Вы находитесь на странице: 1из 45

Unidade III

ARQUITETURA DE
COMPUTADORES

Prof. Antônio Palmeira


Conteúdo da unidade III

 Estudar o papel das memórias do


sistema computacional básico.
 Entender os dispositivos de entrada e
saída e o seu relacionamento na
arquitetura de um computador.
 Conhecer diferentes sistemas de
numeração e suas conversões.
Conceitos básicos de memória

Palavra:
 É a unidade “natural” de organização
da memória.
 O seu tamanho é normalmente igual
ao número de bits usados para
representar o tamanho da instrução.
Unidade de transferência:
 É o número de bits lidos ou escritos
na memória de uma só vez.
 Não precisa ser igual à palavra.
Conceito de memória

 Estrutura do computador, na qual são


armazenados os programas e os dados.
 Utiliza como unidade básica o bit
(0 ou 1).
 Pode ser classificada de acordo com
suas características.
 Pode ser classificada de acordo com
uma hierarquia.
Principais características das
memórias

As memórias possuem diversas


características; dentre as principais,
citam-se:
 localização;
 capacidade;
 método de acesso;
 desempenho;
 tipo físico;
 características físicas;;
 organização.
Principais características das
memórias: localização e capacidade

A característica localização indica se a


memória é:
 Interna: memória principal, memória
cache e registradores.
 Externa: dispositivos de armazenamento
periféricos.
A característica capacidade é a mais óbvia,
expressa, normalmente, em bytes (8 bits)
ou em palavras.
Principais características das
memórias: desempenho

Três parâmetros de desempenho


são usados:
 Tempo de acesso (latência): tempo
gasto para realizar uma operação
de leitura e escrita.
 Tempo de ciclo de memória: é o tempo
de acesso mais qualquer tempo
adicional antes do segundo acesso.
 Taxa de transferência: taxa em que
os dados podem ser transferidos
para dentro ou fora de uma unidade
de memória.
Principais características das
memórias: outras

 Tipo físico: semicondutor, magnético,


óptico, magneto-óptico.
 Características físicas: volátil/não volátil,
apagável/não apagável.
 Organização: arranjo físico para
formar as palavras.
 Método de acesso: sequencial, direto,
aleatório e associativo.
Hierarquia das memórias
Memória primária

 São memórias que o processador pode


endereçar diretamente.
 Sua função é conter a informação
necessária para o processador num
determinado momento.
 Nesta categoria, se inserem a memória
principal, cache e registradores.
Memória principal

 É a memória volátil, ou seja, mantém


os dados enquanto o computador
estiver energizado.
 É utilizada para armazenar programas
em execução e os dados em uso
por esses programas.
 Normalmente, são memórias dinâmicas
de acesso randômico (DRAM).
 Realiza comunicação constante com
o processador.
Interatividade

Sobre as características das memórias,


é possível afirmar que:
a) O tempo de acesso é sempre igual ao
tempo de ciclo de memória.
b) O desempenho é mais importante que a
capacidade.
c) Não é possível classificar a memória de
acordo com as suas características.
d) De acordo com a localização, a memória
pode ser interna,
interna externa e virtual
virtual.
e) A volatilidade é uma característica física
das memórias.
Tipos de memórias dinâmicas

 FPM (Fast Page Mode): primeiro acesso


de leitura com tempo de acesso maior
que as leituras seguintes.
 DRAM EDO (Extended Data Output):
é assíncrona e permite referência
de memória antes que a anterior
seja concluída.
 SDRAM (synchronous): realiza uma
operação a cada ciclo de clock.
 Rambus DRAM: trabalha com 16 bits e
maior frequência. Possui alto
aquecimento e custo elevado.
Tipos de memórias dinâmicas

 DDR SDRAM (Double Data Rate): trata o


dobro de informações por ciclo de clock
quando comparada à SDRAM.
 DDR2 SDRAM: trabalha com o dobro da
DDR SDRAM.
 DDR3 SDRAM: trabalha com o dobro da
DDR2 SDRAM.
Comparação entre os tipos de
memórias dinâmicas
Estrutura das memórias

 As memórias consistem em células,


cada qual com seu endereço.
 As células contêm os bits ou dígitos
binários, que são a unidade básica
da memória.
 Um bit armazena apenas os valores
0 ou 1, considerado um bloco
básico de informação.
 Os binários 0 e 1 representam variações
diferentes na tensão elétrica dos
circuitos eletrônicos.
Célula de memória

 É a menor unidade endereçável


da memória.
 Memória de 96 bits e 12 células de 8 bits.
Palavra e célula

 Palavra é o tamanho da unidade de


dados que é transferida da memória
para o processador.
 Palavra é um agrupamento de bytes.
 A maioria das instruções de máquina
operam sobre a palavra.
 Um computador de palavra de 32 bits
tem 4 bytes/palavra.
Memória cache

 É uma memória estática de acesso


randômico (SRAM), localizada
logicamente entre a CPU e a memória
principal.
 Pode trabalhar de modo múltiplo, com a
L1, que é mais rápida que a L2, que é
mais rápida que a L3.
Memória cache

 As palavras utilizadas com maior


frequência são mantidas na cache.
 O processador busca a informação
primeiramente nas caches e só depois,
caso não tenha encontrado,
busca na memória principal.
 A cache é um bloco de memória de
armazenamento temporário de dados
com alta probabilidade de uso.
Mapeamento da memória principal
para a cache

