Вы находитесь на странице: 1из 6

SUBSTÂNCIAS QUÍMICAS EMPREGADAS NO PREPARO DOS CANAIS RADICULARES

Função de desinfecção (eliminação de microrganismos), limpeza (remoção de qualquer matéria ou substância do canal) e
modelagem . A modelagem consiste em garantir um formato cônico pro conduto, mantendo o forame apical em posição e
permitindo o recebimento do material obturador. A modelagem do canal radicular é obtida exclusivamente pelo desgaste de
suas paredes dentinárias mediante a ação mecânica de instrumentos endodônticos.

 Meios mecânicos: instrumentação;


 Meios químicos: substancias químicas auxiliares  quelante, solvente de tecidos e atividade antimicrobiana;
 Meios físicos: irrigação e aspiração.  Suspensão de fragmentos, lubrificante.

 Irrigação e aspiração: é uma importante manobra para “lavar” a câmara pulpar e os canais radiculares. É um precioso
auxiliar do preparo do canal radicular. É indispensável no acompanhamento da instrumentação endodôntica.

- OBJETIVOS:
1) Remoção dos detritos presentes no interior do canal radicular:
- Detritos pré-existentes – restos pulpares (matéria orgânica) e materiais do meio bucal.
- Detritos decorrentes da instrumentação – raspas de dentina (matéria inorgânica).
2) Reduzir o número de bactérias existentes nos canais radiculares pelo ato mecânico de lavar e pela ação
antibacteriana da substância utilizada;
3) Facilitar a ação modeladora dos instrumentos endodônticos por manter as paredes dentinárias hidratadas e exercer
uma ação lubrificante.
A irrigação deve ser feita antes, durante e após o uso de instrumentos endodônticos.

 Fatores que influenciam na limpeza do canal radicular mais efetiva:


o Renovação constante do irrigante;
o Técnica de preparo do canal radicular;
o Calibre das agulhas irrigadoras;
o Anatomia do canal radicular;
o Propriedades físicas da solução.

 SUBSTANCIAS QUIMICAS AUXILIARES DA INSTRUMENTAÇÃO:


Substancias que auxiliam, juntamente com a ação mecânica dos instrumentos desempenha ações químicas e físicas durante
o preparo do canal. Tem a finalidade de promover a dissolução de tecidos orgânicos vivos ou necrosados, a eliminação ou
máxima redução possível de microrganismos, a lubrificação, a quelação de íons cálcio e a suspensão de detritos oriundos da
instrumentação. Também são usadas após a instrumentação, para remover das paredes do canal radicular a smear layer.
Em uma solução, o soluto é o disperso e o solvente o dispersante  na endodontia, empregamos soluções liquidas em que o
solvente é sempre liquido e o soluto, um sólido, um liquido ou um gás.

 REQUISITOS:
a) Baixa tensão superficial:
o Propriedade característica de cada líquido;
o Varia com a temperatura e com o tipo de superfície de contato;
o Existem substancias que, em solução, são capazes de reduzir a tensão superficial de outras, chamados de tensoativos,
ex: detergentes e o hipoclorito de sódio;
o A tensão superficial das soluções químicas auxiliares determina a profundidade de penetração do liquido no canal
radicular. Ou seja, quanto menor a tensão superficial de uma substancia, maior sera a sua capacidade de umectação e
penetração, aumentando a efetividade da limpeza das paredes do canal radicular;

b) Viscosidade:
o Resistência ao escoamento;
o Atrito interno nos fluidos devido às interações moleculares;
o Vencer as forças de deslocamento;
o A viscosidade influencia na efetividade de suas ações químicas e físicas, não apenas quando empregadas como
auxiliares, mas tb quando usadas na irrigação-aspiração;

c) Atividade de solvente de tecido:


o Capacidade de dissolver matéria orgânica.
Depende de:
 Relação entre o volume da solução e a massa de tec. Orgânico;
 Área de contato com os tecidos;
 Tempo de ação;
 Temperatura da solução;
 Agitação mecânica;
 Concentração da solução;
 Frequência da renovação da solução.
OBS: Todo tecido pulpar, mesmo vivo e não infectado, deve ser eliminado no momento do tratamento endodôntico,
para não servir de substrato potencial a uma proliferação microbiana.

