível um
sabendo que a ciência por natureza é inacabada. verdadeiro espírito de corpo5. Em favor disto, o
E imbuindo do papel esclarecedor da Estatuto dos Policiais Militares do Estado da
temática, a obra segue, dialogando sobre real Paraíba, lei 3.909/77 revela (PARAÍBA, 2016):
papel da polícia militar, utilizando seus saberes
especializados como alto-falante a fim de Art. 26 - São manifestações essenciais do valor 79
aclarar os discursos administrativos que policial militar:
comandam o trabalho social. E para dar vazão a I - O sentimento de servir à comunidade
essa gama de representações a corporação estadual, traduzido pela vontade inabalável de
cumprir o dever policial militar e pelo integral
policial militar cria uma série de formas de
devotamento à manutenção da ordem pública,
conhecimento que se manifestam como mesmo com o risco da própria vida;
elementos cognitivos, tais como: imagens, II - A fé na elevada missão da Policia Militar;
conceitos, teorias e material ideativo III - O civismo e o culto das tradições
(JODELET, 1985), sendo socialmente históricas;
elaborados e compartilhados entre os membros IV - O espírito de corpo, orgulho do policial
de uma instituição a fim de construir uma militar pela organização policial militar onde
realidade perceptível capaz de possibilitar a serve;
comunicação entre seus membros e a V - O amor à profissão policial militar e o
comunidade. Tal observação, facilita em muitas entusiasmo com que é exercida; e
VI - O aprimoramento técnico profissional.
ocasiões os discursos que carregam palavras,
mensagens e imagens e ao mesmo tempo
Este contato íntimo de um grupo restrito
cristaliza as condutas.
estabelece entre seus membros fortes relações
Nesta investigação, observa-se que nas
solidárias comparadas a membros de uma
seções que seguem sustentam uma série de
família, laços de associação íntimos e face a
representações sociais em torno da cultura
face, permanência relativa, contatos
miliciana ao qual gira o principal problema.
duradouros. Este espírito de cooperação entre
Sendo assim, é de suma importância esclarecer
seus membros é comum e o pundonor policial e
e limitar o que é representação. E para esta
construção utilizamos como referências os
autores: Kaes, Herzlich, Chartier e Jodelet. 5
O espírito de corpo é o envolvimento de orgulho,
Um bom exemplo de representação social,
unidade em um propósito comum e de inclinação a um
disse (KAES, 1968) ocorre quando a imagem da ideal representado por um grupo primário.

REVISTA LATINO-AMERICANA DE EDUCAÇÃO, CULTURA E SAÚDE


v. 1, n. 1, p. 75-87, jan.-mar., 2017
Uma abordagem psicopedagógica do currículo do curso de formação de soldados

impõem a cada um dos integrantes da Polícia compreensão e o domínio do entorno social,


