Вы находитесь на странице: 1из 42

ÍNDICE

ASSUNTO Página

1. PALAVRAS INICIAIS........................................................................................................
INICIAIS............................................................................................................................... 3
2. PALAVRAS DO COMANDANTE............................................................................................................
COMANDANTE..................................................................................... 3
3. CÓDIGO O DE HONRA E JURAMENTO DO ALUNO..........................................................
ALUNO..............................................................................3
4. SIGNIFICADO
FICADO DA BOINA GARANÇA..................................................................................................
GARANÇA................................................................................ 4
4. PROPOSTA PEDAGÓGICA...............................................................................................
PEDAGÓGICA...................................................................................................................... 4
5. INSTALAÇÕES DO CMPA.......................................................................................................................
CMPA................................................................................................ 4
6. COMUNICAÇÃO COM O COLÉGIO MILITAR.....................................................................
MILITAR..................................................................................... 6
7. NORMAS INTERNAS...............................................................................................................................
INTERNAS....................................................................................................... 7
7. c. 1) a) UNIFORMES ES MASCULINOS.................................................................................
MASCULINOS ...................................................... 11
7. c.1) b) UNIFORMES FEMININOS..................................................................
FEMININOS ........................................................ 14
7.c.1) c) UNIFORMES ESPECIAIS............................................................................
ESPECIAIS ......................................................... 18
7.c. 2) a) APRESENTAÇÃO INDIVIDUAL DOS ALUNOS...............................
ALUNOS......................................................................19
7. d. PROCEDIMENTO EM SITUAÇÕES DIVERSAS.............................................................................
DIVERSAS.................................................................... 23
8. FREQUÊNCIA................................................................................................................
............................................................................................................
......................................................................................................................................24
9. ATRASOS.................................................................................................................................................25
ATRASOS...................................................................................................................
10.. SAÍDAS ANTECIPADAS.................................................................................................
ANTECIPADAS...................................................................................................................... 25
11.. FALTAS E ATESTADOS......................................................................................................................
ATESTADOS.................................................................................................. 25
12.. TELEFONE CELULAR, APARELHOS ELETRÔNICOS ELE E OBJETOS PARTICULARES...............
PARTICULARES......... 26
13.. ATENDIMENTO MÉDICO...................................................................................................................
MÉDICO.............................................................................................. 26
14.. QUOTA MENSAL ESCOLAR............................................................................................
ESCOLAR.............................................................................................................. 27
15.. FORNECIMENTO DE MATERIAL AOS ALUNOS ASSISTIDOS....................................................
ASSISTIDOS................ 27
fw16.. OBRIGAÇÃO DOS RESPONSÁVEIS.................................................................................
RESPONSÁVEIS..................................................................................................
27
17.. REGIME DISCIPLINAR........................................................................................................................
DISCIPLINAR................................................................................................... 28
18.. AVALIAÇÃO EDUCACIONAL..........................................................................................
EDUCACIONAL........................................................................................................... 35
19. RECUPERAÇÃO....................................................................................................................................38
RECUPERAÇÃO..............................................................................................................
20. APOIO PEDAGÓGICO...................................................................................................
GICO...................................................................................................
GICO.......................................................................................................................... 40
21. SEÇÃO DE EDUCAÇÃO FÍSICA..........................................................................................................40
FÍSICA..............................................................................................
22. SEÇÃO PSICOPEDAGÓGICA..............................................................................................
PSICOPEDAGÓGICA .............................................................................................. 41
23. SEÇÃO DE SUPERVISÃO ESCOLAR..................................................................................................41
ESCOLAR..........................................................................
24. LIVROS DO PROGARMA NACIONAL DO LIVRO DIDÁTICO (PNLD).........................................41 (PNLD)................................
25. CANÇÃO DO CMRJ E SAUDAÇÃO ESCOLAR................................................................................
ESCOLAR................................................................ 42

2
1. PALAVRAS INICIAIS
O Manual do Aluno 2016 conttém informações úteis e necessárias a todos aqueles que integram a Casa
de Thomaz Coelho. É dirigido a toda família Garança,
Garança especialmente, aos nossos alunos.
É nossa finalidade, ao publicar este Manual,
Manual proporcionar a você condiçções favoráveis a uma rápida
ambientação ao Colégio Militar do Rio de Janeiro (CMRJ) e ajudá-lo durannte todo o ano escolar.
Leia com atenção todas as págginas que aqui estão. Elas foram feitas paraa você. Consulte seu manual
2016 por partes, muitoo atentamente e perceberá como ele pode ser útil.
Um abraço e boa sorte!

2. PALAVRAS DO COMANDA ANTE


Alunos do CMRJ, senhores reesponsáveis e familiares integrantes da famíli mília Garança, bem vindos a
2016!
Os procedimentos, instruções e normas listadas nesta publicação, se bem entendidas e seguidas, muito
contribuirão para o bom andamentoo das múltiplas atividades que ocorrem no Coolégio.
Além da história do CMRJJ e do Calendário Escolar, o Manual do Aluno A contém uma série de
informações que visam facilitaar o desenvolvimento de hábitos de esttudo por parte dos alunos
aumentando-lhes a chance de suceesso e de aprovação no final do ano. Nosso inttuito é:
Promover a educação integgral dos jovens que aqui estudam, de acor ordo com os princípios e
valoores praticados pelo Exército Brasileiro.
Para isso, é oportuno destacarr a necessidade de máximo esforço por par arte de todos, traduzido pela
participação integral na atividade fundamental
f de qualquer estabelecimento dee ensino: a AULA. Os alunos
deverão priorizar a presença em e sala de aula e o atento acompanhamento dos resultados das
avaliações, desde o primeiro dia. Atenção total deve ser dada aos conteúdos dos ministrados e praticados, à
oportuna retirada de dúvidas e à prática intensiva, em domicilio, dos exercícios elaborados pelos
professores. É preciso que os alunos
unos e responsáveis façam uma judiciosa seleção
s das outras atividades
opcionais ofertadas pelo CMRJ, de modo a não comprometer os resultados escolares.
O Comandante, os professores, s, os instrutores e monitores do Corpo de Alunos
unos, e todos os profissionais
de ensino, estarão sempre à inteiraa disposição.
Não se esqueçam: o sucesso do CMRJ sempre dependerá, primordialmente, do sucesso de seus alunos.

3. CÓDIGO DE HONRA E JURAMENTOJURA DO ALUNO


a. Código de Honra
Lealdade e Honestidade
Iniciativa e Nobreza de Atituudes
Disciplina e Camaradagem
Estudo e Amor à Cultura
Respeito às Normas do Coléégio Militar
b. Juramento do Aluno
“Incorporando-me ao Colégio Militar e perante seu nobrre estandarte, assumo
o compromisso de cumprir com honestidade meus deveeres de estudante, de
ser bom filho e leal companheiro, de respeitar os su
uperiores, de ser
disciplinado e de cultivar
cu as virtudes morais, para tornaar-me digno herdeiro
de suas glorios
riosas tradições e honrado cidadão da minha
m Pátria.”

3
c. Significado da Boina Garançaa
“O que significa a Boina Garaarança do aluno do Colégio Militar?”
Instituída por Portaria Miniisterial, em 21 de janeiro de 1971, a boina,, na força de uma das cores
heráldicas do Exército, significa a incorporação do novo aluno às fileiras da Forrça Terrestre.
Simboliza não apenas a prooteção do corpo jovem, frágil, em formaçãão, mas também a segurança
propiciada pela organização que neeste momento acolhe o novo aluno.
A boina é a continuidade aoo unir o jovem de hoje, idealista, esperanços oso, confiante, às tradições de
honra e de patriotismo do Exércitoo Brasileiro.
É símbolo de união, de amizzade, de respeito, de camaradagem, de civismo. o.
É nela que os dedos perf erfilados do jovem tocam para, na continênncia orgulhosa, saudando os
chefes, os professores, os amiggos, os camaradas e, na manifestação mais m pura do nacionalismo,
homenagear os símbolos da Pátria..
A boina é fraternidade ao irmanar
irm os novos alunos aos seus camaradas maais antigos.
Além de tudo isso, a boina é ainda carinho, esperança e amor ao solidificarcar, no ato de sua entrega, a
união familiar.

4. PROPOSTA PEDAGÓGICA
As práticas didático-pedagóggicas em vigor nos Colégios Militaress subordinam-se
subo às normas e
prescrições do Sistema de Ensino do Exército e, ao mesmo tempo, obedecem também t à Lei de Diretrizes e
Bases, principal referência que estabelece
e os princípios e finalidades da educação
e nacional. Por este
último diploma legal, todos os estabelecimentos de ensino do país devvem possuir uma proposta
pedagógica própria, verdadeira sínntese dos objetivos e da orientação que imprim mem à ação educacional.
Entre outras características, a proposta
p pedagógica dos Colégios Militares prioriza princípios e práticas
que guardam estreita relação com om o esforço de modernização do ensino, impplementado pelo Exército nos
últimos cinco anos.
A busca da educação integraal, que atribui igual importância e intensiidade aos domínios afetivo,
cognitivo e psicomotor.
A colocação do aluno no centroo do processo
p ensino-aprendizagem, levandondo-o da posição de expectador,
acumulando saberes, à de protagon onista do processo, partícipe da construçãoo do conhecimento.
A delimitação de um núcleoo central de conhecimentos privilegiando ndo conteúdos significativos e
essenciais para a vida dos alunos,
nos, com ênfase no desenvolvimento de compeetências básicas e habilidades
"... que os permitam ter acesso ao conjunto de conhecimentos socialmentte elaborados e reconhecidos
como necessários ao exercício da cidadania"
c (PCN, 1998).
A observância dos princípios os da interdisciplinaridade e da contextuaalização, compreendendo os
conhecimentos relacionados com os diversos contextos da vida dos alunos.
O desenvolvimento de atitudes e a incorporação de valores, assegurando ndo a formação de um cidadão
patriota, cônscio de seus deveres, direitos
d e responsabilidades.
A capacitação dos alunos paraa o prosseguimento nos estudos de forma auutônoma e crítica para futura
integração ao mercado de trabalho com o pleno exercício de suas atividades proffissionais.

5. INSTALAÇÕES DO CMRJ
As instalações do Colégio Milittar existem para atender ao seu propósito educcacional.

É dever dos alunos zelar pela


p limpeza e conservação de ambientes, s, equipamentos e material
escolar, concorrendo para que se mantenha rigoroso asseio e colaborandoo ativamente com as ações de
manutenção e conservação exerciidas pelo pessoal de apoio.

4
a. Biblioteca
A Biblioteca é parte integrante do processo educativo, fazendo parte da Divisão de Ensino do CMRJ.
Seu funcionamento é regido pelas normas particulares de utilização da Biblioteca.
Localizada noo térreo do Pavilhão Felisberto de Menezes, oferece diversos serviços como empréstimo
domiciliar de seu acervo, reserva de material, espaços de estudos individuais e coletivos, orientação à
pesquisa. Possui um acervo compostos por material bibliográfico, periódicos,
periódicos, gibis, obras raras entre outros.
O atendimento ao corpo doocente e discente, com prioridade para este, é feito de segunda a quinta-
feira, das 07h30min às 11h30min e das 12h30min às 14h50min, e na sexta-feira ra, de 07h30min às 11h50min.
Os empréstimos são realizaados por intermédio do bibliotecário ou fun uncionário designado para a
tarefa, não sendo permitida a retirada
re de acervo sem o conhecimento dos mesmos. O usuário poderá
retirar por empréstimo no máxim imo 03 (três) obras, sendo o prazo concedido do de 15 (quinze) dias para a
devolução. A devolução dos itens ns emprestados deverá ser feita somente ao bibliotecário ou funcionário
responsável, no horário de funncionamento da biblioteca. As obras de referência (enciclopédias,
dicionários, etc.) só podem ser utilizadas
u para consulta local. A não devolu lução de acervo dentro dos
prazos acertados acarretará em m sanções disciplinares e administrativas vas constantes do regimento
interno e/ou publicadas em bolet etim interno, bem como os serviços indenizzáveis. Em caso de extravio
ou dano às obras, as mesmas deverão ser repostas ou seu valor de mercado indenizado pelos
responsáveis no prazo máximo de d 30 dias.

b. Associação de Pais e Mestre res (APM)


A Associação de Pais e MestresM do Colégio Militar do Rio de Jaaneiro - APM/CMRJ é uma
Associação Civil, beneficente, filantrópica,
f cultural e recreativa, sem finns lucrativos, resultante da
incorporação da OBRA DO ESTU TUDANTE POBRE e a integração da SO OCIEDADE LITERÁRIA ao
antigo Círculo de Pais e Mestres do Colégio Militar do Rio de Janeiro.
A APM tem as seguintes finaalidades e objetivos:
1) Promover a melhoria do ensino do CMRJ, através da celebraçãão de um convênio com o
próprio CMRJ;
2) Promover a mais estre reita cooperação entre pais e mestres, estimimulando uma atmosfera de
solidariedade, camaradagem e com mpreensão, visando a um desempenho efetivovo no processo educacional;
3) Propiciar à Direção do CMRJ meios e recursos necessários paraa desenvolver atividades de
natureza social e aprimorar as condndições de trabalho e modernização administra
rativa.
Para cumprir estas finalidaddes e alcançar estes objetivos, a APM poderá desenvolver as seguintes
ações:
1) promover atividades sócio-culturais
só e desportivas;
2) colaborar para execuçãão de atividades extraclasse;
3) realizar a assistência socioeconômica
so aos alunos carentes;
4) apoiar a modernizaçãão dos meios didáticos e a manutenção das salas de aula, laboratórios e
de aparelhagem técnico-pedagógicca e informática;
5) contratar recursos hum manos para complementar o corpo docente e addministrativo do CMRJ;
6) adquirir material de apo
poio escolar e doá-lo ao CMRJ; e
7) propiciar meios para apprimorar o desenvolvimento intelectual e sociial dos alunos.
A associação do responsávell à APM é voluntária, sendo que a contribuiçã ção para seu funcionamento é
realizada através de pagamento de d mensalidade em carnê próprio. É muitoo importante ressaltar que
esta contribuição não onerará, de forma alguma, o total da mensalidadee escolar e, ao associar-se,
o responsável estará contribuind
ibuindo ativamente para a consecução das açções acima descritas.

