Вы находитесь на странице: 1из 105

física

mecânica

QUESTÕES DE VESTIBULARES
2018.1 (1o semestre)
2018.2 (2o semestre)

sumário
CINEMÁTICA
VESTIBULARES 2018.1............................................................................................................................... 2
VESTIBULARES 2018.2.............................................................................................................................. 19

LEIS DE NEWTON
VESTIBULARES 2018.1..............................................................................................................................29
VESTIBULARES 2018.2..............................................................................................................................47

TRABALHO E ENERGIA
VESTIBULARES 2018.1..............................................................................................................................57
VESTIBULARES 2018.2..............................................................................................................................73

GRAVITAÇÃO
VESTIBULARES 2018.1..............................................................................................................................79
VESTIBULARES 2018.2..............................................................................................................................82

ESTÁTICA
VESTIBULARES 2018.1..............................................................................................................................84
VESTIBULARES 2018.2..............................................................................................................................87

HIDROSTÁTICA
VESTIBULARES 2018.1.............................................................................................................................. 89
VESTIBULARES 2018.2.............................................................................................................................. 98

HIDRODINÂMICA
VESTIBULARES 2018.1.............................................................................................................................104
VESTIBULARES 2018.2.............................................................................................................................105

japizzirani@gmail.com
MECÂNICA (UNICENTRO/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: C
1 - Considere as definições abaixo:
CINEMÁTICA I) “Grandezas escalares: são aquelas que ficam totalmente definidas
apenas utilizando um número e uma unidade de medida.”
II) “Grandezas vetoriais: necessitam, para sua perfeita caracteriza-
VESTIBULARES 2018.1 ção, de uma representação mais precisa. Assim sendo, elas neces-
sitam, além do valor numérico, que mostra a intensidade, de uma
representação espacial que determine a direção e o sentido.
(SENAI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: A
São exemplos destas grandezas:
Trafegando por uma rodovia, um motociclista planejou seu tempo
a) I – tempo; II - temperatura
de percurso, estimando manter uma velocidade média de 110 km/h.
b) I – volume; II – massa
Ao se deparar com um congestionamento, teve que reduzir a velo-
*c) I – temperatura; II – velocidade
cidade média para 60 km/h, permanecendo nessa condição até sair
d) I – aceleração; II – pressão
do congestionamento, vinte minutos mais tarde, quando retomou a
e) I – campo elétrico; II - campo magnético
velocidade inicial. Com isso, o tempo total da viagem aumentou em
*a) 9 minutos.
b) 10 minutos. (SENAI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: D
c) 12 minutos. As situações a seguir envolvem grandezas físicas.
d) 20 minutos.
e) 8 minutos. 1. Um avião viaja a 600 km/h, do norte para o sul.
2. Uma propaganda anuncia uma lata de tinta contendo18 litros.
3. Ao medir a temperatura média do corpo humano, obtém-se 36°C.
(UERJ-2018.1) - ALTERNATIVA: B 4. Um menino empurra uma bicicleta, com certa força horizontal
Um carro se desloca ao longo de uma reta. Sua velocidade varia de para a esquerda.
acordo com o tempo, conforme indicado no gráfico.
As grandezas expressas nas situações 1, 2, 3 e 4 são, respectiva-
mente, de natureza
a) escalar, vetorial, vetorial e escalar.
b) vetorial, escalar, vetorial e escalar.
c) escalar, vetorial, escalar e vetorial.
*d) vetorial, escalar, escalar e vetorial.
e) escalar, escalar, vetorial e vetorial.

(SENAI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: A
Antes de colocar um automóvel no mercado, uma empresa auto-
mobilística realiza vários testes. Nos ensaios executados com dois
modelos diferentes em uma pista circular, os técnicos observaram
que o modelo A, que circula na pista interna, e o modelo B, que cir-
cula na pista externa, ao partirem simultaneamente da mesma linha
de largada, como mostra a figura a seguir, completam uma volta ao
A função que indica o deslocamento do carro em relação ao tempo mesmo tempo.
t é:
a) 5t – 0,55t 2
*b) 5t + 0,625t 2
c) 20t – 1,25t 2
d) 20t + 2,5t 2

(UERJ-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Considere que Lucy tenha caído de uma altura igual a 20 m, com
aceleração constante, atingindo o solo com a velocidade de 60 km/h.
Nessas condições, o valor da aceleração, em m/s2, corresponde
aproximadamente a:
a) 3
*b) 7
c) 11
d) 15

Nessas condições, os técnicos concluíram corretamente que


(UNICENTRO/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: B *a) a velocidade angular de A é igual à velocidade angular de B.
Um ponto material percorre uma circunferência de raio igual a 0,3 m b) a velocidade angular de A é maior que a velocidade angular de B.
em movimento uniforme de forma a dar 40 voltas por segundo. O c) a velocidade angular de A é menor que a velocidade angular de B.
período do movimento será: d) a velocidade linear de A é maior que a velocidade linear de B.
a) 2,5 s d) 10 s e) a velocidade linear de A é igual à velocidade linear de B.
*b) 0,025 s e) 0,25 Hz
c) 2,5 Hz
(UEM/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: D
A sucessão de dias e de noites nos diversos pontos da superfície
(UNICENTRO/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: D da Terra deve-se ao movimento de rotação que dura, aproximada-
A Airbus está testando seu novo avião, o A350 XWB. Na opinião mente, 24 horas. A velocidade linear de um ponto da superfície da
dos engenheiros da empresa, esse avião é ideal para linhas aéreas Terra depende da latitude, pois pontos em diferentes latitudes têm
ligando cidades em longas distâncias. Conforme anunciado pelos diferentes distâncias ao eixo de rotação. No Trópico de Capricórnio
técnicos, a velocidade média de cruzeiro do avião vale aproximada- – que passa pelo norte do estado do Paraná – a distância da super-
mente 900 km/h (no ar). Assim sendo, o tempo gasto num percurso fície da Terra ao seu eixo é, aproximadamente, igual a 5 870 km, e
de 5 000 km será de aproximadamente: o perímetro desse trópico é próximo a 36 880 km. Considere esses
a) 5 horas e 56 minutos dados e assinale a alternativa que apresenta a velocidade linear da
b) 3 horas e 56 minutos superfície da Terra em um ponto desse trópico.
c) 3 horas e 34 minutos a) 245 km/h *d) 1537 km/h
*d) 5 horas e 34 minutos b) 490 km/h e) 3 073 km/h
e) 5 horas e 27 minutos c) 980 km/h
japizzirani@gmail.com 2
(UFAL-2018.1) - ALTERNATIVA: A (PUC/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Sobre Usain Bolt, multicampeão olímpico e mundial, há quem diga O gráfico a seguir mostra como varia a velocidade de um atleta em
que o arranque do atleta jamaicano deixa muito a desejar, quase função do tempo para uma prova de 200 m. [...] Para médias e lon-
sempre entre os piores da prova que disputa. Após sair do estado gas distâncias, a velocidade média do atleta começa a decrescer à
de repouso, nos primeiros vinte metros de corrida (fase de arran- medida que a distância aumenta, pois o suprimento de O2 começa
que), mantém o corpo para frente para vencer a resistência do ar, a diminuir, tornando-se insuficiente para a demanda. O atleta inicia
mas depois endireita-se rapidamente. Ao chegar em sua velocidade seu esgotamento de O2 entre 200 m e 400 m.
máxima, tudo fica alinhado: o movimento dos braços acompanha
o das pernas, o tronco fica na vertical e a cabeça permanece di-
reita. Isto permite-lhe manter uma velocidade constante até chegar
aos últimos vinte metros da corrida. Tal como os outros colegas de
profissão, Bolt desacelera nesta fase. Mas tem como vantagem o
fato de desacelerar menos. Por fim, cruza a linha de chegada quase
sempre tranquilo.
Disponível em: <http://observador.pt/2016/08/14/fisica-e-atletismo-este-planeta-nao
-foi-feito-parausain-bolt/>. Acesso em: 17 ago. 2017 (adaptado).

Considere uma prova de 100 m rasos em que Bolt foi o vencedor e o


corredor JD foi o segundo colocado. Considere ainda que o melhor
desempenho na fase de arranque foi do corredor JD.
Assumindo a descrição acima sobre as fases da corrida, o gráfico
que melhor esboça o comportamento da velocidade de Bolt e do
corredor JD em função do tempo, desde a largada até a linha de
chegada no tempo t f, é

*a) d)

DURAN, José Enrique Rodas. Biofísica – fundamentos e aplicações.


São Paulo: Prentice Hall, 2003.

De acordo com as informações, o tempo necessário para completar


uma prova de 200 m é de aproximadamente
a) 13 s.
b) 17 s.
*c) 21 s.
d) 25 s.
b) e) e) 29 s.

(UNIFENAS/MG-2018.1) - QUESTÃO ANULADA


Considerando os seguintes dados:

c)

http://www.culturamix.com/wp-content/gallery/tratores-de-brinquedo/tratores-de-brinquedo-10.jpg

- Raio da roda maior: 1 metro;


- Raio da roda menor: 20 centímetros;
- Frequência de rotação da roda menor: 60 rpm.
Encontre a frequência de rotação da roda maior.
(UNIFOR/CE-2018.1) - ALTERNATIVA: A
a) 0,25 Hz.
Em um dia de exercícios você decide dividir sua caminhada da se-
b) 10 Hz.
guinte forma:
c) 15 Hz.
d) 20 rpm.
● Na ida, você caminha 100 m a velocidade
e) 50 rpm.
constante de 2 m/s e depois caminha mais
OBS.: Resposta correta: 0,20 Hz.
100 m com velocidade de 3 m/s.
● Na volta, você caminha com a velocidade de
(UNIFENAS/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: A
2 m/s por 40 s e com a velocidade 3 m/s por
Lançando obliquamente uma partícula, com o vetor velocidade for-
40 s.
mando com a horizontal 30° e tendo módulo de 360 km/h, obtenha o
tempo gasto pela partícula para atingir a altura máxima.
É correto afirmar que a velocidade média
Adote g = 10 m/s2.
*a) na ida é 2,4 m/s.
*a) 5 s.
b) na volta é 3,0 m/s. b) 6 s.
c) na ida é 5,0 m/s. c) 7 s.
d) na volta é 5,0 m/s. d) 8 s.
e) em todo o percurso é de 5,0 m/s. e) 9 s.
japizzirani@gmail.com 3
(PUC/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: D (UNIFOR/CE-2018.1) - ALTERNATIVA: A
Considere os dados a seguir. Um ciclista está pedalando em uma bicicleta com transmissão sim-
O guepardo é um velocista por excelência. O animal mais rápido da ples, como a mostrada na figura abaixo. A coroa da bicicleta possui
Terra atinge uma velocidade máxima de cerca de 110 km/h. O que 44 dentes e catraca 11 dentes igualmente espaçados em ambas.
é ainda mais notável: leva apenas três segundos para isso. Mas A cada volta que a catraca dá, a roda da bicicleta também dá uma
não consegue manter esse ritmo por muito tempo; a maioria das volta. Em um dado momento do passeio, a pedivela (a peça que
perseguições é limitada a menos de meio minuto, pois o exercício contém os pedais e a qual a coroa está presa) está fazendo 30 ro-
anaeróbico intenso produz um grande débito de oxigênio e causa tações por minuto.
uma elevação abrupta da temperatura do corpo (até quase 41ºC,
perto do limite letal). Um longo período de recuperação deve se se-
guir. O elevado gasto de energia significa que o guepardo deve es-
colher sua presa cuidadosamente, pois não pode se permitir muitas
perseguições infrutíferas.
ASHCROFT, Francis. A Vida no Limite – A ciência da sobrevivência. Jorge
Zahar Editor, Rio de Janeiro, 2001.

Considere um guepardo que, partindo do repouso com aceleração


constante, atinge 108 km/h após três segundos de corrida, manten-
do essa velocidade nos oito segundos subsequentes. Nesses onze
segundos de movimento, a distância total percorrida pelo guepardo
foi de
a) 180 m.
b) 215 m.
c) 240 m.
*d) 285 m.
e) 305 m.
Sabendo que a circunferência da roda é de 2 metros, qual é a velo-
cidade em km/h da bicicleta nesse instante?
(PUC/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: E *a) 14,4.
A posição de uma partícula ao longo do tempo está representada no b) 20,2.
gráfico abaixo. c) 26.
d) 32,3.
e) 36.

(PUC/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Uma bola é lançada horizontalmente com uma velocidade v0 a partir
de uma calha que se encontra a uma altura h0 do solo. A bola atinge
o solo à distância horizontal L0 a partir do ponto de lançamento.
Se a altura da calha for quadruplicada, a nova distância horizontal a
partir do ponto de lançamento será
Assinale a opção que pode corresponder à velocidade dessa par-
tícula. a) 4L0 .
*b) 2L0 .
a) d) c) L0 .
d) L0 /2 .
e) L0 /4 .

(PUC/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Um carro parte do repouso com aceleração de 5,0 m/s2 e percorre
uma distância de 1,0 km.
Qual é o valor da velocidade média do carro, em m/s, nesse trecho?
b) *e) a) 2,5 d) 100
b) 20 e) 200
*c) 50

(PUC/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Um carro percorre 20 km com velocidade de 60 km/h. Para em um
posto por 10 minutos e segue viagem por mais meia hora, a uma
velocidade de 50 km/h.
c) Qual a sua velocidade escalar média no percurso total, em km/h?
a) 55 *d) 45
b) 54 e) 37
c) 50

(PUC/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: E
Ao jogar uma pedra a partir da borda de um penhasco de 100 m
de altura, uma garota verifica que a pedra chega ao solo a uma
distância horizontal de 10 m da borda do penhasco, e 5 s depois de
(PUC/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: B lançada.
Uma criança derruba um prato que está sobre uma mesa de altura Qual é a tangente do ângulo de lançamento da pedra, em relação
h = 80 cm. à horizontal?
Tomando a velocidade inicial do prato como nula quando começa a Dado: g = 10m/s2.
cair, calcule a sua velocidade, em m/s, quando colide com o chão. a) 0
Dado: g = 10 m/s2. b) 0,4
a) 0,40 d) 10 c) 1
*b) 4,0 e) 16 d) 3
c) 8,0 *e) 2,5
japizzirani@gmail.com 4
(FGV/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: C (VUNESP/UNICID-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Uma criança solta um carrinho no escorregador de uma piscina. O gráfico mostra a variação da velocidade em função dadistância
O carrinho desliza até a extremidade inferior do escorregador e se percorrida por três atletas, X, Y e Z, em corridas de 100 m.
descola dele, com velocidade igual a 8 m/s na direção que forma
um ângulo de 30º com a horizontal, a 45 cm de altura em relação
à superfície da água. O atrito entre o carrinho e o escorregador, a
resistência do ar e o tamanho do carrinho devem ser ignorados. As
velocidades horizontal e vertical do carrinho, ao atingir a superfície
da água, são, respectivamente, próximas de
a) 8 m/s e 6 m/s Considere:
b) 7 m/s e 8 m/s sen 30º = 0,5
*c) 7 m/s e 5 m/s cos 30º = 0,9
d) 8 m/s e 5 m/s Aceleração da gravidade = 10 m/s2
e) 7 m/s e 6 m/s

(PUC-CAMPINAS/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Um objeto foi lançado obliquamente a partir de uma superfície plana
(www.ipt.br. Adaptado.)
e horizontal de modo que o valor da componente vertical de sua ve-
locidade inicial era v0y = 30 m/s e o da componente horizontal era v0x A partir do gráfico, é correto afirmar que
a) o atleta X desenvolveu movimento retardado entre 50 m e 60 m.
= 8,0 m/s. Considerando a aceleração gravitacional igual a 10 m/s2
b) os três atletas desenvolveram movimento retardado entre 60 m
e desprezando a resistência do ar, o alcance horizontal do objeto foi
e 80 m.
a) 12 m.
*c) os três atletas desenvolveram movimento acelerado entre 40 m
b) 24 m.
e 60 m.
*c) 48 m.
d) o atleta Y desenvolveu a maior aceleração entre 60 m e 80 m.
d) 78 m.
e) o atleta Z desenvolveu movimento retardado entre 70 m e 80 m.
e) 240 m.

(UVV/ES-2018.1) - ALTERNATIVA: D
(PUC-CAMPINAS/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B A prática regular de exercícios aeróbicos, como o ciclismo, é bastan-
Para que um satélite seja utilizado para transmissões de televisão, te eficaz no controle do diabetes, níveis de colesterol e triglicérideos,
quando em órbita, deve ter a mesma velocidade angular de rotação além disso, previne doenças cardíacas. Porém, antes de se iniciar
da Terra, de modo que se mantenha sempre sobre um mesmo ponto qualquer atividade física, é importante realizar uma avaliação mé-
da superfície terrestre. dica para saber qual é o real estado de saúde por meio de exames
Considerando R o raio da órbita do satélite, dado em km, o módulo adequados. Um exame bastante utilizado é o teste de esforço na
da velocidade escalar do satélite, em km/h, em torno do centro de bicicleta ergométrica.
sua órbita, considerada circular, é
Disponível em: www.ufrgs.br.
a) p .R . d) 2p . R . Acesso em: 18/07/2017.
24
p Considere que um homem idoso inicie esse teste em uma bicicleta,
b) .R . e) 12p . R . cujo diâmetro da circunferência, descrita pelo pedal, é de 40 cm. O
24
homem inicia o giro a partir do repouso, em t = 0,0 s, com aceleração
c) p .R . angular constante. No instante t = 2,0 s, a velocidade angular é de
1,5 rad/s. O homem mantém a aceleração constante até t = 4,2 s.
(UNICENTRO/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: B Se o teste de esforço é encerrado em t = 15 s, pode-se afirmar que
Um despertador toca uma vez a cada meia hora, todos os dias. A o número de voltas completas, descritas pelo pedal, no intervalo de
ordem de grandeza do número de vezes que o despertador toca t = 0,0 s a t = 15 s, é de, aproximadamente, quantas voltas?
durante um ano será: a) 3. *d) 6.
a) 103 b) 4. e) 7.
c) 5.
*b) 104
c) 105
(UVV/ES-2018.1) - ALTERNATIVA: B
d) 106
Um avião decola do aeroporto Eurico Sales de Aguiar, localizado em
Vitória/ES, com destino a Ribeirão Preto, localizado no interior do
(FAC.CATÓLICA/TO-2018.1) - ALTERNATIVA: D estado de São Paulo. O trajeto está indicado na figura abaixo:
O mapa abaixo representa um bairro de determinada cidade, no qual
as flechas indicam o sentido das mãos do tráfego. Sabe-se que esse
bairro foi planejado e que cada quadra representada na figura é um
terreno quadrado, de lado igual a 200 metros.

Com base nessas informações, o deslocamento do avião nesse voo,


Desconsiderando-se a largura das ruas, qual seria o tempo, em mi- em km, foi de, aproximadamente,
nutos, que um ônibus, em velocidade constante e igual a 40 km/h, a) 690.
partindo do ponto X, demoraria para chegar até o ponto Y? *b) 778.
a) 25 min. *d) 1,5 min. c) 808.
b) 15 min. e) 0,15 min. d) 928.
c) 2,5 min e) 1050.
japizzirani@gmail.com 5
(UNICENTRO/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: D (VUNESP-UEA/AM-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Um objeto percorre 60 km em 12 minutos. A sua velocidade escalar Em testes de resistência a quedas, controles remotos são soltos em
média será: queda livre, contra um piso de concreto, a 1,8 m de altura. Conside-
a) 120 km/h rando desprezível a resistência do ar e sendo a aceleração da gra-
b) 150 km/h vidade 10 m/s2, o módulo da velocidade com que o controle remoto
c) 200 km/h toca o chão é
*d) 300 km/h a) 2 m/s.
b) 3 m/s.
c) 4 m/s.
(UVV/ES-2018.1) - ALTERNATIVA: B *d) 6 m/s.
Você está parado em um corredor de um hospital em um dia de e) 8 m/s.
plantão, quando percebe a chegada de um paciente em uma maca
móvel, que precisa de atendimento urgente. Essa maca está sendo
empurrada por um enfermeiro e vindo em sua direção com uma ve- (VUNESP-UEA/AM-2018.1) - ALTERNATIVA: E
locidade de 10 km/h. O enfermeiro, acidentalmente, escorrega e cai, O gráfico representa a posição s (m) de um corpo em função do tem-
mas a maca continua seguindo na mesma direção e sentido, com a po t (s), enquanto o corpo realiza um movimento retilíneo.
mesma velocidade, só que sem controle. Por estar atento, no instan-
te em que o enfermeiro escorrega, você já sai em disparada atrás
da maca. A 10,0 m de você, existe uma parede e, se a maca não for
parada a tempo, o choque poderá causar danos graves ao paciente.
Mas, quando você parte, em disparada, atrás da maca, ela já está
a 2,0 m distante de você. A menor aceleração constante que você
deve imprimir para evitar esse acidente é de
a) 1,54 m/s2.
*b) 2,41 m/s2.
c) 3,13 m/s2. Para movimentos como esse, a função horária que representa as
d) 6,00 m/s2. posições em função do tempo tem o aspecto s = s0 + v ∙t, sendo s0
a posição medida em metros e v a velocidade medida em metros
e) 31,3 m/s2.
por segundo.
A função horária que representa corretamente o movimento repre-
(VUNESP-UEA/AM-2018.1) - ALTERNATIVA: E sentado no gráfico é
A lixadeira de fita é uma ferramenta utilizada em marcenaria para dar a) s = 2 + 6∙t
acabamento na madeira após ter sido cortada. É constituída por dois b) s = 2 – 6∙t
cilindros que mantêm tensa uma fita coberta com material abrasivo. c) s = 6 + 0,5∙t
Um desses cilindros gira livremente em seu eixo, enquanto o outro d) s = 12 – 0,5∙t
tem seu eixo conectado a uma polia A que se conecta, por meio de *e) s = 12 – 2 ∙t
uma correia montada cruzada, a uma polia B, presa a um motor
elétrico, conforme a figura 1. (VUNESP-UEA/AM-2018.1) - ALTERNATIVA: B
A caixa preta de aviões é um dispositivo gravador de dados que
ajuda na compreensão dos fatores que conduziram o avião ao aci-
dente. Esses dispositivos podem resistir a acelerações de 33 km/s2.
Em relação ao valor 9,8 m/s2, que corresponde ao valor da acelera-
ção da gravidade, a aceleração que uma caixa preta pode suportar
é, aproximadamente,
a) 2 500 vezes maior.
*b) 3 400 vezes maior.
c) 4 600 vezes maior.
d) 7 200 vezes maior.
e) 9 166 vezes maior.

(VUNESP-UEA/AM-2018.1) - ALTERNATIVA: E
Um corpo é abandonado em queda livre e, em seu movimento des-
cendente, passa pelo ponto A com velocidade de 2 m/s e pelo ponto
B com velocidade de 8 m/s, conforme a figura.

Se a polia do motor (polia B) for trocada por outra de diâmetro maior


e a correia for montada sem ser cruzada, como mostra a figura 2, o
ponto P, indicado na figura, terá sua velocidade linear, relativamente Desprezando a resistência do ar e adotando g = 10 m/s2, a distância
à montagem original, d entre os pontos A e B é
a) menor, movendo-se para a esquerda. a) 7 m.
b) menor, movendo-se para a direita. b) 4 m.
c) igual, movendo-se para a esquerda. c) 5 m.
d) maior, movendo-se para a direita. d) 6 m.
*e) maior, movendo-se para a esquerda. *e) 3 m.
japizzirani@gmail.com 6
(VUNESP-UEA/AM-2018.1) - ALTERNATIVA: B (PUC/GO-2018.1) - ALTERNATIVA: D
O gráfico mostra como varia, em função do tempo, a posição de O Texto 4, fragmento de Menino de engenho, de José Lins do
um corpo que se move sobre uma trajetória circular contida em um Rego, apresenta a lembrança de um uxoricídio (assassinato da
plano horizontal. esposa pelo marido) a bala. Em testes de balística, é comum que
se determine a trajetória do projétil para a elucidação de um crime.
Suponha que o marido tenha atirado horizontalmente com a arma a
1,5 m do solo plano e horizontal, a uma distância de 12 m da esposa.
Se a bala tiver abandonado o cano do revólver a uma velocidade
de 120 m/s em que a altura, em relação ao solo, a bala alvejará a
vítima?
Considere o módulo da aceleração da gravidade = 10 m/s2.
Assinale a resposta correta:
a) 0,50 m.
b) 1,00 m.
c) 1,25 m.
*d) 1,45 m.

(PUC/GO-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Analisando o gráfico, é correto afirmar que: No conto “A mulher que comeu o amante”, de que o Texto 5 é frag-
a) em algum instante entre t1 e t3 , o corpo parou. mento, o velho Januário foi atirado a um poço. Considere que Ja-
*b) no instante t3 , o corpo está em movimento retardado. nuário tenha uma massa de 70 kg e tenha sido jogado, a partir do
c) no instante t2 , o corpo está parado. repouso, de uma altura de 9,6 m. Despreze a resistência do ar e
d) nos instantes t1 e t2 , o módulo da velocidade escalar do corpo suponha que seu corpo tenha caído verticalmente, sem se colidir
está aumentando. com nenhum objeto. Nessas condições, a velocidade em que ele se
e) nos instantes t1 e t3 , o corpo se move em sentidos opostos sobre encontra ao percorrer um terço da trajetória é de
a circunferência. Considere o módulo da aceleração da gravidade = 10 m/s2.
Marque a resposta correta:
a) 14 m/s.
(UEL/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: D
*b) 8 m/s.
Suponha que a máquina de tear industrial, seja composta por 3 en-
c) 6 m/s.
grenagens (A, B e C), conforme a figura a seguir.
d) 5 m/s.

(PUC/GO-2018.1) - ALTERNATIVA: A
No Texto 8, Otávio pede a Tião para “tomá outro rumo”, mostrando
uma situação de forte conflito na vida cotidiana. Na Física, mudan-
ças de rumo estão associadas às grandezas vetoriais. Refletindo
sobre isso, analise as afirmações a seguir:
I - Se Tião, a partir da casa de Otávio, seguir 20 km diretamente ao
Suponha também que todos os dentes de cada engrenagem são norte e, em seguida, 15 km diretamente a leste, ele se encontrará a
iguais e que a engrenagem A possui 200 dentes e gira no sentido uma distância de 25 km do seu ponto de partida.
anti-horário a 40 rpm. Já as engrenagens B e C possuem 20 e 100 II - Se Tião, saindo da casa de Otávio, iniciar um movimento circular
dentes, respectivamente. Com base nos conhecimentos sobre mo- uniformemente variado de 30 m de raio, a partir do repouso e no
vimento circular, assinale a alternativa correta quanto à velocidade sentido horário, com aceleração escalar de 2,0 m/s2, a intensidade
e ao sentido. de sua aceleração centrípeta no instante 3 s será de 1,2 m/s2.
a) A engrenagem C gira a 800 rpm e sentido antihorário. III - Se Tião, ao “tomá outro rumo” iniciar um movimento retilíneo
b) A engrenagem B gira a 40 rpm e sentido horário. com aceleração escalar constante de 2,0 m/s2, pode-se afirmar que,
c) A engrenagem B gira a 800 rpm e sentido antihorário. no instante 8 s, sua aceleração vetorial será de 4,0 m/s2.
*d) A engrenagem C gira a 80 rpm e sentido antihorário. Assinale a única alternativa cujos itens estão todos corretos:
e) A engrenagem C gira a 8 rpm e sentido horário. *a) I e II.
b) I, II e III.
c) I e III.
VUNESP-StaCASA/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: D d) II e III.
Um automóvel move-se por uma rua retilínea e sua aceleração es-
calar está representada no gráfico.
(VUNESP-StaCASA/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Um motorista dirigia seu automóvel por uma estrada reta. Ao pas-
sar pela placa 1, com velocidade de 25 m/s, iniciou a frenagem de
seu veículo mantendo uma desaceleração constante até passar pela
lombada. Em seu trajeto, passou pela placa 2, com velocidade de
15 m/s.
Placa 1 Placa 2

Sabendo que no instante t = 2 s a velocidade escalar desse auto-


móvel é de 2 m/s, sua velocidade escalar média no intervalo entre
t = 2 s e t = 8 s é de O intervalo de tempo decorrido entre a passagem do veículo pela
a) 8 m/s. placa 1 e a passagem pela lombada foi de
a) 30 s.
b) 9 m/s.
*b) 20 s.
c) 10 m/s. c) 25 s.
*d) 11 m/s. d) 10 s.
e) 12 m/s. e) 15 s.
japizzirani@gmail.com 7
(UFPR-2018.1) - ALTERNATIVA: C (ENEM-2017) - ALTERNATIVA: E
Um canhão efetua um disparo de um projétil verticalmente para Um motorista que atende a uma chamada de celular é levado à de-
cima, a partir do chão, e o projétil atinge uma altura máxima H medi- satenção, aumentando a possibilidade de acidentes ocorrerem em
da a partir do chão, quando então retorna a ele, caindo no mesmo lo- razão do aumento de seu tempo de reação. Considere dois motoris-
cal de onde partiu. Supondo que, para esse movimento, a superfície tas, o primeiro atento e o segundo utilizando o celular enquanto diri-
da Terra possa ser considerada como sendo um referencial inercial ge. Eles aceleram seus carros inicialmente a 1,00 m/s2. Em respos -
e que qualquer tipo de resistência do ar seja desprezada, considere ta a uma emergência, freiam com uma desaceleração igual a
as seguintes afirmativas: 5,00 m/s2. O motorista atento aciona o freio à velocidade de
14,0 m/s, enquanto o desatento, em situação análoga, leva 1,00 se-
1. A aceleração no ponto mais alto da trajetória, que fica a uma gundo a mais para iniciar a frenagem.
altura H do chão, é nula. Que distância o motorista desatento percorre a mais do que o moto-
2. O deslocamento total do projétil vale 2 H. rista atento, até a parada total dos carros?
a) 2,90 m
3. O tempo de subida até a altura H é igual ao tempo de queda da b) 14,0 m
altura H até o chão. c) 14,5 m
d) 15,0 m
Assinale a alternativa correta. *e) 17,4 m
a) Somente a afirmativa 1 é verdadeira.
b) Somente a afirmativa 2 é verdadeira.
(UFLA/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: D
*c) Somente a afirmativa 3 é verdadeira.
Na linha de partida, X = 0 m, um velocista parte do repouso. Na
d) Somente as afirmativas 1 e 3 são verdadeiras.
linha de chegada, que se encontra a 100 m da linha de partida, o
e) As afirmativas 1, 2 e 3 são verdadeiras.
velocista para, 10 s após a largada. A alternativa que melhor repre-
senta o gráfico da posição em função do tempo para o movimento
(UNITAU/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: A do velocista é:
Um objeto, cujas dimensões são desprezíveis, é lançado vertical-
mente para cima, de uma altura h1, medida em relação ao solo, com a) c)
uma velocidade inicial de módulo 30 m/s. Após o objeto ter atingido
uma altura máxima de h2 , medida em relação ao ponto de lança-
mento, caiu até atingir o solo. O tempo total do movimento (tempo
de voo) do objeto foi de 8 s. Considerando desprezível o atrito do
objeto com o ar e, ainda, tomando g = 10 m/s2, as alturas h1 e h2 são,
respectivamente, iguais a
*a) 80 m e 45 m d) 80 m e 30 m
b) 125 m e 45 m e) 20 m e 45 m
c) 20 m e 60 m

b) *d)
(UNESP-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Juliana pratica corridas e consegue correr 5,0 km em meia hora.
Seu próximo desafio é participar da corrida de São Silvestre, cujo
percurso é de 15 km. Como é uma distância maior do que a que
está acostumada a correr, seu instrutor orientou que diminuísse sua
velocidade média habitual em 40% durante a nova prova. Se seguir
a orientação de seu instrutor, Juliana completará a corrida de São
Silvestre em
a) 2h40min. *d) 2h30min.
b) 3h00min. e) 1h52min.
c) 2h15min.
(ACAFE/SC-2018.1) - ALTERNATIVA: C
O funcionamento do limpador de para-brisa deve ser verificado com
(ACAFE/SC-2018.1) - ALTERNATIVA: B o motor ligado, nas respectivas velocidades de acionamento, de-
A Física é a ciência responsável pelos fenômenos que acontecem vendo existir no mínimo 02 (duas) velocidades distintas e parada
ao nosso redor, sendo que a relação com a Matemática traduz-se automática (quando aplicável). A velocidade menor deve ser de 20
em expressões algébricas ou fórmulas matemáticas, que embasam ciclos por minuto e a maior com, no mínimo, 15 ciclos por minuto a
os fundamentos teóricos. Em um M.R.U.V. para um determinado mais do que a menor.
móvel a velocidade do mesmo é descrita pela equação v = 50 – 10 t Fonte: Disponível em: < MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E CO-
(em unidades do SI). MÉRCIO EXTERI-OR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALI-
ZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria n.º 30 de 22 de janeiro de
Neste caso, a alternativa correta que apresenta o instante, em s, que
2004>. Acesso em: 25 de ago. 2017.
o móvel inverte o sentido do movimento é:
a) 0,5 Considere um automóvel com o limpador de para-brisa dianteiro
*b) 5,0 (raio de 40cm) e traseiro (raio de 20cm), como mostra a figura abai-
c) 1,0 xo.
d) 0,2

(ACAFE/SC-2018.1) - ALTERNATIVA: A
Por uma mesma estrada reta, dois caminhões idênticos trafegam
com a mesma velocidade. O caminhão 1 leva uma carga duas vezes
mais pesada que o caminhão 2. Ao deparar-se com um obstáculo na
pista, os dois motoristas freiam no mesmo instante e os caminhões
param depois de um mesmo tempo curto. Com base no exposto, assinale a alternativa correta para as razões
Considere o exposto e assinale a alternativa correta que completa a wdianteiro / wtraseiro e Vdianteiro / Vtraseiro , respectivamente, para pontos
lacuna da frase a seguir. na extremidade dos limpadores deste automóvel, se a velocidade
Até parar, a distância percorrida pelo caminhão 1 é _________ a de acionamento do traseiro for a menor e do dianteiro for a maior.
distância percorrida pelo caminhão 2. (Tome os movimentos como MCU).
a) 4/3 e 3/4
*a) igual.
b) duas vezes maior. b) 4/3 e 7/4
c) duas vezes menor. *c) 7/4 e 7/2
d) quatro vezes maior. d) 7/2 e 4/3
japizzirani@gmail.com 8
(UNITAU/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B (UFLA/MG-2018.1) - ALTERNATIVA OFICIAL: B
Um projétil, cujas dimensões são desprezíveis, é lançado da super- Em uma jogada típica no futebol americano, para que o time consi-
fície da Terra com uma velocidade inicial de módulo v0 , a qual forma ga marcar ponto, o arremessador lança uma bola com velocidade
um ângulo θ = 45º com a superfície horizontal. O objeto se deslo- VB = 10√ 3 m/s e com ângulo de 30° com a horizontal. Para que seja
ca, somente sob a ação da força gravitacional terrestre, e descreve marcado ponto, a bola percorre uma trajetória parabólica e deve ser
uma trajetória parabólica até atingir o solo. A distância horizontal e interceptada por outro jogador, o receptor, a uma distância d = 75 m,
retilínea entre o ponto de lançamento do objeto e o ponto em que o em relação ao ponto de lançamento. Antes de iniciar a jogada, o ar-
projétil atingiu o solo (alcance) foi de 20 m. Considerando desprezí- remessador e o receptor estão localizados em um mesmo local. Ao
veis as dimensões do objeto, bem como o atrito do objeto com o ar e, ser dado inicio à jogada, o receptor corre com velocidade constante
ainda, tomando g = 10 m/s2, o módulo da velocidade de lançamento de VR = 5,0 m/s até a marca de 75 m para receber a bola. O tempo
(v0) foi de √2 que o arremessador deve manter a posse da bola antes de largá-la,
Dados: sen 45º = cos 45º = ;√ 2 = 1,42. para que o receptor consiga alcançá-la, é:
2 √3 .
1
a) 10,0 m/s d) 28,3 m/s Considere sen 30º = e cos30º =
*b) 14,2 m/s e) 40,0 m/s 2 2
a) 5 s
c) 20,0 m/s *b) 10 s
c) 15 s
d) 20 s
(UNICAMP/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Situado na costa peruana, Chankillo, o mais antigo observatório das
Américas, é composto por treze torres que se alinham de norte a sul (UFRN /TÉCNICO-02018.1) - ALTERNATIVA: D
ao longo de uma colina. Em 21 de dezembro, quando ocorre o sols- Segundo o movimento Paulista de Segurança no Trânsito, 94% dos
tício de verão no Hemisfério Sul, o Sol nasce à direita da primeira acidentes de trânsito são decorrentes da desatenção ou de impru-
torre (sul), na extrema direita, a partir de um ponto de observação dências dos condutores. O uso de celulares e outras tecnologias
definido. À medida que os dias passam, a posição em que o Sol nas- correspondem à quarta maior causa desses acidentes. Para exem-
ce se desloca entre as torres rumo à esquerda (norte). Pode-se cal- plificar o perigo desse hábito, se um condutor dirige em uma via
cular o dia do ano, observando-se qual torre coincide com a posição com velocidade de 72 km/h e se distrai por cerca 3 segundos para
do Sol ao amanhecer. Em 21 de junho, solstício de inverno no He- olhar o celular, durante esse tempo, a distância total percorrida pelo
misfério Sul, o Sol nasce à esquerda da última torre na extrema es- veículo é de
querda e, à medida que os dias passam, vai se movendo rumo à a) 216 metros.
direita, para reiniciar o ciclo no dezembro seguinte. Sabendo que b) 20 metros.
as torres de Chankillo se posicionam ao longo de 300 metros no c) 24 metros.
eixo norte-sul, a velocidade escalar média com a qual a posição do *d) 60 metros.
nascer do Sol se desloca através das torres é de aproximadamente
(UEM/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 18 (02+16)
Um corpo é lançado no vácuo em uma direção que forma com a
horizontal um ângulo q. Considere que a componente horizontal
do vetor velocidade inicial é 120 m/s, que a componente vertical é
50 m/s e que a aceleração da gravidade é g = 10 m/s2. Assinale o
que for correto.
01) A tangente de q é igual a 12 .
a) 0,8 m/dia. 5
*b) 1,6 m/dia. 02) O módulo da velocidade de lançamento é 130 m/s.
c) 25 m/dia. 04) A curva que o movimento realizado pelo corpo descreve é a me-
d) 50 m/dia. tade de uma circunferência.
08) A altura máxima que o corpo atinge é 80 m.
16) O alcance do corpo lançado é de 1 200 m.
(FGV/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: D
A figura ilustra um tubo cilíndrico contendo óleo de cozinha em seu
interior e uma trena para graduar a altura da quantidade de óleo. A (VUNESP/CEFSA-2018.1) - ALTERNATIVA: C
montagem tem como finalidade o estudo do movimento retilíneo de Duas polias, A e B, conectadas por um mesmo eixo, são usadas
uma gota de água dentro do óleo. Da seringa, é abandonada, do re- para transportar verticalmente material em baldes, como represen-
pouso e bem próxima da superfície livre do óleo, uma gota de água tado na figura.
que vai descer pelo óleo. As posições ocupadas pela gota, em fun-
ção do tempo, são anotadas na tabela, e o marco zero da trajetória
da gota é admitido junto à superfície livre do óleo.

S (cm) t (s)
0 0
1,0 2,0
4,0 4,0
9,0 6,0
16,0 8,0

Sendo o raio da polia B duas vezes maior do que o raio da polia A, à


(Física em contextos - Mauricio medida que a manivela gira num determinado sentido, é correto afir-
Pietrocola e outros)
mar que, em um mesmo intervalo de tempo, a distância percorrida
É correto afirmar que a gota realiza um movimento pelo balde da polia A é
a) com aceleração variável, crescente com o tempo. a) igual à distância percorrida pelo balde da polia B.
b) duas vezes maior que a distância percorrida pelo balde da polia B.
b) com aceleração variável, decrescente com o tempo.
*c) a metade da distância percorrida pelo balde da polia B.
c) uniformemente variado, com aceleração de 1,0 cm/s2. d) quatro vezes maior que a distância percorrida pelo balde da po-
*d) uniformemente variado, com aceleração de 0,5 cm/s2. lia B.
e) uniformemente variado, com aceleração de 0,25 cm/s2. e) um quarto da distância percorrida pelo balde da polia B.
japizzirani@gmail.com 9
(UFRN /TÉCNICO-2018.1) - ALTERNATIVA: B (IF/CE-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Para chegar ao seu destino, um motorista gasta 6 horas viajando de Uma garotinha sai com a família para uma trilha numa região ser-
automóvel, com velocidade constante de 80 km/h. O tempo neces- rana ao amanhecer e, por descuido, acaba se perdendo da família.
sário para que esse motorista faça o mesmo trajeto com a velocida- Ela lembra o comentário do seu pai enquanto o mesmo retirava os
de constante de 60 km/h é de equipamentos de segurança do carro no início da caminhada, dizen-
a) 7 horas. do que eles iriam seguir rumo a região sudoeste. Por ser uma garota
*b) 8 horas. esperta, resolve caminhar na direção oposta visando encontrar o
c) 9 horas. carro da família.
d) 10 horas.

(UEG/GO-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Dispositivos para flagrar motoristas dirigindo em velocidade acima
da permitida, chamados de “pardais eletrônicos”, são equipados
com filmadoras. Uma dessas filmadoras foi colocada em um poste
de 6 m de altura, formando com ele um ângulo de 45º. Após 0,3 s da
passagem de um carro pelo poste, o veículo foi fotografado.

Para isso ela andou para


a) a frente e para esquerda.
b) trás e para esquerda.
*c) a frente e para direita.
d) trás e para direita.
e) a esquerda.
A velocidade do automóvel, do momento em que passou pelo poste
até o momento da fotografia, foi de (FUVEST/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: A
a) 60 km/h Em uma tribo indígena de uma ilha tropical, o teste derradeiro de
*b) 72 km/h coragem de um jovem é deixar-se cair em um rio, do alto de um
c) 80 km/h penhasco. Um desses jovens se soltou verticalmente, a partir do
d) 95 km/h repouso, de uma altura de 45 m em relação à superfície da água.
e) 115 km/h O tempo decorrido, em segundos, entre o instante em que o jovem
iniciou sua queda e aquele em que um espectador, parado no alto
(VUNESP/CEFSA-2018.1) - ALTERNATIVA: B do penhasco, ouviu o barulho do impacto do jovem na água é, apro-
A trajetória da figura foi descrita pelo lançamento oblíquo de um pro- ximadamente,
*a) 3,1.
jétil, com velocidade inicial v0 e ângulo de disparo α. b) 4,3.
c) 5,2.
d) 6,2.
e) 7,0.
Note e adote:
Considere o ar em repouso e ignore sua resistência.
Ignore as dimensões das pessoas envolvidas.
Velocidade do som no ar: 360 m/s.
Aceleração da gravidade: 10 m/s2.

(FMABC/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: 37 E ; 38A


Atenção: Para responder às questões de números 37 e 38, conside-
re a situação abaixo.
Dois ciclistas estão separados por AB = 161 km. O ciclista na posi-
ção A começa seu percurso, sentido de A para B, viajando a uma ve-
Sendo g a aceleração da gravidade e desprezando-se a resistência locidade constante de 12 km/h. O ciclista na posição B começa seu
do ar, é correto afirmar sobre esse movimento que, na altura máxi- percurso, sentido de B para A, viajando a uma velocidade constante
ma, de 16 km/h, exatamente no mesmo instante em que o outro ciclista
a) a velocidade do projétil é nula. começou seu percurso.

*b) a velocidade do projétil é v0 cos α. A 161 km B


c) a velocidade do projétil é v0 sen α.
QUESTÃO 37
d) a aceleração da gravidade muda de sinal. No momento em que os dois ciclistas se cruzarem no percurso, fal-
v sen α . tará ao ciclista mais veloz, para percorrer o restante do trajeto AB ,
e) a altura alcançada pelo projétil é 0 g
um tempo de viagem de, aproximadamente,
a) 3 horas e 41 minutos.
(UENP/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: B b) 5 horas e 7 minutos.
Se as gotas de chuva não experimentassem a resistência aerodinâ- c) 4 horas e 6 minutos.
mica durante suas quedas, seria perigoso sair para o descampado d) 5 horas e 15 minutos.
em dias chuvosos. Para verificar essa condição, considere que as *e) 4 horas e 19 minutos.
gotas de chuva caem de uma nuvem a 1 km de altura e que não
exista a resistência produzida pelo ar. QUESTÃO 38
Nessas condições, assinale a alternativa que apresenta, correta- A cada 45 minutos, os dois ciclistas se aproximam uma distância
mente, a velocidade, em m/s, das gotas de chuva ao atingir o chão. igual a
*a) 21,0 km.
Dado: g = 10 m/s2.
b) 17,5 km.
a) 71 m/s d) 212 m/s c) 35,0 km.
*b) 141 m/s e) 252 m/s d) 14,5 km.
c) 188 m/s e) 24,5 km.
japizzirani@gmail.com 10
(IF/CE-2018.1) - ALTERNATIVA: C (CESUPA-2018.1) - ALTERNATIVA: A
Um automóvel parte do km 73 da BR 116 às 6 h 45 min e chega Dois veículos trafegam em uma rodovia distantes 500 metros entre
ao km 59 às 6 h 55 min. A velocidade escalar média do automóvel si. O veículo que vai à frente está a uma velocidade de 100 km/h
nesse percurso, em km/h, foi de quando freia repentinamente, com desaceleração de 104 km/h2 até
a) 72. d) 120. parar totalmente. Qual a distância máxima que o segundo carro pode
b) – 58. e) 90. percorrer sem que haja colisão com o veículo que vai à frente?
*c) – 84. *a) 1 km
b) 500 m
c) 2 km
(CESUPA-2018.1) - ALTERNATIVA: A
No método geofísico Radar de Penetração de Solo (GPR, em in- d) 1 500 m
glês), uma onda eletromagnética é emitida por um transmissor e,
após percorrer algumas dezenas de centímetros no solo, ela é re- (FMABC/SP-2018.1 - ALTERNATIVA: B
fletida e captada por um receptor. Neste método, a velocidade da No instante t 0 = 0, três móveis estão se deslocando em movi-
onda eletromagnética no solo é dada em metros por nanossegundo mento retilíneo no sentido da origem de um plano cartesiano no
(m/ns) e será menor que a velocidade da luz no vácuo (para efeitos qual cada unidade vale 1,0 km. O primeiro móvel está no ponto
práticos aqui considerada 300 000 km/s). Assim, adotando a veloci- P1 (6,0km; 8,0km) com velocidade constante, o segundo está no
dade da luz no vácuo como um parâmetro de medida, teremos o seu ponto P2 (0; 8,0km) com aceleração constante de 4,0 km/h2 e velo-
valor nesta unidade igual a cidade nula, e o terceiro está no ponto P3 (15,0km; 0) também com
*a) 0,3 m/ns. velocidade constante.
b) 3 m/ns. Para que os três móveis atinjam a origem do sistema no mesmo
c) 30 m/ns. instante de tempo, os módulos das velocidades do primeiro e do
d) 300 m/ns. terceiro móveis devem ser, respectivamente, em km/h,
a) 2,5 e 2,5
(UDESC-2018.1) - ALTERNATIVA: B *b) 5,0 e 7,5
O gráfico, mostrado na Figura 4, foi construído com base nos dados c) 2,5 e 15,0
experimentais acerca do movimento de um carrinho, que iniciou o d) 4,0 e 7,5
movimento do repouso, ao longo de uma linha reta, sobre o plano e) 5,0 e 5,0
horizontal. A partir deste gráfico, podem-se obter muitas informações
sobre o movimento deste carrinho.
(MACKENZIE/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B
x (cm) Uma pessoa realiza uma viagem de carro em uma estrada retilínea,
16 parando para um lanche, de acordo com gráfico abaixo.

t (s)
0 2 6 9

Figura 4
Assinale a alternativa que apresenta as informações corretas, sobre
o movimento do carrinho, obtidas a partir deste gráfico.
a) De 0 s a 2 s o movimento do carrinho é MRU com v = 8 cm/s; de 2 s A velocidade média nas primeiras 5 horas deste movimento é
a 6 s o movimento é MRUV com a = –3 cm/s2; de 6 s a 9 s o carrinho a) 10 km/h.
deslocou-se por 4 cm. *b) 12 km/h.
*b) De 0 s a 2 s o movimento do carrinho é MRUV com a = 8cm/s2; de c) 15 km/h.
2 s a 6 s o movimento é MRU com v = –3cm/s; de 6 s a 9 s o carrinho d) 30 km/h.
ficou em repouso. e) 60 km/h.
c) De 0 s a 2 s o movimento do carrinho é MRUV com a = 8 cm/s2;
de 2 s a 6 s o deslocamento do carrinho foi de 12 cm; de 6 s a 9 s a (VUNESP-FMJ/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: E
velocidade do carrinho é de 1,3 cm/s. Um garoto lança uma pedra verticalmente para cima a partir do solo
d) De 0 s a 2 s a aceleração do carrinho aumenta com o tempo; de no instante t = 0. O gráfico representa a altura (h) dessa pedra em
2 s a 6 s a velocidade do carrinho diminui com o tempo; de 6 s a 9 s o função do tempo.
movimento do carrinho é oscilatório.
e) De 0 s a 2 s o carrinho move-se com aceleração de 4,0 cm/s2; de
2 s a 6 s o carrinho se afasta da origem; de 6 s a 9 s o movimento do
carrinho é MRU.

(UEPG/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 07 (01+02+04)


Vem aumentando a presença dos softwares durante as partidas de
futebol. No lançamento oblíquo da bola em direção ao gol, foi detec-
tado pelo software, uma velocidade de 30 m/s, formando um ângulo
de 45° com a horizontal. Desprezando a resistência do ar, assinale
o que for correto.
Adote: g = 10 m/s2; cos 45° = sen 45° = 0,7
01) A velocidade inicial, em módulo, das componentes vertical e ho-
rizontal, é igual a 21 m/s.
02) Para um instante t = 2 s durante o percurso, o módulo da veloci- Adotando g = 10 m/s2 e desprezando a resistência do ar, a velocida-
dade da bola será de aproximadamente 21 m/s. de dessa pedra no instante t = 0,5 s é igual a
04) A distância horizontal entre o ponto do chute na bola pelo jogador a) 5 m/s.
e o ponto em que a mesma cai próxima ao gol é denominado de b) 4 m/s.
alcance, e será máximo, para o ângulo de 45°. c) 2 m/s.
08) Após o chute na bola pelo jogador, o percurso de subida que a d) 3 m/s.
bola faz, leva um tempo maior do que o percurso de descida. *e) 1 m/s.
japizzirani@gmail.com 11
(CEDERJ-2018.1) - ALTERNATIVA: D (FPS/PE-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Um indivíduo parado na beira de uma estrada retilínea observa dois Dois ciclistas percorrem uma pista circular, no mesmo sentido
veículos se movendo em sentidos opostos, com velocidades cons- e com movimento uniforme. A velocidade angular do ciclista A é
→ →
tantes, respectivamente iguais a vA e vB , como ilustra a figura: wA = 2,5 rad/s; e a velocidade angular do ciclista B é wB = 2,4 rad/s.
Ambos os ciclistas passam por um determinado ponto da pista no
mesmo instante de tempo. Determine em quanto tempo, depois des-
se instante, o ciclista A estará com uma volta de vantagem sobre o
ciclista B. Neste problema considere o valor de p = 3. Dê sua res-
posta em segundos.
Para o motorista do veículo A, a velocidade do veículo B em relação a) 90 s
a ele é: b) 80 s
→ → c) 70 s
a) – vB – vA *d) 60 s
→ →
b) vB + vA e) 50 s
→ →
c) – vB + vA
→ → (UERJ-2018.1) - RESPOSTA: Não. DS = 87,5 m
*d) vB – vA
Um guarda rodoviário, ao utilizar um radar, verifica que um auto-
móvel em movimento uniformemente variado passa por um ponto
(FPS/PE-2018.1) - ALTERNATIVA: E de uma rodovia com velocidade de 10 m/s. Cinco segundos depois,
Um automóvel passa por um posto da polícia rodoviária com uma o automóvel passa por outro ponto da mesma rodovia com velocida-
velocidade constante de 108 km/h. Neste instante, um policial inicia de de 25 m/s. Admita que a infração por excesso de velocidade seja
a perseguição ao automóvel com uma motocicleta, partindo do re- aplicada quando, nesse intervalo de tempo, a distância entre esses
pouso, com aceleração constante. Determine a aceleração mínima dois pontos é superior a 120 m.
constante que a moto do policial deve ter para alcançar o carro em Indique se o automóvel foi multado, justificando sua resposta com
1,0 minuto, após iniciada a perseguição. Durante toda a persegui- base nos cálculos.
ção, o automóvel permanece com a mesma velocidade de 108 km/h.
Dê sua resposta em m/ s2. (FEI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: D
a) 0,2 m/ s2 Um garoto com um estilingue arremessa uma pedra de uma altura
de 1,4 m acima do solo, com uma velocidade de 54,0 km/h, fazendo
b) 0,4 m/ s2
um ângulo de 53º acima da horizontal. Desprezando-se a resistên-
c) 0,6 m/ s2 cia do ar, qual é a altura máxima em relação ao solo atingida pela
d) 0,8 m/ s2 pedra?
Adotar: g = 10 m/s2, sen 37º = 0,6 e cos 37º = 0,8.
*e) 1,0 m/ s2 a) 12,4 m
b) 14,4 m
(UNCISAL-2018.1) - ALTERNATIVA: E c) 7,8 m
Um móvel executa um movimento com velocidade escalar constan- *d) 8,6 m
te ao longo de uma trajetória plana, composta de trechos retilíneos e) 22,3 m
e trechos em arcos de circunferências, conforme indica a figura a
seguir.
(FEI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: C
A produção de uma usina de etanol é determinada pela quantidade
de litros de etanol produzidos por dia. Em uma certa usina, a produ-
ção ao final do dia é descrita pelo gráfico abaixo.

Após quantos dias ela terá produzido 5 milhões de litros?


Os raios de curvatura nos pontos A, C, D e E estão indicados na
a) 20 dias
ilustração. Considere Rc < Rd < Ra < Re. Em relação ao exposto,
assinale a alternativa correta. b) 30 dias
a) O módulo da aceleração vetorial do móvel é igual a zero ao longo *c) 14 dias
de toda trajetória. d) 10 dias
b) Enquanto o móvel faz curva, sua velocidade vetorial permanece e) 21 dias
constante.
c) Como a velocidade escalar do móvel permanece constante ao
(SENAI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B
longo de toda trajetória, a força resultante sobre ele é sempre igual
Um automóvel percorreu determinado percurso nas condições mos-
a zero.
tradas a seguir.
d) Aceleração centrípeta e raio de curvatura são grandezas direta-
mente proporcionais. 1ª metade 2ª metade
do percurso do percurso
*e) O módulo da aceleração vetorial do móvel é máximo quando ele 45 km/h 90 km/h
descreve a curva cujo raio de curvatura é Rc.

(FEI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: C Nessas condições, qual foi a velocidade média, em km/h, no per-
Um automóvel percorre um trecho de 1 400 m em uma estrada retilí- curso total?
nea com velocidade constante em um intervalo de tempo de 59,25 a) 45,0.
s. Qual é a velocidade média do automóvel neste trecho da estrada? *b) 60,0.
a) 23,63 km/h d) 2,33 km/h c) 67,5.
b) 85,60 km/h e) 82,95 km/h d) 90,0.
*c) 85,06 km/h e) 135,0.
japizzirani@gmail.com 12
(SENAI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: D (UNISC/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Um atleta olímpico nada a uma taxa constante de 3 braçadas por Três objetos idênticos são lançados a partir do solo em diferentes
segundo (s). Sabendo-se que a cada braçada esse atleta avança, direções. O primeiro (objeto I) é lançado formando um ângulo de 75º
em média, 100 cm, para que ele vá de uma ponta à outra e retorne com a horizontal, com uma velocidade inicial de 20 m/s. O segundo
ao ponto de origem, numa piscina olímpica de 50 metros, o tempo (objeto II) é lançado formando um ângulo de 25º com a horizontal,
gasto, em segundos, e o número de braçadas que ele dará são, com uma velocidade inicial de 20 m/s. O terceiro (objeto III) é lança-
respectivamente, do formando um ângulo de 45º com a horizontal, com uma velocida-
a) 16,6 e 50. de inicial de 20 m/s.
b) 16,6 e 100. Sendo VI , VII e VIII os módulos das velocidades com que os objetos
c) 33,3 e 50. I, II e III, respectivamente, chegam novamente ao solo, é possível
*d) 33,3 e 100. concluir que (despreze os efeitos de forças dissipativas)
e) 100,0 e 33,3.
a) a velocidade VIII é maior que VI e VII , pois o objeto III é aquele que
descreve a trajetória de maior alcance.
(UNISINOS/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: B b) a velocidade VI é maior que VII e VIII , pois o objeto I é aquele que
Considere as duas situações a seguir envolvendo velocidade média. atinge a maior altura.
Percurso I – O carro percorre 50 km a uma velocidade de 60 km/h e, c) as velocidade VI e VII são iguais, pois o objeto I e o objeto II des-
depois, percorre mais 50 km a uma velocidade de 90 km/h. crevem trajetórias de mesmo alcance. No entanto, como a trajetória
Percurso II – O carro anda a 60 km/h durante uma hora e, depois, descrita pelo objeto III tem maior alcance, a velocidade VIII é diferen-
anda a 90 km/h durante uma hora. te de VI e VII .
É correto afirmar que as velocidades médias, em km/h, nos percur- *d) desprezando a resistência do ar VI , VII e VIII são iguais.
sos I e II são, respectivamente, e) como as trajetórias são diferentes VI , VII e VIII são diferentes.
a) 60 e 90 d) 75 e 75
*b) 72 e 75 e) 90 e 60
(CEFET/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: B
c) 75 e 72
João observa duas esferas idênticas, lançadas horizontalmente por
duas crianças 1 e 2 de uma mesma altura H, interceptarem-se antes
(UPF/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: C de tocarem o chão, como mostra a figura abaixo.
Sobre um rio há uma ponte de 20 metros de altura de onde um
pescador deixa cair um anzol ligado a um peso de chumbo. Esse
anzol, que cai a partir do repouso e em linha reta, atinge uma lan-
cha que se deslocava com velocidade constante de 20 m/s por esse
rio. Nessas condições, desprezando a resistência do ar e admitindo
que a aceleração gravitacional seja 10 m/s2, pode-se afirmar que no
exato momento do início da queda do anzol a lancha estava a uma
distância da vertical de queda, em metros, de:
a) 80 d) 20
b) 100 e) 60
*c) 40 Considerando-se que a resistência do ar é desprezível, João con-
clui, sobre esse evento, que:
(UCPel/RS-2018.1) - ALTERNATIVA OFICIAL: C I. A criança 1 arremessou a esfera um pouco antes da criança 2.
Um ponto material movimentou-se em linha reta e o comportamento II. A criança 2 imprimiu menor velocidade na esfera que a criança 1.
da sua posição (x) em função do tempo (t) foi representado no grá-
fico abaixo. III. A aceleração da esfera da criança1 é menor que a esfera da
criança 2, ao longo das trajetórias.
A alternativa que expressa a(s) conclusão(ões) correta(s) de João é
a) I.
*b) II.
c) I e III.
d) II e III.

(CEFET/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Dois amigos, Pedro e Francisco, planejam fazer um passeio de bici-
cleta e combinam encontrarem-se no meio do caminho. Pedro fica
parado no local marcado, aguardando a chegada do amigo. Francis-
A partir das informações do gráfico, analise as afirmativas abaixo: co passa pelo ponto de encontro com uma velocidade constante de
I. Entre os instantes 5s e 15s, o ponto material movimentou-se 9,0 m/s. No mesmo instante, Pedro começa a se mover com uma
em movimento retilíneo uniformemente variado, com velocidade aceleração também constante de 0,30 m/s2. A distância percorrida
crescente. por Pedro até alcançar Francisco, em metros, é igual a
a) 30.
II. No instante 20s ocorreu à inversão do sentido do movimento do
ponto material. b) 60.
c) 270.
III. A velocidade escalar média entre os instantes 0s e 40s foi de *d) 540.
0,05 m/s.
IV. No exato instante em que o ponto material passou na posição (CEFET/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: D
x = 1,0 m, sua velocidade era nula. Sobre os conceitos de referencial, posição, velocidade e aceleração,
fundamentais para o estudo dos movimentos em Ciências, afirma-
Estão corretas apenas as afirmativas:
se, corretamente, que o conceito de
a) I e IV
b) II e III a) posição é associado ao local em uma trajetória e não depende do
*c) II, III e IV referencial adotado.
b) referencial é associado ao valor da velocidade e da aceleração do
d) I, II e IV
objeto em movimento.
e) III e IV
c) velocidade está relacionado à mudança de posição e não depen-
OBS.: Definição de velocidade média: Vm = DS/Dt. No intervalo de de do referencial adotado.
tempo de 0s a 40s ⇒ DS = 0 ⇒ Vm = 0. Se calcular a velocidade por *d) aceleração está relacionado à mudança do valor da velocidade
distância percorrida pelo intervalo de tempo, então será 0,05 m/s. medida em um dado referencial.
japizzirani@gmail.com 13
(UNITINS/TO-2018.1) - ALTERNATIVA: C (UFJF/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Em globo da morte, conforme figura a seguir, um motociclista des- Maria saiu de Juiz de Fora às 6 horas e 30 minutos, de um ponto da
creve um movimento circular com aceleração escalar igual a 4 m/s2. estrada BR-040 onde o marco na estrada indicava o quilômetro 800.
Ela chegou a Belo Horizonte às 9 horas e 50 minutos, onde o marco
da estrada indicava quilômetro 536. A velocidade média do carro de
Maria, em sua viagem de Juiz de Fora até Belo Horizonte, foi:
a) 50,1 km/h
b) 65,3 km/h
*c) 79,2 km/h
R=3m
d) 120,4 km/h
e) 198,5 km/h

(UFJF/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Durante as férias, Caíque visitou os parentes que moram perto de
um grande lago navegável. Pela primeira vez ele experimentou pilo-
Sabendo que em um determinado instante de seu movimento o mo- tar um jet ski e gostou da aventura. Durante o passeio, ele observou
tociclista atinge uma aceleração vetorial igual a 5 m/s2, podemos vários barcos que andavam paralelamente à sua trajetória. Um primo
afirmar que sua velocidade escalar nesse instante será: que estava na margem do lago filmando Caíque no jet ski verificou
a) 12 m/s que ele percorreu 900 m em 3 minutos sem alterar sua velocidade.
b) 6 m/s Durante esse tempo, Caíque viu à frente uma lancha se aproximan-
*c) 3 m/s do com velocidade constante. Seu primo constatou que a lancha
d) 20 m/s gastava um terço do tempo para percorrer a mesma distância.
e) 4 m/s

(UFGD/2018.1) - ALTERNATIVA: B
Um projétil foi disparado com um ângulo θ acima da horizontal e
com uma velocidade inicial v0 , em um local onde a aceleração da
gravidade é igual a g. Ao chegar a sua altura máxima, depois de um
tempo t, é possível afirmar, desprezando a resistência do ar, que
a) a velocidade do projétil é igual a velocidade inicial v0 .
v02sen2q . Com base nesses dados, marque a afirmativa CORRETA.
*b) a distância máxima que esse projétil irá alcançar será
g a) Os módulos das velocidades do jet ski e da lancha em relação à
c) a distância horizontal percorrida será igual a v0 t. margem eram de 30,0 m/s e de 10,0 m/s, respectivamente.
v 2senq .
d) a altura máxima será igual a 0 b) O módulo da velocidade da lancha em relação ao jet ski era de
2g
20,0 m/s.
e) não é possível fazer afirmações, pois não se sabe a massa do
projétil. c) O módulo da velocidade da lancha registrado pelo primo de Caí-
que foi de 5,0 m/s.
d) O módulo da velocidade do jet ski em relação à da lancha era de
(UEL/PR-2018.1) - RESPOSTA NO FINAL DA QUESTÃO
10,0 m/s.
Em uma brincadeira de caça ao tesouro, o mapa diz que para chegar
ao local onde a arca de ouro está enterrada, deve- e) O módulo da velocidade da lancha era o dobro do módulo da
se, primeiramente, dar dez passos na direção norte, velocidade do jet ski.
depois doze passos para a direção leste, em seguida,
sete passos para o sul, e finalmente oito (SENAI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: C
passos para oeste. O texto abaixo se refere à questão 35.
A partir dessas informações, responda aos itens a se-
“O basquete mundial é um esporte de muitas surpresas e de altís-
guir.
simo nível, principalmente em se tratando do melhor basquete do
a) Desenhe a trajetória descrita no mapa, usando um diagrama de
mundo, que é a NBA. Seu grande momento não poderia ser dife-
vetores.
rente, como é em todas as modalidades esportivas, são os êxitos
b) Se um caçador de tesouro caminhasse em linha reta, desde o
nos pontos, no caso as cestas. A manobra para a realização da pon-
ponto de partida até o ponto de chegada, quantos passos ele daria?
tuação pode ocorrer de várias formas, sendo jogadas trabalhadas,
Justifique sua resposta, apresentando os cálculos envolvidos na re-
lances livres, e até mesmo em arremessos de longa distância, quan-
solução deste item.
do o tempo está para estourar. O brasileiro Leandrinho Barbosa, de
RESPOSTA UEL/PR 2018.1: 1,90 m de altura, fez história em 2010. Atuando pela NBA, fez um
a) b) x = 5 passos lance de pura beleza, ainda quando atuava pelo Toronto Raptors,
quando acertou um arremesso do meio da quadra, faltando poucos
segundos para o final do 3o quarto, em jogo contra o Los Angeles
Lakers.”
Fonte: OLIVEIRA, G. adaptado de: Disponível em: <http://esporte.esp.br/ces-
tas-mais-incriveis-do-basquete/>. Cestas mais incríveis do basquete.
Acesso em: 13 mar. 2013.

