Вы находитесь на странице: 1из 37

Identificar os Riscos

Profa. Fabricia Neves


Objetivos da Aprendizagem

• Introdução sobre Identificação dos Riscos;


• Como identificar os riscos;
• Registros dos riscos.

2
Introdução

• Já parou para pensar que precisamos


conhecer todos os possíveis riscos do projeto
com antecedência?

• E quando falamos em todos os possíveis


riscos, precisamos levar em conta TODOS os
riscos

3
Introdução

• Saber Identificar os Riscos é um trabalho


obrigatório do Gerenciamento de Projetos
eficaz.

• Processo iterativo  novos riscos podem


surgir durante o ciclo de vida do projeto

4
Introdução

• A identificação dos riscos  TODOS envolvidos


– Gerente de Projetos
– Patrocinadores
– Clientes
– Usuários
– Equipe de gerenciamento de riscos (se for
designada)
– Especialistas no assunto externos
– Outros Gerentes de Projetos
– Partes interessadas
– Especialistas em Gerenciamento de Riscos.
5
Introdução

• Onde inicia a Identificação dos Riscos?


– TAP (alto nível)
– Planejamento (Riscos com respostas)

– Lembrando que a identificação dos riscos é um


processo iterativo, onde um número menor de
riscos pode ser identificado posteriormente.

6
Introdução

• A Identificação dos Riscos permite imaginar


todos os problemas possíveis que podem
ocorrem durante a execução do projeto, ou
seja, tudo o que possa dar errado, para criar
ações específicas que possam minimizar o
impacto do risco ou evitar a ocorrência do
risco ou transferir esse risco ou até mesmo
aceitar o risco.

7
Identificar os Riscos

8
Identificar os Riscos - Entradas

• Plano de Gerenciamento dos Riscos: as


principais entradas do Plano de
Gerenciamento de Riscos para que possamos
identificar os riscos são:
– atribuições de papéis e responsabilidades
– provisão para as atividades de gerenciamento
de riscos no orçamento e no cronograma
– categorias de riscos (mostradas em uma EAR)

9
Identificar os Riscos - Entradas

• Estimativa de Custos das Atividades: as


estimativas de custos fornecem uma
avaliação quantitativa para concluir as
atividades programadas, que resulta em
projeções que indicam se a estimativa é
suficiente para concluir a atividade (e,
portanto se constitui um risco para o projeto)

10
Identificar os Riscos - Entradas

• Estimativa de Duração das Atividades: as


estimativas de duração fornecem uma
avaliação quantitativa para concluir as
atividades programadas, que resulta em
projeções que indicam se a estimativa é
suficiente para concluir a atividade (e,
portanto se constitui um risco para o projeto)

11
Identificar os Riscos - Entradas

• Linha de Base do Escopo: as premissas do


projeto são encontradas no Escopo. As
incertezas nas premissas do projeto devem
ser avaliadas como causas potenciais de risco
do projeto.

12
Identificar os Riscos - Entradas

• Registro das Partes Interessadas: as partes


interessadas devem ser entrevistadas para
participar do processo de Identificação de
Riscos.

• Plano de Gerenciamento dos Custos: este plano


descreve como os custos do projeto serão
gerenciados e controlados. A abordagem
específica pode gerar ou minimizar os riscos por
sua natureza ou estrutura.
13
Identificar os Riscos - Entradas
• Plano de Gerenciamento do Cronograma: a
abordagem específica do projeto ao gerenciamento
do cronograma pode gerar ou minimizar os riscos
por sua natureza ou estrutura.

• Plano de Gerenciamento da Qualidade: a


abordagem específica do projeto ao gerenciamento
da qualidade pode gerar ou minimizar os riscos por
sua natureza ou estrutura.

14
Identificar os Riscos - Entradas

• Documentos do Projeto:
– registro das premissas;
– relatório sobre o desempenho do trabalho;
– relatório de valor agregado;
– diagramas de rede;
– linhas de base;
– outras informações úteis para a identificação
de riscos.

15
Identificar os Riscos - Entradas

• Fatores Ambientais da Empresa:


– informações publicadas incluindo banco de
dados comerciais;
– estudos acadêmicos;
– estudo do setor;
– benchmarking;
– atitudes em relação ao risco.

16
Identificar os Riscos – Ferramentas e
Técnicas

• Revisões de Documentação: é a análise de


toda documentação do projeto e de projetos
anteriores.
A consistência entre esses planos e os
requisitos e as premissas do projeto, podem
ser indicadores de riscos no projeto.

17
Identificar os Riscos – ferramentas e
técnicas
• Técnicas de Coleta de Informação: são

http://cdn.content.compendiumblog.com/
formas de identificar os riscos:

1. Brainstorming: as idéias sobre os riscos do


projeto são geradas sob a liderança de um
facilitador durante uma reunião. Uma ideia
ajuda a gerar outra ideia.

18
Identificar os Riscos – ferramentas e
técnicas
• Técnicas de Coleta de Informação: são
formas de identificar os riscos:
2. Técnica Delphi: é uma maneira de obter o
consenso de especialistas que participam de forma
anônima. O facilitador usa um questionário para
solicitar aos especialistas ideias sobre os riscos
importantes do projeto. Suas respostas são
compiladas e os resultados são enviados de volta
aos especialistas para comentários adicionais.

