Вы находитесь на странице: 1из 12

CARTILHA DE ESPERANTO

COMO FUNCIONA A LÍNGUA INTERNACIONAL

Original em inglês de Christopher Zervic e R. Kent Jones


da Esperanto Society of Chicago
Tradução e adaptação de Ronald Kyrmse
INTRODUÇÃO

As 3.000 línguas atualmente existentes no mundo originaram-se com nossos


ancestrais remotos e passaram vários milênios sendo modificadas. Essas línguas
estão cheias de inconsistências e irregularidades. A capacidade de lidar com
material tão difícil é um tributo à capacidade da mente humana. Em 1887 foi
apresentada uma nova língua, isenta de irregularidades. Falando esta língua-
ponte, relativamente fácil de aprender, pessoas de todas as origens são capazes
de sobrepujar a barreira lingüística. Hoje em dia o Esperanto é a única língua
humana planejada em amplo uso. O uso de um dicionário Esperanto-Português e
a referência a esta "chave", enquanto ler textos em Esperanto, ajudá-lo-ão a
decifrar o significado do Esperanto de acordo com as regras gramaticais.

ALFABETO

ABCĈDEFGĜHĤIJĴKLMNOPRSŜTUŬVZ
abc ĉ def g ĝ h ĥijĵk l mn op r sŝ t u ŭ vz
Toda palavra em Esperanto se pronuncia como se escreve, sem exceções. As cinco
vogais são: a como em "pata", e como em "rede",i como em "mito", o como em
"lobo", u como em "luta".

As seis letras peculiares do Esperanto, ĉ, ĝ, ĥ, ĵ, ŝ e ŭ, foram introduzidas para


que cada som pudesse ser representado por uma única letra (ao contrário de
combinações como "ch" em "chinelo" ou "sc" em "descer"). Em Esperanto, q, w, x e
y não existem, mas eles aparecem em nomes estrangeiros, e são tratados como ñ,
ð, ø, ß etc.

As consoantes têm pronúncia muito semelhante à do português; atente para os


casos abaixo:

c "ts" como em "pizza"


ĉ "tch" como em "atchim"
g "g" como em "gato"
ĝ "dj" como no inglês "Jack"
h "h" aspirado como no inglês "hat"
ĥ "ch" fortemente aspirado como no alemão "Bach"
j "i" semivogal como em "praia"
ĵ "j" como em "jornal"
s "s" sempre surdo como em "sal"
ŝ "ch" como em "chinelo"
ŭ "u" semivogal como em "qual" ou "meu"

Note que a letra r se pronuncia como em "caro", não "carro".

2
Combinações que envolvem vogais:

aj "ai" como em "pai"


ej "ei" como em "sei"
oj "oi" como em "foi"
uj "ui" como em "fui"
aŭ "au" como em "pausa"
eŭ "eu" como em "meu"

Em Esperanto, o acento tônico sempre recai na penúltima sílaba. Tome cuidado


com palavras como radio e familio, onde é o último ié que é acentuado. Saiba
também que em Esperanto não há letras mudas, nem se deve pronunciar uma
vogal entre duas consoantes quando ela não está escrita. Portanto é preciso
pronunciar com atenção combinações como kn ou sc, para que não soem como
"ken", "kin" ou "esc" ou "isc". A combinação sc aparece no início de muitas
palavras comuns em Esperanto.

ESTRUTURA
(SUBSTANTIVOS, ADJETIVOS E VERBOS)

Em Esperanto as palavras consistem de uma junção de partes interligadas de


maneira lógica. A função de cada palavra na frase é sinalizada pela sua
terminação gramatical. Esta possibilidade de formar palavras através de
combinações reduz em muito a necessidade de decorar palavras novas. O mesmo
princípio encontra-se na natureza, onde milhões de substâncias podem ser
criadas por inúmeras combinações de aproximadamente 110 elementos
químicos.

As raízes, ou bases das palavras, fornecem a idéia geral, mas falta-lhes um


significado definido até que recebam uma terminação gramatical. Veja por
exemplo a raiz akv-, que significa "água". O acréscimo de -o produz o substantivo
singular akvo, que denota uma coisa, a saber, "água". O acréscimo de -j forma o
plural, de modo que akvoj significa "águas". Por outro lado, acrescentando -
a a akv-obtemos akva, o adjetivo "aquoso".

