Вы находитесь на странице: 1из 6

1

Aplicação de Bancos de Capacitores Série na


Transmissão CA de Longa Distância: o Exemplo
da Interligação Tucuruí – Macapá - Manaus
Manfredo Correia Lima (*), Fernando Rodrigues Alves
Chesf
André Luiz Oliveira, Luis Paulino da Silva, Mario Nelson Lemes, Ricardo Quirante
Siemens
Resumo--Através do leilão ANEEL 004/2008, a interligação
1
sua capacidade inicial será de 1730MW, podendo ser
Tucuruí-Macapá-Manaus foi dividida em três lotes, cabendo ao expandido até 2530MW. A previsão de demanda dos sistemas
Consórcio Manaus Transmissora de Energia (MTE), formado isolados a serem supridos por este empreendimento em 2012 é
por Abengoa, Chesf e Eletronorte, a implantação do lote C, de 1400MW, atingindo 1900MW em 2017. Sua operação
formado pelas linhas Oriximiná - Silves - Lechuga 500kV e das
permitirá redução significativa na queima de combustíveis
subestações Silves e Lechuga. Para atendimento aos critérios de
planejamento e procedimentos de rede, está prevista a instalação fósseis e na emissão de CO2 na atmosfera de cerca de um
de bancos de capacitores série (BCS) em todos os trechos de milhão de toneladas por ano.
linha, com grau de compensação de 70%. Este trabalho descreve Este sistema apresenta como principais desafios para sua
os principais aspectos de projeto dos BCS integrantes do Lote C implantação a necessidade de utilização de torres de
do Sistema Tucuruí-Macapá-Manaus, com ênfase no transmissão com alturas de 250 a 280m e utilização de cabos
dimensionamento dos seus sistemas de proteção, efetuada através subaquáticos para travessias de rios, além de restrição de
de Spark Gaps e MOV (Metal Oxide Varistors) e na definição acesso durante certas estações do ano em algumas áreas e a
das suas características nominais. Em complemento, é exigência da elevação das torres acima das copas das árvores.
apresentada uma descrição dos testes de aceitação em fábrica dos
O referido sistema foi dividido em três lotes, objeto do leilão
sistemas de proteção e controle dos referidos BCS, destacando-se
os principais resultados e conclusões. ANEEL 004/2008, conforme Fig. 1, onde as subestações
Silves e Lechuga são identificadas como Itacoatiara e Cariris,
Palavras-Chave—Bancos de Capacitores Série, Grau de conforme Edital da ANEEL [1]. O lote C, formado pelas
Compensação, Metal Oxide Varistor (MOV), Proteção e linhas Oriximiná-Silves e Silves-Lechuga, além das
Controle, Spark Gap, Testes de Aceitação em Fábrica, subestações 500/138kV Silves e 500/230kV Lechuga, teve
Transitórios Eletromagnéticos. como vencedor o Consórcio Manaus Transmissora de Energia
(MTE), formado por Abengoa, Chesf e Eletronorte. Para
I. INTRODUÇÃO permitir o atendimento aos critérios de planejamento e
procedimentos de rede, serão instalados, dentre outros
equipamentos de compensação, bancos de capacitores série
O Programa de Expansão da Transmissão 2008 - 2012 da
Empresa de Planejamento Energético (EPE) definiu o
conjunto de obras necessárias ao sistema elétrico brasileiro no
em todos os trechos das linhas de 500kV, cujas principais
características são descritas ao longo deste trabalho.
horizonte de cinco anos, remetido ao Ministério de Minas e Bancos de capacitores série (BCS) atuam reduzindo a
Energia e à ANEEL como recomendação para ser objeto de reatância série da linha de transmissão, elevando desta forma
leilão de concessão. Para a região Norte do Brasil, o referido sua capacidade de transmissão nos regimes permanente e
programa definiu a instalação da interligação Tucuruí- dinâmicos [2], conforme Fig. 2, onde (U1, 1) e (U2, 2)
Macapá-Manaus, composta por 1490km de linhas de representam respectivamente o módulo e o ângulo das tensões
transmissão em 500kV conectando Tucuruí a Manaus nas barras fonte e carga.
(Lechuga), com quatro subestações intermediárias (Xingu,
Jurupari, Oriximiná e Silves) e por 339km de linhas de II. CARACTERÍSTICAS NOMINAIS DOS BCS
transmissão em 230kV de Jurupari a Macapá, com uma
subestação intermediária em Laranjal, utilizando estruturas de Os BCS objeto deste artigo foram dimensionados para
circuito duplo em corrente alternada. A referida interligação compensar 70% da reatância série das linhas onde estão
permitirá a integração dos sistemas que alimentam a Região instalados e por razões práticas, foram divididos em duas
Amazônica, atualmente operando isolados e supridos seções de 35% cada, instaladas nos terminais de cada linha,
principalmente por usinas térmicas a óleo e gás, ao Sistema sendo este percentual denominado Grau de Compensação. A
Interligado Nacional, o que proporcionará expressiva melhoria solução mais eficiente e economicamente viável para o
na qualidade da energia fornecida. O início da operação do sistema sob análise contemplou o emprego de MOV (Metal
referido sistema é previsto para o segundo semestre de 2012 e Oxide Varistors) e Spark Gaps associados aos capacitores
série (Fig. 3). A proteção contra faltas externas é efetuada por
(*) Rua Delmiro Gouveia, 333 Bongi – CEP 50761-901 – Recife – PE – meio dos MOV, não sendo necessário neste caso o by-pass
Brasil. Tel: (+55 81) 3229-2539 – Fax (+55 81) 3229-2488 – email: dos capacitores série. Neste caso, quando a tensão nos
manfredo@chesf.gov.br
2

