Вы находитесь на странице: 1из 97

CAPÍTULO 19

Materiais Cerâmicos para Acabamentos e


Aparelhos

Antônio Luiz Guerra Gastaldini – UFSM


Eduvaldo Paulo Sichieri – EESC - USP
BREVE HISTÓRICO

•A cerâmica - mistura de argila


e outras matérias-primas
inorgânicas, queimadas em
altas temperaturas - vem
sendo produzida a séculos,
destinadas às mais variadas
aplicações, como para fins
utilitários (louças, tijolos
cerâmicos) e fins estéticos
(esculturas). Sua aplicação à
arquitetura, com o uso dos
revestimentos cerâmicos,
tem início com as civilizações
do Oriente Próximo.

•Figura 1- Porta de Ishtar, século VII a.C. Fonte: ALCÂNTARA, Dora de


(1997) - Azulejos na Cultura Luso-Brasileira - IPHAM, Rio de Janeiro.

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
BREVE HISTÓRICO

•Figura 2 – Uso do Azulejo: Quinta de Beau Sejor Benfica; Portugal, século


XIX. Fonte: ALCÂNTARA, Dora de (1997) - Azulejos na Cultura Luso-
Brasileira - IPHAM, Rio de Janeiro.

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
BREVE HISTÓRICO

•Figura 3 – Azulejos no Brasil:


Edifício do MEC, RJ: Painel de
azulejos pintado por Portinari. Fonte:
MORAIS, Frederico (1988) -
Azulejaria Contemporânea no
Brasil - Editoração Publicações e
Comunicações Ltda, São Paulo.

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
PORQUE USAR REVESTIMENTO CERÂMICO ?

 Adequado ao clima brasileiro

 Facilidade de limpeza (Classificação pela NBR 13 818 como resistência à


manchas)

 Durabilidade e resistência – material inerte

 Antialérgico – 15 % da população sofre de algum tipo de alergia

 Antiinflamável

 Diversas possibilidades de decoração

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
PROCESSO DE FABRICAÇÃO

•Figura 4 – Esquema de fabricação dos revestimentos cerâmicos

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ESPECIFICAÇÃO

Para a correta especificação dos revestimentos


cerâmicos precisamos conhecer:
• Propriedades do material em função do local de uso.
• O clima ou variações de temperaturas a que o
revestimento cerâmico será submetido.
• Local de uso conforme o esquema abaixo:
Residencial

Público Parede Interno Seco

Industrial
Piso Externo Úmido
Especiais:
Churrasqueiras,
piscinas, laboratórios, Livro: Materiais de Construção Civil
etc. Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
PROPRIEDADES : BASE / SUPERFÍCIE
• A correta especificação deve ser feita a partir da
diferenciação entre as partes que compõem o revestimento
cerâmico: base e superfície (esmaltada ou não)

•Figura 5 – Esquema de uma placa cerâmica. As especificações, em função


do local de uso, devem começar pelas características da base (Fonte:
Sichieri, 2003).
Livro: Materiais de Construção Civil
Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ABSORÇÃO DE ÁGUA

• A absorção de água é a primeira propriedade que deve


ser especificada pois ela está diretamente relacionada
com a resistência mecânica da base. A Aa é obtida
pesando-se a placa totalmente seca em estufa e,
posteriormente, pesando-se a mesma após ciclo de
impregnação de água em autoclave. A diferença de massa
expressa em porcentagem é a absorção de água.

m u  ms
Aa  100
ms

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ABSORÇÃO DE ÁGUA

• A absorção de água mede a porosidade da placa e


classifica os produtos cerâmicos nos seguintes grupos:
a) Produtos Prensados b) Produtos Extrudados

Grupos de absorção: Grupos de absorção:

BIa: 0 a 0,5% AI:  3 %


BIb: 0,5 a 3% AIIa: 3 a 6%
BIIa: 3 a 6% AIIb: 6 a 10%
BIIb: 6 a 10% AIII:  10%
BIII:  10%

