Вы находитесь на странице: 1из 37

ESCOAMENTO EM TUBULAÇÕES

Perda de carga em tubulações


• Número de Reynolds

• Características de um escoamento laminar


plenamente desenvolvido em tubulações

• Lei de Poiseuille

Na aula passada....
• Perfil de velocidade em escoamentos
turbulentos

• Equação da energia para perda de carga

• Cálculo da perda de carga


– Perdas maiores: Diagrama de Moody
– Perdas menores: Desvios de escoamento

• Solução de problemas
Conteúdo
• Os escoamentos em tubos são geralmente
turbulentos

• Utiliza-se velocidade média para os


cálculos

• Não há equações analíticas para calcular


escoamentos turbulentos
– Utilizam-se números adimensionais e tabelas
com valores obtidos por experimentos para
realizar cálculos em escoamentos turbulentos
Considerações em escoamentos tubulares
Perfil de velocidade em escoamentos turbulentos
• Há significativo atrito no escoamento em
tubulações.
• Logo, observa-se uma perda de energia
mecânica.
• Esta perda, chamamos de perda de carga (hlT).
 p1 V1 2   p2 V22 
 + 1 + gz1  −  +  2 + gz2  = hlT
 2    2 

α = Coeficiente de Energia Cinética: fator de correção que


nos permite trabalhar com velocidade média na equação.

Laminar: 2,0 < α < 1,0: Turbulento

Perda de carga
• PERDAS MAIORES:
– Fator de atrito

• PERDAS MENORES:
– Entradas e saídas de tubo
– Expansões e contrações de diâmetro
– Curvas em tubos
– Válvulas e acessórios
– Bombas, ventiladores e sopradores

Perda de carga
2
LV
hl = f
D 2
• Fator de atrito de Darcy
• Valores de f : Diagrama de Moody

• Para escoamentos laminares:

64
f laminar =
Re

Perdas maiores: Fator de atrito


• Calcule a perda de carga para um escoamento
de petróleo cru em um trecho horizontal de
100m de comprimento, que possui as seguintes
condições:

– Q = 3m³/s
– D = 1,22m
– Tubo de ferro galvanizado (e = 0,15mm)
– Viscosidade do petróleo = 1,68 x 10-2 N.s/m²
– Densidade do petróleo = 0,93 x 10³ kg/m³

Exercício
1. Quais são as duas características que representam a
maioria dos escoamentos em tubos?

2. Qual a diferença do perfil de velocidade em escoamentos


laminares e turbulentos?

3. Quais os fatores que contribuem para a perda de carga


em tubulações?

4. Qual a finalidade do diagrama de Moody?

5. Quais os parâmetros utilizados para operar o diagrama


de Moody?

Revisando...
Entradas e saídas
2
V
hlm = K Expansões e contrações
2
Curvas em tubos
2
Le V
hlm = f
D 2 Válvulas e acessórios

Bombas, ventiladores e sopradores

Perdas menores
1. Entradas

2. Saídas
– K = α = 1 (escoamento turbulento)
– Só é possível melhorar com a adição de um difusor

Perdas menores – entrada e saída de tubulações


Perdas menores – expansões e contrações
1
K = 1− − Cp
(RA)2

Perdas menores – expansões e contrações


Perdas menores – curvas
Perdas menores – válvulas e acessórios
1. Adicionam energia ao fluido em forma de ganho de
pressão;
2. Num sistema bomba-tubulação, a altura de carga de
uma bomba é usada para superar a perda de carga da
tubulação;

 p V 2   p V 2
 

Wbomba = m + + gz  −  + + gz  
  2 descarga   2 sucção 

Wbomba  p V 2  p V2  
hbomba = =  + + gz  −  + + gz  
m   2  descarga   2 sucção 
pbomba
hbomba =

Perdas menores – bombas, ventiladores e sopradores


1. Adicionam energia ao fluido em forma de ganho de pressão;
2. Num sistema bomba-tubulação, a altura de carga de uma bomba é
usada para superar a perda de carga da tubulação;
 p V 2   p V 2
 
Wbomba = m + + gz  −  + + gz  
  2  descarga   2 sucção 

Wbomba  p V 2  p V2  
hbomba = =  + + gz  −  + + gz  
m   2  descarga   2 sucção 
pbomba
hbomba =  m= Q  mhbomba = Wbomba

Wbomba = Qpbomba
Wbomba
= 
W entrada

Perdas menores – bombas, ventiladores e sopradores


Diâmetro hidráulico

4A
Dh =
P

• É uma boa aproximação para dutos retangulares com


relação entre altura e largura na ordem de até 1x4 ou
4x1.