terminais do MOV ultrapassa o valor especificado em projeto terminal dos capacitores durante defeitos no sistema de
(ULIM), sua resistência é drasticamente reduzida, produzindo transmissão. Conforme o Edital ANEEL[1], os MOV devem
um caminho atrativo para as elevadas correntes que circulam suportar o ciclo de sobretensão da Tabela II, sem ter que
pela linha durante a falta e protegendo os capacitores dos seus ingressar nas respectivas regiões de condução das suas curvas
efeitos destrutivos. Na ocorrência de faltas internas, caso os VxI.
limites de corrente ou energia dos MOV definidos durante o
projeto sejam atingidos, o conjunto (BCS + MOV) é curto-
circuitado pela ação do Spark Gap e em seguida, ocorre o
fechamento do disjuntor de by-pass. No sistema sob análise, o
cálculo das energias dos MOV apresenta característica
peculiar, uma vez que devido à configuração do sistema de
transmissão (circuitos paralelos, 50% da compensação série
instalada em cada terminal), a falta interna para um dado BCS
é falta externa para o BCS adjacente. Para o dimensionamento
das energias associados aos MOV, foram realizados estudos
de transitórios eletromagnéticos em ATP, considerando a
aplicação de faltas externas e internas, nas configurações do
sistema elétrico definidas pelo Edital [1], [3].

Fig. 3. Banco de capacitores série – diagrama unifilar

TABELA I
GRANDEZAS ELÉTRICAS DOS BCS DO LOTE C
Linha Circuito Terminal X() INOM (A) ULIM (pu)
ORX - SIL C1 Oriximiná 31,45 1900 2,28
ORX - SIL C2 Oriximiná 31,45 1900 2,28
ORX - SIL C1 Silves 31,45 1900 2,30
ORX - SIL C2 Silves 31,45 1900 2,30
Fig. 1. Composição dos lotes do sistema de transmissão
SIL – LEC C1 Silves 21,09 1840 2,25
Tucuruí-Macapá-Manaus [1]
SIL – LEC C2 Silves 21,09 1840 2,25
SIL – LEC C1 Lechuga 21,09 1840 2,26
SIL - LEC C2 Lechuga 21,09 1840 2,26