Militar uma conduta moral e profissional material e ideal. Enquanto tal, apresenta
irrepreensíveis. Com a observância dos vários características especificas a nível de
preceitos da moral familiar, tais como: amar a organização dos conteúdos, das operações
mentais e da lógica.
verdade e a responsabilidade como fundamento
da dignidade pessoal e zelar pelo bom nome da
Seguimos, até aqui, tentando explicar um
instituição e de cada um dos seus integrantes,
conceito, historicamente difícil de se entender.
obedecendo e fazendo obedecer aos preceitos da
Porém, um marco conceitual já pode ser
ética policial militar.
traçado sobre o currículo ao revela um conjunto
E nesta organização são comuns em salas
de representações que se ordenam, se justificam
de aulas o desenvolvimento do espírito de
e tomam unidade na situação histórica em que
cooperação nas formações militares. Sempre
são ou foram construídos (PEDRA, 1997).
pautadas pelo um número pequeno de pessoas
A Partir deste ponto, o estudo sobre o
envolvidas, entre 15 a 20 pessoas com relativa
currículo toma forma, independente de como
intimidade ou proximidade física entre os
vamos desenvolvê-lo, ocupa, um ponto
participantes. Isto é, incrivelmente útil, pois a
controverso no meio das escolas de formação
filosofia da caserna repousa numa filosofia de
policial militar. Assunto que deixa de ser
ação, onde um individualismo é aos poucos
confinado nos corredores dos Batalhões para
colocado de lado, à medida que os integram-se
ser tema de domínio Público na sociedade civil.
na corporação, visando extirpar os interesses
O interesse da formação dos indivíduos da
egoísticos impostos pela sociedade civil,
corporação associadas a uma série de
contrariando, paradoxalmente a sociedade
representações únicas permite simplificar
individualista.
algumas escolhas subjetivas em racionais e
Ao laissez-faire e ao igualitarismo, a
maximizar seus resultados. E na defesa dos
liberdade do sujeito de viver segundo suas
interesses legítimos escolhem racionalmente
próprias convicções, sem ter que respeitar as
suas opiniões e crenças. Na medida em que não
decisões tomadas por instâncias superiores
obedecem outros signos distintos do
(Japiassu, 2012). E ao colocar freio nas paixões
perigosas da sociedade a Polícia Militar é eleita
militarismo, a partir destes constructos os
indivíduos podem ficar seguros de agir em
80
como guardiã da ordem. E para tal cada sujeito
conformidade.
é construído uma representação capaz de criar
O currículo como objeto de estudo,
um elã vital que leva os seus membros a agir,
rapidamente encontrou campo fértil no meio
dominar e combater os males de uma sociedade
acadêmico, não tendo limites claros, permitiu e
com excessos de liberdade.
ainda continua permitindo, que sobre o termo,
Na investigação de Herzlich (1969)
se organize uma variedade de representações,
encontramos que as representações podem ser
ajustando-se sob as mais variadas visões de
entendidas como uma imagem clara construída
mundo (PEDRA, 1997). Não é diferente, e por,
através da experiência pessoal onde se integram
infinitas razões o termo curriculum é uma das
os valores de uma comunidade ao qual o
maiores preocupações das instituições policiais
individuo pertence. Um exemplo para esta
militares em todo Brasil, pois seus pressupostos
formulação é a representação de um líder
esbarram nas filosofia positivista da caserna.
político local ao representa a comunidade que
lhes deu um mandato representativo, mas nem
2.4 CURRÍCULO: Uma aproximação
por isso alguém confundirá o político com
psicopedagógica da prática da caserna
qualquer pessoa do local.
O conceito de representação social, diz
Uma direção mais curta para chegarmos a
Jodelet (1986) e Chartier (2002) destacam:
um delineamento objetivo sobre currículo
- Designa uma forma de conhecimento consiste em focalizarmos suas funções e para
especifico, o saber de sentido comum, cujos isto, convém recordar e remontar situações
conteúdos manifestam a operação de problemas e aplicá-las, em conjunto com a
processos gerativos e funcionais socialmente teoria. Esta modalidade de educação se
caracterizados. Em sentido mais amplo, materializa pela simples observação e
designa uma forma de pensamento social. participação nas atividades habituais dos
- Constitui uma modalidade de pensamento instrutores, bem como sua observação e
prático orientado para a comunicação, a

REVISTA LATINO-AMERICANA DE EDUCAÇÃO, CULTURA E SAÚDE


v. 1, n. 1, p. 75-87, jan.-mar., 2017
Uma abordagem psicopedagógica do currículo do curso de formação de soldados

