Вы находитесь на странице: 1из 2

Clonando HDs c/ o DD

Migrar o sistema Linux para um HD maior ou mais rápido.

Primeiramente é bom salientar que este sistema de clonagem funcionará com qualquer tipo de sistema de arquivos,
FAT, NTFS, HPFS, EXT2 e por ai vai, pois a cópia é feita bit a bit, e por esse motivo a clonagem é perfeita, não
importando o conteúdo dos HDs.

Em segundo lugar, o HD de origem, deverá ser do mesmo tamanho, ou menor que o HD de destino, senão não será
possível fazer a clonagem.

NOTA: Digamos que se tenha um HD de 20 GB e queremos cloná-lo para um de 15GB, neste caso o HD de destino
seria menor que o de origem, mais se houver 5 gigas de espaço livre no HD de origem a clonagem poderá ser feita; a
grosso modo, usando essa lógica você poderá usar o DD sem problemas, mais fique atento ao tamanho exato dos
HDs ;)

Coloque o HD de origem como primary master e o HD de destino como primary slave.

Inserir o Live-CD do Linux para fazer o clone do HD, com qualquer outra disto de Linux que rola, só que nesse caso o
HD de origem teria que estar como primary slave e o destino como secondary master por exemplo.

A posição dos HDs não é importante, só procure manter o origem antes do destino pra você não se atrapalhar...

Clonagem, com o linux startado, abra o shell e faça isso como root. No shell digite:

Iniciar – Sistema – Terminal

Verificar os discos instalados, digite:

Sudo fdisk -

dd if=/dev/sda of=/dev/sdb

Em seguida de enter e aguarde...


O processo é demorado, só para se ter uma base, eu clonei um HD de 20GB/5400rpm pra um HD de 80GB/7200, o
tempo da clonagem foi de 57 minutos.

Ao termino do processo, o dd lhe informara os dados referentes a clonagem e pronto, agora você tem um clone de
seu HD.

Onde device1 é o HD ou partição origem, e device2 é o HD ou partição destino.

Manutenção pós-cópia

Após a finalização da cópia nota-se que o HD ou partição destino passa a ter o mesmo tamanho do HD o partição
origem. Por exemplo: um HD origem de 2GB, HD destino de 10GB, o HD destino terá apenas a capacidade de 2GB,
embora ele seja de 10GB. Isso ocorre devido a cópia do bloco de dados do HD origem, que tem apenas 2GB.
Portanto teremos 8GB inutilizáveis.

Para tornar o espaço inutilizado do HD destino utilizável, pode-se utilizar o comando e2fsck. Por exemplo:

e2fsck -f /dev/<hd_destino>

Que serve para checagem da nova estrutura de dados.

Em seguida, para realizar o redimensionamento, utilizamos o comando resize2fs. Por exemplo:

resize2f /dev/<hd_destino>

Pode-se utilizar a opção -f para forçar o redimensionamento. Caso um tamanho em K (Kbytes), M (MegaBytes) ou G
(GigaBytes) não seja especificado, o tamanho máximo do HD ou partição é utilizado como default.

Finalizando
Após a clonagem e manutenção terem sido realizadas, monte o dispositivo e faça as devidas modificações nos
arquivos /boot/grub/menu.lst (caso o boot loader seja o GRUB) ou /etc/lilo.conf (caso o boot loader seja o lilo) e em
/etc/fstab para que o sistema possa ser inicializado no novo dispositivo.