You are on page 1of 65

O processo de diferenciação desses diversos aspectos tem atraído a atenção, mas a

síntese subjacente tem sido negligenciada ou ignorada. No entanto, todas as formas são
diferenciações da alma, mas dita alma é uma só Alma quando se observa e se considera
espiritualmente. Quando estudada a partir de lado a forma, não se percebe nada mais que
diferenciação e separação. Quando se estuda sob o aspecto consciência ou sensibilidade,
emerge a unidade. Quando se alcança a etapa humana e a auto-percepção e se funde com a
sensibilidade das formas e com a minúscula consciência do átomo, começa tenuamente a
surgir na mente do pensador a idéia de uma possível unidade subjetiva. Quando se alcança a
etapa do discipulado, o homem começa a considerar-se como parte sensível de um todo
sensível, e lentamente reage ao propósito e intenção deste todo. Em forma paulatina capta o
propósito, à medida que entra conscientemente no ritmo da totalidade, da qual ele é uma
parte. A parte se perde no todo quando se alcançam as etapas mais avançadas e formas mais
sutis e refinadas; o ritmo do todo submete o indivíduo a uma participação uniforme no
propósito sintético, mas a compreensão da auto-percepção individual persiste e enriquece a
contribuição individual que agora se oferece inteligente e voluntariamente, de modo que a
forma não só constitui um aspecto da totalidade (que sempre inevitavelmente foi, embora
ainda não fosse compreendido), mas também a consciente entidade pensante conhece a
utilidade da unidade da consciência e síntese da vida. Três fatores que devemos considerar à
medida que lemos e estudamos são:

1. A síntese da vida espírito

2. A unidade da consciência alma

3. A integração das formas corpo

Estes três sempre estiveram unidos, mas a consciência humana disso não sabia. Sua
compreensão e sua integração na técnica de viver são para o homem o objetivo de toda sua
experiência evolutiva.

Falando em forma simbólica consideraremos agora a Alma universal ou consciência do


Logos que trouxe à existência nosso universo, e consideraremos a Divindade como tendo
permeando com Sua vida a forma de Seu sistema solar, a qual é consciente de Seu trabalho,
de seu projeto e de sua meta. Este sistema solar é uma aparência, pois Deus permanece
transcendente. Dentro de todas as formas Deus é imanente e, no entanto, permanece distante
e separado. Assim como um ser humano pensante e inteligente, age por meio de seu corpo,
mas habita principalmente em sua consciência mental ou em seus processos emocionais,
assim Deus habita absorvido em Sua natureza mental, e no mundo criado e permeado com
Sua vida avança até sua meta para o qual Ele o criou. No entanto, dentro do raio de Sua
manifestante forma são realizadas grandes atividades; se observam diferentes estados de
consciência e etapas de percepção; surgem diferentes graus de sensibilidade, e mesmo no
simbolismo da forma humana temos diferentes estados de sensibilidade, tal como os
registrados pelos cabelos, pelos órgãos internos do corpo, pelo sistema nervoso, pelo cérebro
e pela entidade que chamamos de eu (que registra a emoção e o pensamento). Da mesma
forma a Divindade dentro do sistema solar, expressa amplas diferenças de consciência.
Há uma consciência corporal; existe um mecanismo sensorial que registra as reações
do meio ambiente; existe uma consciência de estados de espírito, desde a qualidade das

38
reações mentais ao mundo das idéias; existe uma consciência mais elevada doplano e do
propósito, e existe uma consciência da vida.

É interessante observar, em relação à Divindade, que esta resposta sensorial ao meio


ambiente fornece a base de toda a astrologia e o efeito das constelações sobre o sistema
solar e as forças interplanetárias.

Em relação ao homem, poderíamos resumir da seguinte forma:


A natural forma do homem reage conscientemente à natural forma da Divindade. A
vestidura externa da alma (física, vital e psíquica) faz parte da vestidura externa de Deus.

A alma autoconsciente do homem se acha em harmonia com a alma de todas as


coisas. É parte integrante da alma universal, e devido a isso pode chegar a perceber o
propósito consciente da Divindade, colaborar inteligentemente com a vontade de Deus e,
portanto, trabalhar com o plano da Evolução.

O espírito do homem é um com a vida de Deus, e está dentro dele, profundamente


arraigado em sua alma, assim como a alma está arraigada em seu corpo.

Este espírito, em algum tempo distante, se colocará em harmonia com esse aspecto de
Deus que é transcendente, e assim, cada filho de Deus encontrará oportunamente seu
caminho até esse centro— absorvido e abstraído - onde habita Deus, além dos limites do
sistema Solar.

Estas palavras são formuladas num esforço para transmitir uma idéia da ordem, do
plano, da síntese universal, da integração, da incorporação do fragmento no todo e da parte
para com o todo.

Vou tentar responder à segunda pergunta, lembrando que, à medida que avançarmos,
tudo o que posso fazer é penetrar simbolicamente nos propósitos práticos da

Divindade. Como escrevo


chegue o momento em quepara simples aspirantes,
se estabeleça não posso
uma harmonia transmitir
completa com suaa verdade até que
própria alma, ou
uma harmonia mais completa do que existe agora. No entanto, o esforço para entender o que
não pode ser expresso em palavras produz uma precipitação da mente abstrata ou intuição, o
qual por sua vez estimula e desenvolve as células cerebrais e produz uma constante
estabilidade do poder de permanecer no "ser espiritual"; então torna-se possível captar o
inexpressável e viver de acordo com o poder dele.

CAPÍTULO III

DEZ PROPOSIÇÕES BÁSICAS

1. Há uma Vida.
2. Há sete Raios.
39
3. Vida-Qualidade-Aparência constituem a Existência.
4. Os sete raios são as sete Forças criadoras.
5. Os Raios se manifestam através dos sete Planetas.
6. Todo Ser Humano está em um dos Raios.
7. Há uma Mônada, sete Raios e miríades de formas.
8. As Leis da Evolução encarnam o Propósito de Vida dos sete Raios.
9. O Homem se desenvolve por meio de Auto-expressão e Auto-realização.
10. Individualização eventualmente leva a Iniciação.
Ao concluir esta secção do nosso tratado, e antes de iniciar o nosso verdadeiro estudo dos
raios, procuro formular para você as proposições fundamentais sobre os quais todos estes
ensinamentos se fundamenta. Eles são, para mim, um trabalhador humilde na hierarquia,
como eles são para a Grande Loja Branca como um todo, uma declaração de fato e de
verdade. Para os estudantes e aspirantes elas devem ser aceitas como uma hipótese:

Um: Há apenas uma vida, que se manifesta principalmente através de sete qualidades
básicas ou aspectos, e, secundariamente, através da diversidade de miríades de formas.

Dois: Estas sete qualidades radiantes são os sete Raios, as sete vidas, que dão vida às
formas, e dar ao mundo a forma, também dão seu significado, suas leis, e seu desejo de
evolução.

Três: A vida, a qualidade e aparência, ou o espírito, alma e corpo constituem tudo o que
existe. Eles são a própria existência, com a sua capacidade de crescimento, para a atividade,
para a manifestação da beleza, e para a plena conformidade com o Plano. Este Plano está
enraizado na consciência das sete Vidas de raio.

Quatro: Estas sete vidas, cuja natureza é consciência e cuja expressão é senciência e
qualidade específica, produzem ciclicamente o mundo manifestado; Elas trabalham juntas na
união e harmonia, e cooperam de forma inteligente com o Plano de que são os guardiões.
Elas são os sete construtores, que produzem o templo radiante do Senhor, sob a orientação

da Mente do Grande Arquiteto do Universo.


Cinco: Cada Vida de raio predominantemente se expressa através de um dos sete
planetas sagrados, mais a vida de todos os sete fluxos através de cada planeta, incluindo a
Terra e, portanto, qualifica todas as formas. Cada planeta é uma pequena réplica
esquema
do
geral, e cada planeta está de acordo com a intenção e propósito do todo.

Seis: A Humanidade, da qual trata este tratado, é uma expressão da vida de Deus, e todo
ser humano surgiu ao longo de uma ou outra linha das sete forças de raio. A natureza de sua
alma é qualificada ou determinada pela Vida de raio da qual emana, e sua forma de natureza
é colorida pela Vida de raio que, em seu aspecto cíclico no plano físico, a qualquer tempo
particular, define a qualidade da vida da raça e das formas dos reinos da natureza. A natureza

da alma
vida ou a qualidade
e natural mudança permanece
de vida em avida,
mesmo ao longo
ocorrem de um com
de acordo período mundial; suacíclica
a necessidade formaedea
circunstancial condição grupal. Esta última é determinada pelo raio ou raios em encarnação na
época.

40
devido tempo se convertem em motivo da vida e, ainda assim, o único que manifestam é o
amor de Deus. O amor entre a vida consciente e a forma consciente; é o amor entre os
pares de opostos, conduzindo a eventual síntese ou casamento; é a relação que existe
entre as dualidades básicas, não é sentimento, mas sim a realidade de um grande
processo natural. Temos sempre a emergente glória e a radiação de um amor crescente,
até que chegamos ao reino humano, onde o amor entra em outro plano. Então a resposta,
a sensibilidade e a reação sentimental humanas se desenvolvem em uma mente
rudimentar. A consciência de amar e ser amado, de atrair e ser atraído, penetra pela da
porta de inteligência e se expande até o estado de percepção humana. Prazer e dor
tornam-se fatores definidos em desenvolvimento, começando assim a longa agonia da
humanidade. Então se vê o amor em seu desnudo egoísmo, e ainda pode ser pressentida
sua glória e potência. Logo o amor ou desejo atrativo atrai para si o aquilo que sente que
necessita, mas adiante muda no que crê que deveria possuir, e com o tempo o transmuta
naquilo que sabe que é a herança divina imaterial de um filho de Deus. Reflitam sobre
essas últimas palavras, porque ao compreender o amor verdadeiramente como
sensibilidade, o amor como o pensamento e o amor como aspiração, se esclarecerá o
grande problema do homem, que o libertará da escravidão dos amores inferiores e
adquirirá a liberdade que outorga o amor e a liberação do que possui todas as coisas e,
ainda assim, não deseja nada para o eu separado.

Em nosso planeta atração magnética de desejo se modifica por meio do raio da


personalidade do nosso particular Logos planetário. É o Raio da Inteligência Ativa e da
Adaptabilidade seletiva. Assim como cada célula e átomo no corpo humano se modificam
e condicionam pelo raio egóico e o raio de cada um dos corpos internos, assim cada célula
e átomo no corpo do Logos planetário se condicionam e se modificam por Sua marcante
influência de raio, e neste caso o raio de Sua personalidade. Nessa influência
condicionante se encontra a chave para a dificuldade, dor e agonia que existe atualmente
no mundo. Em verdade o Logos planetário da nossa terra está principalmente
condicionado por um raio cósmico, mas não pelo Seu raio egóico. Talvez nisso resida a
razão (ou uma das razões) pela qual nossa Terra não seja um dos sete planetas
sagrados. Não é necessário de me explane sobre isso, mas devia chamar-lhes a atenção

acerca deste grande fator determinante, o terceiro raio, o raio da personalidade do nosso
Logos planetário.

Este raio introduz o fator discriminador mediante a atividade mental, que por sua
vez equilibra o que se denomina a natureza do amor, causa verdadeira do nosso
progresso evolutivo. A vida nas formas passa através de uma atividade discriminadora e
seletiva, de uma experiência para outra em uma escala de contatos cada vez mais
amplos. Este raio de Atividade Inteligente domina o homem nessa época. Os seres
humanos estão em grande parte centrados em suas personalidades; são "egocêntricos" na
terminologia de psicólogos que reconhecem o princípio integrador do ego (em muitos
casos), mas ainda não reconhecem o ego ou alma influente, exceto sob termos tão vagos
como "super-consciência". Portanto, temos uma humanidade absorvida por uma

formidável atividade,
intelectual em todos demonstrando em toda parte
os tipos de fenômenos. Estaum vital discernimento
tendência a atividade eaumentará
um interesse
e se
intensificará até que a raça ariana se fusione com a vindoura e principal raça raiz maior,
para a qual ainda não temos nome, embora reconheçamos que em dita raça o intelecto
servirá a intuição. Se considera hoje que a atividade humana adquiriu uma incrível
192
velocidade e intensidade de vibração, no entanto, do ponto de vista de Conhecedores
mundiais, apenas começa a se expressar e ainda é relativamente fraca. Pode observar-se,
se a história é estudada, que a crescente tendência ao dinamismo, e o ritmo em que o
homem vive atualmente e a complexidade e os inumeráveis interesses dinâmicos de sua
vida, não podem comparar-se com os do homem comum de duzentos anos atrás. Os
últimos vinte e cinco anos demonstram uma tremenda aceleração que não tem
comparação com as condições de cinqüenta anos atrás.

A razão deste aumento de atividade inteligente e velocidade de resposta e de


contato residem no fato subjetivo de que a humanidade vai integrando rapidamente os três
aspectos da natureza humana em uma unidade chamada personalidade. Os homens se
convertem continuamente em personalidades e unificam em uma única expressão seus
aspectos físico, emocional e mental, portanto, eles são mais capazes de responder ao raio
da personalidade integrada de Aquele em quem vivem, se movem e têm seu ser.

Portanto, ao considerar o problema da vida do homem poderia afirmar-se que está


poderosamente afetada por duas influências maiores que fazem impacto no reino humano:
o raio cósmico do sistema solar, o Raio de Amor-Sabedoria, e o raio cósmico do planeta,
que é o raio da personalidade do Logos planetário, o raio de Inteligência Ativa ou
Adaptabilidade. O homem pode ser definido como uma unidade de vida consciente levada
à expressão tangível mediante o amor discriminador de Deus. Pelas experiências de sua
vida lhe são apresentadas inumeráveis decisões que vão gradualmente do reino do
tangível ao intangível. À medida que atrai ou é atraído pela vida de seu meio ambiente, se
faz cada vez mais consciente de uma série de valores em mudança, até que chega a um
grau de desenvolvimento em que a força ou atração magnética do mundo subjetivo e das
realidades intangíveis mentais e espirituais, são mais potentes do que os fatores que até
agora o fizeram seguir adiante. Seu senso de valores já não está determinado por:

1. A satisfação de natureza animal instintiva.


2. Os desejos de um tipo mais emocional e sentimental de seu corpo astral.
3. A atração e os prazeres da natureza mental e os apetites intelectuais.

A alma o atrai poderosamente, o que produz uma tremenda revolução em sua


vida, uma palavra que aplicada em seu verdadeiro sentido significa uma volta
completa. Isso acontece atualmente em escala universal na vida dos indivíduos e
representa um dos fatores principais que produzem a atual potencia das idéias
experimentadas no mundo moderno. O poder atrativo da alma aumenta constantemente e
a atração da personalidade se enfraquece paralelamente. Tudo isto tem sido conseguido
pelos experimentos que conduzem à experiência; pela experiência que leva a utilizar em
forma mais inteligente os poderes da personalidade; pela crescente apreciação do
verdadeiro mundo de valores e realidades, e pelo esforço feito pelo homem a de
identificar-se com o mundo dos valores espirituais e não com o mundo de valores
materiais. O mundo dos significados e das causas se converte gradualmente no mundo

onde este seu


empregar encontra
tempoaefelicidade; a seleção
poderes, estará daquilocondicionado
finalmente que mais o pelos
interessa e no quevalores
verdadeiros decidiu
espirituais. Então se achará o caminho da iluminação. Eu tratei de expressar os efeitos
dessas duas influências principais de raio nos termos do místico e do filósofo; em verdade
tudo o que eu disse aqui poderia ser expressar cientificamente e em fórmulas científicas
193
se o homem estivesse preparado mentalmente para compreendê-las. Mas ainda não é
possível. Todas estas vibrações de raios, não importa quais sejam, podem oportunamente
ser reduzidas a fórmulas e símbolos.

A reação ao meio ambiente, a resposta sensível às influências de raios que


governam e se expressam através das formas que compõem o meio ambiente do homem,
um crescente poder de discriminar entre energias e forças, o lento desenvolvimento do
sentido de valores (sentido que eventualmente dispersa as ilusões mental e astral e revela
a realidade) e a transferência do discriminado interesse pelo mundo das experiências
concretas, da vida emocional e do interesse mental
– tudo isso expressa o efeito da
interação entre os dois raios do sistema solar e do planeta, que ao se misturar, se
derramam através do gênero humano e o afetam.

Uma das coisas mais difíceis que enfrentam hoje os Mestres é provar aos homens
que os antigos e reconhecidos valores e o mundo tangível dos fenômenos (físicos e
emocionais), devem ser relegados para o seu devido lugar no fundo da consciência do
homem e que as realidades intangíveis e o mundo das idéias e das causas devem ser
para ele, no futuro imediato, o principal centro de sua atenção. Quando o homem
compreender isso e viva de acordo com esse conhecimento, então desaparecerá a
miragem que prevalece no mundo. Se refletirem sobre isso reconhecerão que a grande
crise de 1914-1918 realizou um valioso trabalho que fez desaparecer a miragem da
segurança material em que viviam homens e também destruiu grande parte do seu
egoísmo instintivo e sensual. Além disso se começa já a reconhecer que o que importa é o
grupo e que o bem-estar individual só é importante na medida em que a unidade é uma
parte integrante do grupo. Isto não destruirá a iniciativa nem a individualidade. Os erros
tão penosos que cometemos em nossas experiências iniciais se devem à nossa imperícia
ao empregar a faculdade discriminativa. Este processo de destruir a ilusão mundial
continua desde então em grande escala; em todos os países, mediante os diversos
experimentos que se realizam, está desaparecendo a miragem e surgem os verdadeiros
valores de bem-estar, da integração e do progresso grupais. O sentido de insegurança,
aspecto tão angustiante do caos atual, se deve simplesmente à destruição do antigo

sentido de valores,
desconhecido, a dispersão
e o medo da miragem,
e instabilidade o queo revela
que sente homemna atualidade
quando um panorama
se confronta com o
mundial "Morador do Umbral", que deve ser desintegrado e destruído porque obstrui o
caminho para o novo mundo de valores. A grande forma mental que foi construída pela
ganância e materialismo do homem no transcurso das épocas se está derrubando
constantemente, e o gênero humano está à beira da liberação que o conduzirá à Senda
do Discipulado. Não me refiro à liberação final, mas sim à que vem da livre decisão
sabiamente utilizada e aplicada para o bem do todo e condicionada pelo amor. Observem
que digo "sabiamente utilizada." A sabedoria ativa e motivada pelo amor, e
inteligentemente aplicada aos problemas mundiais, é hoje muito necessária, o que não foi
ainda descoberto, exceto pela poucas almas iluminadas de todas as nações
– repito: de
todas as nações, sem exceção. Deve haver mais pessoas que saibam amar com

sabedoriaconhecer,
devemos e apreciem aspiração
a qual surgirá grupal, antes
das trevas quede podermos
estamos vernoaprocesso
agora próxima de
realidade que
dissipar.

194
3. O Raio do Quarto Reino

Agora tocaremos brevemente um tema obscuro e difícil, que interessa


principalmente aqueles que trabalham com a Lei de Analogia ou Correspondência. Os
esotéricos devem recordar que todos os reinos da natureza constituem uma totalidade de
vidas. Cada átomo que existe em cada forma da natureza é uma vida, e estas vidas
constituem as células do corpo de um Ser ou veículo em manifestação. Existe um Ser
incorporado a cada reino da natureza. Assim como as miríades de vidas atômicas no
corpo humano constituem o corpo de expressão do homem e formam sua aparência, o
mesmo sucede com a grande Vida que dá forma ao quarto reino da natureza. Esta
aparência– como todas as aparências– se acha qualificada por algum tipo particular de
raio, determinada também pelo princípio vital ou aspecto espírito. Assim, cada forma é
composta de inumeráveis vidas nas quais prepondera alguma qualidade de Raio. Esta é
uma platitude ocultista. Estas vidas qualificadas produzem a aparência fenomênica,
constituindo, assim, uma unidade por meio da influência do princípio integrador sempre
presente.

