Вы находитесь на странице: 1из 25
Potência em Sistemas Trifásicos (Aula 6) Disciplina: Sistemas Elétricos Profª: Msc. Camila Pires Gouveia Guedes
Potência em Sistemas Trifásicos (Aula 6)
Potência em Sistemas Trifásicos (Aula 6)

Potência em Sistemas Trifásicos

(Aula 6)

Disciplina: Sistemas Elétricos Profª: Msc. Camila Pires Gouveia Guedes

Disciplina: Sistemas Elétricos Profª: Msc. Camila Pires Gouveia Guedes

PLANO DE AULA

PLANO DE AULA  Potência em sistemas trifásicos 2 Sistemas Elétricos

Potência em sistemas trifásicos

P OTÊNCIA EM S ISTEMAS TRIFÁSICOS Como já vimos, a potência nos circuitos monofásicos é

POTÊNCIA EM SISTEMAS TRIFÁSICOS

Como já vimos, a potência nos circuitos monofásicos é dada por:

S
S

P

N

VI cos

Potência ativa

Potência reativa

Q VIsen

VI

*

Potência aparente

Potência complexa

VI

P OTÊNCIA EM S ISTEMAS TRIFÁSICOS Nos circuitos trifásicos , a potência é dada por:

POTÊNCIA EM SISTEMAS TRIFÁSICOS

Nos circuitos trifásicos, a potência é dada por:

P  V I cos   V I cos   V I a
P
V
I
cos
V
I
cos
V I
a
a
a
b
b
b
c
Q
V
I
sen
V
I
sen
V I
a
a
a
b
b
b
c
c
2
2
N
P
Q
*
*
*
S
V
I
V
I
V I
a
a
b
b
c
c

c

cos

c

sen

c

P OTÊNCIA EM S ISTEMAS TRIFÁSICOS Se o circuito trifásico for equilibrado V  a

POTÊNCIA EM SISTEMAS TRIFÁSICOS

Se o circuito trifásico for equilibrado

V

a

I

a

V

b

I

b

V

c

I

c

V

f

I

f

a

b

c

a I  a V b I b   V c I c  
P OTÊNCIA EM S ISTEMAS TRIFÁSICOS Em função das grandezas de linha Carga  :

POTÊNCIA EM SISTEMAS TRIFÁSICOS

Em função das grandezas de linha

Carga  : V  V f L I f  I 3 L
Carga
 :
V
 V
f
L
I
f
 I
3
L

P 3

V

L

I L 3
I
L
3

cos

V f L I f  I 3 L P  3 V L I L
3
3

P V I

L L

 I 3 L P  3 V L I L 3 cos  3 P

3

cos

Q

V I sen

L L

 3 V L I L 3 cos  3 P  V I L L

N 3V I

L L

P OTÊNCIA EM S ISTEMAS TRIFÁSICOS Em função das grandezas de linha Carga Y :

POTÊNCIA EM SISTEMAS TRIFÁSICOS

Em função das grandezas de linha

Carga

Y

:

V  V 3 f L I  I f L V L P 
V
 V
3
f
L
I
 I
f
L
V
L
P  3
I
cos 
L
3
V 3 f L I  I f L V L P  3 I cos
3
3

P V I

L L

I f L V L P  3 I cos  L 3 3 P 

3

cos

Q

V I sen

L L

L P  3 I cos  L 3 3 P  V I L L

N 3V I

L L

P OTÊNCIA EM S ISTEMAS TRIFÁSICOS Assim, as potências em sistemas trifásicos equilibrados são dadas

POTÊNCIA EM SISTEMAS TRIFÁSICOS

Assim, as potências em sistemas trifásicos

equilibrados são dadas por:

P

3
3

V I

L L

cos

Q  3 V I sen L L
Q
 3
V I sen
L L
equilibrados são dadas por: P  3 V I L L cos  Q  3

N 3V I

L L

MEDIÇÃO DE POTÊNCIA 9 Sistemas Elétricos

MEDIÇÃO DE POTÊNCIA

MEDIÇÃO DE POTÊNCIA

M EDIÇÃO DE P OTÊNCIA O instrumento utilizado para medir POTÊNCIA ATIVA absorvida por uma carga

O instrumento utilizado para medir POTÊNCIA ATIVA absorvida por uma carga é o wattímetro. Porém, a

potência reativa e o fator de potência podem ser

calculados a partir da potência ativa

A potência é determinada pela medição realizada

utilizando duas bobinas: uma de tensão e uma de

corrente

10 Sistemas Elétricos
10
Sistemas Elétricos
determinada pela medição realizada utilizando duas bobinas: uma de tensão e uma de corrente 10 Sistemas

