Вы находитесь на странице: 1из 4

ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA

O Governo é responsável pelo estabelecimento de diretrizes e planos.

A Administração é o aparelhamento utilizado para colocar em práticas essas decisões.

A atuação da Administração ocorre por meio de entidades, órgãos e agentes. Nos


interessa para o momento apenas os dois primeiros.

 ENTIDADES POLÍTICAS E ADMINISTRATIVAS

_ CONCEITO DE ENTIDADE

São unidades de atuação que possuem personalidade jurídica, e podem, em nome


próprio, adquirir direitos e contrair obrigações.

_ ENTIDADES POLÍTICAS OU PRIMÁRIAS

Pessoas jurídicas de direito público que recebem suas atribuições diretamente da


Constituição Federal. São entidades políticas: União, Estados, Distrito Federal e Municípios.

Capacidades das entidades políticas:

a) Autogoverno: competência para organizar seus poderes.


b) Auto-organização ou autolegislação: capacidade de legislar.
c) Autoadministração: capacidade de prestar serviços de educação, saúde, assistência
social etc.

Possuem uma capacidade genérica, nos termos da Constituição.

As entidades políticas possuem autonomia política (capacidade de legislar) podendo


editar atos normativos que inovem na ordem jurídica, criando direitos e obrigações.

_ ENTIDADES ADMINISTRATIVAS

Pessoas jurídicas de direito público ou privado, criadas pelas entidades políticas para
que possam exercer parte de sua capacidade de autoadministração. São as entidades que
compõem a Administração Indireta ou Descentralizada: autarquias, fundações públicas,
empresas públicas e sociedades de economia-mista.
Possuem uma capacidade administrativa específica, de autoadministração.

As entidades administrativas não possuem autonomia política.

As entidades políticas recebem suas competências diretamente da Constituição e as


entidades administrativas recebem suas competências de leis.

 DESCENTRALIZAÇÃO

_ DESCENTRALIZAÇÃO: entidade opta por transferir a terceiros competências para


determinadas atividades administrativa.

a) DESCENTRALIZAÇÃO POLÍTICA: os entes desempenham atribuições próprias dos


Estados e Municípios, decorrentes da Constituição Federal, não da União.
b) DESCENTRALIZAÇÃO ADMINISTRATIVA: os entes políticos transferem a execução (e
em alguns casos a titularidade) dos serviços para outros entes. Decorrem de lei,
contrato, ou ato administrativo.

_ CENTRALIZAÇÃO: quando o Estado presta os serviços por meio da Administração


Direta. Os serviços são prestados pelos órgãos despersonalizados integrantes da
própria entidade política.

a) Descentralização por outorga, por serviços, técnica ou funcional:


O Estado cria entidades administrativas.
Depende de lei que cria ou autoriza.
Dá origem à Administração Indireta.
Presunção de definitividade, prazo indeterminado.
Transferência da titularidade e a execução da competência a pessoas jurídicas de
direito público ou de direito privado.
Sem subordinação, somente o controle finalístico ou de tutela.
Exemplos: Anatel, uma autarquia vinculada ao Ministério das Telecomunicações.
b) Descentralização por delegação ou colaboração:
Transfere a execução da competência para pessoas privadas (particulares).
Ocorre por meio de contrato (bilateral) ou ato administrativo (unilateral).
Concessão (contrato), permissão (contrato) ou autorização de serviços públicos
(ato administrativo).
Prazos: (i) contrato – determinado; (ii) ato – indeterminado (precário).
Sem subordinação
Exemplos: transporte público municipal.
c) Descentralização territorial ou geográfica:
Criação de um território federal.
Não temos nenhum atualmente.
Capacidade administrativa genérica.

 DESCONCENTRAÇÃO

_ Trata-se de uma distribuição interna de competências (técnica administrativa para


aumentar a eficiência).

_ Ocorre dentro da mesma pessoa jurídica.

_ Criação de órgãos públicos.

_ Presença de hierarquia, subordinação – CONTROLE HIERÁRQUICO. (Todavia, não há


hierarquia no exercício das funções jurisdicional e legislativa).

_ Pode ocorrer nas entidades políticas ou nas entidades administrativas. Exemplo:


criação de ministérios, divisão de uma autarquia em unidades regionais.