O raio que rege a soma total do reino humano é o quarto raio da Harmonia através
do Conflito. Poderia dizer-se simbolicamente que o raio egóico da Vida que dá forma a
família humana é o quarto raio, e o da personalidade é o quinto raio do conhecimento
através da discriminação – denominado raio do Conhecimento Concreto ou Ciência. A
harmonia através do conflito e o poder de adquirir conhecimento pela decisão
discriminadora– estes são os dois raios ou influências maiores que passam através de
toda a humanidade e a impulsionam em direção a seu destino divino. Constituem os
fatores predisponentes com que o homem pode contar e dos que dependem
infalivelmente. São a garantia de realização e também das dificuldades e a dualidade
temporária. A harmonia, expressando-se em beleza e poder criador, se adquire mediante
a luta, a tensão e o esforço. O conhecimento, expressado oportunamente pela sabedoria,
só se alcança pela angústia que causam as decisões, apresentadas sucessivamente, as
quais ao ser submetidas à inteligência discriminadora durante o processo da experiência
de vida, produzem finalmente o sentido dos verdadeiros valores, a visão do ideal e a

capacidade de diferenciar a realidade que está por trás da ilusão que se interpõe.
Aqueles que estudam esoterismo devem ter em conta que o quarto raio tem uma
relação natural com o quarto reino da natureza, que por sua vez é a manifestação inferior
da quarta Hierarquia criadora. Esta unificação dos três resultados principais da atividade
dessa grande Vida pode enumerar-se como:

1. O poder ou vida, que tende sempre a harmonia e a eventual beleza, o quarto raio.

2. A hierarquia criadora de mônadas humanas (por pouco que estas o compreendam)


já atingiu a sabedoria e, na verdade, são atualmente os filhos divinos de Deus.

3. sua
O quarto reino
vez são da natureza, aresultado
impulsionados da atividade
esta atividade evolutiva
pelo quarto dos anteriores, que por
Raio.

Essencialmente esta é a verdadeira sucessão apostólica, pois proporciona a tríplice


linha de energia dirigida. Produz a manifestação humana no quarto globo da nossa cadeia
195
terrestre, e nesta quarta ronda é responsável pela tremenda crise que a atual humanidade
é confrontada. O aspecto conflito do processo atingiu o máximo, e ultrapassou mesmo o
máximo, desde o ponto de vista da manifestação no plano físico. Esta situação e tríplice
influência, que produz a manifestação dos filhos de Deus, está resumida com as palavras
lapidares do Antigo Comentário, quando recordarmos que expressam a larga agonia da
prova passada pela humanidade e a abertura da porta para o homem do quinto reino do
ser espiritual. Estas palavras incluem em seu significado sua meta e objetivo, e o processo
pelo qual o homem o logra:
"Os Quatro Sagrados descem de seus lugares celestiais e se
aventuram na esfera da Terra. Desde o quarto grande plano controlam a
batalha.
"O Senhor da Harmonia, sentado no alto, derrama toda sua vida e
força sobre o campo de conflito. Vê o fim desde o princípio, e não detém sua
mão ainda que a dor e agonia sejam profundas. A paz deve ser o objetivo.
Deve lograr-se a beleza. Não pode então deter a vida e evitar que aflua.
"Os Quatro do Meio, que tem descansado desde sua campanha
anterior, cingem suas armaduras e se ocultam detrás da forma externa.
Abandonam a quarta grande esfera de harmonia e passam ao plano da
mente. Ali fortificam o templo do Senhor, o iluminam com luz e glória, e logo
voltam seus olhos para a Terra.
"Os Quatro Inferiores tomam formas nas vidas que não são humanas
e os três grupos de vidas que habitam abaixo do limiar. Tratam de vincular,
mesclar, ligar, e fundir. O gênero humano agora vive. Os quatro superiores e
os quatro do meio se reúnem aos quatro inferiores no quarto grande globo.
"A batalha prossegue. Quando os três grupos dos quatro
manifestados podem ver-se mutuamente na luz e quando fundem
posteriormente suas forças, a meta será alcançada.
"No quarto globo de ação e no ciclo maior da quarta expressão se
completará a fusão. Os quatro inferiores fundidos nos quatro do meio
abandonarão o tríplice mundo de conflitos e encontrão sua morada, enquanto

estejam na forma,
superiores. Assimdentro da quarta esfera
se estabelecerá de onde vieram
a regência, se verá os a
quatro regentes
glória e se
demonstrará o poder da hierarquia.
"Na quarta raça (Atlante– A.A.B.) começou o conflito e nasceu a
consciência. Na quinta raça (Ariana
– A.A.B.), terá lugar a crise da batalha, e
os quatro inferiores e os quatro do meio começarão a unir suas forças. E a
sexta raça se dissipará na poeira da batalha. Os quatro inferiores, os quatro
do meio e os quatro superiores cantarão em uníssono a glória do Senhor, a
beleza do Amor de Deus e o prodígio da fraternidade do homem. Este é seu
hino triunfal ".

Falando esotericamente (não em forma simbólica, pois existe uma diferença entre

de força
esses dois
são
modos
ajustadas
expressar-se,
e existe que
um os
livre
estudantes
intercambio
devem
de energias
ter em conta),
e umquando
canal alinhado
as linhase
direto entre os distintos aspectos da divindade, então teremos realização e beleza. Tal é o
tema da ante dita formulação da verdade, a qual encerra uma profecia simbólica. A

196
mesma idéia foi exposta em uma afirmação ainda mais antiga e concisa, que deve
compreender-se e reduzir-se a uma fórmula mântrica, ao receber-se a quarta iniciação:

"Quando as forças dos quatro, repetidas três vezes, se convertem no


quatro; então a Vida de ... Revela-se em beleza."

É interessante notar que em idioma inglês o valor numérico da palavra "four"


(quatro) é o mesmo que a palavra "force" (força) se o número cinco é eliminado. Para a
humanidade a quinta energia conduz ao campo de batalha, a energia da mente
discriminadora, que ao ser empregada, controlada e transmutada, em seu devido tempo,
"só ficam as quatros restantes e a força há desaparecido." Observe o detalhe
numerológico:

F O R C E (Força)
6 6 9 3 5 ..........29............... 11. Número do adepto que utiliza energia.

F O U R (Quatro)
6 6 3 9.............24 ............... 6. O criador que unifica o subjetivo e o objetivo.

É evidente que força no primeiro grupo termina em separatividade, porque cinco é


o número da mente e do homem. O número nove, o número da iniciação, está oculto na
metade da palavra força, mas os algarismos culminantes indicam atividade e
separação. No segundo grupo de números, a atividade precede ao nove da iniciação, e
esse nove é a culminação. Mas o cinco foi omitido. O homem já não é realmente humano
ou separatista, mas sim o quatro perfeito dos três inferiores da alma. Para explicar a
verdade em forma simples se deve ter presente que o gênero humano, o quarto reino,
expressão da quarta Hierarquia criadora de mônadas humanas, é arrastado pelo instinto
ou impulso em direção à harmonia, e se acha principalmente sob a influência do quarto
raio. Esta harmonia é conseguida mediante a utilização da energia do quinto raio de
conhecimento. Então o conhecimento adquirido e aplicado dá por resultado a beleza e o
poder de criarEm seguida, o raio do quinto Senhor será retirado do ciclo maior que rege a

humanidade,
humanidade. então a sabedoria
Existe uma e a resposta
estreita interação neste ciclobúdica
maior, intuitiva caracterizarão
no que concerne a
ao gênero
humano, entre os dois raios dos Senhores da Harmonia e do Conhecimento. Nesta
relação numérica do quatro e do cinco emerge também o número nove da iniciação. Um
adepto da quinta iniciação é aquele que realizou a completa harmonia mediante o correto
conhecimento. Isto tem lugar na quarta iniciação e se demonstrado ou provado na quinta.

Um estudo minucioso dos raios que afetam a humanidade esclarecerá que são
tantos e tão diversos, que a complexidade do tema é muito grande. Numerosas influências
fazem do homem o que ele é, e nada se sabe ainda sobre muitas delas. Nas etapas
iniciais de seu desenvolvimento é quase impossível (exceto para um iniciado) ocupar-se
das diversas fases, ou até mesmo reconhecer os indícios das reações da humanidade a

estes raios. de
mecanismo Mas à medida
resposta que
mais o gênero
apto humano
e refinado evolui
e mais e o easpecto
plástico forma
sensível chega interior,
do homem a ser um
resulta mais fácil fazer definições e análises. Assim surgem com maior claridade os
delineamentos dos diferentes tipos e as qualidades de raio começam a controlar. Então

197
pode observar-se com maior claridade a impressão dos raios que controlam, e
compreender-se com maior exatidão a etapa de evolução alcançada.

Agora trataremos dos raios que predominam nas raças do gênero humano. Seria
conveniente que o leitor comum adote a posição de que, pelo menos para ele, a
informação transmitida até agora e no que concerne aos raios raciais, nacionais e cíclicos,
constituem uma interessante hipótese que pode ser aceita inteligentemente ou
refutada. Este conhecimento logicamente deve ser hipotético durante o transcurso de
várias vidas, no que concerne ao estudante comum. No entanto, quando chegarmos a
tratar os três pontos finais desta seção de nosso tratado, será possível verificar as
informações, correlacionar os tipos de raios e descobrir (pelo estudo das potencias
envolvidas) suas características emergentes e as forças de raios.

Portanto, ao comprovar em detalhe o humano, assentamos as bases para a


aceitação do conhecimento cósmico, solar e planetário. O que se comprova como verdade
em pequena escala, abre a porta para a compreensão do que existe em escala mais
ampla. "Homem, conhece-te a ti mesmo
‖ é a chave poderosa para o conhecimento da
Divindade e da atuação da divindade.

4. Os Raios Raciais
O leitor precisa lembrar que três raios estão ocultamente inativos e quatro estão em
diferentes graus de atividade. Recapitulemos brevemente a fim de que essa idéia se fixe
com claridade em nossas mentes.

Os raios primeiro, quarto e sexto estão atualmente fora de manifestação e, embora


a influência do sexto raio começou a declinar fazem apenas trezentos anos, sua potência,
embora bastante debilitada, ainda pode ser sentida.

Os raios segundo, terceiro, quinto e sétimo são ainda muito potentes. A seguinte
afirmação pode dar uma idéia dos "valores" relativos da influência destes raios.

O terceiro Raio tem estado por mais tempo em encarnação, mas em 1875
ocultamente "terminou de sair e começou a dar volta sobre si mesmo para retornar". Por
isso já começa a minguar. Quando isto ocorre com qualquer tipo de energia, o efeito
produzido é sempre de natureza cristalizadora e tende a produzir "formas fixas que exigem
sua rápida destruição", o que causa condições mentais de natureza estática ou fixa. Disto
se infere claramente que em etapas posteriores da atividade deste raio teremos a
demonstração das atitudes dogmáticas, sectárias e teológicas que marcam, por exemplo,
a decadência e a conseqüente inutilidade das diversas escolas de pensamento que em
seu tempo personificaram as idéias dos homens e bastaram para ajudá-lo durante o
período de crescimento.

Os Por
potência. ciclos
ser do
umsegundo
dos raiosraio se repetem
maiores de nossorapidamente,
sistema solardevido a sua
(do qual todosexcessiva
os outros
raios são apenas aspectos), poderia dizer-se que nunca está fora de manifestação. No
entanto tem constantemente ciclos de potência crescente e minguante, resultante da
interação dos raios que produzem o que se denomina nos antigos arquivos "a intromissão
198
de um ou outro dos sete Irmãos que bloqueiam a porta de onde emerge a força" e "o
desaparecimento desse Irmão radiante que segue seu caminho, deixando aberta atrás de
si uma porta pela qual outro irmão pode passar a cumprir Sua missão preordenada." O
simbolismo é claro. Os ciclos do segundo Raio são dinâmicos e se sucedem em forma
rítmica e regular nesta época e durante os vinte e cinco mil anos que dura um ciclo
zodiacal, em seqüências de quinhentos anos. Por isso em 1825 a potencia deste raio
começou a declinar quando alcançou o cume de seus duzentos e cinqüenta anos de
existência. A retirada gradual desse raio aumentou a separatividade no mundo trazendo
como resultado as guerras européias e a grande Guerra Mundial. Este raio seguirá
declinando durante cento e quarenta anos mais. Isso não significa que a aumentará a
violência física e prevalecerá a guerra. Devido a que a humanidade responde agora mais
às influências de raio, a Hierarquia observadora (por meio do estimulo egóico e a
sensibilidade de certas nações para a orientação interior) pode neutralizar os efeitos mais
evidentes. Isso trará uma interessante variação a respeito da grande importância destes
acontecimentos cíclicos.

O quinto raio, o último dos raios a entrar em atividade, somente está no processo
de entrar no poder. Aumenta constantemente sua potência, e o resultado de sua influência
levará a humanidade a um aumento do conhecimento. Sua energia golpeia a mente dos
homens e causa esse estímulo que reside detrás de toda abordagem científica da
verdade, em todos os setores do pensamento humano. Por ser o raio que rege o aspecto
da personalidade do quarto reino da natureza e um dos raios que determina ou condiciona
nossa raça ariana, sua atual potência é excessiva. Este ponto deve ser bem lembrado
porque explica grande parte do que ocorre no mundo do pensamento.

O sétimo raio se acha também em manifestação desde 1675. O consideraremos


mais detalhadamente quando nos ocupemos com o quinto ponto, intitulado: Os Raios em
Manifestação Cíclica.

Portanto, a interação e a beleza das energias fundidas são atualmente muito


grandes, porque há muitos raios que se manifestam simultaneamente ou estão saindo e,

portanto,
continuar se deve
seu ter em cíclico.
trabalho conta ou que estão
Apenas um muito
raio sepróximos
acha dahojemanifestação a fim de
realmente fora de
manifestação e atua inteiramente nos bastidores – o primeiro raio. Naquilo em que
concerne à humanidade faz sentir sua presença e sua potencia predomina quando se há
alcançado a etapa do discipulado aceito. Aumenta seu poder à medida que se progride no
Caminho. Deste modo começa a reunir-se no aspecto subjetivo da vida um crescente
grupo daqueles que podem atuar debaixo da influência deste primeiro raio. Quando um
número suficiente de filhos dos homens puder agir deste modo, sua resposta conjunta
constituirá um canal através do qual o primeiro raio poderá vir à manifestação. Esta é uma
das principais atividades e objetivos da Hierarquia, e pela correta compreensão dos
resultados da resposta da humanidade às influências de Raio chegará ao reconhecimento
uma lei da natureza até agora desconhecida. Esta lei particular se relaciona com o setor

do Regente do mundo, o Manu.


Será interessante observar aqui que o sexto raio governa o Caminho da provação e
nutre no aspirante os fogos do idealismo.

199
O segundo raio governa o Caminho do discipulado, transmuta o conhecimento em
sabedoria e alimentando também a vida Crística em cada discípulo.

O primeiro raio governa o Caminho da Iniciação, produz o desapego da forma,


destrói tudo o que obstaculiza e fomenta essa vontade dinâmica que capacitará ao iniciado
dar os passos necessários que o conduzirá até o Iniciador.

Note-se que os raios são divididos em dois grupos, por exemplo:


1. Os Raios do Aspecto Raios 1, 2, 3 Os raios maiores.
2. Os Raios de Atributo Raios 4, 5, 6, 7 Os raios menores.

A diferença entre ambos os grupos está muito bem resumida em algumas frases do
Velho Comentário:

"Os sete irmãos são todos filhos do mesmo Pai, mas os três maiores
participam da natureza do Pai. Os quatro mais jovens se assemelham à Mãe.
Os três filhos mais velhos saem para o universo de estrelas e ali representam
o Pai. Os quatro mais jovens se dirigem ao universo de estrelas e demonstram
a natureza de um Pai amado."
Os ciclos dos raios de aspecto são mais prolongados do que os raios de atributos,
e seu curso é ocultamente lento e de efeito cumulativo
– à emedida que transcorrem as
épocas– aumenta constantemente seu impulso. Os ciclos dos raios de atributo são breves
e produzem uma constante pulsação cardíaca e um ritmo regular no sistema solar. Os três
raios de aspecto poderiam considerar-se como a personificação da vontade e do propósito
do Logos encarnado. Os raios de atributo podem analogamente considerar-se como
personificando a qualidade e o caráter do Logos encarnado. Simbolicamente falando, os
três raios maiores são expressões (durante a manifestação) do aspecto egóico do Logos
solar, enquanto os quatro raios de atributo personificam o aspecto de Sua
personalidade. No entanto, deve lembrar-se que os sete expressam na forma o que é

Deus e a medida
estudam os raiosda
e divina intenção. Os
suas influências estudantes
cíclicas sobredevem ter isso presente
a humanidade. à medida
Se recordam queque
a
intenção divina, o propósito universal e o Plano emergem com mais claridade quando está
em manifestação um raio maior, então estarão na expectativa e esperarão grandes
acontecimentos no desenvolvimento racial. Se um raio menor está em manifestação,
teremos um acréscimo de sensibilidade psíquica e o surgimento de uma forma de vida, a
qual expressará a natureza divina mais poderosamente que o Plano Divino.

Esta verdade pode também ser aplicada para o desenvolvimento do indivíduo, e


governará e determinará seu progresso evolutivo, quer do ponto de vista do propósito ou
da qualidade. As vidas que se entregam ao desenvolvimento de um propósito, serão de
um diferente timbre e natureza que as que se dedicam a desenvolver o caráter e a

qualidade. Este é um aspecto psicológico de real importância.


A declaração que acabo de fazer é uma das mais significativas e importantes que
tenho feito até agora neste tratado, e bem merece uma cuidadosa consideração. A
importância que tem logicamente é muito difícil de captar, mas seu significado geral pode
200
ser reconhecido e apreciado pelo estudante investigador. Os raios de aspecto
desenvolvem primordialmente o Plano. Os raios de atributo desenvolvem as qualidades da
Deidade. Isso se aplica ao Logos solar e a um ser humano, à Divindade planetária e à
humanidade como um todo.

A atuação desta verdade pode ser claramente vista na conexão que têm a raça
ariana e os dois raios que regem e controlam seu destino. O terceiro Raio de Atividade
Inteligente ou Adaptabilidade, rege todo o curso evolutivo da raça, e mediante este
procedimento podemos ver como se desenvolve o plano de Deus e a definitiva fusão entre
espírito e matéria por meio da evolução da alma do homem. O resultado desta fusão pode
ser brevemente resumido nos três enunciados seguintes:

1. O grande interesse posto sobre a alma conduz finalmente a reconhecê-la como


resultado de tal fusão e mixagem.

2. A apreciação da divindade da substância e o reconhecimento de que a matéria é a


vestidura externa de Deus, caracterizará a realização intelectual da raça ariana.

3. O plano de Deus estabelece que a humanidade deve controlar a matéria no plano


físico, o qual chega a um elevado ponto de perfeição na raça ariana. Um destacado
exemplo disso é o controle que exerce o homem sobre as forças elétricas do plano
físico.

Estes três importantes desenvolvimentos indicam a atividade gerada pelo terceiro


raio durante o período em que a raça ariana surge do fundo geral racial, se desenvolve
medida que passam as gerações e logo desaparecerá como o fazem todas as
raças. Mediante este processo as almas que aproveitaram esta experiência durante a
manifestação racial passam a outra raça superior, neste caso, a sexta raça raiz. Tais os
resultados principais. Existem outros menores que tendem a aperfeiçoar o divino propósito
em favor da raça, propósito que aspira unicamente alcançar a perfeição relativa e não a
culminação final. A perfeição racial que se logrará como resultado da atividade dos raios

terceiro e quinto,
raça raiz, emboraserá
serávista como
muito apenas
mais parcial
avançada dodesde
que ooalcançado
ângulo, porpela
exemplo, da sétima
raça Atlante ou
quarta raça raiz, que estava sob a influência dominante dos segundo e sexto raios. A flor
de qualquer raça e aqueles que garantem a sua realização são os Mestres, Iniciados e
Discípulos, que durante determinada raça alcançam a meta imposta por suas almas. O
leitor deve recordar que a meta do adepto muda continuamente, e os adeptos da raça
ariana terão um desenvolvimento superior e de categoria mais intelectual do que aqueles
que alcançaram essa etapa durante a raça Atlante. Por isso à medida que passam os
séculos é muito difícil a raça atual cumprir com os requisitos necessários para trilhar a
senda do discipulado. Analogamente, o conhecimento aplicado pelo aspirante ao tentar
alcançar o discipulado, se desenvolve constantemente e sua preparação é cada vez mais
intensa, a fim de estar à altura da oportunidade oferecida. Daí que nos livros de Annie

Besant, OdaÁtrio
caminho Externo
provação e A no
e não Senda do Discipulado,
caminho indicam
do discipulado. os requisitos
O Tratado para iniciar-se
sobre Magia Branca dáno
as informações necessárias para aqueles que na atualidade percorrem o caminho do
discipulado. Estes três livros contêm os requisitos necessários para as duas etapas do
caminho de desenvolvimento consciente.
201
Na época lemuriana o primeiro raio estava ativo em forma singular, o que se deveu
a uma especial dispensação ou esforço por parte da Hierarquia planetária. Com a ajuda do
sétimo raio o trabalho necessário foi realizado. Na época da individualização da
humanidade, entrou em atividade um terceiro raio, o quinto, e o esforço conjunto do
primeiro, do sétimo e do quinto, efetuou a grande fusão entre os aspectos superiores e
inferiores do gênero humano. É interessante observar que atualmente na raça ariana a
influência secundária é a do quinto raio, vinculando assim as civilizações Lemuriana e
Ariana. Ambas foram e são civilizações intensamente materialistas, mas a lemuriana foi
materialista porque toda a atenção da Hierarquia estava dirigida ao desenvolvimento do
homem físico, enquanto que hoje a atenção não está dirigida ao desenvolvimento físico do
homem, mas sim ao esforço que lhe permitirá controlar as forças físicas do planeta. Deve
observar-se aqui um exemplo notável da semelhança entre as forças de raios. Na época
lemuriana, o yoga da época que produziu a necessária unificação (prévia ao recebimento
da iniciação de então) foi o Hatha Yoga, o yoga do corpo físico, que transmitiu ao iniciado
o controle físico necessário
– controle que tem se aperfeiçoado tanto atualmente na raça
que é automático, e caiu abaixo do limiar da consciência. Nas grandes recapitulações
cíclicas que se fazem incessantemente, vemos hoje a tremenda ênfase que a raça ariana
dá a perfeição física, ao esporte, atletismo, dança e cultura física, que é o efeito cíclico
dessas mesmas forças de raio atuando novamente sobre a humanidade. A meta iniciática
de hoje é a unificação mental. No entanto, a reação física às forças de raio produz uma
forma mais elevada de Hatha Yoga ou coordenação motora, pontos que serão elucidados
mais adiante.