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
CARGA E MÓDULO DE RUPTURA

• A carga de ruptura e o módulo de resistência à flexão são


diretamente relacionados à porosidade da placa.
• A carga de ruptura depende da espessura da placa:

F L
CR 
b
•O módulo de resistência à
flexão mede a qualidade
da queima da placa
cerâmica.
3F  L
MRF 
2b  e mín
2 •Figura 6 - Exemplo de equipamento para ensaio de flexão.
Livro: Materiais de Construção Civil
Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ABSORÇÃO DE ÁGUA & RESISTÊNCIA À
FLEXÃO
• A NBR 13818 associa os valores mínimos para a carga de
ruptura para placas com espessuras definidas. O módulo de
resistência à flexão mede a qualidade da queima.
Carga de ruptura (N)
Absorção de água Mod. Resist. flexão
Codificação
(%) e≥ 7,5mm e< 7,5mm Valor médio - MPa

Al 3 ≥ 1100 ≥ 600 ≥ 23
Alla 3 < abs  6 ≥ 950 ≥ 600 ≥ 20
Allb 6 < abs  10 ≥ 900 ≥ 17,5
Alll 10 > abs ≥ 600 ≥8
Bla  0,5 ≥ 1300 ≥ 700 ≥ 35
Blb 0,5 < abs  3 ≥ 1100 ≥ 700 ≥ 30
Blla 3 < abs  6 ≥ 1100 ≥ 600 ≥ 22
Bllb 6 < abs  10 ≥ 800 ≥ 500 ≥ 18
≥ 15 para e≥ 7,5mm
Blll 10 > abs ≥ 600 ≥ 200
≥ 12 para e< 7,5mm

•Quadro 1 – Codificação dos grupos em função da absorção de água, da carga de ruptura e do


módulo de resistência à flexão, conforme anexo T da NBR 13818 (ABNT, 1997).
Livro: Materiais de Construção Civil
Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ABSORÇÃO DE ÁGUA & RESISTÊNCIA À
FLEXÃO & NOMENCLATURA

•Quadro 2 - A nomenclatura abaixo se refere aos produtos prensados e


com espessura mínima de 7,5 mm.

ISO Absorção Módulo de Carga de ruptura


13006 de água resistência à flexão (N)
(%) (N/mm2)
Porcelanato BIa 0 - 0,5 35 1300
Grés BIb 0,5 - 3 30 1100
Semi-grés BIIa 3-6 22 1000
Semi-poroso BIIb 6 - 10 18 800
Poroso BIII >10 15 600

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
EXPANSÃO POR UMIDADE
• A expansão por umidade
(EPU) também mede a
qualidade da queima. Placas
com EPU > 0,6 mm/m é
considerada pela NBR
13818 como mal-queimada.
• Placas com EPU > 0,6
mm/m ou 0,06% estufam na
presença de umidade, sendo
uma das maiores causas de
destacamento.
•Figura 7 – Inchamento por EPU.
Fonte:

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ABRASÃO SUPERFICIAL - PEI
• O ensaio PEI mede a resistência ao desgaste superficial
para produtos esmaltados:

Peça esmaltada Quadro 3 - Classe de abrasão (PEI):

Esmalte 1=baixa
2=média
3=média alta
4=alta
5=altíssimo e de fácil limpeza após
desgaste

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ABRASÃO PROFUNDA

• O ensaio de abrasão profunda mede a resistência ao


desgaste de produtos não esmaltados. O volume retirado
pela ação do disco é:
d      hd 
2
V  sen     
 180   8 

•Onde:
Disco
de aço
sen Ccav
 2

d

Ccav

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ABRASÃO PROFUNDA
• O volume retirado (em mm3)
permite a classificação da Peça não esmaltada
resistência à abrasão
profunda conforme:
Quadro 4 - Valores mínimos da Abrasão Profunda para não esmaltados (mm3)

AI ≤275
PRENSADOS AIIa ≤393
AIIb ≤649
AIII ≤2365

BIa ≤175
EXTRUDADOS BIb ≤175
BIIa ≤345
BIIb ≤540
Livro: Materiais de Construção Civil
Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
RESISTÊNCIA AO RISCO

• Obs: Todo produto liso e brilhante risca com areia


(quartzo). Resistência ao risco + Resistência à abrasão

Durabilidade e manutenção do aspecto superficial

•Quadro 5 – Valores da dureza Mohs para diversos minerais.


