Вы находитесь на странице: 1из 9

Para baixar, clique em Arquivo , fazer download como, e escolha PDF

Obs, será atualizado com novas informações

Manutenção e Consertos de Inversores de Tensão


Leitura recomendada antes do curso

Por Alex M. Lima

Ficha Técnica

Edição: Alex Lima


Revisão: Dirlene da Costa
Imagens: Gabriel Lima
Como funciona os Inversor
As baterias fornecem uma baixas tensões contínuas porém uma alta capacidade de
armazenagem de cargas no entanto não servindo para alimentar aparelhos ligados na rede
de elétrica. Os inversores ou conversores DC/AC são aparelhos que podem converter as
baixas tensões de bateria (geralmente de 12 V de preferência estacionárias ou de carro e
caminhão), em uma alta tensão alternada (geralmente 110 V ou 220 V) para alimentar
aparelhos que são industrialmente desenvolvidos para na rede de energia. vamos aprender
neste curso como funcionam os inversores, quais são suas limitações e como trabalhar com
eles e como consertá los. No final, recomendo a montagem dos projetos dos Módulos onda
modificada e o de onda senoidal .

Muitas pessoas desejam ligar aparelhos de uso doméstico (e portanto projetados para
funcionar com 110V ou 220V) no carro ou mesmo alimentá-los em sistemas fotovoltaicos.

Para converter a energia disponível em baterias na forma de uma baixa tensão contínua
para alta tensão alternada são usados circuitos denominados inversores ou conversores
DC/AC .

Diagrama em Bloco do funcionamento básico do inversor de tensão

Um inversor desse tipo é formado basicamente por duas etapas, a primeira etapa
osciladora é responsável pela oscilação do circuito que determina a frequência de
trabalho que por sua vez é calculada para trabalhar semelhante a rede elétrica que
varía entre 50hz e 60hz . A segunda etapa é a de potência, constituída praticamente
por dois componentes, os transistores mosfetes que tem a função de chavear na
frequência determinada pela etapa osciladora, este chaveamento é justamente
quem transforma a corrente contínua (cc) em corrente alternada (ca). O segundo

1
componente desta etapa é o transformador que recebe esta corrente que foi
transformada de contínua para alternada e eleva de 12vcc para 110vca ou 220vca.
Isso é necessário pois os transformadores só podem operar com correntes que
alternam, e uma corrente contínua pura não passaria por esse componente.

O transformador é o elemento seguinte do circuito e sua finalidade é elevar os


pulsos de baixa tensão do oscilador, obtendo-se em seu secundário uma alta tensão
alternada.
É importante observar que na maioria dos circuitos, a tensão alternada não é
perfeitamente senoidal, mas sim dotadas de alguns picos que podem ser perigosos
se os aparelhos alimentados forem sensíveis.
Normalmente, os osciladores são otimizados para que a tensão seja a mais próxima
possível da senóide, no entanto, isso nem sempre ocorre, e isso vamos estudar
mais na frente.

Diagrama esquemático do funcionamento básico do inversor de tensão

Energia não se cria

Um fato comum que ocorre com os que pretendem usar inversores é que eles pensam que
a energia pode ser criada. Muitos acham que a partir de um jogo de pilhas ou bateria,
pode-se elevar a tensão a ponto dela poder alimentar grandes televisores, geladeiras e
outros aparelhos de alto consumo.

Energia não pode ser criada. A capacidade de fornecimento de energia de baterias e pilhas
é bastante limitada. Por exemplo, se uma bateria pode fornecer uma corrente máxima de 10
A com 12 V, sua potência máxima é 120 W.

2
Isso, significa que, se convertermos os 12V desta batería para 120V a corrente máxima
teórica será 1 A e nenhum aparelho de mais de 120 W poderá ser alimentado, conforme
mostra a figura 2. Isso, é claro, supondo que 100% da energia possa ser convertida, o que
não ocorre na prática.

Assim, a maioria dos inversores é de baixa potência e quando operam no limite a duração
da carga da bateria ficará reduzida proporcionalmente.
Veja então que ao usar um inversor é preciso observar que não é possível criar energia,
assim, a bateria usada deve ter potência compatível com o aparelho alimentado e sua
autonomia dependerá justamente disso.