5
c. Cessionários
Os cessionários são empressas ou autônomos vencedores de licitação pública, contratados com a
finalidade de prestar serviço ou comercializar produtos diversos nass dependências internas. O
Colégio Militar não é propriettário nem exerce ingerência no tocante a preços, funcionários ou
atendimento nesses estabelecimeentos, cabendo-lhe apenas a fiscalização quanto
q ao cumprimento das
normas previstas no contrato estabbelecido.
Ao adquirir quaisquer materiais
m ou utilizar o serviço de qualqu
lquer cessionário, o usuário
estabelece uma relação comerc rcial direta, sem intermediação ou particip
ipação do Colégio Militar.
Assim, os alunos e/ou responsávveis têm a liberdade de adquirir materiais ou utilizar serviços de lojas
ou profissionais de sua preferêência, desde que sejam respeitadas as normas estabelecidas pelos
regulamentos em vigor no CMRJ.
Qualquer sugestão, crítica ou ocorrência, deverá ser comunicada immediatamente, por escrito, à
Subunidade de Alunos, para quee as providências previstas no contrato de cessão possam ser tomadas
pelo Chefe da Divisão Administrati tiva.

6. COMUNICAÇÃO COM O COLÉ OLÉGIO MILITAR


O CMRJ vem trabalhando com om determinação para aperfeiçoar procediimentos administrativos que
venham a facilitar a rotina escolar.
A comunicação oficial entree Colégio Militar e famílias é feita basicam mente por meio de quatro
instrumentos:

a. Reuniões de Responsáveis e Mestres


Momento mais próximoo de encontro entre famílias, professores e integgrantes do Corpo de Alunos.
Nas reuniões são passadas inform mações relativas ao dia-a-dia escolar e à metodo
odologia de ensino. Também
são momentos propícios para manifestações
m e esclarecimentos de dúvidass dos responsáveis e para a
construção da parceria entre famíli
mília e escola.
As reuniões estão marcadass no Calendário Escolar e, caso ocorram alt lterações, estas serão sempre
informadas antecipadamente. O caalendário escolar encontra-se disponível na innternet, no site do CMRJ.

b. Circulares
Informes específicos entre o Colégio Militar e as famílias serão disponibil
ilizadas no site do CMRJ e/ou
entregues por intermédio dos alunos.
unos.

c. Entrevistas
As entrevistas particulares entre Responsáveis, Professores, Comanddante do Corpo de Alunos,
Comandantes de Subunidade de Alunos,
A Orientadores Educacionais, Psicóloggos, Assistentes Sociais e/ou
Direção podem ser eventualmentee solicitadas. É vedado o acesso de respoonsáveis ao corpo docente e
discente sem a devida autorização ão da Divisão de Ensino.
O Colégio valoriza a relaçãoo com os responsáveis. Para maior comodidade dos pais e a fim de evitar
fila de espera, os contatos devem
m ser
s agendados previamente, por telefone, com a Seção Psicopedagógica,
caso o assunto seja relativo aoo Ensino, ou na Subunidade, para os dem mais assuntos. Neste caso, o
agendamento também poderá ser realizado
re por intermédio de documento dispon
sponível no site do CMRJ.

d. Comunicação via internet


No site do CMRJ (www.cmrj.ensino.eb.br), alunos e responsáveis podeem acessar informações sobre
o Histórico, Proposta Pedagógicaa, Missão, Legislação, Secretaria, Ensino, Corpo
C de Alunos, fale conosco,
entre outras opções.
Disponibiliza-se, também, via Internet e mediante login e senha (área ( restrita), o acesso a
informações importantes que nãoo devam ser de domínio público, como por exemplo: boletim de notas,
ficha disciplinar, pontos perdidos, freqüência diária, etc.

6
Visando facilitar o contatoo entre o Colégio e os responsáveis, soli
licita-se que os responsáveis
forneçam às Subunidades de Alunos
unos um e-mail atualizado para que o Colégioo possa enviar os avisos com
oportunidade.
Os responsáveis também podem
pod entrar em contato com o CMRJ através do seguinte
s telefone:
- PABX: (21) 2568-9222

Subunidade / Seção Ramal


1ª Companhia de alunos.........................................
alunos 2101
2ª Companhia de alunos.........................................
alunos 2102
3ª Companhia de alunos.........................................
alunos 2103
4ª Companhia de alunos.........................................
alunos 2104
Companhia de Infantaria........................................
Infantaria 2122
Esquadrão de Cavalaria..........................................
Cavalaria 2158
Bateria de Artilharia............................................... 2110
Companhia de Comunicações................................
Comunicações 2119
Corpo de alunos......................................................
alunos 2118
Secretaria
retaria de Alunos...............................................
Alunos 2118
Seção Psicopedagógica........................................... 2148
Seção de Supervisão Escolar.................................. 2145
Seção de Comunicação Social................................
Social................... 2182
Seção e Informática................................................ 2114

7. NORMAS INTERNAS
O funcionamento dos Colégios Militares
Mi é regido pelo disposto no Regulament
nto dos Colégios Militares (R-
69) e Regimento Interno dos Colégio
ios Militares (RICM), disponíveis para consultta no site do CMRJ.
a. Horário escolar
1) 6º e 7º Ano do Ensino Fundamental
F

EVENTO 2a - 6a feira (a) Sábado (b) OBS


Entrada no portão até 06:40 até 06:40 (c)
Ensaio da Banda de Música 06:30 – 06:55 06:30 – 06:55 (g)
Formatura nas SU 06:45 – 06:55 06:45 – 06:55 (d)
1o tempo de aula 07:00 – 07:45 07:00 – 07:45 (e)
2o tempo de aula 07:45 – 08:30 07:45 – 08:30
Intervalo 05 min 05 min (f)
3o tempo de aula 08:35 – 09:20 08:35 – 09:20
Recreio 09:20 – 09:40 09:20 – 09:40 (f)
4o tempo de aula 09:40 – 10:25 09:40 – 10:25
5o tempo de aula 10:25 – 11:10 10:25 – 11:10
Intervalo 05 min 05 min (f)
6o tempo de aula 11:15 – 12:00 11:15 – 12:00
7o tempo de aula 12:00 – 12:45 12:00 – 12:45
Horário de almoço 12:20 – 13:15 -
8º tempo de aula 13:15 – 13:45 -
Recreio 13:45 – 14:00 - (f)
9o tempo de aula 14:00 – 14:50 -
10º tempo de aula 15:00 – 15:50 -

7
2) 8º e 9º Ano do Ensino Fundamental

EVENTO 2a - 6a feira (a) Sábado (b) OBS


Entrada no portão até 06:40 até 06:40 (c)
Ensaio da Banda de Música 06:30 – 06:55 06:30 – 06:55 (g)
Formatura nas SU 06:45 – 06:55 06:45 – 06:55 (d)
1o tempo de aula 07:00 – 07:45 07:00 – 07:45 (e)
2o tempo de aula 07:45 – 08:30 07:45 – 08:30
Intervalo 05 min 05 min (f)
3o tempo de aula 08:35 – 09:20 08:35 – 09:20
Recreio 09:20 – 09:40 09:20 – 09:40 (f)
4o tempo de aula 09:40 – 10:25 09:40 – 10:25
5o tempo de aula 10:25 – 11:10 10:25 – 11:10
Intervalo 05 min 05 min (f)
6o tempo de aula 11:15 – 12:00 11:15 – 12:00
7o tempo de aula 12:00 – 12:45 12:00 – 12:45

3) 1º e 2º Ano do Ensino Médio

EVENTO 2a - 6a feira (a) Sábado (b) OBS


Entrada no portão até 06:40 até 06:40 (c)
Ensaio da Banda de Música 06:30 – 06:55 06:30 – 06:55 (g)
Formatura nas SU 06:45 – 06:55 06:45 – 06:55 (d)
1o tempo de aula 07:00 – 07:45 07:00 – 07:45 (e)
2o tempo de aula 07:45 – 08:30 07:45 – 08:30
Intervalo 05 min 05 min (f)
3o tempo de aula 08:35 – 09:20 08:35 – 09:20
4o tempo de aula 09:20 – 10:05 09:20 – 10:05 (f)
Recreio 10:05 – 10:25 10:05 – 10:25
5o tempo de aula 10:25 – 11:10 10:25 – 11:10
Intervalo 05 min 05 min (f)
6o tempo de aula 11:15 – 12:00 11:15 – 12:00
7o tempo de aula 12:00 – 12:45 12:00 – 12:45

8
4) 3o Ano do Ensino Médio

EVENTO 2a - 6a feira (a) Sábado (b) OBS


Entrada no portão até 06:40 até 06:40 (c)
Ensaio da Banda de Música 06:30 – 06:55 06:30 – 06:55 (g)
Formatura nas SU 06:45 – 06:55 06:45 – 06:55 (d)
1o tempo de aula 07:00 – 07:45 07:00 – 07:45 (e)
2o tempo de aula 07:45 – 08:30 07:45 – 08:30
Intervalo 05 min 05 min (f)
3o tempo de aula 08:35 – 09:20 08:35 – 09:20
4o tempo de aula 09:20 – 10:05 09:20 – 10:05 (f)
Recreio 10:05 – 10:25 10:05 – 10:25
5o tempo de aula 10:25 – 11:10 10:25 – 11:10
Intervalo 05 min 05 min (f)
6o tempo de aula 11:15 – 12:00 11:15 – 12:00
7o tempo de aula 12:00 – 12:45 12:00 – 12:45

Observações:
a) as aulas serão ministraddas em turno único para todos os anos dos ensinnos fundamental e médio,
exceto o 7° e 6º Ano do Ensino ino Fundamental que, em 2016, terão turno integral nas segundas e quartas-
quartas
feiras, e terças e quintas-feiras,, respectivamente.
respectivamente
b) poderão ser previstas aulas
a aos sábados e/ou nos contra turnos, parara atender à carga horária da
matriz curricular ou para com mplementação da carga horária prevista nas atividades: Informática
Educacional; recuperação da aprendizagem,
a decorrente da avaliação diagnóstica
d ou de falta de
aproveitamento em bimestre; Currso de Preparação à EsPCEx; Educação Físsica; treinamento de equipes
desportivas; excursões e visitas; PREVEST;
PR Equitação, Hipologia e Escoltass de Honra para o Esquadrão
de Cavalaria; Guardas de Honraa e Cerimonial para a Infantaria; Salva va e Cerimonial para Artilharia;
Informática e Operação de equippamentos para as Comunicações; e outrass necessidades, a critério da
Direção de Ensino.
c) a partir 0 6 h 4 0 m i n , o (a) aluno (a) será considerado atr trasado, ficando sujeito às
sanções disciplinares.
d) o (a) aluno (a) que não estiver em forma às 06h45min no local de formatura de sua
Subunidade de Alunos será cons onsiderado atrasado ou faltoso à atividade prevista, ficando sujeito às
sanções disciplinares.
e) nas 6a feiras, o primeirro tempo será destinado à formatura do Cmtt CMRJ e/ou do Cmt CA.
Poderá ser destinado ainda o segundo undo tempo, caso haja necessidade.
f) serão considerados atrasados os alunos que não estiverem em sala após pós o 1o toque.
g) os alunos da Banda dee Música não participarão da formatura de sua Subunidade, devendo
tomar ciência dos avisos posteriorm mente.

9
b. Identidade Escolar
A carteira de estudante não ão é obrigatória.
A Lei nº 12933, de 26 de dezembro de 2013, dispõe
dispõe sobre o benefício do pagamento de meia-entrada
meia
para estudantes, idosos, pessoas com deficiência e jovens de 15 a 29 anos comprovadamente
comprova carentes em
espetáculos artístico-culturais
culturais e esportivos.
Caso o Aluno queira adquirir a Carteira de Identificação Estudantil (CIE) deverá solicitá-la
solicitá
junto aos órgãos competentes, não havendo intermediação por parte do Colégio.

c. Uniforme e apresentação ind ndividual dos alunos


O uniforme é um elemento formativo na vida do aluno e uma das maiis caras tradições do Colégio
Militar. Serão feitas revistas diáriaas visando à fiscalização e ao cumprimento daas ordens em vigor.
O acatamento às normas do CMRJ é um m dever e um compromisso assumido por todos os alunos e
seus responsáveis no ato da matrrícula. A discordância em relação às Normas não será aceita como
justificativa por ocasião de aplica cação de sanções disciplinares.

Os primeiros a zelarem peloo uniforme são os responsáveis, ao observarrem como os alunos saem de
casa. Não é permitida a entradda ou permanência no Colégio Militar dee estudantes sem o uniforme
regulamentar completo e em boom estado. Os discentes, portanto, que esstiverem mal uniformizados
não terão acesso às salas de aula,
a, permanecendo na entrada do Colégio à espera
e da devida providência
por parte dos pais e/ou responsáv
sáveis. O CMRJ não autoriza nenhuma variaação do uniforme e não abre
mão de seu uso.

Se por ventura o aluno nãoo tiver acesso às salas de aula por estar maal uniformizado, não lhe será
autorizada a saída do Colégio Militar
M antes da hora prevista do término da aula. O aluno aguardará o
horário de saída em local determinnado pelo Corpo de Alunos.

Caso o responsável necessssite de um prazo para corrigir o uniformme do aluno, por exemplo,
comprar uma boina nova ou um ma plaqueta, este será concedido, desde que
qu o responsável faça uma
solicitação por escrito, informand
ndo o prazo para a solução do problema.

Após o término desse prazzo, que não será prorrogado, se o responsáável não tiver solucionado o
problema, o aluno não terá acesso
sso às salas de aula.
Cabe ressaltar que o Colégioo Militar não tem convênio com lojas que veendam uniformes escolares, e
alerta aos responsáveis para que estejam atentos à aquisição dos uniformes de
d acordo com o previsto no
Regulamento de Uniformess do Exército (RUE), que pode ser acessado do no endereço eletrônico
www.sgex.eb.mil.br, no link RUE On Line.

