Вы находитесь на странице: 1из 18

ÉTICA PARA O CUIDADOR DE

IDOSOS

Conteúdo Organizado por


Jocilaine Moreira

Fortaleza, 2014
A ÉTICA PROFISSIONAL E OS CUIDADORES

O que é Ética?

Ética é o nome dado ao ramo da filosofia dedicado aos assuntos


morais. A palavra ética é derivada do grego, e significa aquilo que
pertence ao caráter. Ética é diferente de moral, pois moral se
fundamenta na obediência a normas, costumes ou mandamentos
culturais, hierárquicos ou religiosos e a ética, busca fundamentar o
modo de viver pelo pensamento humano.
A ÉTICA PROFISSIONAL E OS CUIDADORES

O que é Moral?

A Moral estabelece regras que são assumidas pela pessoa, como


uma forma de garantir o seu bem-viver. A Moral independe das
fronteiras geográficas e garante uma identidade entre pessoas
que sequer se conhecem, mas utilizam este mesmo referencial
moral comum.
É impossível pensar em ética se não pensarmos em convivência. A
ética é o que marca a fronteira da nossa convivência, seja com outras
pessoas, seja no mercado ou com os indivíduos.
Ética é aquela perspectiva para olharmos os nossos princípios e os
nossos valores para existirmos juntos.
Ética é aquilo que orienta sua capacidade de julgar, decidir e avaliar
com autonomia, ou seja, isso pressupõe liberdade.
Quando se fala em ética se fala num conjunto de princípios e valores
que você usa para responder três grandes perguntas da vida humana:
Quero? Devo? Posso?
Os outros de nós mesmos:

“Visão de alteridade é a
capacidade de ver
o outro como outro,
e não como estranho”.

Continuando a falar em ética, antes de mais nada ela é a capacidade


de proteger a dignidade da vida coletiva. A nossa humanidade é
compartilhada, ser humano é ser junto.
Isso significa que é preciso saber que nossa convivência exige uma
noção de igualdade e se afastar de qualquer forma de arrogância.
Pessoas arrogantes acham que já sabem tudo, que são os únicos e
se relacionam com o outro por conta de alguma coisa.
O QUE É ÉTICA PROFISSIONAL?

Ética profissional é o conjunto de normas morais pelas quais um


indivíduo deve orientar seu comportamento profissional. A Ética é
importante em todas as profissões, e para todo ser humano, para
que todos possam viver bem em sociedade.

Quando se inicia esta reflexão?

A fase da escolha profissional, ainda durante a adolescência muitas


vezes, já deve ser permeada por esta reflexão. A escolha por uma
profissão é optativa, mas ao escolhê-la, o conjunto de deveres
profissionais passa a ser obrigatório. Geralmente, quando você é
jovem, escolhe sua carreira sem conhecer o conjunto de deveres
que está prestes ao assumir tornando-se parte daquela categoria
que escolheu.
ÉTICA PROFISSIONAL: COMO É ESTA REFLEXÃO?

É fundamental ter sempre em mente que há uma série de atitudes


que não estão descritas nos códigos de todas as profissões, mas
que são comuns a todas as atividades que uma pessoa pode
exercer.
Atitudes de generosidade e cooperação no trabalho em equipe,
mesmo quando a atividade é exercida solitariamente em uma
sala, ela faz parte de um conjunto maior de atividades que
dependem do bom desempenho desta.
Uma postura proativa, ou seja, não ficar restrito apenas às tarefas
que foram dadas a você, mas contribuir para o engrandecimento
do trabalho, mesmo que ele seja temporário.
ÉTICA PROFISSIONAL E RELAÇÕES SOCIAIS

As leis de cada profissão são elaboradas com o objetivo de


proteger os profissionais, a categoria como um todo e as pessoas
que dependem daquele profissional, mas há muitos aspectos não
previstos especificamente e que fazem parte do comprometimento
do profissional em ser eticamente correto, aquele que,
independente de receber elogios, faz A COISA CERTA.
“Difícil não é fazer o que é certo, é descobrir o que é certo fazer.”
(Robert Henry Srour)
ÉTICA PROFISSIONAL: PONTOS PARA SUA
REFLEXÃO