imitação. Neste ínterim, o aluno deve primeiro instrutores de execução de um plano prévia e
observar e depois exprimir corretamente o minuciosamente estabelecido. Por ser um
resultado do que observa, partindo do caso projeto, o currículo não pode contemplar os
particular ao geral, do concreto para o abstrato. múltiplos fatores presentes em cada uma das
Não raro, estas técnicas não são suficientes para situações particulares na qual será executado.
assegurar aos novos membros um aprendizado Os componentes do currículo, os elementos que
adequado. ele contempla para cumprir com êxito suas
Para exaltar certa cultura de um grupo as funções, podem agrupar-se em quatro partes
atividades educativas escolares correspondem à distintas:
ideia de que existem certos aspectos
importantes que não poderão ser realizados (1) Proporcionar informações sobre o que
satisfatoriamente ou que não ocorrerão de ensinar, “a experiência social culturalmente
forma alguma, a menos que seja fornecida uma aceita”: conceitos, sistemas explicativos,
ajuda especifica com atividades planejadas para habilidade, normas, valores e objetivos (os
processos de crescimento pessoal que se
este fim. São atividades que exigem um
deseja provocar, favorecer ou facilitar
excelente desenvolvimento intuitivo e ao mediante o ensino). (2) Proporcionar
mesmo tempo equilíbrio emocional na informações sobre quando ensinar, sobre a
realização de tarefas complexas, isto delimita maneira de ordenar e dar sequencia aos
uma educação especial aos quais correspondem conteúdos e objetivos. A educação formal
a uma natureza e finalidade social da instituição abrange, com efeito, conteúdos complexos e
executadas de acordo com um plano de ação. inter-relacionados e pretende incidir sobre
No geral, o passo a passo no processo de diversos aspectos de crescimento pessoal do
ensino e de aprendizagem perpassa por uma aluno, sendo necessário, portanto, optar por
série de construções planejadas ao qual na uma determinada sequencia de ação. (3)
Proporcionar informações sobre como
escola militarizada segue em linhas gerais um
ensinar, isto é, sobre a maneira de estruturar
rito de fracionamento e compartimentação do as atividades de ensino-aprendizagem das
saber. De forma que as atividades rotineiras quais participarão os alunos, a fim de atingir
levam a todos os discentes das escolas de
formação a um processo de abstração por
os objetivos propostos em relação com os
conteúdos selecionados (4) Proporcionar
81
imagem simbólica aos quais sempre reza a informações sobre que, como e quando avaliar
disciplina, precavendo-se de decisões criativas, (CHARTIER, 2002, p. 23).
sempre preservando os princípios basilares da
instituição (MILL, apud AEBLI, 1978). Na medida em que o projeto corresponde
Neste sentido, a primeira função do a certas intenções, a avaliação é um elemento
currículo é a de explicar o projeto as intenções e indispensável que assegura se a ação
o plano de ação que preside as atividades pedagógica responde adequadamente às
educativas escolares. Imbuída de ser um guia mesmas e introduz as correções oportunas em
para os autores de seu desenvolvimento, um caso contrário. As quatro partes estão
instrumento útil para nortear a prática relacionadas entre si condicionam-se
pedagógica. Por esta função, não pode limitar- mutuamente, pois tratam de diferentes aspectos
se a enunciar uma série de intenções, princípios de um mesmo projeto: Um dos problemas
e orientações gerais que, por excessivamente intrínsecos na elaboração do currículo reside
distantes da realidade das salas de aula, sejam em decidir como concretizar esses diferentes
de escassa ou nula ajuda para os professores. O elementos – mais tarde veremos que são várias
currículo deve levar em conta as condições reais as alternativas possíveis em assegurar a
nas quais o projeto vai ser realizado, situando- coerência de todos eles. Em resumo,
se justamente entre as intenções, princípios e entendemos o currículo como o projeto que
orientações gerais e a prática pedagógica. preside as atividades educativas escolares,
É função do currículo evitar o hiato entre define suas intenções e proporciona guias de
os dois extremos: disso depende, em grande ação adequadas e úteis para os professores, que
parte, sua utilidade e eficácia como instrumento são diretamente responsáveis pela a sua
para orientar a ação dos professores. execução. Para isso, o currículo proporciona
O currículo, entretanto, não deve informações concretas sobre que ensinar,
suplantar a iniciativa e a responsabilidade dos quando ensinar, como ensinar e que, como e
professores, convertendo-os em meros quando avaliar.

REVISTA LATINO-AMERICANA DE EDUCAÇÃO, CULTURA E SAÚDE


v. 1, n. 1, p. 75-87, jan.-mar., 2017
Uma abordagem psicopedagógica do currículo do curso de formação de soldados