TABELA II
CICLO DE SOBRETENSÃO DOS MOV LOTE C[3]
ORX SLV I SLV II LEC
Especificações
(kV) (kV) (kV) (kV)
Operação Contínua 1,0 pu 59,8 59,8 38,8 38,8
Sobretensão Freq. Fund. 8h
65,7 65,7 42,7 42,7
1,10 pu
Sobretensão Freq. Fund.
80,8 80,7 52,4 52,4
Fig. 2. Princípio de funcionamento da compensação série 30min 1,35 pu
Sobretensão Freq. Fund.
89,6 89,6 58,2 58,2
A. Considerações de Projeto 10min 1,50 pu
Sobretensão por corrente de
113,5 113,5 73,7 73,7
swing 10 seg 1,9 pu
Os valores das grandezas elétricas dos BCS objeto deste
trabalho são indicados na Tabela I [3]. O tipo de proteção Nos estudos realizados durante a elaboração do projeto básico
empregado em um sistema de compensação série é do Lote C, foi analisada eventual influência da compensação
primordialmente definido através da simulação da aplicação e série na manobra de religamento monopolar, concluindo-se
eliminação de faltas em linhas e subestações próximas e não haver restrição à implantação do mesmo.
remotas. A seguir são fornecidos detalhes relativos ao projeto Dois principais tipos de falta devem ser considerados no
dos principais equipamentos que integram os BCS do Lote C, dimensionamento das energias dos MOV, conforme descrito a
com ênfase na definição das características dos MOV. seguir.
Faltas Externas: São aplicadas externamente à parcela da
B. Metal Oxide Varistors (MOV) linha onde se encontram os BCS, delimitada pelos disjuntores
de linha. Os MOV devem ser dimensionados para suportarem
Para proteger os capacitores série contra sobretensões, os sem perda de vida útil a aplicação de tais faltas, pois o by-pass
MOV devem atender aos requisitos dos ciclos de operação dos capacitores série não é permitido nesta situação [1].
contínuo e de sobrecarga pós faltas, além de limitar a tensão
3

Fig. 4. Diagrama Unifilar Simplificado da Rede Completa Representada nas Simulações em ATP

Faltas Internas: São aplicadas no interior da parcela da linha de energia deve ser de 12,2MJ / 100ms, considerando 10% de
onde se encontram instalados os BCS. Neste caso, é permitido margem de segurança de projeto. Caso um destes valores seja
o by-pass do BCS através do Spark Gap [1], que conduzirá atingido, a falta é considerada pelo sistema de proteção como
em cerca de 1ms. Em seguida, se dará o fechamento do interna e os sinais para disparo do Spark Gap em 1ms e
disjuntor de by-pass entre 30 e 40ms, concluindo a operação posterior fechamento do disjuntor de by-pass são produzidos.
de by-pass dos BCS. Para os BCS do terminal Silves, lado Oriximiná, tais valores
Para determinação das energias dos MOV, faltas trifásicas à são de 7,9kA e 13,8MJ / 100ms. Faltas que produzam valores
terra são aplicadas em pontos selecionados, com duração de de corrente e energia inferiores aos aqui apresentados não
100ms. Para garantir que condição mais severa é obtida, o deverão produzir o by-pass dos BCS por serem consideradas
instante de aplicação da falta é variado com incremento de 6 faltas externas.
ao longo de um ciclo da tensão de 500kV. A seguir são
apresentados os resultados das simulações em ATP que Faltas Internas
propiciaram a definição das energias nominais dos MOV do
Lote C. Os locais de aplicação de falta referem-se à Fig. 4. Os resultados das simulações efetuadas indicam que a falta
interna mais severa para os MOV situados nas linhas
C. MOV das Linhas Oriximiná-Silves Oriximiná-Silves quanto ao critério de sobrecorrente é aquela
aplicada nos terminais do capacitor, lado da linha, com a linha
Faltas Externas paralela fora de operação. As Figs. 5 mostram os resultados
das referidas simulações para os BCS de Oriximiná.
Os resultados das simulações efetuadas indicam que a falta
externa mais severa para os MOV situados nas linhas
Oriximiná (ORX) - Silves (SLV) é aquela aplicada no
barramento de Silves 500kV com uma das linhas paralelas
fora de operação (Fig. 4). Os estresses mais severos
decorrentes da aplicação desta falta para os BCS dos terminais
de Silves e Oriximiná são resumidas na Tabela III, já
incluindo-se margens de segurança de projeto de 15% para as
correntes e de 10% para as energias acumuladas.