Minerais Dureza Mohs Minerais Dureza Mohs
Talco 1 Feldspato 6
Gesso 2 Quartzo 7
Calcita 3 Topázio 8
Fluorita 4 Corindon 9
Apatita 5 Diamante 10

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
RESISTÊNCIA AO ESCORREGAMENTO

• Preocupação com o escorregamento: áreas residenciais, áreas públicas


e locais industriais - contato com água, barro, óleos e gorduras

Quadro 6 – Coeficiente de atrito* x uso – Classificação do Transport


Road Research Laboratory.

Coeficiente de atrito Uso


Satisfatório para instalações
< 0,4
normais e secas.
Recomendado para uso onde se
≥ 0,4 requer resistência ao
escorregamento*

* Recomenda-se, para evitar acidentes graves, que o coeficiente de atrito


seja maior que 0,7 nas áreas externas em aclive ou declive e, também, nas
calçadas públicas e nas áreas das bordas de piscinas.

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
RESISTÊNCIA AS MANCHAS
• Classe de resistência as manchas (facilidade de
limpeza):

• 1-impossibilidade de remoção de manchas


• 2-mancha removível com ácido clorídrico diluído
• 3- mancha removível com produto de limpeza abrasivo
• 4-mancha removível com produto fraco (detergente)
• 5-máxima facilidade na remoção de manchas

ATENÇÃO: Produtos com superfície rugosa


apresentam maior dificuldade de remoção de manchas
Livro: Materiais de Construção Civil
Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
RESISTÊNCIA AO ATAQUE QUÍMICO
Quadro 7 – Codificação dos níveis de resistência química,
segundo NBR 13817 (ABNT, 1997).

Níveis de resistência química


Agentes químicos
Alta (A) Média (B) Baixa (C)

Alta
Concentração HA HB HC
Ácidos (H)
e
álcalis Baixa
concentração LA LB LC
(L)

Produtos domésticos e de
A B C
piscinas

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
RESISTÊNCIA AO CHOQUE TÉRMICO

CAPACIDADE DA PLACA CERÂMICA DE RESISTIR A


VARIAÇÕES DE TEMPERATURA SEM DANO A SUA
ESTRUTURA

SITUAÇÕES CRÍTICAS: LAREIRAS, CHURRASQUEIRAS,


FOGÕES ETC

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
RESISTÊNCIA A GRETAGEM

GRETAGEM

PEQUENAS FISSURAS : ESPESSURA - FIO DE CABELO

CAUSA: EXPANSÃO POR UMIDADE

FORMATO VARIÁVEL: ESPIRAL, CIRCULAR,


TEIA DE ARANHA

NÃO PERMITIDO PARA NENHUMA FAIXA DE ABSORÇÃO


DE ÁGUA

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
RESISTÊNCIA AO CHUMBO E AO CÁDMIO

EM LOCAIS COM MANIPULAÇÃO DE ALIMENTOS A


PLACA CERÂMICA NÃO DEVE CONTER NA SUA
COMPOSIÇÃO CHUMBO E CÁDMIO SOLÚVEIS

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ANÁLISE VISUAL
•DEFEITOS VISUAIS DE SUPERFÍCIE

RACHADURAS - CRATERAS - DEPRESSÕES


BASE DESCOBERTA POR FALHA NO VIDRADO
BOLHAS - FUROS - PINTAS - MANCHAS
DEFEITOS NA DECORAÇÃO
CANTOS E LADOS LASCADOS
DESPONTADOS - SALIÊNCIAS
INCRUSTAÇÕES DE CORPOS ESTRANHOS
RISCADOS OU ARRANHADURAS
DIFERENÇAS DE TONALIDADES NAS CAIXAS