1) Composição dos uniformees

a) Uniformes Masculinos
nos

10
1º B1 - CM 1º F1 - CM

a) posse: a) posse:
- obrigatória para aluno de - obrigatória para aluno de
Colégio Militar. Colégio Militar.
b) composição
b) composição - barretina;
- boina garança; - túnica branca;
- túnica branca; - charlateira ou platina,
- platina; conforme seja determinado;
- camiseta meia manga - camiseta meia manga
branca; branca;
- luva branca de suedine, - luva branca de suedine,
conforme seja determinado; conforme seja determinado;
- calça garança; - calça garança;
- cinto cáqui com fivela - cinto cáqui com fivela
dourada; dourada;
- cinto branco; - cinto branco;
- meia preta, e - Guia de espada branco,
- sapato preto. conforme saja determinado;
c) uso: - meia preta;
- em solenidades e atos - Polaina branca, e
sociais, com luvas, quando - sapato preto.
exigido 1º e 2º uniformes, c) uso:
sem luvas, quando exigido - em paradas, formaturas e
3º e 4º uniformes. desfiles.
1º F2 - CM 1º F3 - CM

a) posse: a) posse:
- obrigatória para aluno de - obrigatória para aluno do
Colégio Militar. Esquadrão de Cavalaria do
b) composição CMRJ e facultativo para o
- barretina; aluno dos demais CM.
- túnica branca; b) composição
- charlateira ou platina, - capacete de fibra azul-
conforme seja determinado; turquesa com ou sem cauda;
cauda
- camiseta meia manga - túnica branca;
branca; - charlateira ou platina;
- luva branca de suedine; - camiseta meia manga
- calça garança; branca;
- cinto cáqui com fivela - luva branca de suedine,
dourada; conforme seja determinado;
- cinto branco ou cinto - culote garança;
talabarte branco, conforme - cinto cáqui com fivela
seja determinado; dourada;
- porta sabre ou guia de - cinto branco;
espada branco, conforme - Guia de espada branco e
seja determinado; espada, conforme saja
- espada ou sabre; determinado;
- meia preta ou verde oliva; - meia preta ou verde oliva;
- coturno de couro e preto. - bota de couro preta e espora.
espora
c) uso: c) uso:
- em paradas, formaturas e - em paradas, formaturas e
desfiles. desfiles.

11
3º B1 - CM 3º B2 - CM

a) posse: a) posse:
- obrigatória para aluno de - obrigatória para aluno de
Colégio Militar. Colégio Militar.

b) composição b) composição
- boina garança; - boina garança;
- camisa cáqui meia-manga; - camisa cáqui meia-manga;
- calça garança; - calça garança;
- cinto cáqui com fivela - cinto cáqui com fivela
dourada; dourada;
- meia preta, e - meia preta ou verde oliva,, e
- sapato preto. - coturno de couro e lona
preto.
c) uso:
- em trânsito, apresentações c) uso:
individuais ou coletivas, - em trânsito, apresentações
reuniões correntes, individuais ou coletivas,
passeios, desfiles, reuniões correntes, passeios,
formaturas, e em atividades desfiles, formaturas, e em
diárias internas no colégio. atividades diárias internas no
colégio.

3º B3 - CM 5º B1 - CM

a) posse: a) posse:
- obrigatória para aluno do - obrigatória para aluno de
Esquadrão de Cavalaria do Colégio Militar.
CMRJ e facultativo para o
aluno dos demais CM. b) composição
- boina garança;
b) composição - camisa cáqui meia-manga;
- boina garança; - calça cáqui;
- camisa cáqui meia-manga; - cinto cáqui com fivela
- calça garança; dourada;
- cinto cáqui com fivela - meia preta, e
dourada; - sapato preto.
- meia preta,
- bota preta, e c) uso:
- espora. - em atividades diárias
internas do colégio, e nos
c) uso: deslocamentos entre o colégio
- em trânsito, apresentações
e aresidência.
individuais ou coletivas,
reuniões correntes,
passeios, desfiles,
formaturas, e em atividades
diárias internas no colégio.

12
5º B2 - CM 5º B3 - CM

a) posse: a) posse:
- obrigatória para aluno de - obrigatória para aluno do
Colégio Militar. Esquadrão de Cavalaria do
CMRJ e facultativo para o
b) composição aluno dos demais CM.
- boina garança;
- camisa cáqui meia-manga; b) composição
- calça cáqui; - boina garança;
- cinto cáqui com fivela - camisa cáqui meia-manga;
dourada; - calça cáqui;
- meia preta, e - cinto cáqui com fivela
- coturno de couro e lona dourada;
preto. - meia preta;
- bota preta, e
c) uso: - espora.
- em atividades diárias
internas do colégio, e nos c) uso:
deslocamentos entre o - em atividades diárias
colégio e aresidência. internas do colégio, e nos
deslocamentos entre o colégio
e aresidência.

6º - CM 7º - CM

a) posse: a) posse:
- obrigatória para aluno de - obrigatória para aluno de
Colégio Militar. Colégio Militar.

b) composição b) composição
- camisa sem manga branca; - calção de banho azul-
- calção azul-claro; marinho;
- meia branca, e - sandália de borracha preta;
preta e
- sapato tipo tênis preto. - roupão de banho branco.
(opicional)
c) uso:
- em treinamento físico. c) uso:
- em natação.

13
b) Uniformes Femininos
1º B1S - CM
1º B1 - CM
a) posse:
a) posse: - obrigatória para aluna de
- facultativo para aluna de Colégio Militar.
Colégio Militar.
b) composição
b) composição - boina garança;
- boina garança; - jaqueta branca;
- jaqueta branca; - platina feminina;
- platina feminina; - luva branca de suedine,
- luva branca de suedine, conforme seja determinado;
conforme seja determinado; - saia garança;
- calça garança feminina; - cinto cáqui com fivela
- cinto cáqui com fivela dourada;
dourada; - meia-calça branca, e
- meia 3/4 branca, e - sapato preto de salto baixo
- sapato preto de salto baixo feminino.
feminino. c) uso:
c) uso: - em solenidades e atos
- em solenidades e atos sociais, com luvas, quando
sociais, com luvas, quando exigido 1º e 2º uniformes, sem
exigido 1º e 2º uniformes, luvas, quando exigido 3º e 4º
sem luvas, quando exigido uniformes.
3º e 4º uniformes.
1º F1 - CM 1º F1S - CM

a) posse: a) posse:
- facultativa para aluna de - obrigatória para aluna de
Colégio Militar. Colégio Militar.
b) composição b) composição
- barretina; - barretina;
- jaqueta branca; - jaqueta branca;
- charlateira ou platina - charlateira ou platina
feminina, conforme seja feminina, conforme seja
determinado; determinado;
- luva branca de suedine; - luva branca de suedine;
- calça garança feminina; - saia garança;
- cinto cáqui com fivela - cinto cáqui com fivela
dourada; dourada;
- cinto branco ou cinto - cinto branco ou cinto
talabarte branco, conforme talabarte branco, conforme
seja determinado; seja determinado;
- guia de espada branco e - guia de espada branco e
espada, conforme seja espada, conforme seja
determinado; determinado;
- meia 3/4 preta; - meia-calça branca;
- sapato preto de salto baixo - sapato preto de salto baixo
feminino. feminino.
c) uso: c) uso:
- em paradas, formaturas e - em paradas, formaturas e
desfiles. desfiles.

14
1º F2 - CM 1º F3 - CM

a) posse: a) posse:
- facultativa para aluna de - obrigatória para aluna do
Colégio Militar. Esquadrão de Cavalaria do
b) composição CMRJ e facultativo para o
- barretina; aluno dos demais CM.
- jaqueta branca; b) composição
- charlateira ou platina - capacete de fibra azul-
feminina, conforme seja turquesa com ou sem cauda;
determinado; - jaqueta branca;
- luva branca de suedine; - charlateira ou platina
- calça garança feminina; feminina;
- cinto cáqui com fivela - luva branca de suedine;
dourada; - culote garança feminino;
- cinto branco ou cinto - cinto cáqui com fivela
talabarte branco, conforme dourada;
seja determinado; - cinto branco;
- porta sabre ou guia de - Guia de espada branco e
espada branco e espada, espada, conforme saja
conforme seja determinado; determinado;
- meia preta ou verde oliva; - meia preta ou verde oliva;
- coturno de couro e lona - bota de couro preta, e
preto com cadarço branco. - espora.
c) uso: c) uso:
- em paradas, formaturas e - em paradas, formaturas e
desfiles. desfiles.
3º B1 - CM 3º B1S - CM

a) posse: a) posse:
- facultativa para aluna de - obrigatória para aluna de
Colégio Militar. Colégio Militar.

b) composição b) composição
- boina garança; - boina garança;
- camisa cáqui meia-manga; - camisa cáqui meia-manga;
- calça garança feminina; - saia garança;
- cinto cáqui com fivela - cinto cáqui com fivela
dourada; dourada;
- meia 3/4 branca, e - meia-calça branca, e
- sapato preto de salto baixo - sapato preto de salto baixo
feminino. feminino.

c) uso: c) uso:
- em trânsito, apresentações - em trânsito, apresentações
individuais ou coletivas, individuais ou coletivas,
reuniões correntes, reuniões correntes, passeios,
passeios, desfiles, desfiles, formaturas, e em
formaturas, e em atividades atividades diárias internas no
diárias internas no colégio. colégio.

15
3º B2 - CM 3º B3 - CM

a) posse: a) posse:
- facultativa para aluna de - obrigatória para aluna do
Colégio Militar. Esquadrão de Cavalaria do
CMRJ e facultativo para o
b) composição aluno dos demais CM.
- boina garança;
- camisa cáqui meia-manga; b) composição
- calça garança feminina; - boina garança;
- cinto cáqui com fivela - camisa cáqui meia-manga;
dourada; - culote garança feminina;
- meia preta ou verde oliva, - cinto cáqui com fivela
- coturno de couro e lona dourada;
preto. - meia preta ou verde oliva,
- bota de couro preta, e
c) uso: - espora.
- em trânsito, apresentações
individuais ou coletivas, c) uso:
reuniões correntes, - em trânsito, apresentações
passeios, desfiles, individuais ou coletivas,
formaturas, e em atividades reuniões correntes, passeios,
diárias internas no colégio. desfiles, formaturas, e em
atividades diárias internas no
colégio.

5º B1 - CM 5º B1S - CM

a) posse: a) posse:
- facultativa para aluna de - obrigatória para aluna de
Colégio Militar. Colégio Militar.

b) composição b) composição
- boina garança; - boina garança;
- camisa cáqui meia-manga; - camisa cáqui meia-manga;
- calça cáqui feminina; - saia-calça cáqui;
- cinto cáqui com fivela - cinto cáqui com fivela
dourada; dourada;
- meia branca, e - meia branca, e
- sapato preto tipo - sapato preto tipo mocassim
mocassim feminino. feminino.

c) uso: c) uso:
- em atividades diárias - em atividades diárias
internas no colégio, e nos internas no colégio, e nos
deslocamentos entre o deslocamentos entre o
colégio e a residência. colégio e a residência.

16
5º B2 - CM 5º B3 - CM

a) posse: a) posse:
- facultativa para aluna de - obrigatória para aluna do
Colégio Militar. Esquadrão de Cavalaria do
CMRJ e facultativo para o
b) composição aluno dos demais CM.
- boina garança;
- camisa cáqui meia-manga; b) composição
- calça cáqui feminina; - boina garança;
- cinto cáqui com fivela - camisa cáqui meia-manga;
dourada; - culote cáqui feminino;
- meia preta ou verde oliva, - cinto cáqui com fivela
- coturno de couro e lona dourada;
preto. - meia preta ou verde oliva,
- bota de couro preta, e
c) uso: - espora.
- em atividades diárias
internas no colégio, e nos c) uso:
deslocamentos entre o - em atividades diárias
colégio e a residência. internas no colégio, e nos
camentos entre o colégio
deslocamentos
e a residência.

6º - CM 7º - CM

a) posse: a) posse:
- obrigatória para aluna de - obrigatória para aluna de
Colégio Militar. Colégio Militar.

b) composição b) composição
- bustiê azul-marinho; - maio azul-marinho;
- camisa sem manga branca; - sandália de borracha preta, e
- bermuda feminina azul - roupão de banho branco.
marinho; (opicional)
- calção azul-claro feminino;
- meia branca, e c) uso:
- sapato tipo tênis preto. - em natação.

c) uso:
- em treinamento físico.

17
c) Uniformes Especiais

Abrigo esportivo modelo CMRJ

(a) Posse opcional para Aluno


uno (a) do Colégio Militar:
(b) Composição
- casaco e calça em tactel nas cores azul marinho,
vermelho e branco, modelo específico
e do CMRJ, devendo ter o
nome do Aluno bordado no laado superior direito do casaco;
- camisa pólo em malh ha de algodão, com detalhes na
gola e borda das mangas nas cores do abrigo;
- meia branca de algodão o, modelo colegial;
- sapato tipo tênis todo preto.
p
(c) uso durante competiçõess internas e externas, em viagens
para representação do CMRJJ, para freqüentar o Colégio Militar
fora do horário de aula, quando
ndo autorizado.
(d)Obsevações:
- Somente durante as Olimpíadas
Oli Internas será autorizado
o uso de camiseta da Subun ubunidade correspondente, com o
propósito de constituir as resp
spectivas torcidas;
- É proibido seu uso parra as atividades escolares normais.
Os alunos que comparecerem m ao Colégio Militar vestidos com
os abrigos esportivos, sem m autorização, serão impedidos de
assistir às aulas.

Jaqueta azul-marinho
marinho padrão CM

(a) Posse opcional para Aluno


uno (a) do Colégio Militar;
(b) Composição
- confeccionada em tecido de nylon impermeável, aberta na
frente, fechando por um zípeer da mesma cor;
- Nas mangas, dispositivo em e velcro para aplicação da divisa
do ano, com o mesmo tamanho nho e forma da divisa. Na altura do
peito, no lado direito, dispositivo em velcro com
aproximadamente 150 mm,, para p aplicação do sutache bordado
com o nome de guerra;
(c) uso em atividades diár árias internas do Colégio e nos
deslocamentos entre o Coléggio e a residência.
(d) Observações:
- É proibido seu uso sem as divisas, o sutache ou com as
mangas levantadas. Os alunos unos que comparecerem ao Colégio
Militar vestidos com a jaqu queta de maneira irregular deverão
retirá-la e poderão ser sancion
nados disciplinarmente.