Em princípio, esta colocação está próxima A análise epistemológica das disciplinas


da defendida por autores como Stenhouse contribui para separar e priorizar os
(1984) para que um currículo é uma tentativa conhecimentos em principais e secundários a
de comunicar os princípios e características fim de tecer uma relação entre elas, e suas
essenciais de um propósito educativo, de tal sugestões são importantes para estabelecer uma
forma que permaneça aberto à discussão crítica sequencia de atividades de aprendizagem que
e possa ser efetivamente transladado à prática. promovam o aprendizado e o máximo de
No que tange a extensão, Stenhouse engloba assimilação significativa (BRASIL, 2005).
duas dimensões as quais compreende a Já, a análise psicológica oferece e
descrição do projeto educativo quanto à análise desmonta os mecanismos disparadores mentais
empírica das experiências na sala de aula. Ou no processo de evolução cognitiva na obtenção
seja, O currículo existe sob dois aspectos: o de habilidades, ajudando a planejar ações
desenho do projeto e sua aplicação um pedagógicas nas pratica educativa. Diante de
interligado com o outro. tudo isto, não podemos esquecer a própria
Numa tentativa de aproximar a linguagem prática pedagógica do docente.
do mundo da caserna com a linguagem dos
profissionais da área de educação. O item ou 2.5 COMPORTAMENTO, PROCESSOS
termo instrução, habitualmente usado nas MENTAIS E CURRÍCULO
escolas quartéis é utilizado, nesta obra em
sentido amplo, como sinônimo de educação A questão das contribuições da psicologia
formal e de escolarização. E em sentido estrito, em relação ao currículo e, em geral, à educação
para referir-se a transmissão de conhecimento escolar é muito complexa e não pode ser
de determinada habilidade, ensino ou abordada aqui com o detalhamento que exigiria
treinamento (BRASIL, 2005). um tratamento correto. Nosso objetivo, muito
Diante da complexidade, e na tentativa menos ambicioso, consiste em ressaltar alguns
desta obra de apontar um meio equilibrado e aportes para melhor definir a importância de
eficiente no processo e de quantificação e um currículo bem desenhado para surtir efeitos
qualificação da elaboração de um projeto
curricular mais adequado para as demandas
desejados na formação dos soldados da Polícia
Militar. Assim, esclarecemos que o que vem a 82
sociais. Declinamos nossos olhares para fontes seguir não passa de uma seleção do autor e dos
intencionais que definem tradicionalmente os orientadores e, como tal, existe o consenso de
objetivos e as respostas formais, seguindo que sempre será incompleta.
modas, apontando o ensino reducionista, No momento atual, ainda não arranjamos
natureza e fatores que obrigam a ser como o de uma teoria abrangente da cultura
currículo é. educacional militar como alicerce empírico e
Sobre o tema R. Tyler escreveu várias teórico satisfatório para ser utilizada como
obras ao qual nos leva a selecionar, fonte de informação. E nem a psicologia da
criteriosamente, os objetivos. Sob este olhar, a educação ainda não dispõe de demarcações
escolha do ponto de vista mais adequado pode- doutrinárias padronizadas e coerentes que
se basear em várias perspectivas, seja social, permita envolver as diversas e complexas
existencial ou social, etc. De tantas, laçamos interfaces implicadas nos processos de
mão de três bases: a primazia psicológica, a crescimento sócio cultural e a total influencia
epistemologia das disciplinas e a análise exercida no sujeito pelas atividades educativas
sociológica, como fontes dos objetivos, mas escolares.
nenhuma delas sozinha é suficiente (COLL, Temos, porém, neste trabalho um capítulo
1987). dedicado as várias quantificações e a análise de
Sob a análise sociológica, o aluno soldado múltiplos dados e algumas teorias que
após o curso de formação torna-se um membro acomodam informações parciais pertinentes. A
ativo da corporação e ao mesmo tempo um dificuldade reside em que comumente nesses
sujeito da produção da cultural da instituição aportes não são fáceis de integrar, pois
militar, não permitindo, ao longo de sua obedecem a concepções distintas sobre
carreira o declínio das tradições, ritos, cognitivismo do individuo. E nesta diversidade
representações, signos, linguagem típicas da de construções, a opção escolhida para as
profissão. próximas linhas foi fugir do ecletismo e do

