Вы находитесь на странице: 1из 20

Jornal Mensal de Actualidade Angolana

JANEIRO 2012
1

JANEIRO 2012 EDIÇÃO GRATUITA www.embaixadadeangola.org

EDIÇÃO DOS SERVIÇOS DE IMPRENSA DA EMBAIXADA DE ANGOLA EM PORTUGAL

Pág. 4

FMI:
NÃO HÁ DESVIO DE
DINHEIRO PÚBLICO
PETRÓLEO
NA BACIA
DO KWANZA
Pág. 6 DOS SANTOS
MIGUEL DEFENDE DIÁLOGO
RELVAS
PARA SAÍDA DAS CRISES
Pág. 2
EM ANGOLA
Pág. 11

FJAP SEGUNDO
SEGUNDO O
O EMBAIXADOR
EMBAIXADOR BARRICA
BARRICA

CONSULADO EMITE BI E PASSAPORTES ESTE ANO


DISTINGUE
Pág. 13 ANGOLANOS
ANGOLA
CAMPEÃ AFRICANA
DE ANDEBOL
Pág. 19

RIVALDO NO KABUSCORP

Pág. 20
Pág. 19

Esta publicação está disponível em formato PDF em www.embaixadadeangola.org


Reader gratuito disponível em www.adobe.com
2 Política JANEIRO 2012

NOTA DE REDACÇÃO CUMPRIMENTOS DAS MISSÕES DIPLOMÁTICAS

DOS SANTOS DEFENDE DIÁLOGO PARA SAÍDA DAS CRISES


Foi com um discurso crítico em relação ao fundamentalismo religioso
e o radicalismo de esquerda, no seu entender, causadores da “maior parte dos
conflitos e tensões no domínio político” entre nações, porém esperançoso “num
clima de maior solidariedade e cooperação”, que o Chefe de Estado angolano
desejou, feliz ano novo aos membros do corpo diplomático acreditado em Angola.

N a tradicional cerimónia de apre-


sentação de cumprimentos pelos
chefes das missões diplomáticas em
excluam nenhum cidadão nacional do
processo de mudança e de transforma-
ção económica e social do país”. Disse
Angola, no salão nobre do Palácio Pre- que em Angola “fazemos sempre da
sidencial da Cidade Alta, o Presidente negociação, do diálogo social e da bus-
José Eduardo dos Santos defendeu o ca do consenso mais alargado possível
pensamento político de centro‑direita a trave mestra desse desenvolvimento
e de centro‑esquerda, assim como as social”. Sublinhou que os angolanos as-
N esta primeira edição do ano, o Mwan-
golé cita o Presidente José Eduardo
dos Santos, na cerimónia de apresenta-
correntes moderadas das igrejas como
únicos capazes de “moderar e enqua-
sumiram “sem receio” a economia de
mercado “ou mais claramente o capi-
ção de cumprimentos de Ano Novo pelo drar as intenções ou veleidades extre- talismo articulado com uma adequada
Corpo Diplomático acreditado em Angola,
realizado no 12 de Janeiro, em que disse mistas, em particular dos elementos política de justiça social, quando tal
esperar termos iniciado “o ano de 2012 conservadores”, num mundo em que do direito internacional”. José Eduardo via se mostrou necessária para resol-
com a esperança de que venha a ser dos Santos defendeu a prioridade à
melhor do que os precedentes, depois o “egoísmo fala mais alto e o diálo- ver os nossos problemas nesta etapa
de o mundo ter sido mergulhado numa go é substituído pela força de von- solidariedade e à cooperação, como histórica do desenvolvimento social
crise económica e financeira que ainda não tade do mais forte”. O líder angolano forma de se garantir que todos os de Angola”. O Presidente disse que o
foi totalmente superada”. Como poderão
notar, o Mwangolé entra o ano com al- considerou que “há ainda um longo países lutem juntos por “causas que tempo se encarregou de mostrar que
gumas alterações, ainda que tímidas, con- período a percorrer” até “construir a beneficiam toda a Humanidade, como foram acertadas as medidas estratégi-
substanciadas no aumento do número de a defesa do ambiente, o combate ao
páginas (de 16 para 20) e a inserção de confiança global em todas as nações cas tomadas, num determinado período
algumas rubricas, pois, entendemos que pelo diálogo (…), sem que nenhuma narcotráfico e ao crime organizado, a histórico, com o objectivo de edificar
num mundo actualmente globalizado os tenha receio de ser humilhada ou su- promoção da saúde e o fim pacífico uma economia que servisse os inte-
nossos leitores não se cinjam ao “mundo
angolano” quando lêem o Mwangolé. Es- balternizada por outra”. José Eduardo dos grandes conflitos”. “Acredito”, su- resses de Angola e os angolanos. “Se
peramos que as mudanças introduzidas ou dos Santos convidou os diplomatas a blinhou, “que o bom senso acabará deixássemos este espaço vazio, outras
as procedentes possam agradar a todos. por prevalecer e que os dirigentes
Nesta edição, destacámos ainda a cerimó- reflectirem sobre como inverter a ló- forças, sobretudo estrangeiras, podiam
nia de cumprimentos do fim de ano ao gica que se vive no mundo actual em de todos os países irão reassumir as orientá‑lo com outros pressupostos e
embaixador Marcos Barrica, donde fomos que “quem é mais forte impõe a sua suas responsabilidades como legítimos fins. Os resultados mostram que não
informados de que, a partir deste ano, os
serviços consulares em Lisboa passarão a vontade aos outros, quem é fraco tra- representantes eleitos dos seus respec- fizemos uma opção errada. O País está
emitir passaportes, bilhetes de identida- balha para se tornar forte e imitar ou tivos povos”. a avançar e a vida dos angolanos tam-
de e registos criminais nacionais, antes
só possíveis no País. Quanto à missão vingar‑se do mais forte”. O Presidente bém está a melhorar progressivamente”,
que dirige, Marcos Barrica disse que “no voltou a falar do perigo que represen- declarou. O Chefe de Estado baseou‑se
ano que findou, tivemos algumas vitórias tam as ingerências externas nos as- nos mais recentes indicadores da eco-
conquistadas resultantes de um trabalho
conjugado”, embora reconheça que “po- suntos internos de Estados soberanos, nomia angolana, como por exemplo
deríamos ter feito mais”. A nível de política considerando‑as “sempre susceptíveis o Programa de Investimento Público
doméstica, por curiosidade, o Executivo
refutou o recente relatório do PNUD so- de minar as relações e criar traumas (PIP), que triplicou em quatro anos e o
bre o Desenvolvimento Humano de 2011, e suspeições muitas vezes difíceis de Produto Interno Bruto ‘per capita’ subiu
por “ter utilizado, em relação a Angola, ultrapassar”. José Eduardo dos Santos do equivalente em dólares a 3.800 em
informação estatística do ano de 2001”.
Portanto, Angola considera inaceitável defendeu, a propósito, que o diálogo 2005 para 8.300 em 2009. Referiu‑se
que uma organização prestigiada como e o entendimento pacífico devem ter também à baixa progressiva dos índices
o PNUD não pugne pelo rigor e objecti-
vidade na elaboração de um documento
primazia na resolução de todas as cri- ANO DE ESPERANÇA de pobreza, ao aumento do emprego
de tão grande responsabilidade, pelos seus ses. Para o líder angolano os tempos e à melhoria dos índices de desen-
reflexos na apreciação do desempenho do O Presidente da República manifestou o
actuais estão ainda longe daquilo que volvimento humano. José Eduardo dos
Executivo angolano e, por conseguinte, na desejo de que 2012 “venha a ser melhor
percepção da sua imagem, em particular se idealizou para o fim da guerra‑fria. Santos acrescentou que o caminho é
do que os precedentes”. José Eduardo
no exterior do País. Por outro lado, depois Considerou que estão ainda para vir os para seguir em frente, com a participa-
de ter alegadamente acusado Angola de dos Santos referiu‑se à crise económica
desviar 32 mil milhões, o próprio FMI con-
“novos tempos que o fim da guerra‑fria ção da Administração Pública, do sector
e financeira que “ainda não foi total-
sidera haver má interpretação do relatório deixou prever, quando todos acreditá- privado e da sociedade civil, com vista
da quinta revisão das contas fiscais so- mente superada” e à crise das dívidas
mos que a paz e a segurança mundial a “melhorar ainda mais o bem‑estar
bre os investimentos do Executivo. Outro soberanas na Europa. O Presidente an-
ponto positivo, é a descoberta petrolífera estavam garantidas e que as relações dos angolanos, aumentando o acesso
golano alertou para os “sinais de que
no poço de exploração Azul-1, localiza- entre os países de todo o mundo se à educação, à saúde, à habitação, ao
do em águas profundas do bloco 23 da poderão surgir também situações ines-
bacia do Kwanza, assim como o anúncio
iriam, a partir de então, traduzir (…) emprego, à energia e à água”. ❚
peradas” devido a “políticas sociais em
pelo Executivo da aplicação de projectos no respeito pelas normas e princípios
de construção das refinarias do Lobito economias de países emergentes e do
e do Soyo, pois, a prioridade é retirar o aumento dos índices de pobreza em
País da dependência das importações dos África”. Fez votos que “os esforços que
refinados. Finalmente, a nível desportivo,
os Palancas Negras, que entraram, este estão a ser realizados possam produzir
mês, para lutar por lugares cimeiros do bons resultados e satisfazer a ansiedade
CAN’2012, na Guiné Equatorial, foram pre-
maturamente eliminados. Por enquanto, das populações mais vulneráveis”. O Pre-
podemos nos alegrar pelo feito inédito da sidente disse que Angola não escapou
equipa sénior de andebol feminino, que dos efeitos da crise, mas realçou que
se sagrou campeã africana pela décima
primeira vez. têm sido tomadas medidas “para evitar
BOA LEITURA! soluções que afectem o povo traba-
lhador e para criar condições que não

www.embaixadadeangola.org
JANEIRO 2012 Política 3

EMBAIXADOR MARCOS BARRICA NA CIDADE DO PORTO


O embaixador angolano em Portugal, José Marcos Barrica,
esteve, recentemente, na cidade do Porto em visita de
trabalho a convite da Universidade Fernando Pessoa.

A companhado de uma comitiva


do seu gabinete e do cônsul de
Angola no Porto, Bento André Mor-
se sentido, disse que a instituição “está
aberta a qualquer tipo de cooperação
com Angola, quer na área da saúde
gado, Marcos Barrica foi recebido, quer na área da formação e no in-
na reitoria da Universidade Fernan- tercâmbio de programas científicos e
do Pessoa, pelo reitor Salvato Trigo, de programas educativos, bem como
que fez uma breve apresentação da o intercâmbio de funcionários”. Após
Universidade que dirige. O professor transmitir o sentimento pela forma
Salvato Trigo falou ainda na importân- “amável” como foi recebido, o embai-
cia da imagem da Universidade que xador Marcos Barrica visitou o campus
dirige, “uma instituição que acredita universitário e o futuro hospital-esco-
na valorização do conhecimento”. Nes- la, ainda em construção. ❚

EMBAIXADOR DIVULGA POTENCIALIDADES TURÍSTICAS PINTO DA COSTA


E EM LUANDA
m Almancil, Loulé (Algarve), o embaixador José cial, reafirmou o desafio do Executivo liderado pelo
Marcos Barrica apelou, este mês, aos agentes Presidente da República, José Eduardo dos Santos,
portugueses a apostarem no mercado turístico an- em reduzir a dependência do petróleo e diamantes e
golano de forma a aproveitar as “actuais e grandes apostar na diversificação da sua economia, sobretudo
oportunidades” nesse domínio. Num encontro com na agricultura e pecuária, classificando-as como “áreas
empresários locais, José Marcos Barrica destacou que,
terminada a guerra, em 2002, Angola lançou um
de excelência” para o investimento, tanto nacional
como estrangeiro. O diplomata disse ser saudável a O Presidente da Re­
pública Democrá­
tica de São Tomé e
projecto de reconstrução e desenvolvimento, sendo deslocalização das empresas portuguesa para Angola,
Príncipe, Manuel Pinto
o turismo uma das áreas que oferecem inúmeras mas numa perspectiva de investimentos estruturantes
da Costa, esteve, este
oportunidades de investimentos por todo o país. e de uma mão-de-obra qualificada. Reconheceu, que “o
mês, em Luanda, para
Depois de enumerar os feitos positivos resultantes caminho a percorrer é longo e não está, nem poderia
uma visita de 48 horas,
do plano de desenvolvimento da “nova Angola”, nos estar isento de dificuldades”, mas “os sinais nos mos-
a convite do Executivo
domínios político, económico, científico, cultural, so- tram que, turisticamente, Angola também é um país
angolano. Pinto da Cos-
de muito futuro”. O embaixador falou da necessidade
ta encontrou-se com o
de reabilitação do homem, uma tarefa que “não se
Presidente José Eduardo
faz apenas com os recursos naturais e minerais”, daí dos Santos, para con-
a necessidade de cooperação com Portugal. Para si, versações oficiais entre
facto de a nova Lei do Investimento Privado estipular as duas delegações, assim como esteve na
que só investimentos iguais ou superiores a um mi- Assembleia Nacional, onde foi recebido pelo
lhão de dólares podem ter acesso a incentivos fiscais Presidente do Parlamento angolano, António
e aduaneiras não constitui um obstáculo à entrada Paulo Cassoma. O programa da visita do Pre-
de pequenas e médias empresas portuguesas em sidente da República de São Tomé e Príncipe
Angola. No encontro, estiveram presentes o deputado incluiu ainda um encontro com a comunida-
do círculo eleitoral de Faro (PSD), José Mendes Bota, de são-tomense em Angola e uma visita à
e o presidente da câmara municipal de Loulé, Seruca embaixada daquele país em Luanda. Manuel
Emídio. José Mendes Bota considerou Angola uma Pinto da Costa venceu as presidenciais do seu
potência em África, com muitas oportunidades na país no ano passado e tornou-se no quarto
área do turismo, pelo que os empresários portugueses presidente da República Democrática de São
devem ter um olhar para frente, numa perspectiva de Tomé e Príncipe. ❚
crescimento para ambos os países. ❚

www.embaixadadeangola.org
4 Economia JANEIRO 2012

EXECUTIVO DEPLORA RELATÓRIO DO PNUD


O Ministério do Planeamento tomou co-
nhecimento com indignação do Rela-
tório de Desenvolvimento Humano de 2011,
na apreciação do desempenho do Executivo
angolano e, por conseguinte, na percepção
da sua imagem, em particular no exterior do
Inquérito sobre o Bem‑Estar da População
(IBEP), organizado com o apoio da UNICEF e
do Banco Mundial, não admira que a Repú-
elaborado pelo PNUD (Programa das Nações País. Por essa razão, o Ministério do Plane- blica de Angola continue a manter a mesma
Unidas para o Desenvolvimento), em virtude amento, enquanto órgão departamental do classificação nos relatórios do PNUD sobre
de este ter utilizado, em relação a Angola, Executivo angolano, não confere qualquer os Índices de Desenvolvimento Humano. Por
informação estatística do ano de 2001. O valor ao referido relatório, apelando a essa essa razão, como forma de protesto contra
Ministério do Planeamento considera inacei- instituição para que nos seus futuros estudos as informações contidas no Relatório, que se
tável que uma organização prestigiada como se paute pelo rigor científico e pelo respeito prestam a interpretações erróneas, o Ministé-
o PNUD não pugne pelo rigor e objectividade e verdade da actualidade dos factos. Ao uti- rio do Planeamento declinou o convite e o
na elaboração de um documento de tão lizar dados estatísticos ultrapassados e que patrocínio para o acto de lançamento oficial
grande responsabilidade, pelos seus reflexos contrariam os dados patentes no recente do referido relatório no território nacional. ❚

