You are on page 1of 17

IMPLEMENTAÇÃO DE ACESSÓRIOS PARA O AMBIENTE VIRTUAL DE

APRENDIZAGEM MOODLE: UM ESTUDO DE CASO NA UFG


GOMIDES, L.R.
Escola de Engenharia Elétrica e de Computação (EEEC/UFG), laurorg@ciar.ufg.br
INUZUKA, M. A
Centro de aprendizagem em rede (CIAR/UFG), akira@ciar.ufg.br
MARQUES, A.C.R.
Escola de Engenharia Elétrica e de Computação (EEEC/UFG), alancaio@ciar.ufg.br
RESENDE, C.A.
Instituto de Informática (INF/UFG), chrystian@ciar.ufg.br
RESENDE, D.I.S.
Instituto de Informática (INF/UFG), danilo.isr@ciar.ufg.br
RODRIGUES, Fran
Faculdade de Comunicação e Biblioteconomia (Facomb/UFG),
jornalistafranrodrigues@gmail.com
SANTOS, L. R. T. L.
Faculdade de Artes Visuais (FAV/UFG), lara@ciar.ufg.br
SILVA, V.L.O
Faculdade de Artes Visuais (FAV/UFG), vinicius.redes.tecnologia@gmail.com

Resumo:
Este trabalho versa sobre o Moodle, Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA)
constituído em um sistema colaborativo de retroalimentação. Na Universidade
Federal de Goiás (UFG), além de se integrar em atividades da modalidade
presencial de ensino, o Moodle é utilizado para a interação em rede com os alunos
da Universidade Aberta do Brasil (UAB).

Palavras chaves: Ambiente Virtual de Aprendizagem; Tecnologia Educacional;


Ensino a distância.

Introdução
A Universidade Federal de Goiás, com o intuito de sistematizar e implementar

ações de integração de redes de aprendizagem apropriadas à modalidade de ensino

presencial e não presencial, criou, em 2007, o Centro Integrado de Aprendizagem

em Rede (CIAR, 2008), órgão vinculado à Reitoria. Como consta em seu

planejamento estratégico, o CIAR nasce para “ser um espaço de articulação

tecnológica e pedagógica em educação em rede, a fim de viabilizar projetos de

capacitação e de formação contínua de professores, alunos, funcionários e da

1
sociedade em geral, mediados pelas tecnologias de informação e comunicação”.

O CIAR é um órgão constituído por equipe multidisciplinar estruturada em

Conselhos (editorial e gestor), Diretoria e Coordenadorias. Tais instâncias visam a

oferecer os suportes necessários ao funcionamento de diversos cursos e propostas

de ensino (graduação, pós graduação e extensão). Atua na articulação entre ensino

e pesquisa no que tange a processos de aprendizagem formal e não formal

integrados por tecnologias da informação e comunicação inseridas em projetos de

educação em rede desenvolvidos pela Universidade Federal de Goiás.

Nesta equipe, a Coordenação tecnológica é responsável pelas atividades que

exigem utilização de tecnologias de informação e comunicação, bem como por

oferecer aos sujeitos envolvidos nos projetos o acompanhamento referente aos

Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVA) e às demais atividades que exijam

envolvimento tecnológico direto. Assim, tal coordenação é composta por professores

e profissionais da área tecnológica e afins que atuam no ensino e na pesquisa. Os

alunos estagiários não apenas são orientados no desenvolvimento de ferramentas

tecnológicas que auxiliem os cursos desenvolvidos pela UFG, como também

incentivados a, por meio da produção científica, sistematizar e compartilhar os

conhecimentos adquiridos.

O Modular Object Oriented Distance Learning (Moodle), ou em português,

Ambiente de Aprendizagem Dinâmico Modular Orientado a Objeto (Dougiamas,

2006) é o ambiente virtual de aprendizagem (AVA) adotado pela Universidade

Federal de Goiás. Consiste em um conjunto de softwares que se destinam à

produção de cursos para interação via Web.

Segundo seus idealizadores, trata-se de um projeto de desenvolvimento

contínuo concebido para apoiar o ensino, dentro de um quadro sócio-construcionista

2
de educação. O Moodle é Software Livre (Williams, 2002), ou seja, tem-se a

autorização de copiar, modificar e usar, desde que sejam cumpridas as regras da

General Public License (GPL).