Competência técnica, aprimoramento constante, respeito às


pessoas, confidencialidade, privacidade, tolerância, flexibilidade,
fidelidade, envolvimento, afetividade, correção de conduta, boas
maneiras, relações genuínas com as pessoas, responsabilidade,
corresponder à confiança que é depositada em você.
Um caminho consciente do processo de tomada de decisões éticas,
no entanto, torna o funcionário mais valioso, que será procurado por
sua responsabilidade ética no trabalho. Apenas ler um livro ou fazer
um curso sobre ética não necessariamente transforma uma pessoa
desonesta em honesta.

Comportamento eticamente adequado e sucesso


continuado são indissociáveis!
A CONSTRUÇÃO DE UMA RELAÇÃO DE AJUDA

Quando os cuidadores não forem os


familiares, é fundamental que os
conteúdos sobre a construção de uma
relação de ajuda sejam desenvolvidos,
pois isso vai constituir-se na base das
atividades esses profissionais. Relação de
ajuda pode ser entendida como uma
ligação profunda e significativa entre a
pessoa que ajuda e a que é ajudada, a
qual ultrapassa as simples trocas
funcionais, atendo um prisma de
crescimento\e evolução. Cria vínculos
com a execução de atividades de cuidado
que tenham por princípio o respeito e a
liberdade, ou seja, tenham por finalidade
auxiliar a pessoa que é ajudada a
restabelecer e manter sua autonomia.
Capacidade de respeitar-se e de respeitar o idoso

Os comportamentos expressam o significado e o valor do idoso


para o cuidador. Ser capaz de estabelecer uma relação que
envolva escuta e presença física atentas; aceitar o idoso
incondicionalmente, evitando juízos críticos; demonstrar empatia,
afeto e cordialidade; auxiliá-lo a desenvolver seus recursos
pessoais, encorajando-o, motivando-o e apoiando-o e não
agindo por ele; manifestar compreensão e dedicação são
exemplos de comportamentos respeitosos.
MAUS TRATOS – VIOLÊNCIA CONTRA O IDOSO
Maus tratos são atos ou
omissões que causem dano,
prejuízo, aflição, ou ameaça
à saúde e bem-estar da
pessoa. O mau trato pode
ocorrer uma única vez ou se
tornar repetitivo, pode variar
de uma reação brusca,
impensada, até uma ação
planejada e contínua e
causar sofrimento físico ou
psicológico à pessoa
cuidada. Os maus tratos
tanto podem ser praticados
pelo cuidador, por familiares,
amigos, vizinhos, como por
um profissional de saúde.
Como os maus tratos são classificados
Abusos físicos, maus tratos físicos ou violência física – são ações que
se referem ao uso da força física como beliscões, puxões, queimaduras,
amarrar os braços e as pernas, obrigar a tomar calmantes etc.
Abuso psicológico, violência psicológica ou maus tratos psicológicos –
correspondem a agressões verbais ou com gestos, visando aterrorizar e
humilhar a pessoa, como ameaças de punição e abandono, impedir a
pessoa de sair de casa ou trancá-la em lugar escuro, não dar
alimentação e assistência médica, dizer frases como “você é inútil”,
“você só dá trabalho” etc.
Abuso sexual, violência sexual – é o ato ou jogo de relações de caráter
hétero ou homossexual, sem a permissão da pessoa. Esses abusos
visam obter excitação, relação sexual ou práticas eróticas por meio de
convencimento, violência física ou ameaças.
Abandono – é uma forma de violência que se manifesta pela ausência
de responsabilidade em cuidar da pessoa que necessite de proteção,
seja por parte de órgãos do governo ou de familiares, vizinhos amigos e
cuidador.
Como os maus tratos são classificados
Negligência – refere-se à recusa ou omissão de cuidados às pessoas
que se encontram em situação de dependência ou incapacidade, tanto
por parte dos responsáveis familiares ou do governo. A negligência
freqüentemente está associada a outros tipos de maus tratos que
geram lesões e traumas físicos, emocionais e sociais.
Abuso econômico/financeiro – consiste na apropriação dos
rendimentos, pensão e propriedades sem autorização da pessoa.
Normalmente o responsável por esse tipo de abuso é um familiar ou
alguém muito próximo em quem a pessoa confia.
Autonegligência – diz respeito às condutas pessoais que ameacem a
saúde ou segurança da própria pessoa. Ela se recusa a adotar
cuidados necessários a si mesma, tais como: não tomar os remédios
prescritos, não se alimentar, não tomar banho e escovar os dentes, não
seguir as orientações dadas pelo cuidador ou equipe de saúde.
O que o cuidador pode fazer diante de situações de maus tratos