d) Atividade antimicrobiana:
o Uma solução sem capacidade antimicrobiana exerceria apenas um efeito de lubrificação e suspensão de detritos no
canal radicular.

e) Atividade quelante:
o Substancias orgânicas que removem íons de calco da dentina, fixando-os quimicamente;
o Ação sobre íons metálicos;
o Durante a instrumentação de canais atresiados, recomenda-se o uso de quelantes, para facilitar o trabalho de
alongamento do canal;
o O efeito descalcificante do agente quelante resulta em menor resistência dentinária à ação de corte dos instrumentos
endodônticos;
o Uso de quelantes (EDTA) para remover smear layer das paredes dentinárias do canal radicular;

f) Atividade lubrificante:
o Redução da força de atrito;
o Forma uma película que diminui o contato físico entre as superfícies do instrumento e da dentina  diminuem o
desgaste e preservam a capacidade de corte dos instrumentos;
o Em canais atresiados, favorecem a passagem dos instrumentais, até alcançar o comprimento de trabalho.

g) Suspensão dos detrtitos:


o Manter detritos orgânicos e inorgânicos em suspensão;
o Impedir sedimentação apical;
o Impedir obstrução do canal (favorece desvios e perfurações);
o Realizar renovações frequentes da solução química auxiliar;
o Manter a cavidade de acesso preenchida com solução química auxiliar  movimentação e retirada de instrumentos
favorecem a penetração e renovação do líquido.
OBS: O hipoclorito de sódio é inativado quando entra em contato com matéria orgânica, por isso, para sua ação
antimicrobiana e solvente seja efetiva, é necessário renovar sempre a solução que entra em contato com as paredes do
canal.

 SOLUÇÕES IRRIGADORAS:
São soluções químicas usadas na irrigação-aspiração dos canais radiculares. As soluções irrigadoras devem possuir
pequeno coeficiente de viscosidade e pequena tensão superficial --: favorece o aumento do alcance do jato, a formação da
turbulência e o refluxo do liquido em direção coronária, permitindo uma maior efetividade da limpeza do canal radicular.

 BIOCOMPATIBILIDADE:
Toda a substancia desinfetante apresenta toxidade para as células vivas.  O efeito lesivo causado por uma substancia
desinfetante sobre os tecidos dependem de sua própria toxidade, de sua concentração, do tempo e da área de contato com
os tecidos. É fundamental o respeito aos tecidos perirradiculares.

 SUBSTÂNCIAS QUÍMICAS EMPREGADAS NO PREPARO DOS CANAIS RADICULARES:


A substancia química auxiliar deve ser aplicada no interior do canal radicular com uma seringa e agulha hipodérmica. É
importante que a substancia penetre em todo o canal radicular.
Propriedades das substâncias Irrigadoras :
 Ser solvente para os tecidos ou resíduos;  Ter pequeno coeficiente de viscosidade;
 Ser ativa em presença de matéria orgânica  Remover o Smear-Layer;
 Não ser irritante - biocompatibilidade;  Custo moderado e fácil aquisição;
 Ter baixa tensão superficial;  Disponibilidade;
 Ser lubrificante;  Preferências individuais;
 Ser germicida para todos os microrganismos  Facilidade de armazenamento;
 Prazo de validade adequado;
 Permitir limpeza efetiva;
 Utilização facilitada e ação rápida;
 Desinfetante eficiente;
 Não interferir no processo de reparo;
 Ser estável à temperatura ambiente;
 Agir por contato e não à distância;
 Não alterar a cor dos tecidos mineralizados;
 Ser biocompatível.