A pedagogia sócio-construcionista permeia todo o perfil do Moodle, desde seu

desenvolvimento, passando pela estrutura física, principalmente no que se refere ao

conteúdo dos cursos e forma de apresentação. A filosofia do Moodle se baseia em

quatro pilares pedagógicos: Construtivismo, Construcionismo, Construtivismo Social

e Comportamento Conectado e Separado (Dougiamas, 2005).

Aliado à dinamicidade dos cursos presenciais e a distância desenvolvidos na

UFG, esta ferramenta vem atender as necessidades primeiras inclusas nas relações

aluno/professor, aluno/aluno e aluno/ambiente. Contudo, sua versão padrão (default)

não possui todos os recursos necessários para atender as especificidades de cada

curso desenvolvido.

Assim, este trabalho visa a descrever um estudo de caso da implementação

de acessórios para o Moodle, no sentido de atender necessidades específicas de

interação síncrona e assíncrona entre alunos e professores de diversos cursos a

distância. Neste contexto, o trabalho parte da experiência obtida nos cursos de

Física e Artes Visuais, tratando do levantamento de requisitos, pesquisa e avaliação

de soluções já existentes, customização e implantação das ferramentas escolhidas,

bem como retorno dos benefícios para os autores do trabalho original.

Editor de fórmulas

Para Iniciar o relato sobre a implementação dos acessórios, trataremos do

Editor de Fórmulas no contexto do curso de Física. O ensino na área de Ciências

Exatas faz uso intensivo da comunicação por meio de fórmulas e símbolos

matemáticos. No ensino presencial, o papel, o giz, o quadro, são mídias padrões

3
que, facilmente, atendem tal necessidade. No ensino a distância, essa demanda

precisa ser suprida por mídia eletrônica.

Contudo, o editor de texto original do Moodle não fornece funcionalidades

para este fim, de modo que alunos e professores eram obrigados a criar alternativas

improvisadas. Para exercícios contendo fórmulas, os usuários chegavam, por

exemplo, a escrever em papel suas respostas, tendo o trabalho de fotografá-las e,

só então, submetê-las ao AVA em forma de imagens anexas. Inserido no processo

de acompanhamento contínuo que o Ciar oferece aos cursos a distância da UFG, a

coordenação do curso de Física solicitou ao CIAR que encontrasse uma solução

capaz de superar tais deficiências.

Figura 1: Foto de exercício postado em fórum no Moodle do curso de Física (IF/UFG) em março de 2009

A partir da demanda apresentada, iniciamos um processo de pesquisa, que

resultou em três ferramentas candidatas. Na primeira, o usuário precisaria de um

software extra para gerar a fórmula e enviar os dados ao Moodle, ou seja, não

possuía integração direta com o Moodle, o que a eliminava. Outra solução criava a

fórmula como arquivo de imagem, que deveria ser anexado ao editor de texto do

AVA. Também nesse caso, encontramos problema de integração com o Moodle,

inviabilizando a utilização do acessório.

Uma terceira solução encontrada foi o filtro "Tex Notation i" , acessório que

4
interpreta a notação LaTeX ii e renderiza a equação em forma de imagem. Esta

notação é bem difundida no meio acadêmico, especialmente na área de Ciências

Exatas. Porém, usuários iniciantes têm dificuldades de utilização pois necessitam

aprender sua sintaxe, que é extensa e, de certa forma, complexa. Em função disso,

pesquisamos editores gráficos de LaTeX e encontramos o DragMath iii. Este, apesar

de ser a ferramenta que melhor se adequava às necessidades detectadas, possuía

as seguintes limitações:

• Ausência de mecanismos diretos para inserção do código Latex no Moodle;

• Falta de documentação, o que dificultava sua instalação;

• Sistema de detecção de falhas (debug) desnecessário para o usuário final.

Após a instalação, inserimos um botão para que o código LaTeX gerado fosse

diretamente colocado no Moodle, sem a necessidade de se salvar uma imagem

LaTeX. Outra medida foi a remoção do recurso de debug para que, a partir da

imagem da fórmula, o link exibisse também o código Latex, o que viabilizaria, ao

usuário interessado, a informação dos códigos correspondentes à cada fórmula.

