Вы находитесь на странице: 1из 617

INTRODUÇÃO

Com a intenção de ajudar aos profissionais que se preparam para concursos, assim como estudantes que
desejam ampliar seus conhecimentos e se auto avaliar, coletamos várias questões expostas em concursos
públicos e outras de nosso labor com o respectivo gabarito ao final.

Vale lembrar, em nossa plena consciência que, são inúmeros os meios e formas de oportunidades que surgem
em nossas vidas e jamais devemos impor ao destino as decisões; a nós cabe agir para construir...

Porém, ante a perspectiva das realizações, muitas vezes faltam argumentos, onde o incentivo forte de alguns
vem colocar em evidência muitos outros caminhos em que se possa fazer cumprir nosso papel na sociedade,
entendendo sempre que, apesar de tudo e de alguns,

É possível fazer...

José Luís Ferreira Filho

Agradecimentos a
Luís Felipe Maciel Ferreira
Elisa Maciel Ferreira
- Queridos filhos
GABARITO:

1 - B
1-A PENETRAÇÃO DE UM FEIXE DE RAIOS X NO TECIDO DEPENDE DE:
(A ) MILIAMPERAGEM 2 - B
(B) QUILOVOLTAGEM
(C) DO TEMPO 3 - B
(D) ENERGIA DOS ELETRONS
(E) AUSÊNCIA DE AR NO INTERIOR DA AMPOLA

2-A QUANTIDADE DE RAIOS X LIBERADA PELO TUBO DEPENDE DE:


(A) QUILOVOLTAGEM
(B) MILIAMPERAGEM
(C) ENERGIAS DE ELETRONS
(D) DO TEMPO
(E) FILTRO COLOCADO NA JANELA DO TUBO

3- VISANDO REALIZAR UM MELHOR EXAME E PROTEGER O PACIENTE, AO FAZER UMA INCIDÊNCIA,


UTILIZA-SE O COLIMADOR:
(A) AMPLIANDO O CAMPO
(B) LIMITANDO O CAMPO
(C) FECHANDO-O TOTALMENTE
(D) AFASTANDO-O DO PACIENTE
(E) APROXIMANDO-O DO PACIENTE
GABARITO:

4– A
4- OS RX SÃO GERADOS POR DOIS FENÔMENOS CONHECIDOS COMO EFEITOS:
(A) CARACTERÍSTICO E BREMSTRAHLUNG 5– C
(B) ELETRÔNICO E CINÉTICO
(C) PROPORCIONAL E INTERATIVO 6 - D
(D) CERENKOV E ELÉTRON AUGER
(E) ANODO E TUNGSTÊNIO

5- DEVIDO A ABSORÇÃO FOTOIÔNICA DO FEIXE DE RX, OCORRIDA NO ALVO DA AMPOLA, A


INTENSIDADE DO FEIXE É MENOR NO LADO:
(A) DO COLIMADOR
(B) DA JANELA
(C) DO ANODO
(D) DO FILTRO
(E) DO CATODO

6-OS ELETRONS QUE VÃO PRODUZIR RADIAÇÃO X NO INTERIOR DE UM TUBO SÃO GERADOS NO:
(A) ALVO
(B) ANODO
(C) FILTRO
(D) FILAMENTO
(E) VIDRO DE REVESTIMENTO
GABARITO:

7– B
7- A ABSORÇÃO DOS RX É DIRETAMENTE PROPORCIONAL AO PESO ATÔMICO DO ELEMENTO
ATRAVESSADO. POR ESTA RAZÃO, UTILIZA-SE PARA PROTEÇÃO CONTRA RADIAÇÃO ESPALHADA
8– D
UM ANTEPARO DE:
(A) ALUMÍNIO 9 - C
(B) CHUMBO
(C) BORRACHA
(D) BÁRIO
(E) COBRE

8-O FATOR MODIFICADOR DO ESPECTRO DOS RAIOS-X QUE INDICA O NÚMERO DE ELÉTRONS EM
COLISÃO COM O ALVO É:
(A) A FILTRAÇÃO
(B) A DISTÂNCIA
(C) A DIFERENÇA DE POTENCIAL
(D) A CORRENTE
(E) O MATERIAL CONSTITUINTE DO ANODO.

9- PARA MONITORIZAÇÃO PESSOAL, UTILIZAM-SE:


(A) CÂMARAS-PADRÃO OU EXPOSÍMETROS
(B) INTEGRADORES OU "RATE-METERS"
(C) DOSÍMETROS TERMOLUMINESCENTES OU DE FILME
(D) CINTILÔMETROS OU CÂMARAS-DEDAL
(E) CÂMARAS DE IONIZAÇÃO OU CONTADORES GEIGER
GABARITO:

10 – A
10- A INTERAÇÃO DOS ELÉTRONS COM O ALVO, NO INTERIOR DE UM TUBO DE RAIOS -X, PRODUZ
PEQUENA QUANTIDADE DE RAIOS-X E GRANDE QUANTIDADE DE: 11 – A
(A) CALOR
(B) RADIAÇÃO GAMA 12 - B
(C) RADIAÇÃO ALFA
(D) RADIAÇÃO BETA
(E) RADIAÇÃO MAGNÉTICA

11- A RADIAÇÃO ESPALHADA PODE SER REDUZIDA COM A UTILIZAÇÃO DE:


(A) COLIMADORES
(B) CONES E AVENTAIS PLUMBÍFEROS
(C) LUVAS PLUMBÍFERAS E FILTRAÇÃO DE ALUMÍNIO
(D) REFRIGERAÇÃO DA SALA DE EXAMES E FRACA ILUMINAÇÃO AMBIENTE
(E) ECRANS REFORÇADORES E GONIÔMETROS

12- EM UM AMBIENTE COM UMIDADE RELATIVA MUITO ALTA, O VELAMENTO ELETROSTÁTICO DO


FILME NA CÂMARA-ESCURA PODE SER EVITADO UTILIZANDO-SE:
(A) LUVAS PARA O MANUSEIO
(B) ATERRAMENTO DA BANCADA
(C) REFRIGERAÇÃO AMBIENTAL
(D) VENTILAÇÃO FORÇADA
(E) REVESTIMENTO DO PISO COM BORRACHA
GABARITO:

13 – A
13- OS MEIOS DE CONTRASTE ARTIFICIAIS LÍQUIDOS UTILIZADOS EM RADIOLOGIA SÃO
COMPOSTOS DE: 14 – B
(A) BÁRIO OU IODO
(B) CROMO OU COBRE 15 - B
(C) PRATA OU IODO
(D) BÁRIO OU CHUMBO
(E) NITROGÊNIO OU ALUMÍNIO

14- UM ECRAN REFORÇADOR (DE TUNGSTATO DE CÁLCIO) COMPOSTO DE GRÃOS GROSSOS


PRODUZ OS SEGUINTES EFEITOS NA FORMAÇÃO DA IMAGEM RADIOGRÁFICA:
(A) MENOR DETALHE E MAIOR DURAÇÃO
(B) MENOR DETALHE E MAIOR INTENSIDADE
(C) MAIOR DETALHE E MAIOR INTENSIDADE
(D) MAIOR DURAÇÃO E MENOR INTENSIDADE
(E) MAIOR DETALHE E MENOR INTENSIDADE

15- OS RAIOS X RESULTAM DE:


(A) CHOQUE VIOLENTO DE PRÓTONS COM O ANÓDIO
(B) CHOQUE VIOLENTO DOS ELÉTRONS DO CATÓDIO NO ANÓDIO
(C) EMISSÃO RÁPIDA DE PRÓTONS E ELÉTRONS PELO FILAMENTO
(D) TROCA INTENSA DE PRÓTONS DO CATÓDIO COM ELÉTRONS DO ANÓDIO
(E) BOMBARDEIO DOS RAIOS ANÓDICOS EM ALTA VELOCIDADE NO CATÓDIO
GABARITO:

16 – B
16- "RAZÃO DA GRADE" É A RELAÇÃO ENTRE:
(A) QUOCIENTE DE FOCALIZAÇÃO E DISTÂNCIA FOCO-FILME 17 – E
(B) ALTURA DAS LÂMINAS E DISTÂNCIA QUE AS SEPARA
(C) DISTÂNCIA INTERLÂMINAS E ALTURA DESTAS 18 - B
(D) INCLINAÇÃO E ALTURA DE SUAS LÂMINAS
(E) DIMENSÃO E QUANTIDADE DE LÂMINAS

17- A LEI DE KEPLER DEFINE QUE:


(A) O KV VARIA NA RAZÃO INVERSA DO QUADRADO DA DISTÂNCIA
(B) O PRODUTO DO TEMPO DE EXPOSIÇÃO PELO mA RESULTA NO mAS
(C) O PODER DE PENETRAÇÃO É DIRETAMENTE PROPORCIONAL AO mAS
(D) A PENETRAÇÃO DA RADIAÇÃO VARIA NA PROPORÇÃO INVERSA DA DISTÂNCIA
(E) A INTENSIDADE DA RADIAÇÃO VARIA NA RAZÃO INVERSADO QUADRADO DA DISTÂNCIA

18- TEORICAMENTE , O MELHOR MEIO DE PROTEÇÃO RADIOLÓGICA É:


(A) AVENTAL PLUMBÍFERO
(B) DISTÂNCIA DA FONTE
(C) FILME DOSIMÉTRICO
(D) LUVA PLUMBÍFERA
(E) GRADE ANTI-DIFUSORA
GABARITO:

19 – C
19- EM UMA RADIOGRAFIA, A FÓRMULA 2E+K DEFINE:
(A) CORRENTE DO TUBO - mA 20 – B
(B) TEMPO DE EXPOSIÇÃO - S
(C) TENSÃO NO TUBO - kV 21 - C
(D) DISTÂNCIA - d
(E) O EFEITO ANÓDIO

20-A VARIAÇÃO DA CORRENTE ELÉTRICA NO FILAMENTO DE UM TUBO DE RAIOS X INFLUENCIA:


(A) A LUMINESCÊNCIA DOS ECRANS
(B) A INTENSIDADE DOS RAIOS X
(C) A PENETRAÇÃO DOS RAIOS X
(D) A RADIAÇÃO SECUNDÁRIA
(E) OS RAIOS X DE BAIXA ENERGIA, SOMENTE NOS APARELHOS DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA

21- SÃO MÉTODOS DA INVESTIGAÇÃO POR IMAGEM QUE NÃO UTILIZAM RADIAÇÃO IONIZANTE:
(A) TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA E ULTRA-SOM
(B) ABREUGRAFIA E RESSONÂNCIA MAGNÉTICA
(C) RESSONÂNCIA MAGNÉTICA E ULTRA-SOM
(D) RADIOSCOPIA E CINTILOGRAFIA
(E) TOMOGRAFIA POSITRÔNICA E TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA
GABARITO:

22 – A
22- O USO DOS ECRANS É POSSÍVEL DEVIDO À SEGUINTE PROPRIEDADE DOS RAIOS X :
(A) TORNAR FLUORESCENTE CERTOS SAIS 23 – C
(B) CAMINHAR EM LINHA RETA
(C) IONIZAR CERTOS GASES 24 - C
(D) SER INVISÍVEL
(E) INIBIR A MITOSE CELULAR
.
23- A POSIÇÃO DA FONTE, EM RELAÇÃO AO FILME, QUE INVIABILIZA A OBTENÇÃO DE UMA
RADIOGRAFIA É:
(A) PERPENDICULAR
(B) SEMIPARALELA
(C) PARALELA
(D) OBLÍQUA
(E) FONTE ACIMA DO FILME ANGULADA DE 10º NO SENTIDO LONGITUDINAL DESTE

24- UM CÍRCULO FOI RADIOGRAFADO, SUA IMAGEM MOSTROU UMA ELIPSE. EM RELAÇÃO AO
FILME, AS POSIÇÕES EM QUE O CÍRCULO E A FONTE SE ENCONTRAM SÃO, RESPECTIVAMENTE:
(A) PERPENDICULAR E PERPENDICULAR
(B) PERPENDICULAR E PARALELA
(C) OBLÍQUA E PERPENDICULAR
(D) PARALELA E PERPENDICULAR
(E) PARALELA E PARALELA
GABARITO:

25 – D
25- UM CILINDRO DE BORDAS RADIOPACAS, MEDINDO 20 CM DE ALTURA E 5 CM DE DIÂMETRO, FOI
RADIOGRAFADO. A RADIOGRAFIA MOSTROU DOIS CÍRCULOS CONCÊNTRICOS. AS POSIÇÕES, 26 EM
– D
RELAÇÃO AO FILME, EM QUE O CILÍNDRO E A FONTE SE ENCONTRAVAM ERAM:
(A) PARALELA E PARALELA 27 - D
(B) PERPENDICULAR E PARALELA
(C) PARALELA E PERPENDICULAR
(D) PERPENDICULAR E PERPENDICULAR
(E) PERPENDICULAR E OBLIQUA

26- A FLUOROSCOPIA OU RADIOSCOPIA É UTILIZADA , PRINCIPALMENTE , PARA:


(A) REDUZIR AS FRATURAS
(B) ESTUDAR O ESTÔMAGO
(C) ATRAVESSAR CORPOS OPACOS À LUZ
(D) ANALIZAR DINÂMICAMENTE AS IMAGENS
(E) FAZER RADIOGRAFIAS SEM USO DE ECRANS

27- A IMPERMEABILIDADE NOS FILMES RADIOLÓGICOS CONVENCIONAIS, NÃO É POSSÍVEL


PORQUE:
(A) NÃO HAVERIA IMAGEM NAS DUAS FACES
(B) NÃO HAVERIA FORMAÇÃO DA IMAGEM LATENTE
(C) A LUZ DOS ECRANS NÃO SENSIBILIZAM OS CRISTAIS DE PRATA
(D) OS AGENTES QUÍMICOS (REVELADOR E FIXADOR) NÃO ATINGIRIAM OS CRISTAIS DE PRATA
(E) NEUTRALIZARIA SUA SENSIBILIDADE
GABARITO:

28 – B
28- A VARIAÇÃO DA DIFERENÇA DE POTENCIAL DO TUBO INFLUENCIA A:
(A) TEMPERATURA DO FILAMENTO 29 – D
(B) PENETRAÇÃO DOS RAIOS X
(C) INTENSIDADE DOS RAIOS X 30 - B
(D) MILIAMPERAGEM
(E) A ESCOLHA DO TAMANHO DO CHASSIS A SER USADO

29- O CONTRASTE NATURAL DOS PULMÕES É:


(A) RADIOPACO
(B) HIPERDENSO
(C) TRANSLÚCIDO
(D) RADIOTRANSPARENTE
(E) PARA OBSERVAR OS PULMÕES TEMOS NECESSÁRIAMENTE QUE FAZER USO DE CONTRASTE
ARTIFICIAL

30- EM QUALQUER RADIOGRAFIA, NO SER VIVO, O TECIDO ÓSSEO APRESENTA-SE SEMPRE MAIS
CLARO QUE OS DEMAIS. ISTO SE DEVE À SUA:
(A) MENOR DENSIDADE
(B) MAIOR DENSIDADE
(C) MENOR PERMEABILIDADE
(D) MAIOR CONCENTRAÇÃO DE LACUNAS
(E) MAIOR TEOR DE RADIOTRANSPARÊNCIA
GABARITO:

31 – A
31- O TEMPO QUE O TÉCNICO DEVE AGUARDAR ATRÁS DO BIOMBO, APÓS RADIOGRAFAR UM
PACIENTE, É: 32 – B
(A) NENHUM
(B) 10 SEGUNDOS 33 - D
(C) MESMO TEMPO DA EXPOSIÇÃO
(D) METADE DO TEMPO DA EXPOSIÇÃO
(E) O TÉCNICO EM HIPÓTESE ALGUMA DEVERÁ SAIR DE TRÁS DO BIOMBO APÓS A EXPOSIÇÃO

32- O FILTRO DE ALUMÍNIO COLOCADO NO TUBO DE RAIOS X TEM COMO PRINCIPAL FINALIDADE :
(A) MELHORAR A IMAGEM
(B) REDUZIR A DOSE PELE NO PACIENTE
(C) SUBSTITUIR O ÓLEO ISOLANTE
(D) EVITAR RADIAÇÃO SECUNDÁRIA
(E) OBSTRUIR A JANELA DO TUBO PARA IMPEDIR A PASSAGEM DE TODO E QUALQUER TIPO DE
RADIAÇÃO

33- OBTÉM-SE UMA RADIOGRAFIA COM MAIOR DEFINIÇÃO , UTILIZANDO-SE ÉCRANS CUJOS
GRÃOS SEJAM:
(A) GROSSOS
(B) OPACOS
(C) MÉDIOS
(D) FINOS
(E) REDONDOS
GABARITO:

34 – D
34- A QUANTIDADE DE mAs QUE DEVEMOS USAR EM UMA RADIOGRAFIA FEITA COM 1 M DE
ALTURA, 400 mA E 0,25 s DE EXPOSIÇÃO, CASO DOBREMOS A ALTURA, É: 35 – A
(A) 50
(B) 75 36 - D
(C) 200
(D) 400
(E) 10

35- A POSIÇÃO EM QUE A GRADE ANTI-DIFUSORA DEVERÁ FICAR, EM RELAÇÃO AO FILME, É:


(A) PARALELA
(B) PERPENDICULAR
(C) OBLIQUADA INTERNAMENTE
(D) OBLIQUADA EXTERNAMENTE
(E) SEJA QUAL FOR A POSIÇÃO DA GRADE EM RELAÇÃO AO FILME ELA CUMPRIRÁ SEU OBJETIVO

36- O COMPONENTE QUÍMICO RESPONSÁVEL PELA CARACTERÍSTICA ALCALINA DO REVELADOR É:


(A) ÁCIDO ACÉTICO
(B) HIDROQUINONA
(C) HIPOSSULFITO DE SÓDIO
(D) CARBONATO DE SÓDIO
(E) TIOSSULFITO DE AMÔNIA
GABARITO:

37 – A
37- OS TAMPOS FLUTUANTES LOCALIZADOS DENTRO DOS RESERVATÓRIOS DOS QUÍMICOS,
EMPREGADOS PARA PROCESSAMENTO DOS FILMES, TEM A SEGUINTE FINALIDADE: 38 – B
(A) EVITAR CONTATO COM O AR
(B) DIMINUIR A ENTRADA DE LUZ 39 - E
(C) PERMITIR RÁPIDA REGENERAÇÃO
(D) PREVINIR TRANSBORDAMENTOS
(E) MANTER O LÍQUIDO SOB PRESSÃO

38- O TUNGSTATO DE CÁLCIO É UM ELEMENTO QUÍMICO EMPREGADO NA FABRICAÇÃO DO


SEGUINTE MATERIAL RADIOGRÁFICO:
(A) FILTRO ADICIONAL
(B) ECRAN REFORÇADOR
(C) GRADE ANTIDIFUSORA
(D) CHASSIS DE CARBONO
(E) FILME MONOEMULSIONADO

39- O INSTRUMENTO UTILIZADO PARA MEDIR ANGULAÇÕES NOS EXAMES RADIOGRÁFICOS É:


(A) ESPESSÔMETRO
(B) PENETRÔMETRO
(C) SENSITÔMETRO
(D) DENSITÔMETRO
(E) GONIÔMETRO
GABARITO:

40 – A
40- O COMPONENTE QUE TEM A FUNÇÃO DE DIMINUIR A DOSE DE RADIAÇÃO NA PELE É:
(A) FILTRO NA JANELA DO TUBO 41 – E
(B) BLOCO COLIMADOR
(C) ESTATOR DO ÂNODO 42 - A
(D) ECRAN REFORÇADOR
(E) GRADE ANTIDIFUSORA

41- O ATO DE ATRITAR O FILME, POR MANUSEIO INCORRETO, PODE ACARRETAR O SEGUINTE E
DANOSO EFEITO:
(A) CRIAR BOLHAS
(B) IMPRIMIR DIGITAIS
(C) DIMINUIR O VÉU DE BASE
(D) ALTERAR A DENSIDADE ÓPTICA
(E) PROVOCAR ELETRICIDADE ESTÁTICA

42- SÃO COMPONENTES QUÍMICOS DO FIXADOR:


(A) HIPOSSULFITO DE SÓDIO E ALÚMEN DE CROMO
(B) DIÓXIDO DE GADOLÍNEO E SULFETO DE ZINCO
(C) CARBONATO DE SÓDIO E SULFITO DE SÓDIO
(D) ÁCIDO ACÉTICO E BROMATO DE CÁLCIO
(E) METOL E HIDROQUINONA
GABARITO:

43 – C
43- DAS SITUAÇÕES ABAIXO, AQUELA QUE POSSIBILITA A AMPLIAÇÃO DA IMAGEM RADIOGRÁFICA
É: 44 – A
(A) MENOR DISTÂNCIA OBJETO-FILME
(B) MAIOR DISTÂNCIA FOCO-FILME 45 - C
(C) MAIOR DISTÂNCIA OBJETO-FILME
(D) MAIOR TEMPO DE EXPOSIÇÃO
(E) MENOR MILIAMPERAGEM

44- O "ECRAN" DE GRÃOS FINÍSSIMOS APRESENTA COMO CARACTERÍSTICA FORNECER:


(A) MAIOR DETALHE
(B) MAIOR RAPIDEZ
(C) MENOR DETALHE
(D) VELOCIDADE MÉDIA
(E) VELOCIDADE ULTRA-RÁPIDA

45- O "ECRAN" MÉDIO OU UNIVERSAL É CONSTITUÍDO PÔR GRÃOS:


(A) FINÍSSIMOS
(B) GROSSOS
(C) MÉDIOS
(D) MISTOS
(E) FINOS
GABARITO:

46 – B
46- O "ECRAN" DE ALTA VELOCIDADE INTENSIFICA 40% DA EXPOSIÇÃO, PERMITINDO UM DETALHE
RADIOGRÁFICO CARACTERIZADO COMO: 47 – D
(A) PÉSSIMO
(B) PEQUENO 48 - D
(C) REGULAR
(D) ÓTIMO
(E) BOM

47- 0 SACO ALUMINIZADO EXISTENTE NA CAIXA DE FILMES DE RX, TEM POR FINALIDADE:
(A) PROTEGER O FILME DURANTE O TRANSPORTE
(B) DAR MAIOR ADERÊNCIA DO FILME AO "ECRAN"
(C) PROTEGER A GELATINA DO FILME
(D) EVITAR A UMIDADE NO FILME
(E) EVITAR ARRANHÃO NO FILME

48- É ELEMENTO CONSTITUINTE DO ECRAN REFORÇADOR:


(A) NITRATO DE PRATA
(B) SULFITO DE SÓDIO
(C) NITRATO DE AMÔNIA
(D) TUNGSTATO DE CÁLCIO
(E) TUNGSTATO DE FÓSFORO
GABARITO:

49- O CONTROLE QUE SE DEVE TER QUANTO À EXPOSIÇÃO DE INDIVÍDUOS AO RAIOS X, 49 – A


PERIODICAMENTE, É DEVIDO À SEGUINTE PROPRIEDADE:
(A) SOMAÇÃO 50 – D
(B) ACELERAÇÃO
(C) DEGENERAÇÃO 51 - B
(D) MULTIPLICAÇÃO
(E) INVISIBILIDADE.

50- O ELEMENTO QUE NÃO FAZ PARTE DA AMPOLA DE RAIOS X É:


(A) CAPA FOCALIZADORA
(B) FILAMENTO
(C) ANODO
(D) AR
(E) ROTOR DO ANODO.

51- NA RADIOGRAFIA DE UMA EXTREMIDADE RECENTEMENTE GESSADA DEVE -SE ADOTAR A


SEGUINTE MEDIDA:
(A) DIMINUIR 4KV
(B) AUMENTAR 10KV
(C) DIVIDIR O mAS POR 2
(D) MULTIPLICAR O mAS POR 3
(E) APLICAR O REGIME USADO PARA A RADIOGRAFIA DA MESMA REGIÃO SEM GESSO.
GABARITO:

52 – A
52- UMA RADIOGRAFIA DO CRÂNIO EM PA FOI FEITA COM 100 mAs, 66 KV E DISTÂNCIA FOCO FILME
DE 100 cm. NESTA MESMA POSIÇÃO, USANDO-SE O CILINDRO DE EXTENSÃO DISTENDIDO 53 – D
PARA SE FAZER UM “SPOT-FILM”, DEVE-SE TOMAR A SEGUINTE PROVIDÊNCIA:
(A) AUMENTAR 7 KV 54 - C
(B) DIMINUIR 4 KV
(C) DOBRAR O mAS
(D) REDUZIR O mAS A METADE
(E) DOBRAR O Mas AUMENTAR 10 kV.

53- OS COMPONENTES DO REVELADOR, ALÉM DA ÁGUA, DO METOL E DA HIDROQUINONA, SÃO:


(A) ÁCIDO ACÉTICO, CARBONATO DE SÓDIO E ALÚMEN DE CROMO
(B) CARBONATO DE SÓDIO, BROMETO DE SÓDIO E ÁCIDO ACÉTICO
(C) ALÚMEN DE CROMO, BROMETO DE PRATA E SULFITO DE SÓDIO
(D) CARBONATO DE SÓDIO, BROMETO DE POTÁSSIO E SULFITO DE SÓDIO
(E) ALÚMEM DE CROMO, ÁCIDO ACÉTICO E SULFITO DE SÓDIO

54- OS COMPONENTES DO FIXADOR, ALÉM DO ALÚMEN DE CROMO E ÁGUA, SÃO:


(A) ÁCIDO ACÉTICO GLACIAL, SULFITO DE SÓDIO E HIDROQUINONA
(B) CARBONATO DE SÓDIO, HIPOSSULFITO DE SÓDIO E ÁCIDO ACÉTICO
(C) ÁCIDO ACÉTICO GLACIAL, HIPOSSULFITO DE SÓDIO E SULFITO DE SÓDIO
(D) HIPOSSULFITO DE SÓDIO, BROMETO DE POTÁSSIO E CARBONATO DE SÓDIO
(E) HIPOSSULFITO DE SÓDIO,SULFITO DE SÓDIO E METOL
GABARITO:

55 – A
55- O PONTO FOCAL:
(A) É A REGIÃO DO ANODO ONDE SE CHOCAM OS ELÉTRONS QUE VÊM DO CATODO 56 – E
(B) É A REGIÃO DO CATODO QUE EMITE OS ELÉTRONS
(C) É A ESPESSURA DO FEIXE DE ELÉTRONS A PARTIR DE SUA EMISSÃO NO ANODO 57 - A
(D) ESTÁ RELACIONADO COM O KV
(E) ESTÁ RELACIONADO COM Ma

56- A FUNÇÃO DO ANODO GIRATÓRIO É:


(A) CONCENTRAR O CALOR FORMADO NO ANÓDIO
(B) DIMINUIR O TEMPO DE EXPOSIÇÃO
(C) AUMENTAR A QUANTIDADE DE RAIOS X NA UNIDADE DO TEMPO
(D) AUMENTAR A PENETRAÇÃO DO FEIXE PRIMÁRIO
(E) DISSIPAR O CALOR ORIGINÁRIO DO CHOQUE DE ELÉTRONS QUE VÊM DO CATODO

57- A RADIAÇÃO PROVENIENTE DO CHOQUE DO FEIXE PRIMÁRIO COM O CORPO DO PACIENTE É


DENOMINADA:
(A) DE RADIAÇÃO SECUNDÁRIA
(B) DE EFEITO ANÓDICO
(C) DE EFEITO TERMO-IÔNICO
(D) RADIAÇÃO QUÂNTICA
(E) EFEITO FOTO-ELÉTRICO
GABARITO:

58 – B
58- O OBJETIVO DE GRADE POTTER BUCKY É:
(A) DIMINUIR O KV 59 – E
(B)FILTRAR A RADIAÇÃO SECUNDÁRIA IMPEDINDO QUE ALCANCE A PELÍCULA RADIOGRÁFICA
(C) DIMINUIR A DISTÂNCIA FOCO-FILME 60 - A
(D) AUMENTAR O TEMPO DE EXPOSIÇÃO
(E) REDUZIR O mAS

59- O EFEITO ANÓDIO PODE SER UTILIZADO NO EXAME:


(A) DOS OSSOS DO CARPO
(B) DO TORNOZELO
(C) DA BACIA
(D) DO JOELHO EM PERFIL
(E) DA COLUNA DORSAL

60- A SUBSTÂNCIA QUE É ENCONTRADA NO FIXADOR E NO REVELADOR É O:


(A) SULFITO DE SÓDIO
(B) ÁCIDO ACÉTICO
(C) BROMETO DE POTÁSSIO
(D) HIPOSSULFITO DE SÓDIO
(E) CARBONATO DE SÓDIO
GABARITO:

61 – B
61- A POTÊNCIA IDEAL PARA UMA LÂMPADA DE SEGURANÇA DE UMA CÂMARA ESCURA ESTÁ
COMPREENDIDA ENTRE: 62 – E
(A) 1,5 WATTS A 3 WATTS
(B) 6,5 WATTS A 10 WATTS 63 - C
(C) 15 WATTS A 20 WATTS
(D) 20 WATTS A 40 WATTS
(E) 40 WATTS A 60 WATTS

62- EM UM EXAME DE SEIOS MAXILARES UTILIZOU-SE A SEGUINTE TÉCNICA RADIOGRÁFICA: 70KV,


120 mAS E DISTÂNCIA FOCO-FILME DE 1 METRO. FOI NECESSÁRIO COMPLEMENTAR COM UMA
RADIOGRAFIA LOCALIZADA, USANDO-SE UM CONE DE EXTENSÃO. A MODIFICAÇÃO
NECESSÁRIA NA TÉCNICA ORIGINAL FOI:
(A) AUMENTAR A DISTÂNCIA
(B) DIMINUIR 7 KV
(C) AUMENTAR 10 KV
(D) DIMINUIR O mAS
(E) AUMENTAR O 7 KV

63- A TEMPERATURA AMBIENTAL IDEAL PARA UMA CÂMARA ESCURA ESTÁ COMPREENDIDA
ENTRE:
(A) 10ºC E 15ºC
(B) 13ºC E 17ºC
(C) 18ºC E 24ºC
(D) 25ºC E 27ºC
(E) 18ºC E 44ºC
GABARITO:

64 – D
64- EM UM PACIENTE COM UMA BOTA GESSADA RECENTE (ÚMIDA), A MODIFICAÇÃO DE TÉCNICA
RADIOGRÁFICA QUE SE DEVE UTILIZAR É: 65 – E
(A) AUMENTAR A DISTÂNCIA FOCO-FILME
(B) DIMINUIR O KV E O mA 66 - C
(C) AUMENTAR O TEMPO DE EXPOSIÇÃO
(D) AUMENTAR CERCA DE 12 KV
(E) AUMENTAR CERCA DE 25 KV

65- O RESULTADO DA DIFERENÇA NA INTENSIDADE DOS RAIOS X, SEGUNDO O ÂNGULO DE


EMISSÃO, DESDE O PONTO FOCAL, É DEFINIDO COMO:
(A) EFEITO FOTO-ELÉTRICO
(B) EFEITO COMPTON
(C) RADIAÇÃO MOLE
(D) FEIXE PRIMÁRIO
(E) EFEITO ANÓDIO

66 – EM RADIOLOGIA, SEGUNDO O BONTRAGER, DENSIDADE É DEFINIDA COMO:


(A) GRAU DE CLAREAMENTO DA RADIOGRAFIA CONCLUÍDA
(B) GRAU DE NITIDEZ DAS ESTRUTURAS NA RADIOGRAFIA
(C) GRAU DE ENEGRECIMENTO DA RADIOGRAFIA CONCLUÍDA
(D) GRAU DE BORRAMENTO DAS ESTRUTURAS NA RADIOGRAFIA
(E) GRAU DE SENSIBILIDADE ÓPTICA DAS ESTRUTURAS NÃO RADIOGRAFADAS
GABARITO:

67 – B
67- PARA PROTEÇÃO RADIOLÓGICA DO TÉCNICO, AS PRINCIPAIS MEDIDAS QUE SEMPRE DEVEM
SER TOMADAS SÃO:
(A) FILTRAÇÃO CORRETA, COLIMAÇÃO, USO DE DOSÍMETRO, AVENTAL E LUVAS DE PROTEÇÃO,
ECRANS DE ALTA VELOCIDADE, TÉCNICAS DE MENOR KV E LIMITAR AO MÁXIMO POSSÍVEL
SUA EXPOSIÇÃO E MÍNIMA REPETIÇÃO DE EXAMES;
(B) LIMITAR AO MÍNIMO A SUA EXPOSIÇÃO, USAR DOSÍMETRO, NUNCA FICAR NA FRENTE DO FEIXE
PRIMÁRIO OU ÚTIL NO CASO DE CONTENÇÃO DO PACIENTE, SEMPRE USAR LUVAS E
AVENTAIS DE CHUMBO, FILTRAÇÃO CORRETA, TÉCNICAS DE MAIOR KV E ECRANS DE ALTA
VELOCIDADE E MÍNIMA REPETIÇÃO DE EXAMES;
(C) FILTRAÇÃO CORRETA, COLIMAÇÃO, USO DE DOSÍMETRO, AVENTAL E LUVAS DE PROTEÇÃO,
ECRANS DE BAIXA VELOCIDADE, TÉCNICAS DE MAIOR KV E LIMITAR AO MÁXIMO POSSÍVEL
SUA EXPOSIÇÃO E MÍNIMA REPETIÇÃO DE EXAMES;
(D) LIMITAR AO MÍNIMO A SUA EXPOSIÇÃO, USAR DOSÍMETRO, NUNCA FICAR NA FRENTE DO FEIXE
PRIMÁRIO OU ÚTIL NO CASO DE CONTENÇÃO DO PACIENTE, SEMPRE USAR LUVAS E
AVENTAIS DE CHUMBO, FILTRAÇÃO CORRETA, TÉCNICAS DE MENOR KV E ECRANS DE ALTA
VELOCIDADE E MÍNIMA REPETIÇÃO DE EXAMES;
(E) FILTRAÇÃO CORRETA, COLIMAÇÃO, USO DE DOSÍMETRO, AVENTAL E LUVAS DE PROTEÇÃO,
ECRANS DE BAIXA VELOCIDADE, TÉCNICAS DE MENOR KV, E LIMITAR AO MÁXIMO POSSÍVEL A
SUA EXPOSIÇÃO E MÍNIMA REPETIÇÃO DE EXAMES.
GABARITO:

68 – D
68- OS COMPONENTES DO FILME RADIOGRÁFICO SÃO:
(A) UMA SUSPENSÃO FIXADA NUMA BASE PLÁSTICA QUE CONTÉM, EM EMULSÃO, CRISTAIS69
DE– D
PRATA EM MATERIAL GELATINOSO;
(B) UMA SUSPENSÃO FIXADA NUMA BASE SÓLIDA QUE CONTÉM, EM EMULSÃO, CRISTAIS DE
CLORETO DE PRATA EM MATERIAL GELATINOSO;
(C) UMA EMULSÃO FIXADA NUMA BASE PLÁSTICA QUE CONTÉM, EM SUSPENSÃO, CRISTAIS DE
CLORETO DE PRATA EM MATERIAL GELATINOSO;
(D) UMA EMULSÃO FIXADA NUMA BASE DE PLÁSTICO QUE CONTÉM, EM SUSPENSÃO, CRISTAIS DE
BROMETO DE PRATA EM MATERIAL GELATINOSO;
(E) UMA EMULSÃO FIXADA NUMA BASE SÓLIDA COMPOSTA DE PEQUENOS GRÃOS DE PRATA
METÁLICA QUE CONTÉM, EM SUSPENSÃO, UM MATERIAL GELATINOSO.

69- A FUNÇÃO DA GRADE COLOCADA ENTRE O FILME E O PACIENTE É:


(A) EVITAR QUE OS RAIOS X INCIDAM NA TELA FLUORESCENTE EMITINDO LUZ VERDE;
(B) EVITAR QUE OS RAIOS X INCIDAM NO FILME COM CLORETO DE PRATA EMITINDO LUZ VERDE
INDESEJADA;
(C) IMPEDIR A RADIAÇÃO ESPALHADA PELO FILME E QUE CHEGA AO PACIENTE CAUSANDO PERDA
DE CONTRASTE;
(D) REDUZIR A RADIAÇÃO ESPALHADA PELO PACIENTE E QUE CHEGA AO FILME CAUSANDO PERDA
DE CONTRASTE;
(E) REDUZIR A RADIAÇÃO ESPALHADA PELO PACIENTE E QUE CHEGA AO FILME CAUSANDO PERDA
DA DENSIDADE.
GABARITO:

70 – C
70- SÃO ESTRUTURAS ENCONTRADAS NO NÚCLEO ATÔMICO:
(A) PRÓTONS E ELÉTRONS 71 – C
(B) NEUTRONS E ELÉTRONS
(C) PRÓTONS E NEUTRONS 72 - C
(D) ELÉTRONS E PÓSITRONS
(E) SOMENTE ELÉTRONS

71- UM ÁTOMO ESTÁVEL TEM:


(A) O NÚMERO DE PRÓTONS MAIOR QUE O NÚMERO DE ELÉTRONS
(B) O NÚMERO DE PRÓTONS O DOBRO DO NÚMERO DE ELÉTRONS
(C) O NÚMERO DE PRÓTONS IGUAL AO NÚMERO DE ELÉTRONS
(D) O NÚMERO DE PRÓTONS MENOR QUE O NÚMERO DE ELÉTRONS
(E) O NÚMERO DE PRÓTONS DUAS VEZES MAIOR QUE O NÚMERO DE ELÉTRONS

72- NÚMERO ATÔMICO É:


(A) O NÚMERO DE ELÉTRONS DO ÁTOMO
(B) O NÚMERO DE NEUTRONS DO ÁTOMO
(C) O NÚMERO DE PRÓTONS DO ÁTOMO
(D) A SOMA DO NÚMERO DE PRÓTONS COM O NÚMERO DE NEUTRONS
(E) A SOMA DO NÚMERO DE PRÓTONS COM O NÚMERO DE ELÉTRONS
GABARITO:

73 – C
73- NÚMERO DA MASSA ATÔMICA É:
(A) A SOMA DO NÚMERO DE ELÉTRONS COM O NÚMERO DE NEUTRONS 74 – C
(B) A SOMA DO NÚMERO DE ELÉTRONS COM O NÚMERO DE PRÓTONS
(C) A SOMA DO NÚMERO DE PRÓTONS COM O NÚMERO DE NEUTRONS 75 - B
(D) O NÚMERO DE NEUTRONS DO ÁTOMO
(E) O NÚMERO DE ELÉTRONS DO ÁTOMO

74- QUANDO RETIRAMOS ELÉTRONS DO ÁTOMO PRODUZIMOS:


(A) CALOR
+
(B) RADIAÇÃO CORPUSCULAR BETA MAIS (B )
(C) ÍONS
(D) EQUILÍBRIO ATÔMICO
(E) ULTRASOM

75- QUAL A CARGA ELÉTRICA DO NÚCLEO ATÔMICO?


(A) NEGATIVA
(B) POSITIVA
(C) NULA
(D) ORA POSITIVA, ORA NEGATIVA
(E) ORA NULA, ORA NEGATIVA
GABARITO:

76 – C
76- UM BOM CONDUTOR DE ELETRICIDADE TEM:
(A) NENHUMA RESISTIVIDADE 77 – B
(B) MUITA RESISTIVIDADE
(C) POUCA RESISTIVIDADE 78 - D
(D) IMPEDE TOTALMENTE A PASSAGEM DA CORRENTE ELÉTRICA
(E) ALTERNÂNCIA ENTRE NENHUMA E TOTAL RESISTIVIDADE
.
77- A UNIDADE DE MEDIDA DA TENSÃO ELÉTRICA É:
(A) AMPÉRE
(B) VOLT
(C) OHM
(D) METRO
(E) ROENTGEN

78- O ELEMENTO INDISPENSÁVEL A UM APARELHO DE RAIOS X, QUE TEM POR FINALIDADE


TRANSFORMAR A CORRENTE ALTERNADA EM CONTÍNUA, CHAMA-SE:
(A) CATODO
(B) CAPA ENFOCADORA
(C) TRANSFORMADOR
(D) RETIFICADOR
(E) ANODO
GABARITO:

79 – D
79- A MILIAMPERAGEM É MEDIDA ATRAVÉS DO:
(A) KILOVOLTÍMETRO 80 – C
(B) AMPERÍMETRO
(C) VOLTÍMETRO 81 - B
(D) MILIAMPERÍMETRO
(E) TIMER

80- A MELHOR CORRENTE ELÉTRICA PARA UTILIZAÇÃO NA PRODUÇÃO DE RAIOS X, APÓS


RETIFICADA É:
(A) MONOFÁSICA
(B) BIFÁSICA
(C) TRIFÁSICA
(D) HEPTAFÁSICA
(E) OCTAFÁSICA

81- QUAL É A FONTE DE RADIAÇÃO SECUNDÁRIA MAIS IMPORTANTE EM UM EXAME


RADIOLÓGICO?
(A)TUBO DE RAIOS - X
(B) PACIENTE
(C) COLIMADOR
(D) AVENTAL DE CHUMBO
(E) OPERADOR DE RAIOS - X
GABARITO:

82 – D
82- OS FATORES DE QUALIDADE DA IMAGEM SÃO:
(A) POSIÇÃO, CONTRASTE, PROJEÇÃO E DISTORÇÃO 83 – A
(B) POSIÇÃO, DENSIDADE, CONTRASTE E DETALHE
(C) PROJEÇÃO, DETALHE, CONTRASTE E DISTORÇÃO 84 - A
(D) DENSIDADE, CONTRASTE, DETALHE E DISTORÇÃO
(E) DENSIDADE, PROJEÇÃO, POSIÇÃO E DISTORÇÃO

83- O FATOR DE CONTROLE PRIMÁRIO PARA CONTRASTE É O KV. PARA RESULTAR MENOR
CONTRASTE, É NECESSÁRIO:
(A) MAIOR KV, QUE PRODUZ MENOR VARIAÇÃO NA ATENUAÇÃO
(B) MENOR KV, QUE PRODUZ MENOR VARIAÇÃO NA ATENUAÇÃO
(C) MAIOR KV, QUE PRODUZ IGUAL VARIAÇÃO NA ATENUAÇÃO
(D) MENOR KV, QUE PRODUZ IGUAL VARIAÇÃO NA ATENUAÇÃO
(E) MENOR KV, NÃO IRÁ INTERFERIR NA ATENUAÇÃO

84- O APARELHO A SER UTILIZADO POR UM RADIOLOGISTA QUE NECESSITE OBTER


RADIOGRAFIAS EM SÉRIE, FAZENDO USO DO ÉCRAN FLUOROSCÓPIO É:
(A) SERIÓGRAFO
(B) MAMÓGRAFO
(C) TELECOMANDADA
(D) ULTRA-SONOGRAFIA
(E) RESSONÂNCIA MAGNÉTICA
GABARITO:

85 – B
85 - RELACIONA-SE AOS ECRANS TERRAS RARAS:
(A) FILTRO AMBAR 86 – A
(B) SAIS DE GADOLÍNIUM
(C) FILTRO DE ALUMÍNIO 87 - A
(D) LUMINOSIDADE AZUL
(E) SAIS DE TUNGSTATO DE CÁLCIO

86 – O mAs (MILIAMPÈRE-SEGUNDO) PODE SER OBTIDO POR MEIO DA SEGUINTE EQUAÇÃO:


(A) mAs = mA x t
(B) mAs = mA x 2t
(C) mAs = 2mA x 2t
(D) mAs =2mA x t
(E) mAs = 2mA x 3t

87- A RADIAÇÃO SECUNDÁRIA PODE SER REDUZIDA COM A UTILIZAÇÃO DE:


(A) COLIMADORES E CILINDROS DE EXTENSÃO
(B) CONES E AVENTAIS PLUMBÍFEROS
(C) LUVAS PLUMBÍFERAS
(D) REFRIGERAÇÃO DA SALA DE EXAMES
(E) DOSÍMETRO
GABARITO:

88 – B
88- UM ESTUDO RADIOGRÁFICO DO ABDOME FOI OBTIDO COM 100 mAS, 72 KV E DISTÂNCIA FOCO-
FILME DE 1 METRO. MANTIDA A DISTÂNCIA FOCO-FILME, PODERÍAMOS OBTER 89 – D
PROVAVELMENTE O MESMO RESULTADO DA IMAGEM UTILIZANDO:
(A) 300 mAS COM 72 KV 90 - B
(B) 200 mAS COM 62 KV
(C) 50 mAS COM 76 KV
(D) 25 mAS COM 82 KV
(E) 10 mAS COM 115 kV

89- EM UM PACIENTE CUJA REGIÃO A SER EXAMINADA TEM COMO ESPESSURA 12 cm E A


CONSTANTE (K) DO APARELHO É IGUAL A 20, O KV FINAL SERÁ:
(A) 8 KV
(B) 24 KV
(C) 32 KV
(D) 44 KV
(E) 62 KV

90- O PRINCIPAL RESPONSÁVEL PELO CONTRASTE INTERMEDIÁRIO ENTRE O PRETO E O BRANCO


NAS IMAGENS É:
(A) mA
(B) KV
(C) TEMPO
(D) DISTÂNCIA
(E) ESPESSURA
GABARITO:

91 – E
91- NÃO É SUBSTÂNCIA INTEGRANTE DO REVELADOR RADIOGRÁFICO:
(A) METOL 92 – A
(B) HIDROQUINONA
(C) CARBONATO DE SÓDIO 93 - A
(D) SULFITO DE SÓDIO
(E) HIPOSSULFITO DE SÓDIO

92- ASSINALE A AFIRMATIVA INCORRETA


(A) OS FATORES RADIOGRÁFICOS BÁSICOS SÃO: mA, kV, ESPESSURA, DISTÂNCIA OBJETO-FILME E
FILTRO DE ALUMINIO DA JANELA DO TUBO.
(B) QUANTO MAIOR A DISTÂNCIA FOCO-OBJETO, MENOR A DEFINIÇÃO DA IMAGEM RADIOLÓGICA
(C) QUANTO MENOR O VALOR NUMÉRICO DA QUILOVOLTAGEM, MAIOR O COMPRIMENTO DE ONDA
(D) PARA O CÁLCULO DA QUILOVOLTAGEM USA-SE A FÓRMULA kV = 2E+K
(E) O KV É RESPONSÁVEL PELOS CONTRASTES INTERMEDIÁRIOS

93- ASSINALE A AFIRMATIVA CORRETA:


(A) ELEVAÇÃO DA TEMPERATURAACELERA O PROCESSO DE REVELAÇÃO
(B) REDUÇÃO DE TEMPERATURA ACELERA A FIXAÇÃO
(C) ELEVAÇÃO DE TEMPERATURA RETARDA A REVELAÇÃO
(D) REDUÇÃO DE TEMPERATURA REDUZ O TEMPO DE FIXAÇÃO
(E) REVELAÇÃO E FIXAÇÃO NÃO SOFREM ALTERAÇÕES COM A VARIAÇÃO DE TEMPERATURA
GABARITO:

94 – A
94- A BASE DO MEIO DE CONTRASTE ARTIFICIAL NEGATIVO É:
(A) CO2 95 – C
(B) BÁRIO
(C) IODO 96 - A
(D) COBALTO
(E) CHUMBO

95- O FILTRO USADO NA JANELA DO TUBO DE UM APARELHO DE RAIOS X DIAGNÓSTICO TEM POR
FINALIDADE:
(A) REDUZIR O CONTRASTE NA RADIOGRAFIA
(B) REDUZIR A RADIAÇÃO DISPERSA
(C) REDUZIR A DOSE NA PELE
(D) AUMENTAR O FEIXE DE RAIOS-X
(E) AUMENTAR O CONTRASTE NA RADIOGRAFIA

96- TRANSFORMADORES SÃO NECESSÁRIOS NOS CIRCUITOS DE RAIOS-X PARA OBTERMOS:


(A) ALTA VOLTAGEM
(B) CORRENTE ALTERNADA
(C) CORRENTE DIRETA
(D) BAIXA IMPEDÂNCIA
(E) VOLTAGEM CONTÍNUA
GABARITO:
97- QUANDO SE ANGULA 45º O RAIO CENTRAL,TRABALHANDO-SE COM A GRADE ANTI-DIFUSORA,
97 – B
COMPENSA-SE COM:
(A) MAIS 4KV
98 – A
(B) O DOBRO DO mAS
(C) MENOS 6KV
(D) METADE DO mAS
(E) MAIS 5 KV

98 – COM RELAÇÃO A QUALIDADE DE IMAGEM PODE –SE AFIRMAR QUE


(A) RADIAÇÃO ESPALHADA É O RESULTADO DA REFLEXÃO OU REFRAÇÃO DA RADIAÇÃO PRIMÁRIA
(B) RADIOGRAFIA “FLOU” É AQUELA CAUSADA POR BAIXO KV
(C) RADIOGRAFIA GRADEADA, NORMALMENTE, É CAUSADA POR MAU CONTATO DO ECRAN OU
MOVIMENTO DO PACIENTE NO MOMENTO DA EXPOSIÇÃO.
(D) RADIOGRAFIA TREMIDA OCORRE QUANDO A GRADE ANTIDIFUSORA FIXA SE MOVIMENTA
DURANTE A EXPOSIÇÃO
(E) RADIAÇÃO PRIMÁRIA É A QUE SAI DIRETAMENTE DO CATÓDIO, SEM CHOCAR -SE COM NENHUM
ANTEPARO
GABARITO:

99 – D
99 – ASSINALE A ALTERNATIVA QUE NÃO SE ENQUADRA DENTRE AS MEDIDAS DE
RADIOPROTEÇÃO. 100 – B
(A) MANTER MAIOR DISTÂNCIA DA FONTE IONIZANTE
(B) PERMANECER ATRÁS DO BIOMBO PLUMBÍFERO 101 - D
(C) USAR CONES E CILINDROS
(D) ABERTURA MÁXIMA DO DIAFRAGMA
(E) USAR A TÉCNICA CORRETA, EVITANDO REPETIÇÕES.

100- O SULFATO DE BÁRIO:


(A) É USADO COMO CONTRASTE ENDOVENOSO
(B) É UM CONTRASTE RADIOLÓGICO ARTIFICIAL POSITIVO
(C) É UM CONTRASTE RADIOLÓGICO ARTIFICIAL NEGATIVO
(D) É UM CONTRASTE RADIOLÓGICO NATURAL NEGATIVO
(E) É UM MEIO DE CONTRASTE PARA USO EXCLUSIVO ENDOARTERIAL

101- NA QUALIDADE RADIOGRÁFICA O CONTRASTE É CONTROLADO PELO(A):


(A) mA
(B) TEMPO
(C) DFo - Fi (DISTÂNCIA FOCO-FILME)
(D) KV
(E) DOF (DISTÂNCIA OBJETO-FILME)
GABARITO:

102 – D
102- QUANTO MAIOR A DISTÂNCIA OBJETO-FILME:
(A) A IMAGEM SERÁ MAIOR E MAIS NÍTIDA 103 – B
(B) A IMAGEM SERÁ MENOR E MENOS NÍTIDA
(C) A IMAGEM NÃO SOFRERÁ ALTERAÇÃO
(D) A BORROSIDADE GEOMÉTRICA SERÁ MAIOR
(E) A IMAGEM SERÁ DO MESMO TAMANHO, PORÉM MENOS NÍTIDA

103- AO SE RADIOGRAFAR ESTRUTURAS QUE APRESENTAM REGIÕES DE DIFERENTE ESPESSURA,


A DE MENOR ESPESSURA DEVER-SE-Á COLOCAR:
(A) DO LADO DO CÁTODO DO TUBO DE R-X
(B) DO LADO DO ANODO DO TUBO DE R-X
(C) INDIFERENTEMENTE DE UM LADO OU DE OUTRO
(D) PERPENDICULAR AO FEIXE DE RAIOS X
(E) MAIS DISTANTE DO TUBO DE RAIOS X
GABARITO:

104 – B
104- O EFEITO ANÓDIO É:
(A) DIRETAMENTE PROPORCIONAL A DFF E INVERSAMENTE PROPORCIONAL AO TAMANHO 105
DO – D
FILME
(B) INVERSAMENTE PROPORCIONAL A DFF E DIRETAMENTE PROPORCIONAL AO TAMANHO DO
FILME
(C) DIRETAMENTE PROPORCIONAL A DFF E DIRETAMENTE PROPORCIONAL AO TAMANHO DO
FILME
(D) INVERSAMENTE PROPORCIONAL A DFF E INVERSAMENTE PROPORCIONAL AO TAMANHO DO
FILME
(E) DIRETAMENTE PROPORCIONAL A DOF E INVERSAMENTE PROPORCIONAL AO TEMPO DE
EXPOSIÇÃO

105- QUAL O AUMENTO MÍNIMO SE DEVE FAZER NA KILOVOLTAGEM PARA SE OBTER UM


RESULTADO APRECIÁVEL NA DENSIDADE?
(A) 3KV
(B) 2KV
(C) 1KV
(D) 5KV
(E) 8KV
GABARITO:

106 – C
106- O mAs NECESSÁRIO PARA UMA DETERMINADA DENSIDADE, MANTIDOS OS DEMAIS FATORES
É: 107 – A
(A) DIRETAMENTE PROPORCIONAL A DISTÂNCIA FOCO-FILME
(B) INVERSAMENTE PROPORCIONAL A DFF 108 - C
(C) DIRETAMENTE PROPORCIONAL AO QUADRADO DA DFF
(D) INVERSAMENTE PROPORCIONAL AO TEMPO DE EXPOSIÇÃO
(E) DIRETAMENTE PROPORCIONAL AO TEMPO DE EXPOSIÇÃO

107- AO SE REDUZIR O FEIXE DE RAIOS X ATRAVÉS DE CILINDROS E DIAFRAGMAS, DEVE-SE:


(A) AUMENTAR O KV OU mAs PARA COMPENSAR A RESTRIÇÃO A RADIAÇÃO PRIMÁRIA E
SECUNDÁRIA
(B) DIMINUIR O KV A AUMENTAR O mAs
(C) DIMINUIR O KV OU O mAS PARA COMPENSAR O AUMENTO NA RADIAÇÃO EFETIVA
(D) MANTER O KV E AUMENTAR O mAs
(E) AUMENTAR O TEMPO DE EXPOSIÇÃO

108- NA RADIOGRAFIA DE ALTO CONTRASTE DEVE-SE USAR:


(A) BAIXA MILIAMPERAGEM E ALTA KILOVOLTAGEM
(B) ALTA MILIAMPERAGEM E GRANDE DFF
(C) ALTA MILIAMPERAGEM E BAIXA KILOVOLTAGEM
(D) TEMPO DE EXPOSIÇÃO LONGO
(E) MAIOR DISTÂNCIA OBJETO-FILME
GABARITO:

109 – A
109-QUANDO OBSERVAMOS QUE NUM FILME RADIOGRÁFICO AS PARTES MAIS ESPESSAS NÃO
SÃO ATRAVESSADAS PELOS RAIOS-X E AS ESTRUTURAS DELICADAS PERDEM A NITIDEZ
110 – B
PODEMOS DIZER QUE HÁ:
(A) FALTA DE KV 111 - E
(B) EXCESSO DE mAS
(C) REVELADOR VELHO
(D) FIXADOR SATURADO
(E) FALTA DE mAS

110- O PROCESSO DE ABSORÇÃO FOTOELÉTRICA ENVOLVE:


(A) ELÉTRONS DAS CAMADAS MAIS EXTERNAS
(B) ELÉTRONS DAS CAMADAS MAIS INTERNAS
(C) ELÉTRONS DE TODAS AS CAMADAS
(D) FÓTONS DE ALTA ENERGIA
(E) FÓTONS DE QUALQUER ENERGIA

111- QUAL O FATOR QUE NÃO AFETA A TRANSMISSÃO DE RAIOS X ATRAVÉS DO TECIDO?
(A) A ENERGIA DOS RAIOS X
(B) A DENSIDADE DO TECIDO
(C) O NÚMERO ATÔMICO AFETIVO DO TECIDO
(D) A ESPESSURA DO TECIDO
(E) A ÁREA DE TECIDO
GABARITO:

112 – E
112- O QUE PRODUZ RAIOS X DE MAIOR ENERGIA?
(A) 60KVp, POUCA FILTRAÇÃO, RETIFICAÇÃO TRIFÁSICA 113 – E
(B) 70KVp, POUCA FILTRAÇÃO, RETIFICAÇÃO DE MEIA ONDA
(C) 60KVp, MUITA FILTRAÇÃO, POTENCIAL CONSTANTE 114 - B
(D) 75KVp, NENHUMA FILTRAÇÃO, RETIFICAÇÃO DE ONDA COMPLETA
(E) 70KVp, NENHUMA FILTRAÇÃO, RETIFICAÇÃO TRIFÁSICA

113- O QUE NÃO É IMPORTANTE NA PRODUÇÃO INSTANTÂNEA DE CALOR NUM TUBO DE RAIOS X?
(A) MASSA DO ALVO
(B) TAMANHO DA ÁREA FOCAL
(C) MATERIAL DO ALVO
(D) DIÂMETRO DO ALVO
(E) ÂNGULO DO ALVO

114- O QUE SEMPRE SERÁ A MAIOR FONTE DE FALTA DE NITIDEZ NUMA RADIOGRAFIA?
(A) UMA ÁREA FOCAL DE 1 mm
(B) O PACIENTE SE DESLOCANDO 1 mm
(C) O TUBO SE DESLOCANDO 1 mm
(D) O FILME SE DESLOCANDO 1 mm
(E) QUALQUER UMA DAS ANTERIORES
GABARITO:

115 – C
115- APROXIMADAMENTE, A PORCENTAGEM DE ENERGIA DOS ELÉTRONS QUE É CONVERTIDA EM
CALOR NUM TUBO DE RAIOS X OPERANDO COM 100KVp E ALVO DE TUNGSTÊNIO (Z=74)116
- É:– D
(A) 98%
(B) 98,5% 117 - B
(C) 99%
(D) 99,5%
(E) 99,9%

116- QUAL DOS FATORES ABAIXO RELACIONADOS NÃO AFETA O TAMANHO DA PENUMBRA
GEOMÉTRICA PRODUZIDA POR UMA MÁQUINA DE RAIOS X NA PELE DE UM PACIENTE?
(A) TAMANHO DO FOCO
(B) DISTÂNCIA FOCO PELE
(C) DISTÂNCIA OBJETO-FILME
(D) TAMANHO DO CAMPO
(E) INCLINAÇÃO DA SUPERFÍCIE DO ANODO

117- A DOSE MÁXIMA ANUAL PERMITIDA PARA O TRABALHO COM RADIAÇÕES IONIZANTES É:
(A) 100 mR
(B) 5000 mR
(C) 75.000 mR
(D) 7,5 R.
(E) 7,0 R.
GABARITO:

118 – C
118- UM TRABALHADOR COM RADIAÇÕES IONIZANTES RECEBEU UMA DOSE TOTAL ACUMULADA
DE 30 Rem DOS 18 AOS 25 ANOS. NO PRÓXIMO ANO, O MÁXIMO DE RADIAÇÕES QUE ESTE
119 – D
TRABALHADOR PODERÁ RECEBER SERÁ:
(A) 1 Rem 120 - B
(B) 5 Rem
(C) 10 Rem
(D) 12 Rem
(E) 40 Rem

119- A IRRADIAÇÃO DE GÔNADAS PODE PRODUZIR MUDANÇAS HEREDITÁRIAS AS QUAIS PODEM


CAUSAR AINDA:
(A) ESTERILIDADE
(B) CÂNCER
(C) MENOPAUSA PRECOCE
(D) ANORMALIDADE NAS GERAÇÕES FUTURAS
(E) ENCURTAMENTO DA VIDA

120 – A CAUSA MAIS ACEITÁVEL PARA UMA RADIOGRAFIA GRADEADA É:


(A) MAU CONTATO DO ECRAN INTENSIFICADOR
(B) POTTER BUCKY NÃO SE MOVIMENTA NA HORA DA EXPOSIÇÃO
(C) MODIFICAÇÃO NO ESPECTRO DOS RAIOS X ALTERANDO A FILTRAÇÃO DO FEIXE
(D) ALTA TEMPERATURA NO TRANSFORMADOR DE FILAMENTO
(E) FALTA DO FILTRO DE ALUMINIO
GABARITO:

121 – C
121- A DOSE MÁXIMA PERMITIDA ANUALMENTE PARA A POPULAÇÃO É:
(A) 0,1 R 122 – A
(B) 0,3 R
(C) 0,5 R 123 - E
(D) 5 R
(E) 0,05 R

122- A QUANTIDADE DE RADIAÇÃO RECEBIDA POR


UM PACIENTE DURANTE UMA RADIOGRAFIA É AFETADA POR:
(A) TAMANHO DO CAMPO
(B) GRADE
(C) TAMANHO DO FOCO
(D) FILTRO DE ALUMÍNIO
(E) KILOVOLTAGEM

123 – ASSINALE A ALTERNATIVA QUE APRESENTA OS ELEMENTOS EM ORDEM CRESCENTE DE


DENSIDADE.
(A) AR, OSSO, GORDURA E ÁGUA
(B) OSSO, ÁGUA, GORDURA E AR
(C) OSSO, GORDURA, AR E ÁGUA
(D) ÁGUA, GORDURA, AR E OSSO
(E) AR, GORDURA, ÁGUA E OSSO
GABARITO:

124 – B
124 – A DISTÂNCIA FoFi(FOCO-FILME) PARA INCIDÊNCIA LATERAL DA COLUNA CERVICAL É DE,
APROXIMADAMENTE: 125 – E
(A) 50 cm A 100 cm
(B) 152 cm A 183 cm 126 - C
(C) 202 cm A 252 cm)
(D) 301 cm A 311 cm

125-UM APARELHO DE RAIOS-X OPERANDO ENTRE 50 E 70 KVp, DEVE TER COMO FILTRO:
(A) 0,5 mm DE Al
(B) 1,5 mm DE Al
(C) 2,5 mm DE Al
(D) 3,0 mm DE Al
(E) 2,0 mm DE Al

126-A DOSE MÁXIMA PERMISSÍVEL ANUALMENTE PARA QUEM MANIPULA FONTES RADIOATIVAS É:
(A) 1 REM
(B) 7,5 REM
(C) 5 REM
(D) 2,5 REM
(E) 10 REM
GABARITO:

127 – D
127- OS ÉCRANS REFORÇADORES QUE TEM A SUA COMPOSIÇÃO SALINA CARACTERIZADA POR
GRÃOS PEQUENOS, INDICAM: 128 – C
(A) MAIOR LUMINOSIDADE
(B) MAIOR LUMINOSIDADE E MENOR DETALHE 129 - B
(C) MENOR LUMINOSIDADE
(D) MENOR LUMINOSIDADE E MAIOR DETALHE
(E) O TAMNHO DOS CRISTAIS NÃO INTERFERE NO DETALHE NEM NA LUMINOSODADE DOS ECRANS

128- O FILME UTILIZADO EM ABREUGRAFIA SOFRE EMULSIONAMENTO DE SAIS EM:


(A) DOIS LADOS
(B) TRÊS LADOS
(C) UM LADO
(D) NÃO É EMULSIONADO
(E) A ABREUGRAFIA ERA UM SISTEMA QUE NÃO USAVA FILME

129- A MAIOR ENERGIA DA RADIAÇÃO X OBSERVADO NO EFEITO ANÓDIO É:


(A) DO LADO DO ANÓDIO
(B) AO NÍVEL DO RAIO CENTRAL
(C) DO LADO DO CATÓDIO
(D) QUANDO USAMOS ECRANS SENSÍVEIS
(E) QUANDO RADIOGRAFAMOS ESTRUTURAS DE ESPESSURA UNIFORME
GABARITO:

130 – D
130- OS RAIOS X SÃO:
(A) RAIOS DE MASSA 131 – C
(B) ENERGIA COM COMPRIMENTO DE ONDA MAIOR QUE A LUZ
(C) ENERGIA ELETROMAGNÉTICA 132 - B
(D) ENERGIA ELETROMAGNÉTICA DE PEQUENO COMPRIMENTO DE ONDA
(E) EMISSÃO CORPUSCULAR COM CARGA ELÉTRICA POSITIVA

131- O QUE NOS PROPORCIONARIA UM EXAME RADIOGRÁFICO COM MAIS DETALHE:


(A) FOCO FINO, ÉCRAN DE GRÃOS GROSSOS
(B) FOCO GROSSO, ÉCRAN DE GRÃOS GROSSOS
(C) FOCO FINO, ÉCRAN DE GRÃOS FINOS
(D) FOCO GROSSO, ÉCRAN DE GRÃOS FINOS
(E) FOCO GROSSO, ECRAN DE GRÃOS GROSSOS E ANODO COM A MAIOR ANGULAÇÃO POSSÍVEL

132- ATUALMENTE O MATERIAL USADO NA BASE DOS FILMES RADIOGRÁFICOS É:


(A) ACETADO
(B) POLIESTER
(C) MADEIRA
(D) VIDRO
(E) SULFATO DE BÁRIO
GABARITO:

133 – D
133 – OS FATORES RADIOGRÁFICOS QUE SE EQUIVALEM AO ORIGINAL 500 mA, 50 KV, 0.5 s COM
DFF DE 1 m SÃO: 134 – E
(A) DFF 0.80 m – 40 KV – 250 mA – 1 s
(B) DFF 0.65 m – 50 KV – 500 mA – 0.3 s 135 - C
(C) DFF 0.90 m – 40 KV – 1000 mA – 0.25 s
(D) DFF 0.75 m – 50 KV – 1000 mA – 0.125 s
(E) DFF 0.90 m – 50 KV - 1000 Ma - 1,25 s

134- QUAL O PERCENTUAL APROXIMADO DE ENERGIA QUE OBTEMOS NO PROCESSO DE


FORMAÇÃO DA RADIAÇÃO X:
(A) 1% DE RAIOS X E 90% DE CALOR
(B) 1% DE RAIOS X E 0,2% DE CALOR
(C) 0,2% DE CALOR E 98,8% DE RAIOS X
(D) 98,8% DE CALOR E 0,2% DE RAIOS X
(E) 99% DE CALOR E 1% DE RAIOS X

135- COMO PODEM SER DIVIDIDOS OS TUBOS DE RAIOS X QUANTO AO TIPO DE ANÓDIO?
(A) FIXO E OSCILANTE
(B) REDONDOS E RETANGULARES
(C) FIXO E GIRATÓRIO
(D) REDONDOS E QUADRADOS
(E) TUNGSTÊNIO E CHUMBO
GABARITO:

136 – C
136- QUANDO TEMOS UMA ALTA QUILOVOLTAGEM EM NOSSO REGIME PODEMOS DIZER QUE
ESTAMOS TRABALHANDO COM: 137 – D
(A) RAIOS MOLES
(B) RAIOS DE GRANDE COMPRIMENTO DE ONDA 138 - D
(C) RAIOS DE PEQUENO COMPRIMENTO DE ONDA
(D) RAIOS DE POUCA ENERGIA
(E) RAIOS RESPONSÁVEIS PELO EFEITO FOTO-ELÉTRICO

137- ABREUGRAFIA É:
(A) UMA RADIOGRAFIA DIMINUÍDA
(B) UMA FOTOGRAFIA DO OBJETO
(C) UMA FOTOGRAFIA DA IMAGEM LATENTE
(D) UMA FOTOGRAFIA DA IMAGEM FLUOROSCÓPICA
(E) UMA FOTOGRAFIA DIGITAL DO OBJETO

138- O INTENSIFICADOR DE IMAGEM:


(A) DIMINUI O DETALHE DA IMAGEM
(B) PROPORCIONA MAIOR COMODIDADE AOS EXAMES
(C) AUMENTA A LUMINOSIDADE DA TV
(D) AUMENTA A INTENSIDADE LUMINOSA DA IMAGEM
(E) IMPEDE QUE A RADIAÇÃO SECUNDÁRIA FORMADA NO PACIENTE CHEGUE AO FILME
GABARITO:

139 – C
139- OS RAIOS X, FORAM DESCOBERTOS POR:
(A) CROOKS 140 – D
(B) COMPTON
(C) ROENTGEN 141 - D
(D) COLIDGE
(E) LAVOISIEUR

140- NO MÉTODO TOMOGRÁFICO CONVENCIONAL, OCORRE MOVIMENTAÇÃO SINCRONIZADA DE:


(A) BANDEJA E OBJETO
(B) OBJETO E TUBO
(C) TUBO E MESA
(D) TUBO E BANDEJA
(E) OBJETO E MESA

141- O ESPECTRO LUMINOSO EMITIDO PELOS ÉCRANS REFORÇADORES E FLUORESCENTES,


RESPECTIVAMENTE, QUANDO IRRADIADOS SÃO REPRESENTADOS PELAS CORES:
(A) VERDE E AZUL
(B) VIOLETA E AMARELO
(C) VERDE E AMARELO
(D) AZUL E VERDE
(E) VERDE E VIOLETA
GABARITO:

142 – E
142- NÃO É PROPRIEDADE DOS RAIOS X:
(A) SER INVISÍVEL 143 – D
(B) ATRAVESSAR CORPOS OPACOS A LUZ
(C) IONIZAR A MATÉRIA 144 - E
(D) INIBIR A MITOSE CELULAR
(E) PROJETAR-SE NO ESPAÇO EM TRAJETÓRIA ELÍPTICA

143- QUANDO REDUZIMOS O mAs A METADE, PODEMOS COMPENSAR O REGIME COM:


(A) A REDUÇÃO DE 15 KV
(B) A REDUÇÃO DE 10 KV
(C) O ACRÉSCIMO DE 20 KV
(D) O ACRÉSCIMO DE 10 KV
(E) O ACRÉSCIMO DE 55 KV

144- ASSINALE QUAL A FRASE CORRETA. DETERMINA-SE TELERADIOGRAFIA:


(A) QUALQUER RADIOGRAFIA PANORÂMICA
(B) RADIOGRAFIA COM DISTÂNCIA FOCO-FILME MAIOR QUE 120 cm
(C) RADIOGRAFIA COM DISTÂNCIA FOCO-FILME IGUAL A 100 cm
(D) RADIOGRAFIA DE TÓRAX
(E) RADIOGRAFIA COM DISTÂNCIA FOCO-FILME MAIOR QUE 150 cm
GABARITO:

145 – B
145- REPETIÇÃO MÍNIMA DAS RADIOGRAFIAS; FILTRAÇÃO CORRETA; COLIMAÇÃO; UTILIZAÇÃO DE
ÉCRANS E FILMES E ALTA VELOCIDADE SÃO MEDIDAS DE: 146 – D
(A) ALTA PENETRAÇÃO
(B) PROTEÇÃO RADIOLÓGICA 147 - C
(C) PROTEÇÃO DOS DOSÍMETROS
(D) ECONOMIA DO CUSTO DO EXAME
(E) MANUTENÇÃO DOS ACESSÓRIOS RADIOLÓGICOS

146- PARA UMA AMPLIAÇÃO MÍNIMA DAS ESTRUTURAS INTRATORÁCICAS, ESPECIALMENTE DO


CORAÇÃO, AS RADIOGRAFIAS DE TÓRAX DEVEM SER REALIZADAS EM PA, COM DISTÂNCIA-
FOCO-FILME (DFF) DE:
(A) 50 cm A 80 cm
(B) 80 cm A 100 cm
(C) 100 cm A 130 cm
(D) 150 cm A 180 cm
(E) 180 cm A 200 cm

147- A DISTÂNCIA ENTRE A LÂMPADA DE SEGURANÇA E O BALCÃO DA CÂMARA ESCURA DEVE


VARIAR DE:
(A) 30 cm A 50 cm
(B) 50 cm A 70 cm
(C) 90 cm A 120 cm
(D) 120 cm A 150 cm
(E) 150 cm A 180 cm
GABARITO:

148 – D
148- EM UM TUBO DE RAIOS X, O FILAMENTO REPRESENTA:
(A) O COMPONENTE REDUTOR DO ALTO KV 149 – D
(B) O COMPONENTE DA MESA DE COMANDO
(C) O PÓLO POSITIVO DE UM TRANSFORMADOR 150 - B
(D) O PÓLO NEGATIVO
(E) A EXTREMIDADE DO PÓLO NEGATIVO OU POSITIVO DE UM CIRCUITO

149- PARA O TÉCNICO DE RAIOS X, A DOSE LIMITE DE RADIAÇÃO SEMANAL É DE:


(A) 1 ROENTGEN
(B) 5 ROENTGEN
(C) 10 mRAD
(D) 100 mR
(E) 100 RAD

150- AS PRINCIPAIS VANTAGENS DOS GERADORES TRIFÁSICOS NOS APARELHOS DE RAIOS X SÃO:
(A) MAIOR TEMPO DE EXPOSIÇÃO E VOLTAGEM CONSTANTE
(B) VOLTAGEM CONSTANTE E MENOR TEMPO DE EXPOSIÇÃO
(C) MAIOR TEMPO DE EXPOSIÇÃO E VOLTAGEM PULSADA
(D) MENOR CALOR E MENOR TEMPO DE EXPOSIÇÃO
(E) VOLTAGEM PULSADA E MENOR CALOR
GABARITO:

151 – C
151 – O TIPO DE MOVIMENTO REALIZADO PELAS ARTICULAÇÕES INTERFALANGEANAS É
DENOMINADO: 152 – C
(A) CONDILAR
(B) PLANA 153 - E
(C) GÍNGLIMO
(D) TROCÓIDE
(E) RÍGIDO

152- A IMAGEM FORMADA NUM FILME RADIOGRÁFICO EXPOSTO AOS RAIOS X MAS AINDA NÃO
REVELADO CHAMA-SE:
(A) REAL
(B) BRANCA
(C) LATENTE
(D) NEGATIVA
(E) PROVISÓRIA

153- O TAMANHO DO PONTO FOCAL DO ANÓDIO É DETERMINADO PELA:


(A) ÁREA DO ANÓDIO
(B) ESPESSURA DO ANÓDIO
(C) VELOCIDADE DO ANÓDIO
(D) ESPESSURA DO FILAMENTO
(E) COMPRIMENTO DO FILAMENTO
GABARITO:

154 – A
154- NA FABRICAÇÃO DO FILAMENTO DO CATÓDIO E DA PLACA DE ANÓDIO, DAS AMPOLAS DE
RAIOS X COMUNS. SÃO UTILIZADAS RESPECTIVAMENTE AS SEGUINTES SUBSTÂNCIAS:155 – B
(A) TUNGSTÊNIO - TUNGSTÊNIO
(B) MOLIBDÊNIO - ALUMÍNIO 156 - A
(C) COBRE - TUNGSTÊNIO
(D) MOLIBDÊNIO - COBRE
(E) ALUMÍNIO – COBRE

155- A PRODUÇÃO DE RADIAÇÃO SECUNDÁRIA ESTÁ DIRETAMENTE LIGADA AO:


(A) TIPO DE GRADE
(B) EFEITO COMPTON
(C) TIPO DE ÉCRAN
(D) TAMANHO DO FOCO
(E) EFEITO FOTOELÉTRICO

156- A RADIAÇÃO SECUNDÁRIA É INTENSIFICADA QUANDO PROVOCAMOS A SEGUINTE


ALTERAÇÃO:
(A) AUMENTO DA QUILOVOLTAGEM
(B) DIMINUIÇÃO DA ÁREA EXPOSTA
(C) DIMINUIÇÃO DA MILIAMPERAGEM
(D) AUMENTO DA DISTÂNCIA Fo - Fi
(E) AUMENTO DO TEMPO DE EXPOSIÇÃO
GABARITO:

157 – A
157- O FATOR QUE CONTRIBUI PARA A REDUÇÃO DO TEMPO DE EXPOSIÇÃO RADIOGRÁFICA É:
(A) ÉCRAN INTENSIFICADOR 158 – A
(B) GRADE ANTIDIFUSORA
(C) DISTÂNCIA Fº - Fi 159 - E
(D) FLUOROSCOPIA
(E) COLIMAÇÃO

158- O USO DE ÉCRANS INTENSIFICADORES DENTRO DO CHASSIS TEM COMO OBJETIVO


PRIMORDIAL:
(A) DIMINUIR A DOSE DE RADIAÇÃO
(B) MELHORAR O DETALHE DA IMAGEM
(C) AUMENTAR O CONTRASTE DO FILME
(D) IMPEDIR A AÇÃO DA LUZ VERMELHA
(E) FACILITAR O MANUSEIO DOS FILMES

159- O DISPOSITIVO "POTTER-BUCKY" COM GRADE NA RAZÃO 12:1 É EMPREGADO EM:


(A) CONTACTOGRAFIAS
(B) EXAMES MAMOGRÁFICOS
(C) ESTUDOS DE ANGIOGRAFIAS
(D) COLANGIOGRAFIAS PERCUTÂNEAS
(E) TÉCNICAS DE ALTA QUILOVOLTAGEM
GABARITO:

160 – B
160- UM PACIENTE DEU ENTRADA NO HCPM COM DOR ABNOMINAL. FOI SOLICITADO O ESTUDO DO
ABDÔMEN EM AP MEDIU 20 cm. A CONSTANTE DO APARELHO É DE 30. PERGUNTA-SE: QUAL
161 – OD
KV ADEQUADO PARA O ESTUDO DE ABDÔMEN EM AP?
(A) 80 KV 162 - A
(B) 70 KV
(C) 60 KV
(D) 40 KV
(E) N.R.A.

161- A DISTÂNCIA OBJETO-FILME, NUM EXAME RADIOGRÁFICO, DEVE SER O MENOR POSSÍVEL
OBJETIVANDO:
(A) REDUÇÃO DO m.A.S.
(B) REDUÇÃO DO TEMPO
(C) MÁXIMA AMPLIAÇÃO
(D) MÍNIMA AMPLIAÇÃO
(E) REDUÇÃO DE MOVIMENTOS DO PACIENTE

162- AS RADIOGRAFIAS QUE SE MOSTRAM SEM PRECISÃO DE DETALHES, SEM DEFINIR UMA
SITUAÇÃO, DEVIDO AO MAU CONTATO DE ÉCRANS, SÃO CHAMADAS DE :
(A) FLOW
(B) CINZA
(C) VELADA
(D) QUEIMADA
(E) PENETRADA
GABARITO:

163 – C
163- APÓS A REALIZAÇÃO DE UM ESTUDO RADIOGRÁFICO DO CRÂNIO EM PA, VERIFICOU -SE NO
FILME OBTIDO UM BORRAMENTO DAS ESTRUTURAS RADIOGRAFADAS, MANTENDO-SE164 NO – B
ENTANTO NÍTIDA A IMAGEM DO NUMERADOR DE CHUMBO APLICADO SOBRE O CHASSIS.
NESTE CASO, DIZ-SE QUE OCORREU UM "FLOW CINÉTICO" 165 - B
(A) DO FILME
(B) DA AMPOLA
(C) DO PACIENTE
(D) DO CHASSIS
(E) DA GRADE

164- UM ESTUDO RADIOGRÁFICO DA MÃO FOI OBTIDO COM 5 mAs, 41 kv E DISTÂNCIA FOCO-FILME
DE 1 METRO. MANTIDA A DISTÂNCIA FOCO-FILME, PODERÍAMOS OBTER APROXIMADAMENTE O
MESMO RESULTADO NA IMAGEM UTILIZANDO:
(A) 5 mAs COM 39 kv
(B) 10 mAs COM 31 kv
(C) 2,5 mAs COM 45 kv
(D) 2,5 mAs COM 58 kv
(E) 10 mAs COM 51 kv

165- A MANOBRA DE VALSALVA É UM ARTIFÍCIO USADO NO EXAME DE:


(A) ATM
(B) CAVUM
(C) PNEUMOARTROGRAFIA DO JOELHO
(D) ANGIOGRAFIA CAROTÍDEA
(E) ARTICULAÇÃO DO TORNOZELO COM STRESS
GABARITO:

166 – C
166- EM QUAL DAS SITUAÇÕES ABAIXO, O EFEITO ANÓDIO ESTÁ APLICADO DE FORMA
INCORRETA? 167 – D
(A) CATÓDIO PARA O LADO DO OMBRO E ANÓDIO PARA O LADO DA MÃO
(B) CATÓDIO PARA O LADO DO COTOVELO E ANÓDIO PARA O LADO DA MÃO 168 - D
(C) CATÓDIO PARA O LADO DA COLUNA DORSAL E ANÓDIO PARA O LADO DA COLUNA LOMBAR
(D) CATÓDIO PARA O LADO DO JOELHO E ANÓDIO PARA O LADO DO TORNOZELO
(E) CATÓDIO PARA O LADO DA COLUNA LOMBAR E ANÓDIO PARA O LADO DA COLUNA DORSAL

167- QUAL A ANGULAÇÃO DA COXA - MESA NO POSICIONAMENTO PARA ESTUDO DA


CHANFRADURA INTERCONDILIANA?
(A) 90º
(B) 135º
(C) 120º
(D) 45º
(E) 10º

168- PARA ESTUDO RADIOLÓGICO DA ARTICULAÇÃO SACRO-ILÍACA DIREITA, FAZEMOS:


(A) OBLÍQUA POSTERIOR DIREITA
(B) PERFIL DIREITO
(C) OBLÍQUA ANTERIOR ESQUERDA
(D) OBLÍQUA POSTERIOR ESQUERDA
(E) AP DA REGIÃO COM INCLINAÇÃO DE 35º PODÁLICOS
GABARITO:

169 – E
169- ASSINALE O PROCEDIMENTO CORRETO NO EXAME RADIOLÓGICO PARA A FRATURA DE COLO
CIRÚRGICO DO ÚMERO: 170 – E
(A) FORÇAR POSIÇÃO DE SUPINAÇÃO
(B) FORÇAR POSIÇÃO DE PRONAÇÃO 171 - C
(C) NA INCIDÊNCIA DE PERFIL O BRAÇO LESADO DEVE FICAR EM ABDUÇÃO DE 90º
(D) NA INCIDÊNCIA DE PERFIL O BRAÇO LESADO DEVE FICAR EM ABDUÇÃO DE 45º
(E) A INCIDÊNCIA EM PERFIL DEVE SER TRANSTORÁCICA

170- PACIENTE RELATANDO ANTECEDENTES ALÉRGICOS, PODE SER SUBMETIDO SEM CUIDADOS
ESPECIAIS A:
(A) COLÂNGIOGRAFIA VENOSA
(B) ARTÉRIOGRAFIA RENAL
(C) UROGRAFIA EXCRETORA
(D) UROGRAFIA 123
(E) TRÂNSITO DELGADO

171- NO PERFIL DA COLUNA LOMBAR EM DECÚBITO LATERAL O RAIO CENTRAL APRESENTA-SE:


(A) COM INCLINAÇÃO CEFÁLICA DE 20º
(B) COM INCLINAÇÃO CEFÁLICA DE 5º
(C) COM INCLINAÇÃO PODÁLICA DE 5º
(D) PERPENDICULARMENTE À MESA
(E) COM INCLINAÇÃO CEFÁLICA DE 10º
GABARITO:

172 – E
172- QUAL A APLICAÇÃO PRINCIPAL DA INCIDÊNCIA DE STECHER?
(A) VISUALIZAÇÃO DO CAPTATO 173 – A
(B) VISUALIZAÇÃO DO PSIFORME
(C) VISUALIZAÇÃO DO TRAPÉZIO 174 - D
(D) VISUALIZAÇÃO DO CUBÓIDE
(E) VISUALIZAÇÃO DO ESCAFÓIDE CARPEANO

173- REALIZA-SE A INCIDÊNCIA DE STENVERS PARA ESTUDAR:


(A) A PONTA DO ROCHEDO
(B) A CADEIA OSSICULAR DO OUVIDO MÉDIO
(C) O FORAME OCCIPITAL
(D) O ESFENÓIDE
(E) O BURACO ÓTICO

174- UM ACIDENTE EXCLUSIVAMENTE DA ANATOMIA RADIOLÓGICA, ENCONTRADO NA PAREDE


LATERAL DO ÁTICO É:
(A) A CÓCLEA
(B) O VESTÍBULO
(C) A CADEIA OSSICULAR
(D) O ESPORÃO DE CHAUSSÉ
(E) A TROMPA DE EUSTÁQUIO
GABARITO:

175 – A
175- PARA SE OBTER O PERFIL DA COLUNA TORÁCICA, PODEMOS UTILIZAR A TÉCNICA DO "FLOW
CINÉTICO", QUE É OBTIDA COM O PACIENTE EM: 176 – B
(A) MOVIMENTAÇÃO RESPIRATÓRIA E TEMPO DE EXPOSIÇÃO LONGO
(B) APNÉIA E COM TEMPO DE EXPOSIÇÃO CURTO 177 - B
(C) MOVIMENTAÇÃO RESPIRATÓRIA E TEMPO DE EXPOSIÇÃO CURTO
(D) MOVIMENTAÇÃO PENDULAR E TEMPO DE EXPOSIÇÃO LONGO
(E) APNÉIA E TEMPO DE EXPOSIÇÃO LONGO

176- A INCIDÊNCIA QUE MELHOR VISUALIZA A CHANFRADURA INTERCONDILIANA FEMURAL É:


(A) OBLÍQUA EXTERNA
(B) "TUNNEL VIEW"
(C) STECHER
(D) PERFIL
(E) AP

177- A POSIÇÃO DO PACIENTE PARA ESTUDO RADIOGRÁFICO DA ARTICULAÇÃO SACRO-ILÍACA


ESQUERDA EM OBLÍQUA DEVE SER:
(A) DECÚBITO DORSAL COM ANGULAÇÃO CEFÁLICA DO TUBO DE APROXIMADAMENTE 25 GRAUS
(B) OPD
(C) DECÚBITO VENTRAL COM ANGULAÇÃO PODÁLICA DO TUBO DE APROXIMADAMENTE 25 GRAUS
(D) OAD COM RAIO VERTICAL
(E) OAE COM RAIO INCLINADO DE 20º CEFÁLICOS
GABARITO:

178 – D
178- DURANTE A REALIZAÇÃO DE UMA UROGRAFIA EXCRETORA, O EFEITO NEFROGRÁFICO OU
NEFROGRAMA É DOCUMENTADO: 179 – B
(A) TRÊS MINUTOS APÓS O INÍCIO DA INJEÇÃO RÁPIDA DO CONTRASTE
(B) UM MINUTO APÓS O TÉRMINO DA INJEÇÃO RÁPIDA DO CONTRASTE
(C) TRÊS MINUTOS APÓS O TÉRMINO DA INJEÇÃO RÁPIDA DO CONTRASTE
(D) UM MINUTO APÓS O INÍCIO DA INJEÇÃO RÁPIDA DO CONTRASTE
(E) ANTES DA INJEÇÃO DO CONTRASTE

179- FORAM SOLICITADAS RADIOGRAFIAS DO CRÂNIO E COLUNA CERVICAL DE UM PACIENTE COM


PROVÁVEIS LESÕES TRAUMÁTICAS NESTAS REGIÕES. O ESTUDO DEVERÁ SER FEITO:
(A) NA MESA RADIOGRÁFICA E SOMENTE EM AP
(B) NA ESTATIVA VERTICAL, COM O PACIENTE NA MACA E SOMENTE EM PERFIL, INICIALMENTE,
PODENDO PROSSEGUIR APÓS A AVALIAÇÃO MÉDICA
(C) NA MESA RADIOGRÁFICA EM AP, MAIS PERFIL COM RAIOS HORIZONTAIS, UTILIZANDO-SE
CHASSIS COMUM
(D) NA ESTATIVA VERTICAL EM PERFIL COM RAIOS HORIZONTAIS, MAIS AP COM CHASSIS
ACOPLADO DE GRADE FIXA, ESTANDO O PACIENTE NA MACA
(E) NA MESA RADIOGRÁFICA EM AP, MAIS PERFIL COM RAIOS HORIZONTAIS, UTILIZANDO-SE
CHASSIS ACOPLADO DE GRADE FIXA
GABARITO:

180 – D
180- UM PACIENTE DEU ENTRADA NO HOSPITAL COM SUSPEITA DE FRATURA DE CALCÂNEO. FOI
SOLICITADO QUAIS INCIDÊNCIAS RADIOGRÁFICAS PARA SEU ESTUDO? 181 – D
(A) AP E PERFIL DO CALCÂNEO
(B) AP E AXIAL DO CALCÂNEO 182 - E
(C) SOMENTE O AP DO CALCÂNEO
(D) PERFIL E AXIAL DO CALCÂNEO
(E) AP E OBLIQUAS DO CALCÂNEO

181- UM PACIENTE SOFREU UM TRAUMATISMO NO PÉ. QUAL A INCIDÊNCIA RADIOGRÁFICA USADA


PARA SEU ESTUDO?
(A) AP E PERFIL DO PÉ
(B) AP E AXIAL DO PÉ
(C) AP E PA DO PÉ
(D) AP E OBLÍQUA DO PÉ
(E) STENVERS E PERFIL

182- UMA SENHORA DE PROFISSÃO COSTUREIRA, DEU ENTRADA NO PRONTO-SOCORRO


ALEGANDO QUE ESPETOU-SE COM AGULHA A QUAL QUEBROU E FICOU PARTE EM SUA MÃO.
QUAIS AS INCIDÊNCIAS USADAS PARA ESTUDO DE CORPO ESTRANHO NA MÃO?
(A) AP DE MÃO
(B) AP E OBLÍQUA DA MÃO
(C) AP E AXIAL DA MÃO
(D) PERFIL E AXIAL DA MÃO
(E) PERFIL E PA DE MÃO
GABARITO:

183 – C
183- A INCIDÊNCIA DE FERGUSSON É EXECUTADA PARA ESTUDO DE?
(A) CRÂNIO 184 – A
(B) COTOVELO
(C) SACRO 185 - B
(D) JOELHO
(E) PUNHO

184- A SEQUÊNCIA NORMAL DE RADIOGRAFIAS FEITA EM UMA UROGRAFIA EXCRETORA É:


(A) RADIOGRAFIA SIMPLES, 5 min, 10 min, 15 min, 25 min, PRE E PÓS MICCIONAL
(B) 5 min, 10 min, 15 min, 25 min, PRE E PÓS MICCIONAL
(C) 5 min, 10 min, 15 min, 25 min, SOMENTE PÓS MICCIONAL
(D) 5 min, 10 min, 15 min, 25 min
(E) N.R.A.