A influência secundária do quinto raio do Conhecimento Concreto ou Ciência leva


adiante a raça ariana. Como vimos, este foi um dos raios que produziu a individualização a
milhões de anos atrás, e lançou o gênero humano no caminho do retorno. Volta agora
novamente ao poder, e embora tenha tido muitos ciclos de atividade desde os dias
lemurianos, em nenhum dos ciclos dominou com tanta liberdade como no atual. Disto
provém o enorme poder dos indivíduos desta época e daí a dificuldade e também a
oportunidade. Este raio é de qualidade, e estimula a aquisição de conhecimento e o

desenvolvimento
produz o aumento do intelecto humano,
da percepção de Deus.instrumento de excepcional sensibilidade que

Poderia dizer-se que na época lemuriana o efeito desse raio era estimular a
natureza instintiva, permitindo perceber a natureza forma da Deidade. Durante os dias
atlantes, pela influência do segundo raio, o instinto começou a fundir-se com o intelecto e
desenvolveu este aspecto da natureza do homem denominado nos livros teosóficos kama-
manas, palavra que significa simplesmente uma mescla de desejo, sentimento e mente
inferior – curiosa síntese que caracteriza hoje o homem comum e dá srcem ao seu
complicado problema. Este desenvolvimento conferiu ao homem um outro tipo de
percepção. Chegou a ser sensoriamente consciente do universo e também sensível ao
amor de Deus, e registrou uma inata reação ao coração de Deus. Hoje, sob a influência do

quintoda
limiar raio, o intelectokama-manas
consciência; está despertando
já nãorapidamente; o instinto
é a característica está dos
marcante caindo abaixo do
discípulos
mundo. O intelecto (concreto e abstrato, inferior e superior) se desenvolve
constantemente, e a medida que o faz, a vontade, o propósito e o plano da Deidade
começam a tomar forma na mente dos homens. Os efeitos secundários deste
202
desenvolvimento são o poder de organizar e de trabalhar individualmente com um
propósito definido, demonstrado hoje pelos indivíduos em todos os campos da atividade
humana. Evidenciam a capacidade de pressentir o Plano de Deus e colaborar com
ele; vêem o amplo delineamento geral do divino propósito e compreendem mais do que
nunca o grande plano evolutivo. Os homens constroem agora para o futuro, porque
vislumbraram o passado e tem feito contato com a visão.

Mais adiante teremos outro período de transição, análogo ao período em que


desenvolveu Kama-manas, então a raça inteira evidenciará uma desenvolvida síntese do
intelecto e da intuição, preparatória para essa etapa avançada que virá ao finalizar a
próxima sexta raiz. Isso nos coloca em um período que terá lugar dentro de dez milhões
de anos, quando o intelecto, por sua vez, haja deslizado abaixo do limiar da consciência,
como o fez o instinto. Então atuará automaticamente, como o faz a natureza instintiva do
homem e a raça será intuitiva. Isto em realidade significa que se manifestará na Terra o
quinto reino da natureza, e que haverá chegado o reino de Deus (como o denomina o
cristão). Constituirá um acontecimento tão importante como o advento do quarto reino,
quando apareceu o homem na terra. A próxima grande raça será regida pelo segundo e
quarto raios, demonstrando assim uma relação entre a quarta raça raiz, a atlante, e a
sexta raça raiz. Em termos de consciência, isto pode expressar-se como a relação que
existe entre o desenvolvimento astral-emocional e o desenvolvimento intuitivo-budhico. A
última raça será regida pelo primeiro, sétimo e segundo raios.

Creio haver dado tudo o que poderão captar deste abstruso tema. A classificação
dos raios que regem as raças, poderia dizer-se que é:

Raça Lemuriana Raio 1. 7. 5.


Raça Atlante Raio 2. 6.
Raça Ariana Raio 3. 5.
Sexta Raça Raio 2. 4.
Sétima Raça Raio 1. 7. 2.

5. Os Raios em Manifestação Cíclica


Agora consideraremos as forças que prevalecem na atualidade, daí a suprema
importância em relação com o que vou expor. Em primeiro lugar poderia dizer-se que o
principal problema atual se deve a que atuam simultaneamente dois raios de grande
potência. Seus efeitos se acham agora tão bem equilibrados que se produziu uma
situação que está descrita nos antigos arquivos como "A época em que os topos das
montanhas protetoras se despencaram de seu lugar elevado, e as vozes dos homens se
perdem no estrondo e barulho da queda". Estes períodos só ocorrem em raros e largos
intervalos, e cada vez que eles vêm se inicia período um peculiarmente significativo de
divina atividade. As antigas coisas desaparecem mas, no entanto, marcos antigos são
restaurados. O sétimo raio de Ordem Cerimonial ou Ritual, está entrando em

manifestação.
sétimo O sexto
raio trará raio de Idealismo
a manifestação ou visualizado
do que foi Visão Abstrata, está saindo
e também do quelentamente. O
constituiu os
ideais do ciclo precedente da atividade do sexto raio. Um raio prepara o caminho para o
outro, e a razão de que se manifeste um ou outro depende do Plano e do Propósito
divinos. Não é freqüente que dois raios sigam um ao outro em regular seqüência
203
numérica, como acontece agora. Quando isso sucede, os efeitos seguem a causa
rapidamente e isto poderia ser a base de segura esperança.

a. O CESSANTE SEXTO RAIO

A influência do sexto raio serviu para levar às mentes dos homens até um ideal, por
exemplo, o sacrifício ou serviço individual. Nesse período a missão mística foi o mais
elevado que podia lograr-se, e os numerosos guias místicos apareceram no Ocidente e
Oriente. A influência do sétimo raio produzirá com o tempo o mago, mas nesta era
praticará predominantemente a magia branca (não como sucedia nos dias atlantes, que
predominava o egoísmo ou a magia negra). O mago branco trabalha com as forças da
natureza e as devolve a humanidade avançada para que as controle. Isso bem pode ver-
se já atuando por meio dos cientistas que surgiram em finais do século passado e no
século XX. Também é verdade que grande parte de seu trabalho mágico tem sido dirigido
para canais egoístas devido à tendência desta era materialista, e muitos de suas
descobertas sábias e verdadeiras, realizadas no reino da energia, foram adaptadas aos
fins que hoje servem ao ódio e ao amor próprio do homem. Mas isso de nenhuma maneira
milita contra suas maravilhosas realizações. Quando se transmute o motivo do interesse
puramente científico em amor a revelação divina, e quando o serviço a raça seja a força
determinante, então teremos a verdadeira magia branca. Portanto, temos aqui a
necessidade de transformar o místico em ocultista e treinar o moderno aspirante sobre o
correto motivo, o controle mental e o amor fraternal, todos os quais devem e vão se
expressar através da inofensividade, que é a força mais poderosa que existe na
atualidade. Não me refiro a não-resistência, mas a essa atitude mental positiva que não
pensa mal. Aquele que não tem pensamentos ruins nem faz mal a ninguém, é um cidadão
do mundo de Deus.

Devem ter-se presentes as seguintes relações que existem entre o sexto e sétimo
raios; os estudantes deveriam compreender a relação que há entre o passado e o futuro
imediato, e ver nele o desenvolvimento do Plano de Deus e a futura salvação da raça:

a. O sexto raio fomentou a visão.


O sétimo raio materializará o que foi visualizado.

b. O sexto raio produziu o místico, como o tipo máximo de aspirante.

O sétimo raio desenvolverá o mago que trabalha no campo da magia branca.

c. O sexto raio, como parte do plano evolutivo, conduz a separatividade, ao


nacionalismo e ao sectarismo, devido à natureza seletiva da mente e sua
tendência a dividir e separar.

O sétimoe raio
espírito conduzirá a fusão e síntese, porque o tipo de sua energia funde o
a matéria.

204
d. A atividade do sexto raio conduziu à formação de grupos de discípulos que
trabalham em grupo, mas não em estreita relação e sujeitos a desavenças
internas, baseadas nas reações da personalidade.

O sétimo raio treinará e produzirá grupos de iniciados que trabalharão em


uníssono com o Plano e um com o outro.

e. O sexto raio proporcionou o sentido de dualidade a uma humanidade que se


considera uma unidade física. Expoentes desta atitude são os psicólogos
acadêmicos materialistas.

O sétimo raio introduzirá o sentido de uma unidade superior; primeiro, a da


personalidade integrada das massas e, segundo, a fusão da alma e do corpo
nos aspirantes do mundo.

f. O sexto raio estabelece uma diferença desse aspecto da energia universal


elétrica conhecida como eletricidade moderna, produzida para servir aos fins
materiais do homem.

O periódico sétimo raio familiarizará o homem com esse tipo de fenômeno


elétrico que produz a coordenação de todas as formas.

g. O sexto raio produziu, devido à sua influência, o surgimento nas mentes dos
homens dos seguintes conhecimentos:
1. O conhecimento da luz e da eletricidade no plano físico.
2. O conhecimento, entre esotéricos e espíritas, da existência da luz astral.
3. O interesse pela iluminação tanto física como mental.
4. A astrofísica e as novas descobertas astronômicas.

O sétimo raio mudará as teorias dos pensadores avançados da raça e as


converterá em realidades nos futuros sistemas de educação. A educação e a

crescente compreensão
consideradas a respeito
oportunamente como da iluminação
ideais em todos os campos, serão
similares.

h. O sexto raio ensinou o significado do sacrifício, e este ensinamento, a


crucificação, foi o emblema excepcional para os iniciados. A filantropia foi
expressão do mesmo ensinamento para a humanidade avançada. O
problemático ideal de simplesmente "ser gentil" encerra a mesma motivação,
aplicado às massas irreflexivas.

O sétimo raio trará para a consciência dos futuros iniciados o conceito do


serviço e o sacrifício grupais. Isso inaugurará a era do "serviço divino". A visão
da doação do indivíduo ao sacrifício e serviço, dentro do grupo e para o ideal do

grupo,
que seráoa resto
para meta da
da massa de pensadores
humanidade avançados
a fraternidade na aNova
será Era,de
tônica enquanto
seu
esforço. Estas palavras têm uma conotação e significado mais amplos do que
podem saber e compreender os pensadores de hoje.

205
i. O sexto raio promoveu o crescimento do espírito individualista. Os grupos
existem, mas são grupos de indivíduos reunidos em torno de um indivíduo.

O sétimo raio fomentará o espírito grupal, o ritmo, o objetivo e as atuações


rituais do grupo serão os fenômenos fundamentais.

j. A influência do sexto raio transmitiu aos homens a capacidade de reconhecer o


Cristo histórico, e desenvolver a estrutura da fé cristã colorida pela visão de um
grande Filho de Amor, mas qualificado por uma excessiva militância e
separatividade, baseadas em um estreito idealismo.

O sétimo raio transmitirá aos homens o poder de reconhecer o Cristo cósmico e


produzir a futura religião científica da Luz, que lhe permitirá cumprir o mandato
do Cristo histórico e deixar que brilhe sua luz.

k. O sexto raio produziu as grandes religiões idealistas com sua visão e estreiteza
necessárias– estreiteza imprescindível para proteger as almas infantis.

O sétimo raio liberará da etapa infantil as almas desenvolvidas e introduzirá a


compreensão científica do propósito divino que fomentará a futura síntese
religiosa.

l. O efeito produzido pela influência do sexto raio fomentou os instintos


separatistas – religião dogmática, exatidão factual científica, escolas de
pensamento com suas barreiras doutrinárias e excludentes e o culto à pátria.

O sétimo raio preparará o caminho para o reconhecimento de premissas mais


amplas, que se materializarão como a nova religião mundial que acentuará a
unidade, excluindo a uniformidade, e preparará para essa técnica científica que
fará perceber a luz universal que todas as formas velam e ocultam, e o
internacionalismo se manifestará como fraternidade prática e como paz e boa

vontade entre os povos.


Poderia seguir enfatizando estas relações, mas esta enumeração é suficiente para
demonstrar a beleza da preparação realizada pelo sexto grande Senhor do Idealismo, e
levar a cabo o trabalho do Sétimo Senhor do Cerimonial.

b. O SÉTIMO RAIO ENTRANTE

Seria prudente elucidar em parte a idéia que subjaz no cerimonial e no


ritual. Atualmente há muita oposição ao cerimonial e um sem número de pessoas boas e
bem-intencionadas que se consideram como tendo superado e transcendido o ritual. Se
orgulham de haver alcançado o que chamam "liberação", esquecendo que só o sentido de

individualidade
grupal os faz
sem alguma adotar
forma de essa
ritual.atitude, e quea éparticipar
Recusar-se impossívelda fazer qualquer
atividade trabalho
uniforme não
significa ser uma alma liberada.

206
A Grande Fraternidade Branca tem seus rituais, cujo objetivo é introduzir e ajudar a
realizar os distintos aspectos do Plano e as diversas atividades cíclicas desse Plano. Onde
se pratiquem esses rituais, quando seu significado (inerentemente presente) permanece
oculto e incompreendido, deve haver como conseqüência a expressão de um espírito de
inércia, inutilidade e desinteresse pelas fórmulas e cerimônias. Quando se explica que o
ritual e a cerimônia organizados são apenas guardiões de forças e energias, então a idéia
é verdadeiramente construtiva em seus efeitos, a cooperação com o Plano se torna
possível, então começará a demonstrar o objetivo de todo o serviço divino. Todo serviço é
regido pelo ritual.

A entrada do sétimo raio conduzirá a esta desejada culminação, e os místicos que


se treinam nas técnicas do motivo oculto e nos métodos do mago treinado, acharão que
estão colaborando inteligentemente com o Plano e participando nos rituais fundamentais
que se caracterizam pelo poder de:

a. Capturar as forças do planeta e pô-las a serviço da raça.

b. Distribuir as energias que produzem em qualquer reino da natureza efeitos


desejáveis e aspectos benéficos.

c. Atrair e redistribuir as energias que se acham em todas as formas dos diversos


reinos subumanos.

d. Curar mediante um método científico que consiste em unir a alma com o corpo.

e. Produzir a iluminação pela correta compreensão da energia da Luz.

f. Desenvolver o futuro ritual que revelará com o tempo a verdadeira significação


da água, revolucionará seus usos e permitirá ao homem passar livremente ao
plano astral, plano do desejo-emocional, sendo seu símbolo da água. A futura
era Aquariana revelará ao homem (o que facilitará também o trabalho do sétimo

raio)
massasqueestão
esse hoje
planototalmente,
é seu lar mas
natural nesta etapa de desenvolvimento.
inconscientemente, As
polarizadas em dito
plano. Devem tornar-se conscientes de sua atividade. O homem está em
vésperas de estar normalmente desperto no plano astral, e este novo
desenvolvimento se logrará mediante rituais científicos.

A influência do sexto raio produziu a aparição da moderna ciência da psicologia, e


ela tem sido a sua glória culminante. A influência do sétimo raio fará que essa ciência
infantil atinja a maturidade. A crença na alma se difundiu durante o período do sexto
raio. A atividade do raio entrante, além da ajuda prestada pelas energias liberadas durante
a entrante era aquariana, trará como resultado o conhecimento da alma.

A nova
evidente que opsicologia esotérica
Tratado sobre se Branca
Magia desenvolverá de forma constante.
tem definitivamente Portanto, éde
uma importância
sétimo raio, e este Tratado sobre os Sete Raios é divulgado como um esforço para
esclarecer o significado das entrantes influências espirituais. Uma das primeiras lições que
aprenderá a humanidade sob a potente influência do sétimo raio é que a alma controla seu
207
instrumento, a personalidade, mediante o ritual ou pela imposição de um ritmo regular,
porque o ritmo define realmente o ritual. Quando os aspirantes ao discipulado impõem um
ritmo em suas vidas o denominam disciplina e se sentem muito feliz por isso. Os grupos
que se reúnem para realizar qualquer ritual ou cerimonial (ritual da igreja, o trabalho
maçônico, o treinamento no exército ou na marinha, organizações comerciais, a correta
direção de uma casa, um hospital, um espetáculo, etc.) são natureza análoga, porque
obrigam os participantes a uma atividade simultânea e a um empreendimento ou ritual
idênticos. Ninguém, nesta terra, pode evadir do ritual ou cerimonial, porque também o
nascer e pôr do sol impõe um ritual, assim como o transcurso cíclico dos anos, os
poderosos movimentos dos grandes centros populacionais, o ir e vir dos trens, dos
transatlânticos e do correio, bem como as contínuas transmissões de rádio, tudo isso
impõe um ritmo à humanidade, o reconheça ou não. Os atuais grandes experimentos da
padronização e arregimentação são também uma expressão desses ritmos, pois se
manifestam através das massas de qualquer nação.

Resulta impossível evitar o processo cerimonial no viver. É reconhecido


inconscientemente, seguido cegamente, constituindo a grande disciplina da respiração
rítmica da própria vida. A Deidade trabalha com o ritual e está submetida ao cerimonial do
universo. Os sete raios entram em atividade e saem novamente sob o impulso rítmico e
ritualista da Vida divina. Assim também se constrói o templo do Senhor pelo cerimonial
dos construtores. Todos os reinos da natureza estão sujeitos à experiência ritualística e
aos cerimoniais de expressão cíclica. Isso só pode compreendê-lo o iniciado; cada
formigueiro e cada colméia está analogamente impelida por rituais instintivos e os
impulsos rítmicos. A nova ciência da psicologia poderia muito bem ser descrita como a
ciência dos rituais e ritmos do corpo, da natureza emocional e dos processos mentais, ou
por aqueles cerimoniais (inerentes, inatos ou impostos pelo Eu, as circunstâncias e o meio
ambiente) que afetam o mecanismo através do qual atua a alma.

É interessante observar como o sexto raio, que produziu nos seres humanos o
sentido de separatividade e o pronunciado individualismo, preparou o caminho para o
poder organizador do sétimo raio. É quase como se (para falar simbolicamente) os

executivos, que devem


Nova Era, tivessem sidoassumir a cargo
treinados a reorganização
e preparados do mundo,
pela influência quepreparando-o para a
está saindo para
desempenhar sua tarefa. Em todas as grandes nações se efetua hoje, praticamente, um
prévio processo de limpeza para a vindoura revelação, e os executivos e ditadores que
fomentam este realinhamento e reajuste são os especialistas que os gênios de cada
nação têm apresentado para resolver os peculiares problemas que as afetam. Estes são
predominantemente executivos do sétimo raio, cuja tarefa é reorganizar o mundo sobre
novas modalidades; são técnicos em eficiência material, enviados para ocupar-se dos
assuntos internos e iniciar essa atividade que eliminará os fatores que impedem a nação
envolvida de atuar como uma totalidade, ou unidade integrada e coerente. Estas
dificuldades e desordens internas se devem à falta de síntese e harmonia internas que (se
prolongadas) impedem uma nação de contribuir com algo ao mundo das nações e as

conduzressaltar
fazem a uma desordem tão intensa
os aspectos queda
errôneos só verdade.
sobem aoUm
poder
entepersonagens impróprias ee se
nacional desarmônico
desordenado é uma ameaça para a comunidade das nações, daí que se deve eliminar a
separatividade e efetuar os reajustes necessários para que se torne uma realidade a
Federação das Nações.
208
No entanto, a nova era está a caminho e nada pode impedir o desígnio das estrelas
e o que prevê a Hierarquia das Mentes orientadoras. Os novos executivos que sucederão
os atuais ditadores e potências assumirão o cargo do controle lá para o ano de 1955, e
serão em sua maioria aspirantes e discípulos do sétimo raio, e sua capacidade para lograr
a interação e a fusão em linhas corretas produzirá rapidamente a necessária compreensão
internacional.