• Dutos de fácil fabricação, bastante utilizados em


sistemas de aquecimento, ventilação e condicionamento
de ar.

Diâmetro hidráulico – Dutos não circulares


1. Equação de energia
 p1 V1 2   p2 V22 
 + 1 + gz1  −  +  2 + gz2  = hlT
 2    2 

2. Perda de carga
LV2 V2 Le V 2
hl = f hlm = K  hlm = f
D 2 2 D 2

3. Vazão em tubos

D2 2 4A
Q = V Dh =
4 P

Revisando...
1. Determinar a queda de pressão Δp para um
determinado tubo (L e D) e uma determinada vazão (Q)
– Cálculo usado para selecionar bombas
– Possui solução direta
2. Determinar comprimento L do tubo, para uma
determinada perda de carga Δp, com diâmetro D e
vazão Q conhecidos
– Possui solução direta
3. Determinar a vazão Q para um determinado tubo (L e
D) e uma perda de carga Δp
– Cálculo iterativo em f -> V -> Re -> f
4. Determinar o diâmetro D do tubo, para um dado
comprimento L, queda de pressão Δp e vazão Q.
– Cálculo do diâmetro para um sistema bomba-tubulação
– Cálculo iterativo para encontrar diâmetro, partindo de valores
comerciais.
Situações usuais
DÚVIDAS E
QUESTIONAMENTOS?
Válvula gaveta Válvula globo Válvula angular

Válvula de esfera Válvula de retenção Válvula de pé com crivo

Perdas menores – válvulas e acessórios


Um tubo liso horizontal de 100m de comprimento está conectado a um
grande reservatório. Uma bomba é ligada ao final do tubo para
bombear água para o reservatório, a uma vazão de 0,01m³/s. Que
pressão (manométrica) a bomba deve produzir para gerar esta vazão?
O diâmetro interno do tubo liso é 75mm.

Exemplo 8.5
Petróleo cru escoa através de um trecho horizontal do
oleoduto do Alasca a uma taxa de 2,944m³/s. O diâmetro
interno do tubo é 1,22m; a rugosidade do tubo é
equivalente à do ferro galvanizado. A pressão máxima
admissível é 8,27MPa. A pressão mínima requerida para
manter os gases dissolvidos em solução no petróleo é
344,5kPa. Determine o espaçamento máximo possível entre
estações de bombeamento. Se a eficiência da bomba é
85%, determine a potência da bomba.

Exemplo 8.6
Um sistema de proteção contra incêndio é suprido por um
tubo vertical de 24,4m de altura, a partir de uma torre de
água. O tubo mais longo no sistema tem 182,9m e é feito
de ferro fundido com cerca de 20 anos de uso. O tubo
contém uma válvula de gaveta; outras perdas podem ser
desprezadas. O diâmetro do tubo é 101,6mm. Determine a
vazão máxima de água através desse tubo. Considere o
tubo vertical com o mesmo diâmetro do tubo horizontal.

Exemplo 8.7
Os sprinklers de um sistema de irrigação agrícola devem ser supridos
com água proveniente de uma bomba acionada por motor de
combustão interna, através de 152,4m de tubos de alumínio trefilado.
Na sua faixa de operação de maior eficiência, a descarga da bomba é
0,0946m³/s a uma pressão não superior a 448,2kPa (manométrica). Para
operação satisfatória, os sprinklers devem operar a 206,8kPa
(manométrica) ou mais. Perdas menores e variações de elevação
podem ser desprezadas. Determine o menor diâmetro de tubo-padrão
que pode ser empregado.

Exemplo 8.8
Direitos sobre a água, concedidos pelo imperador romano, davam permissão
a cada cidadão para conectar um bocal tubular circular de bronze, calibrado,
ao distribuidor público principal de água. Alguns cidadãos eram espertos ,
instalando difusores nas saídas dos bocais para aumentar suas vazões.
Considere que a altura de carga estática disponível no distribuidor principal
seja z0=1,5m e que o diâmetro do bocal seja 25mm. A descarga era para a
pressão atmosférica. Determine o aumento na vazão, se um difusor com N/R1
= 3,0 e RA = 2,0 fosse acoplado à extremidade do bocal.

Exemplo 8.10
1
K = 1− − Cp
(RA)2

Perdas menores – expansões e contrações


DÚVIDAS E
QUESTIONAMENTOS?