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ANÁLISE VISUAL
AVALIAÇÃO

PAINEL PARA APRECIAR 2M² OU NO MÍNIMO 30 PEÇAS


ÂNGULO COM A HORIZONTAL = 70°± 5°
INTENSIDADE DE ILUMINAÇÃO - 330±30 LUX
DISTÂNCIA DE OBSERVAÇÃO = 1 ± 0,05 M

CLASSIFICAÇÃO - 1ª QUALIDADE

95% OU MAIS DAS PEÇAS NÃO APRESENTAM DEFEITOS


VISÍVEIS
Livro: Materiais de Construção Civil
Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ANÁLISE VISUAL

•DIFERENÇAS DE TONALIDADE

VARIAÇÕES - COMUM DENTRO DE CERTOS LIMITES

EM ALGUNS CASOS PROPOSITAL - “EFEITO”

SELEÇÃO NA INDÚSTRIA - 1ª, 2ª 3ª E REFUGO

“CRITÉRIOS ESTÉTICOS E GEOMÉTRICOS”

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ANÁLISE VISUAL

CRITÉRIO ESTÉTICO

VARIAÇÕES DE TONALIDADE

ZONAS NÃO ESMALTADAS

DESUNIFORMIDADE NA APLICAÇÃO

PLACAS QUEBRADAS, LASCADAS OU TRINCADAS

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ANÁLISE VISUAL

•CARACTERÍSTICAS GEOMÉTRICAS

VERIFICAM-SE:
A ORTOGONALIDADE DAS PEÇAS
O PARALELISMO DOS LADOS
A PLANARIDADE
DISTORÇÕES DE FORMA
VARIAÇÕES DE ESPESSURA

TRIAGEM FEITA POR SENSORES ELETRÔNICOS

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
FATORES DE AGRESSÃO
PROVENIENTES DO MEIO EXTERNO OU DO INTERIOR
DA EDIFICAÇÃO

•INTERNOS: RESFRIAMENTO POR AR CONDICIONADO


• UMIDADE INTERNA
• AQUECIMENTO

•EXTERNOS: AQUECIMENTO E DILATAÇÃO PELO SOL

• UMIDIFICAÇÃO PELA CHUVA


• RESSECAGEM E RESFRIAMENTO PELO VENTO
• AÇÃO DE POLUENTES - VIBRAÇÕES
Livro: Materiais de Construção Civil
Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
FATORES DE AGRESSÃO
SOL

•AQUECIMENTO E DILATAÇÃO

•RESULTA EM GRETAGEM E PERDA DA VIVACIDADE DAS


CORES DAS PLACAS COM ESMALTE DEFICIENTE

•MARESIA E CHUVA ÁCIDA

•RESULTA EM ESCURECIMENTO E ALTERAÇÃO DE COR


•PODE OCORRER POR FALHA NA ESPECIFICAÇÃO

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
FATORES DE AGRESSÃO
REGIÕES SUJEITAS AO CONGELAMENTO

•PODE OCORRER A DILATAÇÃO DA ÁGUA QUE TIVER


PENETRADO NO INTERIOR DA PEÇA CERÂMICA
CAUSANDO FISSURAS.

•ESPECIFICAR PLACAS COM ABSORÇÃO ÁGUA


ABAIXO DOS 6%

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
FATORES DE AGRESSÃO

VARIAÇÕES DE TEMPERATURA E UMIDADE QUE


OCORREM EM DETERMINADAS REGIÕES
PODEM OCASIONAR MANCHAS, EXPANSÃO,
DESTACAMENTO E GRETAGEM.