TABELA III Fig. 5a. Terminal Oriximiná: Tensão no MOV para a falta interna mais severa
MÁXIMAS SOLICITAÇÕES PARA FALTAS EXTERNAS quanto à sobrecorrente no MOV. Eixo vertical em kV
Grandeza Oriximiná Silves I
Tensão no MOV (kVp) 187,0 190,0
Corrente no MOV (kAp) 6,5 6,9
Energia Acumulada (MJ) 11,1 12,5

Com base nos resultados da Tabela III, a proteção dos BCS


pode ser ajustada para distinguir entre faltas internas e
externas. Para os MOV dos BCS do terminal Oriximiná, o
ajuste da proteção de sobrecorrente deve ser de 7,5kA,
considerando 15% de margem de segurança de projeto,
Fig. 5b. Terminal Oriximiná: Corrente no MOV para a falta interna mais
enquanto que o ajuste da proteção correspondente ao gradiente severa quanto à sobrecorrente no MOV. Eixo vertical em kA
4

Os MOV devem suportar os estresses decorrentes da aplicação


de duas faltas externas ou internas subseqüentes [1]. Isto
requer valores de energia acumulada de 26,6MJ (2 x 13,3)
para Oriximiná e 30,7MJ (2 x 15,35) para Silves I (lado
Oriximiná), sem considerar a reserva de 25% [1]. As colunas
de MOV reservas devem permanecer energizadas para manter
as mesmas características de envelhecimento das demais.
As curvas dos MOV aplicados nas linhas Oriximiná – Silves,
sem considerar a reserva de 25%, são apresentadas nas Figs. 7
Fig. 5c. Terminal Oriximiná: Energia no MOV para a falta interna mais
severa quanto à sobrecorrente no MOV. Eixo vertical em MJ.
e 8.

A falta interna mais severa para os MOV situados nas linhas


Oriximiná-Silves quanto ao critério de energia acumulada é
apresentada nas Figs. 6.

Fig. 6a. Terminal Oriximiná: Tensão no MOV para a falta interna mais severa
quanto à energia acumulada. Eixo vertical em kV Fig. 7. Característica VxI dos MOV das linhas Oriximiná – Silves, terminal
Oriximiná

Fig. 6b. Terminal Oriximiná: Corrente no MOV para a falta interna mais
severa quanto à energia acumulada. Eixo vertical em kA

Fig. 8. Característica VxI dos MOV das linhas Oriximiná – Silves, terminal
Silves