A questão que surge em mente quanto ao fato de que tal profecia realmente será
cumprida, e se não se cumpra não seria em detrimento do que expus e se me consideraria
indigno de confiança? Permita-me responder a esta pergunta dizendo que o que
prognosticamos o que pode e deve ser, sabemos que o cumprimento da profecia é
inevitável, no entanto, o fator tempo talvez não possa ser estipulado, e isso será assim
porque o angustiado mecanismo humano daqueles a quem é confiada a tarefa, poderá
não reagi corretamente ou a seu devido tempo. Estes aspirantes e discípulos do sétimo
raio poderão cometer erros e desempenhar seu trabalho de tal maneira que se atrasem os
acontecimentos, mas lhe foi dado um delineamento geral da tarefa transmitida por suas
próprias almas e trabalham inspirados por essas grandes e liberadas almas que
chamamos Mestres da Sabedoria, mas de acordo com o Plano não exercem coerção nem
obrigam ou ordenam o serviço a ser prestado. Grande parte do êxito nos próximos
importantes anos depende do trabalho realizado por aqueles que estão afiliados (ainda
que seja superficialmente) ao Novo Grupo de Servidores do Mundo. Se educa-se o público
sobre os novos ideais, o impulso desta maré crescente facilitará grandemente o trabalho
destes executivos do sétimo raio e em alguns casos constituirá a linha de menor
resistência. Portanto, o fracasso se deverá aos aspirantes e discípulos mundiais e não à
imprecisão da profecia, nem as condições astrológicas mal interpretadas. Em qualquer
caso, o fim profetizado é inevitável, mas quando se cumprirá, está nas mãos da
humanidade que houver despertado; a diferença de tempo será entre cem ou trezentos
anos. O impulso que conduz à síntese é agora demasiado forte para demorar.

A Fraternidade Maçônica entrará, sob a influência do sétimo raio, a uma nova e

acentuada atividade
destino previsto espiritual,
a longo se Aqui
tempo. aproximará de sua verdadeira
pode observar-se função e cumprirá
algo interessante. Duranteseu
o
período de atividade do sexto raio a Fraternidade e muitos círculos agrupados adotaram
uma atitude sectária e cristalizada. E também caiu na armadilha do materialismo, e a
forma externa, durante séculos, tem tido mais importância para os maçons do que o
significado espiritual interno. Se tem enfatizado os símbolos e alegorias, e foi esquecido o
que estava destinado a transmitir e revelar aos iniciados. Ademais a Loja Maçônica teve, e
pôs grande atenção e especial ênfase sobre a função e o lugar que corresponde ao V.M. e
não sobre o significado interno do trabalho que se leva a cabo no chão do templo. A loja
não foi considerada como uma entidade ativa e de funcionamento integrado. Isto deve
mudar e mudará, e se expressarão o poder e a eficiência do cerimonial e do trabalho da
loja. Se verá que a regularidade dos rituais e na solenidade santificada do cerimonial

ordenado,
era reside
de poder o verdadeiro
e trabalho grupaissignificado do trabalho
e da atividade sintéticae ritualística
do emprego da Palavra. afetarão
e organizada, A futura
profundamente a Maçonaria, à medida que se desvaneça a importância de uma figura
central dominante, conjuntamente com a influência do sexto raio, e se compreenda o
verdadeiro trabalho espiritual e a função da loja.
209
A principal função cósmica do sétimo raio é efetuar o trabalho mágico de fundir
espírito e matéria, a fim de produzir a forma manifestada através da qual a vida revelará a
glória de Deus. Se sugere aos estudantes fazer uma pausa e reler a parte deste tratado
onde me ocupei do Senhor do Sétimo Raio, de Seus nomes e de Seu propósito; depois de
terem feito isso ficará evidente que um dos resultados da nova e intensificada influência
será o reconhecimento, pela ciência, de que se estão logrando certos efeitos e a
característica de trabalho a ser realizado. Este já se pode comprovar no que têm realizado
os cientistas em conexão com o mundo mineral. Como foi visto na primeira parte deste
livro, o reino mineral está regido pelo sétimo raio, e a potência deste raio entrante pode ser
atribuída à descoberta da radioatividade da matéria. O sétimo raio se expressa no reino
mineral pela produção de radiação, e veremos que estas radiações (muitas das quais
permanecem ainda por serem descobertas) serão percebidas cada vez mais,
compreendidos seus efeitos e captado sua potência. Um ponto permanece que ainda não
foi compreendido pela ciência é que estas radiações aparecem ciclicamente, e que sob a
influência do sétimo raio foi possível ao homem descobrir e trabalhar com o rádio. O
radium sempre existiu, mas nem sempre ativo em uma forma que pudesse ser
detectada. Pela influência do entrante sétimo raio foi possível sua aparição, e mediante
esta mesma influência se descobrirão novos raios cósmicos. Isto também tem existido
sempre em nosso universo, mas utilizam a substância da energia do raio entrante como o
caminho ao longo do qual eles podem chegar ao nosso planeta e, assim revelar-se. Se
passarão muitos milhares de anos desde que o que agora se estuda como Raios
13
Cósmicos (descobertos por Millikan
) fizeram impacto definitivamente em nosso planeta, e
naquela época o quinto raio não estava ativo como é agora, por isso foi impossível ter um
conhecimento científico de sua atividade.

Outros raios cósmicos farão impacto sobre nossa terra à medida que o sétimo raio
incremente sua atividade; o resultado de sua influência facilitará a aparição de novos tipos
raciais e, sobre tudo, para destruir o véu ou trama que separa o mundo visível e tangível
do mundo invisível e intangível, o mundo astral. Assim como existe um véu chamado
"trama etérica" que separa os distintos centros de força do corpo humano e protege os

centros
separa oda cabeça
mundo da da atuação
vida domundo
física do mundoastral.
astral,Esta
da mesma maneirasegura
será destruída há uma trama que
e lentamente,
pela ação dos raios cósmicos sobre nosso planeta. A teia etérica que se situa entre os
centros da coluna vertebral e no topo da cabeça (protegendo o centro coronorário) é
destruída no mecanismo do homem pela atividade de certas forças que existem neste
misterioso fogo que denominamos kundalini. Os raios cósmicos que o cientista moderno
conhece, constituem aspectos do kundalini planetário, e seu efeito será o mesmo no corpo
do Logos planetário, a Terra, assim como sucede no corpo humano; a trama etérica entre
os planos físico e astral está em processo de destruir-se e este acontecimento o
profetizam como iminente os sensitivos e os espiritistas mundo.

Grandes e importantes coisas estão a caminho como resultado desta atividade do

sétimo raio.
entanto, Mas, aindaresultados
se produzirão que o reino animal
muito reaja na
definidos pouco
almaada
este tipoanimal.
forma de influência,
A porta no
da

13
Robert Andrews Millikan (1868 —1953) foi um físico americano. Recebeu o Nobel de Física de 1923,
por trabalhos sobre cargas elétricas elementares e o efeito fotoelétrico.
210
individualização ou de entrada ao reino humano tem estado fechada desde a época
atlante, mas será aberta parcialmente pela nova influência; se deixará aberta de par em
par a fim de que alguns animais respondam ao estímulo da alma e descubram que o lugar
que lhes corresponde é do lado humano da porta divisória. Parte da reorganização que
será efetuada como resultado da atividade do sétimo raio dirá respeito à relação que
existe entre a humanidade e o reino animal, e ao estabelecimento de melhores e mais
estreitas relações. Isso conduzirá os homens a aproveitar outro efeito do sétimo raio, o
poder de refinar a matéria com a qual estão construídas as formas. O corpo animal do
homem tem recebido grande atenção científica durante os últimos cem anos, e a medicina
e a cirurgia atingiram um alto nível de realização. A estrutura do homem, seu corpo e seus
sistemas internos (com seus vários rituais) são compreendidos agora como nunca
antes; este resultado se deve à força do raio entrante com seu poder de aplicar o
conhecimento ao trabalho mágico. Quando esse conhecimento se aplique em forma
intensa ao mundo animal se descobrirão novos e interessantes dados; quando as
diferenças entre o corpo físico dos animais e dos humanos hajam sido investigadas mais
detidamente, aparecerá um novo e muito frutífero campo de estudo. Estas diferenças
pertencem em grande parte ao sistema nervoso; por exemplo, não se há posto suficiente
atenção ao fato de que o cérebro do animal está realmente na região do plexo solar,
enquanto que a do cérebro humano, o agente controlador, se acha na cabeça, e atua por
intermédio da coluna vertebral. Quando os cientistas saibam exatamente por que o animal
não utiliza o cérebro da cabeça como o faz o homem, obterão um conhecimento mais
pleno da lei que rege os ciclos.

Poderia dizer-se muito sobre isso, mas muito pouco seria ainda compreendido. Até
que a força do raio entrante e de tudo o que implica sua entrada haja produzido as
alterações adequadas no sistema nervoso, resultará impossível fazer mais
esclarecimentos. As células cerebrais até agora inativas mesmo nos pensadores mais
avançados, devem ser postas em atividade; quando isso se logre, breve será possível dar
mais ensinamentos e esclarecimentos– mas não até então. No obstante, deve transcorrer
algum tempo antes que o atual mecanismo humano se adapte para registrar o que é novo
e até agora desconhecido.

Gostaria de considerar agora os três pontos finais. Observaram que em algumas


classificações anteriores existe uma definida relação entre o primeiro reino da natureza ou
mineral, e o último reino, o reino solar, o sétimo e último que se manifestará em nosso
planeta. Existe uma misteriosa unidade de resposta entre o reino inferior na escala da
natureza e o superior, entre o que expressa a mais densa manifestação da vida divina e o
que personifica sua gloriosa culminação final. Esta resposta fomentada pela atividade do
sétimo raio, produz essas reações iniciais aos movimentos organizados e rituais que, ao
fim de nosso grande período mundial, demonstrará a resposta de nosso inteiro sistema
solar às mesmas influências fundamentais do sétimo raio. O que agora pode ver-se na
organização de um cristal, uma jóia ou um diamante, com sua beleza de forma, linha e cor,
sua radiação e perfeição geométrica, aparecerá igualmente por intermédio do universo

comosobre
selo um todo.
todasOas
Grande
formasGeômetra do Universo atua
de vida, especialmente atravésmineral.
no mundo do sétimo
Istoraio e põe Seu
a Fraternidade
Maçônica soube, e tem perpetuado simbolicamente dito conceito nas grandes catedrais do
mundo que personificam a glória do mundo mineral e são o sinal do trabalho do Mestre
Construtor do universo.
211
Quando se haja consumado o grande trabalho, veremos o Templo de Deus, o
sistema solar, organizado objetiva e subjetivamente; seus átrios e lugares sagrados serão
então acessíveis aos filhos dos homens, os quais trabalharão sem limitações e terão livre
acesso a todas as partes do edifício. Mediante a magia da Palavra, que então será
recuperada, se abrirão todas as portas, e a consciência do homem responderá a toda
manifestação divina. Mais que isso não posso dizer, mas o trabalho que realizam os
Artesãos simboliza a organização ritualística do universo. O reino mineral (com o qual se
realiza o trabalho e se expressa no plano geométrico) é ao mesmo tempo o símbolo e a
empresa, o princípio e também a expressão concreta do propósito divino.

Anteriormente me referi ao trabalho do sétimo raio em conexão com os fenômenos


da eletricidade mediante os quais se coordena e vitaliza o sistema solar. Existe um
aspecto do fenômeno elétrico que produz coesão, assim como existe um aspecto que
produz luz. Isto ainda não foi reconhecido. Em A Doutrina Secreta de H.P.B. e no Tratado
sobre Fogo Cósmico se diz que a eletricidade do sistema solar é tríplice: há o fogo por
fricção, o fogo solar e o fogo elétrico
– o fogo do corpo, da alma e do espírito. Os homens
da ciência começam a compreender algo do fogo por fricção e aplicamos às nossas
necessidades o fogo que aquece, que dá luz e que produz movimento. Tal é o sentido
físico das palavras. Uma das iminentes e próximas descobertas será o poder integrador da
eletricidade ao produzir coesão dentro de todas as formas e sustenta todas as formas de
vida durante o ciclo em que se manifesta na existência. Também produz a união dos
átomos e dos organismos dentro das formas, construindo assim o necessário para
expressar o princípio da vida. Os homens investigam hoje temas como eletroterapia e
estudam a teoria da natureza elétrica do ser humano. Estão se acercando rapidamente
desse futuro descobrimento, e muito se revelará nessa direção dentro dos próximos
cinqüenta anos. O princípio coordenador do qual falam os homens, se refere, em última
análise, a este conceito, e a base científica de todo trabalho de meditação reside
realmente nesta verdade fundamental. Introduzir força e oferecer um canal são modos
místicos de expressar um fenômeno natural, ainda pouco compreendido, mas que
oportunamente dará a chave do segundo aspecto da eletricidade. Está será liberada em

maior
será omedida
aumentonada
Eracompreensão
de Aquário pela intervenção do
da fraternidade sétimo
e de raio. realmente
sua base Um dos primeiros efeitos
científica.

Já me referi ao fato de que dentro de pouco tempo o homem deve atuar tão
livremente no plano astral e através desta consciência, como agora o faz no plano
físico. Hoje se põe ênfase sobre o aspecto vital do homem, se discute a natureza do
princípio vida e se acentua em todas as partes a necessidade de uma ação
"vital". Falamos sobre a necessidade de aumentar a vitalidade humana, dos animais e das
plantas; a qualidade dos fatores que produzem a vitalidade
– o alimento, o sol e os raios
coloridos que se utilizam tão amplamente –hoje
se infiltram lentamente nos pensamentos
dos médicos, enquanto até mesmo os anunciantes dos produtos enlatados de nossa
civilização moderna põem em destaque seu conteúdo vitamínico. Falando esotericamente,

isto se deve a ao
paralelamente queprogresso
a consciência humana se transladou
do conhecimento moderno aos níveis
sobre
―alma etéricos.
a como Vemos
intelecto
‖, que
aumenta a compreensão de "a alma como vida", embora permaneça sendo o aparente e
insolúvel grande mistério.

212
Há dois acontecimentos de ocorrência próximo e iminente. A maior parte dos seres
humanos está hoje polarizada nos níveis inferiores do plano astral, mas são conscientes
no corpo físico. Esta diferenciação deve ser estudada. Dentro de um curto espaço de
tempo muitos serão conscientes do corpo vital e começarão a ser conscientes nos níveis
superiores do plano astral, e uns poucos o serão no plano mental. Mas um sem número de
pessoas estão preparadas para chegar a ser plenamente conscientes no corpo astral e
polarizar-se totalmente no plano mental ou centrar-se na alma. Isso demonstra a maravilha
e também a dificuldade dos tempos atuais.
Mediante o ritual científico da meditação (porque é realmente isso) esta nova
abordagem pode ser feita mais rapidamente. Mediante o culto científico do ritual do serviço
poderá desenvolver-se mais. O ritual do sistema solar é o resultado de meditação de Deus
e o ato de serviço divino levado a cabo durante todo o período de manifestação. A
subordinação da vida inferior ao ritual de serviço significa, literalmente, a sintonização do
indivíduo com o ritmo da vida, do coração e da mente do próprio Deus. À sintonização
segue automaticamente um desenvolvimento espiritual.

c. AS LEIS DE FUNCIONAMENTO DOS RAIOS

Temos certas grandes leis conectadas com os sete raios, que são eficazes para
determinar as linhas de demarcação, as clivagens que produzem dissidências e as
diferenciações da vida de Deus, manifestadas em:

1. A constituição setenária do sistema solar.

2. Os dez esquemas que indicam a realização solar.

3. A constituição interna, ou as chamadas "correntes" que caracterizam cada


existência planetária.

4. A constituição planetária de nossa Terra nos diversos reinos da natureza.

5. As distinções básicas dos reinos, estes produzem os tipos humanos, grupos,


famílias, ramos, impérios e nações.

Essas Leis de Clivagem são muito difíceis para a compreensão geral. Regem a
vida das formas, e são o resultado do trabalho unificado, ou melhor, a manifestação
simultânea das três leis que são objeto do Tratado
sobreFogo Cósmico, e são:

1. A Lei da Síntese, determinando o futuro, atestando a meta e concernente ao


aspecto vida ou espírito.

2. A Lei da Atração determina o presente, e rege a condição imediata dos tipos

planetários. Concerne ao aspecto consciência ou alma.


3. A Lei de Economia determina o passado, condiciona a consciência planetária e se
ocupa do aspecto forma ou matéria.

213
Quando essas três leis funcionam unidas, em nosso particular ciclo e raça,
produzem uma fusão de forças que impõem certo ritmo, uma definida materialização de
energias e um tipo específico de civilização que atua por meio do que denominamos
esotericamente as Leis de Clivagem. É a mente que separa e divide; é a atividade mental
(divina, sobre-humana, bem como a humana) que produz as muitas diferenciações. Este
processo de categorização atinge sua culminação neste período mundial na quinta raça, a
ariana. Estamos hoje regidos pela Lei de Clivagem
– uma lei divina que tem um frutífero
objetivo. Isso não deve ser esquecido.
A atividade dos três aspectos divinos em relação à família humana, na primeira
raça nebulosa (sobre a qual a ciência nada sabe), produziu o que chamamos de Lei de
Imersão. Causou a crescente diversificação da matéria, e revestiu a vida que finalmente
trouxe a primeira manifestação dos filhos de Deus que encarnaram. Não é uma
encarnação física como entendemos esse termo.

Na raça seguinte, da qual o homem também conhece pouco, a fusão das três
energias divinas produziu a segunda lei. Deve recordar-se que a lei é apenas o efeito da
contínua atividade inteligente do aspecto Vida, à medida que atua em conjunção com a
matéria. A esta segunda lei a denominamos (que nos ocupamos da lei e da energia) Lei de
Capitulação, porque o impulso estabelecido pelo desejo de encarnar dos filhos de Deus
provou ser demasiado forte para as forças opositoras da matéria. Nada podia evitar que a
vinda à existência tangível os espíritos encarnantes. A matéria capitulou ao espírito, e o
divino desejo e a divina vontade puseram sua assinatura sobre as formas que rapidamente
se congregavam. Deve ter-se em conta que essas leis são chamadas por nomes que
indicam sua relação com a humanidade. Quando estão ativas em outros reinos da
natureza sua influência é diferente e se lhe aplicam outras nomenclaturas.

Na seguinte raça, a lemuriana, a tríplice atividade dos atributos essenciais divinos


se manifestou como a Lei de Materialização ou, como às vezes é chamado, a Lei da
Radiação Oculta. Esta lei concerne à Luz que está no homem e à proteção dessa luz, no
tempo e no espaço, a fim de produzir sua intensificação e sua conseqüente e subseqüente

radiação
expressãopara que,Pela
divina. por realização
meio da humanidade,
do homem eaaluz possa chegar
conquista a todas
das trevas pelaas formas
luz, de
a luz da
consciência em todas as formas deve ser levada a condição de uma "brilhante glória que
irradiará do planeta, e a luz brilhará no mundo dos planetas como testemunho da‖glória ...

A quarta lei que controla o destino humano é conhecida pelo curioso nome da Lei
das Marés. Concerne a vida de desejo, da percepção sensória e do sentimento, e está
também intimamente relacionada com o desenvolvimento da consciência. É um aspecto
da Lei dos Ciclos que controla a evolução solar, lei humana básica, protetora e
desenvolvedora. Controla a vida cíclica e ― as
marés de todas as almas que são
conduzidas à encarnação pelo grande rio da–vidasobre a onda do desejo
– e é uma das
leis com as quais o aspirante deve trabalhar no início do seu treinamento. Enquanto não

possa atuar
controle dascomo alma,
marés deindependente das emocional,
sua existência turbulênciasnão
cíclicas da vida
poderá terrestre
obter e livre do
a iniciação. A
incapacidade de alcançar isto produziu na Terra os grandes dilúvios atlantes que puseram
fim a esta antiga civilização.