 Existem menos linhas de cache


do que blocos na memória principal.
 É necessário um algoritmo para mapear
os blocos da memória principal
e da cache.
Existem três técnicas de mapeamento:
 mapeamento direto;
 mapeamento associativo;
 mapeamento associativo em conjunto.
Mapeamento direto

A técnica mais simples de mapeamento:


 Cada bloco da memória principal a
apenas uma linha de cache possível.
Mapeamento associativo

 Cada bloco da memória principal


pode ser carregado em qualquer
linha da cache.
Comparação SRAM e SDRAM
Interatividade

Sobre as características da memória


cache e da memória principal,
é possível afirmar que:
a) A memória cache é de acesso rápido e é
sempre uma DRAM.
b) A memória principal tem um acesso mais
lento que a cache e é uma ROM.
c) A memória cache é de baixa capacidade
e também é uma SRAM.
d) Tanto a memória cache como a principal
são SRAM.
e) A memória cache é um memória EPROM.
Outras memórias

 Além das memórias RAM, que podem


receber gravações, ser apagadas
e lidas, existe a ROM, memória
somente de leitura.
 Estas memórias são utilizadas para
gravar informações da BIOS (Basic Input
Output System) e do POST (autoteste) do
sistema computacional.
Tipos de memórias ROM

 PROM (Programmable ROM): é similar à


ROM, porém pode ser programada após
a fabricação.
 EPROM (Erasable PROM): além de ser
programada, pode ser apagada (através
de luz ultravioleta) e depois
reprogramada.
 EEPROM (Electrically EPROM): é uma
evolução da EPROM, em que são usados
pulsos elétricos para apagar os dados.
 Flash: é um tipo de EEPROM de
gravação rápida.
Memória secundária

 É a memória para armazenamento


permanente dos dados.
 Serve para recuperar informações
gravadas.
 É o tipo mais lento de memória.
 Possibilita o maior armazenamento
de dados.
Exemplos:
 discos magnéticos;
 CD;
 DVD;
 pen drive.
Sistema RAID

 RAID – Redundant Array of Independent


Disks.
 É um conjunto de unidades de discos
físicos, visto pelo sistema operacional
como uma única unidade.
 Os dados são distribuídos pelos discos
físicos de um array num esquema
conhecido como intercalação de dados.
Dispositivos de entrada e saída

 São conhecidos como periféricos e são


conectados ao sistema computacional
por meio de barramentos.
 Esta variedade de dispositivos oferece
um meio de trocar dados entre o
ambiente externo e o computador.
São classificados em três categorias:
 legíveis ao ser humano;
 legíveis à máquina;
 comunicação.
Dispositivos de entrada e saída

 Teclado.
 Mouse.
 Monitor.
 Impressora.
 Microfone.
 Câmeras digitais.
Código de caracteres

 Os computadores somente entendem


números binários.
 Tabelas de conversão são utilizadas para
permitir que os computadores lidem com
outras informações.
 O Código Padrão Americano para
Intercâmbio de Informações (ASCII) é um
dos mais conhecidos nesta conversão.
Código ASCII

 Usa 7 bits para descrever os caracteres,


permitindo 128 combinações.
 O padrão é limitado por apenas
contemplar caracteres da língua inglesa.
Exemplos:
 1000001 = A
 1000010 = B
 1100001 = a
 1100010 = b
Interatividade

Qual dos itens abaixo não se trata de


uma memória classificada
como apenas de leitura?
a) Flash.
b) PROM.
c) EPROM.
d) SRAM.
e) EEPROM.
Sistemas de numeração

Seres humanos
 Facilidade com o sistema de numeração
decimal (0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9).
Computadores
 Só entendem o sistema de numeração
binário (0 e 1).
Sistema de numeração octal:
0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7
Sistema de numeração hexadecimal:
0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, A, B, C, D, E, F
Sistema de numeração decimal

Número decimal: 2396


Sistemas de numeração
Conversão binário para decimal

Número binário: 110010


Número decimal:
d i l 50
Conversão octal para decimal

Número octal: 657

Número decimal: 431


Conversão hexadecimal
para decimal

Número hexadecimal: 45DA7

Número decimal: 286119


Conversão decimal para binário

Número decimal: 568

Número binário: 1000111000


Conversão octal para binário

Número octal: 745


 Cada dígito do número octal
corresponderá a 3 dígitos em binário.
 Sabendo que o 1º dígito binário é
multiplicado por 1, o 22º dígito por 2,
e o 3º dígito por 4, então soma-se,
sendo que o resultado máximo
será 7, pois, sendo binário,
o maior número será 111.
7 = 111
4 = 100
5 = 101
 Número binário: 111100101
Conversão hexadecimal
para binário

Número hexadecimal: A57E.


 É similar ao octal, porém, em vez de 3
dígitos binários para cada dígito
hexadecimal, teremos 4 dígitos binários.

A = 1010
5 = 0101
7 = 0111
E = 1110
 Número binário: 1010010101111110
Interatividade

O número 65, na base de numeração octal,


quando convertido para a base binária,
é igual a:
a) 110101
b) 111111
c) 100100
d) 101101
e) 111000
ATÉ A PRÓXIMA!