Вы находитесь на странице: 1из 1

CRIMES CONTRA O CASAMENTO

BIGAMIA(art. 235 CP) No parentesco por afinidade, mesmo que se extinga o casamento,
1) Análise do tipo este não se dissolve. Portanto, torna-se impossível o casamento de
 Contrair [ajustar] casamento civil genro com sogra. Não podem se casar o adotante com quem foi
 Sendo casado cônjuge do adotado. Criança adotada, cresce e se casa. O pai/mãe
2) Sujeitos do crime adotivo não pode se casar com o ex-cônjuge do adotado. O adotado
Ativo: somente a pessoa casada. É crime próprio (na forma do tb não pode se casar com o adotante. Irmão não podem se casar. Em
caput). nenhuma situação. Adotado não pode se casar com filha (o) do
Passivo: A coletividade é o sujeito passivo primário. O cônjuge adotante. Apesar de não haver impedimento biológico, há o
enganado e pessoa que se casa (desde que não saiba) são sujeitos impedimento legal. Adoção à brasileira - criança deixada na porta e
passivos secundários. que é criada. também se aplicam as normas. Não podem se casar o
3) Elemento subjetivo do tipo: Dolo genérico (simples vontade de cônjuge sobrevivente e o condenado por homicídio (consumado ou
contrair novo casamento, sem fim específico) tentado). Se o condenado ocultar este fato do cônjuge, cometerá o
4) Consumação e tentativa: O momento consumativo ocorre com a crime do art 236 e estará impedido penal e civilmente. CC 1557,
manifestação da vontade ("sim"). A tentativa é admissível. elenca modalidades de erro essencial. CC 1521, elenca modalidade
5) Bigamia e questão prejudicial: Se a pessoa casada pede de impedimentos matrimoniais.
anulação do casamento e antes de sair a decisão do juiz cível, a O art 236 do CPB é chamada de Norma Penal em Branco pois
pessoa se casa, em tese existe bigamia. Contudo, o pedido de depende de outra lei para determinar sua aplicação. Verificar
anulação é questão prejudicial ao processo criminal e a anulação classificação de norma penal em branco.
efetiva exclui o crime de bigamia. Assim, havendo processo de 6. Ação penal privada personalíssima. Somente o cônjuge pode
anulação do casamento em curso no Cível, o juiz criminal suspende o apresentar reclamação.
processo crime até o trânsito do feito no civil. A anulação tem efeito
ex-tunc (retroage em todos os efeitos). Se, entretanto, a anulação do SIMULAÇÃO DE AUTORIDADE PARA CELEBRAR CASAMENTO.
casamento ocorrer por causa da bigamia, ai a pessoa pode ser (ART. 238 CP)
condenada. Visa punir quem se diz juiz de paz e sai celebrando casamento.
6) Exceção à teoria monista Art. 29 condena quem concorre em co- Pena: detenção de 1 a 3 anos, se o fato não ocorrer crime mais
autoria. A pessoa que se casa com outra sabendo que esta é casada, grave. Tipo penal subsidiário (só ocorre se não houver crime mais
não se enquadra nesta regra geral da co-autoria, mas receberá as grave subsequente). Padres, pastores e outros sacerdotes, possuem
penas previstas no §1 do art 235 (teoria pluralista, não totalmente permissão legal para realizar casamentos civis. No entanto, se ainda
recepcionada pelo CPB). não for ordenado padre ou pastor... Aí ocorrerá o crime.
7) Anulação do 1° casamento Sujeito ativo: qualquer pessoa
Casamento que seja anulado por qualquer motivo (que não seja a Sujeito passivo: coletividade (primário) e as pessoas que foram
bigamia) torna inexistente o crime. enganadas (secundário)
8) Classificação Elemento subjetivo: dolo genérico/simples. Atribuir-se, falsamente,
 Próprio: Só praticado por quem é casado atribuição para realizar casamentos
 Material: para se consumar se exige conduta e resultado. Núcleo do tipo: atribuir. Investir-se de competência, intitular.
 Instantâneo: Ocorre no momento em que os nubentes Casamentos realizados nestas condições são nulos: Ação pública
manifestam a vontade de casar incondicionada.
 Plurissubsistente: Consegue fracionar a conduta dos agentes, Elemento normativo do tipo: Elemento que dá ao juiz condições de
dividindo em vários atos. A bigamia decorre através de vários valorar a conduta. Ex: "falsamente", Instrui o juiz sobre a maneira de
atos. analisar a ação quando estiver julgando. Indica, nesse caso, que ele
deve verificar se houve intenção de agir com falsidade.
INDUZIMENTO A ERRO ESSENCIAL E OCULTAÇÃO DE Tipo de ação: Quando o código nada fala sobre a ação esta será
IMPEDIMENTOS (art. 236 CP) pública incondicionada.
1) Análise do tipo
Mesmo do crime de bigamia (contrair, ajustar). Qualquer pessoa SIMULAR CASAMENTO MEDIANTE ENGANO. PUNE A
pode cometer esse crime. SIMULAÇÃO DE CASAMENTO. (ART. 239 CP)
 Contrair casamento em duas situações Tipo penal subsidiário.
1. Induzindo a erro Núcleo penal: simular. engodo
2. Ocultando impedimento Sujeito ativo: qualquer pessoa.
2) Sujeitos do crime Sujeito passivo: Estado (primário) e a pessoa(s) que foi enganada
com o casamento. Quem celebra o casamento comete crime do 238.
 Ativo Pode ser qualquer pessoa
Os demais, se enquadram no 239.
 Passivo A coletividade, primariamente, e, de forma secundária,
Elemento subjetivo: Dolo, intenção de enganar.
a pessoa que se casa sem conhecer os impedimentos.
Art 240. Lei 11.106/05 elimina o crime de adultério
3) Elemento subjetivo do tipo Dolo.
4) Erro essencial: Identidade, boa fama, conceito de honra. O
agente oculta essas informações do cônjuge. Ignorância de crime
anterior. Pessoa oculta do cônjuge que tenha cometida crime anterior
ao casamento. Defeito físico irremediável ou moléstia grave e
incurável. Doença mental. (Psicopata que oculta tal condição)
5) Impedimentos matrimoniais
Quaisquer descendentes (em linha reta) que se casem cuja condição
seja ocultada, ocorre o crime do 236. Ex: Pai, se afasta da família
quando sua filha era pequena. Anos depois, ao reencontra-la, deseja
casar-se com a filha já crescida e oculta sua condição de pai dela.