FMI DESMENTE DESVIO PARCEIROS INTERNACIONAIS


DE DINHEIRO PÚBLICO PRONTOS A AJUDAR ANGOLA
O Fundo Monetário Internacional
considera haver má interpreta-
ção do relatório da quinta revisão das
contas fiscais sobre os investimentos
O embaixador de Portugal em
Angola, Francisco Ribeiro Teles,
destacou os progressos alcançados
do Executivo, declarou em Luanda,
por Angola do ponto de vista eco-
em conferência de imprensa, o chefe
nómico, político e social, no plano
da missão do FMI em Angola. Mário
interno e externo, e considerou as
Megagni lamentou que isso tenha re-
eleições gerais a realizarem‑se este
sultado na especulação, por certos ór-
ano (2012) “uma etapa determinan-
gãos de comunicação social angolanos
te para a afirmação e maturidade
e estrangeiros, sobre um alegado desvio
das instituições democráticas an-
de 32 mil milhões de dólares. Trata‑se,
golanas”. O diplomata referiu‑se à “tem vindo a fazer o seu cami-
garantiu, de uma interpretação errada
capacidade de adaptação e resis- nho”, através de reformas na sua
do trabalho da quinta revisão, visto
tência às adversidades por parte do administração, do fortalecimento
haver valores de investimentos, entre
povo angolano, sublinhando que “os das suas principais instituições. O
outros, em estradas e ferrovias, que não
angolanos têm colocado a sua ener- decano do corpo diplomático acre-
foram plenamente reflectidos no Orça-
gia ao serviço da reconstrução de ditado em Angola destacou ainda o
mento Geral do Estado (OGE). “Foi um
uma nação que, em pleno processo reforço do papel do Parlamento e
trabalho de esclarecimento das contas ças nas contas fiscais de Angola. Mauro
de reconstrução, se vai debatendo da administração local e a criação
fiscais. Resíduos não explicados é algo Megagni disse esperar que a maioria
com novos desafios e um sentido de condições para uma sociedade
muito diferente de recursos financeiros desses resíduos possa ser explicado,
de exigência e de superação cada civil mais participativa. O decano
desaparecidos. Há partes que não são não como dinheiro desaparecido, mas
vez maiores”. O embaixador elogiou do corpo diplomático acreditado em
muito abrangentes, pelo que se devem como gastos em infra‑estruturas que
o desempenho da economia an- Angola reiterou, por outro lado, o
melhorar os registos dessa informação não foram registados nas contas, por
golana, sustentando que em 2011 compromisso dos países e organi-
e dos dados sobre as operações fiscais se tratarem de valores investidos fora
“viu retomado o ritmo expressivo zações internacionais em cooperar
não incluídos nas estatísticas. É isso que do orçamento, designadamente recei-
de crescimento que a marcara, estreitamente com as autoridades
explica o relatório”, sublinhou. Angola tas oriundas do petróleo. “Quando fa-
testemunhando os progressos na angolanas no desenvolvimento do
depende do petróleo e, por motivos lamos sobre fundos desaparecidos é
reconstrução e a criação contínua país e saudar, a este propósito, o
históricos, de grande parte das cha- uma interpretação errada do trabalho
de infra‑estruturas, mas também o espírito construtivo com que o Exe-
madas receitas das operações quase da quinta revisão”, advertiu. “O traba-
esforço de consolidação cambial e cutivo vem encarando a negociação
fiscais, lembrou, referindo‑se, entre ou- lho feito mostra que já houve muitos
monetária que tem contribuído para de instrumentos jurídicos bilaterais,
tras obras, à reabilitação de ferrovias, progressos, mesmo tendo apenas da-
o fortalecimento da sua credibili- que facilitem a circulação de pesso-
de estradas, de infra‑estruturas, cujos dos preliminares por enquanto”, disse,
dade financeira internacional”. Fran- as e bens, criando condições para a
investimentos não foram plenamente confirmando que a vinda da missão
cisco Ribeiro Teles elogiou também execução de projectos importantes
reflectidos no OGE. “O problema é im- chefiada por si a Angola se deve a
a evolução da “jovem democracia para o desenvolvimento económico
portante, pois os resíduos saem das este assunto. A informação sobre os 32
angolana”, que, no seu entender, e social do País. ❚
receitas, das despesas e das fontes de mil milhões de dólares alegadamente
financiamento. As autoridades estão em falta nos fundos governamentais
a envidar esforços para melhorarem de Angola foi publicada no dia 25 de
as estatísticas e a trabalharem na re- Dezembro, pelo Fundo Monetário In-
conciliação de dados, inclusive com a ternacional. No seu relatório, segundo
empresa de petróleo”, afirmou sem es- a Human Rights Watch, o FMI revelou
pecificar, mas referindo‑se à Sonangol. que os fundos governamentais, equi-
As autoridades, disse, estão a forne- valentes a um quarto do PIB do país,
cer explicações e na próxima revisão que se crê estarem relacionados com
o Fundo Monetário Internacional vai a Sonangol, foram gastos ou transfe-
dar resposta. “Com certeza vão haver ridos entre 2007 e 2010 sem terem
excelentes explicações técnicas”, frisou, sido devidamente documentados no
afiançando que já se verificam mudan- orçamento. ❚

www.embaixadadeangola.org
JANEIRO 2012 Economia 5

PRESIDENTE CONSTERNADO ANGOLA APOIA RECUPERAÇÃO


DE INFRA‑ESTRUTURAS MILITARES
COM MORTE DE BACAI SANHÁ
DA GUINÉ‑BISSAU
O Chefe de Estado angolano,
José Eduardo dos Santos, en-
dereçou uma mensagem de condo-
dos Santos considerou uma perda
para a Guiné‑Bissau o falecimento
de Bacai Sanhá “num momento
O Executivo angolano disponibili-
zou, recentemente, 16,5 milhões
de dólares para a recuperação de in-
lências ao presidente da Guiné‑Bis- em que a Guiné‑Bissau ainda se fra‑estruturas das Forças Armadas da
sau em exercício, Raimundo Pereira, recupera de feridas recentes e se Guiné‑Bissau. O ministro da Defesa de
pelo falecimento do seu homólogo esforça por normalizar a sua situ- Angola, Cândido Pereira Van‑Dúnem, as-
guineense, Malam Bacai Sanhá. Na ação interna”. Exortou o povo gui- sinou um protocolo com a ministra da
missiva manifesta, em seu nome neense a “cerrar fileiras em torno Economia guineense, Helena Embalo,
pessoal, em nome do povo e do das instituições democráticas, a fim em cerimónia testemunhada pelo Pri- Defesa sublinhou que a disponibiliza-
governo, e na qualidade de Presi- de garantir a unidade da nação e meiro‑Ministro da Guiné‑Bissau, Carlos ção da verba é um sinal “do empenho
dente da CPLP em exercício, a sua a estabilidade política necessárias Gomes Júnior. O chefe do governo gui- de Angola” no processo de reforma da
profunda consternação pelo desa- ao desenvolvimento económico e neense, Carlos Gomes Júnior, afirmou Defesa e Segurança da Guiné‑Bissau, e
parecimento físico de Malam Bacai social e a consolidação da paz e que a verba vai ajudar a “melhorar as igualmente um sinal para outros parcei-
Sanhá. O Presidente José Eduardo da democracia”. ❚ condições” de vida e de trabalho das ros daquele país. Garantiu que Angola
Forças Armadas guineenses, já que vai vai manter‑se sempre ao lado do país
ser utilizada na recuperação das caser- no processo de estabilização das ins-
nas e quartéis. O ministro angolano da tituições do Estado. ❚

PRESIDENTE DA NIGÉRIA

«APOIO PRESTADO POR ANGOLA


ACELERA REFORMAS EM BISSAU»
O presidente da Nigéria, Goodluck
Jonathan, reconheceu, em Abuja,
o papel de Angola e do Chefe de
de das instituições de soberania da
Guiné‑Bissau. Goodluck Jonathan, que
falou à imprensa no palácio presiden-
Estado angolano, José Eduardo dos cial em Abuja, no final de uma audi-
Santos, no processo de reforma da ência que concedeu ao ministro das
defesa e segurança e na estabilida- Relações Exteriores, Georges Chikoti,
enviado do Presidente José Eduardo
dos Santos, considerou que o conti-
nente africano “precisa de uma lide-
rança forte” para os desafios políticos
e de desenvolvimento. O enviado do
Presidente José Eduardo dos Santos

CHIKOTI ASSISTE AO FUNERAL


exprimiu ao Chefe de Estado nigeriano
a vontade do Executivo angolano em
continuar a apoiar as reformas sobre
Defesa e Segurança na Guiné‑Bissau. O

DE BACAI SANHÁ
ministro das Relações Exteriores trans-
mitiu a preocupação do Chefe de Es-
tado angolano, na qualidade de líder
da CPLP (Comunidade dos Países de
Língua Portuguesa) e da Comunidade

O ministro das Relações Exterio-


res, Georges Chikoti, assistiu,
em Bissau, ao funeral do Presidente
na presença de altas individualidades
nacionais e estrangeiras, incluindo os
presidentes de Cabo Verde e do Se-
de Desenvolvimento da África Austral
(SADC) ao seu homólogo da Nigéria e
presidente da CEDEAO (Comunidade
guineense Malam Bacai Sanhá, em negal. O corpo de Malam Bacai Sanhá dos Estados da África Ocidental), Goo-
representação do Chefe de Estado foi enterrado na Fortaleza da Amu- dluck Jonathan, em relação ao atraso
angolano e presidente em exercício ra, em Bissau, após um funeral de no processo de reforma da Defesa e
da CPLP, José Eduardo dos Santos. Em Estado que mobilizou multidões na Segurança na Guiné‑Bissau. Durante a
declarações à imprensa local, o chefe capital guineense e levou até Bissau conversa com o chefe da diplomacia
da diplomacia angolana realçou o chefes de Estado de países limítrofes. angolana, o presidente nigeriano suge-
grande Presidente que foi Malam Sanhá morreu em Paris de doença riu a criação de Núcleos de liderança
Bacai Sanhá e o momento trágico prolongada. Malam Bacai Sanhá fi- em África. Na sua visão estratégica,
que vivem os guineenses. Na Assem- cou sepultado no recinto que acolhe Angola deve liderar a África Central
bleia Nacional Popular (Parlamento) também os restos mortais de Amílcar e a Nigéria a África Ocidental. Para
daquele país teve lugar a homena- Cabral, o pai das independências da a parte Austral do continente, a res-
gem solene dos guineenses a Sanhá, Guiné‑Bissau e de Cabo Verde. ❚ ponsabilidade caberia à República da
África do Sul. ❚

www.embaixadadeangola.org
6 Economia JANEIRO 2012

REFINARIA INFLAÇÃO COM NÚMEROS BAIXOS


NO SOYO O Executivo conseguiu atingir o ob- abaixo de 15,31 por cento registado em
jectivo preconizado para a infla- 2010. Indica que as classes de alimenta-
ção em 2011, indica o comunicado do ção e bebidas não-alcoólicas, vestuário
Comité de Política Monetária do Banco e calçados e hotéis, cafés e restaurantes
clusão do plano director para expansão Nacional de Angola, sublinhando que a foram as que mais contribuíram para a
da rede de postos de abastecimento. taxa situou-se em 11,38 por cento, muito inflação, ao longo do ano passado. ❚
Ao discursar num encontro com res-
ponsáveis do sector e de empresas do

O Executivo vai, este ano, reforçar os


investimentos no sector da refina-
ção para tornar o País auto‑suficiente
ramo petrolífero, o ministro disse que
a grande prioridade vai ser dada a ac-
ções para retirar o País da dependência
FÁBRICA DE GÁS
ENTRA EM TESTES
na produção de derivados de petróleo, das importações dos refinados. Botelho
garantiu, em Luanda, o ministro dos de Vasconcelos afirmou que a Refina-
Petróleos, Botelho de Vasconcelos. Entre ria de Luanda processou, de Janeiro
as medidas constam a aplicação de a Outubro do ano passado, 1.650.933
projectos de construção das refinarias
do Lobito e do Soyo, aumento da ca-
pacidade de armazenamento, e a con-
toneladas métricas de petróleo bruto,
valores ainda insuficientes para acabar
com a dependência do exterior. ❚
O Projecto Angola LNG, localiza-
do na cidade do Soyo, começa
a produzir gás no final deste primei-
arriscam‑se em dizer que “o cres-
cimento económico de Angola vai
registar um impulso próximo dos
ro trimestre, anunciou a Sonangol dois dígitos”, devido ao início da
em comunicado. Os equipamentos produção na fábrica do Soyo, que

PETRÓLEO NA BACIA DO KWANZA


estão já em fase de testes. O pro- vai receber gás dos blocos 1,2, 14,
jecto vai produzir 5,2 milhões de 15, 17 e 18, num total de seis. O
toneladas de Gás Natural Liquefeito Projecto Angola LNG deve garantir
(LNG) por ano, além de fornecer a entrada de Angola no Fórum de

A Sonangol, a Maersk Oil & Gas


Angola e demais parceiros
anunciaram uma descoberta petro-
qualidade”, lê‑se numa nota da So-
nangol. Acrescenta que a interpreta-
ção preliminar dos dados adquiridos
gás butano para consumo interno,
tornando o País auto‑suficiente. Vai
ainda disponibilizar 125 milhões de
Países Exportadores de Gás (GECF),
que tem apenas cinco membros
africanos, nomeadamente Argélia,
lífera no poço de exploração Azul‑1, indicou uma capacidade de fluxo po- pés cúbicos por dia de gás natu- Egipto, Guiné Equatorial, Líbia e Ni-
localizado em águas profundas do tencial superior a três mil barris de ral destinado à geração de energia géria. Considerado o sector de maior
bloco 23 da bacia do Kwanza. O refe- petróleo por dia. Com base nestes eléctrica e petroquímica. O produ- relevância na economia angolana,
rido poço, o primeiro a corresponder resultados, que se afiguram bastan- to vai ser tratado pela Sonangol. O por se constituir no principal gera-
às expectativas sobre o pré‑sal, foi tes encorajadores, a Maersk Oil & Gas projecto Angola LNG é uma par- dor de divisas e grande sustentáculo
perfurado numa lâmina de água de Angola irá proceder a uma avaliação ceria entre a BP Exploration (13,6 das importações do País, o ramo de
923 metros e atingiu uma profundi- da referida descoberta e prosseguir por cento), Chevron (36,4 por cento), petróleo e gás mantém‑se como a
dade total de 5.334 metros. “As con- com os trabalhos de exploração no ExxonMobil (13,6 por cento), Sonan- mais importante fonte do Orçamen-
dições do poço não permitiram aferir poço. Tendo como concessionária a gol (22,8 por cento) e Total (13,6 por to Geral do Estado, com mais de
a sua capacidade de fluxo através Sonangol, o bloco 23 tem como gru- cento). Observadores internacionais 80 por cento das receitas fiscais. ❚
do teste de formação convencional, po empreiteiro a Maersk Oil & Gas

CUBA ABRE PORTAS


tendo sido realizado um mini teste Angola, operadora com 50 por cento
que possibilitou a recuperação de de participação, a Svenska com 30 e
duas amostras de petróleo de boa a Sonangol P&P com 20. ❚

ARGENTINOS AO INVESTIMENTO
INTERESSADOS A experiência angolana é um feito
histórico que anima e dá confiança

EM ANGOLA
aos cubanos para enfrentarem as mu-
danças em Cuba, afirmou o embaixador
cubano, Pedro Ross Leal, em Luanda,
para quem Angola é um parceiro pri-
vilegiado para investir nos sectores pú-