185- UM PACIENTE DEU ENTRADA NO HUAP-Nit, COM QUADRO DE ABDÔMEN AGUDO QUE CONSTA
DAS SEGUINTES INCIDÊNCIAS RADIOGRÁFICAS?
(A) AP E PERFIL DO ABDÔMEN
(B) AP DE ABDÔMEN DEITADO, AP DE ABDÔMEN DE PÉ E PA DE TÓRAX DE PÉ
(C) AP E PERFIL DO ABDÔMEN E PA DE TÓRAX EM PÉ
(D) AP DE ABDÔMEN DEITADO E AP DE ABDÔMEN DE PÉ
(E) AP DE TÓRAX, PERFIL DE TÓRAX E ABDOME EM DECÚBITO DORSAL
GABARITO:

186 – D
186- UM PACIENTE COM SUSPEITA DE DERRAME PLEURAL À DIREITA. QUAIS AS INCIDÊNCIAS
RADIOLÓGICAS QUE DEVEMOS FAZER NO EXAME RADIOLÓGICO DO TÓRAX? 187 – B
(A) AP EM DECÚBITO DORSAL, PERFIL EM DECÚBITO DORSAL DO TÓRAX
(B) AP EM DECÚBITO DORSAL, PERFIL EM ORTOSTASTICA DO TÓRAX 188 - A
(C) PA EM DECÚBITO DORSAL, PERFIL EM DECÚBITO DORSAL E H. LAURELL DIREITO
(D) PA EM ORTOSTASTICA, PERFIL EM OSTASTICA E H. LAURELL DIREITO
(E) PA EM DECÚBITO VENTRAL, PA EM DECÚBITO DORSAL E AP EM TRENDELEMBURG

187- PARA ESTUDO DE ARTICULAÇÃO-TEMPORO-MANDIBULAR, USAMOS AS INCIDÊNCIAS:


(A) INCIDÊNCIA DE SHÜLLER COMPARATIVA COM BOCA ABERTA E FECHADA SOMENTE DO LADO
AFETADO
(B) INCIDÊNCIA DE SHÜLLER COMPARATIVA COM BOCA ABERTA E FECHADA DO LADO DIREITO E
ESQUERDO
(C) INCIDÊNCIA DE THOMS COMPARATIVA COM BOCA ABERTA E FECHADA SOMENTE DO LADO
FECHADO
(D) INCIDÊNCIA DE GAYNER HART
(E) INCIDÊNCIA DE STENVERS

188- O EXAME DE HISTEROSSALPINGOGRAFIA SERVE PARA ESTUDO DOS SEGUINTES ÓRGÃOS:


(A) ÚTERO E TROMPAS DE FALÓPIO
(B) GLÂNDULA LACRIMAL
(C) MAMAS
(D) OUVIDO MÉDIO E INTERNO
(E) ESTÔMAGO E ESÔFAGO
GABARITO:

189 – B
189- UM PACIENTE DEU ENTRADA NO HCPM COM SUSPEITA DE FRATURA DE BACIA, AP DE BACIA
DEU 20 cm. PERFIL DE BACIA MEDIU 40 cm. A CONSTANTE DO APARELHO É 30. QUAL O 190
KV – D
NECESSÁRIO PARA ESTUDO DE BACIA EM AP?
(A) 110 KV 191 - E
(B) 70 KV
(C) 100 KV
(D) 80 KV
(E) 90 KV

190- A INCIDÊNCIA DE TRANS-ORAL É USADA NO ESTUDO DE COLUNA:


(A) SACRA
(B) DORSAL
(C) LOMBAR
(D) CERVICAL
(E) COCCÍGEA

191- PARA ESTUDO DAS ARTICULAÇÕES COXO-FEMURAIS EM CRIANÇA, EM SUSPEITA DE


LUXAÇÃO CONGÊNITA COXO-FEMURAL, DEVEMOS FAZER ESTUDO COM AS SEGUINTES
INCIDÊNCIAS:
(A) AP E PERFIL DE BACIA
(B) AP E OBLÍQUA DIREITA DA BACIA
(C) AP E POSIÇÃO DE RÃ
(D) AP E OBLÍQUA ESQUERDA DE BACIA
(E) INCIDÊNCIA DE VON ROSEN
GABARITO:

192 – D
192- UM PACIENTE COM HISTÓRIA CLÍNICA DE BURSITE NA REGIÃO DO OMBRO DIREITO. QUAL
INCIDÊNCIAS RADIOGRÁFICAS DEVEMOS FAZER? 193 – B
(A) AP E PERFIL DE OMBRO
(B) PERFIL E ROTAÇÃO INTERNA 194 - A
(C) PERFIL E ROTAÇÃO EXTERNA
(D) ROTAÇÃO INTERNA E EXTERNA DO OMBRO
(E) AP VERDADEIRO E HIRTZ

193- NA INCIDÊNCIA SEMI-AXIAL DO CRÂNIO (TOWNE CHAMBERLAIN), O DORSO SELAR É


PROJETADO NO:
(A) OSSO TEMPORAL
(B) BURACO OCCIPITAL
(C) BURACO DA ÓRBITA
(D) CONDUTO AUDITIVO EXTERNO
(E) CONDUTO AUDITIVO INTERNO

194- A DIREÇÃO DO ROCHEDO É UM EIXO OBLÍQUO INCLINADO PARA:


(A) DENTRO E PARA FRENTE
(B) DENTRO E PARA TRÁS
(C) O LADO
(D) BAIXO
(E) CIMA
GABARITO:

195 – C
195- O EIXO DO ROCHEDO FORMA, COM O EIXO SAGITAL MÉDIO, UM ÂNGULO DE:
(A) 25º 196 – E
(B) 30º
(C) 45º 197 - E
(D) 55º
(E) 90º

196- NA RADIOGRAFIA ESPECIAL DO CRÂNIO (INCIDÊNCIA DE STENVERS), O RAIO CENTRAL FORMA


COM O PLANO ORBITOMEATAL UM ÂNGULO DE:
(A) 90º
(B) 45º
(C) 17º
(D) 15º
(E) 12º

197- A ROTINA MÍNIMA DE PESQUISA DE IDADE ÓSSEA DEVE SER FEITA EM:
(A) TÓRAX, INCLUINDO ANDAR SUPERIOR DO ABDÔMEN
(B) ABDÔMEN, INCLUINDO BASE DE TÓRAX
(C) OMBRO, INCLUINDO HEMITÓRAX
(D) CRÂNIO, INCLUINDO PESCOÇO
(E) PUNHO, INCLUINDO MÃO
GABARITO:

198 – A
198- A INCIDÊNCIA DE RÃ É USADA PARA O ESTUDO DE SEGUINTE ARTICULAÇÃO:
(A) COXOFEMURAL 199 – D
(B) SACROLOMBAR
(C) SACROILÍACA 200 - C
(D) ESCAPULO -UMERAL
(E) ACROMIOCLAVICULAR

199- NA PROJEÇÃO SEMI-AXIAL DO CRÂNIO (WORMS-BRETTON), O RAIO CENTRAL FORMA UM


ÂNGULO DE 35º COM O SEGUINTE PLANO:
(A) VERTICAL
(B) ORBITOMEATAL
(C) SAGITAL MÉDIO
(D) HORIZONTAL ALEMÃO
(E) FRONTOBIAURICULAR

200- A TÉCNICA CORRETA DA RADIOGRAFIA DE TÓRAX DE CRIANÇA DEVE SER REALIZADA COM:
(A) MAIOR KV E MAIOR mAs
(B) MAIOR MILIAMPERAGEM E MENOR QUILOVOLTAGEM
(C) MENOR TEMPO DE EXPOSIÇÃO E MENOR MILIAMPERAGEM
(D) MAIOR DISTÂNCIA FOCO-FILME E MENOR QUILOVOLTAGEM
(E) MAIOR DISTÂNCIA FOCO-FILME E MENOR QUILOVOLTAGEM
GABARITO:

201 – E
201- A INCIDÊNCIA DE FERGUSSON É USADA PARA O EXAME DE:
(A) OUVIDO 202 – D
(B) CRÂNIO
(C) TÚNEL DO CARPO 203 - A
(D) ÁPICE PULMONAR
(E) CHARNEIRA LOMBO SACRA

202- NOS CASOS DE OBSTRUÇÃO BRÔNQUICA, A RADIOGRAFIA DE TÓRAX É EFETUADA EM:


(A) PA E PERFIL
(B) PA E DECÚBITO LATERAL
(C) AP E DECÚBITO DORSAL
(D) PA COM INSPIRAÇÃO E EXPIRAÇÃO MÁXIMAS
(E) PA E DECÚBITO LATERAL COM RAIO HORIZONTAL

203- O ARTIFÍCIO A SER USADO NO EXAME DE UM PACIENTE PARA PESQUISA DE PNEUMOTÓRAX


EM INSPIRAÇÃO COM ASPECTO NORMAL É:
(A) PA EM EXPIRAÇÃO
(B) PERFIL PENETRADO
(C) INCIDÊNCIA DE LAURELL
(D) PA E PERFIL EM DECÚBITO
(E) PA E PERFIL EM ESÔFAGO CONTRASTADO
GABARITO:

204 – C
204- A INCIDÊNCIA DOS SEIOS DA FACE PARA PESQUISA DE NÍVEL LÍQUIDO É:
(A) HIRTZ 205 – B
(B) WATERS
(C) MENTO-NASO EM ORTOSTÁTICA 206 - E
(D) LAURELL
(E) CHAMBERLAIN-TOWNE

205- NA INCIDÊNCIA DE VON ROSEN PARA PESQUISA DE LUXAÇÃO CONGÊNITA DO QUADRIL A


ABERTURA DAS PERNAS EM RELAÇÃO AO PLANO MEDIANO SAGITAL TEM UM ÂNGULO DE:
(A) 90º
(B) 45º
(C) 30º
(D) 25º
(E) 15º

206- AO FAZER UMA RADIOGRAFIA DE TÓRAX EM UM RECÉM-NASCIDO CHORANDO, O TÉCNICO


PROCURA REALIZAR A INCIDÊNCIA QUANDO A CRIANÇA:
(A) SE MOVE
(B) FICA QUIETA
(C) COMEÇA A CHORAR
(D) TEM A BOCA TAPADA
(E) SUSPENDE POR INSTANTES O CHORO
GABARITO:

207 – E
207- NA RADIOGRAFIA DA FOSSA INTERCONDILIANA DO FÊMUR (VISTA DO TÚNEL), O PACIENTE É
COLOCADO NA SEGUINTE POSIÇÃO: 208 – B
(A) DE PERFIL
(B) ORTOSTÁTICA 209 - A
(C) DEITADO COM A COXA FLETIDA 90º
(D) PÓSTERO-ANTERIOR COM RAIO VERTICAL
(E) PERNA PARALELA A MESA, COXA FAZENDO ÂNGULO DE 45º COM MESA E RAIO VERTICAL

208- AO FAZER A RADIOGRAFIA DO CANAL ÓPTICO, A SUA PROJEÇÃO EM RELAÇÃO À ÓRBITA


DEVE SER NO QUADRANTE:
(A) CENTRAL
(B) INFERIOR-EXTERNO
(C) SUPERIOR-EXTERNO
(D) INFERIOR-INTERNO
(E) SUPERIOR-INTERNO

209- NA RADIOGRAFIA EM PERFIL DA SELA TÚRCICA, O RAIO CENTRAL DEVE INCIDIR:


(A) 2 cm PARA DIANTE E 2 cm ACIMA DO CONDUTO AUDITIVO EXTERNO
(B) 10 cm ACIMA DO CONDUTO AUDITIVO EXTERNO
(C) NO SENTIDO CAUDAL
(D) A 15º PODÁLICO
(E) A 45º CEFÁLICO
GABARITO:

210 – B
210- A ESCANOMETRIA (JUAN FARILL) É UMA TÉCNICA UTILIZADA PARA O EXAME DE:
(A) COLUNA VERTEBRAL 211 – B
(B) MEMBROS INFERIORES
(C) ARTICULAÇÃO SACRO - ILÍACA 212 - E
(D) ARTICULAÇÃO COXOFEMORAL
(E) ARTICULAÇÃO TEMPOROMANDIBULAR

211- PARA DETERMINAR OS CORTES TOMOGRÁFICOS DA SELA TÚRCICA NO PLANO LATERAL, A


REFERÊNCIA DEVE SER O SEGUINTE PLANO:
(A) TRANSVERSO
(B) BIAURICULAR
(C) ORBITOMEATAL
(D) SAGITAL MÉDIO
(E) HORIZONTAL ALEMÃO

212- NA RADIOGRAFIA AXIAL DO CRÂNIO (HIRTZ), O RAIO CENTRAL É PERPENDICULAR AO:


(A) CHASSI
(B) PLANO BIAURICULAR
(C) PLANO ORBITOMEATAL
(D) PLANO SAGITAL MÉDIO
(E) PLANO HORIZONTAL ALEMÃO
GABARITO:

213 – C
213- OS CORTES TOMOGRÁFICOS DO LARINGE ( SEGUNDO L. F. BOISSON ) SÃO FEITOS EM
FONAÇÃO DE: 214 – A
(A) a a a
(B) e e e 215 - C
(C) i i i
(D) o o o
(E) u u u

214- PARA O ESTUDO DA DINÂMICA DA COLUNA CERVICAL, A ROTINA A SER SEGUIDA É:


(A) AP E P NORMAL, P EM EXTENSÃO E P EM FLEXÃO
(B) AP COM BOCA ABERTA E BOCA FECHADA E P
(C) AP E P EM ORTOSTÁTICA E EM DECÚBITO
(D) AP E OBLÍQUAS
(E) AP E P

215- NA DOCUMENTAÇÃO RADIOGRÁFICA DA ESCOLIOSE, A INCIDÊNCIA EM PERFIL DEVE SER


FEITA:
(A) ENCOSTANDO O LADO CÔNCAVO NO CHASSI
(B) ENCOSTANDO QUALQUER LADO NO CHASSI
(C) ENCOSTANDO O LADO CONVEXO NO CHASSI
(D) EM DECÚBITO VENTRAL
(E) EM DECÚBITO DORSAL
GABARITO:

216 – D
216- PARA VISUALIZAÇÃO ADEQUADA DA ARTICULAÇÃO TIBIOTÁRSICA NA INCIDÊNCIA EM PERFIL
EXTERNO, O PÉ DEVE FAZER ÂNGULO DE 90º COM A PERNA, COM RAIO CENTRAL 217 – E
PERPENDICULAR PENETRANDO:
(A) 2 cm ACIMA DO MALÉOLO TIBIAL 218 - B
(B) 2 cm ABAIXO DO MALÉOLO TIBIAL
(C) 1 cm ABAIXO DO MALÉOLO TIBIAL
(D) 1 cm ACIMA DO MALÉOLO TIBIAL
(E) 2 cm ACIMA DO MALÉOLO FIBULAR

217- AO RADIOGRAFAR UMA FRATURA EXPOSTA DE PERNA, A INCIDÊNCIA EM PERFIL É FEITA:


(A) GIRANDO A PERNA
(B) GIRANDO O TRONCO E A PERNA
(C) GIRANDO O TRONCO DO PACIENTE
(D) OBLIQUANDO A PERNA E O CHASSI
(E) COLOCANDO A AMPOLA E O CHASSI PARALELOS AO MEMBRO

218- NA DOCUMENTAÇÃO DA ÁREA CARDÍACA, FAZ-SE A INCIDÊNCIA EM PA E NÃO EM AP. ESTE


PROCEDIMENTO OCORRE PORQUE EM AP:
(A) REDUZ-SE A IMAGEM
(B) AMPLIA-SE A IMAGEM
(C) NÃO SE OBSERVA AUMENTO DE CAVIDADE
(D) O AUMENTO DE CAVIDADE É MASCARADO
(E) FICA DIFÍCIL A VISUALIZAÇÃO DA ÁREA CARDÍACA
GABARITO:

219 – C
219- OS OSSOS DO CARPO SÃO:
(A) SEMILUNAR, ESCAFÓIDE, ULNA, ASTRÁGALO, TRAPÉZIO, TRAPEZÓIDE, PIRAMIDAL, PISIFORME
220 – E
(B) SEMILUNAR, ESCAFÓIDE, ASTRÁGALO, UNCIFORME, PIRAMIDAL, PISIFORME, TRAPÉZIO,
TRAPEZÓIDE
(C) SEMILUNAR, ESCAFÓIDE, TRAPÉZIO, TRAPEZÓIDE, GRANDE OSSO, UNCIFORME, PIRAMIDAL,
PISIFORME
(D) SEMILUNAR, ESCAFÓIDE, ULNA, TRAPÉZIO, TRAPEZÓIDE, GRANDE OSSO, UNCIFORME,
PIRAMIDAL, PISIFORME
(E) SEMILUNAR, ESCAFÓIDE, ULNA, ASTRÁGALO, GRANDE OSSO, UNCIFORME, PIRAMIDAL,
PISIFORME, TRAPÉZIO, TRAPEZÓIDE

220- NA RADIOGRAFIA EVENTUAL DE CRÂNIO PARA PESQUISA DE NÍVEL LÍQUIDO NO SEIO


ESFENOIDAL, EM CASO DE FRATURA DO ESFENÓIDE, O PROCEDIMENTO CORRETO É:
(A) SEMI-AXIAL E OBLÍQUAS
(B) AP, PERFIL COM RAIO VERTICAL E AXIAL
(C) AP, PERFIL COM RAIO VERTICAL E OBLÍQUAS
(D) AP, PERFIL COM RAIO VERTICAL E SEMI-AXIAL
(E) AP, PERFIL COM RAIO VERTICAL E PERFIL COM RAIO HORIZONTAL
GABARITO:

221 – E
221- A ROTINA MÍNIMA, TECNICAMENTE CORRETA, DA DOCUMENTAÇÃO DE FRATURA DOS OSSOS
PRÓPRIOS DO NARIZ É: 222 – E
(A) PERFIL DIREITO
(B) PERFIL ESQUERDO 223 - B
(C) OBLÍQUA DIREITA
(D) OBLÍQUA ESQUERDA
(E) PERFIL DIREITO E ESQUERDO

222- NO PACIENTE COM ABDÔMEN AGUDO IMPOSSIBILITADO DE FAZER RADIOGRAFIA EM


ORTOSTÁTICA OU EM DECÚBITO LATERAL COM RAIOS HORIZONTAIS, A POSIÇÃO INDICADA,
EM VEZ DAS REFERIDAS, DEVE SER:
(A) PA
(B) OBLÍQUA ANTERIOR DIREITA
(C) OBLÍQUA ANTERIOR ESQUERDA
(D) OBLÍQUAS ANTERIORES "D" E "E"
(E) PERFIL EM DECÚBITO DORSAL COM RAIO HORIZONTAL

223- NA UROGRAFIA INTRAVENOSA (EXCRETORA), A POSIÇÃO QUE PODE DEMONSTRAR


NEFROPTOSE É:
(A) AP EM DECÚBITO DORSAL;
(B) AP EM ORTOSTÁTICA;
(C) OPE A 30º;
(D) OPD A 50º;
(E) AP EM DECÚBITO VENTRAL.
GABARITO:

224 – C
224- PARA ESTUDO DA IDADE ÓSSEA PELA TABELA DE GREULICH E PYLE, A MELHOR INCIDÊNCIA A
SER UTILIZADA E A REGIÃO A SER EXAMINADA SÃO, RESPECTIVAMENTE: 225 – D
(A) OBLÍQUAS E COMPARATIVAS DA MÃO
(B) AP DA MÃO E PERFIL DO PÉ 226 - C
(C) PA, COMPARATIVA DAS MÃO E PUNHOS
(D) OBLÍQUA E COMPARATIVA DOS PÉS
(E) PERFIL DAS MÃOS E PÉS

225- UMA DAS INCIDÊNCIAS INDICADA PARA O ESTUDO DA ARTICULAÇÃO SACRO-ILÍACA É A DE:
(A) VAN ROSEN
(B) REVERCHON
(C) LAWRENCE
(D) FERGUNSON
(E) LOWENSTEIN

226- A INCIDÊNCIA QUE MOSTRA BEM A PNEUMATIZAÇÃO DAS MASTÓIDES É A DE:


(A) MAYER
(B) STENVERS
(C) SCHÜLLER
(D) GUILLEN
(E) TRANSORBITÁRIA
GABARITO:

227 – A
227- AS INCIDÊNCIAS DE ROTINA PARA ESTUDO DOS SEIOS DA FACE SÃO:
(A) FRONTO-NASO E MENTO-NASO 228 – D
(B) FRONTO-NASO E PERFIL
(C) FRONTO-NASO E BRETTON 229 - B
(D) MENTO-NASO E OBLÍQUAS
(E) MENTO-NASO E PERFIL

228- PARA O ESTUDO DA MANDÍBULA, A INCIDÊNCIA INDICADA É A DE:


(A) PERFIL
(B) CHAUSSÉ
(C) STENVERS
(D) BELLOT
(E) GUILLEN

229- NA RADIOGRAFIA SIMPLES DE ABDÔMEN EM AP, O RAIO CENTRAL DEVE INCIDIR:


(A) NA SÍNFISE PUBIANA
(B) NO MEIO DA LINHA QUE VAI DA SÍNFISE PUBIANA AO APÊNDICE XIFÓIDE
(C) NA CRISTA ILÍACA
(D) NO APÊNDICE XIFÓIDE
(E) NO HIPOCÔNDRIO DIREITO
GABARITO:

230 – E
230- A INDICAÇÃO DA INCIDÊNCIA ÁPICO-LORDÓTICA (INCIDÊNCIA DE FLEISCHNER) É UTILIZADA
PARA O ESTUDO: 231 – B
(A) DA MANDÍBULA
(B) DO ATLAS 232 - B
(C) DA QUINTA VÉRTEBRA CERVICAL
(D) DOS ARCOS COSTAIS DO 1/3 MÉDIO
(E) DOS ÁPICES-PULMONARES

231- O RAIO CENTRAL NA INCIDÊNCIA EM PA DO POLEGAR INCIDE:


(A) NA PRIMEIRA ARTICULAÇÃO METATARSO-FALANGEANA
(B) NO MEIO DO ESPAÇO INTERFALANGEANO
(C) NA PRIMEIRA ARTICULAÇÃO METACARPO-FALANGEANA
(D) NO ESPAÇO MÉDIO ENTRE A TUBEROSIDADE UNGUEAL E A BASE DA FALANGE DISTAL
(E) NO MEIO DO ESPAÇO INTERFALANGEANO DO 5º DEDO

232- AS INCIDÊNCIAS DE ROTINA PARA EXAME DA ARTICULAÇÃO ESCÁPULO-UMERAL, COM


INDICAÇÃO DE BURSITE SÃO:
(A) PERFIL E OBLÍQUAS
(B) AP EM SUPINAÇÃO E AP EM PRONAÇÃO DO MEMBRO SUPERIOR
(C) PA E OBLÍQUAS
(D) AP COM RAIO INCLINADO 20º E PERFIL
(E) AP COM RAIO INCLINADO 20º E AP EM SUPINAÇÃO
GABARITO:

233 – D
233- NAS INCIDÊNCIAS OBLÍQUAS DA MÃO, O ÂNGULO MÃO-FILME UTILIZADO É DE:
(A) 15º 234 – A
(B) 25º
(C) 30º 235 - D
(D) 45º
(E) 90º

234- A INCIDÊNCIA DE GAYNER-HART ESTÁ INDICADA PARA O ESTUDO:


(A) DO CANAL CARPEANO
(B) DA ARTICULAÇÃO ESCÁPULO-UMERAL
(C) DOS SEIOS DA FACE
(D) DA SELA TÚRCICA
(E) DA BASE DO CRÂNIO

235- NA INCIDÊNCIA DE GAYNER-HART, A ANGULAÇÃO MÉDIA DO RAIO CENTRAL UTILIZADA ESTÁ


COMPREENDIDA ENTRE:
(A) 05º E 10º
(B) 10º E 20º
(C) 10º E 30º
(D) 15º E 20º
(E) 15º E 30º
GABARITO:

236 – C
236- O EXAME MAIS INDICADO PARA PESQUISA DA ETIOLOGIA DE UM DESNÍVEL DE BACIA DE:
(A) INCIDÊNCIA DE VAN ROSEN 237 – B
(B) INCIDÊNCIA DE FERGUSSON
(C) TÉCNICA DE FARRIL 238 - E
(D) TÉCNICA DE MÜLLER
(E) INCIDÊNCIA DE STECHER

237- PARA O EXAME DAS CLAVÍCULAS, A ANGULAÇÃO E O LOCAL DE PENETRAÇÃO DO RAIO


CENTRAL SÃO, RESPECTIVAMENTE:
(A) 20ºCEFÁLICOS, PENETRANDO NO APÊNDICE XIFÓIDE
(B) 20ºCEFÁLICOS, PENETRANDO NO MANÚBRIO ESTERNAL
(C) 30ºPODÁLICOS, PENETRANDO NO MANÚBRIO ESTERNAL
(D) 30ºPODÁLICOS, PENETRANDO NO APÊNDICE XIFÓIDE
(E) 90º COM RAIO CENTRAL NO MANÚBRIO ESTERNAL

238- UMA TÉCNICA RADIOGRÁFICA, UTILIZANDO 12 mAs, 46 KV E DISTÂNCIA FOCO-FILME DE 1


METRO É EMPREGADA NO ESTUDO:
(A) DA COLUNA LOMBAR EM AP
(B) DO CRÂNIO
(C) DA BACIA
(D) DA COLUNA DORSAL EM PERFIL
(E) DO CALCÂNEO (AXIAL)
GABARITO:

239 – A
239- DEVE-SE APROVEITAR O FLOU CINÉTICO PARA O EXAME RADIOGRÁFICO:
(A) DA COLUNA CERVICAL E DORSAL 240 – D
(B) DA COLUNA LOMBAR E SACRA
(C) DA ARTICULAÇÃO COXO-FEMURAL E JOELHO 241 - C
(D) DA BACIA E COLUNA CERVICAL
(E) DO CRÂNIO E COLUNA CERVICAL

240- A MELHOR INCIDÊNCIA PARA ESTUDO DO BURACO ÓTICO É A DE:


(A) AP
(B) HIRTZ
(C) REVERCHON
(D) RHEESE DIREITA E ESQUERDA
(E) STENVERS

241- NAS INCIDÊNCIAS OBLÍQUAS PARA O EXAME DA PERNA, O ÂNGULO FORMADO DA PERNA
COM O FILME RADIOGRÁFICO É DE:
(A) 30º
(B) 35º
(C) 45º
(D) 50º
(E) 90º
GABARITO:

242 – B
242- AS INCIDÊNCIAS QUE DEVEM SER INCORPORADAS À ROTINA MÍNIMA DE TÓRAX PARA O
ESTUDO DAS LESÕES PLEURAIS SÃO: 243 – D
(A) OAD E OAE COM PACIENTE A 45º
(B) DECÚBITO LATERAL COM O RAIO HORIZONTAL E PERFIL 244 - C
(C) AP E DECÚBITO DORSAL
(D) OAD E OAE COM PACIENTE A 30º
(E) AP E OAE COM PACIENTE A 45º

243- A ANGULAÇÃO PODÁLICA DO RAIO CENTRAL, CORRETA NA INCIDÊNCIA DE REVERCHON, É DE:


(A) 10º
(B) 15º
(C) 20º
(D) 35º
(E) 45º

244- EM UM RAIOS X DE TÓRAX, A TÉCNICA RADIOGRÁFICA MAIS INDICADA É:


(A) DISTÂNCIA FOCO-FILME DE 1 METRO
(B) BAIXO KV E ALTO mA
(C) ALTO KV E BAIXO mAs (TEMPO DE EXPOSIÇÃO CURTO)
(D) ALTO KV E ALTO mAs
(E) DISTÂNCIA FOCO-FILME DE 1 METRO E BAIXO mAs
GABARITO:

245 – B
245- PARA EXAME DE TÓRAX DE UMA CRIANÇA CHORANDO, DEVE-SE:
(A) AUMENTAR A ESCALA DE mA PARA AUMENTAR O TEMPO DE EXPOSIÇÃO 246 – E
(B) AUMENTAR A ESCALA DE mA PARA REDUÇÃO DO TEMPO DE EXPOSIÇÃO
(C) AUMENTAR O KV 247 - D
(D) DIMINUIR A DISTÂNCIA AMPOLA-PACIENTE
(E) SOLICITAR À ACOMPANHANTE QUE SEGURE FIRMEMENTE A CRIANÇA

246- A TÉCNICA RADIOLÓGICA MAIS INDICADA PARA REALIZAÇÃO DE UM RAIOS X DE TÓRAX DE


PACIENTE ENFISEMATOSO É:
(A) AUMENTAR EM MÉDIA 10 KV
(B) AUMENTAR O mAs
(C) DIMINUIR A DISTÂNCIA FOCO-FILME
(D) AUMENTAR O TEMPO DE EXPOSIÇÃO
(E) DIMINUIR EM MÉDIA 8 KV

247- AO SE RADIOGRAFAR PACIENTES IDOSOS, DEVIDO À OSTEOPOROSE, DEVEMOS TER O


CUIDADO DE:
(A) AUMENTAR A DISTÂNCIA FOCO-FILME
(B) AUMENTAR CERCA DE 4 KV DA TÉCNICA HABITUAL
(C) DIMINUIR O TEMPO DE EXPOSIÇÃO
(D) DIMINUIR CERCA DE 4 KV DA TÉCNICA HABITUAL
(E) DOBRAR O mAs
GABARITO:

248 – D
248- INCIDÊNCIA AXIAL SIGNIFICA QUE O RAIO CENTRAL EM RELAÇÃO AO OBJETO, TEM O
SEGUINTE TRAJETO: 249 – A
(A) PENETRA PERPENDICULARMENTE AO MAIOR EIXO
(B) INCIDE PARALELAMENTE AO MAIOR EIXO 250 - D
(C) TANGENCIA O MAIOR EIXO
(D) PERCORRE O MAIOR EIXO
(E) N.R.A.

249- NUM PACIENTE POLITRAUMATIZADO COM CONTUSÃO PARIETO-OCCIPITAL, AS INCIDÊNCIAS


DE ROTINA, ALÉM DO PERFIL, SÃO:
(A) PA E REVERCHON
(B) AP E CALDWELL
(C) PA E BRETTON
(D) PA E HIRTZ
(E) N.R.A.

250- A INCIDÊNCIA DE HJELM-LAURELL É FEITA COM O R.C. E O PACIENTE NAS SEGUINTES


POSIÇÕES, RESPECTIVAMENTE:
(A) VERTICAL E PERFIL
(B) HORIZONTAL E LORDOSE
(C) VERTICAL E DECÚBITO DORSAL
(D) HORIZONTAL E DECÚBITO LATERAL
(E) N.R.A.
GABARITO:

251 – B
251- PARA SE OBTER O MÁXIMO DE DETALHE DE UMA RADIOGRAFIA DE MÃO, DEVE-SE FAZER A
INCIDÊNCIA SEM O ECRAN. PARA SE CONSEGUIR A RADIOGRAFIA, EM RELAÇÃO AO REGIME
252 – A
BÁSICO, DEVE-SE SOMAR 3KV E MULTIPLICAR O mAs POR:
(A) 10 253 - B
(B) 20
(C) 30
(D) 40
(E) 50

252- ESCANOMETRIA É UM EXAME REALIZADO PARA A MENSURAÇÃO DE:


(A) MEMBROS INFERIORES
(B) DIÂMETROS DA PELVE
(C) LORDOSES LOMBARES
(D) CIFOESCOLIOSES
(E) PERIMETRO CRANIANO

253- NO ESTUDO RADIOLÓGICO DAS ARTICULAÇÕES SACRO - ILÍACAS, DEVEMOS REALIZAR AS


INCIDÊNCIAS:
(A) OBLÍQUAS E LAWENSTEIN
(B) OBLÍQUAS E FERGUSON
(C) PERFIL E LAWENSTEIN
(D) PERFIL E FERGUSON
(E) FERGUSON E GAYNE HART
GABARITO:

254 – C
254- DAS INCIDÊNCIAS ABAIXO, AQUELAS EM QUE SE USA COM VANTAGEM A PROPRIEDADE
DIVERGENTE DOS RAIOS SÃO: 255 – B
(A) PA DE OMOPLATA E AXIAL DE CALCÂNIO
(B) PA DE COLUNA TORÁCICA E AP DE COLUNA LOMBAR 256 - B
(C) AP DE COLUNA TORÁCICA E PA DE COLUNA LOMBAR
(D) AP DA COLUNA CERVICAL E PA DA COLUNA LOMBAR
(E) PA DA COLUNA TORÁCICA E AP DA COLUNA CERVICAL

255- A COLUNA DORSO-LOMBAR, QUE APRESENTA ESCOLIOSE EM S INVERTIDO, DEVE SER


RADIOGRAFADA EM PERFIL, NOS SEGUINTES SEGMENTOS DORSAL E LOMBAR,
RESPECTIVAMENTE:
(A) DIREITO-DIREITO
(B) ESQUERDO-DIREITO
(C) DIREITO-ESQUERDO
(D) ESQUERDO-ESQUERDO
(E) NÃO EXISTE MOTIVO PARA PREFERÊNCIA DE LADO NA CURVATURA QUANDO DA REALIZAÇÃO
DO PERFIL

256- A INCIDÊNCIA DE CRÂNIO NA QUAL SE VISUALIZAM OS PROCESSOS CLINÓIDES ANTERIOR E


POSTERIOR DA SELA TURCA É:
(A) HIRTZ
(B) PERFIL
(C) REVERCHON
(D) PÓSTERO-ANTERIOR
(E) CHAUSSÉ II
GABARITO:

257 – B
257- NUMA UROGRAFIA EXCRETORA, O MELHOR PREPARO DO PACIENTE SE FAZ COM:
(A) DIETA LIVRE, PURGATIVO E JEJUM 258 – D
(B) RESTRIÇÃO DE LÍQUIDO, LAXATIVO, ANTI FLATULÊNTICO E JEJUM
(C) LÍQUIDO À VONTADE, DIETA SÓLIDA E LAVAGEM INTESTINAL 259 - C
(D) LÍQUIDO MODERADO, DIETA PASTOSA E LAVAGEM INTESTINAL
(E) N.R.A.

258- A INCIDÊNCIA EM AP PARA ARTICULAÇÕES COXOFEMORAIS COM OS FÊMURES QUASE EM


PERFIL É A DE:
(A) THOMS
(B) FERGUSON
(C) VON ROSEN
(D) LOWENSTEIN
(E) SOLIDÔNIO LACERDA

259 – O OSSO MALAR TEM EXCELENTE DEFINIÇÃO NA SEGUINTE PROJEÇÃO:


(A) INCIDÊNCIA DE LOWENSTEIN
(B) INCIDÊNCIA DE GAYNER-HART
(C) INCIDÊNCIA DE SOLIDÔNIO LACERDA
(D) INCIDÊNCIA DE VAN ROSEN
(E) INCIDÊNCIA DE RHEESE
GABARITO:

260 – A
260- A TÉCNICA QUE UTILIZA O MOVIMENTO DAS ESTRUTURAS SUPERPOSTAS À REGIÃO A SER
ESTUDADA, DENOMINA-SE: 261 – B
(A) AUTOTOMOGRAFIA
(B) AUTOCINEGRAFIA 262 - C
(C) TOMOGRAFIA AXIAL
(D) TOMOGRAFIA LINEAR
(E) AUTOTOMODENSITOGRAFIA

261- NA TOMOGRAFIA LINEAR, A ESPESSURA DO CORTE ESTÁ DIRETAMENTE RELACIONADA COM:


(A) TEMPO DE EXPOSIÇÃO
(B) ANGULAÇÃO DA AMPOLA
(C) ECRAN INTENSIFICADOR
(D) QUILOVOLTAGEM UTILIZADA
(E) VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO DO TUBO

262- A INCIDÊNCIA DE HJELM-LAURELL É IMPORTANTE NA PESQUISA DE:


(A) PNEUMOTÓRAX
(B) CORPO ESTRANHO
(C) DERRAME PLEURAL
(D) PNEUMOMEDIASTINO
(E) FRATURA DE ARCO COSTAL
GABARITO:

263 – E
263- NA SUSPEITA DE PEQUENA LÂMINA DE PNEUMOTÓRAX EM PACIENTE QUE SOFREU TRAUMA
TORÁCICO DEVEMOS FAZER RADIOGRAFIAS DO TÓRAX EM: 264 – E
(A) AP E PERFIL EM EXPIRAÇÃO PROFUNDA
(B) PA E PERFIL EM INSPIRAÇÃO PROFUNDA 265 - B
(C) PA EM INSPIRAÇÃO PROFUNDA E PERFIL
(D) AP EM INSPIRAÇÃO E EXPIRAÇÃO PROFUNDAS E PERFIL
(E) PA EM INSPIRAÇÃO E EXPIRAÇÃO PROFUNDAS E PERFIL

264- O ESTUDO RADIOLÓGICO CONVENCIONAL DO "CAVUM" EM PACIENTE ADULTO DEVE SER


FEITO COM AS SEGUINTES INCIDÊNCIAS:
(A) PA E HIRTZ
(B) HIRTZ E AP
(C) AP E PERFIL
(D) PA E PERFIL
(E) PERFIL E HIRTZ

265- O ESTUDO RADIOGRÁFICO DA COLUNA CERVICAL, EM PACIENTE TETRAPLÉGICO QUE


SOFREU ACIDENTE AUTOMOBILÍSTICO, INCLUI AS INCIDÊNCIAS EM AP E :
A) PERFIL COM RAIOS VERTICAIS
(B) PERFIL COM RAIOS HORIZONTAIS
(C) PERFIL EM EXTENSÃO COM RAIOS HORIZONTAIS
(D) TRANSORAL COM ANGULAÇÃO CEFÁLICA DOS RAIOS
(E) PÓSTERO-ANTERIOR COM ANGULAÇÃO PODÁLICA DOS RAIOS
GABARITO:

266 – C
266- NA INCIDÊNCIA TRANSORBITÁRIA BILATERAL, O RAIO CENTRAL DEVE SER DIRIGIDO PARA:
(A) BREGMA 267 – A
(B) GLABELA
(C) "NASION" 268 - D
(D) OCCIPÍCIO
(E) CORÔA DOS DENTES INCISIVOS CENTRAIS

267- NA INCIDÊNCIA DE GUILLEN, A CABEÇA DEVE SER RODADA PARA O LADO A SER EXAMINADO
CERCA DE:
(A) 5º
(B) 15º
(C) 20º
(D) 25º
(E) 30º

268- PARA O ESTUDO DAS MASTÓIDES, A INCLINAÇÃO DO RAIO CENTRAL NA INCIDÊNCIA DE


SCHÜLLER DEVE SER DE:
(A) 40º CAUDAL
(B) 30º NEUTRO
(C) 25º NEUTRO
(D) 25º CAUDAL
(E) 25º CEFÁLICO
GABARITO:

269 – D
269- A INCIDÊNCIA DE MAYER É UTILIZADA PARA O ESTUDO DO:
(A) MAXILAR SUPERIOR 270 – B
(B) ESFENOIDAL
(C) PARIETAL 271 - C
(D) TEMPORAL
(E) VÔMER

270 – O MÉTODO DE OTTONELLO AVALIA:


(A) COLUNA LOMBAR
(B) COLUNA CERVICAL
(C) COLUNA TORÁCICA
(D) O JOELHO
(E) O QUADRIL

271- PARA O ESTUDO DO MACIÇO FACIAL UTILIZAMOS A INCIDÊNCIA DE:


(A) MAYER
(B) HIRTZ
(C) WATERS
(D) BRETTON
(E) GUILLEN
GABARITO:

272 – E
272- SÃO INCIDÊNCIAS QUE VISAM AO ESTUDO DOS CONDILOS MANDIBULARES E DAS
ARTICULAÇÕES TEMPOROMANDIBULARES: 273 – D
(A) PERFIL E HIRTZ
(B) HIRTZ E BRETTON 274 - D
(C) BRETTON E PERFIL
(D) SCHÜLLER E PERFIL
(E) BRETTON E SCHULLER

273- A INCIDÊNCIA OBLÍQUA POSTERIOR DIREITA DO TÓRAX É FEITA COM A ANGULAÇÃO DE:
(A) 30º
(B) 35º
(C) 50º
(D) 60º
(E) 75º

274- A INCIDÊNCIA DE POROT ESTUDA:


(A) O OCCIPITAL
(B) O FRONTAL
(C) O ROCHEDO
(D) O BURACO RASGADO POSTERIOR
(E) O PROCESSO ODONTÓIDE DA AXIS
GABARITO:

275 – C
275- PARA A REALIZAÇÃO DE RADIOGRAFIA DO FÊMUR RECENTEMENTE GESSADO (GESSO AINDA
ÚMIDO), EM PACIENTE ADULTO, O REGIME TÉCNICO HABITUAL DEVE SER ACRESCIDO DE:
276 – E
(A) 5 KV
(B) 8 KV 277 - E
(C) 12 KV
(D) 20 KV
(E) 25 KV

276- A RADIOGRAFIA PANORÂMICA DA BACIA EM POSIÇÃO ORTOSTÁTICA VISA PRINCIPALMENTE A


PESQUISA DE:
(A) SUBLUXAÇÃO COXOFEMORAL
(B) FRATURA NOS ACETÁBULOS
(C) LUXAÇÃO DA SÍNFISE PÚBICA
(D) INSTABILIDADE SACRO - ILÍACA
(E) DESNÍVEL DAS CRISTAS ILÍACAS

277- EM CASO DE CORPO ESTRANHO NA REGIÃO DA MÃO FAREMOS:


(A) AP E PERFIL
(B) AP E OBLÍQUA
(C) AP E INCIDÊNCIA DE NOGART
(D) PA E OBLÍQUA
(E) PA E PERFIL
GABARITO:

278 – A
278- EM CASO DE SUSPEITA DE FRATURA NO 3º METACARPIANO FAR-SE-À:
(A) PA E OBLÍQUA ANTERIOR INTERNA 279 – E
(B) AP E OBLÍQUA ANTERIOR INTERNA
(C) AP E PERFIL INTERNO 280 - C
(D) PA E PERFIL EXTERNO
(E) PA E OBLÍQUA ANTERIOR EXTERNA

279- O QUE É INCIDÊNCIA DE NOGART?


(A) PERFIL EM EXTENSÃO DE MÃO
(B) PA DE MÃO
(C) PERFIL DE MÃO
(D) OBLÍQUA ANTERIOR INTERNA DE MÃO C/45º
(E) OBLÍQUA POSTERIOR INTERNA DE MÃO C/45º

280- PARA ESTUDO DO OSSO PSIFORME PODEMOS FAZER A INCIDÊNCIA:


(A) O.A.I.
(B) O.P.E.
(C) O.P.I.
(D) PA
(E) PERFIL
GABARITO:

281 – E
281- A INCIDÊNCIA PARA VISUALIZAÇÃO DO CANAL CARPEANO É:
(A) O.P.E. 282 – D
(B) STECHER
(C) O.P.I. 283 - E
(D) PA COM DESVIO CUBITAL
(E) GAYNER HART

282- QUAL O ÂNGULO FORMADO ENTRE O CHASSIS E O PLANO HORIZONTAL NA INCIDÊNCIA DE


PFEIFER?
(A) 53 º
(B) 45 º
(C) 47 º
(D) 37 º
(E) 17 º

283- QUAIS AS INCIDÊNCIAS DE ROTINA PARA ESTUDO DO PUNHO:


(A) PA E INCIDÊNCIA DE GAYNER HART
(B) O.P.I. E O.P.E.
(C) AP E PERFIL
(D) AP E O.P.E.
(E) PA E PERFIL
GABARITO:

284 – C
284- CONSIDERANDO-SE QUE A SELA TÚRCICA ESTÁ SITUADA A 2,5 cm PARA A FRENTE E PARA
CIMA DO CONDUTO AUDITIVO EXTERNO, A EXPLORAÇÃO RADIOGRÁFICA, INICIALMENTE,285 – E
SERÁ:
(A) AP E PA 286 - E
(B) HIRTZ RIGOROSO
(C) PERFIL RIGOROSO
(D) OBLÍQUA DIREITA
(E) OBLÍQUA ESQUERDA

285- AS INCIDÊNCIAS DE SCHÜLLER, TRASORBITÁRIA E DE STENVERS SÃO USADAS PARA O


ESTUDO DA SEGUINTE REGIÃO:
(A) MANDÍBULA
(B) ATLAS E ÁXIS
(C) SEIOS FRONTAIS
(D) APÓFISE CLINÓIDE
(E) MASTÓIDE E ROCHEDO

286- A ROTINA IDEAL PARA O EXAME RADIOLÓGICO DO ABDOME AGUDO É:


(A) AP, PA, PERFIL, OBLÍQUA EM ORTOSTÁTICA
(B) PA DE TÓRAX, AP EM ORTOSTÁTICA, PA EM ORTOSTÁTICA E PERFIL
(C) AP EM DECÚBITO DORSAL, PERFIL, OBLÍQUA EM DECÚBITO DORSAL COM RAIOS HORIZONTAIS
(D) PA DE TÓRAX, PERFIL DE TÓRAX, AP EM ORTOSTÁTICA, DECÚBITO DORSAL COM RAIOS
HORIZONTAIS
(E) AP EM DECÚBITO DORSAL, AP EM ORTOSTÁTICA, DECÚBITO DORSAL COM RAIOS HORIZONTAIS
E PA DE TÓRAX
GABARITO:

287 – B
287- A INCIDÊNCIA DE LOWENSTEIN É USADA PARA O MELHOR ESTUDO DA REGIÃO:
(A) SACRO - ILÍACA 288 – C
(B) COXOFEMURAL
(C) DORSOLOMBAR 289 - A
(D) SACROCOCCÍGEA
(E) DISTAL DO FÊMUR

288- AS INCIDÊNCIAS BÁSICAS PARA A REALIZAÇÃO DO EXAME DA COLUNA VERTEBRAL SÃO:


(A) PA, AP E PERFIL EM EXTENSÃO
(B) AP, OBLÍQUA DIREITA, PA E PERFIL
(C) AP, PERFIL E OBLÍQUAS DIREITA E ESQUERDA
(D) OBLÍQUA DIREITA, OBLÍQUA ESQUERDA E PERFIL EM FLEXÃO
(E) PA, OBLÍQUA ESQUERDA, OBLÍQUA DIREITA E PERFIL EM FLEXÃO

289- EM UM EXAME DE ABDOME SIMPLES, ALÉM DE SE VISUALIZAREM ESTRUTURAS COMO


COLUNA LOMBAR, ILÍACOS E CONTORNOS RENAIS, SÃO VISUALIZADOS OS MÚSCULOS:
(A) PSOAS
(B) DELTÓIDES
(C) TRAPÉZIOS
(D) CARDÍACOS
(E) RETOABIDOMINAIS
GABARITO:

290 – C
290- O EXAME DE SIALOGRAFIA DEVE SER UTILIZADO QUANDO SE PRETENDE EXPLORAR:
(A) CANAL LACRIMAL 291 – B
(B) CAVIDADE NASAL
(C) GLÂNDULAS SALIVARES 292 - D
(D) BURACO RASGADO POSTERIOR
(E) ESÔFAGO, ESTÔMAGO E DUODENO

291- NO EXAME DE COLECISTOGRAMA ORAL, ESTUDA-SE:


(A) O CÓLON
(B) A VESÍCULA
(C) O DUODENO
(D) O ESTÔMAGO
(E) O INTESTINO GROSSO

292- A INCIDÊNCIA TRANSTORÁCICA É UTILIZADA PARA O MELHOR ESTUDO:


(A) DO ESTERNO
(B) DA CLAVÍCULA
(C) DO MEDIASTINO
(D) DO COLO-UMERAL
(E) DAS COSTELAS FLUTUANTES
GABARITO:

293 – E
293- EM UM EXAME DE TÓRAX, PARA MELHOR AVALIAÇÃO DOS ÁPICES PULMONARES, INCLUI-SE A
SEGUINTE INCIDÊNCIA: 294 – D
(A) PERFIL DIREITO
(B) AP PENETRADO 295 - A
(C) PA PENETRADO
(D) PERFIL ESQUERDO
(E) ÁPICO-LORDÓTICA

294- REALIZAR SERVIÇOS DE ACORDO COM UM PADRÃO ACEITO DE PRÁTICA É DEMONSTRAR


EXPERIÊNCIA E RESPONSABILIDADE. DAS ALTERNATIVAS ABAIXO, A QUE NÃO APRESENTA
UMA ATITUDE ÉTICO-PROFISSIONAL DO TÉCNICO EM RADIOLOGIA É:
(A) RESPEITAR CONFIDÊNCIAS FEITAS DURANTE A PRÁTICA PROFISSIONAL
(B) DEMONSTRAR EXPERIÊNCIA NA LIMITAÇÃO DA EXPOSIÇÃO RADIOLÓGICA
(C) PROTEGER O DIREITO DO PACIENTE DE RECEBER UMA ASSISTÊNCIA DE QUALIDADE
(D) COMENTAR SOBRE O EXAME REALIZADO ANTES MESMO DO MÉDICO RADIOLOGISTA
(E) RESPONDER ÀS NECESSIDADES DO PACIENTE E APOIAR COLEGAS NA PRESTAÇÃO DE
ASSISTÊNCIA DE QUALIDADE

295- PARA UM MELHOR ESTUDO DO CALCÂNEO UTILIZAM-SE AS SEGUINTES INCIDÊNCIAS:


(A) PERFIL E AXIAL
(B) AP E OBLÍQUA DIREITA
(C) PERFIL E OBLÍQUA DIREITA
(D) AP E OBLÍQUA ESQUERDA
(E) PERFIL E OBLÍQUA ESQUERDA
GABARITO:

296 – A
296- A ROTINA MÍNIMA INDICADA PARA A REALIZAÇÃO DE UM EXAME DE OMBRO EM UM PACIENTE
COM TRAUMA E POSSÍVEL FRATURA OU LUXAÇÃO É: 297 – E
(A) AP NEUTRO, TRANSTORÁCICA
(B) AP COM ROTAÇÃO EXTERNA, AP NEUTRO E AXIAL 298 - A
(C) TRANSTORÁCICA, AP COM ROTAÇÃO INTERNA E AXIAL
(D) AP NEUTRO, AP COM ROTAÇÃO INTERNA E AP COM ROTAÇÃO EXTERNA
(E) OBLÍQUA APICAL, AP COM ROTAÇÃO INTERNA E AP COM ROTAÇÃO EXTERNA

297- A INCIDÊNCIA EM QUE O PACIENTE ESTÁ DEITADO SOBRE O SEU LADO ESQUERDO E O FEIXE
DE RAIOS X É DIRECIONADO HORIZONTALMENTE AO SEU CORPO É:
(A) PA ORTOSTÁTICA
(B) OBLÍQUA DIREITA
(C) PERFIL ESQUERDO
(D) OBLÍQUA ESQUERDA
(E) DECÚBITO LATERAL ESQUERDO

298- NA INCIDÊNCIA DE FERGUSON, A ANGULAÇÃO DO RC PARA O HOMEM É:


(A) MENOR QUE PARA A MULHER
(B) MAIOR QUE PARA A MULHER
(C) A MESMA QUE PARA A MULHER
(D) CEFÁLICA E, PARA A MULHER, CAUDAL
(E) N.R.A.
GABARITO:

299 – C
299- CONSTITUI CONTRA-INDICAÇÃO FORMAL PARA UROGRAFIA EXCRETORA:
(A) HIPERSENSIBILIDADE À PENICILINA 300 – B
(B) HIPERSENSIBILIDADE À SULFA
(C) HIPERSENSIBILIDADE À IODO 301 - C
(D) ASMA BRÔQUICA
(E) HIPERTENSÃO ARTERIAL

300 – A LINHA HORIZONTAL ALEMÃ INCIDÊNCI (LHA) É UM REPARO ANATÔMICO UTILIZADO PARA O
POSICIONAMENTO DE;
(A) PA DE CRÂNIO
(B) PERFIL DE CRÂNIO
(C) TRANSORBITÁRIA PARA O OSSO TEMPORAL
(D) OBLÍQUAS PARA SELAS ETMOIDAIS
(E) INCIDÊNCIA DE MENTO NASO

301- "SPOT FILMES" SIGNIFICA RADIOGRAFIA LOCALIZADA, A INCIDÊNCIA DE "TUNEL VIEW" É


INDICADA PARA O ESTUDO DE:
(A) ESCÁPULAS
(B) ARTICULAÇÕES ACRÔNICO-CLAVICULARES
(C) JOELHOS
(D) FENDAS ESFENOIDAIS
(E) CALCÂNEOS
GABARITO:

302 – B
302- A PESQUISA DA PTOSE EM UMA UROGRAFIA EXIGE:
(A) RADIOGRAFIA PANORÂMICA EM DECÚBITO VENTRAL 303 – D
(B) RADIOGRAFIA PANORÂMICA EM POSIÇÃO ORTOSTÁTICA
(C) CORTES TOMOGRAFICOS DAS LOJAS RENAIS 304 - A
(D) INJEÇÃO RÁPIDA DO CONTRASTE
(E) RADIOGRAFIA PANORÂMICA PÓS-MICCIONAL

303- ASSINALE A AFIRMATIVA INCORRETA:


(A) A INCIDÊNCIA DE VON ROSEN É IMPORTANTE NO ESTUDO DAS LUXAÇÕES COXO-FEMURAIS
(B) A INCIDÊNCIA DE LOWENSTEIN É IMPORTANTE NO ESTUDO DAS COXOS -FEMURAIS
(C) A INCIDÊNCIA DE RÃ DEVE SER FEITA EM DECÚBITO DORSAL
(D) A RADIOGRAFIA DE LOWENSTEIN É IMPORTANTE NO ESTUDO DAS ARTICULAÇÕES SACRO-
ILÍACAS
(E) AS INCIDÊNCIAS DE VON ROSEN E LOWENSTEIN DEVEM SER COMPARATIVAS

304- ASSINALE A AFIRMAÇÃO INCORRETA


(A) CISTOGRAFIA É UM EXAME UTILIZADO PARA O ESTUDO DAS VEIAS URINARIAS SUPERIORES
(B) A PIELOGRAFIA RETROGRADA É OUTRO MÉTODO USADO NO EXAME DAS VEIAS URINARIAS
(C) A POSIÇÃO DE TRENDELENBURG É UTILIZADA QUANDO O PACIENTE NÃO TOLERA DISPOSITIVO
DE COMPRESSÃO EM UMA UROGRAFIA EXCRETORA
(D) UTILIZA-SE A UROGRAFIA POR INFISÃO, GOTA À GOTA SOBRE TUDO EM PACIENTES COM
INSUFICIÊNCIA RENAL
(E) A ANGIOGRAFIA RENAL PERMITE O ESTUDO RADIOGRÁFICO
GABARITO:

305 – E
305- ASSINALE O PROCEDIMENTO CORRETO NUM EXAME PARA FRATURAS DO COLO CIRÚRGICO
DO ÚMERO: 306 – E
(A) FORÇAR POSIÇÃO DE SUPINAÇÃO
(B) FORÇAR POSIÇÃO DE PRONAÇÃO 307 - D
(C) NA INCIDÊNCIA EM PERFIL O BRAÇO LESADO DEVE FICAR EM ABDUÇÃO DE 90º
(D) NA INCIDÊNCIA EM PERFIL O BRAÇO LESADO DEVE FICAR EM ABDUÇÃO DE 45º
(E) A INCIDÊNCIA EM PERFIL DEVE SER TRANS-TORÁCICA

306- MARQUE A AFIRMATIVA CORRETA:


(A) O PERFIL DA COLUNA CERVICAL DEVE SER FEITO EM TELERADIOGRAFIA
(B) A TRANS ORAL É A INCIDÊNCIA PARA O ESTUDO RADIOLÓGICO DO ATLAS E AXIS E DAS
ARTICULAÇÕES OCEPTO-ATLOIDEA E ATLO-AXOIDEA
(C)AS RADIOGRAFIAS OBLÍQUAS DE COLUNA CERVICAL TEM O OBJETIVO DE VISUALIZAR OS
FORAMES DE CONJUGAÇÃO
(D) NAS OBLÍQUAS DE COLUNA CERVICAL DEVEM SER FEITAS AS OBLÍQUAS ANTERIORES
(E) TODAS AS RESPOSTAS ESTÃO CORRETAS

307- NO EXAME DA COLUNA VERTEBRAL PARA ESTUDO DE ESCOLIOSE QUAL O MELHOR


POSICIONAMENTO:
(A) DECÚBITO DORSAL
(B) SEMI-DECÚBITO LATERAL
(C) DECÚBITO LATERAL
(D) ORTOSTÁTICA
(E) INCIDÊNCIAS OBLIQUAS
GABARITO:

308 – D
308- PARA MELHOR DEMONSTRAÇÃO DAS VÉRTEBRAS TORÁCICAS DEVEMOS FAZER O PERFIL EM:
(A) APNÉIA INSPIRATÓRIA 309 – E
(B) RESPIRAÇÃO LENTA E TEMPO LONGO
(C) APNÉIA EXPIRATÓRIA 310 - A
(D) AS ALTERNATIVAS A E B ESTÃO CORRETAS
(E) N.R.A.

309- QUANDO SUSPEITAMOS DE DESLIZAMENTO DAS VÉRTEBRAS LOMBARES, QUAL A MELHOR


INCIDÊNCIA:
(A) AP ORTOSTÁTICO
(B) PERFIL EM EXTENSÃO
(C) PA
(D) PERFIL EM FLEXÃO
(E) AS OPÇÕES A E B ESTÃO CORRETAS

310- O PARÂMETRO PARA SE TER CERTEZA DE UM POSICIONAMENTO PERFEITO EM OBLÍQUAS DA


COLUNA LOMBAR É:
(A) O APARECIMENTO DO CACHORRINHO DE LACHAPELLE
(B) O APARECIMENTO DO FORAME TRANSVERSO
(C) O APARECIMENTO DO PROCESSO ESPINHOSO
(D) TODAS ESTÃO CORRETAS
(E) N.R.A.
GABARITO:

311 – C
311- NO EXAME DE COCCIX A INCIDÊNCIA AP O RAIO CENTRAL TEM:
(A) UMA INCLINAÇÃO PODÁLICA DE 25º 312 – B
(B) UMA INCLINAÇÃO CEFÁLICA DE 25º
(C) UMA INCLINAÇÃO PODÁLICA TANTOS GRAUS QUANTOS FOREM DETECTADOS PELA INCIDÊNCIA
313 - A
EM PERFIL
(D) UMA INCLINAÇÃO CEFÁLICA DE 5º
(E) O RAIO CENTRAL DEVE INCIDIR PERPENDICULARMENTE A MESA DE EXAMES

312- QUAL A ROTINA DO EXAME DE CÓCCIX?


(A) PA
(B) AP E PERFIL
(C) PA E PERFIL ESQUERDO
(D) PERFIL ESQUERDO
(E) OAD E PA

313- QUAL A INCIDÊNCIA QUE MOSTRA MELHOR O ESCAFÓIDE CARPEANO?


(A) PA COM DESVIO ULNAR
(B) PA COM DESVIO RADIAL
(C) PERFIL EXTERNO
(D) PERFIL INTERNO
(E) INCIDÊNCIA DE SHULLER
GABARITO:

314 – C
314- EM QUE CONSISTE O TESTE DE ABEL NO EXAME DE COLUNA VERTEBRAL EM CASO DE
ESCOLIOSE: 315 – D
(A) AP EM HIPER FLEXÃO E HIPER EXTENSÃO
(B) NO OBJETIVO DE OBSERVAR UMA LORDOSE ASSOCIADO A ESCOLIOSE 316 - B
(C) EM UM AP EM HIPER LATERALIZAÇÃO DIREITA E ESQUERDA
(D) EM PESQUISAS DE CIFOSE ASSOCIADA A ESCOLIOSE
(E) AVALIAR AS LORDOSES E CIFOSES FISIOLÓGICAS DOS SEGUIMENTOS DA COLUNA VERTEBRAL

315- PARA OBSERVAR QUALQUER DESVIO NA COLUNA VERTEBRAL O EXAME DEVE SER FEITO:
(A) SENTADO COM SAPATO
(B) DEITADO COM SAPATO
(C) EM PÉ COM SAPATO
(D) EM PÉ DESCALSO
(E) DEITADO SEM SAPATO

316- A RADIOGRAFIA LOCALIZADA DE QUALQUER REGIÃO DO CORPO HUMANO CHAMA-SE:


(A) NEPROTOMOGRAFIA
(B) SPOT-FILM
(C) TRANSBUCAL
(D) AXIAL
(E) PA.
GABARITO:

317 – D
317- DIZ-SE QUE UM PA DO TÓRAX ESTÁ RIGOROSO QUANDO:
(A) AS OMPLATAS ESTÃO FORA DA PROJEÇÃO DOS PULMÕES 318 – D
(B) AS CÚPULAS DIAFRAGMÁTICAS ESTÃO NO MESMO NÍVEL
(C) AS ARTICULAÇÕES ESCÁPULO UMERAIS ESTÃO NA MESMA ALTURA 319 - E
(D) AS ARTICULAÇÕES ESTERNOCLAVICULARES ESTÃO EQUIDISTANTES DO PROCESSO
ESPINHOSO DA COLUNA TORÁCICA
(E) O MEDIASTINO SE APRESENTA ENTRE OS DOIS PULMÕES

318- A INCIDÊNCIA DE HIRTZ É A MAIS INDICADA NO ESTUDO DA SEGUINTE REGIÃO:


(A) TEMPORAL (ROCHEDO)
(B) OCCIPITAL
(C) SEIOS FRONTAIS
(D) BASE DO CRÂNIO
(E) CERVICAL INFERIOR

319- NÃO ENTRA NA ROTINA DO ABDÔME AGUDO, A SEGUINTE INCIDÊNCIA:


(A) PA DO TÓRAX
(B) ABDÔMEN EM AP-ORTOSTÁTICO
(C) ABDÔMEN EM AP-DECÚBITO DORSAL
(D) ABDÔMEN EM DECÚBITO LATERAL ESQUERDO
(E) TESTE DE ABEL
GABARITO:

320 – C
320- UM OBJETO PODE SER ANALIZADO NAS SUAS TRÊS DIMENSÕES QUANDO RADIOGRAFADO
NAS SEGUINTES INCIDÊNCIAS: 321 – C
(A) PA E AP
(B) PA E OAD 322 - B
(C) PA E PERFIL
(D) PERFIL E OAD
(E) OAD E OAE

321- A INCIDÊNCIA ABAIXO QUE UTILIZA COM VANTAGEM A LEI DA GRAVIDADE É:


(A) HIRTZ
(B) BELLOT
(C) LAURELL
(D) STENVERS
(E) CHAUSSÉ III

322- A ORTOPANTOMOGRAFIA É A RADIOGRAFIA PANORÂMICA DA:


(A) BACIA
(B) ARCADAS DENTÁRIA
(C) COLUNA VERTEBRAL
(D) ARTICULAÇÃO ESCAPULOUMERAL
(E) ARTICULAÇÃO ESCÁPULO-UMERAL
GABARITO:

323 – A
323- A DACRIOCISTOGRAFIA É O EXAME CONTRASTADO DA SEGUINTE GLÂNDULA:
(A) LACRIMAL 324 – C
(B) TIREÓIDE
(C) PITUITÁRIA 325 - A
(D) PARATIREÓIDE
(E) MAMÁRIA

324- A INCIDÊNCIA DE REVERCHON (BRETTON) É A MAIS INDICADA NO ESTUDO DA SEGUINTE


REGIÃO DO CRÂNIO:
(A) LATERAL ESQUERDA
(B) LATERAL DIREITA
(C) POSTERIOR
(D) ANTERIOR
(E) SEIO ESFENOIDAL

325- COM RELAÇÃO AO RAIO CENTRAL NA INCIDÊNCIA DE HIRTZ, PODE-SE AFIRMAR QUE INCIDE:
(A) PERPENDICULAR À LINHA HORIZONTAL ALEMÃ
(B) PARALELO À LINHA HORIZONTAL ALEMÃ
(C) INCLINADO 45º PODÁLICOS EM RELAÇÃO A LHA
(D) INCLINADO 45º CEFÁLICOS EM RELAÇÃO A LHA
(E) INCLINADO 25º CEFÁLICOS EM RELAÇÃO A LHA
GABARITO:

326 – C
326- A INCIDÊNCIA EM QUE MELHOR SE OBSERVAA ARTICULAÇÃO TEMPORO-MANDIBULAR EM
PERFIL É: 327 – C
(A) HIRTZ
(B) REESE 328 - A
(C) SCHULLER
(D) REVERCHON
(E)CHAUSSÉIII

327- PARA EXAMINAR A REGIÃO CARINAL, O TÉCNICO DEVE RADIOGRAFAR:


(A) A BACIA
(B) O PESCOÇO
(C) O MEDIASTINO
(D) A COLUNA LOMBAR
(E) O JOELHO

328 – NA INCIDÊNCIA APICOLORDÓTICA CLÁSSICA, COM RAIO CENTRAL PERPENDICULAR DEVE-SE


CONSIDERAR QUE:
(A) SOMENTE A REGIÃO PÓSTERO-SUPERIOR DO TRONO ESTÁ APOIADA NA ESTATIVA
(B) ESTA INCIDÊNCIA ESTÁ INDICADA NAS SUSPEITAS DE DERRAME PLEURAL
(C) O RAIO CENTRAL TEM INCLINAÇÃO CEFÁLICA DE 25º, PENETRANDO NO ÂNGULO
ESTERNAL(ÂNGULO DE LOUIS)
(D) OS BRAÇOS DEVEM ESTAR CRUZADOS SOBRE A CABEÇA
(E) QUE A LINHA HORIZONTAL ALEMÃ FAÇA 45º COM O PLANO DA ESTATIVA
GABARITO:

329 – D
329 – NO ESTUDO RADIOLÓGICO DO TÓRAX PODE-SE DIZER QUE:
(A) DEVE-SE MEDIR A ESPESSURA DA REGIÃO EM INSPIRAÇÃO MÁXIMA 330 – E
(B) NOS CASOS DE SUSPEITA DE FRATURAS DE COSTELA, AS INCIDÊNCIAS DE ROTINA SÃO PA E
PERFIL 331 - B
(C) QUANDO NÃO VIER ESPECIFICADO O LADO DO PERFIL, DEVE-SE SEMPRE FAZER O DIREITO
(D) NA INCIDÊNCIA EM PA, A CABEÇA NÃO DEVERÁ ESTAR RODADA PARA NENHUM DOS LADOS
(E) O RAIO CENTRAL INCIDE AO NÍVEL DA 1º VERTEBRA LOMBAR

330- QUAL A TÉCNICA QUE MELHOR SE APLICA PARA A EXECUÇÃO DE UMA RADIOGRAFIA DE
CRÂNIO EM AP E NO BUCKY (GRADE), EM UMA CRIANÇA COM APROXIMADAMENTE 2 ANOS DE
IDADE?
(A) 200 MAS E 80 KV
(B) 150 MAS E 70 KV
(C) 100 MAS E 60 KV
(D) 50 MAS E 70 KV
(E) 30 MAS E 60 KV

331- A INCIDÊNCIA DE CHASSARD-LAPINÉ É UTILIZADA PARA O ESTUDO:


(A) DE TODO O INTESTINO DELGADO
(B) DO RETO E DO SIGMÓIDE
(C) DA BEXIGA E DA URETRA
(D) DO ESTÔMAGO E DO DUODENO
(E) DO PÂNCREAS
GABARITO:

332 – A
332- A INCIDÊNCIA DO JOELHO QUE MELHOR PERMITE A ANÁLISE DA FOSSA INTERCONDILIANA DO
FÊMUR, É: 333 – B
(A) TÚNEL VIEW
(B) AP 334 - C
(C) OBLÍQUA INTERNA
(D) OBLÍQUA EXTERNA
(E) PERFIL

333 – NA INCIDÊNCIA DE SCHÜLLER PARA ESTUDO DA ARTICULAÇÃO TEMPOROMANDIBULAR,


BOCA ABERTA E FECHADA, O RAIO CENTRAL, COM UMA INCLINAÇÃO PODÁLICA DE 25º A 30º
PENETRA:
(A) ENTRE 6 E 7,5 cm ACIMA DA ARTICULAÇÃO TEMPOROMANDIBULAR MAIS AFASTADA DO FILME
(B) ENTRE 4 E 5,5 cm ACIMA DA ARTICULAÇÃO TEMPOROMANDIBULAR MAIS AFASTADA DO FILME
(C) EXATAMENTE NO NÍVEL DA ARTICULAÇÃO TEMPOROMANDIBULAR MAIS AFASTADA DO FILME
(D) ENTRE 2 E 3,5 cm ABAIXO DA ARTICULAÇÃO TEMPOROMANDIBULAR MAIS AFASTADA DO FILME
(E) ENTRE 10 E 20 cm ACIMA DO CONDUTO AUDITIVO EXTERNO MAIS PRÓXIMO AO FILME

334- NO PERFIL DO COTOVELO, O ÂNGULO DE FLEXÃO DESSA ARTICULAÇÃO DEVE TER:


(A) 110º
(B) 100º
(C) 90º
(D) 80º
(E) 70º
GABARITO:

335 – D
335- SE PARA O PA DE TÓRAX DE UM PACIENTE ADULTO UTILIZAMOS 10 mAS E 80 KV, QUAL
DEVERÁ SER A TÉCNICA PARA O PERFIL? 336 – C
(A) 10 mAS E 90 KV
(B) 15 mAS E 85 KV 337 - D
(C) 20 mAS E 80 KV
(D) 20 mAS E 90 KV
(E) 20 mAS E 100 KV

336 – EM UM EXAME DE UROGRAFIA EXCRETORA CONSTA NA INDICAÇÃO CLÍNICA DA REQUISIÇÃO:


AVALIAÇÃO FUNCIONAL DE RIM TRANSPLANTADO. PERGUNTA-SE QUAL A ALTERNATIVA
INCORRETA?
(A) AVALIAR PREVIAMENTE A POSIBILIDADE DO PACIENTE SER HIPERSSENSIVEL A COMPOSTOS
IODADOS
(B) FAZER RADIOGRAFIA SIMPLES DO ABDOME ANTES DE PROCEDER A INJEÇÃO DO CONTRASTE
(C) FAZER COMPRESSÃO APÓS A RADIOGRAFIA DE 5 MINUTOS APÓS A INJEÇÃO DO CONTRASTE
(D) ORIENTAR O PACIENTE SOBRE A EXECUÇÃO DO EXAME, ESCLARECENDO TODAS AS ETAPAS
(E) SOLICITAR APNÉIA EXPIRATÓRIA EM TODAS AS TOMADAS RADIOGRÁFICAS

337- ASSINALE A ALTERNATIVA QUE INDICA A INCIDÊNCIA DO PÉ QUE MELHOR DISSOCIA OS


METATARSIANOS:
(A) AP
(B) PERFIL INTERNO
(C) PERFIL EXTERNO
(D) OBLÍQUA INTERNA
(E) OBLÍQUA EXTERNA
GABARITO:

338 – D
338- NAS RADIOGRAFIAS DO TUBO DIGESTIVO, AS TÉCNICAS DE EXPOSIÇÃO DEVEM APRESENTAR
TEMPO: 339 – C
(A) LONGO, ALTA MILIAMPERAGEM E ALTA QUILOVOLTAGEM
(B) LONGO, ALTA MILIAMPERAGEM E BAIXA QUILOVOLTAGEM 340 - E
(C) CURTO, BAIXA MILIAMPERAGEM E ALTA QUILOVOLTAGEM
(D) CURTO, ALTA MILIAMPERAGEM E ALTA QUILOVOLTAGEM
(E) LONGO, BAIXA MILIAMPERAGEM E BAIXA QUILOVOLTAGEM

339- POR MEIO DE QUE MISTURA É CONSEGUIDA A TÉCNICA RADIOLÓGICA QUE MELHOR PERMITE
A ANÁLISE DOS CÓLONS?
(A) SULFATO DE BÁRIO E ÁGUA
(B) CONTRASTE IODADO E ÁGUA
(C) SULFATO DE BÁRIO, ÁGUA E AR
(D) CONTRASTE IODADO, ÁGUA E AR
(E) SULFATO DE BÁRIO, CONTRASTE IODADO E ÁGUA

340- QUAL O MEIO DE CONTRASTE MAIS EMPREGADO NAS RADIOGRAFIAS DO CAVUM?


(A) IODO
(B) BÁRIO
(C) GORDURA
(D) ÁGUA
(E) AR
GABARITO:

341 – D
341- NO PA DO CRÂNIO, OS ROCHEDOS DEVEM SE PROJETAR:
(A) IMEDIATAMENTE ACIMA DAS ÓRBITAS 342 – D
(B) NO TETO DAS ÓRBITAS
(C) NO TERÇO MÉDIO DAS ÓRBITAS 343 - B
(D) NO ASSOALHO DAS ÓRBITAS
(E) SOBRE OS SEIOS MAXILARES

342- NA SUSPEITA DE FRATURA DE COLUNA CERVICAL, A INCIDÊNCIA EM PERFIL DEVE SER


EXECUTADA COM O PACIENTE EM DECÚBITO:
(A) LATERAL E COM RAIOS VERTICAIS
(B) LATERAL E COM RAIOS HORIZONTAIS
(C) DORSAL E COM RAIOS VERTICAIS
(D) DORSAL E COM RAIOS HORIZONTAIS
(E) VENTRAL E COM RAIOS HORIZONTAIS

343- QUAL A TÉCNICA IDEAL PARA A EXECUÇÃO DA RADIOGRAFIA DO CAVUM EM PERFIL, DE UMA
CRIANÇA COM 5 ANOS DE IDADE?
(A) PACIENTE EM ORTOSTÁTICA, RAIOS HORIZONTAIS E NO BUCKY (GRADE) MURAL
(B) PACIENTE EM DECÚBITO DORSAL, RAIOS HORIZONTAIS E SEM BUCKY (GRADE)
C) PACIENTE EM DECÚBITO LATERAL, RAIOS VERTICAIS E SEM BUCKY (GRADE)
(D) PACIENTE EM DECÚBITO LATERAL, RAIOS VERTICAIS E NO BUCKY (GRADE) DA MESA
(E) PACIENTE EM DECÚBITO LATERAL, RAIOS HORIZONTAIS E NO BUCKY (GRADE) MURAL
GABARITO:

344 – B
344- ASSINALE A ALTERNATIVA QUE INDICA A INCIDÊNCIA QUE MELHOR EXPÕE OS BURACOS DE
CONJUGAÇÃO DAS VÉRTEBRAS CERVICAIS? 345 – B
(A) AP
(B) OBLÍQUA 346 - B
(C) PERFIL EM FLEXÃO
(D) PERFIL EM EXTENSÃO
(E) TRANS-ORAL

345- ASSINALE A ALTERNATIVA QUE INDICA A INCIDÊNCIA QUE MELHOR PERMITE A ANÁLISE DO
ASSOALHO DAS ÓRBITAS:
(A) FRONTO-NASO
(B) MENTO-NASO
(C) PERFIL DA FACE
(D) BRETTON
(E) TRANS-ORBITÁRIA

346 - UM PACIENTE APRESENTA-SE PARA RADIOGRAFAR O TÓRAX ONDE NA REQUISIÇÃO CONSTA


INDICAÇÃO CLÍNICA DE PNEUMOTÓRAX. EM RELAÇÃO A CONDUTA HABITUAL PARA O REGIME
USADO, DEVEMOS:
(A) AUMENTAR 5 KV, MANTENDO OS DEMAIS FATORES
(B) REDUZIR 5 KV, MANTENDO OS DEMAIS FATORES
(C) AUMENTAR 5 KV, DOBRAR O mA E MANTER OS DEMAIS FATORES
(D) REDUZIR 5 KV, DOBRAR O mA E MANTER OS DEMAIS FATORES
(E) REDUZIR 5 KV, DOBRAR O TEMPO DE EXPOSIÇÃO, REDUZIR O mA METADE MANTENDO A
DISTÂNCIA
GABARITO:

347 – B
347- QUAL O ARTIFÍCIO TÉCNICO QUE É UTILIZADO PARA MELHOR VISUALIZAÇÃO DOS COLOS
FEMURAIS , NA INCIDÊNCIA AP DE BACIA? 348 – B
(A) ROTAÇÃO EXTERNA DOS PÉS
(B) ROTAÇÃO INTERNA DOS PÉS 349 - C
(C) FLEXÃO DOS JOELHOS
(D) ABDUÇÃO DAS COXAS
(E) ADUÇÃO DAS COXAS

348- AS RADIOGRAFIAS DOS PÉS COM CARGA E EM AP, DEVEM SER OBTIDAS COM O PACIENTE:
(A) EM DECÚBITO DORSAL E COM OS JOELHOS FLETIDOS
(B) EM ORTOSTÁTICA
(C) SENTADO SOBRE A MESA DE EXAMES
(D) EM ORTOSTÁTICA E SEGURANDO EM CADA MÃO UM PESO DE 1 Kg
(E) EM ORTOSTÁTICA E COM OS JOELHOS FLETIDOS

349- ASSINALE A ALTERNATIVA QUE INDICA A INCIDÊNCIA DE ABDOMEN MAIS INDICADA PARA
PESQUISA DE PNEUMOPERITÔNIO:
(A) AP EM DECÚBITO DORSAL
(B) PERFIL EM DECÚBITO LATERAL
(C) DECÚBITO LATERAL ESQUERDO COM RAIOS HORIZONTAIS
(D) DECÚBITO LATERAL DIREITO COM RAIOS HORIZONTAIS
(E) PA EM DECÚBITO VENTRAL
GABARITO:

350 – E
350- EM QUE EXAME É REALIZADA A PROVA DE COTTE?
(A) SERIOGRAFIA DO ESÔFAGO, ESTÔMAGO E DUODERO 351 – A
(B) TRÂNSITO DE DELGADO
(C) CLISTER OPACO
(D) UROGRAFIA EXCRETORA
(E) HISTEROSSALPINGOGRAFIA

351 – O QUE NÃO É RECOMENDÁVEL AO EXERCÍCIO TÉCNICO - PROFISSIONAL :


(A)USO DE RELÓGIO COM MOSTRADOR FLUORESCENTE NO PROCEDIMENTO DE PROCESSAMENTO
DE IMAGEM NO INTERIOIR DA CÂMARA ESCURA
(B)ATENDER PACIENTE EM RADIOGRAFIA DE MÃO PARA PESQUISA DE CORPO ESTRANHO SEM
USAR MÁSCARA
(C)NEGAR AO PACIENTE INFORMAÇÃO SOBRE DADO DIAGNÓSTICO OBSERVADO LOGO APÓS A
EXECUÇÃO DA RADIOGRAFIA
(D)NEGAR-SE A OCUPAR CARGO DE TÉCNICO OFERECIDO EM VIRTUDE DE DEMISSÃO DE COLEGA
POR MOTIVO COMPROVADAMENTE INJUSTO
(E)EM UM SERVIÇO DE RADIOLOGIA DE UM HOSPITAL GERAL, PRIORIZAR O ATENDIMENTO DE
PACIENTES ORIUNDOS DO SETOR DE EMERGÊNCIA
GABARITO:

352 – B
352- ASSINALE A ALTERNATIVA QUE INDICA A INCIDÊNCIA DO JOELHO QUE MELHOR DEVE
DEMONSTRAR UMA FRATURA NA SUPERFÍCIE SUPERIOR DA RÓTULA: 353 – D
(A) AXIAL
(B) AP 354 - A
(C) PERFIL
(D) OBLÍQUA INTERNA
(E) OBLÍQUA EXTERNA

353- QUAL O EXAME RADIOLÓGICO QUE PERMITE A ANÁLISE DIRETA DO SISTEMA VENOSO DOS
MEMBROS INFERIORES?
(A) CINTILOGRAFIA
(B) ARTERIOGRAFIA
(C) LINFOGRAFIA
(D) FLEBOGRAFIA
(E) COLANGIOGRAFIA

354- AS RADIOGRAFIAS DOS ARCOS COSTAIS DEVEM SER REALIZADAS, DE PREFERÊNCIA,:


(A) EM EXPIRAÇÃO MÁXIMA
(B) EM DECÚBITO
(C) EM PERFIL
(D) SEM O USO DE GRADE ANTI-DIFUSORA
(E) EM ORTOSTÁTICA
GABARITO:

355 – C
355- EM QUE CONDIÇÃO, A MAMOGRAFIA PELA TÉCNICA DE EKLUND PERMITE MAIOR
VISIBILIZAÇÃO DO PARÊNQUIMA MAMÁRIO? 356 – C
(A) PACIENTE MASTECTOMIZADA
(B) MAMA MASCULINA 357 - D
(C) MAMA COM PRÓTESE DE SILICONE
(D) MAMA FEMININA, MUITO PEQUENA
(E) PEÇA CIRÚRGICA MAMÁRIA PARA MAGNIFICAÇÃO

356- QUAL É, RESPECTIVAMENTE, O NÚMERO DE VÉRTEBRAS CERVICAIS, DORSAIS, LOMBARES E


SACRAS?
(A) 7, 10, 5 E 5
(B) 8, 10, 5 E 5
(C) 7, 12, 5 E 5
(D) 8, 12, 5 E 3
(E) 7, 12, 5 E 2

357- NA RADIOGRAFIA DO COTOVELO EM AP, QUAL O ACIDENTE ANATÔMICO DO ÚMERO QUE SE


PROJETA MAIS LATERALMENTE É ?
(A) EPITRÓCLEA
(B) TRÓCLEA
(C) CÔNDILO
(D) EPICÔNDILO
(E) OLECRÂNIO
GABARITO:

358 – E
358- QUAL A VÍSCERA QUE NORMALMENTE SE LOCALIZA AO FLANCO?
(A) O FÍGADO 359 – A
(B) O BAÇO
(C) A VISÍCULA BILIAR 360 - D
(D) O PÂNCREAS
(E) O RIM

359- O PROCESSO ODONTÓIDE É UM ACIDENTE ANATÔMICO QUE PERTENCE A(O) :


(A) AXIS
(B) ATLAS
(C) BURACO OCIPTAL
(D) OSSO OCIPTAL
(E) PÁLATO DURO

360- IMEDIATAMENTE ACIMA DO SEIO ESFENOIDAL LOCALIZA-SE :


(A) A PINEAL
(B) HABÊNULA
(C) O PLEXO CORÓIDE
(D) A SELA TURCA
(E) A LÂMINA PAPIRÁCEA DO ETMÓIDE
GABARITO:

361 – B
361- O OSSO TRAPEZÓIDE PERTENCE:
(A) À FILEIRA PROXIMAL DOS OSSOS DO CARPO 362 – C
(B) À FILEIRA DISTAL DOS OSSOS DO CARPO
(C) AO METACARPO 363 - B
(D) À PRIMEIRA FILEIRA DOS OSSOS DE TARSO
(E) À SEGUNDA FILEIRA DOS OSSOS DE TARSO

362- AS CLAVÍCULAS ARTICULAM-SE MEDIALMENTE COM:


(A) O ACRÔMIO
(B) A SEGUNDA VÉRTEBRA DORSAL
(C) O MANÚBRIO
(D) O APÊNDICE XIFÓIDE
(E) A APÓFISE CORACÓIDE

363- COMO É DENOMINADA A PRIMEIRA PORÇÃO DO ARCO DUODENAL?


(A) PILORO
(B) BULBO
(C) JEJUNO
(D) ÍLEO
(E) CECO
GABARITO:

364 – E
364- O ASTRÁGALO ARTICULA-SE ANTERIORMENTE COM O:
(A) CALCÂNEO 365 – A
(B) CUBÓIDE
(C) 1º CUNEIFORME 366 - D
(D) 2º CUNEIFORME
(E) ESCAFÓIDE

365- A EXTREMIDADE DISTAL DE UM OSSO LONGO É DENOMINADA:


(A) EPÍFISE
(B) METÁFISE
(C) DIÁFISE
(D) MEDULAR
(E) CORTICAL

366- A CARINA CORRESPONDE:


(A) À FARINGE
(B) AO ESÔFAGO CERVICAL
(C) À LARINGE
(D) À BIFURCAÇÃO TRAQUEAL
(E) À PORÇÃO ABDOMINAL DO ESÔFAGO
GABARITO:

367 – D
367- COMO SÃO DENOMINADAS AS DUAS ESTRUTURAS ÓSSEAS ARREDONDADAS, PROJETADAS
UMA AO LADO DA OUTRA SOBRE O CORPO VERTEBRAL NA INCIDÊNCIA AP? 368 – D
(A) ÍSTMOS
(B) PEDÍCULOS 369 - B
(C) FACETAS ARTICULARES
(D) PROCESSOS TRANSVERSOS
(E) LÂMINAS

368- A ALTERNATIVA QUE CONTÉM APENAS ÓRGÃOS INTRAPERITONIAIS É:


(A) ESTÔMAGO, RINS, NERVOS, FÍGADO E OVÁRIOS
(B) ESTÔMAGO, RINS, PÂNCREAS, BAÇO E FÍGADO
(C) ESTÔMAGO, BAÇO, OVÁRIOS, PÂNCREAS E GÂNGLIOS
(D) ESTÔMAGO, OVÁRIOS, INTESTINO DELGADO, BAÇO E FÍGADO
(E) ESTÔMAGO, BAÇO, NERVOS, GÂNGLIOS E INTESTINO DELGADO

369- O NOME DADO AOS OSSOS PEQUENOS E MUITO FINOS, LOCALIZADOS NA REGIÃO ANTERIOR
DA PAREDE MEDIAL DAS ÓRBITAS, É:
(A) NASAIS
(B) LACRIMAIS
(C) ZIGOMÁTICOS
(D) CORNETOS INFERIORES
(E) OSSOS PRÓPRIOS DO NARIZ
GABARITO:

370 – E
370- O ÚNICO OSSO MÓVEL DA CABEÇA, CONSIDERADO COMO O MAIOR E O MAIS FORTE OSSO DA
FACE, É CHAMADO DE: 371 – C
(A) NASAL
(B) VÔMER 372 - E
(C) ÓRBITA
(D) PALATINO
(E) MANDÍBULA

371- O NOME DADO AO ÚNICO OSSO SITUADO NA PARTE PÓSTERO-INFERIOR DO CRÂNIO E QUE
OCUPA PRATICAMENTE A METADE DA BASE CRANIANA É:
(A) FRONTAL
(B) ETMÓIDE
(C) OCCIPITAL
(D) TEMPORAL
(E) ESFENÓIDE

372- A LINHA QUE VAI DO PALATO DURO ATÉ O BORDO PÓSTERO-SUPERIOR DO BURACO
OCCIPITAL É CHAMADA:
(A) AURICULAR
(B) DE CLIVOS
(C) ANTROPOLÓGICA
(D) GLABELO MEATAL
(E) DE CHAMBERLAIN
GABARITO:

373 – C
373- ASSINALE OS ÓRGÃOS INTRA-PERITONIAIS:
(A) ESÔFAGO TERMINAL, ESTÔMAGO E GLÂNDULAS SUPRA-RENAIS 374 – E
(B) INTESTINO GROSSO, PÂNCREAS E RINS
(C) VESÍCULA BILIAR, ESÔFAGO TERMINAL E FÍGADO 375 - D
(D) BAÇO, OVÁRIOS E URETERES
(E) FÍGADO, ESTÔMAGO E VEIA CAVA INFERIOR

374- UM TIPO DE CAVIDADE GLENÓIDE É ENCONTRADA NA SEGUINTE ARTICULAÇÃO:


(A) OCCÍPITO-ATLÓIDEA
(B) SACRO-ILÍACA
(C) RÁDIO-CARPIANA
(D) TÍBIO-TÁRSICA
(E) TÊMPORO-MANDIBULAR

375- UM ACIDENTE EXCLUSIVAMENTE DA ANATOMIA RADIOLÓGICA, ENCONTRADO NA PAREDE


LATERAL DO ÁTICO É:
(A) A CÓCLEA
(B) O VESTÍBULO
(C) A CADEIA OSSICULAR
(D) O ESPORÃO DE CHAUSSÉ
(E) A TROMPA DE EUSTÁQUIO
GABARITO:

376 – D
376- O PROCESSO ODONTÓIDE ESTÁ LOCALIZADO NO SEGUINTE OSSO:
(A) MALAR 377 – C
(B) MANDIBULAR
(C) ATLAS
378 - A
(D) ÁXIS
(E) ESCÁPULA

377- A SELA TÚRCICA É UMA PEÇA ANATÔMICA DA FOSSA MÉDIA CRANIANA, LOCALIZADA NA
SUPERFÍCIE DO SEGUINTE OSSO:
(A) ETMÓIDE
(B) TEMPORAL
(C) ESFENÓIDE
(D) OCCIPITAL
(E) FRONTAL

378- DAS ARTICULAÇÕES ABAIXO, QUAL SE ENQUADRA COMO SINARTROSE:


(A) ARTICULAÇÃO SACRO-ILÍACA
(B) ARTICULAÇÃO DO COTOVELO
(C) ARTICULAÇÃO TÍBIO-TÁRSICA
(D) ARTICULAÇÃO ESCÁPULO-UMERAL
(E) ARTICULAÇÃO DO JOELHO
GABARITO:

379 – C
379- A CABEÇA DO PÂNCREAS FICA LOCALIZADA:
(A) NO ÂNGULO DE TREITZ 380 – A
(B) NO CECUM
(C) NA SEGUNDA PORÇÃO DO DUODENO 381 - A
(D) NO ÍLEO
(E) NA REGIÃO DO SIGMÓIDE

380- A MANDÍBULA SE ARTICULA COM O CRÂNIO ATRAVÉS DO SEGUINTE OSSO:


(A) TEMPORAL
(B) OCCIPITAL
(C) PARIETAL
(D) FRONTAL
(E) ESFENÓIDE

381- OS OSSOS DA CALOTA CRANIANA SÃO:


(A) FRONTAL, PARIETAL, TEMPORAL E OCCIPITAL
(B) PARIETAL, FRONTAL, ESFENÓIDE E OCCIPITAL
(C) PARIETAL, TEMPORAL, ETMÓIDE E OCCIPITAL
(D) FRONTAL, ESFENÓIDE, TEMPORAL E ETMÓIDE
(E) FRONTAL, ESFENÓIDE, ETMÓIDE E TEMPORAL
GABARITO:

382 – B
382- DIARTROSE É UMA ARTICULAÇÃO DO SEGUINTE TIPO:
(A) FIXA, EXISTENTE NO CRÂNIO 383 – E
(B) MÓVEL, COMO A DO JOELHO
(C) SEMIMÓVEL, APÓS TRAUMATISMO 384 - B
(D) SEM MOBILIDADE ENTRE DOIS OU MAIS OSSOS
(E) PATOLÓGICA, SUGIDA DE UMA FRATURA NÃO CONSOLIDADA ( PSEUDOARTROSE )

383- NÃO É ÓRGÃO OU ESTRUTURA SITUADO NO MEDIASTINO:


(A) TIMO
(B) ESÔFAGO
(C) TRAQUÉIA
(D) AORTA ASCENDENTE
(E) BAÇO

384- OS OSSOS DO CRÂNIO E DA FACE QUE POSSUEM ESPAÇOS CHEIOS DE AR NO SEU INTERIOR,
DENOMINADOS SEIOS, SÃO:
(A) OCCIPITAL, MAXILAR, ETMÓIDE, NASAL
(B) FRONTAL, ESFENÓIDE, ETMÓIDE, MAXILAR
(C) FRONTAL, OCCIPITAL, MANDÍBULA, TEMPORAL
(D) TEMPORAL, ESFENÓIDE, NASAL, MANDÍBULA
(E) ESFENÓIDE, TEMPORAL, ETMÓIDE, PARIETAL
GABARITO:

385 – B
385- O INTESTINO DELGADOSE SE DIVIDE EM:
(A) BULBO, JEJUNO E ÍLEO 386 – B
(B) DUODENO, JEJUNO E ÍLEO
(C) JEJUNO, ÍLEO E CECO-APÊNDICE 387 - E
(D) DUODENO, CECO-APÊNDICE E BRILHO
(E) N.R.A.