(UNICEUB/DF-2018.1) - ALTERNATIVA: E QUESTÃO 35


Potenciais de ação são os sinais elétricos pelos quais o encéfalo Considerando-se que a quadra oficial de basquete da NBA tenha
recebe, analisa e transmite as informações para várias partes do comprimento de, aproximadamente, 28 m; que a cesta se localiza
corpo. Um axônio é capaz de transportar esses sinais elétricos, que a uma altura de 2,90 m do chão; que o jogador tenha lançado a
podem se propagar a velocidades de 1 m/s a 100 m/s, por distâncias bola a partir do topo de sua cabeça; e que o tempo decorrido entre
que variam de 0,1 mm a 2 m. o lançamento da bola e a marcação do ponto tenha sido de 2,0 s,
A razão entre o menor e o maior intervalo de tempo possíveis para o a velocidade (em m/s) com que Leandrinho lançou a bola foi de,
transporte de sinais elétricos nas situações apresentadas são aproximadamente,
a) 5 ×106. Dado: g = 10 m/s2.
a) 7,00.
b) 2×106.
b) 10,50.
c) 5 ×100.
*c) 12,60.
d) 2 ×10 –7. d) 27,00.
*e) 5×10 –7. e) 159,25.
japizzirani@gmail.com 14
(IF/PE-2018.1) - ALTERNATIVA: B (UCB/DF-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Quando estudamos Cinemática, em Física, aprendemos que pode- Dirigir sob o efeito de drogas como o álcool é perigoso por diversas
mos calcular a altura de uma bala atirada para cima pela fórmula razões; uma destas é que o tempo de reação pode ficar mais longo,
ℎ = 200 t − 5 t 2, aumentando o risco de colisão. Suponha que, sóbrio, um motorista
demora 0,30 s entre a visualuzação de uma situação de risco e o
onde ℎ é a altura, em metros, atingida após t segundos do lan-
início da frenagem, enquanto, sob o efeito de drogas, ele demora
çamento. Qual o menor intervalo de tempo para a bala atingir
0,90 s.
1875 metros de altura?
Com base na situação descrita, assinale a alternativa que indica
a) 20s.
quantos metros a mais esse motorista percorrerá com o carro a uma
*b) 15s.
velocidade constante de 90 km/h em razão do aumento no tempo
c) 5s.
de reação.
d) 11s.
a) 7,5 m
e) 17s.
*b) 15 m
c) 22,5 m
(UNITAU/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B d) 25 m
Um objeto, cujas dimensões são desprezíveis, é abandonado, a e) 30 m
partir do repouso, de uma altura h = 45 m acima do solo. Após ser
abandonado, o objeto cai, somente sob a ação da força gravitacional
terrestre, até atingir o solo. O movimento é descrito sob o ponto de (UTFPR-2018.1) - ALTERNATIVA: B
vista de um observador inercial localizado na origem do eixo y. Con- Um ciclista movimenta-se em sua bicicleta, partindo do repouso e
sidere desprezíveis todos os possíveis atritos do sistema e adote mantendo uma aceleração aproximadamente constante de valor
g = 10 m/s2. médio igual a 2,0 m/s2. Depois de 7,0 s de movimento, atinge uma
velocidade, em m/s, igual a:
a) 49.
*b) 14.
c) 98.
d) 35.
e) 10.

(UEM/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 06 (02+04)


É TOTALMENTE CORRETO afirmar que a equação matemática que João, posicionado no ponto O, arremessa a bola de basquete a Tia-
descreve a posição do objeto em cada instante de tempo ao longo go, no ponto B, que está a 10 m de distância, realizando um movi-
do movimento de queda, do ponto de vista do observador inercial mento oblíquo com a bola. Suponha que a trajetória da bola seja
em O, é descrita pela altura f(d) em função da distância d. Despreze a resis-
tência do ar e as dimensões da bola. Considere que g = 10 m/s2, que
a) y = 45 + 10t2
as alturas do arremesso e da recepção são zero (m), que O é a ori-
b) y = 45 – 5t2 gem do sistema cartesiano com Tiago na abscissa 10 de escala em
c) y = 45 – 10 t2 metro e a ordenada orientada para cima. Assinale o que for correto.
d) y = 45t + 5t2 01) Após o lançamento da bola, a trajetória que ela descreve é re-
e) y = 45t – 10 t2 tilínea.
02) A função que descreve a altura em função da distância percorri-
da é f (d) = a(d2 ‒ 10d), em que a é um número real negativo.
(VUNESP-FAMEMA/SP-2018.1) - ALTERNATIVA OFICIAL: B 04) Se a função altura fosse f(d) = ‒d2 + 10d, então a altura máxima
A figura representa um satélite geoestacionário em movimento cir- seria de 25 m.
cular e uniforme a uma distância (d) da superfície da Terra. A traje- 08) Se a velocidade inicial é de 50 m/s e se o ângulo de saída é de
tória desse satélite está contida no plano equatorial terrestre e seu 45º com a horizontal, então a velocidade vertical em cada ponto do
período de translação é igual ao de rotação da Terra, cerca de 24h. tempo é 50 ‒ 10t.
16) A componente horizontal da aceleração do movimento no lança-
mento oblíquo depende da força de gravidade.

(UEM/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 30 (02+04+08+16)


Duas partículas, A e B, movem-se nas proximidades da superfície
da Terra, em um plano vertical xy, em uma região em que o módulo
da aceleração gravitacional é constante e igual a g. No instante ini-
cial t = 0, ambas as partículas se encontram na origem do sistema
de referência. A partícula A é lançada como um projétil, com uma
velocidade inicial de módulo v0 , em uma direção que faz um ângulo
θ < 90º com o sentido positivo do eixo horizontal x e 90º − θ com o
sentido positivo do eixo vertical y. O sentido positivo de y é oposto
Considerando que o raio equatorial da Terra mede R e adotando ao sentido da aceleração gravitacional. No mesmo instante em que
π = 3, a velocidade orbital desse satélite é de a partícula A é lançada, a partícula B acelera a partir do repouso ao
longo do eixo horizontal x (no sentido positivo do eixo), com acelera-
3(R + d) ção igual a g /2 (em módulo). Desconsidere as forças de atrito. Sobre
a)
4 o movimento das partículas A e B, assinale o que for correto.
01) As coordenadas relativas à partícula A, xA e yA , são funções do
(R + d)
*b) tempo e dadas por xA = (v0 senθ) t e yA = (v0 cosθ) t ‒ (1/2)g t2.
4
02) No instante em que a partícula A alcança sua altura máxima, a
v02
2(R + d) distância percorrida pela partícula B é de xB = sen2 θ.
c) 4g
3 4v0
04) No instante de tempo t = senθ, a altura da partícula A é nume-
3g
(R + d) ricamente igual à distância percorrida pela partícula B.
d) 4v0
12 08) No instante de tempo t = cosθ as partículas A e B estão ver-
g
ticalmente alinhadas ( xA = xB ).
(R + d) 16) Para que as duas partículas cheguem juntas (no mesmo instan-
e)
8 te) no ponto em que a partícula A toca o eixo x ( t > 0 ), o ângulo de
OBS.: A unidade de tempo na velocidade é hora. lançamento da partícula A deve ser tal que tanθ = 2.
japizzirani@gmail.com 15
(UTFPR-2018.1) - QUESTÃO ANULADA (ITA/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: E
Dois automóveis A e B partem do mesmo ponto, no mesmo instante Os pontos no gráfico indicam a velocidade instantânea, quilômetro a
e no mesmo sentido, em uma pista de corrida circular. Se o automó- quilômetro, de um carro em movimento retilíneo. Por sua vez, o com-
vel A completa cada volta em 3 minutos e o automóvel B completa putador de bordo do carro calcula a velocidade média dos últimos 9
cada volta em 5 minutos, assinale a alternativa que apresenta em km por ele percorridos.
quantos minutos depois da largada eles irão se encontrar pela pri-
meira vez.
a) 3 minutos. d) 15 minutos.
b) 6 minutos. e) 20 minutos.
c) 10 minutos.
OBS.: Resposta: 7,5 minutos.

(VUNESP-FAMERP/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: C
No interior de um vagão hermeticamente fechado que se move
horizontalmente em trajetória retilínea com velocidade 4,0 m/s em
relação ao solo, uma pessoa arremessa uma pequena esfera verti-
calmente para cima, com velocidade 3,0 m/s em relação ao vagão.
Então, a curva que melhor representa a velocidade média indicada
no computador de bordo entre os quilômetros 11 e 20 é
a) a tracejada que termina acima de 50 km/h.
b) a cheia que termina acima de 50 km/h.
c) a tracejada que termina abaixo de 50 km/h.
d) a pontilhada.
*e) a cheia que termina abaixo de 50 km/h.
(http://portaldoprofessor.mec.gov.br. Adaptado.)
Desprezando o atrito com o ar, os módulos das velocidades da es- (UFVJM/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: C
fera, em relação ao solo, no ponto mais alto de sua trajetória e no Dois trenzinhos de brinquedo, inicialmente em repouso, estão a uma
instante em que retorna à mão da pessoa são, respectivamente, distância de 2,0 metros um do outro em um trilho horizontal e re-
a) 4,0 m/s e 3,0 m/s. tilíneo. Em um determinado instante, ambos começam a se movi-
b) zero e 5,0 m/s. mentar com acelerações constantes. Os dois trenzinhos se chocam
*c) 4,0 m/s e 5,0 m/s. depois de 2,0 segundos.
d) zero e 3,0 m/s. Sabendo que um dos trenzinhos tem uma aceleração maior de
e) 5,0 m/s e zero. 2,5 m/s2, a aceleração do outro trenzinho é de
a) 0,5 m/s2.
(ITA/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: C b) 1,0 m/s2.
Numa quadra de volei de 18 m de comprimento, com rede de 2,24 m
*c) 1,5 m/s2.
de altura, uma atleta solitária faz um saque com a bola bem em cima
da linha de fundo, a 3,0 m de altura, num ângulo θ de 15° com a ho- d) 2,0 m/s2.
rizontal, conforme a figura, com trajetória num plano perpendicular
à rede. (UNIFESP-2018.1) - RESPOSTA: a) d = 1000 m b) v0 = 100√ 2 m/s
Um avião bombardeiro sobrevoa uma superfície plana e horizontal,
mantendo constantes uma altitude de 500 m e uma velocidade de
100 m/s. Fixo no solo, um canhão antiaéreo será disparado com a
intenção de acertar o avião. Considere que o avião e o canhão es-
g = 10 m/s2 tejam contidos em um mesmo plano vertical, despreze a resistência
do ar e adote g = 10 m/s2.
Desprezando o atrito, pode-se dizer que, com 12 m/s de velocidade
inicial, a bola
a) bate na rede.
b) passa tangenciando a rede.
*c) passa a rede e cai antes da linha de fundo.
d) passa a rede e cai na linha de fundo.
e) passa a rede e cai fora da quadra.

(UFVMJ/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Um estudante fez a análise de um gráfico que indica a movimen-
tação de um ser do reino Monera em função do tempo. O gráfico é
composto por dois trechos. Ele considerou que os eixos eram posi-
ção versus tempo. No entanto, os eixos são, na verdade, velocidade a) Quantos metros antes da vertical que passa pelo canhão o piloto
versus tempo. do avião deve abandonar uma bomba para acertá-lo no solo?
b) Considere que o canhão não tenha sido atingido pela bomba e
que, na tentativa de acertar o avião, um artilheiro dispare desse ca-
nhão um projétil com velocidade inicial v0, exatamente no momento
em que o avião passa verticalmente sobre ele. Desprezando as di-
mensões do avião e considerando que o avião não altere sua veloci-
dade, qual o mínimo valor de v0 para que o artilheiro tenha sucesso?

(UECE-2018.1) - ALTERNATIVA: A
Considere que um vagão de metrô sofre uma aceleração de 5 m/s2
ASSINALE a alternativa que indica, CORRETAMENTE um exemplo
durante a partida. Assuma que a aceleração da gravidade é 10 m/s2.
de um ser do reino Monera e qual a única conclusão tirada pelo estu-
Assim, é correto afirmar que, durante esse regime de deslocamento,
dante, ao analisar posição em função do tempo, que coincide com a
a cada segundo, a velocidade (em m/s) aumenta
realidade, velocidade em função do tempo.
a) A alga verde no trecho 1 continha velocidade constante. *a) 5.
*b) A cianobactéria no trecho 2 continha velocidade constante. b) 10.
c) O cavalo marinho no trecho 1 continha aceleração constante. c) 50.
d) A esponja do mar no trecho 2 continha aceleração constante. d) 2.
japizzirani@gmail.com 16
UFRGS/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: A (UNICAMP/SP-2018.1) - RESPOSTA: a) Dt = 48 s b) Dt’ = 30 s
Dois objetos de massas m1 e m2 (=2m1) encontram-se na borda de Esteiras rolantes horizontais são frequentemente instaladas em
uma mesa de altura h em relação ao solo, conforme representa a grandes aeroportos para facilitar o deslocamento das pessoas em
figura abaixo. longos corredores. A figura abaixo mostra duas esteiras rolantes que
se deslocam em sentidos opostos com velocidades constantes em
→ →
(UFRGS/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: A
Dois objetos de massas m1 e m2 (= 2m1) encontram-se na borda
relação ao piso em repouso ( ve1 e ve2) e de mesmo módulo, igual
de uma mesa de altura h em relação ao solo, conforme representa
a figura abaixo. a 1,0 m/s.
O objeto 1 é lentamente deslocado até começar a cair vertical-
mente. No instante em que o objeto 1 começa a cair, o objeto 2
é lançado horizontalmente com velocidade V0 . A resistência do ar
é desprezível.
Assinale a alternativa que melhor representa os gráficos de posição
vertical dos objetos 1 e 2, em função do tempo. Nos gráficos, t q1
representa o tempo de queda do objeto 1. Em cada alternativa, o
gráfico da esquerda representa o objeto 1 e o da direita representa
o objeto 2.

O objeto 1 é lentamente deslocado até começar a cair verticalmente.


No instante em que o objeto 1 começa a cair, o objeto 2 é lançado
horizontalmente com velocidade V0 . A resistência do ar é desprezí-
vel.
Assinale a alternativa que melhor representa os gráficos de posição
vertical dos objetos 1 e 2, em função do tempo. Nos gráficos, t q1
representa o tempo de queda do objeto 1. Em cada alternativa, o
gráfico da esquerda representa o objeto 1 e o da direita representa
o objeto 2.

*a) h h
d) h h

t q1 t q1 t q1
/
t q1 2 Em um mesmo instante, duas pessoas (representadas por A e B)
que se deslocavam com velocidade constante de módulo igual a
vA = 1,5 m/s e vB = 0,5 m/s em relação ao piso e em sentidos con-
b) h h
e) trários entram nas esteiras e continuam caminhando como anterior-
h h
mente, como mostra a figura. As esteiras rolantes têm comprimento
total de 120 m.
a) Calcule o tempo necessário para que a pessoa A chegue até a
outra extremidade da esteira rolante.
t q1 t q1 t q1 t q1 b) Quanto tempo depois de entrarem nas esteiras as pessoas A e B
passam uma pela outra?
c)
h h
(ETEC/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Para exemplificar uma aplicação do conceito de velocidade média,
um professor de Ciências explica aos seus alunos como é medida a
velocidade de um veículo quando passa por um radar.
Os radares usam a tecnologia dos sensores magnéticos. Geralmen-
t q1 t q1 2t q1
te são três sensores instalados no asfalto alguns metros antes do
radar. Esse equipamento mede quanto tempo o veículo demora para
(ETEC/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B ir de um sensor ao outro, calculando a partir daí, a velocidade média
Um avião, com a finalidade de abastecer uma região que se en- do veículo.
contra isolada, voa em linha reta horizontalmente, com velocidade
constante em relação ao solo, quando abandona uma caixa com
alimentos, conforme a imagem.

<https://tinyurl.com/y8cvpjzm> Acesso em: 15.11.2017. Original colorido.


Desprezando a resistência do ar, a trajetória descrita pela caixa de <http://tinyurl.com/yd9pdgk7> Acesso em: 12.11.2017.
alimentos terá a forma de uma Considere um veículo trafegando numa pista cuja velocidade máxi-
a) parábola, do ponto de vista de um observador que estiver no ma permitida seja de 40 km/h (aproximadamente 11 m/s) e a distân-
avião. cia média entre os sensores consecutivos seja de 2 metros.
*b) linha reta vertical, do ponto de vista de um observador que esti- O mínimo intervalo de tempo que o veículo leva para percorrer a dis-
ver no avião. tância entre um sensor e outro consecutivo, a fim de não ultrapassar
c) linha reta vertical, do ponto de vista de um observador que estiver o limite de velocidade é, aproximadamente, de
na Terra. a) 0,10 s.
d) linha reta horizontal, do ponto de vista de um observador que *b) 0,18 s.
estiver no avião. c) 0,20 s.
e) mesma figura para qualquer observador, pois a trajetória indepen- d) 0,22 s.
de do referencial. e) 1,00 s.
japizzirani@gmail.com 17
(UECE-2018.1) - ALTERNATIVA: D (UNIMONTES/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: A
Considere um carro que viaja em linha reta de forma que sua posi- Os gráficos I a IV abaixo representam as variações da posição e
ção seja uma função linear do tempo. É correto afirmar que, entre da velocidade, em função do tempo, para partículas em movimento
dois instantes de tempo t1 e t2 , unidimensional.
a) a velocidade média é igual à soma das velocidades instantâneas
nesses tempos.
b) a velocidade instantânea é uma função crescente do tempo.
c) a velocidade instantânea é uma função decrescente do tempo.
*d) a velocidade média é igual à média das velocidades instantâneas
nesses tempos.

(UFRGS/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: E
Em grandes aeroportos e shoppings, existem esteiras móveis hori- Marque a alternativa que apresenta uma afirmação INCORRETA em
zontais para facilitar o deslocamento de pessoas. relação aos gráficos.
Considere uma esteira com 48 m de comprimento e velocidade de *a) O gráfico IV representa o movimento de uma partícula com ace-
1,0 m/s. leração constante.
Uma pessoa ingressa na esteira e segue caminhando sobre ela com b) Os gráficos I, II e IV representam movimentos de partículas ace-
velocidade constante no mesmo sentido de movimento da esteira. leradas.
A pessoa atinge a outra extremidade 30 s após ter ingressado na c) O gráfico III representa o movimento de uma partícula em que a
esteira. resultante das forças atuantes é nula.
Com que velocidade, em m/s, a pessoa caminha sobre a esteira? d) Os gráficos I e II podem representar movimentos de partículas
com aceleração constante.
a) 2,6. d) 0,8.
b) 1,6. *e) 0,6.
c) 1,0. (UNITAU/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: A
Uma partícula se desloca segundo a equação horária
x = 100 + 20t + 5t 2,
(VUNESP-UEFS/BA-2018.1) - ALTERNATIVA: E onde x foi medido em metros, e t, em segundos. É CORRETO afir-
Dois carros, A e B, entram simultaneamente em um túnel retilíneo. mar que a velocidade da partícula, em metros por segundo, no ins-
Sabe-se que o carro A atravessa todo o túnel em movimento unifor- tante de 2 segundos, é de
me, com velocidade de 20 m/s, e que o carro B entra no túnel com *a) 40
velocidade de 10 m/s e o atravessa em movimento uniformemente b) 120
acelerado. c) 80
d) 60
e) 100

(IFSUL/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Uma partícula realizou um movimento unidimensional ao longo de
um eixo Ox e o comportamento da sua posição x, em função do
Desprezando as dimensões dos carros e sabendo que eles saem tempo t, foi representado em um gráfico, ilustrado na figura abaixo.
juntos do túnel 40 s após terem entrado, a velocidade do carro B no
instante em que ele sai do túnel é de
a) 22 m/s. d) 28 m/s.
b) 24 m/s. *e) 30 m/s.
c) 26 m/s.

(VUNESP-UEFS/BA-2018.1) - ALTERNATIVA: E
Da borda de uma mesa, uma esfera é lançada horizontalmente de
uma altura h, com velocidade inicial v0. Após cair livre de resistência
do ar, a esfera toca o solo horizontal em um ponto que está a uma
distância d da vertical que passa pelo ponto de partida, como repre-
sentado na figura.
Analise as seguintes afirmativas referentes ao movimento realizado
por essa partícula:
I. Entre os instantes 3s e 6s, a partícula realizou um movimento
uniforme.
II. Entre os instantes 0s e 3s, a partícula realizou um movimento
acelerado.
III. Entre os instantes 3s e 6s, a partícula estava em repouso.
IV. No instante 8s, a partícula estava na origem do eixo Ox.
Estão corretas apenas as afirmativas
a) I e II.
b) I e IV.
Considerando que a aceleração da gravidade local tem módulo g, c) II e III.
o valor de v0 é *d) III e IV.
h 2·g
a) d· . d) h · . (IMT-MAUÁ/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: A
2·g d
Um motorista dirige seu automóvel a uma velocidade de 90 km/h.
Num certo instante, o motorista aciona os freios e o automóvel para
g g após 5 s. Considerando a aceleração constante, o seu módulo e a
b) h· . *e) d · .
2·d 2·h distância percorrida durante a frenagem são
*a) 5 m/s2 e 62,5 m. d) 5 m/s2 e 187,5 m.
2
g b) 18 m/s e 45 m. e) 5 m/s2 e 45 m.
c) d · . 2
h c) 18 m/s e 62,5 m.
japizzirani@gmail.com 18
VESTIBULARES 2018.2 (SENAI/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: D
Em 2014, o recorde de velocidade em uma competição de Moto GP
foi de Andrea Iannone que desenvolveu uma velocidade média de
(UFU/MG-TRANSF.2018.2) - ALTERNATIVA: C 349,6 km/h com uma Ducati, em Mugello.
O gráfico, apresentado a seguir, descreve a velocidade em função Supondo que essa velocidade média foi conseguida em uma pista
do tempo de um cachorro perseguindo um gato. circular com 120 m de diâmetro, a velocidade angular média, em
rad/s, foi de, aproximadamente,
a) 97,00.
b) 21,00.
c) 5,83.
*d) 1,62.
e) 0,81.

(SENAI/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: C
Um objeto se desloca obedecendo à função horária S = 2 + 10t + 5t2
em que S é o espaço e t o tempo em unidades do SI. Em relação a
esse movimento pode-se afirmar que
I. o objeto partiu da origem das posições.
II. sua aceleração é de 5 m/s2.
Considerando tanto o enunciado quanto o gráfico apresentados, as-
sinale a alternativa que representa o valor da distância total percorri- III. sua velocidade será de 40 m/s no instante de tempo
da, o deslocamento total e em qual intervalo de tempo a aceleração 3 segundos.
do cachorro é nula, respectivamente.
Está correto o que se afirma em
a) 10,0 m, 10,0 m e entre 0 e 2 s.
a) I, apenas.
b) 8,0 m, 8,0 m e entre 5 e 7 s.
b) II, apenas.
*c) 10,0 m, 8,0 m e entre 2 e 5 s.
*c) III, apenas.
d) 9,0 m, 8,0 m e entre 0 e 2 s.
d) I e II, apenas.
e) I, II e III.
(UFU/MG-TRANSF.2018.2) - ALTERNATIVA: C
Uma bala é disparada horizontalmente a partir de uma mesa tam-
bém horizontal. A bala alcançou uma distância “d” e uma altura “H” (IFSUL/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: C
em relação à mesa. Desprezando a resistência do ar e considerando Dois carros partem, no mesmo instante, de um mesmo ponto, em
a aceleração da gravidade “g”, assinale a alternativa que indica o trajetórias retilíneas que formam entre si um ângulo de 120º.
valor da velocidade da bala imediatamente após partir da mesa.

g g
a) H *c) d
2d 2H use
sen120º = 0,866,
g g 120º cos120º = – 0,5,
b) 2H d) 2d
d H tg120º = –1,732 e
19 = 4,36
(SENAI/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: E
Mísseis do sistema Buk são dispositivos de defesa desenvol-
vidos pela antiga União Soviética, projetados para interceptar
mísseis de cruzeiro, bombas inteligentes e aeronaves, tripula- Se um deles está a 40 km/h e o outro a 60 km/h, depois de duas
das ou não.Se um desses mísseis for lançado segundo a função horas, a distância entre eles será:
f(x) = – 0,25 x2 + 5 x + 1, qual será a altura máxima, em km, atingida a) 80 000 m
por ele? b) 120 000 m
a) 9 km. *c) 174 400 m
b) 10 km. d) 200 000 m
c) 11 km.
d) 24 km.
(IFSUL/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: B
*e) 26 km.
Dois satélites orbitam a Terra e passam sobre a cidade de Poços de
Caldas pontualmente, um a cada 72 horas e outro a cada 40 horas.
(IFSUL/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: C Se ambos passaram sobre Poços de Caldas no dia 19 de maio de
O gráfico abaixo mostra a velocidade, em função do tempo, de um 2018 ao meio dia (12h00), a próxima vez em que ambos passarão
automóvel que trafega em uma via retilínea de uma grande cidade. simultaneamente sobre essa cidade será:
a) às 04h00 do dia 24 de maio de 2018.
*b) às 12h00 do dia 03 de junho de 2018.
c) às 00h00 do dia 18 de junho de 2018.
d) às 16h00 do dia 24 de junho de 2018.

(UNIFOR/CE-2018.2) - ALTERNATIVA: E
Os pneus do carro de Paulo possuem diâmetro de 70 cm. Se cada
um dos pneus faz 800 revoluções por minuto, com qual velocidade,
aproximadamente, Paulo está dirigindo?
Use p = 3,14.
É CORRETO afirmar que o automóvel:
a) 70 km/h
a) permanece em repouso entre os instantes t = 2 s e t = 6 s.
b) retorna à posição inicial no instante t = 10 s. b) 90 km/h
*c) desloca-se 40 m durante os primeiros seis segundos. c) 95,5 km/h
d) sofre uma desaceleração constante de módulo igual a 4 m/s2 en- d) 100 km/h
tre os instantes t = 6 s e t = 10 s. *e) 105,5 km/h
japizzirani@gmail.com 19
(UNESP-2018.2) - ALTERNATIVA: A (IF/CE-2018.2) - ALTERNATIVA: C
Um foguete lançador de satélites, partindo do repouso, atinge a velo- Marco Antônio sai da sua casa e caminha para o IFCE, dando, em
cidade de 5 400 km/h após 50 segundos. Supondo que esse foguete média, um passo por segundo. Se o tamanho médio do seu passo é
se desloque em trajetória retilínea, sua aceleração escalar média é 0,4 m e ele gasta 10 minutos no trajeto, a distância entre a sua casa
de e o IFCE, em km, é de
*a) 30 m/s2. a) 0,20.
b) 0,16.
b) 150 m/s2.
*c) 0,24.
c) 388 m/s2. d) 0,12.
d) 108 m/s2. e) 0,08.
e) 54 m/s2.
(UNIFENAS/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: C
(PUC/GO-2018.2) - ALTERNATIVA: C Todo ano é realizada uma volta ciclística de 160 km na França.
O conto de Bernardo Elis (Texto 5) se passa dentro de um automó-
vel. Suponha que o automóvel tenha percorrido uma distância de
350 m entre o ponto em que o delegado foi deixado e o ponto de
destino do “homem com semblante de velório”. Considere que, a
50 m do destino final do trajeto, o carro tenha ido de uma velocidade
inicial igual a zero até uma velocidade final de 12 m/s, com acele-
ração constante. Calcule o tempo em que o carro ficou acelerado e
assinale a alternativa correta:
a) 21 s.
b) 29 s. https://www.google.com.br/search?q=foto+de+corrida+de+bicicleta&tbm..26/02/2018
*c) 50 s.
d) 58 s. Durante a última parte da corrida, um dos competidores estava com
uma velocidade constante de 10 m/s e acelerou uniformemente du-
rante 7 segundos, atingindo uma velocidade de 90 km/h. Qual foi a
(PUC/PR-2018.2) - ALTERNATIVA: D distância, em metros, que o competidor percorreu em linha reta após
A lerdeza da preguiça acaba sendo um fator de segurança, em al- o início da aceleração?
guns casos, contra predadores. As aves de rapina (aves predado- a) 70,5.
ras) têm mais dificuldade de avistá-la entre as árvores pelo fato de b) 92,5.
ela se mover lentamente – a velocidade de uma preguiça é algo em *c) 122,5.
torno de 0,12 km/h. Já o jabuti, que usa sua dura carapaça para se d) 145,2.
defender, costuma desenvolver velocidades de aproximadamente e) 156,7.
270 m/h.
Imagine que um jabuti e uma preguiça partam de um mesmo ponto
no mesmo instante e desenvolvam as respectivas velocidades infor- (UNIFENAS/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: D
madas no texto acima, mantendo-as constantes. Supondo que am- Um carro de corrida, como o representado a seguir, parte do re-
bos se desloquem em linha reta sempre mantendo um mesmo senti- pouso, acelera uniformemente com 2 m/s2 durante 5 segundos; em
do e em direções que determinam um ângulo de 60 graus, qual será seguida, mantém sua velocidade constante por 10 segundos e, fi-
distância entre eles, em metros, 2 minutos após deixarem o ponto nalmente freia, com uma desaceleração de 5 m/s2 até parar. Qual a
de partida ? distância total, em metros, percorrida neste processo?
Se a distância determinada não for representada por um número
inteiro, informe como resposta o inteiro mais próximo do valor en-
contrado.
a) 5 m
b) 6 m
c) 7 m
*d) 8 m
e) 12 m

https://www.google.com.br/search?q=foto+de+corrida+de+carros...
(UNIFENAS/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: D
26/02/2018
O atleta mostrado abaixo deve acertar um alvo minúsculo a uma
distância de 100 metros. a) 250. *d) 135.
b) 210. e) 125.
c) 185.

(UNIFENAS/MG-2018.2) - ALTERNATIVA OFICIAL: E


Durante a Olimpíada de Inverno realizada na Coreia do Sul, um mo-
mento se destacou. O competidor, mostrado a seguir, realizou um
salto no qual o ângulo de inclinação foi de 45°. Supondo que sua
velocidade de entrada na manobra foi de 108 km/h, qual foi o alcan-
ce do salto, em metros? Adote o módulo da aceleração da gravidade
como 10 m/s2.

https://www.google.com.br/search?q=foto+de+esporte+de+olimpíadas+de+
inverno+de+2018&tbm
Caso seja considerado que a aceleração da gravidade seja de
10 m/s2 e que a velocidade horizontal inicial do projétil seja de
100 m/s, que o intervalo de tempo entre o disparo e o impacto foi de
1 segundo, desprezando a resistência do ar, qual é a queda vertical,
em metros, do projétil?
a) 0,50. https://www.google.com.br/search?q=foto+de+esporte+de+olimpíadas+-
b) 1,00. de+inverno+de+2018&tbm
c) 2,50. a) 150,5. d) 88,2.
*d) 5,00. b) 123,0. *e) 90,0.
e) 5,50. c) 108,7.
japizzirani@gmail.com 20
(UNIFENAS/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: B (UNIFOR/CE-2018.2) - QUESTÃO ANULADA
Sabe-se que o planeta Terra possui 14 tipos de movimentos, den- O edifício Burj Khalifa, localizado em Dubai, é atualmente a constru-
tre eles: rotação, translação, precessão e “nutação”. Sabe-se que o ção mais alta feita pelo homem. Sua altura é de aproximadamente
nosso planeta possui, aproximadamente, 12.800 km de diâmetro e 800 m.
que a distância que a Terra está do Sol é de 150.000.000 km, apro-
ximadamente. No caso, a Terra em movimento de translação e de
rotação, teríamos, respectivamente:
a) Corpo extenso e ponto material.
*b) Ponto material e corpo extenso.
c) Não haveria possibilidade de serem corpos extensos.
d) Todo iria depender da densidade do planeta.
e) Para ser considerando ponto material, o corpo não pode ter mas-
sa.

(UFU/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: A
Em 2014, um importante trabalho publicado revelou novos dados
sobre a estrutura em larga escala do universo, indicando que nossa
galáxia faz parte de um superaglomerado chamado Laniakea, com
massa de cerca de 1017 estrelas como o sol, que tem 2 ×1030 Kg de
massa, aproximadamente. Em 2015, o Prêmio Nobel de Física foi
concedido a cientistas que descobriram uma das menores massas,
4 ×10– 33 g, a de um neutrino, um tipo de partícula elementar.
Em ciência, uma maneira de se trabalhar com valores muito grandes
ou muito pequenos é a ordem de grandeza. Com base nas duas
descobertas apontadas, quantas vezes a ordem de grandeza da
massa de Laniakea é maior do que a de um neutrino?
*a) 1082 .
b) 1079 .
c) 1049 .
d) 1062 .

(MACKENZIE/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: E

Olimpíadas de Inverno de Pyeongchang

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Burj_Khalifa

No mês de fevereiro do vigente ano, do dia 7 ao dia 25, na cidade de


Pyeongchang na Coreia do Sul, o mundo acompanhou a disputa de
2.952 atletas, disputando 102 provas de 15 disciplinas esportivas na Se um objeto é abandonado do topo do edifício (Vo = 0), isto é, a 800
23ª edição dos Jogos Olímpicos de Inverno. m de altura, qual a velocidade do objeto ao atingir o solo?
Praticamente todas as provas ocorreram sob temperaturas negati-
vas, dentre elas, a belíssima patinação artística no gelo, que envolve (Dados: considere g = 10 m/s2)
um par de atletas. a) v = 10 √5 m/s d) 10 m/s
A foto acima mostra o italiano Ondrej Hotarek que, em meio à core- b) 3 m/s e) 5 m/s
ografia da prova, crava a ponta de um de seus patins em um ponto c) 10 m/s
e gira a colega Valentina Marchei, cuja ponta de um dos patins de- OBS.: Desprezando a resistência do ar a resposta é 40 10 m/s.
senha no gelo uma circunferência de raio 2,0 metros. Supondo-se
que a velocidade angular de Valentina seja constante e valha 6,2 (IF/RS-2018.2) - ALTERNATIVA: D
rad/s e considerando-se π @ 3,1 , pode-se afirmar corretamente que Um objeto leva 2,0 s, partindo do repouso, para cair de uma altura
o módulo da velocidade vetorial média da ponta dos patins de Va- de 20 m e atingir o solo. Em que altura, em relação ao solo, o objeto
lentina, ao percorrer de um ponto a outro diametralmente oposto da está no instante correspondente à metade do seu tempo de queda?
circunferência, vale, em m/s, Adote “g” igual 10 m/s2 e despreze a resistência do ar.
a) 2,0 d) 6,0 a) 5,0 m *d) 15 m
b) 3,0 *e) 8,0 b) 10 m e) 20 m
c) 5,0 c) 12 m
japizzirani@gmail.com 21
(VUNESP/HUMANITAS-2018.2) - ALTERNATIVA: C (VUNESTP-CEFSA/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: C
Em uma competição de salto em distância, um atleta dá um salto A figura mostra três instantâneos de um mesmo corredor que, numa
com uma velocidade inicial de módulo v0 = 10 m/s, formando um pista retilínea e horizontal, parte do repouso na largada, acelerando
ângulo θ com a horizontal, tal que sen θ = 0,3 e cos θ = 0,9. A linha uniformemente até atingir a posição A no instante t1, desacelerando
azul, indicada na figura, representa a trajetória do centro de massa uniformemente a partir desse instante até atingir a posição B num
do atleta durante o salto. instante t 2 .

O gráfico que melhor representa a aceleração escalar do corredor


em função do tempo, desde o instante da largada até t 2 é

a)
2
Considerando g = 10 m/s e desprezando a resistência do ar, o al-
cance horizontal desse salto é de
a) 10,8 m. d) 8,0 m.
b) 2,8 m. e) 6,5 m.
*c) 5,4 m.

(CEDERJ-2018.2) - ALTERNATIVA: D
Um carrinho se move em um trilho de ar com velocidade constante
de 20 cm/s. A 250 cm dele se encontra outro carrinho que se move,
na mesma direção mas em sentido oposto, também com velocidade
constante de 5,0 cm/s. O choque entre eles se dará em b)
a) 50 s
b) 17 s
c) 12,5 s
*d) 10 s

(VUNESP-USCS/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: E
Em uma rua retilínea, um automóvel parte do repouso após a aber-
tura de um semáforo. Depois de deslocar-se por 300 m, para nova-
mente no próximo semáforo vermelho. Entre os dois semáforos, a
velocidade escalar (v) do automóvel variou, em função do tempo ( t),
conforme representado no gráfico.
*c)

A maior velocidade (vmáx) atingida por esse automóvel no trajeto


d)
entre os dois semáforos foi de
a) 5 m/s. d) 10 m/s.
b) 20 m/s. *e) 15 m/s
c) 25 m/s.

(VUNESP-CEFSA/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: D
A figura mostra três rodas de bordas dentadas A, B e C girando so-
lidariamente.

e)

(https://2.bp.blogspot.com)

Sabendo que RA = 1,8 RC e RB = 1,5 RC, a relação correta entre as


frequências fA da roda A e fB da roda B é
a) fA = fB. *d) fB = 1,2fA.
b) fA = 1,2fB. e) fB = 0,8fA.
c) fA = 1,8fB.
japizzirani@gmail.com 22
(IFNORTE/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: B (USP/TRANSF-2018.2) - ALTERNATIVA: B
Um jogador de futebol dá um “chutão” na bola que se desloca se- Uma motocicleta realiza movimento circular, sendo que no primeiro
gundo a função horária h(t) = – 2 t 2 + 10 t, para t ≥ 0, onde t é o tempo quarto de círculo sua velocidade escalar (ou velocidade tangencial)
em segundos e h(t) é a altura da bola em metros. Considerando que é 6 m/s, e no restante do círculo é 2 m/s. A velocidade média escalar
o jogador deu o chute na bola no tempo t = 0, ela ficou no ar por: em uma volta completa, nessas condições, em m/s, é
a) 2,5 segundos. a) 4
*b) 5 segundos. *b) 12/5
c) 12,5 segundos. c) 3
d) 15 segundos. d) 0
e) 12
(VUNESP-C.U.S.Camilo/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: E
Um carro de competição percorre metade de um circuito com velo- (USP/TRANSF-2018.2) - ALTERNATIVA: C
cidade média de 200 km/h. Na segunda metade do circuito, o de- Um determinado modelo de avião comercial deve manter uma velo-
sempenho do carro melhora e sua velocidade média passa a ser cidade constante em relação ao ar de 750 km/h para voar de manei-
300 km/h. A velocidade média desse carro quando ele completa todo ra estável. Este avião faz uma viagem em linha reta de ida e volta
o circuito é de entre a cidade A e a cidade B. A distância entre as duas cidades é de
a) 225 km/h. 600 km. Nesta região, sopra um vento constante na exata direção
b) 275 km/h. que liga as cidades A e B e no sentido de A para B com velocidade
c) 220 km/h. com relação ao solo de 150 km/h. Portanto, na viagem de ida de A
para B, o avião voa a favor do vento, e na viagem de volta, de B para
d) 230 km/h.
A, ele voa contra o vento. Com base nessas informações, pode-se
*e) 240 km/h.
concluir que a viagem de
a) A até B é 40 minutos mais longa.
(UERJ-2018.2) - ALTERNATIVA: A b) A até B e a de B até A duram o mesmo tempo.
Estima-se que um mosquito seja capaz de voar 3,0 km por dia, como *c) B até A é 20 minutos mais longa.
informa o texto. d) A até B é 10 minutos mais curta.
Nessas condições, a velocidade média do mosquito corresponde, e) A até B é 30 minutos mais curta.
em km/h, a:
*a) 0,125
(VUNESP-UEFS/BA-2018.2) - ALTERNATIVA: B
b) 0,250
Ao trafegar por um trecho retilíneo de rodovia, um motorista passa
c) 0,600
pelos pontos A, B e C, associados aos marcos quilométricos indica-
d) 0,800 dos na figura.

(UERJ-2018.2) - ALTERNATIVA: C
Em um equipamento industrial, duas engrenagens, A e B, giram 100
vezes por segundo e 6 000 vezes por minuto, respectivamente. O
período da engrenagem A equivale a TA e o da engrenagem B, a TB.
A razão TA / TB é igual a:
a) 1/6
b) 3/5
*c) 1
d) 6

Sabendo que entre os pontos A e B o motorista desenvolveu uma


(UNICEUB/DF-2018.2) - ALTERNATIVA: E
velocidade escalar média de 50 km/h e que entre os pontos B e C
Dois carros A e B movimentam-se sobre a mesma rodovia. No ins-
ele desenvolveu uma velocidade escalar média de 25 km/h, entre os
tante inicial, o carro A encontrava-se na posição 70 km, enquanto
pontos A e C sua velocidade escalar média foi de
o carro B encontrava-se na posição 130 km. No gráfico,podem ser
observados os valores de velocidades de cada um dos carros. a) 36 km/h.
*b) 30 km/h.
c) 40 km/h.
d) 48 km/h.
e) 45 km/h.

(FEI/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: C
Dois móveis partem de dois pontos diferentes com velocidade de
10 m/s em módulo. Os pontos estão sobre uma trajetória retilínea
e distantes 100 m entre si. Os móveis possuem movimentos con-
trários, indo um de encontro ao outro. O móvel A possui movimento
uniforme e o móvel B possui movimento uniformemente acelerado
com aceleração de módulo igual a 2 m/s2. A que distância do ponto
de partida do móvel A os dois se encontrarão ? (Dado: √8 = 2,82)
a) 4,1 m d) 59,0 m
b) 95,9 m e) 5,9 m
*c) 41,0 m

(FEI/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: D
Do alto de um edifício de 30,0 m em relação ao solo, uma pedra é
lançada verticalmente para cima com velocidade de 10,0 m/s. Em
quanto tempo, após ter sido lançada, a pedra atingirá o solo?
Dados: g = 10 m/s2 e √ 7 = 2,65.
Decorrida meia hora de viagem, a distância relativa entre os dois a) 2,3 s
carros será, em quilômetros, igual a b) 2,5 s
a) 80. d) 40. c) 3,1 s
b) 60. *e) 20. *d) 3,6 s
c) 50. e) 4,2 s
japizzirani@gmail.com 23
(FEI/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: C (UNITAU/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: D
Dois garotos competem para saber quem atira uma pedra mais lon- Um projétil, cujas dimensões são desprezíveis, é lançado vertical-
ge com suas atiradeiras. O primeiro posiciona sua atiradeira segun- mente para cima, de uma altura h em relação ao solo. Após o lança-
do um ângulo de 37º acima da horizontal e atira sua pedra até atingir mento, o objeto subiu por um intervalo de tempo de 4 s, até atingir
uma distância horizontal de 20 m do ponto de partida em um tempo uma altura máxima H, medida em relação ao solo. Após atingir a
t. O segundo garoto posiciona sua atiradeira de modo a atingir o altura H, o objeto iniciou um movimento de queda, cuja duração foi
alcance máximo e atira sua pedra atingindo o mesmo ponto atingido de 6 s, até atingir o solo. Considerando desprezíveis as dimensões
pelo primeiro garoto, mas, desta vez, a pedra demorou um tempo do objeto, bem como o atrito do objeto com o ar e, ainda, tomando
2t para chegar ao solo. Qual é a relação entre as velocidades de g = 10 m/s2, as alturas h e H são, respectivamente,
lançamento das pedras do segundo garoto e do primeiro garoto? a) 10 m e 18 m
Despreze as alturas dos garotos. b) 10 m e 36 m
a) 1,75 c) 100 m e 120 m
Dados: *d) 100 m e 180 m
b) 1,14
g = 10 m/s2 ; e) 180 m e 360 m
*c) 0,57
sen 37º = 0,6 ; cos37º = 0,8 ;
d) 0,88 sen 45º = 0,7 ; sen 30º = 0,5.
e) 0,86 (UNITAU/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: D
Uma esfera, cujas dimensões são desprezíveis, é abandonada, a
partir do repouso, do ponto A, situado a uma altura H = 50 m em
(PUC/GO-2018.2) - ALTERNATIVA: C relação ao solo, como mostra a figura abaixo.
O poema de Paulo Leminski (Texto 2) cita em sua composição uma
A
das unidades do Sistema Internacional, o metro. Essa unidade é
utilizada para medir a grandeza física, comprimento e, dentre ou-
tras coisas, pode ser usada para verificar o crescimento das unhas
dos pés de uma pessoa. Em média, as unhas dos pés crescem a H v0
C C’
uma taxa constante de 1,4 mm a cada 30 dias. Considerando que
h
o tempo de realização das provas de vestibular da PUC Goiás é de B
4 horas e 30 minutos, marque a alternativa correta que indica o cres- R
cimento, em metros, das unhas dos pés de um candidato durante
esse evento: Após ser abandonada, a esfera inicia um movimento de queda, de-
a) 4,5.10–3. vido somente à ação da força gravitacional. O objeto passa pelos
pontos C e B. Após passar por B, inicia um movimento de subida,
b) 5,6.10–3.
até atingir o ponto C´. A partir de C´, a esfera é lançada (projétil) com
*c) 8,7.10–6. uma velocidade de módulo v0 , que forma um ângulo de 45º com a
d) 9,6.10–6. superfície horizontal. O ponto de lançamento da esfera (C´) está a
uma altura h em relação ao solo, e h é igual a 10% da altura H. Após
passar pelo ponto C´, a esfera descreve uma trajetória representada
(PUC/GO-2018.2) - ALTERNATIVA: B pela curva tracejada. A esfera cai a uma distância horizontal R (al-
No Texto 5, o trecho, “Anízio rodou a chave, que deveria ser gigan- cance), em relação ao ponto de lançamento. Quando a esfera atinge
tesca, mas não era”, faz referência a um movimento de rotação. o solo, o módulo da componente y (vf y) de sua velocidade é de apro-
Suponha que essa chave esteja presa em uma das extremidades ximadamente 23,5 m/s. Considere que, ao longo de toda a trajetória,
de um fio ideal. Se Anízio, com a outra extremidade do fio presa a energia mecânica da partícula (esfera) foi conservada. Considere,
entre os dedos, fizer com que esse sistema realize 4 voltas a cada também, desprezíveis as dimensões do objeto, bem como o atrito do
segundo, é correto afirmar que a velocidade angular e o período de
objeto com o ar e com a superfície. Considere g = 10 m/s2.
rotação serão, respectivamente iguais a:
Qual dos valores abaixo mais se aproxima da distância R (alcance)?
a) 4π rad/s e 0,15 s.
*b) 8π rad/s e 0,25 s.
Dado: sen(45º) = cos(45º) = √ /
2 2; √ 2 = 0,71.
a) 130,0 m *d) 96,0 m
c) 15π rad/s e 2,0 s. b) 110,8 m e) 54,2 m
d) 20π rad/s e 4,0 s. c) 105,2 m

(UNITAU/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: B (UFU/MG-2018.2) - RESPOSTA NO FINAL DA QUESTÃO


Considere dois jogadores de futebol, A e B, em um campo totalmen- Assuma que as dimensões das engrenagens e do pneu de uma bici-
te horizontal. Inicialmente, os dois jogadores estão parados, sendo cleta sejam as indicadas abaixo.
de 18 m a distância horizontal (reta) entre eles. O jogador A chuta
a bola, lançando-a a uma velocidade de módulo v0 , que forma um
ângulo de 45º em relação ao solo. No mesmo instante em que a bola
é lançada (t = 0 s), o jogador B começa a correr, seguindo a bola a
uma velocidade constante de módulo vB = 5√ 2 m/s (aproximada-
mente 7,1 m/s). Quando a bola toca novamente o solo, o jogador
B está a uma distância 2,0 m atrás da bola, como mostra a figura.

Dados: Ra = 18 cm; Rb = 6 cm; Rc = 20 cm (figura fora de escala)


a) Considerando-se os pontos x e y indicados na figura, qual deles
terá menor velocidade linear? Explique sua resposta.
b) Pedalando em uma bicicleta com as dimensões descritas, um ci-
Dado: sen(45º) = cos(45º) = √ /
2 2; √2 = 0,71. clista foi instruído de que, para vencer uma corrida, deve se manter
Considerando desprezíveis todos os possíveis tipos de atrito no sis- à velocidade constante de 65 km/h durante toda a prova. Qual o
tema e, ainda, tomando g = 10 m/s2, o módulo da velocidade de número de pedaladas por segundo que ele deve dar para manter a
lançamento da bola foi de, aproximadamente, velocidade indicada?
a) 15 m/s d) 30 m/s RESPOSTA UFU/MG-2018.2:
*b) 20 m/s e) 35 m/s a) Item anulado
c) 25 m/s b) fa @ 5 Hz (5 pedaladas por segundo)
japizzirani@gmail.com 24
(UNITAU/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: A (ETEC/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: D
Um objeto, cujas dimensões são desprezíveis, é lançado vertical- Aproveitando o desnível de um rio, um proprietário rural construiu
mente para cima, a partir do solo, com uma velocidade inicial de uma mini-hidrelétrica, conduzindo água por uma calha até uma roda
módulo v0y. Após o lançamento, o objeto subiu até atingir uma altura d’água que será conectada a um dínamo. A roda d’água possui uma
máxima H, medida em relação ao ponto de lançamento. Após atingir polia grande presa a ela enquanto o dínamo possui uma polia pe-
a altura H, o objeto iniciou um movimento de queda, também verti- quena.
cal, e caiu até atingir o solo. No movimento descrito, todos os tipos
de atrito são desprezíveis, e o módulo da aceleração gravitacional
terrestre pode ser aproximado para g = 10m/s2. Nessas condições,
para efetuar um novo lançamento do mesmo objeto, de modo que
a altura máxima alcançada seja o quádruplo de H, será necessário
aumentar o módulo da velocidade de lançamento (v0y) em
*a) 100%
b) 200%
c) 300%
d) 400%
e) 500%

(UNITAU/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: C
Um objeto, cujas dimensões são desprezíveis, é lançado vertical- O desenho mostra como as polias são conectadas por intermédio de
mente para cima, a partir do solo, com uma velocidade inicial de uma correia de borracha.
módulo 30 m/s. Após o lançamento, o objeto subiu até atingir uma Conclui-se, corretamente, que o tempo para que a polia grande com-
altura máxima H, medida em relação ao ponto de lançamento. Após plete uma volta, considerando que não há escorregamento da cor-
atingir a altura H, o objeto iniciou um movimento de queda, também reia sobre as polias, é
vertical, e caiu até atingir o solo. No movimento descrito, todos os a) menor que o tempo gasto pela polia menor, sendo que ambas
tipos de atrito são desprezíveis e o módulo da aceleração gravitacio- giram no mesmo sentido.
nal terrestre pode ser aproximado para g = 10 m/s2. b) menor que o tempo gasto pela polia menor, sendo que elas giram
Nessas condições, o valor de H e o tempo total do movimento (subi- em sentidos opostos.
da e descida) são respectivamente iguais a c) igual ao tempo gasto pela polia menor, sendo que ambas giram
a) 45 m e 3 s no mesmo sentido.
b) 450 m e 6 s *d) maior que o tempo gasto pela a polia menor, sendo que ambas
*c) 45 m e 6 s giram no mesmo sentido.
d) 450 m e 30 s e) maior que o tempo gasto pela polia menor, sendo que elas giram
em sentidos opostos.
e) 450 m e 60 s

(FPS/PE-2018.2) - ALTERNATIVA: E
(ETEC/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: E
Um atleta costuma praticar corrida em torno de um quarteirão retan-
Uma das formas de mobilidade urbana sustentável é o uso de bici-
gular de lados a = 200 m e b = 80 m, como mostrado na figura pela
cletas. O aumento da autonomia das bicicletas elétricas tem chama-
linha tracejada. O atleta corre em sentido anti-horário com velocida-
do a atenção do mercado, que observa a crescente procura.
de constante v = 4,0 m/s e, no instante t = 0 s, passa pelo ponto O.
Um ciclista, movendo-se em um solo plano, sai de casa com sua bi-
cicleta elétrica, desenvolvendo as velocidades indicadas no gráfico.

Calcule o módulo do deslocamento do atleta em relação ao ponto


O, depois de transcorridos 1,5 minutos de corrida. Dê sua resposta
Admita que a autonomia dessa bicicleta é de 60 km, que a bateria em metros.
encontrava-se completamente carregada e que a breve aceleração, a) 0,00 m
no início do movimento, pode ser desconsiderada. b) 50,0 m
Nessas condições, após 45 minutos de passeio, a distância que ain- c) 100 m
da será possível percorrer sem realizar a recarga da bateria é, em d) 150 m
km, *e) 200 m
a) 25.
b) 30. (FPS/PE-2018.2) - ALTERNATIVA: D
c) 35. O gráfico mostra a variação da velocidade de um objeto em função
do tempo.
d) 40.
*e) 45.

(INATEL/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: D
Um novo modelo de automóvel projetado pela indústria automobilís-
tica foi apresentado no recém-inaugurado Salão do Automóvel em
Santa Rita do Sapucaí, MG. O fabricante garantiu que ele pode ace-
lerar uniformemente, do repouso, e atingir uma velocidade de 154
km/h em 12 s. Em teste, o automóvel alcançou uma aceleração de:
a) 12,83 m/s2.
b) 9,80 m/s2. Determine qual a distância aproximada percorrida pelo objeto entre
c) 6,54 m/s2. os instantes t = 0 e t = 4 s.
a) 48 m *d) 24 m
*d) 3,56 m/s2. b) 40 m e) 20 m
e) 1,36 m/s2. c) 32 m
japizzirani@gmail.com 25
(ACAFE/SC-2018.2) - ALTERNATIVA: C (IFSUL/RS-2018.2) - ALTERNAITVA: C
Maria, após colocar ração para o peixe Beta do irmão, fica observan- Em um carrossel, os cavalinhos se movimentam obedecendo a um
do seu movimento no aquário e percebe que ele leva 5s para sair movimento circular uniforme de raio 3 m e dão 15 voltas em 30 s.
de sua posição e chegar onde está a ração. Tentando lembrar-se (Use: π = 3,14.)
de seus estudos, cria um esquema do aquário no instante em que Sobre esse fato, são feitas as seguintes afirmativas:
o peixe começou seu movimento (figura abaixo), desenhando sua
trajetória (linha tracejada que liga o peixe a ração), e faz algumas I. A frequência do movimento é de 0,5 hz.
afirmações. II. Como os cavalinhos estão em Movimento Circular Unifor-
Nesse sentido, julgue as afirmações da garota, marcando com V as me, se movimentam com velocidade constante, então não
verdadeiras e com F as falsas. sofrem aceleração.
III. A velocidade de cada cavalinho é de 9,42 m/s.
Ração IV. A aceleração dos cavalinhos é de 29,6 m/s2.
V. A velocidade angular dos cavalinhos é de π rad/s.

Estão corretas apenas as afirmativas


a) I e II.
b) II e III.
*c) I, III, IV e V.
d) I, IV e V.

( ) O espaço percorrido pelo peixe é numericamente igual ao módu-


(IF/PE-2018.2) - RESPOSTA CORRETA: Dt = 5 s e DS = 125 m
lo de seu deslocamento.
As ultrapassagens em locais proibidos têm sido a causa de muitos
( ) O deslocamento do peixe tem módulo de 26 cm. acidentes graves no trânsito brasileiro. Muitos condutores não com-
preendem que, no momento de uma ultrapassagem, a velocidade
( ) O peixe desenvolveu uma velocidade escalar média de 5,2 cm/s.
do veículo ultrapassado é subtraída da velocidade de seu veículo.
( ) O peixe não realizou um MRU. Sabendo disso, suponha que numa estrada retilínea movimenta-se
( ) A pressão hidrostática sobre o peixe, no início do seu movimen- um caminhão de comprimento 21 m e velocidade de 72 km/h. Qual o
to, é maior do que a pressão hidrostática sobre a ração. tempo e o espaço necessários para que um veículo de passeio com
4 m de comprimento e 90 km/h ultrapasse o caminhão?
A sequência correta, de cima para baixo, é: Lembrete: Uma ultrapassem completa se dá quando o para-choque
a) V - V - V - F - F traseiro do veículo que está ultrapassando passa o para-choque
b) F - F - V - V - V dianteiro do veículo ultrapassado.
*c) F - V - F - V - V a) 5 s e 25 m.
d) V - V - F - F - V b) 7 s e 35 m.
c) 9 s e 45 m.
d) 11 s e 55 m.
(VUNESP-UNIVAG/MT-2018.2) - ALTERNATIVA: B
e) 13 s e 65 m.
A patinação de velocidade em pista curta é um esporte disputado
nas Olimpíadas de Inverno desde 1992, no qual os patinadores de-
vem percorrer uma pista de gelo, cujo raio interno em cada curva é (UCB/DF-2018.2) - ALTERNATIVA: B
de 8 m, como a da figura. Considerando que um corpo se comporta conforme o gráfico apre-
sentado, é correto afirmar que a distância percorrida pelo corpo em
10 s foi de

(http://globoesporte.globo.com. Adaptado.)
Suponha que um patinador realize uma prova de 500 m dessa mo-
dalidade de patinação em 50 s e que, em cada curva, tenha realiza-
do a menor trajetória possível, seguindo a linha pontilhada. Conside-
rando que o patinador manteve uma velocidade constante durante
toda a prova, a intensidade da aceleração a que ele foi submetido
em cada instante durante cada curva foi de
a) 25,0 m/s2.
a) 10 m.
*b) 12,5 m/s2.
*b) 50 m.
c) 0. c) 1,0 m.
d) 10,0 m/s2. d) 5 m.
e) 15,1 m/s2. e) 100 m.