U ma delegação argentina, chefiada blico e privado do seu país. “Estamos


pelo ministro das Relações Exte- na disposição de continuar a ampliar
riores e Comércio Internacional, Héc- a cooperação até ao máximo das nos-
tor Tirmerman, e constituída por mais sas possibilidades e capacidades, além de petróleo em dois blocos da zona
de cem empresários, visita, em Março de partilhar e transferir para os nos- económica do Golfo do México, perten-
Angola. Em Luanda, os empresários sos irmãos angolanos o conhecimento cente a Cuba. O diplomata frisou que
acumulado, no domínio da ciência e o seu país sente a “solidariedade e o
promovem uma feira de promoção com os representantes das câmaras
da técnica, que Cuba possui”, asseve- apoio generoso e decidido de Angola
e venda de produtos do seu país e empresariais, em Buenos Aires, o se-
rou o diplomata, discursando no acto na arena internacional, principalmente
analisam a possibilidade de investirem cretário argentino do Comércio Interno
alusivo ao 53º aniversário do triunfo em relação à luta para pôr termo ao
numa rede de supermercados. A visita prometeu o apoio do governo a todas da Revolução Cubana, assinalado a 1 bloqueio desumano” imposto a este
dos empresários argentinos é resultado as empresas que queiram investir em de Janeiro. Pedro Ross Leal adiantou país das Caraíbas há mais de 50 anos.
de uma prospecção feito pelo governo Angola. Recentemente, o embaixador que Cuba está a receber investimentos “Se num momento difícil de Angola,
de Buenos Aires ao mercado angolano, da Argentina, Juan Caballero, revelou angolanos em importantes sectores da Cuba correspondeu ao pedido do Go-
que revelou potencialidades de parce- no Lubango, província da Huíla, que economia. Como exemplo, referiu que verno e do MPLA, hoje, que Cuba en-
rias e de investimentos nas áreas da um grupo de empresários argentinos foi recentemente rubricado um acordo frenta a agressão e o bloqueio, Angola,
aviação, electricidade e serviços. No seu pretende investir, nos próximos tempos, entre a Sonangol e a Cupet (empresa o seu Governo e o MPLA, responderam
primeiro encontro semanal deste ano nos sectores da agricultura e pecuária. ❚ petrolífera cubana) para a exploração à nossa solicitação”, realçou. ❚

www.embaixadadeangola.org
JANEIRO 2012 Economia 7

ANGOLA NA FEIRA INTERNACIONAL PARA EXECUTIVO INCENTIVA EMPRESAS


PROMOÇÃO DO COMÉRCIO EM PORTUGAL O Executivo elaborou um progra-
ma para o desenvolvimento da
actividade das micro, pequenas e
com as competentes certidões de ine-
xistência de dívidas fiscais, emitidas
pela administração fiscal.
A ngola participa em Fevereiro, em
Lisboa, no Salão Internacional do
Vinho, Pescado e Agro‑Alimentar, “Si-
produtos portugueses do sector de
alimentos e bebidas, onde Portugal é
“inquestionavelmente muito forte”. An-
médias empresas, tendo em conta a
abrangência e volume de empregos
que podem criar. A nova lei, que en-
sab‑Portugal 2012”, a decorrer de 27 a gola vai ser representada no evento por trou em vigor no dia 2 de Janeiro,
29 de Fevereiro, onde são esperados perto de 200 compradores, o dobro do foi publicada no Diário da República
mais de 1.200 compradores interna- ano transacto. O “Sisab‑Portugal”, uma e estabelece as normas relativas ao
cionais, entre os quais se destacam iniciativa a decorrer de 27 a 29 de Feve- tratamento diferenciado que devem
grandes cadeias de supermercados e reiro, anunciou Carlos Morais, aquando merecer as Micro, Pequenas e Médias
distribuidores, que vão afluir a Lisboa da visita a Angola do primeiro‑ministro Empresas (MPME), além das condições
para se encontrarem com 400 empre- Pedro Passos Coelho, realizada no dia de acesso aos respectivos incentivos
sas portuguesas. O objectivo é vender 17 de Novembro de 2011. ❚ e facilidades. O programa prevê o in-
centivo à iniciativa privada nacional e
contribui para a diversificação da eco-

ANGOLA PRINCIPAL
nomia, aumento da produção interna
e a oferta de bens essenciais, redução MINISTRO DA ECONOMIA
das assimetrias regionais e aumento VISITA PORTUGAL
do nível de competitividade da eco-

IMPORTADORA DE VINHOS
O ministro angolano da Economia,
nomia angolana face aos parceiros da Abraão Gourgel, participou, este mês,
África Subsariana. Na apresentação de num jantar conferência em Lisboa,
cumprimentos de fim de ano, o mi- organizado pela Câmara de Comércio
nistro da Economia, Abraão Gourgel, e Indústria Portugal‑Angola (CCIPA). O

A ngola adquiriu 3,2 milhões de


litros de vinho do Alentejo de
Janeiro a Outubro de 2011, passando
por cento, para os principais mer-
cados fora da União Europeia, com
Angola a liderar a lista. Comparando
afirmou que o programa de incenti-
vos vai beneficiar apenas empresas
com capital detido maioritariamente
evento também contou com a pre-
sença do presidente da agência de
comércio externo lusa, AICEP, Pedro
a ser o maior importador daquele com igual período de 2010, os países por angolanos e tem um período de Reis. Subordinado ao tema “Angola
região vitivinícola portuguesa, disse que mais aumentaram o volume de aplicação de cinco anos. A lei con- 2012 ‑ Relações comerciais e de inves-
o director de marketing da Comis- importações, além de Angola (82,5 sidera micro empresas as unidades timento”, o encontro destinou‑se em
que empregam até dez trabalhadores especial aos investidores portugueses,
são Vitivinícola Regional Alentejana por cento), foram a China (juntamen-
e/ou tenham uma facturação bruta e teve por objectivo o estreitamento
(CVRA), Tiago Caravana, afirmando te com Macau e Hong Kong) com 44 anual não superior ao equivalente em das relações bilaterais, o investimento
que “a tendência é para crescer ainda por cento, o Brasil e o Canadá, com kwanzas a 250 mil dólares. As peque- entre Portugal e Angola e a promoção
mais, visto que a economia de Ango- 14,9 por cento e 10,2 por cento, res- nas empresas, determina o diploma, de oportunidades de internacionaliza-
la está a evoluir e existe uma parte pectivamente. Tiago Caravana disse são aquelas que empregam até 100 ção das empresas de ambos países.
da população que já consome, com que Angola, Brasil, Estados Unidos, trabalhadores e cuja facturação bruta O jantar revestiu‑se de particular im-
frequência, vinhos de qualidade”. De China e Canadá são, actualmente, anual vai até aos três milhões de portância, sobretudo numa altura em
acordo com a CVRA, de Janeiro a Ou- por esta ordem, os cinco principais dólares. As médias empresas podem que é crucial apostar na diversificação
tubro de 2011, os vinhos alentejanos mercados de destino dos vinhos do ter até 200 trabalhadores e uma factu- dos investimentos portugueses e na
aumentaram as exportações, em 34,5 Alentejo. ❚ ração bruta anual até dez milhões de captação de investimento das em-
dólares. O acesso aos incentivos cons- presas angolanas. Em 2011, Angola
tantes na lei está reservado às MPME repetiu a proeza de ser o quarto maior

JAPÃO INTERESSADO
que, comprovadamente, demonstrem importador de produtos de Portugal,
possuir as suas obrigações fiscais re- com mais de sete mil empresas lu-
gularizadas na totalidade, através da sas, sobretudo pequenas e médias,
instrução do processo de classificação a desenvolverem negócios no País. ❚

NA PROTECÇÃO DE INVESTIMENTO
O vice‑ministro japonês dos Negó- MANUEL VICENTE MINISTRO
DE ESTADO E DA COORDENAÇÃO ECONÓMICA
cios Estrangeiros disse, este mês,
em Luanda, que o seu país está inte-
ressado em assinar com Angola um
acordo sobre protecção de investimen-
tos e a introdução de um sistema de
televisão digital em Angola. Toshiiyuki O Presidente da República, José
Eduardo dos Santos, proce-
deu, este mês, à nomeação de
Kato, que falava no final de uma audi-
Manuel Vicente para o cargo de
ência, na Cidade Alta, concedida pelo
ministro de Estado e da Coorde-
Vice‑Presidente da República, Fernando
nação Económica, deixando assim
da Piedade Dias dos Santos, declarou o cargo de presidente do Conse-
que as autoridades dos dois países es- no quadro da cooperação bilateral. O lho de Administração da Sonan-
tão já a negociar o acordo sobre pro- sistema de televisão digital que o Japão gol, para Francisco de Lemos José
tecção de investimentos. As autoridades pretende instalar em Angola – Serviço Maria. Para administradora execu-
japonesas, referiu, escolheram Angola Integrado de Transmissão Digital Ter- tiva da referida firma, foi nomea- trício Bicudo Vilar, Carlos de Car-
como o primeiro país africano com restre (ISDB) – é tido como o mais da Raquel Ruth da Costa David valho Rodrigues, Mário Eglicénio
quem pretendem assinar o acordo bila- flexível de todos por responder melhor Vunge. Outro decreto presidencial Baptista Ferreira do Nascimento,
teral sobre protecção de investimentos, às necessidades de mobilidade e porta- nomeou o Conselho de Adminis- Vera Esperança dos Santos Daves,
mecanismo para reforçar a cooperação. bilidade. O sistema, utilizado no Brasil, tração da Comissão de Mercados todos administradores executivos,
Angola, referiu, pode, já este ano, ser o também instalado pelo Japão, é o mais de Capitais, integrado por Augusto e Pedro Sérgio Costa Pitta Gróz,
primeiro país africano a ter o novo sis- avançado em termos de tecnologia de Archer Mangueira, presidente; Pa- administrador não executivo. ❚
tema de televisão digital a ser instalado ponta na emissão de televisão. ❚

www.embaixadadeangola.org
8 Economia JANEIRO 2012

TAXA DE INFLAÇÃO MAIS BAIXA


A ngola pode ter registado, em 2011,
uma das mais baixas taxas de in-
flação de sempre, afirmou a ministra
do Produto Interno Bruto (PIB) devido
à crise financeira internacional, o País
se prepara para retomar a dinâmica
petrolífera, estimada em cerca de 5 por
cento, e do crescimento do sector não
petrolífero em 9 por cento. Para 2012,
do Planeamento. “A inflação acumu- de crescimento económico registada afirmou a ministra, está projectado um
lada de 9,4 por cento verificada em entre 2002 e 2008, se o cenário não crescimento do PIB de 12,8 por cento.
Novembro é um forte indicativo que se alterar e não assumir proporções Entre as tarefas do Ministério do Plane-
vai ser inferior aos 12 por cento pre- que algumas agências prevêem para a amento, a ministra citou a criação de
vistos no Plano Nacional”, disse Ana economia. As mais recentes previsões condições para a realização, em 2013,
Dias Lourenço. A ministra, que mani- elaboradas pela Direcção de Estudos e do recenseamento geral da população
festou a opinião ao discursar na ce- Planeamento do Ministério, referiu, in- e da habitação. Considerou que este é
rimónia de cumprimentos de fim de dicam um crescimento da economia na “o maior desafio no domínio da pro-
ano, declarou que, após dois anos de ordem de 3,4 por cento em 2011, como dução estatística desde a ascensão do
redução da intensidade do crescimento resultado da contracção da actividade país à independência”. ❚

3ª FEIRA DE EMPREGO DA AEAP EM BALANÇO

EDVALDO FONSECA: «APOIAMOS QUADROS QUALIFICADOS


PARA MERCADO DE TRABALHO EM ANGOLA»
A Associação de Estudantes Angolanos em Portugal organizou a sua 3ª Feira de Emprego,
razão pela qual, Edvaldo Fonseca, líder daquela organização juvenil estudantil, faz um
balanço em entrevista concedida ao Jornal Mwangolé.
Qual é o balanço que faz da 3ª vez aos estudantes a possibilidade de e trabalhadores qualificados, foi
Feira de Emprego? encontrar o primeiro emprego, está- atingido?
gio ou ainda grandes desafios para A Feira de Emprego tem como objec-
O balanço que Associação de Estu-
quem já se encontra no mercado de tivo inicial abranger não só licenciados
dantes Angolanos em Portugal (AEAP)
trabalho. como profissionais qualificados que
faz da 3ª Edição da Feira de Empre-
go Angola em Portugal é bastante Os objectivos preconizados, em queiram abraçar desafios profissionais
positiva, com um nível elevado de termos de resultados, foram em Angola. Neste âmbito também
participação por parte da comunida- atingidos? conseguimos atingir todos os quadros
de angolana, e outras nacionalidades com interesse em regressar a Angola.
Com certeza. Como título de exemplo
que pretendem abraçar projectos em Quais os profissionais mais
tivemos lotação na sala de conferên-
Angola, o que de alguma forma é solicitados pelas empresas?
cia, o que demonstrou claramente um
já alguma preparação e mobilização
interesse por parte dos candidatos, Angola é um País em reconstrução
para 4ª Edição da próxima Feira de
que para nós é o resultado de ob- nacional, todos os quadros são uma
Emprego de tão positiva que foi, te-
jectivo cumprido notavelmente. mais‑valia, logo, todos os profissionais
mos estado a crescer, notasse clara-
mente um grande crescimento des- O objectivo da Feira não se são solicitados, dou alguns exemplos
de a primeira feira que foi em 2009, destina aos licenciados, mas há alturas em que a empresa tem ne-
conseguimos proporcionar mais uma também há quadros intermédios cessidade de recrutar um engenheiro
ou um advogado, logo, trabalham no
sentido de recrutar um engenheiro Como a AEAP reage há algumas crí-
ou até mesmo um advogado, é o ticas, segundo as quais o número de
que acontece com outras áreas. Te- candidatos admitidos pelas empresas
mos ainda empresas a recrutar em fica muito aquém do pretendido? As-
todas as áreas, outras a cobrirem as sociação reage bem as críticas, até
necessidades imediatas depende ba- porque é com críticas construtivas
sicamente do critério de procura de que aprendemos e crescemos dias
cada empresa. É certo que as Enge- após dia. No que toca as empresas
nharias são as áreas mais procuradas, relativamente aos candidatos não te-
como as de consultoria que engloba mos esse feedback. Temos um Depar-
finanças, economia, contabilidade, re- tamento de Saídas Profissionais que
cursos humanos e gestão. trata do contacto com as empresas e
candidatos e até hoje garantimos que
Qual foi o nível de participação por parte das empresas que colabo-
dos não‑licenciados? ram connosco não tivemos qualquer
Desde a 1ª Edição em 2009 que têm queixas, muito pelo contrário, a Asso-
tido uma grande participação, pode- ciação tem colaborado sem cessar no
mos apontar para 46 por cento de que toca em apoiar os quadros qua-
profissionais qualificados nas mais lificados para o mercado de trabalho,
diversas áreas. e apostando num regresso seguro. ❚

www.embaixadadeangola.org
JANEIRO 2012 Economia 9

TURISMO E GASTRONOMIA
A gastronomia Angolana é umas das mais ricas e diversificadas