18
2) Apresentação individual dos Alunos
A apresentação individuaal é um dos pontos considerados de grande importância
im dentro do sistema
Colégio Militar, tendo em vista os aspectos educacionais que tentamos incuutir em nossos alunos como
higiene, boa aparência, sociabilidaade, postura, marcialidade, dentre outros.
São recomendadas aos alunos
a do CMRJ padronização, discrição e sobriedade na apresentação
individual. O não cumprimento daas normas em detrimento dos deveres que sem mpre aprendemos a preservar,
como cidadão, constitui transgressão
ssão disciplinar. Atenção especial ao uso e conservação
c da boina.

Havendo divergência enntre as fotos e a composição do uniforme,, prevalece a descrição da


composição, elaborada conformee prescreve o RUE.

a) apresentação individu
dual masculina

(1) cabelo masculino


(a) cortado à maquina nº 2 nas partes parietais e occipitais do crânio, isto é, na transição
do couro cabeludo, mantendo-se beem nítidos os contornos junto às orelhas e o pescoço.
p
(b) disfarçando o corte, gradativamente, de baixo para cimaa, com tesoura, até a altura
correspondente à borda da cobertura ra.
(c) na parte superior
or da cabeça, o cabelo deverá ser desbastado o suficiente para harmonizar-
se com o resto do corte e com o uso da cobertura.
(d) o penteado não poderá
pod cobrir a testa, ainda que parcialmente (franja).
(f
(e) A nuca não deverá
d acabar em linha reta ou arredondadda, mas ser desbastada com
máquina dois.
(f) as costeletas poderão
pod ter o comprimento até a altura correspond
spondente à metade do pavilhão
auricular.

Padrão do corte de cabelo masculino

19
(2) peculiaridades da apresentação
a individual masculina
(a) não é permitidoo o uso de bigode, barba ou cavanhaque.
(b) não são permitid idos cortes raspados ou pinturas coloridas no n cabelo e nas unhas.
(c) haverá revista de cabelo, cuja periodicidade mínima é dee 15 (quinze) dias corridos.
(d) não é permitido
do o uso de brincos, mesmo que seja colocado esparadrapo ou outro tipo de
material para encobrir. Assim com mo, o uso de piercing ou alargadores em qualququer parte do corpo.
(e) é permitido o usou de 01 (um) anel em apenas uma das mãos, m assim como o uso de
corrente fina e discreta, desde que
qu fique escondida pelo uniforme.
(f) é permitido o uso de relógio de pulso. Solicita-se o uso de corres discretas.
(g) não é permitidodo o uso de óculos de lentes escuras, salvo com c prescrição médica. Para
óculos de grau recomenda-se o uso de armações de cores discretas.
(h) está autorizado,
do, em dias chuvosos, o uso de guarda-chuva na cor preta, sendo vedada
a utilização de guarda-chuvas dee outras cores.
(i) a mochila (ou pasta
p ou maleta) e a bolsa porta-uniforme de Educação Física deverão ser
predominantemente na cor preta.
(j) os alunos dispensados do uso so do calçado, e com o atestado médico devidaamente homologado pelo
médico do CMRJ, deverão utilizar ar o chinelo de borracha na cor preta.

b) apresentação individuaal feminina


(1) cabelo feminino
(a) usando os uniformes 1°, 2° e 3° CM (gala e meia-gala),
gala), e suas variações:
- o cabelo curto quando for usado solto, deverá ter o cumprim imento máximo até a altura da
borda superior da gola do uniformee.
- os cabelos méédios e longos serão usados presos em coquue, com uso obrigatório de
“redinha” na cor preta para cab belos escuros e na cor marrom para cabelos os claros.
o
(b) usando os uniforrmes 4º e 5 B CM (cáqui – uso diário),, e suas variações:
- o cabelo curto quando for usado solto, deverá ter o cumprim imento máximo até a altura da
borda superior da gola do uniformee.
- os cabelos méddios e longos poderão ser usados com “rabo dee cavalo” (preso por elástico
junto ao couro cabeludo), ou coquee (mantendo o uso obrigatório da “redinha”), no entanto os acessórios
(elásticos, grampos e presilhas) devvem ser na cor preta ou na cor do cabelo.

Padrão da aluna com


om cabelos longos ou médios usando “rabo de cavalo”

20
Padrão da aluna com cabelos longos ou médios usando coque

Padrão da aluna com cabelos curtos soltos

(2) peculiaridades da apresentação


a individual feminina
(a) é permitido o uso do cabelo trançado (rabo
rabo de cavalo trançado ou trança africana), sendo
que com a trança africana as pontaas deverão estar presas em forma de coque.
(b) a franja podererá ser usada quando a aluna estiver sem a boina. Estando de boina a
franja deverá ser colocada dentr tro da mesma.
(c) os cabelos podem
pod ser tingidos uniformemente, em tonali lidades naturais, entretanto, é
proibido o uso de mechas colorridas (cabelo deve ter tom monocromáticco). Solicita-se cautela ao se
tingir o cabelo de ruivo para não deestoar do padrão natural.
(d) com a boina, as orelhas devem ficar à mostra.
(e) é permitido o uso de brincos. Um em cada orelha, desde que q pequenos e discretos, não
podendo ter argolas ou pingentes, s, tampouco ultrapassar o lóbulo inferior da orelha; (os brincos deverão
estar presos no lóbulo de cada orellha).
(f) é permitido o uso de um anel discreto no dedo anelar, apenas um em cada uma das mãos.
(g) não é permitidoo o uso de colar, cordão, pulseira ou tornoze zeleira, assim como o uso de
piercing ou alargadores de orelh lha, mesmo que seja colocado esparadrapoo ou outro tipo de material
para encobrir.

21
(h) é permitido o uso de corrente fina e discreta desde que fique escondida
e pelo uniforme.
(i) é permitido o uso de maquilagem desde que moderada.
(j) é permitido o uso de batons ou gloss em tons discretos.
(k) as unhas podem m ser tratadas e totalmente pintadas com esm malte incolor, branco ou rosa
claro. Não é permitido o uso de adesivos
a ou estilo “francesinha”.
(l) os acessórios com
mo brincos, anéis ou correntes deverão ser praateados ou dourados.
(m) é permitido o uso de relógio de pulso. Solicita-se o uso de coores discretas.
(n) não é permitidodo o uso de óculos de lentes escuras, salvo com c prescrição médica. Para
óculos de grau recomenda-se o uso de armações de cores discretas.
(o) está autorizado,
do, em dias chuvosos, o uso de guarda-chuva na n cor preta, sendo vedada a
utilização de guarda-chuvas de outras
o cores.
(p) a mochila (ou pasta
p ou maleta) e a bolsa porta-uniforme de Educação Física deverão ser
predominantemente na cor preta.
(q) as alunas disp pensadas do uso do calçado, e com o attestado médico devidamente
homologado pelo médico do CMR RJ, deverão utilizar o chinelo de borracha naa cor preta.

3) Outras observações a resp


speito de uniformes e apresentação individual

É fundamental que os alunos


unos do CMRJ sigam as seguintes orientações:
s:
- sapatos limpos, engra
raxados e bem conservados;
- fivela do cinto limpa e brilhante;
- camisa, túnica, saia e calça limpas, passadas e vincadas;
- utilizar sempre a plaqu
queta de identificação;
- utilizar as divisas doo ano atualizadas, de acordo com o ano que está
e cursando;
- usar a boina com a estrela
e sempre limpa e bem cuidada. Ela é o símbolo maior do aluno do
CMRJ. A boina deve ser utilizada obrigatoriamente na cabeça, conforme
onforme normas de utilização;
utilização
- o uso de camisas e camisetas será sempre dentro da calçaa ou calção, para todos os
uniformes;
- não será admitido o uso de uniformes incompletos (sem pllaqueta, sem insígnias, sem
botão), sujos, rasgados, descostura
rados, amarrotados, japonas desbotadas e sem identificação;
i
- a meia branca, tantoo a de náilon como a de algodão, dever terr um cano que cubra todo o
tornozelo e não ultrapasse a altura média da canela;
- poderá ser usada a parte
p de cima do abrigo esportivo nos dias de baixa temperatura, para as
atividades desportivas no CMRJ;
- atenção em especiall quanto
q ao comprimento da bainha da calça dos alunos para a mesma não
fique curta ou longa demais.
- atentar para o coomprimento da saia das alunas que deeve cobrir inteiramente os
joelhos e cuidar para que as messmas não fiquem apertadas;
- os casos omissos
ssos ou que gerem dúvidas serão definidos pelos Coomandantes de Subunidade e
pelo Comandante do Corpo de Aluunos.

22
d. Procedimentos em situaçõees diversas
1) Os alunos deverão prestar ar a continência individuall a todos os oficiais e sargentos.
sargentos
2) Nas áreas externas, páti tios,
os, pilotis, pérgulas, áreas de grande circulação, e demais áreas de
livre acesso, os alunos deverão estar
e bem uniformizados e fazendo o uso obrigatório
ob da boina, mesmo
estando sentados.
3) Nas cantinas os alunos deverão estar bem uniformizados, sendo, excepcionalmente, autorizado
permanecer sem a boina quando estiverem
estiver sentados e/ou
ou consumindo alimento.
alimento
4) É proibido o trânsitoo de alunos nas seguintes áreas: Pavilh hão de Comando, Divisão
Administrativa, Divisão de Ensino,
Ens Companhia de Comando e Serviçço, exceção feita aos alunos
acompanhados de seus responsáveeis.
5) Os alunos devem, em todas as situações, depositar
d o lixo nos cestos aprropriados.
6) Não é permitido no inter terior do Colégio namorar, beijar, andar abrraçado ou de mãos dadas, o
cumprimento entre os alunos é o aperto de mão. O não cumprimentoo desta norma constitui-se
transgressão disciplinar, podend ndo conforme o caso, necessitar do com mparecimento, imediato, do
responsável no CMRJ para o conhecimento do fato e orientações. Fora Fo do Colégio a proibição
restringe-se ao aluno que estiver uniformizado.
7) É proibido fumar ou u beber
b bebida alcoólica no interior do Coolégio ou fora dele estando
uniformizado, mesmo que o aluno uno seja maior de idade.
8) Os deslocamentos de turrmas para qualquer local devem ser em form ma, a comando do Chefe de
Turma e sob a supervisão dos Monitores.
Mon
9) O aluno não poderá utilizaar corretor ortográfico líquido no interior do Colégio.
C
10) Nas salas de aula é prooibido ao aluno riscar as cadeiras e as mesas, me bem como colocar lixo
embaixo das mesas.
11) No caso de dano volun luntário de material do Colégio, o responsáv ável pelo aluno receberá um
comunicado sendo responsabilizado pelo ato do aluno, arcando com os gastos de reparação, não
impedindo com isso que as medid didas disciplinares necessárias sejam aplicad das.
12) É proibido o consumo de d chicletes, ou qualquer outro alimento, noo interior das salas de aula.
13) Todo o material do alun luno deverá ser identificado.
14) As festas e congraçameentos no interior das salas de aula, só serão permitidas
p com a autorização
da autoridade competente.
15) É proibido no interior do Colégio, arrecadar dinheiro, passar rifas, promover coletas ou vendas
de qualquer produto, sem a devida da autorização do Comando. Sempre que a inniciativa partir do Colégio, os
pais serão comunicados.
16) O Colégio não é respon nsável pelos veículos que fazem o transport rte dos alunos. Os pais dos
usuários devem entrar em contatto direto com os responsáveis por esse serviiço.
17) Ao chegar em dependências, instalações ou outros locais onde se encontrem instrutores,
monitores, professores, e/ou outros militares, os alunos deverão solicitar permissão para entrar, aguardando
a devida autorização para adentrar no local.
loc
18) Nos dias de educação física os alunos que estiverem com dispensa médica deverão, sempre que
possível, colocar o uniforme da atividade e se dirigir para a sua iniciação desportiva (ID) para assistir a
atividade, ou realizar atividade alternativa, a critério dos professores de educação física.
19) Somente poderão compor as equipes de atletas do CMRJ alunos que tiverem grau de
comportamento igual ou superior a 5,0 (cinco)
20) O aluno que ingressar no comportamento “mau” (nota de comportamento inferior a 3,0) será
automaticamente excluído dos diversos clubes do CMRJ, CMRJ e não poderá participar de atividades de
representação do Colégio.
21) Nos casos de agressão física por parte de alunos, estes serão encaminhados à subunidade e
aguardarão a presença dos seus us responsáveis, podendo, inclusive, ficar impedidos de retornar á sala de aula
naquele dia.

23
e. Permanência e circulação dos alunos
1) no horário de aula:
a) o aluno que for retiraddo de sala pelo professor deverá dirigir-se imediatamente
im à sua respectiva
subunidade de alunos, lá permanece cendo até o próximo horário de aula;
b) o aluno que necessitarr de atendimento médico de emergência dever erá dirigir-se imediatamente à
sua respectiva Subunidade de alunos,
unos, a qual o encaminhará à enfermaria; e
c) fica vedado ao aluno qualquer outro tipo de circulação nas depend ndências do Colégio, durante o
horário de aula.

2) nos intervalos de aula e recreio:


re
a) nos intervalos é proibida
da a circulação dos alunos nos corredores. Os alunos deverão aguardar em
sala de aula a chegada do professo ssor. Os alunos que desejarem ir ao banheiiro solicitarão autorização ao
Monitor que se encontra no correddor; e
b) no horário do recreio é proibida a permanência em sala de aula.

3) fora do horário de aula:


a) fora do horário de aulla é recomendado que os alunos não permanneçam no interior do Colégio
sem atividade prevista;
b) a permanência nas sallas de aula, na Seção de Educação Física, nos grêmios das armas ou em
qualquer outro local ocorrerá someente se houver um responsável pela atividade;; e
c) caso os alunos permaaneçam no Colégio, somente será permitida sua permanência na cantina
da piscina, na biblioteca ou na área externa em frente a biblioteca. É prroibida a permanência dos
alunos em qualquer outro local sem s a presença de um responsável pela ativvidade.
f. Atividades especiais
Do uso de uniformes em atividades especiais (entrevistas, programas de TV, feiras, bailes entre
outros):
- O aluno só poderá utilizar o uniforme em atividades especiais com a autorização expressa do
Comandante do Colégio
io Militar;
- O aluno que participar de atividade externa, enquadrada como especial, deverá
obrigatoriamente informar tal fato ao Comandante do Corpo de Alunos, que deverá orientar o aluno
por ocasião de sua apresentação, quanto a postura, ao uso correto do uniforme e a sua apresentação
individual; e
- O CMRJ concederá ao aluno, após a aprovação e autorização da atividade, um cessão de
direito de imagem, uma vez que o uniforme e seu uso são tutelados pelo Exército Brasileiro, através
do Colégio Militar.