Assim, o código do DragMath foi customizado para atender as necessidades

essenciais dos usuários. Finalmente, o acessório modificado foi considerado como

profícuo e aprovado para uso pela coordenação do curso de Física.

5
Figura 2 – Imagem capturada do editor em uso no Moodle do curso de Física (IF/UFG).

Atualmente, o editor está em fase de adoção, com a realização de

treinamento para tutores a fim de transmitir a nova ferramenta aos professores e

discentes. Para finalizar o processo de implementação deste acessório, todas as

soluções para as deficiências encontradas foram retornadas para o autor, compondo

o quadro colaborativo que embasa a cultura do Software Livre.

Galeria de imagens

Trataremos agora do segundo recurso que acrescentamos ao Moodle no

intuito de potencializar a experiência educativa dos cursos que se valem do

ambiente virtual como espaço de aprendizagem. Nossa próxima ferramenta se

insere no curso de Artes Visuais, área de estudo que, sobretudo, contempla padrões,

aspectos e percepções relacionadas ao visual, ou seja, àquilo que se pode ver.

Dessa profunda relação com o visual, decorre a necessidade prática de se

trabalhar com imagens, como verifica-se nas aulas presenciais dos cursos de Artes.

As produções são exibidas e podem ser visualizadas no mesmo momento. Os

alunos possuem um contato direto e constante com obras e imagens, o que não

ocorre da mesma forma em um curso na modalidade ensino a distância.

O ambiente Moodle do curso de Artes Visuais não possuía nenhuma

ferramenta própria para exibir e divulgar as produções visuais de alunos e

professores. De forma improvisada, os usuários empregavam o recurso Fórum, no

qual é possível anexar arquivos às suas mensagens de texto. Dessa forma, a

necessidade era atendida, já que a imagem a ser compartilhada ficava disponível


6
para os demais.

No entanto, fóruns são recursos textuais, originalmente utilizados para

discussões e, portanto, extremamente limitados quando empregados para

visualização de imagens. Não havia um formato adequado para apresentação das

obras, nem tampouco função para agrupamento das imagens, uma vez que cada

arquivo permanecia ligado à mensagem do usuário que o enviou.

Assim, no já mencionado objetivo de ampliar a eficiência do AVA para os fins

específicos da EAD, iniciamos uma pesquisa por alternativas elaboradas que

permitissem a adequada exposição de imagens sem suprimir a interação por meio

de comentários. A coordenação do curso a distância da Faculdade de Artes Visuais

(FAV) solicitou, então, uma Galeria que permitisse a exibição das diversas imagens

produzidas tanto por alunos quanto por professores.

Primeiramente, buscamos uma ferramenta já existente para esse fim,

pesquisa que resultou em apenas dois recursos de Galeria de Imagens para o

Moodle. O primeiro foi descartado por não receber manutenção e suporte do criador,

além de exigir a instalação de outra ferramenta (Gallery 2) em função de uma baixa

integração junto ao Moodle. O outro aplicativo utilizava um código mais elaborado

dentro do próprio Moodle, não necessitando de configurações adicionais para

funcionar no ambiente das Artes Visuais.

Desenvolvida por Holden (2007), a ferramenta LightBox Gallery, utiliza um

código em Javascript, que apresenta a imagem selecionada de forma mais dinâmica

na tela, cobrindo a página do Moodle (esmaecendo a tela) e deixando bem visível a

imagem para o usuário Figura 3). Além disso, também possuía toda a estrutura de

uma ferramenta para Moodle e apresentava configurações úteis como a permissão

de comentários sobre a galeria e a possibilidade de edição da imagem, a exemplo

7
de alterações no

tamanho,

espelhamento,

dentre outras.

Figura 3– Exemplo de imagem com a galeria LightBox

As características acima mencionadas contemplavam as expectativas do

curso de Artes Visuais, com exceção do efeito dinâmico da imagem, uma vez que a

coordenação do curso almejava algo mais simples: tanto mais leve para ser

carregado no computador dos usuários, quanto visualmente mais "limpo". Para

atender a demanda, retiramos o código Javascript iv do Lightbox Gallery v e criamos

outra área para a exibição de cada uma das imagens (antes efetuada pelo Lightbox

Gallery). Com isso, foi possível viabilizar a permissão de comentários dos usuários

por imagem, e não mais para a galeria toda.