(IF/PE-2018.2) - ALTERNATIVA: B (UCB/DF-2018.2) - ALTERNATIVA: D


Um soldado do exército salta durante um treinamento de uma altura Uma espingarda atira um projétil a 200 m/s da direção horizontal e a
de 2 000 m. Sabendo que ele percorre os primeiros 125 m sem o 5,00 m de altura. Considere que a única influência que o ar exerce
paraquedas e que, após acioná-lo, sua velocidade cai para 36 km/h, é uma aceleração constante de 1,00 ×10–2 m/s2 na mesma direção,
assinale a alternativa que indica, aproximadamente, qual o tempo mas em sentido oposto ao da velocidade inicial do projétil,durante
gasto para o soldado chegar ao solo. todo o movimento. Admitindo-se que a aceleração da gravidade é de
10,0 m/s2, é correto afirmar que a distância e o tempo até o projétil
Dado: g = 10 m/s2.
tocar o solo são, respectivamente, de
a) 4min
a) 400 m e 2,00 s.
b) 3min b) 1,00 k m e 5,00 s.
c) 5min c) 100 m e 0,50 s.
d) 6min *d) 200 m e 1,00 s.
e) 7min e) 9,50 km e 9,50 s.
japizzirani@gmail.com 26
(UECE-2018.2) - ALTERNATIVA: B (UEM/PR-2018.2) - RESPOSTA: SOMA = 30 (02+04+08+16)
Recentemente o tema combustível e caminhões ganhou destaque Um DVD com dados gravados tem diâmetro medindo 12 cm. Ele gira
nos noticiários com a greve de caminhoneiros. Suponha que o con- dentro de um aparelho leitor de DVDs com frequência de rotação va-
sumo (c) de diesel de um caminhão, em m3 de combustível por metro riando entre 200 rpm e 500 rpm, dependendo do setor do DVD que
viajado, seja proporcional à massa M do veículo. está sendo lido pelo equipamento (quanto mais afastado do centro
Considere que o consumo seja descrito pela equação c = b M, onde do DVD, menor será a frequência de rotação do DVD). Assinale o
b é uma constante. No Sistema Internacional de Unidades b tem que for correto.
unidade de 01) A área de cada face do DVD é de 144p cm2.
a) km/L. 02) A velocidade angular mínima do DVD é maior que 6p rad/s.
*b) m2/kg. 04) Quanto mais afastado do centro estiver um setor sob leitura,
maior será o período de rotação do DVD.
c) L/km.
08) Em um ponto na borda do DVD, a velocidade (em módulo) má-
d) m/kg. xima é maior que 3 m/s.
16) A aceleração centrípeta em cada ponto do DVD é dirigida para
(UECE-2018.2) - ALTERNATIVA: C o centro do DVD.
Sem considerar qualquer atrito e assumindo a força da gravidade
constante, é correto afirmar que a trajetória idealizada de corpos que (UEM/PR-2018.2) - RESPOSTA: SOMA = 11 (01+02+08)
são arremessados horizontalmente próximos à superfície da Terra é Em uma escola houve uma gincana, e uma das competições foi uma
a) reta. corrida em pista lisa, retilínea e sem obstáculos. Um dos participan-
b) hiperbólica. tes completou o percurso em 20 s, partindo do repouso. Nos primei-
*c) parabólica.
ros 5 s, sua aceleração foi constante e igual a 2 m/s2. Entre os 5 s
d) semicircular.
e 15 s, sua aceleração foi constante e nula. Finalmente, entre 15 s
e 20 s sua aceleração foi constante e igual a – 0,4m/s2. Assinale o
(UNIVESP-2018.2) - ALTERNATIVA: D que for correto.
Devido às obras em uma das faixas de um trecho retilíneo de uma 01) No intervalo entre 0 s e 5 s, a velocidade do competidor pode ser
estrada de pista simples, foram colocados, nas extremidades do tre- descrita por v(t) = 2 t , em que t indica o tempo em segundos.
cho em obras, semáforos que, de forma intercalada, administram 02) Na linha de chegada, a velocidade do competidor foi de 8 m/s.
o tráfego, dando vazão ao trânsito dos veículos nos dois sentidos 04) O competidor teve a menor aceleração no intervalo entre 5 s e
da rodovia. Um motoqueiro, que está a 100 m de um dos semáfo- 15 s.
ros e dirige sua moto com velocidade constante de 15 m/s, observa 08) A velocidade média do competidor foi de 8,5 m/s.
que a luz do sinal passa de verde para amarela. Sabendo que a luz 16) O movimento do competidor é classificado como acelerado entre
permanecerá amarela por 5 s, o motoqueiro acelera a moto o sufi- os instantes 15 s e 20 s.
ciente para continuar sua trajetória pela estrada antes que a luz do
semáforo mude para vermelha. A velocidade da moto ao atravessar
o semáforo será, em m/s, igual a (UNICEUB/DF-2018.2) - ALTERNATIVA: B
a) 10. Ejeções de massa coronal são grandes erupções de gás ionizado
b) 15. a alta temperatura provenientes da coroa solar, que são expelidas
c) 20. com grandes velocidades e se dirigem para as órbitas planetárias.
*d) 25. Elas liberam grandes quantidades de matéria e de radiação eletro-
e) 30. magnética ao espaço e, quando se dirigem diretamente para a Terra,
afetam muito as telecomunicações, redes de distribuição de energia
elétrica além de provocarem as famosas auroras boreais. Basea-
(UEPG/PR-2018.2) - RESPOSTA: SOMA = 05 (01+04) do em dados de sondas espaciais não tripuladas, estima-se que as
As equações horárias que descrevem o movimento de um objeto, de ejeções de massa coronal podem alcançar velocidade de 20 km/s
massa igual a 2 kg, ao longo da horizontal e da vertical, são dadas a 3 200 km/s. A distância média Terra-Sol é de 150 000 000 km. A
respectivamente por: x =5 + 3 t e y = 4 t − 5 t2, onde x e y são dados partir do momento da ejeção da massa coronal pelo Sol, o intervalo
em metros e t em segundos. Considerando que o lançamento inicial de tempo mínimo que os cientistas terão para emitir um alerta de
do objeto se dá para t = 0 s e desprezando efeitos dissipativos, as- segurança, caso ela se dirija em direção à Terra, será de cerca de
sinale o que for correto. a) 86 horas
01) O objeto atinge o solo 0,8 s após o lançamento. *b) 13 horas
02) A energia cinética do objeto no ponto mais alto da trajetória é
c) 34 horas
igual a zero.
d) 87 dias
04) O módulo da velocidade com que o objeto atinge o solo é 5 m/s.
08) O alcance horizontal do objeto é 8,4 m. e) 35 dias
16) Durante seu movimento, a altura máxima que o objeto atinge,
em relação ao solo, é 1,6 m. (UFJF/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: B
Um automóvel passa pelo marco quilométrico “km 25” de uma rodo-
(UPF/RS-2018.2) - ALTERNATIVA: A via às 15 horas e 15 minutos. A partir desse momento o motorista
Um veículo trafegando sobre uma estrada retilínea tem sua velocida- mantém constante a velocidade do automóvel com módulo igual a
de variando em função do tempo de acordo com o gráfico a seguir. 45 km/h. No sentido desse movimento os marcos quilométricos vão
aumentando. Nesse ritmo, às 15 horas e 55 minutos, o automóvel
estará passando pelo seguinte marco quilométrico:
a) km 30 d) km 90
*b) km 55 e) km 185
c) km 70

(IFF/RJ-2018.2) - ALTERNATIVA: C
Após um lançamento em profundidade, zagueiro e atacante partem
atrás da bola em uma trajetória retilínea. O atacante passa pelo za-
gueiro, que estava parado (v0 Zagueiro = 0 km/h), com uma velocidade
constante vAtacante = 18 km/h no instante t = 0 s. O zagueiro acelera
para alcançar o atacante com a aceleração azagueiro = 2,0 m/s2. O
Nessas condições, pode-se afirmar que a distância percorrida em 8 tempo que o zagueiro leva para atingir a mesma velocidade do ata-
segundos, em m, será de: cante é
*a) 80. d) 40. a) 1,0 s. d) 9,0 s.
b) 60. e) 30. b) 2,0 s. e) 9,5 s.
c) 50. *c) 2,5 s.
japizzirani@gmail.com 27
(IFG/GO-2018.2) - ALTERNATIVA: D
Entusiasmado em assistir aos jogos da Copa do Mundo 2018, na
Rússia, um morador da cidade de Goiânia já adquiriu os ingressos
para assistir à abertura da copa no Estádio Luzhniki, em Moscou, no
dia 14 de junho, com o jogo entre Rússia e Arábia Saudita, e para
assistir ao jogo de estreia da seleção brasileira contra a Suíça, que
ocorrerá na cidade de Rostov-do-Don no dia 17 de junho.
Supondo que o morador de Goiânia percorra de carro o trajeto de
1 100 Km entre Moscou e a cidade de Rostov-do-Don, saindo de
Moscou às 06 horas da manhã e desenvolvendo uma velocidade
média de 110 Km/h durante todo o percurso, mas gastando um total
de 90 minutos durante as paradas na estrada, a que horas ele che-
gará à cidade de Rostov-do-Don?
a) Às 16 horas.
b) Às 16 horas e 30 minutos.
c) Às 17 horas.
*d) Às 17 horas e 30 minutos.

japizzirani@gmail.com 28
MECÂNICA (UERJ-2018.1) - ALTERNATIVA: C
A lei de conservação do momento linear está associada às rela-
LEIS DE NEWTON ções de simetrias espaciais.
Nesse contexto, considere uma colisão inelástica entre uma par-
tícula de massa M e velocidade V e um corpo, inicialmente em
VESTIBULARES 2018.1 repouso, de massa igual a 10M.
Logo após a colisão, a velocidade do sistema composto pela partí-
cula e pelo corpo equivale a:
(UERJ-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Em um experimento, os blocos I e II, de massas iguais a 10 kg e a a) V /10
6 kg, respectivamente, estão interligados por um fio ideal. Em um b) 10V
primeiro momento, uma força de intensidade F igual a 64 N é apli- *c) V /11
cada no bloco I , gerando no fio uma tração TA. Em seguida, uma
d) 11V
força de mesma intensidade F é aplicada no bloco II , produzindo a
tração TB. Observe os esquemas:
(SENAI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Leia as afirmações a seguir.
I. A Terra exerce uma força de atração sobre os corpos que estão
próximos à sua superfície.
II. Uma corda ou um fio, se completamente esticados, aplicam uma
força nos pontos aos quais estão presos.
III. Uma superfície, quando comprimida por um corpo, aplica nele
uma força de mesma intensidade.
Cada uma dessas afirmações faz referência a uma força que, na
ordem, são
a) Força Peso, Força de Tração e Força de Atrito.
Desconsiderando os atritos entre os blocos e a superfície S, a ra- b) Força da Gravidade, Força de Tração e Força Normal.
TA *c) Força Peso, Força de Tração e Força Normal.
zão entre as trações corresponde a: d) Força Peso, Força Elástica e Força Normal.
TB
9 3 e) Força da Gravidade, Força Elástica e Força de Atrito.
a) *c)
10 5
(SENAI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B
4 8 Dois troncos de árvore movem-se na superfície de um lago de
b) d)
7 13 águas tranquilas, um em direção ao outro. O que vem da esquerda
para a direita tem massa 6 kg e move-se a 2 m/s e o que vai da
direita para a esquerda tem massa 8 kg e move-se a 4 m/s.
(UERJ-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Desprezando-se as forças de resistência, se, após a colisão, o
Uma luminária com peso de 76 N está suspensa por um aro e por
tronco que vinha da direita passar a mover-se com velocidade de
dois fios ideais. No esquema, as retas AB e BC representam os
2 m/s no sentido contrário ao que vinha, qual será a velocidade e o
fios, cada um medindo 3 m, e D corresponde ao ponto médio entre
sentido do outro tronco após a colisão?
A e C.
a) 6 m/s no mesmo sentido que vinha.
*b) 6 m/s no sentido contrário ao que vinha.
c) 4,6 m/s no mesmo sentido que vinha.
d) 4,6 m/s no sentido contrário ao que vinha.
e) zero.

(UEM/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Nós nos movimentamos junto com a superfície da Terra com velo-
cidade linear conforme a latitude em que estamos. Tomando o Sol
como referencial, todos os dias descrevemos um movimento circu-
lar uniforme, em que a trajetória é uma circunferência, e o módulo
Sendo BD = 1,2 m e A, C e D pontos situados na mesma horizontal, da velocidade instantânea é constante. Embora o movimento circu-
a tração no fio AB, em newtons, equivale a: lar uniforme tenha uma velocidade de módulo constante, a direção
a) 47,5 da velocidade varia de ponto a ponto da trajetória e, portanto, ele
b) 68,0 é um movimento acelerado, e qualquer aceleração deve estar as-
*c) 95,0 sociada à ação de uma força. Assinale a alternativa que apresenta
d) 102,5 a força responsável por nos manter em rotação junto com a Terra.
a) Força elástica
(SENAI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: E b) Força elétrica
Dois blocos de massas 5 kg e 3 kg movem-se sobre uma mesma *c) Força gravitacional
superfície lisa e horizontal, em uma mesma direção, com velocida- d) Força magnética
des 6 m/s e 2 m/s, respectivamente, como na figura a seguir. e) Força de atrito

(UNIFOR/CE-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Um avião voando à 200,0 m/s faz um percurso circular, de raio R,
completando uma volta em 4 minutos. Para realizar tal trajetória é
necessário que o avião tenha uma inclinação q, conforme a figura.
Qual o percentual de aumento do peso aparentemente sentido pe-
los passageiros?
Considere o módulo da aceleração da gravidade, g = 10 m/s2 e o
Desprezando as forças de resistência, a velocidade comum após
a colisão é de valor de π = 3.
a) 2,5 m/s. a) 5%
b) 3,0 m/s. b) 7%
c) 3,5 m/s. c) 10%
d) 4,0 m/s. *d) 12%
*e) 4,5 m/s. e) 15%
japizzirani@gmail.com 29
(UFAL-2018.1) - ALTERNATIVA: A (PUC/GO-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Em 5 de agosto de 2010, um desabamento na mina San José, no No Texto 3, “As flores de Novidade”, de Mia Couto, há uma passa-
norte do Chile, deixou 33 mineiros presos a mais de 700 metros de gem em que o pai, Jonasse, encontra sua filha, Novidade, parada
profundidade. Depois de mais de dois meses de trabalho, em 13 no quarto. Na Física clássica, movimento e repouso podem ser
de outubro, o drama desses trabalhadores chegou ao fim. Num tra- estudados a partir das Leis de Newton. Considere as três leis de
balho de resgate sem precedentes na história da mineração mun- Newton e analise as afirmações a seguir:
dial, os mineradores foram resgatados pela cápsula Fênix. Essa
cápsula de 58 cm de diâmetro externo, foi especialmente projetada I - Se um cavalo atrelado a uma carroça a puxa com força de mó-
pela marinha chilena para subir e descer por um túnel de aproxi- dulo igual a 20 N, automaticamente, a carroça puxará o cavalo com
madamente 66 cm de diâmetro e 622 m de extensão. Como pode a mesma força, mas em sentido oposto.
ser visto na imagem, a Fênix possuía rodas na parte externa com II - Um corpo certamente estará em repouso se a força resultante
amortecedores para minimizar o impacto e atrito com as paredes sobre ele for igual a zero.
do túnel. Apesar de robusto, o guindaste utilizado para transportar III - Para uma abóbora em repouso sobre uma mesa existem as
a cápsula de resgate tinha funcionamento simples: uma polia fixa forças peso e normal, mas esta última não é força de reação da
se prendia a cápsula que subia e descia pelo túnel com velocida- primeira.
de controlada por um motor próprio para garantir a segurança dos IV - Para que a menina Novidade entre em movimento retilíneo
mineradores e socorristas. Além disso, a cápsula movimentava-se e uniforme, basta que sobre ela se aplique uma força resultante
ligeiramente apoiada na parede inferior do túnel, que tinha uma diferente de zero.
inclinação de um pouco mais de 10º (ver imagem). Dentre as alternativas a seguir apresentadas, marque aquela que
contém todas as afirmações verdadeiras:
a) I e II.
b) I, II e IV.
*c) I e III.
d) II e IV.

(CESGRANRIO-FMP/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Um pequeno objeto de massa m é pendurado por um fio ao teto, e
é largado do repouso na posição 1, como mostra a Figura 1, onde
também são indicadas outras quatro posições pelas quais o objeto
passa em seu movimento oscilatório. Na Figura 2, está indicado um
conjunto de vetores em cada uma das posições.

Disponível em: <http://g1.globo.com/mundo/noticia/2010/10/resgate-dos-mi-


neiros-vai-comecar-meianoite-de-quarta-feira-no-chile.html>. Acesso em: 18
ago. 2017 (Imagens adaptadas).

Sob essas condições, as forças que atuavam sobre a cápsula


eram: T, a força de tração no cabo que sustentava a cápsula; N, a
componente normal da força de contato entre a cápsula e a parede
do túnel; A, a força de atrito entre a cápsula e o túnel; e P, o peso
da cápsula. Qual dos diagramas de forças apresentados melhor
A associação correta entre as grandezas físicas descritas e os ve-
representa as forças que atuavam sobre a cápsula Fênix numa
tores da Figura 2 nas posições mencionadas, quando o objeto é
situação de descida dentro do túnel ?
largado e está se deslocando da esquerda para a direita, em sua
primeira oscilação, é:

*a) b) c) a) na posição 5, o vetor f representa a força resultante sobre o cor-
po, e a velocidade do corpo é nula.

*b) na posição 4, o vetor d representa a aceleração do corpo, e o

vetor e representa sua velocidade.
c) na posição 1, a velocidade e a aceleração do objeto são nulas.
→ →
d) na posição 2, o vetor b representa a velocidade, e o vetor a
representa a aceleração do objeto no instante em que passa pelo
ponto.
e) na posição 3, a aceleração do objeto é nula, e sua velocidade é

representada pelo vetor c .

(IME/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Um veículo de combate tem, como armamento principal, um ca-
nhão automático eletromagnético, o qual está municiado com 50
projéteis. Esse veículo se desloca em linha reta, inicialmente, em
velocidade constante sobre um plano horizontal. Como o veículo
está sem freio e descontrolado, um engenheiro sugeriu executar
d) e) disparos a fim de reduzir a velocidade do veículo. Após realizar
10 disparos na mesma direção e no mesmo sentido da velocidade
inicial do veículo, este passou a se deslocar com metade da ve-
locidade inicial. Diante do exposto, a massa do veículo, em kg, é:
Dados:
• velocidade inicial do veículo: 20 m/s;
• velocidade do projétil ao sair do canhão: 800 m/s; e
• massa do projétil: 2 kg.
Observação:
• não há atrito entre o plano horizontal e o veículo.
a) 1 420 d) 1 580
*b) 1 480 e) 1 680
c) 1 500
japizzirani@gmail.com 30
(IME/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: D (PUC/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: C
O sistema mostrado na figura gira em torno de um eixo central em Um bloco de massa m0 se encontra na iminência de se movimentar
velocidade angular constante ω. Dois cubos idênticos, de massa sobre a superfície de uma rampa com atrito (plano inclinado) que
uniformemente distribuída, estão dispostos simetricamente a uma faz um ângulo de 30° com a horizontal.
distância r do centro ao eixo, apoiados em superfícies inclinadas Se a massa do bloco for dobrada, o ângulo da rampa para manter
de ângulo θ . o bloco na iminência do movimento será
a) 90° d) 15°
b) 60° e) 7,5°
*c) 30°

(PUC/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Uma arma de tiro esportivo dispara um projétil de massa 2 g contra
um bloco de madeira de massa 98 g, inicialmente em repouso so-
bre uma superfície horizontal sem atrito. O projétil fica encrustado
no bloco, e o conjunto sai com velocidade de 4 m/s.
Qual é a velocidade horizontal do projétil, em m/s, antes de atingir
o bloco?
a) 100 d) 800
Admitindo que não existe movimento relativo dos cubos em relação *b) 200 e) 1600
às superfícies, a menor velocidade angular ω para que o sistema c) 400
se mantenha nessas condições é:
Dados: (UNICENTRO/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: A
• aceleração da gravidade: g ; Considere o enunciado abaixo:
• massa de cada cubo: m ;
“Um ponto material isolado e em repouso tem a tendência
• aresta de cada cubo: a ; e
natural de permanecer em repouso. Quando em movimento
• coeficiente de atrito entre os cubos e as superfícies inclinadas: μ . retilíneo uniforme (MRU), tem a tendência natural de manter

]) )]
1
2 constante a sua velocidade.”
a)
g μ.cos(θ)
Essa propriedade da matéria de resistir a qualquer variação em
r sen(θ) + μ.cos(θ) sua velocidade recebe o nome de:
*a) Inércia

]) )]
1
2
b) Força
b)
g μ.cos(θ) c) Atrito
r cos(θ) + μ.sen(θ) d) Peso

]) )]
1
2 (UNICENTRO/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: C
c)
g μ.sen(θ) + cos(θ) Uma partícula de massa 1,0 kg realiza um movimento retilíneo uni-
r sen(θ) + μ.cos(θ) formemente variado. Em um percurso de 8,0 metros sua velocida-
de varia de 6,0 m/s a 10,0 m/s. O módulo da força resultante que

]) )]
1 age sobre a partícula será:
2
g sen(θ) – μ.cos(θ) a) 1,0 N
*d)
r cos(θ) + μ.sen(θ) b) 2,0 N
*c) 4,0 N
d) 10,0 N

]) )]
1
2
g sen(θ) – μ.cos(θ)
e)
r sen(θ) + μ.cos(θ) (UNIGRANRIO/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Dois blocos, A e B, estão presos por um fio ideal que passa por
uma roldana também ideal, conforme mostra a figura. O bloco A
(UNIFENAS/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: C puxa o bloco B por um plano inclinado que faz um ângulo de 50°
Considerando que o bloco A e B de massas respectiva de 10 Kg e com a horizontal. Sabe-se que o coeficiente de atrito entre o bloco
6 Kg, desprezando todos os atritos e que a força aplicada ao bloco B e a superfície vale 0,25.
maior valha 160 Newtons, obtenha o módulo da força de contato
entre tais blocos.

a) 40 N.
b) 50 N.
*c) 60 N.
d) 70 N.
e) 80 N.

(PUC/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Um corpo A colide com um corpo B que se encontra inicialmente
Considerando que a massa do bloco A vale 4kg e a massa do bloco
em repouso. Os dois corpos estão sobre uma superfície horizontal
B é igual a 2kg, marque a opção que apresenta a aceleração do
sem atrito. Após a colisão, os corpos saem unidos, com uma velo-
sistema, a, e a intensidade da tração no fio, T, respectivamente.
cidade igual a 20% daquela inicial do corpo A.
Qual é a razão entre a massa do corpo A e a massa do corpo B, Dados: sen 50° = 0,8; cos 50° = 0,6; g = 10 m/s2. Despreze a resis-
mA / mB ? tência do ar.
a) 0,20 a) a = 2,0 m/s2 ; T = 12 N
*b) 0,25 *b) a = 3,5 m/s2 ; T = 26 N
c) 0,80 c) a = 4,0 m/s2 ; T = 40 N
d) 1,0 d) a = 4,5 m/s2 ; T = 42 N
e) 4,0 e) a = 10,0 m/s2 ; T = 60 N
japizzirani@gmail.com 31
(IF/BA-2018.1) - ALTERNATIVA: B (FAC.CATÓLICA/TO-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Na montagem experimental abaixo, os blocos A, B e C têm massas Analise as afirmações abaixo.
mA = 2,0 kg, mB = 3,0 kg e mC = 5,0 kg. Desprezam-se os atritos e a
1. Uma granada, de massa igual a 1 kg, é lançada verticalmente
resistência do ar. Os fios e as polias são ideais e adote g = 10 m/s2.
para cima e explode ao atingir a sua altura máxima, fragmentando-
se em três pedaços. Imediatamente após a explosão, o primeiro
fragmento, cuja massa é 0,50 kg, move-se verticalmente para cima
com velocidade de 6 m/s e o segundo fragmento, cuja massa é
0,40 kg, move-se horizontalmente para a direita com uma velo-
→ cidade de 10 m/s. O valor da velocidade do terceiro fragmento,
g
imediatamente após a explosão, é de 50 m/s.
2. Uma locomotiva permanece ligada a um vagão após colidirem
sendo que ambos se deslocavam na mesma direção e sentido.
Se a velocidade da locomotiva antes da colisão era de 30 m/s e
a do vagão de 10 m/s a velocidade final do conjunto será 25 m/s.
Considere a massa da locomotiva de 15 ton e a do vagão de 5 ton.
No fio que liga o bloco B com o bloco C, está intercalada uma mola
leve de constante elástica 3,5×103 N/m. Com o sistema em movi- 3. Do alto de um edifício deixa-se cair um objeto de massa m1 e,
mento, a deformação da mola é? após 3 s , deixa-se cair um segundo objeto de massa m2. Des-
a) 2,0 cm prezando-se a resistência do ar, podemos afirmar que a distância
*b) 1,0 cm entre os dois objetos, durante a queda livre, aumentará continua-
c) 1,5 cm mente, independente dos valores das massas m1 e m2 .
d) 2,8 cm
Indique a sequência correta, quando à falsidade (F) ou veracidade
e) 4,2 cm
(V) dessas afirmações.
a) F V V.
VUNESP/UNICID-2018.1) - ALTERNATIVA: E b) V F V.
Partindo do repouso, um carro de Fórmula 1 atingiu a velocidade c) F F F.
de 180 km/h após percorrer 120 m em uma pista plana e horizontal. *d) V V V.
Considerando que a massa do carro era 720 kg, a intensidade mé-
dia da força resultante que atuou sobre o carro nesse movimento
(VUNESP-UEA/AM-2018.1) - ALTERNATIVA: D
foi de
Determinado objeto de massa M está em repouso sobre uma su-
a) 7,5 × 101 N. perfície plana e horizontal e para movê-lo com uma aceleração
b) 1,5 × 104 N. constante de intensidade a, é preciso exercer sobre ele uma força
c) 1,5 × 102 N. resultante horizontal de intensidade F. Dessa forma, para imprimir
a um outro corpo de massa 3M, parado sobre a mesma superfí-
d) 3,7 × 103 N.
cie, uma aceleração constante de intensidade 5a, será necessário
*e) 7,5 × 103 N. exercer sobre ele uma força resultante horizontal de intensidade
a) 4F. *d) 15F.
(UVV/ES-2018.1) - ALTERNATIVA: A b) 8F. e) 2F.
Um paciente, recuperando-se de uma lesão no joelho, realiza um c) 5F.
exercício de fisioterapia que consiste em empurrar um bloco sobre
uma superfície horizontal e com atrito. O atrito estático e cinético
da superfície é de 0,800 e 0,300, respectivamente, e o bloco se en- (UEL/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: D
contra, inicialmente, em repouso. Considere a aceleração da gravi- Leia a charge a seguir e responda a questão 12.
dade igual a 10,0 m/s2. O paciente possui uma massa de 85,0 kg,
enquanto o bloco possui 30,0 kg. Aplicando uma força horizontal
F = 190 N para a esquerda no bloco, a aceleração e força de atrito
atuando serão, respectivamente, de
*a) 0 e 190 N.
b) 0 e 240 N.
c) 0 e 90,0 N.
d) 3,33 m/s2 e 100 N.
e) 3,33 m/s2 e 90,0 N.

(VUNESP-UEA/AM-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Uma esfera de aço é abandonada, a partir do repouso, em dife-
rentes situações. Assinale a alternativa na qual a força resultante Figura 3
sobre essa esfera será diferente de zero.
(Adaptado de: <http://www.gazetadopovo.com.br/blogs/rolmops-ecatchup/
wp-content/uploads/sites/71/2015/03/15-março1-650x329.jpg>.
a) d) Acesso em: 10 maio 2017.)

QUESTÃO 12
Com base na figura 3 e nos conhecimentos sobre o atrito e as Leis
de Newton, assinale a alternativa correta.
a) Quando um corpo se movimenta em relação a outro, a força de
*b) e) atrito aparece sempre no sentido direto à tendência de movimento.
b) No final da caminhada (figura 3), a pessoa que está na frente
fica parada sem escorregar, pois a Fat max = me mg senq e portanto
me = tgq−1.
c) Se por algum motivo (na figura 3), quem está atrás puxasse
quem está na frente, a Fat estaria no mesmo sentido do “puxão”
para quem aplicou a força.
d) Podemos afirmar que a força de atrito é proporcional à força
c) normal e independente da área de contato.
e) No final da caminhada, a pessoa que está na frente está su-
jeita a uma Fat , e, para que esta seja máxima, devemos ter
Fat max = me mg senq .
japizzirani@gmail.com 32
(VUNESP-UEA/AM-2018.1) - ALTERNATIVA: D (VUNESP-StaCASA/SP-2018.1) - RESP. NO FINAL DA QUESTÃO
O peso de 13 000 N da cabine de um elevador é aliviado pela ação Um pequeno bloco gira no interior de uma semiesfera oca, de raio
do contrapeso de 9 000 N a que está atrelado, conforme indica a 2 m, com velocidade angular constante e período de rotação de
figura. Quando a cabine desce até o fundo do poço e está livre da 2 s ao redor de um eixo vertical fixo. Ele descreve uma trajetória
ação do motor, sua base toca uma grande mola que é comprimida, circular de centro C, contida em um plano horizontal determinado
encolhendo-se 5 cm. Considere que o peso do cabo e os atritos pelo ângulo α indicado na figura.
envolvidos são desprezíveis.

Desprezando todos os atritos e adotando g = 10 m/s2 e p2 = 10,


calcule:
a) a frequência, em r.p.m. , com que o bloco está girando.
A constante elástica dessa mola tem valor
b) o valor do ângulo α, em graus.
a) 18 000 N/m.
b) 26 000 N/m. RESPOSTA VUNESP-StaCASA/SP-2018.1:
c) 44 000 N/m. a) f = 30 r.p.m. b) α = 60º
*d) 80 000 N/m.
e) 260 000 N/m.
(VUNESP-StaCASA/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: E
Duas caixas, A e B, estão apoiadas, em repouso, sobre uma su-

(VUNESP-StaCASA/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: A perfície plana e horizontal. Sobre a caixa A é aplicada uma força F ,
Um prisma triangular pode ser apoiado sobre uma superfície hori- horizontal e de intensidade constante, conforme a figura.
zontal de duas maneiras diferentes. Na primeira, para manter em
repouso um corpo de peso P, é necessário ligá-lo por meio de um
fio a um corpo de massa m1 (figura 1). Na segunda, para manter
o mesmo corpo em repouso, é necessário ligá-lo a um corpo de
massa m2 (figura 2).

FIGURA1 FIGURA 2 →
O gráfico representa a variação da intensidade da força FAB , trans-
mitida de A para B, em função da massa de A, mA, mantendo a
massa de B, mB, constante.

Desprezando o atrito e considerando o fio e a polia representados


nas figuras como ideais, é correto afirmar que
√2 · m1
*a) m2 = √ 3 · m1 d) m2 =
2 Desprezando o atrito e a resistência do ar, a aceleração do sistema
quando mA = 2 kg será
3 · m1
b) m2 = √2 · m1 e) m2 = a) 1 m/s2.
2
b) 4 m/s2.
c) m2 =
√3 · m1
2 c) 2 m/s2.
d) 3 m/s2.
(ENEM-2017) - ALTERNATIVA: A *e) 5 m/s2.
As centrífugas são equipamentos utilizados em laboratórios, clíni-
cas e indústrias. Seu funcionamento faz uso da aceleração cen- (UFLA/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: B
trífuga obtida pela rotação de um recipiente e que serve para a No estudo da mecânica, as grandezas físicas podem ser expres-
separação de sólidos em suspensão em líquidos ou de líquidos sas em três grandezas básicas: Comprimento (L), Tempo (T), e a
misturados entre si. Massa (M). A Força é uma grandeza particularmente importante no
RODITI. I. Dicionário Houaiss de física. Rio de Janeiro: Objetiva, 2005 (adaptado). estudo da dinâmica do movimento. No Sistema Internacional de
Nesse aparelho, a separação das substâncias ocorre em função Unidades, a unidade da Força é o Newton, que, quando expressa
em termos das grandezas básicas L, T, e M, é dada por:
*a) das diferentes densidades.
b) dos diferentes raios de rotação. a) kg · m/s
c) das diferentes velocidades angulares. *b) kg · m/s2
d) das diferentes quantidades de cada substância. c) kg · m2/s
e) da diferente coesão molecular de cada substância. d) kg · m2/s2
japizzirani@gmail.com 33
(VUNESP-StaCASA/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: E (ENEM-2017) - ALTERNATIVA: B
Duas esferas idênticas, A e B, sofrem uma colisão totalmente Em uma colisão frontal entre dois automóveis, a força que o cinto
inelástica. Imediatamente antes da colisão, elas se movem no pla- de segurança exerce sobre o tórax e abdômen do motorista pode
no xy, representado na figura, com velocidades vA = 2v e vB = v. causar lesões graves nos órgãos internos. Pensando na segurança
do seu produto, um fabricante de automóveis realizou testes em
cinco modelos diferentes de cinto. Os testes simularam uma coli-
são de 0,30 segundo de duração, e os bonecos que representavam
os ocupantes foram equipados com acelerômetros. Esse equipa-
mento registra o módulo da desaceleração do boneco em função
do tempo. Os parâmetros como massa dos bonecos, dimensões
dos cintos e velocidade imediatamente antes e após o impacto fo-
ram os mesmos para todos os testes. O resultado final obtido está
no gráfico de aceleração por tempo.

Sabendo que imediatamente depois da colisão elas se movem jun-


tas com velocidade de módulo v’, é correto afirmar que
3·v
a) v’ = √5 · v d) v’ =
2
√3 · v √5 · v
b) v’ = *e) v’ =
2 2
5
c) v’ = ·v
2
Qual modelo de cinto oferece menor risco de lesão interna ao mo-
(UNESP-2018.1) - ALTERNATIVA: E torista?
A figura mostra a trajetória de um projétil lançado obliquamente a) 1
e cinco pontos equidistantes entre si e localizados sobre o solo *b) 2
horizontal. Os pontos e a trajetória do projétil estão em um mesmo c) 3
plano vertical. d) 4
e) 5

(UFLA/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: A
O isótopo de Lítio, 5 Li, é instável e se desintegra espontaneamente
num próton, núcleo do hidrogênio com massa 2×10–17 kg, e numa
partícula a, núcleo de hélio com massa 7×10–17 kg. Nesse proces-
so, a quantidade de movimento total do sistema, antes e depois da
desintegração, é conservado. Considerando que o decaimento de
um núcleo de 5 Li, a partir do repouso, formou uma partícula a com
rapidez 4×106 m/s, o próton terá rapidez de
*a) 14×106 m/s.
b) 18×106 m/s.
c) 22×106 m/s.
d) 26×106 m/s.
No instante em que atingiu o ponto mais alto da trajetória, o projétil
explodiu, dividindo-se em dois fragmentos, A e B, de massas MA e
MB , respectivamente, tal que MA = 2MB . Desprezando a resistência (USS/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: C
do ar e considerando que a velocidade do projétil imediatamente A figura abaixo ilustra um sistema no qual um bloco A permanece
antes da explosão era VH e que, imediatamente após a explosão, o em equilíbrio sobre um plano inclinado cujo ângulo θ é igual a 45°.
fragmento B adquiriu velocidade VB = 5VH , com mesma direção e
sentido de VH , o fragmento A atingiu o solo no ponto
a) IV. d) I.
b) III. *e) II.
c) V.

(UFLA/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Parar um caminhão pesado é mais difícil do que parar um carro
pequeno, quando eles apresentam o mesmo módulo da velocida-
de. Na física, enunciamos esse fato dizendo que o caminhão tem
mais quantidade de movimento do que o carro, pois a quantidade
O menor valor possível para o coeficiente de atrito estático entre o
de movimento de um objeto é definida como o produto da massa
bloco e o plano inclinado será de:
do objeto pela sua velocidade, então, um caminhão em repouso
a) tem maior módulo na quantidade de movimento do que um carro 1
em repouso. a)
2
b) tem menor módulo na quantidade de movimento do que um car-
ro em repouso.
√2
b)
c) tem maior módulo na quantidade de movimento do que um carro 2
em movimento. *c) 1
*d) tem menor módulo na quantidade de movimento do que um
carro em movimento. d) √2
japizzirani@gmail.com 34
(ACAFE/SC-2018.1) - ALTERNATIVA: D (UFRN / TÉCNICO-2018.1) - ALTERNATIVA: A
Em uma mola fixa no teto (situação 1) prende-se o imã 1 de massa Em um almoxarifado de uma grande empresa, um funcionário
0,3 kg que sofre a ação da força magnética do imã 2 (situação 2). precisa reorganizar uma das seções do setor mudando algumas
A mola possui constante elástica igual a 150 N/m e o sistema se caixas de um lugar para outro. Suponha que o funcionário deslo-
mantém em equilíbrio. ca um bloco de massa igual a 200 kg utilizando um carrinho com
50 kg de massa. Devido ao grande peso associado ao conjunto, a
força de atrito cinético entre as rodas e o piso possui intensidade
de 250 N. Sabendo que o módulo da força resultante é de 250 N,
a força aplicada pelo funcionário e a aceleração do sistema são,
respectivamente, de:
*a) 500 N e 1 m/s2.
b) 250 N e 1 m/s2.
c) 250 N e 0 m/s2.
d) 500 N e 0 m/s2.

(UNICAMP/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Em junho de 2017 uma intensa onda de calor atingiu os EUA,
acarretando uma série de cancelamentos de voos do aeroporto de
Phoenix no Arizona. A razão é que o ar atmosférico se torna muito
rarefeito quando a temperatura sobe muito, o que diminui a força
de sustentação da aeronave em voo. Essa força, vertical de baixo
para cima, está associada à diferença de pressão ΔP entre as par-
tes inferior e superior do avião. Considere um avião de massa total
Desprezando-se a massa da mola, adotando g = 10 m/s2 e consi- m = 3 ×105 kg em voo horizontal. Sendo a área efetiva de susten-
derando a massa do imã 2 o dobro da massa do imã 1, a alternativa tação do avião A = 500 m2 , na situação de voo horizontal ΔP vale
correta que indica o módulo da força magnética, em newtons, que Adote g = 10 m/s2.
o imã 2 exerce sobre o imã 1 é: 3 2
a) 5 × 10 N/m .
a) 4,5
b) 3,0 *b) 6 × 103 N/m2.
c) 2,5 c) 1,5 × 106 N/m2.
*d) 1,5 d) 1,5 × 108 N/m2.

(UFLA/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: C (UEG/GO-2018.1) - ALTERNATIVA OFICIAL: D


Em certas máquinas de lavar roupas, com uma porta frontal, um Uma caixa, de massa m, é puxada por uma corda com uma força

dos métodos utilizados para remover sujeiras do tecido é conhe- F , horizontal e de módulo constante, sobre uma superfície horizon-
cido como método do tombamento. Nesse modo de tal com atrito, na superfície da Terra.
lavagem, o tambor da máquina, de raio R = 0,4 m, re-
aliza um movimento circular uniforme e gira com uma
frequência, de forma que o tecido, que tende a seguir
o movimento do tambor ao chegar ao ponto mais alto
da sua trajetória, cai devido à ação da gravidade, por
não existir mais o contato com a superfície. Neste O número total de forças que atuam no conjunto (caixa, corda e
movimento de queda, a máquina simula o processo de lavar e ba- Terra) é de
ter a roupa à mão. a) 10
Determine o limite máximo da velocidade tangencial do tambor b) 2
para que o método do tombamento seja utilizado. c) 4
Considere g = 10 m/s2. *d) 8
a) v > 4 m/s e) 6
b) v < 4 m/s
*c) v < 2 m/s (VUNESP/CEFSA-2018.1) - ALTERNATIVA: A
d) v > 2 m/s Uma carga está pendurada por um fio ideal em um carro-guindaste,
inicialmente em repouso. Num dado instante, esse carro passa a
se mover em linha reta sobre um plano horizontal, com aceleração
(USS/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: C
constante, percorrendo uma distância d. A figura mostra os instan-
Uma bola lançada obliquamente percorre uma trajetória parabólica
tâneos inicial e final, quando o ângulo α que o cabo forma com a
até atingir o solo.
vertical passa a ser constante.
Desprezando a resistência do ar, a representação para a força re-
sultante que age sobre a bola, no ponto mais alto de sua trajetória,
está indicada em:

a)

b)

Sendo g a aceleração da gravidade, a velocidade do carro-guin-


daste, quando percorre a distância d, é
*c)
g × tg a
*a) 2gd × tg a d) 2
d
b) gd × tg a e) 2d g × tg a

g × tg a
d) c)
d
japizzirani@gmail.com 35
(VUNESP/CEFSA-2018.1) - ALTERNATIVA: D (IF/CE-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Um paralelepípedo rígido tem aresta a, b, c, sendo a > b > c, como O aerofólio é uma peça aerodinâmica usada em carros esportivos
mostra a figura. que tem por finalidade exercer uma força vertical, dirigida para bai-
xo, melhorando a performance dos mesmos nas curvas. Imagine
que um carro sem aerofólio faz uma curva, no limite da derrapa-
gem, a 80 km/h.

Estando em equilíbrio, o paralelepípedo é apoiado num piso ho- Com o uso de um aerofólio, que gera uma força equivalente a três
vezes o peso do veículo, a nova velocidade será, em km/h, de
rizontal, sendo p1 a pressão que exerce no piso quando apoiado a) 140.
pela face de menor área, e p2 quando apoiado no piso pela face de b) 120.
p
maior área. A razão 1 é *c) 160.
p2 d) 108.
a a e) 100.
a) *d)
b c
b c (FUVEST/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: E
b) e)
a a Uma caminhonete, de massa 2 000 kg, bateu na traseira de um
c) b sedã, de massa 1 000 kg, que estava parado no semáforo, em uma
c rua horizontal. Após o impacto, os dois veículos deslizaram como
um único bloco. Para a perícia, o motorista da caminhonete ale-
(IF/CE-2018.1) - ALTERNATIVA: A gou que estava a menos de 20 km/h quando o acidente ocorreu.
→ A perícia constatou, analisando as marcas de frenagem, que a ca-
Uma força resultante F produz num corpo de massa m uma ace-
minhonete arrastou o sedã, em linha reta, por uma distância de
leração de intensidade 2,0 m/s2 e num corpo de massa M uma
10 m. Com este dado e estimando que o coeficiente de atrito ciné-
aceleração de intensidade 6,0 m/s2. A intensidade da aceleração
tico entre os pneus dos veículos e o asfalto, no local do acidente,
que essa mesma força produziria se fosse aplicada nesses dois
era 0,5, a perícia concluiu que a velocidade real da caminhonete,
corpos unidos, em m/s2, seria de
em km/h, no momento da colisão era, aproximadamente,
*a) 1,5
a) 10.
b) 3,0.
b) 15.
c) 2,0.
c) 36.
d) 2,5.
d) 48.
e) 1,0.
*e) 54.

(IF/CE-2018.1) - ALTERNATIVA: B Note e adote:


Todos os pilotos de caça vestem um traje anti-G, que suporta os Aceleração da gravidade: 10 m/s2.
elevados níveis de força de aceleração a que estão submetidos. Desconsidere a massa dos motoristas e a resistência do ar.
Esses trajes inflam, principalmente nas pernas, impedindo que o
sangue se acumule na parte inferior do corpo do piloto, causando
desmaio ou perda de consciência. Esse efeito é melhor explicado (UNIRG/TO-2018.1) - ALTERNATIVA: C
pelo(a) Especula-se que na construção das pirâmides do antigo Egito vá-
a) Teorema de Arquimedes, também conhecido como Empuxo. rios escravos eram obrigados a arrastar em um plano inclinado
*b) 1ª Lei de Newton conhecida como Inércia. blocos de pedras de 8 toneladas de massa conforme Figura II a
c) Lei da Gravitação Universal. seguir.
d) Relatividade Geral.
e) Teorema de Fermat. Figura II: Bloco de pedra puxado por diversos homens

(UENP/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Considerando as Leis de Newton, atribua V (verdadeiro) ou F (fal-
so) às afirmativas a seguir.

( ) No vácuo, uma moeda e uma pena caem igualmente, lado a


lado, pois, no vácuo, iguais forças da gravidade atuam sobre
a moeda e a pena.
( ) Uma paraquedista salta de um helicóptero que voa alto. En-
quanto ela cai cada vez mais rápido, sua aceleração diminui,
porque a força de resistência do ar cresce com o aumento da
velocidade.
( ) É possível fazer uma curva na ausência de força.
( ) Você pode tocar fisicamente outra pessoa sem que ela o to- Disponível em: http://voxday.com.br/noticia/295/a-construcao-das- -pirami-
que com a mesma intensidade de força. des-egipcias. Acesso em: 26 set. 2017.

( ) Sobre um bombeiro de 80 kg, que desliza para baixo por uma Supondo-se que os escravos puxem o bloco por um único cabo,
baliza vertical com uma aceleração de 3 m/s2, atua uma força com força de 70 000 N, a velocidade constante, e que a inclinação
de atrito de 560 N. Adote g = 10 m/s2. do plano seja de 45°, o coeficiente de atrito cinético entre o bloco e
o plano inclinado será de:
Assinale a alternativa que contém, de cima para baixo, a sequência →
(Dado: | g | = 10 m/s2, sen 45° = cos 45° = 0,70).
correta.
a) V, F, V, F, V. Assinale a alternativa correta:
b) V, F, F, V, F. a) 0,12.
c) F, V, V, F, F. b) 0,20.
*d) F, V, F, F, V. *c) 0,25.
e) F, F, V, V, V. d) 0,46.
japizzirani@gmail.com 36
(UENP/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: A (UNIOESTE/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: E
Em um filme, o protagonista salta de uma ponte diretamente sobre Um semáforo, em equilíbrio estático, está instalado em uma via
um pequeno barco abaixo, que continua a mover-se sem alteração urbana, e é sustentado por uma haste horizontal fixa em um poste
alguma na sua velocidade. vertical e por um cabo com inclinação de 30º conforme a figura
Assinale a alternativa que apresenta, corretamente, a Lei da Física abaixo.
que está sendo violada, nessa situação.
*a) Conservação do Momento Linear.
b) Princípio da Inércia.
c) Princípio de Arquimedes.
d) Primeira Lei da Termodinâmica.
e) Segunda Lei da Termodinâmica.

(FMABC/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: D
A figura mostra uma massa m de 2 700 g que descreve uma traje-
tória circular de raio 30 cm sobre uma superfície horizontal e sem
atrito. A massa está presa a uma mola de massa desprezível e de
constante elástica 12,5 π2 N/m, que tem a outra extremidade presa
no ponto C, centro da trajetória da massa m.

Em relação à distribuição e intensidade das forças que atuam no


ponto X, é CORRETO afirmar:
a) o semáforo é mantido em equilíbrio devido à atuação exclusiva
de duas forças no ponto X: uma força vertical representada pelo
C m vetor força peso do semáforo e outra de tração orientada ao longo
do cabo.
b) a força peso e a componente vertical da força de tração orien-
tada ao longo do cabo formam um par ação-reação conforme a
terceira Lei de Newton.
c) para o sistema da figura, o aumento do ângulo entre o cabo e a
haste horizontal de 30º para 40º gera acréscimo na intensidade da
Considerando-se que a massa gira a 50 rpm, a distensão da mola componente vertical da força de tração com o consequente aumen-
é, em milímetros, igual a to na força peso do semáforo.
d) em relação a um eixo horizontal paralelo à haste e que passa
a) 180 pelo ponto X, o somatório das forças é diferente de zero, pois atua
π
b) 90 somente a componente horizontal da força de tração responsável
por manter o semáforo fixo à haste horizontal.
c) 45π *e) no sistema mostrado na figura, as componentes das forças que
*d) 180 atuam em relação a um eixo horizontal que passa pelo ponto X
têm soma igual a zero, assim como as componentes das forças
e) 90 10 que atuam em relação a um eixo vertical que passa pelo ponto X.

(UDESC-2018.1) - ALTERNATIVA: B (VUNESP-FMJ/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: C


Considere a Figura 1 na qual o sistema está em equilíbrio com as A associação de polias representada na figura foi feita para facilitar
três massas em repouso. Os fios e as polias são ideais e possuem a movimentação vertical de cargas em determinado armazém. Uti-
massa desprezível. lizando esse dispositivo, um rapaz mantém suspensa, em repouso,
uma caixa de 54 kg.

Figura 1
Analise as proposições em relação à Figura e às informações.
I . Se m1 = m2 , então q 1 = q 2
II . Se m2 = 2m1 , então q 1 = 2q 2
III . Se m3 = m1 + m2 , então a razão entre as trações nos fios 1 e 2 é
T1 (cosq 2 – 1)
=
T2 (1 – cosq 1)
IV . Se todas as massas forem iguais, então cos q 1 + cos q 2 = 1
V . Se m3 = m2 – m1 , então a razão entre as trações nos fios 1 e 2 é
T1 (cosq 2 + 1)
=
T2 (cosq 1 + 1)
Considerando as polias ideais, para manter a caixa parada na po-
Assinale a alternativa correta. sição indicada, a força de tração que o rapaz aplica na corda que
a) Somente as afirmativas II, III e V são verdadeiras. ele está puxando verticalmente é igual a
a) 90 N.
*b) Somente as afirmativas I, III e IV são verdadeiras.
b) 45 N.
c) Somente as afirmativas III, IV e V são verdadeiras. *c) 180 N.
d) Somente as afirmativas I, II e V são verdadeiras. d) 270 N.
e) Somente as afirmativas I, II e IV são verdadeiras. e) 320 N.
japizzirani@gmail.com 37
(UEPG/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 15 (01+02+04+08) (MACKENZIE/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Em uma estrada plana e horizontal, um veículo trafega com veloci- Uma esfera de massa 2,00 kg que está presa na extremidade de
dade de 72 km/h, descrevendo uma trajetória curva, cujo raio é 20 uma corda de 1,00 m de comprimento, de massa desprezível, des-
metros. Considerando que o coeficiente de atrito entre os pneus e creve um movimento circular uniforme sobre uma mesa horizontal,
a estrada vale 0,50 e que a massa do veículo é de 1 200 kg, assi- sem atrito.
nale o que for correto.
Adote g =10 m/s2.
01) Para que o veículo consiga fazer a curva, deve atuar nele uma
força centrípeta de 24 ×103 N.
02) O veículo não conseguirá fazer a curva na estrada sem derra-
par, pois não consegue vencer a força centrípeta.
04) Caso o raio da curva fosse reduzido pela metade, o veículo
ainda não conseguiria fazer a curva e iria derrapar.
08) Para que consiga fazer a curva sem derrapar, o veículo deve
desenvolver uma velocidade máxima de 36 km/h.
A força de tração na corda é de 18,0 N, constante. A velocidade de
(UEPG/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 06 (02+04) escape ao romper a corda é
Assinale o que for correto sobre situações que correspondam às a) 0,30 m/s. d) 6,00 m/s.
Leis de Newton. b) 1,00 m/s. e) 9,00 m/s.
01) Quanto maior a massa de um corpo, maior será a sua resis- *c) 3,00 m/s.
tência à mudança de velocidade – situação que envolve a 3ª Lei
de Newton. (IFSUL/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: C
02) Uma mesma força provoca uma aceleração maior em uma bola Para calcular o coeficiente de atrito entre um modelo de piso e a
de vôlei do que em uma bola de boliche – situação que envolve a sola de um tênis, um operário da indústria de pisos utilizou a se-
2ª Lei de Newton. guinte técnica: colou a sola do tênis em um bloco de madeira, com
04) As mudanças do movimento são proporcionais à força motriz 5 kg, de forma que somente a sola ficasse em contato com o piso.
impressa, e se faz segundo a linha reta pela qual se imprime esta Colocou o piso em um plano inclinado na forma de um triângulo
força – situação que envolve a 2ª Lei de Newton. retângulo. E depois colocou o bloco de madeira com a sola colada
08) A combustão dos gases provoca uma ejeção destes pela tur- em contato com o piso, e notou que o bloco ficou na iminência de
bina do foguete. O foguete age sobre os gases da combustão, for- entrar em movimento, conforme a figura abaixo:
çando-os verticalmente para baixo, e os gases reagem a essa for-
ça, impulsionando o foguete para cima – situação que não envolve
a 3ª Lei de Newton.

(UDESC-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Os blocos de massa m1 e m2 estão conectados por um fio ideal,
que passa por uma polia ideal, como mostra a Figura 2. Os blo-
cos, que possuem a mesma massa de 4,0 kg, são liberados do
repouso com m1 a meio metro da linha horizontal. O plano possui
inclinação de 30º com a horizontal. Todas as forças de atrito são
desprezáveis.

Com base nessas informações e sabendo que: g = 10 m/s2; sen 30°


= cos 60° = 0,5; cos 30°= sen 60° = 0,8 , o coeficiente de atrito entre
o piso e a sola do tênis é de aproximadamente:
a) 0,87.
b) 0,5.
*c) 0,6.
d) 0,7.

(UNCISAL-2018.1) - ALTERNATIVA: E
Figura 2 Uma pessoa de massa igual a 90 kg pulou de uma altura de 3,2 m
e caiu, em pé, verticalmente sobre o solo horizontal. Suponha que
Assinale a alternativa que corresponde ao valor aproximado do ela tenha dobrado os joelhos para amortecer o impacto ao atingir o
tempo para m1 atingir a linha horizontal. solo, como fazemos habitualmente de maneira intuitiva.
a) 0,32 s Nessas condições, considere que o impulso do chão sobre a pes-
b) 0,16 s soa tenha durado cerca de 0,05 s. Sabendo que a área do osso
*c) 0,63 s da perna que sofreu o impacto é de 3,0 cm2, assinale a alternativa
d) 0,95 s que corresponde à pressão a que o osso da perna da pessoa foi
e) 0,47 s submetido. Considere a aceleração da gravidade no local do pulo
igual a 10 m/s2.
Dados: a) 300 Pa
g = 10,0 m/s2 ; √2 = 1,41 ; √3 = 1,73 ; √5 = 2,23 ; 10 = 3,16 b) 30 kPa
c) 48 kPa
d) 3,0 MPa
(CEDERJ-2018.1) - ALTERNATIVA: A *e) 48 MPa

Um indivíduo sustenta uma pedra de peso P , de modo que ela se
encontra totalmente submersa próximo à superfície da água em
(FEISP-2018.1) - ALTERNATIVA: A
uma piscina. A pedra é abandonada e cai em direção ao fundo. O
→ Um garoto amarrou uma pedra de massa 300 g a um fio de com-
empuxo sofrido pela pedra é denotado por E . Nesse caso, a força primento 1,0 m. Em seguida, sobre sua cabeça, começou a girar

F que a pedra faz sobre a água é igual a o fio na horizontal com velocidade de módulo constante e igual a

*a) ‒ E 5,0 m/s. Nestas condições, qual é a tração no fio que prende a

b) P pedra?
→ → *a) 7,5 N d) 20 N
c) P – E b) 2,5 N e) 25 N
d) 0 c) 5,0 N
japizzirani@gmail.com 38
(UERJ-2018.1) - RESPOSTA: m = 20 kg (UNISINOS/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: E
Em uma academia, a aceleração de uma esteira e a força exercida Um automóvel, trafegando numa certa rua de uma cidade, sofre
sobre ela foram medidas ao longo de 10 s. Os resultados estão uma pane de motor brusca e para repentinamente. O motorista,
representados nos gráficos abaixo. então, pensa em pedir que uma pessoa empurre o automóvel até
que seu motor volte a funcionar. Porém, a pessoa escolhida para
empurrá-lo diz ao motorista que não valeria a pena a realização
a (m/s2 )

F (N)
deste procedimento, pois, segundo as leis da Física, a força que
20 faria para empurrar o carro seria idêntica, em módulo, à força que
o carro faria sobre ele, mas em sentido oposto. Desse modo, essas
1 forças se anulariam, e o automóvel não sairia do lugar.
A afirmação da pessoa convidada para empurrar o automóvel está
a) correta, pois, sempre que duas forças de mesma intensidade
atuam num mesmo objeto, elas acabam por se anular.
10 t (s) 10 t (s) b) correta, tomando-se como base a lei das massas, que diz que
não há a necessidade da aplicação de uma força resultante para
Com base nos gráficos, determine, em quilogramas, a massa da
que um objeto, com certa massa, saia do repouso.
esteira.
c) correta, tomando-se como base a lei da ação-reação, que diz
que as forças constituintes de um par ação-reação, por serem de
(FEI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA OFICIAL: D módulos iguais e sentidos opostos, acabam por se anular.
Na figura abaixo, os blocos A e B estão ligados por um fio ideal que
d) errada, tomando-se como base a lei da inércia, que diz que todo
passa por uma polia ideal. O sistema está inicialmente em repouso.
objeto em movimento somente permanece em movimento pela
O bloco A possui massa 5,0 kg e o coeficiente de atrito estático
ação de uma força resultante.
entre o bloco A e a rampa vale 0,2.
*e) errada, tomando-se como base a lei da ação-reação, que diz
que as forças constituintes do par ação-reação, apesar de possuí-
rem módulos iguais e sentidos opostos, não se anulam porque são
aplicadas em corpos diferentes.

(UPF/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Um estudante de Física aplica uma força F sobre um livro que está
Qual é o valor mínimo da massa do bloco B para que o sistema em cima de uma mesa, conforme esquema apresentado na figura.
entre em movimento?
a) 4,0 kg
b) 3,8 kg
c) 4,2 kg
*d) 2,2 kg
e) 1,5 kg
OBS.: Para resposta ser a alternativa D, a pergunta correta é: Qual
o valor máximo da massa do bloco B para que o sistema entre em
movimento com o corpo A descendo o plano inclinado?

(UECE-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Atente às seguintes afirmações:
Lembrando da aula de Mecânica, ele começa a fazer algumas con-
I. Uma força de 5N e outra de 3N podem ser combinadas de jecturas sobre as relações entre as forças que atuam nesse livro
modo a terem resultante nula. Considerando um movimento de velocidade constante, qual das
II. Dois vetores de módulos diferentes nunca podem ser combina- alternativas a seguir expressa de forma mais adequada a relação
dos de modo a dar resultante nula. entre essas forças?
III. A resultante de dois vetores de módulos iguais será sempre a) F < FAT e P = N.
nula. *b) F > FAT e P > N.
c) F = FAT e P = N.
Está correto o que se afirma somente em
a) I. d) F > FAT e P < N.
b) I e III. e) F < FAT e P < N.
c) II e III.
*d) II. (UCPel/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Um engenheiro, objetivando maior segurança para os usuários de
(SENAI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B uma rodovia, necessita transformar uma curva plana horizontal
Na imagem ao lado, a mulher está para- de raio R em uma curva inclinada, com inclinação q em relação
Fonte: adaptado de: Disponível em: <http://migre.

da em cima de uma placa com as dimen- à horizontal e mesmo raio R. A nova curva deve ser projetada de
sões indicadas, exercendo uma pressão tal forma a possibilitar que os automóveis trafeguem com a mes-
equivalente a x Pa sobre a área na qual ma velocidade máxima que trafegavam na curva plana horizontal,
está apoiada. mas sem a necessidade de absolutamente nenhum atrito entre os
me/u9xYY>. Acesso em: 20 jun. 2016.

pneus do automóvel e a superfície da rodovia para manter o auto-


Se essa mesma mulher apoiar-se sobre móvel na curva. Para tal, o engenheiro admite que o coeficiente de
uma outra placa de massa desprezível e atrito estático entre os pneus dos automóveis que trafegam nessa
com medidas 1,50 m x 0,20 m, a pressão rodovia e a superfície da mesma é igual a μ.
exercida por ela ____, passando a equi-
Sabendo que no local a aceleração da gravidade tem módulo g,
valer a ____ Pa.
o engenheiro deve projetar a curva inclinada com um ângulo q tal
Assinale a alternativa que completa, cor- que
reta e respectivamente, as lacunas. a) cot q = μ .
a) aumentará – 0,0005 b) sen q = μ .
*b) diminuirá – 2 000
*c) tan q = μ .
c) diminuirá – 20
d) aumentará – 0,05 d) cos q = μ .
e) permanecerá constante – 30 000 Adote g = 10 m/s2. e) q = μ .
japizzirani@gmail.com 39
(UPF/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: D (IF/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: E
Durante um churrasco, o assador percebe que a faca está “sem fio” Uma pessoa está sentada no banco de um ônibus em movimento
e decide afiá-la. Como resultado desse processo, a faca passa a numa rodovia plana, margeada por árvores.
cortar a carne com maior facilidade com o mesmo esforço. Dentre Assinale a alternativa que apresenta a descrição correta com rela-
as razões que justificam esse fenômeno, está a de afiar a faca ção ao movimento apresentado.
resulta em a) As árvores na beira da estrada estão em repouso em relação
a) redução da pressão. ao ônibus.
b) redução da força. b) Os passageiros do ônibus, mesmo sentados, estão em movi-
c) aumento da sensibilidade. mento em relação a este.
*d) redução da área de contato. c) Durante uma freada brusca, sobre uma pessoa que foi projetada
e) aumento da força. para frente, atuou uma força na direção e no sentido do movimento
do ônibus.
d) Se a força resultante sobre o ônibus for nula, ele terá sua veloci-
(UCPel/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: E
dade diminuída gradativamente.
Em uma atividade experimental, estudantes desenvolveram um
*e) Num trecho onde o ônibus manteve a velocidade constante, ele
teste para estimar o valor do coeficiente de atrito estático entre
executou um movimento uniforme.
duas superfícies. O aparato experimental, que possui um corpo A
apoiado em uma superfície horizontal e um corpo B suspenso é
ilustrado na figura abaixo. (IF/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Dois carrinhos de brinquedo motorizados foram submetidos a um
teste de arrancada para verificar qual deles atinge primeiro a velo-
cidade de 10 m/s. Sabe-se que a força resultante que atua sobre
os carrinhos durante o teste tem a mesma intensidade para os dois
e se mantém constante durante toda a arrancada. Sabe-se ainda
que a massa do carrinho azul é maior que a massa do carrinho
vermelho. Nessas condições, sobre os movimentos dos carrinhos
durante o teste, é correto afirmar que
a) os carrinhos estavam submetidos a mesma aceleração escalar.
b) para completar o teste, os carrinhos percorreram a mesma dis-
tância.
O teste consiste em determinar o coeficiente de atrito estático entre *c) o carrinho azul, para completar o teste, percorreu uma distância
a superfície do corpo A e a superfície em que ele está apoiado e, maior.
para tal, o arranjo permite que a massa do corpo B, suspenso, seja d) o intervalo de tempo para completar o teste foi igual para os dois
alterada em intervalos de 0,05 kg. Os estudantes apresentaram os carrinhos.
dados experimentais na tabela abaixo: e) o carrinho azul completou o teste em menor intervalo de tempo.

Massa do corpo B Corpo A (CEFET/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: A


1,35 kg Permanece em repouso Considere dois astronautas com massas iguais a M que estão ini-
cialmente em repouso e distantes de qualquer corpo celeste. Um
1,40 kg Permanece em repouso deles resolve lançar uma mochila de ferramentas também de mas-
1,45 kg Permanece em repouso sa igual a M para o outro, empurrando-a com uma força de módulo
F. Admitindo que uma jogada completa se dá no início do arremes-
1,50 kg Permanece em repouso so até que o outro agarre a mochila e que o impulso permaneça o
1,55 kg Entra em movimento mesmo, a quantidade de jogada(s) completa(s) que os astronautas
conseguem realizar é
1,60 kg Entra em movimento
*a) uma.
b) duas.
Sabendo-se que o módulo da aceleração da gravidade é igual a c) três.
10m/s2 e que a massa do corpo A é igual a 6,0 kg, o valor estimado d) mais de três.
para o coeficiente de atrito estático é igual a:
a) 0,35
b) 0,30 (CEFET/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: B
c) 0,20 A estudante Paula, do ensino fundamental, necessita de uma mola
d) 0,15 macia para realizar um trabalho que será apresentado na feira de
*e) 0,25 Ciências da sua escola.
Na caixa de ferramentas, ela encontrou duas molas, A e B, de com-
primentos iniciais iguais a 10 cm e 15 cm, respectivamente. Para
(IF/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: E verificar qual delas era a mais macia, pendurou, na vertical, um
A figura desta questão representa a vista de cima de uma pista de mesmo objeto em cada uma das molas separadamente. Após o
corrida para carrinho elétrico. A pista é dividida nos trechos A e C, equilíbrio, Paula aferiu que o comprimento final das molas A e B
que são retilíneos de 390 cm de comprimento cada, e B e D, que tinha os valores de 12 cm e 18 cm, respectivamente.
são semicirculares de 360 cm de comprimento cada. Considere De acordo com suas observações, a estudante verificou que
que um carrinho elétrico, para percorrer a pista, realiza um mo- a) a mola A é mais macia.
vimento com velocidade constante, em módulo, demorando 6,0 s *b) a mola B é mais macia.
para completar uma volta.
c) o experimento é inconclusivo.
d) as molas são igualmente macias.