386- A SEQUÊNCIA DE PROGRESSÃO DO ALIMENTO NO APARELHO DIGESTIVO, A PARTIR DA BOCA


ATÉ O INTESTINO GROSSO, É:
(A) FARINGE, ESÔFAGO, ESTÔMAGO, DUODENO, ÍLEO, JEJUNO
(B) FARINGE, ESÔFAGO, ESTÔMAGO, DUODENO, JEJUNO, ÍLEO
(C) LARINGE, FARINGE, ESÔFAGO, ESTÔMAGO, JEJUNO, ÍLEO
(D) LARINGE, FARINGE, ESTÔMAGO, DUODENO, JEJUNO, ÍLEO
(E) N.R.A.

387- A LINHA ANTROPOLÓGICA OU HORIZONTAL ALEMÃ É AQUELA QUE:


(A) LIGA O CENTRO DAS DUAS ÓRBITAS
(B) DIVIDE O CRÂNIO EM DUAS METADES SIMÉTRICAS
(C) UNE O PONTO MAIS EXTERNO DA ÓRBITA AO CONDUTO AUDITIVO EXTERNO
(D) É PERPENDICULAR À LINHA ANTROPOLÓGICA PASSANDO PELO CONDUTO AUDITIVO EXTERNO
(E) UNE MARGEM SUPERIOR DO CONDUTO AUDITIVO EXTERNO AO REBORDO INFERIOR DA ÓRBITA
GABARITO:

388 – B
388- ASSINALE O ÓRGÃO RETRO-PERITONEAL:
(A) ESTÔMAGO 389 – A
(B) RINS
(C) VESÍCULA BILIAR 390 - C
(D) FÍGADO
(E) DUODENO

389- A DIREÇÃO DO ROCHEDO É UM EIXO OBLÍQUO INCLINADO PARA:


(A) DENTRO E PARA FRENTE
(B) DENTRO E PARA TRÁS
(C) O LADO
(D) BAIXO
(E) CIMA

390- O EIXO DO ROCHEDO FORMA, COM O EIXO SAGITAL MÉDIO, UM ÂNGULO DE:
(A) 25º
(B) 30º
(C) 45º
(D) 55º
(E) 90º
GABARITO:

391 – A
391- A BILE PRODUZIDA NO FIGADO, É UTILIZADA COMO AUXILIAR NA DECOMPOSIÇÃO DE LIPÍDIOS
E FICA ARMAZENADA NA (OS): 392 – D
(A) VESÍCULA BILIAR
(B) 2º PORÇÃO DO DUODENO 393 - D
(C) DUCTOS BILIÁRES INTRA-HEPÁTICOS
(D) 1º PORÇÃO DO DUODENO
(E) REGIÃO PILÓRICA DO ESTÔMAGO

392- UM BOM TÉCNICO TEM QUE SER OBSERVADOR.


AO OLHARMOS UMA RDIOGRAFIA DO RÁDIO E ULNA, É OBSERVADO UMA PEQUENA DEPRESSÃO
NA FACE MEDIAL DA PORÇÃO DISTAL DO RÁDIO, ONDE A CABEÇA DA ULNA SE ENCAIXA.
COMO É CHAMADA ESSA DEPRESSÃO?
(A) CHANFRADURA INTERCONDILIANA
(B) CHANFRADURA RADIAL
(C) PROCESSO CORONÓIDE
(D) CHANFRADURA ULNAR
(E) PROCESSO CORACÓIDE

393- EM UM EXAME DE UROGRAFIA EXCRETORA, COM INDICAÇÃO DE HIPERTENSÃO ARTERIAL,


UTILIZAREMOS A TÉCNICA DE____________ PARA SER AVALIADA A FUNÇÃO RENAL ATRAVÉS
DO NEFROGRAMA.
(A) SALZMAN (B) TREDENLENBURG FORÇADO (C) TWISS (D) POUTASSE (E) RHESEE
GABARITO:

394 – C
394- SÃO CARTILAGENS DO LARINGE:
(A) TIREÓIDE E EPIGLÓTICA 395 – E
(B) TIREÓIDE E QUADRANGULAR
(C) CRICÓIDE E ARITENÓIDE 396 - D
(D) QUADRANGULAR E CORNICULADA
(E) CUNEIFORME E ELÁSTICA

395- A BIFURCAÇÃO DA TRAQUÉIA MOSTRA:


(A) BRÔNQUIOS FONTE IGUAIS
(B) O BRÔNQUIO FONTE DIREITO ESTREITO E BRÔNQUIO FONTE ESQUERDO LARGO
(C) BRÔNQUIO FONTE DIREITO MAIS HORIZONTALIZADO E BRÔNQUIO FONTE ESQUERDO MAIS
VERTICALIZADO
(D) BRÔNQUIO FONTE ESQUERDO MAIS LARGO E VERTICALIZADO E BRÔNQUIO FONTE DIREITO
MAIS ESTREITO E HORIZONTALIZADO
(E) BRÔNQUIO FONTE DIREITO MAIS LARGO E VERTICALIZADO E BRÔNQUIO FONTE ESQUERDO
MAIS ESTREITO E HORIZONTALIZADO

396- O OSSO DA CALOTA CRANIANA SITUADO MAIS LATERALMENTE É:


(A) MALAR
(B) FRONTAL
(C) PARIETAL
(D) TEMPORAL
(E) OCCIPITAL
GABARITO:

397 – A
397- A ESTRUTURA CORONAL, NO CRÂNIO, É FORMADA PELA UNIÃO DOS PARIETAIS COM:
(A) FRONTAL 398 – D
(B) ESFENÓIDE
(C) TEMPORAIS 399 - D
(D) OCCIPITAIS
(E) ZIGOMÁTICOS

398- AS ESTRUTURAS DO OUVIDO MÉDIO ESTÃO SITUADAS NO SEGUINTE OSSO:


(A) VÔMER
(B) MALAR
(C) PARIETAL
(D) TEMPORAL
(E) ESFENOIDAL

399- O PROCESSO CORACÓIDE É UMA PROJEÇÃO ÓSSEA ENCONTRADA NA:


(A) ULNA
(B) TÍBIA
(C) FÍBULA
(D) ESCÁPULA
(E) MANDÍBULA
GABARITO:

400 – B
400 – O OLECRÂNIO CORRESPONDE ANATOMICAMENTE AO SEGUINTE OSSO:
(A) RÁDIO 401 – B
(B) ULNA
(C) ÚMERO 402 - C
(D) OMOPLATA
(E) ESFENÓIDE

401- CONSTITUI OSSO DA BASE DO CRÂNIO:


(A) FRONTAL
(B) ESFENÓIDE
(C) VÔMER
(D) PARIETAL
(E) TEMPORAL

402- A SUTURA SAGITAL CRANIANA É COMPOSTA PELOS OSSOS:


(A) PARIETAIS E OCCIPITAL
(B) FRONTAL E PARIETAIS
(C) PARIETAIS
(D) TEMPORAIS
(E) FRONTAL E TEMPORAIS
GABARITO:

403 – A
403- A LINHA QUE VAI DO TETO DO CONDUTO AUDITIVO EXTERNO ATÉ O BORDO INFERIOR DA
ÓRBITA, DENOMINA-SE: 404 – A
(A) LINHA DE FRANKFURT
(B) LINHA ÓRBITO-MEATAL 405 - C
(C) LINHA DE RHEESE
(D) LINHA HORIZONTAL DE STENVERS
(E) LINHA DE CHAMBERLAIM

404- CHARNEIRA É SINÔNIMO DE:


(A) ARTICULAÇÃO OCCIPTO-ATLOIDEANA
(B) ARTICULAÇÃO ATLA-AXIS
(C) ARTICULAÇÃO ESCAFÓIDE - 1º METACARPEANO
(D) ÂNGULO LOMBO-SACRO
(E) EXTREMIDADE PROXIMAL DO CÚBITO

405-DISTINGUIMOS NO SISTEMA VASCULAR SANGUÍNEO 2 TIPOS DE CIRCULAÇÃO:


(A) CIRCULAÇÃO PULMONAR E CIRCULAÇÃO LINFÁTICA
(B) CIRCULAÇÃO GERAL E GRANDE CIRCULAÇÃO
(C) PEQUENA CIRCULAÇÃO E GRANDE CIRCULAÇÃO
(D) CIRCULAÇÃO LINFÁTICA E CIRCULAÇÃO GERAL
(E) N.R.A.
GABARITO:

406 – D
406- NO SEGMENTO ABDOMINAL DA AORTA TEMOS AS SEGUINTES DIVISÕES ARTERIAIS:
(A) ARTÉRIA ESPLÊNICA, ARTÉRIA SUBCLÁVICA ESQUERDA, ARTÉRIA SUBCLÁVICA DIREITA,407 – D
ARTÉRIA PULMONAR
(B) ARTÉRIA RENAL, ARTÉRIA ESPLÊNICA, ARTÉRIA MESENTÉRICA, ARTÉRIA CARÓTIDA 408 - A
(C) ARTÉRIA MESENTÉRICA, ARTÉRIA ESPLÊNICA, ARTÉRIA ILÍACA ESQUERDA, ARTÉRIA FEMURAL
(D) ARTÉRIA ESPLÊNICA, ARTÉRIA MESENTÉRICA, ARTÉRIA RENAL E AS ILÍACAS
(E) ARTÉRIA RENAL, ARTÉRIA ESPLÊNICA, ARTÉRIA SUB CLÁVIA E CARÓTIDAS

407- O SANGUE ARTERIALIZADO VOLTA AO CORAÇÃO PELA:


(A) CROSSA DA AORTA
(B) ARTÉRIA PULMONAR
(C) CARÓTIDA COMUM
(D) VEIAS PULMONARES
(E) ILÍACAS PRIMITIVAS

408- O SISTEMA PORTA É CONSTITUIDO PELO SISTEMA DE VEIAS PROVENIENTES DO:


(A) INTESTINO DELGADO, INTESTINO GROSSO, BAÇO, PÂNCREAS, ESTÔMAGO
(B) ESTÔMAGO, PÂNCREAS, PULMÕES, CORAÇÃO, INTESTINO GROSSO
(C) INTESTINO DELGADO, BAÇO, VESÍCULA BILIAR, ESTÔMAGO, CÉREBRO
(D) ESTÔMAGO, PÂNCREAS, RINS, INTESTINO, PULMÕES
(E) BAÇO, PÂNCREAS, RINS E TIREÓIDE
GABARITO:

409 – B
409- ATENÇÃO!!! RESPIRE BEM FUNDO, MAS DE BOCA FECHADA. RESPIROU? E AGORA RESPONDA
POR ONDE ENTROU E ATÉ ONDE FOI O OXIGÊNIO INSPIRADO: 410 – C
(A) NARIZ, FARINGE, LARINGE, PULMÕES, TRAQUÉIA, BRÔNQUIOS
(B) NARIZ, FARINGE, LARINGE, TRAQUÉIA, BRÔNQUIOS, BRONQUÍOLOS E ALVÉOLOS 411 - D
(C) PULMÕES, BRÔNQUIOS, TRAQUÉIAS, NARIZ, FARINGE
(D) BRÔNQUIOS, NARIZ, FARINGE, LARINGE, PULMÕES
(E) N.R.A.

410- ENTENDE-SE POR "CORAÇÃO DIREITO"


(A) O CORAÇÃO QUE ESTÁ LOCALIZADO NO LADO DIREITO
(B) A METADE DO CORAÇÃO QUE FICA NO LADO DIREITO
(C) AS CAVIDADES DIREITAS RESPONSÁVEIS PELA CIRCULAÇÃO VENOSA
(D) AS CAVIDADES QUE RECEBEM O PROVENIENTE DA GRANDE CIRCULAÇÃO
(E) N.R.A.

411- OBSERVANDO A BASE DO CRÂNIO, NÓS VEMOS QUE:


(A) O ROCHEDO SE DIRIGE PARA CIMA E PARA O OCCIPTAL
(B) O ROCHEDO SE DIRIGE PARA BAIXO E PARA O OCCIPTAL
(C) O ROCHEDO ESTÁ EM POSIÇÃO MEDIANA E PARA O OCCIPTAL
(D) O ROCHEDO ESTÁ EM POSIÇÃO MEDIANA E PARA O FRONTAL
(E) N.R.A.
GABARITO:

412 – A
412- ASSINALE A ALTERNATIVA ERRADA:
(A) O PROCESSO CRINOIDE FICA NO TEMPORAL 413 – C
(B) O TEMPORAL SE ARTICULA COM O FRONTAL
(C) A SELA TÚRCICA É PARTE ANATÔMICA DO ESFENÓIDE 414 - D
(D) O ARCO ZIGOMÁTICO É FORMADO PELO MALAR E TEMPORAL
(E) A SUTURA LAMBIDOIDE É FORMADA PELO OCCIPTAL E PARIETAIS

413- O ESCAFÓIDE FAZ PARTE DO:


(A) CRÂNEO
(B) PUNHO
(C) TARSO E CARPO
(D) PÉ E TORNOZELO
(E) JOELHO

414- OSSO DIPLOIDE É:


(A) UM OSSO REDONDO
(B) UM OSSO COM DUAS EXTREMIDADES
(C) UM OSSO EM FORMA DE PLACA
(D) UM OSSO COM DUAS CAMADAS CORTICAIS COM TECIDO ESPONJOSO NO MEIO
(E) N.R.A.
GABARITO:

415 – D
415- A COLUNA CERVICAL É FORMADA PELAS VÉRTEBRAS:
(A) AXIS, ATLAS, PRIMEIRA, SEGUNDA, QUARTA, QUINTA E SÉTIMA VÉRTEBRAS 416 – A
(B) AXIS, PROEMINENTES, TERCEIRA, QUARTA, QUINTA, SEXTA, E SÉTIMA VÉRTEBRAS
(C) AXIS, ATLAS, TERCEIRA, QUARTA, QUINTA, SEXTA E SÉTIMA VÉRTEBRAS 417 - D
(D) ATLAS, AXIS, TERCEIRA, QUARTA, QUINTA, SEXTA E SÉTIMA VÉRTEBRAS
(E) ATLAS, AXIS, TERCEIRA, QUARTA, QUINTA E SEXTA VÉRTEBRAS

416- AS CARACTERÍSTICAS QUE DIFERENCIAM UMA VÉRTEBRA DORSAL DE UMA LOMBAR:


(A) TAMANHO DO CORPO, POSIÇÃO DO PROCESSO ESPINHOSO, SUPERFÍCIE ARTICULAR CONDRAL
(B) A DORSAL TEM PROCESSO ESPINHOSO MAIOR E CORPO MENOR QUE A LOMBAR
(C) A LOMBAR TEM PROCESSO TRANVERSO COM SUPERFÍCIE CONDRAL
(D) TANTO A DORSAL COMO A LOMBAR TEM PROCESSO ESPINHOSO COM SUPERFÍCIE ARTICULAR
CONDRAL
(E) N.R.A.

417- AS COSTELAS FALSAS:


(A) ARTICULAM-SE DIRETAMENTE COM O ESTERNO
(B) NÃO SE ARTICULAM COM O ESTERNO
(C) SÃO CONSTITUÍDAS APENAS DE CARTILAGEM
(D) ESTÃO LIGADAS AO ESTERNO POR UMA EXTENSÃO CARTILAGINOSA
(E) N.R.A.
GABARITO:

418 – C
418- NÚCLEO EPIFISÁRIO:
(A) É A SUPERFÍCIE ARTICULAR DOS OSSOS LONGOS 419 – D
(B) SÃO OS NÚCLEOS QUE FORMAM OS OSSOS
(C) SÃO OS NÚCLEOS DE CRESCIMENTO DOS OSSOS LONGOS 420 - D
(D) SÃO OS NÚCLEOS DE OSSIFICAÇÃO DOS OSSOS CURTOS
(E) N.R.A.

419- O TROCANTER É UM ACIDENTE ANATÔMICO DA(O):


(A) OMBRO
(B) ESCÁPULA
(C) JOELHO
(D) FÊMUR
(E) TÍBIA

420- DE ACORDO COM A CLASSIFICAÇÃO DAS ARTICULAÇÕES PODEMOS DIZER QUE:


(A) AS ANFIARTROSES PERMITEM MOVIMENTOS LIVRES
(B) AS ARTICULAÇÕES FALANGEANAS SÃO DIARTROSES
(C) A ARTICULAÇÃO OCCIPTO-ATLOIDEA É UMA DIARTROSE
(D) A ARTICULAÇÃO TEMPORO MANDIBULAR E ANFIARTRODIAL
(E) OS OSSOS DO TARSO CONSTITUEM UMA SINARTROSE
GABARITO:

421 – B
421 – QUAL ESTRUTURA INERVA OS MÚSCULOS DA PARTE ANTERIOR DO BRAÇO?
(A) NERVO AXILAR 422 – E
(B) NERVO MÚSCULO-CUTÂNEO
(C) NERVO RADIAL 423 - B
(D) NERVO ULNAR
(E) NERVO MEDIANO

422- NA COLUNA CERVICAL PODEM EXISTIR OS SEGUINTES ELEMENTOS ANATÔMICOS:


(A) COSTELAS CERVICAIS
(B) PROCESSOS UNCIFORMES
(C) OITO CORPOS VERTEBRAIS
(D) ARTICULAÇÕES COSTOVERTEBRAIS
(E) PROCESSOS TRANSVERSOS EM C1 E C2

423- A CINTURA ESCAPULAR É FORMADA PELOS SEGUINTES OSSOS:


(A) CLAVÍCULA, COSTELAS E OMOPLATA
(B) OMOPLATA E CLAVÍCULA
(C) ÚMERO, COSTELAS E OMOPLATA
(D) CLAVÍCULA, CÚBITO E RÁDIO
(E) ÚMERO, CÚBITO E RÁDIO
GABARITO:

424 – C
424- A ÁRVORE BILIAR COMUNICA-SE COM O DUODENO ATRAVÉS DO CANAL CHAMADO DE:
(A) CÍSTICO 425 – A
(B) WIRSUNG
(C) COLÉDOCO 426 - C
(D) SANTORINI
(E) HEPÁTICO COMUM

425- PATELA TEM O MESMO SIGNIFICADO QUE:


(A) RÓTULA
(B) OLECRÂNIO
(C) ASTRÁGALO
(D) TORNOZELO
(E) ESCAFÓIDE

426- A CHANFRADURA INTERCONDILIANA LOCALIZA-SE NA SEGUINTE EXTREMIDADE:


(A) INFERIOR DA TÍBIA
(B) SUPERIOR DO FÊMUR
(C) INFERIOR DO FÊMUR
(D) SUPERIOR DA TÍBIA
(E) SUPERIOR DA FÍBULA
GABARITO:

427 – C
427- A ESTRUTURAANATÔMICA QUE ESTÁ SITUADA NO MEDIASTINO POSTERIOR É:
(A) TIMO 428 – A
(B) CORAÇÃO
(C) ESÔFAGO 429 - B
(D) TRAQUÉIA
(E) AORTA ASCENDENTE

428- ALÉM DOS CUNEIFORMES, OS OSSOS QUE FORMAM O TARSO SÃO:


(A) NAVICULAR, CALCÂNEO, TÁLUS E CUBÓIDE
(B) GRANDE OSSO, UNCIFORME, CUBÓIDE E CALCÂNEO
(C) GRANDE OSSO, CUBÓIDE, NAVICULAR E TÁLUS
(D) UNCIFORME, CALCÂNEO, GRANDE OSSOS E NAVICULAR
(E) TÁLUS, NAVICULAR, UNCIFORME E GRANDE OSSO

429- O EIXO CERVICAL, ANATOMICAMENTE, É DO TIPO:


(A) CIFÓTICO
(B) LORDÓTICO
(C) RETIFICADO
(D) HIPERCIFÓTICO
(E) HIPERLORDÓTICO
GABARITO:

430 – B
430 – OS MÚCULOS, A PARTE ANTERIOR DOS MEMBROS SUPERIORES, SÃO RESPONSÁVEIS POR
QUAL MOVIMENTO? 431 – A
(A) FLEXÃO
(B) EXTENSÃO 432 - B
(C) ROTAÇÃO
(D) ABDUÇÃO
(E) ADUÇÃO

431- SÃO PARTES DO ESTÔMAGO:


(A) FORNIX, GRANDE CURVATURA E PILORO
(B) FORNIX, PILORO E ÂNGULO TREITZ
(C) FORNIX, ANTRO E SIGMÓIDE
(D) PEQUENA CURVATURA, ANTRO E CECUM
(E) GRANDE CURVATURA, PILORO E ÂNGULO DE TERITZ

432- PODEMOS DIVIDIR O ESÔFAGO EM:


(A) ESÔFAGO CERVICAL, TORÁCICO E CRANIANO
(B) ESÔFAGO CERVICAL, TORÁCICO E ABDOMINAL
(C) ESÔFAGO CERVICAL, TORÁCICO E RETROPERITONIAL
(D) ESÔFAGO TORÁCICO, ABDOMINAL E PÉLVICO
(E) ESÔFAGO CERVICAL, ABDOMINAL E PÉLVICO
GABARITO:

433 – A
433 – QUAL É A INERVAÇÃO DO MÚSCULO DELTÓIDE?
(A) NERVO AXILAR 434 – C
(B) NERVO MÚSCULO-CUTÂNEO
(C) NERVO RADIAL 435 - B
(D) NERVO ULNAR
(E) NERVO MEDIANO

434- O TUBO DIGESTIVO ATRAVÉS DA CAMADA MUSCULAR QUE CONTÉM, DISPÕE DE MOVIMENTO:
(A) CIRCULAR
(B) PENDULAR
(C) PERISTÁLTICO
(D) HELICOIDAL
(E) RETILÍNEO

435- A CÁRDIA LOCALIZA-SE:


(A) NO PÂNCREAS
(B) NO ESTÔMAGO
(C) NO FÍGADO
(D) NO CORAÇÃO
(E) NA TIREÓIDE
GABARITO:

436 – B
436- A PEQUENA CIRCULAÇÃO:
(A) INICIA-SE NO VE E TERMINA NO AD 437 – D
(B) INICIA-SE NO VD E TERMIINA NO AE
(C) INICIA-SE NO VD E TERMINA NO AD 438 - B
(D) INICIA-SE NO VE E TERMINA NO AE
(E) INICÍA-SE NO VE E TERMINA NO VD

437- A MEMBRANA QUE ENVOLVE OS PULMÕES CHAMA-SE:


(A) DURAMATER
(B) PERITÔNIO
(C) PERICARDIO
(D) PLEURA
(E) ARACNÓIDE

438- O CORAÇÃO HUMANO TEM:


(A) 3 CAVIDADES
(B) 4 CAVIDADES
(C) 2 CAVIDADES
(D) 5 CAVIDADES
(E) 8 CAVIDADES
GABARITO:

439 – D
439- A VÁLVULA BICUSPIDE UNE:
(A) VE À AD 440 – A
(B) VD À AD
(C) VE À VD 441 - A
(D) VE À AE
(E) AE À AD

440- O RIM DIREITO:


(A) É MAIS BAIXO QUE O RIM ESQUERDO
(B) É MAIS ALTO QUE O RIM ESQUERDO
(C) ESTÁ NO MESMO NÍVEL DO RIM ESQUERDO
(D) É PERPENDICULAR AO RIM ESQUERDO
(E) FICA ATRÁS DO RIM ESQUERDO

441- O PÓLO INFERIOR DO RIM ESQUERDO:


(A) É MAIS ANTERIOR
(B) É MAIS OBLÍQUO
(C) É MAIS POSTERIOR
(D) FICA PRÓXIMO AO DIAFRAGMA
(E) FICA SOBRE A COLUNA SACRA.
GABARITO:

442 – A
442- OS URETERES:
(A) UNEM OS RINS À BEXIGA 443 – B
(B) SÃO RESERVATÓRIOS DE URINA
(C) FILTRAM O SANGUE 444 - B
(D) LEVAM A URINA DA BEXIGA PARA O EXTERIOR
(E) N.R.A.

443- A VESÍCULA BILIAR LOCALIZA-SE NO:


(A) FLANCO DIREITO
(B) HIPOCÔNDRIO DIREITO
(C) FOSSA ILÍACA DIREITA
(D) EPIGÁSTRIO
(E)FLANCO ESQUERDO

444- AS GLÂNDULAS SUPRA-RENAIS FICAM LOCALIZADAS SOBRE:


(A) O ESTÔMAGO
(B) OS RINS
(C) O BAÇO
(D) O FÍGADO
(E) O PÂNCREAS
GABARITO:

445 – B
445- A SECREÇÃO ENDÓCRINA DO PÂNCREAS É:
(A) BILE 446 – C
(B) INSULINA
(C) GLICOGÊNIO 447 - B
(D) SUCO
(E) PANCREÁTICO

446- O CANAL COLÉDOCO É FORMADO PELA JUNÇÃO DO:


(A) HEPÁTICO DIREITO COM O CÍSTICO
(B) CÍSTICO COM HEPÁTICO ESQUERDO
(C) HEPÁTICO COMUM COM O CÍSTICO
(D) WIRSUNG COM CÍSTICO
(E) HEPÁTICO DIREITO COM HEPÁTICO ESQUERDO

447- O VENTRÍCULO ESQUERDO TEM A PAREDE MUSCULAR:


(A) DELGADA
(B) ESPESSA
(C) IGUAL AS OUTRAS
(D) COM MOVIMENTOS VOLUNTÁRIOS
(E) N.R.A.
GABARITO:

448 – A
448- A TRAQUÉIA LOCALIZA-SE:
(A) A FRENTE DO ESÔFAGO 449 – A
(B) AO LADO DO ESÔFAGO
(C) ATRÁS DO ESÔFAGO 450 - B
(D) ABAIXO DO DIAFRAGMA
(E) ATRÁS DO PÂNCREAS

449- O APÊNDICE ESTÁ LOCALIZADO:


(A) NO CECUM
(B) NO COLO TRANVERSO
(C) NO COLO DESCENDENTE
(D) NO ÂNGULO ESPLÊNICO
(E) N.R.A.

450- A FABELA É UM SESAMÓIDE ENCONTRADO:


(A) NA MÃO
(B) NA FACE POSTERIOR DA ARTICULAÇÃO DO JOELHO
(C) NO TORNOZELO
(D) NO COTOVELO
(E) NA FACE POSTERIOR DA REGIÃO DO CARPO
GABARITO:

451 – D
451- QUAL DOS MÚSCULOS ABAIXO SE LOCALIZA NO ABDOME?
(A) PEITORAL MAIOR 452 – D
(B) DELTÓIDE
(C) RETO DA COXA 453 - E
(D) OBLÍQUO EXTERNO
(E) SEMITENDINOSO

452- ENTENDEMOS COMO "CÂMARA CLARA" O LOCAL COM O PROPÓSITO DE:


(A) REVELAR OS FILMES SENSIBILIZADOS AOS RAIOS-X
(B) INTERPRETAR OS EXAMES RADIOLÓGICOS
(C) ARQUIVAR OS EXAMES RADIOLÓGICOS
(D) AVALIAR A QUALIDADE DOS EXAMES RADIOLÓGICOS
(E) OS PACIENTES AGUARDAREM A REALIZAÇÃO DOS EXAMES

453 – QUAL DENTRE OS MÚSCULOS ABAIXO PERTENCEM À PARTE POSTERIOR DA COXA?


(A) VASTO LATERAL
(B) GASTROCNÊMIO
(C) TIBIAL ANTERIOR
(D) GRÁCIL
(E) SEMIMEMBRANOSO
GABARITO:

454 – E
454- AS ARTICULAÇÕES UNCOVERTEBRAIS SÃO ENCONTRADAS:
(A) NO CÓCCIX 455 – E
(B) NO SACRO
(C) NA COLUNA LOMBAR 456 - B
(D) NA COLUNA DORSAL
(E) NA COLUNA CERVICAL

455 – A PARTE ANTERIOR DOS MEMBROS INFERIORES REALIZA QUAL MOVIMENTO?


(A)ROTAÇÃO
(B)PRONAÇÃO
(C)SUPINAÇÃO
(D)FLEXÃO
(E)EXTENSÃO

456- O MÉTODO DE EXAME RADIOLÓGICO QUE EXECUTA RADIOGRAFIAS EM PLANOS PRÉ -


SELECIONADOS PELO TECNICO DENOMINA-SE
(A) MAMOGRAFIA
(B) TOMOGRAFIA LINEAR
(C) RADIOSCOPIA
(D) RESSONANCIA MAGNETICA
(E) TELERADIOGRAFIA
GABARITO:

457 – A
457- DENTRE AS ESCALAS ABAIXO, CONSIDERAMOS COMO "FOCO GROSSO"
(A) 200 mA 458 – D
(B) 150 mA
(C) 120 mA 459 - D
(D) 100 mA
(E) 50 mA

458- A TÉCNICA A SER UTILIZADA PARA UM PERFIL DE TÓRAX DE UM PACIENTE EM QUE SE


UTILIZOU NO PA 12 mAs / 80 Kv É:
(A) 12 mAS / 90 Kv
(B) 12 mAS / 100 Kv
(C) 24 mAS / 80 Kv
(D) 24 mAS / 90 Kv
(E) 24 mAS / 160 Kv

459 – NAS EXTREMIDADES DOS MÚSCULOS TEMOS ESTRUTURAS AS QUAIS DENOMINAMOS:


(A) ACIDENTES ÓSSEOS
(B) FIBRAS MUSCULARES
(C) NERVOS
(D) TENDÕES
(E) VASOS SANGÜÍNEOS
GABARITO:

460 – E
460- PARA UMA AVALIAÇÃO ROTINEIRA NA MAMOGRAFIA AS INCIDÊNCIAS UTILIZADAS SÃO:
(A) CLEÓPATRA E CLIVAGEM 461 – C
(B) CRÂNIO- CAUDAL FORÇADA E PROLONGAMENTO AXILIAR
(C) MÉDIO-LATERAL OBLÍQUA E PERFIL 462 - C
(D) CLIVAGEM E MÉDIO-LATERAL OBLÍQUA
(E) CRÂNIO-CAUDAL E MÉDIO-LATERAL OBLÍQUA

461- O ANÓDIO GIRATÓRIO TEM COMO MAIOR OBJETIVO:


(A) EVITAR RADIAÇÃO SECUNDÁRIA
(B) DESACELERAR ELÉTRONS
(C) MAIOR DURABILIDADE DA AMPOLA DE RAIOS-X
(D) AQUECER MELHOR A AMPOLA DE RAIOS-X
(E) REDUZIR A TEMPERATURA DO AMBIENTE

462 –DENTRE AS ALTERNATIVAS ABAIXO, MARQUE AQUELA QUE COMPÕE A MUSCULATURA DA


MÃO:
(A) FLEXOR RADIAL DO CARPO
(B) PALMAR LONGO
(C) LUMBRICAIS
(D) FIBULAR TERCEIRO
(E) EXTENSOR LONGO DOS DEDOS
GABARITO:

463 – D
463- NA RADIOGRAFIA DO TÓRAX, O RECURSO DE SE FAZER EXPIRAÇÕES MÁXIMAS É PARA
AVALIAÇÃO DE: 464 – E
(A) TUMORES TORÁCICOS
(B) FRATURAS DE COSTELAS 465 - C
(C) PROCESSOS INFLAMATÓRIOS
(D) PNEUMOTÓRAX
(E) ÁREA CARDÍACA

464- NO PROCESSO DE REVELAÇÃO DO FILME RADIOLÓGICO A FASE DE FIXAÇÃO DÁ AO FILME


MAIOR:
(A) SENSIBILIDADE AOS RAIOS-X
(B) CONTRASTE
(C) BRILHO
(D) IMPERMEABILIDADE
(E) RESISTÊNCIA

465- QUAL É A FASE DO PROCESSAMENTO DO FILME RADIOLÓGICO EM QUE ELE SE TORNA


INSENSÍVEL À LUZ?
(A) REVELAÇÃO
(B) LAVAGEM INTERMEDIÁRIA
(C) FIXAÇÃO
(D) LAVAGEM FINAL
(E) SECAGEM
GABARITO:

466 – A
466 – O SISTEMA NERVOSO CENTRAL DIVIDE-SE EM:
(A) ENCÉFALO E MEDULA 467 – D
(B) CÉREBRO E CEREBELO
(C) CÉREBRO E MEDULA 468 - B
(D) CÉREBRO E NERVOS
(E) NERVOS E GÂNGLIOS

467- KILOVOLTAGEM (KV) É REPRESENTADA POR :


(A) RADIAÇÃO SECUNDÁRIA
(B) QUANTIDADE DE ELÉTRONS PRODUZIDOS
(C) MESMO VALOR ENERGÉTICO QUE ALIMENTA O APARELHO DE RAIOS-X
(D) VELOCIDADE DE IMPACTO DOS ELÉTRONS
(E) ENERGIA QUE OS RAIOS-X PRODUZIDOS POSSUEM

468- QUAL É O EFEITO QUE OCORRE NA AMPOLA DE RAIOS-X RELACIONADO COM O ÂNGULO DE
INCLINAÇÃO DA PISTA DE CHOQUE DOS ELÉTRONS NO ANÓDIO?
(A) ALARA
(B) ANÓDIO
(C) BREMESARLUNG
(D) FOTOELÉTRICO
(E) COMPTOM
GABARITO:

469 – C
469- A FLUOROSCOPIA OU RADIOSCOPIA É UTILIZADA, PRINCIPALMENTE, PARA:
(A) ESTUDAR O MEDIASTINO 470 – B
(B) TRATAR O CÂNCER
(C) ANALISAR DINAMICAMENTE AS IMAGENS 471 - A
(D) REDUZIR AS FRATURAS
(E) ATRAVESSAR OS CORPOS OPACOS A LUZ

470 – O TRONCO ENCEFÁLICO SE DIVIDE EM:


(A) CÉREBRO, CEREBELO E MEDULA
(B) MESENCÉFALO, PONTE E BULBO
(C) CEREBELO, PONTE E MEDULA
(D) MESENCÉFALO, CEREBELO E BULBO
(E) CEREBELO, PONTE E BULBO

471- A FILEIRA PROXIMAL DO CARPO, NO PUNHO, É COMPOSTA DAS SEGUINTES ESTRUTURAS


ÓSSEAS:
(A) ESCAFÓIDE, SEMILUNAR, PIRAMIDAL E PISIFORME
(B) TRAPÉZIO, TRAPEZÓIDE, GRANDE OSSO E OSSO GANCHOSO
(C) SEMILUNAR, GRANDE OSSO, TRAPEZÓIDE E ESCAFÓIDE
(D) PISIFORME, GANCHOSO E SEMILUNAR
(E) PIRAMIDAL, ESCAFÓIDE, TRAPEZÓIDE E TRAPÉZIO
GABARITO:

472 – A
472- QUAL É A ROTINA RADIOLÓGICA UTILIZADA PARA O ESTUDO DOS PÉS "COM CARGA"?
(A) ANTERO-POSTERIOR E PERFIL 473 – C
(B) ANTERO-POSTERIOR E AXIAL
(C) OBLÍQUA E ANTERO-POSTERIOR 474 - A
(D) PERFIL E OBLÍQUAS
(E) AXIAL

473 – QUANTOS SÃO OS PARES DE NERVOS CRANIANOS?


(A) 10
(B) 11
(C) 12
(D) 13
(E) 14

474- NO CLISTER OPACO, O ENCHIMENTO DO CECO PELO MEIO DE CONTRASTE É FACILITADO


COLOCANDO-SE O PACIENTE EM DECÚBITO:
(A) VENTRAL
(B) DORSAL
(C) LATERAL ESQUERDO EM TRENDELEMBURG
(D) DORSAL EM TRENDELEMBURG
(E) LATERAL ESQUERDO
GABARITO:

475 – D
475- NO ANÓDIO, A ZONA DE IMPACTAÇÃO DOS ELÉTRONS ACELERADOS PELO CATÓDIO TEM
COMO MATERIAL O: 476 – D
(A) ZINCO
(B) COBRE 477 - B
(C) MANGANÊS
(D) TUNGSTÊNIO
(E) OURO

476 – QUE OUTRO NOME É DADO AO VIII PAR CRANIANO?


(A) NERVO ÓTICO
(B) NERVO TROCLEAR
(C) NERVO TRIGÊMIO
(D) NERVO VESTÍBULO-COCLEAR
(E) NERVOGLOSSOFARÍNGEO

477- O BREGMA É O PONTO DE INTERSEÇÃO ENTRE AS SEGUINTES SUTURAS CRANIANAS:


(A) PARIETAL E FRONTAL
(B) CORONÁRIA E SAGITAL
(C) FRONTAL E OS OSSOS PRÓPRIOS DO NARIZ
(D) OCCIPTO - MASTOIDÉA
(E) BIPARIETAL
GABARITO:

478 – D
478- NO ESTUDO RADIOLÓGICO DA COLUNA CERVICAL, UTILIZAMOS AS INCIDÊNCIAS OBLÍQUAS
PARA ESTUDO: 479 – B
(A) DAS APÓFISES TRANSVERSAS
(B) DOS ISTMOS 480 - C
(C) DAS APÓFISES ESPINHOSAS
(D) DOS BURACOS DE CONJUGAÇÃO
(E) DOS PROCESSOS UNCIFORMES

479- O TEMPO A SER UTILIZADO PARA A REALIZAÇÃO DE UMA RADIOGRAFIA É PROPORCIONAL A:


(A) INTENSIDADE DO RAIO CENTRAL
(B) COLABORAÇÃO DO PACIENTE
(C) INCIDÊNCIA
(D) KILOVOLTAGEM
(E) ENERGIA UTILIZADA

480- O ARCO ZIGOMÁTICO É UMA ESTRUTURA ÓSSEA QUE FAZ PARTE:


(A) DA MANDÍBULA
(B) DO ESFENÓIDE
(C) DO MALAR
(D) DA BASE DO CRÂNIO
(E) DA CHARNEIRA
GABARITO:

481 – D
481- A INCIDÊNCIA DE HARTMAN É UTILIZADA PARA O ESTUDO RADIOLÓGICO:
(A) DOS OSSOS PRÓPRIOS DO NARIZ 482 – C
(B) DO BURACO MAGNO
(C) DOS ROCHEDOS 483 - C
(D) DOS BURACOS ÓPTICOS
(E) DOS POROS ACÚSTICOS

482- QUAL É A DISTÂNCIA F0-F1 IDEAL PARA AS INCIDÊNCIAS DO TÓRAX EM PA E PERFIL?


(A) 1,0m
(B) 1,5m
(C) 1,8m
(D) 2,5m
(E) 3,0m

483- A RADIAÇÃO SECUNDÁRIA É INTENSIFICADA QUANDO HÁ:


(A) AUMENTO DA DISTÂNCIA F0-F1
(B) AUMENTO DO TEMPO DE EXPOSIÇÃO
(C) AUMENTO DA QUILOVOLTAGEM
(D) DIMINUIÇÃO DA ÁREA EXPOSTA
(E) DIMINUIÇÃO DA MILIAMPERAGEM
GABARITO:

484 – A
484- A FORMAÇÃO DA ELETRICIDADE ESTÁTICA É MAIS COMUM NOS AMBIENTES:
(A) SECOS 485 – E
(B) ÚMIDOS
(C) ESCUROS 486 - E
(D) ILUMINADOS
(E) POUCO VENTILADOS

485- QUAL É A CONDUTA MAIS ADEQUADA NA RADIOGRAFIA DE UMA EXTREMIDADE GESSADA?


(A) AUMENTAR EM 20 cm A DISTÂNCIA F0-F1
(B) DOBRAR O mAS
(C) REDUZIR A METADE O mAS
(D) DIMINUIR 4 Kv
(E) AUMENTAR 10 Kv

486 – QUANTOS SÃO OS PARES DE NERVOS RAQUEANOS?


(A) 12
(B) 24
(C) 28
(D) 30
(E) 31
GABARITO:

487 – B
487 – AO NÍVEL DE QUAL VÉRTEBRA TERMINA A MEDULA ESPINHAL?
(A) L 1 488 – A
(B) L 2
(C) L 3
(D) L 4
(E) L 5

488 – CORRELACIONE AS COLUNAS:


1 - MENINGES ( ) ARACNÓIDE
2 - NERVOS CRANIANOS ( ) DURA-MÁTER
( ) HIPOGLOSSO
( ) OCULOMOTOR
( ) PIA-MÁTER
(A) 1, 1, 2, 2, 1
(B) 1, 1, 2, 2, 2
(C) 1, 2, 2, 2, 2
(D) 1, 2, 1, 2, 2
(E) 1, 2, 1, 2, 1
GABARITO:

489 – B
489– QUE NOME É DADO AO LIGAMENTO QUE PRENDE A MEDULA AO CÓCCIX?
(A) LIGAMENTO REDONDO 490 – C
(B) LIGAMENTO TERMINAL
(C) LIGAMENTO QUADRADO 491 - A
(D) LIGAMENTO INGUINAL
(E) LIGAMENTO TRANSVERSO

490- QUE NOME RECEBE A CAMADA DE TECIDO ESPONJOSO DISPOSTA ENTRE AS LÂMINAS
INTERNA E EXTERNA DE TECIDO COMPACTO NO CRÂNIO?
(A) LAMBDA
(B) PTÉRION
(C) DIPLÓIDE
(D) ASTÉRION
(E) BREGMA

491 – OS TECIDOS QUE SE UNEM E SUSTENTAM AS VÁRIAS ESTRUTURAS SE ENQUADRAM COMO:


(A) CONJUNTIVO
(B) MUSCULAR
(C) NERVOSO
(D) EPITELIAL
(E) NRA
GABARITO:

492 – C
492 – A OPÇÃO QUE CONTÉM UM EXEMPLO DE FUNÇÃO DO SISTEMA TEGUMENTAR É:
(A) ARMAZENAR CÁLCIO 493 – A
(B) PRODUZIR CÉLULAS DE SANGUE
(C) REGULAR A TEMPERATURA CORPORAL 494 - C
(D) TRANSPORTAR ÁGUA, ELETRÓLITOS, HORMÔNIOS E ENZIMAS
(E) REGULAR O IODO NO ORGANISMO

493- QUAL É A ESTRUTURA ÓSSEA A QUAL O ACRÔMIO SE ARTICULA?


(A) CLAVÍCULA
(B) ESTERNO
(C) ÚMERO
(D) ULNA
(E) ASTRÁGALO

494- O RECURSO DA KILOVOLTAGEM ELEVADA É UTILIZADO:


(A) NO TRÂNSITO DE DELGADO
(B) NO SERIOGRAFIA ESÔFAGO-GASTRO-DUODENAL
(C) NA RADIOGRAFIA DO TÓRAX
(D) NA UROGRAFIA EXCRETORA
(E) NA HISTEROSALPINGOGRAFIA
GABARITO:

495 – A
495- EM UMA RADIOGRAFIA, NA INCIDÊNCIA DE REVERCHON, FICOU EVIDENCIADO O ARCO
POSTERIOR DO ATLAS NO FORÂME MAGNO. PODE-SE CONCLUIR QUE: 496 – C
(A) A INCLINAÇÃO DO TUBO FOI ALÉM DO NORMAL
(B) A INCLINAÇÃO DO TUBO FOI AQUÉM DO NORMAL 497 - D
(C) A INCLINAÇÃO DO TUBO ESTAVA CORRETA
(D) O PMS NÃO ESTAVA PERPENDICULAR AO PLANO DA MESA
(E) A LHA NÃO COINCIDIU COM O CENTRO DA MESA

496- EM UMA ROTINA COMPLETA PARA CVB, DEVE-SE EXECUTAR ÁS SEGUINTES INCIDÊNCIAS:
(A) MEDIASTINO, PA, PE CONTRASTADO, OAD, OAE CONTRASTADO
(B) MEDIASTINO, PA SIMPLES, PA CONTRASTADO, PE CONTRASTADO, OAD E OAE
(C) MEDIASTINO, PA, PE CONTRASTADO, OAD CONTRASTADO, OAE
(D) MEDIASTINO, PA, PE CONTRASTADO
(E) PA, PE CONTRASTADO, OAD E OAE

497- NAS INCIDÊNCIAS OBLÍQUAS DA COLUNA CERVICAL, A CABEÇA DO PACIENTE DEVERÁ ESTAR
EM:
(A) ÂNTERO-POSTERIOR
(B) OBLÍQUA DIREITA QUANDO A COLUNA ESTIVER EM OBLÍQUA
(C) OBLÍQUA DIREITA QUANDO A COLUNA ESTIVER OBLÍQUA ESQUERDA
(D) PERFIL DO MESMO LADO DA COLUNA A SER RADIOGRAFADO
(E) 45º EM RELAÇÃO AO FILME, NÃO IMPORTANDO O LADO 30
GABARITO:

498 – D
498- A MELHOR ROTINA DE EXAME DO TÓRAX É:
(A) AP E PERFIL COM CONTRASTE ESOFAGIANO 499 – B
(B) PENETRADA DO MEDIASTINO, AP E PERFIL
(C) PA COM CONTRASTE ASOFAGIANO, PENETRADA DO MEDIASTINO E PERFIL COM CONTRASTE
500 - D
(D) PA E PERFIL ESQUERDO
(E) AP, PERFIL DIREITO E ESQUERDO

499- QUAL A ANGULAÇÃO DO RAIO CENTRAL NA INCIDÊNCIA DE CALCÂNEO?


(A) 60 º
(B) 40 º
(C) 30 º
(D) 20 º
(E) 10 º

500 – A ALTERNATIVA QUE DESCREVE UMA REAÇÃO INTENSA AO CONTRASTE IODADO É:


(A) TAQUICARDIA
(B) VÔMITO EXCESSIVO
(C) URTICÁRIAS GIGANTES
(D) DIFICULDADE RESPIRATÓRIA
(E) DIARRÉIA
GABARITO:

501 – E
501- AS INCIDÊNCIAS DE RHEESE, FLEISCHNER E STENVERS SÃO PARA ESTUDO,
RESPECTIVAMENTE DE : 502 – A
(A) MASTÓIDES, DOS ÁPICES PULMONARES E DA MANDÍBULA
(B) MASTÓIDES, DOS ÁPICES PULMONARES E DO BURACO ÓPTICO
(C) BURACO ÓPTICO, DAS MASTÓIDES E DA MANDÍBULA
(D) BURACO RASGADO POSTERIOR, SEIOS ETMOIDAIS E MASTÓIDES
(E) BURACO ÓPTICO, ÁPICES PULMONARES E OSSO TEMPORAL

502- A CONTACTOGRAFIA É UM RECURSO UTILIZADO QUANDO NÃO SE CONSEGUE EVITAR UMA


SUPERPOSIÇÃO ENTRE DUAS ESTRUTURAS. PARA ISSO, DEVE-SE APROXIMAR DO FILME A
REGIÃO A SER ESTUDADA, E ENCOSTAR AO MÁXIMO O TUBO DE RAIO X NA OUTRA REGIÃO:
(A) A ASSERTIVA ESTÁ CORRETA, POIS FOI UTILIZADA COM VANTAGENS A PROPRIEDADE
DIVERGENTE DOS RAIOS-X
(B) A ASSERTIVA ESTÁ CORRETA, POIS ; UMA DAS PROPRIEDADES DOS RAIOS-X É IONIZAR OS
GASES
(C) A ASSERTIVA ESTÁ CORRETA, POIS FOI UTILIZADA A PROPRIEDADE DE PENETRAÇÃO DOS
RAIOS-X EM CORPOS OPACOS À LUZ
(D) A ASSERTIVA ESTÁ CORRETA
(E) A ASSETIVA ESTARIA CORRETA SE A REGIÃO A SER ESTUDADA FICASSE AFASTADA DO FILME,
PARA QUE NA SUA AMPLIAÇÃO PUDESSE SE ESTUDAR OS DETALHES COM MAIOR PRECISÃO
GABARITO:

503 – C
503- A TÉCNICA DA AUTOTOMOGRAFIA CONSISTE NO PRINCÍPIO DO “FLOU” CINÉTICO, E PODE SER
UTILIZADA EM EXAMES DA COLUNA TORÁCICA EM PERFIL E DA COLUNA CERVICAL EM 504
AP: – E
(A) A ASSERTIVA É ABSURDA, POIS “FLOU” SIGNIFICA UMA IMAGEM SEM DEFINIÇÃO
(B) A ASSERTIVA ESTÁ CORRETA, POIS A PARTE DO CORPO A SER RADIOGRAFADA ESTARÁ505
EM - B
DESLOCAMENTO UNIFORME DURANTE A EXPOSIÇÃO, DAÍ A SUA MELHOR DEFINIÇÃO
(C) A ASSERTIVA ESTÁ CORRETA
(D) A ASSERTIVA ESTARIA CORRETA SE NÃO HOUVESSE NENHUM EXEMPLO CITADO
(E) A ASSERTIVA ESTÁ ERRADA

504- NA RADIOGRAFIA DO ABDÔMEN, PARA SE EVITAR OS MOVIMENTOS VOLUNTÁRIOS E


INVOLUNTÁRIOS, DEVE SE ESCOLHER OS SEGUINTES FATORES : 100 Mas E:
(A) FOCO = 160 mA, 70 Kv
(B) FOCO = 100 mA, 70 Kv
(C) FOCO = 180 mA, 70Kv
(D) FOCO = 150 mA, 70 Kv
(E) FOCO = 400 mA, 70 Kv

505- ASSINALE A MELHOR RESPOSTA. UMA RADIOGRAFIA DE BOA QUALIDADE PODE SER OBTIDA
SE:
(A) DIMINUIR A DFF, AUMENTAR A DFO E MANTER CONSTANTE A DOF
(B) AUMENTAR A DFF, AUMENTAR A DFO E DIMINUIR A DOF
(C) AUMENTAR A DFF, DIMINUIR A DFO E DIMINUIR A DOF
(D) DIMINUIR A DFF, DIMINUIR A DFO E DIMINUIR A DOF
(E) DIMINUIR A DFF, DIMINUIR A DFO E AUMENTAR A DOF
GABARITO:

506 – C
506- MENINA DE 8 ANOS DE IDADE QUE ACIDENTALMENTE ENGOLIU UMA MOEDA DE R$ 0,25. NESTE
CASO, DEVEM SER FEITAS, NO MÍNIMO, AS SEGUINTES INCIDÊNCIAS : 507 – D
(A) AP, PA E PERFIL
(B) AP, PA, PERFIL E OBLÍQUAS 508 - C
(C) PA OU AP E PERFIL
(D) PA, COM VARREDURAS ATÉ O PERFIL
(E) AP E OBLÍQUAS

507 – AOS ÂNGULOS DE APROXIMADAMENTE 40 º, 54º E 47º, FORMADOS ENTRE AS PIRÂMIDES


PETROSAS E O PLANO MEDIOSAGITAL DO CRÂNIO, ESTÃO ASSOCIADOS RESPECTIVAMENTE
COM OS SEGUINTES FORMATOS DE CABEÇA:
(A) BRANQUICÉFALO, MESOCÉFALO E DOLICOCÉFALO
(B) BRANQUICÉFALO, DOLICOCÉFALO E MESOCÉFALO
(C) MESOCÉFALO, BRANQUICÉFALO E DOLICOCÉFALO
(D) DOLICOCÉFALO, BRANQUICÉFALO E MESOCÉFALO
(E) DOLICOCÉFALO,BRAQUICÉFALO E HIPOTÁLAMO

508- A POSIÇÃO DE TOWNE , NOS CASOS DE TRAUMATISMO CRANIANO, ESTÁ INDICADO COMO
COMPLEMENTAÇÃO DO EXAME RADIOLÓGICO EM PA E PERFIL, EM:
(A) SUSPEITA DE FRATURA DE MANDÍBULA
(B) SUSPEITA DE FRATURA TEMPORAL
(C) SUSPEITA DE FRATURA OCCIPITAL
(D) SUSPEITA DE FRATURA DE OSSO NASAL
(E) SUSPEITA DE FRATURA DO OSSO FRONTAL
GABARITO:

509 – C
509- QUAL O CHASSIS MAIS APROPRIADO PARA FAZER UM RAIO-X DE CRÂNIO:
(A) 24 X 31 510 – C
(B) 24 X 24
(C) 24 X 30 511 - C
(D) 30 X 40
(E) N.R.A.

510- INCIDÊNCIA DE RHEESE:


(A) É O MESMO QUE ÁPICO LORDÓTICA
(B) É UM PERFIL DO CRÂNIO
(C) É UMA OBLÍQUA DO CRÂNIO, PARA O ESTUDO DO BURACO ÓPTICO
(D) SERVE PARA O ESTUDO DA ARTICULAÇÃO TEMPORO-MANDIBULAR
(E) N.R.A.

511- INCIDÊNCIA NA QUAL VEMOS PRINCIPALMENTE OS SEIOS FRONTAIS:


(A) WATERS
(B) MENTO NASO
(C) CALDWELL
(D) STENVERS
(E) N.R.A.
GABARITO:

512 – D
512 – AS ARTICULAÇÕES CONDILARES NÃO PERMITEM O MOVIMENTO DE:
(A) FLEXÃO 513 – D
(B) ABDUÇÃO
(C) CIRCUNDAÇÃO 514 - D
(D) ROTAÇÃO MEDIAL
(E) ADUÇÃO

513 – O NÚMERO DE OSSOS QUE CONSTITUEM O ESQUELETO AXIAL DO ADULTO SÃO:


(A) 55
(B) 60
(C) 75
(D) 80
(E) 90

514- SÃO INCIDÊNCIAS USADAS PARA ESTUDO DO OMBRO, EXCETO:


(A) AP VERDADEIRO
(B) AXIAL DO TIPO WEST POINT
(C) ZANÇA
(D) GYNER – HART
(E) STRYKER
GABARITO:

515 – D
515- ASSINALE A OPÇÃO ERRADA:
(A) A INCIDÊNCIA DE STECHER É UMA OBLÍQUA DE PUNHO PARA ESCAFÓIDE 516 – B
(B) A INCIDÊNCIA DE TWINING ESTUDA BASICAMENTE A TRANSIÇÃO DA COLUNA CÉRVICO -
TORÁCICA 517 - B
(C) A INCIDÊNCIA DE LAWRENCE É O MESMO QUE TRANSTORÁCICA
(D) A INCIDÊNCIA DE CALDWELL É ESPECÍFICA PARA O ESTUDO DO BURACO ÓTICO
(E) A INCIDÊNCIA DE LAWENSTEIN ESTUDA BASICAMENTE A ARTICULAÇÃO COXO-FEMURAL

516- SÃO AS INCIDÊNCIAS ESPECÍFICAS PARA O ESTUDO DOS ROCHEDOS, EXCETO:


(A) STENVERS
(B) BELLOT
(C) SCHULLER
(D) MAYER
(E) GUILLEN

517- NA INCIDÊNCIA ESPECÍFICA PARA O ESTUDO DAS ARTICULAÇÕES SACRO ILÍACAS A


INCLINAÇÃO DO RAIO CENTRAL DEVE SER:
(A) 10 GRAUS CEFÁLICOS
(B) 25 GRAUS CEFÁLICOS
(C) 25 GRAUS PODÁLICOS
(D) 10 GRAUS CAUDAL
(E) RAIO CENTRAL PERPENDICULAR
GABARITO:

518 – B
518- PARA DEMONSTRAÇÃO DA FRATURA DO PROCESSO ODONTÓIDE A INCIDÊNCIA MAIS
ADEQUADA É: 519 – D
(A) TRANS-MENTONIANA
(B) TRANS-ORAL 520 - A
(C) TRANS-ORBITÁRIA
(D) TRANS-TORÁCICA
(E) TRANS-AXIAL

519- A INCIDÊNCIA DE HIRTZ É TAMBÉM CONHECIDA COMO:


(A) SEMI-AXIAL
(B) TRANS-MEATAL
(C) TRANS-ORBITÁRIA
(D) AXIAL DE BASE DO CRÂNIO
(E) TRANS-MENTONIANA

520- A ESCANOGRAFIA VISA A MEDIÇÃO DE:


(A) MEMBROS INFERIORES
(B) LUXAÇÃO ACRÔMIO – CLAVICULAR
(C) ESCOLIOSE TORÁCICA
(D) CIFOSE TORÁCICA
(E) LUXAÇÃO COXO-FEMURAL
GABARITO:

521 – D
521- UMA DAS INCIDÊNCIAS ESPECÍFICAS PARA VISUALIZAÇÃO DO ESCAFÓIDE CARPIANO É:
(A) PUNHO COM DESVIO RADIAL 522 – B
(B) PUNHO EM OBLÍQUA
(C) AP NEUTRO 523 - B
(D) PUNHO COM DESVIO ULNAR
(E) PERFIL DE PUNHO

522- O PLANO QUE DIVIDE A CABEÇA EM DUAS METADES SIMÉTRICAS DIREITA E ESQUERDA É:
(A) PLANO CORONÁRIO
(B) PLANO SAGITAL MEDIANO
(C) PLANO HORIZONTAL ALEMÃO
(D) PLANO MEATO – ORBITÁRIO
(E) PLANO DE RHEESE

523- A INFORMAÇÃO INCORRETA É:


(A) A ARTERIOGRAFIA VERTEBRAL,TEM POR META DOCUMENTAR A FOSSA POSTERIOR CRÂNIANA
(B) A PROJEÇÃO DE CHAUSSÉ IV, TEM POR OBJETIVO DOCUMENTAR A PIRÂMIDE PETROSA NO
SENTIDO DO SEU EIXO MENOR, PROPICIANDO ASSIM PESQUISAR O CONDUTO AUDITIVO
INTERNO
(C) PODEMOS UTILIZAR A TÉCNICA DA AUTOTOMOGRAFIA NA PNEUMOENCEFALOGRAFIA PARA O
ESTUDO DO QUARTO VENTRICULO, FAZENDO UM BALANCEAMENTO LATERAL ALTERNADO A
CABEÇA
(D) OS CORTES DE ROTINA NOS EXAMES DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DO ENCÉFALO SÃO: O
AXIAL, O SAGITAL E O CORONAL
(E) N.R.A.
GABARITO:

524 – A
524 – PODEMOS APLICAR A TÉCNICA DA AUTOTOMOGRAFIA NA PNEUMOENCEFALOGRAFIA PARA O
ESTUDO DO: 525 – B
(A) QUARTO VENTRÍCULO
(B) TERCEIRO VENTRÍCULO 526 - D
(C) SEGUNDO VENTRÍCULO
(D) PRIMEIRO VENTRÍCULO
(E) QUINTO VENTRÍCULO

525 – PARA BOISSON, A INCIDÊNCIA DE GÜILLEN DEVE SER REALIZADA ESTANDO A CABEÇA
RODADA EM TORNO DE 5 º PARA O LADO A SER ESTUDADO; JÁ PARA JORGE NASCIMENTO,
ESTA ANGULAÇÃO DEVE SER DE:
(A) 5º
(B) 7º
(C) 10º
(D) 15º
(E) 28º

526 – A PROJEÇÃO HAAS DEMONSTRA BEM A(O):


(A) ÓRBITA
(B) ZIGOMÁTICO
(C) ATM EM OBLÍQUA
(D) DORSO DA SELA TURCA
(E) PROCESSO CORACÓIDE
GABARITO:

527 – B
527 – TENDO POR META DOCUMENTAR O OSSO TEMPORAL, O HIRTZ DEVE SER EXECUTADO COM O
RC INCIDINDO PERPENDICULARMENTE À LHA E PENETRANDO NO: 528 – A
(A) ESPAÇO ENTRE O TERÇO POSTERIOR E MÉDIO DO CRÂNIO
(B) TERÇO POSTERIOR DO CRÂNIO 529 - D
(C) TERÇO ANTERIOR DO CRÂNIO
(D) TERÇO MÉDIO DO CRÂNIO
(E) 2 Cm POSTERIOR AO CAE

528 – O PRÊMIO NOBEL DE FÍSICA EM 1901 FOI CONCEDIDO, MUITO MERECIDAMENTE A:


(A) WILLIAM CROOKES
(B) PHILIPP LENARD
(C) WILHELM ROENTGEN
(D) MARIE CURIE
(E) HENRY BECQUEREL

529 – A PRIMEIRA RADIOGRAFIA, INTERNACIONAL, DA MÃO FOI DE BERTHA QUE ERA MULHER DE:
(A) CROOKS
(B) BECQUEREL
(C) LENARD
(D) ROENTGEN
(E) RUTHERFORD
GABARITO:

530 – C
530 – HOUVE UM FÍSICO HUNGARO, QUE TRABALHAVA NA ALEMANHA E DESENVOLVIA PROJETO
DE PESQUISA COM TUBOS DE RAIOS CATÓDICOS, NA MESMA ÉPOCA DAS EXPERIÊNCIAS
531DE
– D
ROENTGEN E QUE ACHAVA TER SIDO DELE O MÉRITO DA DESCOBERTA DOS RAIOS-X, ERA:
(A) THOMPSON 532 - A
(B) EINSTEIN
(C) LENARD
(D) RUTHERFORD
(E) SHÜLLER

531 – EM 1900 ROENTGEN ASSUMIU A DIREÇÃO DO:


(A) INSTITUTO DE FÍSICA DA UFRJ
(B) INSTITUTO E BELEZA HELENA RUBESTEIN
(C) INSTITUTO PEREIRA FAUSTINO NO RIO DE JANEIRO
(D) INSTIUTO DE FÍSICA EXPERIMENTAL EM MUNIQUE
(E) INSTITUTO DE PESQUISAS EM MANGUINHOS

532 - ROENTGEN FALECEU EM MUNIQUE EM 10 DE FEVEREIRO DE 1923 COM:


(A) 68 ANOS
(B) 98 ANOS
(C) 78 ANOS
(D) 105 ANOS
(E) 88 ANOS
GABARITO:

533 – C
533 – ROENTGEN GRADUOU-SE NO INSTITUTO POLITÉCNICO EM ENGENHARIA MECÂNICA EM:
(A) 1865 534 – A
(B) 1895
(C) 1868 535 - A
(D) 1869
(E) 1923

534 – O PRÊMIO NOBEL DE FÍSICA EM 1903 FOI PARTILHADO ENTRE:


(A) HENRI BECQUEREL E O CASAL CURIE
(B) HENRI BECQUEREL E LEONARD DA VINC
(C) HENRI BECQUEREL E ROENTGEN
(D) ROENTGEN E O CASAL CURIE
(E) ROENTGEN E RUTHERFORD

535- NA INCIDÊNCIA OBTURATRIZ ESQUERDA EM DECÚBITO DORSAL, O LADO DO EXAME SERÁ:


(A) O MAIS DISTANTE DA MESA
(B) O MAIS DISTANTE DO RAIO CENTRAL
(C) AMBOS OS LADOS
(D) O MAIS PRÓXIMO DO RAIO CENTRAL
(E) O MAIS PRÓXIMO A MESA
GABARITO:

536 – C
536- QUE EXAME DEVEMOS REALIZAR PARA VISUALIZARMOS O ESTERNO DE FRENTE?
(A) RADIOGRAFIA DO TÓRAX PA (PÓSTERO-ANTERIOR) 537 – E
(B) RADIOGRAFIA DE TÓRAX AP (ÂNTERO-POSTERIOR)
(C) PLANIGRAFIA 538 - D
(D) RADIOGRAFIA OBLÍQUA POSTEROR DIREITA DE TÓRAX
(E) PERFIL DE TÓRAX

537- NA INCIDÊNCIA DE ARTICULAÇÃO LOMBO-SACRA EM ANTERO-POSTERIOR, O RAIO CENTRAL


ENTRARÁ EM RELAÇÃO AO PLANO VERTICAL À:
(A) 5º CAUDAL
(B) 15º CAUDAL
(C) 20º CAUDAL
(D) 25º CAUDAL
(E) 10º PODÁLICO

538 – ROENTGEN NO ANDAMENTO DE SEUS EXPERIMENTOS, RADIOGRAFOU TAMBÉM:


(A) UMA CAIXA DE PAPELÃO CONTENDO UM TIJOLO
(B) UMA CAIXA DE MADEIRA CONTENDO UM CANDELABRO
(C) UMA CAIXA DE PLÁSTICO CONTENDO UM ANEL
(D) UMA CAIXA DE MADEIRA CONTENDO UM RIFLE
(E) UMA CAIXA DE VIDRO CONTENDO UM PEIXE
GABARITO:

539 – B
539- QUAL A DISPOSIÇÃO DO RAIO CENTRAL NA INCIDÊNCIA DE ATM (ARTICULAÇÃO TEMPORO-
MANDIBULAR) PROJEÇÃO FRONTAL? 540 – A
(A) 10ºCAUDAL ENTRANDO NO BREGMA
(B) 30º CAUDAL ENTRANDO NO BREGMA 541 - C
(C) 40º CAUDAL ENTRANDO NO BREGMA
(D) 50º CRANIAL ENTRANDO NO BREGMA
(E) 60º CRANIAL ENTRANDO NO BREGMA

540 – NO EXAME DE ANGIOGRAFIA CEREBRALCAROTÍDEA, A ARTÉRIA PUNCIONADA PARA A


INJEÇÃO DO MEIO DE CONTRASTE É:
(A) CARÓTIDA
(B) JUGULAR
(C) SUBCLAVIA
(D) UMERAL
(E) VERTEBRAL

541- PARA ESTUDARMOS UMA FRATURA EM 8º ARCO COSTAL DIREITO PRÓXIMO AO CORPO
VERTEBRAL, QUAL A INCIDÊNCIA QUE DEVEMOS FAZER?
(A) OBLÍQUA ANTERIOR DIREITA INVERSA
(B) OBLÍQUA POSTERIOR ESQUERDA
(C) OBLÍQUA POSTERIOR DIREITA
(D) PERFIL DIREITO DE TÓRAX
(E) PERFIL E PA
GABARITO:

542 – C
542- DOS EXAMES RADIOLÓGICOS ABAIXO, O INDICADO PARA DIAGNOSTICAR POSSÍVEIS LESÕES
DO SISTEMA VASCULAR É: 543 – E
(A) SERIOGRAFIA
(B) SIALOGRAFIA 544 - E
(C) ANGIOGRAFIA
(D) ULTRASSONOGRAFIA
(E) UROGRAFIA EXCRETORA

543- DAS ALTERNATIVAS ABAIXO, A QUE CONTÉM TODOS OS COMPONENTES DA PARTE ÚMIDA DE
UMA CÂMARA ESCURA É:
(A) CAIXA DE FILME, CHASSIS, BALCÃO, TOALHA E LUZ DE SEGURANÇA
(B) COLGADURA, DESPERTADOR, ÁGUA CORRENTE, BALCÃO E CAIXA DE FILME
(C) CAIXA DE FILME, GAVETAS, TOALHA, TANQUE DE REVELAÇÃO E TANQUE DE FIXAÇÃO
(D) NEGATOSCÓPIO, TANQUE DE REVELADOR, LUZ DE ESPERANÇA, CAIXA DE FILME E CHASSIS
(E) TANQUE DE REVELAÇÃO, TANQUE DE FIXAÇÃO, ÁGUA CORRENTE, TOALHA E LUZ DE
SEGURANÇA

544- O MÉTODO ADEQUADO NUM EXAME RADIOLÓGICO DE CAVUM, EM PACIENTE QUE SE


ENCONTRA COM APNÉIA INSPIRATÓRIA, FORÇANDO A EXPULSÃO DA AR COM A GLOTE
FECHADA, É CONHECIDO COMO MANOBRA:
(A) BUCAL
(B) DE HIRTZ
(C) DE MAYER
(D) DE MÜLLER
(E) DE VALSALVA
GABARITO:

545 – A
545- O EXAME INDICADO PARA O ESTUDO DAS GLÂNDULAS SALIVARES É:
(A) SIALOGRAFIA 546 – C
(B) CLISTER OPACO
(C) ESCANOMETRIA 547 - D
(D) COLECISTOGRAFIA
(E) URETROCISTOGRAFIA

546- A INCIDÊNCIA DE HICKEY MODIFICADO AVALIA:


(A) O TARSO
(B) O OMBRO
(C) O QUADRIL
(D) O TORNOZELO
(E) O JOELHO

547 – O EXAME RADIOLÓGICO EM QUE SE UTILIZA DUPLO CONTRASTE (BÁRIO E AR), É:


(A) SEED
(B) UROGRAFIA INTRAVENOSA EXCRETORA
(C) HISTEROSSALPINGOGRAFIA
(D) ENEMA BARITADO
(E) DACRIOCISTOGRAFIA
GABARITO:

548 – A
548 – A APLICAÇÃO DO PRINCÍPIO DA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA NO HOSPITAL MODERNO
REQUER UMA COLEÇÃO DE EQUIPAMENTOS. ALÉM DO COMPUTADOR E MONITOR, SÃO549 ELES:
– A
(A) MAGNETO, BOBINAS DE GRADIENTE, BOBINAS DE RADIOFREQÜÊNCIA E SISTEMA DE SUPORTE
ELETRÔNICO 550 - C
(B) CATODO, BOBINAS DE GRADIENTE, SISTEMA DE SUPORTE ELETRÔNICO E ANODO
(C) ANODO, ESTATIVA, BOBINAS DE RADIOFREQÜÊNCIA E MAGNETO
(D) MAGNETO, ESTATIVA, SISTEMA DE SUPORTE ELETRÔNICO E CATODO
(E) MAGNETO, ANODO E TRANSDUTOR

549 – NOS CASOS DE TRAUMATISMO DE POLEGAR, É IMPORTANTE INCLUIR NO FILME


RADIOGRÁFICO O PRIMEIRO METACARPIANO PARA AVALIAÇÃO DE:
(A) FRATURA DE BENNETT
(B) LUXAÇÃO DO PSIFORME
(C) OSTEOPOROSE DE MÃO
(D) LESÃO INFLAMATÓRIA ÓSSEA
(E) COLESTEATOMA

550 – EXCLUINDO-SE OS SESAMÓIDEOS, O NÚMERO TOTAL DE OSSOS NO PUNHO E NA MÃO, DE


UM DOS LADOS, É:
(A) 25
(B) 26
(C) 27
(D) 28
(E) 30
GABARITO:

551 – E
551 – A INCIDÊNCIA AP COMPARATIVA DAS ARTICULAÇÕES ACROMIOCLAVICULARES COM O
PACIENTE SEGURANDO UM PESO EM CADA MÃO, ESTÁ INDICADA EM CASOS DE: 552 – A
(A) FRATURAS
(B) TUMORES 553 - D
(C) LUXAÇÕES
(D) OSTEOMIELITES
(E) OSTEOSARCOMA

552 – A TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA OFERECE INFORMAÇÕES DIAGNÓSTICAS DE MAIOR


IMPORTÂNCIA DA SEGUINTE REGIÃO:
(A) CALOTA CRANIANA
(B) CÁPSULA SINOVIAL DO JOELHO
(C) MÚSCULO QUADRÍCEPS
(D) MANGUITO ROTADOR DO OMBRO
(E) HÁLUX

553 – DENTRE OS EXAMES RADIOLÓGICOS CONTRASTADOS ABAIXO, O QUE TEM COMO


FINALIDADE OBSERVAR LESÕES AO NÍVEL DOS MEMBROS ARTICULARES DA REGIÃO
TEMPOROMANDIBULAR É:
(A) URETROGRAFIA
(B) COLANGIOGRAFIA
(C) CONTACTOGRAFIA
(D) PNEUMOARTROGRAFIA
(E) HISTEROSSALPINOGOGRAFIA
GABARITO:

554 – A
554 – A POSIÇÃO DE RÃ, BILATERAL TAMBÉM É CONHECIDA COMO:
(A) CLEAVES MODIFICADO 555 – C
(B) CLEMENTS-NAKAYAMA
(C) DANELIUS-MILLER 556 - D
(D) JOANNES-LEPROUST
(E) LIUS-RM

555- O EXAME RADIOLÓGICO DE TÓRAX DE UM PACIENTE APRESENTA OS SEGUINTES DADOS:


ESPESSURA = 20
TOTAL DE KV = 65
NESTE CASO, A CONSTANTE (K) DO APARELHO DEVERÁ SER DE:
(A) 15
(B) 20
(C) 25
(D) 30
(E) 35

556- O KV FINAL A SER CONSIDERADO EM UMA RADIOGRAFIA DE PACIENTE QUE APRESENTA


ESPESSURA IGUAL A 19 E O APARELHO APRESENTA K=23 É DE:
(A) 17
(B) 28
(C) 37
(D) 61
(E) 65
GABARITO:

557 – D
557 – EXAMES DE CONTROLE SÃO NECESSÁRIOS EM PACIENTES QUE APRESENTAM FRATURAS
EM MEMBROS INFERIORES (COXA), FAZENDO USO DE APARELHO GESSSADO. PARA SE558
SABER
– B
COMO ESTÁ A CONSOLIDAÇÃO DA FRATURA, FAZ-SE NECESSÁRIO ACRESCENTAR NA
TÉCNICA RADIOLÓGICA, OU SEJA, NO KV FINAL, A QUANTIDADE DE:
(A) 02 KV
(B) 04 KV
(C) 08 KV
(D) 12 KV
(E) 16 KV

558 – UM DOS FATORES MAIS IMPORTANTES PARA OBTENÇÃO DE UMA IMAGEM COM
DISTRIBUIÇÃO HOMOGÊNEA DA RADIAÇÃO NA MAMOGRAFIA DE ALTA RESOLUÇÃO É:
(A) PONTO FOCAL 0,1 E 0,3 mm DE CHUMBO
(B) UTILIZAÇÃO DO EFEITO ANÓDICO PROEMINENTE
(C) SISTEMA DE COMPRESSÃO MAMÁRIA PARA MELHORAR A AMPLIAÇÃO E AUMENTAR A
RADIAÇÃO PRIMÁRIA
(D) MÁQUINA PROCESSADORA REGULADA PARA EXAMES CONCOMITANTES DE RAIOS X GERAL,
MAMOGRAFIA E TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA
(E) USO DE FILTRO ZINCO
GABARITO:

559 – E
559- DE ACORDO COM A LEI DE KEPLER, O MESMO PROVOU QUE É POSSÍVEL TER -SE
RADIOGRAFIAS DE PADRÃO, OU SEJA, DE BOA QUALIDADE MESMO QUE SE DOBRE A 560 – A
DISTÂNCIA FOCO-FILME. NESTE CASO É NECESSÁRIO ADOTAR COMO PROCEDIMENTO:
(A) USAR ECRAN GRÃO-GROSSO 561 - D
(B) DIMINUIR A QUANTIDADE DE KV
(C) DOBRAR A INTENSIDADE DE RADIAÇÃO
(D) TRIPLICAR A INTENSIDADE DE RADIAÇÃO
(E) QUADRUPLICAR A INTENSIDADE DE RADIAÇÃO

560- A INCIDÊNCIA INDICADA NUMA RADIOGARFIA DE MÃOS E PUNHOS PARA O ESTUDOS DA IDADE
ÓSSEA, ATRAVÉS DA TABELA DE GREULICH E PYLE, É:
(A) PA COMPARATIVO
(B) OBLÍQUA ESQUERDA
(C) PERFIL COMPARATIVO
(D) AP EM FLEXÃO EXTERNA
(E) PERFIL ESQUERDO EM FLEXÃO

561 – O TERMO EVERSÃO PODE SER APLICADO AO:


(A) MOVIMENTO DE FORÇA PARA DENTRO DO PÉ NA ARTICULAÇÃO DO TORNOZELO
(B) MOVIMENTO DE FLEXÃO DORSAL DA ARTICULAÇÃO DO TORNOZELO
(C) MOVIMENTO DE FLEXÃO PLANTAR DA ARTICULAÇÃO DO TORNOZELO
(D) MOVIMENTO DE FORÇA PARA FORA DO PÉ NA ARTICULAÇÃO DO TORNOZELO
(E) MOVIMENTO DE ROTAÇÃO DO TORNOZELO
GABARITO:

562 – A
562 – AO SE USAR ECRAN GRÃO MÉDIO, PARA CADA CENTÍMETRO AUMENTADO NA ESPESSURAA
SER RADIOGRAFADA HÁ UMA COMPENSAÇÃO DE: 563 – C
(A) + 02 KV
(B) + 03 KV 564 - D
(C) + 04 KV
(D) + 06 KV
(E) + 08 KV

563 – O MECANISMO QUE PERMITE LIMITAR O CAMPO DE EXPOSIÇÃO DOS RAIOS-X É CHAMADO DE
:
(A) ECRAN
(B) ESTATIVA
(C) DIAFRAGMA
(D) FILTRO DE ALUMÍNIO
(E) GRADE ANTIDIFUSORA

564 – NUMA RADIOGRAFIA DE CRÂNIO, A INCIDÊNCIA EM OBLÍQUA PARA O ESTUDO DO BURACO


RASGADO POSTERIOR É:
(A) BELLOT
(B) BRETON
(C) CADWELL
(D) CHAUSSÉ II
(E) CHAUSSÉ III
GABARITO:

565 – A
565 – O MÉTODO DE GRASHEY AVALIA:
(A) OMBRO 566 – E
(B) JOELHO
(C) COTOVELO 567 - A
(D) COLUNA CERVICAL
(E) COLUNA LOMBAR

566 – DAS ALTERNATIVAS ABAIXO, A QUE DEMONSTRA CORRETAMENTE A QUANTIDADE MÍNIMA DE


INCIDÊNCIAS EM EXAMES RAIOLÓGICOS DOS ARCOS COSTAIS (COSTELAS VERDADEIRAS) É:
(A) PA, AP E PERFIL
(B) PA, PERFIL E OBLÍQUA ANTERIOR DIRETA
(C) PA, OBLÍQUA POSTERIOR DIRETA E PERFIL
(D) PA, OBLÍQUA ESQUERDA E PERFIL
(E) PA, OBLÍQUA ANTERIOR DIRETA E OBLÍQUA ANTERIOR ESQUERDA

567 – QUAL DAS ALTERNATIVAS ABAIXO REPRESENTA O PRINCIPAL RISCO OCUPACIONAL DOS
OPERADORES DE APARELHOS DE RAIOS-X?
(A) LEUCEMIA
(B) OSTEOPOROSE
(C) GASTRITE CRÔNICA
(D) DIABETES TIPO II
(E) PERICARDITE
GABARITO:

568 – D
568 – UMA RADIOGRAFIA SUPER EXPOSTA, PODE AINDA SER APROVEITADA SE:
(A) FOR PORCESSADA MANUALMENTE, DILUINDO-SE COM ÁGUA O REVELADOR, AUMNETANDO–SE
569 – A
A TEMPERATURA DESTE E REVELANDO-SE O EM TEMPO NORMAL;
(B) FOR MANTIDO O REVELADOR COM A SUA DILUIÇÃO NORMAL DIMINUINDO-SE A TEMPERATURA
E AUMENTADO O TEMPO DE REVELAÇÃO;
(C) FOR MANTIDO O REVELADOR EM CONDIÇÕES NORMAIS DE REVELAÇÃO (SEM DILUIÇÃO E SOB
TEMPERATURA IDEAL), REVELANDO-SE O FILME ALTERANDO, ORA MERGULHANDO O FILME
NO REVELADOR, ORA NO FIXADOR, VISANDO UM MELHOR CONTROLE NA VELOCIDADE DA
REVELAÇÃO;
(D) FOR MANTIDO O REVELADOR COM A SUA DILUIÇÃO E TEMPERATUDA NORMAIS E DIMINUINDO-
SE O TEMPO DE REVELAÇÃO;
(E) FOR MANTIDO O PORCESSAMENTO DO ITEM “A”, SENDO QUE A DILUIÇÃO DEVE SER FEITA COM
PEQUENAS DOSES DE FIXADOR DE MODO QUE O REVELADOR FIQUE MENOS ATIVO.

569 – O CHUMBO É USADO EM RAIOPROTEÇÃO COMO BLINDAGEM, PORQUE:


(A) É UM METAL DE ALTO NÚMERO ATÔMICO E MUITO DENSO
(B) É UM METAL DE BAIXO NÚMERO ATÔMICO E DE BAIXO CUSTO
(C) NÃO INTERAGEM E NEM INTERFERE NA RADIAÇÃO
(D) É UM METAL RARO
(E) É POUCO DENSO.
GABARITO:

570 – C
570- ONDE INCIDE O RAIO CENTRAL NA INCIDÊNCIA DE AP DE JOELHO:
(A) NO GRANDE TROCANTER 571 – A
(B) NO CONDILO MEATAL DO FÊMUR
(C) NO VÉRTCE DA PATELA 572 - E
(D) NA CRISTA DA TÍBIA
(E) NO PROCESSO CORONÓIDE

571 – QUANTO AO USO DO FILME DO CONTROLE RAIOMÉTRICO PESSOAL (FILME BADGE), PODE-
SE AFIRMAR QUE:
(A) ELE PERMIRTE ACOMPANHAR O NÍVEL DE EXPOSIÇÃO DO OPERADOR
(B) PROTEGE O TRABALHADOR, EVITANDO SUA EXPOSIÇÃO À RADIAÇÃO
(C) É DE USO PESSOAL, MAS PODE SER EMPRESTADO EM CASO DE FALTA
(D) NÃO É OBRIGATÓRIO NOS LABORATÓRIOS DE RAIOISÓTOPOS
(E) É DISPENSADO NOS LABORATÓRIOS DE RADIOISÓTOPOS.

572 – A INCIDÊNCIA DE CRÂNIO-CAUDAL EXAGERADA, EM MAMOGRAFIA, TEM COMO OBJETIVO


PRINCIPAL A:
(A) AVALIAÇÃO DE MICROCALCIFICAÇÕES
(B) DISTINÇÃO ENTRE LESÕES VERDADEIRAS E PSEUDOLESÕES RESULTANTES DA
SUPERPOSIÇÃO DE TECIDOS
(C) VISUALIZAÇÃO DE LESÕES ANTERIORES DOS QUADRANTES MEDIAIS
(D) AVALIAÇÃO DE MAMAS COM PRÓTESES
(E) AVALIAÇÃO DE LESÕES NA CAUDA AXILAR E QUADRANTE LATERAL
GABARITO:

573 – C
573 – A COMPRESSÃO SELETIVA EM MAMOGRAFIA, ESTÁ INDICADA PARA:
(A) ESTUDO DAS MICROCALCIFICAÇÕES 574 – A
(B) AVALIAÇÃO DE MAMAS COM PRÓTESE
(C) DISTINÇÃO ENTRE LESÕES VERDADEIRAS E PSEUDOLESÕES DA SUPERPOSIÇÃO DE TECIDOS.
575 - B
(D) AVALIAÇÃO DE CALCIFICAÇÕES
(E) AVALIAÇÃO DE LINFONODOS AXILARES

574 – ASSINALE A ALTERNATIVA CORRETA EM RELAÇÃO AO USO DO SÍMBOLO DE RADIAÇÃO PARA


IDENTIFICAR ÁREAS DE ARMAZENAMENTO DE MATERIAL RAIOATIVO, PODEMOS AFIRMAR
QUE:
(A) O SÍMBOLO DEVE SER SEMPRE USADO
(B) O SÍMBOLO DEVE SER USADO APENAS QUANDO OS NÍVEIS DE RADIAÇÃO SÃO ELEVADOS
(C) O SÍMBOLO DEVE SER USADO APENAS QUANDO HÁ MANUPULAÇÃO DE MATERIAL RADIOATIVO
(D) O USO DO SÍMBOLO É OPCIONAL
(E) NENHUMA DAS ALTERNATIVAS ANTERIORES.

575 – COMPLETE A LACUNA QUANDO ALTERAMOS A VOLTAGEM (KV) NO APARELHO DE RAIOS-X,


ESTAMOS ALTERANDO _____________ DO FEIXE:
(A) A INTENSIDADE
(B) A PENETRAÇÃO
(C) O CONTRATE
(D) A INTENSIDADE E A ENERGIA
(E) A INTENSIDADE E O CONTRASTE
GABARITO:

576 – D
576 – A INCIDÊNCIA CHAMADA DE FROG É ESPEÍFICA PARA ARTICULAÇÃO:
(A) ESCAPULO-UMERAL 577 – D
(B) TÍBIO-TÁRSICA
(C) OCCIPTO-ATLOIDÉIA 578 - B
(D) COXO-FEMURAL
(E) ESTERNO-CLAVICULAR

577 – ASSINALE A MELHOR RESPOSTA, O QUE CORRIQUEIRAMENTE DENOMINAMOS RAIOS-X É:


(A) UMA RADIAÇÃO ELETROMAGNÉTICA
(B) UMA RADIAÇÃO ELETROMAGNÉTICA CAPAZ DE SENSIBILIZAR HALETOS DE PRATA
(C) UMA RADIAÇÃO ELETROMAGNÉTICA COM COMPRIMENTO DE ONDA MUITO PEQUENO
(D) TODAS AS ALTERNATIVAS ANTERIORES ESTÃO CORRETAS
(E) TODAS AS ALTERNATIVAS ANTERIORES ESTÃO ERRADAS

578 – UM PACIENTE É ENCAMINHADO DO PRONTO-SOCORRO COM SUSPEITA DE PERFURAÇÃO DE


VICERA OCA. DAS INCIDÊNCIAS ABAIXO, A MAIS INDICADA PARA A PESQUISA DE AR LIVRE NA
CAVIDADE ABDOMINAL, QUANDO O PACIENTE É INCAPAZ DE ASSUMIR UMA POSIÇÃO
ORTOSTÁTICA, É:
(A) DECÚBITO LATERAL DIREITO COM RC HORIZONTAL
(B) DECÚBITO LATERAL ESQUERDO COM RC HORIZONTAL
(C) DECÚBITO VENTRAL COM RC PERPENDICULAR
(D) DECÚBITO DORSAL COM RC PERPENDICULAR
(E) DECÚBITO LATERAL DIREITO COM RC PEPENDICULAR
GABARITO:

579 – E
579 – QUAL DAS ALTERNATIVAS ABAIXO NÃO DEVE SER RELACIONADA COM RADIAÇÃO
IONIZANTE ? 580 – D
(A) ANEMIA
(B) ESTERILIDADE 581 - C
(C) CATARATA
(D) CÂNCER
(E) INFECÇÕES EM GERAL

580 – A INCIDÊNCIA DE MARCHANT ESTUDA :


(A) O CRÂNIO
(B) O OMBRO
(C) O QUADRIL
(D) O JOELHO
(E) O TARSO

581 – O COMPONENTE COMUM AO REVELADOR E FIXADOR RADIOLÓGICO É :


(A) HIPOSSULFITO DE SÓDIO
(B) HODROQUINONA
(C) SULFITO DE SÓDIO
(D) BROMETO DE POTÁSSIO
(E) ÁCIDO ACÉTICO
GABARITO:

582 – A
582 – A MANDIBULA SE ARTICULA COM O CRÂNIO ATRAVÉS DO SEGUINTE OSSO:
(A) TEMPORAL 583 – E
(B) OCCIPTAL
(C) PARIETAL 584 - B
(D) FRONTAL
(E) ESFENÓIDE

583 – QUAL A ANGULAÇÃO COXA-PERNA USADA NA INCIDÊNCIA DE MARCHANT?