D. MOV das Linhas Silves-Lechuga

Com base na mesma seqüência descrita em II.C, as Tabelas


Fig. 6c. Terminal Oriximiná: Energia acumulada no MOV para a falta interna V e VI apresentam as mais severas solicitações para faltas
mais severa quanto à energia acumulada. Eixo vertical em MJ. externas e internas para os MOV dos BCS instalados nas
linhas Silves – Lechuga. A falta interna que produz a máxima
A falta interna que produz a máxima energia acumulada no corrente nos MOV é aquela aplicada nos terminais do
MOV aqui apresentada é trifásica à terra e aplicada a 135km capacitor, lado da linha, com a linha paralela fora de
do terminal Oriximiná, com o circuito paralelo em operação operação. A falta interna que produz a máxima energia
na configuração do sistema 2018. Com base nas simulações acumulada no MOV aqui apresentada é trifásica à terra e
realizadas, as máximas solicitações a que são submetidos os aplicada a 90km do terminal Silves, na direção de Lechuga,
MOV das linhas Oriximiná-Silves durante faltas internas são com o circuito paralelo em operação, na configuração do
resumidas na Tabela IV. sistema 2018.
TABELA IV TABELA V
MÁXIMAS SOLICITAÇÕES PARA FALTAS INTERNAS MÁXIMAS SOLICITAÇÕES PARA FALTAS EXTERNAS
Grandeza Oriximiná Silves I Grandeza Silves II Lechuga
Nível de Proteção (kVp) 192,9 194,4 Tensão no MOV (kVp) 120,0 121,0
Corrente no MOV (kAp) 13,6 11,7 Corrente no MOV (kAp) 7,2 7,3
Energia Acumulada (MJ) 13,3 15,35 Energia Acumulada (MJ) 7,7 8,1
5

que as chaves seccionadoras de by-pass sejam abertas com


TABELA VI tensão nula quando ocorre o by-pass do BCS, mesmo que
MÁXIMAS SOLICITAÇÕES PARA FALTAS INTERNAS
através do disjuntor de by-pass circule a corrente nominal da
Grandeza Silves II Lechuga
Nível de Proteção (kVp) 123,8 124,3 linha. Para limitar o valor de pico da corrente de descarga do
Corrente no MOV (kAp) 14,7 12,5 capacitor durante a operação de by-pass, um reator de 0,4 mH
Energia Acumulada (MJ) 9,75 9,85 foi escolhido para os BCS de ORX e SLV I e um reator de
0,24mH foi escolhido para os BCS de SLV II (Silves, lado
Os MOV devem suportar os estresses decorrentes da Lechuga) e Lechuga (LEC). Isto resulta em correntes de
aplicação de duas faltas externas ou internas subseqüentes descarga com freqüências de, respectivamente, 866 Hz e 916
[1]. Isto requer valores de energia acumulada de 19,5MJ (2 x Hz. O amortecimento desejado é obtido através da introdução
9,75) para Silves II e 19,7MJ (2 x 9,85) para Lechuga, sem de um resistor de 4 (ORX e SLV I) e de 3 (SLV II e LEC)
considerar a reserva de 25% [1]. As colunas de MOV reserva conectado em paralelo ao reator. O projeto deste circuito é
devem permanecer energizadas para manter as mesmas efetuado de forma a atender ao especificado na Norma
características de envelhecimento das demais. IEC142-2. Para evitar que a corrente de regime permanente
circule através do reator, o que elevaria as perdas do conjunto,
E. Capacitores
um gap auxiliar é conectado em série com o resistor, cujo
disparo ocorre quando tensões associadas aos requisitos de
Os capacitores dos BCS são projetados para suportar as
sobrecarga dos capacitores surgem nos seus terminais. Desta
correntes nominais e de sobrecarga estabelecidas em [1]. A
forma, o resistor é inserido apenas durante a operação de
Tabela VII apresenta um resumo das suas grandezas elétricas.
descarga e não é necessário dimensioná-lo para operação em
Os capacitores são protegidos por MOV conectados em
regime permanente. O referido elemento é dimensionado para
paralelo. Circuitos de amortecimento são instalados para
suportar um ciclo de trabalho de duas descargas consecutivas.
limitar as correntes de descarga dos capacitores por ocasião do
by-pass (Fig. 3).
III. TESTES DE ACEITAÇÃO EM FÁBRICA
TABELA VII
RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS ELÉTRICAS DOS CAPACITORES O processamento das funções de proteção dos BCS do Lote C
DOS BCS LOTE C é feito por controladores digitais programáveis da família
Especificações ORX SLV I SLV II LEC
Simatic TDC (Technology and Drives Control). Cada rack
Corrente Nominal (A) 1900 1900 1840 1840
Impedância () 31,45 31,45 21,09 21,09 possui 21 slots, onde são instalados os módulos de
Corrente Sobrecarga 8h 1,1 pu 2090 2090 2024 2024 processamento, de entradas e saídas, comunicação e do
Corrente Sobrecarga 30 min 1,35 pu 2565 2565 2484 2484 sistema ótico de medição [5].
Corrente de swing 10 seg 1,9 pu 3610 3610 3496 3496

A Fig. 9 apresenta a disposição das housings de MOV de uma


instalação semelhante às do lote C do sistema Tucuruí-
Manaus.