MULEMBA X’ANGOLA É UM EXEMPLO


DE EMPREENDEDORISMO NA RESTAURAÇÃO
Por: Gonçalo André Pedro

Com este artigo pretendo evidenciar a relação que o turismo e a gastronomia


fomentaram ao longo das últimas décadas. É interessante verificar como a actividade
turística pode dinamizar um destino através da sua gastronomia, fortalecendo
o crescimento e o desenvolvimento da actividade de restauração tradicional.
A gastronomia (de um país/região)
é encarada como um produto
turístico. O património gastronómico
um negócio. A gastronomia por ou-
tro lado, terá sempre o seu papel de
destaque em qualquer evento, seja
deve ser visto como um importan- ele turístico, conferências ou reuniões,
te nicho de negócios na actividade feiras, viagens etc.
turísticos (podendo originar grandes
investimentos em unidades de restau- UM EXEMPLO DE
ração com o objectivo do seu apro- EMPREENDEDORISMO
veitamento e divulgação) volumes de Vivemos actualmente numa socieda-
investimentos (empreendedorismo). de onde o cliente é cada vez mais
Para que possamos perceber com cla- exigente, exigência essa que motiva
reza a importância desta actividade, a procura por serviços diferenciados,
convém examiná‑lo na sua especi- procuram tratamento diferente à me-
ficidade em relação às demais mo- dida das exigências de cada um. O mundo precisa impreterivelmente Os amantes da gastronomia angolana
dalidades do sector da restauração O restaurante mulemba x’angola já é, de empreendedores. na diáspora têm motivos suficientes
tradicional. em dois anos de existência, um ícone A família Cassoma é o exemplo do para estarem felizes porque o res-
da gastronomia angolana em Portugal. empreendedorismo. Para esta família taurante oferece serviços de quali-
Com toda a sua arte e originalida-
angolana, que apostou na restauração, dade num ambiente descontraído e
de gastronómica, a prestação de um Neste, o cliente é extremamente bem
o mulemba x’angola é um sonho an- em permanente contacto com várias
eficiente serviço, o convívio que a recebido por funcionários trajados a
rigor. A t‑shirt de cor amarela e ver- tigo que tornou realidade. culturas o que é muito bom.
clientela pode usufruir, faz da res-
tauração um sector apaixonante e melha, calças de cor pretas, remetem A origem do nome prende‑se com Em tempos de contenção de custos,
extremamente motivador. ao cliente para as cores de Angola. O o facto de os proprietários serem por vezes, torna‑se necessário anali-
traje transmite‑nos em forma de calor angolanos, mulemba x’angola é um sarmos o que devemos gastar. Ir ao
O património gastronómico tem já mulemba x’angola já se tornou um
o merecido reconhecimento e noto- humano, simpatia e profissionalismo. negócio de família que iniciou a sua
Acolhedor e de alguma forma espe- actividade a 08 de Dezembro de 2009. hábito para algumas pessoas sobretu-
riedade, e associar a gastronomia ao do pela possibilidade de desfrutar de
cial, este restaurante é, sem duvida, Mulemba x’angola, que se pronuncia
turismo é indispensável para o êxito um ambiente calmo e música da terra.
um exemplo a seguir. mulemba waxa ngola, significa árvore
da actividade turística num país ou Encontrar um restaurante em Lisboa
região. deixada pelo Rei ngola.
com comida típica angolana não é
O aproveitamento da gastronomia É um espaço dedicado à divulgação nada fácil.
pode ser considerado uma mais‑valia, da cultura e gastronomia angolana. É um dos restaurantes mais populares
já que atrai turistas para um deter- À entrada, um poema do primeiro de Lisboa, e, provavelmente o mais
minado destino. presidente Agostinho Neto. típico deste bairro, que se distingue
A gastronomia é desta forma, indis- Mizé, como é conhecida pela clientela, pela qualidade dos pratos. A inovação
pensável e considerada indispensável é a sócia gerente do famoso restau- levou os proprietários a confeccio-
e relevante para o desenvolvimento rante angolano, Largo José Afonso narem também comida típica por-
do turismo, possibilitando grandes 4‑L de Olival de Basto (Odivelas) e, tuguesa. Igualmente saborosos e de
oportunidades de negócio para to- segundo a mesma, este espaço re- qualidade são uma opção para quem
dos aqueles que souberem explorar presenta a verdadeira gastronomia quer variar a comida desfrutando do
directa ou indirectamente esse nicho africana sobretudo a angolana. espaço e de tudo o que proporciona.
de mercado. É do conhecimento geral que comer
RESTAURANTE é um dos melhores prazeres da vida.
Por outro lado, a parceria entre o
turismo e o empreendedorismo for- MULEMBA X’ANGOLA No mulemba x’angola, os clientes con-
mam, uma sinergia ainda que muito Portugal vive um momento conturba- ciliam a satisfação das suas necessi-
incipiente. No entanto surgem já si- do, e isto faz com que a atitude em- dades alimentares com o prazer de
tuações que nos despertam para a preendedora seja mais do que uma permanecer mais algum tempo ao
importância desta combinação, ou necessidade seja antes uma urgência. redor de uma mesa, na companhia de
seja, a gastronomia como produto O empreendedorismo, associado ao boa música, a degustar uma refeição
turístico é um importante elemen- turismo, deve servir de incentivo às ou uma bebida típica africana entre CONTINUA NO
to motivador ou elemento principal, comunidades residentes em prol de amigos, familiares ou até mesmo para PRÓXIMO NÚMERO
factor para o desenvolvimento de um objectivo comum. questões profissionais.

www.embaixadadeangola.org
10 Economia JANEIRO 2012

AS NOVAS REGRAS DE CONTRATAÇÃO PÚBLICA EM ANGOLA


O actual regime da Contratação Pública encontra‑se regulado pela Lei n.º 20/10, de 7
de Setembro – Lei da Contratação Pública (“LCP”). A LCP revogou os anteriores diplomas,
nomeadamente, a Lei n.º 7/96, de 16 de Fevereiro e o Decreto n.º  40/05, de 8 de Junho,
que estabeleciam as regras relativas, respectivamente, ao regime de realização de despesas
públicas, prestação de serviços, locação e aquisição de bens móveis e ao regime de
empreitadas de obras públicas. A LCP acaba assim por condensar num único diploma ambos
os regimes, em vigor desde o dia 6 de Dezembro de 2010.

O legislador, ao elaborar a LCP, esteve


ciente das necessidades de capaci-
tação humana, técnica e financeira das
c) C
 oncurso limitado sem apresentação de
candidaturas; ou
das, aquisição de bens, ou celebração de
acordos‑quadro, designados de contratos de
aprovisionamento, e que têm por objecto
Ao longo da LCP várias são as disposições
que fazem transparecer a ideia que esta é
uma Lei com um pendor consideravelmente
d) P
 or negociação, com ou sem publicação
entidades públicas contratantes. Como tal, prévia de anúncio; a posterior celebração de contratos de em- proteccionista. Por exemplo, as Centrais de
apostou‑se igualmente na simplificação preitadas de obras públicas. Compras devem actuar dando preferência
A LCP prevê ainda os seguintes procedi-
dos procedimentos de aquisição de bens A actividade das Centrais de Compras, fun- à aquisição de bens que promovam a pro-
mentos especiais:
e serviços, e empreitadas de obras públicas cionando como uma verdadeira entidade tecção da indústria nacional, isto ao mesmo
incrementando a utilização de novas tecno- a) Concursos para trabalhos de concepção; tempo que devem promover a concorrência.
pública contratante, está, por isso, sujeita
logias em matéria de contratação pública. b) S istemas de Aquisição Dinâmica Elec- às disposições da LCP. Há ainda normas pelas quais se estipula
A importância destas matérias exponen- trónica; e que “Em caso de equivalência de preço
ciou‑se recentemente com a recente en-
FOMENTO DO EMPRESARIADO e de qualidade, o empreiteiro, salvo esti-
c) M
 étodo de contratação de serviços de
trada em vigor da Lei n.º 2/2011, sobre as Consultoria. ANGOLANO pulações expressas em contrário, deve dar
parcerias público‑privadas em Angola (“Lei Nos casos de locação, aquisição de bens Indo de encontro à importância da con- preferência para aplicação na obra, aos ma-
das PPPs”) e da Lei da Probidade Pública. móveis ou aquisição de serviços, poderá tratação pública na vida das empresas, o teriais produzidos pela indústria nacional.”,
A publicação da Lei das PPPs, associada ao legislador não quis deixar de consagrar o que demonstra o cuidado do legislador
haver ainda lugar ao denominado leilão
facto de Angola continuar a ser um país em uma disposição sobre Fomento do Empre- em dar primazia às empresas nacionais e,
electrónico, desde que se encontrem pre-
grande crescimento e de o Estado ser ainda sariado Angolano, reforçando assim não só neste caso, à própria produção nacional.
enchidas algumas condições.
o principal cliente de muitas empresas não o conteúdo da própria Lei do Fomento
só angolanas como estrangeiras. A Lei da
A regra quanto à escolha dos procedimen- do Empresariado Privado Angolano, Lei n.º DESPESA PÚBLICA
tos acima previstos foi a de que a adopção 14/03 de 18 de Julho como também as Não esquecer que, quando se fala em Con-
Probidade Pública, Lei n.º 3/10, de 29 de
dos mesmos depende do valor estimado. já longínquas imposições da Resolução n.º tratação Pública, é incontornável ter presen-
Março, vem espelhar uma necessidade e
Para esse efeito, em anexo ao diploma legal 23/03, de 10 de Junho. te as implicações na Despesa Pública e a
preocupação por parte do Estado de mu-
consta uma tabela progressiva de valores de
dar e de demonstrar aos angolanos que o A norma estabelece que, nos procedimentos aplicação de dinheiros do Estado. Como tal,
empreitada, que se iniciam nos 5.000.000,00
exercício de funções na administração do de contratação, devem ser preferencialmen- há que ter igualmente, presente a legislação
Kwanzas (nível 1), até ao escalão máximo
Estado, nas diversas formas de administra- te admitidas, qualificadas e seleccionadas referente a Gestão e Gestores Orçamentais,
cujo valor corresponde a 1.100.000.000,00
ção pública e nos demais poderes públicos as entidades nacionais priorizando a pro- Dívida Pública e alguma legislação orgânica
Kwanzas. A escolha do procedimento a
exige que sejam respeitados deveres. dução nacional. Na verdade, no processo e funcional, como a do próprio Tribunal
adoptar pode ser, em alguns casos e in-
Nesse sentido, esta lei consagra e passou a de contratação, pode estabelecer‑se uma de Contas.
dependentemente do valor estimado, de-
agregar num mesmo texto os deveres de margem de preferência, para candidatos Exemplo disso mesmo é o Decreto Presi-
terminada em função de critérios materiais.
lealdade, imparcialidade, probidade e outros ou concorrentes nacionais, no momento dencial n.º 24/10, de 24 Março relativo à
de natureza profissional e pública. Apesar GABINETE DE CONTRATAÇÃO da adjudicação. execução do Orçamento Geral do Estado
da publicação desta lei sobre probidade, PÚBLICA A participação de entidades estrangeiras, para 2010. Este diploma veio fixar novas
o legislador fez questão de transpor os No domínio orgânico, a LCP introduziu as- singulares ou colectivas, fica assim limita- regras aplicáveis à contratação do forne-
ideais de probidade também para a LCP. pectos novos em relação ao anterior regime, da às propostas com valores superiores a cimento de bens e serviços ao Estado e
A LCP dispõe de um Capítulo denominado designadamente a criação de um Gabine- 500.000.000,00 Kwanzas para as empreita- demais pessoas colectivas públicas.
de Ética no Processo de Contratação aplicá- te da Contratação Pública e um Portal da das e 73.000.000,00 Kwanzas para aquisi-
Entre essas regras, destacam‑se as seguin-
vel sobretudo aos funcionários, agentes da Contratação Pública. ções de bens e serviços.
tes: (i) proibição de fixação de down pay-
entidade pública contratante, membros da Como excepção a essa restrição, as enti-
O Gabinete de Contratação Pública, recen- ments superiores a 15% do valor global dos
Comissão de Avaliação e do próprio júri. A dades estrangeiras podem candidatar‑se a
temente criado pelo Decreto Presidencial contratos, excepto em caso de autorização
Comissão de Avaliação do Procedimento é procedimentos de formação de contratos
n.º 298/10, de 3 de Dezembro, funcionará pelo Ministério das Finanças mediante fun-
aliás, por si só, uma das novidades da LCP. cujo valor estimado seja inferior aos acima
como órgão de apoio ao Executivo, em ma- damentação objectiva, caso em que tais
TIPOS DE PROCEDIMENTOS térias de definição e de implementação de indicados ou nas quais o procedimento não pagamentos poderão chegar aos 30%; (ii)
políticas e de práticas relativas à contrata- dependa de valor, desde que não exista no proibição da celebração de adendas aos
Sempre balizados por ideais de imparcia- mercado angolano pessoas ou entidades
lidade, de tratamento justo e equitativo a ção pública o qual disporá, desejavelmente, contratos, em execução ou finalizados, cujo
de representações em todas as Províncias. que reúnam as condições de elegibilidade valor exceda 15% do valor inicial daqueles;
todos os concorrentes, ficam sujeitos ao necessárias à contratação, ou quando, por
novo regime da contratação pública os se- O Portal da Contratação Pública, por seu e (iii) obrigatoriedade de os pagamentos
lado, visa dotar as entidades sujeitas à lei razões de conveniência, tal assim seja de-
guintes organismos do Estado: (i) Órgãos da decorrentes dos contratos serem efectu-
de um conjunto de informação relacionada cidido pela entidade adjudicante.
Administração Central e Local do Estado; (ii) ados em Kwanzas, embora com algumas
Assembleia Nacional; (iii) Tribunais e Procu- com contratação pública. O Portal contará Os candidatos que queiram apresentar pro- excepções.
radoria‑Geral da República; (iv) Autarquias com plataformas electrónicas, cujas regras postas, qualquer que seja a actividade por
Este Decreto entrou em vigor em 24 de
Locais; (v) Institutos Públicos; (vi) Fundos de constituição, de funcionamento e de eles exercida, podem associar‑se entre si.
Março de 2010, tendo aplicação imediata
Públicos; (vii) Associações Públicas; e (viii) gestão serão fixadas por lei especial. Este importante direito permitirá, por exem-
incluindo para os contratos em vigor que
plo, que concorrentes nacionais e estran-
Empresas Públicas integralmente financia- CENTRAIS DE COMPRAS geiros, em algumas situações, se associem tenham sido assinados após 1 de Janeiro de
das pelo Orçamento Geral do Estado (será 2010. Os contratos celebrados após o dia 1
A LCP prevê que possam ser criadas Cen- para optimizarem as suas propostas. Em
objecto de regulamentação específica). de Janeiro de 2010 e que não tenham uma
trais de Compras pelas entidades públicas caso de adjudicação, os associados, antes da
Os tipos de procedimentos de contrata- contratantes no sentido de centralizar a celebração do contrato devem, no entanto, cláusula sobre a existência de cobertura
ção foram reduzidos a apenas quatro, por contratação de (i) empreiteiros de obras acordar devidamente a modalidade jurídica orçamental, o projecto ou a actividade, a
eliminação da modalidade do tão frequen- públicas, (ii) locação e (iii) aquisição de bens de associação a adoptar na proposta. natureza económica da despesa e o nú-
temente utilizado Ajuste Directo. Assim, na e serviços. De facto podem ser constituí- mero da Nota de Cabimentação, deverão
formação dos contratos sujeitos ao presente Os interessados, nacionais ou estrangeiros,
das Centrais de Compras exclusivamente ser alterados em conformidade.
regime as entidades públicas contratantes, associados ou não, terão sempre de de-
destinadas a um determinado sector de monstrar, em qualquer fase do procedimen- Deverá ter‑se, igualmente, presente, quanto
acima referidas, devem optar por um dos actividade. to, que possuem as qualificações jurídicas, a estas matérias, que certos actos e contra-
seguintes procedimentos:
O funcionamento das Centrais de Compra profissionais, técnicas e capacidade finan- tos estão sujeitos à fiscalização preventiva
a) Concurso público; pode passar, por exemplo, pela adjudicação ceira necessárias à execução do contrato e mesmo sucessiva do Tribunal de Contas
b) Concurso limitado por prévia qualificação; de propostas de execução de empreita- objecto do procedimento. – Lei n.º 13/10, de 9 de Julho. ❚