REVISTA LATINO-AMERICANA DE EDUCAÇÃO, CULTURA E SAÚDE


v. 1, n. 1, p. 75-87, jan.-mar., 2017
Uma abordagem psicopedagógica do currículo do curso de formação de soldados

excesso teórico de uma escola ou teoria objetivos deverão ser descritos obedecendo-se
psicológica. às dimensões do conhecimento:
Nossa bússola para navegação é um
aglomerado de teorias e explicações que, SABER (conhecimentos)– expressam os
embora dispersas em numerosos pontos, conteúdos conceituais que o profissional de
consagram uma recorrência de princípios Segurança Pública deve saber em relação ao
comuns. Estes princípios são os que devem ser campo disciplinar: leis, princípios e saberes
sistematizados.
mantidos no projeto curricular do curso de
SABER FAZER (habilidades e conteúdos
formação de soldados conforme a Matriz procedimentais) – indicam as habilidades
Curricular dos Profissionais de Segurança operativas e de pensamento que o profissional
Pública destaca: de Segurança Pública precisa demonstrar em
relação ao campo disciplinar: métodos,
É importante ressaltar que essas técnicas, procedimentos; bem como as
competências possuem uma relação estreita habilidades de pensamento: observação,
com os eixos ético, legal e técnico que, de análise, síntese.
acordo com Balestreri (1998), estão presentes SABER SER (atitudes) – expressam os
na formação do profissional da Área de conteúdos atitudinais – os valores, as crenças,
Segurança Pública; com os Quatro Pilares da as atitudes que serão fortalecidas pelas
Educação propostos pela UNESCO: aprender situações vivenciadas dentro do campo
a aprender, aprender a fazer, aprender a ser e disciplinar em questão (BRASIL, 2003).
aprender a conviver; e com as dimensões do
conhecimento: saber, saber fazer e saber ser Segue na Tabela abaixo a ilustração dos
(BRASIL, 2005). trabalhos e teorias da psicologia envolvida na
construção do currículo escolar adotadas no
O marco de referência está delineado Curso de Formação de Soldados:
sobre enfoques cognitivos em sentido amplo. Os

TEORIA CONHECIMENTO
83
AUTORES
PSICOLÓGICA
Vygotsky, Luria,
PILARES DA EDUCAÇÃO

aprender a
Leontiev e A teoria da atividade Saber
aprender
Davydov CONHECIMENTO
DIMENSÕES DO

M. Cole, Bruner e Saber fazer e


Psicologia cultural aprender a fazer
Gottlieb ser
D. P. Ausubel A teoria da
aprendizagem verbal aprender a ser Saber ser
significativa
Anderson,
Norman, aprender a Saber ser e
As teorias dos esquemas
Rumelhart, conviver fazer
Minskkv etc.
Fonte: BRASIL, 2009

A priori estes trabalhos reúnem princípios 2.5.1 Principais contribuições de Vygotsky,


comuns e não contraditórios entre si desses Leontiev e Davydov para o plano curricular
enfoques, seguimos de maneira sucinta por
razões de brevidade, aqui vão ser apresentadas A teoria da atividade ou teoria material
princípios gerais que perpassam todo o projeto dialético consiste em explicar o
curricular e encontram um caminho lógico na desenvolvimento psicológico humano no
tentativa de entender a concretização de seus processo de apropriação da cultura mediante a
elementos, nas decisões relativas à sua comunicação e as funções psíquicas que se
estrutura formal e nas sugestões relativas ao seu desenvolvem através das relações interpessoais
desenvolvimento e aplicação. e em seguida pela atividade individual, mediada
pela consciência. No processo de internalização
da atividade há a mediação da linguagem, em

REVISTA LATINO-AMERICANA DE EDUCAÇÃO, CULTURA E SAÚDE


v. 1, n. 1, p. 75-87, jan.-mar., 2017
Uma abordagem psicopedagógica do currículo do curso de formação de soldados

que os signos adquirem significado e sentido dúvida, frequentemente ajustado as exigências


(VYGOTSKY, 1984). das novas situações de aprendizagem. Diante
Ou seja, os alunos recrutas apenas deste eixo, é necessário escolher a sequência
aprendem como desenvolver suas habilidades dos conteúdos, de como abordar cada disciplina
tendo contato com outros policiais mais são questões fundamentais para o sucesso na
experientes, desenvolvendo conteúdos formação policial, sempre pautado de uma
conceituais e ainda praticando atividades estrutura que leve o aluno do estado menor
policiais através de experiências adquiridas em nível para o de maior abstração e resolutividade
situações problemas e role playing, de situações problemas.
demonstrações e etc... dentro da sala de aula ou Faz-se necessário criar situações didáticas
em estágios supervisionados6, resultando em variadas, em que seja possível retomar os
conhecimentos incorporados inconsciente de conteúdos abordados em diversas
certos padrões, ideias, atitudes, práticas, oportunidades. Isso implica um projeto que
personalidade ou valores dos membros da debele diversas modalidades organizativas, tais
caserna. como: projetos didáticos, atividades
permanentes e sequências didáticas. Sem
2.5.2 Principais contribuições da Psicologia esquecer a contínua e sequenciada apresentação
Cultural para o plano curricular do Curso de de símbolos e rituais militares capazes de
Formação de Soldados inculcar o hexis e ethos militar.