Housings dos
MOV

Fig. 10. Funções de proteção dos BCS integrantes do Lote C [5]

Existem dois sistemas independentes e redundantes, que


operam simultaneamente em condições normais, um definido
como Master e o outro como Slave. O Master define quais
parâmetros de instalação e ações do operador são válidas,
executa os comandos e atualiza o Slave, caso seja detectada
diferença entre eles. A comutação dos sistemas entre os
estados Master e Slave pode ser feita manualmente pelo
operador ou de forma automática, caso seja detectada falha no
Fig. 9. Disposição dos capacitores e MOV na plataforma do BCS sistema Master. Caso haja falha em ambos os sistemas, ocorre
o by-pass do BCS ou sua reinserção é bloqueda, caso esteja
fora de operação.
F. Circuito de Amortecimento
Exitem três estados possíveis para o BCS, a serem
Destina-se a efetuar a descarga do BCS durante a ocorrência
selecionados pelo operador:
de faltas internas, caso se verifique o by-pass dos mesmos. É
conectado em série com os capacitores e através dele circula a  BCS by-passado, desconectado e aterrado.
corrente da linha de transmissão (Fig. 3). Este arranjo permite  BCS conectado, porém by-passado.
6

 BCS inserido e em operação. A proteção Gradiente de Temperatura do MOV identifica


A Fig. 10 mostra as mais relevantes funções de proteção variações anormais de temperatura dos MOV, provocadas por
associadas aos BCS integrantes do Lote C. correntes de curto insuficientes para fazer com que os limites
Neste item, é apresentado uma descrição dos testes de de corrente e energia definidos para by-pass sejam atingidos.
aceitação em fábrica (Factory Acceptance Tests – FAT) dos
sistemas de proteção e controle dos BCS do Lote C do sistema C. Proteções do Spark Gap
Tucuruí – Manaus [4]. Para a realização dos testes, não é
necessária a representação do sistema elétrico de potência, O Spark Gap destina-se a proteger o MOV contra sobrecargas
sendo os paineis reais dos BCS conectados a caixas de teste durante a ocorrência de faltas internas. O sistema de proteção
que simulam os eventos associados à atuação das proteções efetua o disparo do Spark Gap nas seguintes situações:
objeto de cada teste.  A magnitude da corrente no MOV é superior ao valor
definido para a mais severa falta externa.
A. Proteções do Capacitor Série  A temperatura do MOV atinge seu valor limite,
indicando que o limite de energia acumulada no MOV
Este grupo é formado pelas seguintes funções: Alarme de foi atingido.
Desbalanço, Desbalanço Nível Baixo, Desbalanço Nível As seguintes proteções produzem o bloqueio da reinserção dos
Alto e Sobrecarga. A atuação das três últimas funções BCS:
provoca o by-pass do BCS. A proteção de sobrecarga procura  Autodisparo: Spark Gap disparando sem a geração do
cobrir situações onde correntes elevadas, mas inferiores às comando correspondente pelo sistema de proteção.
correntes de curto-circuito, circulam pelos capacitores. Em  Condução prolongada: Tempo de condução do Spark
tais casos, não haverá condução de corrente pelos MOV, mas Gap superior ao máximo estabelecido em projeto,
o capacitor deve ser protegido dos efeitos da sobrecarga. Esta indicando eventuais problemas no fechamento do
proteção é implementada através da produção de um sinal que disjuntor de by-pass.
comanda diretamente o fechamento do disjuntor de by-pass,  Atraso ou Recusa no Disparo: Identifica problemas no
sem requerer a ação do Spark Gap. sistema de geração do comando de disparo do Spark Gap.