Substâncias Irrigadoras
o Soluções de Hipoclorito de Sódio o Glyde
o Solução de Hidróxido de Cálcio )água de cal) o EDTA Gel
o Clorexidina o MTAD
o EDTA o Água oxigenada (peróxido de hidrogênio)
o RC-Prep o Glicerina

 HIPOCLORITO DE SÓDIO:
É a solução química auxiliar de instrumentação de canais radiculares mais usada mundialmente. Essa substancia apresenta
uma série de propriedades:
o Atividade antimicrobiana;
o Solvente de matéria orgânica;
o Desodoriznate (neutraliza gases);
o Clareadora;
o Lubrificante;
o Baixa tensão superficial;
o Detergente (saponificação de lipídios).

Ele somente existe em solução aquosa. Neste estado ele origina hidróxido de sódio (base forte) e ácido hipocloroso(ácido
fraco). Dependendo do pH do meio o HOCl pode estar ionizado (meio alcalino pH>9) ou não ionizado (Ph menor que
5,5). Para diversos autores, o ácido hipocloroso não ionizado existente em soluções com valores de Ph DE 5 a 9 é a
substância responsável pela atividade antimicrobiana da solução.
A dissolução de tecido pulpar em um pequeno período de tempo somente se dá por um efeito combinado entre
hidróxido de sódio e o ácido hipocloroso oriundos da hidrólise do hipoclorito de sódio, cada um reagindo com
determinados componentes da polpa.
A toxidade da agua sanitária varia em função da quantidade de NaOH presente na solução  para endodontia, o
máximo é de 0,4g%.

 Atividade solvente:
A capacidade de dissolução tecidual promovida pelo hipoclorito de sódio faz com que fragmentos de tecido pulpar sejam
liquefeitos, facilitando, assim, sua remoção do interior do sistema de canais radiculares.
A dissolução do tecido pulpar se verifica pelo efeito combinado entre o hidróxido de sódio e o ácido hipocloroso, cada um
reagindo com determinados componentes da polpa dentária.
o Age sobre as albuminas dos restos pulpares e proteínas dos microorganismos contaminantes, desnaturando-as,
tornando-as solúveis em água e facilmente removíveis do interior dos canais
Reage com:
a) Ácidos graxos (óleos e gorduras) – formando sais de ácicidos graxos (sabão) e glicerol (álcool)- Equação I;
b) aminoácidos das proteínas – formando sal e água (reação de neutralização)- Equação II;
c) grupamento amina dos aminoácidos das proteínas – formando cloraminas e água- Equação III.
 Atividade antimicrobiana:
O ácido hipocloroso e p íon hipoclorito, é a principal responsável pela excelente atividade antimicrobiana da solução
clorada. A ação desinfetante é inversamente proporcional ao Ph da solução : 5,5 Ph, o ácido hipocloroso se encontra 100%
NÃO dissociado, e Ph próximo de 10 se encontra 100% dissociado.  O ácido hipocloroso apresenta maior efeito
antimicrobiano do que o íon hipoclorito.
Dois efeitos antimicrobianos têm sido atribuídos ao cloro: inibição enzimática e formação de cloraminas.
Em contato com a matéria orgânica transforma-se em anidro hipocloroso que, por ser instável, se decompõe liberando
cloro e oxigênio nascente. O cloro liberado é bactericida e clareia a dentina. O oxigênio além da ação anti-séptica
arrasta por ação mecânica, efervescência, os resíduos para o exterior do canal.
Alguns fatores podem interferir nas atividades antimicrobiana e solvente do tecido, como:
o Ph da solução: as soluções cloradas terão ação antimicrobiana em meio ácido, quando então liberam ácido hipocloroso,
e esse ácido só atua na forma não dissociada, e a acidez impede a ionização do ácido hipocloroso, favorecendo, assim,
sua acentuada ação microbicida.
o Temperatura: o aumento de temperatura, de concentração e o longo tempo de reação química proporcionam uma
maior eficácia da solução de hipoclorito de sódio quanto à sua ação solvente e antimicrobiana.  aumenta a sua
capacidade solvente e antimicrobiana.
o Matéria orgânica: quanto maior a relação entre solução e massa de tecido, maiores serão a capacidade de dissolução e
a atividade antimicrobiana do hipoclorito de sódio sobre os tecidos orgânicos vivos ou necrosados e sobre os
microrganismos.
o Concentração: as atvs antimicrobianas e solvente dependem da concentração da solução química  essas atividades
são diminuídas à medida que a dolução é diluída, sendo a capacidade de solvente mais afetada do que a antimicrobiana.