www.embaixadadeangola.org
JANEIRO 2012 Sociedade 11

VISITA DE MIGUEL RELVAS A ANGOLA

PORTUGAL FORMA TÉCNICOS PARA O CENSO EM ANGOLA


Angola envia nos próximos dias a Portugal uma equipa técnica do Instituto Nacional
de Estatística para analisar com técnicos portugueses aspectos práticos para cooperação
nos trabalhos de preparação do censo populacional e habitacional no País.
O anúncio foi feito pela ministra do
Planeamento, Ana Dias Lourenço,
após o encontro com o ministro‑ad-
mento de Portugal. Durante o encontro,
ficou ainda acordado a realização de
um torneio de futebol, com participação
RELVAS PEDE APOSTA
EM PROJECTOS SOCIAIS
As empresas portuguesas que operam
junto e dos Assuntos Parlamentares das três melhores equipas angolanas e em Angola devem apoiar os mais ca-
de Portugal, Miguel Relvas, que visitou portuguesas, e seus melhores jogadores, renciados, em especial a juventude, afir-
recentemente o País. Ana Dias Lourenço no mês de Maio, em Luanda. Angola e mou, o ministro‑adjunto e dos Assuntos
afirmou que durante o encontro ana- Portugal vão ainda cooperar na área Parlamentares de Portugal, minutos após
lisaram “de forma bastante pragmá- da formação de líderes juvenis, com visitar as obras das futuras instalações
tica como podemos obter mais‑valia apoio dos conselhos da juventude dos da Assembleia Nacional. Miguel Relvas
e optimizar a colaboração que existe dois países. considerou imponente a obra e ficou
entre os dois institutos de estatística”. satisfeito por estar a ser construída por
A parceria, de acordo com Miguel Rel- TPA E RTP ASSINARAM uma empresa portuguesa. “Os empresá-
vas, centra‑se na troca de conhecimento UM ACORDO rios portugueses não estão em Angola
recíproco entre técnicos portugueses e A Televisão Pública de Angola (TPA) só para ganhar dinheiro, têm também
angolanos. Portugal pretende cooperar de ser capazes de prestigiar a história
e a Rádio Televisão Portuguesa (RTP)
com Angola na área da formação, no comum”, disse. As empresas portugue-
assinaram, na cidade de Benguela, um sas, salientou, além de virem para An-
âmbito da administração local e reforma protocolo de cooperação no domínio
administrativa. gola fazer negócios têm a obrigação de
do conhecimento, tecnologia, inovação apoiar os mais carenciados, em especial
APOIO NAS AUTARQUIAS e criatividade nas áreas audiovisual, os jovens. O ministro luso mencionou a
design e multimédia. A cerimónia da língua e a história comum entre Angola
Miguel Relvas afirmou que o seu país,
assinatura do documento, a que as- e Portugal como factores que podem
tendo em conta o anúncio da realização facilitar o apoio às pessoas mais caren-
sistiram a ministra angolana da Co-
das eleições autárquicas em 2014, está ciadas no país. Miguel Relvas, acompa-
disponível em cooperar com Angola na municação Social, Carolina Cerqueira,
e o ministro‑adjunto e dos Assuntos nhado do embaixador de Portugal em
área da formação de quadros intermé- lamentares de Portugal, Miguel Relvas,
Parlamentares de Portugal, Miguel Rel- Angola, Francisco Teles, foi recebido em
dios para as estruturas autárquicas, com durante um encontro com a ministra.
audiência pelo Presidente da Assembleia
apoio da Associação Nacional de Mu- “Como Angola está também a estudar vas, realizou‑se no palácio do governo
Nacional, Paulo Kassoma, e pela ministra
nicípios de Portugal, cujo presidente, a criação da televisão digital em Angola, provincial. O protocolo, assinado pelo da Justiça, Guilhermina Prata. Paulo Kas-
Fernando Ruas, fez parte do encontro. convidamo‑la a acompanhar com a TPA administrador para a área de meios soma desejou que as relações entre dois
“No prazo de 15 dias, vamos reflectir e a RTP a segunda fase do lançamento de produção, delegações provinciais e parlamentos se intensifiquem e que haja
e estudar um modelo de cooperação da televisão digital terrestre em Portu- regionais da TPA, José Maria Fernandes, maior relação entre deputados angola-
nesta área. Temos boas oportunidades gal”, frisou Miguel Relvas, que também e pelo presidente do Conselho de Ad- nos e portugueses. O ministro português
para trabalharmos em conjunto, apren- tutela a área da Comunicação Social. ministração, Guilherme Costa, estende a também foi recebido pela titular ango-
der com os angolanos uma nova reali- Angola o Projecto Academia da Rádio lana da pasta da Justiça, Guilhermina
dade, uma nova visão e para também PARCERIAS NO DESPORTO Televisão Portuguesa. O acordo prevê Prata, com quem falou de cooperação.
transmitir a nossa experiência”, disse. Miguel Relvas manteve também um en- iniciativas nas áreas de formação téc- A ministra anunciou que os dois países
contro com o ministro da Juventude nica e de jornalismo, cabendo à RTP a vão reforçar as relações no sector da
COMUNICAÇÃO SOCIAL e Desportos, Gonçalves Muandumba, a responsabilidade de promover, na sua justiça, principalmente na modernização
A ministra da Comunicação Social, Ca- administrativa, com a transferência de
quem garantiu disponibilidade do seu academia, estágios profissionais para
tecnologias, experiências e formação de
rolina Cerqueira, vai assistir no próximo país em acolher, para estágio, as selec- jovens angolanos. Em contrapartida, a quadros. Guilhermina Prata desloca‑se,
dia 23 de Março ao lançamento da ções angolanas que vão participar nos TPA prontifica‑se a promover em Angola em breve, a Lisboa para colher infor-
segunda fase da televisão digital ter- próximos jogos olímpicos, em Londres. o Projecto Academia da RTP. O acordo mações sobre a modernização do sector
restre em Portugal. Carolina Cerqueira Gonçalves Muandumba disse que as se- estabelece também a formação qualifi- em Portugal e uma das prioridades é
foi convidada para este evento pelo lecções angolanas podem fazer uso dos cada de futuros profissionais e a inves- verificar o funcionamento da Loja do
ministro‑adjunto e dos Assuntos Par- centros de treinamento de alto rendi- tigação em domínios técnico‑científicos. Cidadão. ❚

MOSTRA ANGOLA AO MUNDO


da paz, garantiu o chefe do bureau da actual do País. “Angola, neste momen- trangeiros logo após terminarem a sua
CNN para África, Kim Norgaard. Num to, é um País de grande interesse do formação, e por falta de emprego na
encontro com a ministra da Comuni- ponto de vista económico, porque teve Europa, principalmente, estão a imigrar
cação Social, Carolina Cerqueira, Kim um crescimento formidável em poucos para Angola à procura de emprego, ao
Norgaard disse ser necessário que estas anos, e em outras áreas. Estes pontos contrário de anos anteriores. A ministra
reportagens temáticas sobre a econo- positivos, ao serem divulgados, ajudam da Comunicação Social, Carolina Cer-

O canal de notícias norte‑americano


Cable News Network (CNN) reali-
za, nos próximos meses, uma série de
mia, política e assuntos sociais sejam
realizadas e divulgadas ao mundo, para
se mostrar a verdadeira imagem de
também países com muitas dificulda-
des a se desenvolverem”, disse. Para o
chefe do bureau da CNN para África, é
queira, reconheceu que o projecto é
bom e garantiu o apoio do Ministério
com “tudo o que for possível, para que
reportagens sobre o crescimento eco- Angola. O jornalista sul‑africano consi- interessante também mostrar ao mun- estas séries de reportagens sejam feitas
nómico e o estilo de vida da população derou que a imagem de Angola mos- do como as coisas em Angola tiveram com profundidade a nível nacional, para
angolana, nos dez anos da conquista trada ao mundo não reflecte a realidade uma reviravolta, ao ponto de muitos es- melhor projectar Angola”. ❚

www.embaixadadeangola.org
12 Sociedade JANEIRO 2012

PORTUGUESES FORMAM ADMINISTRADORES


ADMINISTRAÇÃO AMPLIADA
MUNICIPAIS DE LUANDA PARA PREPARAR AUTARQUIAS
A dministradores municipais de Luan-
da vão receber formação de especia-

O
listas portugueses, à luz da nova divisão Executivo vai criar, ainda este elogiou as várias parcerias existen-
administrativa, disse o governador da ano, o Campus do Instituto de tes com o centro de pesquisas de
província, Bento Bento, no final de uma Formação da Administração Local governação local da Faculdade de
audiência que concedeu ao presidente (IFAL) para melhor aproveitamento Direito da Universidade Agostinho
da Associação das Municipalidades de das parcerias e acordos científicos Neto, com quem estão a ser organi-
Portugal, Fernando Cruz. Bento Bento e contribuir para a preparação dos zados cursos de pós‑graduação em
disse que a cidade de Luanda está a governadores, vice‑governadores, ad- administração e governação local e
viver um período de reorganização ad- disse que Angola deve aplicar um pla- ministradores municipais, comunais e o curso de mestrado em governação
ministrativa que termina em Junho e neamento próprio e não precisa copiar adjuntos. Bornito de Sousa disse que e gestão pública. Além disso, há par-
“alguns serviços que eram de responsabi- de outros países. “Aplicar o modelo de a ampliação da instituição tem a ver cerias com outras instituições, como
lidade do governo vão passar a ser feitos Portugal em Angola é um erro, porque com a preparação das autarquias lo- a Agência Espanhola de Cooperação,
pelas administrações municipais”. Bento cada país tem as suas especificidades, cais. Além de ampliar as estruturas com quem também são organizados
Bento disse que Luanda foi construída geograficamente são todos diferentes”, físicas da instituição, afirmou, uma das cursos de formação de instrutores.
para albergar uma população de apenas alertou, para dar um exemplo. “Há pa- novidades é a introdução do curso O objectivo, referiu, é aumentar a
um milhão, mas hoje tem quase oito íses que possuem as suas cidades mais de gestão e administração autárqui- cobertura na área da formação de
milhões de pessoas, com os municípios próximas umas das outras, com o número ca que tem como principal objectivo quadros regionais e locais e promover
do Cazenga e de Viana como os mais de habitantes inferior a outras, enquanto preparar os candidatos locais para a o ensino regular, designadamente o
populosos. Fernando Cruz, que está na outros países têm cidades com 500 qui- participação e bom exercício no qua- curso médio de administração local
presidência da Associação há 22 anos, lómetros de distância. ❚ dro das eleições locais. O ministro e autárquica. ❚

ANGOLA COM OITO NOVAS FISCALIZAÇÃO CONJUNTA


CENTRALIDADES DOS RECURSOS
O Ministério do Urbanismo e
Construção vai, este ano, con-
solidar a edificação de oito novas
centralidades intermédias. Quanto às
infra‑estruturas rodoviárias, estão em
manutenção os eixos rodoviários Lu-
O s Ministérios da Defesa Nacional e
do Ambiente acordaram, em Luan-
da, a adopção de acções conjuntas para
centralidades com vista a melhorar anda/MariaTeresa, Alto Dondo/Huam-­ o recrutamento, em todo território, de
as condições sociais, económicas e bo e Ndalatando/Malanje. Os trabalhos ex‑militares para a protecção e conser-
de habitabilidade da população. As estão em curso desde o segundo se- vação ambiental. O protocolo foi assina-
novas centralidades vão ser ergui- mestre do ano passado. Recentemente, do, na presença dos dois ministros, por
das nas províncias do Bengo, Zaire, o ministro do Urbanismo e Construção Francisco dos Santos, director nacional
Malanje, Kuando‑Kubango, Namibe, pediu empenho aos quadros do sector para os serviços de fiscalização ambien- que tem defendido o equilíbrio ambiental
Huíla, Benguela e Lunda‑Sul. Actual- e anunciou medidas para a melhoria tal, e Hugo Leitão, director dos Recursos como forma de elevar a qualidade de
mente, estão em construção quatro dos recursos humanos. Fernando Fonse- Humanos do Ministério da Defesa Nacio- vida da população. Cândido Van‑Dúnem
centralidades nas províncias de Lu- ca disse estarem em curso acções para nal. Com o protocolo, as partes garantem disse que a desflorestação do Mayombe,
anda, Bengo, Cabinda e Lunda‑Nor- divulgar a legislação relacionada com a fiscalização conjunta e a melhoria da os derrames de crude em Cabinda, a
te. Para este ano, de acordo com o o sector. Constam igualmente planos qualidade do ambiente em todo território desertificação da província do Namibe,
plano, o Ministério do Urbanismo para reforçar e modernizar a capacidade nacional, incluindo a orla costeira, marí- a extinção de várias espécies da fauna e
e Construção vai também trabalhar dos departamentos que constituem o tima e as áreas transfronteiriças de con- da flora exigem esforços redobrados para
para o alargamento da mobilidade, Ministério do Urbanismo e Construção, servação. O ministro da Defesa afirmou a consciencialização das pessoas sobre a
valorização dos espaços naturais para a sua reestruturação numa pers- que a preservação do ambiente está no importância da melhoria do estado do
e rurais e no desenvolvimento das pectiva de médio e longo prazo. ❚ centro das preocupações do Executivo, ambiente. ❚

REUNIÃO ANALISA ECOSSISTEMA ESCOLAS CATÓLICAS


MAYOMBE INCLUEM O LATIM
L uanda acolheu, este mês, a primeira
Reunião Interministerial e de Peritos
dos Ministérios do Ambiente de Angola,
participantes também abordaram a parti-
cipação dos países membros da Iniciativa
Mayombe, no âmbito da próxima cimeira A necessidade da inclusão das lín-
guas nacionais e do latim no
o pessoal docente e administrativo,
para uma maior organização e rigor
Congo Democrático, Gabão e República Rio+20. Os esforços de conservação do currículo das escolas missionárias da no funcionamento das escolas mis-
do Congo para validar a estratégia, a ecossistema da Floresta do Mayombe Igreja Católica em Angola constitui sionárias. A necessidade de adequa-
longo prazo, da Iniciativa Transfronteiriça começaram em Outubro de 2000, por uma das recomendações saídas do ção dos regulamentos internos das
Mayombe. As delegações analisaram e iniciativa do Executivo, com a realização XI encontro das direcções dos Insti- escolas católicas ao actual contexto,
validaram os diferentes Estudos e Do- de uma campanha de sensibilização e tutos de Ciências Religiosas (ICRA). O o reforço do entrosamento entre as
cumentos Estratégicos relacionados com de consulta às comunidades locais para encontro, que reuniu responsáveis de famílias e a escola e a necessidade
o ecossistema Mayombe, a Cooperação a protecção da biodiversidade. O forte escolas católicas de várias províncias de um maior empenho das comissões
Inter‑regional, no âmbito do mesmo ecos- empenho do Executivo, através do Minis- do País, recomendou, igualmente, a de pais e encarregados de educação
sistema, a Institucionalização de Áreas tério do Ambiente, que tem a participação inclusão das disciplinas de religião e na adopção de estratégias conjuntas
protegidas e o estabelecimento de limi- activa das comunidades que beneficiam moral nas classes do primeiro e se- para o melhor desempenho dos es-
tes de Reserva Transfronteiriça. A reunião do ecossistema da floresta do Mayombe, gundo ciclos, além da contínua pro- tudantes, são algumas das conclusões
dividiu‑se em dois períodos: o primeiro de conta um apoio significativo da comuni- moção de cursos de actualização para saídas do encontro. ❚
peritos e o segundo interministerial. Os dade internacional. ❚

www.embaixadadeangola.org
JANEIRO 2012 Sociedade 13

FJAP DISTINGUE ANGOLANOS OS DISTINGUIDOS:

Associativismo
• Pastor Américo Marques
O Fórum de Jovens Angolanos em
Portugal (FJAP) promoveu, recen-
temente, em Lisboa, uma gala que
• Associação da Mulher Migrante
Angolana (AMMA)
serviu para homenagear alguns cida- • Hélder Afonso
dãos angolanos residentes na diáspora (Ellite Angolan Careers)
portuguesa, nos sectores desportivo e • Rui Machado (JMPLA)
cultural. Segundo Domingos Salvador,
da organização do evento, a iniciati- Desporto
va visou reconhecer o trabalho destes • M ilder Oliveira (bi‑campeão
cidadãos, entre muitos outros anóni- mundial de kickboxing)
mos, que têm engrandecido o País em • Bernardo Manuel (ex‑atleta
Portugal. O evento foi animado pelo e técnico desportivo)
músico Kizua Gourgel, interpretando, • Mantorras (ex‑futebolista)
entre outros, temas de Rui e André
Mingas, Filipe Mukenga, assim como Gastronomia e moda
houve ainda passagem de modelo dos • Eduarda Camenha
estilistas Divaldo João e Eduarda Came- • Maria Luísa Gabriel
nha. No cômputo final, apesar de alguns
percalços compreensíveis de natureza Entretenimento e informação
organizacional, o evento, que contou • António Silva Santos
com apoio da JMPLA em Portugal, foi • DJ Amorim
bastante elogiado pelos presentes. Es- • DJ Kadu
tes esperam pela realização de mais • Tchissing Correia
actividades do género. ❚
Música
• Força Suprema
• Betinho Feijó
• Ivair Coimbra
• Os Garimpeiros
Artes plásticas, dança,
literatura e representação
• Daniel Martinho
• Miguel Sermão
• Pedro Tomás
• Isabel Ferreira
• António Magina
(a título póstumo)
• Ana Vasconcelos
• Eric Santos.

www.embaixadadeangola.org
14 Sociedade JANEIRO 2012

DIÁLOGO SOBRE GESTÃO FAMILIAR


A família ‑ Conjunto das pessoas relacionadas, por criação ou geneticamente,
a alguém, linhagem, pai, mãe, filhos e avôs ou seja pessoas que vivem numa
mesma habitação; conjunto de itens de mesma natureza; quinto nível de
especificação da espécie de seres vivos, mais específico que ordem e menos
específico e pode representar da seguinte forma: Família Nuclear ou conjugal,
extensa, comunitária e Cristã.
Por: André José André*

