Вы находитесь на странице: 1из 13

CILINDRO E CONE PROF.

RENATO MADEIRA

1) (EsPCEx 2016) Um recipiente cilíndrico, cujo raio da base tem medida R, contém água até uma certa altura.
Uma esfera de aço é mergulhada nesse recipiente ficando totalmente submersa, sem haver transbordamento de
9
água. Se a altura da água subiu R , então o raio da esfera mede
16
2
a) R
3
3
b) R
4
4
c) R
9
1
d) R
3
9
e) R
16

RESPOSTA: b

RESOLUÇÃO:
O volume correspondente ao aumento do nível da água no cilindro é igual ao volume da esfera.
Seja x o raio da esfera, então
4 9 27 3 3
Vesf    x 3  R 2  R  x 3  R x R
3 16 64 4

2) (EsPCEx 2015) Um cone de revolução tem altura 4 cm e está circunscrito a uma esfera de raio 1 cm . O volume
desse cone (em cm3 ) é igual a
1
a) 
3
2
b) 
3
4
c) 
3
8
d) 
3
e) 3

RESPOSTA: d

RESOLUÇÃO:
Seja VAB a seção meridiana do cone descrito no enunciado e a circunferência de centro O a seção da esfera
pelo mesmo plano.
Aplicando o teorema de Pitágoras no triângulo retângulo VOC , temos:
VC2  32  12  8  VC  2 2 .
Como as tangentes à circunferência partindo de um mesmo ponto são iguais, então BM  BC  r .
Aplicando o teorema de Pitágoras no triângulo retângulo VMB , temos:
r 2  42   r  2 2   r 2  16  r 2  4 2r  8  4 2r  8  r  2 .
2

 8
Logo, o volume do cone é Vcone   Sbase  h   r 2  h    2   4 
1 1 2
cm3 .
3 3 3 3

3) (EsPCEx 2013) Um recipiente em forma de cone circular reto, com raio de base R e altura h, está
completamente cheio com água e óleo. Sabe-se que a superfície de contato entre os líquidos está inicialmente na
metade da altura do cone. O recipiente dispõe de uma torneira que permite escoar os líquidos de seu interior,
conforme indicado na figura. Se essa torneira for aberta, exatamente até o instante em que toda água e nenhum
óleo escoar, a altura do nível do óleo, medida a partir do vértice será:
3
7
a) h
2
3
7
b) h
3
3
12
c) h
2
3
23
d) h
2
3
23
e) h
3

RESPOSTA: a

RESOLUÇÃO:
3
Vágua 1 1
     Vóleo  7  Vágua
Vágua  Vóleo  2  8
Vóleo 7  Vágua 7  h óleo 
3
h óleo 3 7
    
Vcone 7  Vágua  Vágua 8  h cone  h cone 2

4) (EsPCEx 2012) A figura abaixo representa dois tanques cilíndricos, T1 e T2 , ambos com altura h, e cujos raios
das bases medem R e R 2 , respectivamente. Esses tanques são usados para armazenar combustível e a
2
quantidade de combustível existente em cada um deles é tal que seu nível corresponde a da altura.
3
O tanque T1 contém gasolina pura e o tanque T2 contém uma mistura etanol-gasolina, com 25% de etanol.
Deseja-se transferir gasolina pura do tanque T1 para T2 até que o teor de etanol na mistura em T2 caia para
20%.
Nessas condições, ao final da operação, a diferença entre a altura dos níveis de T1 e T2 será
1
a) h
2
1
b) h
3
1
c) h
4
1
d) h
5
1
e) h
6

RESPOSTA: a

RESOLUÇÃO:
2
O volume de gasolina inicialmente em T1 é V1  R 2  h .
3
O volume de gasolina inicialmente em T2 é Vg 2  75%    R 2   h  R 2 h e o volume de etanol é
2 2