(UNITINS/TO-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Um bloco de concreto inicialmente em repouso é empurrado sobre
uma superfície horizontal sem atrito por uma força também hori-
zontal e de módulo 12 000 N. Sabendo que a massa do bloco é de
3 toneladas e que o mesmo deslocou por 8 m sobre esta superfície,
Assinale a alternativa que apresenta a descrição INCORRETA com a velocidade, em m/s, do bloco ao final desse deslocamento foi
relação ao movimento do carrinho sobre a pista. igual a:
a) A distância percorrida para completar uma volta é de 15,0 m. a) 6
b) A velocidade média do carrinho é de 2,5 m/s. b) 10
c) A velocidade média do carinho é de 9,0 km/h. c) 4
d) A força resultante sobre o carrinho nos trechos A e C é nula. *d) 8
*e) A força resultante sobre o carrinho nos trechos B e D é nula. e) 12
japizzirani@gmail.com 40
(CEFET/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: C (UEL/PR-2018.1) - RESPOSTA: a) k = 10 N/m b) g = 15 m/s2
A figura abaixo ilustra uma máquina de Atwood. Analise as figuras a seguir.

Supondo-se que essa máquina possua uma polia e um cabo de


massas insignificantes e que os atritos também são desprezíveis,
o módulo da aceleração dos blocos de massas iguais a m1 = 1,0 kg
e m2 = 3,0 kg, em m/s2, é
Dado: g = 10 m/s2.
a) 20.
b) 10. Um astronauta chegou a um planeta desconhecido, e deseja medir
*c) 5,0. a aceleração da gravidade local. Para isso, ele conta com um sis-
d) 2,0. tema massa-mola como o da figura 1. Esse sistema foi calibrado
na Terra (g = 10 m/s2), e a relação entre a distensão da mola e a
massa pendurada em sua extremidade é mostrada no gráfico da
(PUC/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: C figura 2. Devido à aceleração da gravidade do planeta, quando o
Um objeto cúbico, maciço e homogêneo, de massa igual a 1500g, astronauta pendurou uma massa de 10 gramas, a mola distendeu
está em repouso sobre uma superfície plana e horizontal. O coefi- 1,5 cm.
ciente de atrito estático entre o objeto e a superfície é igual a 0,40.
A partir dessas informações, responda aos itens a seguir.
Uma força F, horizontal à superfície, é aplicada sobre o centro de
massa desse objeto. a) Determine a constante elástica da mola na unidade de N/m.
Que gráfico melhor representa a intensidade da força de atrito es- Justifique sua resposta, apresentando os cálculos envolvidos na
tático Fatrito em função da intensidade F da força aplicada? Consi- resolução deste item.
dere as forças envolvidas em unidades do SI. b) Determine a aceleração da gravidade do planeta de destino do
astronauta, em m/s2.
a) *c) Justifique sua resposta, apresentando os cálculos envolvidos na
resolução deste item.

(UFJF/MG-2018.1) - RESPOSTA NO FINAL DA QUESTÃO


Durante uma partida de vôlei, um jogador vai sacar uma bola muito
rápida. Com a mão esquerda ele joga a bola verticalmente para
cima e esta atinge uma altura máxima de 2,45 m. Neste ponto,
ele a golpeia com a mão direita fazendo uma força horizontal de
84 N. Sabendo que a bola de vôlei possui uma massa de 300 g,
responda ao que se pede (despreze o atrito com o ar e considere
g = 10 m/s2):
a) Determine a velocidade que a bola terá ao deixar a mão direi-
b) d) ta do jogador, considerando que a força durante o golpe atue por
apenas 0,1 s.
b) Considerando o movimento da bola após ela adquirir essa velo-
cidade inicial, determine em quanto tempo ela chega ao solo.
c) Determine o alcance horizontal da bola e esboce a trajetória
desse movimento na figura abaixo.

(UFJF/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: A
Em um campeonato de arco e flecha, dois arqueiros atingem o RESPOSTA UFJF/MG-2018.1:
mesmo alvo ao mesmo tempo. O alvo é uma maçã e as forças a) v = 28 m/s b) Dt = 0,7 s c) Dx = 19,6 m
que as flechas aplicam na maçã são dadas pela ilustração abaixo.
Considere que as flechas aplicam forças F1 e F2, que possuem o
mesmo módulo F. Marque a alternativa em que o módulo e o sen-
parabólico
tido da força resultante na maçã está CORRETA. Utilize os pontos
cardeais como referência (N = norte, S = sul, E = leste, O = oeste).
1 √3 .
Considere sen(30°) = e cos(30°) =
2 2

*a) √3 F, sul para norte


(UFJF/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: C
√3 Nas cobranças de faltas em um jogo de futebol, uma bola com
b) F, sul para norte massa de 500 gramas pode atingir facilmente a velocidade de 108
2
km/h. Supondo que no momento do chute o tempo de interação
c) F, oeste para leste entre o pé do jogador e a bola seja de 0,15 segundos, podemos
supor que a ordem de grandeza da força que atua na bola, em
newton, é de:
d) √3 F, norte para sul
a) 100 d) 103
1
√3 b) 10 e) 104
e) F, leste para oeste 2
2 *c) 10
japizzirani@gmail.com 41
(UNICEUB/DF-2018.1) - ALTERNATIVA OFICIAL: C (FAC.ISRAELITA/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B
No exercício físico conhecido como “roscapolia baixa”, a atleta Um bloco é lançado com velocidade inicial vO , em movimento as-
deve segurar uma haste rígida horizontal e, por meio dela, ten- cendente, num longo plano inclinado que forma um ângulo q com
sionar um cabo de aço que sustenta uma massa (popularmente, a direção horizontal. O coeficiente de atrito cinético entre as su-
“peso”) através de um sistema de polias fixas e móveis. Considere perfícies do bloco e do plano vale m e o módulo da aceleração da
que a atleta representada na figura execute esse exercício ele- gravidade local vale g .
vando os antebraços e que permaneça nessa posição por alguns
instantes. Ao executar o movimento, faz com que uma massa equi- vO
valente a 50 kg seja levantada verticalmente em uma plataforma
(não representada na figura).
q

A expressão algébrica que possibilita determinar a máxima distân-


cia percorrida pelo bloco durante a subida e o respectivo tempo
gasto nesse deslocamento é:

2 g vO
2
vO
a) d = e t=
senq + m cosq g senq + m cosq

vO2 vO
*b) d = e t=
2 g (senq + m cosq ) g (senq + m cosq )

2 m vO
2
<http://glicose.com.br/rosca-polia-baixa-e-um-exercicio-simples-e-eficaz/>. g m vO
c) d = e t=
Acesso em: 06.10.2017. g (senq + cosq ) (senq + cosq )
Podemos concluir corretamente que a força resultante aplicada na
haste necessária para que se mantenha a posição de equilíbrio é 2 vO
2
m vO
de d) d = e t=
2
Considere: g = 10 m/s . m g (senq + cosq ) g (senq + cosq )
a) 500 N. d) – 50 N.
b) 50 N. e) – 500 N. (SENAI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B
*c) 0. Há muitos equipamentos do nosso dia a dia que funcionam com
base nas leis e teorias de Isaac Newton. Um exemplo disso é o Ro-
(UFJF/2MG-2018.1) - ALTERNATIVA: D tor, um brinquedo muito famoso de parques de diversão, ilustrado
Um estudante amarra uma pedra a um barbante enrolado em um a seguir. No Rotor, as pessoas são colocadas em movimento cir-
carretel. Num dado instante, ele faz a pedra rodar percorrendo uma cular a uma velocidade tão grande que ficam coladas à parede do
circunferência horizontal de raio R1, com velocidade angular ω1. cilindro giratório, momento em que o piso do brinquedo é retirado.
Então, de repente, o estudante deixa o carretel desenrolar, permi-
tindo o rápido aumento do raio da trajetória da pedra até um valor
R2 > R1. Com relação ao momento de inércia do sistema pedra
mais fio e à velocidade angular da pedra no imediato instante após
o raio aumentar, podemos afirmar que
a) o momento de inércia diminui e a velocidade angular também.
b) o momento de inércia aumenta e a velocidade angular também.
c) o momento de inércia aumenta e a velocidade angular se man-
tém constante.
*d) o momento de inércia aumenta e a velocidade angular diminui.
e) o momento de inércia diminui e a velocidade angular aumenta.
Fonte: Disponível em: <http://www.playcenter.com.br/atracoes/rotor>.
(UNITAU/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: C Acesso em: 23 mar. 2013.
A figura abaixo mostra uma máquina de Atwood. Ivan, um rapaz de 80 kg, foi ao parque no final de semana e se
surpreendeu ao não cair no momento em que o chão do Rotor foi
retirado. Supondo que o coeficiente de atrito estático entre seu cor-
po e o cilindro do Rotor fosse de 0,05, e que o raio do Rotor fosse
de 4 m, a velocidade mínima (em m/s) com que o Rotor deveria
estar girando, na horizontal, era de, aproximadamente,
Dado: g = 10 m/s2.
a) 10. d) 1000.
*b) 30. e) 2000.
c) 800.

(UEPG/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 05 (01+04)


Um observador encontra-se no interior de um vagão em movimen-
to. Ele percebe que no teto do vagão há uma lâmpada suspensa
Nesse dispositivo, a massa maior (M) desce devido à ação da gra- por um fio, o qual faz um ângulo, constante, de 60° com o teto do
vidade, ao passo que a (m) sobe. O módulo e a direção das ace- vagão. Considerando que a massa total da lâmpada é 100 g e des-
lerações desses movimentos são iguais, apenas os sentidos são prezando a massa do fio, assinale o que for correto.
diferentes. Considere desprezíveis todos os possíveis atritos do
sistema e adote g = 10m/s2. Sobre o movimento das massas M e 01) A aceleração do vagão é 10√ 3/3 m/s2.
m, é TOTALMENTE CORRETO afirmar que 02) A inclinação da lâmpada é devido exclusivamente a força peso.
a) se m = M/2, o módulo da aceleração das massas será 70% de g 04) A tensão no fio é 2√3/3 N.
08) Para um observador parado numa estação, o fio que suspende
b) se m = M/10, o módulo da aceleração das massas será 60% de g
a lâmpada estaria numa direção perpendicular ao teto do vagão.
*c) se m = M/3, o módulo da aceleração das massas será 50% de g 16) Podemos afirmar que tanto um referencial situado no vagão
d) se m = 2M, o módulo da aceleração das massas será 40% de g quanto um referencial situado na estação são exemplos de refe-
e) se m = 3M, o módulo da aceleração das massas será 30% de g renciais inerciais.
japizzirani@gmail.com 42
(UEM/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 25 (01+08+16) (UEM/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 28 (04+08+16)
Certo sistema mecânico é formado por um corpo de massa m pen- Um automóvel de massa m percorre uma rodovia horizontal plana
durado em um suporte fixo por meio de um fio de massa despre- e, ao passar por determinada curva na forma de um arco de cir-
zível e de comprimento L. Considere a situação em que o corpo cunferência, seu velocímetro marca uma velocidade cujo módulo
se movimenta com uma velocidade cujo módulo v é constante, ao é constante e igual a v, com v ≤ vL , em que vL é a velocidade em
longo de uma trajetória circular de raio r no plano horizontal, sendo que o automóvel se encontra na iminência de derrapar para fora da
q o ângulo entre o fio e a vertical. Na situação descrita, esse sis- curva. Ao passar pela curva no sentido anti-horário, o automóvel
tema é conhecido como pêndulo cônico. Esse nome é apropriado descreve uma trajetória de raio R + ΔR, com ΔR positivo. Ao passar
porque o sistema em movimento gera um sólido de revolução na pela mesma curva no sentido horário, o raio da trajetória é R − ΔR.
forma de um cone circular reto, cujo raio da base corresponde a r, Essa diferença nos raios ocorre porque o automóvel está em faixas
e a geratriz corresponde a L. Considerando que m = 1 kg, L = 2 m, distintas da rodovia. O coeficiente de atrito estático entre os pneus
r = 1, 2 m e que g é numericamente igual ao módulo da aceleração e a rodovia é μ , e a força de atrito estático, que mantém o automó-
gravitacional em m/s2, assinale o que for correto. vel na sua trajetória, apontando para o centro do arco de circunfe-
01) O módulo da velocidade do corpo corresponde a 0,9g m/s. rência, tem módulo f . Use g = 9,8 m/s2. Suponha que o automóvel
02) A área total da superfície (área da base mais área lateral) do se comporta como uma partícula e desconsidere a resistência do
cone de revolução é menor que 3,6 p m2. ar. Sobre esse sistema, assinale o que for correto.
04) O módulo da tração no fio é maior que 1,3g N. 01) vL não depende do sentido (horário ou anti-horário) em que a
08) O módulo da força resultante sobre o corpo corresponde a curva é percorrida.
0,75g N. 02) vL é diretamente proporcional a μ.
16) O volume do cone de revolução é menor que 0,8 p m3.
04) Para R − ΔR = 100 m e μ = 0,8, o automóvel encontra-se na
iminência de derrapar ao fazer a curva (no sentido horário) a uma
(UEM/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 03 (01+02) velocidade de 100,8 km/h.

Considere quatro vetores não nulos de mesmo módulo, sendo A 08) Independentemente do sentido (horário ou anti-horário) em que

vertical, cujo sentido é de baixo para cima, B vertical, com sentido a curva é percorrida, para v = (2/3) vL temos que f < (1/2) fM, em que
→ →
oposto de A , C horizontal, com sentido contrário ao da escrita no fM é o valor máximo de f .

( (
→ 1/2
Brasil, e D um vetor com ângulo de 45º com os sentidos positivos vAH R + DR
→ → 16) Se v = , em que vAH e vH são os módulos das ve-
de A e C . Tomando como base esse enunciado e conhecimentos H R ‒ DR
sobre vetores em geral, assinale o que for correto. locidades do automóvel ao percorrer a curva nos sentidos anti-ho-

01) A força peso tem direção e sentido de B . rário e horário, respectivamente, então f assume o mesmo valor,
02) A aceleração é uma grandeza vetorial. independentemente do sentido em que a curva é percorrida.
→ → →
04) B + C = D . → → →
08) O módulo do vetor A + B é igual a duas vezes o módulo de A . (UEM/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 24 (08+16)
→ 2 → 2 → 2
16) | A | + | C | = | D | Embora não tenha sido estabelecida de forma concisa por meio
de uma notação matemática, aquilo que podemos chamar de “Lei
Fundamental da Dinâmica Aristotélica” tem regras de proporciona-
(UEM/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 05 (01+04)
lidade claras, como se pode ler no seguinte fragmento de uma das
Considere uma partícula O, em repouso, na origem de um plano
obras de Aristóteles: “Se, então o motor A moveu [o corpo] B [de
cartesiano, e suponha que, sobre ela, passam a atuar, simultane-
→ → → → peso P] em uma distância Γ no tempo D, então no mesmo tempo
amente, forças F1, F2 e F3, em que F1 tem módulo igual a 1 N, a mesma potência (dynamis) A moverá ½ B em duas vezes a dis-

direção vertical e sentido para baixo, e F2 tem módulo igual a 1 N, tância Γ, e em ½ D moverá ½ B [de peso P/2] em toda distância Γ:
direção horizontal e sentido para a esquerda. Assinale o que for pois assim a regra da proporção será observada. Novamente se
correto. uma dada potência (dynamis) move um dado corpo a uma certa
→ → →
01) Se houver equilíbrio estático, então | F3 | = | F1 + F2 |. distância em um certo tempo, e metade desta distância em metade

02) É possível determinar F3 com um ângulo positivo diferente de do tempo, [então] meia potência moverá a metade de tal corpo na
45º com o eixo das abscissas, de forma que o sistema tenha equi- mesma distância e no mesmo tempo.” (ARISTÓTELES. Física, VII,
líbrio estático. 5, 249b 30 – 250a 10. In: ÉVORA, F. R. R. Natureza e Movimento:
→ → um estudo da física e da cosmologia aristotélicas. Cadernos de
04) Se | F3 | < | F1| , então a partícula se moverá para o terceiro
História e Filosofia da Ciência, série 3, v. 15, n. 1, p. 157, jan.-jun.
quadrante.
→ → → 2005). Considerando que se possa entender as palavras potência
08) Se F3 = –3F1 – 3F2 , então a partícula fará um movimento retilí- e peso utilizadas por Aristóteles como equivalentes, respectiva-

neo uniforme na direção de F3 . mente, aos conceitos de força e de massa da Mecânica Newtonia-
→ → →
16) Seja F3 = –10F1 – 12F2 , então, se atuarem somente as forças na, assinale o que for correto.
→ → →
5F1 , 12F2 e F3 na partícula, teremos equilíbrio estático. 01) A força exercida pelo motor A sobre o corpo B é inversamente
proporcional à distância Γ percorrida por ele.
02) A força exercida pelo motor A sobre o corpo B é diretamente
(VUNESP-FAMERP/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: E proporcional ao tempo D de duração da ação da força.
Um caminhão transporta em sua carroceria um bloco de peso 04) Se uma dada força move um dado corpo de massa m a uma
5 000 N. Após estacionar, o motorista aciona o mecanismo que in- certa distância em um certo tempo, então meia força moverá a me-
clina a carroceria. tade de tal corpo (de massa m/ 2) na metade da distância e no
dobro do tempo.
08) O fragmento da obra citada pode ser interpretado por meio da
equação Ψ = C P Γ , em que C é uma constante de proporcionali-
D
dade, e Ψ é a potência do motor A.
16) Em contraste com a Mecânica Newtoniana, em que comumen-
te ocorre uma proporcionalidade entre força e aceleração, o frag-
mento da obra citada indica uma proporcionalidade entre força e
velocidade.
Sabendo que o ângulo máximo em relação à horizontal que
a carroceria pode atingir sem que o bloco deslize é θ, tal que (UFVJM/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: A
sen θ = 0,60 e cos θ = 0,80, o coeficiente de atrito estático entre o Um objeto desce um plano inclinado sem atrito a partir de uma
bloco e a superfície da carroceria do caminhão vale determinada altura e com uma inclinação de 30º com a horizontal.
a) 0,55. O objeto parte do repouso no ponto mais alto do plano e quando
b) 0,15. chega na metade do plano inclinado a sua velocidade é de 7,0 m/s.
c) 0,30. Sabendo que a aceleração da gravidade é de 9,8 m/s2, a altura do
d) 0,40. plano é igual a
*e) 0,75. *a) 5,0 m. b) 3,5 m. c) 7,0 m. d) 2,5 m.
japizzirani@gmail.com 43
(UEM/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 03 (01+02) (IFF/RJ-2018.1) - RESPOSTA NO FINAL DA QUESTÃO
Suponha que um meteorito de massa m consiga penetrar no solo Para evitar que uma caixa com massa de 0,5 kg escorregasse em
até atingir uma profundidade d e parar. Considerando que a força uma rampa muito lisa, amarraram-na, por meio de uma corda muito
resistiva F, em módulo, que o solo exerce sobre o meteorito seja leve, em uma outra caixa com uma massa de 3,5 kg, que está em
constante durante o tempo de desaceleração, assinale o que for um plano horizontal no topo da rampa, como demonstra a figu-
correto. ra abaixo. Considere que o atrito na rampa e no plano horizontal,
01) O módulo da velocidade do meteorito ao atingir o solo é assim como a massa da corda e da polia, são desprezíveis e que
2Fd . g = 10 m/s2, sin(37°) = 0,6 e cos(37°) = 0,8.
v=
m
02) O intervalo de tempo para o meteorito parar depois de B
atingir o solo é
2md A
Δt = .
F
04) Toda a energia cinética do meteorito no momento do impacto
transforma-se em calor. 37º
08) A colisão do meteorito com o solo é um exemplo de colisão
a) Faça o diagrama de corpo livre das duas caixas.
elástica.
b) Qual é o módulo da aceleração da caixa que está sobre a ram-
16) O módulo da força que o meteorito exerce sobre o solo é maior
pa? O plano de não deixá-la descer funcionou?
do que o módulo da força que o solo exerce sobre o meteorito,
c) Qual é o módulo da força tensão que atua na caixa mais leve?
porque o solo se deforma mais do que o meteorito.
RESPOSTA IFF/RJ-2018.1:
a) b) a = 0,75 m/s2 c) T = 2,625 N
(ITA/SP-2018.1) - RESPOSTA: w = 6,0 rad/s e d = 6,0 m NB T
NA O plano não
Na figura, presa a um fio de comprimento de 1,0 m, uma massa de
T funcionou.
1,0 kg gira com uma certa velocidade angular num plano vertical B A
sob a ação da gravidade, com eixo de rotação a h = 6,0 m do piso.
PB PA

(UECE-2018.1) - QUESTÃO ANULADA


Ao longo de uma viagem, um automóvel de 1 000 kg para em dois
pontos da trajetória: um ponto A na estrada com inclinação de 30°
em relação à horizontal, e um ponto B na via com inclinação de
90° em relação à vertical. Considere que, no carro, atuam somente
as forças da gravidade (g = 10 m/s2), normal e de atrito (m = 0,7).
Determine a velocidade angular mínima dessa massa para a rup-
As forças de atrito estático (em N) que atuam no carro nos pontos
tura do fio que suporta no máximo a tração de 46 N, bem como a
A e B são, respectivamente,
distância ao ponto P do ponto em que, nesse caso, a massa tocará
o solo. a) 500 e 0.
b) 0 e 500.
(UFVJM/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: A c) 1 000√3/2 e 500.
Velocidade terminal é uma velocidade constante atingida por um d) 500 e 1 000√3/2.
objeto que viaja sob a ação da resistência do ar. Um exemplo é o RESPOSTA CORRETA: 5 000 e 0.
caso de um tiro disparado para cima. O objeto sobe com velocida-
de decrescente, para, em seguida cai sob a ação da gravidade até
atingir uma velocidade constante. (UFRGS/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: 05 C e 06 D
ASSINALE o gráfico que representa a velocidade em função do Instrução: O enunciado a seguir refere-se às questões 05 e 06.
tempo do projétil, desde o disparo do solo até atingir a velocidade A figura abaixo representa duas esferas, 1 e 2, de massas iguais a
terminal. m, presas nas extremidades de uma barra rígida de comprimento L
e de massa desprezível.
*a) c) m m
P
1 2
L/3
L

O sistema formado é posto a girar com velocidade angular cons-


tante em torno de um eixo, perpendicular à página, que passa pelo
b) d) ponto P.
QUESTÃO 05
Sendo vi a velocidade tangencial da esfera i (i = 1,2) e Fi a força
centrípeta nela resultante, as razões v1/v2 e F1/ F2 entre os módu-
los dos respectivos vetores são, nessa ordem,
a) 1/3 e 1/2 .
b) 1/2 e 1/4 .
*c) 1/2 e 1/2 .
(UEMG-2018.1) - ALTERNATIVA: A
Em uma viagem a Júpiter, deseja-se construir uma nave espacial d) 1/2 e 3/2 .
com uma seção rotacional para simular, por efeitos centrífugos, a e) 3/2 e 1/2 .
gravidade. A seção terá um raio de 90 metros. Quantas rotações QUESTÃO 06
por minuto (RPM) deverá ter essa seção para simular a gravidade Em relação ao eixo de rotação em P, o centro de massa do sistema
terrestre? descreve uma trajetória circunferencial de raio
Considere g = 10 m/s2.
a) L/2 .
*a) 10 / p b) L/3 .
b) 2 / p c) L/4 .
c) 20 / p *d) L/6 .
d) 15 / p e) L/9 .
japizzirani@gmail.com 44
(UFRGS/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: B (FUVEST/SP-2018.1) - RESPOSTA NO FINAL DA QUESTÃO
O cabo-de-guerra é uma atividade esportiva na qual duas equipes, Duas caixas, A e B, de massas mA e mB , respectivamente, preci-
A e B, puxam uma corda pelas extremidades opostas, conforme sam ser entregues no 40º andar de um edifício. O entregador re-
representa a figura abaixo. solve subir com as duas caixas em uma única viagem de elevador
e a figura I ilustra como as caixas foram empilhadas. Um sistema
constituído por motor e freios é responsável pela movimentação do
elevador; as figuras II e III ilustram o comportamento da aceleração
e da velocidade do elevador. O elevador é acelerado ou desace-
lerado durante curtos intervalos de tempo, após o que ele adquire
Figura adaptada de Thadius856 (SVG conversion) &. Parutakupiu (original image) - Obra velocidade constante.
do próprio,domínio público. Disponível em: <https://commons.wikimedia.org/w/index.
php?curid=3335188>. Acesso em: 18 set. 2017.

Considere que a corda é puxada pela equipe A com uma força ho-
rizontal de módulo 780 N e pela equipe B com uma força horizontal
de módulo 720 N. Em dado instante, a corda arrebenta. Note e adote:
Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas do Aceleração da gravidade:
enunciado abaixo, na ordem em que aparecem. g = 10 m/s2.

A força resultante sobre a corda, no instante imediatamente ante-


rior ao rompimento, tem módulo 60 N e aponta para a ......... . Os
módulos das acelerações das equipes A e B, no instante imedia-
tamente posterior ao rompimento da corda, são, respectivamente,
........ , supondo que cada equipe tem massa de 300 kg.
a) esquerda - 2,5 m/s2 e 2,5 m/s2
*b) esquerda - 2,6 m/s2 e 2,4 m/s2
c) esquerda - 2,4 m/s2 e 2,6 m/s2
d) direita - 2,6 m/s2 e 2,4 m/s2
e) direita - 2,4 m/s2 e 2,6 m/s2
Analise a situação sob o ponto de vista de um observador parado
no solo. Os itens a, b e c, referem-se ao instante de tempo em que
(UFRGS/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: D o elevador está subindo com o valor máximo da aceleração, cujo
A figura abaixo representa dois corpos de massas m1 e m2 ligados módulo é a = 1 m/s2.
por uma corda de massa desprezível. O corpo de massa m1 está a) Obtenha o módulo da força resultante, FA , que atua sobre a
apoiado sobre uma mesa, sem atrito, e a corda que suspende a caixa A.
b) As figuras na página de respostas representam esquematica-
massa m2 passa por uma roldana também de massa desprezível
mente as duas caixas e o chão do elevador. Faça, nas figuras cor-
e sem atrito.
respondentes, os diagramas de forças indicando as que agem na
caixa A e na caixa B.
c) Obtenha o módulo, FS , da força de contato exercida pela caixa
A sobre a caixa B.
d) Como o cliente recusou a entrega, o entregador voltou com as
caixas. Considere agora um instante em que o elevador está des-
cendo com aceleração para baixo de módulo a = 1 m/s2. Obtenha
o módulo, FD , da força de contato exercida pela caixa A sobre a
caixa B.
A aceleração dos corpos e a tensão na corda valem, respectiva- RESPOSTA FUVEST/SP-2018.1:
mente,
a) FA = mA (SI)
a) g e (m1 + m2) g.
b) g e (m1 – m2) g. b) →
FBA
c) m1 g /(m1 + m2) e m1m2 g /(m1 + m2).
*d) m2 g /(m1 + m2) e m1m2g /(m1 + m2).

e) m2g /(m1 – m2) e m1m2g /(m1 – m2). PA →
FAB →
→ PB
(UFRGS/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: C FN
Uma bola de baseball, de massa m = 1/7 kg e com velocidade de
módulo v0 = 37 m/s, é rebatida pelo batedor, conforme mostra a c) FS = 11mA (SI) d) FD = 9mA (SI)
figura abaixo.

(UNIMONTES/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Uma caixa com massa m = 3 kg está em um plano inclinado de 30º
em relação ao plano horizontal, conforme figura abaixo. O coefi-
ciente de atrito estático e cinético entre as superfícies do plano in-
4√ 3 2√ 3
clinado e da caixa valem m e = e mc = , respectimvamente.
15 9

Dados:
A força que atua durante o intervalo de 1/6 s, em que o taco fica em g = 10 m/s2
contato com a bola, tem módulo variável com o tempo e é dado por sen 30º = 1/2
F(t) = – 12.960 t 2 + 2.160 t. cos 30º = √3 /2
Considerando que a velocidade final vf da bola tem a mesma di-
reção, mas sentido inverso ao da velocidade inicial v0, qual é o
Podemos considerar CORRETA a afirmação:
módulo vf da velocidade da bola?
a) A caixa não se move.
a) 28 m/s. d) 37 m/s. b) O módulo da força normal vale 30 N.
b) 31 m/s e) 120 m/s. *c) A força resultante na caixa vale em módulo 5 N.
*c) 33 m/s. OBS.: É necessário o uso de cálculo integral. d) A força resultante na caixa vale em módulo 3 N.
japizzirani@gmail.com 45
(UECE-2018.1) - ALTERNATIVA: B (UNIMONTES/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Uma escada, em equilíbrio estático, é apoiada em uma parede ver- Uma mola presa ao teto por uma de suas extremidades pode ser
tical e repousa formando um ângulo de 60° com uma calçada ho- utilizada como dinamômetro para medir o módulo da força peso
rizontal. Sobre as forças de contato atuando na escada, é correto de um objeto. Com essa intenção, de posse de uma mola presa
afirmar que ao teto e de um objeto de massa m = 3 kg, um estudante fez a
a) as forças normais nos dois pontos de contato formam um ângulo calibração do dinamômetro prendendo o objeto à extremidade livre
de 60° entre si. da mola e deixando-o suspenso. Ele observou que a mola sofreu
*b) as forças normais nos dois pontos de contato são perpendicu- uma deformação de 6 cm. Em seguida, o estudante prendeu à
lares entre si. mola e deixou suspenso um outro objeto X, de massa desconheci-
c) a força normal sobre a escada no ponto de apoio com a parede da, o que causou uma deformação de 8 cm na mola. O módulo da
forma um ângulo de 60° com a vertical. força peso do objeto X vale, em Newtons,
d) a força normal sobre a escada no ponto de apoio com a parede a) 30.
forma um ângulo de 30° com a vertical. *b) 40. Dado: g = 10 m/s2
c) 60.
(UNICAMP/SP-2018.1) - RESPOSTA NO FINAL DA QUESTÃO d) 80.
Um gigantesco iceberg desprendeu-se recentemente da Antártida,
no extremo sul do planeta. O desprendimento desse iceberg, bati-
zado de A68, foi considerado um dos maiores eventos do gênero já (UNITAU/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: E
registrados pela ciência moderna. Segundo a NASA, é difícil prever Uma força F de 100 newtons atua sobre um bloco de massa de 4
se o iceberg permanecerá como um único bloco, mas é mais prová- quilogramas, conforme a figura abaixo.
vel que ele se fragmente.
a) Considere que o iceberg tem o formato aproximado de uma pla-
ca de 6 000 km2 de área e 500 m de espessura. Sendo a densidade
do gelo ρg = 900 kg/m3, calcule o empuxo sobre o iceberg que o
mantém flutuando.
b) Suponha um iceberg com velocidade de deriva constante. Em
um dado momento, tensões internas fazem com que dois blocos
de gelo menores, A e B, se desprendam e sejam lançados em sen-
tidos opostos e perpendicularmente à direção da velocidade de
deriva do iceberg. As massas dos blocos são mA = 2,0 ×105 kg e
mB = 5,0 ×104 kg. Sabendo que imediatamente após a fragmenta-
ção a direção da velocidade de deriva do iceberg se mantém, e que
o módulo da velocidade do bloco A é vA = 0,5 m/s, calcule o módulo
da velocidade do bloco B imediatamente após a ruptura.
RESPOSTA UNICAMP/SP-2018.1:
a) E = 2,7 ×1017 N b) | vB | = 2,0 m/s
É CORRETO afirmar que o coeficiente de atrito estático entre a
parede vertical e a superfície do bloco, necessário para mantê-lo
(VUNESP-HUMANITAS/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: E em repouso sobre a superfície dessa parede rugosa, é de:
Num jogo de beisebol, um arremessador lança uma bola de massa Dados: Aceleração local da gravidade é de 10 m/s2.
m = 150 g horizontalmente a uma velocidade escalar de 144 km/h. a) 0,8
O rebatedor acerta a bola e a rebate, também horizontalmente, na
b) 1,2
mesma direção e no sentido contrário ao arremesso, a uma veloci-
dade escalar de 180 km/h. Sabendo que o tempo de contato entre c) 2,1
o bastão e a bola foi de 0,5 milissegundo, a intensidade da força d) 1,3
média que o rebatedor aplicou sobre a bola foi de *e) 0,4
a) 12,0 kN. d) 10,8 kN.
b) 15,0 kN. *e) 27,0 kN.
(IFSUL/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: A
c) 3,0 kN.
Uma caixa encontra-se em repouso sobre um plano inclinado, o
qual forma um ângulo θ com a horizontal. Sabe-se que a caixa

(ETEC/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: E está submetida à ação de uma força F , indicada na figura abaixo,
Vinícius observa duas crianças, Caio e João, empurrando uma cai- cujo módulo é igual a 25 N, e que existe atrito entre superfície de
xa de brinquedos. Relembrando a aula de Ciências que teve pela contato da caixa e do plano. Considere a aceleração da gravidade
manhã, ele observa o deslocamento da caixa e faz um desenho igual a 10 m/s2, o coeficiente de atrito estático entre as superfícies
representando as forças envolvidas nesse processo, conforme a de contato igual a 0,5, o cos θ = 0,8, o sen θ = 0,6 e a massa da
figura. caixa igual a 10kg.

Considerando que a caixa esteja submetida a duas forças hori-


zontais, nos sentidos representados na figura, de intensidades
F1 = 100 N e F2 = 75 N, ficou pensando em como poderia evitar o
deslocamento da caixa, fazendo com que ela ficasse em equilíbrio
(parada). A força de atrito estático entre as superfícies de contato
Concluiu, então, que para isso ocorrer, uma outra criança deveria do corpo e do plano tem módulo igual a
exercer uma força de intensidade igual a →
a) 100 N, junto com João. *a) 35 N e mesmo sentido da força F .

b) 100 N, junto com Caio. b) 35 N e sentido contrário ao da força F .
c) 75 N, junto com João. →
d) 25 N, junto com Caio. c) 40 N e mesmo sentido da força F .

*e) 25 N, junto com João. d) 40 N e sentido contrário ao da força F .
japizzirani@gmail.com 46
(UNIMONTES/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: A VESTIBULARES 2018.2
Pouco depois de ser desligada a eletricidade, pondo fim à brin-
cadeira, dois carrinhos de bate-bate (1 e 2), movidos por suas
inércias, colidem frontalmente. Antes do choque, o carrinho 1, (UFU/MG-TRANSF.2018.2) - ALTERNATIVA: D
com massa total de 160 kg, movia-se com velocidade de módulo Dois blocos, A e B em contato entre si estão sobre uma super-
2,0 m/s, e o carrinho 2, com massa total de 80 kg, movia-se com fície

horizontal onde o atrito é desprezível. Uma força horizontal
velocidade de módulo 1,0 m/s. Imediatamente após o choque, os F é aplicada no bloco A (mA = 4,0 kg) que empurra o bloco B
carros permanecem unidos. O módulo da velocidade, em m/s, dos (mB = 2,0 kg). Considerando que o módulo da força no bloco B
carrinhos unidos após ochoque é igual a exercida pelo bloco A é igual a 2,0 N, assinale a alternativa que re-
*a) 1,0. presenta o valor do módulo da aceleração do sistema e do módulo

b) 2,0. da força F aplicada, respectivamente.
c) 3,0. a) 0,5 m/s2 e 4,0 N.
d) 4,0.
b) 0,67 m/s2 e 1,34 N.
c) 1,0 m/s2 e 2,0 N.
(IFSUL/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: C
*d) 1,0 m/s2 e 6,0 N.
Leia com atenção o texto que segue.
A força resultante que atua em uma partícula pode ser decomposta
em duas direções perpendiculares entre si: uma tangencial e outra (SENAI/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: E
normal à trajetória. A componente tangencial da força resultante Observe a situação demonstrada na figura a seguir. Nela, uma ca-
atua na mesma direção do vetor velocidade e tem por função variar minhonete reboca um fusca, usando uma corda.
o módulo desse vetor. Já a componente normal (centrípeta), tem
direção perpendicular ao vetor velocidade e ter por função variar a
direção desse vetor.
Com base no texto e nas Leis de Newton do movimento, analise as
seguintes afirmativas:
Considerando a massa dos dois automóveis e que o conjunto (fus-
I. No movimento retilíneo uniforme, a componente tan- ca + caminhonete) possui uma aceleração de intensidade 1,0 m/s2,
gencial da força resultante é diferente de zero, e a desprezando-se o atrito, as forças 1 e 2 valem, respectivamente,
componente normal é nula. a) 5 000 N e 2 000 N.
II. No movimento retilíneo uniformemente variado, atua b) 1 000 N e 2 000 N.
apenas a componente tangencial da força resultante. c) 2 000 N e 1 000 N.
Nesse caso, a componente normal é nula. d) 3 000 N e 1 000 N.
*e) 4 000 N e 1 000 N.
III. No movimento circular uniforme, a componente tan-
gencial da força resultante é nula.
(SENAI/SP-2018.2) - ALTERNATIVA OFICIAL: B
Estão corretas as afirmativas A fim de realizar uma experiência, uma professora construiu uma
a) I e II, apenas. rampa no formato de um triângulo retângulo de catetos 30 cm e
b) I e III, apenas. 40 cm. Do ponto mais alto da rampa, uma bola foi abandonada do
*c) II e III, apenas. repouso.
d) I, II e III. Considerando que o coeficiente de atrito cinético entre a bola e a
rampa era de 0,7; que a aceleração da gravidade valia 10 m/s2;
(IMT-MAUÁ/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: D que o ângulo de inclinação da rampa com relação à horizontal era
O conjunto representado encontra-se em equilíbrio estático. o menor do triângulo e que, das forças não conservativas, apenas
o atrito atuava no sistema, a velocidade final da bola, quando esta
chegou ao fim da rampa, em unidades do SI, era de, aproximada-
mente,
a) 0,20.
*b) 0,63.
c) 1,95.
d) 2,37.
As massas dos blocos são: mA = 10 kg, mB = 6,0 kg e mC = 4,0 e) 2,45.
kg. Considere que as roldanas e os fios sejam ideais e adote OBS.: A alternativa B é resposta para o cateto maior apoiado sobre
g = 10 m/s2. A força de atrito estática entre o bloco A e o plano é o solo, se for a hipotenusa, a resposta será 0,57 m/s.
a) 100 N.
b) 50 N.
c) 2 N. (SENAI/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: D
*d) 20 N. A tirinha abaixo se refere à questão 47.
e) 0,2 N.

(IMT-MAUÁ/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Em um bloco de massa m, apoiado em um plano horizontal sem
atrito, age uma força F que forma um ângulo q com esse plano.
Se o bloco parte da origem do sistema de coordenadas com velo-
cidade inicial nula, a sua velocidade depois de um deslocamento
d será
Fcos q
a) v = t.
m
b) v = Fcos q t . Fonte: Disponível em: <http://slideplayer.com.br/slide/3063020/>. Acesso em: 11
ago. 2016.
2d Fcos q
*c) . QUESTÃO 47
m
A tirinha ilustra
2d Fsen q a) o Princípio Fundamental da Dinâmica.
d) . b) o Teorema do Trabalho-Energia Cinética.
m
c) a Lei da Conservação da Energia.
2d F *d) a Lei da Inércia.
e)
m e) a Lei da Ação e Reação.
japizzirani@gmail.com 47
(IFSUL/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: A (UNESP-2018.2) - ALTERNATIVA: E
Duas caixas de massa m1 e m2 são empurradas ao longo de uma A tirolesa é uma prática recreativa na qual uma pessoa, presa a um
→ sistema de roldanas que permite o controle da velocidade, desliza
superfície horizontal sem atrito por uma força horizontal F , de acor-
do com a figura abaixo. por um cabo tensionado. A figura mostra uma pessoa praticando
tirolesa e quatro possíveis direções e sentidos da força resultante
sobre ela.

O módulo da força de contato entre as caixas é de:


*a) m2 F/(m1 + m2)
b) m2 F/m1
c) m2 F/(m1 – m2)
d) m1 F/(m1 + m2)
(http://hillpost.in. Adaptado.)
(UNIFOR/CE-2018.2) - ALTERNATIVA: A
Supondo que, em dado instante, a pessoa desce em movimento
A figura representa um plano inclinado em que um bloco de massa
→ acelerado, a força resultante sobre ela tem
m está em repouso sob a ação de uma força F . A massa do bloco a) intensidade nula.
é de 5 kg e a inclinação do plano é de 30º. Considere que não há b) direção e sentido indicados pela seta 3.
atrito entre a superfície e o bloco, e a aceleração da gravidade é c) direção e sentido indicados pela seta 1.
de g = 10 m/s2. d) direção e sentido indicados pela seta 4.
Dados: cos 30º = 0,866 e sen 30º = 0,5. *e) direção e sentido indicados pela seta 2.

(UNIFOR/CE-2018.2) - ALTERNATIVA: C
Um aluno da Unifor maravilhado pelos os novos equipamentos
da academica de ginástica não perde tempo e começa a usar um
aparelho chamado presssão com pernas (leg press), sob a orien-
tação de um profissional de educação fisica. O equipamento tem
a função de fortalecer a musculatura das pernas. Este aparelho
possui uma parte móvel, que desliza sobre um plano inclinado, fa-
zendo um ângulo de 60° com a horizontal. Uma pessoa, usando o
aparelho, empurra a parte móvel de massa igual a 100 Kg, e a faz
se mover ao longo do plano, com velocidade constante, como é
→ mostrado na figura.
Marque a opção que indica o módulo da força F ,
*a) 25 N
b) 43 N
c) 50 N
d) 86 N
e) 100 N

(UNIFOR/CE-2018.2) - ALTERNATIVA: A
Um corpo de massa m está pendurado por uma corda que passa
sobre uma polia fixa muito leve 2, como mostra a figura. A corda
conecta-se a uma segunda polia muito leve 1. Uma segunda corda
passa em torno dessa polia com uma extremidade presa a uma
parede e a outra ponta a um corpo de massa M sobre uma mesa
Considere o coeficiente de atrito dinâmico entre o plano e a parte
horizontal.
móvel 0,10 e aceleração gravitacional de 10 m/s2. Qual a intensi-
dade da força em Newton (N) que a pessoa está aplicando sobre a
parte móvel do aparelho?
a) 220
b) 330
*c) 910
d) 820
e) 610

(UNIFENAS/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: E
Durante a manobra vista a seguir, o atleta fica sujeito a que número
de forças? Despreze a resistência do ar.

Se o bloco M está na iminência do movimento, qual o coeficiente


de atrito estático em função de m e M.
m
*a) μ =
2M
m
b) μ =
M
2m
c) μ = https://www.google.com.br/search?q=foto+de+esporte+de+olimpíadas+-
M de+inverno+de+2018&tbm
d) μ = 2mM a) Cinco. d) Duas.
b) Quatro. *e) Uma.
e) μ = mM c) Três.
japizzirani@gmail.com 48
(IF/CE-2018.2) - ALTERNATIVA: D (UVV/ES-2018.2) - ALTERNATIVA: C
Uma partícula de massa m = 2kg é acelerada por uma força de Na luta, relatada na Bíblia, entre o jovem Davi e o gigante Golias,
módulo F = 4N. Partindo do repouso, sob a ação dessa força, a consta que Davi usou uma funda para derrotar o gigante. Esse
partícula percorre uma distância em linha reta d = 4 m em um pla- instrumento é uma arma de arremesso constituída por uma correia
no sem atrito. Ao final do deslocamento de 4 m a velocidade da ou corda dobrada, na qual se coloca, no centro, um objeto que se
partícula, em m/s, será (desconsidere qualquer resistência do ar) deseja arremessar.
a) 12.
b) 16.
c) 8.
*d) 4.
e) 2.
OBS.: Para a resposta ser 4 m/s a direção da força F tem que ser
a mesma do plano, que deve ser horizontal.

(IF/CE-2018.2) - ALTERNATIVA OFICIAL: D Considere que Davi utilizou uma pedra de massa 1,00 kg em uma
Um bloco é suspenso por um fio com aceleração constante de funda e a fez girar ao redor de sua cabeça a um ângulo de θ = 2,81°
3,0 m/s2. Nessa condição a tração no fio é um terço da que faz o fio abaixo da horizontal por meio de uma corda com comprimento de
se romper. Considerando g = 10 m/s2, a máxima aceleração com L = 1,00 m. Admitindo que essa corda suporte uma tensão máxima
que esse fio pode suspender o bloco, em m/s2, é igual a de T = 200 N, pode-se verificar que, a velocidade angular máxima,
a) 5. em rpm (rotações por minuto), com que Davi pode girar a pedra é
b) 7. de, aproximadamente, quantas rpm?
c) 9. Dados: sen(2,81°) = 0,0490; cos(2,81°) = 0,998; π = 3,14.
d) 11. a) 115.
e) 13. b) 125.
c) 135.
OBS.: A resposta é 11 m/s2 se a aceleração de 3,0 m/s2 for para o
d) 145.
bloco em movimento descendente.
e) 155.

(UNIFENAS/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: A
(UVV/ES-2018.2) - ALTERNATIVA OFICIAL: C
Um dos esportes mais badalados durante as Olimpíadas de inver-
O Bobsled é um dos esportes de inverno de maior velocidade
no é o curling.
(pode chegar a 130 km/h) e envolve uma descida em curvas dentro
de um trenó. O esporte começou a ser praticado no final do século
XIX, nos Estados Unidos. O bobsled de quatro pessoas foi incluído
logo na primeira edição das Olimpíadas de Inverno, em Chamoni,
1924, enquanto as duplas masculinas entraram no programa em
Lake Placid, 1932. As duplas femininas começaram a fazer parte
do quadro apenas na edição de Salt Lake City, 2002.
Para a largada do bobsled (partindo do repouso), os atletas correm
uma distância de 50,0 m de descida até pularem dentro do trenó.
https://www.google.com.br/search?q=foto+de+esporte+de+olimpíadas+- Em seguida, o piloto assume o comando e guia o trenó até a linha
de+inverno+de+2018&tbm de chegada. O controle é feito através de um mecanismo de dire-
Considere que a pedra de granito a ser lançada tenha massa de ção. A capotagem elimina o time da competição.
20 kg, que o coeficiente de atrito entre a pista de gelo e a pedra
seja de 0,2, desprezando os efeitos do ar, considerando a acelera-
ção da gravidade igual a 10 m/s2 e sabendo que a velocidade inicial
de lançamento é de 5 m/s, descubra a distância total percorrida
pela pedra, em metros, até sua imobilização.
*a) 6,25. d) 12,15.
b) 8,56. e) 15,35.
c) 10,80.

(VUNESP-UNINOVE/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: E
Um projétil de 10 g foi disparado verticalmente para cima por uma
Considere que, nesta pista de 50,0 m, haja uma inclinação de 10,0º
arma de fogo e, após 8,0 segundos, atingiu o ponto mais alto de
com a horizontal, e que o conjunto trenó-pessoas tenha uma mas-
sua trajetória. Sabendo que a velocidade inicial do projétil era
sa de 600 kg. A aceleração da gravidade é 10,0 m/s2. Desconsidere
200 m/s, a força resultante que agiu sobre ele durante a subida
qualquer forma de atrito.
teve intensidade média de
Com base nesse texto, podemos afirmar que a velocidade do con-
a) 1,50 N.
junto trenó-pessoas, ao fim da pista, é de, aproximadamente:
b) 0,50 N.
c) 3,00 N. Dados: sen 10° = 0,17 e cos 10° = 0,98.
d) 4,25 N. a) 12,9 km/h. d) 112 km/h.
*e) 0,25 N. b) 31,2 km/h. e) 170 km/h.
*c) 46,5 km/h.
(UFU/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: B
Filmes de ficção científica, que se passam no espaço sideral, cos- (CEDERJ-2018.2) - ALTERNATIVA: A
tumam mostrar hábitats giratórios que fornecem uma gravidade ar- Em uma academia de ginástica, um professor arremessa um saco
tificial, de modo que as pessoas se sintam como se estivessem na de areia de 25 kg com uma velocidade cuja componente horizontal
Terra. Imagine um desses hábitats em um local livre da influência vale 1,2 m/s. O saco descreve um movimento parabólico e é rece-
significativa de outros campos gravitacionais, com raio de 1 Km e bido por um aluno com massa de 50 kg. O atrito entre o aluno e o
com pessoas habitando a borda interna do cilindro. piso é desprezível e o conjunto formado pelo aluno com o saco de
Esse cenário, nessas condições, reproduz algo muito próximo à areia é arremessado para trás com uma velocidade horizontal de
aceleração da gravidade de 10 m/s2 desde que a frequência com módulo V.
que o hábitat rotaciona seja, aproximadamente, de O valor de V é
a) 2 rpm. *a) 0,4 m/s
*b) 1 rpm. b) 0,6 m/s
c) 20 rpm. c) 0,8 m/s
d) 60 rpm. d) 1,2 m/s
japizzirani@gmail.com 49
(UVV/ES-2018.2) - ALTERNATIVA: D (VUNESP-USCS/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: B
O Curling é um esporte que exige habilida- Duas caixas, A e B, de massas mA = 50 kg e mB = 20 kg, estão
de, precisão e estratégia. Começou como ligadas por um fio ideal e permanecem em equilíbrio estático na
um esporte ao ar livre e hoje é um dos prin- situação representada na figura, sem a necessidade de uma força
cipais destaques dos Jogos Olímpicos de de atrito atuar sobre a caixa A. Para isso, é preciso que a superfície
Inverno. A modalidade apareceu pela pri- de apoio para a caixa A apresente uma inclinação θ correta.
meira vez nesses jogos, em 1924, na pri-
meira edição, em Chamonix. No entanto,
foi adicionado ao programa oficial apenas
em Nagano, em 1998.
O jogo é disputado entre duas equipes,
cada uma com quatro atletas. Sobre uma
pista de gelo, ambos os times devem jogar
uma pedra de cerca de 20 kg o mais pró-
ximo possível do alvo circular, chamado de
“casa”. O objetivo final é fazer com que a
pedra fique mais perto do círculo do que a
do adversário. Cada jogo é composto por Desprezando-se a massa da polia e o atrito entre ela e o fio, o
10 rodadas, chamadas de “ends”. As equi- ângulo θ necessário para se conseguir o equilíbrio descrito deve
pes jogam oito pedras por “end ”, de forma ser tal que:
alternada. a) sen θ = 0,75.
Os pontos são calculados pela localização
da pedra. Uma vassoura é utilizada para *b) sen θ = 0,40.
varrer a superfície do gelo na frente da pe- c) cos θ = 0,60.
dra. Essa varredura cria uma película de d) sen θ = 0,25.
água entre a pedra e o gelo, reduzindo o e) cos θ = 0,50.
atrito. Assim, há aceleração da pedra e,
possivelmente, mudança de trajetória des-
sa peça. (VUNESP/HUMANITAS-2018.2) - ALTERNATIVA: C
A figura ao lado mostra as dimensões da Um pêndulo cônico é constituído por uma pequena esfera de mas-
pista. sa m presa a um fio ideal de comprimento L, preso por uma de suas
Disponível em: globoesporte.globo.com. extremidades a um ponto fixo. A esfera gira em uma circunferência
Acesso em:20 de fevereiro de 2018. de raio r contida em um plano horizontal, com velocidade escalar
constante de módulo v.
Um determinado atleta lança uma pedra
com uma velocidade inicial de 20,0 m/s,
enquanto os outros três usam a vassoura
para ajustar o atrito, de modo que conseguem colocar essa pedra
exatamente no botão (centro do alvo, ficando em repouso).
Considere que o movimento se deu em linha reta, partindo da po-
sição indicada pela seta horizontal e que g = 10 m/s2. Pode-se
afirmar que o coeficiente de atrito médio, durante o movimento, foi
de, aproximadamente:
a) 0,031.
b) 0,31. Desprezando a resistência do ar, o módulo da velocidade dessa
c) 0,43. esfera é
*d) 0,72.
e) 0,90.
1 L · sen q · cos q
a) d)
L · g · cos q g
(PUC-CAMPINAS/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: C
Um objeto de massa 200 g foi impulsionado sobre uma superfície
horizontal com velocidade inicial de 15 m/s e parou após 5,0 s. 1
b) e) L · g · cos q · sen q
Segundo a física newtoniana, essa variação de velocidade foi pro- L · g · sen q · cos q
vocada pela ação de uma força, no caso, a força de atrito entre
o objeto e a superfície. Supondo que a direção da força de atrito *c) L · g · sen q · tg q
fosse paralela à superfície, a intensidade média dessa força foi
a) 0,90 N. d) 0,75 N.
b) 0,45 N. e) 0,30 N. (UEG/GO-2018.2) - ALTERNATIVA: D

*c) 0,60 N. Considere uma caixa de peso P em repouso sobre uma superfície

horizontal, que apresenta rugosidades. Ao aplicarmos uma força F
(UDESC-2018.2) - ALTERNATIVA: A horizontal na caixa, essa tende a deslocá-la na direção horizontal.
Analise as proposições com relação às leis de Newton. O gráfico a seguir descreve a intensidade da força de atrito fat em

I. A massa de um corpo é uma grandeza escalar que quantifica a função do módulo dessa força F aplicada na caixa.
inércia desse corpo.
II. Os estados naturais de um corpo são o repouso e o movimento
retilíneo uniforme.
III. Uma força impressa a um corpo modifica o seu estado natural,
somente alterando o módulo de sua velocidade.
IV. A lei da ação e reação se refere a forças que são aplicadas a
um mesmo corpo.
V. Para toda força aplicada por um corpo A sobre um corpo B, exis-
te uma força de módulo igual e sentido contrário aplicada pelo cor-
po B sobre o corpo A. Com relação aos pontos marcados no gráfico, a caixa em
Assinale a alternativa correta. a) 1 desloca-se em movimento retilíneo uniforme.

*a) Somente as afirmativas I, II e V são verdadeiras. b) 2 recebe uma força F de módulo idêntico ao ponto 1.
b) Somente as afirmativas I, II e IV são verdadeiras. →
c) 2 e 4 está submetida à mesma intensidade da força F .
c) Somente as afirmativas I, III e IV são verdadeiras.
d) Somente as afirmativas II, III e IV são verdadeiras. d) 3 encontra-se na iminência do movimento.
e) Somente as afirmativas III, IV e V são verdadeiras. e) 4 volta à situação de movimento retilíneo uniforme.
japizzirani@gmail.com 50
(UVV/ES-2018.2) - ALTERNATIVA: E (UDESC-2018.2) - ALTERNATIVA: C
Uma prática comum nas artes marciais japonesas, em especial no Uma bailarina, ao executar um movimento de rotação de braços
caratê, é o Tameshiwari. São técnicas que os atletas utilizam para abertos, realiza 1,5 voltas a cada segundo. Quando ela fecha os
condicionar o corpo com o intuito de conseguir quebrar tábuas, braços, ela consegue realizar 2,0 voltas por segundo no mesmo
telhas, blocos de concreto e outros materiais. movimento. Considerando que o momento angular se conserva ao
longo do movimento, a variação percentual do momento de inércia
da bailarina foi de:
a) – 33%
b) 25%
*c) – 25%
d) 33%
e) 50%

(SENAI/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: B
Alavancas, roldanas e plano inclinado são classificados como má-
quinas simples, ou seja, são dispositivos mecânicos capazes de
transmitir ou de modificar uma força. Observe as situações a se-
Se a mão de um carateca, independente do braço, possui uma guir.
massa de 0,70 kg e, durante a execução de um golpe, atinge o Situação I Situação II
alvo a uma velocidade de 10 m/s, parando após um intervalo de
0,0050 s, pode-se afirmar que a intensidade da força média sobre
a mão do carateca é de aproximadamente
a) 1600 N.
b) 1550 N.
c) 1500 N.
d) 1450 N.
*e) 1400 N.
Fonte: Disponível em: Fonte: Disponível em:
<http://migre.me/vm6Se>. <http://migre.me/vm6Nx>.
(UDESC-2018.2) - ALTERNATIVA OFICIAL: E
Acesso em: 27 out. 2016. Acesso em: 27 out. 2016.
A Figura 2 mostra a junção de dois planos inclinados. Cada plano
inclinado contém um bloco de massa m. Os blocos estão unidos Situação III
por um fio que passa por uma polia. A polia e o fio são conside-
rados ideais e o coeficiente de atrito estático entre os blocos e os
respectivos planos é μ.

Fonte: Disponível em:


<http://migre.me/vm8DM>.
FIGURA 2
Acesso em: 27 out. 2016.
Assinale a alternativa que corresponde à situação de repouso dos
blocos. As situações mostradas nessas imagens ilustram dispositivos cujo
funciomamento fundamenta-se, respectivamente, no princípio
a) sen(θA – θB) = μ cos(θA – θB)
a) do plano inclinado, da alavanca e da roldana.
b) cos θA – cos θB = μ (sen θA – sen θB) *b) da alavanca, do plano inclinado e da roldana.
c) cos(θA – θB) = μ sen(θA – θB) c) do plano inclinado, do plano inclinado e da alavanca.
d) sen θA – cos θB = μ (cos θA – sen θB) d) do plano inclinado, da roldana e da alavanca.
e) da alavanca, da roldana e do plano inclinado.
*e) sen θA – sen θB = μ (cos θA – cos θB)

(VUNESP-CEFSA/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: A
(UDESC-2018.2) - ALTERNATIVA: B
Um caminhão acelera em um movimento retilíneo uniformemente
A Figura 3 mostra dois blocos de massa M e m, unidos por um fio
ideal, suspensos por um sistema de polias ideais. variado com 1,0 m/s2 sobre uma pista horizontal, transportando em
seu interior uma carga de 80 kg, como mostra a figura.

(https://www.portalsaofrancisco.com.br. Adaptado)

Sabendo que a carga não derrapa dentro do caminhão e que a ace-


leração da gravidade é igual a 10 m/s2, a alternativa que fornece
M corretamente os valores do peso P da carga e da força de atrito F
atuando na carga é
FIGURA 3 *a) P = 800 N e F = 80 N.
Assinale a alternativa que corresponde à condição de equilíbrio. b) P = 800 N e F = 800 N.
a) M = 6 m d) M = 2 m c) P = 80 N e F = 800 N.
*b) M = 8 m e) M = m d) P = F = 80 N.
c) M = 4 m e) P = 80 N e F = 0.
japizzirani@gmail.com 51
(UERJ-2018.2) - ALTERNATIVA: D (PUC/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: A
Em uma mesa de sinuca, as bolas A e B, ambas com massa igual Determine os valores aproximados para os coeficientes de atrito
a 140 g, deslocam-se com velocidades VA e VB , na mesma direção estático entre as superfícies dos blocos A e B, representado por
e sentido. O gráfico abaixo representa essas velocidades ao longo μ1 , e entre as superfícies do bloco B e do plano inclinado, repre-
do tempo. sentado por μ2 , respectivamente, para que não haja qualquer mo-
vimento relativo entre os blocos e entre eles e o plano inclinado.
Considere ideais a polia e o fio que une os blocos B e C.

Dados:
massa de A = mA = 30,0kg
massa de B = mB = 50,0kg
massa de C = mC = 100,0kg
sena = 0,50
cosa = 0,90
g = 10 m/s2
*a) 0,56 e 0,83
b) 0,63 e 0,50
Após uma colisão entre as bolas, a quantidade de movimento total,
c) 0,50 e 0,63
em kg.m/s, é igual a:
d) 0,56 e 0,93
a) 0,56
b) 0,84
c) 1,60 (USP/TRANSF-2018.2) - ALTERNATIVA: D
*d) 2,24 Um bloco de massa M está preso a uma mola de constante elástica
k , presa a uma parede. Sobre ele, encontra-se um outro bloco de
massa m. A mola é comprimida de uma grandeza Dx com relação
(PUC/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: B
ao seu comprimento livre.
Dois ciclistas percorrem uma longa trajetória retilínea e horizontal
de tal modo que estão sempre alinhados, conforme indica a figura.

Fonte: <https://pt.123rf.com/photo_50708411.html>

Num dado instante t1 , sabe-se que o módulo da força resultante O coeficiente de atrito estático mínimo, m min , entre os dois blocos
sobre o ciclista 1 é constante e vale 30 N e que o módulo da força que garante que o bloco de massa m não escorregará quando o
resultante sobre o ciclista 2, também constante, vale 40 N. sistema for solto é
Nesse mesmo instante, o módulo da velocidade do ciclista 1 é k Dx k Dx
5 vezes maior do que o módulo da velocidade do ciclista 2 e o a) m min = *d) m min =
gM g (M + m)
módulo da velocidade relativa do ciclista 1 em relação ao ciclista 2
vale 43,2 km/h. Determine, no instante t = t1+10 s, o módulo apro- k Dx (M + m) k Dx
ximado, em unidades do SI, da velocidade do centro de massa do b) m min = e) m min =
gMm gm
sistema de corpos constituído pelos 2 ciclistas e suas respectivas
bicicletas.
k Dx (M – m)
Dados: c) m min =
• massa do ciclista 1 + bicicleta 1 = 100 kg gMm
• massa do ciclista 2 + bicicleta 2 = 80 kg
A aceleração local da gravidade é g. Desconsidere o atrito
a) 10,3 do bloco de massa M com a superfície de apoio.
*b) 13,6
c) 14,3
c) 15,4 (USP/TRANSF-2018.2) - ALTERNATIVA: A
No sistema esquematizado, os corpos A e B têm massas iguais e
estão em equilíbrio sob ação da gravidade. Um fio de comprimento
(USP/TRANSF-2018.2) - ALTERNATIVA: C 5 m tem uma de suas extremidades fixa no ponto O, passa pela
Uma plataforma horizontal desce com aceleração de módulo polia móvel P1 que sustenta o corpo A, passa em seguida pela polia
4 m/s2, cuja direção faz um ângulo de 30º com a horizontal, con- fixa P2, e finalmente termina preso na massa B. O ponto de apoio O
forme ilustração. e o centro da polia P2 estão na mesma horizontal e são separados
por √ 3 m.

O valor mínimo do coeficiente de atrito estático para que o objeto


colocado sobre a plataforma não escorregue é
a) 2 / (10 – 2√3)
b) √3/ 2 Considere g = 10 m/s2. Em relação a essa linha horizontal, o corpo B fica suspenso pela
altura h, em metros, igual a
c) 1/ 2 Use sen 30º = 1/2 e cos 30º = √3 /2. *a) 3 d) 4 Desconsidere o atrito na passagem do fio pelas
*d) √3/4 b) 1 e) 5 polias. Despreze a massa e o tamanho das po-
lias. O fio é inextensível e sem massa.
e) 1 c) 2
japizzirani@gmail.com 52
(USP/TRANSF-2018.2) - ALTERNATIVA: A (FEI/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: E
Uma locomotiva puxa com uma força de 2,1 ×104 N dois vagões de Em um parque de diversões, um trenó de massa 100 kg deve ser
carga, cada um com 5 toneladas. Os vagões são conectados por puxado por uma força F = 500 N que faz um ângulo de 37º acima
uma barra rígida de massa 500 Kg. da horizontal. O coeficiente de atrito entre o trenó e a superfície é
μ = 0,50. Qual é o valor da aceleração do trenó?
a) 2,5 m/s2
b) 2,0 m/s2 Dados:
37º g = 10 m/s2 ;
c) 1,5 m/s2
sen 37º = 0,6 ;
d) 1,0 m/s2 cos 37º = 0,8.
O conjunto todo se move em linha reta e com a mesma acelera- *e) 0,5 m/s2
ção. Desprezando qualquer efeito de atrito, os módulos das forças
atuantes nas extremidades à esquerda e à direita na barra valem
(ACAFE/SC-2018.2) - QUESTÃO ANULADA
(em Newtons)
Um professor de física elaborou um experimento em que a esfera
*a) 1,0 ×104 e 1,1 ×104. →
2, de massa m e velocidade V2 , chocou-se com a esfera 1, de
b) 1,05 ×104 e 1,05 ×104. massa m /2 que estava em repouso. Após a colisão, a esfera 2
→ →
c) 1,0 ×104 e 1,05 ×104. adquiriu velocidade V’2 , com metade do módulo de V2 , conforme
d) 1,05 ×104 e 1,0 ×104. esquema a seguir.
e) 1,1 ×104 e 1,1 ×104.

