You are on page 1of 8

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO


CAMPUS DE CARAÚBAS
Prof.: Daniel Freitas Freire Martins
Aluno (a): Jurgen Klinsmann Azevedo Nogueira

Seminário de Introdução ao Curso:


Engenharia Agronômica

Caraúbas, 21 de Março de 2012.


SUMÁRIO

1- INTRODUÇÃO......................................................................................
2- OBJETIVO..............................................................................................
3- DESENVOLVIMENTO.........................................................................
4- CONCLUSÃO........................................................................................
5- BIBLIOGRAFIA....................................................................................
1- INTRODUÇÃO

A Engenharia Agronômica é a ciência e técnica usada para melhorar a qualidade


e a produtividade de lavouras, rebanhos e produtos agroindustriais. O Engenheiro
Agrônomo envolve-se em praticamente todas as etapas do agronegócio - do plantio ou
da criação de rebanhos à comercialização da produção. Ele planeja, organiza e
acompanha o preparo e o cultivo do solo, o combate a pragas e doenças, a colheita, o
armazenamento e a distribuição da safra. Cuida da alimentação, da reprodução, da saúde
e do abate de animais. Também gerencia a industrialização, o armazenamento e a
comercialização de alimentos de origem animal e vegetal. Além de acompanhar o dia a
dia da produção no campo, ele desempenha funções em escritórios, informando-se sobre
novas tecnologias e pesquisas científicas da área, calculando estoques e checando na
internet a cotação dos produtos nas bolsas de valores internacionais. Outro possível
campo de atuação é como representante comercial, quando divulga produtos ou
demonstra o uso de suas tecnologias.
2- OBJETIVO

O Seminário de Engenharia Agronômica tem por objetivo esclarecer aos alunos


de Bacharelado em Ciência e Tecnologia seus principais aspectos, importância, e área
de atuação, tendo em vista que ao término do Bacharelado, o curso possa satisfazer o
objetivo profissional do aluno. Tendo em vista que quem escolher pelo curso, opta por
uma profissão que se iniciou nos primórdios da história da humanidade. Se conseguir
seguir em frente nessa escolha o engenheiro agrônomo poderá cooperar pra que as
condições de vida no planeta sejam suficientes pra que várias outras gerações de
homens e bichos convivam por aqui. Na verdade, o objetivo maior do seminário é levar
o aluno a escolher da melhor forma possível sua área de atuação e futuro profissional.
Um desafio que só pode ser cumprido com estudo, foco e dedicação.
3- O MERCADO DE TRABALHO

O trabalho desse profissional nunca foi tão importante no agronegócio brasileiro


em razão da preocupação crescente com o desenvolvimento sustentável. E o setor
agropecuário brasileiro está em sua melhor fase de produção de grãos, abrindo muitas
perspectivas para esse profissional, especialmente em empresas de semente e
agroquímicos como Monsanto, Bunge e Cargill. A expectativa é que o egresso continue
sem problemas para se colocar no mercado ainda por muitos anos, pois a economia do
país não dá sinal de parar de crescer. E, com isso, aumentam os investimentos
estrangeiros em todas as áreas, inclusive na agricultura, como na Bahia, Maranhão e
Piauí. A pecuária também absorve o profissional, que atua na produção, no manejo e na
recuperação de pastagens. As vagas encontram-se, sobretudo, nas regiões mais
avançadas em tecnologia agrícola, como Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás,
Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e noroeste de Minas Gerais.
Outros empregadores para os agrônomos são os frigoríficos e empresas de alimentação
animal. Com a expansão do setor agrícola no Centro- Oeste, no Nordeste e no Norte,
pode haver oportunidades para pesquisa, em especial nas empresas estatais. No interior
de São Paulo, destaca-se o trabalho com hortaliças. Já a intensificação do comércio
internacional aumenta a demanda na área de gestão. Na indústria de equipamentos e
produtos agropecuários, pode haver procura para a venda e orientação técnica para o
produtor rural. Cresce o setor sucroalcooleiro, outro tradicional empregador. A
necessidade de mão de obra especializada nessa área é maior no interior de São Paulo e
nos estados do Centro-Oeste. O egresso que se decidir a fazer pós-graduação tem
oportunidades em institutos de pesquisa, em pesquisa de inovação dentro de empresas e
para dar aulas em universidades, pois é crescente o número de cursos na área de
agronegócios.