(A) 90º
(B) 70º
(C) 60º
(D) 30º
(E) 45º

584 – DIARTROSE É UMA ARTICULAÇÃO DO SEGUINTE TIPO :


(A) FIXA, EXISTENTE NO CRÂNIO
(B) MÓVEL COMO A DO JOELHO
(C) SEMI-MÓVEL, APÓS TRUMATISMO
(D) FRONTAL, ESFENÓIDE, TEMPORAL E ETMÓIDE
(E) PATOLÓGICA
GABARITO:

585 – B
585 – ONDE INCIDE O RAIO CENTRAL NO AP DE TORNOZELO:
A) NA ALTURA DO MALÉOLO EXTERNO 586 – A
(B) NA ALTURA DO MALÉOLO INTERNO
(C) NA ALTURA DO CALCÂNEO 587 - C
(D) NA ALTURA DO HALLUX
(E) NO VÉRTICE DA PATÉLA

586 – ASSINALE A ALTERNATIVA CORRETA EM RELAÇÃO À TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA


(A) A SUSPENSÃO DE SULFATO DE BÁRIO UTILIZADA PARA OPACIFICAÇÃO DO TRATO
GASTROINTESTINAL DEVE TER BAIXA CONCENTRAÇÃO PARA EVITAR ARTEFATOS
(B )NA ESCALA HOUSFIELD, O TECIDO ADIPOSO APRESENTA VAOR POSITIVO
(C) O INCREMENTO DA MESA DO T. COMPUTADORIZADO REFERE-SE À ESPESSURA DO CORTE
(D) CONTRASTE IODADO HIDROSSOLÚVEL NÃO PODE SER UTILIZADO PARA OPACIFICAÇÃO DO
TRATO GASTROINTESTINAL
(E) CORTES CORONAIS SÃO REALIZADOS ROTINEIRAMENTE NA TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA
DE CRÂNIO

587 – A TEMPERATURA IDEAL PARA REVELAÇÃO E O TEMPO NECESSÁRIO PARA IMERSÃO NO


REVELADOR NOVO É RESPCTIVAMENTE DE:
(A) 17 ºC E 90 SEGUNDOS
(B) 16 º C E 90 SEGUNDOS
(C) 22 º C E 1,5 SEGUNDOS
(D) 28 º C E 90 SEGUNDOS
(E) 25 º C E 1,5 SEGUNDOS
GABARITO:

588 – D
588 – ASSINALE A ALTERNATIVA CORRETA EM RELAÇÃO AO CÓDIGO DE ÉTICA PROFISSIONAL DO
TÉCNICO EM RADIOLOGIA 589 – A
(A) A ÁREA DE MEDICINA NUCLEAR NÃO É OBJETO DA PROFISSÃO DE TÉCNICO EM RADIOLOGIA
(B) A ORIENTAÇÃO E O PROGNÓSTICO DO TRATAMENTO RADIOTERÁPICO SÃO DE COMPETÊNCIA
DO TÉCNICO EM RADIOLOGIA
(C) É PERMITIDO AO TÉCNICO EM RADIOLOGIA ACEITAR EMPREGO DEIXADO POR COLEGA QUE
TENHA SIDO INJUSTAMENTE DISPENSADO
(D) ADVERTÊNCIA CONFIDENCIAL E MULTAS SÃO MEDIDAS DISCIPLINARES QUE PODEM SER
APLICADAS AOS TÉCNICOS EM RADIOLOGIA INFRATORES DESTE CÓDIGO
(E) CENSURA PÚBLICA EM PUBLICAÇÃO OFICIAL E CASSAÇÃO DO EXERCÍCIO PROFISSIONAL SÃO
MEDIDAS DISCIPLINARES QUE NÃO PODEM SER APLICADAS AOS TÉCNICOS EM RADIOLOGIA
INFRATORES DESTE CÓDIGO

589 – O EFEITO ANÓDIO É APROVEITADO NO EXAME RADIOLÓGICO DE :


(A) MEMBRO INFERIOR
(B) COLUNA LOMBAR
(C) COXOFEMURAL
(D) CRÂNIO
(E) HALLUX
GABARITO:

590 – C
590 – DE ACORDO COM BONTRAGER, EM RELAÇÃO AO POSICIONAMENTO DO PACIENTE NO
APARELHO DE RAIOS X, A PROJEÇÃO REFERE-SE: 591 – A
(A) À PARTE DO CORPO NAIS DISTANTE DO FILME
(B) À IMAGEM FORMADA NA PELÍCULA DE RAIOS X 592 - C
(C) AOS PONTOS DE ENTRADA E SAÍDA DO FEIXE DE RAIOS X
(D) À PARTE DO CORPO MAIS PRÓXIMA AO FILME
(E) AO TAMANHO DO FILME USADO

591 – A MELHOR DEFINIÇÃO PARA O TERMO PRONAÇÃO É:


(A) UMA ROTAÇÃO DA MÃO PARA A POSIÇÃO OPOSTA À ANATÔMICA
(B) UMA ROTAÇÃO DA MÃO PARA A POSIÇÃO ANATÔMICA
(C) UM MOVIMENTO DE APROXIMAÇÃO DO BRAÇO EM RELAÇÃO AO CORPO
(D) UM MOVIMENTO DE AFASTAMENTO DO BRAÇO EM RELAÇÃO AO CORPO
(E) UM MOVIMENTO DE EXTENSÃO DO TRONCO

592 – O TIPO DE ENERGIA USADA NA DENSITOMETRIA ÓSSEA É:


(A) ALFA E BETA
(B) GAMA E BETA
(C) X E GAMA
(D) ULTRA-SOM E X
(E) X E BETA
GABARITO:

593 – D
593 – NA TELERADIOGRAFIA DO TÓRAX, A RAZÃO E O PONTO FOCAL DA GRADE DEVEM SER,
RESPECTIVAMENTE: 594 – C
(A) 8:1 E 120-220
(B) 10:1 E 70-120 595 - B
(C) 15:1 E 100-250
(D) 20:1 E 150-220
(E) 9:1 E 130-230

594 – O MÉTODO DE POSIÇÃO ERETA EQUIVALE A UMA TANGENCIAL DA ARTICULAÇÃO DO


JOELHO. A ANGULAÇÃO PERNA / COXA É DE:
(A) 50 º
(B) 30 º
(C) 40 º
(D) 90 º
(E) 120 º

595 – NA RADIOGRAFIA DE UMA EXTREMIDADE RECENTEMENTE GESSADA DEVE-SE ADOTAR A


SEGUINTE MEDIDA:
(A) DIMINUIR 4KV
(B) AUMENTAR 8KV
(C) DIVIDIR O MAS POR 2
(D) MULTIPLICAR O MAS POR 3
(E) REDUZIR O KV A METADE
GABARITO:

596 – A
596 – O SUBOFICIAL GERSON, PREPARANDO-SE PARA REALIZAÇÃO DE UM EXAME DE ENEMA
BARITADO EM UM PACIENTE COM SUSPEITA DE NEOPLASÍA EM FLEXURA CÓLICA DIREITA
597 – B
(ÂNGULO HEPÁTICO), APÓS A LEITURA DA INDICAÇÃO CLINICA CONSTANTE NO PEDIDO
MÉDICO DO EXAME, CHEGOU A CONCLUSÃO DE QUE A INCIDÊNCIA QUE MELHOR PODERIA
EVIDENCIAR A POSSÍVEL LESÃO É:
(A) OAD DE 35º A 45º
(B) OPD DE 35º A 45º
(C) OPD DE 45º A 55º
(D) OAE DE 35º A 45º
(E) PERFIL RIGOROSO

597 – PARA REALIZAÇÃO DE EXAME CONTRASTADO DA VESÍCULA BILIAR (COLECISTOGRAMA


ORAL), SEGUNDO O AUTOR JORGE DO NASCIMENTO, ALÉM DE FAZER UMA DIETA ISENTA DE
GORDURA NO PERIODO DE 12 HORAS QUE ANTECEDE O EXAME, O PACIENTE DEVE INGERIR:
(A) 4 COMPRIMIDOS DE 500 MG DE ÁCIDO IOCETÂMICO (CELEBRINA) 12 HORAS ANTES DO EXAME
(B) 6 A 12 COMPRIMIDOS DE 500 MG DE ÁCIDO IOCETÂMICO (CELEBRINA) 12 HORAS ANTES DO
EXAME
(C) 8 COMPRIMIDOS DE 750 MG DE TIROPANOATO DE SÓDIO (BILOPAQUE) DE 8 A 10 HORAS ANTES
DO EXAME
(D) 12 G DE ÁCIDO IOPANÓICO (TELEPAQUE) 12 HORAS ANTES DO EXAME
(E) 4 COMPRIMIDOS DE ÁCIDO IOPANÓICO (TELEPAQUE) 6 HORAS APÓS O EXAME
GABARITO:

598 – B
598 – AO REALIZAR UM EXAME DE JOELHO E PATELA, O TÉCNICO ANTÔNIO MATTOS, COMO BOM
CONHECEDOR DAS TÉCNICAS RADIOGRÁFICAS, REALIZOU-O COM PRECISÃO. SENDO ASSIM,
ASSINALE VERDADEIRO (V) OU FALSO (F) PARA AS AFIRMATIVAS ABAIXO E, EM SEGUIDA,
MARQUE A SEQUÊNCIA CORRETA.
( ) NA INCIDÊNCIA DE AP DE JOELHO PARA PACIENTE COM COXAS E NÁDEGAS PEQUENAS, DEVE -
SE USAR O RAIO CENTRAL COM ÂNGULO DE 3º A 5º CAUDAL
( ) NA INCIDÊNCIA MÉDIO-LATERAL, DEVE-SE ANGULAR O RAIO CENTRAL DE 5º A 7º
CEFALICAMENTE
( ) A INCIDÊNCIA BILATERAL DE MARCHANT (AXIAL, NASCENTE / LINHA DO HORIZONTE) É
UTILIZADA PARA PATELA, ANGULANDO-SE O RAIO CENTRAL 25º CAUDAL DO PLANO
HORIZONTAL
( ) AO REALIZARMOS A INCIDÊNCIA AP DE JOELHO COM CARGA, O RAIO CENTRAL DEVE ESTAR
PERPENDICULAR AO FILME NO PACIENTE MAGRO, ORIENTADO PARA O PONTO MÉDIO ENTRE
AS ARTICULAÇÕES

(A) V – F – V - F
(B) V – V – F - F
(C) F – F – F - V
(D) F – V – V - V
(E) V – V – V - F
GABARITO:

599 – A
599 – NO EXAME DE UROGRAFIA EXCRETORA, AS REAÇÕES AO MEIO DE CONTRASTE IODADO SE
DIVIDEM EM LEVES, MODERADAS E INTENSAS. FAZ PARTE DAS REAÇÕES INTENSAS: 600 – A
(A) CONVULSÕES
(B) SUDORESE 601 - B
(C) URTICÁRIA EXCESSIVA
(D) TAQUICARDIA
(E) CEFALÉIA

600 – NO ESTUDO DAS MAMAS POR MAMOGRAFIA, REALIZA-SE UMA COMPRESSÃO LOCALIZADA
PREFERENCIALMENTE PARA;
(A) AMPLIAR MICROCALCIFICAÇÕES SUSPEITAS
(B) MELHRAR A VISULIZAÇÃO DA PRÓTESE DE SILICONE
(C) DISTINGUIR O CONTEÚDO DOS NÓDULOS SÓLIDOS OU CÍSTICO
(D) MELHORAR A DEFINIÇÃO DAS BORDAS DE UM NÓDULO
(E) REDUZIR A DENSIDADE DA MAMA REFLETINDO IMAGEM MAIS CONTRASTADA

601 – SÃO ESTRUTURAS MELHOR DEMONSTRADAS PELA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA:


(A) PULMÕES DIREITO E ESQUERDO
(B) SUBSTÂNCIAS BRANCA E CINZENTA ENCEFÁLICAS
(C) OSSOS DA CALOTA CRANIANA E TRONCO CEREBRAL
(D) CORPOS ESTRANHOS METÁLICOS E VENTRICULOS CEREBRAIS
(E) PRÓTESE METÁLICAS
GABARITO:

602 – B
602 – NO ESTUDO RADIOLÓGICO DAS ARTICULAÇÕES SACROILÍACAS, DEVEMOS REALIZAR AS
INCIDÊNCIAS: 603 – A
(A) OBLÍQUAS E LAUENSTEIN
(B) OBLÍQUA E FERGUSON 604 - C
(C) PERFIL E LAUENSTEIN
(D) PERFIL E FERGUSON
(E) PERFIL E CHAUSSÉ III

603 – O MÉTODO DE DANELIUS-MILLER ESTUDA:


(A) O FÊMUR
(B) O CARPO
(C) O TORNOZELO
(D) O TARSO
(E) O ESTERNO

604 – A CARTILAGEM CRICÓIDE ENCONTRA-SE NA SEGUINTE REGIÃO DO CORPO:


(A) OMBRO
(B) BRAÇO
(C) PESCOÇO
(D) TÓRAX
(E) PERNA
GABARITO:

605 – D
605 – QUANDO SE REDUZ A DISTÂNCIA FOCOFILME DE 1 METRO PARA 75 CENTÍMETROS, DEVE-SE
ADOTAR O SEGUINTE PORCEDIMENTO: 606 – D
(A) DIMINUIR 5 KV
(B) AUMENTAR 5KV 607 - B
(C) DOBRAR O MAS
(D) REDUZIR O MAS À METADE
(E) DOBRAR O MAS E ACRESCENTAR 10 KV

606 – O MÉTODO DE CLEMENTS-NAKAYAMA ESTUDA:


(A) O CARPO
(B) O TORNOZELO
(C) O JOELHO
(D) O FÊMUR
(E) OS SESAMÓIDES

607 – A LOCALIZAÇÃO DA AORTA EM RELAÇÃO A COLUNA LOMBAR SOB A VISÃO POTERIOR É:


(A) A DIREITA DA COLUNA
(B) A ESQUERDA DA COLUNA
(C) SOBRE A COLUNA
(D) NÃO PASSA PELA REGIÃO LOMBAR
(E) SOBRE A FACE POSTERIOR DA COLUNA
GABARITO:

608 – D
608 – QUAL O MELHOR EXAME PARA DETECÇÃO DE PENEUMOPERITÔNIO?
(A) ULTRA-SONOGRAFIA 609 – B
(B) RESSONÂNCIA MAGNÉTICA
(C) UROGRAFIA EXCRETORA 610 - D
(D) RADIOGRAFIA CONVENCIONAL
(E) CINTILOGRAFIA

609 – NA INCIDÊNCIA DE CRÂNIO NA QUAL SE VISUALIZAM OS PROCESSOS CLINÓIDES ANTERIOIR


E POSTERIOR DA SELA TURCA É:
(A) HIRTZ
(B) PERFIL
(C) REVERCHON
(D) PÓSTERO-ANTERIOR
(E) SHULLER

610 – NA INCIDÊNCIA MENTONASAL, PARA ESTUDO DOS SEIOS DA FACE, O RAIO CENTRAL FORMA
A HORIZONTAL ALEMÃ UM ÂNGULO DE:
(A) 5º CEFÁLICO
(B) 12º CEFÁLICO
(C) 25º CEFÁLICO
(D) 45º CEFÁLICO
(E) 15ºCEFÁLICO
GABARITO:

611 – B
611 – QUAL A SITUAÇÃO DO OSSO PSIFORME NO CARPO?
(A) FACE POSTERIOR DO CARPO 612 – A
(B) IMEDIATAMENTE ACIMA DO CARPO
(C) FACE ANTERIOR DO CARPO 613 - D
(D) AO LADO DO ESCAFÓIDE LATERALMENTE
(E) SOBRE O CAPTATO POSTERIORMENTE

612 – QUE OSSO, DENTRE OS CITADOS ABAIXO, PERTENCE A FILEIRA DISTAL DO CARPO?
(A) TRAPÉZIO
(B) ESCAFÓIDE
(C) SEMILUNAR
(D) PIRAMIDAL
(E) PSIFORME

613 – DENTRE OS EXAQMES RELACIONADOS, ASSINALE AQUELE EM QUE DEVE-SE TER UM


ACENTUADO CUIDADO NO MANUSEIO DO FILME,EVITANDO POEIRAS, IMPRESSÕES DIGITAIS,
USANDO UMA TÉCNICA DE REVELAÇÃO BEM AJUSTADA, DEVIDO A SUA GRANDE
SENSIBILIDADE.
(A) FISTULOGRAFIA
(B) RAIOS-X DE TÓRAX
(C) RAIOS-X DE ABDOME
(D) MAMOGRAFIA DE ALTA RESOLUÇÃO
(E) RAIOS-X DE CRÂNIO
GABARITO:

614 – A
614 – OS RISCOS DE DANO LATENTE DA RADIAÇÃO PARA O FETO SÃO MAIS ALTOS A PARTIR DO
SEGUINTE BIMESTRE: 615 – E
(A) PRIMEIRO
(B) SEGUNDO 616 - D
(C) TERCEIRO
(D) QUARTO
(E) NÃO HÁ RISCO DE DANO

615 – QUAL O EXAME, DENTRE OS ABAIXO RELACIONADOS, QUE GERA EM MÉDIA MAIOR DOSE DE
RADIAÇÃO X ABSORVIDA PELO PACIENTE?
(A) RAIOGRAFIA DE TÓRAX EM PA
(B) RADIOGRAFIA DA MÃO EM PA
(C) RAIOGRAFIA DO CRÂNIO EM AP
(D) RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DO CRÂNIO
(E) UROGRAFIA EXCRETORA

616 – NA RADIOGRAFIA DE TÓRAX, PARA EVITAR OS MOVIMENTOS VOLUNTÁRIOS, DEVE-SE


UTILIZAR 8 MAS, 80 KV E ESCOLHER O SEGUINTE FOCO:
(A) 80 MA
(B) 100 MA
(C) 160 MA
(D) 400 MA
(E) 50 MA
GABARITO:

617 – A
617 – QUAL A ANGULAÇÃO DO RAIO CENTRAL NA INCIDÊNCIA ARTICULAÇÃO RADIOCARPIAL?
(A) PERPENDUCULAR NA VERTICAL 618 – C
(B) 10º RADIO PARA TRÓCLEA
(C) 20º MÃO PARA CARPO 619 - A
(D) PERPENDICULAR NA HORIZONTAL
(E) 15º MÃO PARA O CARPO

618 – QUAL A POSIÇÃO DA MÃO NA INCIDÊNCIA DE COTOVELO EM OBLÍQUA POSTERIOR INTERNA?


(A) PERFIL
(B) OBLÍQUA
(C) PÓSTERO-ANTERIOR
(D) ÂNTERO-POSTERIOR
(E) NRA

619 – QUAL A INCIDÊNCIA DE JOELHO É USADA NO EXAME DE PNEUMOARTROGRAFIA?


(A) JOELHO STRESS
(B) JOELHO AXIAL
(C) JOELHO ROSEMBERG
(D) JOELHO MARCHAN
(E) JOELHO ORTOSTÁTICO
GABARITO:

620 – A
620 – COM RELAÇÃO AOS EXAMES RADIOLÓGICOS É CORRETO AFIRMAR QUE:
(A) OS EXAMES CONVENCIONAIS QUE UTILIZAM MATERIAL DE CONTRSTE DEVEM GERALMENTE
621 – C
SER INICIADOS COM UMA RADIOGRAFIA SIMPLES, SEM CONTRASTE
(B) A ADMINISTRAÇÃO ORAL DE CONTRASTE IODADO NUNCA É UTILIZADA EM RADIOGRAFIA622 - C
MÉDICA
(C) A ADMINISTRAÇÃO RETRÓGRADA VIA RETAL DE SULFATO DE BARIO É UTILIZADA NA
AVALIAÇÃO DO INTESTINO DELGADO
(D) OS EXAMES COM RADIOSCOPIA GERALMENTE NÃO EXIGEM MEDIDAS DE PROTEÇÃO AOS R X
(E) O USO DE INTENSIFICADORES DE IMAGEM AUMENTAM A QUANTIDADE DE RADIAÇÃO X
NECESSÁRIA PARA A REALIZAÇÃO DE EXAMES RADIOLÓGICOS

621 – A POSIÇÃO EM”TRENDELEMBURG” REFERE-SE AO PACIENTE:


(A) EM ORTOSTATISMO
(B) RECLINADO PARA TRÁS
(C) DEITADO COM A CABEÇA MAIS BAIXA QUE OS PÉS
(D) DEITADO SOBRE UM DOS LADOS
(E) SENTADO

622 – QUAL A MELHOR INCIDÊNCIA PARA PESQUISA DE DERRAME PLEURAL?


(A) DECÚBITO DORSAL COM RAIOS HORIZONTAIS
(B) DECÚBITO VENTRAL COM RAIOS PERPENDICULARES
(C) DECÚBITO LATERAL COM RAIOS HORIZONTAIS
(D) DECÚBITO VENTRAL COM RAIOS HORIZONTAIS
(E) AP DE TÓRAX
GABARITO:

623 – B
623 – QUAL A DISPOSIÇÃO DO RAIO CENTRAL NA INCIDÊNCIA DE CRÂNIO FRENTE PS?
(A) PERPENDICULAR NA VERTICAL 624 – A
(B) PARALELO A LINHA HORIZONTAL ALEMÃ
(C) PERPENDICULAR NA HORIZONTAL 625 - A
(D) ANGULADO CRANIAL
(E) ANGULADO CAUDAL

624 – NO EXAME DE PROCESSO ESTILÓIDE DO TEMPORAL, O RAIO CENTRAL ESTARÁ EM RELAÇÃO


AO PLANO HORIZONTAL À:
(A) 20º
(B) 35º
(C) 55º
(D) 70º
(E) NRA

625 – QUE INCIDÊNCIAS DEVEMOS REALIZAR PARA VISUALIZARMOS OS SEIOS MAXILARES?


(A) WATTERS
(B) CADWELL
(C) HIRTZ
(D) DORSO DA SELA AP
(E) SCHULLER
GABARITO:

626 – C
626 – OS PARÂMETROS PARA DEFINIRMOS UM EXAME DE TÓRAX REALIZADO CORRETAMENTE EM
PA SÃO: 627 – B
(A) VISUALIZAÇÃO DOS CORPOS VERTEBRAIS RETANGULARES
(B) HILOS PULMONARES SALIENTES 628 - B
(C) VISUALIZAÇÃO DOS CORPOS VERTEBRAIS EM FORMA DE TENDA
(D) QUE EXISTA EQUIDISTÂCIA ENTRE AS EXTREMIDADES ESTERNAIS DAS CLAVICULAS E O
MANÚBRIO E QUE AS CÚPULAS DIAFRAGMÁTICAS ESTEJAM ABAIXO DO 10º ARCO COSTAL
POSTERIOR
(E) QUE AS ESCÁPULAS SE APRESENTEM NA REGIÃO ÍNFERO-LATERAL D. E E. DO TÓRAX

627 – NO APARELHO DE RAIOS X, QUEM TEM A FUNÇÃO DE MODIFICAR A VOLTAGEM QUE VEM DA
RUA EM VOLTS PARA KV, É O:
(A) RETIFICADOR DE CORRENTE
(B) TRANSFORMADOR DE VOLTAGEM
(C) VOLTÍMETRO
(D) AMPERÍMETRO
(E) ANÓDIO

628 – COM RELAÇÃO A ROTINA RADIOLÓGICA PARA AVALIAÇÃO DE FRATURAS ÓSSEAS PODE-SE
AFIRMAR QUE:
(A) EXIGE APENAS UMA INCIDÊNCIA EM AP OU PA, DEPENDENDO DO PACIENTE
(B) EXIGE, NO MÍNIMO, DUAS INCIDÊNCIAS DA REGIÃO A SER EXAMINADA
(C) EXIGE, NO MÁXIMO, DUAS INCIDÊNCIAS DO OSSO A SER EXAMINADO
(D) DEVE SEMPRE INCLUIR ESTUDO COMPARATIVO, CONTRA-LATERAL
(E) EXIGE, NO MÍNIMO, TRÊS INCIDÊNCIAS DA REGIÃO A SER EXAMINADA
GABARITO:

629 – A
629 – ASSINALE UMA SITUAÇÃO COMUM NA PRÁTICA RADIOLÓGICA DE USO DE KILOVOLTAGEM
ELEVADA: 630 – A
(A) RADIOGRAFIA DE TÓRAX
(B) DURANTE A ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAL DE CONTRASTE NAS UROGRAFIAS 631 - C
(C) CLISTER OPACO
(D) SERIOGRAFIA ESÔFAGO-GASTRO-DUODENAL
(E) DENSITOMETRIA ÓSSEA

630 – A FRATURA DO “BOXEADOR” REFERE-SE A QUE OSSO?


(A) 5º METACARPIANO
(B) 2º METACARPIANO
(C) FALANGE DISTAL DO QUINTO DEDO
(D) NAVICULAR
(E) GANCHOSO

631 – QUAL O OBJETIVO DA INCIDÊNCIA DE CHUSSÉ III?


(A) ESTUDAR OS SEIOS MAXILARES
(B) ESTUDAR A SELA TÚRCICA
(C) ESTUDO DA PAREDE LATERAL DO ÁTICO
(D) ESTUDAR AS ÓRBITAS
(E) ESTUDAR O ROCHEDO
GABARITO:

632 – B
632 – QUAL O OBJETIVO DO EXAME DE CRÂNEO NA INCIDÊNCIA DE TOWNE?
(A) ESTUDAR SELA TURCA 633 – B
(B) ESTUDAR FOSSA POSTERIOR DO OCCIPITAL
(C) ESTUDAR O OSSO FRONTAL 634 - C
(D) ESTUDAR O BURACO RASGADO POSTERIOR
(E) ESTUDAR A PNEUMATIZAÇÃO DAS CÉLULAS MATÓIDEAS 635 - A
633 – SEGUNDO O AUTOR JORGE NASCIMENTO, O EXAME DO CAVUM EM ADULTOS, COM VISTAS À
PESQUISA DE TUMOR, DEVE INCLUIR A POSIÇÃO DE :
(A) VALSALVA (B) HIRTZ (C) DEFIÉ-BELLOT (D) WALDRON (E)SHULLER

634 – NO EXAME RADIOLÓGICO DE TÓRAX EM OBLÍQUA POSTERIOIR ESQUERDA COM BÁRIO,


QUAIS SÃO AS ESTRUTURAS CARDÍACAS CONTORNADAS PELO ESÔFAGO?
(A) VENTRÍCULOS DIREITO E ESQUERDO
(B) ÁTRIO DIREITO E ESQUERDO
(C) ÁTRIO ESQUERDO, TRONCO DA ARTÉRIA PULMONAR
(D) ÁTRIO DIREITO, VENTRÍCULO ESQUERDO
(E) ÁTRIO DIREITO E VEIA CAVA

635 – COMO DIFERENCIARMOS UMA RADIOGRAFIA DE ABDÔMEN, SE FOI REALIZADA EM PÉ OU


DEITADA?
(A) NÍVEL DE GÁS NAS ALÇAS E CÓLONS (B) POSIÇÃO DAS CÚPULAS DIAFRAGMÁTICAS
(C) POSIÇÃO DAS ÚLTIMAS COSTELAS (D) POSIÇÃO DO FÍGADO
(E) DISTÂNCIA ENTRE OS RINS E A COLUNA SACRA
GABARITO:

636 – D
636 – A REGIÃO LINGULAR PULMONAR ESTÁ SITUADA:
(A) LOBO SUPERIOR DIREITO 637 – C
(B) LOBO MÉDIO DIREITO
(C) ÁPICE PULMONAR ESQUERDO 638 - C
(D) ÁPICE PULMONAR DIREITO
(E) EM UMA REGIÃO QUE, NO PULMÃO ESQUERDO, CORRESPONDE AO LOBO MÉDIO DO PULMÃO
DIREITO

637 – RX DO TÓRAX COM PACIENTE EM DÉCUBITO LATERAL E O RAIO CENTRAL HORIZONTAL:


(A) REALIZADA PARA VER PNEUMOTÓRAX
(B) INCIDÊNCIA IDEAL PARA AVALIAR ÁREA CARDÍACA
(C) INCIDÊNCIA PARA DETECTAR DERRAME PLEURAL
(D) ESTA INCIDÊNCIA NÃO EXISTE
(E) INCIDÊNCIA IDEAL PARA ESTUDAR MEDIASTINO

638 – A INCIDÊNCIA DE TOWNE, NOS CASOS DE TRAUMATISMO CRANIANO, ESTÁ INDICADO COMO
COMPLEMENTAÇÃO DO EXAME RADIOLÓGICO EM PA E PERFIL, EM:
(A) SUSPEITA DE FRATURA DE MANDÍBULA
(B) SUSPEITA DE FRATURA TEMPORAL
(C) SUSPEITA DE FRATURA DE OCCIPITAL
(D) SUSPEITA DE FRATURA DE OSSO NASAL
(E) SUSPEITA DE FRATURA DOS PROCESSOS CRINÓIDES ANTERIORES
GABARITO:

639 – D
639 – GELATINA, EMULSÃO E CELULOSE SÃO COMPONETES DO(A):
(A) REVELADOR 640 – A
(B) FIXADOR
(C) ECRAN 641 - A
(D) FILME
(E) GRADE

640 – O BRÔNQUIO FONTE DIREITO É:


(A) MAIS CURTO QUE O ESQUERDO
(B) MAIS LONGO QUE O ESQUERDO
(C) MAIS ESTREITO QUE O ESQUERDO
(D) MENOS VERTICAL QUE O ESQUERDO
(E) MAIS OBLÍQUO QUE O ESQUERDO

641 – BALCÃO, GAVETA, PORTA CHASSIS, CAIXAS DE FILMES SÃO COMPONENTES:


(A) PARTE SECA DA CÂMARA ESCURA
(B) CÂMARA CLARA
(C) PARTE ÚMIDA DA CÂMARA ESCURA
(D) ESTES COMPONENTES FICAM JUNTOS COM OS TANQUES DE REVELÇÃO
(E) ESTES COMPONENTES FICAM ALOCADOS NA SALA DE EXAMES
GABARITO:

642 – C
642 – GRADE POTTER-BUCKY:
(A) GRADE ONDE AS LÂMÍNULAS SÃO DIVERGENTES, ACOMPANHANDO A DIVERGÊNCIA DOS RAIOS
643 – C
X
(B) GRADE ANTIDIFUSORA FIXA 644 - E
(C) GRADE QUE SE MOVIMENTA DURANTE O TEMPO DE EXPOSIÇÃO
(D) ELEMENTO COLOCADO NA FACE INTERNA DO CHASSIS
(E) ACESSÓRIO COM O OBJETIVO DE IMPEDIR A FORMAÇÃO DA RADIAÇÃO SECUNDÁRIA

643 – INCIDÊNCIA PARA ESCAFÓIDE:


(A) PÓSTERO- ANTERIOR DO PUNHO COM DESVIO RADIAL
(B) PÓSTERO-ANTERIOR DO PUNHO COM DESVIO ULNAR
(C) O RAIO CENTRAL DEVE ESTAR ANGULADO EM 20º CEFÁLICO PENETRANDO 2 CM ABAIXO DO
PORCESSO ESTILÓIDE DA ULNA NO CENTRO DO PUNHO
(D) DUAS ALTERNATIVAS ESTÃO CORRETAS
(E) A, B E C ESTÃO CORRETAS

644 – A ESTRUTURA DO APARELHO RESPIRATÓRIO RESPONSÁVELPELAS TROCAS GASOSAS É


O(A):
(A) TRAQUÉIA
(B) BRÔNQUIO
(C) BRONQUÍOLO
(D) LARINGE
(E) ALVÉOLO
GABARITO:

645 – B
645 – NA REVELAÇÃO ABAIXO CLASSIFIQUE OS OSSOS QUE FAZEM PARTE DA CINTURA PÉLVICA:
(A) PÚBIS, SEMILUNAR, CÓCCIX 646 – A
(B) ILÍACO, ÍSQUIO, PÚBIS
(C) ILÍACO, ÍSQUIO, ESCÁPULA 647 - C
(D) ILÍACO, ÍSQUIO, ACRÔMIO
(E) PÚBIS, ÍSQUIO, ESCÁPULA

646 – A INCIDÊNCIA EM OBLÍQUA DA COLUNA LOMBAR VISA A UM MELHOR ESTUDO


RADIOGRÁFICO DAS:
(A) ARTICULAÇÕES INTERAPOFISÁRIAS
(B) ARTICULAÇÒES SACROCOCCIX
(C) APÓFISES TRANSVERSAS
(D) APÓFISES ESPINHOSAS
(E) APÓFISES UNCIFORMES

647 – DISPOSITIVO COM FINALIDADE DE REDUZIR O FEIXE DE RADIAÇÃO AO CAMPO A SER


RADIOGRAFADO:
(A) BUCKY
(B) BIOMBO
(C) COLIMADOR
(D) ESTATIVA
(E) DOSÍMETRO
GABARITO:

648 – B
648 – A SEROSA QUE REVESTE OS PULMÕES SE CHAMA ___________ENQUANTO QUE A SEROSA
QUE REVESTE O CORAÇÃO SE CHAMA _____________. 649 – C
(A) PERITÔNIO – PLEURA
(B) PLEURA –PERICÁRDIO 650 - D
(C) PLEURA –PERITÔNIO
(D) PERICÁRDIO – PERIÔNIO
(E) PERICÁRIDO – PLEURA

649 – NA RADIOGRAFIA DE TÓRAX DE UMA CRIANÇA CHORANDO DEVEMOS:


(A) TRABALHAR COM TEMPO LONGO
(B) TRABALHAR COM MILIAMPERAGEM BAIXA
(C) USAR O MAIOR FOCO(MILIAMPERAGEM), COM FINALIDADE DE TRABALHARMOS COM TEMPO
CURTO, EVITANDO O FLOW CINÉTICO
(D) PEDIR AO MÉDICO PARA SEDAR A CRIANÇA
(E) NÃO FAZER O EXAME

650 – MARQUE O ÓRGÃO RETROPERITONIAL:


(A) ESTÔMAGO
(B) INTESTINO DELGADO
(C) INTESTINO GROSSO
(D) RINS
(E) BEXIGA
GABARITO:

651 – C
651 – ALGUNS OSSOS DO CRÂNIO SÃO PARES, ENQUANTO OUTROS SÃO ÍMPARES, OS OSSOS
PARES SÃO: 652 – A
(A) FRONTAL, TEMPORAL
(B) OCCIPTAL, PARIETAL, ESFENÓIDE 653 - A
(C) PARIETAL, TEMPORAL
(D) ETMÓIDE, ESFENÓIDE, OCCIPITAL
(E) ESFENÓIDE, FRONTAL, ETMÓIDE

652 – NA SUSPEITA DE FRATURA ARTICULAR DOS QUIRODÁCTILOS, A INCIDÊNCIA IDEAL É:


(A) PA (POSTERO-ANTERIOR) E OBLÍQUA
(B) OBLÍQUAS
(C) PERFIL
(D) AP (ANTERO-POSTERIOR)
(E) INCIDÊNCIA DE STECHER

653 – O ESFINCTER VESICAL É UMA ESTRUTURA DE NATUREZA:


(A) MUSCULAR ESTRIADA
(B) MUSCULAR LISA
(C) CARTILAGINOSA
(D) ÓSSEA
(E) EPITELIAL
GABARITO:

654 – A
654 – PÓLO NEGATIVO DA AMPOLA DE RAIO X DE ONDE PARTEM OS ELETRONS:
(A) CATÓDIO 655 – B
(B) ANÓDIO FIXO
(C) ANÓDIO GIRATÓRIO 656 - C
(D) B E C ESTÃO CORRETAS
(E) NRA

655 – INCIDÊNCIA DE SCHULLER:


(A) É UMA SEM-AXIAL DO CRÂNIO, MAIS ESPECÍFICA PARA FOSSA POSTERIOR DO CRÂNIO
(B) É UM PERFIL DO CRÂNIO PARA ESTUDO DA MASTÓIDE DO TEMPORAL
(C) É UMA OBLÍQUA DO CRÂNIO PARA O ESTUDO DO TEMPORAL
(D) É UMA AXIAL DO CRÂNIO PARA ESTUDO DA BASE CRANIANA
(E) É UMA AXIAL DO CRÂNIO PARA ESTUDO DO BRÉGMA

656 – QUANTAS PORÇÕES POSSUI A URETRA MASCULINA?


(A) 1
(B) 2
(C) 3
(D) 4
(E) 5
GABARITO:

657 – C
657 – QUAL É A GLÂNDULA LOCALIZADA ACIMA DOS RINS?
(A) PÂNCREAS 658 – C
(B) HIPÓFISE
(C) SUPRA-RENAL 659 - D
(D) TIREÓIDE
(E) SUDORÍPARAS

658 –A NÍVEL DE QUAL VÉRTEBRA INICIA-SE A TRAQUÉIA E O ESÔFAGO?


(A) 1ª VÉRTEBRA TORÁCICA
(B) 5ª VÉRTEBRA CERVICAL
(C) 6 ª VÉRTEBRA CERVICAL
(D) 2 ª VÉRTEBRA TORÁCICA
(E) 7 ª VÉRTEBRA CERVICAL

659 – QUAL A ESTRUTURAANATÔMICA QUE ESTÁ REALCIONADA COM O SISTEMA DIGESTIVO E O


SISTEMA RESPIRATÓRIO?
(A) LARINGE
(B) BOCA
(C) TRAQUÉIA
(D) FARINGE
(E) FOSSAIS NASAIS
GABARITO:

660 – B
660 - O FILME RADIOGRÁFICO É MAIS SENSÍVEL
(A) AOS RAIO-X 661 – B
(B) À LUZ SOLAR
(C) AOS RAIOS GAMA 662 - E
(D) À LUZ DE SEGURANÇA DA CÂMRA ESCURA
(E) AOS RAIOS INFRA-VERMELHOS

661- SÃO AS INCIDÊNCIAS ESPECÍFICAS PARA O ESTUDO DAS MASTÓIDES, EXCETO:


(A) STENVERS
(B) BELLOT
(C) SCHULLER
(D) MAYER
(E) GUILLEN

662 – UMA RADIOGRAFIA DA PELVE DEVE SER FEITA EM TODOS OS PACIENTES COM TRAUMATISMO
IMPORTANTE, AQUELES COM FRATURA ACETABULAR DEVEM SER SUBMETIDOS A SEGUINTE
ANÁLISE RADIOLÓGICA, EXCETO:
(A) UMA PROJEÇÃO AP DO QUADRIL
(B) UMA PROJEÇÃO EM LATERAL ESTRITA DO ACETÁBULO
(C) UMA PROJEÇÃO OBLÍQUA ILÍACA
(D) UMA PROJEÇÃO OBLÍQUA OBSTURADORA
(E) UMA PROJEÇÃO EM AP COM ADUÇÃO E ABDUÇÃO
GABARITO:

663 – E
663 – NA INCIDÊNCIA ESPECÍFICA PARA O ESTUDO DAS ARTICULAÇÕES SACRO ILÍACAS A
INCLINAÇÃO DO RAIO CENTRAL DEVE SER: 664 – A
(A) 10º CEFÁLICOS
(B) 25º CEFÁLICOS 665 - C
(C) 25º PODÁLICOS
(D) 10ºCAUDAL
(E) RAIO CENTRAL PERPENDUCULAR

664 – QUAL É A ESTRUTURA QUE DELIMITA A ORELHA EXTERNA MÉDIA?


(A) MEMBRANA TIMPÂNICA
(B) JANELA OVAL
(C) MARTELO
(D) PERINLINFA
(E) TUBA AUDITIVA

665 – “REVESTIMENTO MAIS INTERNO DO OLHO QUA POSSUI NA SUA PARTE MAIS POSTERIOR
DUAS DEPRESSÕES.” ESTAMOS FALANDO DE UMA ESTRUTURA CHAMADA:
(A) ESCLERA
(B) ÍRIS
(C) RETINA
(D) CRISTALINO
(E) CORIÓIDE
GABARITO:

666 – A
666 – TODAS AS INCIDÊNCIAS ESTÃO INCLUIDAS NA ROTINA BÁSICA DO ABDOME AGUDO, EXCETO:
(A) AP EM DECÚBITO VENTRAL 667 – A
(B) AP EM ORTOSTATISMO
(C) AP EM SUPINO 668 - E
(D) PA DE TÓRAX
(E) AP EM DECÚBITO LATERAL ESQUERDO

667 – QUAL DOS HORMÔNIOS ABAIXO TÊM FUNÇÃO DE TIRAR CÁLCIO DOS OSSOS PARA O
SANGUE?
(A) PARATORMÔNIO
(B) TIROXINA
(C) GH
(D) ADH
(E) GLUCAGON

668 – OS OSSOS SESAMÓIDE LOCALIZAM-SE JUNTO A:


(A) COLUNA CERVICAL
(B) COLUNA TORÁCICA
(C) COLUNA LOMBAR
(D) NO CRÂNIO
(E) NRA
GABARITO:

669 – C
669 – EM QUAL REGIÃO DO ABDOME SE LOCALIZA O BAÇO?
(A) HIPOCÔNDRIO DIREITO 670 – A
(B) EPIGÁSTRIO
(C) HIPOCÔNDRIO ESQUERDO 671 - C
(D) FLANCO DIREITO
(E) FLANCO ESQUERDO

670 – O GRANDE TROCANTER ESTÁ SITUADO NO:


(A) NO FÊMUR
(B) NO RÁDIO
(C) NO ÚMERO
(D) TÍBIA
(E) ULNA

671 – O MOVIMENTO DENOMINADO DESVIO RADIAL SERVE PRA ABRIR AS ARTICULAÇÕES DO


CARPO NA FACE LATERAL E O OSSO MELHOR DENOMINADO É:
(A) ESCAFÓIDE
(B) PIRAMIDAL
(C) PSIFORME
(D) HAMATO
(E) SEMILUNAR
GABARITO:

672 – D
672 – QUAL DOS HORMONIOS ABAIXO É RESPONSÁVEL PELA OVULAÇÃO?
(A) GH 673 – B
(B) ACTH
(C) FSH 674 - C
(D) LH
(E) TSH

673 – O PLANO QUE DIVIDE A CABEÇA EM DUAS METADES SIMÉTRICAS DIREITA E ESQUERDA É:
(A) PLANO CORONÁRIO
(B) PLANO SAGITAL MEDIANO
(C) PLANO HORIZONTAL ALEMÃO
(D) PLANO MEATO-ORBITÁRIO
(E) PLANO DE RHEESE

674 – SÃO CONSIDERADOS MEIOS DE PROTEÇÃO CONTRA O EXCESSO DE RADIAÇÃO,EXCETO:


(A) USO DE CILINDROS E CONES
(B) USO DE BIOMBO DE CHUMBO
(C) USO DE BAIXA QUILOVOLTAGEM E ALTA MILIAMPERAGEM
(D) USO DE FILMES DOSIMÉTRICOS
(E) USO DE ECRANS TERRAS RARAS E FILMES DE BASE VERDE
GABARITO:

675 – A
675 – A LOCALIZAÇÃO DA BEXIGA, NA DIVISÃO TOPOGRÁFICA DO ABDOME (QUADRANTE), ESTÁ
EM: 676 – C
(A) REGIÃO HIPOGÁSTRICA
(B) REGIÃO EPIGÁSTRICA 677 - C
(C) FOSSA ILÍACA
(D) FLANCO ESQUERDO
(E) REGIÃO MESOGÁSTRICA

676 – A SEQUÊNCIA DO ALIMENTO NO APARELHO DIGESTIVO É:


(A) BOCA, FARINGE, ESÔFAGO, ESTÔMAGO, DUODENO, ÍLEO, JEJUNO, INTESTINO GROSSO
(B) BOCA, FARINGE, LARINGE, ESÔFAGO, ESTÔMAGO, DUODENO, JEJUNO, ÍLEO, INTESTINO
GROSSO
(C) BOCA, FARINGE, ESÔFAGO, ESTÔMAGO, DUODENO, JEJUNO, ÍLEO,INTESTINO GROSSO
(D) BOCA, LARINGE, FARINGE, ESTÔMAGO, DUODENO, JEJUNO, ÍLEO, INTESTINO GROSSO
(E) BOCA, ESÔFAGO, ESTÔMAGO, DUODENO, ÍLEO, JEJUNO, INTESTINO GROSSO

677 – A DIVISÃO CORRETA DO INTESTINO É:


(A) ÍLEO, CECO, CÓLON ASCENDENTE, CÓLON TRANSVERSO, CÓLON DESCENDENTE, RETO, ÂNUS
(B) ÍLEO, APÊNDICE, CECO, CÓLON, SIGMÓIDE, ÂNUS
(C) CECO, CÓLON ASCENDENTE, CÓLON TRANVERSO, CÓLON DESCENDENTE, SIGMÓIDE, RETO,
ÂNUS
(D) CECO, APÉNDICE, CÓLON ASCENDENTE, CÓLON DESCENDENTE, SIGMÓIDE, RETO, ÂNUS
(E) CECO, CÓLON ASCENDENTE, CÓLON TRANSVERSO, SIGMÓIDE E ÂNUS
GABARITO:

678 – C
678 – O HORMÔNIO PRODUCIDO PELO PÁNCREAS É:
(A) ADRENALINA 679 – D
(B) ESTROGÊNIO
(C) INSULINA 680 - E
(D) TIROXINA
(E) PANCREATINA

679 – O SANGUE PROVENIENTE DOS TECIDOS RETORNA AO CORAÇÃO, ENTRANDO PRIMEIRO EM:
(A) VENTRÍCULO DIREITO
(B) ÁTRIO ESQUERDO
(C) VENTRÍCULO ESQUERDO
(D) ÁTRIO DIREITO
(E) AURICULETA DIREITA

680 – A HIPÓFISE SE RELACIONA COM QUAL ESTRUTURA DO ENCÉFALO?


(A) CÉREBRO
(B) CEREBELO
(C) MESENTÉRICO
(D) PONTE
(E) HIPOTÁLAMO
GABARITO:

681 – A
681 – MARQUE A GLÂNDULA MISTA:
(A) PÂNCREAS 682 – A
(B) TIREÓIDE
(C) SUPRA-RENAL 683 - B
(D) ADRENAL
(E) SUDORÍPARA

682 – O MÉTODO DE TEUFEL AVALIA:


(A) O ACETÁBULO
(B) A FILEIRA DISTAL DO CARPO
(C) A FILEIRA PROXIMAL DO CARPO
(D) O CALCÂNEO
(E) A CHANFRADURA INTERCONDILIANA

683 – QUAL ÓRGÃO SE LOCALIZA NO HIPOCÔNDRIO DIREITO?


(A) ESTÔMAGO
(B) FÍGADO
(C) INTESTINO DELGADO
(D) CÓLON ASCENDENTE
(E) BEXIGA
GABARITO:

684 – C
684 – EM QUAL ACIDENTE ÓSSEO SE LOCALIZA A GLÂNDULA HIPÓFISE?
(A) PROCESSO MASTÓIDE DO TEMPORAL 685 – B
(B) FORAME MAGNO DO OCCIPTAL
(C) SELA TÚRCICA DO ESFENÓIDE 686 - C
(D) FORAME CAROTÍDEO DO OCCIPTAL
(E) FORAME DO PROCESSO TRANSVERSO DAS VÉRTEBRAS CERVICAIS

685 – QUAL DOS HORMÔNIOS ABAIXO É RESPONSÁVEL PELA CONTRAÇÃO UTERINA?


(A) PROLACTINA
(B) OCITOCINA
(C) ADH
(D) GH
(E) TSH

686 – QUAL A ANGULAÇÃO DA FLEXÃO DO JOELHO NAS INCIDÊNCIAS DE HUGHSTON E


SETTEGAST, RESPECTIVAMENTE:
(A) 90 º E 40 º
(B) 50 º E 90 º
(C) 55 º E 90 º
(D) 90 º E 55 º
(E) 90 º E 50 º
GABARITO:

687 – B
687 – PATELA SIGNIFICA:
(A) O MESMO QUE TORNOZELO 688 – C
(B) O MESMO QUE RÓTULA
(C)O MESMO QUE ACETÁBULO 689 - B
(D) O LIGAMENTO ENTRE O FÊMUR E A TÍBIA
(E) O SULCO EXISTENTE ENTRE OS CÔNDILOS FEMURAIS

688 – O OSSO ZIGOMÁTICO É ______ EM RELAÇÃO À T10


(A) MEDIAL
(B) LATERAL
(C) CRANIAL
(D) ANTERIOR
(E) CAUDAL

689 – “A SEGUNDA VÉRTEBRA CERVICAL POSSUI UM ACIDENTE ÓSSEO CHAMADO PROCESSO


ODONTÓIDE QUE PARTICIPA DO MOVIMENTO DE ROTAÇÃO DA CABEÇA”. A VÉRTEBRA QUE
DETÉM ESTE ACIDENTE ANATÔMICO RECEBE O NOME DE:
(A) ATLAS
(B) AXIS
(C) VÔMER
(D) SACRA
(E) CÓCCIX
GABARITO:

690 – A
690 – DENTRE OS ACIDENTES ÓSSEOS ABAIXO, CITE AQUELE QUE É EXCLUSIVO DAS VÉRTEBRAS
CERVICAIS: 691 – D
(A) FORAME DO PROCESSO TRANSVERSO
(B) FORAME VERTEBRAL 692 - E
(C) CORPO DA VÉRTEBRA
(D) PROCESSO ESPINHOSO
(E) SUPERFICIE CONDILAR

691 – QUAL O ACIDENTE DO OSSO OCCIPTAL QUE É O LIMITE SUPERIOR DA MEDULA ESPINHAL
(A) CÔNDILO
(B) FORAME CAROTÍDEO
(C) FORAME JUGULAR
(D) FORAME MAGNO
(E) CANAL DO HIPOGLOSSO

692 – OS ARCOS COSTAIS SÃO EM NÚMERO DE ____PARES, SENDO QUE ____PARES NÃO SE
ARTICULAM ANTERIORMENTE, SENDO CHAMADAS ARCOS COSTAIS FLUTUANTES.
(A) 24 – 4
(B) 12 – 4
(C) 24 – 2
(D) 10 – 2
(E) 12 – 2
GABARITO:

693 – C
693 – O OSSO SACRO É COMPOSTO PELA JUNÇÃO DE QUANTAS VÉRTEBRAS?
(A) 3 694 – A
(B) 4
(C) 5 695 - E
(D) 6
(E) 12

694 – DENTRE OS OSSOS ABAIXO MARQUE AQUELE(S) QUE SE ARTICULA(M) POSTERIORMENTE


COM O OSSO DO QUADRIL:
OSSO SACRO
(A) L 1, L 2, L 3
(B) L 3, L 4, L 5
(C) L 5, S 1, S 2
(D) S 1, S 2, S 3
(E) C 1,C 2,D 12

695 - A INCIDÊNCIA DE HUGHSTON É UM(A):


(A) PERFIL DE JOELHO
(B) AP DE JOELHO
(C) PA DE JOELHO
(D) OBLÍQUA INTERNA DE JOELHO
(E) AXIAL DE JOELHO
GABARITO:

696 – E
696 – EM RELAÇÃO À POSIÇÃO DO CORAÇÃO DENTRO DO TÓRAX, É CORRETO DIZER QUE O
CORAÇÃO ESTÁ: 697 – E
(A) POSTERIORMENTE EM RELAÇÃO AOS PULMÕES, COM SUA PONTA VOLTADA PARA O LADO
ESQUERDO
(B) ANTERIORMENTE COLOCADO EM RELAÇÃO AOS PULMÕES, COM SUA PONTA VOLTADA PARA O
LADO ESQUERDO
(C) ABAIXO DO PULMÃO ESQUERDO, COM SUA PONTA VOLTADA PARA O LADO DIREITO
(D) ABAIXO DO PULMÃO DIREITO, COM SUA PONTA VOLTADA PARA O LADO DIREITO
(E) SITUADO ENTRE OS PULMÕES COM SUA PONTA VOLTADA PARA O LADO ESQUERDO

697 – EM RELAÇÃO AOS OSSOS DO PÉ É CORRETO AFIRMAR QUE:


(A) O ASTRÁGALO É O MAIOR OSSO DO TARSO
(B) OS OSSOS DO TARSO SÃO EM NÚMERO DE OITO, SENDO ELES:ASTRÁGALO, CALCÂNEO,
CUBÓIDE, ESCAFÓIDE (2) E CUNEIFORME (3)
(C) A REGIÃO METATÁRSICA É CONSTITUÍDA PELAS FALANGES PROXIMAIS, MÉDIAS E DISTAIS
(D) O CALCÂNEO E O CUBÓIDE ARTICULAM-SE COM A TÍBIA
(E) O CALCÂNEO E O ASTRÁGALO CONSTITUEM O RETROPÉ
GABARITO:

698 – D
698 – O PROCESSAMENTO COMPLETO DE UMA RADIOGRAFIA CONSISTE EM:
(A) ENEGRECER AS PARTES DO FILME QUE FICARAM EXPOSTAS AO RAIOS X, E MANTER 699 – C
TRANSPARENTES AS PARTES NÃO EXPOSTAS
(B) REVELAR O FILME 700 - B
(C) REVELAR E FIXAR O FILME
(D) TRANSFORMAR A IMAGEM LATENTE EM IMAGEM APERENTE, DE TAL FORMA QUE O FILME
POSSA TER A SUA IMAGEM ANALISADA E ARQUIVADA QUASE QUE IMEDIATAMENTE
(E) REVELAR, FIXAR E ALVAR O FILME

699 – EM RELAÇÃO À INTENSIDADE DOS RAIOS X, A ASSERTIVA MAIS CORRETA E COMPLETA É:


(A) NÃO DEPENDE DO MA
(B) NÃO É PROPORCIONAL AO KV
(C) NÃO DECAI COM O INVERSO DO QUADRADO DA DISTÂNCIA
(D) NÃO VARIA COM A FILTRAÇÃO ADICIONAL
(E) SE ALTERA COM A ESPESSURA DO PACIENTE

700 – EM RELAÇÃO À RESPIRAÇÃO, É CORRETO AFIRMAR QUE:


(A) OCORRE DEVIDO A DOIS MOVIMENTOS, O PRIMEIRO DE INTRODUÇÃO DO AR ATMOSFÉRICO
NOS PULMÕES (EXPIRAÇÃO), E O SEGUNDO DA EXPLUSÃO DO MESMO (INSPIRAÇÃO)
(B) O DIAFRAGMA SE ELEVA DURANTE A EXPIRAÇÃO E ABAIXA DURANTE A INSPIRAÇÃO
(C) A ISNPIRAÇÃO É O MOVIMENTO PASSIVO, AO PASSO QUE A EXPIRAÇÃO É ATIVO
(D) A CONTRAÇÃO DOS MÚSCULOS INTERCOSTAIS, DURANTE A INSPIRAÇÃO, FAZ COM QUE OS
ARCOS COSTAIS SE APROXIMEM UNS DOS OUTROS
(E) O AR INSPIRADO PASSA DA FARINGE PARA A TRAQUÉIA E DAÍ PARA OS PULMÕES
GABARITO:

701 – A
701 – EM RELAÇÃO AOS OSSOS DA CABEÇA, É CORRETO AFIRMAR QUE:
(A) A SELA TÚRCICA FAZ PARTE DO OSSO ESFENÓIDE E NELA SE ENCONTRA A GLÂNDULA 702 – B
HIPÓFISE
(B) OS OSSOS PARIETAIS FAZEM PARTE DA PORÇÃO INFERIOR DO ASSOALHO DO CRÂNIO
(C) O OSSO FRONTAL É O ÚNICO OSSO ÍMPAR DA CALOTA CRANIANA
(D) A ÓRBITA É COMPOSTA SOMENTE POR UM OSSO, O ORBITAL
(E) O ESFENÓIDE E O ETMÓIDE FORMAM A BASE DO CRÂNIO

702 – EM RELAÇÃO À BACIA É CORRETO AFIRMAR QUE:


(A) É, DESDE A INFÂNCIA, UM OSSO QUE LIGA OS MEMBROS INFERIORES AO TRONCO
(B) É CONSTITUÍDA POR TRÊS OSSOS DISTINTOS, O ÍLEO, O PÚBIS E O ÍSQUIO, QUE SE SOLDAM
FORMANDO UM OSSO ÚNICO, DURANTE A VIDA ADULTA
(C) NO HOMEM E NA MULHER NÃO APRESENTAM NENHUMA DIFERENÇA NOS SEUS DIÂMETROS,
SENDO IMPOSSÍVEL HAVER UMA DIFERENÇA ENTRE ELAS
(D) HÁ UMA REGIÃO ESPECIAL, A CAVIDADE GLENÓIDE, ONDE SE ARTICULA O FÊMUR, UNINDO A
COXA AO TRONCO
(E) SE ARTICULA COM O SACRO E O CÓCCIX, QUE CONSTITUEM SUA PARTE POSTERIOR
GABARITO:

703 – B
703 – EM RELAÇÃO AO APARELHO RESPIRATÓRIO, É CORRETO AFIRMAR QUE:
(A) A LARINGE É UM ÓRGÃO TUBULAR QUE SE CONTINUA COM O ESÔFAGO, FACILITANDO O704 – B
MECANISMO DA RESPIRAÇÃO
(B) OS PULMÕES SÃO ÓRGÃOS ESSENCIAIS PARA A RESPIRAÇÃO, ESTÃO DENTRO DA CAIXA
TORÁCICA, TENDO DIREITO TRÊS LOBOS E O ESQUERDO APENAS DOIS.
(C) A TRAQUÉIA, EM SEU TRAJETO, NÃO SOFRE BIFURCAÇÃO, PARA NÃO IMPEDIR A PROGRESSÃO
DO AR ATÉ OS PULMÕES
(D) OS BRÔNQUIOS PRINCIPAIS SÃO ÓRGÃOS TUBULARES QUE UNEM A LARINGE E O ESÔFAGO À
TRAQUÉIA
(E) O NASOFARINGE, O LARINGE, O HIPOFARINGE E A TRAQUÉIA COMPÕEM AS VIAS
RESPIRATÓRIAS

704 – EM RELAÇÃO AO ESÔFAGO, PODEMOS AFIRMAS QUE:


(A) É UM TUBO LONGO, SEM MOVIMENTO, QUE PERMITE A COMUNICAÇÃO ENTRE A FARINGE E O
ESTÔMAGO
(B) POSSUI VÁRIAS CAMADAS MUSCULARES, O QUE PERMITE UM PERISTALTISMO REGULAR,
FAZENDO PROGREDIR OS ALIMENTOS ATÉ O ESTÔMAGO
(C) A DIVISÃO ENTRE O ESÔFAGO E A FARINGE É DADA PELA GLOTE, QUE IMPEDE A PASSAGEM DE
AR PARA O ESTÔMAGO
(D) NO SEU TRAJETO PELO TÓRAX, PASSA PELA FRENTE DO CORAÇÃO, À DIRETA DA AORTA E À
ESQUERDA DA COLUNA DORSAL
(E) SITUA-SE NO TÓRAX, NO MEDIASTINO MÉDIO
GABARITO:

705 – D
705 – EM RELAÇÃO AOS INTESTINOS, É CORRETO AFIRMAR QUE:
(A) AS VÁLVULAS CONIVENTES, TÍPICAS DO INTESTINO GROSSO, REGULAM O CURSO DAS FEZES
706 – D
(B) AS VILOSIDADES INTESTINAIS SÃO COMUNS TANTO NO INTESTINO DELGADO QUANTO PARA O
INTESTINO GROSSO
(C) A VÁLVULA ÍLEO-CECAL SITUA-SE NA TRANSIÇÃO DO INTESTINO DELGADO PARA O INTESTINO
GROSSO, OU SEJA, ENTRE O ÍLEO E O CÓLON DESCENDENTE
(D) O INTESTINO DELGADO POSSUI POUCAS GLÂNDULAS, E SEU ASPECTO CARACTERÍSTICO É
DADO PELAS VÁVULAS CONIVENTES
(E) AS VILOSIDADE DO INTESTINO DELGADO SÃO RESPONSÁVEIS PELA MOVIMENTAÇÃO DO BOLO
ALIMENTAR

706 – QUAL DOS OSSOS ABAIXO SE ARTICULA LATERALMENTE COM A ESCÁPULA E MEDIALMENTE
COM O MANÚBRIO DO ESTERNO:
(A) 1 ª COSTELA
(B) 2 ª COSTELA
(C) 3ª COSTELA
(D) CLAVÍCULA
(E) ACRÔMIO
GABARITO:

707 – E
707 – OS OSSO DO CARPO SÃO EM NÚMERO DE ____ E SE ARTICULAM DISTALMENTE COM
_____________. 708 – A
(A) 7 – METATARSIANOS
(B) 8 – RÁDIO E ULNA
(C) 8 – METATARSIANOS
(D) 7 – METACARPIANOS
(E) 8 – METACARPIANOS

708 – EM RELAÇÃO AO SISTEMA ENDÓCRINO É CORRETO AFIRMAR QUE:


(A) GLÂNDULAS SÃO ÓRGAOS DO CORPO HUMANO ENCARREGADOS DE ELABORAR HORMÔNIOS
E SE DIVIDEM EM ENDÓCRINAS E EXÓCRINAS
(B) A HIPÓFISE É UMA PEQUENA GLÂNDULA SITUADA NA SELA TURCA DO ESFENÓIDE,
ENCARREGADA DE PRODUZIR ADRENALINA QUE INFLUENCIA NO CRESCIMENTO
(C) TODAS AS GLÂNDULAS PRODUTORAS DE HORMÔNIOS SÃO DENOMINADAS DE GLÂNDULAS DE
EXCREÇÃO OU EXÓCRINAS
(D) A TIREÓIDE PRODUZ GRANDES QUANTIDADES DE GONADOTROFINAS QUE AUXILIAM NO
CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO MENTAL
(E) A SUPRA-RENAL PRODUZ O HORMÔNIO DE CRESCIMENTO, IMPORTATNE PARA O
DESENVOLVIMENTO SOMÁTICO
GABARITO:

709 – A
709 – QUAL DOS QUIRODÁCTILOS ABAIXO POSSUI APENAS DUAS FALANGES?
(A) PRIMEIRO 710 – B
(B) SEGUNDO
(C) TERCEIRO 711 - C
(D) QUARTO
(E) QUINTO

710 – NO ESTUDO RADIOLÓGICO DO COTOVELO COM INCIDÊNCIA DE PIERQUIU, O ÂNGULO


ANTEBRAÇO-BRAÇO É DE APROXIMADAMENTE:
(A) 30º
(B) 45º
(C) 60º
(D) 90º
(E) 85º

711 – EM UM EXAME RADIOLÓGICO, A TÉCNICA DE FARRIL É TAMBÉM CONHECIDA COMO:


(A) AXIAL
(B) HIPERFLEXÃO
(C) MENSURAÇÃO RADIOLÓGICA
(D) PROJEÇÕES OBLÍQUAS
(E) VAN ROSEN
GABARITO:

712 – B
712 – A TEMPERATURA AMBIENTE DA CÂMARA ESCURA INFLUENCIA DIRETAMENTE NA
CONSERVAÇÃO DOS FILMES RADIOLÓGICOS, ESSA TEMPERATURA VAIRA DE: 713 – B
(A) 17ºC A 22ºC
(B) 18ºC A 24ºC
(C) 25ºC A 28ºC
(D) 32ºC A 35ºC
(E) 35ºC A 48ºC

713 – CONSIDERE, ABAIXO, OS DADOS DE UM EXAME RADIOLÓGICO DE ABDOME


KV TOTAL = 95
ESPESSURA = 32
A CONSTANTE (K) DESTE APARELHO DEVERÁ SER DE:
(A) K =21
(B) K =31
(C) K =32
(D) K =42
(E) K =55
GABARITO:

714 – D
714 – NO EXAME DE COLUNA CERVICAL USANDO A INCIDÊNCIA EM AP, COM RAIO CENTRAL
INCLINADO ENTRE 10º E 15º CEFÁLICOS, TEM-SE COMO PRINCIPAL VANTAGEM: 715 – C
(A) ESTUDAR PROFUNDAMENTE OS CORPOS VERTEBRAIS
(B) AVALIAR MELHOR A CRICÓIDE E O AXIS
(C) EVITAR ARTEFATOS DE MOVIMENTOS
(D) ENTRAR PARALELO NOS ESPAÇOS INTERVERTEBRAIS
(E) MOSTRAR O PROCESSO ODONTÓIDE

715 – CONSIDERE, ABAIXO, OS DADOS DO EXAME RADIOLÓGICO DO RAMO PUBIANO, COM O


PACIENTE EM DECÚBITO DORSAL, USANDO-SE O BUCKY DE MESA.
ESPESSURA = 21
K = 15
O KV FINAL PARA ESTE EXAME SERÁ:
(A) 36 KV
(B) 42 KV
(C) 57 KV
(D) 71 KV
(E) 88 KV
GABARITO:

716 – A
716 – QUANDO A INDICAÇÃO DO EXAME RADIOLÓGICO FOR PARA DESVIO DOS JOELHOS EM
GENOVALGO, DEVE-SE FAZER, ALÉM, DAS RADIOGRAFIAS DE ROTINAS, UMA INCIDÊNCIAS
717 –EM
A
AP DE JOELHOS COM PACIENTE EM:
(A) ORTOSTÁRICA
(B) FLEXÃO ANTERIOR
(C) EXTENSÃO LATERAL
(D) DECÚBITO VENTRAL
(E) DECUBITO DORSAL

717 – O NÚMERO MÍNIMO DE RADIOGRAFIAS NECESSÁRIAS PARA ESTUDAR RADIOLOGICAMENTE


UMA DETERMINADA REGIÃO DENOMINA-SE:
(A) ROTINA
(B) COMPLEMENTAR
(C) LOCALIZADA
(D) PANORÂMICA
(E) SPOT
GABARITO:

718 – B
718 – O EXAME RADIOLÓGICO INDICADO PARA AS OBSTRUÇÕES INTESTINAIS NO INTESTINO
GROSSO, QUE DEVE SER FEITO COM CONTRASTE À BASE DE SULFATO DE BÁRIO DILUIDO
719 –EM
B
ÁGUA, DENOMINA-SE:
(A) TRÂNSITO INTESTINAL 720 - A
(B) CLISTER OPACO
(C) ARTERIOGRAFIA
(D) UROGRAFIA
(E) COLÂNGIOGRAFIA PER-CUTÂNEA

719 – O TALUS É UM DOS SETE OSSOS QUE FORMAM O __________________.


(A) CARPO
(B) TARSO
(C) METACARPO
(D) METATARSO
(E) HÁLUX

720 – CORRELACIONE AS COLUNAS: 1- OSSOS DO CARPO ( ) ESCAFÓIDE


(A) 1,2,2,1,1 2 –OSSOS DOTARSO ( ) CUBÓIDE
(B) 1,2,2,2,1 ( ) CUNEIFORME
(C) 1,2,2,2,2 ( ) SEMILUNAR
(D) 2,1,2,2,1 ( ) PSIF ORME
(E) 1,1,1,1,2
GABARITO:

721 – C
721 - PARA OBTENÇÃO DE UMA RADIOGRAFIA, O RESULTADO DE UM CONJUNTO DE DADOS, TAIS
COMO POSICIONAMENTO, RAIO CENTRAL E FATORES RAIOLÓGICOS, CHAMA-SE: 722 – C
(A) TEMPO DE EXPOSIÇÃO
(B) RADIAÇÃO DIRETA 723 - B
(C) INCIDÊNCIA
(D) TRANSFORMADOR
(E) RETIFICADOR

722 – UTILIZANDO O MAS E KV MUITO ALTOS , A MESA DE COMANDO DESLIGA-SE


AUTOMATICAMENTE NÃO PERMITINDO A EMISSÃO DE RAIOS X . ESTE SISTEMA DE
SEGURANÇA É CHAMADO DE:
(A) CATÓDIO
(B) ANÓDIO FIXO
(C) APARELHO BLOQUEADO
(D) CABOS DE ALTA TENSÃO
(E) CURTO CIRCUITO

723 – A LINHA QUE UNE O CONDUTO AUDITIVO EXTERNO À COMISSURA DO OLHO DO LADO
OPOSTO É CHAMADA DE:
(A) BELLOT
(B) RHEESE
(C) CALDWELL
(D) ANTROPOLÓGICA
(E) LINHA DE CHAMBERLAIN
GABARITO:

724 – B
724 – QUE NOME É DADO À EXTREMIDADE INFERIOR DO OSSO ESTERNO:
(A) MANÚBIO 725 – A
(B) APÊNCIDICE XIFÓIDE
(C) CLAVÍCULA 726 - D
(D) 4 ª COSTELA
(E) 6 ª COSTELA

725 – A INCIDÊNCIA QUE TEM MELHOR PROJEÇÃO PARA A BASE DO CRÂNIO, MOSTRANDO AS
TRÊS FOSSAS CRANIANAS COM EXCELENTES DEFINIÇÃO, É CHAMADA DE:
(A) HIRTZ
(B) PFEIFFER
(C) LYSHOLM
(D) HARTMAN
(E) RHESEE

726 – O JOELHO É COMPOSTO POR QUAIS OSSOS?


(A) ÚMERO, PATELA, TÍBIA
(B) FÊMUR, TÍBIA, OSSOS DO CARPO
(C) FÊMUR, PATELA, FÍBULA
(D) FÊMUR, PATELA, TÍBIA
(E) FÊMUR, PATELA, OSSOS DO TARSO
GABARITO:

727 – A
727 – A ROTINA BÁSICA PARA INCIDÊNCIA EM PERFIL DIREITO E PERFIL ESQUERDO É INDICADA NO
ESTUDO DA REGIÃO: 728 – B
(A) DOS OSSOS PRÓPIOS DO NARIZ
(B) DA MANDÍBULA 729 - C
(C) DA OMOPLATA
(D) DO JOELHO
(E) TORNOZELO

728 – OS OSSOS PARES ESTÃO LOCALIZADOS NAS BORDAS MÉDIAS DAS ÓRBITAIS, E
APRESENTAM IMAGEM RADIOLÓGICA NO FRONTO-NASO, WATERS, RHEESE, DENOMINAM-SE:
(A) MAXILARES
(B) LACRIMAIS
(C) CORNETOS
(D) VÔMER
(E) PATELA

729 – “ ROENTGEN FOI A PARTEIRA, PORÉM A MÃE FUI EU.” FRASE PORFERIDA POR
______________________________ REFERINDO-SE A DESCOBERTA DOS RAIOS X.
(A) RUTHERFORD
(B) HENRI BECQUEREL
(C) PHILIPP LENARD
(D) MARIE CURIE
(E) KAISER GUILHERME II
GABARITO:

730 – C
730 – CONSIDERE A SITUAÇÃO DE EXAME APRESENTADAABAIXO:
PACIENTE EM POSIÇÃO ORTOSTÁTICA, EM PERFIL RIGOROSO, COM O BRAÇO MAIS PROXÍMO
731 – A
DO FILME VOLTADO PARA TRÁS, DE MANEIRA QUE FORME ÂNGULO DE 70º COM O TÓRAX E
OUTRO BRAÇO ERGUIDO SOBRE A CABEÇA.
ESTA INCIDÊNCIA É CLASSIFICADA COMO MÉTODO:
(A) TWINING
(B) LYSHOLN
(C) LAWRENCE
(D) MULLER
(E) FARRIL

731 – NO PROCESSO DE DESCOBERTA DOS RAIO X, ROENTGEN, ACIDENTALMENTE, TEVE PARTE


DE SEU CORPO PROJETADO NA TELA FLUORESCENTE QUE USAVA EM SEU LABORATÓRIO,
ERA:
(A) OSSOS DA MÃO
(B) OSSOS DO PÉ
(C) OSSOS DA PERNA
(D) OSSOS DO ANTE BRAÇO
(E) OSSOS DA CABEÇA
GABARITO:

732 – B
732 – DESDE O INICIO DA DESCOBERTA, ROENTGEN DETECTOU UMA PROPRIEDADE DOS RAIOS X
QUE ATÉ HOJE APLICAMOS NO USO DOS ECRANS. 733 – D
(A) INVISIBILIDADE DOS RAIOS X
(B) CERTOS SAIS FLUORESCEM QUANDO RECEBEM RADIAÇÃO X 734 - D
(C) INIBE A MITOSE CELULAR
(D) ULTRAPASSAM CORPOS OPACOS A LUZ
(E) AS RESPOSTAS B E C ESTÃO CORRETAS

733 – TRABALHOS SOBRE A AÇÀO BIOLÓGICA DOS RAIOS X, COMEÇARAM A SER ESCRITOS JÁ NO
ANO DE:
(A) 1901
(B) 1996
(C) 1845
(D) 1896
(E) 1923

734 – A ROTINA MÍNIMA PARA O EXAME DE ARTICULAÇÃO ESTERNOCLAVICULAR É:


(A) PERFIL DIREITO, AP E PA
(B) OBLÍQUA POSTERIOR DIREITA, AP E AXIAL
(C) AP, PA EM OBLÍQUA DIREITA E PERFIL ESQUERDO
(D) PA EM OBLÍQUA ANTERIOR DIREITA, PA EM OBLÍQUA ANTERIOR ESQUERDA E AXIAL
(E) AP, PA E AXIAL
GABARITO:

735 – B
735 - AS INCIDÊNCIAS EM AP COM STRESS LATERAL, AP COM STRESS MEDIAL E PERFIL, SÃO
APLICADAS NO EXAME DA ARTICULAÇÃO: 736 – A
(A) SACROILÍACAS
(B) TIBIOTÁRSICA 737 - D
(C) COXOFEMURAL
(D) ESCAPULO- UMERAL
(E) ATM

736 – AS INCIDÊNCIAS DE ROTINA, MÍNIMA DE SCHULLER DIREITO E SCHULLER ESQUERDO COM


BOCA ABERTA E BOCA FECHADA SÃO EXECUTADAS NA REGIÃO:
(A) DA ARTICULAÇÃO TEMPOROMANDIBULAR
(B) DA ARTICULAÇÃO OCCPITOATLÓIDEA
(C) DA ARCADA ZIGOMÁTICA
(D) DO RAMO HORIZONTAL DA MANDÍBULA
(E) DA ÓRBITA

737 – BELLOT E WATERS SÃO INCIDÊNCIAS BÁSICAS MÍNIMA PARA ESTUDO DA REGIÃO:
(A) DA FACE POLITRAUMATIZADA
(B) DO CORPO DA MANDÍBULA
(C) DO CRÂNIO POLITRAUMATIZADO
(D) DO RAMO HORIZONTAL DA MANDÍBULA
(E) DOS ÓSSOS PRÓPRIOS DO NARIZ
GABARITO:

738 – C
738 – ASSINALE A ESTRUTURA QUE NÃO É DEMONSTRADA NA INCIDÊNCIA DE SCHULLER:
(A) CAVIDADE GLENÓIDE DO OSSO TEMPORAL 739 – B
(B) CÉLULAS PNEUMATIZADAS DO PROCESSO MASTÓIDE
(C) PÓRUS ACUSTICUS INTERNUS 740 - C
(D) CÔNDILO MANDIBULAR
(E) MEATO ACÚSTICO EXTERNO

739- O ÓRGÃO QUE DETÉM FUNÇÃO DUPLA TANTO NO SISTEMA DIGESTIVO, QUANTO NO SISTEMA
RESPIRATÓRIO É:
(A) LARINGE
(B) FARINGE
(C) ESÔFAGO
(D) TRAQUÉIA
(E) BAÇO

740 – A CAVIDADE CARDÍACA QUE TEM SITUAÇÃO MAIS ANTERIOR E É MELHOR VISTA NO PERFIL
DO TÓRAX É:
(A) AURÍCULA ESQUERDA
(B) AURÍCULA DIREITA
(C) VENTRÍCULO DIREITO
(D) VENTRÍCULO ESQUERDO
(E) NRA
GABARITO:

741 – D
741 – A REGIÃO DENTRO DO APARELHO RESPIRATÓRIO ONDE SE PROCESSA A HEMATOSE:
(A) FARINGE 742 – B
(B) LARINGE
(C) BRONQUÍOLOS 743 - B
(D) ALVÉOLOS
(E) TRAQUÉIA

742 – A ARTICULAÇÃO DE MAIOR MOBILIDADE É :


(A) ARTICULAÇÃO DO COTOVELO
(B) ARTICULAÇÃO ESCÁPULO-UMERAL
(C) ARTUCULAÇÃO COXO-FEMURAL
(D) ARTICULAÇÃO TÍBIO-TÁRSICA
(E) ARTICULAÇÃO SACRO-ILIACA

743 – NO TRAUMATISMO DA REGIÃO ESCÁPULO-UMERAL COM A REGIÃO IMOBILIZADA, A ROTINA


DO EXAME INCLUI:
(A) PA E AXILAR
(B) AP E TRANSTÓRACICA
(C) AP EM ADUÇÃO E ABDUÇÃO DO BRAÇO
(D) AP EM ROTAÇÃO INTERNA E EXTERNA DO BRAÇO
(E) AP E BRETON
GABARITO:

744 – C
744 – O PREFIXO “FLEBO”, REFERE-SE :
(A) AO BRAÇO 745 – A
(B) AO FÍGADO
(C) AS VEAIS 746 - B
(D) AOS VASOS SANGÜÍNEOS EM GERAL
(E) AS ARTÉRIAS

745 – A ALTERNATIVA QUA NÃO SE ENQUADRA AO EFEITO SOMÁTICO É:


(A) DANO EM FUTURAS GERAÇÕES
(B) REDUÇÃO DA VIDA MÉDIA
(C) INDUÇÃO DAS CATARATAS
(D) AUMENTO NA INCIDÊNCIA DE CÂNCER
(E) ERITEMA

746 – O NÚMERO DE SISURAS QUE POSSUI O PULMÃO DIREITO É:


(A) 1
(B) 2
(C) 3
(D) 4
(E) 5
GABARITO:

747 – D
747 – SEGUNDO BOISSON A REALIZAÇÃO DE UMA RADIOGRAFIA DE EXTREMIDADE GROSSA
RECENTEMENTE GESSADA(GESSO ÚMIDO), EM PACIENTE ADULTO, REQUER UM ACRÉSCIMO
748 – C
DE QUILOVOLTAGEM DA ORDEM DE:
(A) 9KV 749 - E
(B) 10 KV
(C) 11KV
(D) 12 KV
(E) 20 KV

748 – EM TOMOGRAFIA LINEAR PARA AUMENTAR A ESPESSURA DO CORTE, O PROCEDIMENTO


CORRETO É:
(A) USAR FOCO GROSSO
(B) ALTERAR O NÍVEL DO FULCRO
(C) DIMINUIR A AMPLITUDE DE PERCURSO DO TUBO DE FÓTONS X
(D) AUMENTAR A AMPLITUDE DE PERCURSO DO TUBO DE FÓTONS X
(E) USAR FOCO FINO

749 – O USO DO TERMO “RADIAÇÃO PENETRANTE” DADO POR BECQUEREL FOI SUBSTITUIDO POR
“RADIOATIVIDADE” POR SUGESTÃO DO:
(A) RUTHERFORD
(B) J.J THOMSON
(C) FÍSICO PHILIPP LENARD
(D) PRÓPRIO BECQUEREL
(E) ISAC NEWTON
GABARITO:

750 – C
750 – ASSINALE A ALTERNATIVA FALSA:
(A) O FILME RADIOGRAFICO TEM EMULSÃO SENSIVEL NOS DOIS LADOS 751 – B
(B) O FILME CINEMATOGRÁFICO É SENSÍVEL DE UM LADO
(C) O FILME ABREUGRÁFICO É SENSÍVEL NOS DOIS LADOS 752 - C
(D) O FILME FOTOGRÁFICO É SENSÍVEL DE UM LADO
(E) OS FILMES USADOS EM RAIOS X SÃO COLOCADOS DENTRO DOS CHASSIS QUANDO USADOS

751 – ECRAN FLUOROSCÓPIO É MESMO QUE:


(A) ECRAN INTESIFICADOR
(B) ECRAN RADIOSCÓPICO
(C) ECRAN TERRAS RARAS
(D) ECRAN REFORÇADOR
(E) ECRAN COM MUITO DETALHE

752 – SEGUNDO SCAFF, ANODO ROTATÓRIO DE UM TUBO DE FÓTONS X PARA DIAGNÓSTICO, GIRA
NA FAIXA DE :
(A) 2.200 A 8.000 r p m
(B) 3.000 A 8.300 r p m
(C) 3.300 A 8.500 r p m
(D) 3.800 A 9.000 r p m
(E) 3.000 A 6.000 r p m
GABARITO:

753 – D
753 – UMA RADIOGRAFIA FOI FEITA NA DISTÂNCIA FOCO-FILME DE 1,5 m COM 80 mAs. SE
REDUZIRMOS A DISTÂNCIA FOCO-FILME PARA 0,75 m, DEVEMOS USAR UM VALOR DE mAs754 –DE:
A
(A) 320
(B) 160 755 - A
(C) 40
(D) 20
(E) 500

754 – A EQUIVALÊNCIA EM CHUMBO USADA NOS AVENTAIS DE BORRACHA PLUMBÍFERA PARA


QUEM REALIZA A RADIOSCOPIA DEVE SER DE:
(A) 0,75 mm DE CHUMBO
(B) 0,50 mm DE CHUMBO
(C) 0,25 mm DE CHUMBO
(D) 0,15 mm DE CHUMBO
(E) 2,00 mm DE CHUMBO

755 – DE QUE DEPENDE A ENERGIA QUE FORNECE ACELERAÇÃO AOS ELÉTRONS NO TUBO DE
RAIOS X?
(A) DA TENSÃO APLICADA AO TUBO DE RAIOS X (KILOVOLTAGEM)
(B) DA CORRENTE ELÉTRICAAPLICADA AO CATÓDIO (MILIAMPERAGEM)
(C) DO TIPO DE MATERIAL QUE CONSTITUI O FILAMENTO
(D) DO GRAU DE AQUECIMENTODO FILAMENTO
(E) DO TAMANHO DO PONTO FOCAL
GABARITO:

756 – A
756 – NA RADIOGRAFIA DE TÓRAX NO LEITO, COM O PACIENTE SEMISENTADO (RECOSTADO), O
RAIO CENTRAL DEVE INCIDIR: 757 – A
(A) PERPENDICULAR AO PLANO DO FILME
(B) COM INCLINAÇÃO CEFÁLICA EM RELAÇÃO AO PACIENTE 758 - D
(C) COM INCLINAÇÃO PODÁLICA EM RELAÇÃO AO PACIENTE
(D) PERPENDICULAR AO PLANO DO CHÃO
(E) PARARELO AO PLANO DO CHÃO

757 – AS DENSIDADES RADIOLÓGICAS NATURAIS SÃO EM NÚMEROS QUATRO. QUAL É A ORDEM


CRESCENTE DE ABSORÇÃO PELO CORPO HUMANO?
(A) AR, GORDURA, PARTES MOLES E OSSO
(B) OSSO, PARTES MOLES, GORDURA E AR.
(C) AR, PARTES MOLES, GORDURA E AR
(D) GORDURA, PARTES MOLES, AR, OSSO
(E) OSSO, GORDURA, PARTES MOLES, AR

758 – QUAL DAS REGIÕES RELACIONADAS, DISPENSA A UTILIZAÇÃO DE GRADE ANTIDIFUSORA


PARA O ESTUDO RADIOLÓGICO?
(A) TÓRAX
(B) ABDOME
(C) COLUNA CERVICAL
(D) MÃO
(E) COLUNA LOMBAR
GABARITO:

759 – E
759 – FOI CONSTATADO POR _____ QUE A RADIAÇÃO DESCOBERTA POR BECQUEREL,
INICIALMENTE COMPARADA AOS RAIOS X, ERA DE MAIS DE UMA ESPÉCIE E COM PODER DE
760 – E
PENETRAÇÃO DIFERENTE.
(A) LENARD 761 - C
(B) THOMSON
(C) HITTORF
(D) MAX VON LAVE
(E) RUTHERFORD

760 - ASSINALE A ALTERNATIVA QUE COMPLETA CORRETAMENTE A PROPOSIÇÃO ABAIXO:


UM ECRAN DO TIPO RÁPIDO (HIGH – SPEED) É AQUELE QUE DÁ __ DETALHE E __ LUMINESCÊNCIA.
(A) MAIOR /MAIOR
(B) MAIOR/ MENOR
(C) MENOR/ MENOR
(D) MÉDIO/ MÉDIA
(E) MENOR/ MAIOR

761 – QUAL DAS ALTERNATIVAS ABAIXO APRESENTA OS EXAMES QUE PRODUZEM MENOS
QUANTIDADE DE RAIOS-X E, CONSEQUENTEMENTE MAIOR RAIOPROTEÇÃO.
(A) ABREUGRAFIA E RADIOGRAFIA CONVENCIONAL
(B) ABREUGRAFIA E RADIOSCOPIA COM INTENSIFICADOR DE IMAGENS
(C) TELERADIOGRAFIA DO TÓRAX E RADIOSCOPIA COM INTENSIFICADOR DE IMAGENS
(D) TELERADIOGRAFIA DO TÓRAX E RAIOSCOPIA CONVENCIONAL
(E) RADIOGRAFIA DA COLUNA LOMBAR E RADIOSCOPIA COM INTENSIFICADOR DE IMAGENS
GABARITO:

762 – D
762 – A FUNÇÃO DO ÁCIDO ACÉTICO GLACIAL, NO MECANISMO DE FIXAÇÃO DO FILME
RADIOGRÁFICO É: 763 – E
(A )DISSOLVER A PRATA TORNANDO TRANSPARENTE AS ÁREAS DO FILME NÃO IRRADIADOS
(B) ESTABILIZAR A SOLUÇÃO 764 - C
(C) ENDURECER A GELATINA
(D) ACIDIFICAR A SOLUÇÃO E INTERROMPER A REVELAÇÃO
(E) LAVAR O FILME RETIRANDO O EXCESSO DE REVELADOR

763 – QUAL É A ROTINA MÍNIMA PARA RADIOGRAFAR A ARTICULAÇÃO ESCÁPULO-UMERAL COM


INDICAÇÃO CLÍNICA DE BURSITE?
(A) AP E PERFIL
(B) AP E OBLÍQUA
(C) PERFIL COM ROTAÇÃO INTERNA E EXTERNA DO BRAÇO
(D) AP E AXIAL
(E) AP COM ROTAÇÃO INTERNA E EXTERNA DO BRAÇO

764 – NA INCIDÊNCIA EM AP OU PA DE CRÂNIO OS ROCHEDOS DEVEM PROJETAR-SE:


(A) NO TERÇO SUPERIOR DAS ÓRBITAS
(B) NO TERÇO MÉDIO DAS ÓRBITAS
(C) NO TERÇO INFERIOR DAS ÓRBITAS
(D) ABAIXO DAS REBORDOS ORBITÁRIOS SUPERIORES
(E) AO NÍVEL DA SEGUNDA VÉRTEBRA CERVICAL
GABARITO:

765 – D
765 – OS POROS ACÚSTICOS INTERNOS SITUAM-SE NO OSSO:
(A) FRONTAL 766 – A
(B) OCCIPTAL
(C) ESFENÓIDE 767 - E
(D) TEMPORAL
(E) ETMÓIDE

766 – PARA SE OBTER A RADIOGRAFIA DA CHARNEIRA, QUAL A REGIÃO A SER RADIOGRAFADA?


(A) ARTICULAÇÃO OCCIPTO-ATLOIDIANA
(B) 7ª VERTEBRA CERVICAL E 1ª DORSAL
(C) BIFURCAÇÃO DA TRAQUEIA
(D) REGIÃO TORÁCICA
(E) ÚTIMA VÉRTEBRA DA COLUNA TORÁCICA

767 – NA IMAGEM “DO CACHORRINHO DE LACHAPELLE”, OBTIDA NA INCIDÊNCIA OBLÍQUA DA


COLUNA LOMBAR, A APÓFISE TRANSVERSA E O PENDÍCULO ESTÃO REPRESENTADOS,
RESPECTIVAMENTE:
(A) PELA ORELHA E PELA PARTA DIANTEIRA
(B) PELO OLHO E PELA PATA TRASEIRA
(C) PELO OLHO E PELO FOCINHO
(D) PELO FOCINHO E PELA ORELHA
(E) PELO FOCINHO E PELO OLHO
GABARITO:

768 – E
768 – NO ESTUDO RADIOLÓGICO DA COLUNA CERVICAL, QUAL A INCIDÊNCIA DEMONSTRA OS
BURACOS DE CONJUGAÇÃO? 769 – A
(A) AP
(B) PERFIL EM POSIÇÃO NEUTRA 770 - A
(C) PERFIL EM FLEXÃO
(D) PERFIL EM EXTENSÃO
(E) OBLÍQUA

769 – A TÉCNICA RADIOGRÁFICA COM A QUAL DEMONSTRA-SE MELHOR AS ESTRUTURAS DO


MEDIASTINO É A TELERADIOGRAFIA COM:
(A )ALTA KILOVOLTAGEM E BAIXA MILIAMPERAGEM
(B) BAIXA KILOVOLTAGEM E ALTA MILIAMPERAGEM
(C) BAIXA KILOVOLTAGEM E BAIXA MILIAMPERAGEM
(D) ALTA KILOVOLTAGEM E ALTA MILIAMPERAGEM
(E) ALTA KILOVOLTAGEM E TEMPO DE EXPOSIÇÃO LONGO

770 – COLECISTOGRAMA ORAL COM PROVA DE BOYDEN SIGNIFICA O EXAME CONTRASTADO


(A) DA VESÍCULA BILIAR COM RADIOGRAFIAS TARDIAS APÓS INGESTÃO DE PREPARO DOS
ALIMENTARES GORDUROSOS
(B) DA VESÍCULA BILIAR COM DOSE DUPLA DO MEIO DE CONTRASTE
(C) DO COLEDOCO COM CORTES TOMOGRÁFICO
(D) DA VESÍCULA BILIAR EM ORTOSTÁTICA E DECÚBITO VENTRAL
(E) DO CÍSTICO E COLEDOCO COM CORTES TOMOGRÁFICOS
GABARITO:

771 – A
771 – ASSINALE A ALTERNATIVA QUE COMPLETA CORRETAMENTE A PROPOSIÇÃO ABAIXO.
NOS ESTUDOS CONTRASTADOS DO TUBO GASTROINTESTINAL DEVEMOS UTILIZAR REGIMES
772 – C
COM _________KILOVOLTAGEM, ________MILIAMPERAGEM E TEMPO DE
EXPOSIÇÃO_________.
(A) ALTA /ALTA /CURTO
(B) BAIXA /ALTA /LONGO
(C) ALTA /BAIXA /CURTO
(D) ALTA /ALTA /LONGO
(E) ALTA /BAIXA /LONGO

772 – DOS APARELHOS ABAIXOS RELACIONADOS, AQUELE QUE PROPORCIONA MAIORES


RECURSOS PARA UM BOM ESTUDO BARITADO DO ESÔFAGO CERVICAL É O SERIÓGRAFO:
(A) CONVENCIONAL
(B) COM INTENSIFICADOR DE IMAGEM
(C) COM INTENSIFICADOR DE IMAGEM E CÂMARA “SIRCAM”
(D) COM INTENSIFICADOR DE IMAGEM E TOMÓGRAFO
(E) COM INTENSIFICADOR DE IMAGEM E EXPOSIMETRO AUTOMÁTICO
GABARITO:

773 – B
773 – UM PACIENTE É ENVIADO A UM SERVIÇO DE RADIOGRAFIA PARA REALIZAÇÃO DE
UROGRAFIA EXCRETORA E URETROCISTOGRAFIA, ASSINALE A CONDUTA CORRETA A SER
774 – B
TOMADA FRENTE A ESTE PROBLEMA:
(A) REALIZA-SE PRIMEIRO A UROGRAFIA EXCRETORA E DEPOIS A URETROCISTOGRAFIA, SENDO
QUE NO MESMO DIA
(B) REALIZA-SE PRIMEIRO A URETROCISTOGRAFIA E DEPOIS A EXCRETORA, SENDO QUE NO
MESMO DIA
(C) REALIZA-SE A UROGRAFIA EXCRETORA OU A URETROCISTOGRAFIA SEM UMA ORDEM
PREFERENCIAL, SENDO QUE, NO MESMO DIA
(D) REALIZA-SE SOMENTE A UROGRAFIA EXCRETORA, MARCANDO-SE A URETROCISTOGRAFIA
PARA O DIA SEGUINTE
(E) REALIZA-SE SOMENTE A URETROCISTOGRAFIA, MARCANDO-SE A UROGARFIA EXCRETORA
PARA O DIA SEGUINTE

774 – ASSINALE A ALTERNATIVA QUE COMPLETA CORRETAMENTE A PROPOSIÇÃO ABAIXO.