8. FREQUÊNCIA
É obrigatória a freqüência aos trabalhos escolares, isto é, a todas as atividades programadas para
alunos, inclusive, representações em
e solenidades cívico-militares, aniversário do Colégio Militar e Desfile
cívico-militar de Sete de Setembro.
o.
Sempre que houver intere resse do ensino ou da instrução do disce cente, poderão ser realizadas
sessões, instruções ou atividades escolares
e em que a presença do aluno também m será obrigatória, no CMRJ
ou em outro local pré-determinado,
do, nos contra turnos, feriados, pontos facultativos
vos ou finais de semana.

24
9. ATRASOS
A pontualidade é questão de disciplina
d pessoal e respeito aos compromissos.
sos. Os casos especiais que
impliquem atrasos ou faltas às aulas devem ser encaminhados às Subunidaddes de Alunos. Os alunos que
chegarem ao Colégio Militar entree 06h41min e 07 horas serão considerados atrasados.
a
Os alunos que chegarem ao Coolégio Militar entre 07h01min e 07h45min,, além de serem considerados
atrasados, aguardarão o início da segunda aula para, então, entrarem em sala..
Os atrasos não justificados nos dias de formaturas do Comandante ou do Corpo de Alunos serão
considerados transgressão discipli linar, cabendo ao Comandante do Corpo de Alunos a imposição da
sanção disciplinar correspondente..
Após o início do segundo teempo de aula (07h50min), não será admitid ido o ingresso de alunos nas
salas de aula ou sua freqüênccia a quaisquer outras atividades no Colégio Co Militar, salvo com a
presença; comunicação por escrito, datada e assinada pelo responsável, ou telefonema do responsável
responsáv
para justificar a impontualidadee do aluno.
10. SAÍDAS ANTECIPADAS
Somente serão permitidas saídaas antecipadas com a presença dos responsááveis ou com uma solicitação
escrita destes. As Subunidadess de Alunos emitirão papeletas de autorização, o, que deverão ser entregues
pelos alunos ao pessoal de serviçoo nos portões do Colégio Militar, para confirm
mar sua saída fora do horário
previsto.
Pedimos aos responsáveiss que,
qu ao solicitarem saídas antecipadas de seus us responsabilizados, somente
o façam por sérias motivaçõess de ordem médica ou familiar, evitando, dessa forma, que os alunos
aleguem motivos fúteis para o nãoo comparecimento às atividades cívico-milit
militares previstas nas normas do
Colégio Militar.
11. FALTAS E ATESTADOS
Quando o aluno não puder comparecer
c ao CMRJ, seu responsável deverád comunicar o fato ao
Comandante da SU Al no messmo dia, ainda que por telefone. Depois de comunicada a falta, sua
justificativa deverá ser entregue por escrito na SU Al, pelo aluno ou respons sponsável, no máximo de 03
(três) dias úteis após a ocorrênccia. Findo este prazo, a justificativa não seráá mais considerada, inclusive,
para a realização de avaliação em segunda
s chamada.
O aluno deve obrigatoriamen nte justificar a sua falta junto ao professorr, na primeira oportunidade,
quando faltar a quaisquer atividadees de avaliação.
Depois de justificada a faltaa a uma avaliação, o responsável não poode deixar de preencher o
requerimento de solicitação de 2ª chamada e entregá-lo na SU de Alunos.
As faltas dos alunos às ativiidades implicam, nos casos não justificados, dos, em sanções disciplinares
capituladas nas NRRD/CM. As caausas de justificativas, para fins disciplinare ares, são:
a. tratamento de saúde própriia, comprovado pelo médico da OM;
b. motivo de saúde de pessoa
ssoa da família, uma vez comprovada a necessiidade de acompanhamento do
aluno;
c. luto de parentes em linha direta
d até o terceiro grau (bisavós) ou em linha
nha colateral até o terceiro grau
(tios);
d. calamidades e ocorrênciass julgadas pertinentes pelo diretor de ensino;
A justificativa da falta liber
era o aluno das sanções disciplinares devidas,
s, mas a falta será computada
para efeito de freqüência.
Cada tempo de aula ou sess ssão que o aluno faltar ou não assistir integralmente e não apresentar
justificativa corresponderá à perdaa de pontos, além das sanções disciplinares.
No caso do aluno estar ar impossibilitado de comparecer às aul ulas, é necessário que os
responsáveis entrem em contaato com a respectiva Subunidade de Alunos, se possível com
antecedência, e em último caso, no mesmo dia da falta.

25
A justificação da falta deverá
de ser feita, por escrito, pelo responsáv
sável pelo aluno, no prazo
máximo de 03 (três) dias úteis após
a a ocorrência, findo o qual não será considerada, para todos os
efeitos.
O limite máximo de faltas corresponde a 25% (vinte e cinco por centto) do total da carga horária
curricular de cada ano escolar, ind
ndependentemente de se tratar de faltas jus
ustificadas ou não. Atingindo
este limite, o aluno será reprova
ovado conforme prescrito no parágrafo 3º do art. 35 do R-69.
Para dispensa das aulas de Educação Física por motivos médicos, o responsável
re deve providenciar
o atestado médico da especialidadede compatível com a queixa apresentada peloo aluno junto ao profissional
que prestou o atendimento, o quaal deverá ser entregue na SU de Al para homologação
ho junto à Seção de
Saúde.
O CMRJ notificará ao Cons onselho Tutelar do Município, ao juiz coompetente da comarca e ao
representante do Ministério Públilico a relação dos alunos que apresentem quantidade
qu de faltas acima de
12,5% da carga horária constante da grade curricular.

12. TELEFONE CELULAR, APARELHOS


APAR ELETRÔNICOS E OBJETOS S PARTICULARES
Não é recomendada a posse, no n Colégio Militar, de celulares, objetos de
d valor ou que despertem a
curiosidade, o interesse ou até a cobiça de terceiros, sendo a posse dessess de única responsabilidade
dos pais e/ou responsáveis. Por isso, cada aluno deve cuidar de sua mocchila e de seu material. Em
caso de extravio, o Colégio nãoão se responsabilizará e nem implementaará nenhuma medida hostil
e/ou ostensiva para reaver o bem
m ou o material extraviado.
Recomenda-se a identificaçção de todo o material didático, facili ilitando dessa maneira seu
reconhecimento pelo proprietáriio.
Não é permitido o uso em sala de aula de aparelhos de som pessoaiss (“walkmans”, “discmans”,
Ipods, MP4 players, Ipad, celu ulares ou aparelhos similares). A utilizaçã
ação desses aparelhos poderá
implicar no recolhimento do mesmo,
mesmo o qual será devolvido somente aos resp sponsáveis.
É proibido o uso de fones de ouvido pelos alunos em qualquer situação no interior do Colégio,
exceto no horário do recreio.
É proibido o uso de aparelhos os celulares durante as aulas, educação fíísica e formaturas, devendo
os mesmos permanecerem desliga gados, sendo passível de sanção disciplinar.

13. ATENDIMENTO MÉDICO


O Colégio Militar dispõe de uma
u Seção de Saúde com serviço médico-odon
odontológico e de enfermagem
que somente atende aos alunos em e casos de emergência (mal súbito, enfermi midades agudas e acidentes).
Não há atendimento ambulatoriial. Se necessário, o aluno será encaminhado do ao serviço de emergência de
referência.
Não há medicação disponibillizada aos alunos. Cada aluno deve portar um u kit com as medicações de
consumo habitual, orientado por seus responsáveis (analgésico, antitérmico
térmico, anti-emético e outro se
portador de alguma patologia espec
ecífica).
A Direção do Colégio Milittar julga ser de extrema importância que o aluno enfermo que
necessite de atendimento não compareça
c ao Colégio Militar e não se desloque
d desacompanhado do
responsável legal. Os alunos que forem atendidos de emergência só serão liberados
li com a presença dos
responsáveis ou após sua autorizaçã
ação verbal.
É importante manter atualizadada a Ficha de Informações Médicas do Aluno, no, que é entregue no ato da
matrícula. Os pais devem dar espspecial atenção às informações sobre alergias,
s, medicação especial e outras
particularidades de saúde do estudante, bem como informar sobre planos de saúde a que seus filhos
estejam vinculados e contatos em caso
ca de emergência.

26
14. QUOTA MENSAL ESCOLAR AR (QME)
Os responsáveis que necessitare
arem desconto da QME deverão fazer pediddo até o último dia útil da
segunda semana de fevereiro, impreterivelmente,
i por intermédio de requ
querimento. O modelo deste
documento e demais orientaçõões estarão disponíveis junto à Secretar aria Escolar ou na Seção
Psicopedagógica do CMRJ.

15. FORNECIMENTO DE MATE TERIAL AOS ALUNOS ASSISTIDOS


Os responsáveis que necessitare
arem de assistência em relação à aquisição dee material deverão procurar a
Assistente Social do CMRJ,, na Seção Psicopedagógica, até a última semana na de fevereiro, para que seja
realizada análise do caso e sejam fornecidas as orientações pertinentes.

16. OBRIGAÇÕES DOS RESPO ONSÁVEIS


As obrigações do responsável pelo p aluno, além daquelas preconizadas nas leis
l vigentes, são as previstas
nos art. 81 e 82 do R-69 e as constaantes do RICM. Um extrato destas últimas esstá disposto a seguir:
I - estar presente no ato da matrícula
m e assinar o termo de compromisso;
II - realizar o pagamento das as contribuições e indenizações estabelecidas as no R-69;
III - manter completos o maaterial didático exigido, o enxoval e o fardaamento do aluno;
IV - prestar assistência ao aluno,
a em suas necessidades e atividades escoolares, nos licenciamentos ou
férias, nas suspensões disciplinaress e em caso de doença contagiosa ou que neceecessite cuidados especiais;
V - comparecer ao colégio, sempre que solicitado;
VI - manifestar ciência sobrre comunicados e demais correspondências escolares, mediante aposição
de sua rubrica na documentação appresentada;
VII - indicar um responsávell substituto, nos casos de seu afastamento da sede
s do CM;
VIII - renovar a matrícula do aluno sob sua responsabilidade, até a data prevista em comunicado
específico, sem ônus financeiro;
IX - exercer efetivo e cerraado acompanhamento do desempenho esccolar e disciplinar do aluno,
mantendo-se informado do seu rendimento
re intelectual, da sua freqüência aos trabalhos escolares e do
seu comportamento disciplinar ar e ao ser convocado, comparecer no mínimo uma vez a cada
trimestre, no CM para o acompaanhamento do aluno;
X - zelar pela conduta e boa oa apresentação
a do aluno, em suas atividad des externas, principalmente
quando fardado;
XI - cooperar na formaçãoo integral do aluno, observando as recom mendações do CA, da Seção
Psicopedagógica e da Seção de Saúúde;
XII - comunicar ao Cmt SU U as alterações de dados pessoais e endereçoos, porventura ocorridos;
XIII - zelar para que o aluno
uno mantenha em dia suas tarefas escolaress e se interesse pela aprendizagem;
XIV - freqüentar as reuniões de pais e mestres;
XV - optar, por escrito, pela não-freqüência do aluno às aulas de recuperaação;
XVI - acompanhar a freqüênncia do aluno às atividades escolares;
XVII – acatar as Normas Reguladoras do Regime Disciplinar (NRR RRD), assinando o Termo de
Compromisso.
A delegação da responsabilidade de do aluno, prevista no art. 80 do R-69, nãoo exime o genitor ou a pessoa
da qual o aluno é dependente das obrigações
ob estabelecidas.

27
17. REGIME DISCIPLINAR
a. FALTAS DISCIPLINARES
Falta disciplinar é qualquer violação dos preceitos de ética, dos deveres e obrigações escolares, das
regras de convivência social e dos padrões
padrões de comportamento impostos aos alunos, em função dos sistema
de ensino peculiar aos colégios militares.
São faltas disciplinares:
1) todas as ações ou omissões contrárias à disciplina escolar, especificadas na letra f ; e
2) todas as ações ou omissões nãonão especificadas no Apêndice “1” das normas, nem qualificadas
como crime nas leis penais brasileiras, que afetem a honra pessoal, os preceitos de ética, o decoro social e
outras prescrições estabelecidas no Regulamento
1) Julgamento
O julgamento da falta deve ser precedido de análise que considere:
a) a pessoa do aluno que cometeu a falta disciplinar;
b) as causas que a determinaram;
c) a natureza dos fatos ou atos que a envolveram;
d) as conseqüências que dela possam advir; e
e) as informações transmitidas
transmitida pelo responsável do aluno.
2) Causas de justificação
Haverá causa de justificação quando a falta disciplinar for cometida:
a) na prática de ação meritória ou no interesse do serviço, da ordem ou do sossego público;
b) em legítima defesa, própria ou de outrem;
o
c) em obediência à ordem superior;
d) por motivo de força maior, plenamente comprovado; e
e) por ignorância, plenamente comprovada, desde que não atente contra os sentimentos normais de
patriotismo, humanidade e probidade.
3) Circunstâncias atenuantestes
São circunstâncias atenuantes:
a) ser aluno matriculado com menos de 03 (três) meses;
b) a idade do aluno;
c) estar no comportamento BOM, ÓTIMO ou EXCEPCIONAL;
d) ser a primeira falta;
e) falta de prática no serviço;
f) relevância de serviços prestados;
prestados
g) ter sido cometida a falta para evitar mal maior; e
h) ter sido cometida a falta em defesa própria de seus direitos ou de outrem, não se configurando
causa de justificação.
4) Circunstâncias agravantes
São circunstâncias agravantes:
a) ser oficial-aluno
no ou graduado;
b ser aluno do CFR ou já o haver concluído;
c) estar no comportamento REGULAR, ou INSUFICIENTE ou MAU;
d) cometer a falta em serviço , hora de aula ou instrução;
e) reincidência, no mesmo tipo de falta disciplinar;
f) prática simultânea ou conexão de 02 (duas) ou mais faltas disciplinares;
g) conluio de 02 (dois) ou mais alunos;
h) ter abusado o faltoso disciplinar de sua autoridade funcional;
i) ter cometido a falta em público, na presença de tropa ou de aluno em forma ou em sala de aula; e
j) ter agido com premeditação, no cometimento da falta.

