You are on page 1of 1

CASO PRÁTICO 2 – Direito dos Mercados Financeiros

O Banco “Crédit Allemagne” tem sede em Paris e possui uma rede de sucursais e filiais
instituída por toda a Europa. No que se refere ao mercado Português, conta com a presença de
uma filial e três sucursais.

Na sequência de um inusitado aumento da exposição financeira do Grupo “Crédit Allemagne”, o


Banco de Portugal pretendeu implementar a resolução da filial portuguesa, a qual se ampliaria
às próprias sucursais.

Esta pretensão mereceu o repúdio do Banque de France que, através de carta oficial dirigida ao
Governador do Banco de Portugal, expressamente referiu que :

1) O Banco de Portugal não é Autoridade Competente para a implementação de medidas


de resolução com dimensão transnacional (v.g. europeia);
2) O regime previsto no RGISF não procedeu à correta transposição da Diretiva
2014/59/UE, do Parlamento Europeu e do Conselho, que estabelece um enquadramento
para a recuperação e a resolução de instituições de crédito e de empresas de
investimento.

Quid juris (?)

144/b – 145 ??

Diferença entre Sucursais e Sucursais significativas:

Resolução da sucursal significativa ao abrigo do regulamento : nao pode ser o BP a

Filial a ser resolvida : art.º 145.º/a/i

145/a/n

Sucursal não significativa : não há constituição de colégio de resolução, MAS

Sucursal de EM

Ou estamos perante Sucursal significativa e remetemos para as normas … ; ou nao pode haver
resolução de 1 uma só sucursal

BP é o presidente do colégio de resolução mas não vai aplicar sozinho.

!!!!! Acesso à atividade bancária !!!!!!