Por certo, a psicologia cultural é o estudo 2.5.3 Principais contribuições da teoria da


da maneira pela qual as tradições culturais e aprendizagem verbal significativa
práticas sociais regulam, expressam,
transformam e permutam a psique humana. E A retumbância das experiências
esta maneira especial de dá atenção aos desejos, educativas formais sobre o desenvolvimento
sentimentos, pensamentos e valores é a forma subjetivo do aluno também está dependente
de delinear uma classe de membros, e a partir pelas informações prévias relacionadas com as
disto são requeridos todas às vezes para o
reconhecimento na corporação.
quais inicia sua participação nas mesmas
(AUSUBEL, 1977; REIF & HELLER, 1982). 84
Logo, as práticas cotidianas de uma Tais quais esses conhecimentos podem
comunidade, historicamente reconhecida têm a ser decorrência de experiências educacionais
habilidade de inculcar aos novos membros suas prévias, do mesmo modo podem estar mais ou
tradições numa tentativa de perpetuação. Sob a menos acomodados às requisições das novas
batuta de M. Cole, Bruner e Gottlieb a situações de aprendizagem. Em qualquer caso,
psicologia social tornou-se um campo não existe nenhum equívoco de que o aluno que
interessante na relação dos símbolos e inicia uma nova aprendizagem o faz a partir dos
significados. Supõe-se que o funcionamento conceitos, concepções, representações e
mental é uma propriedade que emerge como conhecimentos que estabelece em sua
resultado de experiências simbólicas mediadas experiência anterior, utilizando-os como
por comportamentais e ideias acumuladas, máquina de leitura e interpretação que
historicamente. condicionam o fruto da aquisição.
Doravante, o currículo dos membros da É preciso, portanto, analisar o desenho
corporação militar constitui-se em parte de muito no estabelecimento de sequência de
ritualística, tornando-se um poderoso aprendizagem, porém ele também possui
instrumento de transmissão de cultura, sem implicações para o processo do ensino e para a
avaliação.
6 Estágios supervisionados - Esta fase do 2.5.4 Principais contribuições da Teoria dos
aprendizado deve propiciar a complementação do esquemas para o plano curricular do Curso de
ensino e da aprendizagem, em conformidade com os Formação de Soldados
currículos, programas e calendários escolares, a fim
de se constituírem em instrumentos de integração, O arcabouço cognoscitivo do aluno, cuja
em termos de treinamento prático, aperfeiçoamento função central na efetivação das aprendizagens
técnico-cultural-cientifico de relacionamento significativas foi observada anteriormente, pode
humano, Lei Federal nº 6.494/77. ser concebida como um conjunto de esquema

REVISTA LATINO-AMERICANA DE EDUCAÇÃO, CULTURA E SAÚDE


v. 1, n. 1, p. 75-87, jan.-mar., 2017
Uma abordagem psicopedagógica do currículo do curso de formação de soldados

