You are on page 1of 10

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATO GROSSO


CAMPUS CUIABÁ – OCTAYDE JORGE DA SILVA
DEPARTAMENTO DE AREA DE CONSTRUÇÃO CIVIL

Relatório de Dosagem Experimental


de Concreto

Cuiabá - MT
Fevereiro – 2013.
Nome 01
Nome 02
Nome 03

Relatório de Dosagem Experimental


de Concreto

Relatório apresentado ao Professor


Marcos Valin Jr da disciplina Concreto e
Argamassa da turma 2841.4N 2012/02.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATO GROSSO


Cuiabá – MT, Fevereiro de 2013.

2
SUMÁRIO

Item Descrição Página


1 Introdução 4
2
3
4
5

3
APRESENTAÇÃO

O presente trabalho acadêmico tem com principal objetivo ...........

4
1.CARACTERIZAÇÃO DOS AGREGADOS.

Apresentar dados de massa específica e unitária, granulometria, e demais ensaios


realizados para agregados graúdos e miúdos.

2.CARACTERIZAÇÃO DOS AGLOMERANTES

Apresentar dados sobre os ensaios realizados nos aglomerantes

3. DOSAGEM DO CONCRETO

3.1 - TRAÇO ELABORADO – TEÓRICO

3.1.1. Dados:

Resistência Característica a Compressão =


Slump Requerido =
Dmáx do agregado graúdo=

3.1.2. Consumo de Água Aproximado (l/m3)


Dimensão máxima Característica do agregado Graúdo
Abatimento (mm) (mm)
9,5 19 25 31,5 37,5
40 60 220 195 190 185 180
60 a 80 225 200 195 190 185
80 a 100 230 205 200 195 190

3.1.3. Fcj
Fcj = fck+ 1,65xSd

3.1.4. Relação Água – Cimento

Pela Curva de Abhams temos para um fcj de xxxx MPa uma relação a/c = xxxxx

Utilizando a tabela 4 – NBR 12655 obtemos a classe de agressividade

Classe de Agressividade Classificação geral do tipo de Risco de deterioração


Agressividade ambiente para o efeito de da estrutura
Ambiental projeto
I Fraca Rural Insignificante
Submersa
II Moderada Urbana Pequeno
III Forte Marinha Grande

5
Industrial
IV Muito Forte Industrial Elevado
Respingo de Maré

Consideraremos nosso concreto projetado para uma área urbana, portanto classe
agressiva II. Consultando a Tabela 5 – NBR 12655.

Concreto Tipo Classe de agressividade ambiental


I II III IV
Relação a/c, em massa CA ≤ 0,65 ≤ 0,60 ≤ 0,55 ≤ 0,45
CP ≤ 0,60 ≤ 0,55 ≤ 0,50 ≤ 0,45
Classe do Concreto CA ≥ C20 ≥ C25 ≥ C30 ≥ C40
CP ≥ C25 ≥ C30 ≥ C35 ≥ C40
Consumo de cimento CA e CP ≥ 260 ≥ 280 ≥ 320 ≥360
por m3 de concreto (kg/m3)

Logo temos uma relação a/c = xxxxxxx


Pela Tabela 6, Requisitos para o concreto em exposição especiais, temos uma relação
a/c = xxxxxxxxx

Portanto avaliando os três valores encontrados para a relação a/c, iremos adotar:
a/c = xxxxxx.

3.1.5. Consumo de Cimento

3.1.6. Volume dos materiais para 1m3 de concreto.

3.1.7. Massa dos materiais para 1m3 de concreto.

3.1.8. Massa do agregado Miúdo para 1m3 de concreto.

3.1.9. Traço Unitário

3.1.10. Teste do Abatimento

3.1.11. Produção do Concreto para preencher os moldes dos Corpos de Provas.

Para moldar os xxxx corpos de prova desse traço foi calculado para xxx litros

1zzz
Mc =  Mc = xxxxx
(1 / xxx) + ( x, xx / xxx) + (2 zzz / 2 zzz ) + zzz

3.1.12. TRAÇOS CORRIGIDO

4. PRODUÇÃO DO CONCRETO

Para a elaboração dos Corpos de Provas foram realizados as seguintes etapas:

6
4.1 MISTURA

4.2 LANÇAMENTO

4.3 MOLDAGEM DOS CP´S

4.4 ADENSAMENTO

4.5 CURA

5 – ENSAIO DE COMPRESSÃO AXIAL

Para avaliarmos a resistência dos Cp´s a compressão, os cp´s foram submetidos ao


ensaio de compressão,

Para 07 dias
Traço 1 Carga (KN) Área (m2) Tensão (MPa)
CP 3
CP 4

Para 28 dias
Traço 2 Carga (KN) Área (m2) Tensão (MPa)
CP 3’
CP 4’

Apresentar gráfico com os seus resultados

Analisando o gráfico acima percebemos que

7
6 – ENSAIO DE COMPRESSÃO DIAMETRAL

7 – ABSORÇÃO....

8 – ABSORÇÃO....

9 - MÓDULO DE ELASTICIDADE

Um aspecto

8
10. CONCLUSÃO

Ao término deste trabalho

9
11. REFERENCIAS BIBLIOGRAFIAS

OLIVEIRA, Adailton. Materiais de Construção II – Caderno de Aulas Práticas. Salvador:


2008.63 páginas. Disponível em:< http://engetop.ufba.br>.

NEVILLE, Adam. Concreto e suas Propriedades. Tradução (1976). Pini

MEHTA, P. Kumar, MONTEIRO, Paulo J. M. Concreto: estrutura, propriedades e


materiais. São Paulo: Pini, 1995.

10