Além das configurações básicas que já vinham com o recurso da galeria,

como permissão de comentários, de exibição de informações sobre o arquivo da

imagem, escolha do diretório do servidor em que ficariam guardadas as imagens,

adicionamos como opção do professor a escolha sobre a autorização ou não de

envio de imagens por parte dos alunos, de modo que a Galeria tornou-se um local

para reconhecimento dos trabalhos dos estudantes. A Figura 4 ilustra como é,

atualmente, a galeria de imagens utilizada no Moodle da FAV.

8
Figura 4 - Exemplo da utilização da Galeria de Imagens

A criação de uma galeria segue o padrão para adição de qualquer outro

recurso em uma sala do Moodle. Somente o usuário com poder de edição de uma

sala poderá criar uma galeria. Basta, então, preencher as opções requeridas na

galeria de imagens: nome e descrição da galeria, diretório onde serão salvas as

imagens, quantidade de imagens exibidas por página, permissão ou não de

comentário ou envio de imagens por alunos e exibição de informações sobre os

arquivos de imagens. A figura 5 apresenta a tela observada pelo professor ao criar

uma nova galeria.

Figura 5 – Configuração de uma Galeria de Imagens

Como pode ser observada na Figura 6, a galeria é composta pelo nome (na

parte superior), descrição (logo abaixo), lista das imagens disponíveis e, na parte

9
inferior, o link Adicionar Imagem. Esse último link aparece, por padrão, somente para

o professor. Mas, se ele escolheu a opção de permitir envio de imagens por alunos,

aparecerá também para os estudantes.

A galeria apresenta também um recurso muito útil, chamado de Rótulo (tag). É

possível “etiquetar” as imagens, ou seja, aplicar nomes comuns a um determinado

grupo de imagens, o que permite que o usuário busque e visualize somente as

imagens de seu interesse. Por exemplo, as imagens de pinturas podem receber

rótulos com nomes de seus pintores, época de criação, técnicas utilizadas, etc. Ao

se escolher um rótulo com o nome de um determinado pintor, somente as imagens

que contenham aquela etiqueta serão exibidas, servindo como um filtro. Esses

rótulos são listados logo acima do link de adicionar imagem. Um exemplo da lista de

rótulos pode ser visto na figura 6.

Figura 6 – Lista dos rótulos existentes nessa galeria

Quando o usuário clica em uma determinada imagem dentro da galeria, a

mesma é exibida juntamente com informações como: quem postou a imagem,

legenda e nome da mesma. Abaixo da imagem, encontra-se o link para Adicionar

Comentário, item sucedido pela lista dos comentários. As figuras 7 e 8 demonstram

como um usuário visualiza a imagem escolhida.

Figura 7 – Visualização de uma imagem pelo usuário

10
Essa ferramenta mostrou-se extremamente útil para professores do AVA da FAV.

Uma semana após a disponibilização da ferramenta no Moodle da FAV, já havia mais

de 20 galerias criadas pelos professores, sendo que, atualmente, existem 100

galerias no ambiente Apesar do sucesso, o recurso ainda pode ser acrescido de

melhorias, como a possibilidade de passar para a próxima imagem (ou anterior) ao

ser exibida cada uma das imagens, visualização de quantos comentários existem

em cada imagem, possibilidade de avaliação das imagens dos usuários pelos

professores, dentre outras funções que já estão em desenvolvimento pela equipe do

CIAR. Pretendemos criar uma galeria completa, com funções que atendam à FAV e

que possam ser publicadas, beneficiando outros usuários.

Web-conferência

Ainda que a modalidade de ensino a distância pressuponha a não

necessidade do constante contato presencial entre alunos e professores, a falta de

interação direta se configura como uma das maiores reclamações dos sujeitos que

integram esse processo de ensino-aprendizagem.

Na concepção de Aprendizagem em Rede com a qual o CIAR trabalha, a

distância física não precisa anular as relações de proximidade que se estabelecem

como parte da construção coletiva de conhecimentos. Partindo desse princípio,

levamos para o Moodle a Web-conferência, estratégia de comunicação síncrona que

será melhor relatada no decorrer deste tópico.