 Atividade desodorizante:
As infecções por bactérias anaeróbias  resultam em odor (produção de ácidos graxos). O cloro pode desodorizar por 2
mecanismos:
1) Atividade letal sobre os microrganismos da infecção pulpar;
2) ação oxidativa sobre produtos bacterianos, neutralizando-os e eliminando o mau-odor.

VANTAGENS DESVANTAGENS
Baixo custo Instável ao armazenamento
Rápida atuação Inativado por matéria orgânica
Desodorizante e lubrificante Corrosivo
Atv antimicrobiana, contra: bactérias, fungos e vírus Irritante para a pele e mucosa
Relativamente não toxico nas condições de uso Forte odor
Ação solvente de matéria orgânica Descora tecidos
Concentrações facilmente determinadas Remove carbono da borracha
Baixa tensão superficial
Clareador

 CLOREXIDINA:
Dois anéis clorofenólicos nas extremidades, ligados a um grupo biguanida de cada lado, conectados por uma cadeia de
hexametileno. A atividade antibacteriana da clorexidina é excelente na faixa de Ph entra 5,5 e7, o que abrange o ph
das superfícies corporais e dos tecidos.
o Mais utilizada em Odontologia: Sal digluconato de clorexidina em solução aquosa
o Soluções incolores e inodoras;
o Mais estáveis em pH de 5 a 8 (precipitação acima disso);
o Além de possuir atividade antibacteriana de amplo espectro, a clorexidina apresenta substantividade, isto é, ela se
liga à hidroxiapatita do esmalte ou dentina e a grupos aniônicos ácidos de glicoproteínas, sendo lentamente
liberada, à medida que a sua concentração no meio decresce, permitindo desse modo um tempo de atuação
prolongado.  A clorexidina por esses fatores, tem sido preconizado como medicação, ou no preparo químico-
mecanico dos canais radiculares.
o Anti-séptico catiônico;
o Agente antibacteriano de amplo espectro – bactérias gram-positivas e gram-negativas;]
o Bacteriostática em baixas concentrações e bactericida em altas concentrações
o Alta capacidade de adsorção
o Efetiva no controle da placa bacteriana e gengivite
o Biocompatibilidade restrita
o Não é dissolvente de tecido orgânicos,
Indicações: alergia ao Hipoclorito de sódio; e Rizogênese incompleta (extravasamento apical).

 ÁCIDO ETILENODIAMINO TETRACÉTICO DISSÓDICO (EDTA):