O Guinness Book of World Records registra que o Esperanto é a única língua em


que não há verbos irregulares a serem aprendidos. À guisa de comparação, o
francês tem 2.238, e o espanhol e o alemão têm cerca de 700 cada um. Só existe
um esquema verbal em Esperanto, que consiste em apenas 6 terminações para os
verbos. O presente, o passado e o futuro são designados pelas terminações -as, -
is e -os respectivamente. O infinitivo é designado por -i, o imperativo por -u e o
condicional por -us. Assim, a partir da raiz de "falar", parol-, e de mi (que
significa "eu"), fazemos:

mi parolas eu falo
mi parolis eu falei, eu falava
mi parolos eu falarei
paroli falar
3
parolu! fale(m)!
mi parolu fale eu
mi parolus eu falaria

Para fazer em Esperanto uma pergunta que possa ser respondida por "sim" ou
"não", usa-se a palavra ĉu. Qualquer oração que comece por ĉu diz "É verdade
que... ?" ou "Será que... ?". Ĉu li parolis? significa "Ele falou?". Em contextos onde
não há interrogação, ĉu significa "se".

PRONOMES

mi eu ni nós
vi você, vocês
li ele ili eles, elas
ŝi ela
ele, ela
ĝi (coisas ou
animais)
se (pronome reflexivo usado quando o agente do verbo é também o
Si
objeto da ação)
.
a gente, "eles", "se" (de indefinição do sujeito)
oni Por exemplo: Oni diras ke... "A gente diz que...", "Dizem que..." ou "Diz-
se que..."

O acréscimo de -a torna um pronome possessivo: mia = meu, minha. Tais


palavras comportam-se como adjetivos, pois podem ser colocados antes ou
depois do substantivo, e vão para o plural (e acusativo, vide abaixo) junto com o
substantivo. "minha casa" pode ser mia domo ou domo mia.

AFIXOS

Afixos são os elementos mais freqüentemente usados para modificar os


significados das raízes, apesar de poderem eles próprios servir como raízes se a
lógica o permitir. Aqueles que se prendem ao início das palavras são chamados
prefixos, e os que vão no final das raízes são os sufixos. O último de todos os
componentes de uma palavra em Esperanto é a terminação gramatical, por
exemplo uma das terminações usadas acima na criação de verbos.

Prefixos

parente adquirido por


bo- filo filho bofilo genro
casamento
dis- separação doni dar disdoni distribuir

4
ek- início vidi ver ekvidi vislumbrar
eks- antigo edzo marido eksedzo ex-marido
fi- moralmente duvidoso libro livro filibro livro imoral
(ambos os)
ge- par de ambos os sexos patro pai gepatroj
pais
antônimo (note que não
mal- varma quente malvarma frio
significa "mau")
pra- arcaico historio história prahistorio pré-história
re- outra vez legi ler relegi reler

Sufixos

tempo
-aĉ desagradável vetero veteraĉo mau tempo
(meteorológico)
-ad continuidade studi estudar studado ato de estudar
-aĵ coisa manĝi comer manĝaĵo comida
membro de
-an membro de grupo klubo clube klubano
clube
-ar conjunto arbo árvore arbaro floresta
apelido masculino
-ĉj (usa só parte da patro pai paĉjo papai
raiz)
-ebl possível vidi ver videbla visível
-ec qualidade libera livre libereco liberdade
-eg aumentativo domo casa domego casarão
lugar onde algo
-ej kuiri cozinhar kuirejo cozinha
ocorre
-em tendência paroli falar parolema loquaz
-er elemento, pedaço polvo pó polvero cisco
- diretor de
chefe lernejo escola lernejestro
estr escola
-et diminutivo domo casa dometo casebre
filhote de
-id descendente kato gato katido
gato
-ig causar dormi dormir dormigi fazer dormir
naski dar à luz naskiĝi nascer
-iĝ tornar-se
verda verde verdiĝi ficar verde
-il instrumento tranĉi cortar tranĉilo faca
avo avô avino avó
-in feminino
leono leão leonino leoa
-ind digno de laŭdi louvar laŭdinda louvável
-ing recipiente parcial kandelo vela kandelingo castiçal