(VUNESP-UEFS/BA-2018.2) - ALTERNATIVA: C
Dois garotos brincam com um bloco de madeira no chão plano e
horizontal. Em determinado momento, um deles empurra o bloco
que passa por um ponto A com velocidade v0 e, após percorrer
uma distância d em linha reta, para em um ponto B devido ao atrito
entre ele e o solo.

Desconsiderando os atritos e a resistência do ar, e sabendo que


g = 10 m/s2, a alternativa correta que apresenta o módulo da velo-

cidade V2 , em m/s, é:
a) 8,0 m/s
b) 10 m/s
c) 3,0 m/s
d) 5,0 m/s
(www.clipartpanda.com. Adaptado.) OBS.: A resposta correta é: V2 @ 3,6 m/s.

Sendo g a aceleração da gravidade local, o coeficiente de atrito


cinético entre o bloco e o solo é igual a (UNIRG/TO-2018.2) - ALTERNATIVA: D
No final do século XVII, o físico e matemático inglês Sir Isaac New-
v0 v0
a) d) ton publicou um tratado que, em parte, explicou três relações fun-
g·d 2 g ·d damentais entre força e movimento. Essas ideias lançaram a base
da física do movimento conhecida como mecânica newtoniana.
2 2 A respeito desse assunto, analise as afirmativas a seguir:
2 · v0 v0
b) e)
g·d 2 · d2 I. O peso é uma propriedade intrínseca de um objeto, ao
passo que a massa é uma força. Logo, a massa de um
v0
2 objeto com determinado peso varia quando a força devida
*c) à gravidade atuante sobre ele variar.
2·g·d
II. Sobre uma caixa em repouso em cima de uma mesa sem-
pre aparecerão as forças peso, normal e de atrito.
(VUNESP-UEFS/BA-2018.2) - ALTERNATIVA: D
Para exercitar sua pontaria, Guilherme lança uma pequena seta de III. Todas as forças originárias das interações entre dois cor-
50 g tentando acertar uma maçã apoiada na cabeça de um bone- pos ocorrem aos pares. As duas forças componentes de
co, ambos em repouso em relação ao solo. A seta atinge a maçã um par de forças são de igual magnitude, mas de sentidos
e permanece presa a ela, constituindo um sistema que passa a se opostos.
mover com velocidade de 1,25 m/s, como representado na figura. IV. A força de atrito estático ocorre entre duas superfícies que
poderiam deslizar uma contra a outra, mas não estão se
movendo.
Em relação às proposições analisadas, assinale a única alternativa
cujos itens estão todos corretos:
a) I e II;
b) I e III;
c) II e III;
*d) III e IV.

(UNIGRANRIO/RJ-2018.2) - ALTERNATIVA: E
Em uma aula de física, a professora pede que seus alunos deter-
(www.clker.com.Adaptado.) minem o peso do ar contido na sala. Sabe-se que a sala tem 8 m
Sabendo que a maçã tem 150 g de massa e desprezando o atrito, de comprimento, 5 m de largura e 3m de altura e que a massa
a velocidade da seta imediatamente antes de atingir a maçã era de específica do ar vale ρar = 1,2 kg/m3. Marque a opção correta.
Considere g = 10m/s2.
a) 2,0 m/s. *d) 5,0 m/s.
a) 120 N d) 1 040 N
b) 2,5 m/s. e) 3,0 m/s. b) 240 N *e) 1 440 N
c) 4,5 m/s. c) 800 N
japizzirani@gmail.com 53
(UNITAU/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: E (UNIGRANRIO/RJ-2018.2) - ALTERNATIVA: A
Um objeto, cujas dimensões são desprezíveis, com 50 kg de mas- Observe o gráfico abaixo que representa a força que atua sobre um
sa, se desloca ao longo de uma linha reta, apoiado sobre uma corpo, inicialmente em repouso, em função do tempo.
superfície horizontal. Ao longo de uma trajetória que durou cinco
segundos, a velocidade do objeto foi reduzida de 30 m/s para
0 m/s. Ou seja, em cinco segundos, o objeto parou de se movimen-
tar, passando à condição de equilíbrio estático.
Considerando que o movimento foi causado por uma força resul-
tante constante, o módulo da força resultante que atuou sobre o
objeto foi de
a) 150 N
b) 500 N
c) 250 N
d) 650 N
*e) 300 N

Determine o módulo da força constante que produz o mesmo im-


(INATEL/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: B pulso, durante o intervalo de tempo de 0 a 6 s.
De acordo com alguns especialistas da Física nos esportes, o soco
*a) 6N
de um pugilista pode gerar uma força de 2 800 N no rosto do ad-
versário. Este valor é calculado levando-se em consideração algu- b) 8 N
mas variáveis como, massa e velocidade do braço no momento do c) 12 N
soco, além do tempo de contato entre a mão do pugilista e o rosto d) 24 N
do oponente. Se o tempo de contato com o rosto do adversário e) 48 N
for de 10 milissegundos, pode-se afirmar que o impulso produzido
contra o adversário é de:
a) 280 N.s (VUNESP-UNIVAG/MT-2018.2) - ALTERNATIVA: E
*b) 28 N.s O slackline é uma prática esportiva na qual uma pessoa tenta equi-
c) 2,8 N.s librar-se sobre uma corda elástica presa a dois postes, como mos-
d) 28.000 N.s tra a figura.
e) NRA

(INATEL/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: C
Em um parque de diversões, as crianças descem por um escorre-
gador de uma altura de 2 metros. Se θ for o ângulo de inclinação na
base do escorregador, determine a força de atrito que atua em uma
criança de 20 kg que escorrega com velocidade constante desde o
início até a base do escorregador. (www.atlas-festival.org. Adaptado.)
Dados: cos(θ) = 0,76; sen(θ) = 0,64 e g = 10 m/s2. Considere que uma pessoa de 70 kg esteja sobre a corda elástica,
a) 200 N que a massa da corda seja desprezível, que cos 45º = sen45º = 0,7,
b) 152 N que cos 30º = 0,9 e que sen 30º = 0,5.
*c) 128 N Nessa situação, a força aplicada ao poste P2 pela corda elástica é
d) 400 N a) 490 N.
e) 100 N
b) 700 N.
c) 643 N.
(INATELMG-2018.2) - ALTERNATIVA: D d) 1 000 N.
O esquema ao lado representa uma máqui-
*e) 500 N.
na simples utilizada para elevar um bloco de
massa M a uma determinada altura em rela-
ção ao solo. Considerando que a força exer- (IFSUL/RS-2018.2) - ALTERNATIVA: A
cida na ponta da corda seja constante e igual Um grupo de alunos está analisando as forças que atuam em um
a 200 N, qual deverá ser a massa do bloco, corpo e chegaram à conclusão de que atuam quatro forças sobre
em kg, para que o mesmo seja suspenso com este corpo e que por isso ele está em repouso.
velocidade constante? A partir das afirmações dos alunos, é correto afirmar:
Se for necessário utilize g = 10 m/s2. *a) Um corpo pode estar sob a ação de quatro forças e estar em
a) 200 kg repouso, desde que a força resultante sobre o corpo seja nula.
b) 2 000 kg b) Um corpo submetido à ação de quatro forças nunca permanece
c) 120 kg em repouso.
*d) 160 kg c) Para que um corpo esteja em repouso, nenhuma força poderá
e) 180 kg atuar sobre ele.
d) Todo corpo em equilíbrio está em repouso.

(FPS/PE-2018.2) - ALTERNATIVA: A
Dois blocos de massa M e 3,5M, conectados por uma corda inex- (UCB/DF-2018.2) - ALTERNATIVA: B
tensível de massa desprezível, são puxados por uma força F (apli- Em um lance de certa partida de tenis, a bola arremessada pelo
cada no bloco 3,5M) ao longo de uma superfície plana sem atrito, adversário choca-se com a raquete do outro jogador, sendo arre-
como mostrado na figura. messada a mais de 200 km/h ao outro lado da quadra, enquanto a
raquete praticamente cessa o próprio movimento após o choque,
pemanecendo na mão do jogador. No instante do choque, é correto
afirmar que
a) apenas a raquete faz força sobre a bola.
*b) a força da raquete sobre a bola é de igual intensidade à da força
Os dois blocos se movem com a mesma aceleração a. Determine da bola na raquete.
a razão F/T entre os módulos da força F e da tração T na corda. c) inicialmente a força da bola sobre a raquete é maior; depois a
*a) 4,5 força da raquete sobre a bola é maior.
b) 4,0 d) a força da raquete sobre a bola é de menor intensidade que a
c) 3,5 força da bola sobre a raquete.
d) 3,0 e) a força da raquete sobre a bola é de maior intensidade que a
e) 2,5 força da bola sobre a raquete.
japizzirani@gmail.com 54
(UCB/DF-2018.2) - ALTERNATIVA: D (UEM/PR-2018.2) - RESPOSTA: SOMA = 13 (01+04+08)
Um bloco é solto em repouso sobre uma rampa inclinada de 60º. O Considere o excerto: “O movimento circular é (como todo movi-
coeficiente de atrito estático entre o bloco e a rampa é μ s = 0,50, e mento curvilíneo) uma modificação contínua do movimento re-
o cinético é μ k = 0,20. Considerando que a aceleração da gravida- tilíneo.” (KANT, I. Primeiros princípios metafísicos da ciência da
de local é 10 m/s2, é correto afirmar que o bloco natureza. 1ª edição: 1796. Lisboa: Edições 70, 1990, p. 108). Em
a) permanecerá estático sobre a rampa, na posição em que foi relação a movimentos retilíneos e circulares, supondo referenciais
solto. inerciais, assinale o que for correto.
b) descerá a rampa com velocidade constante. 01) Todo corpo persevera em um estado de repouso ou de movi-
c) descerá a rampa com uma aceleração crescente do tipo a = 2t. mento uniforme em linha reta, a menos que seja forçado a mudar o
*d) descerá a rampa com uma aceleração de aproximadamente estado em que se encontra por forças impressas sobre ele.
7,7 m/s2. 02) Ao sofrer a ação de uma força que seja constante, um corpo
e) incialmente descerá a rampa, mas parará 5 cm abaixo do ponto inicialmente em estado de movimento uniforme em linha reta ne-
em que foi solto. cessariamente começa a realizar um movimento circular.
04) Ao sofrer a ação de uma única força que seja constante, um
(UECE-2018.2) - ALTERNATIVA: B corpo inicialmente em estado de repouso necessariamente come-
No contexto da mecânica newtoniana, diz-se que uma massa pun- ça a acelerar em linha reta.
tiforme está em equilíbrio quando a soma 08) No caso de um movimento circular uniforme, a direção da força
a) dos módulos das forças atuando nela é nula. resultante varia continuamente com o tempo.
*b) vetorial de todas as forças atuando nela é nula. 16) No caso de um movimento circular e uniforme, o módulo da
c) dos torques atuando nela é nula, calculados em relação a um força centrípeta é igual a zero.
eixo que passa pelo seu centro.
d) dos momentos lineares dela varia com o tempo. (UPF/RS-2018.2) - ALTERNATIVA: E
Duas cordas sustentam um bloco de 300 N de peso, conforme ilus-
(UECE-2018.2) - ALTERNATIVA: A trado esquematicamente na figura.
Considere um trecho de estrada em descida seguido por uma su-
bida. De modo simplificado, considere que esse trecho tem um for-
mato de arco de círculo. Tratando um carro que passa por esse
trecho como uma massa puntiforme, é correto afirmar que o vetor
força normal da estrada sobre o carro
*a) tem direção e sentido que sempre apontam para o centro do
arco de círculo.
b) é sempre tangente à trajetória.
Nessas condições, pode-se afirmar que a força de tração exercida
c) é sempre vertical.
por cada uma das cordas é igual ao valor do peso do bloco quando
d) é sempre horizontal.
o valor do ângulo α, em graus, for igual a:
a) 50. d) 25.
(UEM/PR-2018.2) - RESPOSTA: SOMA = 23 (01+02+04+16) b) 45. *e) 60.
De acordo com o Princípio da Ação e Reação (ou 3ª Lei de New- c) 30.
ton), se um corpo A exerce uma força sobre o corpo B, então o
corpo B exerce uma força sobre o corpo A, de mesmo módulo,
mesma direção, mas de sentido oposto. Sendo assim, força é um (IFF/RJ-2018.2) - ALTERNATIVA: D
conceito utilizado para expressar a interação entre quaisquer pa- Ana foi a um brinquedo chamado sombrinha, que consiste basica-
res de corpos. Portanto o número de forças relevantes que atuam mente em uma grande superfície circular, sustentada por um eixo
em um certo corpo é igual ao número de corpos que interagem central em torno do qual pode girar, nas bordas da superfície, são
de forma relevante com ele. A interação gravitacional de um corpo presos balanços. Quando tal superfície circular começa a girar, o
com objetos próximos a ele ou com astros muito distantes dele são balanço se afasta da posição inicial. A figura a seguir ilustra a situ-
exemplos de forças não relevantes. No caso de dois corpos cujas ação vista de lado:
superfícies sejam duras e ásperas, e estejam comprimidas entre si,
costuma-se dizer que a impenetrabilidade mútua ocorre devido à
existência de forças trocadas entre eles, que recebem o nome de q

forças de contato C . Essa interação pode ser melhor compreendi-
da por meio de suas componentes perpendiculares entre si:
→ →
N : componente normal da força de contato C , ou simplesmente
força normal, perpendicular às superfícies em contato que se com-
primem;
→ → Quando o brinquedo girar com uma velocidade angular constante,
A : componente tangencial da força de contato C , ou simplesmente o balanço se afastará de sua posição de repouso, formando um
força de atrito, tangente às superfícies em contato que se compri- ângulo de 37º com a vertical. Sabemos que a massa do balanço
mem. somada a de Ana é 120 kg e que o raio da superfície circular e o

No caso geral, a força de contato C é igual à soma vetorial de suas comprimento do cabo do balanço são, respectivamente, 2,0 m e
→ → → → →
componentes perpendiculares N e A , ou seja, C = N + A . Conside- 2,2 m. A velocidade linear de Ana nesta situação é de aproxima-
rando as informações fornecidas, assinale o que for correto. damente
(Considere sen(37º) = 0,6; cos(37º) = 0,8; g = 10,0 m/s²)
01) Um corpo em repouso sobre uma superfície plana e horizontal
a) 8,0 m/s. *d) 5,0 m/s.
está submetido a duas forças, pois está interagindo de forma rele-
b) 7,0 m/s. e) 4,0 m/s.
vante com a superfície em que se encontra e com a Terra.
c) 6,0 m/s.
02) Um corpo em repouso sobre uma superfície plana e inclinada
está submetido a duas forças, pois está interagindo de forma rele-
vante com a superfície em que se encontra e com a Terra. (IFF/RJ-2018.2) - ALTERNATIVA: D
04) Em algumas situações em que a força de atrito pode ser des- O ex-jogador de futebol Roberto Carlos ganhou fama por ter um
→ →
considerada, tem-se que C = N . chute muito forte. Em 1997, em um jogo contra a França, ele fez
08) No caso de dois corpos cujas superfícies sejam duras e áspe- um gol de falta em que a bola chegou à velocidade aproximada de
ras, sempre que a componente normal da força de contato estiver 136,8 km/h. Supondo que, nesse chute, a bola de futebol tinha a
agindo, necessariamente a componente tangencial dessa força de massa igual a 0,4 kg e que o tempo de contato do pé com a bola
contato também estará agindo. durante o chute foi 0,1s, a força média exercida sobre a bola foi de
16) No caso de dois corpos cujas superfícies sejam duras e ás- aproximadamente
peras, sempre que a componente tangencial da força de contato a) 193 N. *d) 152 N.
estiver agindo, necessariamente a componente normal dessa força b) 178 N. e) 139 N.
de contato também estará agindo. c) 163 N.
japizzirani@gmail.com 55
(IFF/RJ-2018.2) - ALTERNATIVA: B
O litoral brasileiro tem uma extensão de 7 367 km. Uma planta mui-
to presente em nosso litoral é o coqueiro (Cocos Nucifera), poden-
do atingir até 30,0 m de altura. Um coco com 1 200 g de massa,
ao se desprender da planta, percorre uma trajetória vertical em
direção ao solo. Em um determinado instante durante a sua queda,
apresenta uma aceleração de intensidade igual a 9,20 m/s². Con-
siderando que a resistência do ar atua no sentido oposto ao mo-
vimento, qual é o módulo da força que o ar exerce sobre o coco?
(considere a aceleração gravitacional g = 10,0 m/s²)
a) 0,92 N
*b) 0,96 N
c) 9,20 N
d) 9,60 N
e) 12,0 N

japizzirani@gmail.com 56
MECÂNICA (UFAL-2018.1) - ALTERNATIVA: E
O mais interessante da montanha-russa The Thunder Dolphin, loca-
TRABALHO E ENERGIA lizada em Tóquio, no Japão, é o fato de ela sair do parque para as
ruas, no meio da cidade. Partindo do solo, ela sobe 80 metros em
direção à primeira queda, quando para momentaneamente no topo
VESTIBULARES 2018.1 do morro, na iminência de cair. Em seguida, desce 66 metros, che-
gando ao seu ponto mais baixo, alcançando uma velocidade aproxi-
mada de 130 km/h neste ponto.
(SENAI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: E
Disponível em: <http://glamurama.uol.com.br/as-10-montanhas-russas-mais-sensa-
Para erguer um piano de massa 500 kg até uma altura de 20 m usa- cionais-do-mundoaperte-os-cintos/>. Acesso em: 19 ago. 2017 (adaptado).
se uma máquina de 5 000 W de potência nominal, cuja eficiência é
de 80%. Desprezando quaisquer forças dissipativas, o tempo neces-
sário para erguer o piano é de
Dado: g = 10 N/kg.
a) 2 segundos.
b) 2 minutos.
c) 20 segundos.
d) 20 minutos.
*e) 25 segundos.

(UNICENTRO/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: E Um professor de física, ao expor esse problema à sua turma, as-
Um objeto de massa igual a 10 kg desce de uma rampa com socia ao carrinho de montanha russa 450 kg e uma aceleração
1 m de altura e chega ao solo com velocidade de 2 m/s. Sendo gravitacional de 10 m/s2. Dadas as afirmativas sobre a análise das
10 m/s2 o módulo da aceleração da gravidade local, a energia mecâ- respostas dos alunos,
nica dissipada, em joules, é igual a:
a) 10 I. A energia mecânica se conserva durante o movimento, pois a va-
b) 40 riação da energia potencial é aproximadamente igual à variação da
c) 60 energia cinética.
d) 20 II. A energia mecânica não se conserva durante o movimento, pois
*e) 80 a variação da energia potencial é cerca de 4,5 vezes menor que a
variação da energia cinética.
III. A energia mecânica do sistema no topo do morro é aproximada-
(SENAI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: A
mente 360 KJ.
Fisicamente, define-se energia como a capacidade que um corpo ou
uma substância tem para a realização de trabalho, sendo que a con- IV. A energia mecânica no ponto mais baixo é aproximadamente
versão de uma forma de energia em outra é a principal característica 590 KJ.
dela. Sabendo disso, considere as seguintes situações. V. A energia cinética no ponto mais baixo é 63 KJ.
I. Uma pessoa caminhando. Verifica-se que estão corretas apenas
II. Uma planta fazendo fotossíntese. a) II, III e IV. d) I e V.
III. Um secador de cabelo ligado.
b) I, III e V. *e) I e III.
Ocorre conversão de energia química em energia mecânica apenas c) II e IV.
em
*a) I.
b) II. (PUC/GO-2018.1) - ALTERNATIVA: D
c) III. No diálogo entre as personagens do Texto 8, Maria pergunta a Tião
d) I e II. se realmente o trabalho foi parado. Para a Física, o termo “trabalho”
e) I e III. pode ganhar outra acepção.
Suponha que um barco se mova paralelamente à margem de um
canal sem correntezas, enquanto uma pessoa aplica uma força por
(SENAI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B meio de um cabo que faz um ângulo de 20º com o percurso do bar-
Um peso, de massa 2 kg, foi abandonado do repouso, como mostra co. Se a tensão no cabo for de 40 N e o deslocamento do barco de
na figura I. 50 m, o trabalho realizado por essa força é de?
Dados: g = 10 m/s2 e 10 = 3,16. Considere cos 20º = 0,94.
Assinale a resposta correta:
a) 1 240 J.
b) 1 440 J.
c) 1 620 J.
*d) 1 880 J.

(CESGRANRIO-FMP/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Um elevador de carga de uma obra tem massa total de 100 kg. Ele
desce preso por uma corda a partir de uma altura de 12 m do nível
do solo com velocidade constante de 1,0 m/s. Ao chegar ao nível do
solo, a corda é liberada, e o elevador é freado por uma mola apoiada
num suporte abaixo do nível do solo. A mola pode ser considerada
ideal, com constante elástica k, e ela afunda uma distância de 50 cm
até frear completamente o elevador.
Considerando que a aceleração da gravidade seja 10 m/s2, e que
todos os atritos sejam desprezíveis, o trabalho da força de tração
Considerando as forças dissipativas desprezíveis, qual a velocida- na corda durante a descida dos 12 metros e o valor da constante
de, em m/s, desse peso na situação mostrada na Figura II ? da mola na frenagem valem, respectivamente, em kilojoules e em
newtons por metro,
a) 11,83.
a) 0 ; 400
*b) 12,64.
b) 12 ; 400
c) 17,32. *c) –12 ; 4400
d) 22,12. d) –12 ; 400
e) 25,28. e) 12 ; 4400
japizzirani@gmail.com 57
(IME/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: A (PUC/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Conforme a figura abaixo, um corpo, cuja velocidade é nula no ponto Considere a situação a seguir.
A da superfície circular de raio R, é atingido por um projétil, que se Um objeto de massa m é lançado a partir de uma altura h0 em rela-
move verticalmente para cima, e fica alojado no corpo. ção a um plano horizontal (solo), com uma velocidade de módulo v
que forma um ângulo θ em relação à horizontal. O objeto atinge uma
altura máxima H em relação ao solo, caindo a uma distância A em
relação à vertical do ponto de lançamento.
Sendo a aceleração gravitacional local constante e igual a g, e consi-
derando que ao longo do movimento a única força atuante no objeto
é o seu peso, é CORRETO afirmar que
a) no ponto de altura máxima, a energia cinética do objeto é nula.
b) em nenhum ponto da trajetória o objeto possui aceleração centrí-
peta, já que sua trajetória é parabólica, e não circular.
*c) a variação da energia cinética do objeto entre duas posições de
sua trajetória é igual ao trabalho realizado pela força peso entre es-
sas mesmas posições.
Ambos passam a deslizar sem atrito na superfície circular, perdendo
d) o alcance horizontal depende do ângulo θ de lançamento, tendo
o contato com a superfície no ponto B. A seguir, passam a descre-
seu valor máximo para θ = 45º qualquer que seja o valor de h0.
ver uma trajetória no ar até atingirem o ponto C, indicado na figura.
e) o módulo do vetor quantidade de movimento do objeto varia ao
Diante do exposto, a velocidade do projétil é:
longo do movimento, tendo seu valor máximo no instante em que o
Dados:
objeto atinge a altura H.
• massa do projétil: m ;
• massa do corpo: 9 m ; e
• aceleração da gravidade: g . (PUC/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: E
Um pequeno objeto é colocado no alto da rampa, no ponto A, mos-
5Rg 3Rg trado na Figura. Esse objeto escorrega rampa abaixo, a partir do
*a) 10 d) 10 repouso, e alcança o ponto final da rampa (ponto C). Não há perdas
2 5
por atrito.

3 Rg 2Rg
b) 10 e) 10
2 3

5 Rg
c) 10
3

(UNIFOR/CE-2018.1) - ALTERNATIVA: E
Calcule a razão VB / VC entre as velocidades do objeto nos pontos B
Dois irmãos, Jorge e Rodrigo, resolvem testar as leis da Física em
(altura 0,64 H) e C, respectivamente.
um tobogã. Jorge está inicialmente à uma altitude H, maior que a
altitude inicial de Jorge, que é h = H/2. Rodrigo possui o dobro do a) 1,25
peso de Jorge. Ao som de um apito, os dois começam a escorregar b) 1,0
descendo pelo tobogã. Despreze as forças de atrito. c) 0,8
É correto afirmar que, nessa situação, ao atingirem o nível do solo, d) 0,64
Jorge e Rodrigo terão energias cinéticas: *e) 0,60
a) diferentes e módulos de velocidade iguais.
b) diferentes e módulos de velocidade diferentes.
(UNIGRANRIO/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: A
c) iguais aos módulos de velocidades.
Um corpo de massa m está sobre um plano horizontal encostado em
d) iguais e módulos de velocidades iguais.
uma mola ideal de constante elástica k e massa desprezível, compri-
*e) iguais e módulos de velocidade diferentes.
mida de uma distância x. A mola é liberada e o corpo passa a se mo-
vimentar, passando pelo ponto A e subindo uma rampa até parar em
(PUC/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: A B, a uma altura h do plano horizontal, conforme indicado na figura.
Uma força constante F0, fazendo um ângulo de 60º com a horizontal,
é utilizada para arrastar horizontalmente um bloco por uma distância
L0 em uma superfície, realizando um trabalho W0 .
Se o ângulo for reduzido para 30º, o novo trabalho W realizado pela
força F0 será:
h
*a) √ 3 W0 . Dados:
b) 2W0 . sen 30º = cos 60º = 1/2 k
c) W0 . cos 30º = sen 60º = √3 /2 m
d) W0 /2
e) W0 /√ 3
Sabendo que uma quantidade de energia d foi dissipada no trajeto
e considerando a aceleração da gravidade igual a g, determine a
(PUC/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: C
deformação x da mola no instante inicial.
Sobre uma superfície horizontal sem atrito, duas partículas de mas-
sas m e 4m se movem, respectivamente, com velocidades 2v e v
(em módulo) na mesma direção e em sentidos opostos. Após colidi- *a) x = 2(mgh + d ) / k
rem, as partículas ficam grudadas.
Calcule a energia cinética do conjunto após a colisão, em função b) x = 2(mgh – d ) / k
de m e v.
a) 0 c) x = 2(mgk + d ) / h
b) 0,2 mv2
*c) 0,4 mv2 d) x = 2(mgk – d ) / h
d) 2,5 mv2
e) 3,0 mv2 e) x = 2(mgh + d )
japizzirani@gmail.com 58
(UNIFENAS/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: B (IF/BA-2018.1) - ALTERNATIVA: C
A equação de Planck relaciona a energia com a frequência da onda, O Beach park, localizado em Fortaleza – CE, é o maior parque aquá-
ou seja, E = h.f, onde h é definida como a constante de Planck. Qual tico da América Latina situado na beira do mar. Uma das suas prin-
é a análise dimensional de tal constante? cipais atrações é um toboágua chamado “Insano”. Descendo esse
a) M2L2T–2. toboágua, uma pessoa atinge sua parte mais baixa com velocidade
módulo 28 m/s. Considerando-se a aceleração da gravidade com
*b) ML2T–1.
módulo g = 10 m/s2 e desprezando-se os atritos, estima-se que a
c) M2LT–2. altura do toboágua, em metros, é de:
d) M2L2T–3. a) 28. d) 2,86.
e) M3L2T–2. b) 274,4. e) 32.
*c) 40.
(UNIENTRO/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Uma força F, de intensidade 10 N, foi aplicada a um bloco, deslocan- (VUNESP-UEA/AM-2018.1) - ALTERNATIVA: D
do-o 1,5 m na direção do sentido da força. O deslocamento ocorreu Uma pessoa retira um saco de arroz de uma sacola que está no
em 2,0 segundos. Neste caso, a potência media desenvolvida foi de: chão e o deposita no alto de uma prateleira.
a) 5,0 W
*b) 7,5 W No final desse procedimento, comparado com o momento inicial,
c) 10,0 W para o saco de arroz, a energia mecânica ____________, a energia
d) 15,0 W potencial gravitacional _________ e a energia cinética ________.
As expressões que completam corretamente as lacunas na ordem
(UNICENTRO/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: D em que aparecem são:
Um corpo de 30 kg parte do repouso sob a ação de uma força cons- a) diminuiu – diminuiu – diminuiu.
tante paralela à trajetória 15 segundos depois atinge a velocidade de b) diminuiu – aumentou – aumentou.
45 m/s. A energia cinética no instante 15 segundos será: c) aumentou – permaneceu nula – diminuiu.
a) 10,4 kJ *d) aumentou – aumentou – permaneceu nula.
b) 15,4 kJ
e) aumentou – diminuiu – permaneceu nula.
c) 20,4 kJ
*d) 30,4 kJ
(VUNESP-UEA/AM-2018.1) - ALTERNATIVA: A
Um automóvel percorreu um trecho de 4 000 m de uma rodovia com
(UNIFOR/CE-2018.1) - ALTERNATIVA: E
velocidade média de 20 m/s. Nesse trecho, o motorista acionou
No aparato experimental abaixo, duas massas, m1 e m2, estão co- os freios do veículo durante 10% do tempo gasto para percorrê-lo.
nectadas por uma corda de massa desprezível, que passa por uma Sempre que os freios foram acionados, as duas lâmpadas de si-
roldana também de massa desprezível. A massa m1 se movimenta nalização do veículo acendiam com uma potência de 20 W cada
em uma superfície sem atrito. Os valores das duas massas podem uma, alimentadas pela bateria do veículo. Desprezando as perdas,
ser medidos, bem como a distância d e a velocidade da massa m1 a energia fornecida pela bateria para acender as duas lâmpadas
nesse trecho foi igual a
quando passa nas posições x1 e x2 .
*a) 800 J. d) 600 J.
b) 1 000 J. e) 1 200 J.
m1
c) 400 J.

x1 x2
(VUNESP-StaCASA/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: D
d Um brinquedo é constituído por um caminhão de massa 3M e por
m2 uma bolinha de massa M apoiada em sua carroceria. Entre os dois
há uma mola ideal comprimida e travada. O brinquedo se encontra
inicialmente em repouso sobre uma superfície plana e horizontal.
Quando o gatilho da mola é acionado, a mola é destravada e faz
O experimento pode ser usado para fazer quais dos seguintes pro- com que o caminhão adquira energia cinética igual a EC.
cedimentos? v=0
I. Demonstrar a conservação do momento.
II. Demonstrar a conservação da energia.
III. Medir o valor da aceleração da gravidade.
É correto apenas o que se afirma em
a) I.
b) II. imediatamente antes do
c) III. destravamento da mola
d) I e II.
*e) II e III.

(UVV/ES-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Ao atravessar a Terceira Ponte, que liga as cidades de Vitória e Vila
Velha, um veículo A de massa 3,5 × 103 kg colide contra outro veí-
culo B que estava parado, aguardando a liberação do trânsito. Após
a colisão, ambos os veículos permanecem juntos e estima-se que
25% da energia cinética inicial seja transferida em outras formas imediatamente após o
de energia, como térmica, sons, vibrações, etc. Com base nessas destravamento da mola
informações, pode-se afirmar que a massa do veículo B é de, apro-
ximadamente, Desprezando todos os atritos e considerando EB a energia cinéti-
ca adquirida pela bolinha imediatamente após o destravamento da
a) 1,0 × 103 kg.
mola, é correto afirmar que
*b) 1,2 × 103 kg.
a) EB = EC / 3 *d) EB = 3 · EC
c) 1,5 × 103 kg.
d) 1,7 × 103 kg. b) EB = 2 · EC / 3 e) EB = 9 · EC
e) 1,9 × 103 kg. c) EB = 3 · EC / 2
japizzirani@gmail.com 59
(UEL/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: A (UFPR-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Segundo o documento “Mapa da Violência 2016: Homicídios por ar- Numa experiência realizada em laboratório, a posição x de um obje-
mas de fogo no Brasil”, morre-se mais por armas de fogo no Brasil to, cuja massa é constante, foi medida em função do tempo t. Com
do que em conflitos como no Iraque e no Afeganistão. Além disso, isso, construiu-se o gráfico abaixo. Sabe-se que o referencial ado-
somos o décimo país em mortes por arma de fogo no mundo. Uma tado para realizar as medidas é inercial e que o objeto move-se ao
das variáveis que torna a arma de fogo tão letal é a velocidade de longo de uma linha reta.
saída do projétil do armamento. Para calcular essa velocidade, um
dos dispositivos possíveis é o pêndulo balístico. Quando um projétil
de massa m é disparado com velocidade vo e atinge o pêndulo de
massa M, este é elevado a uma altura máxima h e para, momenta-
neamente, conforme ilustra a figura a seguir.

Com base no gráfico, considere as seguintes afirmativas:

1. A energia cinética do objeto é constante entre os instantes


t = 20 e t = 30 s.
2. A força resultante sobre o objeto em t = 15 s é nula.
3. O deslocamento total do objeto desde t = 0 até t = 40 s é nulo.
A partir desta altura h, é possível calcular a velocidade vo do projétil.
Considerando nula a resistência do ar, assinale a alternativa que Assinale a alternativa correta.
a) Somente a afirmativa 1 é verdadeira.
expressa, corretamente, a altura máxima h alcançada pelo pêndulo,
*b) Somente as afirmativas 1 e 2 são verdadeiras.
em função da velocidade vo do projétil.
c) Somente as afirmativas 1 e 3 são verdadeiras.

( mm+vM (
2 d) Somente as afirmativas 2 e 3 são verdadeiras.
· o
e) As afirmativas 1, 2 e 3 são verdadeiras.
(m + M) · (vo) 2
*a) d)
2·g 2·g
(UFPR-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Um trem se desloca em movimento retilíneo uniforme numa dada
m · vo 2·g· m · vo seção reta de trilhos. Sabe-se que, nesse movimento, analisado
b) e)
2 · g · (m + M ) m+M num referencial inercial, a energia cinética do trem vale K = 10 MJ e
a quantidade de movimento (ou momento linear) vale (em módulo)
p = 1 × 106 kg ∙m/s. Com base nesses dados, assinale a alternativa

( mm+vM (
2
que apresenta corretamente o valor do deslocamento realizado pelo
· o trem num intervalo de 10 minutos executando esse movimento.
c) a) 1,2 km.
2·g
b) 10 km.
*c) 12 km.
(VUNESP-StaCASA/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B d) 100 km.
Um pêndulo é constituído de uma pequena esfera de massa m presa
e) 120 km.
por meio de um fio ideal de comprimento L a um ponto fixo O. A es-
fera é abandonada do repouso do ponto A, com o fio inclinado de um
ângulo α com a vertical. Depois de passar algumas vezes pelo ponto (UNITAU/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: E
C, a esfera para instantaneamente no ponto B, com o fio inclinado de Um automóvel, cuja massa é de 2,0 toneladas, se desloca em li-
um ângulo b com a vertical. nha reta, com uma velocidade de módulo 108 km/h. Para reduzir a
velocidade do veículo para 72 km/h, em um espaço de 50 m e em
2 s, considerando uma força de módulo constante, os freios deverão
dissipar a potência de
a) 5000 W.
b) 3000 W.
c) 2500 W.
d) 500 kW.
*e) 250 kW.

(UNITAU/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Um projétil, cujas dimensões são desprezíveis, é lançado com uma
velocidade de módulo v0 de uma altura y0 , medida em relação ao
solo. A velocidade de lançamento do objeto é paralela à superfície
Considerando sen α = 0,9, cos α = 0,4, sen b = 0,6 e cos b = 0,8, horizontal, considerada como plana. Após o lançamento, o objeto
a energia mecânica dissipada, desde o início das oscilações até a se move sob a ação da força peso, e descreve uma trajetória pa-
parada instantânea no ponto B, foi igual a rabólica, até atingir o solo. Se a energia mecânica do objeto fos-
a) 0,8· m·g·L d) 0,5· m · g· L se conservada ao longo do movimento, o módulo da velocidade
*b) 0,4·m·g ·L e) 0,6· m · g· L do objeto imediatamente antes de atingir o solo seria dado por
c) 0,2· m·g ·L vf = (v02 + 2g y0)1/2, onde g é a aceleração local da gravidade.
Sabendo que 20% da energia mecânica é dissipada ao longo do
movimento, é CORRETO afirmar que o módulo da velocidade do
(UECE-2018.1) - ALTERNATIVA: B objeto, imediatamente antes de atingir o solo, seria
No que diz respeito às seguintes grandezas físicas mecânicas: tem-
po, massa, força, velocidade e trabalho, é correto afirmar que, den- a) vf = 0,8(v02 + 2g y0)1/2
tre elas, as que têm caráter vetorial são b) vf = 0,2(v02 + 2g y0)1/2
a) massa e força.
c) vf = (v02 + 0,8g y0)1/2
*b) força e velocidade.
c) tempo e massa. *d) vf = [ 0,8(v02 + 2g y0)]1/2
d) velocidade e trabalho e) vf = [1,2(v02 + 2g y0)]1/2
japizzirani@gmail.com 60
(ENEM-2017) - ALTERNATIVA: C (UNESP-2018.1) - ALTERNATIVA: A
O brinquedo pula-pula (cama elástica) é composto por uma lona cir- Uma minicama elástica é constituída por uma superfície elástica pre-
cular flexível horizontal presa por molas à sua borda. As crianças sa a um aro lateral por 32 molas idênticas, como mostra a figura.
brincam pulando sobre ela, alterando e alternando suas formas de Quando uma pessoa salta sobre esta minicama, transfere para ela
energia. Ao pular verticalmente, desprezando o atrito com o ar e os uma quantidade de energia que é absorvida pela superfície elástica
movimentos de rotação do corpo enquanto salta, uma criança rea- e pelas molas.
liza um movimento periódico vertical em torno da posição de equilí-
brio da lona (h = 0), passando pelos pontos de máxima e de mínima
alturas, hmáx e hmín , respectivamente.
Esquematicamente, o esboço do gráfico da energia cinética da
criança em função de sua posição vertical na situação descrita é:

a)

Considere que, ao saltar sobre uma dessas minicamas, uma pessoa


transfira para ela uma quantidade de energia igual a 160 J, que 45%
dessa energia seja distribuída igualmente entre as 32 molas e que
cada uma delas se distenda 3,0 mm. Nessa situação, a constante
elástica de cada mola, em N/m, vale
*a) 5,0 × 105. d) 5,0 × 103.
b) 1,6 × 101. e) 3,2 × 100.
b) c) 3,2 × 103.

(USS/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Admita uma colisão unidimensional totalmente inelástica, na qual
um corpo A, com velocidade constante de 4 m/s, colide com um cor-
po B, inicialmente parado.
A velocidade final do sistema de corpos A e B é constante e equivale
a 2 m/s.
Sabendo que A e B possuem massas iguais, a razão entre a energia
cinética inicial e final desse sistema corresponde a:
*c) a) 1
*b) 2
c) 3
d) 4

(ACAFE/SC-2018.1) - ALTERNATIVA: A
Pequenas argolas de borracha são comumente utilizadas nos trata-
mentos dentários, ou melhor, nos aparelhos ortodônticos, conforme
a figura. Elas precisam ser encaixadas nos ganchos do aparelho e,
d) geralmente, devem ser usadas em tempo integral, sendo retiradas
apenas para comer e escovar os dentes.

e)
Considerando as argolas de borracha obedecendo a lei de Hooke,
assinale a alternativa correta que apresenta o melhor esboço do grá-
fico energia potencial versus a deformação para uma delas.

*a) c)

(UNICAMP/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: C
O primeiro satélite geoestacionário brasileiro foi lançado ao espaço
em 2017 e será utilizado para comunicações estratégicas do gover-
no e na ampliação da oferta de comunicação de banda larga. O fo-
guete que levou o satélite ao espaço foi lançado do Centro Espacial
de Kourou, na Guiana Francesa. A massa do satélite é constante
desde o lançamento até a entrada em órbita e vale m = 6,0 ×103 kg.
O módulo de sua velocidade orbital é igual a vor = 3,0 × 103 m/s. Des- b) d)
prezando a velocidade inicial do satélite em razão do movimento de
rotação da Terra, o trabalho da força resultante sobre o satélite para
levá-lo até a sua órbita é igual a
a) 2 MJ.
b) 18 MJ.
*c) 27 GJ.
d) 54 GJ.
japizzirani@gmail.com 61
(UNICAMP/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: C (FGV/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: 94 C ; 95 B ; 96 A
“Gelo combustível” ou “gelo de fogo” é como são chamados os hi- O texto e a figura a seguir referem-se às questões de números 94
dratos de metano que se formam a temperaturas muito baixas, em a 96.
condições de pressão elevada. São geralmente encontrados em se- Têm sido corriqueiras as notícias relatando acidentes envolvendo
dimentos do fundo do mar ou sob a camada de solo congelada dos veículos de todos os tipos nas ruas e estradas brasileiras. A maioria
polos. A considerável reserva de gelo combustível no planeta pode dos acidentes são causados por falhas humanas, nas quais os con-
se tornar uma promissora fonte de energia alternativa ao petróleo. dutores negligenciam as normas de boa conduta. A situação seguin-
Considerando que a combustão completa de certa massa de gelo te é uma simulação de um evento desse tipo.
combustível libera uma quantidade de energia igual a E = 7,2 MJ , é
correto afirmar que essa energia é capaz de manter aceso um painel
de LEDs de potência P = 2 kW por um intervalo de tempo igual a
a) 1 minuto.
b) 144 s.
*c) 1 hora.
d) 1 dia.

O motorista de um automóvel, de massa M, perdeu o controle do


(FGV/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: C veículo ao passar pelo ponto A, deslizando, sem atrito, pela ladeira
Para efeito de análise dimensional das grandezas físicas, são consi- retilínea AB, de 200 m de extensão; o ponto A está situado 25 m aci-
deradas como fundamentais, no Sistema Internacional de unidades ma da pista seguinte BC retilínea e horizontal. Ao passar pelo ponto
(SI), a massa [M], o comprimento [L ] e o tempo [T] . B, a velocidade do carro era de 108 km/h. O trecho BC, sendo mais
Ao se estudar o comportamento dos elétrons no efeito fotoelétrico, a rugoso que o anterior, fez com que o atrito reduzisse a velocidade
expressão Ec = h.f – Uo é a que relaciona a energia cinética máxima do carro para 72 km/h, quando, então, ocorreu a colisão com outro
veículo, de massa 4M, que estava parado no ponto C, a 100 m de B.
de emissão (Ec ) com a função trabalho ( Uo ), com a frequência da
A colisão frontal foi totalmente inelástica. Considere a aceleração da
radiação incidente ( f) e a constante de Planck ( h ) .
gravidade com o valor 10 m/s2 e os veículos como pontos materiais.
Com base nas informações dadas, é correto afirmar que a constante
de Planck tem as dimensões QUESTÃO 94
a) MLT –2 A velocidade com que o automóvel passou pelo ponto A, em km/h, e
a intensidade da força resultante sobre ele, em função de M, nesse
b) MLT –1
percurso AB, foram, correta e respectivamente,
*c) ML2T –1 a) 36 e 1,00 M.
d) ML2T –2 b) 72 e 1,00 M.
e) ML2T –3 *c) 72 e 1,25 M.
d) 90 e 1,25 M.
e) 90 e 1,50 M.
(UEM/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 14 (02+04+08)
Um bloco de massa m = 3 kg está sobre um plano inclinado, a uma QUESTÃO 95
altura de 10 m da base do plano. Uma mola de constante elástica A força de atrito no trecho BC permaneceu constante, e o coeficiente
k = 2 N/m tem uma de suas extremidades presas à parte inferior de atrito entre os pneus e o pavimento no trecho BC era de
do plano, enquanto sua outra extremidade está livre e em posição a) 0,20.
de equilíbrio. O coeficiente de atrito estático entre o bloco e o plano *b) 0,25.
é m s = 0,9, e o coeficiente de atrito dinâmico é m k = 0,5. Usando c) 0,28.
g = 10 m/s2, assinale o que for correto. d) 0,36.
01) Assim como existe uma inclinação mínima do plano inclinado e) 0,40.
para que o bloco deslize para baixo, há também uma massa mínima,
QUESTÃO 96
pois a força de atrito depende da massa do bloco.
A energia mecânica dissipada na colisão, em função de M, foi
02) Se o ângulo do plano inclinado com a horizontal for q = 45º, o
*a) 160 M.
bloco desce o plano com aceleração igual a 5√ 2 m/s2.
b) 145 M.
2
c) 142,5 M.
04) Suponha que partindo do repouso, o trabalho da força de atrito
d) 137,5 M.
seja 291 J ao longo do movimento de descida do bloco. Nesse caso,
e) 125 M.
a mola é comprimida em 3 m.
08) Se o ângulo do plano inclinado com a horizontal for de q = 60º
e se, ao final do movimento de descida, a mola for comprimida em (VUNESP/CEFSA-2018.1) - ALTERNATIVA: E
10 m, então o bloco permanecerá em repouso. A figura mostra uma representação da famosa experiência de Joule,
16) Se o ângulo do plano inclinado com a horizontal for de q = 30º que comprova a conversão de energia mecânica em energia térmi-
e se a velocidade inicial do bloco for nula, então o bloco atinge a ca.
velocidade v = 25(2 – √ 3) m/s após os primeiros 10 s de movimento.

(UFU-ESTES/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Um automóvel se encontra trafegando com velocidade constante em
um trecho de rodovia que possui pista plana, horizontal e retilínea.
Para que esta condição seja mantida ao longo do tempo, o motorista
mantém o motor funcionando para vencer as resistências ao movi-
mento. Considere as afirmativas de um estudante sobre essa situ-
ação.
À medida que um peso, inicialmente em repouso, desce uma altura
I. O motor está funcionando em um regime de potência constante e h de A para B, o fio em que ele está amarrado faz girar pás imersas
exerce uma força também constante ao longo do tempo. em uma quantidade de água contida em um calorímetro. Sendo a
II. A energia cinética do automóvel é crescente e varia conforme vai massa do peso igual a 10 kg, aceleração da gravidade 10 m/s2, mas-
ocorrendo o gasto de combustível ao longo do tempo. sa da água contida no calorímetro 100 g e calor específico da água
III. A aceleração do automóvel é constante e diferente de zero ao 4 kJ/kg·K, e considerando que a transferência de energia mecânica
longo do tempo. para térmica é completa, a elevação da temperatura da água regis-
trada no termômetro T, quando o peso desce h = 10 metros, é de:
Marque a alternativa que apresente a(s) afirmativa(s) correta(s). a) 0,5 ºC.
a) II. b) 1,0 ºC.
*b) I. c) 1,5 ºC.
c) I e III. d) 2,0 ºC.
d) II e III. *e) 2,5 ºC.
japizzirani@gmail.com 62
(FUVEST/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: C (UFPR-2018.1) - RESPOSTA: a) P = 2,4 W b) FA = 600 N
O projeto para um balanço de corda única de um parque de diver- Numa prensa hidráulica, um fluido incompressível é utilizado como
sões exige que a corda do brinquedo tenha um comprimento de meio de transferência de força de um êmbolo para outro. Numa des-

2,0 m. O projetista tem que escolher a corda adequada para o balan- sas prensas, uma força F B foi aplicada ao êmbolo B durante um
ço, a partir de cinco ofertas disponíveis no mercado, cada uma delas intervalo de tempo Dt = 5 s, conforme mostra a figura abaixo.
com distintas tensões de ruptura.
A tabela apresenta essas opções.

Corda I II III IV V
Tensão de
4 200 7 500 12 400 20 000 29 000
ruptura (N)

Ele tem também que incluir no projeto uma margem de segurança;


esse fator de segurança é tipicamente 7, ou seja, o balanço deverá
suportar cargas sete vezes a tensão no ponto mais baixo da trajetó-
ria. Admitindo que uma pessoa de 60 kg, ao se balançar, parta do re- Os êmbolos A e B estavam inicialmente em repouso, têm massas
pouso, de uma altura de 1,2 m em relação à posição de equilíbrio do desprezíveis e todas as perdas por atrito podem ser desprezadas.
balanço, as cordas que poderiam ser adequadas para o projeto são As observações foram todas feitas por um referencial inercial, e as
a) I, II, III, IV e V. áreas dos êmbolos são AA = 30 cm2 e AB = 10 cm2. A força aplicada
b) II, III, IV e V, apenas. ao êmbolo B tem intensidade FB = 200 N e o fluido da prensa é
*c) III, IV e V, apenas. incompressível.

d) IV e V, apenas. a) Durante o tempo de aplicação da força F B, o êmbolo B desceu por
e) V, apenas. uma distância dB = 6 cm. Qual a potência média do agente causador

da força F B ?
Note e adote:
b) Qual a intensidade FA da força produzida sobre o êmbolo A?
Aceleração da gravidade: 10 m/s2.
Desconsidere qualquer tipo de atrito ou resistência ao movimento e
ignore a massa do balanço e as dimensões da pessoa. (UFPR-2018.1) - RESPOSTA NO FINAL DA QUESTÃO
As cordas são inextensíveis. Numa competição envolvendo carrinhos de controle remoto, a velo-
cidade de dois desses carrinhos foi medida em função do tempo por
um observador situado num referencial inercial, sendo feito um grá-
(UDESC-2018.1) - ALTERNATIVA: D fico da velocidade v em função do tempo t para ambos os carrinhos.
Considere o bloquinho sobre a rampa na Figura 3. O bloquinho parte Sabe-se que eles se moveram sobre a mesma linha reta, partiram
do repouso da altura ho e não há qualquer tipo de força de atrito no ao mesmo tempo da mesma posição inicial, são iguais e têm massa
2ho h1 . constante de valor m = 2 kg. O gráfico obtido para os carrinhos A
movimento. Sabe-se que h1 = e que h2 =
3 2 (linha cheia) e B (linha tracejada) é mostrado abaixo.

Com base nos dados apresentados, responda:


Figura 3
a) Após 40 s de movimento, qual é a distância entre os dois carri-
Com base nas informações, é correto afirmar que a velocidade do nhos ?
b) Quanto vale o trabalho total realizado sobre o carrinho A entre os
bloquinho nas alturas h1 e h2 é respectivamente:
instantes t = 0 s e t = 10 s?
c) Qual o módulo da força resultante sobre o carrinho B entre os
2g ho 16g ho 2gho g ho instantes t = 20 s e t = 40 s?
a) e *d) e 2
3 9 3 3 RESPOSTA UFPR-2018.1:
a) D = 130 m b) W = 16 J c) FR = 0,2 N

gho 2 gho gho 2 g ho (UDESC-2018.1) - ALTERNATIVA: A


b) e e) 2 e
3 3 3 3 Na Figura 7, as esferas m2 e m3 estão inicialmente em repouso,
enquanto a esfera m1 aproxima-se, pela esquerda, com velocidade
constante v1. Após sofrer uma colisão perfeitamente elástica com
gho 8g ho
c) 2 e m2 ; m1 fica em repouso e m2 segue em movimento em direção a m3 .
3 9
A colisão entre m2 e m3 é perfeitamente inelástica.

(UEPG/PR-2017.1) - RESPOSTA: SOMA = 11 (01+02+08)


Considere um corpo de peso P a uma certa altura do solo. Se tal
corpo é abandonado a partir do repouso, ele cairá, e sua velocidade
aumentará gradativamente. De acordo com essa afirmativa, assina- Figura 7
le o que for correto.
Assinale a alternativa que representa a razão entre a velocidade de
01) A medida que o corpo cai, sua energia cinética aumenta.
02) Desprezada a resistência do ar, a única força que age no corpo m3, após esta colisão, e a velocidade inicial de m1 .
é o seu peso P.
04) A força peso do corpo é uma força conservativa, ou seja, uma m1 m3 m2 + m3
*a) c) e)
força cujo cálculo de seu trabalho depende da trajetória de seu ponto m2 + m3 m1 + m2 m1 + m3
de aplicação.
08) Essa energia, relacionada com a posição inicial do corpo e que
se transformou em energia cinética durante o movimento, é denomi-
m2 m1 + m2
b) d)
nada energia potencial gravitacional. m1 + m3 m2 + m3
japizzirani@gmail.com 63
(UCS/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: B (UFPR-2018.1) - RESPOSTA: vB = 2gR
As questões envolvendo qualidade de vida podem ser controversas, Uma pista de lançamento foi montada contendo uma parte circular,
principalmente, no que tange à relação existente entre tecnologia, de raio R, conforme mostra a figura abaixo.
saúde e comodidade. Há cerca de 10 anos, era necessário sair de
casa para fazer compras, o que pressupunha alguma atividade físi-
ca. Hoje, empresas já investem em drones para a entrega de produ-
tos. A perspectiva é que, em pouco tempo, por exemplo, uma pessoa
que more no 20º andar de um prédio possa receber uma encomenda
pela janela.
Assumindo que uma caixa com pizza mais refrigerante de 2,0 L
apresentem, respectivamente, massas de 1,0 kg e 2,2 kg e, consi-
derando que a aceleração da gravidade, nesse cenário, seja igual a 0
10 m/s2, pode-se concluir que esse drone, que possui massa de A pista está apoiada sobre a superfície da Terra, considerada como
1,5 kg, sendo um referencial inercial. A aceleração gravitacional no local é
a) deve ser programado para compensar a variação da aceleração assumida como constante e tem módulo g. O ponto A está na parte
da gravidade, que diminui 2 m/s2 a cada 100 m de altitude. mais baixa do trajeto circular, junto ao chão, e o ponto B está na
parte mais alta do trajeto circular, numa altura 2R em relação ao
*b) conseguirá subir se, sobre si, gerar força resultante superior a chão. Um objeto de massa m está colocado no início da pista, num
47 N na direção vertical, de baixo para cima. ponto que fica a uma altura 3R do chão, e está inicialmente em re-
c) necessita que, sobre ele, seja aplicado um empuxo permanente pouso. Para esse problema, todos os efeitos dissipativos devem ser
igual a 3,2 N para chegar no referido andar. desconsiderados. O objeto inicia o movimento a partir do repouso,
d) provoca uma diminuição de sua energia potencial gravitacional desce a rampa, passa pelo ponto A, executa loop no sentido anti-ho-
quando se desloca do chão para o 20º andar. rário passando pelo ponto B, volta ao ponto A e sai pela extremidade
direita da pista.
e) deve gerar sobre si um trabalho de 1,5 watt para permitir que ele
Com base nesses dados, obtenha uma expressão algébrica para o
suba com energia cinética constante.
módulo da velocidade vB do objeto quando ele passa pelo ponto B
após ser liberado a partir do repouso. Na expressão, somente de-
(MACKENZIE/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: C vem aparecer dados fornecidos no problema.
Um corpo de massa 2,00 kg é abandonado de uma altura de 50,0 cm,
acima do solo. Ao chocar-se com o solo ocorre uma perda de 40%
(IFNORTE/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: D
de sua energia. Adotando a aceleração da gravidade local igual a
Um ciclista de peso P percorre, sem pedalar, o trecho ABCD ilustra-
10,0 m/s2, a energia cinética do corpo logo após o choque parcial-
do na FIGURA 02:
mente elástico com o solo é
a) 2,00 J. d) 8,00 J. FIGURA 02 FIGURA 03
b) 4,00 J. e) 10,0 J.
*c) 6,00 J.

(UEPG/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 10 (02+08)


Considere dois móveis de mesma massa que, partindo do repouso,
atingem a mesma velocidade de 100 km/h. Para que isso aconteça,
deve ser transferida energia ao móvel pelo motor. O primeiro móvel
leva 40 segundos para chegar aos 100 km/h e o segundo móvel leva http://www.if.usp.br/gref. (Adaptado).
20 segundos para chegar aos 100 km/h. De acordo com o enuncia-
do, assinale o que for correto.
01) No Sistema Internacional (SI), a potência é medida em hp (horse
-power) ou cv (cavalo-vapor), ambas unidades equivalentes entre si.
02) O segundo móvel pode desenvolver maior potência, dependen- Considere que P = 0,60 kN e que os gráficos I e II da FIGURA 03
do da distância que percorre no trajeto. apresentam o comportamento de duas das modalidades de energia
04) O trabalho da força resultante será maior sobre o segundo mó- associadas com o movimento do ciclista. Sobre tal situação física, é
vel. CORRETO afirmar que:
08) Ambos os móveis sofreram a mesma variação de energia ciné- Dado: g = 10 m/s2.
tica. a) A velocidade do ciclista, na posição D, é maior que 10 m/s.
b) O gráfico I corresponde à energia cinética do ciclista.
(VUNESP-FMJ/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: D c) O gráfico II corresponde à energia potencial do ciclista.
A figura mostra o perfil de uma pista em que há um patamar de *d) A altura h, indicada na FIGURA 02, vale 4,0 m.
altura h em relação ao nível mais baixo. Um bloco A, de massa m,
é abandonado de uma altura H > h e colide frontalmente, de forma (CEDERJ-2018.1) - ALTERNATIVA: A
perfeitamente elástica, com o bloco B, também de massa m, em A figura ilustra uma rampa contendo dois trechos horizontais para-
repouso no nível mais baixo da pista. lelos separados por uma distância vertical h = 0,15 m. Um disco de
aço é lançado sobre a superfície horizontal mais baixa com uma
velocidade horizontal de módulo v0 = 2,0 m/s.
h = 0,15 m

v0 = 2,0 m/s
Desprezando o atrito e a resistência do ar e sabendo que os corpos
não perdem contato com a pista em momento algum, é correto afir-
mar que, após a colisão, o bloco A
Considere que a aceleração da gravidade no local é aproximada-
a) retorna até a altura h e o bloco B não atinge o patamar.
mente 10 m/s2 e despreze as forças de atrito. O módulo da velocida-
b) retorna para a altura H e o bloco B não atinge o patamar.
de com que o disco atinge a superfície horizontal mais alta é
c) retorna para a altura H e o bloco B ultrapassa o patamar, atingindo
o ponto P. *a) 1,0 m/s
*d) para no local da colisão e o bloco B ultrapassa o patamar, atin- b) 1,7 m/s
gindo o ponto P. c) 2,0 m/s
e) para no local da colisão e o bloco B para sobre o patamar. d) 2,6 m/s
japizzirani@gmail.com 64
(PUC/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: B (UNCISAL-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Os grandes parques de diversões espalhados pelo mundo são des- Durante o ano de 1840, o cientista James Prescott Joule realizou vá-
tinos tradicionais de férias das famílias brasileiras. Considere um rios experimentos com o intuito de demonstrar a equivalência entre
perfil de montanha-russa mostrado na imagem, na qual o looping uma quantidade de energia mecânica e uma certa quantidade de ca-
possui um raio R. lor. Seu invento mais famoso foi um dispositivo no qual dois corpos
presos por fios podiam se movimentar verticalmente, conforme ind
icado na figura a seguir:

Nível de
referência
Desprezando qualquer forma de dissipação de energia no sistema e
supondo que a energia cinética medida para o Figura disponível em: <http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/fisica/james
-prescott-joule.htm>. Acesso em: 06 nov. 2017.
carrinho seja apenas de translação, a altura mínima em relação ao
nível de referência em que o carrinho pode partir do repouso e efe- A água no interior do recipiente estava isolada termicamente e em
tuar o looping com sucesso é contato com um conjunto de pás. Cada vez que os corpos eram
a) h1 abandonados de uma determinada altura, as pás entravam em mo-
*b) h 2 vimento e agitavam a água. Em virtude do atrito das pás com a água,
c) h 3 os corpos caíam com velocidade praticamente constante, isto é, su-
d) h 4 aenergia cinética se mantinha constante. Assim, como os contatos
dos fios com as roldanas estavam bem lubrificados, à medida que os
corpos desciam, a diminuição da energia potencial gravitacional po-
(UERJ-2018.1) - RESPOSTA: t = 6,0 J dia ser considerada integralmente transformada em energia interna
O gráfico a seguir indica a variação da força resultante F que atua da água, devido à agitação provocada nela pelas pás. Dessa manei-
em um objeto de massa m, em uma trajetória retilínea ao longo de ra, a temperatura da água sofria uma elevação, de modo semelhan-
um deslocamento de 12 m. te ao que ocorreria se ela estivesse recebendo calor. Um termôme-
tro adaptado ao aparelho permitia a Joule medir essa elevação de
temperatura. Em outras palavras, o trabalho realizado pelo peso dos
corpos era convertido em aumento da energia interna da água.
Suponha que o experimento de Joule tenha sido realizado com
dois corpos de massas m = 5,0 kg, caindo de uma altura h = 2,0 m,
em um local onde a aceleração da gravidade é g = 9,8 m/s2. Su-
ponha, ainda, que a massa de água contida no recipiente era de
mágua = 500 g e que a elevação de temperatura dessa massa de
água tenha sido de ΔT = 1,4 ºC. Assinale a alternativa que corres-
ponde ao número de vezes que os dois corpos tiveram que cair si-
multaneamente para que Joule chegasse à conclusão de que o equi-
valente mecânico do calor era de aproximadamente 4,2 J, ou seja,
Calcule o trabalho, em joules, realizado por F nesse deslocamento. que 1,0 cal equivale a cerca de 4,2 J. Considere o calor específico
da água igual a 1,0 cal/g.ºC.
a) 5 d) 20
(SENAI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: E
As figuras abaixo se referem à questão 41. b) 10 e) 25
*c) 15
Figura I Figura II

(UERJ-2018.1) - RESPOSTA: a = 3,3 m/s2


Em uma rodovia plana, um veículo apresenta velocidade de 20 m/s
no instante em que a potência da força exercida pelo seu motor é
igual a 132 kW.
Sabendo que o peso do veículo é igual a 2 x 104 N, determine a
aceleração, em m/s2, do veículo nesse instante.