de conhecimento (ANDERSON, 1977; com relação ao novo conteúdo de


MERRILL et ali, 1981; HEWSON & POSNER, aprendizagem.
1984). Sobre este tema as corporações policiais
Os esquemas são “um conjunto militares brasileiras adotam um rito de
organizado de conhecimento [...], podem conter passagem de certa forma institucionalizada e
tanto conhecimento como regras para utilizá-lo, regulada que configuram uma categoria
podem estar compostos de referências a outros destacada diferente de passagem ou iniciação.
esquemas [...], podem ser específicos [...] ou Este mesmo evento desencadeia um conjunto
gerais” (ANDERSON, 1977; MERRILL et ali, de tarefas que levam a exaustão, mudança
1981; HEWSON & POSNER, 1984). brusca de comportamento e mudança no
Os esquemas são estruturas de dados para mecanismo psicológico do novo aluno policial.
representar conceitos genéricos armazenados Estes eram os ritos de iniciação7 dos xamãs ou
na memória aplicáveis a objetivos, situações, dos heróis. Após a travessia incólume pela
acontecimentos, sequências de acontecimentos, experiência traumática, que poderia ter
ações e sequências de ações. Os díspares provocado a sua morte, os mesmos são
esquemas de conhecimento que cultivam a consideradas como pertencendo a uma classe
estrutura cognoscitiva podem manter especial. Um apoderamento do Estado e a
afinidades de extensão e complexidade diversas morte do “eu”. As exigências desta ritualística
entre si. rompem o equilíbrio inicial do aluno, pois a
Todos os lugares atribuídos à estrutura utilização de incentivos motivacionais favorece
cognoscitiva do aluno na realização de um desequilíbrio ótimo.
aprendizagens sugerem inteiramente os O construtivismo se refere à reunião das
esquemas de conhecimento: a nova informação correntes psicológicas mencionadas nesta obra,
adquirida é contida na memória mediante sua porém não tendo obrigatoriedade de uma
inclusão e apropriação a um ou mais esquemas; relação de complementação. Para o autor, o
a obras das aprendizagens anteriores é alterada Construtivismo é uma teoria a respeito do
pela construção de novos esquemas: assim, a processo ensino e aprendizado. Uma construção
memória é construtiva; os esquemas podem
induzir a nova informação forçando-a a
do conhecimento sob os olhares da psicologia é,
sem dúvidas inconciliável com a concepção de 85
acomodar-se às suas exigências; os esquemas transmissão de conhecimentos por depósitos.
permitem fazer inferência em situações novas; Ela exige uma interpretação imaginativa por
os esquemas integram conhecimentos parte docente de uma casa em construção feita
puramente conceituais com habilidades, tijolo a tijolo, começando por um alicerce.
valores, atitudes etc. E neste constructo a viga base consiste em
Com isso, pode-se concluir que aprender a criar as condições adequadas para que os
avaliar e a modificar os próprios esquemas de esquemas de conhecimento sejam construídos
conhecimento é um dos componentes essenciais pelo aluno no decorrer das suas experiências
do aprender a aprender (DICK, 1983). sejam os mais corretos e ricos possíveis.
Entretanto, uma concepção construtivista
3 CONCLUSÃO de intervenção pedagógica não renuncia a
formular prescrições concretas para o ensino
As transformações dos esquemas de nem a planejar cuidadosamente as atividades
conhecimento dos alunos soldados seguem pelo de ensino aprendizagem. Uma ideia dessa
caminho cognitivo da revisão, enriquecimento, estirpe também se impõe às questões
diferenciação, construção e coordenação tradicionais do projeto curricular, tais como:
progressiva, tendo o objetivo da formação avaliações, metodologia, didática, objetivos
forjando-os no modelo de educativo gerais, específicos, conteúdos, estabelecimento
militarizado podemos caracterizar a de sequência de aprendizagem e etc. Contudo
modificação dos esquemas de conhecimento no
contexto militar como um processo de 7
equilíbrio inicial/desequilíbrio/reequilíbrio O ritual de passagem, como indica o termo, simboliza a
posterior (COLL, 1983). passagem de um grupo para outro, ou seja, o
Um dos primeiros passos para alcançar o desligamento do indivíduo de seu antigo grupo para a sua
inclusão em um outro. Como exemplos de nossa
êxito no aprendizado significativo consiste em
sociedade, temos a “festa de 15 anos” e a “despedida de
romper o equilíbrio inicial de seus esquemas solteiro”.