Ter consciência de que maus tratos existem e que têm um efeito destrutivo
na qualidade de vida das pessoas.
Refletir diariamente se, mesmo sem querer, realizou algum ato que possa
ser considerado como maus tratos, procurando desculpar-se junto à pessoa
cuidada. Identificar as razões e buscar a ajuda da equipe de saúde.
Caso assista ou tenha conhecimento de alguma forma de maus tratos à
pessoa cuidada, denunciar, esse fato.
Denúncia em caso de maus tratos

Quanto mais dependente for a pessoa, maior seu


risco de ser vítima de violência. O cuidador, os
familiares e os profissionais de saúde devem estar
atentos à detecção de sinais e sintomas que possam
denunciar situações de violência. Todo caso suspeito
ou confirmado de violência deve ser notificado,
segundo a rotina estabelecida em cada município, os
encaminhamentos devem ser feitos para os órgãos e
instituições descriminados a seguir, de acordo com a
organização da rede de serviços local:

a) Delegacia especializada da mulher


b) Centros de Referência da mulher
c) Delegacias Policiais
d) Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa
e) Centro de Referência da Assistência Social
(CRAS)
f) Ministério Público
g) IML e outros
PARA REFLETIR!
“Cuidar é mais que um ato, é uma atitude. Atitude de
responsabilização e de envolvimento afetivo com o
outro.”
Leonardo Boff
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BORN, TOMIKO. CUIDAR MELHOR E EVITAR A VIOLÊNCIA-MANUAL DO CUIDADOR DA


PESSOA IDOSA – BRASÍLIA: SECRETARIA ESPECIAL DOS DIREITOS HUMANOS -
SUBSECRETARIA DE PROMOÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS, 2008.330P.

CORTELLA, MARIO SERGIO. QUAL É A TUA OBRA? INQUIETAÇÕES PROPOSITIVAS SOBRE


GESTÃO, LIDERANÇA E ÉTICA. RIO DE JANEIRO: EDITORA VOZES, 2007. PUBLIFOLHA

DUARTE, YEDA APARECIDA DE OLIVEIRA MANUAL DOS FORMADORES DE CUIDADORES DE


PESSOAS IDOSAS / YEDA APARECIDA DE OLIVEIRA DUARTE ; [COORDENAÇÃO GERAL ÁUREA
ELEOTÉRIO SOARES BARROSO]. -- SÃO PAULO : SECRETARIA ESTADUAL DE ASSISTÊNCIA E
DESENVOLVIMENTO SOCIAL : FUNDAÇÃO PADRE ANCHIETA, 2009.

FORTES, ÉTICA E SAÚDE: QUESTÕES ÉTICAS, DEODONTOLOGICAS E LEGAIS, AUTONOMIA E


DIREITOS DO
PACIENTE, ESTUDO DE CASOS. SÃO PAULO: EPU, 2002.

GAUDERER. E.C. OS DIREITOS DO PACIENTE: UM MANUAL DE SOBREVIVÊNCIA. RIO DE


JANEIRO:
RECORD, 2000.

GLOCK, RS, GOLDIM JR. ÉTICA PROFISSIONAL É COMPROMISSO SOCIAL. MUNDO JOVEM
(PUCRS, PORTO ALEGRE) 2003.

SÁ, ANTÔNIO LOPES DE. ÉTICA PROFISSIONAL. 8 ED. SÃO PAULO: ATLAS, 2007.