MEDIÇÃO DE POTÊNCIA

M EDIÇÃO DE P OTÊNCIA Bobina de corrente : com baixa impedância, conectada em série com

Bobina de corrente: com baixa impedância,

conectada em série com a carga, que comporta-se

idealmente como um curto-circuito

Bobina de tensão: impedância bastante elevada, conectada em paralelo série com a carga, comportando-se idealmente como um circuito aberto

MEDIÇÃO DE POTÊNCIA

M EDIÇÃO DE P OTÊNCIA De modo geral, dependendo das características do sistema, são necessários 2

De modo geral, dependendo das características do

sistema, são necessários 2 ou até 3 wattímetros para

efetuar a medição

2 wattímetros

Usado somente em circuitos trifásicos a 3 condutores (equilibrados ou desequilibrados) em delta ou estrela

3 wattímetros

Circuitos trifásicos equilibrados e desequilibrados a 4 condutores (estrela)

MEDIÇÃO DE POTÊNCIA

M EDIÇÃO DE P OTÊNCIA Método dos 3 wattímetros – Potência ativa Aplicado a sistema a

Método dos 3 wattímetros Potência ativa

Aplicado a sistema a 4 condutores

P

P V I

V I cosV I cosV I cos

a

a

a

a

a

b

b

cos( , )

a

a

V I V I

b

b

b

c

c

cos( , )

c

V I V I

b

b

c

P

W W W

a

b

c

c

Para cargas equilibradas:

W

a

 W  W  W a b c c Para cargas equilibradas: W a 

W W W

b

c

x

P 3W

x

cos( , )

V I

c

c

a b c c Para cargas equilibradas: W a  W  W  W b

13

Sistemas Elétricos

MEDIÇÃO DE POTÊNCIA

M EDIÇÃO DE P OTÊNCIA Método dos 2 wattímetros – Potência ativa Aplicado a sistema a

Método dos 2 wattímetros Potência ativa

Aplicado a sistema a 3 condutores

P V I

ac a

cos( , )

ac

a

V I V I

bc b

cos( , )

V I

bc

b

P

W W

a

b

Para cargas equilibradas ( ABC (Vbc como referência):

14
14

Z Z

) e no sistema

 W a b   Para cargas equilibradas ( ABC (Vbc como referência): 14 Z
 W a b   Para cargas equilibradas ( ABC (Vbc como referência): 14 Z

Sistemas Elétricos

MEDIÇÃO DE POTÊNCIA

M EDIÇÃO DE P OTÊNCIA Método dos 2 wattímetros - Potência ativa Como Vbc é a

Método dos 2 wattímetros - Potência ativa

Como Vbc é a referência e o sistema é ABC, então:

W V I

a ac a

cos( , )

V I

ac

a

Se

então:

E:

V V

a

 90 º

f

e

90 i 90

i

v

i

,

Vac

Ia

W

a

V I

L L

90   i      v i , Vac Ia W a

cos(60 (90 ) )

90   i      v i , Vac Ia W a

MEDIÇÃO DE POTÊNCIA

M EDIÇÃO DE P OTÊNCIA Método dos 2 wattímetros – Potência ativa  i  90

Método dos 2 wattímetros Potência ativa

i 90

,

Como

se

se

i 90 º

i

i

  90º 90º

então

então

180 º

se

então

  90º  90º então então  180 º se então Lembrando que a carga

Lembrando que a carga varia entre -90º (puramente capacitiva) e 90º (puramente indutiva)

MEDIÇÃO DE POTÊNCIA

M EDIÇÃO DE P OTÊNCIA Método dos 2 wattímetros – Potência ativa W V I 

Método dos 2 wattímetros Potência ativa

W

V I

a L L

cos(60 (90 ) )

W

V I

a L L

cos(30 º )

W

b

W

b

V I

L L

V I

L L

Vbc

Ib

  30 º ) W b W b  V I L L  V

cos(0 ( 30 ) )

cos(30 º )

cos(0  (  30   ) ) cos(   30 º ) Va
cos(0  (  30   ) ) cos(   30 º ) Va

Va

 (  30   ) ) cos(   30 º ) Va 

i (90 120 )

MEDIÇÃO DE POTÊNCIA

M EDIÇÃO DE P OTÊNCIA Exercício Demonstre que para a sequência CBA W V I 

Exercício

Demonstre que para a sequência CBA

W

V I

a L L

W

b

V I

L L

cos(30 º )

cos(30 º )

