Вы находитесь на странице: 1из 3

Capı́tulo 1

Integral Indefinida e mudança de


variável

1.1 Antiderivação
Na matemática aplicada ocorre frequentemente conhecermos a derivada de uma função e desejarmos
encontrar a própria função. Por exemplo, podemos conhecer a velocidade ds/dt de uma partı́cula e
precisarmos encontrar a equação do movimento s = f (t), ou podemos querer achar a função lucro de
um certo produto quando conhecemos a margem de lucro. As soluções desses problemas necessitam que
se desfaça a operação de diferenciação, isto é, somos forçados a antidiferenciar. Se f e g são duas
funções tais que g 0 = f, dizemos que g é uma antiderivada de f . Assim, g(x) = x2 é uma antiderivada(ou
primitiva) de f (x) desde que Dx (x2 ) = 2x. Se C é uma constante, então a função definida por y = x2 + C
também é uma antiderivada(ou primitiva) de f , pois, Dx (x2 + C) = 2x.
Definição 1 Uma função g é dita uma antiderivada de uma função f sobre um conjunto de números I
se g 0 (x) = f (x) para todos os valores de x em I. O procedimento para achar antiderivadas é chamado
antiderivação ou integração.
x+1 −2
Exemplo 1 Mostre que g(x) = x−1 é uma antiderivada de f (x) = (x−1)2 .

(x−1)−(x+1)
Solução. Usando a regra do produto temos g 0 (x) = (x−1)2 .
x 1
Exemplo 2 Sabendo que g(x) = 1+x é uma antiderivada de f (x) = (1+x)2 , ache um número infinito de
antiderivadas de f .
Solução. Seja C uma constante real arbitrária. Tome a função h, definida por h = g + C, então a famı́lia
de antiderivadas/primitivas de f é definida por
x
h(x) = + C.
1+x

1.1.1 Notação para antiderivadas


As antiderivadas são tradicionalmente escritas usando-se um simbolismo especial que tem algumas
das vantagens da notação de Leibniz para derivadas e que, de fato, foi usada pelo próprio Leibniz. O
simbolismo pode ser compreendido pensando-se na diferencial dy como uma porção infinitesimal de y
eZ imaginando que y é a soma de todos Z esses infinitos. Leibniz usou uma letra ”s”estilizada, escrita
, para tais somatórios, tal que y = dy deva simbolizar a ideia de que y é a soma de todas suas
diferenciais individuais. Johann Bernoulli, um contemporâneo de Leibniz, sugeriu que o processo de
reunir infinitésimos de forma a se ter uma quantidade inteira ou completa, como expresso por y =∈ dy,
deva ser convenientemente
Z chamado de integração ao invés de somatório. A sugestão de Bernoulli é
aceita. Daı́ o sı́mbolo é referido como sinal de integral. Agora suponha que g(x) é uma antiderivada
de f (x), tal que g 0 (x) = f (x). Se tomarmos y = g(x), então dy = f (x)dx, logo
Z Z
y = dy = f (x)dx.
Z
Por sua natureza arbitrária de C a expressão f (x)dx, é chamada de integral indefinida de f.

1
UNIFAVIP Engenharia Civil Cálculo Aplicado

Exemplo 3 Verifique as equações dadas.


Z
1 3
1. x2 dx = x + C.
3

Solução. Dx ( 13 x3 + C) = x2
Z
2. dx = x + C

Solução. Dx (x + C) = 1.

1.1.2 Regras Básicas para Integração


Já vimos que a integração é o processo inverso da diferenciação. Agora, vamos ver algumas regras
que vão facilitar este processo.
Z
1. Dx f (x)dx = f (x).

Z
2. f 0 (x) = dx = f (x) + C.

Z
3. dx = x + C.

xn+1
Z
4. Regra da Potência: Se n é um número racional diferente de -1, então xn dx = + C.
n+1
Z Z
5. Regra de Homogeneidade: Se a é uma constante, então af (x)dx = a f (x)dx.

Z Z Z
6. Regra da adição: [f (x) + g(x)]dx = f (x)dx + g(x)dx.

Z Z Z
7. Regra da linearidade: [a1 f (x)+a2 g(x)]dx = a1 f (x)dx+a2 g(x)dx, se a1 e a2 são constantes.

8. Regra Geral da Linearidade: Se a1 , a2 , · · · , am são constantes, então


Z Z Z
[a1 f1 (x) + · · · + am fm (x)]dx = a1 f1 (x)dx + · · · + am fm (x)dx.

Todas as oito regras valem em qualquer intervalo I desde que as funções envolvidas tenham antiderivadas
em I.


Z
Exemplo 4 Use as regras básicas para calcular (5x + x − 7)dx.

√ √
Z Z Z Z
5 2 2 3/2
Solução. (5x + x − 7)dx = 5xdx + xdx − 7dx = x + x − 7x + C.
2 3

x4 +3x2 +5
Exemplo 5 Calcule a antiderivada da função f (x) = x2 .
4 2
Solução. Inicialmente devemos separar a função em três novas frações, ou, seja, f (x) = x +3x
x2
+5
=
4 2
x 3x 5 2 5
x2 + x2 + x2 ⇒ f (x) = x + 3 + x2 . Agora, podemos encontrar a primitiva de f facilmente. Assim,

x4 + 3x2 + 5 x3
Z
5
f (x) = dx = (x2 + 3 + 5x−2 )dx = + 3x − + C
x2 3 x

Cleibson Silva UNIFAVIP


UNIFAVIP Engenharia Civil Cálculo Aplicado

1.1.3 Mudança de Variável(Substituição)


Z
Para se calcular x(x2 + 1)100 dx usando as regras básicas, é necessário usar o teorema binomial
e desenvolver o binômio (x + 1)100 e multiplicar o resultado por x, e usar a linearidade da integração.
O cálculo requerido será mı́nimo, mas muito grande e tedioso. Felizmente, há uma maneira simples de
resolver estes tipos de integrais, chama de mudança de variável. Observe que, se u = x2 + 1, então temos
du = 2xdx, ou xdx = 12 du. Assim, substituindo na integral inicial temos,

1 u101 (x + 1)101
Z Z Z
2 100 100 1 1
x(x + 1) dx = u du = u100 du = . = + C.
2 2 2 101 202
O método usado acima é chamado de mudança de variável ou substituição.
Observação: O método de substituição é Zexatamente aZ regra da cadeia ”lida de trás para frente”.
Para a eficácia de processo, é necessário que se f (u)du = f (g(x)).g 0 (x)dx, ou seja, que tenhamos no
integrando uma função composta f (g(x)) multiplicada pela derivada de g(x).
x2
Z
Exemplo 6 Calcule dx.
(x + 4)5
3

x2
Z Z
3 2 2 1 1/3du
Seja u = x + 4. Então, du = 3x dx, assim, x dx = 3 du. Segue que 3 + 4)5
dx = =
Z  −4  (x u5
1 1 u 1 1
u−5 du = =− 4
+C =− +C
3 3 −4 12u 12(x + 4)4
3

1.2 Referências
• MUNEM, M. A; FOULIS, D. J. Cálculo.Vol. 1. Livro Técnico e. Cientı́fico:Rio de Janeiro, 1982.
• STEWART, James. Cálculo volume I, 6a ed.. São Paulo:Cengage,2010.

Cleibson Silva UNIFAVIP