5
-ism ideologia Markso Marx (Karl) marksismo marxismo
-ist profissional baki assar bakisto padeiro
apelido feminino
-nj (usa só parte da patrino mãe panjo mamãe
raiz)
-op grupo tri três triopo trio
caixa de
-uj recipiente cigaro charuto cigarujo
charutos
-ul pessoa nova novo novulo novato
-um (curinga)

-um é um afixo sem significado definido, que pode ser usado quando nenhum
outro seja adequado.

folio folha foliumi folhear (p. ex. um livro)


cerbo cérebro cerbumi elaborar mentalmente

A partir dos afixos podem ser construídas palavras completas,


como ilo "ferramenta", ilaro "jogo de ferramentas", ilarujo "caixa para (um jogo
de) ferramentas". A criatividade fica a seu critério!

ADVÉRBIOS

Os advérbios são palavras que modificam verbos, adjetivos ou outros advérbios, e


descrevem como uma ação ocorre. Formam-se pelo acréscimo de -e à raiz.
Portanto, Li rapide kuras significa "Ele corre rapidamente"; -e pode ser ligado a
quase todas as raízes, portanto a sentença Kata kato kate katas, significando
"Um gato felino felinamente age como gato", é totalmente possível. Note que em
Esperanto não existe o artigo indefinido "um(a)". Só existe o artigo definido la,
que significa "o(a)(s)".

Há uma classe especial de advérbios marcados com -aŭ. Quando esta terminação
aparece numa palavra, está incorporada à raiz. Por exemplo, "logo" é baldaŭ, mas
não existe raiz bald-. No entanto, é possível acrescentar sufixos e terminações
gramaticais, para produzir palavras como baldaŭa, que quer dizer "próximo,
vindouro".

NUMERAIS

Os numerais são totalmente regulares e construídos com um pequeno número de


elementos.
0 nul
1 unu
2 du
3 tri

6
4 kvar
5 kvin
6 ses
7 sep
8 ok
9 naŭ
10 dek
100 cent
1000 mil

Com estas treze raízes, pode-se expressar qualquer número menor que um
milhão.

11 dek unu
12 dek du
13 dek tri
20 dudek
21 dudek unu
39 tridek naŭ
140 cent kvardek
mil naŭcent naŭdek
1999
naŭ
2000 du mil

Os numerais listados acima são os cardinais. Os ordinais, que designam a ordem


dentro de uma seqüência (como "primeiro", "segundo", "terceiro", etc.), formam-se
pelo acréscimo de -a no final. Assim, "o sétimo pai" é la sepa patro. Mas "sete
pais" seria sep patroj.

CORRELATIVOS

A idéia básica dos correlativos é que certas palavras e expressões, como "onde",
"ali", "em nenhum lugar", "em toda parte", "em algum lugar", guardam entre si a
mesma relação que "quem", "esse", "nenhum", "todo", "algum".

Cada correlativo consiste de três elementos, tendo sempre i no meio (que é


também a vogal tônica de todo correlativo).
A terminação de cada palavra denota o tópico. Eis as nove terminações em ordem
alfabética:

-a espécie
-al motivo
-am tempo
-e lugar
-el maneira
7
-es posse
-o objeto
-om quantidade
-u indivíduo

No início da palavra estão os cinco modos de pensar sobre o tópico. São os


seguintes:

k- pergunta
t- indicação
[vazio] indefinição
nen- negação
ĉ- totalidade

Combinando as nove terminações e os cinco inícios de palavra, podemos criar


logicamente 45 palavras correlativas, cada uma com um significado definido,
mesmo que em português precisemos às vezes de mais de uma palavra para
traduzi-las.