19
Identificar os Riscos – ferramentas e
técnicas
• Técnicas de Coleta de Informação: são
formas de identificar os riscos:

3. Entrevistas: esta técnica consiste em entrevistar


as partes interessadas e especialistas no assunto
para identificar os riscos no projeto ou em um
elemento específico do trabalho.

20
Identificar os Riscos – ferramentas e
técnicas
• Técnicas de Coleta de Informação: são
formas de identificar os riscos:

4. Análise da causa-raiz: é uma técnica


específica para identificar os riscos de acordo
com suas causas-raiz, para auxiliar a identificar
mais riscos.

21
Identificar os Riscos – ferramentas e
técnicas
• Análise de Listas de Verificação: é possível
desenvolver listas de verificação para
identificação de riscos com base nas
informações históricas e no conhecimento
que foi acumulado a partir de projetos
anteriores semelhantes (banco de
conhecimento) e outras fontes de informação

22
Identificar os Riscos – ferramentas e
técnicas
• Análise de Premissas: os riscos identificados
em um projeto são desenvolvidos com base
em hipóteses, cenários ou premissas.
– Realizar a análise dessas premissas explora a
validade delas e pode levar a identificação de
mais riscos

23
Identificar os Riscos – ferramentas e
técnicas
• Técnicas de Diagramas: algumas ferramentas
da qualidade podem nos ajudar a analisar a
causa-raiz de questões. Por exemplo:

1. Diagrama Causa-efeito (Ishikawa ou Espinha


de Peixe): ilustram como diversos fatores
podem estar ligados a problemas ou efeitos
potenciais.

24
Identificar os Riscos – ferramentas e
técnicas

25
Identificar os Riscos – ferramentas e
técnicas
• Técnicas de Diagramas: (cont)

2. Diagramas do Sistema ou Fluxogramas: é


uma representação gráfica do fluxo de
processos e as etapas entre eles.

26
Identificar os Riscos – ferramentas e
técnicas

27
Identificar os Riscos – ferramentas e
técnicas
• Técnicas de Diagramas: algumas ferramentas
da qualidade podem nos ajudar a analisar a
causa-raiz de questões. Por exemplo

3. Diagrama de Influência: mostram influências


causais e ordem dos eventos no tempo

28
Identificar os Riscos – ferramentas e
técnicas

29
Identificar os Riscos – ferramentas e
técnicas
• Análise SWOT: esta análise examina o projeto
do ponto de vista de suas forças e fraquezas
(internas), ameaças e oportunidades
(externas), a fim de aumentar a abrangência
dos riscos identificados, incluindo os riscos
internos.
– Essa técnica analisa o grau em que as forças
compensam as ameaças e as oportunidades
superam as fraquezas

30
Identificar os Riscos – ferramentas e
técnicas

31
Identificar os Riscos – ferramentas e
técnicas
• Opinião Especializada: ocorre a identificação
dos riscos através de especialistas com
experiência relevante e leva em consideração
a parcialidade dos especialistas.

32
Identificar os Riscos - saídas

• Registros dos Riscos: aqui encontramos


– Lista de riscos identificadas
– Lista de possíveis respostas
– Causas-Raiz do Risco
– Categoria de Riscos atualizadas

33
Conclusão

• Aprendemos como é necessária identificação


de todos os riscos do projeto.

• Vimos que já podemos identificar os riscos do


projeto a partir da emissão do Termo de
Abertura do Projeto, na Iniciação do Projeto
num ponto de vista mais macro.

34
Conclusão

• Maior detalhamento dos riscos 


Planejamento do Projeto.

• Aprendemos que todos precisam se envolver


e participar do processo de identificar os
riscos.

35
Conclusão
• Por fim, foi apresentado o Registro dos
Riscos, que está representado em forma de
uma lista rica em detalhes, identificando já
possíveis respostas a esses riscos, as quais
serão analisadas posteriormente no processo
Planejar Respostas aos Riscos.

36
Referências Bibliográficas
• BARALDI, Paulo. Gerenciamento de Riscos. 3 ed. Rio de Janeiro: Campos,
2010.
• MULCAHY, Rita. PMP Exam Prep Rita´s course in a book for passing the PMP
exam. 7ª Ed. USA: RMC Publications, 2010
• SALLES JR, Carlos Alberto Correa et al. Gerenciamento de riscos em
projetos. 2 ed. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas Editora, 2010.
• DEMARCO, Tom; LISTER, Timothy. Waltzing with bears: managing risk on
software project. Dorset House, 2004
• Kerzner, Harold. Gestão de Projetos: as melhores práticas. New York: Jonh
Willey & Sons, 2009
• Kerzner, Harold. O que os executivos precisam saber sobre Gerenciamento
de Projetos. Ed. Bookman, 2011
• DINSMORE, Paul C; CAVALIERI, Adriane. Como se tornar um profissional em
Gerenciamento de Projetos. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2003.
• Project Management Institute. A guide to the Project Management Body of
Knowledge (PMBOK® Guide). Pennsylvania: PMI, 2008

37

Похожие интересы