Salário inicial: R$ 3.732,00 (6 horas diárias; fonte: Crea-SP).

4- O CURSO

Os dois primeiros anos mesclam matérias das áreas de ciências biológicas e


exatas, como biologia, bioquímica, matemática, informática e estatística. Nos três anos
seguintes, o forte são as disciplinas profissionalizantes, ministradas nas subáreas de
engenharia rural, ciência do solo, agricultura e engenharia florestal, entre outras. Boa
parte da carga horária é dedicada a aulas práticas em laboratórios e fazendas
experimentais. O estágio é obrigatório, assim como o trabalho de conclusão de curso.
Algumas instituições oferecem licenciatura em Ciências Agrícolas e em Ciências
Agrárias para formar profissionais para dar aula no técnico agrícola e treinar mão de
obra em propriedades rurais e na agroindústria. Outras escolas criaram o curso de
Agroecologia, focado na conservação e recuperação dos ambientes agrícolas, para
atender à demanda por profissionais com formação voltada para o desenvolvimento
rural sustentável, principalmente em pequenas propriedades.

Duração Média: Cinco Anos


Outros nomes: Agroecologia; Agronomia (ênf. em agroecologia); Agronomia (eng.
agron.); Ciên. Agr.; Ciên. Agr. e Amb.; Ciên. Agrícolas; Eng. Agron.; Eng. Agron.
(ciên. agron.).

5- O Engenheiro Agrônomo pode fazer:

Defesa sanitária:
Combater pragas e prevenir doenças em lavouras e rebanhos.
Economia e administração agroindustrial:
Planejar e gerenciar as operações de distribuição e venda de produtos agrícolas.
Coordenar programas de crédito rural para cooperativas e pequenos produtores.
Engenharia rural:
Projetar e supervisionar obras em propriedades rurais, como construções, nivelamento
do solo, montagem de sistemas de irrigação e de drenagem.
Ensino:
Lecionar em escolas públicas ou particulares de educação profissional ou em
faculdades.
Fitotecnia:
Acompanhar o cultivo e a colheita de safras, buscando aumentar a produtividade por
meio da seleção de sementes, do emprego de fertilizantes e adubos e do combate a
doenças e pragas.
Indústria e comercialização de alimentos:
Supervisionar e gerenciar a qualidade e a estratégia de preços de alimentos de origem
animal e vegetal.
Manejo ambiental:
Explorar racionalmente os recursos naturais, preservando o meio ambiente.
Melhoramento animal e vegetal:
Realizar pesquisas e desenvolver técnicas visando à melhoria da produção.
Produção agroindustrial:
Gerenciar o processo de industrialização de produtos agrícolas, controlando a qualidade
final da produção. Pesquisar novas tecnologias e produtos.
Silvicultura:
Recuperar matas devastadas e cuidar do plantio e do manejo de áreas de
reflorestamento. Preparar relatórios de impacto ambiental.
Solos:
Preservar a fertilidade e controlar as propriedades físicas dos solos, prescrevendo seu
manejo.
Zootecnia:
Controlar a produção animal, cuidando da alimentação, da saúde, da reprodução e da
qualidade dos rebanhos.
6- CONCLUSÃO

Portanto, tendo em vista todos os aspectos abordados, acredita-se que o


seminário nos trouxe grande crescimento intelectual, e nos levou á análise de um curso
que viabiliza nosso contato direto com questões ambientais, tendo em vista que um
Engenheiro Agrônomo trabalha com a agricultura e recursos naturais, visando à
cooperação com o crescimento econômico do país, além de enriquecer a vida
profissional do mesmo. Sem dúvidas sua importância é fundamental para a melhor
utilização do solo, da pecuária e de todos os aspectos rurais conhecidos. A perícia dos
nossos engenheiros agrônomos faz com que tenhamos uma qualidade de vida muito
melhor, e nos permite usufruir dos melhores recursos que nossa agricultura pode nos
oferecer.
7- BIBLIOGRAFIA

http://guiadoestudante.abril.com.br/profissoes/meio-ambiente-ciencias-agrarias/agronomia-
602861.shtml
Acesso em 21/03/2012