3
Ve2  25%    R 2   h  R 2 h .
2 2 1
3 3
Seja V o volume de gasolina pura que devemos transferir do tanque T1 para T2 para que o teor de etanol na
Ve 2 20% 1
mistura em T2 caia para 20%, então   .
Vg 2  V 80% 4
1 2
R h
3 1 4 1
Assim, temos:   R 2 h  R 2 h  V  V  R 2 h .
R h  V 4
2
3 3
Sejam Vf1 e h '1 o volume final e a altura final do líquido no tanque T1 , então
2 1 1 h
Vf1  V1  V  R 2 h  R 2 h  R 2 h  R 2  h '1  h '1  .
3 3 3 3
Sejam Vf 2 e h '2 o volume final e a altura final do líquido no tanque T2 , então

Vf 2  V2  V    R 2   h  R 2 h  R 2 h    R 2   h '2  h '2 
2 2 1 5 2 5h
.
3 3 3 6
5h h 3h h
Portanto, ao final da operação, a diferença entre a altura dos níveis de T1 e T2 é h '2  h '1     .
6 3 6 2

5) (EsPCEx 2011) A figura abaixo representa a planificação de um tronco de cone reto com a indicação das
medidas dos raios das circunferências das bases e da geratriz.
A medida da altura desse tronco de cone é

a) 13 cm
b) 12 cm
c) 11 cm
d) 10 cm
e) 9 cm

RESPOSTA: b

RESOLUÇÃO:

O trapézio isósceles ABCD é a seção meridiana do tronco de cone.


Seja CH  OB , então HB  OB  OH  11  6  5 .
Aplicando o teorema de Pitágoras no triângulo retângulo BHC, temos:
h 2  52  132  h 2  169  25  144  h  12 cm .

6) (EFOMM 2012) Um recipiente na forma de um cilindro circular reto contém um líquido até um certo nível.
Colocando-se nesse recipiente uma esfera, o nível do líquido aumenta 2 cm . Sabendo-se que o raio do cilindro
mede 3 2 cm , conclui-se que o raio da esfera, em cm, mede:
a) 2
b) 3
c) 4
d) 5
e) 6

RESPOSTA: b

RESOLUÇÃO:
O volume da esfera de raio r deve ser igual ao volume adicional no cilindro, ou seja, igual ao volume de um
cilindro de raio da base R  3 2 cm e altura h  2 cm . Assim,
r     3 2   2  r 3  27  r  3 cm
4 3 2
3

7) (EFOMM 2013) Um cone foi formado a partir de uma chapa de aço, no formato de um setor de 12 cm de raio
e ângulo central de 120 . Então, a altura do cone é:
a) 2 2
b) 4 2
c) 6 2
d) 8 2
e) 12 2

RESPOSTA: d

RESOLUÇÃO:
O comprimento da circunferência da base é igual ao comprimento do arco do setor circular. Assim, temos:
2
2  r  12  r4.
3
Aplicando o teorema de Pitágoras no triângulo retângulo VOA , temos:
h 2  42  122  h 2  128  h  8 2 cm .

8) (EFOMM 2015) Um tanque em forma de cone circular de altura h encontra-se com vértice para baixo e com
eixo na vertical. Esse tanque, quando completamente cheio, comporta 6000 litros de água. O volume de água,
1
quando o nível está a da altura, é igual a
4
a) 1500 litros.
b) 150 litros.
c) 93, 75 litros.
d) 30 litros.
e) 125 litros.

RESPOSTA: c

RESOLUÇÃO: (As alternativas foram alteradas, pois não havia resposta correta)

1
O tanque cheio e o tanque com água a da altura são representados por dois cones semelhantes. A relação entre
4
seus volumes é igual ao cubo da razão de semelhança. Assim, temos:
3
V1 4 h 4 V1 4 1
     V1 4  93, 75 .
Vcheio  h  6000 64
9) (AFA 2010) Considere uma chapa de aço circular de espessura desprezível e raio 15 cm. Recortando-se, dessa
2
chapa, dois setores circulares de ângulo rad cada, e juntando-se em cada um desses setores os lados de mesma
3
medida, sem perda de material, obtém-se dois objetos em forma de cone.
Unindo-se as bases desses cones, obtém-se um objeto A.
Dentro de um cilindro suficientemente grande e repleto de água até a borda foram inseridas esferas de ferro cuja
área da superfície de cada uma é 9 cm 2 . A cada esfera inserida a água que transbordava era recolhida e
armazenada dentro do objeto A
Foram inseridas esferas dentro do cilindro até que o líquido que estava sendo armazenado no objeto A
transbordasse. Quantas esferas foram inseridas?
Dado: 2 =1,41
a) 50
b) 51
c) 52
d) 53

RESPOSTA: d

RESOLUÇÃO: (O enunciado desta questão foi adaptado, pois a mesma estava incorreta da maneira como
foi originalmente proposta.)