(UPF/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: A
São várias as reportagens veiculadas na mídia que mostram pes-
Fonte: Disponível em: <http://migre.me/voPaC>. Acesso em: 30 out. 2016.
soas tentando construir um motor que não necessita fornecimento
contínuo de energia externa para funcionar, ao que se denomina
QUESTÃO 41 de “moto perpétuo”. Essas máquinas têm como objetivo gerar ener-
As figuras I e II ilustram sistemas nos quais, respectivamente, ocorre gia para manter o seu próprio movimento, bastando dar um impulso
conversão de energia inicial e o movimento se dará de forma perpétua. Se essa máquina
a) química em elétrica e energia potencial elástica em mecânica. funcionasse, necessariamente estaria violando a
b) química em elétrica e energia potencial gravitacional em elétrica. *a) Lei da Conservação da Energia.
c) cinética em elétrica e energia potencial gravitacional em cinética.
b) Primeira Lei de Newton.
d) potencial gravitacional em cinética e energia potencial elástica
em química. c) Lei da Conservação de Quantidade de Movimento.
*e) potencial gravitacional em cinética e energia potencial elástica d) Lei da Gravitação Universal.
em cinética. e) Equação Geral dos Gases.
japizzirani@gmail.com 65
(IF/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: D (CEFET/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Na Física, a energia está associada à capacidade de um corpo ou de A figura abaixo representa uma esfera liberada do alto de uma ram-
um sistema de realizar trabalho, ação ou movimento e manifesta-se pa sem atrito, que passa pelos pontos A, B, C, D e E na descida. O
sob diferentes formas. A humanidade busca cada vez mais a obten- diagrama abaixo da rampa relaciona os valores das energias cinéti-
ção de energia elétrica a partir de diversas fontes. ca (Ec) e potencial (Ep) para os pontos citados.
Analise cada uma das situações descritas a seguir.
I. Ao acionar a buzina ou ligar os faróis de um carro, a energia elé-
trica armazenada na bateria é convertida, respectivamente, em
som e luz, que são propagações de energia na forma de ondas.
II. A energia eólica obtida através de aerogedores provém da trans-
formação da energia cinética do vento em energia elétrica. O
vento, por sua vez, é causado por diferenças de temperatura e
de densidade do ar em diferentes regiões, provocado pelo aque-
cimento desigual da superfície da Terra pela radiação solar.
III. Nas usinas hidrelétricas, a energia cinética da água em movi-
mento de descida por um tubo faz girar uma turbina que trans-
mite seu movimento a um gerador, produzindo energia elétrica.
A água parada na represa armazena energia na forma cinética.
Está(ão) correta(s) apenas Se a mesma esfera descer uma outra rampa, com dimensões iguais,
a) I. na presença de atrito, o diagrama que melhor representa as ener-
b) II. gias para os respectivos pontos nessa nova situação é:
c) III.
*d) I e II. a)
e) I e III.

(PUC/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: A
Duas esferas metálicas idênticas, de massas iguais a 1 kg, são
disparadas simultaneamente do alto de uma plataforma de 3 m de
altura em relação ao solo. A plataforma é retirada após os lançamen-
tos. A esfera 1 é lançada verticalmente para cima com velocidade
de módulo igual a 3 m/s. A esfera 2 é disparada obliquamente com *b)
velocidade de módulo igual a 20 m/s, formando 30º com o plano
horizontal.

c)

Determine, em relação ao solo, as energias potencial gravitacional


e cinética, respectivamente, da Esfera 1, no exato momento em que
d)
a Esfera 2 atinge a altura máxima de seu movimento. Despreze o
atrito com o ar.
*a) 10 J e 24,5 J
b) 20 J e 14,5 J
c) 40 J e 34,5 J
d) 50 J e 84,5 J

(UNITINS/TO-2018.1) - ALTERNATIVA: A (UNITINS/TO-2018.1) - ALTERNATIVA: C


Uma bola de medicine ball de massa igual a 2 kg foi lançada vertical- Um objeto se movimenta em uma trajetória retilínea e sem atrito,
mente para cima por um atleta a uma velocidade de módulo igual a conforme gráfico a seguir.
30 m/s. Considerando g = 10 m/s2 e desprezando a resistência do ar,
a energia cinética em Joules 1s após seu lançamento será:
*a) 400
b) 300
c) 600
d) 200
e) 150

(UNITINS/TO-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Um skatista de massa 70 kg desliza da parte mais alta de uma pista Sendo a massa do objeto igual a 0,2 toneladas, o valor do trabalho
medindo 50 metros de altura. Sabendo que o skatista parte do re- realizado pela força no percurso de 0 a 1 200 m e a aceleração des-
pouso e sua velocidade ao chegar no fim da pista é de 20 m/s, o total se objeto quando passa pelo ponto a 800 m da origem é, respecti-
de energia mecânica dissipada devido ao atrito será igual a vamente:
(Adote g = 10 m/s2.) a) 3 200 kJ e 4 m/s2.
a) 14 000J. b) 1 600 kJ e 4 m/s22.
*b) 21 000J.
c) 35 000J. c) 1 600 kJ e 8 m/s2.
d) 12 000 J. d) 2 400 kJ e 8 m/s2.
e) 18 000 J. e) 2 400 kJ e 4 m/s2.
japizzirani@gmail.com 66
(UFGD/MS-2018.1) - QUESTÃO ANULADA (UNICEUB/DF-2018.1) - ALTERNATIVA OFICIAL: A
No dia-a-dia, muitos termos são empregados de maneira equivoca- No exercício físico conhecido como “extensão do tríceps curvado
da do ponto de vista da física. O termo “Trabalho”, quase sempre re- com haltere fixo” a atleta deve esticar os braços, até então flexiona-
lacionado a esforço físico ou a dificuldade de realizar alguma ação, é dos, elevando uma massa (popularmente, “peso”). Considere que
um dos exemplos. Nas alternativas a seguir, qual é a única situação a atleta representada na figura execute esse exercício elevando o
em que a força está realizando algum “Trabalho”? antebraço a uma altura de 30 cm (desnível entre os pontos inicial e
a) A força de atração da Terra que atua sobre a Lua para mantê-la final descritos na figura), fazendo com que uma massa equivalente
em órbita circular. a 15 kg seja levantada.
b) A força que um fisiculturista exerce sobre um haltere para man-
tê-lo suspenso acima de sua cabeça.
c) A força que um operário faz sobre um saco de cimento para carre-
gá-lo por um pátio plano.
d) A força que os cabos realizam para manter um elevador com ve-
locidade constante.
e) A força peso de uma pessoa andando em um carro a 60 km/h em
uma pista sem inclinação.
OBS.: Não tem alternativa correta. Se, na alternativa D, trocarmos a
palavra realizam por exercem ela ficará correta.

(UECE-2018.1) - ALTERNATIVA: A
Considere uma locomotiva puxando vagões sobre trilhos. Em um
primeiro trecho da viagem, é aplicada uma força de 1 kN aos va-
gões, que se deslocam a 10 m/s. No trecho seguinte, é aplicada uma
força de 2 kN e a velocidade é 5 m/s. A razão entre a potência no
trecho inicial e no segundo trecho é <https://www.prozis.com/blog/pt-pt/exercicios-bracos-extensao-do-triceps-com-haltere-fi-
*a) 1. xo-curvado/>. Acesso em: 06.10.2017.
b) 50.
Apesar da atleta não executar trabalho, podemos afirmar que as fi-
c) 1/2.
bras musculares do seu tríceps dispendem energia, em joules, equi-
d) 2. valente a
Considere: g = 10 m/s2.
(UFJF/MG-2018.1) - RESPOSTA NO FINAL DA QUESTÃO *a) 45. d) 45 000
O parkour é uma modalidade de esporte radical em que os competi- b) 450. e) 450 000.
dores têm que transpor diversos tipos de obstáculos em todo tipo de c) 4 500.
ambiente, como subir e pular de muros, por exemplo.
Considere g = 10 m/s2.
(UFJF/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: B
a) Qual deve ser o módulo do trabalho realizado pela força peso de Para subir pedalando uma ladeira íngreme, um ciclista ajusta as
um competidor de 50 kg para subir uma escada com 100 degraus, marchas de sua bicicleta de modo a exercer a menor força possível
com 18 cm de altura cada um? nos pedais. Assim ele consegue pedalar com muito menos esforço,
b) Suponha que o competidor num dado instante caia de uma altura porém ele é obrigado a dar muitas voltas no pedal para um pequeno
de 3,2 m. Calcule a velocidade vertical com que atingirá o solo. deslocamento e demora mais tempo para chegar ao topo. Com o
c) Uma orientação importante para os participantes dessa moda- procedimento de trocar de marchas, podemos afirmar que o ciclista:
lidade esportiva é para que flexionem os joelhos no momento do a) aumenta o trabalho realizado pela força gravitacional.
impacto com o chão. Isso garante o amortecimento da queda. Na *b) diminui a potência aplicada aos pedais
situação da queda mencionada no item anterior, determine o tem- c) diminui a sua energia potencial.
po de amortecimento para que a força de impacto do solo sobre o d) aumenta a sua energia cinética.
competidor não supere os 800 N, sabendo que o competidor tem 50 e) aumenta seu momento linear.
kg de massa.
RESPOSTA UFJF/MG-2018.1:
(UFJF/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: E
a) W = 9 000 J b) v = 8 m/s c) Dt = 0,5 s O gráfico abaixo representa a velocidade em função do tempo das
corridas de 100 metros rasos dos recordes de Usain Bolt na Olimpí-
(UFJF/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: D ada de Pequim (2008) e no Mundial de Atletismo em Berlim (2009).
Uma caixa de massa 2 kg está submetida a uma força resultante
constante. A velocidade da caixa varia com o tempo, de acordo com
o gráfico.

Fonte: YAMASHITA (2013). Revista da Biologia (2013) 11(1): 8-11 - DOI: 10.7594/revbio.11.01.02

Analisando o gráfico, pode-se afirmar que entre 2 e 6 segundos a


energia cinética do atleta
Podemos afirmar que o trabalho realizado pela força resultante nos
a) permaneceu constante.
10 primeiros segundos tem módulo de:
b) dobrou.
a) 1 000J *d) 4 500J
c) aumentou 20%.
b) 2 000J e) 5 500J d) aumentou 50%.
c) 3 500J *e) aumentou entre 30% e 50%.
japizzirani@gmail.com 67
(UFSC-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 57 (01+08+16+32) (IF/PE-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Em uma feira de ciências, Maria e Rute propuseram um experimen- Leia o TEXTO para responder à questão 27.
to, esquematizado abaixo, em que os participantes eram desafiados COLISÃO FRONTAL: A PIOR DAS COLISÕES
a acertarem uma bolinha de ferro dentro de um dos copinhos. Cada O encontro de dois veículos frente a frente é um dos piores tipos de
participante tinha direito de abandonar uma vez a bolinha de ferro colisões devido à soma das velocidades na hora do impacto. Quem
com massa m em uma das posições da rampa do experimento. Des- já teve a infelicidade de presenciar ou mesmo de observar depois
considere o rolamento da bolinha, a resistência do ar e o atrito entre de ocorrido, percebeu que os dois automóveis se transformaram
a rampa e a bolinha. num monte de ferro retorcido e que, dificilmente, os ocupantes de-
les saíram com vida, além de seus corpos ficarem completamente
dilacerados.
CIRLANDIO. Não morra no trânsito. Disponível em: < http://naomorranotransito.blo-
gspot.com.br/2008/11/coliso-frontal-pior-das-colises.html >. Acesso em: 6 out. 2017.
(Adaptado).

QUESTÃO 27
Suponha que haja um carro A, com massa de 300 kg partindo ini-
cialmente do repouso. Sem ter o motor ligado, o automóvel come-
ça a deslizar sob efeito de um declive estimado a uma altura de
20 metros sob efeito da aceleração da gravidade local g =10 m/s2,
como ilustrado na figura a seguir. Após descer, encontra um outro
automóvel B de massa igual a 700 kg, inicialmente em repouso.

Com base na figura e no exposto acima, é correto afirmar que:


01. a bolinha cai dentro do copinho A quando é abandonada na po-
sição vertical 40 cm.
02. para cair dentro do copinho B, a bolinha tem que ser abandona-
da na posição vertical 60 cm.
04. a velocidade da bolinha na saída da rampa, quando abandonada
na posição vertical 50 cm, terá o dobro do valor da velocidade da
bolinha na saída da rampa, quando abandonada na posição vertical Considerando que essa colisão seja inelástica, e que os dois carros
35 cm. tenham ficado engatados e conseguido se deslocar até uma altura
08. independentemente da posição de onde a bolinha é abandona- H, determine a altura máxima, expressa em metros, que os corpos
da, o tempo para alcançar a posição vertical 0,0 cm, após abandonar atingem após a colisão, admitindo que os efeitos das forças dissipa-
a rampa, será o mesmo. tivas sejam desprezados.
16. após sair da rampa, a bolinha gasta 0,2 s para alcançar a posi- a) 20 m.
ção vertical 0,0 cm. b) 9,8 m.
32. a massa da bolinha não influencia o valor de sua velocidade ao c) 12 m.
sair da rampa. *d) 1,8 m.
64. a altura da rampa permite que a bolinha possa alcançar a posi- e) 5 m.
ção do copinho B.
(UCB/DF-2018.1) - ALTERNATIVA: C
(UEPG/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 15 (01+02+04+08) Um guindaste mantém um bloco de concreto de 2 t suspenso a
Um projétil de 100 g atinge com uma velocidade de 10 m/s paralela 20,0 m do chão. O trabalho recebido pelo bloco em razão de o guin-
à horizontal um bloco de madeira de 900 g, inicialmente em repouso daste mantê-lo parado é de
sobre uma mesa plana. O projétil fica alojado no interior do bloco a) 3,92.105 J.
após a colisão. Considerando que a velocidade inicial do conjunto
b) 4,0.104 J.
bloco e projétil, imediatamente após a colisão é 1 m/s e que os co-
eficientes de atrito estático e cinético entre as superfícies do bloco *c) 0 J.
e a mesa são respectivamente 0,5 e 0,3, assinale o que for correto. d) 100 J.
Considere g = 10 m/s2. e) – 3,92.105 J.
01) O módulo da variação da energia cinética do sistema, devido à
colisão entre o projétil e o bloco, é 4,5 J. (UEPG/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 31 (01+02+04+08+16)
02) O sistema bloco projétil percorre uma distância de, aproximada- Os dados descritos na tabela abaixo representam o movimento re-
mente, 17 cm até parar. tilíneo uniformemente variado (MRUV) de dois corpos e mostram as
04) A colisão entre o projétil e o bloco foi perfeitamente inelástica. posições desses corpos em função do tempo.
08) A quantidade de movimento antes e imediatamente após a coli-
são foi conservada. Tempo (s) 0 2 4 6 8 10 12
Posição do
(UEPG/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 25 (01+08+16) 0 10 28 54 88 130 180
corpo A (m)
Uma esfera de massa igual a 100 g encontra-se em repouso sobre
uma superfície horizontal sem atrito. A esfera é ligada ao eixo de Posição do
200 202 196 182 160 130 92
uma centrífuga através de uma mola ideal de 3 cm de comprimento, corpo B (m)
massa desprezível e constante elástica igual a 100 N/m. O sistema
O corpo A possui uma massa de 100 g e o corpo B, uma massa de
é colocado em rotação a partir do repouso em movimento circular
200 g. Os corpos possuem o mesmo valor para o vetor velocidade
uniformemente variado. Após 10 s do início de seu movimento, o
inicial e o mesmo módulo para o vetor aceleração, mas sentidos
sistema passa a girar com velocidade angular constante e, neste
opostos. Desprezando efeitos de atrito, assinale o que for correto.
momento, a mola tem um comprimento de 5 cm. A partir do enuncia-
01) Para t = 1 s, os corpos A e B possuem movimento progressivo.
do, assinale o que for correto.
02) No MRUV, a equação que descreve a dependência da posição
01) A velocidade angular da esfera para t = 10 s é 20 rad/s.
em função do tempo é quadrática.
02) A energia potencial elástica para t = 10 s é 0,125 J. 04) No instante t = 1 s, a energia cinética do corpo A é 1,25 J.
04) A distensão da mola é diretamente proporcional à velocidade de 08) O módulo do trabalho da força resultante, atuando sobre o corpo
rotação da centrífuga. B, entre os tempos t = 0 s e t = 10 s é 28 J.
08) Em t = 10 s, a aceleração centrípeta da esfera é 20 m/s2. 16) O único instante de tempo em que os corpos A e B possuem o
16) A energia cinética da esfera para t = 10 s é 50 mJ. mesmo módulo para a velocidade é em t = 0 s.
japizzirani@gmail.com 68
(UEPG/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 18 (02+16) (UEPG/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 10 (02+08)
Uma esfera de alumínio de 5 kg é largada a partir do repouso de A equação horária de um objeto com massa igual a 3 kg, movendo-
uma altura de 125 m em relação ao solo. Ao atingir o solo, 10% da se ao longo da horizontal é dada por x = 150 + 2 t , onde x é dado em
energia total associada à esfera é transformada em som e o restante metros e t em segundos. Desprezando efeitos dissipativos, assinale
em energia térmica que é totalmente utilizada para aumentar a tem- o que for correto.
peratura da esfera. 01) A velocidade do objeto para t = 0 s é 150 m/s.
02) A energia cinética do objeto para t = 8 s é 6 J.
Dados: 04) O objeto realiza um movimento retilíneo uniformemente variado.
• aceleração da gravidade = 10 m/s2 08) A distância percorrida pelo objeto entre os instantes t = 4 s e
• calor específico do alumínio = 880 J/kg.K t = 8 s é 8 m.

Desprezando a resistência do ar e considerando que a esfera não


(UEM/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 15 (01+02+04+08)
gire em torno de seu próprio eixo, assinale o que for correto.
Ao se preparar um café, um recipiente usual com 200 g de água é
01) A esfera irá atingir o solo 2,5 s após ser largada.
levado ao fogo e, após certo tempo, a temperatura da água passa
02) Para a presente situação, a variação na temperatura da esfera,
de 20°C para 100°C (sem mudança de estado). Durante o processo,
devido à colisão com o solo, é aproximadamente 1,3 ºC.
uma quantidade total de calor igual a Q é transferida para a água.
04) O trabalho realizado pela força peso sobre a esfera é 5 625 J.
Desconsidere as perdas de calor para o ambiente e a capacidade
08) A energia transformada em energia sonora é 150 J.
térmica do recipiente. Use c = 4, 2J/g°C para o calor específico da
16) A velocidade da esfera ao atingir o solo é 50 m/s.
água e g = 10m/s2 para o módulo da aceleração gravitacional. Sobre
o calor envolvido nesse processo, assinale o que for correto.
(UEM/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 03 (01+02) 01) No processo de aquecimento da água, o calor Q se propaga
Uma gota de chuva cai verticalmente, a partir do repouso, de uma principalmente por condução e por convecção.
altura de 1 km em relação ao solo. Durante o movimento a gota está 02) Se Q fosse convertido em energia cinética de translação de um
sujeita a uma força de resistência do ar cujo módulo (em N) é dado corpo de 200 g de massa (que parte do repouso), a velocidade des-
por f = Av2, em que A é uma constante, e v é o módulo da velocidade se corpo seria maior que 25 103 m/s.
da gota (em m/s). Suponha que, a partir de determinada altura em 04) Para uma lâmpada de 20 W emitir uma energia equivalente a Q,
relação ao solo, a gota atinge uma velocidade constante (limite), vC. ela deve ficar acesa por 56 minutos.
Considere que a constante A é numericamente igual a (1/49) mg, 08) Para que a energia potencial gravitacional (em relação ao solo)
em que m é a massa da gota (em kg) e g = 9,8 (em m/s2). Sobre o de um corpo de 200 g seja equivalente a Q, esse corpo deve estar a
movimento da gota, as forças que atuam sobre ela e sua energia uma altura maior que 30 km em relação ao solo.
mecânica, assinale o que for correto. 16) Se, em vez de usar o fogo, usarmos um aquecedor elétrico de
01) No instante em que v = (1/2) vC , o módulo da aceleração da gota imersão de 200 W para aquecer a água, o processo durará menos
é igual a (3/4) g. de 5 minutos.
02) Considerando que a energia potencial da gota é nula na super-
fície do solo, então a razão entre sua energia mecânica inicial E i e
(ITA/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B
sua energia mecânica final (imediatamente antes de a gota tocar o
Uma haste vertical de comprimento L, sem peso, é presa a uma
solo) E f é dada por E i /E f = 400.
articulação T e dispõe em sua extremidade de uma pequena massa
04) f MAX > mg, em que f MAX é o valor máximo de f .
m que, conforme a figura, toca levemente a quina de um bloco de
08) vC = 20,5 km/h.
massa M.
16) A unidade da constante A é N (newton).

(VUNESP-FAMERP/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: A
A figura mostra o deslocamento horizontal de um bloco preso a uma
mola, a partir da posição A e até atingir a posição C.

Após uma pequena perturbação, o sistema movimenta-se para a


direita. A massa m perde o contato com M no momento em que a
haste perfaz um ângulo de π /6 rad com a horizontal. Desconside-
rando atritos, assinale a velocidade final do bloco.

mgL 2mgL
a) d)
M M
(www.mundoeducacao.bol.uol.br. Adaptado.)
O gráfico representa o módulo da força que a mola exerce sobre o
bloco em função da posição deste. mgL
*b) e) gL
M + 4m

mgL
c)
M + 4m/ 3

(ITA/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: E
Num plano horizontal liso, presas cada qual a uma corda de mas-
sa desprezível, as massas m1 e m2 giram em órbitas circulares de
mesma frequência angular uniforme, respectivamente com raios r1 e
O trabalho realizado pela força elástica aplicada pela mola sobre o r2 = r1 / 2. Em certo instante essas massas colidem-se frontal e elas-
bloco, quando este se desloca da posição A até a posição B, é ticamente e cada qual volta a perfazer um movimento circular uni-
*a) 0,60 J. forme. Sendo iguais os módulos das velocidades de m1 e m2 após o
b) – 0,60 J. choque, assinale a relação m2 / m1.
c) –0,30 J.
a) 1 c) 4/3 *e) 7/5
d) 0,80 J.
e) 0,30 J. b) 3/2 d) 5/4
japizzirani@gmail.com 69
(ITA/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B (UECE-2018.1) - ALTERNATIVA: B
A partir de um mesmo ponto a uma certa altura do solo, uma partí- Um livro de 500 g é posto para deslizar sobre uma mesa horizontal
cula é lançada sequencialmente em três condições diferentes, mas com atrito constante (coeficiente m = 0,1). O trabalho realizado sobre
sempre com a mesma velocidade inicial horizontal v0. O primeiro o livro pela força normal à mesa é, em J,
lançamento é feito no vácuo e o segundo, na atmosfera com ar em a) 50.
repouso. O terceiro é feito na atmosfera com ar em movimento cuja *b) 0.
velocidade em relação ao solo é igual em módulo, direção e sentido c) 500.
à velocidade v0. Para os três lançamentos, designando-se respec- d) 0,5.
tivamente de t1, t2 e t3 os tempos de queda da partícula e de v1, v2
e v3 os módulos de suas respectivas velocidades ao atingir o solo, (UECE-2018.1) - ALTERNATIVA: D
assinale a alternativa correta. Considere um pneu de 10 kg que gira sem deslizar sobre uma es-
a) t1 < t3 < t2; v1 > v3 > v2 trada horizontal. Despreze as deformações que o pneu possa sofrer,
*b) t1 < t2 = t3; v1 > v3 > v2 considere que o eixo de rotação se mantém sempre horizontal e que
c) t1 = t3 < t2; v1 = v3 > v2 sobre o pneu haja apenas a força de atrito com a estrada (m = 0,1)
e a força da gravidade (g = 10 m/s2) e a normal. Durante um deslo-
d) t1 < t2 < t3; v1 = v3 > v2
camento de 2 m sobre a estrada, o trabalho realizado pela força de
e) t1 < t2 = t3; v1 > v2 = v3 atrito é, em J,
a) 20.
(ITA/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: D b) 2.
Um tubo fino de massa 1 225 g e raio r = 10,0 cm encontra-se inicial- c) 200.
mente em repouso sobre um plano horizontal sem atrito. A partir do *d) 0.
ponto mais alto, um corpo de massa 71,0 g com velocidade inicial
zero desliza sem atrito pelo interior do tubo no sentido antihorário, (UECE-2018.1) - ALTERNATIVA: A
conforme a figura. Considerando-se o módulo do momento linear, p, de um carro de
massa m, a energia cinética do carro pode ser corretamente escrita
como

p2 .
*a)
2m
p
b) .
m

Então, quando na posição mais baixa, o corpo terá uma velocidade p


c) .
relativa ao tubo, em cm/s, igual a 2m
a) –11,3. *d) 206. m .
b) –206. e) 194. d)
2 p2
c) 11,3.

(UFRGS/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: C
(UEMG-2018.1) - ALTERNATIVA: B O uso de arco e flecha remonta a tempos anteriores à história escri-
Considere a figura a seguir em que uma bola de massa m, suspensa ta. Em um arco, a força da corda sobre a flecha é proporcional ao
na extremidade de um fio, é solta de uma altura h e colide elastica- deslocamento x, ilustrado na figura abaixo, a qual representa o arco
mente, em seu ponto mais baixo, com um bloco de massa 2m em nas suas formas relaxada I e distendida lI.
repouso sobre uma superfície sem nenhum atrito.

h x
{

2m

Depois da colisão, a bola subirá até uma altura igual a


a) h/7.
*b) h/9.
c) h/5.
d) h/3.

(UEMG-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Filmes de ficção, como Star Wars (Guerra nas Estrelas), mostram
voos de espaçonaves e suas manobras direcionais, além de bata-
lhas envolvendo naves e civilizações tecnologicamente avançadas.
Em relação a esses filmes, é correto afirmar que eles
( I) ( II)
a) respeitam as leis da Física, especialmente aquelas que envolvem Uma força horizontal de 200 N, aplicada na corda com uma flecha de
as conservações do momento linear e da energia mecânica. massa m = 40 g, provoca um deslocamento x = 0,5 m.
b) respeitam as questões relativas à acústica em meio vácuo, assim Supondo que toda a energia armazenada no arco seja transferida
como a velocidade e a visualização de “pacotes de onda” (“disparos” para a flecha, qual a velocidade que a flecha atingiria, em m/s, ao
laser) no vazio do espaço. abandonar a corda?
c) desrespeitam as noções de gravidade artificial no interior da nave,
a) 5 ×103. d) 5.
desconsiderando efeitos de imponderabilidade.
*d) desrespeitam as noções de dinâmicas de voo em superfícies b) 100. e) 101/2.
planetárias, adotando designs não aerodinâmicos de naves. *c) 50.
japizzirani@gmail.com 70
(UECE-2018.1) - ALTERNATIVA: B (UNICAMP/SP-2018.1) - RESPOSTA NO FINAL DA QUESTÃO
Considere um sistema massa-mola que oscila verticalmente sob a Importantes estudos sobre o atrito foram feitos por Leonardo da Vin-
ação da gravidade, g, e tem a mola de constante elástica k e disten- ci (1452-1519) e por Guillaume Amontons (1663-1705). A figura (a)
são x. Sendo a massa m, é correto afirmar que a energia potencial é uma ilustração feita por Leonardo da Vinci do estudo sobre a influ-
do sistema é função de ência da área de contato na força de atrito.
a) k e x2 apenas.
*b) m, g, x e k.
c) m e g apenas.
d) m, g e x apenas.

(UFRGS/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: C
A figura mostra três trajetórias, 1, 2 e 3, através das quais um corpo
de massa m, no campo gravitacional terrestre, é levado da posição
a) Dois blocos de massas m1 = 1,0 kg e m2 = 0,5 kg são ligados
inicial i para a posição final f, mais abaixo.
por uma corda e dispostos como mostra a figura (b). A polia e a
corda têm massas desprezíveis, e o atrito nas polias também deve
ser desconsiderado. O coeficiente de atrito cinético entre o bloco de
i massa m2 e a superfície da mesa é μ c = 0,8. Qual deve ser a distân-
cia de deslocamento do conjunto para que os blocos, que partiram
y 3 do repouso, atinjam a velocidade v = 2,0 m/s?
b) Em certos casos, a lei de Amontons da proporcionalidade entre a
2
força de atrito cinético e a força normal continua válida nas escalas
1 micrométrica e nanométrica. A figura (c) mostra um gráfico do módu-
lo da força de atrito cinético, Fat , em função do módulo da força nor-
f mal, N, entre duas monocamadas moleculares de certa substância,
depositadas em substratos de vidro.
x
Sejam W1 , W2 e W3 , respectivamente, os trabalhos realizados pela
força gravitacional nas trajetórias mostradas.
Assinale a alternativa que correlaciona corretamente os trabalhos
realizados.
a) W1 < W2 < W3
b) W1 < W2 = W3
*c) W1 = W2 = W3
d) W1 = W2 > W3
e) W1 > W2 > W3 Considerando N = 5,0 nN, qual será o módulo do trabalho da força
de atrito se uma das monocamadas se deslocar de uma distância
(UFRGS/RS-2018.1) - ALTERNTIVA: B d = 2,0 μ m sobre a outra que se mantém fixa?
Considere as três afirmações abaixo. RESPOSTA UNICAMP/SP-2018.1:
a) d = 0,5 m b) | tatrito | = 3,0×10–15 J
I - Em qualquer processo de colisão entre dois objetos, a
energia cinética total e a quantidade de movimento linear
total do sistema são quantidades conservadas. (VUNESP-HUMANITAS/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: D
II - Se um objeto tem quantidade de movimento linear, então Um corpo pequeno e esférico de massa 5 kg é solto do alto de um
terá energia mecânica. edifício de 30 m de altura, a partir do repouso, conforme a figura.

III - Entre dois objetos de massas diferentes, o de menor


massa jamais terá quantidade de movimento linear maior
do que o outro.
Quais estão corretas?
a) Apenas I.
*b) Apenas lI.
c) Apenas III.
d) Apenas I e lI.
e) I, II e III.

(UFRGS/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: E
Considere as seguintes afirmações sobre forças conservativas.

I - Uma força é conservativa, se o trabalho total que ela


realiza sobre uma partícula é nulo, quando a partícula
se desloca em qualquer trajetória fechada.
II - O trabalho realizado sobre uma partícula por uma força
conservativa, quando essa se desloca entre dois pon-
tos do espaço, não depende da trajetória seguida entre
esses dois pontos. (www.educima.com. Adaptado.)

III - Uma energia potencial somente pode ser associada a Ao atingir o solo, a velocidade do corpo é de 20 m/s. Considerando
forças conservativas. que a trajetória desse corpo foi vertical e que a aceleração da gra-
vidade no local é g = 10 m/s2, o módulo do trabalho realizado pela
Quais estão corretas? força de resistência do ar durante toda a queda foi de
a) Apenas I. a) 0 J.
b) Apenas III. b) 1 000 J.
c) Apenas I e II. c) 1 500 J.
d) Apenas II e III. *d) 500 J.
*e) I, II e III. e) 2 500 J.
japizzirani@gmail.com 71
(UECE-2018.1) - ALTERNATIVA: C (UNIMONTES/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Um pêndulo ideal, formado por uma esfera presa a um fio, oscila A força exercida pela mola de um revólver usado em brincadeiras de
em um plano vertical sob a ação da gravidade, da tensão no fio e de tiro ao alvo, quando comprimida por uma bolinha, varia em função
uma força de atrito entre o ar e a esfera. Considere que essa força de sua deformação, conforme o gráfico a seguir:
de atrito seja proporcional à velocidade da esfera. Assim, é correto
afirmar que, no ponto mais baixo da trajetória,
a) a energia cinética é máxima e a perda de energia mecânica pelo
atrito é mínima.
b) a energia cinética e a potencial são máximas.
*c) a energia cinética e a perda de energia mecânica pelo atrito são
máximas.
d) a energia cinética e a potencial são mínimas.

(UNIVESP-2018.1) - ALTERNATIVA: C
A figura mostra um ciclista em plena descida de uma rampa.

A força de atrito que as paredes do cano do revólver exerce sobre a


bolinha de massa 10 g é de 5 N. Quando a mola é liberada, a bolinha
é lançada e a velocidade ao sair do revolver, em m/s, é de
(pedal.com.br)
a) 20.
Durante esse movimento, o ciclista tentou manter constante a veloci- b) 30 .
dade de sua bicicleta sempre usando os freios, mas chegou ao final c) 4√ 2.
desse percurso a uma velocidade maior do que aquela que tinha ao
d) 10√ 6.
iniciar seu movimento no alto da rampa.
É correto afirmar que, ao final desse movimento de descida, sua
energia (UEPA-2018.1) - ALTERNATIVA: E
a) mecânica foi totalmente transformada em calor. Um automóvel de passeio de massa m sobe a rampa de acesso de
b) mecânica aumentou em relação à inicial. um shopping center de grande circulação na cidade de Belém-PA. A
*c) potencial gravitacional diminuiu em relação à inicial. rampa apresenta um trecho inicial retilíneo de comprimento L e um
d) potencial gravitacional foi transformada integralmente em cinética. trecho final curvilíneo, que pode ser aproximado por um arco de cír-
e) cinética aumentou tanto quanto diminuiu a potencial gravitacional. culo de raio R. A rampa possui um ângulo de inclinação θ em relação
à horizontal, o coeficiente de atrito cinético entre os pneus e a rampa
é m e a aceleração da gravidade no local é g. Sob esta situação, é
(ETEC/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: A
correto afirmar que:
Um aluno deseja calcular a energia envolvida no cozimento de um
a) se o automóvel subir o trecho retilíneo da rampa em movimen-
certo alimento.
to uniformemente acelerado, sua aceleração (a) será dada por
Para isso, verifica que a potência do forno que utilizará é de 1 000 W.
a = g sen(θ).
Ao colocar o alimento no forno e marcar o tempo (Δt) gasto até o seu
b) o coeficiente de atrito cinético entre os pneus do automóvel e a
cozimento, ele concluiu que 3 minutos eram o bastante.
rampa de acesso tem valor dado por m = tg(θ).
Dessa maneira, a energia (E) necessária para cozinhar o alimento
c) para que o automóvel suba o trecho retilíneo da rampa em t
é de
segundos, a força média aplicada pela rampa nos pneus será dada
*a) 180 000 J.
pela fórmula F = mL / t .
b) 55 000 J.
c) 18 000 J. d) a aceleração centrípeta (ac) do automóvel ao longo do trecho cur-
d) 5 500 J. vilíneo será calculada por meio da fórmula ac = w R, onde w é a
e) 1 800 J. velocidade angular do movimento.
*e) o trabalho realizado pela força gravitacional agindo no automó-
vel, ao longo do trecho retilíneo da subida, é dado pela expressão
(VUNESP-UEFS/BA-2018.1) - ALTERNATIVA: D W = –mgLsen(θ) .
Um carro de 1 000 kg com o motor desligado é empurrado em uma
rua plana e horizontal por um grupo de pessoas que, juntas, exer-
cem uma força constante e horizontal de 600 N sobre o veículo. A (IMT-MAUÁ/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: D
partir do repouso, o carro adquire uma velocidade de 2 m/s após Uma caixa de massa M desliza com velocidade constante sobre um
percorrer 10 m em linha reta. plano inclinado de altura h.

É correto afirmar que


a) a direção da resultante das forças é paralela ao plano inclinado.
b) a resultante das forças é igual a soma da força peso e da força
(http://estudio01.proj.ufsm.br)
normal.
A energia dissipada ao final desses 10 m foi de c) a variação da energia cinética é igual a variação da energia po-
a) 1 000 J. tencial gravitacional.
b) 2 000 J. *d) a variação da energia cinética é igual a zero, pois a aceleração
c) 3 000 J. é nula.
*d) 4 000 J. e) a variação da energia cinética é positiva, pois a velocidade é
e) 5 000 J. constante.
japizzirani@gmail.com 72
VESTIBULARES 2018.2 (PUC/PR-2018.2) - ALTERNATIVA: D
Uma pequena esfera de massa m é presa a um fio ideal, de compri-
mento L = 0,4 m, que por sua vez está preso ao teto de uma sala.
(UFU/MG-TRANSF.2018.2) - ALTERNATIVA: A A esfera é erguida até que o fio forme com a vertical um ângulo de

Uma força FA variável é aplicada num bloco de massa M b que está 60º, conforme mostra a figura, e a seguir é solta a partir do repouso.
suspensa por um fio ideal e sob ação da aceleração da gravidade.
O bloco é levado a partir do repouso por essa força até a uma altura
“H” e fica em repouso, mantendo-se em equilíbrio com um ângulo
j , em relação à vertical, conforme mostra a figura apresentada a
seguir.

Considerando g = 10 m/s2 e desprezando qualquer tipo de atrito, a


velocidade angular ω da esfera, quando esta passa pela posição
mais baixa de sua trajetória, é de
a) 1 rad/s.
b) 2 rad/s.
c) 4 rad/s.
Assinale a alternativa que corresponde ao valor do trabalho realiza- *d) 5 rad/s.
do pela força. e) 10 rad/s.
*a) M b g H.
(PUC/PR-2018.2) - ALTERNATIVA: E
b) −M b g H.
Considere dois blocos cúbicos, 1 e 2, cujas massas são respectiva-
c) FA H cos j. mente m1 e m 2 , com m 2 > m1 . Ambos são soltos simultaneamente a
d) −FA H cos j. partir do repouso no instante de tempo t o = 0 s de um plano inclinado
de inclinação θ, sendo que o bloco 2 encontra-se numa altura supe-
(PUC/GO-2018.2) - ALTERNATIVA: C rior ao bloco 1, conforme mostra a figura a seguir
O trecho do Texto 3, “E cruzaram-se mortais disparos. Um bandi-
do tombou, imediato, buraco acrescentado no alvo de sua testa”,
no conto de Mia Couto, refere-se a um disparo de arma de fogo.
Suponha que o disparo, ao invés de acertar um dos bandidos, te-
nha sido lançado verticalmente para cima. Considere que o projétil
tenha uma massa de 10,2 g e que a energia mecânica do sistema
projétil – Terra, durante a subida do projétil, sofra uma diminuição de
27,54 J, devido à força de arrasto do ar. Se a aceleração da gravida- No instante de tempo t1 , o bloco 1 chega à base do plano e passa
de for igual a 10 m/s2, a altura a mais que o projétil subiria, se a força a se mover sobre um longo plano horizontal. O bloco 2 atinge a
de arrasto do ar fosse desprezível, seria de (assinale a resposta base do plano no instante t 2 e também passa a se mover no plano
correta): horizontal, na mesma trajetória que o bloco 1. Considerando todos
a) 2,7 m. os atritos desprezíveis, e sendo t o tempo de movimento dos blocos
b) 27 m. contado a partir do instante em que foram soltos, é correto afirmar
*c) 270 m. que a distância entre os blocos
d) 2 700 m. a) é crescente para 0 < t < t1 e constante para t > t 2 .
b) é decrescente para 0 < t < t1 e decrescente para t > t 2 , até que os
(PUC/GO-2018.2) - ALTERNATIVA: A blocos colidem.
No Texto 4, a personagem, recordando-se de histórias contadas pelo c) é constante para 0 < t < t1 e crescente para t > t 2 .
avô, traz em uma de suas falas: “— O major Ursulino de Goiana d) é decrescente para 0 < t < t1 e constante para t > t 2 .
fizera a casa de purgar no alto, para ver os negros subindo a ladeira *e) é constante para 0 < t < t1 e decrescente para t > t 2 , até que os
com a caçamba de mel quente na cabeça”. Considerando que o blocos colidem.
escravo com a caçamba de mel na cabeça possui uma massa total
de 145 kg e precisa chegar à casa de purgar, a 54 m em relação ao
(VUNESP/UNINOVE-2018.2) - ALTERNATIVA: B
solo em 9 minutos, então sua potência média, devido à força peso,
Um pêndulo simples oscila entre os pontos A e B, indicados na figu-
vale (assinale a resposta correta):
ra. O ponto C é o ponto mais baixo da trajetória do pêndulo.
Dados: Módulo da aceleração da gravidade igual a 10 m/s2.
*a) 145 W.
b) 242 W.
c) 707 W.
g = 10 m/s2
d) 1 400 W.

(IF/CE-2018.2) - ALTERNATIVA: C
A figura apresenta um esquema da máquina de Atwood. Considere a
polia e o fio ideais. Sabendo que a massa M1 é de 10 kg, a massa M2
é de 5kg, a altura de M1 em relação ao solo é de 1m e que o sistema
está inicialmente em repouso, o trabalho realizado pela força peso
P = M1 g sobre a massa M1 quando o sis-
Considerando que não haja perda de energia mecânica durante a
tema é liberado para se movimentar, em
oscilação do pêndulo, que o fio seja inextensível e de massa despre-
J, é igual a (use g = 10m/s2 e desconside-
zível e que a diferença de altura h entre B e C seja 20 cm, a veloci-
re qualquer resistência do ar)
dade da massa do pêndulo ao passar pelo ponto C é
a) 10. a) 4,0 m/s.
b) 1000. *b) 2,0 m/s.
*c) 100. c) 2,5 m/s.
d) 50. d) 1,0 m/s.
e) 1. e) 8,0 m/s.
japizzirani@gmail.com 73
(UFU/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: D (MACKENZIE/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: B
Considere duas situações em que dois pêndulos (A e B) de mesmo No dia vinte e três de janeiro de 2018, a cidade de São Paulo ganhou
comprimento oscilam livremente em um cenário isento de resistên- a sua 72ª estação de metrô, a estação Higienópolis-Mackenzie que
cia do ar. A esfera A tem o mesmo volume que a B, todavia, por faz parte da Linha 4 – Amarela. A estação é totalmente acessível
serem de materiais diferentes, a densidade de A é um terço da de aos usuários com deficiência e mobilidade reduzida. Os pavimentos
B. Ambas são soltas da mesma altura e do repouso para iniciarem contam com cinco elevadores que fazem a interligação da rua com
a oscilação. o mezanino e com as plataformas, além de 26 escadas rolantes e
13 fixas. Suponha-se que uma pessoa com massa 80 kg rejeite os
elevadores e as escadas rolantes e, disposta a emagrecer dissipan-
do a sua energia, suba diariamente os 25 metros de profundidade
da estação.

Com base na situação descrita, são feitas algumas afirmações.


I. O período de oscilação de A é igual ao de B.
II. A velocidade com que B passa pelo ponto mais baixo da
trajetória é três vezes maior do que a velocidade com
que A passa pelo mesmo ponto.
III. A aceleração com que B passa pelo ponto mais baixo
da trajetória é maior do que a de A nesse mesmo ponto.
Em relação às afirmações acima, marque V para as verdadeiras e F
para as falsas e assinale a alternativa correta.
a) I – F; II – V; III – F.
b) I – V; II – F; III – V.
c) I – F, II – V; III – V.
*d) I – V; II – F; III – F.

Considerando-se a massa específica da água 1,0 g/cm3, seu ca-


(USS/RJ-2018.2) - ALTERNATIVA: A lor específico sensível 1,0 cal/g.ºC, a aceleração gravitacional
Uma caixa com massa igual a 5,0 kg é mantida em contato com uma g = 10 m/s2 e 1,0 cal equivalente aproximada a 4,0 joules, em cinco
mola na base de um plano inclinado sem atrito. O plano inclinado dias, a energia dissipada por essa pessoa aquece um litro de água
forma um ângulo de 30º com a horizontal, conforme representado de um intervalo de temperatura em ºC igual a
na imagem abaixo.
a) 50 d) 10
*b) 25 e) 5,0
c) 20

(CEDERJ-2018.2) - ALTERNATIVA: B
Duas bolas de gude, a primeira com massa menor do que a se-
gunda, são arremessadas verticalmente para cima, com a mesma
velocidade inicial, a partir de uma mesma altura, atingindo alturas
máximas h1 e h2 , respectivamente. As correspondentes energias
A caixa é pressionada contra a mola, comprimindo-a em 10 cm a cinéticas das bolas, imediatamente após os lançamentos, são de-
partir de seu estado de equilíbrio. Logo em seguida, é solta. Após notadas por E1 e E2 .
ser solta, a caixa sobe ao longo do plano inclinado.
Considere que o coeficiente elástico da mola é de 4 000 N/m e que a As relações entre E1 e E2 e entre h1 e h2 são:
aceleração local da gravidade é de 10 m/s2. a) E1 = E2 e h1 = h2
A distância, em centímetros, de subida percorrida pela caixa no pla- *b) E1 < E2 e h1 = h2
no inclinado é igual a: c) E1 = E2 e h1 > h2
*a) 80
d) E1 < E2 e h1 < h2
b) 60
c) 40
d) 20 (IFNORTE/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: C
Heron, estudante de Engenharia Civil e estagiário em uma constru-
(PUC-CAMPINAS/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: E tora, elaborou o seguinte projeto:
Um skatista de massa 60 kg desce, a partir do repouso, uma rampa
de 2,0 m de altura e chega ao seu final com velocidade de 6,0 m/s.

Nesse projeto, como se vê na figura, existe uma prancha de ma-


deira, que liga os pontos A e B, pela qual blocos de concreto serão
transportados até uma laje. Essa laje está apoiada em um muro de
(Disponível em: https://museudinamicointer disciplinar.wordpress.com) arrimo e em uma parede que se encontra a uma distância D do muro.
Desprezando a massa do skate e considerando a aceleração gravi- Um bloco de concreto é abandonado no ponto A e, após escorregar
tacional igual a 10 m/s2, os trabalhos realizados durante a descida sobre a prancha de madeira, chega ao ponto B. Heron estima que,
da rampa pela força peso do skatista e pelas forças de resistência pela ação de forças dissipativas, a energia mecânica do bloco sofre-
ao seu movimento foram, respectivamente, rá uma redução de 55%. Nessas condições, sendo g = 10 m/s2, o
a) 120 J e − 800 J. valor da velocidade do bloco, no ponto B, será:
b) 1 080 J e −120 J. a) 1,0 m/s.
c) 1880 J e −800 J. b) 2,0 m/s.
d) 1 200 J e −1 080 J. *c) 3,0 m/s.
*e) 1 200 J e −120 J. d) 4,5 m/s.
japizzirani@gmail.com 74
(USS/RJ-2018.2) - ALTERNATIVA: D (IFNORTE/MG-2018.2) - ALTERNATIVA OFICIAL: A
Um bloco com massa de 1,0 kg desliza por uma superfície plana O dispositivo da FIGURA 02, um bate-estaca, opera de acordo com
sem atrito, em um movimento retilíneo uniforme, com velocidade de o gráfico da FIGURA 03:
3 m/s.
Em um determinado instante, uma força F, na mesma direção e no FIGURA 02 FIGURA 03
mesmo sentido do movimento, realiza, por um certo intervalo de tem-
po, um trabalho de 8 J sobre o bloco, aumentando sua velocidade.
Após a ação da força, o tempo necessário para o bloco percorrer
uma distância de 100 metros, em segundos, corresponde a:
a) 05
b) 10
c) 15
*d) 20

(UNESP-2018.2) - RESPOSTA: a) Ec = 1,92 ×1010 J b) a = 8,0 m/s2 O gráfico da FIGURA 03 apresenta a relação entre a força F exer-
Falsa estrela no céu cida pelo dispositivo – durante o erguimento do peso – e o desloca-
Uma empresa da Nova Zelândia enviou ao espaço uma “estrela arti- mento vertical d por ele sofrido. Sabe-se ainda que o peso é erguido
ficial”, com o objetivo de divulgar seu primeiro lançamento de satéli- em 8,0 s. Nessas condições, o valor da potência média desenvolvida
tes. A “estrela” é uma esfera de cerca de um metro de diâmetro, feita nessa operação, em watts, é:
de fibra de carbono e composta de painéis altamente reflexivos. Em *a) 150.
órbita, a esfera se desloca com velocidade de 2,88 ×104 km/h e com- b) 300.
pleta uma volta ao redor da Terra em aproximadamente 100 minutos.
c) 450.
(Fábio de Castro. O Estado de S.Paulo, 31.01.2018. Adaptado.)
d) 600.
a) Considerando a massa da “estrela artificial” igual a 600 kg, calcule
sua energia cinética, em joules.
(VUNESP-C.U.S.Camilo/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: B
b) Considerando π = 3 e a órbita da “estrela artificial” circular, calcule Do alto de uma escada (ponto A) um bloco, de dimensão desprezível
a aceleração centrípeta da “estrela”, em m/s2. e massa igual a 1 kg, foi solto sobre um aparelho de ginástica co-
nhecido como jump (uma pequena cama elástica). Esse aparelho,
(UDESC-2018.2) - ALTERNATIVA: A apoiado na altura da linha de referência, pode ser considerado uma
Analise as proposições com relação aos conceitos de trabalho, ener- mola ideal de constante elástica igual a 7 600 N/m. Quando ele não
gia cinética, energia potencial e princípio de conservação da energia está deformado, possui altura igual a 30 cm.
mecânica.
I. O trabalho realizado por uma força conservativa é indepen-
dente da trajetória que une dois pontos quaisquer no espaço.
II. O trabalho realizado por todas as forças sobre um objeto é
igual a variação da energia cinética do mesmo.
III. A força elétrica não conserva energia mecânica.
IV. A força magnética não realiza trabalho.
V. A variação da energia potencial gravitacional é nula para
todas as trajetórias que unem dois pontos quaisquer no es-
paço.
Assinale a alternativa correta. Considere que a deformação causada pelo bloco ao cair sobre
*a) Somente as afirmativas I, II e IV são verdadeiras. o jump foi de 10 cm e que a aceleração da gravidade local seja
b) Somente as afirmativas III, IV e V são verdadeiras. 10 m/s2. Nessas condições, a altura H, em relação à linha de refe-
c) Somente as afirmativas II, IV e V são verdadeiras. rência, é de
d) Somente as afirmativas I, III e IV são verdadeiras. a) 5,2 m.
e) Somente as afirmativas I, II e V são verdadeiras.
*b) 4,0 m.
c) 1,8 m.
(VUNESP-CEFSA/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: E d) 2,5 m.
Um bloco de 10 toneladas desliza sem atrito sobre uma rampa de
100 m de comprimento e inclinada de 30º com a horizontal, partindo e) 6,0 m.
do repouso de seu ponto mais alto, até atingir o fundo de um tanque
contendo 1 000 litros de água, como mostra a figura. (PUC/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: D
Determine o tempo aproximado que a lâmpada superled bolinha
pode permanecer acesa, ininterruptamente, com a utilização da
energia contida em 3 fatias de pão. Para os cálculos, utilize as infor-
mações contidas nas imagens ilustrativas. Despreze qualquer tipo
de perda. Considere 1 cal = 4,0 J.

Considerando a aceleração da gravidade 10 m/s2, a densidade da


água 1,0 kg/litro, seu calor específico 4 200 J/(kg ·ºC) e que toda Item Quantidade por porção
energia mecânica do bloco contada desde o início do deslizamento
seja convertida em calor sensível absorvido pela água do tanque, a Informação Nutricional
Porção de 50g (1,5 fatias)
elevação da temperatura registrada na água será de, aproximada-
mente, a) 127 s Valor
127 kcal
a) 0,4 ºC. d) 1,0 ºC. b) 254 s Energético
b) 0,6 ºC. *e) 1,2 ºC. c) 35 min Fontes: Yamamura e <http://blogdamimis.com.
c) 0,8 ºC. *d) 71 h br/2013/05/10/como-escolher-o-pao-integral/>

japizzirani@gmail.com 75
(UNICEUB/DF-2018.2) - ALTERNATIVA: A (USP/TRANSF-2018.2) - ALTERNATIVA: 78 D e 79 C
Um abacate de 2 kg desprende-se de sua árvore e inicia uma queda ENUNCIADO PARA AS QUESTÕES 78 E 79
de 20 m de altura, de onde caiu até o solo. Momentos antes de tocar Um bloco de 0,2 kg está em repouso sobre um trilho liso e unidimen-
o solo, o abacate atravessa o telhado de um galinheiro, quebrando sional. Uma mola de constante elástica 60 N/m está fixada ao bloco,
uma telha e atingindo finalmente o solo com velocidade de 15 m/s. conforme ilustração. Um segundo bloco de massa 0,1 kg e veloci-
Desconsiderando-se a ação resistente ao movimento causada pelo dade 0,3 m/s, sobre omesmo trilho, atinge a mola presa ao primeiro
ar e, admitindo que a aceleração da gravidade vale 10 m/s2, o valor bloco, numa colisão perfeitamente elástica.
absoluto do trabalho realizado pela telha em sua interação com o
abacate, corresponde, em joules, a
*a) 175.
b) 225.
c) 375. QUESTÃO 78
d) 400. Nessa colisão, após a mola se distender completamente, o bloco de
e) 600. massa 0,1 kg tem velocidade v1 e o de massa 0,2 kg tem velocidade
v2. Os valores, em cm/s, de v1 e v2 são
(USP/TRANSF-2018.2) - ALTERNATIVA: C a) v1 = 10, v2 = 20
Um pêndulo simples é feito de uma barra inextensível, muito leve, b) v1 = 10, v2 = –20
e de uma massa m presa a sua extremidade. A barra suporta no
máximo 3 000 N de tração. c) v1 = 10, v2 = 0
*d) v1 = –10, v2 = 20
e) v1 = 0, v2 = 10

QUESTÃO 79
Durante a colisão, a máxima compressão da mola, em centímetros,
vale
a) 0,01
b) 0,1 Para resolver este item pode ser útil calcular a
*c) 1 velocidade do centro de massa do sistema.
Se o pêndulo for liberado com sua haste na horizontal, o valor má-
d) 0,2
ximo em quilogramas de m para que ele oscile sem que a barra se
e) 2
rompa é
Considere g = 10 m/s2.
a) 200 (UNIRG/TO-2018.2) - ALTERNATIVA: B
b) 300 Um conhecido ponto turístico no estado do Tocantins é a cachoei-
ra da Roncadeira, a 35 quilometros da capital, Palmas. A cachoeira
*c) 100
possui uma queda de 70 metros de seu topo até a superfície de um
d) 400
lago de água fria e revigorante, com 4 metros de profundidade.
e) 500 Desprezando-se a resistência do ar e considerando-se que no topo
da cachoeira a velocidade da água seja nula, a alternativa que dá,
(VUNESP-UEFS/BA-2018.2) - ALTERNATIVA: E aproximadamente, a velocidade com que certa massa de água bata
Uma bola de borracha é lançada obliquamente da posição A com na superfície do lago será de (Admita g = 10 m/s2):
velocidade inicial v0 inclinada de um ângulo α em relação à horizon- a) 25,6 m/s;
tal. A bola colide contra o solo no ponto B de forma perfeitamente *b) 37,4 m/s;
elástica e volta a subir. c) 42,3 m/s;
d) 50,2 m/s.

(ACAFE/SC-2018.2) - ALTERNATIVA: D
Muitas pessoas utilizam o elevador diariamente e, por esse motivo,
ele possui alguns dispositivos de segurança contra queda. Todavia,
mesmo que esses dispositivos falhem, existe um último recurso. No
fundo do poço do elevador há um sistema de para-choques, com
molas ou cilindros hidráulicos que impedem a cabina de colidir com
o solo. Este amortecimento é brusco e só entrará em ação em casos
de emergência ou se o excesso de peso na cabina provocar uma
falha no motor.
Disponível em: http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2015/08/video-mostra-
Desprezando a resistência do ar e o atrito, no ponto C, posição de queda-de-elevador-do-7-andar-em-edificio-de-sao-paulo.html. [Adaptado].
máxima altura da bola após a colisão com o solo, a altura da bola Acesso em: 18 de abril de 2018
(hC) e sua velocidade escalar (vC) satisfazem a relação Considere a queda de um elevador por causa de problemas nos
a) hC > hA e vC = v0 ∙sen α dispositivos de segurança, e que o sistema de molas entre em ação.
b) hC = hA e vC = v0 ∙cos α A alternativa que apresenta o esboço do gráfico da energia armaze-
nada pela mola em função da sua deformação, e do gráfico da força
c) hC = hA e vC = v0
elástica aplicada pela mola em função da sua deformação, respec-
d) hC = hA e vC = v0 ∙sen α tivamente, é:
*e) hC > hA e vC = v0 ∙cos α a) c)

(FEI/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: B
Um carrinho em uma montanha russa atinge o ponto mais alto da
montanha, situado a 10 m acima do ponto mais baixo, com veloci-
dade v = 5 m/s. Desprezando-se os atritos, qual é a velocidade do
carrinho no ponto mais baixo? Dado: g = 10 m/s2.
b) *d)
a) 10 m/s
*b) 15 m/s
c) 20 m/s
d) 25 m/s
e) 30 m/s
japizzirani@gmail.com 76
(INATEL/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: C (IFSUL/RS-2018.2) - ALTERNATIVA: C
Um sistema de elevação de massa tem capacidade de trabalho, tro- Nas situações descritas abaixo, qual força não realiza trabalho?
cada ou consumida, de 10 kWh, o que correspondente no Sistema a) A força do motor quando um carro se movimenta com velocidade
Internacional (SI) a: constante.
a) 36 ×109 J b) A força peso quando um corpo é erguido verticalmente.
b) 36 ×105 J *c) A força peso de um corpo que se movimenta horizontalmente.
d) A força de atrito quando um corpo se movimenta com velocidade
*c) 3,6 ×107 J
constante.
d) 3,6 ×108 J
e) 3,6 ×106 J
(UECE-2018.2) - ALTERNATIVA: D
Considere a energia potencial gravitacional de uma massa puntifor-
(INATEL/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: D me próxima à superfície da Terra. Suponha que a unidade de medida
Um engenheiro da construção civil desenvolveu um lançador vertical de comprimento no Sistema Internacional de Unidades fosse muda-
de tijolos de 1,5 kg utilizando uma mola de constante elástica des- da para o centímetro. O valor numérico da energia potencial gravi-
conhecida. A altura máxima a ser alcançada teria que ser de 5,0 m, tacional, no sistema que usa centímetros, seria igual à do sistema
então fez um teste e descobriu que a mola foi comprimida em 50 cm. original multiplicada por um fator de
Para cumprir o objetivo, considerando g = 10 m/s2, teve que utilizar a) 10.
uma mola de constante elástica b) 100.
igual a:
c) 1 000.
a) 75 N/m
*d) 10 000.
b) 30 N/m
c) 374 N/m
*d) 600 N/m (UEPG/PR-2018.2) - RESPOSTA: SOMA = 07 (01+02+04)
e) 837 N/m Um canhão antigo feito de ferro possui uma massa de 200 kg e
encontra-se no alto de uma torre de maneira que o cano do canhão
está a uma altura de 20 m em relação ao solo. No seu interior, existe
(VUNESP-UNIVAG/MT-2018.2) - ALTERNATIVA: C
pólvora e uma esfera de ferro com uma massa de 10 kg. Após o dis-
O gráfico representa a força F aplicada a um corpo de massa 30 kg,
paro, a esfera de ferro é expelida a uma velocidade de 72 km/h, cuja
enquanto este realiza um deslocamento d.
direção é paralela à horizontal. Conside-rando que 60% da energia
da pólvora são transformadas em calor e som devido à explosão e o
restante em energia cinética, desprezando forças de atrito, assinale
o que for correto.
01) A energia cinética da esfera, imediatamente após o disparo, é
2 000 J.
02) O módulo da velocidade de recuo do canhão é 1 m/s.
04) A energia transformada em calor e som é 3 150 J.
08) O módulo da velocidade com que a esfera atingirá o solo é
20 m/s.
Sabendo que o corpo estava inicialmente em repouso, a velocidade
desse corpo, após um deslocamento de 6 m, é (UEPG/PR-2018.2) - RESPOSTA: SOMA = 17 (01+16)
a) 7,1 m/s. Um objeto de massa igual a 100 g encontra-se inicialmente em re-
b) 6,3 m/s. pouso sobre uma superfície horizontal sem atrito. Entre os tempos
*c) 10,0 m/s. t = 0,1 s e t = 0,5 s uma força horizontal, de módulo igual a 3 N, é
d) 7,7 m/s. aplicada no sentido positivo do eixo x, sobre o objeto. A partir do
e) 100,0 m/s. enunciado, assinale o que for correto.
01) Para t = 5 s, a velocidade do objeto é 12 m/s.
02) Após a retirada da força externa, o objeto irá percorrer uma dis-
(UCB/DF-2018.2) - ALTERNATIVA: C
tância de 2,4 m até parar.
Um sofá de 150 kg é levado do térreo pela escada até um aparta-
04) A situação descrita é um exemplo de sistema não conservativo.
mento no 10o andar, a aproximadamente 30 m de altura. Uma mesa
08) Durante a aplicação da força, o impulso produzido por ela é
desmontada, de mesma massa do sofá, é levada, pelo elevador,
1,5 N s.
também do térreo para o mesmo apartamento. Com base no expos-
16) O trabalho realizado pela força sobre o objeto é 7,2 J.
to, assinale a altenativa correta.
a) O trabalho da força gravitacional sobre o sofá foi menor que o
sobre a mesa. (UEM/PR-2018.2) - RESPOSTA: SOMA = 26 (02+08+16)
b) Como a mesa foi içada pelo elevador, o trabalho da força gravita- Um projétil de massa m e velocidade v atinge um bloco de madeira
cional sobre a mesa é nulo. de massa 49m e fica encravado no seu interior. O bloco está inicial-
*c) O trabalho da força gravitacional sobre o sofá foi igual ao sobre mente em repouso sobre uma mesa horizontal lisa de altura h > 0 em
a mesa. relação ao solo. No instante da colisão, a trajetória do projétil é pa-
d) Como a velocidade final é zero, o trabalho da força gravitacional ralela à superfície da mesa. Após a colisão, o sistema formado pelo
sobre o sofá é nulo. bloco e pelo projétil cai e toca o solo. Durante a queda, o sistema
e) O trabalho da força gravitacional sobre o sofá foi maior que o percorre uma distância horizontal igual a d. Despreze as forças de
sobre a mesa. atrito e as dimensões do bloco e do projétil. Considere que o módulo
da aceleração gravitacional no local do experimento é igual a g.
Sobre o sistema descrito acima, assinale o que for correto.
(UECE-2018.2) - ALTERNATIVA: C
Ultimamente o futebol tem sido foco de noticiários em função da 01) O módulo do momento linear do projétil imediatamente antes da
copa do mundo. Durante uma partida, suponha que a bola cai ver- colisão com o bloco é igual ao módulo do momento linear do sistema
ticalmente sem girar e se choca com o solo. De modo simplificado, imediatamente antes de tocar o solo.
pode-se descrever esse choque como uma colisão entre dois cor- 02) A energia perdida pelo projétil durante a colisão com o bloco
pos, sendo um a bola e o outro o planeta Terra. Caso se conside- inclui aquelas relacionadas com a deformação do bloco e com o
re este evento como uma colisão elástica, é correto afirmar que há aumento da temperatura na região atingida.
conservação 04) A velocidade do sistema imediatamente após a colisão é igual
a) da energia potencial da bola. a v/ 49.
b) da energia potencial da Terra. 08) A razão entre a energia cinética inicial do projétil e a energia
*c) do momento linear total do sistema composto pela bola e o pla- cinética do sistema imediatamente após a colisão é igual a 50.
neta. 16) A velocidade do projétil antes da colisão com o bloco é igual a
d) do momento linear da bola. 50d g /(2h).
japizzirani@gmail.com 77
(UEPG/PR-2018.2) - RESPOSTA: SOMA = 31 (01+02+04+08+16) (UFJF/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: E
Um pêndulo é constituído por uma esfera de massa igual a 100 g, Uma embalagem de achocolatado em pó, com 400 g do alimento,
presa a um fio ideal, de massa desprezível, com um comprimento tem a seguinte informação nutricional: cada 20 g contém 75 kcal
de 1 m. A esfera é inicialmente afastada de um pequeno ângulo até (315 kJ). Agora imagine que toda a energia de uma embalagem des-
uma altura h, em relação ao ponto de equilíbrio. Considerando que se achocolatado foi utilizada para elevar um objeto de massa igual a
devido ao atrito com o ar, a cada oscilação o valor da altura máxima 20 kg. Nesse caso qual seria a altura máxima atingida por tal objeto?
atingida pela esfera é 81% da altura máxima da oscilação anterior, Considere g = 10 m/s2. Despreze a resistência do ar.
assinale o que for correto. a) 7,5 m b) 375 m c) 3,15 km d) 7,5 km *e) 31,5 km
01) A força de atrito com o ar depende do tamanho da esfera.
02) A cada oscilação, a amplitude do movimento de oscilação da
esfera diminui. (UNIFOR/CE-2018.2) - QUESTÃO ANULADA
04) Enquanto a esfera estiver oscilando, o período de oscilação da O edifício Burj Khalifa, localizado em Dubai, é atualmente a constru-
esfera permanece inalterado. ção mais alta feita pelo homem. Sua altura é de aproximadamente
08) A cada oscilação, a velocidade máxima atingida pela esfera vale 800 m.
90% da anterior.
16) Considerando que a força de atrito com o ar é diretamente pro-
porcional à velocidade da esfera, essa força terá seu valor máximo
no ponto mais baixo da trajetória.