Há algumas ferramentas, já bastante comuns, que aumentam a interação,

como é o caso dos bate-papo (chat) e fórum. Contudo, a esses mecanismos faltam o

contato visual, a dinamicidade da comunicação não verbal, questão que, por vezes,

se torna um empecilho à efetiva comunicação. Em uma discussão, síncrona (chat)

ou assíncrona (fórum), realizada por meio de texto, a falta de entonação e de

11
recursos adicionais como leitura das expressões faciais, podem gerar ruídos na

comunicação, de modo que o receptor não compreenda a mensagem, seja parcial

ou mesmo completamente.

A expressão corporal e facial são facilitadores para o entendimento e o

desenrolar de um debate, além de humanizar mais a discussão. Com a intenção de

aproximar e diminuir a “distância” dos usuários do Moodle, apresentamos a

utilização da tecnologia para a realização de conversas com áudio e vídeo. Isso

poderia ser feito com a utilização de outros softwares fora do ambiente, mas devido

a ideia ser apresentar ferramentas de rápida utilização aos alunos e facilitar a

integralização entre colegas de curso, a necessidade de usar o Moodle se fazia

necessária.

Após algumas avaliações de softwares que funcionavam com a possível

utilização do Moodle, escolhemos o Classe V, Software Livre desenvolvido por

Xavier (2008). O Classe V é baseado no Covcell vi e, diferente de outros analisados,

possui alta integração com o Moodle, código fonte relativamente simples e

compatibilidade com vários navegadores. Abaixo, vemos o acessório em

funcionamento.

Figura 8 – Web-conferência entre dois usuários

12
O software escolhido apresenta como funcionalidades diretas:

• Lista de Presença de Usuários;

• Bate-Papo;

• Quadro Branco;

• Vídeo/Áudio Conferência;

• Gravação de Áudio.

Ele usa a tecnologia Adobe Flash vii, o que facilita a sua portabilidade, ou seja,

a execução em navegadores e sistemas operacionais variados. Seu uso exige

apenas da instalação desse acessório (plugin) no navegador do usuário.

Após à implantação da ferramenta e execução de vários testes, encontramos

vários defeitos, que foram reportados para os desenvolvedores do sistema e

melhorias foram alcançadas. Algumas delas foram:

• Possibilidade de convidar usuários após a videoconferência ter sido

iniciada;

• Melhor disposição dos elementos no bloco;

• Verificação de usuários para uso dos recursos.

A maior dificuldade, contudo, não está no âmbito técnico, mas no preconceito

e suas raízes sócio-culturais, que se evidenciam quando algumas pessoas, em tom

pejorativo, referem-se a esse tipo de interação como ato de “conversar com o

computador”, ignorando o fato de que o computador realiza apenas uma mediação e

tem como foco a conexão de pessoas, suas idéias e conhecimentos.

O desenvolvimento e ampliação da Web Conferência é importante e

necessário principalmente no contexto de ensino a distância, na tentativa de

humanizar mais a relação dos que fazem parte destes cursos e facilitar o

aprendizado e interação entre estes.

13
Comparação das ferramentas

A seguir, apresentamos um quadro comparativo entre as várias ferramentas,

visando a encontrar padrões de semelhanças e diferenças nas implementações das

mesmas.

Editor de
Solução Galeria de Imagens Web-conferência
fórmulas

Licenciamento Software Livre Software Livre Software Livre

Mídia tradicional Quadro de pintura, Sala de aula


Papel, quadro
do modelo papel, tinta, esculturas, presencial com
negro, etc
presencial etc interação face-a-face

Necessário

treinamento de
Adoção simples. O Necessário preparar
tutores,
Preparação para software é familiar hardware e treinar
professores e
utilização para a maioria dos tutores na operação
alunos para
usuários da ferramenta
utilizarem a

ferramenta

Integrado. Há

Integrado. Porém o necessidade de

Integrado. Não há usuário necessita de hardware especial,


Integração com
necessidade de fotografar digitalmente como kit de fone de
o AVA
ferramentas extras seus trabalhos para ouvido e microfone

serem enviados (headset) e câmera

web (webcam)

14
Usuários da área de

Artes Visuais, mas

estudos indicam que

pode ser adaptado a Geral. Todas áreas


Usuários da área
Usuário típico outras áreas que usam necessitam de
de Ciências Exatas
imagens, como interação síncrona