28
5) Classificação
a) a falta disciplinar será classificada em: leve,
leve, média, grave e gravíssima;
gravíssima e
b) A classificação será feita pela autoridade que julga.

b. MEDIDAS DISCIPLINARES ES
A medida disciplinar
nar terá caráter educativo e visará à preservação da disciplina escolar, elemento
básico indispensável à formação integral do aluno.
As medidas disciplinares a que estão sujeitos os alunos são as seguintes, em ordem de gravidade
crescente:
1) advertência;
2) repreensão;
3) atividade de orientação educacional (AOE);
4) retirada do colégio; e
A critério do Cmt do CM, a medida disciplinar de retirada do colégio poderá ser transformada em
atividade de estudo de caráter disciplinar e educativo, a ser cumprida aos
aos sábados, domingos e feriados.
5) exclusão disciplinar.
A medida disciplinar de advertência, não comporta publicação em Boletim Interno do CM (BI/CM),
devendo, contudo ser registrada na ficha de alteração disciplinar do aluno, após o conhecimento pelo
comandante do corpo de alunos.

As medidas disciplinares de repreensão, de atividade de orientação educacional, de retirada do colégio


e de exclusão disciplinar deverão ser obrigatoriamente publicadas no BI/CM, influindo no comportamento
do aluno.
A retirada de aula pelo professor ou agente de ensino, só deve ser aplicada quando o comportamento
do aluno impede o bom andamento da aula devendo encaminhá-lo
encaminhá lo à autoridade competente para aplicação
da medida disciplinar compatível.

1) Amplitude e competência para a aplicação de medida disciplinar


a) a competência para aplicar medida disciplinar é atribuição inerente ao cargo e não ao grau
hierárquico, sendo competente para aplicá-la:
aplicá
(1) professor ou Instrutor: advertência;
(2) comandante da subunidade: de advertência
advertência até 03 (três) dias de atividade de orientação
educacional;
(3) comandante do corpo de alunos: de advertência até 03 (três) dias de retirada do colégio; e
(4) comandante do colégio militar: de advertência até 06 (seis) dias de retirada do colégio e
exclusão disciplinar.
b) a primeira falta do aluno passível de medida mínima de retirada do colégio é da competência do
comandante do colégio;
c) a medida disciplinar de atividade de estudo de orientação educacional não poderá passar de 3 (três)
dias e a de retirada
irada do colégio de 6 (seis) dias;
d) aqueles que não possuírem competência funcional para aplicar medida disciplinar, ao tomarem
conhecimento de um fato contrário à disciplina, deverão participar a ocorrência à autoridade a que
estiverem subordinados;
e) quando, para preservação da disciplina, a ocorrência exigir uma pronta intervenção, a autoridade
militar de maior hierarquia ou antigüidade que presenciar ou tiver conhecimento do fato, deverá tomar
imediatas providências para impedir seu prosseguimento e, na medida do possível, reparar as conseqüências
negativas, dando ciências à autoridade competente, pelo meio mais rápido, do fato ocorrido e das
providências em seu nome tomadas;

29
f) aos oficiais sem atribuição para aplicar medida disciplinar e aos graduados
gradu do Colégio Militar é
atribuída ação fiscalizadora sobre os alunos, competindo-lhes
competindo lhes participar, ao respectivo chefe imediato, as
faltas que constatarem, no recinto do colégio ou fora dele;
g) a medida disciplinar aplicada pode ser anulada, relevada ou atenuada pela autoridade que aplicou
ou por outra, superior competente, quando tiver conhecimento de fatos que recomendem tal procedimento; e
h) quando uma autoridade, ao julgar uma falta disciplinar, concluir que a medida disciplinar a aplicar
está além doo limite máximo que lhe é autorizado, solicitará à autoridade superior, com ação sobre o faltoso
disciplinar, a aplicação da medida disciplinar devida.

2) Faltas gravíssimas
São consideradas faltas gravíssimas, passíveis de exclusão disciplinar:
a) após obrigatoriamente
brigatoriamente comprovadas por competente sindicância:
(1)) a falta que afete, gravemente, honra pessoal, o pudor e o decoro social;
(2)) a falta ou faltas disciplinares que tornem o aluno incompatível com o bom nome do colégio e a
dignidade do corpo discente;
(3)) a participação em greve e outros movimentos reivindicatórios;
(4)) o aluno que portar, tentar utilizar, usar, executar e/ou valer-se
valer se de meios ilícitos ou fraudulentos
para a realização de qualquer tipo de avaliação da aprendizagem ou resolução de trabalhos escolares;
(5)) portar o aluno substâncias de natureza tóxica, ou delas fizer uso, no interior do Colégio ou em
suas imediações;
(6)) destruir ou danificar, deliberadamente, com requintes de vandalismo, instalações, equipamentos
e/ou material pertencente
rtencente ao colégio militar ou a terceiros;
(7)) constranger, ofender, intimidar, perseguir ou coagir a outrem, por meio de palavras impróprias,
apelidos, piadas, brincadeiras ou quaisquer atitudes que afetem outros em sua honra, moral, equilíbrio
emocionalal e/ou psicológico e integridade física; e
(8)) veicular material obsceno ou atentatório à moral e bons costumes, por quaisquer meios,
impressos ou não, inclusive pela internet ou qualquer outro meio eletrônico.
b) A prática pelo aluno de ato infracional/crime
infracional/crime comum apurado em inquérito, excluídos os culposos.

c. COMPORTAMENTO DOS ALUNOS


1) Classificação
unos é classificado por grau numérico, de acorrdo com o seguinte critério:
O comportamento dos alunos
GRAU CLASSIFICAÇÃO
9,4 a 10,0 Excepcional
8,0 a 9,39 Ótimo
6,0 a 7,99 Bom
5,0 a 5,99 Regular
3,0 a 4,99 Insuficiente
0,0 a 2,99 Mau
O grau de comportameento se estenderá por todo o curso e, em e cada ano, sua avaliação
abrangerá todo o ano letivo.
O aluno, ao ser matricuulado no colégio, será classificado no compportamento BOM, com grau
numérico 7,99 (sete vírgula noventta e nove).
O aluno, transferido de um CM para outro, será classificado de acordo com o grau de
comportamento que tinha no CM de origem.
Ao ser rematriculado, o aluno será classificado com o grau de comportamento que tenha
anteriormente.
As alterações disciplinare
ares acompanharão, obrigatoriamente, os alunos
unos, quando transferidos de um
para outro CM.

30
2) Valor numérico das puniçções
As punições, a seguir diiscriminadas, recebem determinados valoress numéricos, de acordo com
a tabela abaixo, que deverão ser coomputados no cálculo da classificação do com
mportamento:

PUNIÇÃO VALOR
Advertência 0,0
Repreensão 0,3
Atividade de Orientação de Estudo (AOE) 0,5
Retirada (por dia) 0,8

3) Melhoria de comportamennto
Constituem fatores de meelhoria de comportamento e recebem valoress que irão influir no cômputo
do grau do comportamento, conforrme a tabela abaixo:

MELHORIA VALOR
Elogio cooletivo em Boletim Interno 0,3
Elogio ind
ndividual em Boletim Interno 0,5

Decorridos 30 (trinta) dias


d consecutivos, inclusive no período de férias escolares, sem que o
aluno tenha sofrido qualquer medida
m disciplinar, será computado 0,01 ponto
pon por dia que exceder a
este prazo, até a tingir o comporrtamento EXCEPCIONAL (grau 10,0).

d. DESLIGAMENTO
1) constituem causas de desligamento:
(a) cometimento de falta gravíssima; e
(b) ingresso do aluno no mau comportamento.
2) o desligamento será precedido de uma rigorosa sindicância, sendo ouvido, obrigatoriamente, o
conselho de ensino do Estabelecimento
elecimento de Ensino;
3) o ato de desligamento deverá ser informado, em documento escrito, circular, à DEPA e aos demais
CM.

e. PROCEDIMENTOS PARA APLICAÇÃO A DAS SANÇÕES DISCIPLINARE ARES E RECOMPENSAS


Por ocasião das aplicaçõess das sanções e recompensas, os responsávveis serão informados pelas
Subunidades, por intermédio de um Comunicado, das transgressões disciplinares d e dos elogios,
discriminando o evento, as mudannças no grau e classificação do comportamennto e os dias de cumprimento,
nos casos de sanções, devendo o aluno devolver em até 48 horas a filipet eta do referido comunicado
com o ciente do seu responsável.
Nos casos em que o aluno for sancionado com Atividade Orientação de Estudo (AOE), nos contra
turnos (4ª feira), das 13:30h às 17::00h, e nos finais de semana (sábado e domingo),
domingo das 08:00h às 11:30h, o
mesmo deverá estar conduzindoo o material necessário para cumprir essa sançã ção, sendo a alimentação e o
transporte do aluno por conta do responsável.
re

31
f. TRANSGRESSÕES DISCIPLI LINARES
As faltas disciplinares, suass classificações, as circunstâncias que influuem em seu julgamento e as
medidas disciplinares que são aplilicadas pelo Corpo de Alunos estão relacionaadas nas Normas Reguladoras
do Regime Disciplinar (NRRD), que compõem o Apêndice 01 do Anexo E do RICM. R

A relação a seguir apresenta as faltas disciplinares:


1) Faltar ou omitir a verdaade.
2) Utilizar-se do anonimaato.
3) Comportar-se de manneira inadequada, desrespeitando ou desafiaando pessoas, descumprindo
normas vigentes ou normas de boa educação.
4) Deixar de comparece cer ou chegar atrasado às atividades prograamadas ou delas ausentar-se
sem autorização.
5) Portar-se de modo innconveniente nas atividades escolares, nas ins nstruções ou em formaturas,
perturbando o desenvolvimento deessas atividades.
6) Simular doença para esqu
squivar-se ao atendimento de obrigações e ativvidades escolares.
7) Deixar de comunicar aoo superior a execução de tarefa dele recebida..
8) Retardar a execução dee qualquer escolar, ou para ela contribuir, sem m justo motivo.
9) Representar o colégio ou por ele tomar compromisso, sem estar paraa isso autorizado.
10) Portar objetos que ammeacem a segurança individual e/ou da coletiviidade.
11) Causar danos físicos e/ou
e materiais de qualquer natureza.
12) Portar, usar e/ou distriibuir drogas lícitas ou ilícitas nas dependênciaas do colégio ou fora dele.
13) Ter em seu poderr, introduzir, ler ou distribuir, dentro do Colégio Militar, cartazes,
panfletos, jornais ou publicações, de
d cunho político-partidário ou que atentem con ontra a disciplina ou a moral.
14) Propor ou aceitar trans
nsação pecuniária de qualquer natureza, no inter erior do Colégio Militar.
15) Praticar jogos de azzar e outros proibidos pela legislação em m vigor,
v assim como aqueles
atentatórios e/ou inadequados ao am mbiente educativo.
16) Esquivar-se a satisfaz
azer compromissos de ordem moral ou pecuniárria que houver assumido.
17) Freqüentar lugares inccompatíveis com o decoro da sociedade e de sua s situação de aluno.
18) Apresentar-se com unniforme diferente do que foi previamente estabbelecido.
19) Trocar de uniforme em m locais não apropriados.
20) Ter pouco cuidado com om o asseio próprio ou coletivo e com sua apreesentação individual.
21) Deixar de usar ou usarus de maneira irregular, peças de uniform me previstas no RUE/CM ou
nas normas vigentes.
22) Deixar material ou dependência sob sua responsabilidade, desarrumada ou com má
apresentação, ou para tal contribuiir.
23) Retirar ou tentar reetirar, de qualquer dependência do colégio, o, qualquer tipo de material,
viatura ou animal, ou mesmo deless servir-se sem ordem do responsável ou do prroprietário.
24) Deixar de apresentaar material, documento ou trabalhos escolare res de sua responsabilidade,
nas atividades escolares ou quando
ndo solicitado, em dia e em ordem.
25) Deixar de devolveer à subunidade, dentro do prazo estipu pulado, qualquer documento,
devidamente visado pelo pai ou resposponsável.
26) Utilizar de processoss fraudulentos na realização de provas e tra rabalhos escolares, bem como
a adulteração de documentação.
27) Entrar no colégio ou dele sair, não estando para isso autorizado, do, bem como entrar ou sair
por locais e vias não permitidos.
28) Ir a qualquer depeendência do colégio sem autorização, bem m como nela penetrar sem
permissão ou ordem da autoridade de que nela estiver presente.
29) Deixar de acatar as ordens
o e instruções emanadas de autoridadess civis, que não colidam com
o regime disciplinar do colégio, par
articularmente se emanadas do Juizado de Meno nores.

32
30) Apresentar partes ou o recursos sem seguir as normas e prreceitos regulamentares, em
termos desrespeitosos, com argum mentos falsos ou de má fé, ou mesmo sem justaa causa ou razão.
31) Deixar de cumprir o prescrito
p nos regulamentos, normas e orientações, ou contribuir para tal.
32) Não levar falta ou irregularidade que presenciar, ou de que tiver ciência e não lhe
couber reprimir, ao conhecimento de autoridade competente.
33) Deixar de participaar em tempo, à autoridade imediatamente superior, a impossibilidade
de comparecer ao CM ou a qualqu quer ato de serviço para o qual tenha sido escalaado ou a que deva assistir.
34) Publicar ou contribu buir para que sejam publicadas mensagens, ns, fotos ou qualquer outro
documento, na Internet, que possam m concorrer integrante do Colégio.
35) Promover ou envolver-se em rixa, inclusive luta corporal, com outrro aluno.
36) Utilizar sem deviida autorização telefones celulares e/ou aparelhos eletrônicos nas
atividades escolares, nas instruçõess ou em formaturas, perturbando o desenvolvim imento das atividades.
37) Fazer uso de tecnologias da informação e comunicação para dar apoio a comportamentos
deliberados, repetidos e hostis paraa prejudicar outrem (cyberbulling).

g. ESTÍMULOS
1) Hierarquia Escolar
A graduação do aluno
uno nos diversos
d graus da hierarquia escolar constit
titui recompensa pela aplicação
aos estudos e pelo exemplar compo portamento escolar, tornando-se estímulo à formação
f integral do aluno e
à escolha pela carreira militar. Os graus da hierarquia escolar definem-se enntre o posto de coronel-aluno
e a graduação de cabo-aluno, uno, de acordo com o prescrito no RICM, e comporão o
BATALHÃO/GRUPAMENTO ESC SCOLAR.