214
Chegamos agora à consideração da Lei de Clivagem, porque nossa raça é
controlada pelo grande heresia da separatividade. Mediante as separações (falando
simbolicamente), os fogos da destruição podem irromper e terminar com nossa civilização,
assim como terminou a civilização Atlante, a não ser que os conscientes filhos de Deus
possam construir essas pontes e desenvolver essa compreensão que neutralize essa lei,
pondo em atividade a lei que irá reger a futura raça. O trabalho que devem tratar de
realizar os discípulos do mundo é análogo ao que eles como indivíduos devem fazer para
alcançar seu próprio desenvolvimento particular: a construção do antakarana, que servirá
de ponte entre a consciência humana e a espiritual e fará que a raça seja tão intuitiva
como atualmente é intelectual.

A lei para a raça futura é muito difícil de expressar em forma compreensível. Não
encontro melhores termos para expressar adequadamente seu efeito funcional, que as
palavras a Lei da Compreensão Amorosa. É uma frase muito inadequada e sentimental
para expressar cientificamente um futuro de grande desenvolvimento evolutivo na
consciência humana, mas enquanto não se realize esse desenvolvimento não teremos
termos para expressar o verdadeiro significado da idéia subjacente. O dito acima deve ser
suficiente.

Vamos agora enumerar essas leis correlativamente a fim de obter uma melhor idéia
de sua relação e inter-relação:

1. Lei da Imersão primeira raça.


2. Lei de Capitulação segunda raça.
3. Lei de Materialização raça Lemuriana.
Lei da Radiação Oculta.
4. Lei das Marés raça Atlante.
5. Lei de Clivagem raça Ariana.
6. Lei de Compreensão Amorosa próxima raça.

Pela correta compreensão dessas leis, podemos adquirir um vislumbre da atual

situação mundial
de raio que, no que respeita
em conjunção às nações
com estas e captar
leis, têm mais as
causado inteligentemente as influências
típicas e diversas unidades
nacionais.

6. As Nações e os Raios

Em conexão com o estudo dos raios que regem e influenciam as principais nações
do mundo, o estudante deve ter em mente que na atualidade todas se regem
principalmente pela Lei de Clivagem, mas há grupos avançados em cada nação que
começam a responder a Lei de Compreensão– lei que acabará por enfatizar a eterna
irmandade do homem e a identificação de todas as almas com a Super Alma, na
consciência racial, assim como também a unicidade da vida que flui através, penetra,

anima
os e integraplanetários,
esquemas o inteiro sistema solar.reinos
com seus Portanto, esta Vida
de formas funciona
e com emque
tudo o e através de todos
pode incluir-se
(em nosso sistema solar) na frase "vida na forma", frase que contém três grandes e
fundamentais conceitos e idéias da vida, da matéria e da evolução.

215
Durante a era aquariana se facilitará e acelerará o funcionamento da Lei da
Compreensão Amorosa, lei que mais tarde trará o desenvolvimento do espírito
internacional, no reconhecimento de uma fé mundial em um só Deus e na convicção de
que a humanidade é a máxima expressão da divindade neste período mundial,
transferindo a consciência humana do mundo das coisas materiais a esse mundo
puramente psíquico, que conduzirá, com o tempo, ao mundo espiritual. Deve recordar-se
que (para a humanidade avançada) o reconhecimento da seqüência dessas expansões de
consciência é o seguinte:
1. O mundo da vida psíquica. Requer como um primeiro passo que a consciência
cerebral do aspirante reconheça a necessidade de controle mental e espiritual.

2. O mundo do desenvolvimento e controle mentais.

3. O mundo da alma ou ego.

Quando esses três reconhecimentos se estabilizam no aspirante, em seguida, vem


o reconhecimento pelo discípulo de ...

4. O controle pela alma, da vida no plano físico.


5. A faculdade interpretativa da mente iluminada.

6. O funcionamento e a utilização dos poderes psíquicos, e o lugar que lhes


corresponde e a parte que desempenham no campo do serviço inteligente.

7. Uma vida inspirada e criadora no plano físico.

Mas no desenvolvimento da consciência racial, o processo não segue as mencionadas


etapas e seqüência acima. Isto se deve ao estímulo e à conseqüente estimulação do
aspecto forma pelo aumento da radiação e a potência do dinâmico Novo Grupo de

Servidores
passando pordo Mundo, de aspirante
fases de cujas fileiras fazem
e do parte aqueles
discípulo, que passaram
aprendendo assim a ou estão
servir. O
desdobramento psíquico das massas é igual ao desenvolvimento espiritual da humanidade
avançada. Isto pode observar-se hoje em grande escala em todas as partes e é
responsável pelo enorme aumento dos movimentos espiritualistas e o grande aumento dos
poderes psíquicos inferiores. A Antiga Magia Atlante e o psiquismo inferior estão
novamente entre nós no grande girar da roda da vida, mas se obterão bons resultados se
os discípulos mundiais e das pessoas espiritualmente orientadas que estiverem a altura
desta oportunidade.

Hoje existem muitas centenas de pessoas (e muitos milhares na América) sendo


influenciadas pela Lei da Compreensão Amorosa. Em todas as nações a maioria responde

a ampla tônicaseus
gradualmente, fraternal sintética,devem
compatriotas porémlevá-las
a massapeloainda
bom não compreende
caminho mediantenada disso e,
o constante
desenvolvimento da correta compreensão.Tenham isso em mente, todos os que trabalham
pela paz mundial, pelas corretas relações, pela harmonia e síntese.

216
a. AS PRINCIPAIS NAÇÕES E SEUS RAIOS

Todas as grandes nações estão controladas por dois raios, assim como o está
um ser humano. Das pequenas nações não nos ocuparemos. Todas as nações estão
controladas pelo raio da personalidade (se assim podemos chamá-lo), que na
atualidade é o fator dominante, potente e principal fator controlador, e pelo raio da
alma, pressentido apenas pelos discípulos e aspirantes de qualquer nação. Este raio
da alma deve ser evocado pelo Novo Grupo de Servidores do Mundo para que entre
em um aumento da atividade funcionante, porque constitui um de seus principais
objetivos e tarefas. Isso nunca deve ser perdido de vista. Muito poderia escrever-se
sobre a influência histórica exercida pelos raios durante os últimos dois mil anos e a
forma que os grandes acontecimentos foram influenciados ou provocados, pela
periódica influência de raio. Mas não tenho tempo nem desejo falar deles. Por
interessante que seja este tema e ainda que indique os atuais problemas e as
tendências nacionais, tudo o que posso fazer agora é apontar os raios que regem cada
nação, e deixar que se estude e se observe seu efeito com tranqüilidade e se
compreenda sua relação com a atual condição mundial. Gostaria de fazê-los notar que
os raios que regem uma nação em particular, e estão hoje em manifestação, são muito
poderosos, seja em forma material ou egóica, embora alguns dos problemas se devem
a que certos raios, que regem determinadas nações, estão atualmente fora de
manifestação.

Nação Raio da Personalidade Raio Egóico Lema

Índia 4º. Raio da Arte 1º Raio de Governo ―Oculto a Luz"

China 3. Raio da Intelig. 1º Raio de Governo "Indico o Caminho


Alemanha 1º Raio de Poder 4º Raio da Arte "Preservo"

França 3. Raio da Intelig. 5º Raio do Conhecimento "Libero Light"

Grã-Bretanha 1º
ouRaio de Poder
Governo 2º Raio de Amor o‖
"Sirv

Itália 4º Raio da Arte 6º.Raio do Idealismo "Abro


os Caminhos‖

EUA 6º Raio de Idealismo 2º Raio de Amor "Ilumino


Caminho‖
o

Rússia 6. Raio de Idealismo 7º Raio de Magia "Vinculo dois


e Ordem Caminhos‖

Áustria 5º Raio do 4º Raio da Arte "Sigo no Caminho


Conhecimento Iluminado‖

Espanha 7º Raio da Ordem 6º Raio de Idealismo "Disperso


as Nuvens‖

Brasil 2º Raio de Amor 4º Raio da Arte "Oculto a Semente ".

217
Uma conscienciosa análise do anterior indicará certas linhas de entendimento
racial. Existe uma correlação natural entre raios atuais e modernos da personalidade da
Alemanha e Grã-Bretanha, e também uma relação entre França e Grã-Bretanha, através
de seus lemas nacionais esotéricos e os dois símbolos que lhes correspondem
esotericamente. O símbolo da França é a flor de lis, adotado há séculos sob orientação
divina, e representa os três aspectos divinos da manifestação. A ênfase no terceiro
aspecto produz a manifestação inteligente. O símbolo da Grã-Bretanha, também por
desígnio divino, são as três penas que levam como escudo as armas do Príncipe de
Gales. O bem humorado e brilhante intelecto francês, com sua inclinação científica, se
deve à interação que existe entre o terceiro raio de Inteligência Ativa e o quinto raio de
Compreensão Científica. Daí a sua assombrosa contribuição ao conhecimento e ao
pensamento no mundo, e sua brilhante e colorida história. Recordemos também que a
glória do império que foi a França garante a glória da divina revelação que reside no
futuro, porém lhe corresponderá só quando deixe de viver no seu maravilhoso passado e
vá em frente, ao futuro, para demonstrar a realidade da iluminação, meta de todo esforço
mental. Quando o intelecto dos franceses se dirija para a descoberta e elucidação das
coisas do espírito, então trarão ao mundo a revelação. Quando seu raio egóico domine o
terceiro raio e a ação separatista do quinto raio seja transmutada na função reveladora
deste raio, então a França entrará num novo período de glória. Seu império será o da
mente e sua glória da alma.
Evidencia-se que a característica marcante da Grã-Bretanha é a faculdade de
governar. A Inglaterra é um exemplo da arte de controlar e sua função, como o
compreenderão, foi a primeira tentativa em criar um agrupamento de nações federadas e
demonstrar a possibilidade de tal agrupamento. Os Estados Unidos da América fizeram
algo similar, fundindo os cidadãos de muitas nações em um estado federal composto por
províncias subsidiárias em lugar de nações subsidiárias. Estas duas potências atuam
dessa maneira e com esse amplo objetivo a fim de dar ao planeta, com o tempo, um
sistema de agrupamentos dentro de uma fronteira nacional ou de um império, e ainda uma
fronteira internacional que simbolizará a técnica de governo da nova era. O segundo Raio
de Amor ou Atração, rege em forma egóica o Império Britânico; existe uma relação entre

este
mentee ofluida
fato de que o signo
e intuitiva estádeintimamente
Gêmeos rege os Estados
aliada com o Unidos
aspectoe a Londres.
divino A mercurial
do amor e da
compreensão, e produz atração e interpretação.

É interessante observar que o quarto raio da Harmonia ou Arte, que em breve


entrará novamente no poder em seus aspectos maiores, será proeminente nos destinos da
Índia, Alemanha, Itália, Áustria e Brasil. Daí que existem tantas dificuldades preliminares
nos três países europeus. O sexto raio é potente na Rússia, Estados Unidos, Itália e
Espanha. A adesão fanática a um ideal também é responsável pelas poderosas mudanças
efetuadas nesses quatro países; na Alemanha e Itália, como vimos, pode observar-se o
poder harmonizador do quarto Raio. Por isso temos nesses países um processo de
destruição e colapso das velhas formas, prévio da resposta à influência do raio

entrante.
nações – aDeve recordar-se
reação queinfluência
à crescente o que sucede com
do raio os indivíduos
egóico é sempre também acontece
acompanhada de as
um
período de destruição, mas este período é apenas temporário e preliminar.

218
A Índia oculta a luz, e quando essa luz seja lançada sobre o mundo e revelada à
humanidade, trará harmonia no aspecto forma, pois as coisas se verão tal como são e
estarão livres de toda miragem e ilusão; esta luz harmonizadora é muito necessária na
própria Índia, e quando se haja manifestado se obterá a atuação correta do primeiro raio
de Poder ou Governo. A vontade do povo será vista na luz. A este respeito, a Grã-
Bretanha entra em atividade renovada, porque seu raio da personalidade e o raio egóico
da Índia são os mesmos. Muitos britânicos estão subjetivamente vinculados com a Índia,
durante encarnações e associações passadas. A luta entre a Grã-Bretanha e a Índia é em
grande parte um assunto de família, no sentido mais amplo do termo; isso se deve ao
rancor – predominantemente rancor do irmão mais velho que vê o mais jovem usurpar
suas prerrogativas. Muitos administradores britânicos regressam à sua terra natal (a Índia),
e ainda que não compreendam, continuam o que iniciaram em outras vidas e em outros
corpos. Existe, como devem saber, um estreito vínculo entre o segundo e o quarto raio, e
isso surge também da relação entre Inglaterra e a Índia, porque há um destino que devem
cumprir conjuntamente.

A tendência estática e estabilizadora da Alemanha, demonstrada, por exemplo, em


seu inútil esforço para preservar a pureza de uma raça, hoje impossível, se deve à sua
personalidade de primeiro raio, enquanto que a força de seu quarto raio egóico é
responsável pelo esforço para arregimentar e harmonizar todos os elementos dentro de
suas fronteiras, excluindo, porém, a raça hebraica. Mais adiante me ocuparei do problema
dos judeus. Alemanha não pode evitar agir como o faz, pois ainda que o primeiro raio não
esteja em manifestação, como entendemos o termo, a maioria dos egos que estão
atualmente no poder na Alemanha pertencem ao primeiro sub-raio dos diferentes sete
raios, e, portanto, eles são a partir de um ângulo dominante os transmissores de força
primeiro raio. Eis aqui uma insinuação. Por esta razão a Grã-Bretanha pode fazer contato
com a raça alemã e manejar sua psicologia com maior compreensão que Rússia, Itália ou
França. Eles compartilham qualidades similares, e um dos serviços que pode prestar
atualmente a Inglaterra é ajudar a estabelecer a paz mundial e viver de acordo com seu
lema "Servir", atuando como mediadora.

Uma cuidadosa
semelhança alguma naanálise
meta dedoseus
idealismo da Rússia
idealismos, e dos
porque Estados
o russo Unidos nãopor
é impulsionado revelará
sua
alma de sétimo raio a impor um cerimonial forçado de ritmos ordenados que conduz a uma
ordem idealizada e a uma comunidade de interesses. Devido a isto e ao trabalho mágico
aplicado, estão presentes e ativas na Rússia algumas forças que devem ser manejadas
muito cuidadosamente pela Irmandade da Luz; não são exatamente brancas como se as
denomina, mas concernem a magia da forma, enquanto que a magia branca pura
concerne unicamente à alma ou aspecto subjetivo. As assim chamadas forças negras não
prevalecem na Rússia, nem tampouco em outras partes do mundo, mas a reação e atitude
russa ante a autoridade e ordem imposta, contem em si maior influência mágica de sétimo
raio que em outros países, tal como Alemanha, a qual também impõe ordem e normas de
vida padronizadas.

Você vai notar que entre as principais nações só o Brasil, Grã-Bretanha e os


Estados Unidos se acham definitivamente sob a influência do segundo raio. Um fato
interessante emerge à medida que consideramos este grupo. Grã-Bretanha guarda o
aspecto sabedoria da força do segundo raio da raça ariana. Os Estados Unidos cumprem
219
o mesmo cargo para a sexta ou vindoura sub-raça, raça germe para a futura sexta grande
raça, enquanto que o Brasil funcionará como o principal divisor da sexta raça. Estas três
raças personificam o aspecto coesivo atraente do segundo raio e o demonstrarão
mediante um sábio e inteligente governo baseado em idealismo e amor. Portanto, os
Estados Unidos representarão uma fusão de raças, dominando o elemento anglo-
saxão. Mais tarde o Brasil representará o melhor que as raças latinas poderão
oportunamente fornecer. Esta fusão será considerada desde o ângulo dos tipos de raios e
dos princípios básicos em desenvolvimento, e não desde a cultura e a civilização.
Portanto, Grã-Bretanha representa o aspecto mente, que se expressa como
governo inteligente, que se baseará em uma justa compreensão amorosa. Digo que este
é o ideal que tem diante de si, não o que já realizou. Estados Unidos representa a
faculdade intuitiva, expressando-se como iluminação e poder de fundir e mesclar. Brasil
(ou como possa vir a ser chamado, pois dito acontecimento terá lugar dentro de milhares
de anos) representará uma civilização vinculadora e interpretativa, baseada no
desenvolvimento da consciência abstrata, mescla de intelecto e intuição, que revela o
aspecto sabedoria do amor em toda sua beleza. Mas o período de desenvolvimento desta
grande civilização se acha ainda muito distante para fazer conjecturas antecipadas.

É muito perigoso nestes dias de luta e dificuldades, expressar de forma mais


definida sobre as futuras linhas de desenvolvimento. O destino e a atuação futura das
nações estão ocultos na atual atividade. A maioria dos que lêem este tratado são
demasiado nacionalistas em seus pontos de vista e se preocupam demasiado com o
significado e a suprema importância de sua própria nação, portanto, só posso generalizar
e indicar as principais linhas de progresso. O papel do profeta é demasiado perigoso,
porque o destino reside em mãos do povo, e ninguém sabe exatamente que caminho
tomarão para chegar ao seu objetivo. A inevitabilidade desta meta é segura, como o é sua
última realização; os incidentes do caminho não podem revelar-se, pois estão ocultos no
carma racial. Não é chegado o momento para que a maioria dos povos de qualquer raça
possa vislumbrar o quadro em sua totalidade e se lhes permita conhecer a parte que sua
nação deve desempenhar na história das nações. Cada nação, sem exceção (e esta é

uma
víciosverdade bemEstas
peculiares. conhecida, cuja repetição raramente dá frutos) têm suas virtudes e
dependem:

a. Da etapa de evolução.
b. Da medida de controle exercida pelo raio da personalidade.
c. Do controle emergente que exerce o raio egóico.
d. Da polarização da nação.

É útil ter em mente, ao considerar as nações, que algumas são negativas e


femininas e outras masculinas e positivas. A Índia, França, Estados Unidos de América,
Rússia e Brasil são femininos, e constituem o aspecto mãe sustentador. São femininas
em sua psicologia– intuitivas, místicas, sensitivas, sedutoras, bonitas e lhes agrada o

exibicionismo
demasiado e a cor, material
o aspecto e têm todos os defeitos
da vida, do as
a pompa, aspecto feminino,
possessões e otais como acentuar
dinheiro, como
símbolo que representa o aspecto forma. Atuam como mãe e nutrem a civilização e as
idéias.

220
A China, Alemanha, Grã-Bretanha e Itália são masculinas e positivas; mentais,
políticas, governadoras, normatizadas, grupo-consciente, ocultas, agressivas, cheias de
grandeza, interessadas na lei e em dar importância à raça e ao império. Porém são mais
inclusivas e pensam em termos mais amplos do que o aspecto feminino da manifestação
divina. Será útil ao leitor consultar a classificação dada antes (ver página 217) ao
considerar as expressões superiores e inferiores dos raios e observar como atuam em
relação aos raios da personalidade e da alma das diferentes nações. Tomemos como
exemplo a manifestação do raio egóico da nação alemã. Sua expressão inferior é a
construção arquitetônica, e pode ver-se como faz sentir hoje sua presença no estilo novo e
moderno dos seus edifícios. Sua expressão superior não é ainda observada, mas a
Alemanha dará algum dia ao mundo uma forma sólida de governo hierárquico. É
interessante observar que já se evidencia a expressão superior do raio egóico da França,
o quinto. O interesse científico demonstrado no psiquismo e na psicologia é uma reação a
esse raio de influência, e ainda que apenas se percebe, contém a garantia para o futuro. A
influência do sexto raio que rege a personalidade ou o aspecto forma dos Estados Unidos
da América, se evidencia amplamente em suas diversificadas religiões e na aptidão
nacional para a organização idealista; também faz sentir sua presença o segundo raio da
alma, daí o conseqüente interesse nos fenômenos e na veracidade da realidade da
iniciação.

A análise das características de raio dada anteriormente pode também aplicar-se


as nações e países de todo o mundo. Portanto, se observará que a maior parte dos
setenatos da natureza, que tem suas raízes no setenário primário dos raios, pode
manejar-se com surpreendentes e interessantes resultados na Lei de Analogia ou
Correspondência.