EM TOMOGRAFIA CONVENCIONAL, PODEMOS DIZER QUE A ESPESSURA DO CORTE É
_________PROPORCIONAL AO ÂNGULO DA ÂMPOLA E _______________ A DISTÂNCIA FOCO-
FILME
(A) DIRETAMENTE/ INVERSAMENTE PROPORCIONAL
(B) INVERSAMENTE/ NÃO TEM RELAÇÃO COM
(C) INVERSAMENTE/ DIRETAMENTE PROPORCIONAL
(D) INVERSAMENTE/ INVERSAMENTE PROPORCIONAL
(E) INVERSAMENTE/ NÃO TEM RELAÇÃO COM
GABARITO:

775 – D
775 – EM EXAMES MAMOGRAFICOS, A COMBINAÇÃO FILME/ECRAN DEVE SER, RESPECTIVAMENTE:
(A) MONOEMULSIONADO/ GRÃOS MÉDIOS 776 – A
(B) MONOEMULSIONADO/ GRÃOS FINOS
(C) BIEMULSIONADO/ GRÃOS GROSSOS 777 - E
(D) BIEMULSIONADO/ GRÃOS MÉDIOS
(E) BIEMULSIONADO/ GRÃOS FINOS

776 – O EPIGLOTE, O TUBÉRCULO CORNICULADO, AS CORDAS VOCAIS SÃO ALGUNS


COMPONENTES ANATÔMICOS DO SEGUINTE ÓRGÃO:
(A) TRAQUÉIA
(B) ESÔFAGO
(C) LARINGE
(D) FARINGE
(E) MAXILAR

777 – A DENSIDADE ÓPTICA DE UMA RADIOGRAFIA É DADA PELO:


(A) T
(B) D
(C) KV
(D) m A
(E) mAs
GABARITO:

778 – D
778 – UM FILME EXPOSTO À LUZ SOLAR, APÓS PROCESSADO, APRESENTOU AINDA RAZOÁVEL
TRANSPARÊNCIA. ESSE RESULTADO DEVEU-SE À SEGUINTE CAUSA: 779 – D
(A) O PROCESSAMENTO FOI MUITO LENTO OU SOB FILTRO INADEQUADO
(B) O FIXADOR ESTAVA FORA DE VALIDADE OU POUCO AQUECIDO 780 - B
(C) O SECADOR ESTAVA FRIO OU A VENTILAÇÃO DEFICIENTE
(D) O REVELADOR ESTAVA SATURADO OU POUCO AQUECIDO
(E) A ÁGUA ESTAVA ÁCIDA OU MUITO AQUECIDA

779 – INDIQUE TODOS OS MOVIMENTOS QUE AS ARTICULAÇÕES ESFERÓIDES PROPICIAM:


(A) CIRCUNDAÇÃO
(B) LATERAL E CIRCUNDAÇÃO
(C) ROTAÇÃO MEDIAL, ROTAÇÃO EXTERNA E CIRCUNDAÇÃO
(D) ROTAÇÃO LATERAL, ROTAÇÃO MEDIAL, CIRCUNDAÇÃO, ABDUÇÃO, EXTENSÃO E FLEXÃO
(E) ROTAÇÃO LATERAL, ROTAÇÃO EXTERNA

780 – SABEMOS QUE A DENSIDADE PROTÔNICA É DADA EM VALORES NUMÉRICOS, PARA O


MÚSCULO E A GORDURA ESTES VALORES SÃO RESPECTIVAMENTE:
(A) 11, 2 E 11, 0
(B) 11, 0 E 10, 9
(C) 10, 8 E 10, 6
(D) 10, 5 E 10, 3
(E) 15, 5 E 11,3
GABARITO:

781 – B
781 – OS DADOS A SEGUIR SE REFEREM APENAS A TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA, MARQUE O
ITEM QUE NÃO CORRESPONDE COM A REALIDADE: 782 – A
(A) SÃO NECESSÁRIOS NO MÍNIMO 180 PROJEÇÕES DIFERENTES PARA OBTER UMA RADIOGRAFIA
DIAGNÓSTICAMENTE ÚTIL
(B) NA TCC, O FEIXE DE ONDAS X É REALMENTE COLIMADO DE AMBOS OS LADOS DA CABEÇA DO
PACIENTE
(C) EM TCC, OS SCANNERS DE QUARTA GERAÇÃO NECESSITAM DE 2 A 10 SEGUNDOS POR
VARREDURA
(D) O COLIMADOR DE FONTE É COLOCADO AFASTADO DO TUBO DE ONDAS X
(E) EM TCC, AS IMAGENS SÃO PROCESSADAS EM SISTEMA INFORMATIZADO

782 – A VENTRICULOGRAFIA FOI REALIZADA POR:


(A) WILLIAM E DANDY
(B) FÉLIX VON RANKER
(C) HODKINSON
(D) HICHMORE
(E) ANDRÉ AMPÉRE
GABARITO:

783 – C
783 – AO UTILIZARMOS UM FILME DE 35X43 cm À 102 cm DE DFF, E DEPENDENDO DO ÂNGULO DO
ALVO DO TUBO EM QUESTÃO, A VARIAÇÃO NA INTENSIDADE DO FEIXE DE FÓTONS X DE UMA
784 – C
EXTREMIDADE A OUTRA NO SENTIDO LONGITUDINAL DESSE FILME, PODE OSCILAR ENTRE:
(A) 10 % E 15 % 785 - D
(B) 15 % E 20 %
(C) 20 % E 30 %
(D) 30 % E 50 %
(E) 50 % E 50 %

784 –NA SITUAÇÃO DE ROTINA, DEVEMOS POSICIONAR O CARPO EM:


(A) ADUÇÃO
(B) ABDUÇÃO
(C) PRONAÇÃO
(D) SUPINAÇÃO
(E) FLEXÃO

785 – DENTRO DO RADIODIAGNÓSTICO CONVENCIONAL, OS COMPRIMENTOS DE ONDA X SE


SITUAM NA BANDA DE :
(A) 7,0 A 5,0 ANGSTRONS
(B) 4,0 A 2,0 ANGSTRONS]
(C) 0,9 A 0,7 ANGSTRONS
(D) 1 A 0,1 ANGSTRONS
(E) 2,0 A 5.0 ANGSTRONS
GABARITO:

786 – D
786 – É INVERDADE O SEGUINTE:
(A) NA ESFERA DO RADIODIAGNÓSTICO CONVENCIONAL, GERALMENTE O FILAMENTO DOS 787
TUBOS
– B
DE FÓTONS X, POSSUEM UM DIÂMETRO DA ORDEM DE 1 A 2 mm
(B) CINTIGRAFIA, É UM EXAME QUE FORNECE IMAGENS DO FUNCIONAMENTO DOS ÓRGÃOS788 - A
EMPREGADOS SUBSTÂNCIAS RADIOATIVA
(C) A VEIA SAFENA MAGNA É A MAIS LONGA
(D) EM SE TRATANDO DE UROGRAFIA, PODEMOS DIZER QUE O SINTOMA DE DIFICULDADE
RESPIRATÓRIA AO CONTRASTE É UMA REAÇÃO LEVE
(E) A ARTÉRIA AORTA CORRE DO LADO DIREITO DA COLUNA QUANDO O PACIENTE ESTÁ EM DD

787 – SEGUNDO BOISSON, A INCIDÊNCIA DE WATERS DEVE SER REALIZADA DE MODO QUE A LINHA
ANTROPOLÓGIOCA FORME COM O PLANO DO FILME UM ÂNGULO DE :
(A) 35º
(B) 40º
(C) 45º
(D) 50º
(E) 65º

788 – AS DENOMINAÇÕES A SEGUIR SÃO DE UMA MESMA PROJEÇÃO, EXCETO A:


(A) PFEIFFER
(B) ROSSAND
(C) PORCHER
(D) POROT
(E) FROG
GABARITO:

789 – C
789 – A BASE DO MEIO DE CONTRASTE UTILIZADO NA COLANGIOGRAFIA VENOSA É:
(A) CROMO 790 – A
(B) BÁRIO
(C) IODO 791 - D
(D) COBALTO
(E) CHUMBO

790 – A ASSERÇÃO INCORRETA É:


(A) PLANO MEATO-ORBITÁRIO É O MESMO QUE PLANO BIAURICULAR
(B) OS ECRANS DEVEM SER LIMPOS COM ALGODÃO, ÁGUA E SABÃO NEUTRO
(C) UMA GRADE ONDE AS LAMÍNULAS SE ENTRE CRUZAM EM ÂNGULOS RETOS É DENOMINADA
“RETICULADA”
(D) OS ÉLETRONS , NA AMPOLA DE RAIOS X, PARTEM DO CATODO EM DIREÇÃO AO ANODO
(E) N.R.A.

791 – NÃO É FATO A SEGUITE AFIRMATIVA:


(A) FILTRO INERENTE É O MESMO QUE FILTRO DE ALUMÍNIO
(B) PLANO CORONÁRIO TAMBÉM É CONHECIDO COMO PLANO FRONTAL
(C) EM SÍNTESE O TESTE DE KNUTSON TEM POR FINALIDADE DEMONSTRAR A FLEXIBILIDADE OU
RIGIDEZ DAS CURVATURAS DA COLUNA
(D) O NÚMERO ATÔMICO DO ELEMNTO QUÍMICO CHUMBO É 81
(E) A OBLIQUIDADE DO ANODO NAS AMPOLAS DE RADIODIAGNÓSTICO É DE 60º
GABARITO:

792 – C
792 – O PULMÃO DIREITO POSSUI ______LOBO(S) ENQUANTO QUE O EQUERDO POSSUI_______
LOBO(S). 793 – D
(A) 2 – 1
(B) 3 – 1 794 - C
(C) 3 – 2
(D) 2 – 3
(E) 1 – 2

793 – ASSINALE A AFIRMATIVA INCORRETA:


(A) A INCIDÊNCIA DE VAN ROSEN É IMPORTANTE NO ESTUDO DAS LUXAÇÕES COXO-FEMURAIS
(B) A INCIDÊNCIA DE LOWENSTEIN É IMPORTATE NO ESTUDO DAS ARTICULAÇÕES COXO-
FEMURAIS
(C) A INCIDÊNCIA DE RÃ DEVE SER FEITA EM DECÚBITO DORSAL
(D) A RADIOGRAFIA DE LOWENSTEIN É IMPORTANTE NO ESTUDO DAS ARTICULAÇÕES SACRO-
ÍLIACAS
(E) AS INCIDÊNCIAS DE VAN ROSEN E LOWENSTEIN DEVEM SER COMPARATIVAS

794 – EM ZURIQUE, WILHELM CONRAD ROENTGEN, RECEBEU O TÍTULO DE DOUTOR NO ANO DE:
(A) 1895
(B) 1845
(C) 1869
(D) 1868
(E) 1923
GABARITO:

795 – A
795 – EM 28 DE DEZEMBRO DE 1895, ROENTGEN, FEZ A ENTREGA DE UM REALATÓRIO PRELIMINAR
AO SECRETÁRIO DA SOCIEDADE FISICO-MÉDICA DE WÜRZBURG, ESTE FOI O SEU: 796 – A
(A) 49º TRABALHO
(B) 48º TRABALHO 797 - B
(C) 1 º TRABALHO
(D) 2 º TRABALHO
(E) 3 º TRABALHO

796 – EM QUE DATA ROENTGEN, FEZ DEMONSTRAÇÃO DE SUA DESCOBERTA PARA O KAISER
GUILHERME II, IMPERADOR DA ALEMANHA.
(A) 13 DE JANEIRO DE 1896
(B) 8 DE NOVEMCRO DE 1895
(C) 28 DE DEZEMBRO DE 1895
(D) 19 DE NOVEMBRO DE 1889
(E) 22 DE ABRIL DE 1500

797 – SÃO INCIDÊNCIAS DA ROTINA MÍNIMA, NA INVESTIGAÇÃO DE UM CORPO ESTRANHO EM


PARTES MOLES DA MÃO, AO NÍVEL DO QUINTO METACARPIANO:
(A) AP E PERFIL INTERNO
(B) PA E PERFIL INTERNO
(C) PA E OBLÍQUA INTERNA
(D) AP E OBLÍQUA EXTERNA
(E) AP E OBLIQUA INTERNA
GABARITO:

798 – A
798 – A LINHA HORIZONTAL ALEMÃ (LHA) É A MAIS UTILIZADA NA TÉCNICA DE CRÂNIO E FACE. ELA
É UTILIZADA NO POSIONAMENTO DE : 799 – A
(A) PERFIL DE CRÂNIO
(B) BRETTON 800 - B
(C) TRANSORBITÁRIA PARA OSSO TEMPORAL
(D) OBLÍQUAS PARA CÉLULAS ETMOIDAIS
(E) INCIDÊNCIA DE BELLOT

799 – O ESTUDO APICO-LORDÓTICO EM UM PACIENTE IDOSO, IMPOSSIBILITADO DA POSIÇÃO


CLÁSSICA DESSA INCIDÊNCIA, REQUER:
(A) RC COM 25º DE INCLINAÇÃO CEFÁLICA, PENETRANDO NO ÂNGULO EXTERNAL
(B) RC PERPENDICULAR PENETRANDO NO ÂNGULO EXTERNAL
(C) RC PERPENDICULAR PENETRANDO ENTRE O MANÚBIO E O APÊNDICE XIFÓIDE
(D) RAIO CENTRAL COM 25º DE INCLINAÇÃO PODÁLICA, PENETRANDO NO ÂNGULO EXTERNAL
(E) RAIO CENTRAL PERPENDICULAR INCIDINDO NO APÊNDICE XIFÓIDE

800 – NA UROGRAFIA SERIADA COM “WASH OUT”, TEMOS COMO OBJETIVO:


(A) ESTUDO MORFOLÓGICO DOS RINS
(B) ESTUDO FUNCIONAL DOS RINS
(C) DIFERENCIAR TUMOR DE CISTO RENAL
(D) ESTUDO DE TUMORES DA BEXIGA
(E) ESTUDO FUNCIONAL DA URETRA
GABARITO:

801 – C
ATENÇÃO:
AS PERGUNTAS DE NÚMERO 801 A 808 REFEREM-SE AO ENUNCIADO ABAIXO: 802 – A
UMA RADIOGRAFIA DE UM OBJETO DE 20 cm DE ESPESSURA FOI FEITA COM 100 mA, 1 SEGUNDO,
50 KV, DISTÂNCIA FO-FI DE 1 m, ECRANS E FILME EM CHASSE 30 X 40 DE SENSIBILIDADE
MÉDIA, COM GRADE DE 10:1
NAS PERGUNTAS ABAIXO DESEJAMOS OBTER RADIOGRAFIAS SEMELHANTES:

801 – QUANDO SE AUMENTA A DISTÂNCIA Fo-Fi PARA 2m DEVE-SE USAR:


(A) 200mAS
(B) 100 KV
(C) 400mAS
(D) 75 KV
(E) TEMPO DE 2’’

802 – QUANDO A ESPESSURA DO OBJETO AUMENTA PARA 30 cm DEVE-SE USAR:


(A) 200 mAS e 70 KV
(B) DISTÂNCIA Foco - Filme DE 50 cm E 54 KV
(C) 200 mAS E 60 KV
(D) TEMPO DE 3’’ E 60KV
(E) GRADE 5:1 E 200 mAS
GABARITO:

803 – C
803 – QUANDO SE DIMINUI A DISTÂNCIA Fo-Fi PARA 50 cm DEVE-SE USAR:
(A) 50 mA 804 – A
(B) TEMPO DE 0,5”
(C) 34 KV 805 - A
(D) GRADE 6:1
(E) ECRANS DE GRADE SENSIBILIDADE

804 – QUANDO SE AUMENTA O mA PARA 200 DEVE-SE USAR:


(A) TEMPO DE 0,5”
(B) 45 KV
(C) TEMPO DE 0,75”
(D) DISTÂNCIA F o-F i DE 75 cm
(E) KV

805 – QUANDO SE DIMINUI O TEMPO PARA O,5” DEVE-SE USAR:


(A) FILME DE GRANDE SENSIBILIDADE
(B) ECRANS DE BAIXA SENSIBILIDADE
(C) GRADE 5:1
(D) 400 mA
(E) 55KV
GABARITO:

806 – C
806 - QUANDO SE DIMINUI O KV PARA 40 DEVE-SE USAR:
(A) 800 mA 807 – E
(B) TEMPO DE 1,5”
(C) DISTÂNCIA F o-F i DE 75 cm 808 - D
(D) GRADE 12:1
(E) FILME DE BAIXA SENSIBILIDADE

807 – QUANDO SE ANGULA O RAIO CENTRAL DE 45º EM RELAÇÃO AO OBJETO EVE-SE USAR:
(A) 55KV
(B) 65 KV
(C) TEMPO DE 1,5”
(D) 300mA
(E) 200mAS

808 – QUANDO A REGIÃO ESTIVER RECENTEMENTE GESADA DEVE-SE USAR:


(A) 400 mAS
(B) 60 KV
(C) 200 mA
(D) 64 KV
(E) 70 KV
GABARITO:

809 – D
809 – NO ESTUDO DAS MASTÓIDES, A PROJEÇÃO QUE SE PEDE AO PACIENTE PARA PRONUNCIAR A
VOGAL “A” É: 810 – D
(A) CHAUSSÉ I
(B) CHAUSSÉ II 811 - A
(C) CHAUSSÉ III
(D) CHAUSSÉ IV
(E) CHAUSSÉ V

810 – OS TERMOS A SEGUIR ESTÃO TODOS RELACIONADOS COM AS ESTRUTURAS


PERTENCENTES AO CRÂNIO, EXCETO O DA ALTERNATIVA:
(A) LÂMINAS CRIVOSAS
(B) LINHA INOMINADA
(C) PROCESSO ESTILIÓIDE
(D) PROCESSO CORACÓIDE
(E) PROCESSOS CRINÓIDES

811 – COM OBJETIVO DE DOCUMENTAR A BASE DO CRÂNIO, O HIRTZ DEVE SER EXECUTADO COM
O RC INCIDINDO PERPENDICULARMENTE A LHA E PENETRANDO NO:
(A) TERÇO MÉDIO
(B) TERÇO ANTERIOR DO CRÂNIO
(C) TERÇO POSTERIOR DO CRÂNIO
(D) ESPAÇO ENTRE O TERÇO MÉDIO E POSTERIOR DO CRÂNIO
(E) CENTRO DO CONDUTO AUDITIVO EXTERNO
GABARITO:

812 – B
812 – EM RESSONÂNCIA MAGNÉTICA, TEMOS UM VALOR REPRESENTATIVO DA DENSIDADE
PROTÔNICA QUE PARA A SUBSTÂNICA BRANCA É: 813 – A
(A) 10,0
(B) 11,0 814 - A
(C )10,9
(D) 10,5
(E) 12.0

813 – OS MOVIMENTOS QUE AS ARTICULÇÕES TROCÓIDES PERMITEM SÃO:


(A) ROTATÓRIO
(B) FLEXÃO E EXTENSÃO
(C) CIRCUNDUÇÃO, FLEXÃO E EXTENSÃO
(D) ABDUÇÃO, ADUÇÃO E CIRCUNDUÇÃO
(E) FLEXÃO E FLEXÃO

814 – A INFORMAÇÃO QUE NÃO SE VINCULA À REALIDADE É:


(A) AS CÉLULAS REPRODUTORAS MASCULINAS EM RELAÇÃO ÀS FEMININAS POSSUEM UMA
SENSIBILIDADE QUATRO VEZES MENOR À RADIAÇÃO X
(B) OS FILMES POSSUEM A MESMA SENSIBILIDADE ÀS LUZES DE SEGURANÇA, ANTES E APÓS
TEREM SIDO EXPOSTOS ÀS ONDAS X COM ECRANS FLUORESCENTES
(C) AS CAPAS ENFOCADORAS NA AMPOLA DE RAIOS X POSSUEM CARGA ELÉTRICA POSITIVA
(D) A CARGA HORÁRIA SEMANAL DO TÉCNICO EM RADIOLOGIA É DE 30 HORAS
(E) O DISPARADOR NO APARELHO TRANSPORTÁVEL DEVE SER FIXO AO COMANDO
GABARITO:

815 – A
815 – NO PROCESSO BREMSTRAHLUNG,QUANDO O ELÉTRON PERDE TODA SUA ENERGIA NUMA
SIMPLES COLISÃO,PRODUZINDO UM QUANTUM X DE MÁXIMA ENERGIA,CONSIDERAMOS
816 – C
OEVENTO:
(A) RARO 817 - A
(B) MUITO COMUM
(C) QUE NUNCA OCORRE
(D) RELATIVAMENTE COMUM
(E) INEXISTENTE

816 – A DOSAGEM DE 0,4 R É A MÁXIMA PERMITIDA AO PROFISSIONAL PARA UM PERÍODO DE


TEMPO DE:
(A) UMA SEMANA
(B) SEIS MESES
(C) UM MÊS
(D) UM DIA
(E) UMA HORA

817 – INDIQUE OS WATTS QUE NÃO É APROPRIADA PARA UMA LÂMPADA DE SEGURANÇA, NA
CÂMARA ESCURA, SEGUNDO BOISSON:
(A) 15 WATTS
(B) 10 WATTS
(C) 8,0 WATTS
(D) 6,5 WATTS
(E) 100 WATTS
GABARITO:

818 – D
818 – A ALTERNATIVA QUE CONTÉM DADOS INCORRETOS É:
(A) NA PROJEÇÃO DE THOMS, O TRONCO DA PACIENTE DEVE FAZER UM ÂNGULO DE 55 GRAUS819 – D
COM O PLANO DA MESA
(B) PARA SE FAZER O ENEMA OPACO NO QUADRO DE ABDOME AGUDO, DEVEMOS UTILIZAR820 O - A
SEGUINTE: 50% DE ÁGUA E 50% DE SULFATO DE BÁRIO, SEM INJETAR OU FAZER LAVAGEM
(C) TOWNE, BRETTON, ALTSCHUL, WOMS SÃO DENOMINAÇÕES DE UMA MESMA PROJEÇÃO
(D) A TÉCNICA DE HODKINSON TEM POR OBJETIVO PESQUISAR ÚLCERA PERFURADA
(E) A INCIÊNCIA DE STECHER VISA O ESTUDO DO DERRAME PLEURAL

819 – A FUNÇÃO QUE NÃO PERTENCE AO SISTEMA ESQUELÉTICO É:


(A) ARMAZENAR CÁLCIO
(B) PRODUZIR CÉLULA DO SANGUE
(C) SUSTENTAR E PROTEGER O CORPO
(D) REGULAR A COMPOSIÇÃO QUÍMICA DO SANGUE
(E) INTEGRAR A PARTE MECÂNICA DOS MOVIMENTOS ARTICULARES

820 – A PROJEÇÃO RADIOLÓGICA, QUE TEM POR META DOCUMENTAR A VESÍCULA BILIAR,
ESTANDO O PACIENTE EM DECÚBITO LATERAL DIREITO COM RAIOS HORIZONTAIS, É
CONHECIDA COMO:
(A) INCIDÊNCIA DE KIRKLIN
(B) INCIDÊNCIA DE HICHMORE
(C) INCIDÊNCIA DE FIRIMANN-DAHL
(D) INCIDÊNCIA DE FELIX VON RANKE
(E) INCIDÊNCIA DE TOWNER
GABARITO:

821 – D
821 – ENTRE OS OUTROS ACONTECIMENTOS , QUANDO MODIFICAMOS A DFF DE 1 METRO PRA 80
cm, TEMOS A SEGUINTE SITUAÇÃO: 822 – C
(A) A IMAGEM É DISCRETAMENTE REDUZIDA
(B) O GRAU DE PENUNBRA NÃO SE ALTERA 823 - E
(C) INTENSIFICA-SE A NITIDEZ DA IMAGEM
(D) REDUZI-SE A NITIDIZ DA IMAGEM
(E) MATEMÁTICAMENTE NADA SE ALTERA

822 – A ASSERÇÃO INFUNDADA É:


(A) OS TUBOS DE ONDAS X, UTILIZADOS NO RADIODIAGNÓSTICO CONVENCIONAL, POSSUEM UMA
ANGULAÇÃO DE APROXIMADAMENTE 16º
(B) DENTRO DE UM TUBO DE FÓTONS X, A TEMPERATURA PODE OSCILAR ENTRE 2.200 º E 2.800º.
(C) O ANODO NÃO FIXO DE UM TUBO PARA DIAGNÓSTICO GIRA NA FAIXA DE 1.200 A 3.000 rpm
(D) NÃO É MAIS PERMITIDO O USO DE CONES COMO COLIMADORES NOS APARELHOS DE RAIOS X
(E) OS RAIOS X CAMINHAM EM LINHA RETA

823 – QUE ACIDENTES ANATÔMICOS DA ESCÁPULA SE ARTICULA COM A EXTREMIDADE LATERAL


DA CLAVÍCULA?
(A) CAVIDADE GLENÓIDE
(B) PROCESSO CORACÓIDE
(C) ESPINHA DA ESCÁPULA
(D) INCISURA DA ESCÁPULA
(E) ACRÔMIO
GABARITO:

824 – E
824 – O PORUS ACUSTICUS INTERNUS LOCALIZA-SE NO:
(A) FRONTAL 825 – C
(B) FÊMUR
(C) TALUS 826 - A
(D) INTESTINO GROSSO
(E) ROCHEDO

825 – SÃO CARTILAGENS PERTENCENTES AO LARINGE:


(A) CRICÓIDE, ARITENÓIDE E MASTÓIDE
(B) CRICÓIDE, ARITENÓIDE E NASAL
(C) CRICÓIDE, TIREÓIDE E ARITENÓIDE
(D) CRICÓIDE, TIREÓIDE E IÓIDEA
(E) CRICÓIDE, TERÓIDE E AURICULAR

826 – AS INCIDÊNCIAS DE ROTINA PARA PÉ(ANTEPÉ) SÃO:


(A) DORSOPLANTAR (AP) E OPI
(B) DORSOPLANTAR(AP) E PERFIL
(C) DORSOPLANTAR (AP) E AXIAL
(D) DORSOPLANTAR (AP) E OPE
(E) PERFIL E OPE
GABARITO:

827 – B
827 – A VEGETAÇÃO ADENÓIDE LOCALIZA-SE:
(A) NO LARINGE 828 – A
(B) NA RINOFARINGE
(C) NA OROFARINGE 829 - B
(D) NA TRAQUEIA
(E) NO ESTÔMAGO

828 - QUE ACIDENTE ÓSSEO DO OSSO DO QUADRIL SE ARTICULA COM A CABEÇA DO FÊMUR?
(A) FOSSA DO ACETÁBULO
(B) ESPINHA ÍLIACA ÂNTERO-SUPERIOR
(C) FORAME OBTURADO
(D) TUBÉRCULO PÚBICO
(E) CRISTA ILÍACA

829 - A FABELA É MELHOR VISUALIZADA:


(A) AP DA COLUNA CERVICAL
(B) NO PERFIL DE JOELHO
(C) NO AP DE TORNOZELO
(D) AXIAL DE CALCÂNEO
(E) PERFIL DE TORNOZELO
GABARITO:

830 – D
830 – O CONTRASTE USADO DE UMA FLEBOGRAFIA É:
(A) SULFATO DE BÁRIO 831 – C
(B) CO 2
(C) PROTOXIDO DE AZÔTO 832 - B
(D) IODADO HIDROSSOLÚVEL
(E) IODADO HIPOSSOLÚVEL

831 – O CONTRASTE IODADO HIDROSSOLÚVEL É:


(A) ARTIFICIAL NEGATIVO
(B) NATURAL NEGATIVO
(C) ARTIFICIAL POSITIVO
(D) NATURAL POSITIVO
(E) N.R.A

832 – A MANOBRA DE VALSALVA É INDICADA QUANDO FAZEMOS EXAME DO:


(A) SEIO ESFENOIDAL
(B) CAVUM
(C) SACRO
(D) PÉ
(E) MEDIASTINO
GABARITO:

833 – C
833 – OS RINS SÃO ÓRGÃOS:
(A) INTRATORÁCICOS 834 – C
(B) INTRAPÉLVICOS
(C) RETROPERITONIAIS 835 - C
(D) INTRAPERITONIAIS
(E) MEDIASTINOS

834 – OS URETERES UNEM:


(A) A BEXIGA A URETRA
(B) A URETRA AO RIM
(C) O RIM A BEXIGA
(D) O RIM A VESÍCULA BILIAR
(E) A BEXIGA A VESÍCULA BILIAR

835 – OS TESTÍCULOS ESTÃO LOCALIZADOS:


(A) NO ABDOME
(B) NA PELVE
(C) NA BOLSA ESCROTAL
(D) NO TÓRAX
(E) NA REGIÃO CERVICAL
GABARITO:

836 – B
836 – O EXAME RADIOLÓGICO CONTRASTADO DE UM SEGMENTO VENOSO CHAMA-SE:
(A) LINFOANGIOGRAFIA 837 – E
(B) FLEBOGRAFIA
(C) DUCTOGRAFIA 838 - C
(D) ARTERIOGRAFIA
(E) COLECISTOCOLANGIOGRAFIA

837 – O FORAME ÓPTICO LOCALIZA-SE:


(A) NO FRONTAL
(B) NO TEMPORAL
(C) NO ETMÓIDE
(D) NO OCCIPITAL
(E) NO ESFENÓIDE

838 – A REGIÃO ALVEOLAR PERTENCE AOS OSSOS:


(A) TEMPORAL E MAXILA
(B) MANDIBULA E TEMPORAL
(C) MANDIBULA E MAXILA
(D) MANDIBULA E FRONTAL
(E) MAXILA E FRONTAL
GABARITO:

839 – A
839 – O BRONQUIO FONTE ESQUERDO É:
(A) MAIS HORIZONTALIZADO 840 – A
(B) MAIS VERTICALIZADO
(C) MAIS CALIBROSO QUE A TRAQUEIA 841 - B
(D) LOCALIZA-SE NO HIPOCÔNDRIO DIREITO
(E) UNE-SE AO CANAL CÍSTICO PARA FORMAR O CANAL COLÉDOCO

840 – A SECREAÇÃO EXÓCRINA E ENDÓCRINA DO PÂNCREAS, SÃO RESPECTIVAMENTE:


(A) SUCO PRANCREÁTICO E INSULINA
(B) GLICOGÊNIO E INSULINA
(C) INSULINA E SUCO PANCERÁTICO
(D) INSULINA E BILE
(E) BILE E GLICOGÊNIO

841 – PARA UM ESTUDO RADIOLÓGICO PRELIMINAR, SIMPLES DA CARINA, PODEMOS FAZER:


(A) AP DE COLUNA CERVICAL
(B) PA LOCALIZADO DE MEDIASTINO, PENETRADO
(C) AP LOCALIZADO DO MEDIASTINO, PENETRADO
(D) PA DE TÓRAX EM INSPIRAÇÃO MÁXIMA
(E) PERFIL DE CAVUM USANDO MANOBRA DE VALSALVA
GABARITO:

842 – B
842 – A CURVATURA FISIOLÓGICA APRESENTADA PELA COLUNA LOMBAR É CONHECIDA COMO:
(A) CIFOSE 843 – A
(B) LORDOSE
(C) EM FORMA DE S 844 - C
(D) NÃO APRESENTA CURVATURA
(E) EM FORMA DE “C” INVERTIDO

843 – SÃO OSSOS QUE PERTENCEM AO CRÂNIO:


(A) FRONTAL, OCCIPITAL E TEMPORAL
(B) FRONTAL, ESFENÓIDE E MANDIBULA
(C) FRONTAL, TEMPORAL E ZIGOMÁTICO
(D) ETMÓIDE, PARIETAL E VÔMER
(E) ESFENÓIDE, FRONTAL E LACRIMAL

844 – HIPÓFISE ESTÁ LOCALIZADA NO OSSO:


(A) FRONTAL
(B) ETMÓIDE
(C) ESFENÓIDE
(D) TEMPORAL
(E) OCCIPITAL
GABARITO:

845 – D
845 – MIELOGRAFIA É O EXAME RADIOLÓGICO CONTRASTADO:
(A) DA AORTA 846 – E
(B) DO COLÉDOCO
(C) DO INTESTINO GROSSO 847 - B
(D) DO CANAL RAQUEANO
(E) DO DUODENO

846 – O TERMO SUPINAÇÃO SE REFERE AO:


(A) MOVIMENTO DE ROTAÇÃO PARA A POSIÇÃO OPOSTA À ANATÔMICA
(B) MOVIMENTO DE AFASTAMENTO DO BRAÇO OU DA PERNA EM RELAÇÃO AO CORPO
(C) MOVIMENTO DE EXTERNSÃO DO BRAÇO OU DA PERNA
(D) MOVIMENTO DE APROXIMAÇÃO DO BRAÇO OU DA PERNA EM RELAÇÃO AO CORPO
(E) MOVIMENTO DE ROTAÇÃO DA MÃO PARA A POSIÇÃO ANATÔMICA

847 – O CONTRASTE UTILIZADO EM UMA ESOFAGOGRAFIA COM SUSPEITA DE PERFURAÇÃO DE


ESÔFAGO É:
(A) SULFATO DE BÁRIO
(B) IODO
(C) CO 2
(D) AR
(E) PROTOXIDO DE AZOTO
GABARITO:

848 – E
848 – O CONTRASTE UTILIZADO EM UMA FISTULOGRAFIA É:
(A) PROTOXIDO DE AZOTO 849 – B
(B) SULFATO DE BÁRIO
(C) CO 2 850 - D
(D) AR
(E) IODO

849 – NO EXAME DE UROGRAFIA EXCRETORA É RECOMENDÁVEL, PARA MULHERES EM IDADE


FERTIL:
(A) NÃO FAZER O EXAME
(B) QUE ELE SEJA MARCADO ENTRE O 1º E 10º DIA DO CICLO MENSTRUAL
(C) QUE NÃO SEJA FEITO NENHUM PREPARO
(D) QUE O CONTRASTE USADO SEJA A BASE DE BÁRIO
(E) QUE A PACIENTE FAÇA INGESTÃO DE MUITO LÍQUIDO

850 – O CONTRASTE USADO NO EXAME RADIOLÓGICO DE URETROCISTOGRAFIA É:


(A)SULFATO DE BÁRIO
(B) CO 2
(C) PROTÓXIDO DE AZÔTO
(D) IODADO
(E) AR
GABARITO:

851 – B
851 – O CONTRASTE UTILIZADO NA CINEANGIOCORONÁRIOGRAFIA É:
(A) SULFATO DE BÁRIO 852 – C
(B) IODADO HIDROSSOLÚVEL
(C) IODADO LIPOSSOLÚVEL 853 - A
(D) CO 2
(E) PROTÓXIDO DE AZÔTO

852 – A HISTEROSALPIONOGRAFIA ESTUDA:


(A) TROMPAS E OVÁRIOS
(B) ÚTERO E OVÁRIOS
(C) ÚTERO E TROMPAS
(D) TROMPAS E BEXIGA
(E) URETRA E ÚTERO

853 – NA INCIDÊNCIA DE AP DE COLUNA CERVICAL, O RAIO CENTRAL INCIDE:


(A) NA CARTILAGEM TIREÓIDE DO LARINGE
(B) NO MENTO
(C) AO NÍVEL DA 1º VERTEBRA CERVICAL
(D) NA GLABELA
(E) NO C.A.E.
GABARITO:

854 – C
854 – O TUBÉRCULO MAIOR E TUBÉRCULO MENOR SÃO ACIDENTES ANATÔMICOS DO:
(A) FÊMUR 855 – B
(B) RÁDIO
(C) ÚMERO 856 - C
(D) TÁLUS
(E) SACRO

855 - O NÚMERO DE HEMÁCIAS ENCONTRADAS, NORMALMENTE, POR mm³ NO HOMEM É:


(A) 4.500.000
(B) 5.000.000
(C) 5.000
(D) 500.000
(E) 50.000

856 –OS SEIOS COSTO-FRÊNICOS FICAM LOCALIZADOS:


(A) NO ÁPICE PULMONAR
(B) NO HILO PULMONAR
(C) NA BASE DO PULMÃO
(D) NO MEDIASTINO
(E) ABAIXO DO DIAFRAGMA
GABARITO:

857 – B
857 – A CÓCLEA OU CARACOL É UMA ESTRUTURA PERTENCENTE AO SIATEMA AUDITIVO
LOCALIZADA 858 – A
(A) NO OUVIDO EXTERNO
(B) NO OUVIDO INTERNO 859 - A
(C) NO OUVIDO MÉDIO
(D) NO PROCESSO MASTÓIDE
(E) NA REGIÃO ESCAMOSA

858 – PARA ESTUDO RADIOLÓGICO DO CALCÂNEO ONDE A INDICAÇÃO É ESPORÃO A ROTINA É:


(A) PERFIL
(B) PERFIL E AXIAL
(C) AXIAL
(D) PERFIL E AP
(E) PERFIL E PA

859 – A ROTINA RADIOLÓGICA PARA ESTUDO DOS ARCOS COSTAIS INFRA DIAFRAGMÁTICOS É:
(A) AP E PERFIL
(B) AP E OBLÍQUA
(C) OBLÍQUA E AXIAL
(D) PA E PERFIL
(E) OAE E OAD
GABARITO:

860 – C
860 – DAS INCIDÊNCIAS ABAIXO, POSSIBILITA UMA MELHOR AVALIAÇÃO DO SIGMÓIDE DE UM
ENEMA OPACO: 861 – C
(A) AXIAL AP COM ANGULAÇÃO CEFÁLICA DO RAIO CENTRAL DE 15º A 25 º
(B) AXIAL AP COM ANGULAÇÃO CAUDAL DO RAIO CENTRAL DE 30 º A 40 º 862 - C
(C) AXIAL AP COM ANGULAÇÃO CEFÁLICA DO RAIO CENTRAL DE 30º A 40º
(D) AXIAL AP COM ANGULAÇÃO CAUDAL DO RAIO CENTRAL DE 15 º A 25 º
(E) AXIAL AP COM ANGULAÇÀO CAUDAL DO RAIO CENTRAL DE 45º A 55º

861 – A COLANGIOGRAFIA É UM EXAME RADIOLÓGICO CONTRASTADO DE:


(A) ESTÔMAGO
(B) INTESTINO GROSSO
(C) VIAS BILIARES
(D) DAS GLÂNDULAS SALIVARES
(E) DOS RINS

862 – QUANDO FAZEMOS O PERFIL DA COLUNA CERVICAL COM A DISTÂNCIA DE 1 METRO, TEMOS:
(A) IMAGEM NORMAL
(B) IMAGEM COM MUITO DETALHE
(C) IMAGEM AMPLIADA
(D) REDUÇÃO DA IMAGEM
(E) OPÇÃO B E D ESTÃO CORRETAS
GABARITO:

863 – D
863 – SE NÃO FIZERMOS O PERFIL DA COLUNA EM TELERADIOGRAFIA, TEREMOS UMA IMAGEM
AMPLIADA DA COLUNA PORQUE... 864 – E
(A) TELERADIOGRAFIA CORRESPONDE A DISTÂNCIA DE 1 METRO
(B) A DISTÂNCIA FOCO-FILME É IGUAL OU SUPERIOR A 1,5 METRO 865 - C
(C) A DISTÂNCIA FOCO-FILME É GRANDE
(D) A DISTÂNCIA OBJETO-FILME É GRANDE
(E) A DISTÂNCIA OBJETO-FILME É MÍNIMA

864 – A SUBSTÂNCIA CONTIDA NO FIXADOR, QUE DISSOLVE A PRATA NÃO REDUZIDA EM UM FILME
TORNANDO TRANSPARENTE A PELÍCULA NA ÁREA NÃO IRRADIADA CHAMA-SE:
(A) ALÚMEM DE CROMO
(B) ÁCIDO ACÉTICO GLACIAL
(C) ÁGUA
(D) SULFITO DE SÓDIO
(E) HIPOSSULFITO DE SÓDIO

865 – NA INCIDÊNCIA PARA ESTUDO DO MÉDIO-PÉ O RAIO CENTRAL DEVERÁ INCIDIR COM UMA
INCLINAÇÃO DE:
(A) 10º PODÁLICOS
(B) 5º PODÁLICOS
(C) 5º CEFÁLICOS
(D) 15ºCEFÁLICOS
(E) 25º PODÁLICOS
GABARITO:

866 – B
866 – A ORTOPANTOMOGRAFIA É A RADIOGRAFIA PANORÂMICA DA:
(A) BACIA 867 – C
(B) ARCADA DENTÁRIA
(C) COLUNA VERTEBRAL 868 - B
(D) ARTICULAÇÃO ESCAPULOUMERAL
(E) COLUNA

867 – A ÚNICA POSIÇÃO DE CORTE POSSÍVEL, NO EXAME DE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA


DE TÓRAX, É:
(A) CORONAL
(B) SAGITAL
(C) AXIAL
(D) OBLÍQUA
(E) SEMI-SAGITAL

868 – DIZ-SE QUE UM MATERIAL É MAIS RADIOPACO QUE OUTRO QUANDO POSSUI:
(A) MENOR COEFICIENTE DE ATENUAÇÃO LINEAR
(B) MAIOR COEFICIENTE DE ATENUAÇÃO LINEAR
(C) MENOR NITIDEZ
(D) MAIOR NITIDEZ
(E) MENOR NÚMERO ATÔMICO
GABARITO:

869 – B
869 – UM OBJETO RETO, MEDINDO 20 CM DE COMPRIMENTO, 5 CM DE LARGURA DE 1 CM DE
ALTURA, FOI RADIOGRAFADO. A RADIOGRAFIA MOSTROU VALORES DE COMPRIMENTO870 E – B
LARGURA PRATICAMENTE IDÊNTICOS. AS PROVÁVEIS DFF E DOF UTILIZADAS FORAM,
RESPECTIVAMENTE: 871 - A
(A) MÍNIMA E MÁXIMA
(B) MÁXIMA E MÍNIMA
(C) MÍNIMA E MÍNIMA
(D) MÁXIMA E MÁXIMA
(E) NRA

870 – A DISTÂNCIA FoFi (FOCO-FILME) NO EXAME EM PA DE MÃO É:


(A) 0,8 m
(B) 1,0 m
(C) 1,5 m
(D) 1,8 m
(E) 2,0 m

871 – PARA SE OBTER O PERFIL DA COLUNA TORÁCICA, PODEMOS UTILIZAR A TÉCNICA DO “FLOW
CINÉTICO”, QUE É OBTIDA COM O PACIENTE EM:
(A) MOVIMENTAÇÃO RESPIRATÓRIA E TEMPO DE EXPOSIÇÃO LONGO
(B) APNÉIA E COM TEMPO DE EXPOSIÇÃO CURTO
(C) MOVIMENTAÇÃO RESPIRATÓRIA E TEMPO DE EXPOSIÇÃO CURTO
(D) MOVIMENTAÇÃO PENDULAR E TEMPO DE EXPOSIÇÃO LONGO
(E) APNÉIA E TEMPO DE EXPOSIÇÃO LONGO
GABARITO:

872 – E
872 – A MELHOR INCIDÊNCIA PARA ESTUDO DE ARCO DUODENAL COM DUPLO CONTRASTE É:
(A) EM AP 873 – A
(B) EM PERFIL
(C) DE CHAOUL 874 - D
(D) DE SCHATZKI
(E) DE HAMPTON

873 – OS RAIOS MOLES SE SITUAM ENTRE:


(A) 30 E 50 KV
(B) 070 E 100 KV
(C) 100 E 130 KV
(D) 150 E 170 KV
(E) 200 E 250 KV

874 – O ESTUDO CONTRASTADO DA BEXIGA QUE NÃO AVALIA SEU ESTUDO FUNCIONAL É A:
(A) CISTOURETROGRAFIA
(B) URETROGRAFIA
(C) UROGRAFIA EXCRETORA
(D) CISTOGRAFIA RETRÓGRADA
(E) CISTOGRAFIA MICCIONAL
GABARITO:

875 – A
875 – O ÂNGULO FORMADO ENTRE O TRONCO DO PACIENTE E O PLANO DA MESA NA PROJEÇÃO
DE THOMS VARIANTE É DE APROXIMADAMENTE: 876 – D
(A) 60 º
(B) 55 º 877 - C
(C) 50 º
(D) 45 º
(E) 53º

876 – INDIQUE A INFORMAÇÃO INCORRETA:


(A) ATEMPERATURA EM UMA CÂMARA ESCURA DEVE ESTAR EM TORNO DE 20 ºC
(B) O ÁCIDO ACÉTICO GLACIAL É UM COMPONENTE QUÍMICO DO FIXADOR
(C) OS ECRANS REFORÇADORES TERRAS RARAS EMITEM LUMINOSIDADE DE CÔR VERDE
(D) NA REALIDADE, A POTÊNCIA DE UMA LÂMPADA DE SEGURANÇA, A SUA DISTÂNCIA EM
RELAÇÃO À SUPERFÍCIE DE TRABALHO E O FILTRO A SER UTILIZADO, DEPENDEM DA
RECOMENDAÇÃO DO FABRICANTE DO FILME
(E) SULFITO DE SÓDIO É SUBSTÂNCIA COMPONENTE DA SOLUÇÃO REVELADORA

877 – NO MOMENTO DA EXPOSIÇÃO, PARA FAZERMOS O AP DE ABDOME, O PACIENTE DEVERÁ


ESTAR EM:
(A) MOVIMENTO RESPIRATÓRIO NORMAL
(B) APNÉIA INSPIRATÓRIA
(C) APNÉIA EXPIRATÓRIA
(D) EM APNÉIA
(E) AS OPÇÕES A E D ESTÃO CORRETAS
GABARITO:

878 – B
878 – ASSINALE A AFIRMATIVA INCORRETA:
(A) NO PERFIL DE ANTEBRAÇO A MÃO TEM QUE ESTAR EM PERFIL 879 – A
(B) A INCIDÊNCIA DE STECHER ESTUDA PRINCIPALMETNE O PSIFORME
(C) A INCIDÊNCIA DE PERFIL DE TORNOZELO, PÉ/ PERNA TEM QUE FAZER UM ÂNGULO DE 90º
880 - D
(D) A FABELA APRESENTA-SE NA FACE POSTERIOR DO JOELHO
(E) ENCONTRAMOS SESAMÓIDES AO NIVEL DA ARTICULAÇÃO DO HALLUX COM O 1º
METATARSIANO

879 – ASSINALE A AFIRMATIVA CORRETA:


(A) OROTOSTASE É O MESMO QUE BIPEDESTAÇÃO
(B) NÃO É NECESSÁRIO COLIMAÇÃO NOS EXAMES RADIOLÓGICOS
(C) O FILTRO NORMALMENTE USADO NA JANELA DO TUBO PARA EXAMES GERAIS É DE 2mm DE
COBRE
(D) A INCIDÊNCIA DE CHAUSSÉ III ESTUDA OSSÍCULOS
(E) GAYNER-HEART VISA O ESTUDO DO OSSO VOMER

880 – QUANDO O NUMERADOR APARECE EM UMA INDÊNCIA DE PERFIL DE TÓRAX NA FACE


POSTERIOR DO PACIENTE, RESGUARDADO OS PARÂMENTROS DE CONVENÇÃO DE
COLOCAÇÃO DE NUMERADOR, ESTAMOS FAZENDO:
(A) PERFIL ESQUERDO
(B) PERFIL EXPIRADO
(C) PERFIL INSPIRADO
(D) PERDIL DIREITO
(E) PERFIL ESQUERDO COM O PACIENTE EM DECUBITO DORSL E RAIO CENTRAL HORIZONTAL
GABARITO:

881 – B
881 – NAS INCIDÊNCIAS DE OBLÍQUA A COLOCAÇÃO DO NUMERADOR (IDENTIFICAÇÃO)É FEITA
TENDO COMO REFERENCIAL: 882 – C
(A) O CHASSIS
(B) O TUBO DE RAIOS (PERCURSO DO RAIO CENTRAL) 883 - B
(C) A MESA
(D) NÃO EXISTE REFERENCIAL
(E) AS OPÇÒES A E D ESTÃO CERTAS

882 – UM PACIENTE COM O MEMBRO INFERIOR DIREITO AMPUTADO NA DIÁFISE DO FÊMUR É


LEVADO AO RAIOS X PARA RADIOGRAFAR O COTO, QUANDO DA REALIZAÇÃO DA INCIDÊNCIA
DE PERFIL DEVEMOS ATENTAR PARA:
(A) QUE O ÂNGULO PERNA COXA SEJA DE 90º
(B) QUE O RC INCIDA PERPENDICULARMENTE AO NÍVEL DO VÉRTICE DA PATELA
(C) QUE O NÚMERO SEJA PROJETADO ATRÁS DO PACIENTE
(D) OS VASOS SITUADOS AO NÍVEL DO PLANO CORONAL
(E) QUE O ÂNGULO COXA-PERNA SEJA DE 120º

883 – A CINEANGIOCORONÁRIOGRAFIA ESTUDA:


(A) A VASCULARIZAÇÃO ANTERIOR DO CEREBRO
(B) ARTÉRIAS E VEIAS QUE NUTREM O CORAÇÃO
(C) O SISTEMA VASCULAR DO FÍGADO
(D) OS VASOS SITUADOS AO NÍVEL DO PLANO CORONAL
(E) O SISTEMA VASCULAR QUE IRRIGA A PARTE POSTERIOR DO ENCÉFALO
GABARITO:

884 – B
884 – A VARIAÇÃO DA VOLTAGEM NA ENTRADA DE LINHA, NO APARELHO:
(A) NÃO AFETA O NÍVEL DE RADIAÇÃO PRODUZIDA 885 – D
(B) AFETA A RADIAÇÃO PRODUZIDA
(C) A ENTRADA DE LINHA ABAIXO DO IDEAL AUMENTA O NÍVEL DE RADIAÇÃO PRODUZIDA 886 - D
(D) A ENTRADA DE LINHA ACIMA DO IDEAL REDUZ O NÍVEL DE RADIAÇÃO PRODUZIDA
(E) É IRRELEVENTE, O TRANSFORMADOR REGULA AUTOMATICAMENTE A VARIAÇÃO EXISTENTE

885 – A INCIDÊNCIA DE LAWRENCE ESTUDA:


(A EPIFISE DISTAL DO ÚMERO
(B) CABEÇA DO RÁDIO
(C) ESCAFÓIDE CARPEANO
(D) CABEÇA DO ÚMERO
(E) ACETÁBULO

886 – FAZ-SE CONTACTOGRAFIA QUANDO:


(A) O ANTEBRAÇO ESTÁ COM GESSO ÚMIDO
(B) QUANDO O COTOVELO TEM LIMITAÇÃO ARTICULAR
(C) QUANDO O PACIENTE NÃO PODE FICAR EM DECÚBITO VENTRAL
(D) QUANDO O PACIENTE NÃO PODE ELEVAR AMBOS OS BRAÇOS
(E) QUANDO O PACIENTE NÃO CONSEGUE FAZER APNÉIA
GABARITO:

887 – C
887 – FAZ-SE CONTACTOGRAFIA QUANDO:
(A) NECESSITAMOS VER MELHOR A CABEÇA DO RÁDIO 888 – B
(B) QUANDO ESTUDAMOS ESPECIFICAMENTE O PSIFORME
(C) REDUZIMOS AO MÁXIMO A DISTÂNCIA FOCO- OBJETO 889 - B
(D) REDUZIMOS AO MÁXIMO A DISTÂNCIA FOCO-FILME
(E) REDUZIMOS AO MÁXIMO A DISTÂNCIA OBJETO – FILME

888 – NO ESTUDO DE ABDOME SIMPLES EM UM PACIENTE AMBULATORIAL DEVEMOS:


(A) FAZER SEM PREPARO
(B) MARCAR, PROCEDENDO UM PREPARO COM LAXATIVO
(C) FAZER COM CONTRASTE IODADO VIA ORAL
(D) FAZER COM CONTRASTE DE SULFATO DE BÁRIO VAI ORAL
(E) AS OPÇÕES A E C ESTÃO CORRETAS

889 – O TÉCNICO EM RADIOLOGIA TEM DIREITO A :


(A) FÉRIAS ANUAIS DE 30 DIAS, INACUMULÁVEIS
(B) FÉRIAS SEMENSTRAIS DE 20 DIAS, INACUMULÁVEIS
(C) CARGA HORÁRIA DE NO MÁXIMO 30 HORAS SEMANAIS
(D) CARGA HORÁRIA MÁXIMA DE 40 HORAS SEMANAIS
(E) EXECUTAR EXAMES RADIOLÓGICOS NAS ENFERMARIAS SEM USO DO AVENTAL DE BORRACHA
PLUMBÍFERA
GABARITO:

890 – B
890 – CONSIDERA-SE DESFAVORÁVEL AS PRECAUÇÕES QUANTO A ELETRICIDADE ESTÁTICA:
(A) ATERRAMENTO DA BANCADA DE CARGA E DESCARGA DE CHASSIS 891 – D
(B) PISO DA CAMARA ESCURA TODO EMBORRACHADO
(C) MANTER UMIDADE RELATIVA DO AR A 50% DE MODO TÃO ESTÁVEL QUANTO POSSÍVEL
(D) RETIRAR AS FOLHAS DE FILMES COM CUIDADO, NO MOMENTO DE CARREGAR OS CHASSIS,
EVITANDO ATRITOS
(E) NRA

891 – ASSINALE A AFIRMATIVA CORRETA:


(A) NA SALA DE EXAME, A PORTA DEVERÁ SER MANTIDA ABERTA NO MOMENTO DE REALIZAÇÃO
DO EXAME
(B) O REVESTIMENTO DE LÂMINA DE CHUMBO NA SALA DE EXAME DEVERÁ ATINGIR ALTURA
MÁXIMA DE 50 cm
(C) OS AVENTAIS DE BORRACHA PLUMBÍFERA, QUANDO USAMOS SCOPIA, DEVERÃO TER SUA
EQUIVALÊNCIA EM CHUMBO DE 2mm
(D) A PROTEÇÃO DE BORRACHA PLUMBÍFERA PARA TIREÓIDE É OBRIGATÓRIA QUANDO O
PROFISSIONAL ATUA NA RADIOSCOPIA
(E) OS DOSÍMETROS DE FILME DE USO OBRIGATÓRIO PARA O TÉCNICO EM RADIOLOGIA NO
EXERCÍCIO DE SUAS ATRIBUIÇÕES PROFISSIONAIS O PROTEGE DO FEIXE DE RADIAÇÃO
DIRETA
GABARITO:

892 – D
892 – ASSINALE A AFIRMATIVA CORRETA:
(A) É DE COMPETÊNCIA TÉCNICA OS EXAMES RADIOSCÓPICOS 893 – E
(B) QUALQUER PESSOA PODE ATUAR EM TRABALHO COM RADIAÇÃO X
(C) COM IDADE DE 16 ANOS, JÁ É PERMITIDO TRABALHAR COM RAIOS X 894 - D
(D) FORMAÇÃO ESPECÍFICA É INDISPENSÁVEL PARA ATUAR COM RAIOS X
(E) OPÇÒES B E C ESTÃO CORRETAS

893 – QUANDO FAZEMOS UM EXAME CONTRASTADO DE UM ACESSO ANÔMALO INTERLIGANDO


DUAS ESTRUTURAS ANATÔMICAS, ESTAMOS FAZENDO:
(A) UMA FLEBOGRAFIA
(B) UM CLISTER OPACO
(C) UMA SIALOGRAFIA
(D) UMA DACRIOCISTOGRAFIA
(E) UMA FISTULOGRAFIA

894 – EM UMA RADIOGRAFIA DE COLUNA LOMBAR EM OAE, ENCONTRA-SE PRESENTE A IMAGEM


DO CACHORRINHO. O ACIDENTE ANATÔMICO RESPONSÁVEL PELA FORMAÇÃO DA ORELHA
NESTA IMAGEM É:
(A) ISTMO MAIS AFASTADO DO FILME
(B) LÂMINA MAIS PRÓXIMA DO FILME
(C) PEDÍCULO MAIS AFASTADO DO FILME
(D) PROCESSO ARTICULAR SUPERIOR MAIS AFASTADO DO FILME
(E) PROCESSO CRINÓIDE ANTERIOR
GABARITO:

895 – C
895 – PARA AS RADIOGRAFIAS LOCALIZADAS NO ESTUDO CONTRASTADO DA ÁRVORE BILIAR A
REGIÃO ELEITA É : 896 – B
(A) FLANCO DIREITO
(B) HIPOGÁSTRIO 897 - D
(C) HIPOCÔNDRIO DIREITO
(D) FOSSA ILÍACA DIREITA
(E) HIPOCÔNDRIO ESQUERDO

896 – O CONTRASTE USADO NA COLANGIOGRAFIA PER-OPERATÓRIA É A BASE DE:


(A) SULFATO DE BÁRIO
(B) IODO
(C) PROTÓXIDO DE AZÔTO
(D) CO
2
(E) GADOLINIO

897 – NO EXAME RADIOLÓGICO DE TÓRAX SOLICITADO NO LEITO E FEITO EM AP ,SEM GRADE,


COM O PACIENTE SEMI-SENTADO, DEVEMOS DAR PREFERÊNCIA AO USO DA DISTÂNCIA FOCO-
FILME EM 150 CM, PORQUE COM ISSO:
(A) REDUZIRÍAMOS A DOSE PELE NO PACIENTE
(B) ELIMINARÍAMOS A POSSIBILIDADE DE UMA IMAGEM “TREMIDA”
(C) FACILITARÍAMOS A INSPIRAÇÃO DO PACIENTE
(D) REDUZIRÍAMOS A POSSIBILIDADE DA AMPLIAÇÃO DA ÁREA CARDÍACA
(E) SERÍA MELHOR EVIDENCIADA A BIFURCAÇÃO TRAQUEAL
GABARITO:

898 – B
898 – A GRADE “POTTER-BUCKY” É UTILIZADA COM A SEGUINTE FINALIDADE:
(A) DIMINUIR A QUANTIDADE DE KV 899 – B
(B) AUMENTA O DETALHE RADIOGRÁFICO
(C) DIMINUI A QUANTIDADE DO RAIOS X 900 - D
(D) AUMENTA A INTENSIDADE DO RAIOS X
(E) REFLEXÃO DOS FÓTONS DE RAIOS X

899 – PARA RADIOGRAFAR O ABDOME DE UMA PACIENTE COM 15,5cm DE ESPESSURA, SABENDO-
SE QUE O mA DO APARELHO É DE 150. O TEMPO DE EXPOSIÇÀO É DE 0,3s E A CONSTANTE
DESTE APARELHO É 26, DEVEMOS UTILIZAR OS SEGUINTES FATORES DE TÉCNICA:
(A) 45 KV E 57 mAS
(B) 57 KV E 45 mAS
(C) 57 KV E 450 mAS
(D) 75 KV E 4,5 mAS
(E) 85 KV E 45 Mas

900 - COM O OBJETIVO DE CONVERTEMOS A UNIDADE DE MEDIDA DE EXPOSIÇÃO DOS


PROFISSIONAIS EM RADIOLOGIA PARA MILISIEVERT, DEVEMOS:
(A) DIVIDIR O VALOR POR 100
(B) MULTIPLICAR O VALOR POR 100
(C) MULTIPLICAR O VALOR POR 50
(D) MULTIPLICAR O VALOR POR 10
(E) DIVIDIR O VALOR POR 10
GABARITO:

901 – C
901 – REDUZIR O VOLUME DO TECIDO IRRADIADO E REDUZIR A RADIAÇÃO DISPERSA SÃO MEIOS
DE PROTEÇÃO AO PACIENTE, ALCANÇADOS POR MEIO DE: 902 – C
(A) FILTROS ADICIONAIS
(B) FILTROS INERENTES 903 - E
(C) COLIMADORES
(D) FLUOROSCOPIA
(E) COLETES DE CHUMBO

902 – A DOSE ANUAL MÁXIMA, PERMISSÍVEL AO PROFISSIONAL QUE ATUA EM RADIOLOGIA É DE:
(A) 1 REM
(B) 100 mSv
(C) 50 mSv
(D) 5 mSv
(E) 5,5 REM

903 – SÃO UNIDADES CONVENCIONAIS DE MEDIDA DE RADIAÇÃO, EXCETO:


(A) ROENTGEN
(B) GRAY
(C) SIEVERT
(D) RAD
(E) STEMENS
GABARITO:

904 – D
904 – TODAS AS DENOMINAÇÕES ABAIXO CORRESPONDEM À MESMA LINHA, EXCETO:
(A) LINHA BASE DE REID 905 – C
(B) LINHA ANTROPOLÓGICA
(C) LINHA FRANKFURT 906 - C
(D) LINHA AURICULAR
(E) LINHA HORIZONTAL ALEMÃ

905 – UM SINTOMA PECULIAR A QUALQUER DOSE DE EXPOSIÇÃO SUPERIOR A NO MÍNIMO 100 R


APÓS UM OU DUAS HORAS É:
(A) HEMOPTISE
(B) HEMATÊMESE
(C) NÁUSEA E VÔMITOS
(D) PERITONITE GRANULOMATOSA
(E) LEUCEMIA

906 – COM A EXPOSIÇÃO A UMA DOSE DE 100 À 300 R, QUALQUER INDIVÍDUO APÓS QUATRO
SEMANAS, DESENVOLVERÁ UM AUMENTO QUANTITATIVO EM SUAS CÉLULAS IMUNOLÓGICAS,
NA QUAL DENOMINAMOS:
(A) LEUCOPENIA
(B) LEUCOCEMIA
(C) LEUCEMIA
(D) LEUPENIA
(E) LEUTOCENIA
GABARITO:

907 – E
907 – É CORRETO AFIRMAR QUE É MEIO DE PROTEÇÃO AO PACIENTE A OPÇÃO:
(A) FILTRAÇÃO DO FEIXE PRIMÁRIO 908 – B
(B) COLIMAÇÃO MÁXIMA
(C) MÍNIMA REPETIÇÃO DE EXAME
(D) BAIXOS FATORES DE EXPOSIÇÃO
(E) TODAS ESTÃO CORRETAS

908 – A MELHOR DEFINIÇÃO PARA COLIMADOR É:


(A) GRADE COM FINAS LÂMINAS DE CHUMBO CUJA FINALIADDE É EVITAR QUE A RADIAÇÃO
SECUNDÁRIA ATINJA O FILME
(B) DISPOSITIVO QUE REDUZ O FEIXE DE RADIAÇÃO AO CAMPO A SER RADIOGRAFADO
(C) SUPORTE COM FUNÇÃO DE SUSTENTAR A AMPOLA E O BUCKY VERTICAL QUANDO DA
EMISSÃO DOS RAIOS X
(D) ARMAÇÃO METÁLICA PARA PORTAR O FILME NA REVELAÇÃO MANUAL OU NO
PROCESSAMENTO AUTOMÁTICO
(E) PRESENÇA DO FILTRO DE ALUMÍNIO NA JANELA DO TUBO DE RAIOS X COM A FINALIDADE DE
RETER A RADIAÇÃO SECUNDÁRIA FORMADA DENTRO DESTE
GABARITO:

909 – E
909 – “COM A EVOLUÇÃO DOS COMPONENTES EMPREGNADOS NO CAMPO RADIOLÓGICO. OS
ECRANS REDUZIRAM CONSIDERAVELMENTE, A DOSE DE RADIAÇÃO EMPREGADA EM UM 910 – D
EXAME, POR AÇÃO DE SEUS SAIS FLUORESCENTES SOB MEIOS DE UMA DAS VÁRIAS
PROPRIEDADES DOS RAIOS X, DEVIDO ESTA PROPRIEDADE 95 % DA IMAGEM É FORMADA POR
AÇÃO DESTA FLUORESCÊNCIA E APENAS 5 % POR AÇÃO ATIVA DA RADIAÇÃO X”.COM BASE
NO DESCRITO ACIMA, PODEMOS AFIRMAR QUE:
(A) OS ECRANS NÃO INTENSIFICAM A IMAGEM
(B) OS ECRANS NÃO FLUORESCENTES SOB A AÇÃO DA RAIAÇÃO X
(C) NENHUMA DOSE PODE SER DIMINUIDA POR AÇÃO DOS ECRANS
(D) NENHUMA DOSE PELE PODE SER DIMINUIDA POR AÇÃO DOS ECRANS
(E) O TEXTO ESTÁ TOTALMENTE CORRETO

910 – A FILTRAÇÃO FORMADA PELOS COMPONENTES DO TUBO DE RAIOS X E QUE EQUIVALEM A


0,5 MM DE UM FILTRO DE ALUMÍNIO, DENOMINA-SE:
(A) FILTRAÇÃO IMINENTE
(B) FILTRAÇÃO TOTAL
(C) FILTRAÇÃO ADICIONAL
(D) FILTRAÇÃO INERENTE
(E) FILTRAÇÃO INERANTE
GABARITO:

911 – D
911 – NOS EXAMES RADIOLÓGICOS EXECUTADOS DURANTE O ATO CIRÚRGICOS DEVEMOS:
(A) COLOCAR O CHASSIS SOB A REGIÃO A SER EXAMINADA 912 – E
(B) COLOCAR APENAS A MÁSCARA CIRÚRGICA
(C) USAR O MESMO APARELHO TRAZIDO DO CTI 913 - D
(D) OBSERVAR PARA NÃO TOCAR EM REGIÕES DA SALA QUE SEJAM ESTERILIZADOS
(E) ENTRAR NA SALA DE CIRURGIA COM A MESMA ROUPA DO ATENDIMENTO AMBULATORIAL

912 – UM EXPOSIÇÀO DE 600 R , PODE SER CONSIDERADA:


(A) CÓSMICA
(B) CORPUSCULAR
(C) DE BAIXA INTENSIDADE E NÃO PREOCUPANTE
(D) DE MÉDIA INTENSIDADE, PORÉM DEVE SER MONITORADA
(E) LETAL NO CURTO PERÍODO DE DUAS SEMANAS

913 – NA INCIDÊNCIA DA MENTO-NASO O RAIO CENTRAL SAIRÁ:


(A) NO MENTO
(B) NO NASION
(C) NA GLABELA
(D) NA ESPINHA NASAL ANTERIOR
(E) NO GÔNIO
GABARITO:

914 – D
914 – O CILINDRO DE EXTENSÃO É:
(A) UM BUCKY 915 – C
(B) UMA BANDEJA
(C) UM ANÓDIO FIXO 916 - A
(D) UM COLIMADOR
(E) MEDIDOR DE ESPESSURA

915 – NA INCIDÊNCIA PARA FRONTO-NASO O RAIO CENTRAL DEVERÁ SAIR:


(A) NA ESPINHA NASAL ANTERIOR
(B) NO MENTO
(C) NA GLABELA
(D) NO NASION
(E) NO ACÂNTION

916 – NA INCIDÊNCIA PARA PERFIL DE SEIOS DA FACE O RAIO CENTRAL DEVERÁ INCIDIR:
(A) NA COMISSURA EXTERNA DA ÓRBITA
(B) NO CONDUTO AUDITIVO EXTERNO
(C) NO MENTO
(D) NO GÔNIO
(E) NO PROCESSO MASTÓIDEO
GABARITO:

917 – B
917 – NA INCIDÊNCIA DE HIRTZ COM O OBJETIVO DE ESTUDAR SEIOS PARA NASAIS, O RAIO
CENTRAL INCIDIRÁ: 918 – B
(A) 5º PODÁLICO NO MEIO DA LHA
(B) PERPENDICULAR A LHA NO 1/3 ANTERIOIR DESTA 919 - D
(C) 10ºCEFÁLICO NO 1/3 POSTERIOR DA LHA
(D) PERPENDICUILAR AO NÍVEL DA CAE
(E) PERPENDICULAR AO PLANO AMERICANO PASSANDO PELA ESPINHA NASAL ANTERIOR

918 – A INCIDÊNCIA DE RHEESE, ALÉM DE ESTUDAR O FORAME ÓPTICO SERVE COMO PROJEÇÃO
OBLÍQUA PARA ESTUDO:
(A) DA MANDÍBULA
(B) DA ÓRBITA
(C) DA ARCADA ZIGOMÁTICA
(D) DOS OSSOS PRÓPRIOS DO NARIZ
(E) DO PROCESSO ODONTÓIDE

919 – A INCIDÊNCIA DO ESTUDO RADIOLÓGICO DO ROCHEDO QUE OBJETIVA MELHOR MOSTRAR


OS OSSÍCULOS É:
(A) CHAUSSÉ II
(B) STENVERS
(C) SCHULLER
(D) GUILHEN
(E) REVERCHON
GABARITO:

920 – E
920 – NAS OBLÍQUAS DE COLUNA LOMBAR, O PLANO MEDIANO SAGITAL DEVERÁ FAZER COM O
PLANO DA MESA UM ÂNGULO DE: 921 – B
(A) 15 º
(B) 5 º 922 - C
(C) 10 º
(D) 30 º
(E) 45 º

921 – NA OBLÍQUA ANTERIOR DIREITA, PARA ESTUDO DO ESTERNO O ÂNGULO ENTRE O PLANO
CORONAL E O PLANO DA MESA DEVERÁ SER DE :
(A) 15 º
(B) 30 º
(C) 60 º
(D) 5 º
(E) 10 º

922 – A TROMPA DE EUSTÁQUIO LIGA:


(A) O ÚTERO A VULVA
(B) O OVÁRIO AO ÚTERO
(C) O OUVIDO MÉDIO A RINOFARINGE
(D) O OUVIDO MÉDIO AO LARINGE
(E) O OUVIDO INTERNO AO SEIO ETMOIDAL
GABARITO:

923 – D
923 – EM DOSE DE RADIAÇÃO, 1 RAD EQUIVALE:
(A) 10 Gy 924 – B
(B) 100 Gy
(C) 1 Gy 925 - D
(D) 0,01 Gy
(E) 0,1 Gy

924 - A ESTERILIDADE PERMANENTE OCORRE COM DOSE NAS GÔNODAS ACIMA DE:
(A) 0,01 Gy
(B) 6 Gy
(C) 0,1 Gy
(D) 1 Gy
(E) 0,5 Gy

925 – A VIDA ÚTIL DA HEMÁCIA É DE APROXIMADAMENTE :


(A) 30 DIAS
(B) 60 DIAS
(C) 240 DIAS
(D) 120 DIAS
(E) 90 DIAS
GABARITO:

926 – B
926 – O VENTRÍCULO ESQUERDO DO CORAÇÃO POSSUE DUAS VÁVULAS, SÃO ELAS:
(A) RICUSPIDE E AÓRTICA 927 – D
(B) BICUSPIDE E AÓRTICA
(C) MITRAL E VÁLVULA DA ART. PULMONAR 928 - C
(D) TRICUSPIDE E VÁVULA DA ART. PULMONAR
(E) AS OPÇÕES A E B ESTÃO CORRETAS

927 – A ESTEROTAXIA É UM PROCEDIMENTO EXECUTADO NO EXAME DA:


(A) PARÓTIDA
(B) HIPÓFISE
(C) AMIGDALA
(D) MAMA
(E) TIREÓIDE

928 – A COLUNA VERTEBRAL APRESENTA-SE DIVIDIDA EM QUANTOS SEGMENTOS?


(A) 3
(B) 4
(C) 5
(D) 6
(E) 7
GABARITO:

929 – C
929 – NO ESTUDO DO CONTRASTADO DO INTESTINO GROSSO O EXAME EXECUTADO É:
(A) SEED 930 – D
(B) TRANSITO DELGADO
(C) CLISTER OPACO 931 - C
(D) SIALOGRAFIA
(E) COLANGIOGRAFIA PELO DRENO DE KEER

930 – A ADRENALINA É UM HORMÔNIO PRODUZIDO PELA GLÂNDULA:


(A) TIREÓIDE
(B) PÂNCREAS
(C) BARTOLINI
(D) SUPRA-RENAL
(E) FÍGADO

931 – A CÉLULA QUE TEM SEU PROCESSO DE MULTIPLICAÇÃO PELA MEIOSE É:


(A) HEPATÓCITO
(B) NEFRÓCITO
(C) ESPERMATOZÓIDE
(D) NEURÔNIO
(E) CÉLULA EPTELIAL
GABARITO:

932 – E
932 – A ESTRUTURA ENCONTRADA NO NÚCLEO DA CÉLULA É:
(A) VACÚOLO DIGESTIVO 933 – E
(B) DNA
(C) RNA
(D) MITOCRÔNDRIA
(E) AS OPÇÕES B E C ESTÃO CORRETAS

933 – COM RELAÇÃO A IDENTIFICAÇÃO DA RADIOGARFIA É CORRETO AFIRMAR QUE:


(A) NO PACIENTE EM PÉ A COLOCAÇÃO DO NUMERADOR DEVE SER FEITA NA PARTE MAIS BAIXA
DO CHASSIS
(B) NO PACIENTE DEITADO, A COLOCAÇÃO DO NUMERADOR DEVE SER FEITA NA PARTE MAIS ALTA
DO CHASSIS
(C) A RADIOGRAFIA, QUANDO ESTIVER NO NEGATOSCÓPIO, DEVE MOSTRAR A IMAGEM À DIREITA
DO OBSERVADOR
(D) A COLOCAÇÃO DO NUMERADOR, QUANDO O PACIENTE ESTIVER SENTADO, É FEITA NA PARTE
MAIS BAIXA DO CHASSIS
(E) A COLOCAÇÃO DO NUMERADOR NAS INCIDÊNCIAS OBLÍQUAS ACOMPANHA A MESMA
CONVENÇÃO DA ÂNTERO-POSTERIOR E PÓSTERO-ANTERIOR.
GABARITO:

934 – C
934 - A LEUCOPENIA É:
(A) O AUMENTO DA SÉRIE BRANCA DO SANGUE 935 – E
(B) O AUMENTO DA SÉRIE VERMELHA DO SANGUE
(C) A REDUÇÃO DA SÉRIE BRANCA DO SANGUE 936 - B
(D) A REDUÇÃO DA SÉRIE VERMELHA DO SANGUE
(E) A REDUÇÃO DAS PLAQUETAS

935 – OBSERVANDO O 5 º QUIRODÁCTILO TEMOS NITÍDA DIFERENÇA ENTRE A EXTREMIDADE


DISTAL DA FALANGE DISTAL E A EXTREMIDADE PROXIMAL DA FALANGE PROXIMAL.QUANDO
RADIOGRAFAMOS EM AP:
(A) USAMOS O EFEITO ANÓDIO
(B) USAMOS TÉCNICA DE ALTA KILOVOLTAGEM
(C) USAMOS GRADE POTTER-BUCKY
(D) FAZEMOS UMA CONTACTOGRAFIA
(E) INCIDIMOS O RC PERPENDICULAR NO MEIO DA REGIÃO.

936 – PARA ESTUDARMOS OS ARCOS ZIGOMÁTICOS, BILATERALMENTE, PODEMOS FAZER:


(A) HIRTZ COM BUCKY BEM PENETRADO
(B) HIRTZ SEM BUCKY COM REGIME DE PUNHO
(C) HIRTZ COM O PACIENTE MOVIMENTANDO A MANDIBULA DURANTE A EXPOSIÇÃO
(D) PERFIL DE CRÂNIO EM ORTOSTÁTICA
(E) INCIDÊNCIA DE BELLOT
GABARITO:

937 – A
937 – NOS EXAMES REALIZADOS EM PACIENTES ACAMADOS DEVEMOS OBSERVAR PARA QUE:
(A) O DISPARADOR DO APARELHO TENHA UMA EXTENSÃO DE NO MÍNIMO 3 METROS 938 – B
(B) SEJA RETIRADO O FILTRO DE ALUMÍNIO DA JANELA DO TUBO
(C) O PACIENTE ESTEJA DORMINDO 939 - C
(D) O TÉCNICO ESTEJA NA DIREÇÃO DA EMISSÃO DE RAIOS X
(E) O ACOMPANHANTE ESTEJA AO LADO DO PACIENTE SEM AVENTAL PLUMBIFERO

938 – OS ARCOS COSTAIS DIVIDEM-SE EM:


(A) 7 PARES VERDADEIROS, 2 PARES FALSOS E 3 PARES FLUTUANTES
(B) 7 PARES VERDADEIROS, 3 PARES FALSOS E 2 PARES FLUTUANTES
(C) 3 PARES VERDADEIROS, 7 PARES FALSOS E 2 PARES FLUTUANTES
(D) 3 PARES VERDADEIROS, 2 PARES FALSOS E 3 PARES FLUTUANTES
(E) 7 PARES VERDADEIROS, 2 PARES FALSOS E 2 FLUTUANTES

939 – O HÂMULO DO HAMATO LOCALIZA-SE NO :


(A) ANTEBRAÇO
(B) JOELHO
(C) CARPO
(D) ÚMERO
(E) TARSO
GABARITO:

940 – C
940 – O ÂNGULO DE LOUI É REGIÃO ANATÔMICA DO OSSO:
(A) ÚMERO 941 – D
(B) ESFENÓIDE
(C) ESTERNO 942 - D
(D) SACRO
(E) ILÍACO

941 – O OSSO HIÓIDE LOCALIZA-SE:


(A) NA REGIÃO PÉLVICA
(B) NO TÓRAX
(C) NO ALTO ABDOME
(D) NA FACE ANTERIOR DO PESCOÇO
(E) NA CINTURA PÉLVICA

942 – A INCIDÊNCIA OBTURATRIZ ESTUDA:


(A) A ESCÁPULA
(B) O JOELHO
(C) O TORNOZELO
(D) O ACÉTÁBULO
(E) O VÔMER
GABARITO:

943 – C
943 – PARA SE ESTUDAR RADIOLOGICAMENTE SE UM CORPO ESTRANHO ENONTRA-SE DENTRO
OU FORA DO BULBO OCULAR FAZEMOS, PRELIMINARMENTE: 944 – D
(A) UMA ANGIOGRAFIA OFTÁLMICA
(B) RADIOGRAFIA DE ÓRBITA EM PERFIL DEE 945 - C
(C) RADIOGRAFIA EM AP DE ÓRBITA, EM QUATRO MOMENTOS, COM O PACIENTE OLHANDO PARA
CIMA, PARA BAIXO, PARA À DIREITA E PARA À ESQUERDA
(D) RADIOGRAFIA EM WATTER
(E) RADIOGRAFIA EM OBLÍQUA DE ÓRBITA

944 – A INCIDÊNCIA OBLÍQUA DE COLUNA CERVICAL EM PACIENTE NO LEITO, SOB TRAÇÃO, PARA
CONTROLE DE FRATURA, DEVE SER FEITA OBLIQUANDO O RAIO NO SENTIDO:
(A) CAUDAL
(B) CEFÁLICO
(C) LATERO LATERAL
(D) ANTERO LATERAL
(E) OSTERIO-LATERAL

945 – NA RADIOGRAFIA DE TÓRAX EM PERFIL COM ESÔFAGO CONTRASTADO, A ESTRUTURA


CARDÍACA QUE, QUANDO AUMENTADA, COMPRIME A PAREDE ANTERIOR DO ESÔFAGO É:
(A) AORTA
(B) ATRIO DIREITO
(C) ATRIO ESQUERDO
(D) VENTRÍCULO DIREITO
(E) VENTRÍCULO ESQUERDO
GABARITO:

946 – B
946 – NO EXAME DE HISTEROSALPINGOGRAFIA, A PROVA DE COTTE SIGNIFICA:
(A) EXECUTAR O EXAME DURANTE O ATO CIRURGICO 947 – A
(B) FAZER RADIOGRAFIA NO FINAL DO EXAME PARA VERIFICAR A PERMEABILIDADE TUBÁRIA
(C) FAZER O EXAME EM ORTOSTÁTICA 948 - C
(D) ESTUDAR MELHOR A RELAÇÃO DO ÚTERO COM A BEXIGA
(E) RADIOGRAFAR A PACIENTE USANDO MANOBRA DE VALSAVA

947 – NA COLANGIOGRAFIA PRE-OPERATÓRIA O CONTRASTE IODADO DEVE SER DILUÍDO EM SORO


FISIOLÓGICO PORQUE:
(A) O ESPASMO DO DUCTO BILIAR PODE ASSEMELHAR-SE A UMA ESTENOSE OU OBSTRUÇÃO
BILIAR
(B) PODE REDUZIR A HIPERSENSIBILIDADE AO IODO
(C) PERMITE MAIOR RAPIDEZ AO EXAME
(D) AUMENTA A DENSIDADE AO CONTRASTE
(E) AS OPÇÕES A E D ESTÃO CORRETAS

948 – EM PRESENÇA DE UMA REQUISIÇÃO PARA ROTINA DE ABDOME AGUDO:


(A) MARCAMOS O EXAME, RECOMENDANDO PREPARO INTESTINAL
(B) MARCAMOS O EXAME SEM PREPARO
(C) EXECUTAMOS O EXAME DE IMEDIATO
(D) ENCAMINHAMOS O PACIENTE PARA UM CLISTER GLICERINADO
(E) EXECUTAMOS O EXAME COM SULFATO DE BÁRIO VIA ORAL
GABARITO:

949 – C
949 – NA TELERADIOGRAFIA FRONTAL DO TÓRAX, OS ARCOS NO BORDO ESQUERDO DO CORAÇÃO
SÃO: 950 – D
(A) AORTA E ÁTRIO ESQUERDO
(B) AORTA E VENTRÍCULO ESQUERDO 951 - C
(C) ÁTRIO E VENTRÍCULO ESQUERDO
(D) VENTRICULO DIREITO E ESQUERDO
(E) CONE DA PULMONAR E ÁTRIO DIREITO

950 – EM QUAL DOS EXAMES RADIOGRÁFICOS NÃO É NECESSÁRIO INTERROMPER A RESPIRAÇÃO


DURANTE A EXPOSIÇÃO:
(A) ABDOME
(B) COLUNA LOMBAR
(C) TÓRAX
(D) MÃO
(E) AS OPÇÒES A E B ESTÃO CORRETAS

951 – EM UM PACIENTE QUE APRESENTA O CORAÇÃO DO LADO DIREITO, VESÍCULA BILIAR DO


LADO ESQUERDO, PODEMOS DIZER QUE ESTAMOS DIANTE DE:
(A) UM EXTRA-TERRESTRE
(B) UM PACIENTE ESTATISTICAMENTE NORMAL
(C) UM PACIENTE COM SITUS INVERSUS
(D) TRANSPLANTADO
(E) TODAS AS OPÇÕES ESTÃO CORRETAS
GABARITO:

952 – A
952 – A INTRODUÇÃO DO CONTRASTE IODADO ENDOVENOSO EM UM EXAME DE COLANGIOGRAFIA
VENOSA DEVERÁ: 953 – C
(A) SER LENTA
(B) SER RÁPIDA 954 - E
(C) SER COM IODO LIPOSSOLÚVEL
(D) SER APLICADO NA VEIA CAVA INFERIOR
(E) NRA

953 – NO EXAME DE COLECISTOGRAMA ORAL, A PROVA MOTORA CONSISTE EM:


(A) MELHOR ESTUDAR A RELAÇÃO DA VESÍCULA COM O DIAFRAGMA
(B) MINISTRAR CONTRASTE VIA ENDOVENOSA
(C) O PACIENTE INGERIR ALIMENTO GORDUROSO PARA TESTAR CONTRACTILIDADE DA VESÍCULA
(D) ESTUDAR O CANAL DE WIRSUNG
(E) NRA

954 – OS RAIOS GAMA SÃO RADIAÇÕES DE PEQUENO COMPRIMENTO DE ONDA E:


(A) PARTICULARES
(B) INFRAVERMELHAS
(C) ULTRASSÔNICAS
(D) ULTRAVIOLETAS
(E) ELETROMÁGNETICAS
GABARITO:

955 – D
955 – A MELHOR BLINDAGEM PARA RAIOS X E RAIOS GAMA É:
(A) ALUMÍNIO 956 – D
(B) FERRO
(C) TIJOLO DE ALVENARIA 957 - B
(D) CHUMBO
(E) COBRE

956 – RADIAÇÕES IONIZANTES NÃO CAUSA:


(A) ANEMIA
(B) ESTERELIDADE
(C) CATARATA
(D) INFECÇÕES
(E) CÂNCER

957 – A COR VERMELHA NO MAPEAMENTO DE ÓRGÃOS ATRAVÉS DO USO DE RADIAÇÕES GAMA


REPRESENTA:
(A) MENOR ATIVIDADE RADIOATIVA
(B) MAIOR ATIVIDADE RADIOATIVA
(C) REAS SEM RADIOATIVIDADE
(D) DEFEITO DO APARELHO
(E) ARTEFATO DE TÉCNICA(SEM SIGNIFICAÇÃO RADIOLÓGICA
GABARITO:

958 – D
958 – A ADMINISTRAÇÃO ENDOVENOSA DE RADIOFARMACOS EM PACIENTES QUE VÃO REALIZAR
EXAMES EM MEDICINA NUCLEAR DEVE SER FEITA PREFERENCIALMENTE COM: 959 – C
(A) SERINGAS DE VIDRO COMUNS
(B) SERINGAS DE VIDRO DENTRO DE PROTETORES DE CHUMBO 960 - E
(C) SERINGAS PLÁSTICAS DESCARTÁVEIS COMUNS
(D) SERINGAS PLÁSTICAS DESCARTÁVEIS DENTRO DE PROTETORES DE CHUMBO
(E) CATETERES ENDOVENOSOS REVESTIDOS DE CHUMBO

959 – O ISÓTOPO MAIS FREQUENTEMENTE USADO NA MARCAÇÃO DE T3 E T4 É:


(A) IODO –131
(B) IODO – 127
(C) IODO – 125
(D) IODO – 123
(E) IODO – 124

960 – NÃO É IMPRESCINDÍVEL PARA A IDENTIFICAÇÃO DE UMA AMOSTRA RADIOATIVA:


(A) NOME DO RADIOISÓTOPO E SÍMBOLO RADIOATIVO
(B) DATA DO ENSAIO
(C) FORMA QUÍMICA E A ATIVIDADE DO RADIOISÓTOPO
(D) VOLUME E CONCENTRAÇÃO DE AMOSTRA RADIOATIVA
(E) COLORAÇÃO
GABARITO:

961 – A
961 – A ADMINISTRAÇÃO DE 131 – IODO, EM DOSES TERAPÊUTICAS,DEVE SER FEITA POR:
(A) MÉDICO 962 – C
(B) TÉCNICO
(C) ENFERMEIRO 963 - C
(D) RÁDIO-FARMACÊUTICO
(E) AUXILIAR DE RADILOGIA

962 – A RADIAÇÃO IONIZANTE CAUSA DANO NA CÉLULA VIVA EM VIRTUDE DO FENÔMENO DE


IONIZAÇÃO DA ÁGUA. ESTA AFIRMATIVA É:
(A) VERDADEIRA PARA OS MAMÍFEROS E AVES
(B) VERDADEIRA SÓ PARA HOMENS
(C) VERDADEIRA PARA TODAS AS CÉLULAS VIVAS
(D) VERDADEIRA SÓ PARA AS BACTÉRIAS
(E) VERDADEIRA SÓ PARA OS VEGETAIS

963 – O CURIÔMETRO SEVE PARA MEDIR:


(A) RADIAÇÃO AMBIENTAL
(B) RADIAÇÃO ATMOSFERICA
(C) DOSE DE RADIOFARMACO
(D) EXPOSIÇÃO À RADIAÇÃO
(E) RADIAÇÃO DA ÁGUA
GABARITO:

964 – E
964 – O MATERIAL CONTAMINADO PODE SER DESCARTADO JUNTO COM O LIXO COMUM, QUANDO
OS NÍVEIS DE RADIOATIVIDAE ESTIVEREM ABAIXO DA RADIAÇÃO DE FUNDO NORMAL E965 – A
HOUVER UM DECAIMENTO DE:
(A) 1 MEIA-VIDA 966 - A
(B) 2 MEIAS-VIDAS
(C) 3 MEIAS-VIDAS
(D) 5 MEIAS-VIDAS
(E) 10 MEIAS-VIDAS

965 – NA MANIPULAÇÃO DE MATERIAL RADIOATIVO, O USO DE LUVA DE BORRACHA E JALECO


PROTETORES É:
(A) OBRIGATÓRIO NO LABORATÓRIO DE RADIOISÓTOPOS
(B) OPCIONAL NO LABORATÓRIO DE RADIOISÓTOPOS
(C) OBRIGATÓRIO, APENAS QUANTO AO USO DE LUVAS
(D) OBRIGATÓRIO, QUANTO AO USO DE JALECO
(E) SEMPRE DISPENSÁVEL

966 – AS BANCADAS DE TRABALHO E AS BANDEJAS PARA TRANSPORTAR MATERIAL RADIOATIVO


DEVEM SER FORRADAS COM:
(A) PLÁSTICO E PAPEL ABSORVENTE DESCARTÁVEIS
(B) PAPEL-ALUMÍNIO
(C) TECIDO RESISTENTE
(D) CORTIÇA
(E) BORRACHA E TECIDO
GABARITO:

967 – B
967 – EM UM SERVIÇO DE MEDICINA NUCLEAR, A MONITORIZAÇÃO AMBIENTAL COM DETECTORES
PORTÁTEIS DE RADIAÇÃO: 968 – D
(A) DEVE SER FEITA MENSALMENTE OU ANUALMENTE
(B) DEVE SER FEITA REGULARMENTE, E OS RESULTADOS, ANOTADOS 969 - A
(C) NÃO PRECISA SER FEITA REGULARMENTE
(D) DEVE SER FEITA APENAS QUANDO HÁ SUSPEITAS DE CONTAMINAÇÃO RADIOATIVA
(E) DEVE SER FEITA SEMANALMENTE OU MENSALMENTE

968 – AS PRINCIPAIS VIAS DE ADMINISTRAÇÃO DE RADIOFARMACOS SÃO INTRAVENOSA E:


(A) INTRA-ARTERIAL
(B) SUBCUTÂNEA
(C) INTRADÉRMICA
(D) ORAL
(E) SUBLINGUAL

969 – A CENTRIFUGAÇÃO DO SANGUE TOTAL SEPARA, ALÉM DO PLASMA, AS SEGUINTES


CAMADAS DE :
(A) CÉLULAS BRANCAS, PLAQUETAS E CÉLULAS VERMELHAS
(B) CÉLULAS BRANCAS E PLAQUETAS
(C) CÉLULAS VERMELHAS E BRANCAS
(D) VENOSA DOS GRANDES VASOS
(E) VENOSA CENTRAL
GABARITO:

970 – B
970 – PRESSÃO SANGÜÍNEA EQUIVALE A PRESSÃO:
(A) SISTÓLICA DO CORAÇÃO 971 – D
(B) SISTÓLICA E DIASTÓLICA DO CORAÇÃO
(C) DIASTÓLICA DO CORAÇÃO 972 - A
(D) VENOSA DOS GRANDES VASOS
(E) VENOSA CENTRAL

971 – NA LIMPEZA DE VIDRAÇA EM LABORATÓRIO, ATUALMENTE, SÃO EMPREGADOS:


(A) DETERGENTES E ÁCIDO
(B) ÁCIDO E ULTRA-SOM
(C) DETERGENTE, ÁCIDO E ULTRA-SOM
(E) SABÃO NEUTRO E ULTRA-SOM

972 – PARA SE CALCULAR A ATIVIDADE DE AMOSTRA RADIOATIVA, É PRECISO SABER A DATA EM


QUE FOI FEITO O ENSAIO DE CALIBRAÇÃO, SUA ATIVIDADE TOTAL , VOLUME E AINDA:
(A) SUA MEIA-VIDA FÍSICA
(B) A DATA EM QUE EXPIRA
(C) SUA MEIA-VIDA BIOLÓGICA
(D) O NÚMERO DO LOTE DA AMOSTRA
(E) O LOCAL DE FABRICAÇÃO
GABARITO:

973 – C
973 – EM UM EXAME DE CAPTAÇÃO DE IODO DE NÚMERO ATÔMICO 131 DE 24 HORAS, A CONTAGEM
DO PACIENTE FOI DE 25.000 cpm, O QUE REPRESENTOU 25% DO PADRÃO. QUANTAS 974 – A
CONTAGENS POR MINUTO TEM O PADRÃO?
(A) 10.000 cpm 975 - E
(B) 25.000 cpm
(C) 100.000 cpm
(D) 125.000 cpm
(E) 150.000 com

974 – O CHUMBO É USADO EM RADIOPROTEÇÃO COMO BLINDAGEM, PORQUE:


(A) É MUITO DENSO
(B) É BARATO
(C) NÃO INTERAGE COM A RADIAÇÃO
(D) É FACILMENTE ENCONTRADO
(E) É POUCO DENSO

975 – TODO MATERIAL RADIOATIVO DEVE SER ARMAZENADO EM ÁREAS SEGURAS. DENTRO DE
RECIPIENTES BLINDADOS, ESTA AFIRMAÇÃO NÃO É VÁLIDA:
(A) PARA SUBSTANCIAS MARCADAS COM RADIOIODO
(B) PARA EXCRETAS DE PACIENTE IRRADIADOS COM GRADES
(C) PARA TODO E QUALQUER MATERIAL RADIOATIVO MANIPULADO NO LABORATÓRIO
(D) PARA SUBSTÂNCIAS MARCADAS COM TECNÉCIO – 99m
(E) PARA SUBSTÂNCIAS FRIAS, AINDA NÃO MARCADAS COM RADIOISÓTOPOS
GABARITO:

976 – E
976 – O TÉCNICO, PARA PREVINIR A CONTAMINAÇÃO RADIOATIVA, NÃO PRECISA MONITORIZAR AS
MÃOS E ROUPAS, QUANDO: 977 – E
(A )ELUIR UM GERADOR
(B) PREPARAR UM RADIOFARMACO 978 - D
(C) PREPARAR, CALIBRAR E ADMINISTRAR UMA DOSE PARA UM PACIENTE
(D) MANIPULAR COM LIXO RADIOATIVO
(E) ESTIVER ANOTANDO AS DOSES

977 – NOS PROCEDIMENTOS DE EXAMES NUCLEARES “IN VIVO” E “IN VITRO”, PARA SE CONSEGUIR
UMA PUNÇÃO VENOSA COM O MÍNIMO DE TRAUMA PARA O PACIENTE E ESPOSIÇÃO PARA O
TÉCNICO, NÃO É IMPRESCINDÍVEL, POR PARTE DESTE:
(A) HABILIDADE E PERSISTÊNCIA
(B) MUITA PRÁTICA E BOM SENSO
(C) NOÇÕES BÁSICAS DE RADIOPROTEÇÃO
(D) PACIÊNCIA E TRANQUILIDADE
(E) EXPERIÊNCIA EM RADIOFARMÁCIA