(UEM/PR-2018.2) - RESPOSTA: SOMA = 15 (01+02+04+08)


Um automóvel de 1 000 kg parte do repouso em uma estrada plana
e retilínea e, após 10 s de movimento, atinge a velocidade de 90
km/h. Considere esse intervalo de tempo, despreze quaisquer forças
dissipativas, suponha que o motor do automóvel exerça sobre ele
uma força horizontal constante e utilize o Sistema Internacional de
Unidades (SI). Assinale o que for correto.
01) A equação horária do espaço em função do tempo para esse
movimento pode ser representada por s(t) = 1,25 t 2.
02) A equação horária da velocidade em função do tempo para esse
movimento pode ser representada por v(t) = 2,5 t.
04) A força horizontal e constante exercida pelo motor foi de 2 500 N.
08) O trabalho realizado pela força do motor foi maior do que 300 kJ.
16) A potência média do motor durante a aceleração do automóvel
foi menor do que 30 kW.

(UPF/RS-2018.2) - ALTERNATIVA: A
Uma caixa de massa m é abandonada em repouso no topo de um
plano inclinado (ponto C).

Nessas condições e desprezando-se o atrito, é possível afirmar que


a velocidade com que a caixa atinge o final do plano (ponto D), em
m/s, é:
(Considere g = 10 m/s2.)
*a) 6. d) 18.
b) 36. e) 4.
c) 80.
Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Burj_Khalifa

(IFF/RJ-2018.2) - ALTERNATIVA: E
A figura abaixo descreve três corpos idênticos sendo abandonados
a partir do topo de três planos inclinados (A, B, C) de mesma altura
e com graus de inclinação diferentes.

Desprezando-se a atuação de forças dissipativas (força de atrito e


resistência do ar) e considerando apenas o movimento de transla-
ção, a relação entre as velocidades de chegada na base do plano
inclinado das situações A, B e C, respectivamente será
a) VA > VB > VC Se um objeto é abandonado do topo do edifício (Vo = 0), isto é, a 800
b) VA < VB < VC m de altura, qual a velocidade do objeto ao atingir o solo?
c) VA < VB > VC (Dados: considere g = 10 m/s2)
a) v = 10 √5 m/s b) 3 m/s c) 10 m/s
d) VA < VB = VC
d) 10 m/s e) 5 m/s
*e) VA = VB = VC OBS.: Desprezando a resistência do ar a resposta é 40 10 m/s.
japizzirani@gmail.com 78
MECÂNICA (VUNESP-StaCASA/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: A
A figura representa a trajetória elíptica de determinado planeta em
GRAVITAÇÃO torno do Sol.

VESTIBULARES 2018.1

(VUNESP-UEA/AM-2018.1) - ALTERNATIVA: D
A figura mostra, lado a lado, os planetas Terra e Marte.

Considerando as proporções entre as áreas indicadas na figura, que


a linha imaginária que liga esse planeta ao Sol varre a área A1 em
um intervalo de tempo t 1 e a área A2 em um intervalo de tempo t 2 e
sendo válida a Lei das Áreas, de Kepler, é correto afirmar que

*a) A2 · t 2 > A1 · t 1
(www.techcentral.co.za. Adaptado.)
A2 A1
b) >
Considere que a Terra tenha o dobro do diâmetro de Marte, que a t2 t1
massa da Terra seja dez vezes a massa de Marte, que a aceleração
da gravidade na superfície da Terra seja 10 m/s2 e que os dois pla- (A 2)2 (A 1)2
c) 3
=
netas sejam esféricos. De acordo com os dados, a aceleração da (t 2) (t 1)3
gravidade na superfície de Marte é
a) 5 m/s2. d) A2 · t 2 = A1 · t 1
b) 2 m/s2. A2 A1
c) 3 m/s2. e) <
t2 t1
*d) 4 m/s2.
e) 6 m/s2. (UNICAMP/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Recentemente, a agência espacial americana anunciou a descober-
(UFLA/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: A ta de um planeta a trinta e nove anos-luz da Terra, orbitando uma
A trajetória orbital elíptica de um satélite é mostrada no desenho e os estrela anã vermelha que faz parte da constelação de Cetus. O novo
pontos P e Q são as distâncias extremas que o satélite pode chegar planeta possui dimensões e massa pouco maiores do que as da
em relação à Terra. Terra e se tornou um dos principais candidatos a abrigar vida fora
do sistema solar. Considere este novo planeta esférico com um raio
igual a R P = 2R T e massa M P = M T , em que R T e M T são o raio e a
massa da Terra, respectivamente. Para planetas esféricos de massa
M e raio R , a aceleração da gravidade na superfície do planeta é
GM
dada por g = , em que G é uma constante universal. Assim,
R2
considerando a Terra esférica e usando a aceleração da gravidade
na sua superfície igual a 10 m/s2, o valor da aceleração da gravidade
na superfície do novo planeta será de
As alternativas abaixo apresentam afirmações a respeito. a) 5 m/s2.
Assinale a alternativa CORRETA:
*b) 20 m/s2.
*a) A energia potencial gravitacional do satélite é máxima no ponto P.
b) A energia potencial gravitacional do satélite é máxima no ponto Q. c) 40 m/s2.
c) A energia potencial gravitacional do satélite é mínima no ponto P. d) 80 m/s2.
d) A energia potencial gravitacional do satélite é a mesma no ponto
P e no ponto Q.
(IFNORTE/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Analise a tirinha da FIGURA 01:
(UDESC-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Analise as proposições com relação às Leis de Kepler sobre o mo- FIGURA 01
vimento planetário.

I. A velocidade de um planeta é maior no periélio.


II. Os planetas movem-se em órbitas circulares, estando o Sol no
centro da órbita.
III. O período orbital de um planeta aumenta com o raio médio de
sua órbita.
IV. Os planetas movem-se em órbitas elípticas, estando o Sol em
<http://www.if.usp.br/gref>. Acesso em: 18 set. 2017.
um dos focos.
V. A velocidade de um planeta é maior no afélio. Suponha que P é o peso do Garfield - na Terra - e que ele tenha via-
jado para a superfície de um planeta Z cuja massa é igual à da Terra
Assinale a alternativa correta. e cujo raio vale o dobro. Nessas condições, é CORRETO afirmar
a) Somente as afirmativas I, II e III são verdadeiras. que o peso do Garfield, no planeta Z, vale:
b) Somente as afirmativas II, III e V são verdadeiras. a) 0,15 P
*c) Somente as afirmativas I, III e IV são verdadeiras. *b) 0,25 P
d) Somente as afirmativas III, IV e V são verdadeiras. c) 0,50 P
e) Somente as afirmativas I, III e V são verdadeiras. d) 0,75 P
japizzirani@gmail.com 79
(VUNESP-UEA/AM-2018.1) - ALTERNATIVA: C (VUNESP-FAMEMA/SP-2018.1) - ALTERNATIVA OFICIAL: B
Considere dois corpos esféricos e pequenos de massas m1 e m2 , A figura representa um satélite geoestacionário em movimento cir-
separados entre si por uma distância d. A força gravitacional entre cular e uniforme a uma distância (d) da superfície da Terra. A traje-
esses corpos se mantém inalterada quando a massa de m1 é tória desse satélite está contida no plano equatorial terrestre e seu
a) mantida, a massa de m2 é duplicada e os corpos são afastados o período de translação é igual ao de rotação da Terra, cerca de 24h.
dobro da distância original.
b) mantida, a massa de m2 é quadruplicada e os corpos são afasta-
dos o quádruplo da distância original.
*c) duplicada, a massa de m2 é duplicada e os corpos são afastados
o dobro da distância original.
d) duplicada, a massa de m2 é duplicada e os corpos são aproxima-
dos para a metade da distância original.
e) duplicada, a massa de m2 é quadruplicada e os corpos são apro-
ximados para a metade da distância original.

(UFLA/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Segundo as leis de Kepler, os planetas que orbitam em torno do Sol
descrevem elipses, com o Sol de massa M, ocupando um dos focos;
a linha imaginária que liga os planetas ao Sol varrem áreas iguais Considerando que o raio equatorial da Terra mede R e adotando
em tempos iguais; e os quadrados dos períodos, T, de translação π = 3, a velocidade orbital desse satélite é de
dos planetas são proporcionais aos cubos dos semieixos maiores,
4π2 3 3(R + d)
d, de suas órbitas, matematicamente, expressa como T 2 = d . a)
GM 4
Se o Sol tivesse massa nove vezes maior, o período de rotação de
(R + d)
Júpiter seria: *b)
a) Nove vezes menor. 4
b) Nove vezes maior. 2(R + d)
*c) Três vezes menor. c)
3
d) Três vezes maior.
(R + d)
d)
(UENP/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: E 12
O valor de g na superfície da Terra é, aproximadamente, 9,8 m/s2. (R + d)
Assinale a alternativa que apresenta, corretamente, o valor aproxi- e)
8
mado de g, em m/s2, a uma distância do centro da Terra igual a cinco OBS.: A unidade de tempo na velocidade é hora.
raios terrestres, distância um pouco menor que o raio da órbita de
um satélite estacionário.
(UFGD/MS-2018.1) - ALTERNATIVA: E
9,8 9,8 Se um satélite lançado pela NASA orbita a terra a uma altura de
a) d) 10 080 km sobre a linha do equador, qual deve ser a sua velocidade
4 16
média sabendo que a massa e o raio da terra são aproximadamente
9,8 9,8 6 ×1024 kg e 6 000 km, respectivamente?
b) *e)
5 25 Considere G = 6,7×10–11 N m2/kg2.
a) 4 200 m/s. d) 2 500 m/s.
9,8
c) b) 500 m/s. *e) 5 000 m/s.
9
c) 8 000 m/s.

(FMABC/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: C
No dia 16 de outubro deste ano, um grupo de astrônomos anunciou (UEM/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 05 (01+04)
a observação da colisão de duas estrelas de nêutrons. Uma estrela Em um livro do escritor estadunidense de ficção científica Robert
de nêutrons é um objeto celeste extremamente denso e com diâme- Anson Heinlein (1907-1988), lê-se: “A escolha do pessoal para a pri-
tro de aproximadamente 10 km. meira expedição humana a Marte foi feita tendo como base a teoria
Supondo que o Sol, súbita e instantaneamente, se transformasse de que o maior perigo para o homem era o próprio homem. Naquele
em uma estrela de nêutrons (isso não pode acontecer, é apenas tempo – oito anos terrestres depois da fundação da primeira colônia
uma suposição), reduzindo seu diâmetro por um fator de 105, mas humana em Luna – uma viagem interplanetária de seres humanos
mantendo a sua massa e a mesma distância até a Terra, a intensida- devia ser feita em órbitas de queda livre, levando, da Terra a Mar-
de da força gravitacional que o Sol, agora uma estrela de nêutrons, te, cento e cinquenta e oito dias terrestres e vice-versa, além de
exerceria sobre a Terra, em relação à intensidade da força gravita- uma espera em Marte de cento e cinquenta e cinco dias, até que os
cional atual, ficaria multiplicada por planetas voltassem lentamente às posições anteriores, permitindo a
existência de uma órbita de retorno.”
a) 10–10 d) 105 (HEINLEIN, R. A. Um estranho numa terra estranha. Rio de Janeiro:
–5
b) 10 e) 1010 Artenova, 1973, p. 3).
*c) 1 Considere a razão entre as massas da Terra e de Marte igual a 9
e a razão entre os raios da Terra e de Marte igual a 2; considere,
ainda, que não há forças de atrito e que a velocidade de escape de
/
(UERJ-2018.1) - RESPOSTA: VX VY = 2 / 3
um corpo é a velocidade mínima com que se deve lançá-lo a partir
Considere a existência de um planeta homogêneo, situado em uma
da superfície de um astro para que ele consiga vencer a atração
galáxia distante, e as informações sobre seus dois satélites apre-
gravitacional desse astro. Assinale o que for correto.
sentadas na tabela.
01) A velocidade de escape de um corpo é diretamente proporcional
Raio da órbita Velocidade à raiz quadrada da razão entre a massa e o raio do planeta.
Satélite 02) A velocidade de escape de uma espaçonave a partir da super-
circular orbital
fície da Terra é menor do que a velocidade de escape com que se
X 9R VX deve lançar a mesma espaçonave a partir da superfície de Marte.
04) A velocidade de escape de uma espaçonave não depende de
Y 4R VY sua massa.
08) Para que uma espaçonave orbite o planeta Marte, a velocidade
Sabe-se que o movimento de X e Y ocorre exclusivamente sob ação dela deve ser proporcional ao raio da órbita.
da força gravitacional do planeta. 16) Uma espaçonave com os motores desligados e aproximando-se
/
Determine a razão VX VY . de Marte está sujeita a uma força que depende de sua velocidade.
japizzirani@gmail.com 80
(VUNESP-FMJ/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: D (ITA/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: E
Os satélites geoestacionários orbitam a Terra em movimento circular Considere uma estrela de neutrons com densidade média de
e uniforme a uma distância próxima de 42 400 km de seu centro, 5 ×1014 g/cm3, sendo que sua frequência de vibração radial n é fun-
trocando informações com antenas fixas na Terra. Para que isso seja ção do seu raio R, de sua massa m e da constante da gravitação
possível, esses satélites giram com a mesma velocidade angular universal G. Sabe-se que né dada por uma expressão monomial,
com que a Terra gira em torno de seu eixo imaginário. em que a constante adimensional de proporcionalidade vale aproxi-
madamente 1. Então o valor de n é da ordem de
Dado: Constante da gravitação universal G = 7 ×10–11 m3/kg.s2.
a) 10–2 Hz.
b) 10–1 Hz.
c) 100 Hz.
d) 102 Hz.
*e) 104 Hz.

(ITA/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Quatro corpos pontuais, cada qual de massa m, atraem-se mutua-
mente devido à interação gravitacional. Tais corpos encontram-se
nos vértices de um quadrado de lado L girando em torno do seu
centro com velocidade angular constante. Sendo G a constante de
gravitação universal, o período dessa rotação é dado por

a) 2p
Gm 2(
L3 4 ‒ √2
( *d) 2p
Gm (
L3 4 ‒ √
7
2
(
(www.emaze.com. Adaptado.)

Considerando um satélite geoestacionário nas condições descritas,


é correto afirmar que
a) sua velocidade escalar é igual à das antenas fixas.
b)
4p
3
√2 L3
3G m
e)
Gm (
L3 4 + √
2
2
(
b) seu período de rotação ao redor da Terra é próximo de 12 h.
c) sua aceleração é igual a zero.

( (
*d) sua velocidade escalar não depende de sua massa.
e) sua velocidade escalar é menor do que a das antenas fixas. L3 4 + √2
c)
Gm 7
(UNCISAL-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Três satélites – I, II e III – movem-se em órbitas circulares ao redor (UNIMONTES/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: A
da Terra. A massa do satélite I é m, a massa do satélite II é 2m e a O planeta Terra perde mais massa com a liberação de gases leves
massa do satélite III é 3m. O satélite III está em uma órbita de raio no espaço a cada ano do que ganha massa da poeira cósmica atra-
r e os satélites I e II estão em uma mesma órbita de raio 2r. Sendo ída para sua atmosfera no mesmo período. Além disso, a fricção en-
TI , TII e TIII os períodos dos satélites em torno da Terra, assinale a tre a superfície da Terra e a enorme massa de água em seu entorno,
alternativa correta. faz com que a Terra gire um pouco mais lentamente, gerando, como
a) TI = TII = TIII consequência, o afastamento de cerca de 4 cm da Lua a cada ano.
Supondo que, após alguns milhões de anos, a Terra tenha perdido
b) TI < TII < TIII
um terço de sua massa atual e, nesse mesmo período, tenha ficado
c) TI > TII > TIII 30% mais afastada da Lua, podemos afirmar que a força gravitacio-
*d) TI = TII > TIII nal entre a Terra e a Lua, diminui, nesse período, aproximadamente:
e) TI = TII < TIII *a) 2,5 vezes.
b) 3,5 vezes.
(VUNESP/FAMERP/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B c) 4 vezes.
Um satélite de massa m foi colocado em órbita ao redor da Terra a d) 5 vezes.
uma altitude h em relação à superfície do planeta, com velocidade
angular ω. (VUNESP/UEFS/BA-2018.1) - ALTERNATIVA: D
A figura representa a trajetória elíptica de um planeta em movimento
de translação ao redor do Sol e quatro pontos sobre essa trajetória:
M, P (periélio da órbita), N e A (afélio da órbita).

(www.inpe.br. Adaptado.)

Para que um satélite de massa 2·m possa ser colocado em órbita


ao redor da Terra, na mesma altitude h, sua velocidade angular deve
ser

a) 3·ω
4
b) ω
O módulo da velocidade escalar desse planeta
c) 2·ω
a) sempre aumenta no trecho MPN.
d) ω b) sempre diminui no trecho NAM.
2 c) tem o mesmo valor no ponto A e no ponto P.
*d) está aumentando no ponto M e diminuindo no ponto N.
e) 4·ω
3 e) é mínimo no ponto P e máximo no ponto A.
japizzirani@gmail.com 81
VESTIBULARES 2018.2 (IFSUL/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: A
A lei da gravitação universal de Newton diz: “Dois corpos se atraem
com força proporcional às suas massas e inversamente proporcional
(SENAI/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: A ao quadrado da distância que separa seus centros de gravidade”.
É o modelo cosmológico mais antigo. Na antiguidade era raro quem Este enunciado pode ser expresso matematicamente pela fórmula:
discordasse dessa visão, até porque a igreja apoiava essa teoria,
que se baseia na observação cotidiana e na hipótese de que o Sol *a) F = G× m1×m2 / d 2
estaria girando ao redor da Terra. b) F = (G ×m1×m2 / d)
2
Essa afirmação descreve a Teoria 2 2
*a) Geocêntrica. c) F = G× m1 ×m2 /d
b) Heliocêntrica.
d) F = G× m1×m2 ×d 2
c) Egocêntrica.
d) do Big Bang. em que: F representa a força de atração entre os corpos em ques-
e) da Relatividade. tão, m1 e m2 representam a massa dos corpos, d a distância entre
os centros de massa dos corpos e G uma constante (a constante
gravitacional universal).
(UFU/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: D
Muitas estrelas, em sua fase final de existência, começam a colap-
sar e a diminuírem seu diâmetro, ainda que preservem sua massa. (CEDERJ-2018.2) - ALTERNATIVA: D
Imagine que fosse possível você viajar até uma estrela em sua fase Dois satélites percorrem órbitas circulares em torno da Terra. Os
final de existência, usando uma espaçonave preparada para isso. raios das suas órbitas são R1 e R2 e suas velocidades escalares
Se na superfície de uma estrela nessas condições seu peso fosse P, correspondentes são v1 e v2 .
o que ocorreria com ele à medida que ela colapsa? Sabendo-se que v2 = 2v1 , a relação entre R2 e R1 é:
a) Diminuiria, conforme a massa total da pessoa fosse contraindo.
a) R2 = 4R1
b) Aumentaria, conforme o inverso de sua distância ao centro da
estrela. b) R2 =2R1
c) Diminuiria, conforme o volume da estrela fosse contraindo. c) R2 = R1 /2
*d) Aumentaria, conforme o quadrado do inverso de sua distância ao
*d) R2 = R1 /4
centro da estrela.

(IF/CE-2018.2) - ALTERNATIVA: B (USF/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: E


Um satélite artificial SA1 se move em órbita circular em torno de um Os astronautas da Estação Espacial Internacional podem ter encon-
planeta em um período de 36 dias. Um outro satélite artificial SA 2 trado uma maneira de acelerar o processo de criação de medica-
possui órbita circular de raio 4 vezes maior do que SA1, movendo-se mentos. Desde os primeiros meses deste ano, eles estão cultivando
em um período de cristais no espaço com o objetivo de estudar as estruturas de pro-
a) 292 dias. d) 300 dias. teínas necessárias para o desenvolvimento de drogas específicas.
*b) 288 dias. e) 304 dias. Estudos e tecnologias desenvolvidas pelos moradores da Estação
c) 296 dias. não são novidade. Já no século passado, astronautas e cientistas
da Nasa e de outras agências espaciais pesquisam e criam soluções
que facilitam a vida no espaço e que, consequentemente, ajudam os
(VUNESP-UEFS/BA-2018.2) - ALTERNATIVA: B cidadãos na Terra.
Na figura estão representados os oito planetas do SistemaSolar e [.....]
indicadas suas distâncias médias aproximadas em relação ao Sol.
Quando você olha para um ponto fixo enquanto inclina a cabeça,
seus olhos se mantêm firmes automaticamente – e isso é possí-
vel devido à gravidade. Para investigar como a microgravidade do
espaço afeta a visão dos astronautas, cientistas fizeram uma série
de experimentos que durou cerca de dez anos. Eles mediram os
movimentos oculares dos passageiros da Estação Espacial com a
ajuda de um dispositivo criado especificamente para esse rastre-
amento. Paralelamente ao seu uso no espaço, os pesquisadores
notaram que o aparelho poderia ser utilizado na Terra. Isso porque
os movimentos automáticos oculares de pacientes afetam o trabalho
do médico em processos cirúrgicos a laser. Assim, os rastreadores
desenvolvidos foram essenciais para o posicionamento correto do
raio laser em cirurgias corretivas de visão.
[....]
Disponível em: <https://exame.abril.com.br/ciencia/5-inovacoes-criadas-para-o-es-
paco-usadas-na-medicina/>.

Sobre os conceitos físicos relacionados à vida dos astronautas em


viagem no espaço sideral, e os benefícios das pesquisas para a vida
humana na Terra, marque a alternativa correta.
a) Quando uma nave espacial atravessa a atmosfera terrestre,
abandonando o nosso planeta, a força gravitacional terrestre deixa
(http://noticias.uol.com.br. Adaptado.) de existir.
b) A aceleração da gravidade num ponto próximo à um corpo celeste
Sabe-se que a intensidade do campo gravitacional criado por um depende apenas da distância desse ponto até o centro da do corpo
astro em um ponto ao seu redor é diretamente proporcional à mas- celeste, suposto esférico.
sa do astro e inversamente proporcional ao quadrado da distância c) As cirurgias corretivas de visão mencionadas utilizam ondas me-
do centro desse astro ao ponto considerado. Se a intensidade mé- cânicas de alta frequência que auxiliam na condução do bisturi utili-
dia do campo gravitacional criado pelo Sol sobre a Terra é igual a zado pelo médico durante o processo.
6 ×10–3 m/s2, a intensidade média do campo gravitacional criado d) Os defeitos de visão corrigidos com lentes esféricas, como a mio-
pelo Sol sobre Netuno é, aproximadamente, pia e a hipermetropia, são decorrentes de um formato não esférico
a) 2,5 ×10–3 m/s2 do globo ocular, e a aplicação do laser visa corrigir a esfericidade do
*b) 6,7 ×10–6 m/s2 nosso olho.
*e) Quando o processo refrativo da luz ocorre no globo ocular, a luz
c) 8,4×10–6 m/s2
sofre diversos desvios até atingir a retina, e a cirurgia a laser auxi-
d) 1,5×10–4 m/s2 liará a condução dos raios luminosos até essa camada mais interna
e) 4,2 ×10–5 m/s2 do olho.
japizzirani@gmail.com 82
(UDESC-2018.2) - ALTERNATIVA: C (FATEC/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: C
Considere dois planetas de massas m e M separados por uma dis- Em março de 1979, a Voyager 1 finalmente chegou ao primeiro pla-
tância R. Um objeto se encontra em um ponto entre os dois planetas. neta a ser estudado: Júpiter.
Neste ponto, a resultante da força gravitacional, que ambos os pla- É correto afirmar que a força gravitacional sofrida pela Voyager
netas exercem sobre o objeto é nula. 1 no instante em que a espaçonave passava a uma distânica de
Considerando r a distância do objeto ao planeta de massa m, pode- 3,5 ×105 km do centro de Júpiter é, em newtons, igual a
se dizer que a razão m /M, entre as massas dos planetas, é dada a) 800 000.
por: Adote:
b) 80 000.
G @ 7×10–11 N.m2/kg2
a) (r / R ) 2 d) r / (R – r) *c) 800.
d) 80. MJúpiter = 2,0×1027 kg
b) r / R e) r/ R e) 8. mVoyager = 700 kg

*c) [r / (R – r)] 2

(PUC/GO-2018.2) - ALTERNATIVA: A
No poema Vagabundo (Texto1), lê-se: “Canto à lua de noite sere-
natas”. Sabemos, a partir dos estudos sobre gravitação de Isaac
Newton no século XVII, que a Terra e a Lua se atraem mutuamente.
Essa força de atração é diretamente proporcional ao produto das
respectivas massas e inversamente proporcional ao quadrado da
distância entre elas. Considere a massa da Lua 7,0.1022 kg; a massa
da Terra 6,0.1024 kg; a distância média Terra – Lua igual a 4,0.108 m
e a constante da gravitação universal 7,0.10–11 N.m2/kg2. De posse
desses dados, marque a resposta que corretamente indica, aproxi-
madamente, a força da gravidade entre a Terra e a Lua:
*a) 1,8.1020 N.
b) 3,1.1022 N.
c) 4,8.1025 N.
d) 7,3.1028 N.

(UCB/DF-2018.2) - ALTERNATIVA: C
Kepler, que faleceu aproximadamente 13 anos antes de Newton nas-
cer, não pode usar as leis da gravitação para estabelecer equações
que estimassem os períodos dos planetas do sistema solar. Ainda
assim, ele estabeleceu que a razão entre o quadrado do período e o
cubo da distância média do planeta ao Sol é constante para todos os
astros do sistema solar. Considerando essas informações, assinale
a alternativa que apresenta, aproximadamente, o período de uma
rotação completa em torno do Sol em Marte, e, para simplificar os
(DMarte-Sol)3
cálculos, adote = 3,61 , em que DMarte-Sol é a distância
(DTerra-Sol)3
entre Marte e o Sol, e DTerra-Sol é a distância entre a Terra e o Sol.
a) 1,00 ano na Terra.
b) 1,50 ano na Terra.
*c) 1,90 ano na Terra.
d) 3,61 anos na Terra.
e) 13,0 anos na Terra.

(UEM/PR-2018.2) - RESPOSTA: SOMA = 25 (01+08+016)


No Sistema Solar, o movimento de translação de cada planeta em
torno do Sol é afetado pelas forças de atração exercidas pelos de-
mais planetas. Entretanto, essas perturbações são relativamente
pequenas, porque a massa do Sol é muito maior que a massa de
qualquer planeta. Considere um modelo simplificado de sistema
solar em que a Terra e os demais planetas giram em torno do Sol
em órbitas circulares, concêntricas e coplanares, tendo o Sol fixo no
centro. Considere que m, m/10 e 4m/5 são as massas da Terra, de
Marte e de Vênus, respectivamente. Considere, também, que r, 3r/2
e 7r/10 são os raios das órbitas da Terra, de Marte ede Vênus, res-
pectivamente. G é a constante da gravitação universal, M é a massa
do Sol (M >> m) e F0 é o módulo da força de atração gravitacional
entre a Terra e o Sol. Considerando o modelo simplificado de Siste-
ma Solar descrito acima e usando a gravitação universal de Newton
para estimar as forças entre planetas, assinale o que for correto.
01) O vetor velocidade de cada planeta não permanece constante
ao longo de sua trajetória.
02) F0 / G = mM / r3.
04) Em módulo, as forças gravitacionais entre Terra e Marte e entre
Terra e Vênus são constantes ao longo do tempo.
08) O módulo da força gravitacional entre Terra e Marte é menor ou
igual a [2m / (5M)]F0 .
16) O módulo da força gravitacional entre Terra e Vênus é
menor ou igual a [80m / (9M)] F0 .
japizzirani@gmail.com 83
MECÂNICA (UNIFENAS/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: E
Quais são as condições necessárias e suficientes para que um cor-
ESTÁTICA po extenso fique em equilíbrio?
a) Que a resultante das forças seja nula.
b) Que a força peso seja par de ação-reação da força normal.
VESTIBULARES 2018.1 c) Que a força de empuxo anule a força peso.
d) Que o corpo se comporte como um corpo extenso e não como
um ponto material.
(IME/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: C
*e) Que a resultante das forças seja nula e a soma dos momentos
Como mostra a figura, dois corpos de massa m e volume V estão em
( torques ) igual a zero.
equilíbrio estático.

(VUNESP/UNICID-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Para soltar os parafusos que prendem os pneus de uma van, uma
pessoa colocou um cano na chave de rodas, aumentando a distân-
cia entre a força aplicada e o parafuso a ser solto.

(http://seriesdomomento.com.br)

Esse artifício facilita soltar o parafuso porque


a) diminui a intensidade do momento da força aplicado sobre o pa-
rafuso.
b) aumenta o ângulo de rotação necessário para soltar o parafuso.
Admita que μ é a massa específica do líquido, que não existe atrito c) diminui a força de atrito que prende o parafuso.
entre o corpo e o plano inclinado e que as extremidades dos fios *d) aumenta a intensidade do momento da força aplicado sobre o
estão ligadas a polias, sendo que duas delas são solidárias, com parafuso.
raios menor e maior r e R, respectivamente. A razão R / r para que o e) diminui o ângulo de rotação necessário para soltar o parafuso.
sistema esteja em equilíbrio é:

) )
–1 (UNIFOR/CE-2018.1) - ALTERNATIVA: D
a)
msen(a + b)
d)
cos(a) μV Um carro faz uma curva em uma estrada com raio de curvatura de
1–
m – μV sen(b) m 19,6 m. O veículo possui 2,0 m de largura e seu centro de massa
fica a 1,0 m do chão.
b)
mcos(a + b)
m – μV
e) cos(a + b) 1 – ) μV
m ) Qual a velocidade máxima que o veículo pode ter, sem derrapar,
para que permaneça estável com os pneus no chão?
Dado: g = 10 m/s2.

) )
sen(a) μV –1 a) 4 m/s *d) 14 m/s
*c) 1– b) 8 m/s e) 18 m/s
cos(b) m
c) 10 m/s

(IME/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: D (UNITAU/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: C


O sistema mostrado na figura abaixo encontra-se em equilíbrio está- A figura mostra um sistema em equilíbrio estático, formado por uma
tico, sendo composto por seis cubos idênticos, cada um com massa haste, cuja massa é de 6 kg, sendo feita de material homogêneo,
específica μ uniformemente distribuída e de aresta a, apoiados em suspensa por uma articulação em O.
uma alavanca composta por uma barra rígida de massa desprezível.

A barra permanece em equilíbrio devido à ação da força peso, da


tensão aplicada pela corda presa à sua extremidade esquerda e do
peso da massa M = 20 kg. A posição da massa M pode variar de O
até a extremidade direita da barra. Essa variação da posição de M é
compensada pela variação da tensão no cabo, de modo que a barra
permaneça em equilíbrio estático e paralelamente à superfície hori-
zontal. Despreze todos os possíveis atritos do sistema, considere a
aceleração local da gravidade g = 10 m/s2. A distância da extremida-
de esquerda da barra ao ponto articulado é de 20% do comprimento
O comprimento L da barra para que o sistema esteja em equilíbrio é: da barra. Devido à variação na posição da massa M, o módulo da
9 7 força exercida pelo cabo varia de
17
a) a c) a e) a a) no mínimo 90 N até o máximo de 710 N
4 2 4 b) no mínimo 60 N até o máximo de 200 N
*c) no mínimo 90 N até o máximo de 890 N
13 15 d) no mínimo 150 N até o máximo de 950 N
b) a *d) a
4 4 e) no mínimo 60 N até o máximo de 260 N
japizzirani@gmail.com 84
(UNICAMP/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: A (UNOESTE/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: B
A figura abaixo ilustra uma alavanca que gira em torno do ponto O. Uma pessoa usa uma chave de boca para apertar um parafuso,
Dois triângulos, do mesmo material e de mesma espessura, estão conforme a figura abaixo. A distância do centro do parafuso até a
presos por fios de massa desprezível nos extremos da alavanca. extremidade do cabo da chave de boca é de 30 cm e a força F,
Um triângulo é equilátero; o outro é retângulo e isósceles, e sua vertical, aplicada a 5 cm da extremidade do cabo da chave, possui
hipotenusa tem o mesmo comprimento que os lados do triângulo intensidade F = 20 N.
equilátero. Note que, neste caso, o peso dos objetos é proporcional
à sua área.

Assinale a alternativa CORRETA.


a) O torque gerado por F tem módulo igual a 2,5 √2 N.m e orientação
Conclui-se que, na condição de equilíbrio da alavanca, a razão das paralela à F.
distâncias, i / e, é igual a *b) O torque gerado por F atua ao longo do eixo do parafuso, sendo
a) √ 3. sua orientação perpendicular à F e ao plano da página.
c) A orientação da força F representada na figura é aquela que for-
b) √ 3/ 3 .
nece a situação de torque máximo, pois o ângulo entre o torque e o
c) 2. vetor força F é de 90º.
d) 3 . d) Na situação apresentada na figura, a componente de F paralela
ao eixo do cabo da chave é nula, por esse motivo essa componente
não gera torque.
(MACKENZIE/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: D
e) Após uma rotação no parafuso em 45º no sentido horário, de for-
A escada rígida da figura abaixo de massa 20,0 kg, distribuída uni-
ma que o cabo da chave de boca esteja na posição horizontal e
formemente ao longo de seu comprimento, está apoiada numa pa-
mantendo F na vertical, o torque terá módulo nulo.
rede e no chão, lisos, e está impedida de deslizar por um cabo de
aço AC. Uma pessoa de massa 80,0 kg se posiciona no ponto D,
conforme indicado na figura. (FGV/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B
A figura mostra o esquema de uma curiosa balança de dois braços
em que cada braço é feito de um material de coeficiente de dilatação
linear diferente do coeficiente de dilatação linear do outro. O peso
dos braços é desprezível comparado ao dos corpos A e B. O material
em que se encontra pendurado o corpo A tem coeficiente de dila-
tação linear maior do que aquele em que se encontra o corpo B. A
temperatura reinante é baixa, típica de uma madrugada de inverno,
e observa-se o equilíbrio estático na direção horizontal com o corpo
A mais distante do ponto de apoio P do que o corpo B.

Considerando que a aceleração da gravidade local é de 10,0 m/s2,


pode-se afirmar que a força de tração no cabo AC, nessas condi-
ções, será de
a) 100 N. O sistema é, então, submetido a uma elevação de temperatura sig-
b) 150 N. nificativa, próxima à da ebulição da água sob pressão normal, por
c) 200 N. exemplo. Sobre a situação descrita é correto afirmar que o peso do
*d) 250 N. corpo A é
e) 300 N. a) maior que o peso do corpo B e, durante o aquecimento, a balança
girará no sentido anti-horário.
*b) menor que o peso do corpo B e, durante o aquecimento, a balan-
(IFNORTE/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: D ça girará no sentido anti-horário.
Garfield e Odie encontram-se sobre uma gangorra, como ilustra a c) menor que o peso do corpo B e, durante o aquecimento, a balança
figura abaixo. continuará equilibrada na direção horizontal.
d) maior que o peso do corpo B e, durante o aquecimento, a balança
continuará equilibrada na direção horizontal.
e) igual ao de B e, durante o aquecimento, a balança girará no sen-
tido horário.

(FEI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Uma viga de aço AB de massa 400 kg e comprimento 4,0 m está
apoiada no ponto A e é sustentada por um cabo BC no ponto B.
A máxima tração que o cabo suporta é
80 000 N. Qual é a máxima carga que po-
demos colocar no centro da viga para não
romper o cabo?
Adotar:
Nessa situação, para que a gangorra permaneça em equilíbrio e no g = 10m/s2, sen 37º = 0,6 e cos 37º = 0,8.
53º
plano horizontal, o valor de d2 deve ser: a) 120 000 N
a) 8,3 cm *b) 124 000 N
b) 45 cm c) 128 000 N
c) 60 cm d) 76 000 N
*d) 75 cm e) 84 000 N
japizzirani@gmail.com 85
Adotar:
g = 10m/s2, sen 37º = 0,6 e cos 37º = 0,8.
(UNCISAL-2018.1) - ALTERNATIVA: b (UECE-2018.1) - ALTERNATIVA OFICIAL: D
O braço humano pode ser comparado a uma alavanca ao segurar Uma chaminé de 30 m de altura pende, sem se quebrar, até uma in-
um bloco com o cotovelo apoiado sobre uma superfície horizontal, clinação de 30º com a vertical. Considere a aceleração da gravidade
como indicado pelas figuras esquemáticas a seguir. como 10 m/s2 e o diâmetro da chaminé muito menor que sua altura.
Considere “P” o módulo do peso do bloco que a mão está seguran- Suponha que nessa configuração haja uma força vertical de 1 N
do; “C” o módulo da força de contato que o bloco exerce sobre a puxando rumo ao solo a ponta da chaminé. Nesta situação, o torque
mão; “Po” o módulo do peso do braço; “F” o módulo da força mus- exercido por essa força no topo da chaminé vale, em N×m,
cular necessária para erguer o objeto até a posição em que o braço a) 150 .
forma um ângulo “q” com a horizontal; “L” a distância entre o ponto
b) 30√ 2.
de aplicação da força de contato e o ponto de apoio “O” do cotovelo
sobre a superfície; e “l “ a distância entre o ponto de aplicação da c) 300√ 2.
força muscular e o ponto de apoio “O” do cotovelo sobre a superfície. *d) 15 .

(UEM/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 23 (01+02+04+16)


Na extremidade direita de uma balança de dois braços com ponto de
apoio em c, suspende-se um pedaço de metal pelo ponto b. Seja P
o seu peso. Verifica-se que a balança se equilibra ao suspender-se
uma tara (contrapeso) de mesmo peso P na extremidade do braço
esquerdo pelo ponto a, quando os braços cb e ca são iguais.

Em uma segunda situação, verifica-se que, ao imergir o pedaço de


metal em um recipiente com um certo líquido (água), a balança se
desequilibra.

Disponível em: <http://www.aprendendofisica.com/2013/09/material-de-apoio


-equilibrio-e-torque.html>. Acesso em: 03 nov. 2017.

Com base nas informações apresentadas, assinale a alternativa cor-


reta.
a) O peso “P” do bloco e a força de contato “C” formam um par
ação-reação. Seja Pa o peso do líquido deslocado, assinale o que for correto.
*b) A reação do peso “P” está sendo aplicada na Terra e a reação
da força de contato “C” que o bloco exerce sobre a mão está sendo 01) O peso do líquido deslocado Pa e o empuxo que age sobre o
aplicada no bloco. pedaço de metal são iguais em módulo.
c) O módulo do momento da força de contato “C” em relação ao 02) O peso aparente do metal imerso na água é P – Pa .
ponto de apoio “O” é MC = CL. 04) Após a imersão do metal no líquido, uma das maneiras de ree-
d) O módulo do momento da força de contato “C” em relação ao quilibrar a balança é aproximando convenientemente a tara do ponto
ponto de apoio “O” é MC = CLsen q. de apoio c, até uma posição e entre a e c.
1 L
e) Na condição de equilíbrio, tem-se que F = (C + Po)cos q. 08) Para que a balança acima esteja em equilíbrio, é suficiente que
2 l a resultante das forças que atuam sobre ela seja nula.
16) No equilíbrio horizontal da segunda situação, o peso do metal P
(UCPel/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: A está para o peso do líquido deslocado Pa , assim como a distância ac
Um estudante de engenharia necessita determinar a capacidade mí- está para a distância ae, ou seja,
P = ac .
nima que dois apoios, X e Y, devem suportar para sustentar uma bar- Pa ae
ra homogênea e uma caixa que está apoiada nela. O arranjo é ilus-
trado na figura abaixo, indicando a barra homogênea, as posições (ITA/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: C
em que os apoios estão colocados e a caixa, posicionada a 3 metros Sobre uma prancha horizontal de massa desprezível e apoiada no
de uma das extremidades.
centro, dois discos, de massas mA e mB , respectivamente, rolam
com as respectivas velocidades vA e vB , constantes, em direção ao
centro, do qual distam LA e LB , conforme a figura.
LA LB

mA mB

Considerando que massa da barra é igual 10 kg e a massa da caixa


é igual 15 kg sendo que a aceleração da gravidade no local igual a
Com o sistema em equilíbrio antes que os discos colidam, a razão
10 m/s2, o estudante determinou que os apoios X e Y, respectiva-
vA / vB é dada por
mente, devem suportar no mínimo:
*a) 100 N e 150 N. a) 1.
b) 125 N e 175 N. b) mA /mB .
c) 175 N e 125 N. *c) mB /mA.
d) 125 N e 125 N. d) LAmA / LBmB.
e) 150 N e 100 N. e) LBmB / LAmA.
japizzirani@gmail.com 86
(UECE-2018.1) - ALTERNATIVA: D VESTIBULARES 2018.2
Considere uma gangorra defeituosa, em que o ponto de apoio não
está no centro. É possível que, mesmo assim, haja equilíbrio está-
tico, com a gangorra na horizontal e uma criança em cada extremi- (MACKENZIE/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: D
dade, desde que Com o intuito de facilitar seu trabalho, um operário construiu um arti-
a) a soma dos torques sobre a gangorra seja oposta à força peso fício com cordas e polias fixas ideais e ainda uma barra homogênea
das crianças. de comprimento L = 20 m, articulada no ponto A. A massa da barra
b) o torque exercido sobre a gangorra em uma das extremidades vale MB = 60 kg e o peso do bloco levantado tem módulo Q = 500 N.
seja igual à força peso na outra extremidade.
c) as crianças tenham a mesma massa. C
*d) a soma dos torques sobre a gangorra seja nula.

(VUNESP-UEFS/BA-2018.1) - ALTERNATIVA: C
B
Um atleta mantém uma barra com duas anilhas em suas extremida-
des em equilíbrio, na horizontal, segurando-a pelos pontos A e B e
aplicando, nesses pontos, forças verticais sobre a barra.

Q
q

Considerando-se que o sistema está em equilíbrio no instante em


que é retratado, que o módulo da aceleração gravitacional local seja
g = 10 m/s2, que o trecho BC da corda esteja perpendicular à barra
e que o valor do ângulo é q = 53°, afirma-se corretamente que o
módulo da reação horizontal da força na barra no ponto A vale, em
N (newton),
Dados: sen 53º = 0,80 e cos 53º = 0,60.
a) 650.
b) 534.
c) 400.
Sabendo que a massa da barra é de 10 kg, que a massa de cada *d) 384.
e) 250.
anilha é 20 kg, adotando g = 10 m/s2 e considerando as medidas
indicadas na figura, a intensidade da força aplicada pelo atleta no
ponto B é (VUNESP-USCS/2018.2) - ALTERNATIVA: C
a) 100 N. Para soltar determinado parafuso, uma pessoa A precisa exercer so-
b) 125 N. bre a ferramenta que está utilizando um torque mínimo, que conse-
*c) 375 N. guiria se aplicasse, com sua mão, uma força de 50 N, perpendicular
d) 400 N. à ferramenta, em um ponto a 60 cm do parafuso.
e) 425 N.

Outra pessoa, B, tenta soltar o mesmo parafuso, nas mesmas con-


dições, mas com uma ferramenta mais curta. Para isso, aplica uma
força de 120 N, também perpendicular à ferramenta, em um ponto a
uma distância d do parafuso.

(http://formadordemecanica.blogspot.com.br. Adaptado.)
Para a pessoa B conseguir soltar o parafuso, a distância d dever
ser de
a) 20 cm.
b) 15 cm.
*c) 25 cm.
d) 30 cm.
e) 35 cm.
japizzirani@gmail.com 87
(IFNORTE/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: C (USP/TRANSF-2018.2) - ALTERNATIVA: D
Heron, estudante de Engenharia Civil e estagiário em uma constru- Uma barra homogênea e inextensível de peso 40 Newtons e três
tora, elaborou o seguinte projeto: metros de comprimento está articulada num ponto C de uma parede
áspera. Ela émantida na horizontal e em equilíbrio através de uma
corda ideal fixada na parede e presa na barra num ponto distante 2
metros do ponto C. O ângulo entre a corda e a parede é 60º.

Nesse projeto, como se vê na figura, existe uma prancha de ma-


deira, que liga os pontos A e B, pela qual blocos de concreto serão
transportados até uma laje. Essa laje está apoiada em um muro de
arrimo e em uma parede que se encontra a uma distância D do muro.
A parede de sustentação, conforme a figura, deve suportar 80% do
peso P da laje. Nesse caso, para que a laje permaneça em equilí-
brio, o valor de D deve ser:
a) 4,8 m.
b) 4,2 m. Nessas condições, os valores das componentes horizontal, N x , e
c) 3,6 m. vertical, N y , em módulo, da reação na articulação C, são, respecti-
*b) 3,0 m. vamente, em Newtons,
a) N x = 30√ 3 ; N y = 10√3 *d) N x = 30√ 3 ; N y = 10
(UNICEUB/DF-2018.2) - ALTERNATIVA: C b) N x = 30 ; N y = 0 e) N x = 30 ; N y = 10
Um guindaste foi construído associando-se uma alavanca a uma rol-
c) N x = 80 ; N y = 0
dana, conforme mostra a figura.

(FEI/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: A
O caminhão C de 50 tnf atravessa uma ponte horizontal de compri-
mento 100 m e peso 1 000 tnf.

Em um extremo da alavanca, a quatro metros do ponto de apoio,


está pendurado um corpo de peso 100 N. No outro extremo, a um
metro do ponto de apoio, está preso o gancho de uma roldana. A
corda que passa pela roldana tem uma de suas pontas presa à base A que distância o caminhão está do apoio A quando a reação no
do guindaste. Os atritos e as massas da haste e da roldana podem apoio A é 537,5 tnf?
ser desconsiderados. *a) 25 m d) 80 m
Para que o guindaste permaneça em equilíbrio na posição apresen- b) 50 m e) 85 m
tada, a intensidade da força F que deve ser aplicada na outra ponta c) 75 m
da corda é, em newtons,
a) 50. d) 400. (UEM/PR-2018.2) - RESPOSTA: SOMA = 21 (01+04+16)
b) 100. e) 500 Uma pessoa limpa vidros da fachada externa de um prédio de dentro
*c) 200. de um andaime homogêneo de 40 kg, que se encontra suspenso por
dois cabos de sustentação amarrados em suas extremidades. Sa-
bendo que cada cabo pode suportar uma tração máxima de 1 000 N
(USP/TRANSF-2018.2) - ALTERNATIVA: A
e que a posição da pessoa (com equipamentos na cintura) sobre o
Uma placa metálica com distribuição homogênea de massa, de di-
andaime pode ser representada por um ponto sobre um seguimento
mensões 6 × 4 cm, teve um de seus cantos,medindo 4 × 2 cm, retira-
de reta horizontal que une os dois cabos, assinale o que for correto.
do conforme representado na figura.
Considere g = 10 m/s2.

Fonte: GONÇALVES FILHO, A; TOSCANO, C. Física e realidade.


Volume 1 – Mecânica. São Paulo: Scipione, 1997, p. 180.

01) Um dos cabos fica submetido à tração máxima quando a pessoa


(com equipamentos na cintura) se encontra o mais próximo possível
dele.
02) Os cabos ficam submetidos à tração máxima quando a pessoa
Em relação ao sistema de coordenadas indicado, o centro de massa (com equipamentos na cintura) se encontra no centro do andaime.
da placa restante se localiza nas coordenadas (x, y), em cm, dadas 04) O peso máximo da pessoa (com equipamentos na cintura) para
por que ela trabalhe em segurança é de 800 N.
*a) (7/2, 5/2) 08) Para que o sistema permaneça em equilíbrio estático, é neces-
sário e suficiente que a resultante das forças que atuam no andaime
b) (5/2, 7/2)
seja igual a zero.
c) (5, 7)
16) Para que o sistema permaneça em equilíbrio estático, é neces-
d) (2, 4) sário que a resultante dos momentos das forças que atuam no an-
e) (4, 2) daime seja igual a zero.
japizzirani@gmail.com 88
MECÂNICA (SENAI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: A
A figura a seguir representa uma prensa hidráulica (de líquido incom-
HIDROSTÁTICA pressível) que deve se manter em equilíbrio.

VESTIBULARES 2018.1 50 kg
X
(SENAI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: E
Uma prensa hidráulica é um dispositivo com dois vasos comunican- A2
tes, que possui dois êmbolos de diferentes áreas sobre a superfície
A1
de um fluido, o que faz com que a força aplicada na menor superfí-
cie seja amplificada. Um exemplo dessa utilização são os macacos
hidráulicos. Eles suportam levantar toneladas a partir da pressão
exercida por um gás comprimido no fluido que se encontra em um
tubo isolado do ar, de pequena superfície, levantando uma platafor- Sabendo que a área A2 é a quarta parte da área A1, a massa X, em
ma com um veículo em um tubo de maior superfície, como mostra a kg, será
figura fora de escala a seguir. *a) 12,5. d) 100,0.
b) 25,0. e) 200,0.
c) 50,0.

(SENAI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Um mergulhador vai testar seu relógio a prova d’água, que indica
3 .105 Pa de pressão máxima. Considerando a pressão atmosférica
local de 105 Pa e a densidade da água 1 g/cm3, ele deve mergulhar
até uma profundidade de
Dado: g = 10 m/s2.
a) 3 m.
b) 30 m.
c) 2 m.
*d) 20 m.
e) 200 m.

(PUC/GO-2018.1) - ALTERNATIVA: B
No Texto 4, o autor afirma que “os moleques” nadavam como peixes.
Um peixe submerso nas águas de um rio, normalmente nem afunda,
Considere que: o veículo tenha massa de 1 ton; o desnível de fluido, nem flutua. Ele pode se mover para cima ou para baixo, alterando
comparando os dois tubos, seja de 2 metros; a aceleração da gravi- seu volume por meio da expansão ou contração de uma bolsa de ar.
dade seja de 10 m/s2 ; a densidade do fluido seja de 0,863 g/cm3 ; a Considere um peixe de 400 g e volume de 350 cm3 submerso em
pressão atmosférica no local seja de 105 Pa. Considere, ainda, que água cuja densidade é de 1,0 g/mL, em equilíbrio. Supondo-se que
um tubo tenha 10 cm2 de área e o outro tenha 1 m2 ; que apenas o o módulo da aceleração da gravidade seja igual a 10 m/s2, o empuxo
tubo de menor superfície sofre influência do gás; e, por fim, que a ao qual o peixe fica submetido e seu peso aparente dentro da água
massa da plataforma é desprezível. são, respectivamente (assinale a resposta correta):
Com base nesses dados, a força exercida pelo gás na superfície do a) 0,35 N e 4,0 N.
fluido é, em Newtons, de, aproximadamente, *b) 3,5 N e 0,5 N.
c) 35,0 N e 40,0 N.
a) 1,0 ×101. d) 1,1×106.
2
d) 350,0 N e 50,0 N.
b) 1,1 ×10 . *e) 1,3×102.
6
c) 1,3×10 .
(UNIFENAS/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: E
O tubo esquematizado a seguir apresenta o ramo da direita com
(SENAI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA OFICIAL: C área cinco vezes maior que o da esquerda. Caso seja aplicada um
Para medir a pressão atmosférica no laborató- força de 50 N, perpendicular ao êmbolo da esquerda, que poderá
rio onde dava aula, um professor construiu um deslizar sem atrito, considerando que o líquido que preenche o tubo
barômetro de mercúrio (barômetro de Torricelli). seja incompressível, pode-se concluir que as assertivas a seguir são
Sabe-se que nesse aparelho, a pressão regis- verdadeiras (V) ou falsas (F)?
trada é diretamente proporcional à altura da
coluna líquida no interior de um tubo de vidro
parcialmente imerso em uma cuba também pre-
enchida com mercúrio, como mostra a figura ao
lado.
Fonte: Disponível em: <http://migre.me/tUK0i>.
Acesso em: 06 abr. 2016.

O professor sugeriu aos alunos que reproduzis-


sem esse equipamento. Entretanto, um dos es-
tudantes observou que no aparelho construído
por ele a coluna líquida era ligeiramente menor http://www.sofisica.com.br/conteudos/Mecanica/EstaticaeHidrostatica/figuras/tp11.GIF
que a do barômetro do professor. Qual o motivo
dessa diferença? I) Haverá a transmissão da variação de pressão de modo integral a
a) A cuba ficou destampada no aparelho construído pelo estudante. todas as porções do líquido.
b) O mercúrio usado pelo estudante era menos denso que o do pro- II) A variação do volume do líquido no ramo da direita será igual à do
fessor. ramo da esquerda.
*c) O vácuo no tubo do equipamento do estudante era menor que III) A intensidade da força que será transmitida ao êmbolo da direita
no do professor. será de 250 N.
d) Os dois barômetros foram dispostos em diferentes pontos do la-
boratório. a) V, F e V. d) F, V e F.
e) A profundidade da cuba usada pelo professor era maior que a do b) F, V e V. *e) V, V e V.
estudante. c) F, F e F.
japizzirani@gmail.com 89
(CESGRANRIO-FMP/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: E (FGV/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: E
Um objeto de massa m e densidade ρ está em equilíbrio, totalmente Um termômetro de Galileu consiste em um tubo de vidro
imerso dentro de um fluido. fechado, com um líquido dentro, onde estão imersas es-
O empuxo exercido pelo fluido sobre o objeto feras ocas, idênticas, contendo quantidades diferentes
a) tem módulo menor que o do peso do objeto, é vertical e para do mesmo líquido. Cada esfera tem uma etiqueta indi-
baixo. cando uma temperatura θ e as suas densidades são ca-
b) tem módulo maior que o do peso do objeto, é vertical e para cima. libradas de modo que, dependendo da temperatura am-
c) é nulo. biente, algumas ficam no topo do tubo, e outras, na sua
d) depende da profundidade em que o objeto está mergulhado. parte inferior. A figura ilustrativa mostra um termômetro.
*e) tem módulo igual ao do peso do objeto, é vertical e para cima. Quando a temperatura ambiente se altera, passando a
ser maior ou menor que θ, a esfera com a etiqueta θ se
move na direção vertical.
(PUC/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Um grupo de estudantes, tentando compreender o prin-
Um copo cilíndrico, com base de área 10,0 cm2, contém 50,0 g de
cípio de funcionamento do termômetro, fez as seguintes
gelo flutuando em água. A altura da superfície da água, em relação
afirmações:
à base do copo, é de 10,0 cm. Ao absorver calor da vizinhança, o
gelo derrete. I - Numa dada temperatura ambiente, o empuxo é igual para todas
Após o derretimento de todo o gelo, encontre a nova altura da super- as esferas.
fície da água, em cm. II - Quando a temperatura ambiente aumenta, o empuxo sobre cada
a) 12,5 Dados esfera diminui.
b) 11,0 g = 10 m/s2 III - Quando a temperatura ambiente aumenta, o peso de cada esfe-
*c) 10,0 rágua = 1,00 g/cm3 ra com líquido aumenta.
d) 0,92 IV - O movimento de uma esfera para cima indica que a temperatura
e) 0,80
rgelo = 0,92 g/cm3
ambiente diminuiu.
Dentre as afirmações acima, apenas estão corretas:
(PUC/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: A a) I, II e III
Um recipiente de altura h e aberto para atmosfera se encontra com- b) I e II
pletamente cheio de um líquido tal que a pressão no ponto mais c) II e IV
baixo do tubo é o dobro da pressão atmosférica p0 . d) I e III
Se o líquido for totalmente substituído por outro com metade de sua *e) I, II e IV
densidade, a pressão no ponto mais baixo do tubo será,
*a) 3p0 /2 (VUNESP/UNICID-2018.1) - ALTERNATIVA: C
b) 2p0 Uma seringa cheia de água teve o canal de saída bloqueado por
uma pequena esfera de borracha, como mostra a figura.
c) p0
d) p0 /2
e) 3p0

(UNICENTRO/PR-2018.1) - QUESTÃO ANULADA Considere que a água seja incompressível, que a seringa não se
Um elevador hidráulico é acionado para elevar um bloco de concreto deforme, que o atrito entre o êmbolo e a superfície da seringa seja
mediante um cilindro de área 5,0 ·10–5 m2. O bloco tem massa de desprezível, que o diâmetro do êmbolo seja 24 mm, que o diâmetro
1 tonelada e está sobre o êmbolo de área 10,0 ·10–3 m2. Neste caso, do canal de saída seja 4,0 mm e que a máxima força de atrito entre
considerando a aceleração da gravidade (g) igual a 10 m/s2 o valor a esfera e as paredes da seringa seja 2,0 N. A intensidade mínima

da intensidade mínima da força que deve ser aplicada no êmbolo da força F que deve ser aplicada ao êmbolo para desobstruir a saída
menor para elevar o bloco de concreto será: é de
a) 5,0 ·102 N a) 12 N.
b) 48 N.
b) 5,0 ·10–2 N *c) 72 N.
c) 5,0·103 N d) 160 N.
d) 5,0 ·10–3 N e) 192 N.
OBS.: Resposta CORRETA: 5,0·101 N
(VUNESP-UEA/AM-2018.1) - ALTERNATIVA: B
(UNIGRANRIO/RJ-2018.1) - ALTERNATIVA: A A figura mostra um cubo A e uma esfera B, ambos maciços e mais
Um recipiente contém duas substâncias imiscíveis e em equilíbrio. densos do que a água, totalmente imersos em água. Ambos são
Sobre a coluna de 5,0 m de altura de um líquido A cuja densidade mantidos em equilíbrio por meio de dois fios ideais, A e B, que os
vale 1,8 g/cm3, está uma coluna de 10,0 m de um líquido B com prendem a uma haste horizontal fixa, fora da água. É sabido que o
densidade d. cubo e a esfera têm volumes iguais e que a densidade do cubo é
maior do que a da esfera.

Sendo EA a intensidade do empuxo aplicado pela água sobre o


cubo, EB a intensidade do empuxo aplicado pela água sobre a esfe-
Sabendo que a pressão atmosférica local é igual a 1,0.105 N/m2 e ra, TA a intensidade da força de tração no fio A e TB a intensidade da
que a pressão total no fundo do recipiente vale 2,8.105 N/m2, deter- força de tração no fio B, é correto afirmar que
mine a densidade do líquido B, em g/cm3. Considere g = 10m/s2. a) EA = EB e TA = TB
*a) 0,9
*b) EA = EB e TA > TB
b) 1,8
c) 2,7 c) EA > EB e TA < TB
d) 9,0 d) EA = EB e TA < TB
e) 18,0 e) EA > EB e TA > TB
japizzirani@gmail.com 90
(UEL/PR-2018.1) - ALTERNATIVA: C (ACAFE/SC-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Observe a figura a seguir. Quando ocorre vazamento de petróleo e derivados nos oceanos,
são utilizadas barreiras de contenção a fim de controlar a área afeta-
da e facilitar o recolhimento do material evitando, assim, um desas-
tre ambiental de maiores proporções.
As barreiras de contenção são colocadas em configurações distintas
sobre a água, tais como, configuração em “U”, configuração em “V”
e configuração em “J”, entretanto, seus componentes básicos ge-
ralmente são os mesmos: o material flutuador, o lastro para manter
a lona na posição vertical dentro da água e a lona que reveste o
flutuador e o lastro.

(Disponível em: <http://misturaurbana.com/2015/11/dupla-osgemeos-criamar-


te-em-homenagem-ao-desastre-de-mariana-mg-e-cobram-acoes/>.
Acesso em: 25 abr 2017).

Na figura, é possível observar um aparelho de TV, que se comporta


como um corpo maciço que supostamente flutua em equilíbrio sobre Na figura temos um exemplo de uma barreira de contenção em con-
a lama. Nessas condições, é correto afirmar que a TV flutua porque figuração de “cerco completo” e um corte, em vista frontal, de seus
a) a massa específica do aparelho de TV é maior que a massa es- elementos básicos.
pecífica da lama. Com base na figura e no exposto acima, analise as afirmações a
b) o volume de lama deslocado ( Vl ) é igual ao volume total do apa- seguir e assinale a alternativa que contém todas as corretas.
relho de TV (Vtv ).
→ →
c) o módulo do seu peso ( P ) é igual ao módulo do empuxo ( E ) I A densidade do lastro é maior que a densidade da água.
exercido pela lama.
II O empuxo exercido sobre a barreira de contenção tem maior
d) a densidade do aparelho de TV é maior que a densidade da lama.
→ módulo que o peso da mesma.
e) o módulo do empuxo ( E ) exercido pela lama é maior que o mó-

dulo do seu peso ( P ). III A densidade da água é maior que a densidade do flutuador.
IV O empuxo exercido sobre a barreira de contenção tem maior
(UFPR-2018.1) - ALTERNATIVA: A módulo se o desastre ocorrer no mar do que em um rio de água
Um pesquisador, investigando propriedades ligadas à dilatação de doce.
materiais, fez experimentos envolvendo dois materiais (X e Y), que
foram aquecidos numa dada faixa de temperatura enquanto seus V A densidade da barreira de contenção tem o mesmo módulo
volumes foram medidos. Sabe-se que ele usou a mesma quantidade que a densidade da água.
de massa para os materiais, sendo que o material X é líquido e o Y é
sólido. O pesquisador construiu, então, o gráfico abaixo, no qual são a) II - III - IV
apresentadas as curvas de volume (V) em função da temperatura b) III - IV - V
(T) para os materiais X (linha cheia) e Y (linha pontilhada). c) IV - V
*d) I - III

(UFLA/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: A
Baseado nos conceitos de hidrostática, considere o sistema físico
na figura abaixo:

Com relação ao assunto, identifique como verdadeiras (V) ou falsas


(F) as seguintes afirmativas:

( ) Os dois materiais têm mesma densidade em T = 0 ºC.


( ) À medida que a temperatura aumenta, o material Y se contrai
até T = 10 ºC, e somente a partir dessa temperatura passa a
dilatar-se.
( ) Em T = 5 ºC, um objeto maciço feito do material Y, se for coloca-
do dentro de um recipiente contendo o material X, afunda quan-
do sujeito apenas a forças gravitacionais e a forças exercidas
pelo material X.

Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta, de cima


para baixo. Assinale a alternativa CORRETA.
*a) V – F – V.
*a) A pressão p 7 = p8
b) F – V – F.
c) V – V – F. b) A pressão p5 < p6
d) F – F – V. c) A pressão p3 = p4
e) V – V – V. d) A pressão p1 < p2
japizzirani@gmail.com 91
(UVV/ES-2018.1) - ALTERNATIVA: B (ACAFE/SC-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Durante uma brincadeira em uma piscina, uma criança afunda e Os exercícios feitos nas aulas de hidroginástica
abandona uma pequena bola 40 cm abaixo da superfície da água. podem ajudar as pessoas com problemas como
A densidade da bola é de apenas 30% do valor da densidade da artrite, pois favorecem a melhor utilização das ar-
água. Adotando que, no local, a aceleração da gravidade é de ticulações afetadas, sem oferecer risco de agra-
9,8m/s2 e desprezando os efeitos da força de arrasto que a água vamento dos sintomas. Pesquisas identificaram
exerce sobre a bola, além de outras possíveis perdas de energia, melhora nos casos de pessoas com artrite reu-
verifica-se que a velocidade da bola, ao atingir a superfície da água, matoide, além de reduzir dores de osteoartrite.
é de, aproximadamente, Fonte: http://www.mundoboaforma.com.br/13-beneficios-da-hidroginastica-para-boa-
a) 3,8 m/s. forma-e-saude/ Acesso em: 13 de set. 2017.

*b) 4,3 m/s. Assim, analise as proposições a seguir, marque com V as verda-
c) 4,7 m/s. deiras e com F as falsas e assinale a alternativa com a sequência
d) 5,1 m/s. correta.
e) 5,4 m/s.
( ) Na piscina da hidroginástica aparece uma força de empuxo da
água sobre a pessoa para cima diminuindo o efeito do peso.
(UFLA/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: A
( ) O valor da força peso será igual ao empuxo quando a pessoa
Na figura observa-se um bulbo de vidro preenchido com água o qual
estiver boiando em equilíbrio na piscina de hidroginástica.
possui duas saídas tampadas com rolhas.
( ) O empuxo recebido pela pessoa tem o mesmo valor do peso
da massa de água da piscina que a pessoa desloca.
( ) O valor da força peso só será igual ao empuxo quando a pes-
soa estiver totalmente submersa na piscina de hidroginástica.

a) V - F - V - F
*b) V - V - V - F
c) F - V - F - F
d) V - F - F - V

(USF/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Um manual de instruções de um aparelho medidor de pressão (es-
figmomanômetro) traz as seguintes informações para o uso correto
Quando uma força F é aplicada no êmbolo móvel, posicionado na do aparelho:
entrada do bulbo, o aumento da pressão é transmitida integralmente
● Sente-se em uma cadeira que tenha encosto.
em todos os pontos do fluido armazenado nele.
Esse princípio é conhecido como: ● Coloque seu braço sobre uma mesa de modo que a braçadeira
*a) Princípio de Pascal esteja no mesmo nível que seu coração.
b) Princípio de Newton ● Coloque os dois pés no chão.
c) Princípio de Torricelli
d) Princípio de Arquimedes

(UEG/GO-2018.1) - ALTERNATIVA: D
A figura seguir descreve dois líquidos em equilíbrio em um vaso co-
municante.
Das alternativas a seguir, assinale a que apresenta o princípio físico
que tem relação direta com a posição correta da braçadeira.
a) Se um corpo está em equilíbrio sob a ação exclusiva de três for-
ças não paralelas, então elas deverão ser concorrentes.
*b) Pontos de um mesmo líquido em equilíbrio situados em um mes-
mo plano horizontal recebem pressões iguais.
c) As alturas alcançadas por dois líquidos imiscíveis em um par de
A razão entre as densidades do líquido 1 em relação à do líquido 2 vasos comunicantes são inversamente proporcionais às suas mas-
é de sas específicas.
a) 1,80 d) Um líquido confinado transmite integralmente, a todos os seus
b) 1,33 pontos, os acréscimos de pressão que recebe.
c) 1,50 e) Todo corpo mergulhado em um fluido recebe um empuxo verti-
*d) 0,75 cal, de baixo para cima, cuja intensidade é igual ao peso do fluido
e) 2,66 deslocado.

(FGV/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: D (IFNORTE/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: A


Uma pessoa mergulhou na água do mar gelado de uma praia argen- Uma esfera, a qual apresenta densidade igual a d e peso igual a P,
tina e desceu até determinada profundidade. Algum tempo depois, encontra-se em equilíbrio, imersa em um líquido de densidade igual
ela teve a oportunidade de mergulhar à mesma profundidade na a 3d, presa por um fio inextensível e de volume desprezível, como
tépida água de uma praia caribenha. Lembrando que a densidade ilustra a FIGURA 04:
da água varia com a temperatura, é correto afirmar que o empuxo FIGURA 04
sofrido pela pessoa
a) e a pressão exercida pela água sobre ela foram os mesmos tanto
na praia argentina como na caribenha.
b) foi de menor intensidade na praia caribenha, mas a pressão exer-
cida pela água foi a mesma em ambas as praias.
c) foi de maior intensidade na praia caribenha, mas a pressão exer-
cida pela água nessa praia foi menor.
*d) foi de menor intensidade na praia caribenha, e a pressão exerci-
da pela água nessa praia foi menor também. Nas condições dadas, é CORRETO afirmar que a força de tração
e) foi de mesma intensidade em ambas as praias, mas a pressão no fio vale:
exercida pela água na praia caribenha foi maior. *a) 2 P b) 3 P c) 4P d) 5P
japizzirani@gmail.com 92
(CESUPA-2018.1) - ALTERNATIVA: D (VUNESP-FMJ/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Em uma piscina, uma criança tenta submergir uma prancha de iso- Um cilindro maciço de volume constante está totalmente imerso
por de alta densidade puxando-a para baixo com uma força de 50 em água quando começa a ser puxado verticalmente para cima por
N. Considerando que ela, no máximo afunde a metade da prancha, meio de um fio ideal, até sua emersão completa.
qual é a densidade do isopor, sabendo que seu volume total é igual A intensidade da força de tração no fio varia em função do tempo
0,1 m3 ? conforme o gráfico. No instante t 1, o cilindro inicia a saída da água e,
Dados: densidade de água: 1000 kg/m3 e aceleração da gravidade: 10 m/s2. no instante t 2, ele sai por completo.
a) 200 kg/m3
b) 900 kg/m3
c) 45 kg/m3
*d) 450 kg/m3

(UFPR-2018.1) - RESPOSTA: a) P = 2,4 W b) FA = 600 N


Numa prensa hidráulica, um fluido incompressível é utilizado como
meio de transferência de força de um êmbolo para outro. Numa des-

sas prensas, uma força F B foi aplicada ao êmbolo B durante um
intervalo de tempo Dt = 5 s, conforme mostra a figura abaixo.

Considere que g = 10 m/s2, que a densidade da água é igual


103 kg/m3 e que a resistência imposta pelo ar e pela água são des-
prezíveis. Se durante todo o tempo o movimento do cilindro é retilí-
neo e uniforme, seu volume é igual a
a) 6 × 10–3 m3.
*b) 8 × 10–3 m3.
Os êmbolos A e B estavam inicialmente em repouso, têm massas c) 4 × 10–3–3 m3.
desprezíveis e todas as perdas por atrito podem ser desprezadas. d) 3 × 10–3 m3.
As observações foram todas feitas por um referencial inercial, e as e) 12 × 10–3 m3.
áreas dos êmbolos são AA = 30 cm2 e AB = 10 cm2. A força aplicada
ao êmbolo B tem intensidade FB = 200 N e o fluido da prensa é
(FPS/PE-2018.1) - ALTERNATIVA: E
incompressível.
→ Uma bola homogênea de massa específica igual a 0,5 g/cm3 e vo-
a) Durante o tempo de aplicação da força F B, o êmbolo B desceu por lume V é mergulhada totalmente dentro de um recipiente com água,
uma distância dB = 6 cm. Qual a potência média do agente causador como mostrado na figura F3, e em seguida, liberada. Calcule a ace-

da força F B ? leração da bola.
b) Qual a intensidade FA da força produzida sobre o êmbolo A?

(UDESC-2018.1) - ALTERNATIVA: A
Os icebergs são estruturas de gelo que flutuam no mar. Sabe-se que
parte dos icebergs está submersa. Considere que a água do mar V
tenha densidade dmar = 1,03g/mL e que a densidade do gelo seja
dgelo = 0,92 g/mL.
Assinale a alternativa que corresponde ao valor aproximado da por- Figura F3
centagem do volume do iceberg que está fora d’água.
*a) 11% Despreze o atrito com a água, considere que a massa específica
b) 89% da água é igual a 1,0 g/cm3 e considere a aceleração da gravidade
c) 78% g = 10 m/s2. Dê sua resposta em m/s2.
d) 44% a) 2,0 m/s2
e) 31% b) 4,0 m/s2
c) 6,0 m/s2
(UEPG/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 13 (01+04+08)
d) 8,0 m/s2
Uma lata de capacidade 900 mL está preenchida com óleo de densi-
dade 0,8 g/cm3. Diante do exposto, assinale o que for correto. *e) 10 m/s2
Dado: g = 10 m/s2.
01) O peso do óleo contido na lata vale 7,2 N. (IFSUL/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: A
02) Uma esfera de chumbo de volume 10 cm3 solta na superfície do Um bloco composto de concreto e isopor, com massa de 5 kg, está
óleo descerá em movimento acelerado com aceleração maior que a em equilíbrio estático dentro de um recipiente preenchido com água
da gravidade. e possui 100% de seu volume submerso. O mesmo bloco foi retirado
04) Sendo a área da base da lata 38 cm2, a pressão exercida pelo e colocado em outro recipiente que estava preenchido com um fluido
óleo sobre essa base será menor que 2 000 Pa. cuja densidade é 2,0 g/cm3, e mantido no mesmo ambiente. Dessa
08) O peso específico do óleo é igual a 8 000 N/m3. maneira o corpo permaneceu estático e ficou com 50% do seu vo-
lume submerso.
Sabendo que a água tem densidade de 1 g/cm3 e g = 10 m/s2, o
(CEDERJ-2018.1) - ALTERNATIVA: A
→ empuxo sobre o bloco quando ele está no fluido de densidade igual
Um indivíduo sustenta uma pedra de peso P , de modo que ela se a 2,0 g/cm3, conforme descrito na situação acima, será:
encontra totalmente submersa próximo à superfície da água em
uma piscina. A pedra é abandonada e cai em direção ao fundo. O a) igual a situação na qual estava no fluido de densidade 1,0 g/cm3,
→ com valor de 50 N.
empuxo sofrido pela pedra é denotado por E . Nesse caso, a força

F que a pedra faz sobre a água é igual a b) igual a situação na qual estava no fluido de densidade 1,0 g/cm3,
→ com valor de 45 N.
*a) ‒ E
→ c) diferente à situação na qual estava no fluido de densidade
b) P 1,0 g/cm3, com valor de 50 N.
→ →
c) P – E d) diferente à situação na qual estava no fluido de densidade
d) 0 1,0 g/cm3, com valor de 45 N.
japizzirani@gmail.com 93
(PUC/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: D (UERJ-2018.1) - RESPOSTA: T = 52,5 N
Uma criança está brincando, de manhã, na piscina do condomínio Em uma experiência de hidrostática, uma bola de futebol foi presa
em que reside durante as férias de verão e observa que uma bola com um fio ideal no fundo de um recipiente com água, conforme
flutua na água da piscina. À tarde, a criança vai à praia e coloca o representado na figura.
mesmo brinquedo na água do mar. Sabe-se que a densidade da
água da piscina é menor do que a da água do mar.
Considerando que o brinquedo boiava em equilíbrio mecânico na
água da piscina, ao ser colocado na água do mar, após atingir o
equilíbrio mecânico, o brinquedo _________, e o empuxo que atua
sobre ele será _________ exercido quando estava em equilíbrio na
água da piscina.
a) afundará – igual ao
b) afundará – menor do que o
Sabe-se que a bola possui volume de 5,7 ×10–3 m3 e massa de
c) boiará – maior do que o
0,45 kg.
*d) boiará – igual ao
Determine, em newtons, a tração exercida pelo fio.

(PUC/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: D Dados:


Nas cidades próximas de Porto Alegre, um meio de transporte muito ● Aceleração da gravidade g = 10 m/s2
utilizado é o Trensurb, que em 2016 teve uma média de 186.343 ● Densidade da água d = 103 kg/m3
usuários por dia útil.
Uma criança embarca em um dos vagões do Trensurb segurando
um balão que contém, em seu interior, gás hélio. Enquanto o trem (SENAI/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: A
está parado, o balão encontra-se na posição vertical. O gráfico a Um manômetro, como o indicado na figura a seguir, é um instru-
seguir representa a velocidade medida para o vagão do Trensurb em mento utilizado para medir a pressão de fluidos, quando esses se
que a criança embarcou em função do tempo necessário para ele se encontram confinados em recipientes fechados.
movimentar entre duas estações consecutivas.

Considere que as janelas dos vagões estejam fechadas e que, nes-


se intervalo de tempo, a criança permaneça em repouso em relação
ao vagão.
As respectivas posições do balão nos instantes t1, t 2 e t 3 encontram-
se na alternativa Fonte: adaptado de: Disponível em:<http://www.qconcursos.com/questoes-de-con-
cursos/questao/f4595a7a-dc>. Acesso em: 08 fev. 2016.
a)
Considerando-se todas essas informações, calcula-se que a pres-
são, em mmHg, do fluido no bulbo é
*a) 810. d) 50.
b) 800. e) 40.
c) 760.

(CEFET/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: C
A figura a seguir mostra dois recipientes cilíndricos lacrados, con-
b) tendo um mesmo líquido, porém com alturas e diâmetros diferentes.
Considere P1 e P2 as pressões no interior do fundo dos frascos 1 e
2, respectivamente.

c)

*d)

A razão entre as pressões P1/P2 é dada por


a) 1/2.
b) 1.
*c) 2.
d) 4.
japizzirani@gmail.com 94
(UECE-2018.1) - QUESTÃO ANULADA (UFSC-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 22 (02+04+16)
Há uma legislação específica do Ministério da Saúde para produtos Em uma aula de laboratório, um professor de Física colocou dentro
comestíveis, como sorvetes, que estabelece, dentre outras normas, de um cilindro de vidro cinco líquidos não miscíveis de densidades
que o volume de 1 kg desses produtos deve ser de aproximadamen- diferentes (A, B, C, D e E), conforme mostra a figura abaixo. Em
te 2,105 L. Assim, é correto afirmar que a densidade recomendada seguida, apresentou três esferas maciças que foram colocadas den-
para esses produtos é tro do cilindro de forma que ficaram em equilíbrio em determinadas
a) 2,105 kg/L. posições. Os gráficos de densidade versus volume de cada um dos
b) 210,5 g/L. líquidos e a tabela com dados das três esferas são apresentados
c) 4,75 kg/L. abaixo. Considere patm = 105 N/m2.
d) 0,475 g/L.
OBS.: Resposta corrreta: 0,475 kg/L.

(UECE-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Considere um tanque cilíndrico com água e cuja pressão no fundo é
105 N/m2. Considerando a aceleração da gravidade como 10 m/s2 e
a densidade da água 1 kg/L, é correto afirmar que a altura da coluna
de água é, em metros,
a) 1.
*b) 10.
c) 0,1.
d) 100.

(UECE-2018.1) - ALTERNATIVA: A
A física ambiental aborda, dentre outros assuntos, a poluição atmos-
férica. Na atmosfera poluída de grandes centros urbanos há, além
de gases, poluentes na forma de partículas. A área superficial des-
sas partículas é um fator muito relevante no seu impacto ambiental.
Considere duas partículas com mesma densidade e tamanhos di-
ferentes, de modo que uma tem o dobro da massa da outra. Para
simplificar a análise, considere que as partículas sejam esféricas.
Suponha que seja colhida uma amostra A somente com partículas
maiores, e outra amostra B somente com partículas do tamanho
menor. As duas amostras têm a mesma massa total. A área total
das partículas em cada amostra é obtida pela soma das áreas das
esferas. Assim, a razão entre a área total na amostra de partículas
menores pela área total das partículas maiores é
*a) 21/3.
b) 22.
c) 2.
d) 22/3.

(IF/PE-2018.1) - ALTERNATIVA: A
Leia o TEXTO para responder à questão 26.
Com base no exposto e na figura acima, é correto afirmar que:
MAIOR NAVIO DO MUNDO 01. a esfera 1 possui maior densidade do que os líquidos A e B, po-
Com 93 metros de comprimento a mais que o Titanic, o Symphony
rém tem menor densidade do que os demais líquidos.
of the Seas será o maior navio do mundo a partir de abril de 2018,
02. a esfera 2 ficará em equilíbrio estático, totalmente submersa, em
quando sairá ao mar para suas primeiras viagens. A embarcação da
qualquer posição dentro do líquido B.
Royal Caribbean terá 362 metros de comprimento e pesará 230 mil
04. a esfera 3 ficará em equilíbrio quando estiver parcialmente sub-
toneladas - quase 3 mil a mais que o atual recordista, o navio Har-
mersa no líquido E.
mony of The Seas, da mesma empresa.
08. a pressão total exercida no fundo do cilindro de vidro é 105 N/m2.
SEQUIN, Amanda. Maior navio do mundo será lançado em abril de 2018. Disponível
16. quando todas as esferas estiverem em equilíbrio dentro do cilin-
em: < http://casavogue.globo.com/LazerCultura/Viagem/noticia/2017/03/maior-na-
vio-do-mundo-sera-lancado-em-abril-de-2018.html >. Acesso em: 6 out. 2017. dro, o empuxo aplicado sobre cada uma delas terá o mesmo módulo
de seus pesos.
QUESTÃO 26 32. a esfera 2 possui maior peso do que as demais esferas, por isso
Admitindo que o Symphony of the Seas esteja flutuando em águas ficará em equilíbrio no fundo do cilindro de vidro.
calmas cuja densidade volumétrica seja, aproximadamente, de
1,15×103 kg/m3 e que esse navio possua um volume total externo (UEPG/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 15 (01+02+04+08)
de, aproximadamente, 9 ×105 m3, determine o percentual aproxima- Uma esfera oca de raio externo igual a 10 cm e raio interno igual a
do do volume imerso dessa grandiosa embarcação. 9 cm flutua na água com metade de seu volume submerso. Despre-
*a) 22%. zando o peso do ar no interior da esfera, assinale o que for correto.
b) 25%.
c) 39%. Dados:
d) 20%. • aceleração da gravidade = 10 m/s2
e) 15%.
•π=3
• massa específica da água = 1 g/cm3
(UCB/DF-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Um elevador hidráulico levanta um veículo de 1,2 .103 kg, que está 01) A massa específica da substância da qual a esfera é feita é,
sobre um suporte ligado a um êmbolo de área correspondente a aproximadamente, 1,8 g/cm3.
1,0 m2, utilizando ar comprimido, que aumenta a pressão sobre um 02) O peso da esfera é 20 N.
êmbolo de área equivalente a 0,20 m2. Calcule a força aplicada no
êmbolo menor necessária para manter o carro suspenso. 04) Uma esfera maciça, de mesmo tamanho, feita da mesma subs-
Use g = 10 m/s2. tância da esfera oca e com um raio de 1 cm, não flutuaria na água.
a) 1,2 kN d) 0,12 kN 08) A densidade da esfera é 0,5 g/cm3.
b) 0,24 kN e) 6,0 kN 16) O módulo da força que deve ser aplicada na esfera para que
*c) 2,4 kN fique totalmente submersa é 6 N.
japizzirani@gmail.com 95
(UEM/PR-2018.1) - RESPOSTA: SOMA = 23 (01+02+04+16) (UFVJM/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Na extremidade direita de uma balança de dois braços com ponto de O princípio de Pascal enuncia que uma pressão exercida em um
apoio em c, suspende-se um pedaço de metal pelo ponto b. Seja P líquido é transmitida integralmente a todos os pontos deste líquido.
o seu peso. Verifica-se que a balança se equilibra ao suspender-se Na figura abaixo uma pessoa sobe em uma plataforma que afun-
uma tara (contrapeso) de mesmo peso P na extremidade do braço da por 2,94 m uma base com área A1, suspendendo um carro com
esquerdo pelo ponto a, quando os braços cb e ca são iguais. massa 1470 kg por uma altura H2. As plataformas são circulares e
a plataforma onde está localizado o carro tem raio sete vezes maior
que o raio da base pressionada pela plataforma da pessoa, ou seja,
R2 = 7R1 .

Em uma segunda situação, verifica-se que, ao imergir o pedaço de


metal em um recipiente com um certo líquido (água), a balança se
desequilibra.

ASSINALE a alternativa que contém, respectivamente, a massa da


pessoa e a altura H2 .
a) 71,4 kg e 0,42 m
*b) 30,0 kg e 0,06 m
c) 30,0 kg e 2,94 m
d) 71,4 kg e 0,06 m

Seja Pa o peso do líquido deslocado, assinale o que for correto. (UNIFESP-2018.1) - RESPOSTA NO FINAL DA QUESTÃO
01) O peso do líquido deslocado Pa e o empuxo que age sobre o Dois corpos, A e B, de massas 10 kg e 8 kg, respectivamente, cinco
pedaço de metal são iguais em módulo. polias e dois fios constituem um sistema em equilíbrio, como repre-
sentado na figura. O corpo A está parcialmente mergulhado na água,
02) O peso aparente do metal imerso na água é P – Pa .
com 40 cm de sua altura imersos e com sua base inferior paralela ao
04) Após a imersão do metal no líquido, uma das maneiras de ree-
fundo do recipiente e ao nível da água.
quilibrar a balança é aproximando convenientemente a tara do ponto
de apoio c, até uma posição e entre a e c.
08) Para que a balança acima esteja em equilíbrio, é suficiente que
a resultante das forças que atuam sobre ela seja nula.
16) No equilíbrio horizontal da segunda situação, o peso do metal P
está para o peso do líquido deslocado Pa , assim como a distância ac
está para a distância ae, ou seja,
P = ac .
Pa ae

(UEMG-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Considere a seguinte figura:

Adotando g = 10 m/s2, densidade da água igual a 103 kg/m3 e con-


siderando que os fios e as polias sejam ideais e que o teto seja
paralelo ao solo horizontal, calcule:
a) a diferença entre as pressões, em Pa, às quais estão submetidas
as bases superior e inferior do corpo A.
b) o volume do corpo A, em m3, que se encontra abaixo da superfície
da água.
RESPOSTA UNIFESP-2018.1:
a) DP = 0,4×104 Pa b) V = 2×10–3 m3

(IFF/RJ-2018.1) - RESPOSTA: a) 75% b) L = 1,5 m c) Sim, L = 0


A fim de festejar, Pedro decidiu decorar a sua casa com esferas
ocas de acrílico transparente. Dentro delas, colocou luzes de LED,
deixando-as próximo ao fundo de sua piscina cheia de água. Cada
Fonte: http://www.aerospaceweb.org/question/atmosphere/q0291.shtml
esfera tem 20 cm de diâmetro e 400 g de massa, além de mais
A cena resume, fotograficamente, o momento mais marcante do fil- 600 g de massa relativa a fios, luz e bateria, elementos que serão
me “2001, uma Odisseia no Espaço”, de Stanley Kubrick. É o mo- colocados no interior de cada esfera. Tentando mantê-la no fundo da
mento em que o astronauta David Bowman entra na nave-mãe (nave piscina, Pedro utiliza como âncora um cabo de aço bem fino (consi-
esférica maior) após acoplar, por avizinhamento, seu módulo de voo dere seu volume como nulo) com densidade linear de 2 kg/m. Base-
(nave esférica menor). A cena mostra o astronauta prestes a entrar ado nessas informações, responda:
na nave sem o capacete característico do traje espacial. A cena de
entrada dura menos de 10 segundos. É correto afirmar que o astro- Usar: g = 10,0 m/s2 ; ragua =1 000 kg/m3 ; p = 3.
nauta, caso esse fosse um acontecimento real, a) Pedro colocou uma esfera com o equipamento na água da pis-
a) morreria ou ficaria seriamente ferido, porque seu corpo poderia cina, porém esqueceu de colocar o cabo de aço. Nessa situação,
implodir com a diferença de pressão com o espaço sideral. quantos porcentos do volume total da esfera fica fora da água?
b) viveria, porque seu corpo conseguiria controlar os processos de b) Determine qual será o comprimento mínimo de cabo de aço que
embolia, hipertemia e aumento de temperatura. Pedro deverá usar para conseguir submergir completamente a es-
c) morreria, porque seria incinerado no espaço. fera.
*d) morreria ou ficaria seriamente ferido, porque, devido à tempe- c) Se Pedro comprasse outro modelo de esfera, com 200 g de mas-
ratura extremamente baixa e à pressão externa, seu corpo sofreria sa e 10 cm de diâmetro, seria alterada a quantidade de cabo de aço
com o congelamento e com os efeitos de alta pressão corpórea em necessária para manter a nova esfera submersa? Em caso afirmati-
relação à baixíssima pressão do espaço. vo, qual seria a quantidade necessária?
japizzirani@gmail.com 96
(ITA/SP-2018.1) - RESPOSTA NO FINAL DA QUESTÃO (UNICAMP/SP-2018.1) - RESPOSTA NO FINAL DA QUESTÃO
Uma esfera sólida e homogênea de volume V e massa específica Um gigantesco iceberg desprendeu-se recentemente da Antártida,
ρ repousa totalmente imersa na interface entre dois líquidos imiscí- no extremo sul do planeta. O desprendimento desse iceberg, bati-
veis. O líquido de cima tem massa específica ρc e o de baixo, ρ b , zado de A68, foi considerado um dos maiores eventos do gênero já
tal que ρc < ρ < ρ b . Determine a fração do volume da esfera imersa registrados pela ciência moderna. Segundo a NASA, é difícil prever
no líquido superior. se o iceberg permanecerá como um único bloco, mas é mais prová-
vel que ele se fragmente.
RESPOSTA ITA/SP-2018:
a) Considere que o iceberg tem o formato aproximado de uma pla-
Vc ρ ‒ρ
= ρb ‒ ρ ca de 6 000 km2 de área e 500 m de espessura. Sendo a densidade
V b c do gelo ρg = 900 kg/m3, calcule o empuxo sobre o iceberg que o
mantém flutuando.
(UFVJM/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: C b) Suponha um iceberg com velocidade de deriva constante. Em
Alguns seres terrestres seriam esmagados quando colocados em um dado momento, tensões internas fazem com que dois blocos
mares profundos. Assim, os seres adaptados para o mar profundo de gelo menores, A e B, se desprendam e sejam lançados em sen-
suportam as pressões existentes nas regiões abissais. Um exemplo tidos opostos e perpendicularmente à direção da velocidade de
desses animais são os equinodermos, Pepinos e Estrelas do Mar. deriva do iceberg. As massas dos blocos são mA = 2,0 ×105 kg e
Um equinodermo pode ser encontrado na região abissal a 2,0 km mB = 5,0 ×104 kg. Sabendo que imediatamente após a fragmenta-
de profundidade. ção a direção da velocidade de deriva do iceberg se mantém, e que
o módulo da velocidade do bloco A é vA = 0,5 m/s, calcule o módulo
Dados: Patm = 1,0 atm; g = 9,8 m/s2; densidade da água 1000 kg/m3
da velocidade do bloco B imediatamente após a ruptura.
e 1,0 atm = 105 N/m2.
RESPOSTA UNICAMP/SP-2018.1:
ASSINALE a alternativa que contém uma característica dos equino-
dermos e a pressão em atm experimentada por ele na região abissal. a) E = 2,7 ×1017 N b) | vB | = 2,0 m/s
a) Regeneração, 98 atm.
b) Exoesqueleto, 98 atm. (UNIVESP-2018.1) - ALTERNATIVA: C
*c) Regeneração, 197 atm. A figura mostra um navio mercante britânico que foi afundado na
d) Exoesqueleto, 197 atm. Segunda Guerra Mundial no Mar Vermelho, e que contém de tudo,
desde veículos e motocicletas até munições e outras armas.
(UNESP-2018.1) - RESPOSTA: a) v = 3,6 m/s b) r = 6,25×102 kg/m3
Uma esfera de massa 50 g está totalmente submersa na água con-
tida em um tanque e presa ao fundo por um fio, como mostra a
figura 1. Em dado instante, o fio se rompe e a esfera move-se, a
partir do repouso, para a superfície da água, onde chega 0,60 s após
o rompimento do fio, como mostra a figura 2.

(warpedspeed.com)
Um mergulhador explorando um caminhão afundado junto com o
navio aparece também. O mergulhador desceu verticalmente até o
local. Uma vez totalmente imerso, e durante esse movimento, o em-
puxo exercido pela água sobre o mergulhador
a) Considerando que, enquanto a esfera está se movendo no interior a) aumentou, mas a pressão exercida pela água permaneceu cons-
da água, a força resultante sobre ela é constante, tem intensidade tante.
0,30 N, direção vertical e sentido para cima, calcule, em m/s, a velo- b) aumentou, assim como aumentou a pressão exercida pela água.
cidade com que a esfera chega à superfície da água. *c) permaneceu constante, mas a pressão exercida pela água au-
b) Considerando que apenas as forças peso e empuxo atuam so- mentou.
bre a esfera quando submersa, que a aceleração gravitacional seja d) diminuiu, mas a pressão exercida pela água permaneceu cons-
10 m/s2 e que a massa específica da água seja 1,0 ×103 kg/m3, cal- tante.
cule a densidade da esfera, em kg/m3. e) diminuiu, mas a pressão exercida pela água aumentou.

(UFRGS/RS-2018.1) - ALTERNATIVA: B (VUNESP-UEFS/BA-2018.1) - ALTERNATIVA: A


A figura I representa um corpo metálico maciço, suspenso no ar por Um cilindro homogêneo de altura h pode flutuar em equilíbrio quan-
um dinamômetro, que registra o valor 16 N. do colocado em dois líquidos, A e B. No líquido A, o cilindro flutua
A figura II representa o mesmo corpo totalmente submerso na água, de acordo com a figura 1 e, no líquido B, de acordo com a figura 2.
e o dinamômetro registra 14 N.

Figura I Figura II
Desprezando o empuxo do ar e considerando a densidade da água Sendo dA e dB as densidades dos líquidos A e B, é correto afirmar
ra = 1,0 ×103 kg/m3 e a aceleração da gravidade g = 10 m/s2, o vo- que
lume e a densidade do corpo são, respectivamente,
a) 2,0 ×10–4 m3 e 10,0 ×103 kg/m3. 4
*a) dB = 2·dA d) dB = ·d
3 A
*b) 2,0 ×10–4 m3 e 8,0 ×103 kg/m3.
1
c) 2,0×10–4 m3 e 7,0×103 kg/m3. b) dB = 3·dA c) dB = ·dA
2
d) 1,5 ×10–3 m3 e 8,0×103 kg/m3.
3
e) 1,5 ×10–3 m3 e 7,0×103 kg/m3. c) dB = ·d
2 A
japizzirani@gmail.com 97
(UNIMONTES/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: D VESTIBULARES 2018.2
Uma esfera maciça de raio R e densidade ρ0 está parcialmente sub-
mersa em um líquido de densidade ρL . Se ¾ do volume total da es-
fera está completamente fora do líquido, a razão entre a densidade (SENAI/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: E
do líquido ( ρL ) e a densidade da esfera ( ρ0 ) vale: Na prática, observada na imagem a seguir, a pressão é o maior de-
safio a ser superado pelo homem, uma vez que seu sistema respira-
a) ¼.
tório não está adaptado ao meio.
b) ¾.
d) 3.
*d) 4.

(UECE-2018.1) - ALTERNATIVA: D
Considere um tanque cilíndrico de altura ℎ e completamente cheio
com um líquido incompressível. Seja PF e PM a pressão hidrostática
no fundo e a meia altura do tanque. Desprezando a pressão atmos-
férica, é correto afirmar que
a) PF = PM /2 .
b) PF = PM . Fonte: adaptado de: Disponível: <https://www.juicysantos.com.br/oportunidades/
c) PM − PF = PF . cursos-e-palestras/curso-demergulho-em-santos/->. Acesso em: 27 maio 2016.

*d) PF − PM = PM . Considerando que a pressão aumenta 1 atm para cada 10 m de co-


luna d’água (mais a pressão atmosférica), na profundidade indicada
nessa imagem, o mergulhador estará sujeito a uma pressão de
a) 150 atm.
b) 1 500 atm.
c) 10 atm.
d) 15 atm.
*e) 16 atm.

(SENAI/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: B
No laboratório, um físico utilizou um tubo com formato em U e co-
locou em seu interior água e um óleo natural feito a partir de rosas.

A partir dessas informações, sabendo que a densidade da água é


998 Kg/m3, qual a densidade aproximada do óleo?
a) 665,3 Kg/m3.
*b) 767,7 Kg/m3.
c) 1147,7 Kg/m3.
d) 1297,4 Kg/m3.
e) 1497,0 Kg/m3.

(SENAI/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: B
Em um elevador hidráulico, as áreas A1 e A2 medem, respectiva-
mente, 9 cm2 e 1100 cm2, como mostrada na figura a seguir.

Qual o valor aproximado da força F, indicada na figura, que deve ser


aplicada no elevador hidráulico para erguer um carro de peso igual
a 14.000 N ?
a) 125,0 N.
*b) 114,5 N.
c) 103,0 N.
d) 90,5 N.
e) 85,0 N.
japizzirani@gmail.com 98
(UFU/MG-TRANSF.2018.2) - ALTERNATIVA: C (UFU/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: B
Uma caixa de altura de 70,0 cm de massa específica m1 = 1 000,0 O apodrecimento do ovo gera a formação do gás sulfídrico, com
kg/m3 flutua em um líquido de massa específica m2 = 1 400,0 kg/m3. odor característico. Ao se adicionar um ovo podre em um copo com
Qual é a altura submersa da caixa? água e um ovo normal (sadio) em outro copo, observa-se que o ovo
a) 28,0 cm. a) sadio e o ovo podre irão afundar, pois possuem densidade maior
b) 0,02 cm. que a densidade da água.
*c) 50,0 cm. *b) podre irá boiar, pois a formação do H2S(g) diminui a densidade do
d) 0,01 cm. conjunto em relação à água.
OBS.: A caixa precisa ter formato de paralelepípedo ou de cilindro. c) podre irá afundar, pois a formação do gás sulfídrico não interfere
em sua densidade final.
d) sadio irá boiar, pois a presença de bolsas de ar dentro dele dimi-
(UNESP-2018.2) - ALTERNATIVA: D nui sua densidade.
No processo de respiração, o ar flui para dentro e para fora dos pul-
mões devido às diferenças de pressão, de modo que, quando não
há fluxo de ar, a pressão no interior dos alvéolos é igual à pressão (SENAI/SP-2018.2) - ALTERNATIVA OFICIAL: B
atmosférica. Na inspiração, o volume da cavidade torácica aumenta, A figura a seguir mostra a situação observada em um barômetro, em
reduzindo a pressão alveolar de um valor próximo ao de uma coluna dois dias distintos.
de 2,0 cm de H2O (água).
Considerando a aceleração gravitacional igual a 10 m/s2 e a massa
específica da água igual a 1,0 × 103 kg/m3, a variação da pressão
hidrostática correspondente a uma coluna de 2,0 cm de H2O é
a) 2,0 ×101 Pa.
b) 0,5 ×103 Pa.
c) 0,5×102 Pa.
*d) 2,0 ×102 Pa.
e) 2,0 ×103 Pa.

(UFU/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: D
Em uma sala de aula, um professor de física realiza o seguinte ex-
perimento: enrola um pedaço de papel na forma de um canudo e
o coloca atravessando um orifício feito na parte superior de uma
garrafa plástica, transparente, vazia e sem tampa, como ilustrado na Considerando a diferença na altura da coluna líquida, é correto con-
figura. Em seguida, ateia fogo na extremidade do canudo que está cluir que no dia
do lado de fora da garrafa. O que se observa como resultado é que a a) I a pressão atmosférica era menor.
fumaça do lado de fora da garrafa movimenta-se para cima, enquan- *b) II a temperatura ambiente era maior.
to, na outra extremidade do canudo, do lado de dentro da garrafa, a c) II a pressão atmosférica era maior.
fumaça flui para baixo (figura). d) II a temperatura ambiente era menor.
e) I a temperatura ambiente era igual a do dia II.

(PUC/PR-2018.2) - ALTERNATIVA: A
Considere um recipiente que contém uma massa m de um líquido A,
cuja densidade é dA = 0,80 g/cm3. Sobre o líquido boia em equilíbrio
uma bolinha de borracha, com um volume submerso igual a V1. No
mesmo recipiente é acrescida uma mesma massa m de outro líquido
(B), cuja densidade é dB = 1,2 g/cm3, sem que haja transbordamen-
to, formando uma mistura líquida homogênea de nova densidade.
Nessa situação, a bolinha passa a boiar em equilíbrio com um vo-
lume submerso V2. Considerando que as únicas forças que atuam
na bolinha são o seu peso e o empuxo, em relação ao volume V1, o
volume V2 é aproximadamente
*a) 17 % menor.
b) 17 % maior.
c) 20 % menor.
d) 20 % maior.
e) 25 % menor.
Um estudante, que acompanha o experimento, faz as seguintes afir-
mações: (UVV/ES-2018.2) - ALTERNATIVA: B
I. A fumaça, independentemente de estar do lado de fora ou “Navio petroleiro encalha em banco de areia durante
de dentro da garrafa, possui densidade menor que a do ar manobra no litoral de SP”
Disponível em: g1.globo.com. Acesso em: 20 de fevereiro de 2018.
atmosférico que a envolve.
Um navio petroleiro encalha em uma região onde a água do mar
II. A fumaça do lado de dentro da garrafa desce, porque o ar
possui uma densidade de 1030 kg/m3. Para que o navio flutue nova-
atmosférico que entra pela abertura superior da garrafa sem
mente, sua carga deverá ser bombeada para fora da embarcação.
tampa a arrasta para baixo.
Considere, também, que o petróleo bombeado seja armazenado em
III. A fumaça do lado de dentro da garrafa desce por estar em barris, de modo que a densidade média do barril com o petróleo
temperatura próxima à do ambiente e, por ser uma suspen- inserido dentro dele seja de 0,875 g/cm3. Desconsidere o volume
são de partículas, possui maior densidade que o ar atmos- ocupado pelo aço do barril.
férico. Mas se, durante o transporte dos barris cheios e vedados, um deles
cair no mar, pode-se afirmar que o barril
Em relação às afirmações acima, marque V para as verdadeiras e F
para as falsas e assinale a alternativa correta. a) afundará.
a) I – V; II – F; III – F. *b) ficará com aproximadamente 15% do seu volume visível.
b) I – V; II – V; III – V. c) ficará com aproximadamente 25% do seu volume visível.
c) I – F; II – V; III – F. d) ficará com aproximadamente 35% do seu volume visível.
*d) I – F; II – F; III – V. e) ficará com aproximadamente 55% do seu volume visível.
japizzirani@gmail.com 99
(CEDERJ-2018.2) - ALTERNATIVA: A (USS/RJ-2018.2) - ALTERNATIVA: D
Em uma indústria, encontram-se quatro tanques cilíndricos abertos Paredes de barragens são mais espessas na parte inferior, pois su-
superiormente. Os diâmetros dos tanques e as suas respectivas al- portam pressão mais elevada.
turas estão especifi cados na tabela: Admita uma barragem de base a 10 m de profundidade, contendo
um fluido homogêneo que permite uma pedra de gelo flutuar com
Tanque P Tanque Q Tanque R Tanque S 50% de seu volume submerso.
Considere a densidade do gelo igual a 900 kg/m3, a pressão atmos-
Diâmetro 1,0 m 2,0 m 1,0 m 2,0 m
férica igual a 105 Pa e a aceleração da gravidade igual a 10 m/s2.
Altura 1,5 m 1,0 m 1,5 m 1,0 m A pressão suportada na base dessa barragem, em Pascal, equiva-
lerá a:
Os tanques P e Q estão cheios completamente de água, enquanto a) 150 000
os tanques R e S estão completamente cheios de óleo. Sabendo-se b) 180 000
que a densidade do óleo é 80% da densidade da água, a pressão é c) 250 000
maior no fundo do tanque *d) 280 000
*a) P
b) Q
c) R (UNEMAT/MT-2018.2) - ALTERNATIVA: D
d) S Considere três recipientes iguais, abertos, contendo três fluidos in-
compressíveis, de densidades d1 , d2 e d3 , respectivamente, onde
d1 > d2 > d3 e, que estejam em repouso. As alturas de coluna de
(VUNESP-USCS/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: A líquido h1, h2 e h3 são iguais, como mostrado na figura I:
Um cilindro circular reto, maciço e homogêneo, feito de um mate-
rial de densidade dC , está suspenso por um fio ideal, em repouso
e totalmente imerso em água, cuja densidade é dA < dC . Nessas
condições, o cilindro está sujeito à ação das forças peso, empuxo
exercido pela água e tração exercida pelo fio.

Figura I
MÁXIMO, A.; ALVARENGA, B. Curso de Física. 6.ed. São Paulo: Scipione,
2010. v.1

Considerando a equação fundamental da Hidrostática, as pressões


p1, p2 e p3 ocorrem no fundo das paredes internas de cada recipien-
te.
Analise o que ocorre nas pressões p1, p2 e p3 e assinale a alternativa
correta.
a) As pressões p1, p2 e p3 são iguais, visto que os recipientes são
iguais.
b) As pressões p1, p2 e p3 são iguais, pois as colunas de líquido são
iguais (h1 = h2 = h3) e os recipientes contêm a mesma quantidade
de líquido.
Sendo h a altura do cilindro e r o raio de sua base, a intensidade da
c) As pressões absolutas no fundo dos recipientes são iguais, porém
força de tração no fio é
as pressões efetivas são diferentes, visto que os recipientes encon-
*a) (dC – dA )· π ·r 2 ·h ·g d) dC · π · r 2 · h· g tram-se abertos para a atmosfera.
b) dA· π ·r ·h ·g
2
e) (dC – dA ) · π · r · h2 · g *d) As pressões p1, p2 e p3 são diferentes, visto que as densidades
c) (dC + dA )· π ·r ·h ·g
2 dos líquidos são diferentes, embora eles apresentem a mesma altu-
ra de coluna de líquido.
e) As pressões p1, p2 e p3 são diferentes, porém as forças nas pare-
(SENAI/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: D des do fundo de cada recipiente são iguais (F1 = F2 = F3), tendo em
A figura a seguir representa um aparelho proposto por Evangelista vista que as áreas circulares são iguais, quando em contato com os
Torricelli, em 1643. líquidos.

(UDESC-2018.2) - ALTERNATIVA: D
Um certo paralelepípedo possui o volume de 1,0 L e é feito de ma-
terial com densidade de valor 1 500 kg/m3. Este paralelepípedo é
colocado sobre uma balança e todo este sistema é colocado em um
tanque com água, de modo que o paralelepípedo fique com metade
de seu volume submerso.
Considerando que a área da base do paralelepípedo ocupe toda a
área da balança, assinale a alternativa que corresponde ao peso do
paralelepípedo medido pela balança.
Dados: g = 10,0 m/s2 e dH2O = 1,0×103 kg/m3.
a) 15 N *d) 10 N
Fonte: Disponível em: <http://migre.me/wC7AG>. Acesso em: 12 jan. 2017. b) 20 N e) 25 N
c) 18 N
O instrumento mostrado na imagem tem como função medir
a) o índice pluviométrico de determinada região, pois quanto maior a
quantidade de chuva, maior a altura da coluna de mercúrio. (VUNESP-CEFSA/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: D
b) a temperatura do ambiente, pois quanto maior a temperatura, me- Com o propósito de medir a massa de uma fruta e sem dispor de
nor a altura da coluna de mercúrio. uma balança, colocou-se essa fruta na água contida num recipiente
c) a umidade do ar, pois quanto maior a quantidade de vapor no graduado em mililitros. Verificou-se que a fruta flutua com desloca-
ambiente, maior será a altura da coluna de mercúrio. mento de 10 mL de água. Sendo a densidade da água 1,0 g/mL, a
*d) a pressão atmosférica, uma vez que quanto maior a pressão do massa correta da fruta, em gramas, é
ar, maior a altura da coluna de mercúrio. a) 2. *d) 10.
e) o índice de evaporação, uma vez que quanto maior a taxa de b) 4. e) 12.
evaporação, menor a altura da coluna de mercúrio. c) 6.
japizzirani@gmail.com 100
(VUNESP-C.U.S.Camilo/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: E (FEI/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: B
A figura ilustra a experiência de Torricelli, realizada para medir a Uma força vertical de módulo 18,09 N atua sobre uma placa hori-
pressão atmosférica, utilizando um tubo cheio de mercúrio e compa- zontal de área 0,43 m2. Qual é a pressão exercida sobre a placa?
rando a pressão nos pontos B e C.
a) 42,70 Pa
*b) 42,07 Pa
c) 42,70 kgf/m2
d) 42,07 kgf/cm2
e) 42,70 lbf/in2

(VUNESP-UEFS/BA-2018.2) - ALTERNATIVA: C
Um mergulhador flutua em equilíbrio com sua cabeça fora da água.
Ao expirar, o volume de seus pulmões e o volume de água que ele
desloca diminuem, fazendo com que ele afunde na água.

Considere que o tubo da experiência esteja preenchido por um lí-


quido de densidade desconhecida, que a altura h seja 50 cm, que a
aceleração da gravidade seja 10 m/s2 e que a pressão atmosférica
local seja 1×105 Pa. A densidade desse líquido dentro do tubo é de
a) 10 g/cm3.
b) 15 g/cm3.
c) 5 g/cm3.
d) 8 g/cm3. (www.patadacobra.com.br)
*e) 20 g/cm3. A principal razão para o mergulhador afundar ao expelir o ar de seus
pulmões é a variação da intensidade
(PUC/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: A a) da aceleração da gravidade local.
Um objeto de peso P, quando totalmente imerso no ar, cuja massa b) de seu peso.
específica é dada por μ AR , fica submetido a um empuxo cujo módulo *c) do empuxo que atua sobre ele.
é dado por EAR . Esse mesmo objeto, quando colocado no interior de d) da densidade da água em que está imerso.
um recipiente totalmente preenchido por um certo líquido, passa a e) de sua massa.
flutuar completamente submerso. A expressão algébrica que permite
calcular a massa específica do líquido (μ LIQ), contido no recipiente, (ETEC/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: B
é a contida na alternativa: Para captar a água das chuvas, um caseiro decidiu construir uma
P.μ AR cisterna usando 3 grandes recipientes plásticos cúbicos de 1 m3
*a) μ LIQ = cada um. Cada recipiente possui, na parte superior, um furo que
EAR
permite a entrada e saída de ar. O conjunto foi montado e nivelado
EAR.μ AR sobre um piso horizontal e cada recipiente foi conectado como mos-
b) μ LIQ = tra a figura.
P
EAR.P
c) μ LIQ = μ
AR

d) μ LIQ = EAR .μ AR .P

(FEI/SP-2018.2) - ALTERNATIVA: A
As mesmas quantidades de água e de óleo foram colocadas em
um recipiente. A seguir, uma esfera cuja massa específica é
re = 9 ×102 kg/m3 foi colocada no recipiente também. Assinale a
alternativa que ilustra corretamente a localização da água, do óleo e
da esfera no recipiente.
Dados: rágua = 1×103 kg/m3 e róleo = 8×102 kg/m3.

*a) d) Modelo esquemático vazio

Considere que a cisterna está completamente cheia e que não haja


reposição de água.
Se a torneira for aberta, escoando-se toda a água possível, os níveis
de água que sobrarão, nos três recipientes, estão melhor represen-
tados na alternativa
a) d)
b) e)

*b) e)

c)
c)

japizzirani@gmail.com 101
(FPS/PE-2018.2) - ALTERNATIVA: C (IF/PE-2018.2) - ALTERNATIVA: E
À altura de 11 000 m, a pressão atmosférica é da ordem de 0,3 atm Em um recipiente contendo um líquido de densidade μ encontram-
(1,0 atm = 105 N/m2). A esta altura os aviões são projetados para se imersos três corpos, conforme demonstrado na figura.
pressurizar as cabines em pressões da ordem de 0,9 atm. Sabe-se
que a janela de um avião comercial mede tipicamente 30 cm de
altura por 20 cm de largura. Determine o módulo e o sentido da
força exercida sobre uma janela de um avião comercial supondo as
condições acima.
a) 4,0 ×103 N, de fora para dentro do avião.
b) 4,0 ×103 N, de dentro para fora do avião.
*c) 3,6 ×103 N, de dentro para fora do avião.
d) 4,6 ×103 N, de dentro para fora do avião.
e) 4,6 ×103 N, de fora para dentro do avião.

(VUNESP-UNIVAG/MT-2018.2) - ALTERNATIVA: A
A figura representa um cubo homogêneo, de lado L, flutuando
Sabendo que todo corpo imerso em um líquido fica sujeito a uma
na água em posição vertical, com 1/3 de sua altura submerso.
força E (empuxo) que se opõe a seu próprio peso, assinale a alter-
nativa CORRETA.
a) O empuxo no corpo 2 é menor que no corpo 1, pois o mesmo
encontra-se em menor profundidade.
b) O empuxo é igual para os corpos 1, 2 e 3.
c) O empuxo no corpo 1 é maior que no corpo 2.
d) O empuxo no corpo 3 é maior que no corpo 2.
*e) O empuxo é igual para os corpos 1 e 2 e diferente para o corpo 3.

Sabendo-se que a densidade da água é 1 g/cm3, a densidade do (UCB/DF-2018.2) - ALTERNATIVA: C


cubo é Suponha que, em um incidente, uma pessoa presa no subsolo inun-
*a) 1/3 g/cm3. dado de um prédio tenta respirar pela extremidade de um duto que
b) 2/3 g/cm3. está com a outra extremidade fora da água (1,00 ×103 kg/m3). Sabe-
c) 1,0 g/cm3. se que o sistema respiratório de um ser humano funciona de forma
adequada apenas para uma diferença de pressão inferior a 5,00 kPa
d) 1,5 g/cm3. entre o lado interno e o externo da caixa torácica. Admitindo-se a
e) 3,0 g/cm3. aceleração da gravidade local de 10,0 m/s2 e considerando que a
pessoa está com o corpo na horizontal, assinale a alternativa que in-
(IFSUL/RS-2018.2) - ALTERNATIVA: A dica a profundidade máxima na qual será possível a pessoa respirar
Quando é exercida uma pressão num ponto de um líquido, esta se enquanto aguarda o resgate.
transmite a todos os pontos do líquido. É o que ocorre, por exemplo, a) 1,00 m d) 5,00 m
quando um carro é elevado num macaco hidráulico. b) 10,0 m e) 500 m
*c) 0,500 m

(UECE-2018.2) - ALTERNATIVA: B
Uma caixa d’água a 5 m de altura do solo é conectada a duas tor-
neiras idênticas, ambas à mesma altura do solo. A torneira 1 é co-
nectada ao fundo da caixa por um cano de 25 mm de diâmetro, e
a torneira 2 é alimentada da mesma forma, mas por um cano de
40 mm. É correto afirmar que a pressão da água
a) na torneira 1 é maior que na 2.
*b) nas torneiras é a mesma se estiverem fechadas, e maior que
zero.
c) na torneira 2 é maior que na 1.
d) nas torneiras é zero se ambas estiverem fechadas.

https://www.infoescola.com/fisica/pressao-hidraulica-principio-de-pascal/ (UECE-2018.2) - ALTERNATIVA: A


Sabendo que A1 = 6 m2, A2 = 42 m2 e que a massa do carro é de Recentemente os noticiários reportaram um caso de resgate de pes-
soas em uma caverna alagada. Um mergulhador submerso, durante
840 kg, qual é o valor da força F1 ? (Use g = 10 m/s2)
o trajeto até o ponto de resgate, sofre uma pressão hidrostática de-
*a) 1 200 N
vido à coluna d’água sobre ele.
b) 106 N Tratando-o como puntiforme, essa pressão é dada pelo produto da
c) 890 N *a) densidade da água, aceleração da gravidade e distância à su-
d) 2 100 N perfície da água.
b) densidade da água, volume do mergulhador e aceleração da gra-
(IFSUL/RS-2018.2) - ALTERNATIVA: A vidade.
Inúmeros fenômenos físicos ocorrem no corpo humano, alguns na- c) densidade do mergulhador, volume do mergulhador e aceleração
turalmente e outros em situações específicas. A lei de Boyle, a qual da gravidade.
enuncia que, quando uma amostra gasosa sofre uma transformação d) densidade da água, volume e temperatura do mergulhador.
isotérmica, a variação do seu volume torna-se inversamente propor-
cional à variação de sua pressão, é uma referência para mergulha- (UECE-2018.2) - ALTERNATIVA: C
dores no que se refere aos seus comportamentos pulmonares. A pressão hidrostática na base de uma coluna de líquido é
De acordo com essa lei, na prática do mergulho, um mergulhador volume do líquido .
incorre em risco a sua saúde quando a) proporcional à razão
massa do líquido
*a) emergir. b) inversamente proporcional à altura.
b) iniciar sua imersão. massa do líquido .
*c) proporcional à razão
c) permanecer em repouso. volume do líquido
d) deslocar-se horizontalmente. d) inversamente proporcional à aceleração da gravidade.
japizzirani@gmail.com 102
(UECE-2018.2) - ALTERNATIVA: A (UEPG/PR-2018.2) - RESPOSTA: SOMA = 14 (02+04+08)
Para fazer o transporte de peixes de um açude, um caminhão trans- Uma das extremidades de uma mola é presa em um suporte, de
porta um depósito cúbico de aresta A com água até sua metade modo que seu comprimento esteja ao longo da vertical. O tamanho
em uma estrada plana horizontal ao longo de um comprimento de inicial da mola nessa configuração é 10 cm. Quando na outra extre-
10 km. A velocidade do caminhão é constante. O desnível q da su- midade é presa uma esfera de aço com 10 cm3 de volume, o com-
perfície da água no depósito em relação à superfície da estrada é primento da mola passa a ser de 12 cm. O sistema é montado de
tal que maneira que a esfera de aço fique totalmente submersa num certo
*a) cos q = 1. líquido contido num Becker. Sabendo que nesta situação o tamanho
da mola é 11,7 cm, assinale o que for correto.
b) cos q = ½.
c) cos q =√ 3/2 . Dados:
d) cos q = √ 3. • densidade do aço = 8 g/cm3
• g = 10 m/s2

(UPF/RS-2018.2) - ALTERNATIVA: C 01) Desprezando o volume da mola, o empuxo sobre a esfera quan-
Analise as seguintes afirmativas sobre fluidos: do ela estiver totalmente submersa no líquido é 1,2 N.
02) A massa da esfera de aço é 0,08 kg.
I. Um fluido em estado gasoso não exerce força de empuxo 04) A densidade do líquido é 1,2 g/cm3.
sobre um corpo nele mergulhado. 08) A constante elástica da mola é 40 N/m.
II. O empuxo sofrido por um corpo em água doce é o mesmo
sofrido por esse corpo em água salgada.
III. A diferença de pressão entre dois pontos de uma mesma
vertical, dentro de um líquido, depende da distância que se-
para esses pontos.
IV. Segundo o princípio de Arquimedes, o acréscimo de pressão
exercida num ponto de um líquido se transmite a todos os
pontos do líquido.
Está correto apenas o que se afirma em:
a) IV.
b) II.
*c) III.
d) II e III.
e) II e IV.

(UEM/PR-2018.2) - RESPOSTA: SOMA = 29 (01+04+08+16)


Considere uma esfera em repouso, de volume igual a 0,5 L, imersa
em água por meio de um fio ideal preso ao fundo de um recipiente
(conforme figura). Considere a densidade da água 1,0 g/cm3.

Supondo que a esfera seja feita de um único material, podendo


eventualmente ser oca na sua parte central, assinale o que for cor-
reto.
01) Se o fio está tracionado e a densidade do material constituinte da
esfera é maior do que a densidade da água, então necessariamente
a esfera é oca.
02) Se o fio está tracionado e a densidade do material constituinte da
esfera é menor do que a densidade da água, então necessariamente
a esfera é maciça.
04) Supondo que g = 10 m/s2 e que a densidade do material consti-
tuinte de uma esfera maciça seja igual a 0,2 kg/L, então o módulo da
força de tração a que o fio fica submetido é igual a 4 N.
08) O empuxo a que a esfera fica submetida na situação de imersão
total independe de a esfera ser oca ou maciça.
16) O empuxo a que a esfera fica submetida na situação de imersão
total independe do valor da densidade do material constituinte da
esfera.

(UEPG/PR-2018.2) - RESPOSTA: SOMA = 07 (01+02+04)


Um barco de massa de 2 000 kg e densidade de 800 kg/m3 flutua em
água. Diante disso, assinale o que for correto.
01) Quando flutuando vazio na água, o barco possui 80% de seu
volume submerso.
02) Se o valor da massa, de determinada carga, colocada no interior
do barco for maior do que 600 kg ele irá afundar.
04) O volume submerso do barco, para a situação de 400 kg de
carga em seu interior, é 2,4 m3.
08) Se o barco afundar, o empuxo exercido pela água sobre ele será
nulo.
16) O empuxo é uma força exercida apenas por líquidos sobre ob-
jetos neles imersos.
japizzirani@gmail.com 103
MECÂNICA (PUC/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: B
Por uma luva de redução de PVC, que fará parte de uma tubulação,
HIDRODINÂMICA passarão 180 litros de água por minuto. Os diâmetros internos dessa
luva são 100mm para a entrada e 60mm para a saída da água.

VESTIBULARES 2018.1

(IME/RJ-2018.1) - RESPOSTA: a) g = 2,0×10–4 K–1 b) v = 20 √ 5 m/s


A figura abaixo mostra esquematicamente um tipo de experimento
realizado em um túnel de vento com um tubo de Pitot, utilizado para
medir a velocidade v do ar que escoa no túnel de vento.
http://www.pvcbrazil.com.br

Determine, em m/s, a velocidade aproximada de saída da água por


v essa luva.
a) 0,8
*b) 1,1
c) 1,8
d) 4,1

h (UECE-2018.1) - ALTERNATIVA: A
Considere um tanque cilíndrico contendo água até uma altura h, em
metros. No fundo do tanque há uma torneira, através da qual passa
um determinado volume (em m3) de água a cada segundo, resul-
tando em uma vazão q (em m3/s). É possível escrever a altura em
Para isso, a diferença de nível h entre as colunas do líquido é regis-
função da vazão q através da equação h = Rq, onde a constante
trada. Em um dia frio, o experimento foi realizado e foi obtido o valor
de proporcionalidade R pode ser entendida como uma resistência
de 10,00 cm para a diferença de nível h. Em um dia quente, o expe-
mecânica à passagem do fluido pela torneira. Assim, a unidade de
rimento foi repetido e foi obtido o valor de 10,05 cm para a diferença
medida dessa resistência é
de nível h. Determine:
a) o valor do coeficiente de dilatação volumétrica do líquido no in- *a) s / m2.
terior do tubo, sabendo que a variação de temperatura entre o dia b) s / m3.
quente e o dia frio foi de 25 K;
c) m3/ s.
b) a velocidade do ar v.
d) m / s.
Dados:
• a massa específica do líquido é 1.000 vezes maior que a massa
específica do ar no dia frio; e (UFJF/MG-2018.1) - ALTERNATIVA: B
• aceleração da gravidade: g = 10 m/s2. Para economizar energia, você contratou uma bombeira hidráulica,
chamada Maria Emmy, que instalou um sistema de aquecimento so-
Considerações: lar para um reservatório de água. O reservatório é conectado ao
• a velocidade do ar no túnel de vento foi a mesma nos dois expe- chuveiro de sua casa por 12 metros de tubulação com diâmetro de
rimentos; 1 cm. Quando a torneira é aberta, o chuveiro apresenta uma vazão
• a massa específica do ar foi a mesma nos dois experimentos; constante de 6 litros por minuto. Quanto tempo você deve esperar
• a aceleração da gravidade foi a mesma nos dois experimentos; e
para começar a cair água quente no chuveiro? Utilize π ≈ 3.
• despreze a dilatação térmica da estrutura do tubo de Pitot.
a) 18 s
*b) 9 s
(UEPA-2018.1) - ALTERNATIVA: B c) 36 s
Um reservatório de altura H preenchido por água possui um tubo d) 2,25 s
de seção reta circular de diâmetro D instalado à altura da sua base, e) 5,5 s
permitindo, quando aberto, que a água escoe sem turbulência e sem
atrito, conforme mostrado na figura. (ITA/SP-2018.1) - ALTERNATIVA: C
Na figura, o tanque em forma de tronco de cone, com 10,0cm de raio
da base, contém água até o nível de altura h = 500 cm, com 100 cm
de raio da superfície livre.

Sabendo que no ponto B o tubo sofre um estrangulamento e que seu


diâmetro passa a ser d (com d < D), é correto afirmar que:
a) admitindo que não haja furos no tubo, a quantidade (Q) de água
que o reservatório perde por unidade de tempo, denominada vazão Removendo-se a tampa da base, a água começa a escoar e, nesse
volumétrica, será dada pela expressão: Q = H/t. instante, a pressão no nível a 15,0 cm de altura é de
*b) caso a saída de água (no ponto A) esteja fechada, a Lei de Stevin a) 100 kPa.
pode ser usada para calcular a pressão da água dentro do reserva- b) 102 kPa.
tório, em função da profundidade (medida a partir da superfície da *c) 129 kPa.
água). d) 149 kPa.
c) de acordo com as leis do escoamento, o estrangulamento na se- e) 150 kPa.
ção reta do tubo força a água a passar mais devagar pelo ponto B
do que pelo ponto A.
d) a velocidade vB do fluido no ponto B é calculada por meio da ex-
pressão matemática vB = (D/d)vA , onde vA é a velocidade do fluido
no ponto A.
e) como consequência do princípio de Arquimedes, durante um es-
coamento a pressão pB no ponto B será igual à pressão pA no ponto
A.
japizzirani@gmail.com 104
VESTIBULARES 2018.2

(IFSUL/MG-2018.2) - ALTERNATIVA: C
Cinco torneiras idênticas, com mesma vazão, enchem uma piscina
de 100.000 L em 12 horas. Se duas destas torneiras estão estraga-
das, o tempo gasto para encher, utilizando as demais torneiras, uma
piscina de 20.000 L será:
a) 1 hora
b) 2 horas e 24 min
*c) 4 horas
d) 7 horas e 12 min

(UECE-2018.2) - ALTERNATIVA: B
Uma caixa d’água a 5 m de altura do solo é conectada a duas tor-
neiras idênticas, ambas à mesma altura do solo. A torneira 1 é co-
nectada ao fundo da caixa por um cano de 25 mm de diâmetro, e
a torneira 2 é alimentada da mesma forma, mas por um cano de
40 mm. É correto afirmar que a pressão da água
a) na torneira 1 é maior que na 2.
*b) nas torneiras é a mesma se estiverem fechadas, e maior que
zero.
c) na torneira 2 é maior que na 1.
d) nas torneiras é zero se ambas estiverem fechadas.

japizzirani@gmail.com 105