É indicado para a instrumentação de canais atresiados. Este sal, derivado de um ácido fraco, é capaz de promover, em Ph
alcalino, a quelação de íons cálcio da dentina. É UM QUELANTE. Ao remover íons cálcio dos tecidos duros (como a
dentina), promovem a desmineralização e redução da dureza dos mesmos.
o Aumento da permeabilidade dentinária;
o O EDTA, na sua forma de ácido, apresenta um pequeno poder de descalcificação, porque sua solubilidade em água é
pequena;
o Ação autolimitante;
o Esta solução não atua imediatamente quando colocada em contato com a dentina, necessitando esperar alguns minutos
(10 a 15 min) para obtenção do efeito quelante;
o Biocompatível e anti-séptico ;
o Influenciam na permeabilidade da dentina;
o Eficiente para remover a lama dentinária (“smear layer”);
o Cria condições para uma ação mais efetiva dos anti-sépticos e melhor adaptação do material obturador às paredes
do canal;
o Seu uso após a instrumentação aumenta a possibilidade de obturação dos canais laterais.
o Recomenda-se o uso de soluções EDTA combinadas com soluções de hipoclorito de sódio, na remoção da smear
layer, após o preparo químico-mecanico de canais radiculares infectados.

 ÁGUA DE CAL:
Solução saturada de hidróxido de cálcio P.A em água fervida e resfriada, soro fisiológico ou água destilada. É recomendada
como irrigante em biopulpectomias, onde geralmente não há problemas bacterianos, para não provocar irritações no tecido
perirradicular, nem destruir o coto pulpar. Em casos de hemorragia pulpar, podemos emprega-la como substancia
hemostática, que atua por vasoconstrição, eliminando, assom, a possibilidade de hemorragia tardia. Podemos empregar
também nas manobras e tratamento conservador pulpar.

MEDICAÇÃO INTRACANAL:

 HIDROXIDO DE CÁLCIO (Ca(IH)²:

Pó branco, alcalino (ph 12,8), pouco solúvel em água. Trata-se de uma base forte, obtida a partir da calcinação
(aquecimento) do carbonato de cálcio (cal viva). A propriedades dele derivam de sua dissociação iônica em íons cálcio e íons
hidroxila, sendo que a ação destes ions sobre os tecidos e os microrganismos explicam as propriedades biológicas e
antimicrobianas desta substancia. Indução da formação de tecido mineralizado quando utilizado como medicação intra-
canal.

 Indução do processo de mineralização


 Dissolução de remanescentes de tecidos necróticos
 Controle da intensidade do processo inflamatório
 Regressão dos processos de reabsorção radicular

 Veículos: Uma vez na sua forma pó, ele precisa de uma outra substancia para que tenha sua veiculação para o interior
do sistema de canais radiculares.
De acordo com as características físico-quimicas, existem dois tipos: hidrossolúveis e oleosos.
o Hidrossolúveis: são inteiramente miscíveis em água. Podem ser divididos em aquosos e viscosos;
 Aquosos: propiciam ao hidroxido de cálcio uma dissociação iônica extremamente rápida, permitindo maior
difusão e, consequentemente, maior ação por contato dos ions cálcio e hidroxila com os tecidos e
microrganismos, Ex: agua destilada, soro fisiológico, soluções anestésicas.
 Viscosos: são solúveis em água em qualquer proporção, tornam a dissociação do Ca(OH)2, mais lenta,
provavelmente devido a seus elevados pesos moleculares. Ex: glicerina.
 Atividades biológicas:
o Ação anti-inflamatória:
Tem a capacidade de controlar o processo inflamatório.
a) Ação higroscópica: quando colocado em contato com tecido inflamado, ele pode absorver exsudato inflamatório,
reduzindo a pressão hidrostática tecidual. (devido a ele ser hipertônico);
b) Formação de pontes de proteinato de cálcio: Atuariam como pontes interendoteliais, formando complexos de
proteinato de cálcio. Estes atuariam como pontes interendoteliais, reduzindo a permeabilidade vascular e a
consequente saída de fluido para o tecido, mas esse mecanismo parece muito pouco provável de acontecer.
c) Inibição da fosfolipase: Inibem a ação das prostaglandinas.

o Ação antimicrobiana:
A grande maioria dos microrganismos patogênicos para o homem não é capaz de sobreviver em um meio extremamente
alcalino. A atividade antimicrobiana do hidróxido de cálcio está relacionada à liberação de ions hidroxila, oriundos de sua
dissociação.Seu efeito letal dá-se por:
a) Perda da integridade da membrana citoplasmática bacteriana: Peroxidação lipídica.--> destruição de fosfolípios.
b) Inativação enzimática: devido ao ph alcalino;
c) Dano ao DNA: inibição da replicação do DNA e desarranjo da atv celular.