MEDIÇÃO DE POTÊNCIA

M EDIÇÃO DE P OTÊNCIA Considerações sobre o ângulo da impedância: P  2 W x

Considerações sobre o ângulo da impedância:

P 2 W

x

0 º

W W W

x

0 º 60 º   0

a

b

W

a

P W W

a

b

e W 0

b

0

P W

a

60 º   

W

a

0

e W e W 

b

0

e W

b

b

60 º

90 º

W

a

0

  W

a

P W

a

P 0

( )

W

b

90 º

W

a

0

MEDIÇÃO DE POTÊNCIA

M EDIÇÃO DE P OTÊNCIA Potência reativa pelo método dos 2 wattímetros Façamos Wa – Wb:

Potência reativa pelo método dos 2 wattímetros Façamos Wa Wb:

W  W V I  V I a b L L L L W
W
W V I
V I
a
b
L L
L L
W
cos(  30 º ) 
W V I sen
a
b
L L
Q  3
V I sen
Como:
L L

cos(30 )

Então, na sequência ABC:

3 (Como: L L cos(   30 ) Então, na sequência ABC: 3 ( Q Q

3 (L L cos(   30 ) Então, na sequência ABC: 3 ( Q Q W

Q

Q

W W W W W W

a

b

c

b

c

)

a

)

)

na sequência ABC: 3 ( 3 ( Q Q W  W W  W W

Potência reativa

na sequência ABC: 3 ( 3 ( Q Q W  W W  W W

Q 3 (

na sequência ABC: 3 ( 3 ( Q Q W  W W  W W

20

MEDIÇÃO DE POTÊNCIA

M EDIÇÃO DE P OTÊNCIA Na sequência CBA: Q  3 ( W  W W

Na sequência CBA:

M EDIÇÃO DE P OTÊNCIA Na sequência CBA: Q  3 ( W  W W

Q 3 (

M EDIÇÃO DE P OTÊNCIA Na sequência CBA: Q  3 ( W  W W

W W W W W W

b

c

a

a

b

c

)

)

)

Q 3 (

CBA: Q  3 ( W  W W  W W  W b c

Q 3 (

MEDIÇÃO DE POTÊNCIA

M EDIÇÃO DE P OTÊNCIA Potência reativa pelo método dos 3 wattímetros Como dito anteriormente, a

Potência reativa pelo método dos 3 wattímetros

Como dito anteriormente, a potência reativa pode ser

CALCULADA a partir da potência ativa MEDIDA. Para tanto, a conexão das 3 bobinas deve ser da seguinte forma:

da potência ativa MEDIDA. Para tanto, a conexão das 3 bobinas deve ser da seguinte forma:

MEDIÇÃO DE POTÊNCIA

M EDIÇÃO DE P OTÊNCIA Potência reativa pelo método dos 3 wattímetros Pela leitura dos wattímetros:

Potência reativa pelo método dos 3 wattímetros

Pela leitura dos wattímetros:

W

a

W

a

W

b

W

b

W

c

3
3

V I

bc a

dos wattímetros: W a W a W b W b W c 3  V I

a

cos( , )

V I

bc

a

V I

a

a

b

c

3  V I bc a a cos( , ) V I bc a V I

3V I sen3Q

V I

a

a

a

3
3

cos( , )

V I

ca

b

V I

b

ca b

 3 Q  V I a a a 3 cos( , ) V I ca
 3 Q  V I a a a 3 cos( , ) V I ca

3V I sen3Q

b

b

b

b

3
3

V I

ab c

cos( , )

V I

ab

c

V I

c

 3 Q b b b b 3  V I ab c cos( , )
 3 Q b b b b 3  V I ab c cos( , )

W 3V I sen3Q

c

c

c

c

c

cos(90

cos(90

cos(90

a

b

)

)

c

)

MEDIÇÃO DE POTÊNCIA

M EDIÇÃO DE P OTÊNCIA Potência reativa pelo método dos 3 wattímetros Como , então: Para

Potência reativa pelo método dos 3 wattímetros

Como

Potência reativa pelo método dos 3 wattímetros Como , então: Para cargas equilibradas: Q  3

, então:

reativa pelo método dos 3 wattímetros Como , então: Para cargas equilibradas: Q  3 W

Para cargas equilibradas:

reativa pelo método dos 3 wattímetros Como , então: Para cargas equilibradas: Q  3 W

Q 3W

x

FIM!!! (camilapgguedes@gmail.com) 25 Sistemas Elétricos

FIM!!!

(camilapgguedes@gmail.com)