•NESSES CASOS OS DEFEITOS SÃO DAS PLACAS

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
PATOLOGIAS NO REVESTIMENTO CERÂMICO

DESTACAMENTO - PODE OCORRER DEVIDO A:

FALHAS NO ASSENTAMENTO

AUSÊNCIA DE GARRAS DE FIXAÇÃO (TARDOZ LISO)

EXPANSÃO POR UMIDADE

AUSÊNCIA DE JUNTAS DE EXPANSÃO

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
PATOLOGIAS NO REVESTIMENTO CERÂMICO

ESCURECIMENTO

OCORRE DEVIDO À ABSORÇÃO DE ÁGUA NAS

CERÂMICAS NÃO ESMALTADAS QUE APRESENTAM

ALTA POROSIDADE

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
PATOLOGIAS NO REVESTIMENTO CERÂMICO

EFLORESCÊNCIA

OCORRE DEVIDO À PENETRAÇÃO DE ÁGUA DA CHUVA

PELO REJUNTAMENTO, À ASCENSÃO DE ÁGUA PELO

PISO OU MESMO VAZAMENTO EM TUBULAÇÕES .

SOLUBILIZA SAIS SOLÚVEIS OU CAL DO EMBOÇO OU

ASSENTAMENTO DE PISO OCASIONANDO O DEPÓSITO

NA SUPERFÍCIE DA PLACA

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
PATOLOGIAS NO REVESTIMENTO CERÂMICO

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ESPECIFICAÇÃO
REVISTA TILE BRASIL 2007

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ESPECIFICAÇÃO

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ESPECIFICAÇÃO

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ESPECIFICAÇÃO

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ESPECIFICAÇÃO

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ESPECIFICAÇÃO

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ESPECIFICAÇÃO

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ESPECIFICAÇÃO

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ESPECIFICAÇÃO

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ESPECIFICAÇÃO

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ESPECIFICAÇÃO

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ESPECIFICAÇÃO

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ESPECIFICAÇÃO

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ESPECIFICAÇÃO

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ESPECIFICAÇÃO

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ESPECIFICAÇÃO

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ESPECIFICAÇÃO

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ESPECIFICAÇÃO

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ESPECIFICAÇÃO

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ESPECIFICAÇÃO

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ESPECIFICAÇÃO

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ESPECIFICAÇÃO

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ESPECIFICAÇÃO

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ESPECIFICAÇÃO

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ESPECIFICAÇÃO

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ESPAÇAMENTO ENTRE PLACAS

Ej
j

J = LARGURA DA JUNTA
E = 8.000 kgf/cm2
Δj=DESLOCAMENTO =EXPANSÃO DO REVESTIMENTO
σ = 180 kgf/cm2 = COMPRESSÃO MÁX. REJUNTAMENTO

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
ESPAÇAMENTO ENTRE PLACAS

Peça Expansão Largura das Valor a


dimensão (mm) juntas adotar
(mm) (mm) (mm)

50 0,03 1,33 2
100 0,06 2,67 3
150 0,09 4 4
200 0,12 5,33 6
300 0,18 8 8
400 0,24 10,67 11
500 0,3 13,3 14
Livro: Materiais de Construção Civil
Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
PEÇASESPECIAIS

FUNÇÃO CONSTRUTIVA OU DECORATIVA

FUNÇÃO CONSTRUTIVA
FAZEM TRANSIÇÃO ENTREPLANOS DIFERENTES
[ HORIZONTAL E VERTICAL ]

RODAPÉS NAS BORDAS DAS PISCINAS, DEGRAUS DE


ESCADAS, TAMPOS DE PIAS, CANTOS DE BANCADAS

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
PEÇASESPECIAIS
FUNÇÃO DECORATIVA

REALÇAM O EFEITO ESTÉTICO DO REVESTIMENTO

PONTO

APARECE SOZINHO NO MEIO DE PLACAS CERÂMICAS

É O CASO DE MOSAICOS E TOZETOS QUE TEM DIMENSÕES


PEQUENAS COM FORMATO QUADRADO OU HEXAGONAL

SE DESTACAM ENTRE PLACAS DE OUTROS TIPOS


Livro: Materiais de Construção Civil
Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
PEÇASESPECIAIS
FUNÇÃO DECORATIVA

