Вы находитесь на странице: 1из 4

Tunico

Direito – É um conjunto de regras.


Direito – É a ciência não usada para resolver conflitos.

Há vários tipos de Direito: Direito Civil, Penal, Internacional (entre países), Trabalhista...

Área Pública/Privada <---- Direito Internacional


Pessoa Física/Jurídica

O ser humano não vive sozinho.

Relação conflituosa
Ser humano é imperfeito (não é justo por suas imperfeições).

Mais fortalece as instituições mais justas serão as leis.

Estado – É uma ordem jurídica soberana que tem como finalidade o bem comum de
um povo em um território determinado. O Estado é considerado uma sociedade de fins
gerais.

Soberania – É a capacidade que o país tem de fazer cumprir suas leis.

Bem comum – É o que o Estado busca para que as pessoas que nele vive, ou seja,
igualdade de oportunidade a todos para que desenvolvam ao máximo as suas
potencialidades.

Território – É o espaço geográfico determinado aonde o Estado exerce a sua


soberania.

Povo – São as pessoas que vivem e possuem um vínculo jurídico com aquele país.

Relações Internacionais – Podemos definir como o conjunto de contatos que se


estabelecem através das fronteiras nacionais entre grupos socialmente organizados.
Atualizando tal definição devemos acrescentar que são relação que se estabelecem
entre pessoas físicas ou jurídicas, publicas ou privadas de países diferentes. O Sistema
Internacional doutrinalmente ele está classificado como unipolar, bipolar, multipolar e
unimultipolar.

Unipolar – Nesse sistema apenas um único poder político, econômico e social se


destaca. Exemplo: Império Romano.

Bipolar: Nesse sistema há dois polos principais, poder que disputam a hegemonia e o
controle das Relações Internacionais.
Multipolar: É um sistema onde a hegemonia e o poder encontra-se dividido através de
um arranjo diplomático entre vários países. Aconteceu entre 1815 a 1914 entre a
França, a Grã-Bretanha, a Prússia e o Império Austro-Húngaro.

Unimultipolar: Caracteriza-se pelo poder estratégico concentrado em um único país


(USA), mas pela presença de múltiplos polos com o poder econômico (China,
Alemanha, Grã-Bretanha).

Conceito de Direito Internacional: É o ramo do Direito que regula as relações


jurídicas dos países (Estados Nacionais) das organizações internacionais, das
organizações não internacionais e das empresas transnacionais.

Público: Cuida de todos os conflitos entre os Estados.


Privado: Empresas de pessoas e sociedades anônimas de outras nacionalidades.

Público: Regula ou regulamenta as relações estabelecidas entre os países e as


organizações internacionais de qualquer tipo. Ex: Greenpeace.

Privado: Nesse caso o Direito Privado atua nas relações jurídicas das pessoas físicas
e empresas privadas.

Organizações Internacionais: São sujeitos da sociedade internacional que ganharam


força após a 1ª e 2ª Grande Guerra Mundial. São Associações criadas entre países
constituídos por meio de Tratados Internacionais e com personalidade jurídica
internacional própria. Ex: MERCOSUL, ONU, União Europeia, etc.

Santa Sé – É a instancia máxima da Igreja Católica e, portanto possuidora de


personalidade jurídica internacional. Todavia, no ambiente internacional atende pelo
nome de Vaticano. O Vaticano é considerado um país como outro qualquer podendo
negociar tratados, ter acento nas Organizações internacionais, etc. Sintetizando a
Santa Sé, é a personalidade jurídica e o Vaticano é a representação territorial.

Empresas Transnacionais – São empresas que possuem filiais ou sucursais em


diversos países do mundo, geralmente produzem ou representam produtos de
consumo de alta tecnologia e essenciais para o ser humano. Movimentam-se de país
para país de acordo com sua própria convivência buscando cada vez mais lucro e
novos mercados consumidores sem se preocupar com a qualidade de vida e a
sustentabilidade de seus negócios e sua produção.

ONG’s – São pessoas jurídicas internacionais não pertencentes ou vinculadas ao


poder estatal e que tem como missão a prestação de serviços humanitários, sociais e
coletivos. São considerados colaboradores do Estado, mas não pertencem a eles e não
possui nenhum vínculo ou subordinação.