O cone formado possui g  15 cm . Sejam R e h, o raio da base e a altura do cone, respectivamente.


2
O perímetro da base do cone é tal que  g  2  R  g  3R  15  3R  R  5
3
A altura h do cone é dada por h 2  52  152  h 2  225  25  200  h  10 2 .
1 1
O volume de cada cone é Vcone   R 2  h     52 10 2  117,5 cm3 .
3 3
O volume do objeto A é VA  2  Vcone  2 117,5  235 cm3 .
9 3
Seja r o raio das esferas, então Sesfera  4r 2  9  r 2   r  .
4 2
3
4 3 4 3
O volume de cada esfera é Vesfera  r      4,5 cm3 .
3 3 2
A cada nova esfera inserida no cilindro, o volume do líquido que transborda e é armazenado no objeto A é igual
ao volume da esfera. Seja n  a quantidade de esferas inseridas no cilindro, então queremos identificar o menor
valor de n tal que n  Vesfera  VA . Assim, temos:
n  4,5  235  n  52, 222  n min  53 .

10) (AFA 2011) Uma vinícola armazena o vinho produzido em um tanque cilíndrico (reto) com sua capacidade
máxima ocupada. Esse vinho será distribuído igualmente em barris idênticos também cilíndricos (retos) e
vendidos para vários mercados de uma cidade.
1
Sabe-se que cada mercado receberá 2 barris de vinho, com altura igual a da altura do tanque e com diâmetro
5
1
da base igual a do diâmetro da base do tanque. Nessas condições, a quantidade x de mercados que receberão
4
os barris (com capacidade máxima ocupada) é tal que x pertence ao intervalo
a) 0  x  20
b) 20  x  40
c) 40  x  60
d) 60  x  80

RESPOSTA: c

RESOLUÇÃO:
Supondo que o cilindro da vinícola tenha altura h e raio da base R, então seu volume é dado por
Vvini  Sbase  h  R 2 H .
h R
Os barris do mercado possuem altura e raio da base , então seu volume é dado por
5 4
2
R h 1 1
Vmerc        R 2h   Vvini .
 4  5 80 80
1
Portanto, a capacidade de cada barril entregue aos mercados é da capacidade do barril da vinícola.
80
1
Como cada mercado recebe 2 barris, então receberá da capacidade do barril da vinícola, o que implica que
40
será possível atender 40 mercados. Assim, temos x  40 .

7
11) (AFA 2013) Uma caixa cúbica, cuja aresta mede 0, 4 metros, está com água até de sua altura.
8
Dos sólidos geométricos abaixo, o que, totalmente imerso nessa caixa, NÃO provoca transbordamento de água é
a) uma esfera de raio 3 2 dm .
b) pirâmide quadrangular regular, cujas arestas da base e altura meçam 30 cm .
c) um cone reto, cujo raio da base meça 3 dm e a altura 3 dm .
d) um cilindro equilátero, cuja altura seja 20 cm .

RESPOSTA: d
RESOLUÇÃO:
V   0, 4   0, 064 m3 .
3
O volume da caixa cúbica é O volume disponível é
1
 0, 064  0, 008 m3  8 dm3  8000 cm3 .
8
O volume da esfera de raio 3 2 dm é     3 2    dm3  8 dm3 , logo provoca o transbordamento.
4 8
3 3
O volume da pirâmide quadrangular regular, cujas arestas da base e altura meçam 30 cm é
1
 302  30  9000 cm3  8000 cm3 , logo provoca o transbordamento.
3
O volume de um cone reto, cujo raio da base meça 3 dm e a altura 3 dm é  .  3   3  3 dm3  8 dm3 ,
1 2
3
logo provoca o transbordamento.
O volume de um cilindro equilátero, cuja altura seja 20 cm e, portanto, diâmetro da base 20 cm , é
102  20  2000 cm3  8000 cm3 , logo não provoca transbordamento.