 SMEAR LAYER:
O objetivo do preparo químico-mecânico é limpar e dar forma definida ao canal radicular para que o mesmo possa receber
o material obturador. A lama dentinaria representa a formação de qualquer resíduo produzido pela ação de corte sobre a
dentina, esmalte ou cemento. Em endodontia, a instrumentação do canal radicular produz smear layer similar àquela
formada durante o preparo da cavidade, independente do tipo de instrumento e da técnica de instrumentação empregados.
Em razão da provável influência da smear layer na permeabilidade dentinária e relexos sobre a ação dos medicamentos
intracanais e do selamento das obturações, seu estudo tem aumentado. Seu efeito “isolante cavitario natural” tem sido
avaliado  pode ser benéfico ou deletério.

A smear layer, associada ao tratamento endodôntico, consiste não apenas de dentina, como a da cavidade coronária, mas
também de remanescentes de componentes odontoblásticos, tecido pulpar e bactéria  substancias orgânicas e
inorgânicas em sua composição.

 Remoção da Smear Layer: sim ou não:


No tratamento de dentes, onde não há contaminação e é mantida a cadeia asséptica, a remoção da camada residual não
seria necessária. No tratamento de canais infectados, em polpa necrosada (sempre remover), há forte razão para a
eliminação da smear layer. A formação do smear layer reduz a permeabilidade da dentina radicular de 25 a 49%.
A camada residual retarda, mas não impede a ação de desinfetantes. Com isso, removendo-a, pode-se usar agentes
bacteriano sde menor concentração e/ou quantidade.
A remoção da smear layer facilita a penetração dos cimentos obturadores nos túbulos dentinários e melhora a adaptação
do cone de guta-percha às paredes do canal, aumentando a eficiência seladora da obturação.

A smear layer na parede do canal atua como uma barreira física intermediária e pode interferir na adesão e penetração do
selador no interior dos túbulos dentinários. Quando a smear layer não for removida, a efetividade do selamento apical
deverá ser observada a longo prazo.
A presentando a smear layer, em sua composição, componentes orgânicos e inorgânicos, o uso alternado de EDTA a 17% e
de hipoclorito de sódio a 2,5% promove a sua remoção. O EDTA quela a porção calcificada e expõe colágeno, sendo que o
hipoclorito atua removendo o material orgânico, inclusive o colágeno da matriz.

 IRRIGAÇÃO-ASPIRAÇÃO:
Na endodontia, a irrigação é realizada concomitantemente à aspiração, com o objetivo de tornar a limpeza do canal
radicular mais efetiva. “O mais importante na terapêutica dos canais radiculares é o que se retira do seu interior e não o que
se coloca. ”
Objetivos:
 Remoção de detritos:
A remoção de detritos do interior do canal é feita pela ação mecânica da haste helicoidal dos instrumentos endodônticos,
auxiliada pela irrigação-aspiração. É importante a remoção dos detritos do interior do canal radicular, uma vez que podem
abrigar microrganismos, dificultando a ação da droga utilizada como medicamento intracanal, e atuar como irritantes,
quando forçados para os tecidos perirradiculares.

Técnicas de irrigação:
Selecionar e adaptar a agulha de irrigação.  Preencher com solução irrigadora.  Posicionar a seringa : ponta da
agulha na entrada do canal radicular.  Segurar a cânula para a aspiração.  Iniciar a irrigação.
Agulha de Irrigação:  atingir o terço apical,  3 a 4 mm aquém do CRT,  movimentos de vai-e-vem Irrigação e
Aspiração concomitantes;

Оценить