Tratados e acordos
Genericamente, ou seja, a luz do dicionário da Língua Portuguesa acordo significa
entendimento firmado entre as partes envolvidas em uma questão qualquer com o
objetivo de executar uma determinada tarefa como por exemplo uma compra e venda
de um bem, um acordo para a realização de um negocio financeira, ou ainda a
resolulçao de uma divergência qualquer, etc
Vale salientar portanto que na área de Relacoes Internacionais não poderia ser
diferente, ou seja, para tratar das relaçies entre oaies o correto é fazela através de
acordos e tratados internacionais.
Podemos definir tratato internacional como: é o equivalemtne a um contrato
entre estados (países) signatários. Dentre os termos empregados com sinônimos de
tratados podemos citar:
Pacto, acordo, convernção, protocolo, declaração, compromisso, tratado
diplomático, notarevesal, acordo entre cavalheiros, acordo preliminar e de liberação.
Em síntese tratado é o acordo internacional concluído entre sujeitos de Direito
Internacional Público, destinado a produzir efeitos jurídicos.
Obs: Signatarios são aqueles países que assinam aquele tratado (quem assina).

Condições de validade dos Tratados Internacionais

Capacidade dos países contratantes


Habitação dos agentes signatários
Objeto lícito possível

Processo de operação e negociação dos Tratados Internacionais

1- Negociação, adoção e assinatura: competência do poder executivo (art. 84 VIII


da C.F.(
2- Decreto Legislativo aprova ou rejeita o tratado (art. 49, I da C.F.)
3- Ratificar ato do executivo que aprova o texto de determinado tratado desde que
tenha sido autorizado pelo Poder Legislativo.
4- Promulgação e publicação. Decreto do poder executivo torna obrigatório o
tratado internamente.
5- Entre em vigor

Ratificar tem significado diferente de retificar


Ratificar significa aceito do jeito que está sem mudança. Concordar com o que foi
aprovado anteriormente sem qualquer alteração.
Refificar: Consertar, corrigir, alterar algo que foi aprovado anteriormente.

Obs 2: Os tratados, os acordos internacionais em assuntos gerais necessitam para


terem validade de aprovação pelo selado por maioria simples de votos. Todavia nas
questões relativas aos Direitos Humanos faz se necessário a votação em 2 turnos e
com aprovação dos 3/5 dos votos dos repectivos senadores.

Direito a Integração e Direito Comunitário


Blocos Econimicos

Os Blocos Economicos se formam com o objetivo de fortalecer internamente e


externamente a capacidade dos países membros de interferência seja econômica,
social, ou política nos demais países do cenário mundial.
Esses blocos inicial-se reduzindo tarefas de importação e outras barreiras
quantitativas de culminarem com a criação de uma moeda única e a unificação política
e econômica. A forma mais simples constituem- se em acordos habituais e as mais
complexas com a integração política e econômica.

Zonas de livre comercio: São formadas por grupos de 2 ou mais países caracterizam-
se principalmente pela crianção de reduções tarifárias entre os membros. Contudo,
cada país tem autonomia para negociar com países fora do bloco.

União Aduaneira: Ocorre quando existe um só território aduaneiro formado pelos


países integrantes que aplicam as mesmas medidas comerciais em relação com os
países fora do bloco.

Mercado Comum: Consiste em uma unição aduaneira na qual os participantes se


obrigam a implementar a livre circulaçõ de pessoas, bens, mercadorias, serviços,
capitais e fatores produtivos.

União Monetária: Nessa estrutura organizacional os países membros se comprometem


a controlar cada um sua inflação interna além dos déficits públicos e ainda aplicação de
políticas monetárias comuns e consequentemente uma moeda única.

Unição Política e Economica: Nesse caso forma-se além dos quesitos anteriores forma-
se um merado único no qual serviçoes capais e pessoas podem circular livremente
além da denificção conjunta da política externa e de defesa das fronteiras.

Essa integração total na prática não foi alcançada por nenhum país do mundo, todavia
em tese preza um modelo confederado de atuação onde a interdependência e arelação
entre os membros lhe traz autonomia jurida em algunsassuntos juntamente com a
garantia institucional de exercício da cidadania em um mesmo nível para todos.