Вы находитесь на странице: 1из 2

ESTUDO COMPARATIVO DA NBR 6122

NBR 6122/2010, item 6:

Devem-se realizar as verificações dos estados limites últimos (ELU)s e de serviço (ELS)
comtemplando as ações e suas combinações.

O resultado das investigações geotécnicas devem ser interpretadas de forma a identificar a


composição do solo ou da rocha, suas propriedades mecânicas, profundidades das camadas de
solo ou características da rocha. Pode se realizar tais investigações discretizando o terreno em
regiões representativas dependendo das características geológicas e das dimensões do
terreno.

Caracterização do ELU:

1. Perda de estabilidade global;


2. Ruptura por esgotamento da capacidade de carga do terreno;
3. Ruptura por deslizamento (fundações superficiais);
4. Ruptura estrutural em decorrência de movimentos da fundação;
5. Arranchamento ou insuficiência de resistência por tração;
6. Ruptura do terreno decorrente de carregamentos transversais;
7. Ruptura estrutural (estaca ou tubulão) por compressão, flexão, flambagem ou
cisalhamento.

A verificação da segurança deve ser feita por fator de segurança global ou por fatores de
segurança parciais.

Para a determinação da resistência ultima de compressão em fundações superficiais, a norma


comtempla a metodologia semi-empírica, analíticos ou os semi-empíricos ou analíticos
acrescidos de duas ou mais provas de carga na fase de projeto.

Para a determinação da resistência ultima de tração e para a verificação de deslizamento em


fundações superficiais, a norma comtempla fatores de segurança parciais de minoração da
resistência de gamam = 1,2 para a parcela de peso e gamam para a parcela de resistência do
solo. Esta composição deve ser comparada com o esforço característico atuante majorado pelo
fator gamaf = 1,4.

A norma ainda traz um fator de segurança global mínimo no valor de 1,1.

Para o calculo dos fatores de segurança de fundações profundas a norma prevê o uso de duas
metodologias distintas. A resistência calculada por método semi-empírico e a resistência
obtida por provas de cara executadas na fase de elaboração ou adequação do projeto.

Já para a verificação dos estados limites de serviço (ELS), a norma prevê a utilização de valores
confiáveis para os deslocamentos aceitáveis à serem estabelecidos, velocidade de recalque e
movimentos do terreno de fundação, o tipo de estrutura e material de construção, o tipo de
fundação, a natureza do solo, a finalidade da obra e a influencia nas estruturas e utilidades de
edificações vizinhas.
Os limites de serviço consideram os recalques excessivos, levantamentos excessivos e
vibrações inaceitáveis.

Para o calculo do efeito do vento a norma prevê uma majoração de 30%, nos valores de tensão
admissível de sapatas e tubulões, e de 10% nos valores de tensão resistente de projeto de
sapatas e cargas resistentes de projeto em estacas..