FUNÇÃO DA FAMÍLIA pela educação dos seus filhos quer pela pais conversem com ela, isto por várias nossa ajuda, e do projecto que vamos
As famílias como agregações sociais, assu- integração, isto tudo passa na resolução razões. Primeiro porque ela sente, desta construindo com eles. Por isto: falem com
mem as funções de protecção, socializa- dos problemas sociais aqueles todos já forma, que o pai e a mãe estão presentes o seu filho sobre o futuro (o que é que
ção dos seus membros, como resposta às conhecem. No passado dia 11 de Novem- e lhe dão atenção, através das conversas ele quer ser quando for grande.
necessidades da sociedade pertencente. bro, no âmbito das comemorações de 36º com os pais, ela vai também aprendendo
aniversário da independência nacional, a muitas coisas sobre o mundo e vida, como RISCO NA EDUCAÇÃO,
Nesta perspectiva, as funções das famílias
regem‑se por dois objectivos: nível interno Dr.ª Cecília Baptista, cônsul‑geral de An- é hoje e o antes, este conhecimento vai MULHERES NA ECONOMIA
(como a protecção psicossocial dos mem- gola em Portugal, na sua intervenção na ser‑lhe muito útil na escola na sua ca- Deixo uma citação de uma revista Inglesa
bros); nível externo (como a acomodação abertura do primeiro painel do debate, minhada. Por seu lado os pais, estando que felicita a importância da participação
a uma cultura e sua transmissão). A fa- em Loures, enalteceu sobretudo a edu- perto da criança desde muito cedo, vão da mulher na educação dos filhos no lar,
mília deve então, responder às mudanças cação no lar como pano do fundo que sabendo o que passa com ela, o que mais infelizmente com a revolução da
externas e internas de modo a atender cada angolano deve encarar com grande pensa e sente e ficam mais capazes de industrialização a mulher passa a fazer
às novas circunstâncias sem, no entan- responsabilidade, fazendo com que todos a acompanhar e de ajudar. Olho para os parte do desenvolvimento da economia.
to, perder a continuidade, proporcionar participem à encontrar caminho para as pais imigrantes e faço aqui uma pequena A revista “The Economist” havia dedicado
sempre um esquema de referência para crianças e adultos. Lembrando que a es- chamada de atenção em alguns aspectos uma edição sobre a liderança feminina
os seus membros. Consequentemente, cola é uma esperança para todos os pais, importante e básica. e a ascensão do papel da mulher na
uma dupla responsabilidade, isto é, dar queremos que os nossos filhos aprendam, • Desde de muito pequenino habitue‑se economia e no mercado de trabalho com
resposta às necessidades quer dos seus tenham sucesso e sejamos felizes. Sendo a elogia‑lo pelas coisas boas que faz, o sugestivo título: “Women and work We
membros, quer da sociedade. Há muito se assim todos nos esperamos que a escola pelo que vai conseguindo (falas muito did it!”. Nesta edição revela‑se que o im-
sabe das comunidades é da responsabili- ajude a família no trabalho tão importante bem, portaste bem); pacto desta ‘revolução Industrial – Ingl.
dade da educação da família da Igreja e que é a educação dos seus filhos. Com Françesa. XVIII silenciosa será grande du-
• Nunca desvaloriza pelo que faz (és mau,
só pertence a escola e aos que nela todos base nisso e bem patente nas nossas
és mentiroso, nunca hás‑de ser capaz rante os próximos 50 anos:
os dias trabalham e aprendem. Pertence mentes quantos mais são as dificuldades
de…); • Como se irá alterar a educação das
também, sobretudo aos pais das crianças, que as nossas famílias enfrentam, maiores
são as esperanças que pomos na escola, • Não faça comparações entre irmãos (o crianças?
jovens e adultos e às comunidades. Se
isto é verdade para as crianças é ainda até porque todos os pais, pensam, que teu irmão porta‑se melhor que tu) • Da mesma forma, como se irá alterar
mais verdadeiro para os filhos de imigran- através da escola, a criança se vá prepa- Para concluir gostaria de dizer que todos o papel do pai?
tes e de outros grupos étnicos que até rando para fazer parte da sociedade como nos desejamos, para os nossos filhos, uma • Como se irá alterar a distribuição de
hoje tem estado mais ou menos afasta- um cidadão responsável e activo. E isto vida melhor do que a nossa. Mais, por rendimentos entre homens e mulheres?
dos da frequência normal das escolas e será verdade, se a escola, família, Igreja vezes, temos dificuldade em acreditar que
• Como alterar os horários de funciona-
este é maior problema nas comunidades. e as comunidades trabalharem juntos. isto seja possível e temos mesmo difi-
mento das empresas e das instituições
Gostaria de salientar assunto pertinente Quando o nosso filho vai para a escola, culdade em fazer planos concretos para
públicas, em particular as escolas, tendo
sobretudo para os pais imigrantes, com sentimos alegre, porque sabemos é um que tal aconteça. Sabemos que não é da
em conta as necessidades de educação
o qual apenas quero ajudar que enten- passo muito importante para ele e para nossa vida que se trata, nem das dificul-
das crianças? ❚
dam a importância de incentivar os seus toda a família, passo que o vai levar a dades que agora atravessamos da vida
educando a estarem cada vez mais pró- uma vida adulta que todos desejam feliz. dos nossos filhos, daquém afrente, pois * C
 oordenador do Departamento da Educação
ximas das escolas. Hoje percebemos que Gostaria apresentar sugestão que pode não sabemos como vai ser. Mais sabemos IASD de Sacavém;
as famílias imigrantes sobretudo Angola- ajudar cada família, é muito importante que ela vai depender da confiança em Licenciado em gestão de empresas;
nos, enfrentam dificuldades básicas, quer para a criança que, desde muito cedo, os sim próprio que vai ganhando com a Pós‑graduado em mercado financeiro.

EMÍLIA FESTEJA 19 ANOS NO MOCHO


A jovem angolana Emília Pas‑
coal da Silva, filha de José
João e de Lurdes José Pascoal,
completou, no passado dia 22 de
Dezembro, 19 anos de idade, e,
como é da praxe, reuniu alguns
dos seus colegas e amigos, no
bairro da Quinta do Mocho, onde
vive com os pais, para uma festa
modesta, até porque, os tempos
actuais exigem a todos calcu‑
lismos em termos de despesas.
Estudante do 11º Ano na Escola
Secundária de Sacavém, Emília
sonha ingressar no curso de di‑
reito mal acabe o secundário, e
voltar a Angola, pois, entende
que é lá o seu verdadeiro lugar. ❚

www.embaixadadeangola.org
JANEIRO 2012 Curiosidades 15

CÃES ENTENDEM HUMANOS COMO SE FOSSEM CRIANÇAS…


U m estudo desenvolvido na Hun-
gria concluiu que os cães têm a
compreensão de uma criança de 6 me-
contentor e o animal segue‑lhe o olhar.
Mas, quando olha para baixo e não para
a câmara, e pronuncia a mesma frase,
manos na infância. “Os cães são funcio-
nalmente idênticos a um bebé”, referiu
e acrescentou: “Não sabemos como a
ses a 1 ano de idade, são capazes de o cão não segue o olhar subsequente. mente canina lida com o problema, mas
compreender a comunicação humana e Os cães captam a diferença subtil no deve ser, provavelmente, uma maneira
interpretar intenções de forma correcta. comportamento da mulher nas duas diferente do bebé”. “Estar numa família
Pesquisadores húngaros, que publica- situações, disse Adam Miklosi, biólogo humana confere aos cães a habilidade
ram o estudo na revista “Current Biolo- comportamental da Universidade Eo- de interagir de forma humana”, disse.
gy”, mostraram dois vídeos a um grupo tvos Lorand de Budapeste e um dos “Alguém realmente pode tratar o cão
de cães. No primeiro, uma mulher diz autores da pesquisa. O estudo, afirmou, como uma espécie de bebé, coisa que
“olá, cão”, enquanto olha directamente mostra que os cães são capazes de “ler” não faz com um bode ou outro animal
para a câmara. A seguir vira‑se para um o comportamento humano como os hu- doméstico”, disse. ❚

PESQUISADORES CRIAM CÉLULAS VÍCIO DA NET PODE


PARA FAZER VASOS SANGUÍNEOS DANIFICAR O CÉREBRO
C ientistas da Universidade de Cam-
bridge, Reino Unido, construíram em
laboratório três tipos principais de células
de músculos lisos foram desenvolvidos
num sistema que pode ser transposto
para uma escala industrial. Os resultados U m estudo elaborado por pes-
quisadores da Academia Chine-
do Instituto de Física e Matemática
de Wuhan, um dos autores do estu-
que formam os vasos sanguíneos, o que fazem parte de um estudo divulgado na sa de Ciências, divulgado, este mês, do referido pelo jornal “South China
pode abrir caminho para a produção em segunda‑feira pela revista científica “Na- concluiu que o uso excessivo da Morning Post”. Lei Hao explica que
série daquelas estruturas. O fabrico de va- ture Biology”. “Esta pesquisa representa Internet pode causar graves danos as fibras neuronais funcionam como
sos pode ser a alternativa menos arriscada um importante passo para a geração do cerebrais em adolescentes, compará- “transmissores eléctricos” no sistema
para alguns procedimentos cirúrgicos que tipo correcto de músculos lisos para a veis aos produzidos pelo consumo nervoso e, neste caso, a mielina é
envolvem o sistema circulatório. Embora construção de novos vasos sanguíneos”, de cocaína e álcool. A pesquisa, que comparável à cobertura plástica de
as células sanguíneas e as cardíacas já afirmou o cientista que chefiou a equipa analisou 17 adolescentes “viciados em um cabo: ao ser danificada, pode
tivessem sido criadas em laboratório a de estudo, Sanjay Sinha. Os músculos lisos Internet” como amostra e comparou afectar a comunicação neuronal. Os
partir de células tronco, esta foi a pri- são localizados nas paredes de órgãos os resultados com outro grupo que 17 adolescentes viciados que foram
meira vez que todos os principais tipos ocos, como os vasos sanguíneos. ❚ não o era, determinou que o uso da objecto do estudo são pacientes do
web entre jovens cujo cérebro ainda Centro de Saúde Mental de Xangai. A
não se formou completamente pode dependência em Internet é considera-

AUSTRÁLIA TESTA SPRAY ORAL


causar danos na “matéria branca” do da uma doença na China, onde exis-
órgão. O uso excessivo da Internet tem centros de reabilitação, alguns
desgasta a mielina, uma substância dos quais geraram polémicas pelo

PARA ABSTINÊNCIA DA LIAMBA


que cobre e protege as fibras neu- uso de técnicas como os choques
ronais, segundo o professor Lei Hao, eléctricos e a violência física. ❚

P esquisadores da Austrália come-


çaram a fazer testes com um
spray oral que contém substâncias
nome científico da liamba. A tera-
pia é semelhante à aplicada contra
o tabagismo, na qual se substitui
ALUNOS COM MELHOR
DESEMPENHO SÃO AQUELES
derivadas da liamba para combater a a nicotina. O spray oral tem doses
dependência da droga e diminuir os mínimas do princípio activo THC
efeitos da síndrome de abstinência, (tetrahidrocanabinol) para evitar que

QUE SE EXERCITAM MAIS


que provoca insónia e mudanças de o paciente fique narcotizado e, ao
humor, entre outros sintomas. O tes- mesmo tempo, ajudar a reduzir o
te ao fármaco Sativex, originalmente consumo de liamba. Também possui
utilizado em tratamentos contra a grandes doses de ácidos carboxílicos,
esclerose múltipla, vai ser realizada que colaboram na redução da ansie-
em Sidney e na vizinha Newcastle.
A directora do centro nacional de
dade, e efeitos anti‑psicóticos. Cerca
de 200 mil pessoas fumam liamba na
C rianças que se exercitam mais ‑ seja
no intervalo entre as aulas, no ca-
minho para a escola ou em aulas de
Qualquer tipo de actividade física que
você pode imaginar. Não significa apenas
a aula padrão de educação física”, disse
prevenção e informação sobre a liam- Austrália, que tem uma população de
educação física ‑ tendem a apresentar Amika Singh. Ela sugere que, na sala de
ba, Jan Copeland, disse à emissora 22,3 milhões de pessoas. Austrália e
melhor desempenho escolar, segundo aula, devem ser feitos intervalos em cada
de TV local ABC que o spray é um Nova Zelândia são os países com a
produto elaborado a partir de um maior taxa de consumo de liamba e uma pesquisa americana publicada na meia hora, para as crianças levantarem‑se
extracto retirado da própria cannabis, de anfetaminas em todo o mundo. ❚ revista Archives of Pediatric & Adolescent e fazerem algo. ❚
Medicine, dos Estados Unidos. O estudo,
feito por pesquisadores da Universidade
Vrije, de Amesterdão, analisou 14 pesqui-
sas realizadas nos EUA, Canadá e África
do Sul que compararam a actividade
física dos estudantes com os seus de-
sempenhos em provas de matemática,
linguagem, raciocínio lógico e memória. A
maior pesquisa envolveu 12 mil crianças
e adolescentes norte‑americanos entre 12
e 18 anos, que foram acompanhados du-
rante dois anos. Uma das pesquisadoras,
Amika Singh, disse que as escolas devem
dar prioridade tanto a exercícios como
aos aspectos académicos e que as famílias
podem ter a mesma atitude em casa.
“Pode ser ir para a escola de bicicleta...

www.embaixadadeangola.org
16 Informações Médicas JANEIRO 2012

DEPRESSÃO PÓS‑PARTO CAMARÃO


O pós‑parto é um período de risco
psiquiátrico no ciclo de vida de uma
mulher e dificulta o vínculo afectivo en-
e de uma alteração no metabolismo que
causa alterações de humor. O camarão é, entre todos os maris-
cos, o mais rico em colesterol. No
entanto, o seu teor em colesterol pode
como contém ácidos gor-
dos omega‑3, que podem
ser benéficos para a saúde
Os psicológicos, disse, são causados por
tre mãe e filho. Segundo a psicóloga variar de acordo com a espécie, sendo no do coração. Uma vez que é
sentimentos conflituosos da mulher em
clínica, a angolana Paula Rocha, todas as máximo o dobro do encontrado na carne aconselhada uma ingestão má-
relação a si mesmo como mãe, ao bebé,
mulheres são propensas a desenvolver o ao companheiro ou a ela própria como escura da galinha, mas muito inferior ao xima de colesterol inferior a 300
problema durante ou depois da gestação. filha”. A intensidade dos sintomas geral- dos ovos. Apesar disso, como o camarão mg diários, moderação é a palavra‑chave.
Apesar das controvérsias, referiu, vários mente define os diferentes quadros de- é muito pobre em gordura saturada (que Assim, se não quer faltar a uma boa
factores podem ser mencionados como pressivos do período pós‑parto, como o parece ter um papel bastante importante petiscada de camarão, tente equilibrar a
possíveis causas da depressão após o distúrbio emocional comum considerado no aumento do colesterol sanguíneo) não sua dieta durante alguns dias, escolhen-
nascimento da criança, entre os quais uma reacção que ocorre geralmente na é necessário excluí‑lo por completo das do alimentos pobres em colesterol como,
os biológicos, os psicológicos e outros primeira semana do nascimento da crian- dietas pobres em colesterol. O camarão por exemplo, frutos, legumes, cereais e
relacionados com as condições do parto ça. “Os sintomas incluem crises de choro, não só é pobre em gorduras saturadas, lacticínios magros. ❚
e a situação social e familiar da mulher. fadiga, humor deprimido, irritabilidade,
Os factores biológicos, afirmou, são re- ansiedade, confusão e lapsos curtos de

LEITE MATERNO É A MELHOR OPÇÃO


sultantes dos grandes níveis hormonais memória”, alertou. ❚

BAIXOS NÍVEIS DE VITAMINA D U m estudo realizado por especia-


listas do Conselho de Pesquisa
“Os bebés alimentados com biberão
podem parecer mais calmos, mas as

AUMENTAM RISCO DE DIABETES


Médica do Reino Unido indica que as pesquisas sugerem que essas crianças
mães devem continuar a amamentar podem estar demasiado nutridas e
os seus filhos, apesar de eles ficarem ganhar peso mais rapidamente”, disse
mais chorões do que os alimentados o pesquisador Ken Ong, que liderou o
a biberão. Segundo os médicos, é pre- estudo científico. “As nossas descober-
U ma pesquisa feita pelo Centro
Médico da Universidade do Texas
(EUA) descobriu que baixos níveis de
(IMC) e a pressão arterial. Os jovens
também foram questionados sobre
as suas dietas. Os resultados mostra-
ciso deixar claro às novas mães que a
irritação dos bebés alimentados dessa
tas são essencialmente parecidas com
outras descobertas noutras fases da
forma é algo normal. vida, de que a comida é reconfortante”,
vitamina D estão relacionados com ram que as crianças com obesidade acrescentou. ❚
o surgimento de diabetes tipo 2 em eram três vezes mais propensas a ter
crianças. O estudo encontrou baixos níveis de vitamina D