São seus deveres, além daaqueles inerentes ao aluno do CM:


I - cooperar na instruçã
ção cívica e militar e na educação física, quando
ndo necessário;
II - auxiliar o comaando, particularmente pelo exemplo, na manutençãom do asseio e da
conservação das instalações do CM;
M; e
III - primar por irrepre
reensível conduta disciplinar e prática de virrtudes que o tornem exemplo
para os demais alunos.

São seus direitos, além dos os preconizados em leis regulamentos e RICM:


M:
I - uso de insígnias corrrespondentes ao seu posto ou à sua graduação;
o;
II - precedência, nos termos do § 2º do art. 94 do RICM, M, sobre
so os demais alunos, nas
formaturas, representações e soleniidades; e
III - ajudar, desde que voluntário e com o consentimento do seu responsável,
re como monitor em
todas as disciplinas para as quais for
f convocado, desde que tenha média superior or a 8,0 (oito vírgula zero) na
disciplina considerada. A participipação não implicará na atribuição de grau pela
p monitoria.

2) Alamar
Honraria concedida, a partir do 8º ano do Ensino Fundamentaal, aos alunos-destaque que
conseguirem média maior ou iguaal a 8,0 (oito vírgula zero) em todas as áreass de estudo ou disciplinas de
seu ano e estiverem, no mínimo,o, no comportamento “Bom” ao longo de todo odo o ano letivo, tornando-se
exemplos para seus pares.
O estudante que obtiver a referida distinção não a perderá durante o ano
a letivo em que conquistou
o direito de usá-la. Os alamares serão entregues em formatura da Subunid unidade, realçando o valor da
conquista alcançada, conforme pre
rescreve o RICM.

33
3) Legião de Honra
A Legião de Honra do Colégio Militar tem por finalidade incenti tivar os alunos ao culto e à
prática de sadios princípios de lea
ealdade, honestidade, iniciativa, nobreza de atit titudes, disciplina consciente,
camaradagem, estudo e amor à cultura, segundo os valores, os costumess e as tradições do Exército
Brasileiro. Sua composição e atribu buições dos seus componentes estão detalhaddamente descritas no RICM.
Ingressarão na Legião de Honra todos os alunos que forem jul ulgados aptos por conduta
exemplar e propostos pelo Cmt de Subunidade de Alunos, por intermédio do Comandante do Corpo de
Alunos. A admissão dos novos legionários será realizada em solennidade específica para essa
finalidade, no início do ano letivo vo seguinte
s ao da indicação.
São condições indispensáv áveis para o aluno ser proposto:
a) estar cursando o CM MRJ desde o início do ano letivo considerado;
b) estar classificado no comportamento "Excepcional"; e
c) ter obtido NF superiior a 6,0 (seis) em todas as disciplinas.
O legionário será excluído,
do, quando:
a) passar afastado do Colégio
C por mais de 06 (seis) meses;
b) trancar matrícula emm qualquer
qu época;
c) obtiver, em qualquerr disciplina, nota final inferior a 5,0 (cinco vírrgula zero); e
d) tiver grau de compoportamento inferior a 9,0 (nove vírgula zero).
h. ATRIBUIÇÕES DO CHEFE E E SUBCHEFE DE TURMA
1) Cabe ao Chefe de Turma:
a) apresentar a turma parra o professor, instrutor ou monitor no iníccio de cada aula ou instrução
militar;
b) apurar as faltas verificaadas na turma por ocasião de aulas ou formatuuras;
c) retransmitir ordens gerrais aos alunos da turma, zelando pelo seu cuumprimento no que for de sua
responsabilidade;
d) não permitir que sejam m conduzidos para as salas de aulas objetos dessnecessários;
e) cumprir prescrições parrticulares dos professores relativas às aulas ou matérias;
f) quando solicitado pelo Professor, alertá-lo sobre a aproximação do tér érmino da aula;
g) diariamente, por ocasiãão das vistorias obrigatórias realizadas pelos os monitores nas salas de aulas
de suas turmas, apresentar o respons
sponsável ou os responsáveis por danos ocorr rridos no material da sala de
aula, como carteiras, cestos, vidros
os e outros na própria sala de aula;
h) dar conhecimento dass presentes normas ao Subchefe de Turma, a quem cabe substituí-lo nas
eventualidades;
i) manter a disciplina na n ausência do professor, instrutor ou mon onitor. Assinalar, na Ficha de
Observações, os alunos que se atraasarem para as aulas, instruções ou formaturas; s;
j) no caso de aluno retiraado de sala, lançar na Ficha de Observaçõees e solicitar ao Professor, ao
término de aula, que escreva o moti tivo no verso da ficha, datando e assinando;
k) ser o primeiro aluno a chegar ao local de formatura, colocando a tuurma em forma, por iniciativa
própria, nos horários previstos ou determinados e fazendo a chamada para apu purar as faltas, cuidando para
que isso não implique atraso na aprresentação da turma;
l) exigir, durante as formaaturas, a mais perfeita correção de atitudes;
m) apresentar a turma ao a monitor, comunicando-lhe as faltas e informando,
i se possível, os
motivos;
n) em caso de deslocameento da turma, fazê-lo sempre em forma, paasso ordinário, atentando para
todos os detalhes aprendidos na Orrdem Unida;
o) conduzir a turma em m forma de maneira ordeira nos deslocam mentos para a sala de aula,
laboratórios, SEF, salas de Idiomas, s, Auditório e apresentá-la, dentro do horário,
o, ao professor; e
p) procurar constituir-se sempre em exemplo aos seus camaradas, enquadrando-se
e nas normas e
regulamentos do Colégio Militar, sems descuidar dos elevados princípios de educcação e moral.

34
2) Cabe ao Subchefe de Turm ma:
a) substituir o Chefe de Turma na sua ausência, para o que deverrá inteirar-se das atribuições
normais do cargo;
b) zelar pela manutençãoo da limpeza e conservação da sala de aula, fiscalizando-a no final do
turno;
c) manter sempre adequadada a disposição das carteiras;
d) acionar os alunos paraa que se dirijam ao local de formatura matinaal logo que tenham deixado o
material na sala de aula;
e) entregar aos monitores,, diariamente, ao término das aulas, o materiaal esquecido pelos alunos; e
f) entregar a papeleta de faltas, diariamente, ao monitor, cuidando para que todos os períodos tenham
sido assinados pelo professor.

18. AVALIAÇÃO EDUCACIONAL

A avaliação do rendimento da aprendizagem


endizagem atende às prescrições do Regulamento de Preceitos
Comuns aos Estabelecimentos
ecimentos de Ensino do Exército (R–126),
(R 126), Regulamento dos Colégios Militares (R–69),
(R
das Normas de Planejamento e Gestão Escolar (NPGE) /DEPA, Planejamento Geral de Ensino (PGE)
/CMRJ e Normas para a Avaliação da Educação Básica (NAEB). ). Todos os documentos citados
anteriormente se encontram disponíveis no site do CMRJ.

a. Modalidades de Avaliação Educacional

1) Avaliações Parciais (AP)


As AP serão aplicadas ao longo dos trimestres. Constituem instrumentos
trumentos preciosos para a aplicação
dos princípios da avaliação
liação contínua e dão ênfase à função formativa.
As AP são compostas de avaliações diversificadas, permitindo melhor análise do processo ensino-
ensino
aprendizagem.
endizagem. Inclui trabalhos em grupo, pesquisas, avaliações em duplas, trabalhos em domicílio,
apresentações orais, verificações imediatas (VI), com ou sem consulta, e outras atividades a critério da
equipe de professores da disciplina.
disciplina

2) Avaliações de Estudo (AE)


Em 2016, o ano letivo será dividido em trimestres. Ao final de cada trimestre, o aluno (a) irá realizar
uma AE. As AE poderão ser escritas, gráficas ou mistas, de acordo com calendário previsto no PGE. Esta
avaliação poderá ser disciplinar ou interdisciplinar, em grupo, individual, com ou sem consulta.

3) Avaliação Parcial de Recuperação (APR)


Ao longo
ongo do período da Recuperação da Aprendizagem (RA), será aplicada pelo menos uma
Avaliação Parcial de Recuperação (APR).

4) Prova de Recuperação Final (PRF)


As PRF serão realizadas após o término do ano letivo com data fixada no PGE, com duração normal
de 022 (duas) horas, para o aluno que não conseguir aprovação
ovação por média com nota final igual ou superior a
5,0 (cinco). Destinam-se
se a avaliar os assuntos por disciplina considerados pré-
pré-requisitos fundamentais para
que o aluno prossiga os estudos nos anos seguintes.
se

35
b. Segunda chamada
1) Avaliações Parciais (AP)
O aluno que justificar a falta a qualquer AP poderá realizar nova avaliação, de acordo com os critérios
estabelecidos pela Coordenação de Ano Letivo.O
Letivo.O aluno que não justificar a falta, a qualquer
qualqu instrumento de
avaliação parcial, ficará com nota zero no respectivo instrumento.

2) Avaliações de Estudo (AE) e Prova de Recuperação Final (PRF)


Os alunos tiverem falta justificada à primeira chamada das AE e/ou PRF, poderão fazer a segunda
chamada, indenizando os custos de tal procedimento. Entende-se
Entende se por falta justificada os casos de doença
comprovada por atestado médico apresentado
esentado às Subunidades de Alunos em até 48 (quarenta e oito) horas,
devendo ser homologado pela Seção de Saúde do CMRJ, CMRJ atletas convocados pela Seção de Educação Física
doo CMRJ por motivo de competição e também por ocasião de luto, de parentes em linha direta até o terceiro
grau (bisavós) ou em linha colateral até o terceiro grau (tios), comunicado pela família. Em caso de falta por
acontecimento fortuito, os responsáveis deverão comunicar o acontecimento por escrito,
escrito em até 24 horas, na
Companhia do aluno.. A justificativa será avaliada pela Subdireção de Ensino,Ensino, que atorizará ou não a
realização da 2ª chamada.
A falta à segunda chamada de AE e /ou PRF na data marcada pela Seção Técnica acarretará nota
zero na prova considerada.

3) Avaliação Parcial de Recuperação (APR)


É importante destacar que NÃO haverá segunda chamada de APR.
A falta
alta de um aluno à APR não acarreta atribuição de grau zero na sua recuperação: ele permanece
com o grau que conquistou nas avaliações efetuadas no decorrer do trimestre. A rigor, ele só deixa de
aproveitar
oveitar a oportunidade de melhorar esse grau com a realização
realiz da APR.
A decisão interna de não realizar a 2ª Chamada da APR está amparada na legislação vigente para
o ensino.. A LDB (Lei nº 9.394/96, que trata das Diretrizes e Bases da Educação Nacional), na alínea “e” do
inciso V do seu Art. 24 estabelece, como uma das regras comuns para a educação básica, nos níveis
fundamental e médio: “a obrigatoriedade de estudos de recuperação, de preferência paralelos ao período
letivo, para os casos de baixo rendimento escolar, a serem disciplinados pelas instituições de ensino em
seus regimentos”. ”. Ou seja, cada instituição de ensino tem, por lei, autonomia para realizar as recuperações
de acordo com o seu regulamento interno.
4) Procedimentos para a segunda chamada
Para realizar a segunda chamada de AE ou PRF, o aluno deverá:
4.1) retirar o modelo de requerimento de segunda chamada disponível na Subunidade de Alunos. O
próprio aluno poderá preencher a folha de requerimento na sargenteação da sua SU, porém o mesmo deverá
ser assinado pelo (a) responsável;
4.2) apanhar a Guia de Recolhimento Único (GRU) na tesouraria do CM, no valor de 15% da QME
e pagar a taxa correspondente
dente em banco ou casa lotérica;
lotérica
4.3) entregar o requerimento devidamente assinado, os documentos comprobatórios de justificativa
ou a GRU paga na Sargenteaçãoação da SU Al.
A prova de segunda chamada será realizada em data e hora determinadas pela Divisão de Ensino,
segundo o calendário de provas organizado pela Seção Técnica de Ensino.

c. Tempo de carência nas avaliações para novos alunos matriculados após o início do ano letivo
1) Avaliações Parciais (AP)
- O aluno está dispensado de realizar a AP até o décimo quinto dia corrido a contar da matrícula.
2) Avaliação de Estudo (AE)
- O aluno está dispensado de realizar a 1ª e a 2ª Chamada de todas as provas do período, p se tiver sido
matriculado nos trinta dias anteriores e corridos a contar do dia do início do período de provas.

36
d. Revisão da correção/ notas de boletim
1) O discente e/ou seu responsável terá até dois dias úteis, após o recebimento do Boletim Escolar do
aluno, para solicitar qualquer correção de graus nele lançados;
2) Após
pós a divulgação do resultado da AE, o aluno, que registrar seu ciente no campo destinado para
isso, terá até 2 (dois) dias úteis, a partir da data da mostra, para apresentar
esentar o seu pedido
pedid de revisão; e
3) Os formulários próprios para solicitação de revisão de lançamento de grau ou da correção do
professor encontram-se se na subunidade, onde deve ser entregue após preenchido.

e. Grau de Incentivo à Participação em Atividade Extracurricular (GIP)


Poderá ser concedido, a título de bonificação, até um ponto de Grau de Incentivo à Participação (GIP)
na média de AP, nas áreas de conhecimento ou disciplinas isoladas, se o discente participar efetivamente de
atividades extraclasse tais como: banda, coral,
coral, grupos de artes e teatro, atletas, iniciação científica, grêmios,
e atividades de associações de alunos.
alunos
O aluno que possuir NP inferior a 5,0 (cinco) em alguma disciplina, ou área de conhecimento na qual se
pretenda acrescentar o GIP, não poderá receber
receb esta bonificação.
Nas atividades de equitação, cabe acrescentar que, como atleta da equipe, o aluno deve atingir 75% de
presença nas aulas de equitação e ter disponibilidade para viajar.
Alm dos critérios gerais apresentados,
apr poderão ser acrescidos outros os específicos de cada uma das
atividades.

f. Cálculo da Nota Parcial (NP)


1) A Nota Parcial (NP), para alunos que não frequentaram a RA, será obtida pela fórmula:
NP = [(AP1 + AP2 + AP3 + AP4 +...+APn / n) + AE] / 2

2) A Nota Parcial Recuperada (NPR) será


se obtida pela fórmula:
NPR = [(AP1 + AP2 + AP3 + AP4 +...+APn / n) + (APR1 + APRn / n) + AE] / 3
g. Cálculo da Nota Final (NF)
1) Sem a Avaliação Parcial de recuperação:
Nota Final
NP1 + NP 2 + ( 2 × NP3)
NF =
4
2) Com a Avaliação Parcial de Recuperação:
Recuperaçã
Nota Final
NPR1 + NPR2 + ( 2 × NPR3)
NF =
4
Se o resultado for maior ou igual a 5,0 , o aluno estará aprovado.
Se o resultado for menor que 5,0, o aluno realizará a Prova Final de Recuperação(PRF).
h. Cálculo da Nota Final Recuperada (NFR) – após a PRF.
Nota Final Recuperada
NF + PRF
NFR =
2
Se o resultado for maior ou igual a 5,0 , o aluno estará aprovado.
Se o resultado estiver entre 4,5 e 4,9, o aluno será submetido ao Conselho de Classe Final.
Se o resultado for menor que 4,5 , o aluno estará reprovado.