Assim, normalmente uma bateria de carro não pode fornecer energia por mais do que umas
poucas horas a qualquer aparelho de consumo mais elevado como, por exemplo, um
pequeno televisor. Por outro lado, aparelhos cujo consumo seja superior a 100 W
dificilmente podem ser alimentados mesmo com conversores, pois as baterias é que não
dão conta da energia a ser fornecida.

Por exemplo, para 240 W de potência usando uma bateria de 12V, mesmo se tivéssemos
um conversor de 100% de rendimento (o que não ocorre na prática) a corrente drenada
seria da ordem de 20 ampères! Uma bateria de 30 Ah teria a capacidade de alimentar tal
aparelho por apenas 1 hora e meia!

Inversores são indicados apenas para alimentar pequenos equipamentos como lâmpadas
fluorescentes em sistemas de emergência, computadores quando falta energia (no break),
ou outros equipamentos cujo consumo não seja elevado.
Mesmo assim, eles devem ser usados apenas quando não se dispõe da energia da rede de
corrente alternada, observando-se a autonomia da sua fonte de alimentação.

Inversores Comerciais

A qualidade do circuito determina a eficiência do inversor e para os tipos comerciais pode


chegar aos 90%. Assim, para se obter 90 W de energia 10 W são perdidos na forma de
calor no próprio circuito.
É preciso observar que muitos tipos de inversores não fornecem uma tensão de saída
perfeitamente senoidal de 60Hz. Estes tipos de inversores não servem para alimentar
equipamentos mais sensíveis.

3
O leitor vai encontrar inversores principalmente em sistemas de iluminação de emergência
onde eles usam os 12V de uma bateria que fica em carga constante quando a energia está
presente, para alimentar lâmpadas.

Inversores Comerciais Modernos


Os inversores modernos são dotados de tecnologia capaz de garantir eficiência, segurança
e baixo consumo de corrente.
Dentre as tecnologias podemos Citar

Microcontroladores​ ​- Os
microcontroladores são microprocessadores (
um pequeno computador​) em um único
circuito integrado que podem ser
programados para funções específicas. Em
geral, eles são usados para controlar
circuitos e, por isso, são comumente
encontrados dentro de outros dispositivos,
sendo conhecidos como "controladores
embutidos". A estrutura interna de um
microcontrolador apresenta um processador,
bem como circuitos de memória e periféricos
de entrada e saída.

PWM​ ​- "Pulse Width Modulation" ou


Modulação de Largura de Pulso, ou seja,
através da largura do pulso de uma onda
quadrada é possível o controle de potência ou
velocidade. A técnica de PWM é empregada
em diversas áreas da eletrônica, talvez a mais
comum seja a utilização em fontes chaveadas
mas também pode ser utilizada para controle
de velocidade de motores, controle de
luminosidade, controle de servomotores e
diversas outras aplicações. Imagine uma
chave simples liga e desliga, quando ligada
100% da tensão e da potência é aplicada a
carga, já quando a chave está aberta a tensão
é nula e assim a potência é 0. Quando
controlamos o tempo que a chave fica ligada e conseqüentemente o tempo dela desligada
podemos controlar a potência média entregue a carga, por exemplo: a chave fica ligada
50% ligada e 50% desligada, isso quer dizer que em média temos 50% do tempo com
corrente e 50% sem. Portanto a potência média aplicada na carga é a própria tensão média,
ou seja, 50%, portanto quanto maior o tempo que o pulso se manter em nível lógico alto, ou

4
seja, ligado maior a potência entregue a carga, quanto menor o tempo em nível lógico alto
menor a entrega de potência.

SPWM​ ​- O Mesmo que PWM porém sinusoidal (Modulação de Largura de Pulso em onda
Senoidal) - A modulação PWM sinusoidal é passível de ser implementada tanto no domínio
analógico como no digital . Um simples circuito comparador analógico permite a
implementação, onde é a referência sinusoidal determina a comutação de forma natural. A
implementação analógica não é recomendável pois existem problemas ao nível da
sensibilidade dos componentes que podem deteriorar a modulação.
Na implementação digital, o sinal modulador é amostrado à frequência de comutação. O
valor da forma senoidal de referência é mantido entre intervalos de amostragem, pelo que o
sinal modulador resulta numa forma de onda discretizada O PWM resultante é definido
então pelas interseções entre a forma de onda discretizada e o sinal triangular portador.