978 – UMA AMOSTRA DE MATERIAL RADIOATIVO É EXPRESSA EM ATIVIDADE POR MILILITRO. A


FÓRMULA MATEMÁTICA QUE PODE EXPRESSAR A RELAÇÃO ENTRE ATIVIDADE(A), VOLUME(V)
E CONCENTRAÇÃO (C) É:
(A) C = V x A (B) A = C (C) V = A x C (D) C = A (E) C = V + A
V v
GABARITO:

979 – B
979 – O NÍVEL DE RADIAÇÃO DE FUNDO(“BACKGROUD”) CONSIDERADO NORMAL É:
(A) MENOR QUE 0,001 m R/hr 980 – B
(B) MENOR QUE 0,05 m R/hr
(C) MAIOR QUE 0,1 m R/hr 981 - E
(D) MAIOR QUE 5,0 m R/hr
(E) MAIOR QUE 10,0 m R/hr

980 – A DIFERENÇA ENTRE PLASMA E SORO SANGÜÍNEO É QUE:


(A) O PLASMA NÃO CONTÉM FRIBRINOGÊNIO
(B) O SORO NÃO CONTÉM FIBRINOGÊNIO
(C) O PLASMA NÃO CONTÉM CÁLCIO
(D) O SORO NÃO CONTÉM CÁLCIO
(E) O FIBRINOGÊNIO REGULARMENTE NÃO SE FAZ PRESENTE NA CORRENTE SANGUÍNEA

981 – PLASMA MAIS AMARELADO DEVE SER MANIPULADO COM EXTREMO CUIDADO, PORQUE O
PACIENTE PODE ESTAR COM:
(A) FEBRE TIFÓIDE
(B) FEBRE REUMÁTICA
(C) MALÁRIA
(D) CÂNCER
(E) HEPATITE
GABARITO:

982 – C
982 – NA ASSISTÊNCIA E NA MOBILIZAÇÃO DE UM PACIENTE ADULTO E INCONSCIENTE DE UMA
MACA PARA OUTRA, O NÚMERO MÍNIMO NECESSÁRIO DE PESSOAS É: 983 – C
(A) 1
(B) 2 984 - B
(C) 3
(D) 4
(E) 5

983 – PIPETAS E BURETAS FAZEM PARTE DE VIDRARIA VOLUMÉTRICA DE UM LABORATÓRIO E SÃO


USADAS PARA:
(A) ESTOCAR PEQUENAS QUANTIDADES DE LÍQUIDOS
(B) PASSAR GRANDES QUANTIDADE DE LÍQUIDOS DE UM RECIPIENTE PARA OUTRO
(C) MEDIR E PASSAR PEQUENAS QUANTIDADES DE LÍQUIDOS DE UM RECIPIENTE PARA OUTRO
(D) MEDIR PEQUENAS QUANTIDADES DE SÓLIDOS
(E) MEDIR PEQUENAS QUANTIDADES DE GASES

984 – UMA CENTRÍFUGA COMUM DE LABORATÓRIO, USADA PARA SEPARAR COMPONENTES DE


UMA AMOSTRA RADIOATIVA, EM PROCEDIMETOS DE ROTINA, GIRA A UMA VELOCIDADE MÉDIA
DE:
(A) 1.000 rpm
(B) 5.000 rpm
(C) 20.000 rpm
(D) 50.000 rpm
(E) 100.000 rpm
GABARITO:

985 – B
985 – HAVENDO A POSSIBILIDADE DE CONTAMINAÇÃO RADIOATIVA QUANDO DA COLETA DE URINA
E/OU FEZES, DEVE-SE: 986 – E
(A) DESCARTÁ-LA(S) IMEDIATAMENTE NA REDE DE ESGOTO COMUM
(B) PROCEDER A MEDIÇÃO EXTREMA ANTES DE QUALQUER MANIPULAÇÃO 987 - A
(C) COLOCÁ-LAS IMEDIATAMENTE DENTRO DE UM RECIPIENTE DE CHUMBO
(D) PROCEDER ÀS MEDIDAS RADIOQUÍMICAS DE SEPARAÇÃO
(E) DEIXÁ-LA(S) EM UM CANTO ISOLADO ATÉ QUE DECAIA TOTALMENTE

986 – NO CONTADOR GEIGER–MUELLER(G-M), UTILIZA-SE COMO MEIO DE DETECÇÃO DA


RADIAÇÃO:
(A) FEIXE LUMINOSO
(B) LÍQUIDO
(C) CRISTAL
(D) MEIO SEMICONDUTOR
(E) MISTURA DE GASES

987 – OS PRINCÍPIOS BÁSICOS DE RADIOPROTEÇÃO SÃO:


(A) TEMPO, DISTÂNCIA E BLINDAGEM
(B) DISTÂNCIA E BLINDAGEM
(C) TEMPO E DISTÂNCIA
(D) TEMPO E BLINDAGEM
(E) DISTÂNCIA, BLINDAGEM E EQUIPAMENTOS DE RADIOMETRIA
GABARITO:

988 – A
988 – NUMA CINTILOGRAFIA DE TIREÓIDE, QUANDO DA PRESENÇA DE UM NÓDULO, O MESMO:
(A) É DEMARCADO PELO MÉDICO E PELO TÉCNICO 989 – B
(B) É DEMARCADO PELOTÉCNICO
(C) É DEMARCADO PELO MÉDICO 990 - C
(D) NÃO PRECISA SER DEMARCADO
(E) É DEMARCADO PELO ENFERMEIRO

989 – EM MEDICINA, OS PRINCIPAIS RADIOISÓTOPOS USADOS EM NOSSO MEIO SÃO:


(A) 85 – ESTRÔNCIO E 131 – IODO
(B) 131 – IODO E 99 m – TECNÉCIO
(C) 111 – ÍNDIO E 123 – IODO
(D) 111 – ÍNDIO E 131 – IODO
(E) 111 – ÍNDIO E 85 – ESTRÔNCIO

990 – A PIPETAGEM DE MATERIAL RADIOATIVO DEVE SER FEITA ATRAVÉS DO AUTOMÁTICO. POR
ISSO:
(A) DEVE-SE ENSAIAR O FRIO E COM MATERIAL RADIOATIVO A MESMO TEMPO
(B) NÃO PRECISA DE ENSAIO, PORQUE JÁ HOUVE CALIBRAÇÃO PREVIA
(C) DEVE-SE ENSAIAR EM BRANCO, COM MATERIAL A FRIO ANTES DE EXPERIMENTO
(D) DEVE-SE USAR O DISPOSITIVO AUTOMÁTICO E, SE FALHAR, PIPETAR COM A BOCA
(E) DEVE SER CRONOMETRADA DURANTE O EXPERIMETO
GABARITO:

991 – A
991 – EM RELAÇÃO AO USO DE SÍMBOLO DE RADIAÇÃO PARA IDENTIFICAR ÁREAS DE
ARMAZENAMENTO DE MATERIAL RADIOATIVO, PODEMOS AFIRMAR QUE: 992 – A
I – O SÍMBOLO DEVE SER SEMPRE USADO
II – O SÍMBOLO DEVE SER USADO APENAS QUANDO OS NÍVEIS DE RADIAÇÃO SÃO ELEVADOS
III – O SÍMBOLO DEVE SER USADO APENAS QUANDO HÁ MANIPULAÇÃO DE MATERIAL RADIOATIVO
IV – O USO DO SÍMBOLO É OPCIONAL
ASSINALE:
(A) SE SOMENTE I FOR CORRETA
(B) SE SOMENTE II FOR CORRETA
(C) SE SOMENTE III FOR CORRETA
(D) SE SOMENTE I E IV FOREM CORRETAS
(E) SE SOMENTE II E III FOREM CORRETAS

992 – EM RELAÇÃO À COLHEITA DE SANGUE PARA RADIOIMUNOESAIO DE T3, T4 E TSH QUANDO DA


REALIZAÇÃO DE VÁRIOS EXAMES NA MEDICINA NUCLEAR, É CORRETO AFIRMAR QUE:
I – DEVE SER FEITA ANTES DE SER ADMINISTRADO QUALQUER MATERIAL RADIOATIVO
II – DEVE SER FEITA DEPOIS DE SER ADMINISTRADO O MATERIAL RADIOATIVO
III – NÃO IMPORTA O QUANDO DA COLETA, POIS NÃO INTERFERE NA RADIOIMUNIENSAIO
IV – NÃO É PRECISO COLHER SANGUE PARA RADIOIMUNOENSAIO PARA T3, T4 E TSH
ASSINALE:
(A) SE SOMENTE I FOR CORRETA
(B) SE SOMENTE II FOR CORRETA
(C) SE SOMENTE III FOR CORRETA
(D) SE SOMENTE I E IV FOREM CORRETAS
(E) SE SOMENTE II E III FOREM CORRETAS
GABARITO:

993 – A
993 – QUANTO AO USO DO “FILME DE CONTROLE RADIOMÉTRICO PESSOAL” (“ FILM BADGE ”),
PODE-SE AFIRMAR QUE: 994 – D
(A) ELE PERMITE ACOMPANHAR O NÍVEL DE EXPOSIÇÃO DO TRABALHADOR
(B) PROTEGE O TRABALHADOR, EVITANDO SUA EXPOSIÇÃO À RADIAÇÃO 995 - D
(C) É DE USO PESSOAL, MAS PODE SER EMPRESTADO EM CASO DE FALTA
(D) NÃO É OBRIGATÓRIO NOS LABORATÓRIOS DE RADIOISÓTOPOS
(E) É DISPENSADO NOS LABORATÓRIOS DE RADIOISÓTOPOS

994 - O APARELHO USADO PARA REALIZAR MAPEAMENTO COM MATERIAL RADIOATIVO CHAMA-
SE:
(A) GEIGER- MULLER(G-M)
(B) TOMÓGRAFO COMPUTADORIZADO(CT)
(C) CURIÔMETRO
(D) CINTÍGRAFO LINEAR (SCANNER)
(E) SONDA DE CAPTAÇÃO

995 – EM RELAÇÃO AOS RADIOISÓTOPOS, ASSINALE A ASSERTIVA ERRADA:


(A) PODEM SER ENCONTRADOS NATURALMENTE NA TERRA
(B) SÃO PRODUZIDOS ARTIFICIALMENTE EM REATORES NUCLEARES
(C) SÃO PRODUZIDOS ARTIFICIALMENTE EM ACELERADORES NUCLEARES
(D) NÃO PODEM SER PRODUZIDOS EM REATORES NUCLEARES
(E) PODEM SER ENCONTRADOS NATURALMENTE NA ÁGUA E NA ATMOSFERA
GABARITO:

996 – D
996 – UM ÁTOMO É COMPOSTO DE:
(A) PRÓTONS NO NÚCLEO, NEUTRONS E ELÉTRONS EM ÓRBITA 997 – C
(B) NÊUTRONS NO NÚCLEO, PRÓTONS E ELÉTRONS EM ÓRBITA
(C) ELÉTRONS E NÊUTRONS NO NÚCLEO E PRÓTONS EM ÓRBITA 998 - A
(D) PRÓTONS E NÊUTRONS NO NÚCLEO E ELÉTRONS EM ÓRBITA
(E) PRÓTONS, NÊUTRONS E ELÉTRONS EM ÓRBITA

997 – A CARGA ELÉTRICA DO ÁTOMO É:


(A) NEGATIVA OU NEUTRA
(B) POSITIVA OU NEUTRA
(C) NEUTRA
(D) POSITIVA
(E) NEGATIVA

998 – O FATO MAIS IMPORTANTE PARA O POSICIONAMENTO CORRETO DO PACIENTE NOS


APARELHOS DE MEDICINA NUCLEAR É:
(A) EVITAR ERROS DIAGNÓSTICOS
(B) DAR CONFORTO AO PACIENTE
(C) A FALTA DE REPAROS ANATÔMICOS
(D) DAR PROTEÇÃO RADIOLÓGICA AO PACIENTE
(E) EVITAR CONTAMINAÇÃO RAIOATIVA
GABARITO:

999 – E
999 – NÃO É PROCEDIMENTO IMPRESCINDÍVEL NA ABORDAGEM DE PACIENTE QUE SERÁ
SUBMETIDO A UM EXAME NUCLEAR: 1000 – D
(A) VERIFICAR AS ORDENS DO MÉDICO
(B) IDENTIFICAR O PACIENTE 1001 - D
(C) EXPLICAR O EXAME AO PACIENTE
(D) VERIFICAR O FUNCIONAMENTO DO APARELHO
(E) EXPLICAR CONTAMINAÇÃO RADIOATIVA

1000 – CASO O CHÃO ESTEJA CONTAMINADO COM MATERIAL RADIOATIVO, É ERRADO:


(A) USAR UM MONITOR DE RADIAÇÃO MANUAL E DEMARCAR NO CHÃO ÁREA CONTAMINADA
(B) DESCONTAMINÁ-LO, ATÉ QUE ATINJA MENOS QUE 0,1 m R/hr JUNTO AO CHÃO
(C) COBRI-LO COM PAPEL ABSORVENTE
(D) LAVÁ-LO E ESPALHAR A RADIOATIVIDADE
(E) ISOLAR A ÁREA ATÉ QUE HAJA TOTAL DECAIMENTO DO MATERIAL RADIOATIVO

1001 – O RADIOISÓTOPO USADO PARA ESTUDO DE FUINÇÃO DA GLÂNDULA TIREÓIDE É:


(A) COBALTO – 60
(B) FERRO – 59
(C) ÍNDIO – 113
(D) IODO - 131
(E) CROMO – 51
GABARITO:

1002 – B
1002 – SÃO CARTILAGENS DO LARINGE:
(A) CRICÓIDE E HIALÍNICA 1003 – B
(B) TIREÓIDE E EPIGLÓTICA
(C) TIREÓIDE E QUADRANGULAR 1004 - D
(D) QUADRANGULAR E CORNICULADA
(E) HIALÍNICA E NASAL

1003 – AS INCIDÊNCIAS DE ROTINA UTILIZADAS PARA ARTICULAÇÕES SACROILÍACAS SÃO:


(A) OPD E OPE COM 45º PACIENTE-MESA
(B) AP – OPD E OPE COM 30º PACIENTE-MESA
(C) PA – OPD E OPE COM 30º PACIENTE-MESA
(D) AP – OAD E OAE COM 45º PACIENTE-MESA
(E) AP - PERFIL COMPARATIVAS

1004 – PACIENTE APRESENTA SUSPEITA DE LESÃO AO NÍVEL DE FILEIRA POSTERIOR DOS OSSOS
DO TARSO. AS INCIDÊNCIAS DE ROTINA DE PÉ SÃO:
(A) DORSOPLANTAR (AP) – OAI
(B) DORSOPLANTAR (AP), OAI, OAE
(C) PERFIL INTERNO, PERFIL EXTERNO, OPI
(D) DORSOPLANTAR (AP), OPI, PERFIL EXTERNO
(E) DORSOPLANTAR (AP) E AXIAL
GABARITO:

1005 – D
1005 – AS FREQUENTES FRATURAS EPIFISÁRIAS DISTAIS DE RÁDIO OU CÚBITO COM LUXAÇÃO DE
CABEÇA DO RÁDIO, QUE OBRIGAM O TÉCNICO A FAZER O AP E PERFIL DE ANTEBRAÇO1006
NUM– D
FILME 30X40, SÃO AS FRATURAS DO SEGUINTE TIPO:
(A) LUSCA 1007 - C
(B) SALVAT
(C) BENNETT
(D) MONTEGGIA
(E) COMINUTIVA

1006 – NA MAMOGRAFIA, PARA MELHOR VIBILIZAÇÃO DA PROJEÇÃO DOS QUADRANTES


EXTERNOS, DEVE SER REALIZADA A SEGUINTE INCIDÊNCIA:
(A) CLEAVAGE
(B) TANGENCIAL
(C) PERFIL ABSOLUTO
(D) CRANIOCAUDAL EXAGERADA
(E) CLEÓPATRA

1007 – AS INCIDÊNCIAS DE ROTINA PARA AVALIAÇÃO DO ESTERNO SÃO:


(A) PA, OAD E OAE
(B) AP, OPD E OPE
(C) PERFIL, OAE E OAD
(D) PERFIL, OPD E OPE
(E) PERFIL E AP
GABARITO:

1008 – B
1008 – O OSSO TEMPORAL APRESENTA, NO OUVIDO MÉDIO, OS SEGUINTES ACIDENTES
ANATÔMICOS RADIOLÓGICOS: 1009 – A
(A) VESTÍBULO, OSSÍCULOS E CARACOL
(B) ESPORÃO DE CHAUSSÉ, OSSÍCULOS E ANTRO 1010 - C
(C) ESPORÃO DE CHAUSSÉ, OSSÍCULOS E CARACOL
(D) CANAL SEMICIRCULAR SUPERIOR, EMINENTIA ARCUATA E VESTÍBULO
(E) CORNETOS, ANTRO E PAVILHÃO AURICULAR

1009 – QUANDO HÁ SUSPEITA DE FRATURA AO NÍVEL DOS MALÉOLOS PERONEIRA E TIBIAL,


COMPLEMENTA-SE O EXAME DO TORNOZELO COM:
(A) OPE COM ROTAÇÃO DE 5º E OPI COM ROTAÇÃO DE 15º
(B) OPE COM ROTAÇÃO DE 15º E OPI COM ROTAÇÃO DE 5º
(C) OAE COM ROTAÇÃO DE 5º E OAI COM ROTAÇÃO DE 15º
(D) OAE COM ROTAÇÃO DE 15º E OAI COM ROTAÇÃO DE 5º
(E) OAE COM ROTAÇÃO DE 58º E PERFIL

1010 – PARA O EXAME RADIOLÓGICO DO OSSO TEMPORAL, AS INCIDÊNCIAS DE ROTINA MÍNIMA


SÃO:
(A) TRANSORBITÁRIA, GUILLEN, MAYER E CHAUSSÉ II
(B) TRANSORBITÁRIA, MAYER, CHAUSSÉ III E GUILLEN
(C) TRANSORBITÁRIA, GUILLEN, CHAUSSÉ III E SCHULLER
(D) TRANSORBITÁRIA, MAYER, CHAUSSÉ III E SCHULLER
(E) TRANSORBITÁRIA, CHAUSSÉ II E STENVERS
GABARITO:

1011 – C
1011 – A FACE APRESENTA 14 OSSOS. A ALTERNATIVA QUE CONTÉM SOMENTE OSSOS FACIAIS É:
(A) FACIAL, VÔMER, NASAL E PALATINO 1012 – B
(B) NASAL, ETMÓIDE, LACRIMAL E MAXILAR
(C) MAXILAR, MANDÍBULA, CORNETO INFERIOR E LACRIMAL 1013 - A
(D) MANDÍBULA, MAXILAR, CORNETO MÉDIO E VÔMER
(E) MANDIBULA, VÔMER E ESFENÓIDE

1012 – AS CAMADAS DE UM FILME RADIOGRÁFICO NAS SUAS FACES, DA SUPERFÍCIE EXTERNAATÉ


A INTERNA, SÃO:
(A) SUBSTRATO, EMULSÃO, GELATINA E CELULOSE
(B) GELATINA, EMULSÃO, SUBSTRATO E CELULOSE
(C) EMULSÃO, GELATINA, SUBSTRATO E CELULOSE
(D) GELATINA, SUBSTRATO, EMULSÃO E CELULOSE
(E) GELATINA, CAMADA PLUMBÍFERA E CELULOSE

1013 – TESTES DE ABEL E DE KNUTSON FAZEM PARTE DO ESTUDO RADIOLÓGICO PARA:


(A) ESCOLIOSE
(B) ESPODILÓLISE
(C) ESPONDILOLISTESE
(D) METÁSTASE VERTEBRAL
(E) ESPONDILITE ANQUILOSANTE
GABARITO:

1014 – A
1014 – SÃO ACIDENTES ANATÔMICOS DA SELA TURCA:
(A) TUBÉRCULO SELAR, PROCESOS CLINÓIDES E SULCO DO QUIASMA ÓPTICO 1015 – D
(B) APÓFISE ESTILÓIDE, SULCO DO QUIASMA ÓPTICO E DORSO SELAR
(C) PEQUENA ASA DO ESFENÓIDE, DORSO SELAR E APÓFISE SELAR 1016 - D
(D) APÓFISE ESTILÓIDE, SEIO ESFENOIDAL E ASSOALHO SELAR
(E) PROCESSOS CRINÓIDES ANTERIORES E CHANFRADURA INTERCONDILIANA

1015 – OS COMPONENTES ANATÔMICOS DO OUVIDO INTERNO SÃO:


(A) CARACOL, VESTÍBULO E OSSÍCULOS
(B) JANELA OVAL, VESTÍBULO E OSSÍCULOS
(C) CONDUTO AUDITIVO INTERNO, OSSÍCULOS E ANTRO
(D) VESTÍBULO, CARACOL E CANAL SEMICIRCULAR SUPERIOR
(E) MARTELO, BIGORNA E ESTRIBO

1016 – OS ÓRGÃOS DE LOCALIZAÇÃO RETROPERITONIAL SÃO:


(A) RINS, BAÇO E PÂNCREAS
(B) FÍGADO, BAÇO E GLÂNGLIOS
(C) RINS, SUPRA-RENAIS E OVÁRIOS
(D) RINS, ARTÉRIA AORTA E GLÂNDULAS SUPRA-RENAIS
(E) RINS, ESTÔMAGO E FIGADO
GABARITO:

1017 – A
1017 – OS QUADRANTES ABDOMINAIS ONDE, RESPECTIVAMENTE, SE ALOJAM O FÍGADO, O
APÊNDICE, O BAÇO E O ESTÔMAGO SÃO: 1018 – C
(A) HIPOCÔNDRIO DIREITO, FOSSA ILÍACA DIREITA, HIPOCÔNDRIO ESQUERDO, EPIGÁSTRIO
(B) HIPOCÔNDRIO DIREITO, HIPOGÁSTRICA, HIPOCÔNDRIO ESQUERDO, EPIGÁTRIO 1019 - B
(C) EPIGÁSTRIO, FOSSA ILÍACA DIREITA, HIPOCÔNDRIO ESQUERDO, EPIGÁSTRIO
(D) FLANCO DIREITO, FOSSA ILÍACA DIREITA, FLANCO ESQUERDO, EPIGÁSTRIO
(E) FLANCO DIREITO, HIPOCÔNDRIO DIREITO, HIPOGÁSTRIO E FOSA ILÍACA ESQUERDA

1018 – SEGUNDO K. L. BONTRAGER, A LEITURA DOS DOSÍMETROS DTL (DOSÍMETROS


TERMOLUMINESCENTES) DEVERÁ SER REALIZADA NO MÍNIMO A CADA:
(A) 1 MÊS
(B) 2 MESES
(C) 3 MESES
(D) 4 MESES
(E) 6 MESES

1019 – SEGUNDO K. L. BONTRAGER, QUAL SERIA, COMO BOA REGRA GERAL, A ALTERAÇÃO
MÍNIMA DO mAs NECESSÁRIA PARA CORRIGIR UMA RADIOGRAFIA SUBEXPOSTA, SEM QUE
OUTROS FATORES SEJAM ALTERADOS?
(A) TRIPLICAR O mAs
(B) DUPLICAR O mAs
(C) QUADRIPLICAR O mAs
(D) REDUZIR PELA METADE O mAs
(E) QUINTUPLICAR O mAs
GABARITO:

1020 – C
1020 – GERALMENTE AS RADIOGRAFIAS DE TÓRAX REQUEREM O USO DE _________________mA e
__________________TEMPO DE EXPOSIÇÃO PARA MINIMIZAR A CHANCE DE MOVIMENTO1021
E – D
CONSEQUENTE PERDA DE NITIDEZ DA IMAGEM RADIOGRÁFICA.
(A) ELEVADO – GRANDE
(B) BAIXO – GRANDE
(C) ELEVADO – PEQUENO
(D) BAIXO – PEQUENO
(E) PEQUENO - PEQUENO

1021 – ASSINALE A ALTERNATIVA VERDADEIRA.


(A) O CONTROLE DE QUALIDADE NAS TÉCNICAS RADIOLÓGICAS NÃO TEM RELAÇÃO DIRETA COM
AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NAS IMAGENS REQUERIDAS PELO RADIOLOGISTA NOS EXAMES
REALIZADOS.
(B) O LÍQUIDO REVELADOR EM UM PROCESSO AUTOMÁTICO DEVE SER TROCADO EM MÉDIA A
CADA 50 RADIOGRAFIAS.
(C) A FALTA DE SECAGEM DE UM FILME É UMA DAS MAIORES FONTES DE FALTA DE QUALIDADE,
PRINCIPALMENTE EM UM PROCESSO AUTOMÁTICO.
(D) O TEMPO DE IMERSÃO DO FILME EM CADA SOLUÇÃO, COMO TAMBÉM A TEMPERATURA, DEVEM
SER TAIS QUE DÊEM A MELHOR QUALIDADE DE IMAGEM.
(E) AS SALAS DESTINADAS A EXAMES RADIOLÓGICOS NÃO NECESSITAM DE BARREIRAS DE
CHUMBO EM SUAS PAREDES E PORTAS
GABARITO:

1022 – B
1022 – O MÉTODO DE “WATERS” DE “BOCA ABERTA” OU TRANSORAL APRESENTA UMA
CARACTERÍSTICA DIFERENCIADORA DO MÉTODO DE “WATERS” SIMPLES. QUAL É ESTA1023 – B
CARACTERÍSTICA?
(A) PODEMOS USAR MENOR KVp PARA OBTER O MESMO PADRÃO DE IMAGEM.
(B) É COMUM VISUALIZARMOS CLARAMENTE OS SEIOS ESFENOIDAIS ATRAVÉS DA BOCA ABERTA.
(C) AMPLIA A IMAGEM DOS SEIOS MAXILARES.
(D) O TEMPO DE EXPOSIÇÃO É MENOR.
(E) A SUPERFÍCIE DO PÁLATO DURO SE APRESENTA COM POUCA DENSIDADE RADIOGRÁFICA EM
RELAÇÃO AS ESTRUTURAS ADJACENTES

1023 – AO UTILIZARMOS EM UM EXAME DE CRÂNIO TRAUMÁTICO A INCIDÊNCIA LATERAL COM


FEIXE HORIZONTAL, OBJETIVAMOS:
(A) VISUALIZAR FRATURAS DE ÓRBITAS
(B) VISUALIZAR NÍVEIS HIDROAÉREOS
(C) VISUALIZAR A SELA TÚRCICA
(D) VISUALIZAR A ARTICULAÇÃO ZIGAPOFISÁRIA
(E) IMPEDIR QUE QUALQUER POSSÍVEL MOVIMENTAÇÃO INVOLUNTÁRIA DO PACIENTE VENHA
APROVOCAR FLOW CINÉTICO NO EXAME
GABARITO:

1024 – A
1024 – É FALSA A AFIRMATIVA:
(A) A RADIOGRAFIA DOS SEIOS PARANASAIS DEVE SER FEITA, SEMPRE QUE POSSÍVEL, COM O – D
1025
PACIENTE EM POSIÇÃO DE DECÚBITO VENTRAL.
(B) A RADIOGRAFIA DO TÓRAX DEVERÁ, SEMPRE QUE POSSÍVEL, SER REALIZADA COM O
PACIENTE EM POSIÇÃO DE ORTOSTÁTICA
(C) DEVEMOS USAR, SEMPRE QUE POSSÍVEL, PROTEÇÃO GONODAL EM PACIENTES EM IDADE
REPRODUTIVA
(D) EM UMA RADIOGRAFIA DE ABDOME, DEVERÁ SER VISUALIZADO, NO MÍNIMO, A POSIÇÃO
SUPERIOR DA SÍNFISE PÚBICA
(E) NA INCIDÊNCIA DE PA DE TÓRAX, O RAIO CENTRAL SEMPRE DEVERÁ ESTAR ANGULADO 35º NO
SENTIDO PODÁLICO

1025 – NO MÉTODO DE “TOWNE”, O RAIO CENTRAL (RC) É ANGULADO EM __________COM


PROJEÇÃO____________.
(A) 15º - CAUDAL
(B) 30º - CEFÁLICA
(C) 15º - CEFÁLICA
(D) 30º - CAUDAL
(E) 45º - CAUDAL
GABARITO:

1026 – C
1026 – A ROTAÇÃO EXTERNA DO PÉ É O SINAL CARACTERÍSTICO DE QUE TIPO DE FRATURA MUITO
COMUM EM IDOSOS? 1027 – A
(A) DA PATELA
(B) DO SACRO
(C) DO COLO DO FÊMUR
(D) DA CRISTA ILÍACA
(E) DA PÚBIS

1027 – EM RELAÇÃO À PROTEÇÃO RADIOLÓGICA OU À TÉCNICA USADA NOS EXAMES DE TÓRAX, É


INCORRETO AFIRMAR:
(A) OS PACIENTES COM PULMÕES EXPANDIDOS, MENOS DENSOS, COMO AQUELES QUE
APRESENTAM ENFISEMA, EXIGEM UM AUMENTO DE KVp OU DE OUTROS FATORES DE
EXPOSIÇÃO.
(B) ALÉM DA COLIMAÇÃO OBRIGATÓRIA, DEVE SER USADA UMA PROTEÇÃO GANODAL DE
CHUMBO.
(C) DEVE SER USADO mAs SUFICIENTE PARA PROPORCIONAR DENSIDADE ÓTIMA DOS PULMÕES E
ESTRUTURA DO MEDIASTINO.
(D) COMO REGRA GERAL, NA RADIOGRAFIA DE TÓRAX, A ELEVADA KVp (ACIMA DE 100) EXIGE O
USO DE GRADES.
(E) QUANTO MAIS INSUFLADOS ESTÃO OS PULMÕES, MAIS RADIOPACOS FICAM, SENDO ASSIM
NECESSÁRIO ACRESCENTAR MAIS kV AO REGIME HABITUAL
GABARITO:

1028 – B
1028 – A DISTÂNCIA FOCO-FILME (dFo-Fi) DE 180 cm, UTILIZADA COMUMENTE EM RADIOGRAFIAS
DE TÓRAX PA, TEM POR OBJETIVO: 1029 – B
(A) DIMINUIR A EPOSIÇÃO DO TÉCNICO À RADIAÇÃO SECUNDÁRIA
(B) EVITAR A AMPLIAÇÃO DA IMAGEM CARDÍACA POR MENOR DIVERGÊNCIA DO FEIXE DE RAIOS1030 X
- C
(C) PERMITIR UMA MELHOR VISUALIZAÇÃO DAS COSTELAS FLUTUANTES
(D) DIMINUIR O mAs APLICADO
(E) REDUZIR OS MOVIMENTOS INVOLUNTÁRIOS DO CORAÇÃO DURANTE A EXPOSIÇÃO

1029 – EM SERIOGRAFIA DO INTESTINO DELGADO, O ESTUDO É GERALMENTE CONCLUÍDO


QUANDO O CONTRASTE ATINGE O_________________E/OU____________________.
(A) CECO – CÓLON DESCENDENTE
(B) CECO – CÓLON ASCENDENTE
(C) ÍLEO – CÓLON ASCENDENTE
(D) ÍLEO – CÓLON DESCENDENTE
(E) CECO - SIGMÓIDE

1030 – O MEIO DE CONTRASTE MAIS COMUMENTE USADO PARA RADIOGRAFIAS CONTRASTADAS


DO ESTÔMAGO É O:
(A) IODO HIDROSSOLÚVEL
(B) AR AMBIENTE
(C) BÁRIO
(D) CO2
(E) IODO LIPOSSOLÚVEL
GABARITO:

1031 – D
1031 - O MAIOR OSSO DA REGIÃO CARPIANA É O:
(A) HAMATO 1032 – D
(B) PSIFORME
(C) TRAPÉZIO 1033 - D
(D) CAPTATO
(E) PIRAMIDAL

1032 – O SEGUNDO MAIOR OSSO DO TARSO É O:


(A) CALCÂNEO
(B) CONEIFORME MEDIAL
(C) CUBÓIDE
(D) TALUS
(E) NAVICULAR

1033 – O SULCO INTERTUBERCULAR É ACIDENTE ANATÔMICO DO OSSO:


(A) ULNA
(B) RÁDIO
(C) FÊMUR
(D) ÚMERO
(E) PSIFORME
GABARITO:

1034 – C
1034 – A LINHA INTERTROCANTÉRICA É ACIDENTE ANATÔMICO DO OSSO:
(A) TIBIA 1035 – D
(B) UMERO
(C) FÊMUR 1036 - C
(D) RADIO
(E) FÍBULA

1035 – A FÓVEA , PARA INSERÇÃO DO LIGAMENTO REDONDO,SITUA-SE :


(A) NA ESCÁPULA
(B) NA ULNA
(C) NO RÁDIO
(D) NO FÊMUR
(E) NA FÍBULA

1036 – O MALÉOLO LATERAL OU FIBULAR É EM RELAÇÃO AO MALÉOLO MEDIAL OU TIBIAL:


(A) DO MESMO TAMANHO
(B) MAIS CURTO
(C) MAIS COMPRIDO
(D) ARTICULAM-SE ENTRE SI
(E) MUITO MAIS LARGO
GABARITO:

1037 – D
1037 – NO ÚMERO, É ENCONTRADO NO TERÇO DISTAL, O SEGUINTE ACIDENTE ANATÔMICO :
(A) TUBÉRCULO MAIOR 1038 – C
(B) PROCESSO CORACÓIDE
(C) PROCESSO CORONÓIDE 1039 - C
(D) FOSSA CORONÓIDE
(E) COLO ANATÔMICO

1038 - QUAL ARTICULAÇÃO APRESENTA MAIOR AMPLITUDE DE MOVIMENTOS ?


(A) ARTICULAÇÃO DO TORNOZÊLO
(B) ARTICULAÇÃO DO JOELHO
(C) ARTICULAÇÃO ESCÁPULO-UMERAL
(D) ARTICULAÇÃO RADIO-ULNAR SUPERIOR
(E) ARTICULAÇÃO SACROILÍACA

1039 - COM UMA VISTA DORSO-PLANTAR, PODEMOS DIZER QUE, NO ANTE-PÉ, OS OSSOS
SESAMÓIDEOS SÃO REGULARMENTE ENCONTRADOS:
(A) NA CABEÇA DO QUINTO METATARSIANO
(B) NA BASE DO QUINTO METATARSIANO
(C) NA CABEÇA DO PRIMEIRO METATARSIANO
(D) NA BASE DO PRIMEIRO METATARSIANO
(E) NA BASE DO QUARTO METATARSIANO
GABARITO:

1040 – C
1040 – QUAL O MAIOR OSSO DO TARSO ?
(A) NAVICULAR 1041 – D
(B) ASTRAGALO
(C) CALCÂNEO 1042 - D
(D) CUBÓIDE
(E) CUNEIFORME MEDIAL

1041 – É ACIDENTE ANATÔMICO DA ESCÁPULA :


(A) MANÚBRIO
(B) ÂNGULO DE LOUÍ
(C) PROCESSO CORONÓIDE
(D) PROCESSO CORACÓIDE
(E) PROCESSO CRINÓIDE

1042 – AS ESPINHAS ÍLICAS ANTERO-SUPERIORES SÃO ENCONTRADAS NA REGIÃO DA :


(A) COXA
(B) PERNA
(C) CINTURA ESCAPULAR
(D) CINTURA PÉLVICA
(E) COLUNA LOMBAR
GABARITO:

1043 – C
1043 – QUAL OSSO ARTICULA-SE COM A CAVIDADE COTILÓIDE ACETÁBULO ?
(A) TIBIA 1044 – B
(B) ÚMERO
(C) FÊMUR 1045 - D
(D) TÁLUS
(E) ESCAFÓIDE

1044 – TODOS OS DOZE PARES DE ARCOS COSTAIS ...


(A) ARTICULAM-SE COM O ESTERNO
(B) ARTICULAM-SE COM AS VERTEBRAS DA COLUNA TORÁCICA
(C) SERVEM DE SUSTENTAÇÃO PARA AS ESCÁPULAS
(D) PROJETAM-SE OBLIQUAMENTE PARA CIMA
(E) SITUAM-SE NA REGIÃO DO ABDOME

1045 – SÃO ACIDENTES ANATÔMICOS DA ESCÁPULA:


(A) PROCESSO CORACÓIDE, MALÉOLO INTERNO E ACRÔMIO
(B) PROCESSO CORACÓIDE, ACRÔMIO E CÔNDILO MEDIAL
(C) PROCESSO CORACÓIDE,ESPINHA DA ESCÁPULA E FÓVEA
(D) ACRÔMIO, ÂNGULO SUPERIOR E CAVIDADE GLENÓIDE DA ESCÁPULA
(E) ACRÔMIO, PROCESSO CORONÓIDE E PROCESSO CRINÓIDE
GABARITO:

1046 – D
1046 – A FOSSA OLECRANIANA SITUA-SE :
(A) NA FACE MEDIAL DO TERÇO DISTAL DO ÚMERO 1047 – B
(B) NA FACE LATERAL DO TERÇO DISTAL DO ÚMERO
(C) NA FACE ANTERIOR DO TERÇO DISTAL DO ÚMERO 1048 - D
(D) NA FACE POSTERIOR DO TERÇO DISTAL DO ÚMERO
(E) NA FACE SUPERO ANTERIOR DA CABEÇA DO ÚMERO

1047 – O CANAL CARPIANO SITUA-SE :


(A) NA FACE POSTERIOR DA REGIÃO CARPIANA
(B) NA FACE ANTERIOR DA REGIÃO CARPIANA
(C) NA FACE LATERAL DA REGIÃO CARPIANA
(D) NA FACE MEDIAL DA REGIÃO CARPIANA
(E) NA FACE LATERAL DO CARPO

1048 – SÃO ACIDENTES ANATÔMICOS SITUADOS NO TERÇO PROXIMAL DO ÚMERO :


(A) COLO ANATÔMICO, TRÓCLEA E TUBÉRCULO MAIOR
(B) COLO CIRÚRGICO, CAPÍTULO E FOSSA CORONÓIDE
(C) CABEÇA DO ÚMERO, COLO CIRÚRGICO E TRÓCLEA
(D) TUBÉRCULO MENOR, COLO ANATÔMICO E SULCO INTERTUBERCULAR
(E) TUBÉRCULO MAIOR, CAPÍTULO E FOSSA CORONÓIDE
GABARITO:

1049 – B
1049 – O TUBÉRCULO INTERCONDILAR MEDIAL, LOCALIZA-SE EM QUAL OSSO DO MEMBRO
INFERIOR ? 1050 – C
(A) FÍBULA
(B) TIBIA 1051 - D
(C) CALCÂNEO
(D) QUINTO METATARSIANO
(E) HÁLLUX

1050 – AS ARTICULAÇÕES INTERFALANGEANAS SÃO EXEMPLOS DE ARTICULAÇÕES SINOVIAIS DO


TIPO :
(A) TROCÓIDE
(B) ESFERÓIDE
(C) GÍNGLIMO
(D) CONDILAR
(E) SINDESMOSE

1051 - OS SEGUINTES OSSOS COMPÕE O SEGUIMENTO DA PERNA :


(A) FÊMUR E TIBIA
(B) TIBIA E ULNA
(C) ULNA E FIBULA
(D) FIBULA E TIBIA
(E) FÊMUR E ULNA
GABARITO:

1052 – D
1052 – NO MOVIMENTO DE FLEXÃO DO MEMBRO SUPERIOR, O PROCESSO CORONÓIDE AJUSTA-SE
A FOSSA: 1053 – B
(A) OLECRANIANA
(B) CORACÓIDE 1054 - D
(C) RADIAL
(D) CORONÓIDE
(E) SIGMÓIDE

1053 – A GARGANTA ROTULIANA É TAMBEM CONHECIDA COM O NOME DE :


(A) CANAL CARPIANO
(B) TUNEL VIEW
(C) ACRÔMIO
(D) ACETÁBULO
(E) OMBRO

1054 - A INCIDENCIA DE OPI NO CARPO ESTUDA:


(A) CAPTATO
(B) HAMATO
(C) PIRAMIDAL
(D) PSIFORME
(E) TRAPÉZIO
GABARITO:

1055 – C
1055 - A ANGULAÇÃO CARPO/FILME NA INCIDÊNCIA DE OPI É DE :
(A) 20 GRAUS 1056 – D
(B) 55 GRAUS
(C) 70 GRAUS 1057 - A
(D) 37 GRAUS
(E) 45 GRAUS

1056 – NA POLPA DOS DEDOS HÁ UMA SÉRIE DE CRISTAS SEPARADAS POR SULCOS QUE
CONSTITUEM AS IMPRESSÕES DIGITAIS, USADAS PARA A IDENTIFICAÇÃO, UMA VEZ QUE SUA
DISPOSIÇÃODIFERE DE UM IDIVÍDUO PARA OUTRO. ESSAS PAPILAS SE ORIGINAM NA CAMADA
DA PELE CHAMADA DE:
(A) EPIDERME;
(B) ENDODERMA;
(C) HIPODERME;
(D) DERME;
(E)TELA SUBCUTÂNEA.

1057 – O ESQUELETO PODE SER DIVIDIDO EM DUAS GRANDES PORÇÕES: UMA MEDIANA,
FORMANDO O EIXO DO CORPO E OUTRA, APENSA A ESTA, QUE FORMA OS MEMBROS. ESTAS
DUAS PORÇÕES DO ESQUELETO DENOMINAM-SE, RESPECTIVAMENTE:
(A) AXIAL E APENDICULAR;
(B) ESCAPULAR E PÉLVICO;
(C) ENDOESQUELETO E EXOESQUELETO;
(D) FIBROSO E CARTILAGINOSO;
(E) DESARTICULADO E ARTICULADO.
GABARITO:

1058 – C
1058 – ANALISE AS AFIRMATIVAS SOBRE OS MÚSCULOS ESTRIADOS ESQUELÉTICOS:
I – ESSES MÚSCULOS SÃO CHAMADOS DE ESQUELÉTICOS PORQUE ESTÃO FIXADOS, PELO1059 MENOS
– E
POR UMA DAS EXTREMIDADES, AO ESQUELETO.
II – AS EXTREMIDADES DESSES MÚSCULOS PODEM FORMAR TENDÕES, QUANDO SÃO
CILINDRÓIDES OU EM FORMA DE FITA, OU FORMAR APONEUROSES QUANDO SÃO LAMINARES.
III – A POTÊNCIA (OU FORÇA) DO MÚSCULO ESTÁ DIRETAMENTE LIGADA AO SEU GRAU DE
ENCURTAMENTO, E A AMPLITUDE DE CONTRAÇÃO DEPENDE DO NÚMERO DE FIBRAS QUE ELE
APRESENTA.
(A) I;
(B) II;
(C) I E II;
(D) II E III;
(E) I, II E III.

1059 – O ENCÉFALO E A MEDULA ESPINHAL SÃO ENVOLVIDOS E PROTEGIDOS POR LÂMINAS OU


MEMBRANAS DO TECIDO CONJUNTIVO CHAMADAS, EM CONJUNTO, MENINGES. ESSA
LÂMINAS SÃO, DE FORA PARA DENTRO:
(A) ARACNÓIDE, PIA-MÁTER E DURA-MÁTER;
(B) DURA-MÁTER, PIA-MÁTER E ARACNÓIDE;
(C) PIA-MÁTER, DURA-MÁTER E ARACNÓIDE;
(D)PIA-MÁTER, ARACNÓIDE E DURA-MÁTER;
(E)DURA-MÁTER, ARACNÓIDE E PIA-MÁTER.
GABARITO:

1060 – A
1060 – “É UM ÓRGÃO PÉLVICO, ÍMPAR, SITUADO INFERIORMENTE À BEXIGA E ATRAVESSADO EM
TODA SUA EXTENSÃO PELA URETRA. APRESENTA NA SUA CONSTITUIÇÃO MUSCULATURA 1061LISA
– B
E TECIDO FIBROSO. À SECREÇÃO DESTE ÓRGÃO JUNTA-SE A SECREÇÃO DAS VESÍCULAS
SEMINAIS PARA CONSTITUIR O VOLUME DO LÍQUIDO SEMINAL”.
A DESCRIÇÃO ANATÔMICA ACIMA REFERE-SE À (AO):
(A) PRÓSTATA ;
(B) GLÂNDULA DE COWPER;
(C) GLÂNDULA BULBO-URETRAL;
(D) GÔNADA MASCULINA;
(E) EPIDÍDIMO.

1061 – AS SECREÇÕES LACRIMAIS UMEDECEM CONSTANTEMENTE O OLHO, IMPEDINDO O


RESSECAMENTO DA CÓRNEA E, NESSE PROCESSO, O PISCAR DAS PÁLPEBRAS É UM
AUXILIAR VALIOSO. COMO AS LÁGRIMAS SÃO PRODUZIDAS CONTINUAMENTE, FAZ-SE
NECESSÁRIO UM SISTEMA DE DRENAGEM. ESTE É CONSTITUÍDOPOR CANALÍCULOS QUE
FORMAM OS SACOS LACRIMAIS. ESTES, POR SUA VEZ, ABREM-SE NO (NA):
(A) CANTO INTERNO DOS OLHOS;
(B) MEATO INFERIOR DA CAVIDADE NASAL;
(C) DUSCTO DO OUVIDO MÉDIO;
(D) REGIÃO POSTERIOR DO MAXILAR;
(E) PLANO MEDIANO DO PALATO DURO.
GABARITO:

1062 – C
1062 – NA MUCOSA DA EXTENSÃO POSTERIOR DA CAVIDADE NASAL, ENCONTRA-SE UMA MASSA
DE TECIDO LINFÓIDE. QUANDO AUMENTADA DE VOLUME, PODE CAUSAR OBSTRUÇÃO 1063 – D
RESPIRATÓRIA, DETERMINANDO, ÀS VEZES, REMOÇÃO CIRÚRGICA.
ESTA MASSA DO TECIDO LINFÓIDE DENOMINA-SE:
(A) NASOPALATINO;
(B) COANAS;
(C) ADENÓIDE;
(D) AMÍGDALA;
(E) SEIO PARANASAL.

1063 – A SEGUNDA DENTIÇÃO (DENTIÇÃO PERMANENTE) COMEÇA A SE FORMAR POR VOLTA DOS 6
ANOS E TERMINA, GERALMENTE, AOS 18 ANOS. SÃO 32 DENTES PERMANENTES QUE SE
DISTRIBUEM PELA ARCADA DENTÁRIA DA SEGUINTE FORMA:
(A) 2 INCISIVOS, 6 CANINOS, 12 PRE-MOLARES E 12 MOLARES
(B) 4 INCISIVOS, 4 CANINOS, 8 PRE-MOLARES E 16 MOLARES
(C) 6 INCISIVOS, 6 CANINOS, 12 PRE-MOLARES E 8 MOLARES
(D) 8 INCISIVOS, 4 CANINOS, 8 PRE-MOLARES E 12 MOLARES
(E)10 INCISIVOS, 2 CANINOS, 12 PRE-MOLARES E 8 MOLARES
GABARITO:

1064 – E
1064 – O GLOBO OCULAR,ÓRGÃO DA VISÃO, É UMA ESTRUTURAALTAMENTE ESPECIALIZADA.
SITUADA DENTRO DA ÓRBITA, A PERTE ANTERIOR DO OLHO NÃO É, ENTRETANTO, PROTEGIDA
1065 – B
POR ELA, POIS DEVE ESTAR EXPOSTA AO MEIO AMBIENTE, SEM INTERFERÊNCIA, PARA OS
RAIOS LUMINOSOS . A PARTE EXPOSTA DO GLOBO OCULAR É, PORTANTO, PROTEGIDA PELAS
ESTRUTURAS:
(A) CÍLIOS, RETINA, CORÓIDE E ESCLERÓTICA;
(B) CONJUNTIVA, ÍRIS, ESCLERÓTICA E CÓRNEA;
(C) APARELHO LACRIMAL, CARÓIDE, PÁLPEBRAS E CURÚNCULA;
(D) RETINA, SUPERCÍLIOS, ÍRIS E CÍLIOS;
(E) SUPERCÍLOS, PÁLPEBRAS, CONJUNTIVA E APARELHO LACRIMAL.

1065 – A LARINGE É UM ÓRGÃO TUBULAR, SITUADONO PLANO MEDIANO E ANTERIOR DO


PESCOÇO. COLOCA-SE ANTERIORMENTE À FARINGE E É CONTINUADA DIRETAMENTE PELA
TRAQUÉIA. ESTE ÓRGÃO, ALÉM DE VIA AERÍFERA, TEM TAMBÉM COMO FUNÇÃO:
(A) AUMENTAR A SUPERFÍCIE NASAL, UMEDECENDO E AQUECENDO O AR INSPIRADO;
(B) PRODUZIR O SOM LARÍNGEO, AO NÍVEL DAS PREGAS VOCAIS;
(C) FABRICAR A SALIVA, QUE É CONDUZIDA À MANDÍBULA PELOS CANAIS SALIVARES;
(D) DIGERIR O AMIDO CONTIDO NOS ALIMENTOS NOS ALIMENTOS QUE POR ALI PASSAM;
(E) ESTABELECER COMUNICAÇÃO, ATRAVÉS DA GLOTE, ENTRE A TRAQUÉIA E A FARINGE.
GABARITO:

1066 – A
1066 – A CAIXA TORÁCICA É CONSTITUÍSA PELO ESTERNO, PELAS VÉRTEBRAS TORÁCICAS E
PELAS COSTELAS E CARTILAGENS COSTAIS. AS COSTELAS SÃO EM NÚMEROS DE 12 PARES,
1067 – C
OS DOIS ÚLTIMOS PARES SÃO COSTELAS CHAMADAS FLUTUANTES PORQUE:
(A) SÃO CURTAS, RUDIMENTARES E TERMINAM ENTRE MÚSCULOS DA PAREDE LATERAL DO
ABDOMEM E NÃO POSSUEM CARTILAGENS;
(B) SÃO CURTAS, ESPESSAS E ARTICULAM-SE COM O ESTERNO ATRAVÉS DE SUAS CARTILAGENS;
(C) SÃO LONGAS, CARTILAGINOSAS E PREDEM-SE AO ESTERNO POR FIBRAS DE TECIDO
CONJUNTIVO;
(D) SÃO LONGAS, FIXADAS AO ESTERNO INDIRETAMENTE, UNINDO SUAS CARTILAGENS UMAS ÀS
OUTRAS;
(E) SÃO LONGAS, FORMANDO UM CONJUNTO CARTILAGINOSO PELO QUAL CHEGAM DIRETAMENTE
AO ESTERNO.

1067 – A CAVIDADE ABDOMINAL CONTÉM A MAIOR PARTE DOS ÓRGÃOS DO SISTEMA DIGESTIVO,
PARTE DO SISTEMA UROGENITAL, O BAÇO, AS GLÂNDULAS ADRENAIS E PARTES DOS PLEXOS
AUTÔNOMOS. ENVOLVENDO MUITAS VÍSCERAS ABDOMINAIS, HÁ A GRANDE SEROSA DO
SISTEMA DIGESTIVO DENOMINADA:
(A) MENINGE;
(B) ENDOTÉLIO;
(C) PERITÔNIO;
(D) MEMBRANA INGUINAL;
(E) MEMBRANA EPIGÁSTRICA.
GABARITO:

1068 – E
1068 – SOBRE O ESTÔMAGO, ANALISE AS AFIRMATIVAS ABAIXO:
I – ESTE ÓRGÃO PODE SER DEFINIDO COMO UM SACO FIBROMUSCULAR CAPAZ DE ACUMULAR 1069 – B
MATERIAL NUTRITIVO E PASSÁ-LO AO DUODENO DEPOIS DE PARCIALMENTE DIGERIDO . PARA
CUMPRIR ESTA FUNÇÃO ELE SECRETA O SUCO GÁSTRICO.
II – INICIA-SE AO NÍVEL DE JUNÇÃO ESOFAGOGÁSTRICA, OU CÁRDIA, ESTENDENDO-SE PARA A
DIREITA E INFERIORMENTEONDE TERMINA O DUODENO, AO NÍVEL DA JUNÇÃO
GASTRODUODENAL OU PILORO.
III – É UM ÓRGÃO PERITONIZADO, O QUE LHE CONFERE GRANDE MOBILIDADE; LOGO NÃO É
POSSÍVEL DIZER QUE TEM UMA POSIÇÃO FIXA, POIS ESTA VARIA COM O TIPO
CONSTITUCIONAL, COM A POSTURA, COM A RESPIRAÇÃO E COM O ESTADO DE REPLEÇÃO OU
ESVAZIAMENTO DAS VÍSCERAS.
A(S) AFIRMATIVA(S) CORRETA(S) É/SÃO APENAS:
(A) I;
(B) III;
(C) I E II;
(D) II E III;
(E) I, II E III.

1069 – OS DUCTOS PANCREÁTICOS E COLÉDOCO, ORIGINADOS, RESPECTIVAMENTE, DO


PÂNCREAS E DO FÍGADO, PODEM SE UNIR EM UM DUCTO ÚNICO QUE DESEMBOCA NO:
(A) ESTÔMAGO;
(B) DUODENO;
(C) JEJUNO;
(D) ÍLEO;
(E) CÓLON.
GABARITO:

1070 – A
1070 – O FÍGADO APRESENTA DUPLA IRRIGAÇÃO: PELA VEIA PORTA E PELA ARTÉRIA HEPÁTICA. O
SISTEMA PORTAL (DA VEIA PORTA) DRENA UMA ÁREA BASTANTE EXTENSA, QUE INCLUI DA – A
1071
EXTREMIDADE INFERIOR DO ESÔFAGO À PARTE SUPERIOR DO CANAL ANAL, E AINDA O BAÇO,
O PÂNCREAS E A VISÍCULA BILIAR.
A CIRCULAÇÃO PORTAL É UM TIPO DE CIRCULAÇÃO PARTICULARÍSSIMA PORQUE É FORMADA
POR UMA VEIA QUE:
(A) SE INTERPÕE ENTRE DUAS REDES CAPILARES;
(B) SE COMUNICA DIRETAMENTE COM A ARTÉRIA;
(C) DÁ ORIGEM A UMA SÉRIE DE OUTRAS VEIAS DE GRANDE CALIBRE;
(D) SÓ TRANSPORTA SANGUE OXIGENADO;
(E) SÓ TRANSPORTA SUBSTÂNCIAS PARA A CIRCULAÇÃO SISTÊMICA.

1071 – TRASMUTAÇÃO RADIOATIVA SIGNIFICA:


(A) UM ELEMENTO RADIOATIVO SE TRANFORMA EM OUTRO, DE COMPORTAMENTO QUÍMICO
DIFERENTE;
(B) O TEMPO NECESSÁRIO PARA A ATIVIDADE DE UM ELEMENTO RADIOATIVO SER REDUZIDA À C
METADE DA ATIVIDADE INICIAL;
(C) UM ELEMENTO RADIOATIVO SE TRANFORMA EM OUTRO, DE COMPORTAMENTO QUÍMICO
IGUAL;
(D) UM NUCLÍDEO HIPOTÉTICO EMITE UMA PARTÍCULA BETA, SE TRANFORMA EM OUTRO ÁTOMO;
(E) UM ÁTOMO HIPOTÉTICO, APÓS EMISSÃO DE PARTÍCULA, SOFRE ARRANJO NUCLEAR E EMITE
RADIAÇÃO GAMA.
GABARITO:

1072 – D
1072 – OS TRÊS MODOS PRINCIPAIS DE INTERAÇÃO GAMA-MATÉRIA SÃO:
(A) REPULSÃO DE ELÉTRONS, ANIQUILAÇÃO E EFEITO COMPTON; 1073 – C
(B) FORMAÇÃO DE PAR IÔNICO, EFEITO COMPTON E RADIAÇÃO FRENAGEM;
(C) EFEITO FOTOELÉTRICO, RADIAÇÃO DE FRENAGEM E ANIQUILAÇÃO; 1074 - B
(D) EFEITO FOTOELÉTRICO, EFEITO COMPTON E FORMAÇÃO DE PAR IÔNICO;
(E) REPULSÃO DE ELÉTRONS, ANIQUILAÇÃO E RADIAÇÃO DE FRENAGEM

1073 - ________________________É CONSTITUÍDA DE PARTICULAS EMITIDAS POR UM NÚCLEO,


QUANDO DA TRANSFORMAÇÃO DE NÊUTRONS EM PRÓTONS.
A ALTERNATIVA QUE COMPLETA A FRASE É:
(A) PARTÍCULA ALFA;
(B) PARTÍCULA GAMA;
(C) PARTÍCULA BETA;
(D) PÓSITRON;
(E) RADIAÇÃO GAMA.

1074 - _______________________NÃO POSSUEM MASSA E SE PROPAGAM COM VELOCIDADE DE


300.000Km/s.
A ALTERNATIVA QUE COMPLETA A FRASE É:
(A) PARTÍCULA ALFA;
(B) ONDAS ELETROMAGNÉTICAS;
(C) ARTÍCULAS GAMA;
(D) PARTÍCULAS BETA
(E) ULTRAVIOLETA.
GABARITO:

1075 – E
1075 – O CONTRASTE UTILIZADO NA REALIZAÇÃO DE UMA TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA É:
(A) GADOLÍNEO; 1076 – A
(B) BÁRIO;
(C) LÍTIO; 1077 - C
(D) GERMÂNIO;
(E) IODO.

1076 – NA TC DE CRÂNIO O CORTE DE INTERESSE É POSICIONADO ______________________AO


FEIXE DE RAIO X.
A ALTERNATIVA QUE COMPLETA A FRASE É:
(A) PARALELO;
(B) PERPENDICULAR 25 GRAUS;
(C) PERPENDICULAR 90 GRAUS;
(D) VERTICAL;
(E) PERPENDICULAR 45 GRAUS.

1077 – NUMA RADIOGRAFIA, __________________TEM A FINALIDADE DE INTERCEPTAR OS RAIOS


SECUNDÁRIOS INEVITAVELMENTE PRODUZIDOS, IMPEDINDO-OS DE ATINGIREM O FILME.
A ALTERNATIVA QUE COMPLETA A FRASE É:
(A) CILINDRO;
(B) ÉCRANS;
(C) GRADE ANTIFUSORA;
(D) CONES;
(E) DIAGRAMA DE POTTER-BUCKY
GABARITO:

1078 – A
1078 – O NÚMERO DE SUBSTÂNCIAS QUÍMICAS QUE SE PRESTAM PARA SEREM USADAS COMO
AGENTE REVELADOR É MUITO PEQUENO E, ENTRE ELAS, PRATICAMENTE SÃO UTILIZADAS
1079 – B
DUAS. AS DEMAIS SUBSTÂNCIAS QUE APARECEM NAS FÓRMULAS, NÃO PARTICIPAM
PROPRIAMENTE DA REVELAÇÃO MAS SÃO NECESSÁRIAS PARA AJUSTAR AS 1080 - A
CARACTERÍSTICAS QUÍMICAS DA SOLUÇÃO. ESSAS SUBSTÂNCIAS SÃO:
(A) CARBONATO DE SÓDIO E ÁGUA FILTRADA;
(B) SULFITO DE SÓDIO E BROMETO DE POTÁSSIO;
(C) CARBONATO DE SÓDIO E BROMETO DE POTÁSSIO;
(D) METOL E HIDROQUINONA;
(E) HIDROQUINONA E CARBONATO DE POTÁSSIO.

1079 – A DEFINIÇÃO DE FULCRO É:


(A) A BORDA EXTERNA DO OBJETO BORRADO;
(B) O PONTO PIVÔ DA HASTE CONECTORA ENTRE O TUBO DE RAIOS-X E O FILME;
(C) A DISTÂNCIA MEDIDA EM CM OU POLEGADA DO TAMPO DA MESA OU FOCO;
(D) A ÁREA DE DISTORÇÃO DOS OBJETOS FORA DO PLANO OBJETIVO;
(E) A CONFIGURAÇÃO GEOMÉTRICAOU PADRÃO DE BORRAMENTO DE MOVIMENTO DO TUBO.

1080 – O PAINEL DE CONTROLE REGULA UMA SÉRIE DE PARTES DO APARELHO. ENTRE ELAS AS
DUAS CITADAS CORRETAMENTE A SEGUIR, SÃO:
(A) CENTRO DO TUBO E NÍVEL DO FULCRO;
(B) MARGEM DE BORRAMENTO E NÍVEL DO FULCRO;
(C) ÂNGULO DE EXPOSIÇÃO E FILME;
(D) CENTRO DO TUBO E BORRAMENTO;
(E) NÍVEL DE FULCRO E FILME.
GABARITO:

1081 – D
1081 – O PESCOÇO FLETIDO ATÉ QUE UMA LINHA FORME 25 GRAUS, A<10m ESTEJA PARALELA AO
FEIXE DO RAIO X. ESTE É UM POSICIONAMENTO PARA: 1082 – E
(A) VARREDURA DE ÓRBITA;
(B) TC DE TÓRAX; 1083 - B
(C) PA DE CRÂNIO;
(D) BÁSICO DO CRÂNIO PARA TC;
(E) AP DE CRÂNIO.

1082 – O VOLUME IDEAL DO CONTRASTE POR VIA ORAL PARA UM EXAME DE TC DA REGIÃO
PÉVICA É:
(A) 400-600ml, 15-30 MINUTOS ANTES DO EXAME;
(B) 1.200-1.500ml, 45-60 MINUTOS ANTES DO EXAME;
(C) 800-1000ml, 1 HORA ANTES DO EXAME;
(D) 700-900ml, IMEDIATAMENTE NA HORA DO EXAME;
(E) 700-900ml, 30-45 MINUTOS ANTES DO EXAME.

1083 – O TEMPO DE EXPOSIÇÃO DA TC DE ABDOME E PELVE É DE:


(A) 1 A 2 SEGUNDOS;
(B) 1 A 3 SEGUNDOS;
(C) 1 A 2,5 SEGUNDOS;
(D) 1 A 3,5 SEGUNDOS;
(E) 1 A 1,5 SEGUNDOS.
GABARITO:

1084 – C
1084 – O FENÔMENO DE PRECESSÃO OCORRE QUANDO UMA FORÇA:
(A) INTERNA AGE SOBRE UM OBJETO EM ROTAÇÃO; 1085 – A
(B) EXTERNAAGE SOBRE UM OBJETO LINEAR;
(C) EXTERNAAGE SOBRE UM OBJETO EM ROTAÇÃO; 1086 - C
(D) INTERNA AUMENTA COM O AUMENTO DA FORÇA DO CAMPO MAGNÉTICO;
(E) EXTERNAAUMENTA COM O AUMENTO DA FORÇA DO CAMPO MAGNÉTICO.

1085 – O RELAXAMENTO T1 OCORRE QUANDO:


(A) AS ROTAÇÕES COMEÇAM A PRECESSÃO EM ÂNGULOS CADA VEZ MENORES;
(B) AS ROTAÇÕES COMEÇAM A PRECESÃO FORA DE FASE ENTRE SI;
(C) UM SINAL MAIS FORTE É RECEBIDO SE A QUANTIDADE DE NÚCLEOS HIDROGÊNIO, PRESENTE)
EM UM DETERMINADO VOLUME DE TECIDO, ESTÁ AUMENTADA;
(D) A INTENSIDADE DO SINAL, RECEBIDA POR UMA ANTENA, É USADA PARA DEFINIR O BRILHO DE
CADA PONTO DA IMAGEM;
(E) A ALTERAÇÃO DA INTENSIDADE DO CAMPO MAGNÉTICO ESTÁ PRESENTE EM UMA
DETERMINADA REGIÃO OU CORTE DE TECIDO CORPORAL.

1086 – A AMPOLA DE DUPLO FOCO TEM UMA FINALIDADE EM RELAÇÃO AO FOCO MENOR (FINO).
ELA OBTEM:
(A) MAIOR NITIDEZ E MÉDIA EXPOSIÇÃO;
(B) MENOR NITIDEZ E BAIXA EXPOSIÇÃO;
(C) MAIOR NITIDEZ E MENOR EXPOSIÇÃO;
(D) MAIOR NITIDEZ E ALTA EXPOSIÇÃO;
(E) MENOR NITIDEZ E ALTA EXPOSIÇÃO.
GABARITO:

1087 – A
1087 – NUMA PROJEÇÃO DE ROTAÇÃO LATERAL PARA UMA IMAGEM DE ÚMERO, O RAIO CENTRAL
DEVERÁ SER: 1088 – D
(A) PERPENDICULAR AO FILME;
(B) HORIZONTAL À AXILA E À CABEÇA DO ÚMERO; 1089 - A
(C) PERPENDICULAR AO PORTA FILME;
(D) 45 GRAUS CAUDAL;
(E) NO MEIO DA ESCÁPULA.

1088 – NUMA PROJEÇÃO AP IDEAL PARA UMA IMAGEM DE OMBRO, QUAL O TAMANHO DO FILME
UTILIZADO?
(A) 18 X 24 cm
(B) 18 X 43 cm
(C) 35 X 43 cm
(D) 24 X 30 cm
(E) 18 X 35 cm

1089 – A POSIÇÃO ADEQUADA PARA UMA PROJEÇÃO PA DE INTESTINO DELGADO É:


(A) DECÚBITO VENTRAL;
(B) DECÚBITO LATERAL DIREITO;
(C) DECÚBITO LATERAL ESQUERDO;
(D) SEMIDECÚBITO VENTRAL;
(E) SEMIDECÚBITO DORSAL.
GABARITO:

1090 – D
1090 – A FAIXA DE KVp UTILIZADA PARA UMA UROGRAFIA EXCRETORA É DE:
(A) 65-70 KVp; 1091 – B
(B) 75-80 KVp;
(C) 55-65 KVp; 1092 - C
(D) 70-75 KVp;
(E) 55-70 KVp.

1091 – EM RELAÇÃO À PROTEÇÃO RADIOLÓGICA DEVEM SER SELECIONADOS :


(A) A MENOR KVp E MAIOR mAs POSSÍVEIS PARA UMA RADIOGRAFIA ACEITÁVEL;
(B) A MAIOR KVp E MENOR mAs POSSÍVEIS PARA UMA RADIOGRAFIA ACEITÁVEL;
(C) A MAIOR KVp E MAIOR mAs POSSÍVEIS PARA UMA RADIOGRAFIA ACEITÁVEL;
(D) A MENOR KVp E MENOR mAs POSSÍVEIS PARA UMA RADIOGRAFIA ACEITÁVEL;
(E) O KVp E mAs IGUAIS PARA UMA RADIOGRAFIA ACEITÁVEL.

1092 – O mA É UMA UNIDADE DA DOSAGEM USADA NA RADIOLOGIA. ELA CORRESPONDE AO:


(A) MICROAMPERE;
(B) QUILOVOLTAGEM;
(C) MILIAMPERE;
(D) MILICURIE;
(E) MICROCURIE.
GABARITO:

1093 – D
1093 – A FÓRMULA DA DOSE EQUIVALENTE SE APRESENTA DA SEGUINTE FORMA:
(A) D = EF/ M 1094 – A
(B) D = D/ T
(C) D = M/ T 1095 - E
(D) D = H/ T
(E) D = T/ EF

1094 – OS EFEITO CAUSADOS POR DOSES AGUDAS PODEM SER DIVIDIDOS EM:
(A) ANTECIPADOS E ATRASADOS;
(B) BIOLÓGICOS E FÍSICOS;
(C) DIRETOS E INDIRETOS;
(D) BIOLÓGICOS DIRETOS E BIOLÓGICOS INDIRETOS;
(E) FÍSICOS DIRETOS E FÍSICOS INDIRETOS

1095 – O TIPO DE BLINDAGEM UTILIZADA PARA RADIAÇÃO ALFA E BETA DEVE SER:
(A) CHUMBO;
(B) MATERIAIS DE ALTA DENSIDADE;
(C) FERRO;
(D) OURO;
(E) MATERIAIS DE BAIXA DENSIDADE.
GABARITO:

1096 – A
1096 – O LIMITE DE DOSE EFETIVA PARA UMA PESSOA QUE TRABALHA NA ÁREA DE RADIOLOGIA É
DE: 1097 – B
(A) 50 mSv;
(B) 500 mSv; 1098 - A
(C) 5 mSv;
(D) 30 mSv;
(E) 300 mSv.

1097 – NA REALIZAÇÃO DE UMA MAMOGRAFIA, QUANDO HÁ UMA LESÃO MAIS PROFUNDA, A


PROJEÇÃO MAIS ADEQUADA É:
(A) CRANIOCAUDAL LATERAL EXAGERADA;
(B) PROJEÇÃO DE CLEÓPATRA;
(C) OBLÍQUA MÉDIO LATERAL;
(D) TÉCNICA DE EKLUND;
(E) OBLÍQUA MÉDIO FRONTAL.

1098 – O RAIO CENTRAL PARA UMA PROJEÇÃO DE AP PARA AVALIAR OSSOS DA FACE SERIA:
(A) CENTRALIZAR O RC EM RELAÇÃO AO CHASSI;
(B) CENTRALIZAR O RC NO PLANO MEDIOSAGITAL EM NÍVEL 6 CM ACIMA DO NASO;
(C) CENTRALIZAR O RC AO NÍVEL DA CRISTA ILÍACA;
(D) CENTRALIZAR O RC A 2,5 CM DO MEDIASTINO;
(E) O RC PERPENDICULAR AO PORTA FILME.
GABARITO:

1099 – A
1099 – A MELHOR POSIÇÃO DO PACIENTE, PARA FAZER UMA IMAGEM DE COLUNA TORÁCICA NA
IMAGEM AP, É: 1100 – B
(A) ALINHAR O PLANO MEDIOSAGITAL COM A LINHA MÉDIA DA MESA;
(B) DECÚBITO LATERAL ESQUERDO; 1101 - C
(C) DECÚBITO DORSAL;
(D) LATERAL;
(E) DECÚBITO VENTRAL.

1100 – DOSES REPETIDAS SUPERIORES A 0,1 Sv OU 0,2 Sv SÃO CONSIDERADAS:


(A) CRÔNICAS;
(B) AGUDAS;
(C) ABAIXO DO NÍVEL NORMAL;
(D) DOSES MÉDIAS;
(E) NO LIMITE ADEQUADO.

1101 – NUMA RADIOGRAFIA DE MANDÍBULA NA PROJEÇÃO AXIAL AP, AS ESTRUTURAS MAIS BEM
DEMONSTRADAS SÃO:
(A) RAMOS MANDIBULARES E PORÇÃO LATERAL DO CORPO;
(B) RAMOS E PORÇÃO DO CORPO DA MANDÍBULA;
(C) PROCESSOS CONDILÓIDES DA MANDÍBULA E DAS FOSSAS TEMPOROMANDIBULARES;
(D) ASSOALHO DAS ÓRBITAS;
(E) PROCESSO CORONÓIDE.
GABARITO:

1102 – A
1102 – PARA A REALIZAÇÃO DE UMA IMAGEM DE COLUNA CERVICAL, A PROJEÇÃO INADEQUADA
PARA CRIANÇAS É: 1103 – C
(A) OBLÍQUA;
(B) PA; 1104 - B
(C) LATERAL;
(D) AP;
(E) PROCESSO ODONTÓIDE AP.

1103 – PARA UMA RADIOGRAFIA DE TORNOZELO, O MELHOR FILME A SER UTILIZADO NA


PROJEÇÃO AP SOB ESTRESSE É:
(A) 35 X 43 cm
(B) 18 X 24 cm
(C) 24 X 30 cm
(D) 24 X 35 cm
(E) 24 X 43 cm

1104 – AS QUATRO PROPRIEDADES PRINCIPAIS DE UMA IMAGEM RADIOGRÁFICA DE QUALIDADE


SÃO:
(A) COMPRESSÃO, CENTRALIZAÇÃO, DETALHE E CONTRASTE
(B) DEFINIÇÃO, DISTORÇÃO, DENSIDADE ÓTICA E CONTRASTE
(C) DEFINIÇÃO, COMPRESSÃO, DENSIDADE ÓTICA E BRILHO
(D) DETALHE, CENTRALIZAÇÃO, DISTORÇÃO E ENEGRECIMENTO
(E) POSICIONAMENTO, COMPRESSÃO, ENEGRECIMENTO E CONTRASTE
GABARITO:

1105 – A
1105 – À MEDIDA QUE AUMENTA A QUANTIDADE DE RAIOS X QUE ATINGE O FILME RADIOGRÁFICO,
A DENSIDADE ÓPTICA: 1106 – D
(A) AUMENTA
(B) DIMINUI 10% 1107 - A
(C) DIMINUI 25%
(D) DIMINUI 50%
(E) PERMANECE INALTERADA

1106 – PARA REALIZAR CORRETAMENTE OBLÍQUA MÉDIO-LATERAL NA MAMOGRAFIA, O RECEPTOR


DE IMAGEM DEVE SER COLOCADO NA SEGUINTE POSIÇÃO:
(A) PARALELO À PAPILA
(B) PERPENDICULAR À PAPILA
(C) PERPENDICULAR À MAMA
(D) PERPENDICULAR AO MÚSCULO GRANDE PEITORAL
(E) CENTRALIZADO AO MÚSCULO GRANDE PEITORAL

1107 – NA MAMOGRAFIA, O TAMANHO DO PONTO MICROFOCAL ADEQUADO À AMPLIAÇÃO DAS


MICROCALCIFICAÇÕES É:
(A) 0,1 mm
(B) 0,4 mm
(C) 0,5 mm
(D) 0,6 mm
(E) 0,8 mm
GABARITO:

1108 – E
1108 – A FIM DE MELHOR CARACTERIZAR OU ESCLARECER A DIFERENCIAÇÃO ENTRE UMA LESÃO
VERDADEIRA E UMA PSEUDOLESÃO (SOMAÇÃO DE IMAGENS) NA MAMOGRAFIA, É PRECISO
1109 – B
FAZER:
(A) TÉCNICA DE EKLUND 1110 - B
(B) REPETIÇÃO DA INCIDÊNCIA INICIAL
(C) RADIOGRAFIAS MAIS PENETRADAS
(D) RADIOGRAFIAS MENOS PENETRADAS
(E) INCIDÊNCIAS ADICIONAIS, COMO COMPRESSÃO LOCALIZADA OU COM ROTAÇÃO DA MAMA

1109 – PARA MELHOR VISIBILIZAÇÃO DOS QUADRANTES INTERNOS DA MAMA DEVE SER
REALIZADA A SEGUINTE INCIDÊNCIA:
(A) AXILAR
(B) CLIVAGEM
(C) CLEÓPATRA
(D) AMPLIAÇÃO
(E) COMPRESÃO

1110 – A INVOLUÇÃO DO TECIDO MAMÁRIO RADIOLOGICAMENTE DEMONSTRÁVEL DECORRE DA:


(A) REDUÇÃO NUMÉRICA DOS LÓBULOS
(B) SUBSTITUIÇÃO DO TECIDO FIBROGLANDULAR POR TECIDO ADIPOSO
(C) SUBSTITUIÇÃO DO TECIDO ADIPOSO POR TECIDO DUCTOLOBULAR
(D) SUBSTITUIÇÃO DO TECIDO ADIPOSO POR TECIDO FIBROGLANDULAR
(E) SUBSTITUIÇÃO DO TECIDO ADIPOSO E DUCTOLOBULAR POR TECIDO FIBROGLANDULAR
GABARITO:

1111 – D
1111 – APESAR DA DESAGRADÁVEL PARA A PACIENTE, A COMPRESSÃO DEVE SER UTILIZADA NA
REALIZAÇÃO DO EXAME MAMOGRÁFICO, POIS APRESENTA A SEGUINTE VANTAGEM: 1112 – A
(A) SEPARA OS TECIDOS DA MAMA, AUMENTANDO A SOBREPOSIÇÃO DE ESTRUTURAS
(B) PRODUZ MAIOR DISPERSÃO DE RADIAÇÃO, PORQUE ABRANGE TODA MAMA 1113 - D
(C) PRODUZ MAIOR DISPERSÃO DE RADIAÇÃO, PORQUE AFASTA O FILME DA MAMA
(D) REDUZ A DOSE DE RADIAÇÃO, PORQUE DIMINUI A ESPESSURA DA MAMA
(E) DIMINUI DISTORÇÕES, PORQUE AFASTA O FILME DA MAMA

1112 – EM RADIOGRAFIAS TECNICAMENTE CORRETAS, A PELE SOMENTE DEVE SER VISIBILIZADA


COM O AUXÍLIO DE LÂMPADA FORTE. A ESPESSURA CONSIDERADA PARA PELE NORMAL É:
(A) 1 A 3 mm
(B) 2 A 4 mm
(C) 2 A 6 mm
(D) 1 A 7 mm
(E) 6 A 8 mm

1113 – POR CAUSA DA FRATURA DE BENNETT, É OBRIGATÓRIO APARECER NAS INCIDÊNCIAS


OBTIDAS:
(A) O NAVICULAR
(B) O ESCAFÓIDE
(C) O QUINTO METACARPIANO
(D) O PRIMEIRO METACARPIANO
(E) O PRIMEIRO METATARSIANO
GABARITO:

1114 – B
1114 – EM RELAÇÃO À ANATOMIA DO CRÂNIO, A AFIRMATIVA CORRETA É:
(A) O OSSO OCCIPTAL PERTENCE RIGOROSAMENTE À BASE DO CRÂNIO 1115 – E
(B) O OSSO FRONTAL NÃO ENTRA NA FORMAÇÃO DA BASE CRANIANA
(C) A SUTURA CORONÁRIA MARCA O ENCONTRO ENTRE OS PARIETAIS E O OCCIPITAL 1116 - E
(D) O PTÉRIO É O PONTO DE INTERSEÇÃO ENTRE O FRONTAL, O PARIETAL E O ESFENÓIDE
(E) AS SUTURAS LAMBDÓIDE E SAGITAL FAZEM UM PONTO DE INTERSEÇÃO CHAMADO BREGMA

1115 – AO REDUZIR O FEIXE DE RAIO X ATRAVÉS DE CONES, CILINDROS E DIAFRAGMES, DEVE -SE :
(A) DIMINUIR O KV E O MAS
(B) DIMINUIR O KV E AUMENTAR O MAS
(C) AUMENTAR O KV E AUMENTAR O MAS
(D) AUMENTAR O KV E O TEMPO DE EXPOSIÇÃO
(E) AUMENTAR O KV OU MAS PARA COMPENSAR A RESTRIÇÃO, À RADIAÇÃO PRIMÁRIA E
SECUNDÁRIA

1116 – A INCIDÊNCIA DE CHASSARD-LAPIÑÉ E SUAS VARIANTES NO EXAME DO CÓLON TEM POR


OBJETIVO:
(A) O ESTUDO DO CECO E DO OCO PÉLVICO
(B) A PESQUISA DE PÓLIPOS E DIVERTÍCULOS
(C) O ESTUDO DO RETO E DO CÓLON DESCENDENTE
(D) O ESTUDO DOS ÂNGULOS ESPLÊNICO E HEPÁTICO
(E) O DESDOBRAMENTO DAS ALÇAS FORMADAS PELO SIGMÓIDE
GABARITO:

1117 – A
1117 – EM RADIOGRAFIAS REALIZADAS COM A TÉCNICA DE ALTA QUILOVOLTAGEM, O CONTRASTE
ENTRE O OSSO E O TECIDO MOLE: 1118 – B
(A) DIMINUI
(B) AUMENTA 1119 - B
(C) FICA INAUTERADO
(D) AUMENTA, DEPENDENDO DO FILME USADO
(E) AUMENTA, SE ALTERADA A DISTÂNCIA FOCO-FILME

1118 – A RADIAÇÃO SECUNDÁRIA DECORRE PRINCIPALMENTE DO:


(A) TAMANHO DO FOCO
(B) EFEITO COMPTON
(C) EFEITO FOTOELÉTRICO
(D) TIPO DE ÉCRAN UTILIZADO
(E) TIPO DE GRADE UTILIZADA

1119 – NA TOMOGRAFIA LINEAR COM A FINALIDADE DE CORTES FINOS, A TÉCNICA IMPÕE:


(A) DESLOCAMENTO LENTO DO TUBO (PEQUENA ANGULAÇÃO)
(B) DESLOCAMENTO RÁPIDO DO TUBO (GRANDE ANGULAÇÃO)
(C) USO DE BAIXA QUILOVOLTAGEM
(D) USO DE ALTA QUILOVOLTAGEM
(E) USO DE CONTRASTE
GABARITO:

1120 – D
1120 – NA SUSPEITA DE TRAUMA EM REGIÃO CERVICAL O EXAME CONVENCIONAL CONSISTE EM
RADIOGRAFIA: 1121 – E
(A) EM AP E PERFIL
(B) EM PERFIL COM FLEXÃO 1122 - B
(C) EM AP COM BOCA ABERTA
(D) EM PERFIL COM RAIOS HORIZONTAIS
(E) EM AP COM HIPEREXTENSÃO DA COLUNA

1121 – EM PESQUISA DE PNEUMOPERITÔNIO EM PACIENTE IMPOSSIBILITADO DE FICAR EM


POSIÇÃO DE ORTOSTÁTICA, A ROTINA INDICADA É:
(A) PA E PERFIL DO ABDÔMEN
(B) PA DO TÓRAX E ABDÔMEN
(C) TOMOGRAFIA LINEAR DO ABDÔMEN
(D) PA DO ABDÔMEN E PERFIL DE TÓRAX
(E) PA DO TÓRAX E DO ABDÔMEN E DECÚBITO LATERAL ESQUERDO COM RAIOS HORIZONTAIS

1122 – RADIOGRAFIA COM CARGA DE UMA ARTICULAÇÃO DOS MEMBROS INFERIORES


CORRESPONDE A:
(A) RADIOGRAFIA COM TEMPO CURTO
(B) RADIOGRAFIA EM POSIÇÃO ORTOSTÁTICA
(C) RADIOGRAFIA COM ALTA QUILOVOLTAGEM
(D) RADIOGRAFIA COM ALTA MILIAMPERAGEM
(E) RADIOGRAFIA COM PACIENTE SEGURANDO PESO
GABARITO:

1123 – D
1123 – EM MULHER COM PROVÁVEL DIAGNÓSTICO DE GRAVIDEZ, SEM ANTECEDENTES
CIRÚRGICOS, E COM SUSPEITA DE LESÃO NA COLUNA VERTEBRAL, O EXAME RECOMENDADO
1124 – B
É:
(A) CINTILOGRAFIA
(B) ULTRA-SONOGRAFIA
(C) TOMOGRAFIA HELICOIDAL
(D) RESSONÂNCIA MAGNÉTICA
(E) TOMOGRAFIA DE ALTA RESOLUÇÃO

1124 - QUAL DAS CARACTERÍSTICAS ABAIXO SÃO IMPORTANTES NOS COMPOSTOS EMPREGADOS
EM RADIOPROTEÇÃO COMO BLINDAGEM?
(A) BAIXA DENSIDADE E ALTA REFLEXÃO DA RADIAÇÃO
(B) METAL DE ALTO NÚMERO ATÔMICO E ALTA DENSIDADE
(C) NÃO INTERAGE NEM INTERFERE COM A RADIAÇÃO
(D) METAL DE BAIXO NÚMERO ATÔMICO E DE BAIXO CUSTO
(E) METAL DE BAIXÍSSIMO NÚMERO ATÔMICO COM O MÁXIMO DE RADIOTRANSPARÊNCIA
GABARITO:

1125 – D
1125 - LEIA COM ATENÇÃO AS AFIRMATIVAS ABAIXO:
I – OS RAIOS X SÃO RADIAÇÕES ELETROMAGNÉTICA CAPAZ DE SENSIBILIZAR HALETOS DE1126
PRATA
– B
IMERSOS EM UMA FINA EMULSÃO
II – O QUE CORRIQUEIRAMENTE DENOMINAMOS RAIOS X É UMA RADIAÇÃO ELETROMAGNÉTICA
III – OS RAIOS X SÃO RADIAÇÕES ELETROMAGNÉTICAS COM COMPRIMENTO DE ONDA MUITO
CURTO
ASSINALE A ALTERNATIVA CORRETA:
(A) SOMENTE A AFIRMATIVA I ESTÁ INCORRETA
(B) SOMENTE AS AFIRMATIVAS I E II ESTÃO CORRETAS
(C) SOMENTE AS AFIRMATIVAS II E III ESTÃO INCORRETAS
(D) AS AFIRMATIVAS I, II E III ESTÃO CORRETAS
(E) NENHUMA DAS AFIRMATIVAS ESTÁ CORRETA

1126 - QUAL DAS ALTERNATIVAS ABAIXO REPRESENTA O PRINCIPAL RISCO OCUPACIONAL DOS
TÉCNICOS EM RADIOLOGIA.
(A) PERICARDITE
(B) LEUCEMIA
(C) OSTEOPOROSE
(D) DIABETES TIPO II
(E) HIPERTENSÃO ARTERIAL
GABARITO:

1127 – D
1127 - QUAL DAS ALTERNATIVAS ABAIXO NÃO ESTA RELACIONADA COM A PROTEÇÃO
RADIOLÓGICA ? 1128 – A
(A) VISOR PLUMBÍFERO
(B) CONCRETO DE ALTA DENSIDADE, COM ARGAMASSA BARITADA DE ALTA DENSIDADE, 3,2 g/cm3
(C) BLOCOS DE ALTA DENSIDADE, 5,5/gcm3
(D) BIOMBO DE FÓRMICA
(E) REVESTIMENTO DE PAREDES E PORTA COM LÂMINA DE CHUMBO DE 2 mm DE ESPESURA

1128 - OS RAIOS X FORAM DESCOBERTOS PELO FÍSICO ALEMÃO WILHELM CONRAD ROENTGEN,
SENDO QUE ESTA DESCOBERTA LHE VALEU O PREMIO NOBEL DE FÍSICA. O IMPACTO DO SEU
TRABALHO FOI ENORME. O PRIMEIRO RAIOS X DO CORPO HUMANO FOI OBTIDO POR
ROENTGEN, UMA RADIOGRAFIA DE SUA ESPOSA ,ANNA BERTA LUDWIG. ASSINALE A
ALTERNATIVA INCORRETA.
(A) SOMENTE 50 ANOS DEPOIS DA DESCOBERTA DOS RAIOS X, TEVE INÍCIO O DESENVOLVIMENTO
DESTE FANTÁSTICO MÉTODO DIAGNÓSTICO NÃO INVASIVO QUE SE MANTÉM COMO
FUNDAMENTAL ATÉ OS DIAS DE HOJE
(B) O PRIMEIRO RAIOS X DO CORPO HUMANO FOI OBTIDO POR ROENTGEN , UMA RADIOGRAFIA DA
MÃO DE SUA ESPOSA
(C) A RADIOGRAFIA É MÉTODO DIAGNÓSTICO NÃO INVASIVO QUE SE MANTÉM COMO
FUNDAMENTAL ATÉ OS DIAS DE HOJE
(D) A RADIOLOGIA CORRESPONDE A ÁREA DA MEDICINA QUE UTILIZA RAIOS X, ISÓTOPOS
RADIOATIVOS E RADIAÇÕES IONIZANTES PARA A REALIZAÇÃO DE DIAGNÓSTICO PREVENÇÃO
E TRATAMENTO DE DOENÇAS
(E) OS RAIOS X SÃO INVISÍVEIS
GABARITO:

1129 – D
1129 - SENDO REALIZADA EM TOMÓGRAFOS COMPUTADORIZADOS
HELICOIDAIS, A COLONOSCOPIA VIRTUAL TEM SUAS IMAGENS GERADAS APLICANDO-SE AO
1130 – D
PACIENTE:
(A) AR 1131 - B
(B) IODO
(C) BÁRIO
(D) SULFATO DE BÁRIO E AR
(E) BISMUTO

1130 - NO ÂMBITO DA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA, OS CORTES DE ROTINA PARA O SISTEMA


CARDIOVASCULAR DESCRITOS POR BONTRAGER SÃO :
(A) AXIAL E CORONAL
(B) SAGITAL E CORONAL
(C) CORONAL, SAGITAL E AXIAL
(D) OBLIQUO, SAGITAL, AXIAL E CORONAL
(E) AP E PERFIL

1131 - OS FILMES RADIOGRÁFICOS DEVEM SER CONSERVADOS DENTRO DE UMA FAIXA DE


TEMPERATURA, QUE COMO DESCREVE L. F . BOISSON, DEVE SER DE :
(A) 12 E 18º
(B) 21 E 10º
(C) 14 E 20º
(D) 23 E 16º
(E) 30 E 40º
GABARITO:

1132 – D
1132 - DETERMINE OS FATORES RADIOGRÁFICOS QUE NO SEU TODO EQUIVALEM A 80 Kv, 80 mAs e
0,8 SEGUNDOS. 1133 – C
(A) 70 kV – 80 mA – 1,4 s
(B) 80 kV – 40 mA – 1,2 s 1134 - B
(C) 60 kV – 80 mA – 2,0 s
(D) 90 kV – 20 mA – 1,6 s
(E) 90 KV - 80 mA - 2.0 s

1133 - O COMPRIMENTO MÍNIMO PARA O CABO DISPARADOR DE UM APARELHO TRANSPORTÁVEL


DE RAIOS X, ESTABELECIDO NA PORTARIA Nº 453 DA SVS DO MS, DEVE SER DE :
(A) 1 m
(B) 2 m
(C) 3 m
(D) 4 m
(E) 8 m

1134 - SÍNFISES E SUTURAS SÃO RESPECTIVAMENTE ARTICULAÇÕES DO TIPO:


(A) ANFIARTRODIAIS E ANFIARTRODIAIS
(B) ANFIARTRODIAIS E SINARTRODIAIS
(C) SINARTRODIAIS E SINARTRODIAIS
(D) SINARTRODIAIS E DIARTRODIAIS
(E) DIARTRODIAIS E DIARTRODIAIS
GABARITO:

1135 – A
1135 - É PARTE INTEGRANTE DO ESQUELETO AXIAL:
(A) ESTERNO 1136 – D
(B) ÚMERO
(C) ILÍACO 1137 - B
(D) RÁDIO
(E) ULNA

1136 - COMO REAÇÃO ALÉRGICA INTENSA AO CONTRASTE IODADO, PODEMOS CITAR:


(A) VÔMITO
(B) TONTEIRA
(C) URTICÁRIA EXCESSIVA
(D) DIFICULDADE RESPIRATÓRIA
(E) CEFALÉIA

1137 - OS CASOS DE DERRAME PLEURAL PODEM SER AVALIADOS TAMBÉM ATRAVÉS DA


PROJEÇÃO:
(A) DECLIVE - PRONO
(B) LÁTERO – DECLIVE
(C) SUPINO – LATERAL
(D) PRONO – INCLINADO
(E) DE TRENDELEMBURG
GABARITO:

1138 – C
1138 - NO ESTUDO DO OMBRO, A PROJEÇÃO PARA FOSSA GLENÓIDE É CONHECIDA POR MÉTODO
DE : 1139 – D
(A) WELIN
(B) BECLERE 1140 - B
(C) GRASHEY
(D) REVERCHON
(E) BRETON

1139- ENTRE OS EXAMES CONVENCIONAIS CITADOS, DESTAQUE AQUELE QUE NÃO UTILIZA
CONTRASTE.
(A) SIALOGRAFIA
(B) LINFOANGIOGRAFIA
(C) CINEANGIOCORONÁRIOGRAFIA
(D) AUTOMOGRAFIA
(E) UROGRAFIA EXCRETOTA