REVISTA LATINO-AMERICANA DE EDUCAÇÃO, CULTURA E SAÚDE


v. 1, n. 1, p. 75-87, jan.-mar., 2017
Uma abordagem psicopedagógica do currículo do curso de formação de soldados

cada elementos adquirem uma dimensão COSTA, W. P. A espada de Dâmocles: o


diferente quando abordadas sob a ótica exército, a guerra do Paraguai e a crise
construtivista. do Império. São Paulo, Hucitec; Campinas,
Editora da UNICAMP, 1996.
4 REFERÊNCIAS
ROCHA, M. M. C. D. O Impacto do Modelo
AEBLI, H. Didática psicológica: aplicação à Integrado de Policiamento de
didática da psicologia de Jean Piaget. São Proximidade na Segurança Urbana. 2012.
Paulo: Nacional, 1974.
DEGAN, A. Judaísmo em suspensão: o
BALESTRERI, R. Qualificar o processo, Judaísmo de Flávio Josefo. Tese (Doutorado em
qualificando a pessoa: algumas contribuições à História Social). USP, São Paulo, 2013.
reflexão sobre capacitação de operadores que
atuam junto a adolescentes infratores. FREIRE, P. Pedagogia da autonomia:
Ministério da Justiça. Políticas públicas e saberes necessários à prática docente.
estratégias de atendimento São Paulo: Paz e Terra, 1996.
socioeducativo ao adolescente em
conflito com a lei. Brasília: GAGNÉ, R. M.; DICK, W. Instructional
Departamento da Criança e do Psychology. Annual Review of Psychology, n.
Adolescente, 1998. 34, p. 261-295, 1983.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição HERZLICH, C. Santé et maladie, analyse


da República Federativa do Brasil: d’une représentation sociale. Paris:
promulgada em 5 de outubro de 1988. Mouton, 1969.
Organização do texto: Anne Joyce Angher. 8.
ed. São Paulo: Rideel, 2002. 264p. JAPIASSU, H. A crise das ciências
humanas. São Paulo: Cortez, 2012.
Brasil. Matriz Curricular Nacional para
Formação em Segurança Pública. Brasília, JODELET, D. Representações sociais: um 86
2003. domínio em expansão, p. 17-44, 2001.

______. Matriz Curricular Nacional para KAËS, R. Images de la culture chez les
Formação em Segurança Pública. Brasília, ouviers français. Paris: Editions Cujas, 1968.
2005.
LACAN, J. Écrits. Paris: Seuil, 1966.
______. Matriz Curricular Nacional para
Formação em Segurança Pública. Brasília, LUDWIG, A. C. W. Democracia e ensino
2009. militar. Cortez Editora, 1998.

BURKE, P. A Fabricação do rei a MICHAUD, Y. A violência. São Paulo: Editora


construção da imagem publica de Luís Ática, 1989.
XIV. J. Zahar, 1994.
MONET, J-C. Polícia e sociedades na
CHARTIER, R. Os desafios da escrita. Europa. São Paulo: EDUSP/NEV/Ford
UNESP, 2002. Foundation [Polícia e Sociedade, n. 3, 2002.

COLL, C. Psicologia e currículo: Uma PARAÍBA. Compêndio de Leis da Polícia


aproximação psicopedagógica à Militar do Estado da Paraíba (CLPM),
elaboração do currículo escolar. São 2004.
Paulo: Editora Ática, 1996.
PARAÍBA. Lei nº 3.909, de 14 de julho de
COMPARATO, F. K. Educação, Estado e 1977. Disponível em
Poder. São Paulo: Editora Brasiliense, 1987. <http://www.pm.pb.gov.br/
arquivos/Estatuto_dos_Policiais_Militares.pdf
> Acesso em 05 de jun. de 2016.

REVISTA LATINO-AMERICANA DE EDUCAÇÃO, CULTURA E SAÚDE


v. 1, n. 1, p. 75-87, jan.-mar., 2017
Uma abordagem psicopedagógica do currículo do curso de formação de soldados

PEDRA, J. A. Currículo, conhecimento e TORRES, C. A. Democracia, educação e


suas representações. Campinas, SP. Papirus, multiculturalismo: dilemas da cidadania
1997. em um mundo globalizado. Vozes, 2001.

STENHOUSE, L. Invéstigación y desarrollo VYGOTSKY, L. S. Formação Social da


del curriculum. Madrid: Morata, 1984. Mente. São Paulo: Martins Fontes, 1984.

WOLKMER, A. C. Fundamentos de história


do direito. Editora del Rey, 2007.

87

REVISTA LATINO-AMERICANA DE EDUCAÇÃO, CULTURA E SAÚDE


v. 1, n. 1, p. 75-87, jan.-mar., 2017