B. Proteções do Metal Oxide Varistors (MOV) IV. CONCLUSÕES


a. Os testes de aceitação de fábrica dos sistemas de
Este grupo é formado pelas seguintes funções: Alta Corrente
proteção dos BCS do Lote C, realizados integralmente
no MOV, Sobretemperatura e Gradiente de Temperatura no
no Brasil, foram concluídos com sucesso, tendo sido
MOV, todas produzindo o by-pass dos BCS.
comprovado o atendimento integral dos requisitos de
A proteção Alta Corrente no MOV produz o by-pass do
especificação.
conjunto quando a corrente do MOV atinge seu valor limite
b. É apresentado o roteiro utilizado para definição das
devido à ocorrência de uma falta nas proximidades do
energias dos MOV dos referidos BCS, requisito
equipamento (falta interna). Enquanto isso, a proteção
fundamental para o dimensionamento dos referidos
Sobretemperatura produz o by-pass por energia, que se dá
equipamentos.
durante uma falta interna remota, nos moldes do apresentado
c. São apresentadas as principais características nominais
no item II deste trabalho. Nesta situação, a ordem de by-pass
dos equipamentos que integram os BCS do Lote C do
será produzida quando a temperatura dos housings do MOV
Sistema Tucuruí-Manaus.
(Fig. 9) de cada fase atingir 160C. Este valor é calculado
d. Os elevados valores de energia calculados para os
através do modelo térmico do MOV elaborado pelo Fabricante
MOV devem-se em grande parte ao elevado grau de
e que leva em consideração, dentre outros, os seguintes
compensação utilizado (70% em cada trecho) e à
parâmetros:
peculiar localização dos BCS, onde a falta interna para
 Número de housings por fase, mínimo 7 e máximo 9. um deles representa uma falta externa para o outro.
 Número de colunas em paralelo por housing (3).
 Número de discos de MOV em série por coluna (13). V. REFERÊNCIAS
 Energia nominal do conjunto por fase, determinada a
[1] Edital de Leilão n 004/2008-ANEEL, ANEXO 6C – LOTE C –
partir dos estudos sistêmicos (item II). Interligação Tucuruí – Macapá – Manaus: Trecho Oriximiná – Cariris
A partir daí, é construído o modelo térmico do MOV e (Manaus), disponível em www.aneel.gov.br.
definidos os seguintes parâmetros: [2] Anderson, P. and Farmer, R., Series Compensation of Power Systems,
PBLSH! Inc. Califórnia, USA, 1996, pp. 347-369.
 Temperatura máxima do MOV por fase, a partir da qual [3] Kunal Sharma, ―Tucuruí-Manaus Lote C Basic Design Report‖,
será produzido o sinal de by-pass para o Spark Gap, 100404_Tucuruí-Manaus_LOT C_Basic_Design_Rev3, Maio 2010.
definida em 160C para os MOV do Lote C. [4] Interligação Tucuruí-Macapá-Manaus - Bancos de Capacitores Série –
 Temperatura máxima na qual poderá ocorrer a reinserção Sistema de Controle e Proteção – Relatório de Testes de Aceitação em
Fábrica (FAT), (4) G60105 – A0225 – U0004, Junho 2011.
dos BCS, definida em 105C para os MOV do Lote C. [5] Interligação Tucuruí-Macapá-Manaus – Subestações Oriximiná-Silves-
 Uma vez atingida a temperatura de by-pass, o tempo Lechuga – Bancos de Capacitores Série – Sistema de Controle e
necessário para o resfriamento e conseqüente reinserção Proteção – Descrição do Fornecimento, (4) G60105 – A0225 – R0001,
Agosto 2009.
do BCS poderá chegar a algo em torno de duas horas.