1140- PLANO MÉDIO SAGITAL DO CRÂNIO PARALELO AO PLANO DA MESA COM O RAIO CENTRAL
ENTRE 25 E 30º PODÁLICOS. COM ESSES PARÂMETROS, PODE-SE CONCLUIR QUE SE TRATA
DA INCIDÊNCIA DE:
(A) TOWNER
(B) SCHULLER
(C) CALDWELL
(D) CHAUSSÉ II
(E) LAWRENCE
GABARITO:

1141 – B
1141- NA RADIOGRAFIA DE ABDÔMEN, PARA SE EVITAR OS MOVIMENTOS VOLUNTÁRIOS E
INVOLUNTÁRIOS, DEVE-SE ESCOLHER OS SEGUINTES FATORES: 1142 – C
(A) 100 mAs E FOCO = 160 mA, 70 Kv
(B) 100 mAs E FOCO = 400 mA, 70 Kv 1143 - A
(C) 500 mAs E FOCO = 100 mA, 70 Kv
(D) 100 mAs E FOCO = 180 mA, 70 Kv
(E) 100 mAs E FOCO = 500 mA, 70 kv

1142 - A CORRENTE ELÉTRICA QUE SE FORMA QUANDO O FILME RADIOGRÁFICO SOFRE ALGUM
IMPACTO, MESMO QUE ESTEJA PARADO SENDO MAIS COMUM NOS AMBIENTES SECOS, É
CHAMADA DE ELETRICIDADE:
(A) OCASIONAL
(B) AMBIENTE
(C) ESTÁTICA
(D) DINÂMICA
(E) VARIÁVEL

1143 - A GRADE POTTER-BUCKY É IMPORTANTE MEIO DE DIMINUIR A RADIAÇÃO SECUNDÁRIA QUE


PREJUDICA DETALHES NA IMAGEM RADIOGRÁFICA. ELA DEVE SER UTILIZADA QUANDO A
ESPESSURA DA REGIÃO A SER RADIOGRAFADA FOR SUPERIOR A:
(A) 9 Cm
(B) 12 Cm
(C) 15 Cm
(D) 20 Cm
(E) 25 Cm
GABARITO:

1144 – A
1144 - SUTURAS SÃO ARTICULAÇÕES IMÓVEIS ENTRE A MAIORIA DOS OSSOS DO CRÂNIO. MUITAS
SÃO VISÍVEIS RADIOGRÁFICAMENTE. ENTRE ELAS AS PRINCIPAIS SÃO: 1145 – D
(A) CORONARIANA, SAGITAL, LAMBDÓIDE, PARIETOMASTÓIDEA E OCCIPTOMASTÓIDEA
(B) CORONARIANA, SAGITAL, NÁSION, BRÉGMA E SUPERFICIAL 1146 - A
(C) LAMBDÓIDE, SAGITAL, CORONARIANA, BRÉGMA E PROFUNDA
(D) LÂMBDÓIDE, PARIETOMASTÓIDEA, NASION E TRANSCRANIANA
(E) TRANSCRANIANA, PARIETOMATÓIDEA E ESFENOPARIETAL

1145 - A INCIDÊNCIA APICOLORDÓTICA PODE SER FEITA COM O RAIO CENTRAL PERPENDICULAR
(TÉCNICA CLÁSSICA ). EM PACIENTES QUE NÃO TENHAM CONDIÇÕES DE SUPORTAR ESTE
POSICIONAMENTO ( IDOSOS, CAQUÉTICOS E CRIANÇAS ), MANTENDO O POSICIONAMENTO
EM AP, PODE-SE UTILIZAR O RAIO CENTRAL COM INCLINAÇÃO :
(A) CAUDAL 25º PENETRANDO NO APÊNDICE XIFÓIDE
(B) CAUDAL EM 20º PENETRANDO NO MANÚBRIO ESTERNAL
(C) CEFÁLICA COM 35º PENETRANDO NO ÂNGULO ESTERNAL ( ÂNGULO DE LOUI )
(D) CEFÁLICA COM 25º PENETRANDO NO ÂNGULO ESTERNAL ( ÂNGULO DE LOUI )
(E) CEFÁLICA DE 45º PENETRANDO NO APÊNDICE XIFÓIDE

1146 - EM RADIOGRAFIAS FEITAS NO LEITO PARA AVALIAÇÃO DO TÓRAX, UTILIZA-SE A SEGUINTE


ORIENTAÇÃO EM RELAÇÀO AO RAIO CENTRAL.
(A) 3 A 5º CAUDAL EM RELAÇÃO AO PLANO PERPENDICULAR DO FILME
(B) 10 A 15º CAUDAL EM RELAÇÃO AO PLANO PERPENDICULAR DO FILME
(C) 15 A 25º CEFÁLICOS EM RELAÇÃO AO PLANO PERPENDICULAR DO FILME
(D) 5 A 10º CEFÁLICOS EM RELAÇÃO AO PLANO PERPENDICULAR DO FILME
(E) 25 A 45º CAUDAL EM RELAÇÃO AO PLANO PERPENDICULAR DO FILME
GABARITO:

1147 – D
1147 - ENTRE OS MEIOS PARA REDUZIR AS RADIAÇÕES SECUNDÁRIAS ESTÃO INCLUÍDOS :
(A) DIAFRAGMA, CONE, CILINDRO DE EXTENSÃO, DOSÍMETRO E BUCKY MURAL 1148 – A
(B) DIAFRAGMA, AVENTAIS PLUMBIFEROS, MEIOS DE CONTRASTE E BUCKY MURAL
(C) PROTETOR DE GÔNADAS, CONE, DOSIMETRO E ESPESSÔMETRO 1149 - B
(D) DIAFRAGMA, CONE, CILINDRO DE EXTENSÃO, BUCKY MURAL E DE MESA
(E) AVENTAIS PLUMBIFEROS,DOSIMETRO,PROTETOR DE TIREÓIDE E LUVAS PLUMBÍFERAS

1148 - UMA RADIOGRAFIA DO TORNOZELO FOI FEITA COM 10 mAs E 53 Kv E FICOU POUCO
PENETRADA AO EDEMA EXCESSIVO. A CORREÇÃO DO Kv NECESSÁRIA PARA TORNAR A
EXPOSIÇÃO SUFICIENTE E SE OBTER UMA RADIOGRAFIA ADEQUADA SERIA:
(A) AUMENTAR O kV EM 15%
(B) AUMENTAR O kV EM 30%
(C) MANTER O kV E DUPLICAR O mAs
(D) REDUZIR O kV E MANTER O mAs
(E) AUMENTAR O kV EM 15% E AUMENTAR O mAs EM 30%

1149 - A ANGIOGRAFIA CEREBRAL TEM POR FINALIDADE BÁSICA:


(A) MOSTRAR A RELAÇÃO ENTRE A AORTA E OS VASOS CEREBRAIS
(B) MOSTRAR A ANATOMIA E A FISIOLOGIA DA CIRCULAÇÃO CEREBRAL
(C) SER UM EXAME QUE ANTECEDE A TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA
(D) SERVIR PARA FAZER DIAGNÓSTICO DE TUMORES CEREBRAIS
(E) DEMONSTRAR A CORRELAÇÃO ENTRE A TOMOGRAFIA
GABARITO:

1150 – C
1150 - A LINHA DE CHAMBERLAIN É UMA LINHA QUE VAI DO PALATO DURO ATÉ O BORDO:
(A) INFERIOR DA ÓRBITA 1151 – A
(B) ANTERIOR DO PALATO MOLE
(C) PÓSTERO-SUPERIOR DO BURACO OCCIPTAL 1152 - E
(D) POSTERIOR DO NÁSION
(E) ÂNTERO-SUPERIOR DO ETMÓIDE

1151- NA TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DO CRÂNIO, DE ROTINA, USA-SE POR BASE A LINHA:


(A) INFRA-ORBITOMEATAL
(B) PARALELA A LINHA DO MEATO ORBITÁRIO
(C) SUPRA-ORBITOMEATAL
(D) INFRANASAL
(E) SUPRANASAL

1152 - NOS CASOS DE TUMORES DA BASE DO CRÂNIO, É IMPORTANTE DOCUMENTAR NA


TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA:
(A) A CALOTA CRANIANA
(B) OS SEIOS DA FACE
(C) O SEIO SAGITAL SUPERIOR
(D) AS ÓRBITAS
(E) A DESTRUIÇÃO E A EROSÃO ÓSSEA
GABARITO:

1153 – D
1153 - AO REALIZAR UMA TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DA COLUNA LOMBAR EM PACIENTE
COM LOMBALGIA, DEVE-SE POSICIONA-LO EM DECÚBITO: 1154 – D
(A) VENTRAL
(B) LATERAL DIREITO 1155 - E
(C) LATERAL ESQUERDO
(D) DORSAL COM JOELHOS FLETIDOS
(E) DORSAL COM JOELHOS ESTENDIDOS

1154 - A TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DE ALTA RESOLUÇÃO TEM INDICAÇÃO PARA ESTUDAR


AS DOENÇAS DA REGIÃO:
(A) ABDÔMEN
(B) PELVE
(C) MEDIASTINO
(D) PARÊNQUIMA PULMONAR
(E) PESCOÇO

1155 - NA DETECÇÃO DE TROMBOÊMBOLOS PULMONARES EM RAMOS SEGMENTARES, ESTÁ


INDICADO O EXAME DE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA:
(A) CONVENCIONAL SEM CONTRASTE VENOSO
(B) DE ALTA RESOLUÇÃO
(C) CONVENCIONAL COM CONTRASTE IODADO ORAL
(D) HELICOIDAL SEM CONTRASTE VENOSO
(E) ANGIOGRAFIA POR TC ( ANGIO TC )
GABARITO:

1156 – C
1156 - NA TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DE ABDÔMEN PARA AVALIAÇÃO GERAL, A
ESPESSURA DE CORTE DEVE SER DE: 1157 – D
(A) 2 mm
(B) 5 mm 1158 - C
(C) 8 A 10 mm
(D) 15 mm
(E) 20 mm

1157 -NA TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA ESPIRAL ( HELICOIDAL ), A RELAÇÃO ENTRE A


COLIMAÇÃO ( ESPESSURA ) E A VELOCIDADE ( INCREMENTO) DA MESA É CONHECIDA COMO :
(A) EFEITO DE VOLUME PARCIAL
(B) PIXEL
(C) VOXEL
(D) PITCH
(E) MATRIZ

1158 - EM UM PACIENTE COM TRAUMA RENAL, AO SE REALIZAR UMA TOMOGRAFIA


COMPUTADORIZADA, DEVE-SE FAZER O EXAME :
(A) SEM CONTRASTE ORAL OU VENOSO
(B) COM CONTRASTE ORAL
(C) COM CONTRASTE VENOSO
(D) COM CONTRASTE RETAL
(E) COM CONTRASTE BARITADO
GABARITO:

1159 – A
1159 - NA TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DA PELVE, O ESCANOGRAMA INICIAL DEVE SER EM :
(A) AP 1160 – D
(B) PA
(C) DECÚBITO LATERAL DIREITO 1161 - C
(D) DECÚBITO LATERAL ESQUERDO
(E)PERFIL

1160 - NA TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DE UM PACIENTE COM TRAUMA PÉLVICO QUE


APRESENTA MÚLTIPLAS FRATURAS, PARA AFASTAR A POSSIBILIDADE DE
COMPROMETIMENTO DA BEXIGA E URETER, É NECESSÁRIO USAR:
(A) CONTRASTE ORAL
(B) CONTRASTE RETAL
(C) CORTES EM DECÚBITO LATERAL DIREITO E ESQUERDO
(D) JANELA DE TECIDOS MOLES E CONTRASTE VENOSO
(E) JANELA PARA OSSO E ALGORITMO DE ALTA RESOLUÇÃO

1161 - A POSIÇÃO EM QUE O PACIENTE FICA EM DECÚBITO DORSAL, COM OS JOELHOS E QUADRIL
FLETIDOS E COXAS ABDUZIDAS E RODADAS EXTERNAMENTE, SUSTENTADAS POR SUPORTES
PARA PERNAS E TORNOZELOS DENOMINA-SE :
(A) FOWLER
(B) TRENDELEMBURG
(C) LITOTOMIA
(D) DECÚBITO DORSAL
(E) DECUBITO VENTRAL
GABARITO:

1162 – C
1162 - COM BRAÇO GESSADO,SERÁ EXIGIDA UMA VARIAÇÃO DA TÉCNICA RADIOGRÁFICA
NORMALMENTE UTILIZADA PARA TAL. QUAL SERÁ A VARIAÇÃO APROXIMADAMENTE ? 1163 – D
(A) AUMENTAR 30 Kv PARA O GESSO SECO
(B) DUPLICAR O mAs PARA O GESSO ÚMIDO 1164 - B
(C) DUPLICAR O mAs PARA O GESSO SECO
(D) AUMENTAR 20 kV PARA O GESSO ÚMIDO
(E) AUMENTAR 2 KV PARA O GESSO ÚMIDO

1163 - DENTRE AS FORMAS ABAIXO, QUAL A QUE NÃO INFLUI PARA A PROTEÇÃO DO PACIENTE,
CASO O TÉCNICO SE ESQUEÇA DE REALIZAR ?
(A) TEMPO SE EXPOSIÇÃO ADEQUADO (B) FILTRAÇÃO CORRETA
(C) COLIMAÇÃO PRECISA (D) COMBINAÇÃO ÉCRAN -FILME DE ALTA VELOCIDADE
(E) USO DO DOSÍMETRO INDIVIDUAL

1164- É INCORRETO AFIRMAR QUE:


(A) A IMAGEM RADIOLÓGICA FORMADA É DEVIDA ÁS DIFERENTES ATENUAÇÕES QUE O FEIXE
PRIMÁRIO SOFRE QUANDO ATRAVESSA O PACIENTE.
(B) AS RADIAÇÕES ESPALHADAS ORIUNDAS DO PACIENTE QUANDO CHEGAM AO FILME NÃO
CAUSAM PERDA DE CONTRASTE.
(C) AS RADIAÇÕES ESPALHADAS QUE CHEGAM AO FILME PODEM SER REDUZIDAS COM
UTILIZAÇÃO DE UMA GRADE COLOCADA ENTRE O FILME E O PACIENTE
(D) NA GRADE FOCADA AS LÂMINAS DE CHUMBO SÃO COLOCADAS FORMANDO ÂNGULOS QUE
ACOMPANHAM A DIVERGÊNCIA DO FEIXE DE RADIAÇÃO.
(E) A AMPOLA DE RAIOS X NÃO PRECISA DE NENHUM SITEMA PARA DISSIPAR CALOR
GABARITO:

1165 – A
1165 - É O PROCESSO QUE REDUZ A INTENSIDADE DA RADIAÇÃO PELA ABSORÇÃO DE UM
INTERVALO PARTICULAR DE SEU COMPRIMENTO DE ONDA : 1166 – D
(A) EFEITO ANÓDIO
(B) FILTRAÇÃO 1167 - B
(C) CATODIZAÇÃO
(D) AUTO-DISSIPAÇÃO
(E) EFEITO COMPTOM

1166-O MATERIAL MAIS COMUMENTE USADO NOS ECRANS FLUORESCENTES OU RADIOSCÓPICOS


É:
(A) TUNGSTÊNIO
(B) FLUORETO DE LÍTIO
(C) FLUORETO DE CÁLCIO
(D) SULFETO CÁDMIO DE ZINCO
(E) CHUMBO

1167 - O FEIXE PRIMÁRIO DE RAIOS X EMITIDOS DO ALVO TEM NECESSARIAMENTE QUE PASSAR
ATRAVÉS DA PAREDE DE VIDRO DA AMPOLA, ÓLEO E OUTROS MATERIAIS ANTES DE SAIR
TOTALMENTE DO SISTEMA DA AMPOLA. COMO SE DENOMINA TAL FILTRAÇÃO ?
(A) FILTRAÇÃO CASUAL
(B) FILTRAÇÀO INERENTE
(C) FILTRAÇÃO TÉCNICA
(D) FILTRAÇÃO METÁLICA
(E) FILTRAÇÃO NECESSÁRIA
GABARITO:

1168 – C
1168 - INFORME SE É FALSO ( F ) OU VERDADEIRO ( V ) O QUE SE AFIRMA ABAIXO EM RELAÇÃO
AOS FATORES QUE REDUZEM A EXPOSIÇÃO AOS RAIOS X PARA O PACIENTE E DEPOIS 1169 – C
ASSINALE A ALTERNATIVA QUE APRESENTAA SEQÜÊNCIA CORRETA.
( ) USAMOS QUILOVOLTAGEM BAIXA, DIMINUINDO A EXPOSIÇÃO DA PELE
( ) USAMOS A MENOR MILIAMPERAGEM POSSÍVEL
( ) DEVEMOS USAR FILMES RÁPIDOS E ECRANS INTENSIFICADORES
( ) DELIMITAMOS O CAMPO DE RADIAÇÃO POR MEIO DE CONES OU COLIMADORES LUMINOSOS
PARA QUE O TAMANHO DO CAMPO SEJA O MENOR POSSÍVEL
(A) V –V –V –V
(B) F –F –V – V
(C) F – V- V –V
(D) V- F – F – V
(E) F – F – F - F

1169 - A INCIDÊNCIA QUE MOSTRA COM DETALHE O FORAME CCCIPITAL É


(A) SCHÜLLER II
(B) CHAUSSÉ II
(C) WORMS-BRETTON
(D) STENVERS
(E) BRETON
GABARITO:

1170 – B
1170 - PREENCHA OS PARÊNTESES COM O NUMERAL CORRESPONDENTE E DEPOIS ASSINALE A
ALTERNATIVA QUE CONTÉM A SEQÜÊNCIA CORRETA. 1171 – C
I – MÉTDO DE TOWNE
II – MÉTODO DE HAAS
III – POSIÇÃO LATERAL ( SELA TÚRCICA )
IV – AP DE CRÂNIO
V – SUBMENTOVÉRTICE
( ) LINHA INTERPUPILAR PERPENDICULAR AO TAMPO DA MESA
( ) O RAIO CENTRAL DEVERÁ INCIDIR NO PLANO MEDIOSAGITAL, 4 cm ACIMA DO ARCO
SUPERCILIAR
( ) LEVANTAR O QUEIXO ATÉ QUE A LINHA INFRA-ÓRBITO-MEATAL ESTEJA PARALELA A MESA
(A) VI – III – I
(B) III – I – V
(C) III – I – II
(D) V – II – I
(E) VI – V – I

1171 - O DISTÚRBIO DA COLUNA VERTEBRAL QUE AUMENTA A CURVATURA ANTERO-POSTERIOR


DO EIXO DAS VÉRTEBRAS LOMBARES É CHAMADO:
(A) ESCOLIOSE
(B) ARTROSE
(C) LORDOSE
(D) CIFOSE
(E) ANQUILOSE
GABARITO:

1172 – D
1172 - É A INCIDÊNCIA RADIOGRÁFICA DA COLUNA CERVICAL EM QUE MELHOR SE OBSERVA O
PROCESSO ODONTÓIDE: 1173 – A
(A) LATERAL RIGOROSO
(B) AXIAL 1174 - A
(C) OBLIQUAS POSTERIORES
(D) TRANS ORAL
(E) PERFIL

1173 - A INCIDÊNCIA DE AP DA COLUNA LOMBAR EM DECÚBITO DORSAL COM JOELHOS FLETIDOS


(A) É CORRETO, POIS VAI RETIFICAR A CURVATURA FISIOLÓGICA DA COLUNA
(B) É CORRETO, PORÉM O PACIENTE TEM QUE FAZER UMA INSPIRAÇÃO MÁXIMA FORÇADA
(C) É INCORRETO, POIS VAI MODIFICAR A CURVATURA DA COLUNA
(D) FOGE A ROTINA, SOMENTE É REALIZADO, SE VIER A SOLICITAÇÃO MÉDICA ESPECÍFICA
(E) É INCORRETO POIS AUMENTA A LORDOSE FISIOLÓGICA DA COLUNA LOMBAR

1174 - PREENCHA OS PARÊNTESES COM O NUMERAL CORRESPONDENTE E ASSINALE A


ALTERNATIVA QUE CONTÉM A SEQÜÊNCIA CORRETA
I – ARTICULAÇÕES INTERFALANGIANAS II – ARTICULAÇÕES INTERCARPIANAS
III – ARTICULAÇÃO DO PUNHO IV – ARTICULAÇÃO METACARPOFALANGIANAS
( ) SELAR ( ) CONDILAR ( ) PLANA ( ) GÍNGLIMO
(A) IV – III – II – I
(B) IV –I –II –III
(C) III – IV – II – I
(D) I – III – II – IV
(E) I – III – IV - II
GABARITO:

1175 – D
1175 - A INCIDÊNCIA DE ÁPICO-LORDÓTICA É SOLICITADA PREFERENCIALMENTE PARA:
(A) VERIFICAR DERRAMES PLEURAIS 1176 – B
(B) VERIFICAR TUMORES NO PESCOÇO
(C) VISUALIZAR O TIMO COM DETALHE 1177 - C
(D) VISUALIZAR PATOLOGIAS LOCALIZADAS EM REGIÃO IMEDIATAMENTE SUBCLAVICULAR
(E) VISUALIZAR OS SEIOS COSTO-FRÊNICOS

1176- QUANDO RECEBEMOS UMA SOLICITAÇÃO DE EXAME RADIOLÓGICO PARA O TÓRAX NA


INCIDÊNCIA DE PERFIL SEM INDICAÇÃO CLINICA EXPRESSAA CONDUTA NA REALIZAÇÃO DO
EXAME SERÁ;
(A) DEITAR O PACIENTE DE LADO COM O RAIO CENTRAL PERPENDICULAR A MESA
(B) MANTER O PACIENTE ERETO COM O LADO ESQUERDO PRÓPXIMO AO FILME
(C) COLOCAR O PACIENTE COM O LADO DIREITO OU ESQUERDO ENCOSTADO NA ESTATIVA
(D) COLOCAR O PACIENTE ERETO COM O LADO DIREITO PRÓXIMO A ESTATIVA
(E) PACIENTE EM DECUBITO LATERAL ESQUERDO COM RC PERPENDICULAR A ESTATIVA

1177 - AS INCIDÊNCIAS BÁSICAS PARA REALIZAÇÃO DO EXAME RADIOLÓGICO DO ESTERNO SÃO:


(A) AP E LATERAL
(B) OAD E AOE
(C) OAD E LATERAL
(D) AXIAL E LATERAL
(E) AP E PA
GABARITO:

1178 – D
1178 - INFORME SE É FALSO ( F ) OU VERDADEIRO ( V ) O QUE SE AFIRMA ABAIXO COM RELAÇÃO
A PELVE: 1179 – B
( ) A PELVE MASCULINA APRESENTA-SE MAIS ESTREITA QUE A FEMININA, COM ISSO OS ÍLIOS SÃO
MENOS ALARGADOS 1180 - C
( ) A PELVE FEMININA É FORMADA POR UM ÂNGULO MAIOR QUE 90º DO ARCO PÚBICO
( ) A PELVE MASCULINA NÃO É TÃO ARREDONDADA COMO A FEMININA
(A) V –F –F (B) V –F –V (C) F –F –F (D) V –V –V (E) V - V - F

1179- A PERISTALSE É DEVIDO AS:


(A) REAÇÕES GASOSAS
(B) CONTRAÇÕES MUSCULARES
(C) REAÇÕES DO ORGANISMO A ENTRADA DE LÍQUIDOS NA TRAQUÉIA
(D) CÓLICAS NO TUBO DIGESTIVO
(E) CONTRAÇÕES CARDÍACAS

1180 - NA COLÂNGIOGRAFIA PER-OPERATÓRIA É COMUM O CONTRASTE IODADO SER DILUÍDO EM


SORO FISIOLÓGICO VISANDO A:
(A) REDUZIR O RISCO DE ESPASMOS DOS DUCTOS BILIARES E FACILITAR, PELA DILUIÇÃO, A
VISÃO DE PEQUENOS CÁLCULOS BILIARES
(B) REDUZIR A POSSIBILIDADE DE REAÇÕES ALÉRGICAS
(C) DUPLICAR A QUANTIDADE DE CONTRASTE PARA O EXAME
(D) OBTER UM COMPLETO ENCHIMENTO DA ÁRVORE BILIAR.
(E) AS COLANGIOGRAFIAS SÃO FEITAS COM CONTRASTE A BASE DE SULFATO DE BÁRIO
GABARITO:

1181 – D
1181 - O CISTOGRAMA É UM EXAME QUE ESTUDA ESPECIFICAMENTE A ( O )
(A) URETRA 1182 – B
(B) URETER
(C) PRÓSTATA 1183 - B
(D) BEXIGA
(E) RIM

1182 - UMA RADIOGRAFIA EM ORTOSTATÍSMO OU EM BIPEDESTAÇÀO SIGNIFICA:


(A) UMA RADIOGRAFIA EM ÂNGULO RETO
(B) UMA RADIOGRAFIA COM O PACIENTE EM POSIÇÃO ORTOSTÁTICA
(C) ESTUDO DAS ARTICULAÇÕES
(D) UMA INCIDÊNCIA EM DECÚBITO DORSAL COM VISTAS A ÓRGÃOS RETOS
(E) UMA RADIOGRAFIA COM PREPARO PRÉVIO

1183 - AO REALIZARMOS UM EXAME RADIOLÓGICO DE TÓRAX NO LEITO DEVEMOS, SE AS


CONDIÇÕES DO PACIENTE PERMITIREM, ABDUZIR E FAZER ROTAÇÃO DOS MEMBROS
SUPERIORES COM A FINALIDADE DE:
(A) FACILITAR A INSUFLAÇÀO PULMONAR
(B) RETIRAR AS ESCÁPULAS DOS CAMPOS PULMONARES
(C) ELEVAR A CÚPULA DIAFRAGMÁTICA
(D) EVITAR A SUPERPOSIÇÃO DAS CLAVÍCULAS
(E) LIBERAR A IMAGEM DOS SEIOS COSTOFRÊNICOS
GABARITO:

1184 – A
1184 - O USO DO APARELHO TRANSPORTÁVEL ARCO EM “C” NO CENTRO CIRÚRGICO NOS FAZ
ATENTAR COMO ELEMENTO DE SEGURANÇA PARA O FATOR RADIOLÓGICO 1185 – C
(A) TEMPO
(B) mAs 1186 - A
(C) kV
(D) DISTÂNCIA
(E) mA

1185 - QUANDO USAMOS APARELHOS TRANSPORTÁVEIS, EXISTEM LIMITAÇÕES EM RELAÇÃO AO


NÃO USO DA GRADE ANTI-DIFUSORA. ELAS ESTÃO RELACIONADAS COM :
(A) TEMPO DE EXPOSIÇÃO
(B) ANGULAÇÃO DO RAIO CENTRAL
(C) ESPESSURA DO OBJETO
(D) FAIXA FOCAL DA IMAGEM
(E) POTÊNCIA DO APARELHO

1186 - QUAIS INCIDÊNCIAS SÃO CONSIDERADAS ROTINA PARA A ESÔFAGOGRAFIA ?


(A) AP, OAD E LATERAL ESQUERDA
(B) AP, OAD E OAE
(C) AP E LATERAL
(D) PERFIL,OAE E AXIAL
(E) PA, PERFIL ESQUERDO E PERFIL DIREITO
GABARITO:

1187 – D
1187 - O PREPARO DO PACIENTE PARA A SERIOGRAFIA GASTRO INTESTINAL É :
(A) DIETA ZERO NO MÍNIMO 12 HORAS ANTES DO EXAME 1188 – B
(B) JEJUM POR UM PERÍODO DE 8 HORAS, PODENDO TOMAR MEDICAMENTOS PRESCRITOS PELO
MÉDICO 1189 - A
(C) JEJUM POR 12 HORAS. O USO DE CIGARROS NESTE PERÍODO É PERMITIDO, CASO O PACIENTE
NÃO TRAGUE A FUMAÇA
(D) JEJUM POR UM PERÍODO MÍNIMO DE 8 HORAS, NÃO NECESSITANDO DE LAVAGEM GÁSTRICA
(E) NÃO HÁ NECESSIDADE DE PREPARO PARA REALIZAÇÃO DESTE EXAME RADIOLÓGICO

1188 - EM QUAL INCIDÊNCIA SERÁ MELHOR DEMONSTRADO O ÂNGULO HEPÁTICO DO INTESTINO


GROSSO ?
(A) PA
(B) OAD
(C) AOE
(D) AP
(E) AXIAL

1189 - A FONTE PARA A FORMAÇÃO DE IMAGEM POR RESSONÂNCIA MAGNÉTICA ESTA NO


NÚCLEO DE :
(A) HIDROGÊNIO
(B) OXIGÊNIO
(C) MOLIBDÊNIO
(D) TUNGSTÊNIO
(E) CÁLCIO
GABARITO:

1190 – A
1190 - NA ROTINA PARA CVB DESTACAMOS:
(A) PA, PERFIL ESQUERDO, OAD E OAE 1191 – D
(B) PA, PERFIL DIREITO E OAE
(C) AP OU PA, PERFIL ESQUERDO E OAE 1192 - B
(D) AP OU PA, PERFIL ESQUERDO E PERFIL DIREITO
(E) AP, PERFIL E ÁPICO-LORDÓTICA

1191 - NA INCIDÊNCIA DE MÉDIO LATERAL DA MAMA, O RAIO CENTRAL É ANGULADO EM RELAÇÃO


AO FILME EM:
(A) 15º
(B) 35º
(C) 45º
(D) 90º
(E) 100º

1192 - INFORME SE É FALSO ( F ) OU VERDADEIRO ( V ) O QUE SE AFIRMA ABAIXO E DEPOIS


ASSINALE A ALTERNATIVA QUE APRESENTA A SEQÜÊNCIA CORRETA:
( ) A RESSONÂNCIA MAGNÉTICA PRODUZ IMAGENS NO PLANO AXIAL, CORONAL, SAGITAL E
OBLIQUO
( ) NA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA, OS OSSOS SÃO VISUALIZADOS EM PRETO PORQUE POISSUEM
MUITOS PRÓTONS
( ) A RESSONÂNCIA MAGNÉTICA NÃO POSSUI RADIAÇÃO IONIZANTE
( ) GAUSS E USADO PARA MEDIR FORÇAS BAIXAS DO CAMPO MAGNÉTICO
(A) V – V – V - V (B) V – F – V – F (C) V – F – F – F (D) V – F – V – V (E) F – F – F - F
GABARITO:

1193 – C
1193 - A IMAGEM É OBTIDA PELA DECOMPOSIÇÃO DO FEIXE DE RAIOS X, DEPOIS DE LIDOS NOS
DETETORES E MONTADA PONTO A PONTO ATRAVES DE CÁLCULOS MATEMÁTICOS 1194 – D
EFETUADOS PELO COMPUTADOR, ENVIADOS A UM DISCO MAGNÉTICO, SERÃO VISUALIZADOS
ATRAVÉS DE UM MONITOR DE TV. ESTA AFIRMAÇÃO ESTÁ RELACIONADA COM QUE TIPO DE- B
1195
EQUIPAMENTO?
(A) TOMÓGRAFO LINEAR
(B) APARELHO DE RAIOS X TELECOMANDADO
(C) TOMÓGRAFO COMPUTADORIZADO
(D) RESSONÂNCIA MAGNÉTICA
(E) APARELHO DE ULTRASSOM

1194 - ENCONTRAMOS OSSOS SESAMÓIDES :


(A) NA COLUNA CERVICAL
(B) NA COLUNA TORÁCICA
(C) NA COLUNA LOMBAR
(D) NO HÁLLUX
(E) EM NENHUMA DAS ALTERNATIVAS

1195 - O MOVIMENTO DENOMINADO FLEXÃO RADIAL SERVE PARA ABRIR OS ESPAÇOS


INTERARTICULARES NO CARPO EM SUA FACE MEDIAL O OSSO MELHOR DEMONSTRADO É :
(A) ESCAFÓIDE
(B) PIRAMIDAL
(C) PSIFORME
(D) HAMATO
(E) SEMILUNAR
GABARITO:

1196 – B
1196-SÃO CONSIDERADOS MEIOS DE PROTEÇÃO PARA O TÉCNICO CONTRA O EXCESSO DE
RADIAÇÃO: 1197 – C
(A) O USO DE CILINDROS E CONES
(B) O USO DE BIOMBO PLUMBÍFERO 1198 - C
(C) O USO DE BAIXA KILOVOLTAGEM E ALTA MILIAMPERAGEM
(D) O USO DE GRADE ANTI-DIFUSORA QUANDO NECESSÁRIO
(E)O USO DE ECRANS E FILMES DE ALTA RESOLUÇÃO

1197- A EXPOSIÇÃO DE PACIENTES GRÁVIDAS A RADIAÇÃO DEVE SER EVITADA, QUANDO


ESTRITAMENTE NECESSÁRIO, O EXAME RADIOLÓGICO DEVE SER REALIZADO:
(A) SE POSSÍVEL NO PRIMEIRO TRIMESTRE DA GRAVIDEZ
(B) EM QUALQUER FASE DA GRAVIDEZ
(C) APÓS O PRIMEIRO TRIMESTRE DA GRAVIDEZ
(D) NAS DUAS PRIMEIRAS SEMANAS DE GRAVIDEZ
(E) APÓS A PRIMEIRA QUINZENA DA GRAVIDEZ

1198– UM EXEMPLO DE ÓRGÃO LOCALIZADO NA REGIÃO INFRAPERITONEAL É :


(A) PÂNCREAS
(B) A AORTA ABDOMINAL
(C) A BEXIGA
(D) A GLÂNDULA ADRENAL
(E) ESTÔMAGO
GABARITO:

1199 – B
1199– OS MERTACARPIANOS ARTICULAM-SE NA EXTREMIDADE PROXIMAL COM OS OSSOS DO
CARPO, ENTÃO PODEMOS DIZER QUE O SEGUNDO METACARPIANO ARTICULA-SE COM1200
O: – A
(A) TRAPÉZIO
(B) TRAPEZÓIDE 1201 - C
(C) CAPITATO
(D) HAMATO
(E) PSIFORME

1200– COM RELAÇÃO AOS OSSOS DO CARPO, AQUELES QUE CORRESPONDEM À FILEIRA
PROXIMAL E DISTALSÃO, RESPECTIVAMENTE:
(A) SEMILUNAR E HAMATO
(B) TRAPÉZIO E TRAPEZÓIDE
(C) PIRAMIDAL E PSIFORME
(D) ESCAFÓIDE E PSIFORME
(E) ESCAFÓIDE E SEMILUNAR

1201– A INCIDÊNCIA OBLIQUA POSTERIOR INTERNA DAS MÃOS TAMBÉM É CONHECIDA COMO:
(A) MÉTODO DE JONES
(B) MÉTODO DE GARTH
(C) MÉTODO DE NOGARD
(D) MÉTODO DE LAWRENCE
(E) MÉTODO DE FARRIL
GABARITO:

1202 – A
1202– O LIMITE DE DOSE ANUAL PARA EXPOSIÇÃO FREQUENTE DE RADIAÇÀO EFETIVA PARA
INDIVIDUOS MENORES DE 18 ANOS DE IDADE É A MESMA PARA O PÚBLICO EM GERAL, 1203
QUE – C
EQUIVALE A:
(A) 5 mSv 1204 - A
(B) 1 mSv
(C) 50 mSv
(D) 10 mSv
(E) 25 mSv

1203– O EFEITO DA DISTÂNCIA FOCO-FILME NA DISTORÇÃO DO TAMANHO DA IMAGEM PODE SER


ASSIM DEFINIDA:
(A) QUANTO MENOR A DISTÂNCIA FOCO-FILME MENOR SERÁ A AMPLIAÇÃO
(B) QUANTO MAIOR A DISTÂNCIA FOCO-FILME MAIOR SERÁ A AMPLIAÇÃO
(C) QUANTO MENOR A DISTÂNCIA FOCO-FILME MAIOR SERÁ A AMPLIAÇÃO
(D) A DISTÂNCIA FOCO-FILME NÃO TEM NENHUMA INTERFERÊNCIA NA AMPLIAÇÃO
(E) QUANTO MENOR A DISTÂNCIA FOCO-FILME MAIOR TERÁ QUE SER A DISTÂNCIA OBJETO-FILME

1204– EM RELAÇÃO À RECONSTRUÇÃO DA IMAGEM EM TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA, O


ELEMENTO DE CONFIGURAÇÃO TRIDIMENCIONAL É DENOMINADO:
(A) VOXEL
(B) PÍXEL
(C) MATRIZ
(D) DETETOR
(E) GANTRY
GABARITO:

1205 – A
1205– EM UMA RADIOGRAFIA DE PUNHO EM CUJA INDICAÇÃO CLINICA É SUSPEITA DE FRATURA NO
ESCAFÓIDE CARPIANO É INDISPENSÁVEL FAZER: 1206 – C
(A) PA DE PUNHO COM FLEXÃO ULNAR
(B) AP DE PUNHO COM FLEXÃO ULNAR 1207 - D
(C) PA DE PUNHO COM FLEXÃO RADIAL
(D) AP DE PUNHO COM FLEXÃO RADIAL
(E) INCIDÊNCIA DE GAYNER-HART

1206– O MOVIMENTO DE AFASTAMENTO DO MEMBRO SUPERIOR OU INFERIOR EM RELAÇÃO AO


TRONCO CHAMA-SE:
(A) ADUÇÀO
(B) SUPINAÇÃO
(C) ABDUÇÃO
(D) PRONAÇÃO
(E) FLEXÃO

1207– OBSERVA-SE EM UMA PROJEÇÃO NO PERFIL DA ESCÁPULA UM “Y “, QUAL ACIDENTE


ANATÔMICO CORRESPONDE AO RAMO INFERIOR DO “Y ‘?
(A) O ACRÔMIO
(B) O PROCESSO CORACÓIDE
(C) A FOSSA INFRA ESPINHOSA
(D) O ÂNGULO DISTAL DA ESCÁPULA
(E) A FOSSA SUPRA ESPINHOSA
GABARITO:

1208 – D
1208– NO ESTUDO RADIOLÓGICO DOS SEIOS DA FACE, POR VEZES SURPREENDEMOS IMAGENS DE
NIVEL LÍQUIDO, ISTO É POSSIVEL PORQUE O EXAME É FEITO; 1209 – D
(A) EM DECUBITO DORSAL
(B) EM DECUBITO VENTRAL 1210 - B
(C) EM HEMI-DECUBITO LATERAL
(D) EM BIPEDESTAÇÀO
(E) EM POSIÇÃO DE FOWLER

1209– O EXAME CONTRASTADO DO SISTEMA DIGESTIVO É FEITO NORMALMENTE COM CONTRASTE


ARTIFICIAL POSITIVO A BASE DE SULFATO DE BÁRIO, PORÉM QUANDO UM SEGMENTO ESTÁ
SOB SUSPEITA DE PERFURAÇÃO COMO DEVERÁ SER O PROCEDIMENTO PARA A REALIZAÇÀO
DO EXAME EM RELAÇÀO AO CONTRASTE?
(A) DILUIR BEM O CONTRASTE A BASE DE SULFATO DE BÁRIO COM SORO FISIOLÓGICO
(B) DILUIR POUCO O CONTRASTE A BASE DE SULFATO DE BÁRIO COM SORO FISIOLÓGICO
(C) USAR O CONTRASTE A BASE DE SULFATO DE BÁRIO NA CONCENTRAÇÃO QUE ESTÁ NO
EMBALAGEM
(D) USAR CONTRASTE A BASE DE IODO HIDROSSOLUVEL
(E) NÃO USAR CONTRASTE ALGUM

1210– NO EXAME DE UROGRAFIA EXCRETORA, OS PACIENTES QUE ESTÃO SOB MAIOR RISCO DE
REAÇÕES ADVERSAS AO CONTRASTE IODADO APRESENTAM HISTÓRIA DE :
(A) COLELITÍASE BILIAR (B) ASMA BRÔNQUICA (C) INFARTO DO MIOCÁRDIO
(D) ORQUITE (E) ARTROSE
GABARITO:

1211 – B
1211- O TERMO DESCRITIVO CIFOSE REFERE-SE A UMA CONVEXIDADE POSTERIOR, SITUADA
GERALMENTE NA REGIÃO DA COLUNA: 1212 – A
(A) CERVICAL
(B) TORÁCICA 1213 - A
(C) LOMBAR
(D) SACROCOCCÍGEA
(E) LOMBOSSACRA

1212– NA INCIDÊNCIA PARIETOACANTIAL, PELO MÉTODO DE WATERS, DEVE-SE ALINHAR O RAIO


CENTRAL PERPENCICULAR AO FILME, DE MANEIRA QUE ELE SEJA DIRECIONADO PARA:
(A) O ACÂNTION
(B) O PONTO MENTONIANO
(C) O NÁSIO
(D) A GLEBA
(E) A ORELHA

1213– PARA O ESTUDO DOS ARCOS ZIGOMÁTICOS NA INCIDÊNCIA BÁSICA AXIAL AP, DEVE -SE
ANGULAR O RAIO CENTRAL EM RELAÇÃO À LINHA ORBITOMEATAL QUE ESTÁ
PERPENDICULAR AO FILME + EM:
(A) 70º CRANIALMENTE
(B) 50º CAUDALMENTE
(C) 50º CRANIALMENTE
(D) 30º CAUDALMENTE
(E) 30º CRANIALMENTE
GABARITO:

1214 – C
1214– O OSSO NAVICULAR ARTICULA-SE COM:
(A) METATARSOS E CUNEIRFORME MEDIAL 1215 – B
(B) METATARSOS E TRÊS CUNEIFORMES
(C) TÁLUS E TRÊS CUNEIFORMES 1216 - C
(D) CALCÂNEO E METATARSOS
(E) TÁLUS E CUNEIFORME MEDIAL

1215– EM RELAÇÃO AO EFEITO ANÓDICO, A INTENSIDADE DA RADIAÇÃO EMITIDA PELO CATODO


DO EMISSOR DO RX EM RELAÇÃO AO ANODO É:
(A) MENOR
(B) MAIOR
(C) IGUAL
(D) INDIFERENTE
(E) FRACA

1216– AS PRIMEIRAS RADIOGRAFIAS OBTIDAS NO TRÂNSITO DELAGADO (15 OU 30 MINUTOS) COM


O PACIENTE EM DECÚBITO VENTRAL, DEVE NORMALMENTE CENTRALIZAR O RAIO CENTRAL:
(A) EM 5 CM ABAIXO DA CRISTA ILÍACA
(B) EM 20 CM ABAIXO DA CRISTA ILÍACA
(C) NA CRISTA ILÍACA
(D) EM 5 CM ACIMA DA CRISTA ILÍACA
(E) EM 20 CM ACIMA DA CRISTA ILÍACA
GABARITO:

1217 – A
1217- NUM SERVIÇO QUE UTILIZE FREQÜENTEMENTE O EXAME FLUOROSCÓPIO, O TÉCNICO
DEVERÁ UTILIZAR AVENTAL DE BORRACHA PLUMBÍFERA COMO MEDIDA DE PROTEÇÃO. A – E
1218
DOSE CUMULATIVA MENSAL DE RADIAÇÃO CORPÓREA CONSIDERADA INÓCUA NÃO DEVERÁ
SER NUNCA ACIMA DE: 1219 - A
(A) 20 MREM
(B) 30 MREM
(C) 40 MREM
(D) 50 MREM
(E) 60 MREM

1218- OS ESCUDOS GONODAIS DE CONTATO PARA PROTEÇÃO DO PACIENTE EQUIVALE


NORMALMENTE A UMA ESPESSURA DE CHUMBO DE :
(A) 2,5 mm
(B) 2,0 mm
(C) 1,5 mm
(D) 0,05 mm
(E) 0,5 mm

1219 - O CONTROLE DA DENSIDADE RADIOGRÁFICA É REALIZADO PRIMARIAMENTE ATRAVÉS:


(A) DA MILIAMPERAGEM
(B) DA COLIMAÇÃO
(C) DO PICO DE QUILOVOLTAGEM
(D) DA FILTRAÇÃO
(E) DO TAMAMHO DO PONTO FOCAL
GABARITO:

1220 – C
1220– NA RADIOGRAFIA DE TÓRAX, A POSIÇÃO DE DECÚBITO LATERAL SERVE PARA
DEMONSTRAR MELHOR: 1221 – B
(A) ÁPICES PULMONARES
(B) ATELECTASIAS 1222 - E
(C) DERRAMES PLEURAIS
(D) CORAÇÃO E AORTA
(E) LARINGE E TRAQUÉIA CHEIAS DE AR

1221– O PRINCIPAL ÓRGÃO DO HIPOCÔNDRIO DIREITO É O:


(A) BAÇO
(B) FÍGADO
(C) PÂNCREAS
(D) ESTÔMAGO
(E) APÊNDICE

1222– A FRATURA NA QUAL O OSSO É QUEBRADO EM LASCAS OU ESMAGADO NO LOCAL DO


IMPACTO, RESULTANDO EM DOIS OU MAIS FRAGMENTOS DENOMINA-SE FRATURA:
(A) COMPLETA
(B) IMPACTADA
(C) COMPOSTA
(D) INCOMPOSTA
(E) COMINUTIVA
GABARITO:

1223 – D
1223- NA RADIOGRAFIA DE JOELHO A ESTRUTURA MAIS BEM DEMONSTRADA NA INCIDÊNCIA AXIAL
PA – VISTA DO TÚNEL ( TUNNEL VIEW) É: 1224 – C
(A) CÔNDILO LATERAL DO FÊMUR
(B) ARTICULAÇÃO TIBIOFEMORAL 1225 - B
(C) PATELA
(D) FOSSA INTERCONDILAR
(E) ESPAÇO ARTICULAR

1224- NA INCIDÊNCIA LATERAL DA ESCÁPULA, OBSERVA-SE O “Y” ESCAPULAR CUJO RAMO


INFERIOR É FORMADO:
(A) PELO ACRÔMIO
(B) PELO PROCESSO CORACÓIDE
(C) PELO CORPO DA ESCÁPULA
(D) PELA ESPINHA DA ESCÁPULA
(E) PELA CAVIDADE GLENÓIDE

1225- A TABELA DE CONVERSÃO PARA APARELHOS GESSADOS DEPENDE DO SEU TIPO DE


IMOBILIZAÇÃO E DA SUA ESPESSURA. O TIPO DE IMOBILIZAÇÃO QUE REQUER O MAIOR
AUMENTO DE KV É:
(A) GESSO SECO
(B) GESSO ÚMIDO
(C) FIBRA DE VIDRO
(D) GESSO PEQUENO
(E) FIBRA PLÁSTICA
GABARITO:

1226 – A
1226 – NA PROCESSADORA AUTOMÁTICA, AS SOLUÇÕES DE REVELADOR E FIXADOR NAS CUBAS
INTERNAS SAÕ: 1227 – D
(A) RENOVADAS PAULATINAMENTE A CADA FILME PROCESSADO
(B) RENOVADAS TOTALMENTE A CADA FILME PROCESSADO 1228 - C
(C) MANTIDAS SEM QUALQUER RENOVAÇÃO DURANTE O PROCESSAMENTO DOS FILMES
(D) RENOVADAS APENAS POR OCASIÃO DA MANUTENÇÃO
(E) COMPLETADAS COM ÁGUA PARA MANTER O NÍVEL TODA VEZ QUE UM FILME É PROCESSADO

1227 – A LÂMPADA DE SEGURANÇA QUANDO NÃO ADEQUADA, LOCALIZADA NO INTERIOR DA


CÂMARA ESCURA, PODERÁ VIR A :
(A) RETARDAR A AÇÃO DA SOLUÇÃO REVELADORA
(B) PREJUDICAR O FUNCIONAMENTO DA PROCESSADORA
(C) NO CASO DO PROCESSAMENTO MANUAL, AMOLECER A GELATINA DOS FILMES
(D) PROVOCAR FOG NOS FILMES
(E) MELHORAR A QUALIDADE DO PROCESSAMENTO

1228 – OS FILMES DEVEM SER ARMAZENADOS DO SEGUINTE MODO :


(A) OBLIQUAMENTE
(B) HORIZONTALMENTE
(C) VERTICALMENTE
(D) EMPILHADOS
(E) SEPARADOS UM A UM POR PLÁSTICO
GABARITO:

1229 – D
1229 – QUAL MÉTODO É UMA ALTERNATIVA PARA A INCIDÊNCIA AP COM BÔCA ABERTA DE C1-C2
(COLUNA CERVICAL), PRINCIPALMENTE PARA DEMONSTRAR A PORÇÃO SUPERIOR DO 1230 – B
DENTE?
(A) OTTONELLO 1231 - A
(B) JUDET
(C) TWINING
(D) JUDD
(E) NOGART

1230 – CONSTITUI FATOR QUE AVALIA A QUALIDADE DA IMAGEM RADIOGRÁFICA NA TÉCNICA


RADIOLÓGICA CONVENCIONAL :
(A) DETECTOR
(B) DENSIDADE
(C) COLIMAÇÃO
(D) POSIÇÃO DO PACIENTE
(E) MARCADORES DO FILME

1231 – O TEMPO MÉDIO PARA QUE O FILME PERMANEÇA NA SOLUÇÃO DE REVELADOR, NO


PROCESSAMENTO MANUAL É DE :
(A) 3 MINUTOS
(B) 7 MINUTOS
(C) 12 MINUTOS
(D) 15 MINUTOS
(E) 20 MINUTOS
GABARITO:

1232 – D
1232 – OS ECRANS DEVEM SER LIMPOS SEMANALMENTE, POIS ESTA PRÁTICA ASSEGURA :
(A) DIMINUIÇÃO NA DURABILIDADE DA CAPACIDADE FLUORESCENTE 1233 – B
(B) MELHOR QUALIDADE DOS DOSÍMETROS
(C) PIORA NA DURABILIDADE DA CAPACIDADE FLUORESCENTE 1234 - A
(D) MELHOR QUALIDADE DA IMAGEM RADIOGRÁFICA
(E) MELHOR QUALIDADE NO APARELHO DE RAIOS X

1233 – O PROCESSAMENTO MANUAL DO FILME OBEDECE, RESPECTIVAMENTE, AS SEGUINTES


FASES:
(A) REVELAÇÃO, LAVAGEM. FIXAÇÃO E SECAGEM
(B) REVELAÇÃO, LAVAGEM ,FIXAÇÃO, LAVAGEM E SECAGEM
(C) REVELAÇÃO, FIXAÇÃO, SECAGEM E LAVAGEM
(D) REVELAÇÃO, SECAGEM, FIXAÇÃO E LAVAGEM
(E) FIXAÇÃO, REVELAÇÃO, LAVAGEM E SECAGEM

1234 – PARA LIMITAR A EXPOSIÇÃO DOS PACIENTES À RADIAÇÃO DEVE-SE:


(A) EVITAR A REPETIÇÃO DESNECESSÁRIA DE RADIOGRAFIAS
(B) DEIXAR DE USAR A COLIMAÇÃO
(C) IRRADIAR UM CAMPO MAIOR QUE A ÁREA DE INTERESSE
(D) EVITAR O USO DE PROTETORES DE ÁREA ESPECÍFICA
(E) UTILIZAR COMBINAÇÕES DE ÉCRAN-FILME DE BAIXA VELOCIDADE
GABARITO:

1235 – E
1235 – A ABSORÇÃO DO FEIXE DE RAIOS X DE BAIXA ENERGIA ( QUE NÃO SÃO ÚTEIS), PERMITINDO
A PASSAGEM DE FÓTONS DE MAIOR ENERGIA, É DENOMINADA: 1236 – B
(A) COLIMAÇÃO
(B) DIVERGÊNCIA 1237 - D
(C) EFEITO ANÓDIO
(D) ESPALHAMENTO
(E) FILTRAÇÃO

1236 – A UTILIZAÇÃO DOS ECRANS, TEM COMO CONSEQUÊNCIA :


(A) O AUMENTO DA DOSE NECESSÁRIA DE RAIOS X
(B) A REDUÇÃO DA DOSE DE RADIAÇÃO RECEBIDA PELO PACIENTE
(C) O DESVIO DO PONTO FOCAL
(D) A AMPLIAÇÃO DA IMAGEM RADIOGRÁFICA
(E) O VELAMENTO COMPLETO DO FILME

1237 – OS AVENTAIS DE BORRACHA PLUMBÍFERA TEM POR OBJETIVO:


(A) MAXIMIZAR A RADIAÇÃO DISPERSA
(B) PERMITIR A PASSAGEM DE RAIOS X AO TÉCNICO
(C) EXPOR UMA MAIOR ÁREA CORPORAL AOS RAIOS X
(D) PROTEGER O PROFISSIONAL TÉCNICO QUANTO A EXPOSIÇÃO A RADIAÇÃO
(E) MANTER ALTAS AS DOSES DE RADIAÇÃO SOB O AVENTAL
GABARITO:

1238 – A
1238 – FATORES RADIOGRÁFICOS ADEQUADAMENTE UTILIZADOS, CONTRIBUEM PARA:
(A) UMA MELHOR QUALIDADE DA RADIOGRAFIA 1239 – C
(B) O AUMENTO DA EXPOSIÇÃO DO PACIENTE À RADIAÇÃO
(C) A REDUÇÃO DAS INFORMAÇÕES DIAGNÓSTICAS 1240 - E
(D) A PIORA DA QUALIDADE DA RADIOGRAFIA
(E) A DISTORÇÃO EXAGERADA DA IMAGEM

1239 – O GRAU DE ENEGRECIMENTO DA RADIOGRAFIA PROCESSADA DENOMINA-SE:


(A) DETALHE
(B) DISTORÇÃO
(C) DENSIDADE
(D) CONTRASTE
(E) DIVERGÊNCIA

1240 – O ALINHAMENTO MAIS PARALELO POSSÍVEL DA PARTE DO CORPO RADIOGRAFADA COM O


PLANO DO FILME RESULTA EM:
(A) REDUÇÃO E DISTORÇÃO DA IMAGEM
(B) REDUÇÃO DA IMAGEM
(C) MAIOR DISTORÇÃO DA IMAGEM
(D) AMPLIAÇÃO DA IMAGEM
(E) MENOR DISTORÇÃO NA FORMA DA IMAGEM
GABARITO:

1241 – B
1241 – O ENEGRECIMENTO DO FILME APÓS A EXPOSIÇÃO AOS RAIOS X É OCASIONADO PELA
PRESENÇA NA EMULSÃO DE UMA SUBSTÂNCIA CHAMADA: 1242 – C
(A) SULFATO DE BÁRIO
(B) BROMETO DE PRATA 1243 - B
(C) CLORETO DE SÓDIO
(D) SAIS DE OURO
(E) IODETO DE POTÁSSIO

1242 - PARA SER UM BOM PROFISSIONAL EM RADIOLOGIA É PRECISO CONHECER BEM OS TERMOS
TÉCNICOS DE SUA ESPECIALIDADE. KENNETH L. BONTRAGER, MOSTRA QUE, O TERMO
INCIDÊNCIA DEVE FICAR RESTRITO A DISCUSSÃO DO:
(A) POSICIONAMENTO DO CORPO
(B TRAJETO DO RAIO CENTRAL QUANDO HÁ UMA RELAÇÃO AO OBJETO A SER RADIOGRAFADO.
(C) TRAJETO DO RAIO CENTRAL
(D) EFEITO DO OBJETO EM RELAÇÃO AO FILME.
(E) PROJEÇÃO DA IMAGEM NO FILME

1243 - QUAIS DOS FATORES MODIFICADORES DO ESPECTRO DOS RAIOS-X ABAIXO IRÃO ALTERAR
A ENERGIA MÁXIMA DOS FÓTONS “X” E, PORTANTO, A QUALIDADE DOS RX RODUZIDOS?
(A) MATERIAL DO ALVO (B) VOLTAGEM APLICADA
(C) A CORRENTE NO TUBO (D) FORMA DA ONDA DA VOLTAGEM APLICADA.
(E) O MATERIAL COM QUE É CONFECCIONAD A AMPOLA
GABARITO:

1244 – B
1244 - O GRAU DE ENEGRECIMENTO DA RADIOGRAFIA PROCESSADA É DESCRITO PELO FATOR DE:
(A) CONTRASTE 1245 – A
(B) DENSIDADE
(C) BRILHO
(D) PENETRAÇÃO
(E) TEMPERATURA DO SECADOR

1245 - RELACIONE A COLUNA DA DIREITA COM A DA ESQUERDA, SOBRE O MOVIMENTO DE FLEXÃO


DO PUNHO, PARA MELHOR VISUALIZAR OS OSSOS CORRESPONDENTES. A SEGUIR, INDIQUE A
OPÇÃO COM A SEQÜÊNCIA CORRETA.
I - FLEXÃO ULNAR
II - FLEXÃO RADIAL
( ) HAMATO
( ) PSIFORME
( ) SEMILUNAR
( ) ESCAFÓIDE
(A) II – II – II - I.
(B) I – II – I - I.
(C) I – I – II – II.
(D) I – I – I – II.
(E) I – I – I - I
GABARITO:

1246 – A
1246 – APÓS SOFRER UM ASSALTO E SER BALEADO, UM HOMEM DEU ENTRADA NO HOSPITAL,
ONDE, AO EXAME INICIAL, FOI CONSTATADO PELO MÉDICO UMA ÚNICA PERFURAÇÃO POR
1247 – D
PROJETIL DE ARMA DE FOGO NO 1/3 MÉDIO DO HEMITÓRAX DIREITO. SUSPEITANDO DE
HEMOPNEUMOTORAX, ENCAMINHOU O HOMEM A RADIOLOGIA PARA REALIZAR EXAMES.
QUAL INCIDÊNCIA É MAIS APROPRIADA PARA MELHOR VISUALIZAR O POSSÍVEL
HEMOPNEUMOTORAX:
(A) DECÚBITO LATERAL ESQUERDO (AP) (B) SEMI-AXIAL (AP)
(C) DECÚBITO LATERAL DIREITO (AP) (D) ÁPICO LORDÓTICA
(E) NENHUMA DAS OPÇÕES ANTERIORES

1247 – 1º SARGENTO ROBERTO, TÉCNICO EM RAIOS-X, APÓS RECEBER UMA REQUISIÇÃO MÉDICA
SOLICITANDO UM EXAME DE ABDOME NA INCIDÊNCIA AP – POSIÇÃO ORTOSTÁTICA, TEVE
DÚVIDA E CONSULTOU O LIVRO DE TÉCNICAS DE KENNTH L. BONTRAGER. ASSINALE FALSO
(F) OU VERDADEIRO (V) PARA A TÉCNICA OBSERVADA NA BIBLIOGRAFIA CONSULTADA PARA O
EXAME EM QUESTÃO. A SEGUIR, INDIQUE A OPÇÃO COM A SEQÜÊNCIA CORRETA:
( ) O PACIENTE DEVE PERMANECER EM POSIÇÃO ORTOSTÁTICA POR, NO MÍNIMO, 05 MINUTOS
ANTES DA EXPOSIÇÃO.
( ) O PLANO MÉDIO SAGITAL DO CORPO DEVE ESTAR CENTRALIZADO NA LINHA MÉDIA DA MESA.
( ) SE O PACIENTE ESTIVER DEBILITADO, NÃO TENDO CONDIÇÕES DE REALIZAR A POSIÇÃO EM
ORTOSTASE, A OPÇÃO CORRETA É REALIZAR O EXAME EM TRENDELENBURG.
( ) AO OBSERVARMOS QUE O PACIENTE TEM ACÚMULO DE GÁS INTRA-ABDOMINAL, ATENTAR
PARA UMA BOA VISUALIZAÇÃO DA BEXIGA.
(A) F – F – V – V. (B) V – F – V – F. (C) V – F – V – V. (D) V – V – F – F. (E) F- F- F- F
GABARITO:

1248 – C
1248 – EM UMA SERIOGRAFIA DO INTESTINO DELGADO O ESTUDO RADIOLÓGICO É GERALMENTE
CONCLUÍDO QUANDO O CONTRASTE ATINGE O: 1249 – B
(A) CECO – CÓLON DESCENDENTE
(B) ÍLEO – CÓLON DESCENDENTE 1250 - C
(C) CECO – CÓLON ASCENDENTE
(D) ÍLEO – CÓLON ASCENDENTE
(E) O SIGMÓIDE

1249 – É A DIFERENÇA DE DENSIDADE ÓPTICAS ENTRE DOIS PONTOS DO FILME, PROVOCANDO


UMA DIFERENÇA DE EXPOSIÇÕES NESTES DOIS PONTOS.
(A) LATITUDE
(B) CONTRASTE
(C) VELOCIDADE
(D) CURVA CARACTERÍSTICA
(E) FLOW

1250 – QUAL O PROCEDIMENTO APLICADO NA CONSTITUIÇÃO DE UM TUBO DE RAIOS X VISANDO


EVITAR A PERDA DE ENERGIA DOS ELÉTRONS NO CAMINHO ENTRE O FILAMENTO E O ALVO?
(A) AERAÇÃO COM AR AMBIENTE
(B) RESFRIAMENTO INTERNO POR ÓLEO
(C) VÁCUO TANTO QUANTO POSSÍVEL
(D) REFRIAMENTO INTERNO PRO GÁS HÉLIO
(E) COLOCAÇÃO DE FILTRO DE ALUMÍNIO NA JANELA DO TUBO
GABARITO:

1251 – C
1251 - A ARTICULAÇÃO DO PUNHO É TAMBÉM CHAMADA DE:
(A) GINGLIÓIDE 1252 – A
(B) TROCÓIDE
(C) ESFERÓIDE 1253 - C
(D) ELIPSÓIDE
(E) DIPLÓIDE

1252 – ARMAZENAR CÁLCIO É FUNÇÃO DO SISTEMA


(A) ESQUELÉTICO
(B) DIGESTIVO
(C) ENDÓCRINO
(D) TEGUMENTAR
(E) MUSCULAR

1253 – COMO SE CHAMA A PORÇÃO ABDOMINAL DISTAL DO ESÔFAGO QUE SE CURVA


SUBTAMENTE EM UMA PORÇÃO LEVEMENTE EXPANDIDA DO ESTÔMAGO?
(A) PILORO CÁRDÍACO
(B) ESFINCTER CÁRDÍACO
(C) ANTRO CÁRDÍACO
(D) ÓSTIO CÁRDÍACO
(E) FÓRNIX
GABARITO:

1254 – B
1254 – DEVIDO A UM GRANDE CALOR DISSIPADO EM UM ALVO DE UMA AMPOLA DE RAIOS -X
DIAGNÓSTICO, EXISTE UM DISPOSITIVO QUE, VARIANDO A ÁREA DE FOCO, DISSIPA ESTE
1255 – B
CALOR. ESTE DISPOSITIVO É CONHECIDO COMO.
(A) PLACA DIFUSORA
(B) ANÓDIO GIRATÓRIO
(C) CATODO GIRATÓRIO
(D) TRANSDUTOR DO FILAMENTO.
(E) CAPA ENFOCADORA

1255 – “QUANDO ELÉTRONS DO FEIXE OU FÓTONS PRODUZIDOS NO ALVO REMOVEM ELÉTRONS


DE CAMADAS INTERNAS DO ÁTOMOS DO ALVO, HAVERÁ UMA IONIZAÇÃO, E ESTES ÁTOMOS
IONIZADOS VOLTAM AO SEU ESTADO NORMAL, PREENCHENDO A VAGA CRIADA PELO
ELÉTRON EJETADO COM ELÉTRONS MAIS EXTERNOS, E ASSIM POR DIANTE, ATÉ QUE TODAS
AS VAGAS SEJAM PREENCHIDAS”. NESSE PROCESSO ACONTECE A EMISSÃO DE RADIAÇÃO
CARACTERÍSTICA, QUE É FORMATORA DO _________ DOS RAIOS – X.
(A) ESPECTRO CONTÍNUO
(B) ESPECTRO DE LINHAS
(C) ESPECTRO TOTAL
(D) ESPECTRO ACELERADO
(E) ESPÉCTRO NULO
GABARITO:

1256 – C
1256 – SUBOFICIAL MEDEIROS, TÉCNICA EM RAIOS-X, CONHECEDORA DOS PROCEDIMENTOS EM
MAMOGRAFIA, SABE QUE A DOSE CUTÂNEA NESTE EXAME É SUPERIOR A DE MUITAS OUTRAS
1257 – A
PARTES DO CORPO POR CONTAR COM UM KV MUITO BAIXO ( 25/28) E O MAS ALTO (75/85).
DESTA FORMA, PARA REDUZIR A DOSE PARA A PACIENTE, OBSERVA PRINCIPALMENTE QUAL
PROCEDIMENTO?
(A) UTILIZA-SE DO COLIMADOR PARA REDUZIR O MÍNIMO A ÁREA A SER IRRADIADA.
(B) CONSTANTEMENTE ESTÁ SE APURANDO NOVAS TÉCNICAS QUE REDUZAM AINDA MAIS A DOSE
PARA AS PACIENTES INDEPENDENTEMENTE DA QUALIDADE DA IMAGEM.
(C) POSICIONA-SE CUIDADOSAMENTE E DE FORMA PRECISA A REGIÃO A SER EXAMINADA,
MINIMIZANDO A NECESSIDADE DE REPETIÇÃO.
(D) COMPRIME O MÍNIMO POSSÍVEL A MAMA PARA REDUZIR A ÁREA DE PENETRAÇÃO
(E) PEDE A PACIENTE QUE COMPRIMA A MAMA A SER EXAMINADA COM SUA PRÓPRIA MÃO

1257 - O CAPITÃO MÉDICO JANDIR, SOLICITOU AO 2º SARGENTO PEREIRA QUE COLOCASSE A


PACIENTE, SRA. ZILDA, NA POSIÇÃO DE “FOWLER” PARA REALIZAÇÃO DE UM EXAME. ESTA
POSIÇÃO CONSTA DE UMA
(A) POSIÇÃO DE DECÚBITO COM O PLANO DO CORPO INCLINADO, DE FORMA QUE A CABEÇA
FIQUE MAIS ALTA DO QUE OS PÉS.
(B) POSIÇÃO DE DECÚBITO COM OS JOELHOS E QUADRIL FLETIDOS E COXAS ABDUZIDAS E
RODADAS EXTREMAMENTE, SUSTENTADAS POR SUPORTES PARA AS PERNAS E
TORNOZELOS.
(C) POSIÇÃO DE DECÚBITO COM PLANO DO CORPO INCLINADO, DE FORMA QUE A CABEÇA FIQUE
MAIS BAIXA QUE OS PÉS.
(D) POSIÇÃO DEITADA SOBRE O ABDOME, COMO FACE VOLTADA PARA BAIXO.
(E) LEVE FLEXÃO DA COLUNA CERVICAL APOIANDO O CRÂNIO NA ESTATIVA
GABARITO:

1258 – D
1258 – INFORME SE É FALSO (F) OU VERDADEIRO (V) PARA OS FATORES QUE REDUZEM A
EXPOSIÇÃO DO PACIENTE À RADIAÇÃO. A SEGUIR, INDIQUE A OPÇÃO COM A SEQÜÊNCIA
1259 – A
CORRETA.
( ) ALTA KILOVONTAGEM
( ) BAIXA KILOVOLTAGEM
( ) USO DE FILTRAGEM
( ) TELAS INTENSIFICADORAS
(A) V – F – V – V .
(B) F –V – V – F
(C) F – V – V- V.
(D) V – V – V –V .
(E) F – F – F – F

1259 – SÃO UTILIZADAS PARA REDUZIR A RADIAÇÃO ESPALHADA PELO PACIENTE E QUE CHEGAM
AO FILME CAUSANDO UMA PERDA DE CONTRASTE SENDO, PORTANTO, INDESEJÁVEIS.
(A) GRADES PARALELAS OU FOCADAS
(B) CORTINAS PLUMBÍFERAS
(C) TELAS INTENSIFICADORAS
(D) TELAS FLUORESCENTES
(E) CILINDRO DE EXTENSÃO
GABARITO:

1260 – C
1260 - RELACIONE AS COLUNAS ABAIXO SOBRE POSICIONAMENTO RADIOLÓGICO. A SEGUIR,
INDIQUE A OPÇÃO COM A SEQÜÊNCIA CORRETA. 1261 – B
I- DECÚBITO LATERAL ESQUERDO (INCIDÊNCIA AP)
II- DECÚBITO VENTRAL (LATERAL DIREITO)
III-OBLÍQUA
IV- LATERAL VERDADEIRO
( ) 90º , PERPENDICULAR OU EM ÂNGULO RETO COM A INCIDÊNCIA AP OU PA VERDADEIRA
( ) PACIENTE DEITADO SOBRE A SUPERFICIE VENTRAL (ANTERIOR) COM O FEIXE DE RAIOS -X
DIRECIONADO HORIZONTALMENTE E LATERALMENTE SAINDO DO LADO DIREITO.
( ) POSIÇÃO NA QUAL O PACIENTE DEITA-SE SOBRE O SEU LADO ESQUERDO, E O FEIXE DE
RAIOS-X É DIRECIONADO HORIZONTALMENTE DA FACE ANTERIOR PARA A POSTERIOR.
( ) PLANO MEDIANO SAGITAL DO PACIENTE FAZ COM A ESTATIVA OU MESA UM ÂNGULO DE 45º
(A) II – IV – III – I
(B) IV – II – III – I
(C) IV – II – I – III.
(D) II – I – IV – III.
(E) II – III – IV - I

1261 - A FACE POSSUI ____ OSSOS.


(A) 08
(B) 14
(C) 10
(D) 20
(E) 34
GABARITO:

1262 – D
1262 – A BOA OBLIQUIDADE ESPERADA DE RADIOGRAFIA DO SEGMENTO DA COLUNA _____ É BEM
DEMONSTRADA PELA APARÊNCIA DAS REFERIDAS PORÇÕES ÓSSEAS SIMILARES A FIGURAS
1263 – C
DE CÃES ( CÃO ESCOCÊS).
(A) SACRO 1264 - D
(B) CERVICAL
(C) TORÁRICA
(D) LOMBAR
(E) COCCÍGEA

1263 – PARA EVITARMOS A SUPERPOSIÇÃO DO RÁDIO E DA ULNA NO EXAME DE ANTEBRAÇO,


DEVEMOS RADIOGRAFAR O ANTEBRAÇO.
(A) COM A MÃO EM PRONAÇÃO.
(B) COM A PALMA DA MÃO VOLTADA PARA BAIXO, FLEXIONANDO O COTOVELO EM 90º.
(C) COM A MÃO EM SUPINAÇÃO
(D) TRACIONANDO-O, O QUE IRÁ FACILITAR A VISUALIZAÇÕA DESTES OSSOS SUPERPOSTOS.
(E) COM O PUNHO EM FLEXÃO MÁXIMA

1264 –NA INCIDÊNCIA DORSOPLANTAR PARA RADIOGRAFAR O PÉ, O RAIO CENTRAL (RC) DEVE SER
ANGULADO
(A) 15º EM DIREÇÃO AS FALANGES
(B) 05 º EM DIREÇÃO AS FALANGES
(C) 05º EM DIREÇÃO AO CALCANHAR
(D) 10º EM DIREÇÃO AO CALCANHAR
(E) 25º EM DIREÇÃO AO HÁLLUX
GABARITO:

1265 – D
1265 - AO DEPARAR-SE COM UMA SOLICITAÇÃO MÉDICA, O 1º SARGENTO MARINHO, TÉCNICO EM
RAIOS-X, VERIFICOU QUE O PEDIDO NÃO RELATAVA O NOME DO QUIRODÁCTILO A SER 1266 – C
RADIOGRAFADO, E SIM SOMENTE O NÚMERO. ASSINALE O NÚMERO QUE CORRESPONDE AO
QUIRODÁCTILO COM APENAS DUAS FALANGES 1267 - B
(A) 5º (QUINTO)
(B) 2º (SEGUNDO)
(C) 3º (TERCEIRO)
(D) 1º (PRIMEIRO)
(E) 4º (QUARTO)

1266 - A ARTICULAÇÃO DO FÊMUR COM A BACIA É CHAMADA


(A) ARTICULAÇÃO SACRO-ILIACA
(B) CINTURA FEMURAL
(C) ARTICULAÇÃO DO QUADRIL
(D) ARTICULAÇÃO ILÍACA-ACETABULAR
(E) ARTICULÇÃO TEMPORO-MNDIBULAR

1267 – QUAL A ANGULAÇÃO E DIREÇÃO DO RAIO CENTRAL (RC) PARA A INCIDÊNCIA


MEDIOLATERAL DO JOELHO?
(A) 05º A 07º CAUDAL
(B) 05º A 07º CEFÁLICO
(C) 10º a 15º CAUDAL
(D) 10º A 15º CAUDAL
(E) 15º A 25º CEFÁLICO
GABARITO:

1268 – A
1268 – AS 4 DIVISÕES GERAIS DO SISTEMA RESPIRATÓRIO SÃO:
(A) FARINGE, TRAQUÉIA, BRÔNQUIOS E PULMÕES. 1269 – D
(B) LARINGE, TRAQUÉIA, BRÔNQUIOS E PULMÕES.
(C) FARINGE, LARINGE, BRÔNQUIOS E PULMÕES. 1270 - D
(D) FARINGE, LARINGE, BRONQUÍOLOS E PULMÕES.
(E) OROFARINGE, NASOFARINGE, LARINGE E BRONQUÍOLOS

1269 – A INCIDÊNCIA ESPECIAL PARA PELVE, EM QUE VISUALIZARMOS CABEÇA, COLOS E ÁREAS
TROCANTÉRICAS DO FÊMUR, BUSCANDO PESQUISAR LUXAÇÃO CONGÊNITA DO QUADRIL
(LCQ) É:
(A) OBLÍQUA ANTERIOR
(B) AP DE PELVE
(C) AXIAL AP
(D) “PERNA DE RÔ
(E) CHASSARD - LAPIÑE

1270 - A GRANDE ABERTURA FORMADA PELO RAMO E O CORPO DE CADA ÍSQUIO E PELO PÚBLIS
É CHAMADO DE
(A) FORAME MAGNO
(B) FORAME PÉLVICO
(C) FORAME ACETABULAR
(D) FORAME OBTURADOR
(E) FORAME OVAL
GABARITO:

1271 – B
1271 – É O MÚSCULO QUE DEVE SER VISUALIZADO NA RADIOGRAFIA DE ABDOME QUANDO SÃO
UTILIZADOS FATORES DE EXPOSIÇÃO CORRETOS. 1272 – B
(A) DIAFRAGMA
(B) PSOAS MAIOR 1273 - C
(C) CARDÍACO
(D) RETO ABDOMINAL
(E) QUADRÍCEPS

1272 – É O MEIO DE CONTRASTE POSITIVO OU RADIOPACO MAIS COMUMENTE USADO PARA O


SISTEMA GASTROINTESTINAL (GI)
(A) SULFATO DE SÓDIO
(B) SULFATO DE BÁRIO
(C) HIDRÓXIDO DE BÁRIO
(D) HIDRÓXIDO DE SÓDIO
(E) IODADO NÃO IÔNICO LIPOSSOLÚVEL

1273 – SEGUNDO KENNETH L. BONTRAGER, A DISTÂNCIA FOCO-FILME (Dfofi) MÍNIMA PARA SE


REALIZAR RADIOGRAFIAS DOS ARCOS COSTAIS EM AP É
(A) 150 CM
(B) 120 CM
(C) 102 CM
(D) 180 CM.
(E) 90 CM
GABARITO:

1274 – B
1274 – O FORAME ÓPTICO FICA LOCALIZADO NO OSSO.
(A) ETMÓIDE 1275 – D
(B) ESFENÓIDE
(C) MAXILAR 1276 - D
(D) PALATINO
(E) PARIETRAL

1275 – A PRIMEIRA VÉRTEBRA CERVICAL RECEBE O NOME DE.


(A) FORAME MAGNO
(B) BÍFIDA
(C) AXIS
(D) ATLAS
(E) PROEMINENTE

1276 – ASSINALE ABAIXO QUAL O ÓRGÃO DIGESTIVO QUE NÃO PERTENCE À CAVIDADE
ABDOMINAL
(A) INTESTINO DELGADO
(B) ESTÔMAGO
(C) INTESTINO GROSSO
(D) ESÔFAGO
(E) AMÍGDALAS
GABARITO:

1277 – B
1277 – O INTESTINO DELGADO SE DIVIDE BASICAMENTE EM
(A) 05 PARTES 1278 – A
(B) 03 PARTES
(C) 04 PARTES 1279 - C
(D) 02 PARTES
(E) 01 PARTE

1278 – O COMPRIMENTO DO DUODENO TEM CERCA DE


(A) 25 CM
(B) 20 CM
(C) 35 CM
(D) 10 CM
(E) 40 CM

1279 – “AO TÉCNICO EM RAIOS-X É EXIGIDA UMA ATENÇÃO ESPECIAL AO REALIZAR EXAMES EM
PEDIATRIA”. DE ACORDO COM ESTA AFIRMAÇÃO, ASSINALE A ALTERNATIVA QUE NÃO CONDIZ
COM A CONDUTA EXIGIDA.
(A) AVALIAR OBJETIVAMENTE A NECESSIDADE DA PRESENÇA DOS PAIS NA SALA DE RAIOS X.
(B) O TÉCNICO DEVE LEVAR O TEMPO NECESSÁRIO PARA EXPLICAR O PROCEDIMENTO A SER
REALIZADO PARA OS PAIS E PARA A CRIANÇA EM UMA LINGUAGEM COMPREENSÍVEL
(C) UMA VEZ NA SALA,O TÉCNICO DEVE EXECUTAR O MAIS PRONTAMENTE POSSÍVEL O EXAME.
(D) O TÉCNICO NÃO DEVE SUPOR QUE UMA CRIANÇA NÃO POSSA COOPERAR COM O EXAME, DEVE
REALIZAR UM PRIMEIRO CONTATO PARA CONHECER O SEU GRAU DE COMPREENSÃO
(E) O EXAME DEVERÁ SER REALIZADO RAPIDAMENTE SEM MUITAS EXPLICAÇÕES.
GABARITO:

1280 – D
1280 – EM CASO DE VÍSCERAS PEFURADAS, QUAL O PROCEDIMENTO PARA O CONTRASTE USADO
(A) USAMOS O CONTRASTE BARITADO COM O IODO HIDROSSOLÚVEL EM PROPORÇÃO DE 10/90.
1281 – A
(B) DEVEMOS UTILIZAR O AR AMBIENTE COMO MEIO DE CONTRASTE.
(C) DEVEMOS DILUIR O CONTRASTE BARITADO NA PROPORÇÃO DE 50 % EM ÁGUA MINERAL1282 - B
(D) DEVEMOS UTILIZAR O IODO HIDROSSOLÚVEL
(E) DEVEMOS USAR CO2 E SULFATO DE BÁRIO

1281 – “DIMINUIR A ESPESSURA DA MAMA” E “COLOCAÇÃO DAS ESTRUTURAS MAMÁRIAS O


MAIS PRÓXIMO DO FILME POSSÍVEL” SÃO ESTRUTURAS MAMÁRIAS O MAIS PRÓXIMO DO
FILME POSSÍVEL” SÃO OBJETIVOS DA ____, FATORES ESTES QUE MELHORAM A QUALIDADE
DA IMAGEM.
(A) COMPRESSÃO
(B) AMPLIAÇÃO
(C) EFEITO ANÓDIO PROEMINENTE
(D) GRADE
(E) DISTORÇÃO

1282 – AO LONGO DA BORDA MEDIAL DE CADA RIM HÁ UMA FISSURA LONGITUDINAL, DE


LOCALIZAÇÃO CENTRAL, CHAMADA.
(A) MEDULA
(B) HILO
(C) GLOMÉRULO
(D) PÓLO
(E) ÍSTIMO
GABARITO:

1283 – A
1283 – KENNETH L. BONTRAGER REFERE EM SUA LITERATURA QUE MUITOS PACIENTES SUJEITOS
A CONTRASTES IODADOS CORREM MAIOR RISCO DE REAÇÕES QUANDO APRESENTAM1284 – B
HISTÓRIA DE ALGUMAS DOENÇAS. ASSINALE, DAS DOENÇAS ABAIXO, QUAL A QUE NÃO VAI
ALTERAR OU CAUSAR RISCO AO PACIENTE SUJEITO A ESTE CONTRASTE, SEGUNDO O AUTOR.
(A) HIPERTENSÃO ARTERIAL
(B) DOENÇA RENAL CRÔNICA
(C) MIELOMA MÚLTIPLO
(D) DIABETES MELLITUS
(E) MIOPIA

1284 – INFORME SE É FALSO (F) OU VERDADEIRO (V) O QUE SE AFIRMA ABAIXO SOBRE
RESSONÂNCIA MAGNÉTICA (RM). A SEGUIR, INDIQUE A OPÇÃO COM A SEQÜÊNCIA CORRETA.
( ) COM O MAGNETO ABERTO, OS IDOSOS E AS CRIANÇAS FICAM MAIS TRANQUILOS PELA
AUSÊNCIA DO TÚNEL.
( ) AS BOBINAS DE SUPERFÍCIE PREJUDICAM SENSIVELMENTE A QUALIDADE DA IMAGEM POR RM.
( ) NA ORIGEM DOS SINAIS DA RM NUCLEAR, OS NÚCLEOS TÊM MOVIMENTO DE ROTAÇÃO OU
GIRO SOBRE SI.
( ) O TEMPO DE REPETIÇÃO (TR) É O TEMPO ENTRE O INÍCIO DE PULSO 90º E O INÍCIO DO PRÓXIMO
DE 45º.
(A) F – V – V – F.
(B) V – F – V – F .
(C) V – F – F – V.
(D) F – V – F – V.
(E) V – V – V – V.
GABARITO:

1285 – C
1285 – ASSINALE A ALTERNATIVA CORRETA CONTENDO OS ÓRGÃOS ACESSÓRIOS DA DIGESTÃO.
(A) FARINGE – ESÔFAGO – PÂNCREAS – VESÍCULA BILIAR. 1286 – D
(B) LARINGE – FIGADO – BAÇO – INTESTINO GROSSO
(C) GLÂNDULAS SALIVARES – FIGADO – VESICULA BILIAR – PANCREAS 1287 - A
(D) GLANDULAS SALIVARES – FIGADO – VESICULA BILIAR – BAÇO.
(E) FÍGADO - BAÇO - FARINGE - LARINGE

1286 – AO RADIOGRAFAR UM PACIENTE EM AP DE JOELHOS, O 1º SARGENTO LEVY UTILIZOU UM


FILME PEQUENO E, COMO ESTES MEMBROS FAZIAM UMA CURVATURA EM DIREÇÃO OPOSTA À
LINHA MÉDIA DO CORPO, ELE PERDEU O EXAME POR FALTA DE ENQUADRAMENTO. O
PACIENTE REFERIDO POSSUI OS JOELHOS EM QUE TIPO DE CURVATURA?
(A) INVERSÃO
(B) VARO
(C) EXTENSÃO
(D) VAGO
(E) ESCOLIÓTICA

1287 – QUANDO A RADIAÇÃO INTERAGE COM OS CRISTAIS DE BROMETO DE PRATA FIXADO NA


BASE DE MATERIAL PLÁSTICO, ESTES CRISTAIS FICAM SUSCETÍVEIS A MUDANÇAS QUÍMICAS
E FORMAM O QUE É CONHECIDO POR
(A) IMAGEM LATENTE
(B) IMAGEM CINÉTICA
(C) EFEITO CINÉTICO
(D) EFEITO ANÓDIO
(E) EFEITO COMPTON
GABARITO:

1288 – D
1288 – INFORME SE É FALSO (F) OU VERDADEIRO (V) O QUE SE AFIRMA ABAIXO SOBRE PROTEÇÃO
CONTRA RADIAÇÕES IONIZANTES. A SEGUIR, INDIQUE A OPÇÃO COM A SEQUÊNCIA CORRETA. 1289 – C
( ) SE NÃO FOR CONHECIDA A DOSE ANTERIOR ACUMULADA POR UM TRABALHADOR COM
RADIAÇÕES IONIZANTES,A DMITE-SE QUE ESTE TRABALHADOR RECEBEU A DOSE MÁXIMA
PERMISSÍVEL.
( ) O FETO DE MULHER GRÁVIDA, TRABALHADORA COM RADIAÇÕES IONIZANTES, NÃO PODE
RECEBER UMA DOSE MAIOR DE 05 REM.
( ) AS DOSES MÁXIMAS PERMISSÍVEIS NÃO DEVEM SER EXCEDIDAS EM UM PERÍODO DE 01 ANO.
( ) PARA O CORPO TODO, GÔNADAS E ÓRGÃO FORMADORES DE SANGUE, A DOSE MÁXIMA
PERMISSÍVEL EM UM TRIMESTRE É DE 03 REM, DESDE QUE A DOSE NOS ÚLTIMOS 12 MESES
NÃO EXCEDA A 05 REM.
(A) F – F – V – F . (B) V – V – F – F . (C) F – F – V – V . (D) V – F – V – V . (E) F –F –F –F.

1289 – QUANDO AFIRMAMOS QUE OS FILTROS “ENDURECEM” O FEIXE ESTAMOS DIZENDO QUE OS
FILTROS
(A) AMPLIFICAM AS RADIAÇÕES DE BAIXA ENERGIA E ABSORVEM TOTALMENTE AS DE MAIOR
ENERGIA.
(B) AMPLIFICAM AS RADIAÇÕES DE BAIXA ENERGIA E ABSORVEM EM PARTE AS RADIAÇÕES DE
MAIOR ENERGIA
(C) REMOVEM AS RADIAÇÕES DE BAIXA ENERGIA E DEIXAM PASSAR AS DA MAIOR ENERGIA.
(D) REMOVEM AS RADIAÇÕES DE BAIXA ENERGIA E AMPLIFICAM AS DE MAIOR ENERGIA.
(E) RETÉM AS RADIAÇÕES DE BAIXA E ALTA ENERGIA
GABARITO:

1290 – D
1290 – APÓS UM ACIDENTE AUTOMOBILÍSTICO, O SUBOFICIAL HONORITO FOI ENCAMINHADO AO
SETOR DE EMERGÊNCIA DO HOSPITAL DOS AFONSOS. FEITO OS PRIMEIROS ATENDIMENTOS,
1291 – C
O MÉDICO-DE-DIA REQUISITOU AO SETOR DE RADIOLOGIA EXAMES DA COLUNA CERVICAL DO
MILITAR E, EM SEU PEDIDO, CONSTAVAM AS POSIÇÕES DE ROTINA E UMA ESPECIAL PARA
EXCLUIR LESÕES DO TIPO “CHICOTADA”. QUAL DOS PROCEDIMENTOS ABAIXO FOI ADOTADO
PELO TÉCNICO PARA REALIZAR ESTA POSIÇÃO ESPECIAL?
(A) POSIÇÃO LATERAL, FEIXE HORIZONTAL
(B) MÉTODO DE OTTONELLO
(C) POSIÇÃO LATERAL CÉRVICO –TORÁCICO ( DO NADADOR)
(D) POSIÇÃO LATERAL – HIPERFLEXÃO E HIPOFLEXÃO
(E) TRANS-ORAL

1291 - AS RADIOGRAFIAS DE COLUNA CERVICAL EM OBLÍQUAS, PREFERENCIALMENTE SÃO


REALIZADAS AS OBLIQUAS POSTERIORES. QUAL DAS OPÇÕES ABAIXO JUSTIFICA ESTA
ESCOLHA TÉCNICA?
(A) MELHORA A VISUALIZAÇÃO DOS FORAMES INTERVERTEBRAIS
(B) TRAZ MAIS COMODIDADE PARA O PACIENTE
(C) REDUZ AS DOSES TIREOIDIANAS
(D) OS RAMOS DA MANDÍBULA NÃO SE SUPERPÕE À VERTEBRA CERVICAL SUPERIOR
(E) AUMENTA O DIÂMETRO DOS FORÂMES INERVERTEBRABRAIS
GABARITO:

1292 – B
1292 - RELACIONE A COLUNA DA DIREITA COM A DA ESQUERDA E, A SEGUIR, INDIQUE A OPÇÃO
COM A SEQUÊNCIA CORRETA. 1293 – A
I – ÓRGÃOS INFRAPERITONEAIS
II – ÓRGÃOS RETROPERITONEAIS
( ) BEXIGA
( ) DUODENO
( ) AORTA
( ) PÂNCREAS
( ) PORÇÃO INFERIOR DO RETO
(A) I – II - I - II –I .
(B) I – II – II – II – I .
(C) I – II – II – II – I .
(D) II – II – II – I – II.
(E) II – II – II – II – I.