As relações intuitivas e as principais separações intelectuais se devem as


influências do raio regente. Espanha, Áustria e França, devido a que estão regidas pelo
sétimo, quinto e terceiro raios, têm uma estreita inter-relação, desenvolvida de uma forma
muito interessante na Idade Média, quando os destinos dessas três nações pareciam estar
intimamente entrelaçados. O país recentemente formado dos Estados Unidos, está

igualmente associado,
Rússia e Itália, em forma
daí o início esotérico eitaliana
da emigração íntima,eem seupara
russa aspecto forma, com
a América Brasil, a
e também
atração que exercem os países sul-americanos na consciência norte-americana e a
valorização do ideal Pan-americano.

Essas relações são todas do lado da forma e emergem do raio da personalidade. A


maioria destas relações se observa se os países e seus raios são submetidos a um estudo
cuidadoso. O raio de atração ou inclusão (2º Raio), o raio de fenômeno elétrico (3º Raio) e
o do intelecto (5º Raio), estão potencialmente muito ativos na atualidade porque estão
todos em encarnação, e o entrante sétimo raio em forma lenta mas segura
– apesar das
aparências– impõe ordem e controle hierárquico sobre o planeta. Deve lembrar-se que
todo processo natural em seu ritmo é devidamente lento, do caso contrário seus efeitos

seriam correlacionado
ordem demasiado destrutivos.
a: O efeito dessas influências se experimenta na seguinte

1. A detecção um ideal.

221
2. A formulação de uma teoria.

3. O crescimento da opinião pública.

4. A imposição de um "padrão" crescente sobre a vida em evolução.

5. A produção de uma forma baseada nesse padrão.

6. O funcionamento estabilizado da vida dentro da forma.

Deve lembrar-se que cada raio personifica uma idéia que pode ser sentida como
um ideal. Os raios criam com o tempo os padrões que moldam as formas planetárias
mundiais, produzindo assim a potência interna do processo evolutivo. A moderna
psicologia começa a reconhecer já a tendência a formar padrões em conexão com o ser
humano individual, e delineia e classifica seus padrões emocionais e mentais. Tal como
acontece com o microcosmo, assim com o macrocosmo. Cada raio produz três padrões
principais que se impõem ao aspecto matéria seja de um homem, de uma nação ou de um
planeta. Estes três padrões são:

1. planetária,
O padrão emocional.
e é a soma Personifica a aspiração
total da tendência do homem, da nação ou da vida
do desejo.

2. O padrão mental. Surge posteriormente com o tempo e rege os processos mentais


do homem, da nação e do planeta. Oportunamente chega a ser o fator controlador
da personalidade ou vida da forma. Os padrões emocional e mental constituem os
aspectos negativos e positivos do raio da personalidade.

3. O padrão da alma. É o objetivo predisponente, o círculo-não-se-passa ou destino


que o princípio imortal, o anjo solar, logra eventualmente impor, e mais tarde com o
tempo, na vida da forma. Este padrão da alma finalmente substitui e anula os dois
processos anteriores que produzem ditos padrões.

Já expus aqui frutíferas linhas de estudo através das quais o leitor pode obter uma
compreensão inteligente do que acontece atualmente na vida das nações do mundo.

Se, por exemplo, o raio dos anjos solares é o quinto, o raio da mente, que é o raio
egóico da França, pode fazer se sentir sua potência através da tensão e esforço da atual
condição mundial, então poderia conceder-se a França a glória culminante de provar ao
mundo a realidade da existência da alma e demonstrar a técnica de controle egóico. O
padrão de alma poderá ser traduzido pelo gênio do intelecto francês em termos que a
humanidade possa compreender e conhecer a verdadeira psicologia da alma. Ademais, o
gênio alemão se manifestou com freqüência no passado através do quarto raio da sua
alma, e por meio desse padrão tem dado ao mundo grande parte de sua excelente música
e filosofia. Quando novamente isto se manifeste e o padrão da alma se plasme mais
solidamente na consciência alemã, começaremos a compreender a significação do super-
homem, visão deste ideal que Alemanha captou, ainda que, todavia, o interprete
erroneamente, mas poderá proporcionar o padrão do super-homem, que é seu destino
final.
222
Se o ideal que possui Inglaterra sobre a justiça (o padrão do raio de sua
personalidade) puder ser transformado e transmutado por seu raio egóico, de amor, no
serviço mundial inteligente e justiceiro, poderá dar ao mundo o padrão do verdadeiro
governo, que é o gênio ou a latente qualidade da alma britânica. Se o idealismo dos
Estados Unidos da América, que expressa hoje sua personalidade e o evidencia em sua
ruidosa e proclamada idéia de o maior e o melhor, puder ser iluminado pela lei do amor,
então o padrão que subjaz a estrutura dos Estados Unidos poderia ver-se como linhas de
luz, e teremos o padrão da futura luz racial em contraposição às muitas tendências
nacionais separatistas. Desta maneira o leitor inteligente poderia observar e desvendar os
padrões fundamentais que correspondem a cada nação e também o padrão emocional
dos Estados Unidos, que na atualidade se expressa como sentimento e desejo pessoal, e
poderia traduzir-se em termos de verdadeira benevolência. O padrão mental dos Estados
Unidos se evidencia na informação massiva fornecida pelas escolas, pelo rádio e
imprensa. Mais adiante isso poderia transmutar-se em percepção intuitiva. O padrão da
alma dos Estados Unidos se expressa hoje pelas aquisições da nação e seu amor às
possessões, que se obtém pelo mau uso da lei do amor, lei que eventualmente mudará o
amor material pelo amor ao real, e a aquisição de coisas da forma pelas coisas do espírito.

b. O PROBLEMA JUDAICO
Em relação com as nações e os raios gostaria agora de expor certas condições
fundamentais que parcialmente explicam o (assim denominado) problema –judaico
problema que tem existido durante séculos e que atualmente preocupa profundamente a
uma infinidade de pessoas, incluindo os membros da Hierarquia planetária. Se este
problema puder ser resolvido, constituirá um dos fatores mais poderosos para restabelecer
a compreensão e harmonia mundiais, porém não pode ser resolvido sem a colaboração de
pessoas de boa vontade de todo o mundo. Muito pouco posso dizer a respeito desta
questão que seja passível de ser controlado e provado, porque a chave do problema
reside na própria noite dos tempos, ou seja, quando o sol estava na constelação de
Gêmeos. Naquela época se erigiram dois pilares que, como todos os maçons sabem, são

os dois grandes
maçônico, marcos
ainda que não da
sejamaçonaria.
judaico no Asentido
isto seque
deve o matizhoje
transmite judaico de todo Portanto,
dita palavra. trabalho
se os fatos são tão antigos, quem pode crer que o que eu digo é exato ou que minhas
conclusões são corretas ou errôneas? Só apresento os fatos tais como os conheço,
porque tenho acesso aos arquivos mais antigos que qualquer um conhecido pelo homem.

O raio da personalidade, o raio da forma material do povo judeu, é o terceiro. Seu


raio de alma é o primeiro raio. O signo astrológico a que pertence é Capricórnio, com
Virgem no ascendente. O planeta Mercúrio e o signo de Virgem desempenham um papel
proeminente em seu destino. Tais indicações são suficientes para proporcionar ao
estudante avançado e ao astrólogo os pontos marcantes que lançam luz sobre sua
estranha história. A tendência do judeu para manipular forças e energias e a utilizar

"cunhas"
raio. Comopararaçalevar
são alegisladores
cabo seus naturais,
fins desejados, se deve
daí provém sua àtendência
influênciaa do terceiroe
dominar
governar, pois seu raio egóico é o primeiro. Daí a constante aparição da cabra em sua
história, e o ensinamento sobre a mãe virgem que deve dar à luz o Messias.

223
Em todo grupo– no céu como na terra – alguns entes do grupo tendem a rebelar-
se e a demonstrar uma iniciativa distinta das outras unidades do grupo. Quando nosso
universo solar veio à existência, na linguagem alegórica das antigas escrituras, se diz que
"houve guerra nos Céus", "o sol e seus sete irmãos" não atuaram com verdadeira
unanimidade, por isso (e aqui há uma insinuação) nossa Terra não é um dos sete planetas
sagrados. Como sabemos existe a antiga lenda de uma das Plêiades que se perdeu e
muitas histórias semelhantes. Tampouco na Câmara do Conselho do Altíssimo tudo foi
paz e compreensão, e sim às vezes houve guerra e discrepância; Isso está muito bem
esclarecido nas diversas histórias narradas no Antigo Testamento. Simbolicamente
falando, alguns dos filhos de Deus caíram de seu elevado estado, conduzidos em uma
época por "Lúcifer, filho da manhã". Esta "queda dos anjos" foi um extraordinário
acontecimento na história do nosso planeta, ainda que apenas um fenômeno passageiro e
interessante na história do sistema solar, e um incidente sem importância nos assuntos
das sete constelações, das quais nosso sistema solar é apenas um. Detenham-se por um
momento, reflitam sobre esta afirmação e reajustem seu senso de valores. O valor dos
acontecimentos varia em importância de acordo com o ângulo de visão, e o que (desde o
ângulo do desenvolvimento da consciência em nossa Terra) pode ser um fator de muita
importância e de valor determinante, desde o ângulo universal ser de somenos
importância. Se para um indivíduo seus assuntos são de capital importância, para a
humanidade não o são. Tudo depende de quem fica no Centro do palco no drama da vida,
e ao redor de que fator central giram os acontecimentos triviais ou importantes
ciclicamente.

Dentro do raio de poder e da vida que é a expressão do quarto reino da natureza, o


humano, existia uma analogia dessa independência e separação que caracterizou os
grupos principais. Nos últimos tempos lemurianos, um grupo de homens altamente
desenvolvidos, desde o ponto de vista daquela época, que se contavam entre os que
então eram discípulos mundiais, discordaram da Hierarquia planetária e romperam com a
"lei dos iniciados". Foi uma época em que o ensinamento enfatizou a parte material da vida
e o enfoque da atenção se centrava sobre a natureza física e seu controle. O Antigo
Comentário define o sucedido com as seguintes palavras, e na medida que se leia a

mesurada
referem a cadência dessa
esse grupo antiga escritura,
de discípulos seriaosdeprimitivos
que foram valor compreender
fundadoresque
da as frases
atual raçase
judaica:

"A lei se proclamou no grupo interno que guiava os destinos dos


homens: Desapeguem Retirem de dentro de si o poder de manter, adquirir
e receber. Os filhos de Deus que se treinaram para deixar o mundo dos
homens e entrar na luz, sempre viajam livremente. Não se apeguem ao
que possuem. Liberem-se e penetrem através dos portais da paz.

"Alguns filhos de Deus, carregados com os tesouros da terra,


esperavam fora dos pórticos, preparados para entrar quando foi

pronunciada
suas dádivasa como
palavra que abriria
oferendas de par em
ao Senhor par asO portas.
da vida, Trouxeram
Qual delas não
necessitava. Queriam atravessar esses portais, não com fins egoístas,
mas sim para apresentar-lhe os tesouros recolhidos no mundo e assim
demonstrar seu amor.
224
"Novamente se a pronunciou a Palavra: Abandonem tudo e
transponham o portal sem levar nada da terra. Esperaram e discutiram. O
resto dos que estavam preparados entraram na luz e passaram entre as
colunas do portal; abandonaram as cargas que haviam trazido, entraram
livres e foram aceitos sem levar nada.

"Devido a que viajavam como grupo, e como um grupo progrediram


e adquiriram coisas, o grupo respondeu à ordem divina e se deteve. Ali
esperaram, em pé diante do portal do Caminho, agarrados aos tesouros
acumulados durante mil ciclos. Nada queriam abandonar. Haviam
trabalhado para adquirir as riquezas que possuíam. Amavam a seu Deus,
e a Ele queriam entregar em medida mais plena de suas riquezas. Não
amavam a disciplina.

―Novamente se pronunciou a Palavra: Deixem no chão tudo o que


possuem e entrem livres.

"Porém três se rebelaram contra esse mandato austero. Os demais


obedeceram. Atravessaram os portais, deixando os três fora. Muitos foram
elevados às alturas da bem-aventurança. Os três ficaram de fora
segurando firmemente aos seus tesouros."

Nesta escritura antiga, a mais antiga que qualquer das escrituras do mundo, reside
o segredo da história maçônica e da morte do Mestre pelos três que estavam mais
intimamente associados a Ele em sua morte e sepultamento. Os maçons reconhecerão
aos três a que me refiro aqui, porque foram os fundadores da moderna raça judaica, três
discípulos avançados que se ressentiam da ordem de entrar livres e sem entraves no lugar
onde se acha a luz. Tentaram reter o que haviam reunido e pô-lo a serviço de Deus. Eles
não podiam reconhecer que sua motivação era o amor às riquezas e o desejo de reter o
que haviam ganho. A antiga tradição, como ensinado pelos instrutores do passado, diz
que...

"Voltaram suas faces para os portais da terra. Seus amigos


seguiram adiante ... Eles ficaram para trás ... Os Mestres se reuniram em
conclave e decidiram qual seria o destino daqueles que, tendo chegado
até os Portais da Luz, amavam mais as posses do mundo do que servir a
luz. Novamente se pronunciou a Palavra dirigida aos três rebeldes, que
esperavam fora dos portais:

"Retenham o que possuem e reúnam mais, porém não conhecerão a


paz. Colham os frutos da mente, busquem o poder nas grandes posses,
porém não terão um lugar seguro onde habitar.

―Dentro
nenhuma paz,de
nãovós,
terãoporque sois nem
segurança discípulos do Senhor,
conhecerão não terão
o êxito nem terãoo
poder de reter as ganâncias.
"Terão sempre um conhecimento superficial d'Aquele que vigia a
todos. Terão sempre o impulso de reunir e acumular riqueza. Nunca terão
225
tempo para retê-la e gozá-la. Continuem até que chegue novamente o
momento de permanecer diante os Portais da Luz, porém desta vez com
as mãos vazias. Em seguida, entrem livres, aceitos pelos Servos do
Senhor e conhecerão eternamente a paz."

A antiga lenda diz que os três partiram com tristeza e revolta, carregados com seus
tesouros; assim começou a história do judeu errante. É significativo recordar que um dos
maiores filhos de Deus que já trabalhou na terra e personificou em Si Mesmo o caminho
da realização, Jesus de Nazaré, era judeu. Inverteu as primitivas
condições; absolutamente nada possuía. Foi o primeiro de nossa humanidade que
alcançou a meta; descendia diretamente do mais velho dos três discípulos srcinais que se
rebelaram contra o drama do desapego. O judeu encarna em si mesmo o filho pródigo
mundial. É o símbolo do discípulo que, todavia, não aprendeu a lição do justo sentido dos
valores. Ele tem sido vítima da Lei da Luz e é incapaz de cumprir essa lei. Pecou
deliberadamente sabendo quais seriam os resultados. Dai que conhece a lei como
nenhuma outra raça, porque é eternamente sua vítima. Enunciou a lei desde seu ângulo
negativo; a Lei Mosaica rege hoje em grande parte do mundo e, no entanto, não logra
trazer à vida a justiça e a verdadeira legalidade.

Os discípulos
passaram do antigos
através dos outro grupo (em
portais daseu dia e época),
iniciação e deramoso representantes
primeiro grandedapasso.
raça,
Voltaram com uma vaga e latente lembrança do episódio que os separou de seus três
condiscípulos. Ao retornar à vida terrena falaram deste acontecimento. Esse foi seu erro, e
começou o longo antagonismo que persiste até hoje. Esses discípulos fizeram uma longa
peregrinação e entraram na paz eterna, mas persistem todavia os resultados da sua
primitiva deslealdade, a de revelar os acontecimentos ocultos da iniciação.

Curiosamente esta antiga raça, fundada por três que amavam mais o que tinham
para oferecer, do o que ansiavam obter, foram os criadores da tradição maçônica. Sua
história (e incidentalmente a história da humanidade) está personificada neste dramático
ritual. Em recompensa pela sua sinceridade
– porque se sublevaram sinceramente, crendo

que estavam corretos


correspondente – se
ao que lhes concedeu
poderiam permissão
ter entrado na luz, ade representar
história cada
da busca ano,Devido
da luz. no diaa
que tinham estado ao ponto de ressuscitar da morte terrena para a vida da luz, eles
iniciaram a grande tradição dos mistérios. Elegeram a morte e mataram o que "havia
vivido e podia reclamar a recompensa" e que poderia ter pronunciado a palavra de poder
que abriria de par em par as portas da ressurreição.

Dizem-nos que os três juraram permanecer eternamente juntos e nunca abandonar


o outro. Este voto foi mantido no transcurso das idades e, em conseqüência, produziu
essa separação racial e essa comunidade de interesses que desperta o antagonismo de
outras raças.

e dando
Noatranscurso
humanidadedasseus
idades
grandes
o judeu
homens;
vaga errante,
mas aoproduzindo
mesmo tempo
muita
tem
beleza
sido odiado
no mundo
e
perseguido, traído e caçado. Personifica em si, simbolicamente, a história da
humanidade. A antiga tendência dos judeus para agarrar e segurar, e também de manter
sua integridade racial e nacional, são suas características marcantes. Não podem ser
226
assimilados; no entanto, a raça é tão antiga que não existe nação no mundo que não
tenha raízes nesse grupo, o qual na antiga Lemúria havia atingido tal grau de evolução
que suas personagens mais destacas estavam sobre o caminho do discipulado. Não há
nenhuma linhagem racial no mundo ocidental que não tenha vestígios desse antiga e
seleto povo, exceto os finlandeses e lapões e essas nações que têm uma definida
descendência mongólica. Mas o que hoje se denomina sangue judeu não é puro, e o judeu
moderno é apenas um subproduto, como o é a raça anglo-saxônica; unicamente a
tendência seletiva imposta e a segregação racial tem mantido intactas a maior parte das
características srcinais.

A compreensão dessa srcem comum tem levado aos britânicos israelitas a


tergiversar a verdade, e a dizer que a história ocidental moderna começou na época da
Dispersão Judaica. Tem uma relação muito mais antiga, que remonta a um período
anterior à história dos judeus, segundo relata o Antigo Testamento. Os três discípulos
srcinais e suas famílias foram os ancestrais dos três principais grupos raciais, que podem
classificar-se em forma geral:

1. A raça semita ou raças dos tempos bíblicos e modernos; árabes, afegãos, mouros
e as ramificações e afiliações desses povos, incluindo os modernos egípcios, são
descendentes todos do mais velho dos três discípulos.
2. Os povos latinos, os seus vários ramos em todo o mundo e as raças celtas, onde
quer que se encontrem, são descendentes do segundo dos três discípulos.

3. Os teutões, os escandinavos e anglo-saxões são descendentes do terceiro dos três


discípulos.

A descrição acima é uma ampla generalização. O período abarcado é tão vasto, e


as ramificações no transcurso das épocas tão numerosas, que só posso dar uma idéia
geral. Gradualmente, os descendentes de dois desses três discípulos aceitaram
paulatinamente as lendas difundidas na época atlante e se colocaram de parte daqueles

que
srcem antagonizam
comum. Não o judeu, tal como
existe hoje é na atualidade;
no mundo nenhuma raçaperderam todo o os
pura, porque sentido de sua
casamentos
inter-raciais, as relações ilícitas e a promiscuidade, durante os últimos milhões de anos,
têm prevalecido de tal modo que não existe uma estirpe pura. O clima e o meio ambiente
são fundamentalmente fatores maiores e determinantes que qualquer segregação
imposta, exceto aquela que provém de constantes casamentos entre raças. Em relação a
este último fator, apenas o hebraico hoje conserva certa medida da integridade racial.

Quando a humanidade desperte para o fato de sua srcem comum e se


reconheçam as três principais estirpes em nossa civilização moderna, então desaparecerá
o antigo ódio ao judeu, que se fundirá e mesclará com o resto do gênero humano. Até as
raças orientais, que são remanescentes da grande civilização atlante, tem vestígios de

união entre bem,


mesclaram os ancestrais dos judeus modernos
por isso conseguiram e outros
manter melhor suas tipos raciais, mas
características do não
que se
os
grupos ocidentais.

227
Se você refletir sobre isso e se estuda detidamente a tradição maçônica, muitas
coisas se esclareceram na mente. Os etnólogos podem discordar, mas não poderão
provar o contrário do que eu disse, porque as srcens da atual situação racial mundial
remontam tão distantes na história da humanidade que nem sequer podem provar suas
próprias convicções. Tudo o que eles são capazes de se considerar é a história dos
últimos cem mil anos, trabalhando com os efeitos do passado e não com as causa
srcinárias.

7. O Raio do Ego

Ao iniciar o estudo do raio do Ego ou Alma, poderiam expor-se brevemente certas


premissas essenciais e agrupá-las na série de catorze proposições dadas em continuação:

1. Os egos de todos os seres humanos pertencem a um ou outro dos sete raios.

2. Todos os egos encontrados no quarto, quinto, sexto e sétimo raios,


eventualmente, após a terceira iniciação, tem que fundir-se com os três raios
principais ou monádicos.