Biologia (fotos de

seres vivos) e

Geografia (mapas)

Tipo de
Assíncrona Assíncrona Síncrona
ferramenta

Correções de Solicitações de
Retorno ao autor Pendente
falhas correção de falhas

Endereço
http://www.ciar.ufg. http://www.ciar.ufg.br/g http://www.ciar.ufg.br/
Eletrônico para
br/editorformulas aleriadeimagens webconferencia
acesso

Considerações Finais

Este trabalho relatou a adoção de três acessórios para o AVA Moodle: um

editor de fórmulas matemáticas, uma galeria de imagens e um sistema de web-

conferência. Para a implementação dos mesmos, utilizamos um modelo de

processos baseado em levantamento de requisitos, pesquisa e análise de soluções,

customização do software escolhido e finalmente retorno ao autor. No levantamento

de requisitos, percebeu-se um padrão comum. Todas ferramentas solicitadas pelos

15
usuários visaram a superar as dificuldades da comunicação a distância, transpor as

mídias utilizadas na modalidade presencial para mídias eletrônicas.

Na pesquisa e análise de soluções, as alternativas escolhidas foram

baseadas em Software Livre, que se justificaram pela facilidade de integração e

adaptação, advindas da liberdade de se poder baixar, alterar seu código-fonte

adaptando-se às próprias necessidades. Este modelo se mostra colaborativo e auto-

sustentado, uma vez que usuários colaboram entre si por meio do compartilhamento

e melhoria de seus softwares, sendo, ao mesmo tempo, tanto consumidores, quanto

produtores de suas próprias soluções.

No processo de implantação, a solução mais testada e que resultou em

benefícios mais perceptíveis a curto prazo foi a galeria de imagens, provavelmente

pela utilização intuitiva e já conhecida pela maioria dos usuários. Espera-se que, a

médio prazo, as demais soluções, que demandam maior treinamento e preparação,

sejam melhor difundidas e utilizadas, resultando em benefícios reais para seus

usuários. Ao utilizar as soluções, várias falhas e deficiências foram encontradas.

Dentre estas, várias correções e/ou pedidos de melhorias foram retornadas para o

autor, fechando, assim, o ciclo de colaboração que beneficia outros usuários.

16
REFERÊNCIAS

XAVIER, Otávio C. Classe V: Educação à distância com Videoconferência no


Moodle. PHP Brasil Comunidades, acessado em 10/03/2008. Disponível em:
http://www.slideshare.net/otaviocx/classe-v-educao-distncia-com-videoconferncia-no-
moodle-presentation

CIAR. Regimento do Centro Integrado de Aprendizagem em Rede – CIAR/UFG,


2008.
DOUGIAMAS, Martin e Contribuidores. About Moodle – Disponível em
http://docs.moodle.org/en/About_Moodle. Criado em outubro de 2006. Acessado em
31 de agosto de 2009.

DOUGIAMAS, Martin e Contribuidores. Philosophy. Disponível em:


http://docs.moodle.org/en/Philosophy. Criado em maio de 2005. Acessado em 31 de
agosto de 2009.

HOLDEN, Paul. Lightbox Gallery Resource. Publicado em novembro de 2007,


acessado em 31 de agosto de 2009, disponível em
http://moodle.org/mod/data/view.php?d=13&rid=1021.

WILLIAMS, Sam. Free as in Freedom: Richard Stallman's Crusade for Free


Software. 240p. Ch. 9, disponível em http://oreilly.com/openbook/freedom/ch09.html.
Março de 2002. ISBN 0-596-00287-4. Acessado em 31 de agosto de 2009.

i Método de representação de símbolos matemáticos complexos, que utiliza combinações de caracteres


simples.
ii Conjunto de macros para o processador de textos (TeX), utilizado amplamente para a produção de textos
matemáticos e científicos devido à sua alta qualidade tipográfica.
iii Editor de fórmulas que pode ser executado via navegador de internet.
iv Linguagem de programação criada pela Netscape(empresa norte-americana de Tecnologia da Informação)
em 1995.
v Programa que o ajuda a criar galerias de imagens para a web.
vi Módulo desenvolvido para ampliar as formas de comunicação do Moodle.
vii Software geralmente usado para a criação de animações interativas que funcionam embutidas num
navegador web.

17