REALÇAM O EFEITO ESTÉTICO DO REVESTIMENTO

LINHA

SÃO OS LISTELOS E MOLDURAS

SITUAM-SE A MEIA ALTURA DA PAREDE

APRESENTAM CORTE RETO OU NA FORMA DE SETA OU


CURVA
Livro: Materiais de Construção Civil
Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
PEÇAS ESPECIAIS
FUNÇÃO DECORATIVA

REALÇAM O EFEITO ESTÉTICO DO REVESTIMENTO

CHÃO

AS LINHAS TAMBÉM PODEM SER UTILIZADAS NO CHÃO

DESDE QUE APRESENTEM CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

COMPATÍVEIS

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
PEÇAS ESPECIAIS

FAIXAS
FESTONES
INSERTS

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
PEÇAS ESPECIAIS

FESTONE

FAIXAS
TOZETOS

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
PEÇAS ESPECIAIS

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
PEÇAS ESPECIAIS

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
PEÇAS ESPECIAIS

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
PEÇAS ESPECIAIS

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
PEÇAS ESPECIAIS

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
PEÇAS ESPECIAIS

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
PEÇAS ESPECIAIS

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
PEÇAS ESPECIAIS

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
PEÇAS ESPECIAIS

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
PEÇAS ESPECIAIS

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
PEÇAS ESPECIAIS

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
PEÇAS ESPECIAIS

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
PEÇAS ESPECIAIS

•PEÇAS
•ESTRUTURAIS

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
EMBALAGEM
NBR 13818

MARCA DO FABRICANTE OU COMERCIAL


IDENTIFICAÇÃO DE 1ª QUALIDADE
GRUPO DE CLASSIFICAÇÃO
TAMANHO NOMINAL, DIMENSÃO DE FABRICAÇÃO,FORMATO
NATUREZA DA SUPERFÍCIE – ESMALTADO OU NÃO
CLASSE DE ABRASÃO
NOME OU CÓDIGO DE FABRICAÇÃO DO PRODUTO
TONALIDADE DO PRODUTO
CÓDIGO DE RASTREAMENTO, Nº PEÇAS, M2 QUE COBRE
ESPECIFICAÇÃO DE UMA JUNTA PELO FABRICANTE
Livro: Materiais de Construção Civil
Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
LOUÇAS SANITÁRIAS
NBR 13818

•MATÉRIA PRIMA - CAULIM QUASE PURO (FAIANÇA)

•PROCESSO DE MOLDAGEM - BARBOTINA


•COZIMENTO - MONOQUEIMA OU BIQUEIMA

•PRODUTOS :
•VASOS SANITÁRIOS COM OU SEM BACIA ACOPLADA
•MICTÓRIOS - BIDÊS
•LAVATÓRIOS COM COLUNA
•CUBAS PARA EMBUTIR OU SOBREPOR
Livro: Materiais de Construção Civil
Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
LOUÇAS SANITÁRIAS

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
LOUÇAS SANITÁRIAS

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
LOUÇAS SANITÁRIAS

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
LOUÇAS SANITÁRIAS

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
LOUÇAS SANITÁRIAS

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
LOUÇAS SANITÁRIAS

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
LOUÇAS SANITÁRIAS

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
LOUÇAS SANITÁRIAS

•ACESSÓRIOS

•SABONETEIRAS
•PORTA TOALHAS
•CABIDES
•PEPELEIRA

•HÁ PRODUTOS PARA SISTEMAS CONSTRUTIVOS A


BASE DE GESSO ACARTONADO
•LINHAS DE LOUÇA SANITÁRIA COM SAÍDA HORIZONTAL

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
PRANCHETA ELETRÔNICA

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
PRANCHETA ELETRÔNICA

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
SINALIZAÇÃO

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia
REVESTIMENTO - LAMINADO CERÂMICO

•1000 X 3000 mm
•3mm ESPESSURA
•6 kg/m²

Livro: Materiais de Construção Civil


Organizador/Editor: Geraldo C. Isaia