Tipos de Inversores Comercias


Existem 2 tipos de inversores comerciais os que trabalham com transformadores de baixa
frequência e os que trabalham com transformadores de alta frequência. O trafo como é
conhecido os transformadores configuram parte da etapa de potência dos inversores de
tensão, sempre em conjunto com os transistores de potência que podem ser ​Mosfets
(​Transistor de Efeito de Campo de Óxido de Metal Semicondutor​) ou os ​IGBTs ​(​Transistor
Bipolar de Porta Isolada)​ vamos ver os dois tipos de trafos.

5
Entendendo os Inversores de Tensão de Baixa Frequência
Os inversores de baixa frequência são divididas em dois circuitos que se subdividem e
várias outras etapas

1ª Circuito - Circuito Microcontrolado​ - Esta etapa é o gerente de todo o equipamento


nele está contido todo o controle. Neste circuito temos a etapa Osciladora quem determina
a frequência de trabalho que varia entre 50hz a 60hz, acionando a porta dos transistores
mosfets que chaveiam, ja etapa de proteção garante a segurança contra subtensão e
sobretensão, subcorrente e sobrecorrente , proteção térmica e outros geralmente
desligando o equipamento acionando um sinal sonoro e luminoso entrando em modo de
proteção. A etapa PWM ou SPWM ajusta a tensão de saída e a forma de onda , para onda
quadrada modificada técnica PWM, para onda senoidal Pura técnica SPWM

2ª Circuito - Circuito de Potência ​- Esta etapa é a responsável pelo trabalho da alta


corrente contínua que será convertida em alternada, graças aos transistores mosfets ou
Igbts , chaveando de acordo com o oscilador , em seguida o transformador eleva a tensão
para 110v ou 220v já corrente alternada, restando o trabalho final do filtro que vão regular a
forma de onda seja quadrada modificada ou senoidal pura gerenciada pelo circuito anterior
na etapa PWM ou SPWM.

Diagrama em Bloco do Funcionamento do Inversor de baixa Frequência

6
Transformador de Baixa Frequência
Transformadores de baixa frequência são os que trabalham com frequência de 50hz a 60hz
exatamente a mesma frequência de trabalho entregue pelas companhias elétricas
fornecedores. Estes tipos de transformadores são muito utilizados em fontes de alimentação
linear, carregadores de baterias , Nobreak e raramente em inversores de tensão. Existem 2
tipos de transformadores de baixa frequência usados em inversores de tensão , os
convencionais e os toroidais

Na figura abaixo temos o mais conhecido, o transformador convencional

Na figura abaixo, os famoso transformador Toroidal

Como dito os transformadores de baixa frequência raramente são utilizados em projetos de


inversores de tensão, porém quando usado, geralmente são com transformadores toroidais
pois os toroidais são mais eficientes e garante uma qualidade melhor e geralmente são
mais resistentes .

​ ntendendo os Inversores de Tensão de Alta Frequência


E
Os inversores de alta frequência comercialmente são os mais comuns, 95% dos fabricantes
utilizam projetos com transformadores de ferrita que trabalham em alta frequência. os Trafos
de ferrite possuem as características eletromagnéticas de ampla faixa de freqüência de
trabalho 10 KHz a 100 KHz, alta resistividade, e baixa perda. Alta e estável permeabilidade
7
em função do tempo e temperatura de trabalho. É possível com base nisso projetar
inversores com tamanhos reduzidos, grande eficiência e poucas perdas.

Por estes motivos são os mais comuns usados pelas indústrias, e no treinamento prático
vamos dar a maior ênfase para este tipo, pois serão os que mais veremos no dia a dia.

Trafo de Alta Frequência Núcleo de Ferrite

Diagrama em Bloco do Funcionamento do Inversor de Alta Frequência