Esta tabela resume os correlativos concisamente:

[vazio]
-i- no meio k- pergunta t- indicação nen- negação ĉ- totalidade
indefinição
kia de que ia de alguma nenia de nenhuma ĉia de toda
-a espécie tia tal
espécie? espécie espécie espécie
ial por
tial por tal nenial por nenhum ĉial por todos
-al motivo kial por quê algum
motivo motivo os motivos
motivo
iam em
-am tempo kiam quando? tiam então algum neniam nunca ĉiam sempre
momento
ie em algum nenie em nenhum ĉie em toda
-e lugar kie onde? tie ali
lugar lugar parte
iel de algum neniel de nenhum ĉiel de todos
-el maneira kiel como? tiel assim
modo modo os modos
ies de
-es posse kies de quem? ties desse(a) nenies de ninguém ĉies de todos
alguém
-o objeto kio o que? tio isso io algo nenio nada ĉio tudo
- neniom nenhuma
kiom quanto? tiom tanto iom um tanto ĉiom o total
om quantidade quantidade
-u indivíduo kiu quem? tiu esse(a) iu alguém neniu ninguém ĉiu todo

Os correlativos terminados em -u podem ser pluralizados,


formando kiuj, tiuj, iuj, neniuj e ĉiuj, que significam "quais pessoas?", "essas
pessoas", "algumas pessoas", (neniuj é possível, mas não lógico), e "todos".

8
kiu fenestro qual janela?
tiu fenestro essa janela
iu fenestro alguma janela
neniu fenestro nehuma janela
ĉiu fenestro toda janela

Os correlativos podem ser usados como raízes, permitindo combinações. Os


esperantistas perguntam: Kioma estas la horo? que significa "Que horas são?",
ou mais precisamente "Quanta é a hora?". Outro exemplo é a palavra kialo, que
quer dizer "motivo".

Note como os correlativos poupam tempo reduzindo a memorização necessária.


De 14 elementos (9 + 5), obtêm-se 45 palavras (9 × 5).

O acréscimo de mais uma palavra, ajn, às palavras com ki- e i-, confere incerteza.
Assim, kie é "onde", portanto kie ajn é "onde quer que"; ie é "em algum lugar",
portanto ie ajn é "em qualquer lugar". Isto aplica-se a todos os correlativos
iniciados por ki- e i-.

Já a partícula ĉi, acrescentada aos correlativos com t-, indica proximidade; ĉi


tie significa "aqui" e ĉi tiam significa "agora". Esta partícula pode ser usada antes
ou depois do correlativo.

PARTICÍPIOS

Os particípios baseiam-se nos verbos. Quando dizemos "Ele está dividindo o bolo,
agora o bolo está dividido", usamos um particípio ativo ("dividindo") e um passivo
("dividido").

As formas dos particípios em Esperanto são muito precisas. Não apenas indicam
se o particípio é ativo ou passivo, mas também mostram se a ação ocorre no
passado, no presente ou no futuro, usando i, a, ou o, as mesmas letras dos
tempos básicos.

Uma falonta botelo é uma garrafa que está por cair. Uma falanta botelo é uma
garrafa que está caindo. Depois que terminou de cair, torna-se uma falinta
botelo. Isto ilustra as três formas do particípio ativo.

O particípio passivo é análogo. Um bolo por ser dividido é um dividota kuko.


Durante o processo de divisão é um dividata kuko. Depois de dividido, passa a
ser um dividita kuko.

Estes particípios podem ser combinados com os três tempos de esti ("ser") para
formar nove tempos compostos com o particípio ativo e nove com o particípio
passivo. Isto exige alguma memorização e deve ser evitado na redação original
em Esperanto. O recurso, porém, pode vir a ser necessário numa tradução
rigorosa do português. Por exemplo, podemos expressar que no futuro a garrafa
terá caído dizendo La botelo estos falinta.

9
Se a terminação dos substantivos, -o, for usada em vez da terminação adjetiva -a,
o particípio passa a denotar uma pessoa. Um vidanto é alguém que vê. Uma
pessoa que viu, ou via, é um vidinto. Alguém que verá é chamado de vidonto. No
passivo, um vidatoé alguém que está sendo visto agora, um vidito é alguém que
foi visto e um vidoto é alguém que será visto no futuro.

Todos estes fatos aplicam-se a cada um dos verbos do idioma, sem exceção.

ACUSATIVO

As palavras em Esperanto contêm mais informações do que em português. Em


Esperanto, as palavras mostram claramente, por si sós, que função desempenham
na oração, enquanto que em português a posição da palavra na oração é que
ajuda a determinar a função. Esta estrutura exige do falante de Esperanto um
pouco mais de precisão, mas em compensação o ouvinte pode compreender as
idéias mais claramente, e o falante pode dar-se algumas liberdades na ordem em
que coloca as palavras.