12) (AFA 2015) Na figura abaixo, tem-se um cubo cuja aresta mede k centímetros; as superfícies S1 e S 2 ,
contidas nas faces desse cubo, são limitadas por arcos de circunferências de raio k centímetros e centros em,
respectivamente, D e B , H e F .

O volume do sólido formado por todos os segmentos de reta com extremidades em S1 e S 2 , paralelos a CG e de
bases S1 e S 2 , é, em cm3 , igual a
k 3    1
a)
2
k   2
3
b)
2
k   1
3
c)
4
k3    2
d)
4

RESPOSTA: b

RESOLUÇÃO:

O sólido possui bases de área S1  S2 e a altura é k .


   k2 k2  k2    2
A área S1 é igual à soma de dois segmentos circulares de 90 e raio k , ou seja, S1  2     .
 4 2  2
k3    2
Assim, o volume do sólido é V  S1  k  .
2

y x
3  3 1

13) (AFA 2016) Considere a região E do plano cartesiano dada por E   y  x  1 . O volume do sólido gerado,
x  0

 y  0
se E efetuar uma rotação de 270 em torno do eixo Ox em unidades de volume, é igual a
26 
a)
3
b) 26
13
c)
2
13
d)
3

RESPOSTA: c

RESOLUÇÃO:
y x
A equação   1 representa a região abaixo da reta que passa pelos pontos  3, 0  e  0,3 .
3 3
A equação y  x  1 representa a região acima da reta que passa pelos pontos 1, 0  e  0,1 .
Note ainda que essas duas retas são paralelas.
3
Efetuando uma rotação de 270 em torno do eixo Ox , obtém-se um sólido correspondente a de um cone de
4
3
vértice em  3, 0  (cone maior) menos outro sólido correspondente a de um cone de vértice em 1, 0  (cone
4
menor).
3 1 27 
O cone maior tem raio da base 3 e altura 3, logo seu volume é Vmaior      32  3  .
4 3 4
3 1 
O cone maior tem raio da base 1 e altura 1, logo seu volume é Vmenor     12 1  .
4 3 4
27   26 13
Portanto, o volume pedido é V  Vmaior  Vmenor     unidades de volume.
4 4 4 2

14) (EN 2010) A figura abaixo mostra-nos um esboço da visão frontal de uma esfera, um cilindro circular reto
com eixo vertical e uma pirâmide regular de base quadrada, que foram guardados em um armário com porta, que
possui a forma de um paralelepípedo retângulo com as menores dimensões possíveis para acomodar aqueles
sólidos. Sabe-se que esses sólidos são tangentes entre si; todos tocam o fundo e o teto do armário; apoiam-se na
base do armário; são feitos de material com espessura desprezível; a esfera e a pirâmide tocam as paredes laterais
do armário; 120 cm é a medida do comprimento do armário; 4 11 dm é a medida do comprimento da diagonal
do armário; e a porta pode ser fechada sem resistência, então, a medida do volume do armário não ocupado pelos
sólidos vale
2 4  2 5  5 
(A) dm 3
3
2 4  2 5  5  3
(B) m
3
2 4  2 3  5 
(C) dm 3
5
2 4  2 6  10 
(D) dam 3
6
2 4  2 6  10 
(E) dm 3
6
RESPOSTA: A

RESOLUÇÃO:
Seja R o raio da esfera e da base do cilindro, e 2R a altura do cilindro e da pirâmide, assim como aresta da base da pirâmide.

 
2
d 2  144  4  R 2  4  R 2  4 11  R  2 dm
6R  6  2  12 dm
4 1 2 24  32  5 
V  4  4 12   2   2  4   4  4 
3 2
dm3
3 3 3