O USO DO ALHO
também uma forte rela- do que crianças que não
ção entre a obesidade estão acima do peso. As
infantil e a quantida- que apresentavam bai-
de dessa vitamina xos níveis da vitami-
presente no corpo
dos jovens. O estudo
incluiu mais de 400
na eram associadas
a um maior grau de
resistência à insulina.
O alho é utilizado desde a antiguida-
de como remédio, sendo usado no
Antigo Egipto na composição de vários
sas, e de tratar infecções bacterianas e
fúngicas. Na culinária, pode ser utilizado
de diversas formas, cru, refogado, pica-
crianças e adolescen- Isso significa que elas medicamentos. As suas propriedades an- do, em rodelas, conforme os gostos que
tes com idade entre não conseguem utili- timicrobianas e os seus efeitos benéficos são pouco unânimes. Em geral, os povos
os seis e os 16 anos e zar a insulina de forma para o coração e circulação sanguínea já mediterrânicos são os maiores apreciado-
com obesidade, além de eficiente para converter eram valorizados na Idade Média. Possui res, empregando‑o com tomate e cebola.
87 pessoas na mesma faixa os açúcares dos alimentos um óptimo valor nutricional, com vita- Outros povos, menos adeptos do seu uso,
etária e com peso normal, para em combustível para as células. minas (A, B2, B6, C), aminoácidos, ade- chegaram a designar a planta como “rosa
o grupo de controlo. Os pesquisadores A diabetes tipo 2 ocorre quando o nosina, sais minerais ‑ ferro, silício, iodo fétida”, devido ao seu odor intenso e pi-
mediram os níveis de vitamina D, açú- organismo não produz insulina sufi- ‑ enzimas e compostos biologicamente cante, originado pela essência de alho ou
car no sangue e insulina, juntamen- ciente ou quando as células se tornam activos, como a alicina. O alho costuma dialil sulfito (C3H5)2S. Quando consumido
te com o índice de massa corporal resistentes à insulina. ❚ ser recomendado como auxiliar no trata- em quantidades elevadas, esse odor pode
mento da hipertensão arterial leve, redu- tornar‑se evidente no suor de quem o
ção dos níveis de colesterol e prevenção ingeriu. O hálito característico e geral-

DETERMINADO INÍCIO
das doenças ateroscleróticas. Também se mente considerado desagradável pode
atribui ao alho a capacidade de prevenir ser minimizado se também for consumida
constipações e outras doenças infeccio- salsa fresca. ❚

DO DECLÍNIO COGNITIVO COGUMELO E CAMARÃO


A s capacidades cognitivas do homem
começam a declinar a partir dos 45
individuais. “Os resultados mostram que o
rendimento cognitivo (com excepção dos
anos, muito antes dos 60 anos como se
acredita de maneira geral, segundo um
estudo do Instituto de Saúde e Pesquisa
testes de vocabulário) diminui com a ida-
de e isto cada vez mais rapidamente na
medida em que as pessoas envelhecem”,
O s cogumelos, pelo seu elevado
teor de tecido fibroso, são de
fácil digestão. O seu valor nutritivo e
em minerais excede o das hortaliças,
mas é inferior ao da carne. Entre as
vitaminas encontram‑se até agora
Médica de França (Inserm) e do University destaca o Inserm. Em dez anos, o rendi- o seu aproveitamento são limitados a do desenvolvimento ou A, a da
College, de Londres, publicado no British mento de raciocínio caiu 3,6 por cento pelo elevado teor de água. Tira‑se tonificação nervosa ou 111, e a da
Medical Journal. Apesar de estar claro para os homens de 45 a 49 anos e 9,6 por melhor proveito do cogumelo em pó, projecção contra o raquitismo ou D.
que o rendimento cognitivo diminui com cento para os de 65 a 70 anos. No caso isto é, o cogumelo seco e moído. Mas também considerados apenas
a idade, a data de início da queda gera das mulheres, a queda é a mesma (‑3,6 É uma especiaria; incha muito na do ponto de vista médico e dietéti-
controvérsias. Estudos recentes descarta- por cento) para o primeiro grupo etário água, e pelo seu enorme aumento co, podemos empregar os cogumelos
ram que o fenómeno pudesse começar e menos considerável (‑7,4 por cento) de superfície, quando está inchado num regime contra a obesidade por-
antes dos 60 anos, segundo o Inserm. para as de 65 a 70 anos. Para Archana torna‑se mais fácil ser atingido pelos que é muito conveniente a sensação
Uma série de testes de memória, voca- Singh‑Manoux, que coordenou a equipa sucos gástricos. Com 100 g obtém‑se de termos o estômago cheio com
bulário, raciocínio e expressão oral foram do Inserm, “é importante determinar a 310 a 320 calorias. Embora os cogu- poucas calorias. O pó de cogumelo
realizados com 5.198 homens e 2.192 idade de início do declínio cognitivo, já melos tenham uma reduzida influên- é de grande utilidade nos regimes
mulheres de 45 a 70 anos, no âmbito de que possivelmente é mais eficaz actuar cia na obtenção de energia, devemos sem sal, pois dá bom sabor à comida,
um estudo mais amplo, denominado “Co- desde o começo, em particular com me- considerá‑los como fornecedores de que de contrário seria muitas vezes
orte Whitehall 2”, baseado em dez anos de dicamentos, para mudar a trajectória do minerais e de vitaminas. O seu teor insípida. ❚
acompanhamento médico e em exames envelhecimento cognitivo”. ❚

www.embaixadadeangola.org
JANEIRO 2012 Cultura 17

MINISTÉRIO DA CULTURA REABILITA CASA DE CULTURA


PALÁCIO DO BAILUNDO INAUGURADA NO BIÉ
A ministra da Cultura, Rosa Cruz e Silva,
disse, na vila do Bailundo, que o seu
pelouro, em parceria com o governo pro-
do ministério. A ministra salientou que
as obras de requalificação e reabilitação
da Ombala do Mbalundo (o Palácio do
A cidade do Cuito, capital da pro-
víncia do Bié, conta com uma
frequentarem regularmente a Casa de
Cultura, construída no bairro Catraio e
casa de cultura, denominada Centro que conta com uma biblioteca, onde
vincial do Huambo, tudo está a fazer no Bailundo) e dos jazigos dos reis Katiavala Cultural Dr. Agostinho Neto, inaugura- numa primeira fase estão expostos
sentido de reabilitar e requalificar, ainda e Ekuikui II visam não apenas valorizar da pela ministra da Cultura, Rosa Cruz livros do Poeta Agostinho Neto. “Es-
este ano, o palácio do rei do Bailundo e as estes locais, mas também torná‑los mais e Silva. No acto, a ministra disse que tamos todos de parabéns por termos
outras infra‑estruturas dependentes, pelo atraentes ao turismo cultural. ❚ a inauguração da referida Casa de aqui no Cuito uma Casa de Cultura
seu valor histórico e cultural. A gover- Cultura “vem mostrar uma das pre- que vai cultivar, em termos de litera-
nante afirmou ser também intenção do ocupações do fundador da Nação, tura e não só, todos nós, em especial
Ministério da Cultura reabilitar e requali- que é cultivar todos os aspectos da a população desta região”, disse Rosa
ficar o santuário onde jazem as ossadas nossa cultura”. O primeiro Presidente Cruz e Silva. O reverendo da Igreja Me-
do soberano Katiavala (fundador do reino de Angola, António Agostinho Neto, todista Unida, Bartolomeu Dias Sapalo,
do Bailundo) e Ekuikui II. Rosa Cruz e Silva trabalhou no Cuito, no hospital in- referiu que a inauguração “veio na
afirmou que o município do Bailundo dígena da antiga Silva Porto, onde hora certa e é um momento especial
é caracterizado de forma diferente por prestou assistência médica a vários para o povo angolano, particularmen-
possuir vários lugares de elevado valor cidadãos, principalmente os mais des- te, para o povo bieno”. ❚
histórico e cultural para o País, cujas obras favorecidos. Rosa Cruz e Silva apelou
de requalificação e reabilitação exigem às crianças, aos jovens e anciãos para
uma profunda intervenção dos técnicos

Mundo

BOEING ENCERRA FÁBRICA NOS EUA RÚSSIA DESCONFIA


A Boeing anunciou, em comuni-
cado, que, até o fim de 2013,
futuro do mercado e de nossa capaci-
dade de permanecermos competitivos
DE POTÊNCIAS ESTRANGEIRAS
O
fecha a fábrica de Wichita, no Kansas, para respondermos às necessidades fracasso de vários lançamentos espa- da sonda que deve-
Estados Unidos, que emprega 2.160 dos clientes”, disse Mark Bass, respon- ciais russos em 2011 pode ter sido ria explorar o pla-
trabalhadores e onde são fabricados sável pela divisão militar da Boeing, provocado por potências estrangeiras, neta Marte, bapti-
essencialmente aviões para uso de referido no comunicado. A Boeing, afirmou o director da agência espacial zada Phobos‑Grunt,
forças militares. O grupo produz, na parte do complexo militar industrial russa Roskosmos, Vladimir Popovkin, numa que está há várias
mesma fábrica, caças‑bombardeiros dos Estados Unidos, defronta‑se com entrevista ao jornal “Izvestia”.“Não sabemos semanas fora de
B‑52, tal como o avião tanque 767 cortes no orçamento da Defesa do por que razão os incidentes com os nos- controlo e cujos destroços, segundo cál-
International Cargo, e fornece serviços governo norte‑americano, que procura sos aparelhos acontecem justamente no culos das agências espaciais, devem cair
de planeamento de voo e de logística reduzir gastos no sector militar. ❚ momento em que sobrevoam o que, para na Terra no próximo domingo. Vladimir
integrada das forças armadas. “A de- a Rússia, é o lado escuro da Terra, a zona Popovkin afirmou que os cientistas rus-
cisão de fechar a fábrica de Wichita onde não vemos os aparelhos e não rece- sos ainda não sabem o verdadeiro moti-
foi difícil de tomar, mas apoia‑se num bemos os dados telemétricos”, disse Popo- vo por que os motores da Phobos‑Grunt
estudo completo do cenário actual, do vkin. “Não quero acusar ninguém, mas hoje não foram accionados. No ano passado,
existem meios muito potentes contra as a Rússia fez 33 lançamentos de fogue-
naves espaciais, cuja utilização não pode tões espaciais e cinco deles fracassaram,

ECONOMIAS EMERGENTES ser descartada”, completou, numa aparente


referência aos Estados Unidos. Um dos
segundo a agência Interfax. Especialistas
internacionais atribuem as falhas russas

ACONSELHADAS
maiores fracassos do sector espacial russo a um acentuado desinvestimento ocorrida
foi o lançamento, em Novembro passado, no sector, nos últimos anos. ❚

PELO FMI ZONA EURO COM TÍMIDA RECUPERAÇÃO


A s economias emergentes precisam
de tomar medidas efectivas para
evitar potenciais crises resultantes do
no Bruto (PIB) do país, subiu para 200
por cento em 2010, de 100 por cento
antes de a crise global começar, com
Draghi garantiu que os empréstimos,
a três anos, do BCE aos bancos eu-
crescimento exageradamente rápido do o colapso do banco de investimento ropeus evitaram uma “séria crise” de
crédito bancário nos últimos anos, afir- norte‑americano Lehman Brothers, em liquidez na banca e que já há sinais
mou o director‑geral adjunto do Fundo 2008. “Num período de desaceleração positivos das medidas tomadas nesse

O
Monetário Internacional (FMI), o chinês da economia global, muitas dívidas e presidente do Banco Central sentido. “Já se vêem resultados be-
Zhu Min. “Os países emergentes criaram possíveis problemas com a qualidade Europeu (BCE), Mario Draghi, nefícios. Alguns mercados interban-
novos grandes riscos nos últimos dois dos activos significam risco potencial”, afirmou que a Zona Euro, afectada cários estão a começar a reabrir. Há
anos e os seus empréstimos aumenta- disse. Os bancos chineses formalmen- pela crise da dívida pública, começa a sinais encorajadores. Os bancos que
ram muito rapidamente”, em parte por- te concederam 7,95 triliões de yuans dar tímidos sinais de estabilização da têm acesso aos nossos mecanismos
que eles tentaram combater os efeitos (1,21 mil milhões de dólares) em no- actividade económica. Mario Draghi (de cedência de liquidez) não são, na
da última crise financeira global, disse vos empréstimos no ano passado, acima fez a afirmação após uma reunião, em grande maioria, os mesmos que vol-
Zhu em declarações publicadas pela re- da meta do governo de 7,5 triliões de Abu Dhabi, entre os bancos centrais tam a depositar no nosso mecanismo
vista “Caixin”. Zhu afirmou que os novos yuans. No entanto, os bancos também da União Europeia (UE) e as lide- (de depósitos)”, afirmou o presidente
empréstimos na China, em compara- criaram 3,47 triliões de yuans em crédito ranças petrolíferas do Golfo. Mario do BCE. ❚
ção ao crescimento do Produto Inter- fora do balanço financeiro. ❚

www.embaixadadeangola.org
18 África JANEIRO 2012

MÉDICOS SEM FRONTEIRAS IRMANDADE MUÇULMANA


CESSAM ACÇÕES EM HODAN TEM MAIORIA NO PARLAMENTO da linha dogmática e defende a aplicação
rigorosa da lei islâmica, terminou com 113
deputados (23 por cento), apesar de um
A ONG Médicos Sem Fronteiras (MSF)
anunciou que vai pôr termo a parte
das suas actividades em alguns distri-
tência contra a má nutrição e a cólera.
A organização humanitária manifestou
a disposição de continuar a trabalhar
porta‑voz do partido ter apresentado um
resultado ligeiramente diferente (120) para
tos da capital somali, Mogadíscio, em “nas localidades onde o seu pessoal, os a sua formação. Os resultados reflectem
consequência da morte de dois dos doentes e as infra‑estruturas sanitárias um padrão que já vinha sendo observado
seus empregados, em Dezembro. Em forem respeitados”. O director‑geral dos desde o início da votação. A Irmandade
comunicado, a MSF indica que, “face aos Médicos Sem Fronteiras afirma no do- parece estar preparada para ter um peso
trágicos assassinatos dos nossos colegas cumento: “É difícil parar de fornecer a maior no governo do país mais populoso
Phillipe Havet (belga) e Karel Keiluhu
(indonésio) em Mogadíscio, a 29 de De-
assistência médica nas localidades onde
a presença das nossas equipas permite, A Irmandade Muçulmana vai controlar
quase metade dos assentos do pri-
meiro Parlamento egípcio eleito, ao con-
do mundo árabe, mas tem de esperar até
Junho, altura em que os generais pensam
entregar o poder aos civis. Até lá, o Egipto
zembro 2011, os Médicos Sem Fronteiras sinceramente, salvar vidas todos os dias,
são obrigados a encerrar todas as suas mas o assassinato dos nossos colegas quistar 232 lugares (46 por cento) após deve ter um presidente eleito, seguindo
actividades no distrito de Hodan”. No em Hadan não nos permite continuar a as eleições gerais iniciadas em Novembro o cronograma estabelecido pelo Conselho
âmbito da decisão, a organização vai trabalhar nesse distrito de Mogadíscio”, do ano passado, e de acordo com projec- Militar. Os lugares remanescentes no Parla-
encerrar dois centros destinados à assis- disse Chisthoper Stokes. ❚ ções divulgadas recentemente. O facto põe mento vão ser divididos entre liberais, inde-
em evidência as profundas mudanças no pendentes, políticos ligados à era Mubarak
país, tendo em conta que o grupo islâmi- e outros grupos, incluindo os que tiveram

MORTES NA REGIÃO DO CORNO DE ÁFRICA


co foi banido durante o governo do líder participação no início da revolta contra o
deposto, Hosni Mubarak. O Partido Nour, antigo dirigente. ❚