A terminação -n designa substantivos e adjetivos que recebem diretamente a ação


do verbo. Para exprimir que o cão viu o gato grande, dizemos la hundo vidis la
grandan katon. Em português a ordem das palavras é mais rígida, de modo que
"o homem morde o cão" e "o cão morde o homem" significam duas coisas
completamente diferentes, apesar de a única diferença consistir na ordem em que
as palavras são escritas. Mas la grandan katon vidis la hundo tem o mesmo
significado da frase acima, independentemente da ordem das palavras.

Note que o adjetivo grandan vai para o acusativo porque concorda com o
substantivo katon. Isto vale também para o plural. Em Esperanto, como em
português, o adjetivo concorda em número com o substantivo, portanto
dizemos grandaj katoj se houver mais de um. O plural pode ser usado junto com
o acusativo. "O cão viu os gatos grandes" fica la hundo vidis la grandajn katojn.
O emprego do acusativo estende-se também ao movimento em direção de algo ou
de algum lugar. Por exemplo, la kato kuras sub la tablo significa que o gato está
sob a mesa, correndo. La kato kuras sub la tablon, no entanto, significa que o
gato corre de algum outro lugar para baixo da mesa.

Também as expressões de tempo levam o acusativo. Em vez de dizer "Virei no


domingo", os esperantistas dizem Mi venos dimanĉon. Note que não há palavra
equivalente a "em" nessa expressão do tempo em Esperanto.

O acusativo usa-se além disso para expressar medidas. Em português dizemos


"Peso cem quilogramas". Em Esperanto, dizemos Mi pezas cent kilogramojn.
O acusativo aplica-se à unidade de medida de custo, período de tempo,
comprimento, largura, altura, distância, temperatura, massa, peso, volume,
densidade, velocidade etc.

Os pronomes (mi, vi, ili...) e os correlativos que terminam em vogal também vão
para o acusativo quando necessário. Os numerais ordinais (primeiro, segundo,
terceiro, ..., que em Esperanto terminam em -a) vão para o acusativo, porém
nunca os cardinais (um, dois, três, ...).
10
PREPOSIÇÕES

Preposições são partículas colocadas antes de um substantivo ou adjetivo /


substantivo para formar parte de uma oração. Em português, um exemplo seria
"na praia". Nessa frase, a preposição é "em". O Esperanto forma este tipo de frase
de modo semelhante, de forma que a tradução fica ĉe la plaĝo. Aqui, ĉe é a
preposição. Algumas preposições em Esperanto são mais concisas que em
português; por exemplo, "de acordo comigo" seria laŭ mi, pois laŭ quer dizer "de
acordo com". Muitas vezes as preposições são usadas como afixos, como em ĉe-
esti, que quer dizer "comparecer", ou "estar em". Quando a lógica permite, a
maioria delas também pode fazer o papel de raízes que servem de base para
palavras mais complexas, como ekstera, que significa "externo". As preposições
abaixo estão dadas com traduções aproximadas; seus significados exatos podem
ser obtidos em dicionários ou através de exemplos.

al a
anstataŭ em vez de
antaŭ antes de, diante de
apud perto de
ĉe junto de
ĉirkaŭ em torno de
de de, desde, por
dum durante
ekster fora de
el de dentro de
en dentro de
ĝis até
inter entre
kontraŭ contra
krom além de
kun com
kvazaŭ como se
Laŭ de acordo com, ao longo de
depois de, atrás de (mal + antaŭ para
malantaŭ fazer
o antônimo de "antes de, diante de")
malgraŭ apesar de
ol do que (nas comparações)
per por meio de
po à razão de
por com a finalidade de
post após
preter além
pri acerca de
pro por causa de

11
sen sem
sub sob
super sobre (sem contato)
sur em cima de (com contato)
tra através de
trans além de

À semelhança do sufixo -um, existe uma preposição "curinga": je. Ela se torna útil
em determinadas frases como "Apostei dinheiro no cavalo". A
preposição en ("dentro de") não tem o significado adequado, portanto pode-se
usar a preposição je, sem significado definido, para traduzir "em". Ela é
comumente usada com expressões de tempo. "Às três horas" não é um lugar,
portanto ĉe ou alguma das outras preposições não estaria correta. Para esse fim
usa-se je também.

12