37
i. Outras observações
a. Segundo as Normas para Avaliação da Educação Básica (NAEB) no SCMB, os o graus das AP
deverão ser entregues na STE, após o ciente de cada aluno, com a antecedência de 48 horas antes do início
do período de realização das AE do ano letivo correspondente e, com a mesma antecedência, estar
digitados no Sistema de Gestão Escolar (SGE), oportunizando aos responsáveis o acompanhamento do
processo de avaliação.

b. Assim como a disciplina Educação Física Escolar (EFE),


( a disciplina
ciplina de Artes será avaliada
tranformando-se
se grau em menção e influirão tanto no cálculo globaldo ano ( composição do batalhão
escolar ) quanto na distribuição do alamar.
alamar. Caso o aluno seja considerado “não apto”, deverá ser
submetido a uma complementação das atividades a título de recuperação trimestral, podendo, após a
realização desta, ser considerado “apto”.

j. Procedimentos
rocedimentos em caso de utilização de meios ilícitos durante avaliação (cola)
Em casos de utilização de meios fraudulentos na realização
realização de provas (AP ou AE) o fiscal da prova irá
retirar a prova do aluno e entregá-la
entregá la para o Coordenador da disciplina. O professor da disciplina atribuirá
grau zero à prova. O Orientador Educacional (OE) do ano entrará em contato com o responsável avisando
avisand
do ocorrido e caso haja apreensão de aparelho eletrônico, o OE informará ao responsável que ele deverá vir
ao CMRJ retirar o mesmo. O OE informará ao aluno e seu responsável
responsável que será atribuído grau zero à prova
além da punição prevista neste Manual,
Manual uma vez que enquadra-se se no tipo de falta gravíssima,
gravíssima de acordo
com o RICM. Por ser uma falta passível de exclusão,
exclusão, a critério da autoridade competente, poderá ser
instaurada uma sindicância e posterior encaminhamento ao Conselho de Ensino.

19. RECUPERAÇÃO

2º trimestre
• Aulas regulares /diagnose (NP2) • Aulas regulares / diagnose
• (semana 1 a 7) (semana 28 a 35)
• Aulas regulares e de recuperação • Aulas regulares / diagnose • Aulas regulares e de
(semana 8 a 12) • (semana 14 a 19) recuperação (semana 36 a 42)
• Aplicação de AE1 (semana 13) • Aulas regulares e de recuperação • Aplicação da AE3
(semana 20 a 24)
• Aplicação da AE2

1º trimestre 3º trimestre
(NP1) (NP3)

38
• Alunos com baixo rendimento, após as duas primeiras AP1, são convidados a ingressarem na recuperação
do 1º trimestre.
REC • Ao longo do trimestre, alunos indicados pelo professor podem ingressar na recuperação do 1º trimestre.
• Composição da APR1.
APR1
1º TRI
(APR)

• Alunos com baixo rendimento, após as duas primeiras AP2, são convidados a ingressarem na recuperação
do 2º trimestre.
• Ao longo do trimestre, alunos indicados pelo professor podem ingressar na recuperação do 2º trimestre.
REC • Composição da APR2.
APR2
2º TRI
(APR)

• Alunos com baixo rendimento, após as duas primeiras AP3, são convidados a ingressarem na recuperação
do 3º trimestre.
REC • Ao longo do trimestre, alunos indicados pelo professor podem ingressar na recuperação do 3º trimestre.
• Composição da APR33.
3º TRI
(APR)

a. Alunos que deverão ser assistidos:


assistidos
Oss alunos que não conseguiram obter média 5(cinco) nas duas primeiras AP do trimestre,
trimestre em qualquer
disciplina.
b. Duração:
De 05 a 07 semanas em cada trimestre, no CONTRATURNO.
c. Objetivos :
Ajudar
judar os alunos a recuperar o conteúdo e o grau do 1º, 2º e 3º trimestres, nas disciplinas em que o
desempenho for abaixo de 5 (cinco).
d.Execução:
Alunos com baixo rendimento, após as duas primeiras AP do trimestre, são convidados a ingressarem
ing
na recuperação do 1º trimestre.
Ao longo do trimestre, alunos indicados pelo professor irão ingressar na recuperação.

e. Avaliação:
Poderão ser aplicadas 1 ou mais Avalições parciais de Recuperação (APR nas datas pré-
pré
estabelecidas,
s, das quais os alunos deverão tomar ciência do calendário na Página do CMRJ.

“É importante destacar que NÃO haverá segunda chamada de APR.”

39
20. APOIO PEDAGÓGICO
O apoio pedagógico tem como objetivo resgatar conteúdos básicos necessários para o aluno alun cursar a
série em que está matriculado. No ano de 2016, será oferecido ao 6º e 7º anos, nos dias de turmo integral.
a. Alunos que deverão ser assistidos:
assistidos
Os alunos que na Avaliação Diagnóstica obtiveram conceito inapto ou apto com restrição , os alunos
repetentes no Ano de Ensino e os alunos aprovados em Conselho de Classe no ano anterior,
anterior nas disciplinas
Língua Portuguesa e Matemática...
b. Duração:
Durante todo o ano letivo.
c. Objetivos:
O Apoio Pedagógico tem como objetivo desenvolver ações educacionais
educacionais e atividades didático-
didático
pedagógicas voltadas para os estudantes do 6º e 7º anos, que apresentam dificuldade de aprendizagem
nas áreas de Língua Portuguesa e Matemática.
d. Execução:
O ponto de partida consistirá na aplicação de uma Avaliação Diagnostica
Diag (AD) e, quando houver necessidade,
na aplicação de um Teste de Sondagem (TS).
1) Quantitativo: Ass turmas terão
terão efetivos de até 25 alunos. Os alunos serão agrupados
agrupado conforme as
dificuldades apresentadas
esentadas nas AD e nos TS.
2) Períodos: As aulas serãoo ministradas de segunda-feira
segunda a quinta-feira,
feira, no CONTRATURNO (nos dias de
Ensino Integral), e deverão ter início a partir do mês de fevereiro,
fevereiro sendo interrompidas
errompidas durante os períodos das
AE.
3) Condições: A frequência às aulas de Apoio é OBRIGATÓRIA,
OBRIGATÓRIA, sendo o controle dessas feito pelos
docentes. A falta às aulas implicará o registro na Ficha de Presença das Aulas de Apoio.
Apoio

21. SEÇÃO DE EDUCAÇÃO FÍSICA (SEF)


A SEF desenvolve diversas atividades desportivas que têm como finalidade trabalhar os aspectos
psicomotores, afetivos e cognitivos dos nossos alunos.
Os alunos dos 6º e 7º anos do EF, por estarem em fase de grande evolução coordenativa, irão ter aulas
de Educação Física em sistema de rodízio obrigatório, de forma que todos os alunos passem
pass pelas diversas
modalidades esportivas ofertadas pelo CMRJ ao longo do ano letivo.
Para os alunos dos 8º e 9º anos do EF e do EM, as aulas de Educação Física são realizadas de acordo
com a escolha da modalidade,, que é feita de forma livre, respeitando-se a limitação de espaço e segurança
para a prática do esporte em questão.
As equipes desportivas que representam o CMRJ são selecionadas, principalmente, através das
olimpíadas internas. Os treinamentos das equipes não ocorrem no horário letivo e visam as seguintes
competições: Jogos da Amizade, Jogos Intercolegiais e Jogos
Jogos estudantis do Rio de Janeiro.
A avaliação em Educação Física Escolar (EFE) é um processo longo e contínuo e será observada a
seguinte composição: 30% aspectos procedimentais; 20% aspectos
aspectos conceituais; 20% aspectos atitudinais;
20% frequência ativa; e 10% auto avaliação. Entende-se
Entende se por frequência ativa nas atividades de EFE, a
efetiva participação do aluno na aula. A disciplina de EFE será avaliada tranformando-se
tranformando grau em menção .
Os resultados
ltados dessas avaliações serão registradas no Histórico Escolar como “apto” ou “não apto” e
influirão tanto no cálculo
ulo global do ano ( composição do batalhão escolar ) quanto na distribuição do
alamar.. Caso o aluno seja considerado “não apto”, deverá ser submetido
submetido a uma complementação das
atividades a título de recuperação podendo, após a realização desta, ser considerado “apto”.

40
22. SEÇÃO PSICOPEDAGÓGICA
A Seção Psicopedagógica é composta por uma equipe multidisciplinar de Orientadores Educacionais,
Psicólogos e Assistente Social.
O trabalho tem o objetivo de apoiar e orientar os alunos com baixo rendimento escolar, dificuldade de
aprendizagem
endizagem ou relacionamento, baixo grau de comportamento e nas escolhas profissionais.
O atendimento ao responsável funciona
funcio de 2ª a 6ª feira, das 07h30min
07h30 às 12h, mediante
agendamento prévio, que deve ser feito pelo telefone (21) 2568-9222
2568 9222 Ramais 2143 ou 2116,
2116 ou por
convocação do Orientador Educacional.

INFORMAÇÕES IMPORTANTES:
IMPORTANTES
a. A formação das turmas no início de cada ano letivo obedece a critérios pré-determinados.
pré A troca de
turma só será autorizada em casos excepcionais, com o parecer técnico dos psicólogos e orientadores. Estes
pedidos só poderão ser encaminhados à Seção um mês após o início do período letivo; e
b. O pedido de dispensa da Quota Mensal Escolar (QME), para alunos carentes, deverá ser feito na
Seção Psicopedagógica, em período específico.

23. SEÇÃO DE SUPERVISÃO ESCOLAR

Tem como missão conduzir as ações pedagógicas do colégio, devendo coordenar a elaboração
e dos
planejamentos por parte do corpo docente e orientar os professores quanto aos procedimentos didático-
metodológicos.
A Seção de Supervisão Escolar tem a tarefa de agendar,
a assistir e intermediar as reuniões entre
responsáveis e docentes, orientando
ntando e buscando soluções para problemas relacionados à avaliação e/ou
lançamento de notas.
ponsáveis será realizado de 2ª a 6ª feira, das 07h30 às 12h00,
O atendimento aos responsáveis 12 mediante
agendamento prévio, que pode ser feito pelo telefone (21) 2568-9222
2568 Ramal
amal 2145.
2145

24. LIVRO DIDÁTICO DO PROGRAMA NACIONAL DO LIVRO DIDÁTICO (PNLD)

O Colégio Militar do Rio de Janeiro está inscrito no Programa Nacional do Livro Didático (PNLD)
do Ministério da Educação. Este Programa tem por objetivo prover as escolas públicas públic de ensino
fundamental e médio com livros didáticos, acervos de obras literárias, obras complementares e dicionários.
Os livros do PNLD são retornáveis, o que significa que ao final do ano letivo, os mesmos devem
ser devolvidos ao colégio para que sejam novamente utilizados ao longo dos triênios 2014/2016 (ensino
fundamental) e 2015/2017 (ensino médio).
O aluno deverá encapar os livros com papel “contact” ou plástico transparente para sua melhor
conservação; não poderão escrever no livro e, ao final do ano letivo, deverão devolver o livro na Cia de
Alunos.
Em caso de perda ou de mau estado de conservação do livro, o aluno/responsável deverá procurar a
Cia para tomar conhecimento das regras de ressarcimento.

41
25. CANÇÃO E SAUDAÇÃO COLE
OLEGIAL

a. Canção do Colégio Militar do Rio de Janeiro b. Saudação Coleegial

Somos jovens, destemidos E ao Colégioo tudo ou nada?...


E vibramos a marchar Tudo!...
Os alunos sempre unidos
Do Colégio Militar Então como é?é Como é que é?
Nossa luta nos ensina Zum, zaravalho
ho opum, Zarapim Zoqué,
A vencer, a ter pujança, Oqué-qué,, Oqué-qué,
Oqu Zum!
E lutamos, só domina Pinguelim, pinnguelim, pinguelim,
Nosso peito a esperança Zunga, zungaa, zunga,
Cate marimbaau, cate marimbau,
Companheiros leais, Eixau, Eixau.
u.
Trabalhemos e faremos COLÉGIO!...... (Criação dos alunos)
Num esforço, vibrante, febrril
Desta casa que amamos, Refrão
Um templo, Um exemplo
Grandioso de amor ao Brassil!

Aqui Pátria, nós sabemos


Quanto és grande em terra e mar;
Teu valor nós aprendemos
Aprendemos a só te amar!
Nosso culto é o mesmo, agora;
Que o dos nossos pais e avós,
vós,
E alguém que mais te adora
ra!
Não te adora mais que nós!
s!

- REFRÃO

Prossigamos na porfia
Estudemos a valer
Com denodo e alegria
A cumprir nosso dever
Mais um dia o pranto há
De nossos olhos inundar
Ao chorarmos a saudade
Do COLÉGIO MILITAR AR

- REFRÃO

(Autor: Cad Antonio Pádua Vieira da Costa)


Costa

42