DEVIDO ATRASOS NA AJUDA HUMANITÁRIA


M ilhares de mortes podiam ter sido
evitadas na região do Corno de África
crianças, com menos de 5 anos. As institui-
ções internacionais, os governos nacionais
UNIÃO AFRICANA DEFENDE
BASES DE COOPERAÇÃO
se os sinais do desastre humanitário cau- que doaram fundos e alimentos à região
sado pela fome tivessem sido levados a e as agências humanitárias demoraram a
sério com antecedência, revela um estudo enviar ajuda porque esperavam por uma
do Departamento para o Desenvolvimen- “confirmação da crise”, acusa o estudo. “Uma
to Internacional do governo britânico. O cultura de aversão ao risco causou um atra-
documento refere que entre 50 mil e cem so de seis meses na ajuda em larga escala
mil pessoas morreram, no ano passado, na
região do Corno de África, metade das quais
porque as agências humanitárias e os gover-
nos demoraram a responder à crise. Além
A União Africana quer “voltar a página
do presidente Muammar Kadhafi” e
construir um novo relacionamento com
líbios que combatiam a sul de Tripoli
decidiram estabelecer um cessar‑fogo
e trocar prisioneiros, informaram fon-
disso, muitos doadores queriam provas da
os actuais dirigentes da Líbia, afirmou tes locais. “Na noite passada (domingo)
catástrofe humanitária antes de começarem
em Tripoli o presidente da Comissão trocámos prisioneiros e os combates
a agir”, salienta o documento. O relatório
da União Africana, Jean Ping. Na sua cessaram desde então”, disse o coronel
do Departamento para o Desenvolvimento
primeira visita à Líbia desde a queda de Ahmed Omar Ibrahim al‑Fakhi, do conse-
Internacional do governo britânico acres-
Muammar Kadhafi, Jean Ping afirmou: lho militar de Gharian, a 80 quilómetros
centa que os primeiros pedidos de ajuda
“Disse às autoridades da Líbia que o a sul da capital líbia. O membro do
que previam a crise foram enviados em
passado está ultrapassado, independen- conselho militar de Gharian disse que o
Agosto de 2010, mas que a colaboração
temente das consequências. É preciso seu grupo capturou 24 combatentes na
em larga escala começou apenas em Julho
voltar a página e olhar para o futuro”. localidade de al‑Assabia e que o grupo
do ano passado. ❚
A União Africana só reconheceu o Con- rival deteve quatro dos seus homens. ❚
selho Nacional de Transição (CNT) em
Setembro do ano passado “como legíti-

NELSON MANDELA DÁ NOME DO NOVO


mo representante do povo líbio”, depois
de não ter conseguido impor‑se como
mediador entre o regime do Muammar

AEROPORTO INTERNACIONAL DA PRAIA Kadhafi e a então rebelião, agora no


poder. Entretanto, dois grupos armados

O SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE


Governo de Cabo Verde atribuiu sob o signo do arco‑íris da igualdade,
o nome “Nelson Mandela” ao Ae- tolerância e liberdade, são traços de um
roporto Internacional da Cidade da percurso que é dos mais notáveis da

NO BOM CAMINHO
Praia, em homenagem aos 20 anos da História Contemporânea”, afirma. Para o
libertação do homem que combateu o Governo, associar o nome de Mandela
apartheid e foi Presidente sul‑africano. ao aeroporto da capital de Cabo Verde
O Executivo de José Maria Neves apre- “é um gesto que vincula a vocação e o
senta um conjunto de justificações para
a alteração, depois de o Governo já ter
dado o nome de Aristides Pereira ao
desígnio” de um país “aberto ao mun-
do, historicamente palco do cruzamento
de povos e do diálogo entre culturas”.
N o relatório balanço do exercício eco-
nómico em 2011, o Banco Central de
São Tomé e Príncipe dá nota positiva ao
comércio, telecomunicações, a banca e a
agricultura como tendo sido fundamen-
tais no crescimento económico verificado
aeroporto da Boavista e o de Cesária Nesse sentido, garante, Cabo Verde é país. A governadora Maria do Carmo Sil- este ano. O Banco Central informou que
Évora ao de São Vicente. Além dos 20 um Estado apostado numa África da de- veira disse que a economia cresceu perto o produto bancário cresceu consideravel-
anos passados sobre a libertação de mocracia, desenvolvimento e liberdade, de cinco por cento em 2011. A inflação mente, representando actualmente mais de
Mandela, a celebrar a 8 de Fevereiro “valores supremos pelos quais Mandela acumulada situa‑se nos 11 por cento. “É 14 por cento do Produto Interno Bruto.
de 2012, o Governo argumenta que a dedicou toda a sua vida, consentindo sem dúvidas um nível ainda elevado, mas “Com um total de activos próximo de três
data proporciona uma “magnífica opor- sacrifícios extremos”. ❚ reflecte essencialmente os efeitos do ajus- mil milhões de dobras e uma rede de 22
tunidade” para se render uma “vibrante te de preços de combustível ocorrido no balcões, o produto bancário já ultrapassa
homenagem” à personalidade “marcante mês de Março. A paridade cambial com o 14 por cento do PIB”, referiu. As reservas
da História da África e do Mundo, íco- euro continua a ser um factor importante cambiais mantiveram‑se dentro dos níveis
ne incontestável da luta pela liberdade” para a estabilidade macroeconómica, em- recomendados, ou seja, capazes de garantir
no mundo. “O seu exemplo cimeiro bora não suficiente para manter a infla- três meses de importação. Para 2012, a
de lutador tenaz e de humanista, bem ção em níveis desejáveis”, declarou Maria governadora do Banco central reconhece
como o seu decisivo papel como Es- do Carmo Silveira. No que concerne ao que as perspectivas económicas mundiais
tadista obreiro da nova África do Sul crescimento económico registado em 2011, não são boas. Mesmo assim, garante que
o Banco Central destaca os sectores do São Tomé e Príncipe vai crescer. ❚

www.embaixadadeangola.org
JANEIRO 2012 Desporto 19
FUTEBOL
MUNDIAL DE HÓQUEI
ANGOLA ELIMINADA EM PATINS DENTRO DOS PRAZOS
MAS SAI DE CABEÇA LEVANTADA O ministro da Juventude e
Desportos, Gonçalves Muan-
dumba, garantiu que a comissão
orçamento já prevê despesas do
Campeonato do Mundo. Não há
nenhum atraso”. Na primeira reu-

O s Palancas Negras encerraram


prematuramente a sua partici-
pação na Taça de África das Nações
ministerial organizadora da 41ª edi-
ção do Campeonato do Mundo de
Hóquei em Patins Sénior Masculino
nião da comissão ministerial rea-
lizada no ano passado, Gonçalves
Muandumba reforçou a pretensão
(CAN-2012) em futebol, ao perder por está dentro dos prazos recomenda- publicamente assumida pelos diri-
0-2 com a Cote d`Ivoire em jogo da dos pelo Comité Internacional de gentes da Federação Angolana de
terceira jornada do grupo B, realizado Rink Hockey (CIRH). O titular da Patinagem (FAP) de fazer a me-
em Malabo (capital da Guiné-Equa-
pasta dos Desportos e coordena- lhor prova de todos os tempos. “É
torial). A vitória do Sudão diante do
Burkina Faso, por 2-1, retirou as hipó- dor da comissão ministerial criada um momento único, por sermos o
teses dos Palancas Negras avançarem por despacho presidencial número primeiro país africano a organizar
para os quartos-de-final, fase em que 72/11, descartou qualquer atraso na um mundial de hóquei em patins
marcou presença nas duas últimas execução do caderno de encargos. e, nessa medida, temos igualmen-
edições. Os sudaneses somaram os Disse que “existe já um caderno te responsabilidade de representar
mesmos quatro pontos que os an- zado este mês, e ocupa agora a 85ª de encargos. As propostas da co- condignamente o nosso continen-
golanos, mas tiveram melhor saldo. posição, com 405 pontos. A Espanha missão foram encaminhadas para te, fazendo a melhor prestação de
Com computo geral, antes da derrota mantém‑se na liderança, com 1564.
o Governo e estamos à espera. O sempre”, salientou. ❚
diante do costa marfineses, a selecção Os Palancas Negras, apesar de ven-
de Angola vencera, por 2-1, o Burkina cerem os jogos amistosos tendo em
Faso, e empatou (2-2) com o Sudão. vista ao CAN-2012, designadamente, a

DOIS LUGARES ABAIXO


Zâmbia (1‑0) e Serra Leoa (3‑1), bem
como os empates com os Camarões
ANDEBOL AFRICANO

ANGOLA CONQUISTA 11º TÍTULO


Angola baixou dois lugares no (1‑1), Nigéria (0‑0) e Namíbia (0‑0), não
ranking da Federação Internacional subiram no ranking da FIFA. Quanto
de Futebol Associado (FIFA), actuali- aos adversários de Angola no CAN-
2012, a Costa do Marfim é o melhor
país africano, no 18º lugar, com 889
pontos, o Burkina Faso encontra‑se este torneio. Angola lidera o ranking
na 66ª posição (499) e o Sudão (120º de África com 11 primeiros lugares,
lugar, com 265 pontos). Eis a tabela um segundo e um terceiro. A Tunísia
do ranking FIFA: Espanha, 1564 pon- é quarta selecção do continente com
tos, Holanda (1365), Alemanha (1345), dois primeiros lugares, três segundos e
Uruguai (1309), Uruguai (1173), Brasil dois terceiros. Com esta vitória, Angola
(1143), Portugal (1100), Croácia (1091), apura‑se também para os Jogos Olím-
Itália (1082) e Argentina (1067). ❚ picos de Londres 2012. Na classificação
final masculina, ganha pela Tunísia, que
se qualificou para os Jogos Olímpicos

RIVALDO NO KABUSCORP
2012 e Mundial 2013, seguida pela

A selecção sénior feminina de ande-


bol de Angola sagrou‑se campeã
africana ao vencer na final a Tunísia por
Argélia e pelo Egipto, a selecção de
Angola quedou‑se na sexta posição. ❚

26‑24. Angola começou o seu percurso


O futebolista brasileiro Rival-
do, médio ofensivo de 39
anos, assinou um contrato válido
campeonato passado e superar
as dificuldades que tivemos ao
longo da época transacta e, por
vitorioso em 1989 e hoje, em Marrocos,
conquistou o 11º troféu. Ambas as for-
por uma época com o Kabus- isso, nos reforçamos para atacar mações já estiveram no campeonato do
corp do Palanca, naquela que é os objectivos da época”. Rivaldo mundo, sendo a melhor classificação
a contratação mais mediática da já actuou pelo Barcelona de Es- de Angola o sétimo lugar e da Tunísia
história do Campeonato Nacional panha, AC Milan de Itália, Olym- o 12º. A selecção nacional já esteve
da I Divisão, Girabola. Bento Kan- piacos e AEK de Atenas, só para em quatro edições dos Jogos Olímpi-
gamba, presidente de direcção citar estes. Eleito Melhor Jogador cos e as tunisinas nunca disputaram
da agremiação do Palanca, disse do Mundo pela FIFA em 1999 e
durante a conferência de impren- campeão do mundo pela selec-
sa que além de jogar, a contrata- ção brasileira em 2002, na prova
ção do atleta tem por objectivo organizada pela Coreia do Sul e
promover a imagem do Kabus- Japão. Rivaldo disse ainda que é
corp e vai procurar tirar proveito sempre confrontado pelo factor
máximo da vinda do atleta para idade e mostrou‑se confiante no
as suas hostes. “O nosso clube seu futebol, apesar dos seus 39
tem estado a crescer e temos anos e pediu aos presentes para
uma imagem a defender porque o verem dentro do rectângulo
o Kabuscorp é já uma marca. de jogo, onde pretende suar a
O nosso objectivo é melhorar camisola. Sobre o futebol an-
a segunda posição obtida no golano revelou que desconhece
totalmente e que estava indeciso
sobre o seu próprio destino. “A
partir do momento em que co-
meçaram as negociações procu-
rei investigar e já sei que é um
campeonato difícil”, concluiu. ❚

www.embaixadadeangola.org
20 Destaque JANEIRO 2012

EMBAIXADOR MARCOS BARRICA A FECHAR


Excertos do discurso

DESEJOSO DE UM ANO MELHOR


do Presidente da
República, José
Eduardo dos Santos,
na cerimónia de
Em mensagem por ocasião de cumprimentos de Ano Novo, que congregou apresentação de
o corpo diplomático e consular, assim como colaboradores e representantes cumprimentos de
da sociedade civil angolana em Portugal, o embaixador José Marcos Barrica Ano Novo pelo Corpo
apelou aos angolanos a serem perseverantes para vencerem os desafios futuros. Diplomático acreditado
em Angola ‑ Luanda,
O embaixador augurou que
a realização das eleições,
Quanto à missão que dirige, Mar-
cos Barrica disse que no ano fin-
12 de Janeiro de 2012.
como dos mais importantes
factos políticos do ano, permi-
dou registaram-se algumas vitó-
rias, resultantes de um trabalho «I niciámos o ano de
2012 com a esperan-
ça de que ele venha a ser
tirá que o País e os angolanos conjugado, embora reconheça
melhor do que os preceden-
consolidem as suas instituições que “poderíamos ter feito mais”. tes, depois de o mundo ter
para o bem da democracia. So- sido mergulhado numa crise
bre a comunidade angolana, o económica e financeira que
embaixador Marcos Barrica sa- ainda não foi totalmente su-
lientou que não se coibirá em perada. Entretanto, surgiu a
esforços para ajudar as “tarefas crise das dívidas soberanas
árduas” dos serviços consulares na Europa e há sinais de
em 2012. que poderão surgir também
situações inesperadas em
Entre as tarefas, enumerou o fac- razão das políticas sociais
to de os serviços consulares em em economias de países
Lisboa passarem a emitir passa- emergentes e do aumento
portes, bilhetes de identidade e dos índices de pobreza em
registo criminal. África. Fazemos votos para
que os esforços que estão
a ser realizados possam pro-
duzir bons resultados e sa-
tisfazer a ansiedade das po-
pulações mais vulneráveis.
Em Angola, como sabem,
atingida também por essa
crise internacional, temos
estado a tomar as medidas
que julgamos mais pertinen-
tes para evitar soluções que
afectam o povo trabalhador
e para criar condições que
não excluam nenhum cida-
dão nacional do processo
SERVIÇOS CONSULARES VÃO EMITIR BI E PASSAPORTES de mudança e de transfor-
mação económica e social.
Fazemos sempre da nego-
Marcos Barrica saudou os no- assim como distinguidos al- ciação, do diálogo social e
vos cônsules gerais em Faro guns dos funcionários (Antó- da busca do consenso mais
e Porto, respectivamente, Ma- alargado possível a trave
nio Baptista, Adérito Bonfim,
mestra desse desenvolvi-
teus de Sá Miranda e Bento Aldina Macedo, Domingas Bra- mento social. Não tivemos
Salazar André, e disse espe- ga, Domingos Mupi, Franklin receio de assumir a econo-
rar que “exerçam um traba- de Melo, João Santos, José mia de mercado, ou mais
lho frutuoso capaz de tornar Manuel, Lisete Paula, Lúcia claramente o capitalismo ar-
cada vez mais engrandecida Miranda, Manuel Figueiredo ticulado com uma adequa-
a presença de angolanos em e Rui Nelson Bonfim). Igual- da política de justiça social,
Portugal”. Sublinhou que Con- mente, o embaixador agra- quando tal via se mostrou
sulado Geral em Lisboa terá, ciou, pelo trabalho feito em necessária para resolver os
este ano, a responsabilidade prol da comunidade pastoral e nossos problemas na etapa
de produzir “os mais impor- desportiva angolana, o pastor histórica do desenvolvimen-
tantes documentos da cida- to social de Angola. Anali-
Américo Fonseca Marques, da
dania” (bilhete de identidade, sámos as forças motoras, o
Igreja ADONAI; o presidente nível e dinamismo dos agen-
passaporte e registo criminal).
da comissão de arbitragem do tes económicos e sociais e
Na ocasião, foi lida uma Torneio “Angola Avante”, Fer- definimos a estratégia para
mensagem dos diplomatas e nando Correia; e o treinador edificar uma economia que
funcionários endereçada ao da equipa comunitária, Jere- sirva os interesses de Angola
embaixador Marcos Barrica, mias Teca Filimon. ❚ e os angolanos, em parti-
cular. Se deixássemos este
espaço vazio, outras forças,
sobretudo estrangeiras, po-
deriam orientá‑lo com ou-
tros pressupostos e fins. Os
resultados mostram que não
fizemos uma opção errada.
O país está a avançar e a
vida dos angolanos também
está a melhorar progressiva-
mente. ❚

FICHA TÉCNICA: Direcção: Embaixador José Marcos Barrica • Editor: Estevão Alberto • Produção e Coordenação: Serviços de Imprensa
Co‑Produtor: Paulo de Jesus • Paginação e Design: António Salsinha • Morada: Avenida da República, 68 – 1069‑213 Lisboa • Tel: 217 942 244 / 217 971 736
Fax: 217 986 405 • Site: www.embaixadadeangola.org • E‑mail: emb.angola@mail.telepac.pt • Tiragem: 30.000 exemplares • Depósito Legal: 171.523/01