3. O raio monádico de cada ego é um dos três raios de aspecto, e os filhos dos
homens são mônadas de poder, de amor ou de inteligência.

4. Para nosso propósito específico, concentraremos a atenção sobre os sete


grupos de almas encontrado em um dos sete raios ou correntes de energia
divina.

5. Durante a maior parte de nossa experiência racial ede vida, somos governados
sequencialmente, e depois simultaneamente por:

a. O corpo físico, dominado pelo raio que rege a totalidade de átomos desse
corpo.

b. A natureza do desejo emocional influenciado e controlado pelo raio que


cobre a totalidade dos átomos astrais.

c. O corpo da mente ou natureza mental, cujo calibre e qualidade de raio


determinam seu valor atômico.

d. Posteriormente, no plano físico, o raio da alma começa a atuar em e com a


soma total dos três corpos, que constituem – quando alinhados e
funcionando em uníssono – a personalidade. O efeito dessa integração
geral produz a encarnação e as encarnações, onde o raio da personalidade
emerge com claridade, e os três corpos ou eus constituem os três aspectos

ou raios do eu pessoal inferior.


6. Quando o raio da personalidade se destaca e predomina e os três raios do
corpo estão subordinados a ele, então tem lugar a grande luta entre o raio
egóico ou da alma e raio da personalidade. A diferença se faz mais notável e o
228
senso de dualidade se estabelece mais definitivamente. As experiências
detalhadas no Bhagavad Gita se convertem em experiências no caminho do
discipulado; Arjuna se acha no "ponto intermediário" no campo do Kurukshetra,
entre as duas forças opostas e, devido à fumaça da batalha, incapaz de ver
com clareza.

7. Oportunamente o raio ou influência da alma chega a ser o fator dominante e os


raios dos corpos inferiores se transformam em sub-raios deste raio
controlador. Esta última frase é de fundamental importância, porque indica a
verdadeira relação que existe entre personalidade e ego ou alma. O discípulo
que compreende essa relação e se ajusta a ela está preparado para trilhar o
caminho da iniciação.

8. Cada um dos sete grupos de almas responde a um dos sete tipos de força, e
todos respondem ao raio do Logos planetário do nosso planeta, o terceiro raio
de Inteligência Ativa. Portanto, todos pertencem a um sub-raio deste raio, mas
nunca se deve esquecer que o Logos planetário também pertence a um raio,
sub-raio do segundo raio de Amor-Sabedoria. Portanto, temos:

O RAIO DO LOGOS PLANETÁRIO

I
O Raio Solar de Amor-Sabedoria
"Deus é Amor"

II
Os Sete Raios

1 2 3 4 5 6 7

Vontade Amor Intelecto Harmonia Ciência Devoção Cerimônia

III
Raio Planetário Egóico
com sete sub-raios

1 2 3 4 5 6 7
Vontade Amor Intelecto Harmonia Ciência Devoção Cerimônia

IV
O Raio da Personalidade
do
Logos planetário
229
Deve recordar-se que o nosso Logos planetário, que atua através do planeta
Terra, não se considera ter produzido um dos sete planetas sagrados.

9. O trabalho de cada aspirante individua é, portanto, chegar a compreender que:

a. Seu raio de alma ou egóico.

b. Seu raio de personalidade.

c. O raio que rege sua mente.

d. O raio que rege seu corpo astral.

e. O raio que influencia seu corpo físico.

Quando
mandado tiver alcançado
de Delfos: esse quíntuplo
"Conhece-Te conhecimento,
a ti mesmo", terá cumprido
e pode em conseqüência o
passar
a Iniciação.

10. Todo ser humano também está regido por certos grupos de raio:
230
a. Os raios do quarto reino da natureza. Isto terá diferentes efeitos de acordo
com o raio de personalidade ou alma. O quarto reino tem:

1. O quarto raio como raio egóico.

2. O quinto raio como raio da personalidade.

b. Na atualidade os raios raciais para nossa raça ariana são o terceiro e o


quinto, e afetam poderosamente todos os seres humanos.

c. O raio cíclico.

d. O raio nacional.

Todos eles controlam a vida da personalidade de cada homem. O raio egóico


do indivíduo, além do raio egóico do quarto reino, neutralizam gradualmente os
raios que regem a personalidade, a medida que o homem se aproxima do
caminho da provação e do discipulado.

11. Portanto, o homem é um conglomerado de forças que em forma separada e em


conjunto o dominam, colorem sua natureza, produzem sua qualidade e
determinamsua ―aparência‖ empregando esta palavra no sentido oculto da
exteriorização. Durante épocas foi manejado por uma dessas forças e é
simplesmente seu produto. À medida que chega a uma compreensão mais
clara e pode começar a discriminar, elege definitivamente qual delas deve
dominar, até que oportunamente se torna controlado pelo raio da alma e os
outros raios ficam subordinados a esse raio, empregando-o à vontade.

12. Ao estudar o raio egóico do homem deve ser captado:

a. O processo a seguir . . . . . . . . . . . . . . . . exteriorização.


b. O segredo a ser descoberto . . . . . . . . . . manifestação.

c. O propósito a ser conhecido . . . . . . . . . . realização.

Também temos que compreender as influências do quinto raio que predominam


no reino das almas, e são:

1. O quinto raio . . . . . . . . . . . trabalhando através da personalidade.

2. O segundo raio . . . . . . . . . trabalhando por meio da intuição.

13. O Raio da Personalidade tem seu principal campo de atividade e expressão no


corpo físico. Determina a tendência, o propósito, a aparência e a vocação de
sua vida. Seleciona a qualidade, quando está influenciado pelo raio egóico.

231
O Raio Egóico tem ação direta e específica sobre o corpo astral. Por isso o
campo de batalha da vida sempre se encontra no plano da ilusão; à medida que
a alma trata de dispersar a ilusão astral o aspirante está habilitado para
caminhar na luz.

O Raio Monádico exerce sua influência sobre o corpo mental depois de lograr-
se a integração da personalidade. Isso faz com que a mente obtenha a clara
visão que culmina na quarta iniciação e que libera o homem das limitações da
forma. Existe uma analogia desta triplicidade e uma interessante relação
simbiótica nos três Iniciadores.

a. O primeiro iniciador . . . . . . . . . . . . . . . . . a alma do homem.


Controla gradualmente a personalidade.

b. O segundo Iniciador . . . . . . . . . . . . . . . . o Cristo.


Libera natureza do amor.

c. O terceiro e último Iniciador. . . . . . . . . . . o Logos planetário.


Iluminando a mente.

14. Quando se haja alcançado o alinhamento, o raio do ego ou alma começa a


fazer sentir ativamente sua presença por intermédio do corpo astral. O
processo é o seguinte:

a. Atua externamente sobre o corpo astral.

b. O estimula internamente para que adquira maior tamanho, e melhor cor


e qualidade.

c. O põe em atividade e controla todas as partes da vida física.

As anteriores
personalidade proposições
provoca poderiam
uma atitude resumir-se
separatista naa afirmação
e faz que de que
personalidade o raio da
se desapegue
do grupo de almas, do qual a personalidade é uma exteriorização, e um anexo de
componente para o lado da forma de manifestação. O raio egóico fomenta a consciência
grupal e o desapego de formas externas, produzindo o apego ao aspecto vida da
manifestação e ao todo subjetivo. O efeito do raio monádico só pode ser compreendido
depois que o homem passou a terceira iniciação.

Agora dividirei em quatro partes o que tenho a dizer no segundo volume deste
tratado, que versa sobre o raio egóico:

I. O Crescimento da Influência da Alma.

II.
III. As
Os Sete
CincoLeis da Vida
Grupos da Alma.
de Almas.
IV. As Regras para Induzir o Controle da Alma.

232
Algumas Classificações dos Raios

OS RAIOS DENTRO E FORA DE MANIFESTAÇÃO

1º Raio Não está em manifestação.


2º Raio Em manifestação desde 1557 d. C.
3º Raio Em manifestação desde 1425 d. C.
4º Raio Virá lentamente em manifestação em torno do ano 2025 d. C.
5º Raio Em manifestação desde 1775 d. C.
6º Raio Saindo rapidamente de manifestação. Começou a sair no ano 1625 d. C.
O 7º Raio Em manifestação desde 1675 d. C.

OS MÉTODOS DOS RAIOS PARA ENSINAR A VERDADE

1º Raio Expressão superior: A ciência do estadista e do governo.


Expressão inferior: Diplomacia e política modernas.

2º Raio Expressão superior: O processo de iniciação como ensinado pela Hierarquia


dos Mestres.
Expressão inferior: Religião.

3º Raio Expressão superior: Meios de comunicação e interação.


Rádio, telégrafo, telefone e meios de transporte.
Expressão inferior: O uso e circulação de dinheiro e ouro.

4º Raio Expressão superior: O trabalho maçônico baseado na formação da Hierarquia,


relacionado com o segundo raio.
Expressão inferior: Construção arquitetônica. Projeção moderna das cidades.

5º Raio Expressão superior: A Ciência da Alma. Psicologia esotérica.

Expressão inferior: Sistemas modernos de educação.


6º Raio Expressão superior: Cristianismo e religiões diversificadas.
Observem sua relação com o segundo raio.
Expressão inferior: Igrejas e organizações religiosas.

7º Raio Expressão superior: Todas as formas de magia branca.


Expressão inferior: Espiritismo em seus aspectos inferiores.

233
OS DISCÍPULOS E RAIOS

Primeiro Raio Força Energia Ação O Ocultista.

Segundo Raio Consciência Expansão Iniciação O verdadeiro


Psíquico.

Terceiro Raio Adaptação Desenvolvimento Evolução O Mago.

Quarto Raio Vibração Resposta Expressão O Artista.

Quinto Raio Mentalidade Conhecimento Ciência O Cientista.

Sexto Raio Devoção Abstração Idealismo O Devoto.

Sétimo Raio Encantamento Magia Ritual O Ritualista.

Iniciação Humana e Solar

OS RAIOS E OS QUATRO REINOS

Nota: Amplas informações e diversas e interessantes insinuações estão


disseminadas no Tratado sobre Fogo Cósmico e nesta série de instruções. Eu reuni
algumas, as quais serão de utilidade para o estudante se familiarize com as classificações
e anotações dadas na continuação. A.A.B.

INFLUÊNCIA NÚMERICA DOS RAIOS


Reino Mineral Raios 7 e 1

Reino Vegetal Raios 2, 4 e 6

Reino Animal Raios 3 e 6

Reino Humano Raios 4 e 5

Reino das Almas Raios 5 e 2

Reino Planetário Raios 6 e 3

Reino Solar Raios 1 e 7

234
EXPRESSÕES DE INFLUÊNCIA DOS RAIOS

Reino Mineral 7º Raio Radiação.


1º Raio Poder.

Reino Vegetal 2º Raio Magnetismo.


4º Raio Harmonia da Cor.
6º Raio Crescimento até à luz.

Reino animal 3º Raio Instinto.


6º Raio Domesticidade.

Reino Humano 4º Raio Experiência.


5º Raio Intelecto.

Reino das Almas 5º Raio Personalidade.


2º Raio Intuição.

Reino Planetário 6º Raio O Plano.


3º Raio O trabalho criador.

Reino Solar 1º Raio Vontade da Mente Universal.


7º Raio Ritual sintético.

235
SÉRIE DE ANALOGIAS

I. Mineral Gônadas Centro Sacro.


Base da Coluna Vertebral.

Vegetal Coração Coração.


Pulmões Garganta.

Animal Estômago Plexo Solar.


Fígado

Humano Cérebro Os dois centros da cabeça.


Cordas Vocais

II. Mineral Base da Coluna Vertebral Supra-renais.

Vegetal Centro Cardíaco Timo.


Animal Plexo Solar Pâncreas.

Humano Centro Sacro Gônadas.

Egóico Centro Laríngeo Tiróide.

Planetário Centro Ajna Pituitária.

Solar Centro Coronário Pineal.

Processo Segredo Propósito

III. Mineral Condensação Transmutação Radiação.

Vegetal Conformação Transformação Magnetização

Animal Concretização Transfusão Experimentação

Humano Adaptação Translação Transfiguração.

Egóico Exteriorização Manifestação Realização.

236
ALGUMAS NOTAS SOBRE OS QUATRO REINOS

1. O reino mineral compreende três partes principais:


a. Os metais brutos.
b. Os metais padrão.
c. Os cristais e as pedras preciosas.
Tratado sobre Fogo Cósmico,480
p.14

2. O reino vegetal é:
a. O transmissor do fluido prânico vital.
b. A ponte entre o que se chama consciência e inconsciência.
c. A relação esotérica que existe no reino dos devas ou anjos.
Tratado sobre Fogo Cósmico,464
p.

3. Os quatro raios menores controlar os quatro reinos:

a. O sétimo raio controla o reino mineral.


b. O sexto raio controla o reino vegetal.
c. O quinto raio controla o reino animal.
d. O quarto raio controla o reino humano.

4. O quarto raio e o quarto reino formam um ponto de harmonia para os três reinos
inferiores.
Tratado sobre Fogo Cósmico,480
p.

5. O quinto raio tem uma relação peculiar com o reino animal, porque é o raio que rege a
fusão desse reino com o reino humano.
Tratado sobre Fogo Cósmico,480
p.
6. O reino humano trata de manifestar o desejo ou a natureza amorosa do Logos
planetário.
Tratado sobre Fogo Cósmico,482
p.

Os três reinos subumanos procuram manifestar a natureza inteligente do Logos


planetário.
Tratado sobre Fogo Cósmico, p. 820

7. O reino mineral responde ao tipo de energia, aspecto inferior do fogo.


O reino vegetal responde a esse tipo de energia que produz o fenômeno da água.
O reino animal responde a este tipo de energia que é uma combinação dos dois
mencionados; fogo e água.

14
O número das páginas referem-se à Edição em Espanhol.
237
O reino humano responde à energia de fogo em sua manifestação mais elevada nos
três mundos.
Tratado sobre Fogo Cósmico, p. 841-42

8. O período de radiação é mais extenso no reino mineral e breve no reino humano.


Tratado sobre Fogo Cósmico, p. 844

9. O reino mineral proporciona esse algo negativo porém vital, que é a essência do átomo
permanente humano.

O reino vegetal proporciona a energia negativa para o átomo astral permanente no


reino humano.

O reino animal proporciona essa força negativa que quando está energizada pela força
positiva se converte em uma entidade mental.

Sattva Ritmo Corpo Mental Unidade Mental Animal


Rajas Atividade Corpo Astral Átomo astral permanente Vegetal
Tamas Inércia Corpo físico Átomo físico permanente Mineral
Tratado sobre Fogo Cósmico, p. 887-883

10. Cada reino da natureza é positivo para o próximo reino inferior.


Tratado sobre Fogo Cósmico,889
p.

SÉTIMO RAIO ENTRANTE E O REINO ANIMAL

1. O reino animal é para o corpo humano o que o corpo físico denso é para os sete
princípios.

2. O reino animal é o aspecto mãe antes de ser influenciado pelo Espírito Santo.
3. O reino animal é o campo da individualização.

4. Desde os dias atlantes o reino animal vem acumulando karma.

5. Os animais domésticos constituem o centro cardíaco da vida e da Entidade que anima


o reino animal

6. O reino animal não reage fortemente ao sétimo raio.

7. O reino humano reage, mas o sétimo raio terá três efeitos em relação com ambos os

reinos e sua interação:


a. Refinará os corpos animais.
b. Estabelecerá uma relação mais íntima entre os homens e animais.
c. Causará uma grande destruição nas atuais formas de animais.
238
MÉTODOS DE ATIVIDADE DOS RAIOS

Estão são vinte e um, que sintetizados formam os vinte e dois métodos que
expressam a grande Lei da Atração.

I. Raio de Vontade ou Poder.


1. Destruição das formas mediante a interação grupal. 1.
2. Estímulo do eu, o princípio egóico. 2.
3. Impulso espiritual ou energia. 3.

II. Raio de Amor-Sabedoria.


1. Construção das formas mediante o intercambio grupal. 4.
2. A estimulação do desejo, o princípio do amor. 5.
3. Impulso da alma ou energia. 6.

III. Raio de Atividade ou da Adaptabilidade.


1. Vitalização de formas mediante o trabalho grupal. 7.
2. Estímulo das formas, o princípio etérico ou prânico. 8.
3. Impulso material ou energia. 9.

IV. Raio da Harmonia ou União.


1. Aperfeiçoamento das formas mediante a interação grupal. 10.
2. Estimulação dos Anjos solares ou princípio manásico. 11.
3. Energia intuitiva ou búdica. 12.

V. Raio do Conhecimento Concreto.


1. Analogia entre o tipo e a forma pela influência grupal. 13.
2. Estimulação do corpo físico denso do Logos, os três mundos. 14.
3. Energia mental ou impulso, manas universal. 15.

VI. Raio do Idealismo Abstrato ou Devoção.


1. Reflexo da realidade mediante o trabalho grupal. 16.
2. Estimulo do homem o desejo. 17.
3. Desejo da energia, o instinto ou aspiração. 18.

VII. Raio de Ordem Cerimonial.


1. União de energia e substância mediante a atividade grupal. 19.
2. Estimulo das formas etéricas. 20.
3. Energia vital. 21.
Tratado sobre Fogo Cósmico,954
p.
239
AS SETE CHAVES DOS MÉTODOS DOS SETE RAIOS

PRIMEIRO RAIO
"Que as forças se unam. Que ascendam até o lugar elevado e
dessa sublime eminência que a Alma observe ao mundo destruído. Então
que se emita a palavra:.―
Eu
.. persistirei."

SEGUNDO RAIO
"Que toda a vida seja atraída até o centro, e penetre assim no
Coração do Amor Divino. Então, desse ponto de Vida sensível, que a
Alma compreenda a Consciência de Deus. Que se pronuncie a palavra e
reverbere através do silêncio.
.―Não existe nada mais que ‖Eu.
"

TERCEIRO RAIO
"Que o Exército do Senhor responda à palavra, e cesse sua
atividade. Que o conhecimento finalize em sabedoria. Que o ponto
vibrante se torne o ponto de repouso, e todas as linhas convirjam ao Uno.
Que a Alma perceba o Uno em Muitos, e que a palavra se pronuncie com
perfeita compreensão:
―Eu sou o Trabalhador e o trabalho. O Uno que
É."‖

QUARTO RAIO
"Que finalize a glória externa e que a beleza da luz interior revele
ao Uno. Que a dissonância seja substituída pela harmonia, e desde o
centro da Luz oculta que fale a Alma e surja palavra
ondulante: Beleza
― e
Gloria não Me velam. Eu permaneço revelado. Eu sou.‖
"

QUINTO RAIO
"Que as três formas de energia elétrica ascendam até o lugar de
poder. Que as força da cabeça e do coração e todos os aspectos

inferiores
Divina. Quese se
fusionem.
difundaEntão que a
a palavra Alma―observe oenergia
triunfante:
Dominei mundo porque
interno Eu
da Luz
sou a energia em si. O Mestre e os alunos são‖"Um.

SEXTO RAIO
"Cesse todo desejo. Que finalize a aspiração A busca está
terminada. Que a Alma compreenda que atingiu a meta, e desde esse
portal que conduz à Vida eterna e a Paz cósmica, que se pronuncie a
palavra: "Eu sou o buscador e a busca. Eu descanso.
‖"

SÉTIMO RAIO
"Que os construtores cessem seu trabalho. O templo foi

terminado.
ordene queQue
todoa Alma recebachegue
o trabalho sua herança
ao fim.e Então,
desde onoLugar Sagrado
subseqüente
silêncio que se segue, que entoe a palavra:―O trabalho criador está
terminado. Eu sou o Criador. Só permaneço ‖" Eu.

240
REFERÊNCIA DA DOUTRINA SECRETA

Primeiro Raio . . . . . . . . Vontade ou Poder

Planeta O Sol substitui Vulcano, o planeta oculto.

Dia Exotérica
Cor Domingo.
Alaranjado.
Cor Esotérica Vermelha.
Princípio humano Prana ou Vida, vitalidade.
Princípio divino A Vida Una. Espírito. Se considerará como um princípio,
quando os nossos sete planos se vejam como sete sub-
planos do plano físico cósmico.

Elemento O Akasha "Está escrito".


Instrumento de sensação A Luz da Kundalini.
Localização corporal Ar vital no crânio.
Plano regido por este raio O plano logoico. Propósito Divino ou Vontade.
Metal Ouro.
Sentido Sentido sintético que abarca a todos.

Esotericamente este poder está considerado como o princípio vida assentado no coração.

Segundo Raio . . . . . . . . . Amor Sabedoria

Planeta Júpiter.
Dia Quinta-feira.
Cor exotérica índigo, com um matiz púrpura.
Cor Esotérica Azul claro.
Princípio humano Envoltura aurica.
Princípio Divino Amor.
Elemento Éter. "Foi dito". A Palavra.
Instrumento de sensação O ouvido. A fala. A Palavra.
Localização corporal O coração.
Plano O monádico.
Sentido Audição.

Esotericamente, esse poder é a consciência ou ego princípio, a alma, localizado na


cabeça.

241
Terceiro Raio . . . . . . . . Inteligência Ativa ou Adaptabilidade

Planeta Saturno.
Dia Sábado.
Cor Exotérica Preto.

Cor esotérica Verde.


Princípio humano Mente inferior.
Princípio divino Mente Universal.
Elemento Fogo. "Fogo por Fricção".
Sensação Sistema nervoso. "É conhecido".
Localização corporal Os centros da coluna vertebral.
Plano O átmico ou plano da vontade espiritual.
Sentido Tato.

Esotericamente, este princípio da mente criativa está localizado na garganta.

Quarto Raio . . . . . . . . . Intuição, Harmonia, Beleza, Arte

Planeta Mercury.
Dia Quarta-feira.
Cor Exotérica Creme.
Cor esotérica Amarelo.
Princípio humano Compreensão. Visão. Percepção espiritual.
Princípio divino Budhi. Intuição. Razão pura.
Elemento Ar. "Assim se produz a unidade".
Instrumento de sensação Os olhos, especialmente o olho direito.
Plano búdico ou intuitivo.
Sentido Visão.

Esotericamente, esta constitui a razão pura localizada no centro ajna entre os olhos.
Funciona quando a personalidade atinge um grau elevado de coordenação.

Quinto Raio Conhecimento Concreto ou Ciência

Planeta Venus. Os Senhores da mente vieram de Vênus.


Dia Sexta-feira.
Cor Exotérica Amarelo.

242
Cor esotérica Índigo.
Princípio humano Mente superior.
Princípio divino Conhecimento superior. "Deus viu que isso era bom."
Elemento Chama.
Instrumento de sensação Corpo astral.

Plano A mental inferior.


Sentido Consciência como resposta ao conhecimento.
Localização corporal Cérebro.

Esotericamente, este princípio da sensibilidade está localizado no plexo solar.

Sexto Raio . . . . . . . . . . Idealismo Abstrato. Devoção

Planeta Marte.
Dia Terça-feira.

Cor Exotérica Vermelho.


Cor esotérica Rosa prateado.
Princípio humano Kama-Manas. Desejo.
Princípio divino Desejos pela forma.
Elemento Água. "O desejo de habitar uma forma."
Instrumento de sensação Língua. Órgão da fala.
Plano O astral ou emocional. Plano do desejo.
Sentido Paladar.

Esotericamente, o princípio do desejo está localizado no centro sacro, e tem seu reflexo
superior na garganta.

Sétimo Raio . . . . . . . . Ordem Cerimonial ou Magia

Planeta A Lua. A mãe da forma.


Dia Segunda-feira.
Cor Exotérica Branca.
Cor esotérica Violeta.
Princípio humano Força etérica ou prana.
Princípio divino Energia.
Elemento Terra. "Eu me manifesto".
Instrumento de sensação Nariz.
Plano O físico, níveis etéricos.

243
Sentido Olfato.

Esotericamente, este princípio de vitalidade ou prana está localizado no centro da coluna


vertebral.

Nota: Esotericamente falando, os planetas que expressam os três raios maiores são:

1º Raio Urano.
2º Raio Netuno.
3º Raio Saturno.

Um estudo a esse respeito evidenciará porque Saturno é sempre o


estabilizador. No ciclo atual, os raios de Poder e Amor dirigem suas energias para Vulcano
e Júpiter, enquanto Saturno dirige sua atenção ao nosso planeta, a Terra.

Temos assim os dez raios de perfeição, os veículos para a manifestação, que


H.P.B. denomina de "Deuses Imperfeitos" os Logos planetários. Veja-se Um Tratado sobre
o Fogo Cósmico, onde se detalha isso.

OS RAIOS E OS PLANOS

1º Raio A Vontade aplicada dinamicamente se manifesta como poder.


2º Raio O Amor, agindo magneticamente, produz sabedoria.
3º Raio A Inteligência que está potencialmente na substância produz atividade.

OS RAIOS E OS SENTIDOS

1. Audição Sétimo Raio Magia A Palavra de Poder.


2. Tato Primeiro Raio Destruidor O Dedo de Deus.
3. Vista Terceiro Raio Visão O Olho de Deus.
4. Paladar Sexto Raio idealismo O Desejo das Nações.
5. Olfato Quarto Raio Arte A Beleza da Revelação.
6. Intelecto Quinto Raio Mente O Conhecimento de Deus.
7. Intuição Segundo Raio Amor Sabedoria A Compreensão de Deus.

244
OUTROS RELACIONAMENTOS

1. O corpo reino mineral A densa prisão da vida.

2. O akasha reino vegetal A fluida vida consciente.

3. A ascensão fora
da matéria reino animal A meta
existe evolutiva
entre o corpoda
e orelação que
akasha.

4. O poder de viajar reino humano A meta da consciência humana alcançada


no espaço mediante a compreensão dos três anteriores.

REINOS

Nº Reino Raios Expressão

1. Mineral 7. Organização Cerimonial Radioatividade.


1. Vontade ou Poder O fundamental depósito de poder.

2. Vegetal 2. Amor-Sabedoria Magnetismo.


4. Beleza e Harmonia Uniformidade da cor.
6. Devoção Idealista Tendência ascendente.

3. Animal 3. Adaptabilidade Instinto.


6. Devoção Domesticidade.

4. Humano 4. Harmonia através do conflito. Experiência. Crescimento.


5. Conhecimento Concreto Intelecto.

5. Egóico 5. Conhecimento Concreto Personalidade.


ou Alma 2. Amor-Sabedoria Intuição.

6. Vida 6 Devoção às idéias O Plano.


Planetária 3. Inteligência Ativa Trabalho Criador.

7. Vidas 1. Vontade ou Poder Mente Universal.


Solares 7. Magia Cerimonial Ritual sintético.

245
A MEDITAÇÃO E OS REINOS

"A meditação centralizada sobre as cinco formas que adota cada elemento
concede domínio sobre todos eles. Estas cinco formas constituem a natureza densa, a
forma elemental, a qualidade, a compenetração e o propósito básico."

Portanto, devemos considerar as analogias seguintes:


1. A natureza densa . . . . . . . . . . . . . . o reino mineral.
2. A forma elemental . . . . . . . . . . . . . o reino vegetal.
3. A qualidade . . . . . . . . . . . . . . . . . . reino animal.
4. A compenetração . . . . . . . . . . . . . . o reino humano.
5. O propósito fundamental . . . . . . . . . o reino das almas.

Tudo isto visto a partir do ângulo de consciência.

RELAÇÃO DOS RAIOS COM AS RAÇAS

Raio Plena Expressão Influência Principal

1º Raio Vontade. Na 7ª raça raiz 1ª e 7ª sub-raças.


Almas de 1º raio Perfeição do Plano

2º Raio Amor-Sabedoria. Na 6ª raça raiz 2ª e 6ª sub-raças.


Almas de 2º raio Intuição aperfeiçoada.

3º Raio Inteligência. Na 5ª raça raiz 3ª e 5ª sub-raças.


Almas de 3º raio Raça Ariana
Intelecto aperfeiçoado.

4º Raio Harmonia. Na 4ª raça raiz 4ª e 6ª sub-raças.


Almas de 4º raio. Astralismo aperfeiçoado.
Emoção aperfeiçoado.
Raça Atlante.

5º Raio Conhecimento. Na 3ª raça raiz 5ª e 3ª sub-raças.


Almas de 5º raio Lemuriana.
Físico aperfeiçoado.

6. Raio Devoção. Na 2ª raça raiz 6ª e 2ª sub-raças.


Almas de 6º raio.
7º Raio Cerimonial. Na 1ª raça raiz 7ª e 1ª sub-raças.
Almas de 7° raio.

246
REINO ANIMAL

Influências O terceiro Raio de Inteligência Ativa ou Adaptabilidade é potente neste


reino; a medida que transcorre o tempo se expressa cada vez mais e
tem produzido no reino animal essa reação à vida e ao meio ambiente
que poderia descrever-se melhor como "unidirecionalidade animal".
Então, partindo daí e em forma cíclica, o sexto Raio da Devoção ou
Idealismo pode fazer sentir sua pressão como a ânsia de alcançar a
meta, produzindoassim uma relação com o homem, que o converte na
meta desejada. Isto pode observar-se nos animais amansados,
adestrados e domesticados.

Resultados Por um lado, vemos que o terceiro raio srcina instinto e por sua vez cria
e usa esse maravilhoso mecanismo de resposta que denominamos
sistema nervoso, o cérebro e os cinco sentidos, os quais os respaldam e
são responsáveis dos demais. Deve advertir-se que por muito ampla
seja a diferença entre o homem e os animais, não há realmente uma
relação muito mais estreita do que a existente entre o animal e vegetal.
No caso do sexto raio temos a aparição da faculdade de ser

domesticado e rebanho
servir e sair do adestrado, que em
e passar aoúltima
grupo.análise
Reflitamé sobre
o poder de amar,
as palavras
desta última e paradoxal afirmação.

Processo Se denomina concretização. Neste reino temos pela primeira vez a


verdadeira organização do corpo etérico em "os verdadeiros nervos e
centros sensórios", como o denominam os esotéricos. As plantas
também têm nervos, mas nada tão intrincado como o plexo do ser
humano e do animal. Ambos reinos contêm a mesma agrupação geral
de nervos, de centros de força e canais e tem também uma coluna
vertebral e um cérebro. Esta organização do mecanismo de resposta
sensível constitui na verdade, a densificação do corpo etérico sutil.

Segredo Se denomina transfusão, palavra muito inadequada para expressar a


primitiva fusão, no animal, dos fatores psicológicos que conduzem ao
processo de individualização. É o processo de dar vida, integração
inteligente e desenvolvimento psicológico para enfrentar as
emergências.

Propósito Se denomina experimentação. Chegamos aqui a um grande mistério


peculiar em nosso planeta. Em muitos livros esotéricos foi afirmado e
insinuado que Deus e nosso Logos planetário ter cometido um erro
muito sério e que esse erro compreende o nosso planeta e tudo que
nele contém de dor, caos e sofrimento visíveis. Poderia dizer-se que não
houve um erro, mas sim simplesmente um grande experimento, de cujo
êxito ouser
poderia fracasso
que: a não é possível
intenção julgá-lo?
do Logos A finalidade
planetário douma
é produzir experimento
condição
psicológica que pode descrever-se como "lucidez divina." O trabalho da
psique e a meta da verdadeira psicologia é ver a vida com toda
claridade, tal como é, e tudo o que isso implica. Não significa condições
247
e meio ambiente, mas sim Vida. Esse processo começou no reino
animal e culminará no humano. Ambos estão descritos no Antigo
Comentário como "os dois olhos da Deidade, cegos no princípio, mas
depois verão, ainda que o olho direito veja com mais claridade do que o
esquerdo". A primeira tênue indicação desta tendência para a lucidez se
percebe na faculdade que tem as plantas de buscar o sol. Quase
inexistente no reino mineral.

Divisões Primeiro, os animais mais evoluídos e os domésticos como o cão, o


cavalo e o elefante.
Segundo, as bestas denominadas selvagens, como o leão, o tigre e
outras bestas carnívoras e perigosas.
Terceiro, o conjunto de pequenos animais que parecem não satisfazer
necessidade alguma, nem cumprir propósito especial, tais como as
inofensivas inumeráveis vidas que povoam nossos bosques, selvas e
campos do planeta, por exemplo, os coelhos e os roedores do
Ocidente. A descrição acima é uma ampla e geral especificação sem
importância científica, mas abarca adequadamente as divisões cármicas
e a conformação geral que lhes corresponde a esses conjuntos de vidas

em dito reino.
Agente objetivo O fogo e a água – ardente desejo e mente incipiente. Estes estão
simbolizados no poder que tem o animal para comer e beber.

Agente subjetivo O olfato ou rastro


– a descoberta instintiva do que necessita, desde a
busca do alimento e a utilização do poder de sentir o cheiro desse
alimento, até a identificação do cheiro de seu amado mestre e amigo.

Qualidade Tamas ou inércia


– neste caso, é a natureza tamasica da mente e não a
da matéria, como geralmente se entende. "Chitta" ou substância mental,
pode ser igualmente tamasica.

REINO MINERAL

Influências Do sétimo Raio de Organização e do primeiro Raio de Poder são os


fatores dominantes.

Os resultados Da evolução são a radiação e a potência, uma potência estática,


subjacente no resto do esquema natural.

Processo Condensação.

Segredo Transmutação. No Tratado sobre Fogo Cósmico se define da seguinte


forma: "A transmutação consiste em passar de um estado de ser a outro
por meio do fogo".

248
Propósito Demonstração da radioatividade da vida.

Divisões metais brutos, metais padrão, pedras preciosas.

Agente objetivo O Fogo. Constitui o fator iniciático deste reino.

Agente Subjetivo O som.

Qualidade A extrema densidade. A Inércia. O Brilho.

OS RAIOS E OS PLANETAS

Cada um dos planetas sagrados (aos quais não pertence nossa Terra) é a
expressão de uma das influências dos sete raios. O estudante deve lembrar-se de três
coisas:

1. Que cada planeta é a encarnação de uma Vida, uma Entidade e um Ser.

2. Que todo planeta, assim como todo ser humano, é a expressão de duas forças de
raio – o da personalidade e o da alma.
3. Que dois raios estão, portanto, em conflito esotérico em cada planeta.

OS RAIOS E NAÇÕES

Nação Raio da Personalidade Raio Egóico Lema

Índia 4º. Raio da Arte 1º Raio de Governo ―Oculto a Luz"

China 3º Raio do Intelecto 1º Raio de Governo "Indico


Caminho‖
o
Alemanha 1º Raio de Poder 4º Raio da Arte "Preservo"

França 3º Raio do Intelecto 5º Raio do Conhecimento "Libero Light"

Grã-Bretanha 1º Raio de Poder 2º Raio de Amor o‖


"Sirv

Itália 4º Raio da Arte 6º Raio do Idealismo "Abro


os Caminhos‖

EUA 6º Raio de Idealismo 2º Raio de Amor "Ilumino


Caminho‖
o

Rússia 6. Raio de Idealismo 7º Raio de Magia "Vinculo dois


e Ordem Caminhos‖

Áustria 5º Raio do 4º Raio da Arte "Sirvo no Caminho


Conhecimento Iluminado‖

Espanha 7º Raio de Ordem 6º Raio de Idealismo "Disperso


as Nuvens‖

249
Brasil 2º Raio de Amor 4º Raio da Arte "Oculto a Semente "

Nota:15

RAIOS DE ASPECTO E DE ATRIBUTO

Os quatro
produzem raios qualidades
as diversas de atributomais
estão sintetizados no
detalhadamente queterceiro
raios deraio de aspecto,
aspecto. Poderia
dizer-se em forma geral que os três raios de aspecto encontram sua principal expressão
em relação à humanidade, por intermédio dos três veículos periódicos:

1º Raio Poder Vida Idéias A Mônada.


2º Raio Amor-Sabedoria Consciência Ideal Alma.
3º Raio Inteligência Ativa Aparência ídolos Personalidade.

Se expressam em forma secundaria nos três corpos que formam a personalidade do


homem:

1º Raio Poder Idéias Corpo Mental Propósito. Vida.


2º Raio Amor Ideais Corpo Astral Qualidade.
3º Raio Inteligência Ídolos Corpo Físico Forma.

Os raios de atributo, embora se expressem igualmente em todos os planos e


através dos veículos periódicos e os três aspectos da personalidade, se expressam
principalmente através de um dos quatro reinos da natureza:

4º Raio Harmonia, Conflito 4º reino Humano. O equilíbrio.


5º Raio Conhecimento Concreto 3º reino Animal.
6º Raio Devoção 2º reino Vegetal.
7º Raio Ritual de Cerimonial 1º reino Mineral.

Estes são os principais campos de influência nos três mundos, e sobre eles nos
estenderemos mais adiante.

No que diz respeito ao gênero humano estes quatro raios de atributo se expressam
amplamente em conexão com os quatro aspectos da personalidade ou o quaternário. A
relação é:

15
Consulte a página 217 para uma enumeração diferente dos raios. A aparente contradição pode ser
devido ao uso da palavra "raio" sem indicar se é um raio maior, um dos sete subraios de um raio maior e um
raio complementar está implícito. Os Editores.
250
4º Raio Harmonia através do conflito Corpo físico.
5º Raio Conhecimento concreto Corpo etérico.
6º Raio Devoção Corpo astral.
7º Raio Organização Corpo Mental.

OS RAIOS QUE DEVEM SER CONSIDERADOS EM


CONEXÃO COM A HUMANIDADE

1. O raio do sistema solar.


2. O raio do Logos planetário do nosso planeta.
3. O raio do reino humano.

4. Nosso particular raio racial, raio que determina a raça ariana.

5. Os raios que regem um ciclo determinado.

6. O raio nacional, ou a influência que esse raio exerce especialmente sobre uma nação
em particular.

7. O raio da alma ou ego.

8. O raio da personalidade.

9. Os raios que governam:

a. O corpo mental.

b. O corpo emocional ou astral.

c. O corpo físico.

RELACIONAMENTO DOS RAIOS COM OS CENTROS

1. Centro Coronário Raio de Vontade ou Poder Primeiro Raio


2. Centro Ajna Raio Conhecimento Concreto Quinto Raio.
3. Centro Laríngeo Raio de Inteligência Ativa Terceiro Raio.
4. Centro Cardíaco Raio de Amor-Sabedoria Segundo Raio.
5. Plexo Solar Raio da Devoção Sexto Raio.

6. Centro Sacro Raio de Magia Cerimonial Sétimo Raio.


7. Base da coluna vertebral Raio de Harmonia Quarto Raio.

251
REINO VEGETAL

Influências De segundo Raio de Amor-Sabedoria se expressam como sensibilidade


extremamente elevada.

Do Quarto Raio de Harmonia e Beleza que se expressa como


harmonização geral deste reino em todo o planeta.

Do Sexto Raio da Devoção (como foi expressado simbolicamente na


Sabedoria Antiga) "o desejo de consagrar a vida ao Sol, doador da vida"
ou também "o desejo de dirigir o olho do coração ao coração do sol".

Resultados Se manifestam no segundo reino como magnetismo, perfume, cor e


crescimento em direção à luz. Recomendo-lhes que estudem estas
palavras cuidadosamente, porque neste reino é onde primeiramente se
observa com claridade a glória que está à frente da humanidade.

a. A radiação magnética. A fusão dos objetivos dos reinos mineral e


vegetal.
b. O perfume da perfeição.
c. A glória da aura humana. O radiante corpo luminoso.
d. A aspiração que conduz à inspiração final.

Processo A conformidade ou o poder de estar "de acordo" com padrão definido nos
céus, e produzir abaixo o que existe acima. Neste reino isso é feito com
maior flexibilidade que no reino mineral, onde o processo de condensação
se efetua cegamente.

Segredo A Transformação. Processos ocultos de alquimia que permite aos


vegetais deste reino extrair seu sustento do sol e do solo e "transformá-lo"
em forma e cor.

Propósito O magnetismo.
atrai Fonte
para si formas de interna de beleza,
vida mais encanto
elevadas, e poder
e faz com quede
os atração
animaisque
o
consumam como alimento e as entidades pensantes extraiam a
inspiração, o estímulo e a satisfação mental.

Divisões As árvores e arbustos.

As plantas de floração.

As ervas e outras espécies que não entram nas duas anteriores. O grupo
de plantas que se classificam em forma geral como flora marinha.

Agente objetivo A água.

Agente subjetivo O tato.

Qualidade Rajas ou atividade.

252
Este documento foi traduzido, com ajuda do Google Tradutor
(https://translate.google.com.br/
), a partir do site da Lucis Trust
(http://www.lucistrust.org/en
), do livro Esoteric Psychology - Volume I, que se encontra
disponível para leitura gratuita:
http://www.lucistrust.org:8081/obooks/?q=node/375

253

Related Interests