1293 - SEGUNDO LUIZ A. M. SCAFF, PARA UMA BOA INTERPRETAÇÃO RADIOLÓGICA, AS


RADIOGRAFIAS DEVEM APRESENTAR DENSIDADES ÓPTICAS ENTRE
(A) 0,4 E 2,0
(B) 0,4 E 1,0
(C) 0,2 E 1,0
(D) 0,2 E 2,0
(E) 0,8 E 9,0
GABARITO:

1294 – C
1294 – CORRELACIONE A COLUNA DA DIREITA COM A DA ESQUERDA REFERENTES A “TERMOS DE
POSIONAMENTO E/ OU ANATÔMICOS”. A SEGUIR, INDIQUE A SEQUÊNCIA CORRETA. 1295 – A
I – PROCESSO CRINÓIDE
II – PROCESSO CORACÓIDE
III – HÂMULO
IV – ÂNGULO DE TREITZ
( ) ACIDENTE ANATÔMICO ENCONTRADO NA ESCÁPULA E MANDIBULA
( ) NOMENCLATURAANATÔMICA DADA A REGIAÃO DA JUNÇÃO DO ÍLEO COM O DUODENO
( ) SELA TURCA
( ) ACIDENTE ANATÔMICO ENCONTRADO NO OSSO HAMATO
(A) I – IV – III - II (B) II – III – I – IV (C) II – IV – I – III (D) I – III – IV – II (E) I – II – III - IV

1295 - INFORME SE É FALSO (F) OU VERDADEIRO ( V) O QUE SE AFIRMA ABAIXO SOBRE O EFEITO
ANÓDIO. A SEGUIR, INDIQUE A OPÇÃO COM A SEQÜÊNCIA CORRETA.
( ) O EFEITO ANÓDIO É MENOS ACENTUADO COM UM FILME MAIOR UTILIZANDO MENOR PONTO
FOCAL
( ) A INTENSIDADE DA RADIAÇÃO EMITIDA DA EXTREMIDADE DO ANODO DO CAMPO DE RAIOS – X
É MAIOR DO QUE AQUELA NA EXTREMIDADE DO CATODO.
( ) A OBTENÇÃO DE EXPOSIÇÕES ÓTIMAS SE DÁ PELA COLOCAÇÃO DA PARTE MAIS ESPESSA DO
CORPO NA EXTREMIDADE DO ANODO DA MESA DE RAIOS-X
( ) UM ÂNGULO ANÓDICO MAIOR TAMBÉM AUMENTARÁ O EFEITO ANÓDIO.
(A) F – F – F – F. (B) V – F – V – F . (C) V – V – V – V. (D) F – V – F – V. (E) V – V – F - V
GABARITO:

1296 – B
1296 – “AESCOLHA ADEQUADA DOS FILTROS DEPENDE DA VOLTAGEM APLICADA (KV)”. DE
ACORDO COM A AFIRMATIVA ACIMA, RELACIONE A COLUNA DA ESQUERDA COM A DA DIREITA.
1297 – A
A SEGUIR, INDIQUE A OPÇÃO COM A SEQÜÊNCIA CORRETA.
I – 120 KV A 400 KV
II – 1 MV A 3 MV
III – 100 KV A 120 KV
IV – 400 KV A 1 MV
( ) Sn + Cu + Al
( ) Al
( ) Pb + Sn + Cu + Al
( ) Cu + Al
(A) I – II – IV – III.
(B) IV – III – II – I
(C) II – IV – I – III
(D) III – IV – I – II
(E) II – III - IV - I

1297 – É O ESPAÇO ESTREITO ENTRE AS TÁBUAS INTERNAS E EXTERNAS DOS OSSOS CHATOS DO
CRÂNIO.
(A) DIPLOE
(B) GONFOSE
(C) DIARTROSE
(D) DIÁFISE
(E) METÁFISE
GABARITO:

1298 – B
1298 – AS ARTICULAÇÕES METACARPOFALANGEANAS PERMITEM REALIZARMOS VÁRIOS
MOVIMENTOS, EXCETO O DE: 1299 – A
(A) FLEXÃO
(B) PRONAÇÃO
(C) EXTENSÃO
(D) ADUÇÃO.
(E) ABDUÇÃO

1299 – COLOQUE FALSO (F) OU VERDADEIRO (V) NAS AFIRMATIVAS ABAIXO SOBRE COXINS
ADIPOSOS. A SEGUIR, ASSINALE A SEQUÊNCIA CORRETA.
( ) ESTÃO LOCALIZADOS INTRA-SINOVIALMENTE
( ) ESTÃO LOCALIZADOS NA CÁPSULA ARTICULAR.
( ) PARA FINS DIAGNÓSTICOS, O SCOXINS ADIPOSOS MAIS IMPORTANTES SÃO AQUELES
LOCALIZADOS EM TORNO DE DETERMINADAS ARTICULAÇÕES DOS MEMBROS SUPERIORES E
INFERIORES
( ) QUANDO VISUALIZADOS EM UMA RADIOGRAFIA OS COXINS ADIPOSOS RADIOTRANSPARENTES
SÃO OBSERVADOS COM DENSIDADES MENOS TRANSPARENTES DO QUE AS ESTRUTURAS
CIRCUNDANTES.
(A) F - V – V – F .
(B) V – F – V – F.
(C) F - F – F –V.
(D) V – V – V – F.
(E) V – V – F – F .
GABARITO:

1300 – D
1300 – 1º SARGENTO IRLAN, APÓS SOFRER UM POLITRAUMA, FOI ENCAMINHADO PELA SALA DO
MÉDICO-DE-DIA AO SETOR DE RADIOLOGIA. O RADIOLOGISTA QUE ACOMPANHAVA O EXAME,
1301 – C
SUSPEITANDO DE FRATURA DO COLO DO FÊMUR ESQUERDO, SOLICITOU AO TÉCNICO QUE
UTILIZASSE O MÉTODO DE CLEMENTS – NAKAYAMA DEVIDO AO POSSÍVEL TRAUMATISMO.
QUAL DAS INCIDÊNCIAS ABAIXO ESTÁ RELACIONADA A ESTE MÉTODO?
(A) UNILATERAL EM ‘PERNA DE RÔ (MÉDIO LATERAL)
(B) OBLÍQUA ANTERIOR MODIFICADA.
(C) AXIAL LATERAL ( ÍNFERO SUPERIOR)
(D) AXIAL LATERAL MODIFICADA.
(E) INCIDÊNCIA DE OBLIQUA POSTERIOR INTERNA COM STRESS

1301 – 3º SARGENTO ALINE, TÉCNICO EXPERIENTE, AO PERCEBER QUE O PACIENTE QUE ENTROU
EM SUA SALA PARA REALIZAR UM EXAME DE TÓRAX – INCIDÊNCIA AP LORDÓTICA –
APRESENTAVA-SE FRACO, NÃO SENDO CAPAZ DE ASSUMIR A POSIÇÃO REQUERIDA,
RESOLVEU REALIZAR O EXAME EM DECÚBITO DORSAL. DESTA FORMA OPTOU PELA
INCIDÊNCIA ______COM RAIO CENTRAL ORIENTADO _________CEFÁLICO, PARA A ÁREA DO
MEIO DO ESTERNO.
(A) AP AXIAL; 15º A 20º.
(B) AP AXIAL; 20º A 25º
(C) AP SEMI-AXIAL; 15 º A 20º
(D) AP SEMI-AXIAL; 20º A 25º
(E) AP AXIAL; 30º A 33º
GABARITO:

1302 – C
1302 - DE ACORDO COM “BOISSON”, NA INCIDÊNCIA DE RHEESE, O PLANO MEDIANO SAGITAL
FORMA COM O PLANO DO FILME UM ÂNGULO DE: 1303 – D
(A) 45 GRAUS
(B) 48 GRAUS 1304 - C
(C) 53 GRAUS
(D) 55 GRAUS
(E) 60 GRAUS

1303 – NUMA RADIOGRAFIA EM PERFIL DO JOELHO, A COXA E A PERNA DEVEM FORMAR UM


ÂNGULO, COM A FINALIDADE DE DISSOCIAR A RÓTULA. ESTE ÂNGULO DEVE SER DE:
(A) 30 GRAUS
(B) 60 GRAUS
(C) 90 GRAUS
(D) 120 GRAUS
(E) 100 GRAUS

1304 – A INCIDÊNCIA FEITA PARA COLUNA TÓRACO-LOMBAR COM O PACIENTE EM HIPER-FLEXÃO E


HIPER-EXTENSÃO É CONHECIDA COMO:
(A) TESTE DE ABEL
(B) INCIDÊNCIA DE TWINING
(C) TESTE DE KNUTSON
(D) INCIDÊNCIA DE THOMS.
(E) INCIDÊNCIA DE LAWRENCE
GABARITO:

1305 – C
1305 - NA RADIOGRAFIA DE COLUNA TORÁCICA, AS ARTICULAÇÕES ZIGAPOFISÁRIAS SÃO MAIS
BEM VISUALIZADAS EM QUAL INCIDÊNCIA: 1306 – C
(A) AP
(B) PERFIL 1307 - A
(C) OPE 70º
(D) OAE 70º
(E) OAE 30º

1306 – O ÂNGULO ESTERNAL FORMADO ENTRE O MANÚBRIO E O CORPO DO ESTERNO, EM


RELAÇÃO À COLUNA TORÁCICA, ESTÁ AO NÍVEL DE QUAL SEGUIMENTO:
(A) T2 – T3.
(B) T3 – T4
(C) T4 – T5
(D) T5 – T6
(E) T10 – T 11

1307 – O MÉTODO DE “JUDD” É USADO PARA VISUALIZAR C1/ C2 (DENTE), EM QUAL INCIDÊNCIA
ELE É REALIZADO:
(A) PA
(B) AP
(C) PERFIL
(D) AP EM MASTIGAÇÃO
(E) AP COM RAIO CENTRAL INCLINADO DE 35º PODÁLICO
GABARITO:

1308 – A
1308 – NA INCIDÊNCIA OBLIQUA DE COLUNA LOMBAR A PATA DIANTEIRA DO( “CÃO ESCOCÊS”),
CORRESPONDE A QUE ACIDENTE ANATÔMICO DA VÉRTEBRA EXAMINADA: 1309 – C
(A) PROCESSO ARTICULAR INFERIOR
(B) PROCESSO TRANSVERSO 1310 - C
(C) PROCESSO ARTICULAR SUPERIOR
(D) PEDÍCULO
(E) O CORPO VERTEBRAL

1309 – NA INCIDÊNCIA DA COLUNA LOMBAR, PARA VISUALIZAR AS ARTICULAÇÕES


INTERAPOFISÁRIAS EM L1 – L2, DEVE-SE FAZER UMA OBLÍQUA FORMANDO COM O PLANO DA
MESA UM ÂNGULO DE:
(A) 30 GRAUS
(B) 40 GRAUS
(C) 50 GRAUS
(D) 60 GRAUS
(E) 70 GRAUS

1310 – A QUANTIDADE DE OSSOS QUE FORMAM CADA ÓRBITA É DE:


(A) 4 OSSOS
(B) 6 OSSOS
(C) 7 OSSOS
(D) 9 OSSOS
(E) 10 OSSOS
GABARITO:

1311 – B
1311 – A SUTURA QUE É FORMADA PELA JUNÇÃO INFERIOR DE CADA OSSO PARIETAL COM O OSSO
TEMPORAL CHAMA-SE; 1312 – C
(A) SUTURA SAGITAL
(B) SUTURA ESCAMOSA 1313 - C
(C) SUTURA CORONAL
(D) SUTURA LAMBDÓIDE
(E) SUTURA PARIETO-OCCIPTAL

1312 - DE ACORDO COM OS PADRÕES DE SEGURANÇA, A DISTÂNCIA MÍNIMA ABSOLUTA ENTRE O


OBJETO E PONTO FOCAL DO TUBO DE RAIOS-X (DOF) DEVE SE DE:
(A) 20 CM
(B) 40 CM
(C) 30 CM
(D) 60 CM
(E) 10 CM

1313 – NUMA RADIOGRAFIA DE MÃO, NA INCIDÊNCIA LATERAL EM “LEQUE” ( LATERO-MEDIAL), O


RAIO CENTRAL DEVE INCIDIR EM QUAL REGIÃO;
(A) CENTRO DO CARPO
(B) 2º ARTICULAÇÃO METACARPO - FALANGEANA
(C) 3º ARTICULAÇÃO MATACARPO – FALANGEANA
(D) 4 º ARTICULAÇÃO METACARPO –FALANGEANA
(E) 5º ARTICULAÇÃO METACARPO - FALÂNGEANA
GABARITO:

1314 – D
1314 - EM RELAÇÃO AOS OSSOS DO CRÂNIO, QUAL DELES NÃO PERTENCE AO ASSOALHO
CRANIANO: 1315 – B
(A) TEMPORAL
(B) ETMÓIDE 1316 - C
(C) ESFENÓIDE
(D) PARIETAL
(E) FRONTAL

1315 – EM RELAÇÃO A DISTORÇÃO DE IMAGEM, QUAL DOS ITENS ABAIXO NÃO FAZ PARTE DOS
FATORES DE CONTROLE;
(A) DISTÂNCIA FOCO-FILME
(B) CHASSIS COM ECRAM FOLGADO
(C) DISTÂNCIA OBJETO-FOCO
(D) ALINHAMENTO DO RAIO CENTRAL
(E) TEMPERATURA DO REVELADOR

1316 – NUMA INCIDÊNCIA AXIAL AP DO CÓCCIX, O RAIO CENTRAL DEVE SER ANGULADO 10º
CAUDALMENTE E ENTRAR ACIMA DA SÍNFISE PÚBLICA NUMA DISTÂNCIA DE:
(A) 3 CM
(B) 8 CM
(C) 5 CM
(D) 11 CM
(E) 20 CM
GABARITO:

1317 – C
1317 – DOS ITENS ABAIXO, QUAL NÃO CORRESPONDE O GRUPO DOS ÓRGÃOS ACESSÓRIOS DA
DIGESTÃO; 1318 – C
(A) PÂNCREAS
(B) GLÂNDULAS PARÓTIDAS 1319 - C
(C) FARINGE
(D) FÍGADO
(E) GLÂNDULAS SUB-MAXILARES

1318 – DE ACORDO COM “BONTRAGER”, NA MAMOGRAFIA, A COMPRESSÃO FEITA SOBRE A MAMA


É DE:
(A) 06,3 A 08 KG DE FORÇA
(B) 09,0 A 10 KG DE FORÇA
(C) 11, 3 A 18, 1 KG DE FORÇA
(D) 20 A 30 KG DE FORÇA
(E) 30 A 50 KG DE FORÇA

1319 – EM MAMOGRAFIA O RAIO CENTRAL É DIRECIONADO PARA QUAL REGIÃO:


(A) ARÉOLA
(B) MAMILO
(C) PAREDE TORÁCICA
(D) QUADRANTE INTERNO
(E) NENHUMA DAS REGIÕES ANTERIORES É ADEQUADA
GABARITO:

1320 – C
1320 – DE ACORDO COM “BONTRAGER”, NO POSICIONAMENTO DE ROTINA PARA TOMOGRAFIA
COMPUTADORIZADA DO CRÂNIO, O PESCOÇO É FLETIDO ATÉ QUE UMA LINHA PARARELA AO
1321 – A
FEIXE DE RAIOS-X, FORME COM A LIOM, UM ÂNGULO DE:
(A) 20 GRAUS 1322 - C
(B) 30 GRAUS
(C) 25 GRAUS
(D) 40 GRAUS
(E) 50 GRAUS

1321 – EM RELAÇÃO AO POSICIONAMENTO DO PACIENTE PARA A REALIZAÇÃO DE EXAME DO


FÍGADO E SISTEMA BILIAR, NA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA, O PACIENTE FICA EM:
(A) DECÚBITO DORSAL NA MESA DE EXAMES
(B) DECÚBITO VENTRAL NA MESA DE EXAMES.
(C) DECÚBITO LATERAL DIREITO
(D) DECÚBITO LATERAL ESQUERDO.
(E) OBLIQUA ANTERIOR DIREITA

1322 – QUAL O NOME DA ESPOSA DE WILHEM CONRAD ROENTGEN, QUE CEDEU SUA MÃO PARA A
REALIZAÇÃO DA PRIMEIRA RADIOGRAFIA.
(A) ANNA PAULA
(B) ANNA GARIBALDI
(C) ANNA BERTHA
(D) ANNA SMITH
(E) ANNA CLÁUDIA
GABARITO:

1323 – A
1323 – A LIMPEZA DOS ECRANS É BEM MAIS REALIZADA COM A UTILIZAÇÃO DE:
(A) ALGODÃO 1324 – D
(B) BUCHA
(C) PALHA DE AÇO 1325 - C
(D) ALVEJANTE
(E) ESCOVA

1324 – A LÂMPADA DE SEGURANÇA ADEQUADA, LOCALIZADA NO INTERIOR DA CÂMARA ESCURA,


DEVERÁ CONTER :
(A) FILTRO PRÊTO E POTÊNCIA DE 10 W
(B) FILTRO PRETO E POTÊNCIA DE 100 W
(C) FILTRO AZUL E POTÊNCIA DE 150 W
(D) FILTRO VERMELHO E POTÊNCIA DE ATÉ 10 W
(E) FILTRO VERMELHO E POTÊNCIA DE 100 W

1325 – OS FILMES HOJE SÃO EMBALADOS A VÀCUO, QUANDO RETIRADOS DA CAIXA E


MANIPULADOS PARA USO DEVEMOS FAZE-LO COM O MAIOR CUIDAD, NEUTRALIZANDO
MOVIMENTOS BRUSCOS PARA :
(A) PROPORCIONAR MAIOR DURABILIDADE DA IMAGEM DEPOIS DO FILME PROCESSADO
(B) EVITAR VELAMENTO TOTAL DA PELÍCULA
(C) EVITAR DESENCADEAMENTO DE ELETRICIDADE ESTÁTICA
(D) EVITAR AMOLECIMENTO DA GELATINA
(E) EVITAR QUE SE DESFAÇA A IMAGEM LATENTE
GABARITO:

1326 – E
1326 – A COLGADURA SERVE PARA FIXAR :
(A) A LUZ DE SEGURANÇA 1327 – B
(B) O ECRAN
(C) O CHASSIS 1328 - D
(D) O REVELADOR
(E) A PELÍCULA RADIOGRÁFICA

1327 – O TÉCNICO EM RADIOLOGIA DEMERVAL, COM 40 ANOS DE IDADE, TEM UMA “DE” (DOSE
EFETIVA) ACUMULADA DE 40000 mR. AO CONVERTERMOS ESA DOSE PARA UNIDADE “SI”,
SIEVERT (SV), TEREMOS :
(A) 0,3 SV
(B) 0,4 SV
(C) 0,04 SV
(D) 0,03 SV
(E) 40 SV

1328 – A RADIOGRAFIA DOS PÉS SEM A VISUALIZAÇÃO DAS TÍBIAS E DAS FÍBULAS (“PÉS SEM
PERNAS”) É CHAMADA DE TÉCNICA DE:
(A) WISE
(B) LEDOUX-LEBARD
(C) MITTERMAYER
(D) CAHOON
(E) MARCHANT
GABARITO:

1329 – B
1329 – NA INCIDÊNCIA AXIAL AP DE CRÂNIO (MÉTODO DE TOWNE), O RAIO CENTRAL INCIDIRÁ NO
PLANO MÉDIO-SAGITAL A QUANTOS CENTÍMETROS DA GLABELA ? 1330 – B
(A) 4 CM ACIMA
(B) 6 CM ACIMA 1331 - C
(C) 4 CM ABAIXO
(D) 6 CM ABAIXO
(E) 2 CM ACIMA

1330 – NO PROCESSAMENTO MANUAL O MANUSEIO POUCO CRITERIOSO E APRESSADO DOS


FILMES DURANTE O PROCESSAMENTO, LEVARÁ A UMA BAIXA DE NÍVEL NO VOLUME DOS
LIQUIDOS INTEGRANTES DO PROCESSO, EM QUAL DELES SERÁ MAIS ACENTUADA ?
(A) NA SOLUÇÃO DE FIXADOR
(B) NA SOLUÇÃO DE REVELADOR
(C) NA ÁGUA DESTINADA A LAVAGEM FINAL
(D) NA ÁGUA DO BANHO INTERRUPTOR
(E) NÃO HAVERÁ DECLINIO NO NÍVEL DE NENHUM LÍQUIDO

1331 – QUAIS SÃO AS INCIÊNCIAS RADIOLÓGICAS BÁSICAS PARA ESTUDO DOS OSSOS DO NARIZ?
(A) MÉTODO DE CALDWELL E LATERAL
(B) MÉTODO DE WATERS, MÉTODO DE CALDWELL E LATERAL
(C) MÉTODO DE WATERS E LATERAL DIREITO E ESQUERDO
(D) MÉTODO DE LAW, MÉTOO DE SCHULLER E MÉTODO DE TOWNE
(E) MÉTODO DE FARRILL E LATERAL ESQUERDO
GABARITO:

1332 – B
1332 – O QUE MOSTRA A VISTA ALONGADA DOS RAMOS DO PÚBIS E ÍSQUIO QUANDO HÁ
TRAUMATISMO PÉLVICO É O MÉTODO DE : 1333 – A
(A) TEUFEL
(B) TAYLOR 1334 - D
(C) DANELIUS-MILER
(D) CLEAVES-MILUS
(E) FAYOL

1333 – A NÃO UTILIZAÇÃO DOS ECRANS, TEM COMO CONSEQUÊNCIA


(A) O AUMENTO DA DOSE NECESSÁRIA DE RAIOS X
(B) A REDUÇÃO DA DOSE DE RADIAÇÃO RECEBIDA PELO PACIENTE
(C) O DESVIO DO PONTO FOCAL
(D) A AMPLIAÇÃO DA IMAGEM RADIOGRÁFICA
(E) O VELAMENTO COMPLETO DO FILME

1334 – OS AVENTAIS DE BORRACHA PLUMBÍFERA TEM POR OBJETIVO:


(A) MAXIMIZAR A RADIAÇÃO DISPERSA
(B) PERMITIR A PASSAGEM DE RAIOS X AO TÉCNICO
(C) EXPOR UMA MAIOR ÁREA CORPORAL AOS RAIOS X
(D) PROTEGER O PROFISSIONAL TÉCNICO QUANTO A EXPOSIÇÃO A RADIAÇÃO
(E) MANTER ALTAS AS DOSES DE RADIAÇÃO
GABARITO:

1335 – A
1335 – FATORES RADIOGRÁFICOS ADEQUADAMENTE UTILIZADOS, CONTRIBUEM PARA:
(A)UMA MELHOR QUALIDADE DA RADIOGRAFIA 1336 – C
(B) O AUMENTO DA EXPOSIÇÃO DO PACIENTE À RADIAÇÃO
(C) A REDUÇÃO DAS INFORMAÇÕES DIAGNÓSTICAS 1337 - D
(D) A PIORA DA QUALIDADE DA RADIOGRAFIA
(E) A DISTORÇÃO EXAGERADA DA IMAGEM

1336 – O GRAU DE ENEGRECIMENTO DA RADIOGRAFIA PROCESSADA DENOMINA-SE:


(A) DETALHE
(B) DISTORÇÃO
(C) DENSIDADE
(D) CONTRASTE
(E) DIVERGÊNCIA

1337 – QUAL É O MAIOR IMPEDIMENTO PARA A NITIDEZ DA IMAGEM RELACIONADO AO


POSICIONAMENTO ?
(A) VELOCIDADE FILME / ECRAN
(B) DOF (DISTÂNCIA OBJETO-FILME)
(C) mAS
(D) MOVIMENTO
(E) GRADE ANTI-DIFUSORA
GABARITO:

1338 – C
1338 – NA INCIDÊNCIA PA DE CÓCCIX, QUAL A ÂNGULAÇAO DO RAIO CENTRAL E SUA DIREÇÃO ?
(A) 10º CAUDAL 1339 – C
(B) 5º CEFÁLICO
(C) 10º CEFÁLICO 1340 - E
(D) 5º CAUDAL
(E) 25º CAUDAL

1339 – SEGUNDO A LEI 7394/85 QUE REGULAMENTA A PROFISSÃO DE TÉCNICO EM RADIOLOGIA,


QUAL A JORNADA MÁXIMA SEMANAL DE TRABALHO?
(A) 12 HORAS
(B) 40 HORAS
(C) 24 HORAS
(D) 16 HORAS
(E) 48 HORAS

1340 – EM UMA UNIDADE DE SAÚDE, A EXECUÇÃO DE EXAMES RADIOLÓGICOS É COMPETÊNCIA


DO:
(A) TÉCNICO DE LABORATÓRIO E ANÁLISES CLINICAS
(B) NUTRICIONISTA
(C) TÉCNICO EM ENFERMAGEM
(D) MÉDICO DERMATOLOGISTA
(E) TÉCNICO EM RADIOLOGIA
GABARITO:

1341 – E
1341 – EM UM SERVIÇO DE IMAGINOÇOGIA, O PROCESSAMENTO DOS FILMES RADIOLÓGICOS
APÓS A EXPOSIÇÃO AOS RAIOS X É DE COMPETÊNCIA DO: 1342 – E
(A) TÉCNICO EM ENFERMAGEM
(B) TÉCNICO EM NECRÓPSIA 1343 - C
(C) TÉCNICO EM RADIOLOGIA
(D) AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS
(E) AUXILIAR DE RADIOLOGIA

1342 – PERTENCE AO QUADRO FUNCIONAL DE UM SERVIÇO DE IMAGINOLOGIA :


(A) TÉCNICO EM RADIOLOGIA, AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS, MOTORISTA E MECÃNICO.
(B) TÉCNICO EM RADIOLOGIA,AUXILIAR RADIOLOGIA,MOTORISTA E ACESSORISTA
(C) TÉCNICO EM RADIOLOGIA,MOTORISTA, AUXILIAR DE RADIOLOGIA E TÉCNICO DE ENFERMAGEM
(D) TÉCNICO EM RADIOLOGIA, RECEPCIONISTA, AUXILIAR DE RADIOLOGIA E GESSEIRO
(E) TÉCNICO EM RADIOLOGIA, AUXILIAR DE RADIOLOGIA, RECEPCIONISTA E AUXILIAR DE
SERVIÇOS GERAIS

1343 – A SITUAÇÃO DE UMA CÂMARA ESCURA NA PLANTA DE UM SERVIÇO DE IMAGINOLOGIA


DEVERÁ SER:
(A) EM UMA DAS EXTREMIDADES DO TERRENO
(B) EM UMA DAS EXTEMIDADES DO TERRENO E AO LADO DA CÂMARA CLARA
(C) COM LOCALIZAÇÃO CENTRAL TENDO AO SEU REDOR O MAIOR NUMERO POSSIVEL DE SALAS
DE EXAME
(D) COM LOCALIZAÇÃO CENTRAL TENDO AO SEU REDOR O MENOR NUMERO POSSIVEL DE SALAS
DE EXAME
(E) O MAIS PRÓXIMO POSSIVEL DA RECEPÇÃO
GABARITO:

1344 – C
1344 – OTÉCNICO EM RADIOLOGIA ODONTOLÓGICA TEM SUA ATIVIDADE PROFISSIONAL PARA
EXAMES DE: 1345 – A
(A) ARCADA DENTÁRIA E MEMBROS SUPERIORES
(B) ATM E COLUNA CERVICAL 1346 - C
(C) RADIOGRAFIAS INTRA-ORAIS E CEFALOMÉTRICA
(D) RADIOGRAFIAS PERI-APICÁIS E EXAMES CONTRASTADOS DO SISTEMA DIGESTIVO
(E) ORTOPANTOGRAFIA E MEMBROS SUPERIORES

1345 – O TÉCNICO EM RADIOLOGIA VETERINÁRIA PODE APLICAR SUA ESPECIALIDADE :


(A) NA ZONA RURAL E EM CENTROS URBANOS
(B) EXCLUSIVAMENTE EM UNIVERSIDADES COM FORMAÇÃO DE MÉDICO VETERINÁRIO
(C) EM CLINICAS VETERINÁRIAS E ESTALEIROS
(D) NOS CENTROS MÉDICOS QUE ATENDEM PACIENTES POLITRAUMATIZADOS
(E) APENAS NOS HIPÓDROMOS

1346 – O TÉCNICO EM RADIOLOGIA ESPECIALIZADO EM TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA APLICA


SEUS CONHECIMENTOS PARA OBTENÇÃO DE IMAGENS NOS PLANOS:
(A) SAGITAL E CORONAL
(B) AXIAL E SAGITAL
(C) AXIAL E CORONAL
(D) AXIAL E PERPENDICULAR
(E) SAGITAL E PARALELO
GABARITO:

1347 – D
1347 – ATENTAR PARA A RETIRADA DE OBJETOS METÁLICOS TANTO DOS PROFISIONAIS QUANTO
DO PACIENTE ANTES DA REALIZAÇÃO DE QUALQUER EXAME É PROCEDIMENTO USADO NA – C
1348
ESPECIALIDADE RADIOLÓGICA DE:
(A) RADIOLOGIA ODONTOLÓGICA 1349 - A
(B) RADIOLOGIA VETERINÁRIA
(C) HEMODINÂMICA
(D) RESSONÂNCIA MAGNÉTICA
(E) TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA

1348 – NO SENÓGRAFO O TÉCNICO EM RADIOLOGIA EXECUTA PRINCIPALMENTE EXAMES


RADIOLÓGICOS DE:
(A) MENSURAÇÃO RADIOLÓGICA DE MEMBROS INERIORES
(B) FACE
(C) MAMA
(D) SEIOS PARA NASAIS
(E) PANORÃMICA DE MANDIBULA

1349 - A INCIDÊNCIA DE ABDOME EM QUE O PACIENTE ESTÁ DEITADO SOBRE O SEU LADO
ESQUERDO E O FEIXE DE RAIOS X É DIRECIONADO PARALELAMENTE AO PLANO CORONAL É:
(A) PERFIL ESQUERDO
(B) OBLÍQUA ESQUERDA
(C) DECÚBITO LATERAL ESQUERDO
(D) DECÚBITO VENTRAL
(E) POSIÇÃO DE NADADOR
GABARITO:

1350 – D
1350 - NA RADIOGRAFIA CEFALOMÉTRICA, PARA OS TRAÇADOS ORTODÔNTICOS, A DISTÂNCIA
FOCO-FILME USADA E DE : 1351 – C
(A) 1 METRO
(B) 0,5 METRO 1352 - D
(C) 1,20 METRO
(D) TELERADIOGRAFIA
(E) CONTACTOGRAFIA

1351 – SÃO EXEMPLOS DE POSIÇÕES GERAIS DO CORPO, EXCETO


(A) POSIÇÃO DE FOWLER.
(B) POSIÇÃO DE TRENDELEMBURG.
(C) POSIÇÃO OBLÍQUA.
(D) POSIÇÃO DE LITOTOMIA.
(E) SIMIS

1352- NOS CASOS DE OBSTRUÇÃO BRÔNQUICA, A RADIOGRAFIA DE TORAX É EFETUADA EM:


(A) PA E PERFIL.
(B) PA E DECÚBITO LATERAL.
(C) AP E DECÚBITO DORSAL.
(D) PA COM INSPIRAÇÃO E EXPIRAÇÃO MÁXIMAS.
(E) OBLIQUA ANTERIOR ESQUERDA
GABARITO:

1353 – B
1353- UM PACIENTE SOFREU UM TRAUMATISMO NO PÉ. QUAL A INCIDÊNCIA RADIOLÓGICA USADA
PARA SEU ESTUDO? 1354 – D
(A) AP E PERFIL.
(B) AP E OBLÍQUA. 1355 - D
(C) AP E AXIAL.
(D) AP E PA.
(E) PERFIL COM CARGA E OBLIQUAEXTERNA

1354- A INCIDÊNCIA EM AP PARA ARTICULAÇÕES COXOFEMURAIS COM FÊMURES QUASE EM


PERFIL É A DE:
(A) THOMS.
(B) FERGUSON.
(C) VON ROSEN.
(D) LOWENSTEIN.
(E) GAYNER-HART

1355- QUAL A ANGULAÇÃO DA COXA-MESA NO POSICIONAMENTO PARA ESTUDO DA


CHANFRADURA INTERCONDILIANA?
(A) 90 GRAUS.
(B) 135 GRAUS.
(C) 120 GRAUS.
(D) 45 GRAUS.
(E) 85 GRAUS
GABARITO:

1356 – B
1356- É UMA CONTRA-INDICAÇÃO À UTILIZAÇÃO DE SULFATO DE BÁRIO NO ESTUDO
RADIOGRÁFICO DO ABDOME. 1357 – B
(A) DIVERTICULITE
(B) OCLUSÃO DO TGI 1358 - D
(C) PROCESSOS INFLAMATÓRIOS DO TGI
(D) VERMINOSE
(E) CEFALÉIA

1357- O EXAME DE HITEROSSALPINGOGRAFIA SERVE PARA O ESTUDO DO SEGUINTE ÓRGÃO:


(A) MAMAS
(B) ÚTERO E ANEXOS
(C) GLÂNDULA LACRIMAL.
(D) OUVIDO INTERNO.
(E) RINS

1358- QUAL A TÉCNICA RADIOLÓGICA UTILIZADA PARA MELHOR VISUALIZAÇÃO DO TECIDO


MAMÁRIO EM PACIENTES SUBMETIDAS A PRÓTESE?
(A) CRÂNIO-CAUDAL.
(B) MÉDIO-LATERAL.
(C) OBLÍQUA-MEDIOLATERAL.
(D) EKLUND
(E) OBLIQUA MÉDIO-LATERAL FORÇADA
GABARITO:

1359 – A
1359- NA UROGRAFIA EXCRETORA, A FASE RELACIONADA AO NEFROGRAMA CORRESPONDE A:
(A) 60 SEGUNDOS APÓS O INÍCIO DA INFUSÃO DO CONTRASTE. 1360 – D
(B) 5 MINUTOS APÓS O INÍCIO DA INFUSÃO DO CONTRASTE.
(C) 15 MINUTOS APÓS O INÍCIO DA INFUSÃO DO CONTRASTE. 1361 - D
(D) 30 MINUTOS APÓS O INÍCIO DA INFUSÃO DO CONTRASTE.
(E) 45 MINUTOS APÓS O INÍCIO DA INFUSÃO DO CONTRASTE.

1360- É (SÃO) CONSIDERADAS REAÇÃO (REAÇÕES) LEVE(S) AO CONTRASTE IODADO POR VIA
INTRAVENOSA.
(A) TAQUICARDIA
(B) CONVULSÃO
(C) CIANOSE
(D) URTICÁRIA E PRURIDO
(E) PARADA CÁRDIO- RESPIRATÓRIA

1361- OS OSSOS DO CARPO SÂO EM NÚMERO DE:


(A) 07
(B) 09
(C) 10
(D) 08
(E) 11
GABARITO:

1362 – C
1362 – COM RELAÇÃO AO ESTUDO RADIOLÓGICO COMO ROTINA PARA ABDOME AGUDO, SÃO
NECESSÁRIAS TRÊS INCIDÊNCIAS BÁSICAS: 1363 – A
(A) AP EM DECÚBITO DORSAL, AP EM DECÚBITO VENTRAL E AP ORTOSTÁTICA.
(B) AP EM DECÚBITO DORSAL, DECÚBITO LATERAL ESQUERDO E AP ORTOSTÁTICA. 1364 - C
(C) AP EM DECÚBITO DORSAL, PA DE TÓRAX E AP ORTOSTÁTICA.
(D) AP EM DECÚBITO VENTRAL, AP ORTOSTÁTICA E DECÚBITO LATERAL ESQUERDO.
(E) AP EM DECÚBITO VENTRAL, PA EM ORTOSTÁTICA E DECÚBITO LATERAL DIREITO.

1363 – EM RELAÇÃO A CORRETA AVALIAÇÃO DE UMA RADIOGRAFIADE TÓRAX EM PA COM BOA


INSPIRAÇÃO, DEVE-SE CONTAR
(A) NO MÍNIMO 10 ARCOS COSTAIS POSTERIORES ACIMA DO DIAFRAGMA
(B) NO MÍNIMO 08 ARCOS COSTAIS POSTERIORES ACIMA DO DIAFRAGMA
(C) NO MÍNIMO 06 ARCOS COSTAIS POSTERIORES ACIMA DO DIAFRAGMA
(D) NO MÍNIMO 08 ARCOS COSTAIS ANTERIORES ACIMA DO DIAFRAGMA
(E) NO MÍNIMO 12 ARCOS COSTAIS ANTERIORES ACIMA DO DIAFRAGMA

1364 – DENTRE AS ESTRUTURAS ANATÔMOCAS ANALIZADAS AO ESTUDO RADIOLÓGICO ABAIXO,


QUAL REQUER 03 INCIDÊNCIAS ROTINEIRAS?
(A) ÚMERO
(B) FÊMUR
(C) TÓRAX
(D) PUNHO
(E) CALCÂNEO
GABARITO:

1365 – B
1365 – A PRIMEIRA E MAIS BÁSICA FORMA DE EVITAR RADIAÇÃO DESNECESSÁRIA É:
(A) UTILIZAR A FILRAÇÃO CORRETA 1366 – A
(B) EVITAR A REPETIÇÃO DESNECESSÁRIA DE RADIOGRAFIAS
(C) UTILIZAR COLIMAÇÃO PRECISA 1367 - A
(D) UTILIZAR COMBINAÇÕES ECRAN-FILME CORRETAS
(E) UTILIZAR NO SERVIÇO, REVELADOR COM TEMPERATURA DE 10º C.

1366 – A DOSE MÁXIMA DE RADIAÇÃO QUE INDIVÍDUOS DO PÚBLICO EM GERAL PODE RECEBER É
DE :
(A) 0,5 REM / ANO
(B) 03 REM / ANO
(C) 7,5 REM / ANO
(D) 1,5 REM / ANO
(E) 8,0 REM / ANO

1367 - A QUALIDADE DE RAIOS X PRODUZIDOS É PROPORCIONAL A:


(A) KV
(B) KV2
(C) mA
(D) Z
(E) MASSA DO ÁTOMO
GABARITO:

1368 – D
1368 – SÃO FATORES QUE REDUZEM A EXPOSIÇÃO DO PACIENTE A RADIAÇÃO, EXCETO:
(A) ALTA QUILOVOLTAGEM 1369 – B
(B) MENOR MILIAMPERAGEM POSSIVEL
(C) USAR FILTRO DE 2 mm DE ALUMÍNIO 1370 - D
(D) BAIXA QUILOVOLTAGEM
(E) REDUZIR ESPESSURAATRAVÉS DE COMPRESSORES

1369 – A LINHA QUE LIGA O CENTRO DAS DUAS ÓRBITAS, PERPENDICULAR AO PLANO SAGITAL
MÉDIO É A:
(A) LINHA INFRA-ORBITÁRIA
(B) LINHA INTERORBITÁRIA
(C) LINHA ÓRBITO-MEATAL
(D) LINHA AURICULAR
(E) LINHA DE CHAMBERLAIN

1370 – SÃO PROJEÇÕES UTILIZADAS PARA O ETUDO DA OTITE COLESTEATOMATOSA, EXCETO:


(A) LATERAL DE SHULLER BILATERAL
(B) OBLIQUA DE STENVERS BILATERAL
(C) OBLIQUA DE CHAUSSÉ III BILATERAL
(D) SIMÉTRICA DE SHULLER II BILATERAL
(E) CHAUSSÉ III E STENVERS AMBAS BILATERAL
GABARITO:

1371 – A
1371 – O EIXO LONGITUDINAL DO CANAL ÓPTICO FORMA COM O EIXO SAGITAL MÉDIO UM ÂNGULO
DE: 1372 – B
(A) 37 GRAUS
(C) 15 GRAUS 1373 - A
(D) 30 GRAUS
(E) 45 GRAUS

1372 – UM DOS PONTOS DE REPARO MAIS IMPORTANTE PARA O ESTUDO RADIOLÓGICO DOS SEIOS
PARANASAIS É A LOCALIZAÇÃO DO (A):
(A) ÓRBITA
(B) ROCHEDO
(C) CONDUTO AUDITIVO EXTERNO
(D) OSSO NASAL
(E) SELA TURCA

1373 – O CÔNDILO DA MANDÍBULA SE ARTICULA COM QUE ESTRUTURA QUANDO A BOCA ESTÁ
FECHADA ?
(A) CAVIDADE GLENÓIDE DO OSSO TEMPORAL
(B) CAVIDADE GLENÓIDE DO PARIETAL
(C) CÔNDILO DO TEMPORAL
(D) CÔNDILO DO PARIETAL
(E) PROCESSO CORONÓIDE
GABARITO:

1374 – D
1374 – O ESPAÇO ESTREITO ENTRE AS TÁBUAS INTERNA E EXTERNA DOS OSSOS CHATOS DO
CRÂNIO É CONHECIDO COMO: 1375 – B
(A) CAVIDADE MEDULAR
(B) DIÁFISE 1376 - D
(C) EPÍFISE
(D) DIPLÓE
(E) METÁFISE

1375 – É O PLANO QUE DIVIDE O CORPO EM DIMÍDIOS DIREITO E ESQUERDO:


(A) PLANO CORONAL
(B) PLANO SAGITAL
(C) PLANO HORIZONTAL
(D) PLANO AXIAL
(E) BI-AURICULAR

1376 – DE ACORDO COM BONTRAGER,DEVE-SE FAZER O USO DE GRADE (POTTER-BUCKY) PARA


PARTES DO CORPO QUE MEDEM :
(A) ACIMA DE 6 CENTÍMETROS
(B) ACIMA DE 8 CENTÍMETROS
(C) ACIMA DE 12 CENTÍMETROS
(D) ACIMA DE 10 CENTÍMETROS
(E) ABAIXO DE 3 CENTÍMETROS
GABARITO:

1377 – B
1377 – DOS ITENS ABAIXO, QUAL NÃO PERTENCE AOS FATORES PRIMÁRIOS DE QUALIDADE DA
IMAGEM ? 1378 – B
(A) CONTRASTE
(B) EFEITO ANÓDIO 1379 - D
(C) DETALHE
(D) DISTORÇÃO
(E) FOCO

1378 – SEGUNDO BONTRAGER, NO EXAME DE TÓRAX, EM CIRCUNSTÂCIAS ESPECIAIS NA


PROJEÇÃO EM AP, O RAIO CENTRAL DEVE FAZER UMA ANGULAÇÃO DE :
(A) 3 A 5 GRAUS CEFÁLICO.
(B) 3 A 5 GRAUS CAUDAL.
(C) O RAIO CENTRAL DEVE TER UMA ANGULAÇÃO DE 15 GRAUS CEFÁLICO.
(D) O RAIO CENTRAL NÃO DEVE TER ANGULAÇÃO.
(E) A E C ESTÃO CORRETAS

1379 – BASEADO EM BONTRAGER, EM RELAÇÃO AS ARTICULAÇÕES DO CRÂNIO ( SUTURAS) A


ESCAMOSA, SEPARA :
(A) O OSSO FRONTAL DOS PARIETAIS
(B) OS DOIS OSSOS PARIETAIS
(C) OS OSSOS PARIETAIS DO OCCIPTAL
(D) OS OSSOS PARIETAIS DOS TEMPORAIS
(E) O OSSO ESFENÓIDE DO OCCIPTAL
GABARITO:

1380 – A
1380 – COM REFERÊNCIAAOS OSSOS DO CARPO,PODEMOS AFIRMAR QUE O MAIOR OSSO DA
FILEIRA PROXIMA É O : 1381 – C
(A) ESCAFÓIDE
(B) SEMILUNAR 1382 - D
(C) PIRAMIDAL
(D) CAPITATO
(E) PSIFORME

1381 – EM RELAÇÃO AS ARTICULAÇÕES É CERTO AFIRMAR QUE A DO JOELHO É DO TIPO DE


MOVIMENTO :
(A) ESFERÓIDE
(B) SELAR
(C) GINGLIMO
(D) TROCÓIDE
(E) A E C ESTÃO CERTAS

1382 – O ESQUELETO DO HOMEM ADULTO É DIVIDIDO EM ESQUELETO AXIAL E APENDICULAR.


QUAL DOS ITENS ABAIXO NÃO PERTENCE AO ESQUELETO AXIAL?
(A) HIÓIDE
(B) ESTERNO
(C) CÓCCIX
(D) CLAVICULA
(E) COLUNA LOMBAR
GABARITO:

1383 – C
1383 – OS TRÊS ELEMENTOS ANATÔMICOS PERTENCENTES AO APARELHO DIGESTIVO COM
LOCALIZAÇÃO INTEGRAL NA CAVIDADE INTRA-PERITONIAL SÂO : 1384 – C
(A) FIGADO, BAÇO E PÂNCREAS
(B) VESÍCULA BILIAR, BAÇO E PÂNCREAS 1385 - B
(C) FIGADO, VESÍCULA BILIAR E ESTÔMAGO
(D) FIGADO, VESÍCULA BILIAR E PÂNCREAS
(E) ESÔFAGO, FIGADO E DUODENO

1384 – AS INCIDÊNCIAS REALIZADAS PARA PATELA, COM OS JOELHOS EM OBLIQUAS AXIAIS PA


(ROTAÇÃO INTERNA E EXTERNA) SÃO CONHECIDAS COMO :
(A) MÉTODO DE SETTEGAST
(B) MÉTODO DE MERCHAT
(C) MÉTODO DE KUCHENDORF
(D) MÉTODO DE HUNGHSTON
(E) MÉTODO DE FARRIL

1385- NUMA RADIOGRAFIA DO TORNOZELO EM AP SOB STRESS EM EVERSÃO, A SUPERFÍCIE


PLANTAR DO PÉ DEVE SER DESVIADA :
(A) INTERNAMENTE
(B) EXTERNAMENTE
(C) EM EXTENSÃO
(D) EM FEXÃO
(E) NÃO DEVE SER DESVIADA, DEVE SER MANTIDA EM 90º COM O EIXO DA PERNA
GABARITO:

1386 – B
1386 – A QUANTIDADE DE OSSOS DISTINTOS QUE COMPÕE A COLUNA VERTEBRAL DE UM ADULTO
É: 1387 – B
(A) 28 OSSOS DISTINTOS
(B) 26 OSSOS DISTINTOS 1388 - C
(C) 30 OSSOS DISTINTOS
(D) 35 OSSOS DISTINTOS
(E) 40 OSSOS DISTINTOS

1387 – NO ESTUDO CONTRASTADO DO ESÔFAGO, AS INCIDÊNCIAS CONSIDERADAS DE ROTINA


SEGUNDO BONTRAGER SÃO :
(A) LATERAL ESQUERDA E AP
(B) OAD, LATERAL ESQUERDA E AP
(C) OAE, LATERAL ESQUERDA E AP
(D) OAE, OAD E LATERAL DIREITA
(E) PERFIL DIREITO E PERFIL ESQUERDO

1388 – NA RADIOGRAFIA DA COLUNA LOMBAR NA INCIDÊCIA OBLIQUA O PROCESSO TRANSVERSO


DA VÉRTEBRA ´É REPRESENTADO PELO(A):
(A) OLHO DO CACHORRINHO
(B) A ORELHA DO CACHORRINHO
(C) O NARIZ DO CACHORRINHO
(D) A PATA DO CACHORRINHO
(E) CAUDA DO CACHORRINHO
GABARITO:

1389 – C
1389 – DOS OSSOS DO CARPO, O OSSO QUE TAMBÉM É CONHECIDO COMO UNCIFORME É :
(A) HAMATO 1390 – C
(B) SEMILUNAR
(C) PIRAMIDAL 1391 - D
(D) TRAPEZÓIDE
(E) CAPTATO

1390 – NUMA SERIOGRAFIA CONTRASTADA DO ESTÔMAGO, A MELHOR POSIÇÃO PARA


ENCHERMOS O FUNDO DO MESMO DE SULFATO DE BÁRIO É :
(A) EM POSIÇÃO ORTOSTÁTICA
(B) EM DECUBITO VENTRAL
(C) EM DECUBITO DORSAL
(D) EM DECUBITO LATERAL DIREITO
(E) EM POSIÇÃO DE TRENDELEMBURG

1391 – EM MAMOGRAFIA, A INCIDÊNCIA CONHECIDA COMO “ VISTA DE CLEÓPATRA”, CHAMA-SE :


(A) VISTA DE CLIVAGEM
(B) VISTA LATERAL VERDADEIRA
(C) VISTA AXILAR
(D) VISTA DA CAUDA AXILAR
(E) VISTA MÉDIO LATERAL
GABARITO:

1392 – B
1392 – QUANTO A DENSIDADE RADIOLÓGICA DAS MAMAS, PODEMOS DIZER QUE A MAMA MAIS
DENSA É A : 1393 – B
(A) MAMA FIBROGORDUROSA
(B) MAMA FIBROGLANDULAR 1394 - A
(C) MAMA GORDUROSA
(D) MAMA COM GRANDE QUANTIDADE DE TECIDO ADIPOSO
(E) A DESIDADE DA MAMA É INVARIÁVEL

1393 – DOS ITENS ABAIXO, MARQUE AQUELES QUE NÃO É CONTRA INDICADO PARA O EXAME
FEITO POR RESSONÂNCIA MAGNÉTICA.
(A) IMPLANTES COCLEARES
(B) BLOCO METALICO DENTÁRIO
(C) NEUROESTIMULADORES
(D) MARCAPASSO
(E) RELÓGIO DE BOLSO

1394 - TUNGSTATO DE CÁLCIO(CaWo4) FOI SEMPRE USADO NA FORMAÇÃO DE ÉCRANS


INTESIFICADORES. OS VALORES DE CONVERSÃO DE RAIOS-X EM LUZ, EM PERCENTUAIS,
SITUAM-SE ENTRE:
(A) 3 E 5 %
(B) 5 E 8 %
(C) 5 E 10 %
(D) 10 E 15%
(E) 15 E 25 %
GABARITO:

1395 – D
1395 – OS ELEMENTOS MINERAIS ENCONTRADAOS NA NATUREZA QUE PREDOMINAM NA
FORMAÇÃO DOS ÉCRANS TERRAS RARAS SÃO: 1396 – D
(A) OXISULFETO DE YTRIUM DE TÉRBIO (GD 201DTB)
(B) OXISULFETO DE GADOLIUM ATIVADO (GA 220DTB) 1397 - A
(C) OXISULFETO DE LANTHANUM ATIVADO (LH 294STB)
(D) OXISULFETO DE GADOLINIO TÉRBIO ATIVADO ( Gd 202TB)
(E) OXISULFITO DE GADOLÍNIO YTRIUM (Gd 2O2Y)

1396- ALTERAÇÕES NA DENSIDADE DO FLME COM APARÊNCIA DE SOMBREADO SÃO PRODUZIDAS


PELO EFEITO DE:
(A) QUANTU MOTLE
(B) QUANTA MOTLE
(C) QUALTUM MOTLE
(D) QUANTUM MOTTLE
(E) QUANTO MOTI

1397 – O ELEMENTO QUE FORMAVA A COMPOSIÇÃO DO PRIMEIRO ÉCRAN FABRICADO EM 1889 É:


(A) SULFATO DE ZINCO FLUORESCENTE
(B) TUNGSTATO DE CÁLCIO
(C) BARIUM FLUOCLORIDO
(D) SULFATO DE CÁLCIO
(E) TUNGSTATO DE ZINCO
GABARITO:

1398 – B
1398 – O EMPREGO DO CABONATO DE SÓDIO UTILUZADO NO REVELADOR TEM A SEGUINTE
FINALIDADE: 1399 – D
(A) ACIDIFICAR A SOLUÇÃO
(B) ALCALINIZAR A SOLUÇÃO
(C) AMENIZAR OS REDUTORES
(D) REDUZIR A ABERTURA DOS POROS DA GELATINA
(E) AUMENTAR A RESITÊNCIA DA SUPERFÍCIE DOS FILMES AO ATRITO EXTERNO

1399 – NUM GRANDE HOSPITAL PÚBLICO DE REFERÊNCIA, A CÂMARA ESCURA É OCUPADA,


DURANTE O DIA, POR AUXILIAR DEFICIENTE VISUAL. NESSAS CIRCUNSTANCIAS, PODE -SE
AFIRMAR QUE:
(A) A TRAVA NA PORTA E A LÂMPADA DE SEGURANÇA SÃO DISPENSAVEIS
(B) A TRAVA DE SEGURANÇA DA ENTRADA É NECESSÁRIA, MAS A LÂMPADA DE SEGURANÇA É
DISPENSAVEL
(C) A PROCESSADORA DEVE ESTAR COM OS SINAIS LUMINOSOS FUNCIONANDO, MAS A LUZ DE
SEGURANÇA É DISPENSAVEL
(D) A LUZ DE SEGURANÇA É NECESSARIA E OS SINAIS LUMINOSOS E AUDITIVOS DA
PROCESSADORA DEVEM FUNCIONAR
(E) NÃO HÁ NECESSIDADE DE PREOCUPAÇÃO ALGUMA EM RELAÇÃO A LOCALIZAÇÃO DO
INTERRUPTOR QUE ACIONA A LUMINÁRIA BRANCA DENTRO DA CÂMARA ESCURA
GABARITO:

1400 – D
1400 – QUANTO AO PROCESSAMENTO AUTOMÁTICO, VERIFICA-SE QUE:
(A) A VELOCIDADE E O TEMPO DE PROCESSAMENTO NÃO INTERFEREM NA SECAGEM DA 1401 – D
RADIOGRAFIA
(B) A TEMPERATURA ELEVADA DO REVELADOR RETARDA A REVELALAÇÃO 1402 - A
(C) A TEMPERATURA NÃO INFLUENCIA NO PROCESSAMENTO
(D) O AUMENTO DA TEMPERATURA ACELERA A FIXAÇÃO
(E) A UMIDADE RELATIVA DO AR TEM INFLUENCIA DIRETA NO MOMENTO DO PROCESSAMENTO

1401 – A UTILIZAÇÃO DOS ÉCRAN REFORÇADORES NOS CHASSIS TEM A SEGUINTE FINALIDADE:
(A) PROTEGER O FILME DA ELETRICIDADE ESTÁTICA DO CHASSI
(B) DIMINUIR O CAMPO DE IRRADIAÇÃO NA PELE DO PACIENTE
(C) PROTEGER DE CHOQUES E MANTER FIXO O FILME NO INTERIOR DO CHASSI
(D) AUMENTAR, COM LUMINOSIDADE, O EFEITO DA PRODUÇÃO DE IMAGENS DOS RAIOS X NO
FILME
(E) OS ECRANS REFORÇADORES NÃO TEM INTERFERÊNCIA NA IMPRESSÃO DA IMAGEM NO FILME

1402 –OS CHASSIS RADIOGRAFICOS SÃO EQUIPAMENTOS DA RADIOLOGIA QUE TÊM COMO
FUNÇÃO:
(A) PROTEGER O FILME E O ÉCRAN RADIOGRÁFICOS, PRINCIPALMENTE DURANTE A VEICULAÇÃO
E UTILIZAÇÃO FORA DA CÂMARA ESCURA
(B) PROTEGER O FILME RADIOGRAFICO DE TRAUMA, CALOR E UMIDADE
(C) PROTEGER O ÉCRAN DO CALOR, DA LUZ E DA RADIAÇÃO DE FUNDO
(D) PROTEGER O FILME DA ELETRICIDADE ESTÁTICA, QUANDO IRRADIADO
(E) PROTEGER O FILME RADIOGRÁFICO APENAS CONTRA ARRANHÕES
GABARITO:

1403 – D
1403 – QUANTO AOS CUIDADOS A SEREM OSBSERVADOS NA CÂMARA ESCURA, PODE –SE
AFIRMAR QUE: 1404 – B
(A) A POTENCIA D LAMPADA DE SEGURANÇA DEVE VARIAR ENTRE 20 E 30 watts
(B) A UMIDADE RELATIVA DO AR DEVE SER DE, APROXIMADAMENTE, 20% 1405 - C
(C) AS CAIXAS DE FILME DEVEM SER ARMAZENADAS HORIZONTALMENTE
(D) A TEMPERATURA AMBIENTE DEVE SER SITUAR ENTRE 18ºC E 24 ºC
(E) MANTER O TANQUE DE REVELADOR SEMPRE COM O NÍVEL DE FIXADOR ADEQUADO

1404 – SOBRE A COMPOSIÇÃO DO FILME RADIOGRÁFICO, É INCORRETO AFIRMAR QUE:


(A) A FOLHA DE POLIÉSTER É A BASE DO FILME
(B) A GELATINA ADESIVA É A CAPA EXTERNA QUE PROTEGE O FILME
(C) A EMULSÃO TAMBÉM CONTÉM CRISTAIS DE SAIS DE PRATA
(D) O SUBTRATO É A REGIÃO DE MAIOR CONCENTRAÇÃO DE SAIS DE PRATA
(E) OS POROS DA GELATINA UMA VEZ ABERTOS MANTEM-SE ASSIM APÓS A SECAGEM DO FILME

1405 – APÓS A EXPOSIÇÃO RADIOGRÁFICA DO FILME E ANTES DA REVELAÇÃO, O FILME


APRESENTA IMAGEM:
(A) OCULTA
(B) VIRTUAL
(C) LATENTE
(D) PROVISÓRIA
(E) MUITO CONTRASTADA
GABARITO:

1406 – A
1406 – AO REVELAR UM FILME COM UMA TOMADA DE MAMOGRAFIA, O TÉCNICO VERIFICA QUE A
RADIOGRAFIA ESTÁ MUITO CLARA, NÃO OBSTANTE OS FATORES RADIOGRÁFICOS ESTAREM
1407 – D
CORRETOS. O FATO PODE SER EXPLICADO POR:
(A) DISPOSIÇÃO INVERTIDA DO FILME NO CHASSI
(B) ELEVAÇÃO DA TEMPERATURA DA PROCESSADORA
(C) INTRODUÇÃO DO FILME INVERTIDO NA PROCESSADORA
(D) INTERRUPÇÃO DO SUPRIMENTO DE ÁGUA NA PROCESSADORA
(E) NA CUBA DA PROCESSADORA, O NÍVEL DE REVELADOR ENCONTRA-SE ABAIXO DO DESEJADO

1407 - AO RECOLHER RADIOGRAFIAS NA SAIDA DA PROCESSADORA, O AUXILIAR DE RADIOLOGIA


SENTIU ODOR SEMELHANTE AO DE VINAGRE. A CAUSA PROVÁVEL DESSE FATO É QUE A
PROCESSADORA SE ENCONTRAVA NA SEGUINTE SITUAÇÃO:
(A) VAZAMENTO DO REVELADOR, POR OBSTRUÇÃO DO ESCAPE
(B) COM VAZAMENTO DO FIXADOR, POR EXCESSO DE ENTRADA
(C) SEM AQUECIMENTO, POR DANO NO TERMOSTATO
(D) SEM SUPRIMENTO DE ÁGUA PARA RENOVAÇÃO
(E) NÃO EXISTE PROBLEMAS COM O FUNCIONAMENTO DA PROCESSADORA, ESTÁ TUDO NORMAL,
O ODOR REFERE-SE A MARCA DO FILME USADO
GABARITO:

1408 – C
1408 – AO RECOLHER ALGUNS EXAMES NO ARQUIVO RADIOGRÁFICO, O AUXILIAR DE RAIOLOGIA
VERIFICOU QUE AS RADIOGRAFIAS, EFETUADASHÁ 30 DIAS, ESTAVAM AMARELADAS. A
1409 – D
INVESTIGAÇÃO PERMITIU-LHE CONCLUIR QUE O PROBLEMA TINHA SIDO CAUSADO POR
FALHA NO PROCESSO DE:
(A) REVELAÇÃO
(B) SECAGEM
(C) LAVAGEM
(D) FIXAÇÃO
(E) ARQUIVAMENTO

1409 – DE ACORDO COM A PORTARIA MS 453/98, QUE TRATA DA RADIOPROTEÇÃO E DOSIMETRIA.


É CORRETO AFIRMAR QUE:
(A) É OPÇÃO DO AUXILAR DE RADIOLOGIA E DO ESTAGIÁRIO A UTILIZAÇÃO DE MONITORES
DOSIMÉTRICOS NO SETOR DE RADIOLOGIA
(B) É DE RESPONSABILIDADE DO EMPREGADOR OPTAR POR FORNECER MONITOR DOSIMÉTRICO
AO AUXILIAR DE RADIOLOGIA E AOS ESTAGIÁRIOS DO SETOR DE RADIOLOGIA
(C) É DISPENSAVEL O PORTE DE MONITOR DOSIMETRICO PELO AUXILIAR DE RADIOLOGIA, JÁ QUE
NÃO TRABALHA DIRETAMENTE COM A APARELHAGEM PRODUTORA DE RADIAÇÃO IONIZANTE
(D) O AUXILIAR DE RAIOLOGIA PRECISA PORTAR O MONITOR DOSIMETRICO, MESMO SABENDO
QUE NÃO TRABALHA DIRETAMENTE COM A APARELHAGEM PRODUTORA DE RADIAÇÃO
IONIZANTE.
(E) DEVE-SE USAR CONES, NOS APARELHOS TRANSPORTÁVEIS, COMO RESTRITORES DE CAMPO
DE RADIAÇÃO
GABARITO:

1410 – A
1410 – O ACELERADOR É O INGREDIENTE QUE INTENSIFICA A ATIVIDADE DO AGENTE REVELADOR,
REDUZINDO O TEMPO DE REVELAÇÃO PARA MINUTOS. PARA ESTE FIM, É COMUMENTE1411 – D
UTILIZADO O SEGUINTE PRODUTO:
(A) HIDROXIDO DE SÓDIO 1412 - B
(B) SULFETO DE SÓDIO
(C) FENIDONA
(D) METOL
(E) CARBONATO DE SÓDIO

1411 – A GELATINA É ALGO SEMELHANTE A UMA ESPONJA QUE SE EMBEBE DO AGENTE


REVELADOR CONTIDO NA SOLUÇÃO. CASO O FILME NÃO SEJA AGITADO, OCORRERÁ O
SEGUINTE:
(A) NÃO HAVERÁ REAÇÃO DA SOLUÇÃO
(B) A GELATINA ENDURECERÁ NA SOLUÇÃO
(C) A TEMPERATURA DA SOLUÇÃO SERÁ AFETADA
(D) OS AGENTES REVELADORES SE CONCENTRARÃO NA SOLUÇÃO
(E) AS RESPOSTAS A E D ESTÃO CERTAS

1412 – PARA CADA FÓTON DE RAIOS X ABSORVIDO PELO ÉCRAN, EMITE-SE A SEGUINTE
QUNTIDADE DE FÓTONS DE LUZ VISÍVEL:
(A) 900
(B) 1.000
(C) 1.500
(D) 2.500
(E) 100
GABARITO:

1413 – C
1413 – A LUZ EMITIDA PELO ECRAN, AO TERMINAR A EXPOSIÇÃO DE RAIOS X, CONTINUA POR
ALGUNS SEGUNDOS É CONHECIDA COMO EFEITO DE : 1414 – B
(A) SENSIBILIDADE FLUORESCENTE
(B) FÓTONS DE LUZ VISÍVEL 1415 - B
(C) FOSFORESCÊNCIA
(D) FLUORESCÊNCIA
(E) FORMAÇÃO DE PARES

1414 – OS AGENTES REDUTORES CAPAZES DE TRANSFORMAR HALOGENETOS AFETADOS PELA


LUZ EM PRATA MAIS RAPIDAMENTE DO QUE OS NÃO EXPOSTOS SÃO CHAMADOS DE
AGENTES REVELADORES. ENTRE ESSES AGENTES, O UTILIZADO COM MAIS FREQÜÊNCIA É O
SEGUINTE:
(A) BROMETO
(B) FENIDONA
(C) BENZOTROZOL
(D) BENZOTRIASOL
(E) SULFITO DE SÓDIO

1415 – A ELETRICIDADE ESTÁTICA É A CORRENTE ELÉTRICA QUE SE FORMA QUANDO O FILME


SOFRE ALGUM IMPACTO. ESTE FENÔMENO É MAIS COMUM EM AMBIENTES:
(A) CLAROS
(B) SECOS
(C) ÚMIDOS
(D) ESCUROS
(E) EM PENUMBRA
GABARITO:

1416 – C
1416 – UM FILME NÃO DEVE FICAR EXPOSTO POR MAIS DE UM MINUTOS À AÇÃO DA LUZ DE
SEGURANÇA. DA MESMA FORMA, O TEMPO DE REVELAÇÃO DO FILME NÃO DEVE EXCEDER1417 A:
– C
(A) 30 SEGUNDOS
(B) 25 SEGUNDOS 1418 - C
(C) 20 SEGUNDOS
(D) 15 SEGUNDOS
(E) 60 SEGUNDOS

1417 – EM PROCESSAMENTO MANUAL, OBSERVA-SE QUE OS EFEITOS DA TEMPERTURA PODEM


PRATICAMENTE ANULAR-SE MEDIANTE COMPENSAÇÃO NO TEMPO DE REVELAÇÃO QUANDO
SE SITUAM ENTRE:
(A) 17ºC E 27ºC
(B) 13ºC E 27ºC
(C) 19ºC E 29ºC
(D) 15ºC E 29ºC
(E) 20ºC E 40ºC

1418 – PARA O ARMAZENAMENTO DO MATERIAL RADIOGRÁFICO, A UMIDADE REALTIVA DO AR


MÁXIMA PARA O CLIMA SECO DEVE ESTAR ENTRE;
(A) 60 E 80%
(B) 60 E 70%
(C) 40 E 60%
(D) 40 E 80%
(E) 40 E 90%
GABARITO:

1419 – C
1419 – A REPOSIÇÃO COMPLETA DO FIXADOR DEVE SER FEITA QUANDO O TEOR DE PRATA ATINGE:
(A) 5 A 6 g por litro 1420 – B
(B) 6 A 7 g por litro
(C) 7 A 8 g por litro 1421 - A
(D) 9 A 10 g por litro
(E) 12 A 15 g por litro

1420 – UTILIZA-SE, NA PARTE ÚMIDA DA CÂMARA ESCURA, O SEGUINTE UTENSÍLIO:


(A) DESPERTADOR
(B) REVELADOR
(C) CHASSIS
(D) FILMES
(E) ARMÁRIO PARA GUARDAR FILMES

1421 – NA FINALIZAÇÃO DA REVELAÇÃO, FAZ-SE NECESSARIO O ENXÁGÜE, A FIM DE EVITAR:


(A) A NEUTRALIZAÇÃO DA ACIDEZ DO FIXADOR PELO REVELADOR
(B) A FUNÇÃO DE CLAREAMENTO DA RADIOGRAFIA
(C) A RETENÇÃO DE QUANTIDADE DE REVELADOR
(D) A AÇÃO DO ALCALINA REFORÇADOR
(E) A SECAGEM RÁPIDA DO FILME
GABARITO:

1422 – B
1422 – DENTRE OS FATORES IMPORTANTES A SEREM OBSERVADOS NO TRABALHO NA CÂMARA
ESCURA, O SISTEMA DE ACESSO É PRIMORDIAL. QUANTO AOS TIPOS DE ACESSO, É 1423 – C
INCORRETO AFIRMAR QUE:
(A) O SISTEMA “PORTA ÚNICA” É O MENOS SEGURO DE TODOS 1424 - C
(B) O SISTEMA “LABIRINTO” OCUPA POUCO ESPAÇO, MAS É O MAIS SEGURO
(C) O SISTEMA “PORTA PARALELA” DISPÕE DE MECANISMO DE SEGURANÇA PARA AMBAS
(D) O SISTEMA “PORTA GIRATÓRIA” É DEPENDENTE DE MANUTENÇÃO POR CONTAR COM EIXO
CENTRAL
(E) O SISTEMA “ SEM PORTA” APENAS COM UMA CORTINA ÚNICA DE RENDA PRÊTA É O IDEAL

1423 – A SEQÜÊNCIA DE ETAPAS DE PROCESSAMENTO MANUAL DO FILME É A SEGUINTE:


(A) IMERSÃO NO FIXADOR, NA ÁGUA, NO REVELADOR E SECAGEM
(B) IMERSÃO NO REVELADOR, NO FIXADOR, NA ÁGUA E SECAGEM
(C) IMERSÃO NO REVELADOR, NA ÁGUA, NO FIXADOR E NA ÁGUA
(D) IMERSÃO NO REVELADOR, NO FIXADOR E SECAGEM
(E) IMERSÃO NA ÁGUA, NO REVELADOR, NA ÁGUA, NO FIXADOR E SECAGEM

1424 – A INCIDÊNCIA AXIAL É AQUELA EM QUE O RAIO CENTRAL EM RELAÇÃO AO OBJETO, FAZ O
SEGUINTE TRAJETO:
(A) TANGENCIA O MAIOR EIXO
(B) INCIDE PARALELAMENTE AO MAIOR EIXO
(C) PERCORRE O MAIOR EIXO
(D) INCIDE PERPENDICULARMENTE AO MAIOR EIXO
(E) INCIDE SEMPRE COM 45º DE INCLINAÇÃO EM RELAÇÃO AO MAIOR EIXO DO OBJETO
GABARITO:

1425 – A
1425 – NA INCIDÊNCIA DE HJELM LAURELL, O PACIENTE FICA NA SEGUINTE POSIÇÃO:
(A) DECUBITO LATERAL 1426 – D
(B) AP
(C) PA 1427 - A
(D) OBLIQUA
(E) TRENDEMBURG

1426 – QUAL DESTES COMPONENTES DO FIXADOR DISSOLVE A PRATA NÃO PRECIPITADA?


(A) ÁCIDO ACÉTICO GLACIAL
(B) ALUMEN DE CROMO
(C) SULFITO DE SÓDIO
(D) HIPOSSULFITO DE SÓDIO
(E) ÁGUA

1427 – QUAL DESTES FATORES RADIOGRÁFICOS É RESPONSÁVEL PELOS CONTRASTES FORTES


(PRETO E BRANCO) NAS RADIOGRAFIAS?
(A) MAs
(B) KV
(C) Ma
(D) DISTANCIA FOCO-FILME
(E) ENTRADA DE LINHA
GABARITO:

1428 – C
1428 – CONRAD ROENTGEN DESCOBRIU OS RAIOS X EM:
(A) NOVEMBRO DE 1898 1429 – B
(B) DEZEMBRO DE 1896
(C) NOVEMBRO DE 1895 1430 - A
(D) DEZEMBRO DE 1890
(E) NOVEMBRO DE 1785

1429 – QUAIS DOS ÓRGÃOS ABAIXO NÃO É INTRA PERITONIAL?


(A) FIGADO
(B) RINS
(C) BAÇO
(D) INSTESTINO GROSSO
(E) CABEÇA DO PÂNCREAS

1430 – QUAL A INCIDÊNCIA NO EXAME RADIOLÓGICO DOS ROCHEDOS QUE É FEITA COM
ROTAÇÃO DE APROXIMADAMENTE 5 GRAUS DA CABEÇA DO PACIENTE PARA O LADO A SER
RADIOGRAFADO?
(A) GUILLEN
(B) CHAUSSÉ III
(C) SCHULLER
(D) STENVERS
(E) TRANORBITÁRIA
GABARITO:

1431 – D
1431 – QUAL DOS COMPONENTES DO REVELADOR EVITA O VELAMENTO PELA HIDROQUINONA DAS
PARTES TRANSPARENTES E AGE COMO RETARDADOR? 1432 – C
(A) CARBONATO DE SÓDIO
(B) ÁGUA 1433 - B
(C) HIPOSSULFITO DE SÓDIO
(D) BROMETO DE POTASSIO
(E) SULFITO DE SÓDIO

1432 – NO ESTUDO RADIOLOGICO DO CAVIM EM PACIENTE ADULTO, PARA PESQUISA DE TUMOR


ALÉM DO PERFIL DEVEMOS FAZER:
(A) REVERCHON
(B) OBLIQUA DIREITA
(C) HIRTZ
(D) OBLIQUA ESQUERDA
(E) BELLOT

1433 - QUAL A ROTINA MÍNIMA QUE DEVEMOS FAZER QUANDO O MÉDICO REQUISITA RADIOGRAFIA
DO TÓRAX PARA PESQUISA DE PARALISIA DIAFRAGMATICA?
(A) PA E PERFIL
(B) PA E PERFIL DE TÓRAX COM INSPIRAÇÃO E EXPIRAÇÃO
(C) PA E OBLIQUA
(D) PA, PERFIL E OBLIQUA
(E) ÁPICO LORDÓTICA, PERFIL E OBLIQUA ANTERIOR DIREITA
GABARITO:

1434 – A
1434 – ASSINALE A OPÇÃO QUE CONTÉM EXEMPLO DE ARTICULAÇÃO DO TIPO ANFIARTROSE:
(A) SACRO ILÍACA 1435 – D
(B) JOELHO
(C) COXO FEMURAL 1436 - B
(D) COTOVELO
(E) ARTICULAÇÃO ESCÁPULO UMERAL

1435 – NO EXAME DE DACRIOCISTOGRAFIA ESTUDAMOS A GLÂNDULA:


(A) MAMARIA
(B) SUB MAXILAR
(C) SEMINAL
(D) LACRIMAL
(E) HIPÓFISE

1436 – SÃO ÓRGÃOS RETRO PERITONIAIS:


(A) ESTÔMAGO, GÂNGLIOS E BAÇO
(B) RINS, PÂNCREAS, VEIA CAVA ABDOMINAL
(C) INTESTINO GROSSO, PÂNCREAS E BAÇO
(D) FÍGADO, VEIA CAVA ABDOMINAL E BAÇO
(E) FIGADO, ESTÔMAGO E DUODENO
GABARITO:

1437 – D
1437 – EM UMA RADIOGRAFIA SIMPLES DE ABDOME EM QUE USAMOS 70 KV, E A ESPESSURA DA
REGIÃO É DE 15 CENTIMETROS. PODEMOS AFIRMAR QUE A CONSTANTE DO APARELHO1438
É DE?
– C
(A) 35
(B) 55 1439 - A
(C) 25
(D) 40
(E) 50

1438 – QUAL DESTAS ALTERNATIVAS DEFINE A LEI DE KEPLER?


(A) O KV É PROPORCIONAL AO MAs
(B) O KV VARIA NA RAZÃO INVERSA DO QUADRADO DA DISTANCIA
(C) A INTESIDADE DA RADIAÇÃO VARIA NA RAZÃO INVERSA DO QUDRADO DA DISTANCIA
(D) É A RELAÇÃO ENTRE A DISTANCIA E O PODER DE PENETRAÇÃO
(E) DE TÔDA AÇÃO PROVEM UMA REAÇÃO

1439– NA TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA O SCANNER DE 4º GERAÇÃO SE DESENVOLVERAM


DURANTE A DÉCADA DE:
(A) 1980
(B) 1990
(C) 1970
(D) 2000
(E) 2001
GABARITO:

1440 – B
1440 – NA TOMOGRAFIA LINEAR A ESPESSURA DO CORTE É DETERMINADA:
(A) PELA ALTURA DO CORTE 1441 – A
(B) PELO ÂNGULO DA VARREDURA
(C) PELO POSICIONAMENTO DA BANDEJA 1442 - C
(D) PELA ALTURA DA MESA
(E) PELO mAS USADO

1441 – NA INCIDENCIA DE CLEÓPATRA (INSERÇÃO AXILAR) OBLIQUAMOS:


(A) 20 À 30 GRAUS
(B) 31 À 40 GRAUS
(C) 10 À 19 GRAUS
(D) 1 À 9 GRAUS
(E) 15 A 60 GRAUS

1442 – PIGG – O STAT É UM ACESSORIO UTILIZADO NA REALIZAÇÃO DE EXAMES DE ABDOME E


TÓRAX EM ORTOSTÁTICA EM CRIANÇAS COM IDADE ATÉ:
(A) UM ANO
(B) TRÊS
(C) DOIS ANOS
(D) QUATRO
(E) 6 MESES
GABARITO:

1443 – B
1443 – É CONTRA INDICAÇÃO ABSOLUTA NA REALIZAÇÃO DE EXAMES EM RESSONÂNCIA
MAGNÉTICA: 1444 – A
(A) GESTANTE E PROJÉTIL DE ARMA DE FOGO
(B) CLIPES DE ANEURISMA E MARCA PASSO 1445 - D
(C) PRÓTESES ARTICULADAS E IMPLANTES COCLEARES
(D) CLAUSTROFOBIA E NEURO ESTIMULADORES
(E) PACIENTE IDOSO

1444 – MARQUE O ITEM ABAIXO QUE CONTÉM SOLUÇÕES QUÍMICAS QUE PERTENCEM SOMENTE
AO REVELADOR:
(A) MENTOL, HIDROQUINONA, CARBONATO DE SÓDIO E BROMETO DE POTÁSSIO.
(B) MENTOL, HIDROQUINONA, SULFITO DE SÓDIO E ALUMEN DE CROMO
(C) MENTOL, HIDROQUINONA, CARBONATO DE SÓDIO E HIPOSULFITO DE SÓDIO
(D) MENTOL, CARBONATO DE SÓDIO, SULFITO DE SÓDIO E ÁCIDO ACÉTICO GLACIAL
(E) METOL, HIROQUINONA, HIPOSSULFITO DE SÓDIO E CARBONATO DE SÓDIO

1445 – DE ACORDO COM BONTRAGER, DEVE-SE FAZER O USO DE GRADE (POTER-BUCKY) PARA
PARTES DO CORPO QUE MEDEM:
(A) ACIMA DE 6 cm
(B) ACIMA DE 8 cm
(C) ACIMA DE 12 cm
(D) ACIMA DE 10 cm
(E) ACIMEA DE 25 cm
GABARITO:

1446 – B
1446 – DOS ITENS ABAIXO, QUAL NÃO PERNTECE AOS FATORES PRIMÁRIOS DE QUALIDADE DA
IMAGEM? 1447 – B
(A) CONTRASTE
(B) EFEITO ANÓDIO 1448 - D
(C) DETALHE
(D) DISTORÇÃO
(E) TAMNHO DO CHASSIS ESCOLHIDO

1447 – SEGUNDO BONSTRAGER, NA LOCALIZAÇÃO CORRETA DO TÓRAX EM AP, O RAIO CENTRAL


DEVE FAZER UMA ANGULAÇÃO DE:
(A) 3 A 5 GRAUS CEFÁLICO
(B) 3 A 5 GRAUS CAUDAL
(C) O RAIO CENTRAL DEVE TER UMA ANGULAÇÃO DE 15GRAUS CEFÁLICO
(D) O RAIO CENTRAL NÃO DEVE TER ANGULAÇÃO
(E) 25 GRAUS PODÁLICO

1448 – BASEADO EM BONTRAGER, EM RELAÇÃO ÀS ARTICULAÇÕES DO CRÂNIO (SUTURAS) A


ESCAMOSA É A QUE SEPARA:
(A) O OSSO FRONTAL DOS PARIETAIS
(B) OS DOIS OSSOS PARIETAIS
(C) OS OSSOS PARIETAIS DO OCCIPITAL
(D) OS OSSOS PARIETAIS DOS TEMPORAIS
(E) OCCIPTAL DO FRONTAL
GABARITO:

1449 – A
1449 – REFERENTE AOS OSSOS DO PUNHO (CARPIANOS), PODEMOS AFIRMAR QUE O CAPTATO :
(A) ARTICULA-SE COM A BASE DO PRIMEIRO METACARPIANO 1450 – A
(B) NÃO É OSSO DA REGIÃO CARPIANA
(C) É O MENOR OSSO DA REGIÃO CARPIANA 1451 - E
(D) É O MAIOR OSSO DA REGIÃO CARPIANA
(E) É TAMBÉM CONHECIDO COMO ESCAFÓIDE CARPIANO (SUA NOMENCLATURA ANTERIOR)

1450 - EM RELAÇÃO AS ARTICULAÇÕES É CERTO AFIRMAR QUE A ESCÁPULO-UMERAL É DO TIPO


DE MOVIMENTO:
(A) ESFERÓIDE
(B) SELAR
(C) GÍNGLIMO
(D) TROCÓIDE
(E) SINDESMOSE

1451 – O ESQUELETO DO HOMEM ADULTO É DIVIDO EM ESQUELETO AXIAL E APENDICULAR. QUAL


DOS ITENS ABAIXO NÃO PERTENCE AO ESQUELETO APENDICULAR ?
(A) FÍBULA
(B) FÊMUR
(C) ÚMERO
(D) PATELA
(E) ESTERNO
GABARITO:

1452 – C
1452 – OS TRÊS ORGÃOS ACESSÓRIOS DA DIGESTÃO QUE FICAM LOCALIZADOS NA CAVIDADE
ABDOMINAL SÃO: 1453 – A
(A) FÍGADO, BAÇO E PÂNCREAS
(B) VESÍCULA BILIAR, BAÇO E PÂNCREAS 1454 - C
(C) FÍGADO, VESICULA BILIAR E PÂNCREAS
(D) FÍGADO, VESICULA BILIAR E BAÇO
(E) FÍGADO, ESÔFAGO E CÉCUM

1453 – O FATOR DE CONTROLE PRÍMÁRIO PARA CONTRASTE É O kVp. UMA REGRA GERAL SIMPLES
E PRÁTICA AFIRMA QUE PARA SE PRODUZIR UM AUMENTO DA DENSIDADE IGUAL AO
PRODUZIDO PELA DUPLICAÇÃO DO mAS, TEREMOS QUE :
(A) AUMENTAR 15% DO kV
(B) DIMINUIR 15% DO kV
(C) AUMENTAR 25% DO kV
(D) AUMENTAR 10% DO kV
(E) DIMINUIR 50% DO kV

1454 – A CLASSIFICAÇÃO ESTRUTURALDAS ARTICULAÇÕES BASEIA-SE NO TIPO DE TECIDO QUE


SEPARA OS OSSOS. SENDO ASSIM, RESPONDA QUAL DAS ASSERTIVAS É CLASSIFICADA
COMO ARTICULAÇÃO CARTILAGINOSA :
(A) SINDESMOSE
(B) GONFOSE
(C) SINCONDROSE
(D) SUTURA
(E) CONDILAR
GABARITO:

1455 – B
1455 – A QUANTIDDE DE OSSOS DISTINTOS QUE COMPÕE OS SEGMENTOS CERVICAL E LOMBAR
DA COLUNA VERTEBRAL DE UM ADULTO É: 1456 – B
(A) 19 OSSOS DISTINTOS
(B) 12 OSSOS DISTINTOS 1457 - C
(C) 10 OSSOS DISTINTOS
(D) 15 OSSOS DISTINTOS
(E) 17 OSSOS DISTINTOS

1456 – NO ESTUDO CONTRASTADO DO CANAL LACRIMAL, ASSIM COMO NO ESTUDO RADIOLÓGICO


CONTRASTADO DAS GLÂNDULAS SALIVARES O CONTRASTE USADO RESPECTIVAMENTE É A
BASE DE:
(A) SULFATO DE BÁRIO E IODO
(B) IODO E IODO
(C) PROTÓXIDO DE AZÔTO E IODO
(D) CO2 E IODO
(E) SULFATO DE BÁRIO E SULFATO DE BÁRIO

1457 – NA RADIOGRAFIA DA COLUNA CERVICAL EM OBLIQUA DIREITA E ESQUERDA OBJETIVA-SE O


ESTUDO DOS :
(A) CORPOS VERTEBRAIS
(B) PROCESSOS ESPINHOSOS
(C) FORAMENS DE CONJUGAÇÃO
(D) PROCESSOS TRANSVERSOS
(E) FORAMENS VERTEBRAIS
GABARITO:

1458 – C
1458 – DOS OSSOS DO CARPO, O OSSO QUE TAMBÉM É CONHECIDO COMOTRIANGULAR OU
CUNEIFORME É O: 1459 – C
(A) HAMATO
(B) SEMILUNAR 1460 - C
(C) PIRAMIDAL
(D) TRAPEZÓIDE
(E) TRAPÉZIO

1459–NUMA SERIOGRAFIA CONTRASTADA DO ESÔFAGO, ESTÔMAGO E DUODENO O PACIENTE É


ORIENTADO A SE APRESENTAR PARA O EXAME :
(A) TOMAR MUITO LÍQUIDO NAS DUAS HORAS QUE ANTECEDE O EXAME
(B) SEM NENHUMA RESTRIÇÃO ALIMENTAR NO DIA DO EXAME
(C) EM JEJUM ABSOLUTO DE 12 HORAS
(D) COM DIETA LEVE PELA MANHÂ
(E) COM PREPARO FEITO NA VÉSPERA (LAXATIVO E ANTI-FLATULÊNTICO)

1460 – COMO SE DENOMINA UM TIPO ESPECIAL DE PERITÔNIO COM PREGA DUPLA QUE SE
ESTENDE DO ESTÔMAGO ATÉ OUTRO ÓRGÃO, PROPORCIONANDO ESTABILIDADE E
SUSTENTAÇÃO PARA ESTAS ESTRUTURAS ?
(A) CÓLON TRANSVERSO
(B) MESENTÉRIO
(C) OMENTO
(D) CÓLON DESCENDENTE
(E) CÓLON ASCENDENTE
GABARITO:

1461 – A
1461 – QUAL MÉTODO É UTILIZADO PARA O EXAME DAS MASTÓIDES EM QUE O PLANO MÉDIO-
SAGITAL FICA PARALELO AO FILME E O RAIO CENTRAL É ANGULADO DE 25º A 30º CAUDAL?
1462 – A
(A) MÉTODO DE SCHULLER
(B) MÉTODO DE TOWNE 1463 - D
(C) MÉTODO DE MAYER
(D) MÉTODO DE STENVERS
(E) MÉTODO DE GUILHEN

1462– PARA VISUALIZAÇÃO DOS OSSOS PARIETAIS, A MELHOR INCIDÊNCIA PRECONIZADA POR
BONTRAGER É :
(A) LATERAL
(B) AXIAL AP (MÉTODO DE TOWNER)
(C) AXIAL PA (MÉTODO DE HASS)
(D) AP
(E) INCIDÊNCIA DE WATTER WALDRON

1463 – A INCIDÊNCIA EM QUE O RAIO CENTRAL ENTRA ABAIXO DO QUEIXO E SAI NO VÉRTICE DO
CRÂNIO É CHAMADA :
(A) VÉRTICOSUBMENTONIANA
(B) ÓRBITOPARIETAL
(C) AXIAL SUPERO-INFERIOR
(D) SUBMENTOVÉRTICE
(E) ACANTIO-MENTONIANA
GABARITO:

1464 – A
1464 – O NEFROGRAMA OU NEFROTOMOGRAMA É UM AIMAGEM RADIOLOGICA OBTIDA POR MEIO
DE: 1465 – B
(A) UROGRAFIA EXCRETORA
(B) CINTILOGRAFIA ÓSSEA 1466 - C
(C) CLISTER OPACO
(D) LINFOGRAFIA
(E) ULTRA-SONOGRAFIA PÉLVICA

1465 – QUAIS SÃO OS FATORES DE EXPOSIÇÃO EM RADIOLOGIA MÉDICA?


(A) KV, CONTRASTE E DISTORÇÃO
(B) KV, mA E TEMPO DE EXPOSIÇÃO
(C) mA, DENSIDE E DETALHE
(D) TEMPO DE EXPOSIÇÃO, DISTORÇÃO E mA
(E) CONTRASTE, DENSIDADE E KV

1466 – QUAIS AS INCIDENCIAS RADIOLOGICAS BÁSICAS PARA O ESTUDO DA MÃO?


(A) PA E LATERAL
(B) AP, PA E LATERAL
(C) PA, PA OBLIQUA E LATERAL
(D) AP E AP OBLIQUA
(E) AP, LATERAL E AP OBLIQUA
GABARITO:

1467 – B
1467 – SÃO FATORES PRIMARIOS DE QUALIDADE DA IMAGEM, EXCETO:
(A) DENSIDADE 1468 – A
(B) PROFUNDIDADE
(C) CONTRASTE 1469 - B
(D) DETALHE
(E) DISTORÇÃO

1468 – QUAL É A INCIDÊNCIA PANORÂMICA MAIS UTILIZADA PARA O ESTUDO DOS CÓLONS, RETO
E CECO NO EXAME DE CLISTER OPACO DE ROTINA (ENEMA BARITADO) ?
(A) PA
(B) OBLÍQUA
(C) LATERAL
(D) “TUNNEL VIEW”
(E) MÉDIO-LATERAL

1469 – A INCIDÊNCIA DENOMINADA “PERNA DE RÔ É UTILIZADA PARA ESTUDO RADIOLOGICO DO


(A) CALCÂNEO
(B) QUADRIL
(C) JOELHO
(D) TORNOZELO
(E) ASTRÁGALO
GABARITO:

1470 – A
1470 – QUAL A CONTRA-INDICAÇÃO ABSOLUTA PARA A REALIZAÇÃO DE EXAMES DE
RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DO CRÂNIO? 1471 – B
(A) MARCA-PASSO CARDÍACO
(B) CLAUSTROFOBIA 1472 - A
(C) ALERGIA A MEIO DE CONTRATE IODADO
(D) PRÓTESE DE QUADRIL
(E) PRÓTESE DENTÁRIA

1471 – A ESOFAGOGRAFUA É O PROCEDIMENTO RADIOGRAFICO COMUM PARA O EXAME DA:


(A) CAVIDADE ORAL E DO ESTÔMAGO
(B) FARINGE E DO ESÔFAGO
(C) CAVIDADE ABDOMINAL
(D) FARINGE E DO DUODENO
(E) ALÇA INTESTIONAL E DO ESÔFAGO

1472 – A CIFOSE É UMA CURVATURA OBSERVADA NA


(A) COLUNA TORÁCICA
(B) COLUNA CERVICAL
(C) COLUNA LOMBAR
(D) CRISTA ILÍACA
(E) ESCÁPULA
GABARITO:

1473 – B
1473 - AS MULHERES GRÁVIDAS DEVEM EVITAR EXPOSIÇÃO AOS RAIOS-X. EXAMES QUE
RESULTAM EM DOSES ALTAS PARA O FETO OU EMBRIAO REQUEREM CONFIRMAÇÃO DO 1474 – E
MÉDICO SOLICITANTE. ASSINALE A OPÇÃO QUE NÃO SE ENQUADRA NESSA NECESSIDADE.
(A) COLUNA LOMBAR 1475 - C
(B) MÃO
(C) PELVE
(D) QUADRIL
(E) SACRO E CÓCCIX

1474 – ASSINALE A OPÇÃO QUE CORRELACIONA CORRETAMENTE OS MARCOS DE REFERÊNCIA


ÓSSEOS ÀS RESPECTIVAS PARTES DO CORPO A SEREM EXAMINADAS.
(A) A INCISURA JUGULAR É USADA PARA O POSICIONAMENTO DO ESTERNO E DA COL. CERVICAL
(B) A CRISTA ILÍACA É USADA PARA O POSICIONAMENTO DO SACRO, CÓCCIX E FÊMUR
(C) A SÍNFISE PÚBLICA É USADA PARA O POSICIONAMENTO DO QUADRIL, SACRO E COLUNA
DORSAL.
(D) A TUBEROSIDADE ISQUIÁTICA É USADA PARA O POSICIONAMENTO DA PELVE E QUADRIL
(E) O TROCANTER MAIOR É USADO PARA O POSICIONAMENTO DO ABDOME, PELVE E QUADRIL

1475 – QUE EXAME RADIOLÓGICO ESTÁ INDICADO PARA O ESTUDO DA DIVERTICULOSE DO


INTESTINO GROSSO?
(A) RADIOGRAFIA SIMPLES DO ABDOME
(B) TRÂNSITO DO DELGADO
(C) ENEMA BARITADO COM DUPLO CONTRASTE
(D) COLANGIOGRAFIA
(E) RADIOGRAFIA SIMPLES DA BACIA
GABARITO:

1476 – E
1476 – QUAL A COANTRA-INDICAÇÃO AO USO ORAL DO CONTRASTE À BASE DE SULFATO DE
BÁRIO? 1477 – C
(A) INFECÇÃO URINARIA
(B) SINUSOPATIA 1478 - B
(C) DIABETTES MELLITUS
(D) CARDIOPATIA HIPERTENSIVA
(E) ÚLCERA DUODENAL PERFURADA

1477 – QUAIS SÃO AS INCIDÊNCIAS BÁSICAS PARA A ROTINA RADIOLÓGICA DE ABDOME AGUDO?
(A) TÓRAX EM PA, TÓRAX EM PERFIL E ABDOME EM AP (ORTOSTÁTICA)
(B) ABDOME EM AP, ABDOME EM AP (DECUBITO LATERAL) E TÓRAX EM PERFIL
(C) ABDOME EM AP (DECUBITO DORSAL), TÓRAX EM PA E ABDOME EM AP (ORTOSTATICA)
(D) TÓRAX EM PA, TÓRAX EM PERFIL E ABDOME EM PA
(E) ABDOME EM AP, ABDOME EM PA.

1478 – NAS RADIOGRAFIAS DE MEMBROS INFERIORES, NÃO É CONSIDERADO FATOR DE


EXPOSIÇÃO:
(A) KVp BAIXA A MÉDIA
(B) USO DO MAIOR CHASSIS POSSÍVEL PARA A REGIÃO A SER ESTUDADA
(C) SPOT FOCAL PEQUENO
(D) mAs ADEQUADO PARA UMA DENSIDADE SUFICIENTE
(E) TEMPO DE EXPOSIÇÃO CURTO
GABARITO:

1479 – D
1479 – QUAIS FATORES TÉCNICOS DEVEM SER LEVADOS EM CONSIDERAÇÃO NA RADIOGRAFIA DE
TÓRAX DE CRIANÇAS? 1480 – D
(A) GRANDE PONTO FOCAL E USO DE GRADE
(B) USO DA GRADE E TEMPO DE EXPOSIÇÃO MAIOR POSSÍVEL 1481 - A
(C) kVp ACIMA DE 100 E GRANDE PONTO FOCAL
(D) PEQUENO PONTO FOCAL E MENOR TEMPO DE EXPOSIÇÃO POSSÍVEL
(E) kVp ENTRE 70 E 80 E TEMPO DE EXPOSIÇÃO MAIOR POSSÍVEL

1480 – COM QUE OSSO ARTICULA-SE A PATELA?


(A) ÚMERO
(B) FÍBULA
(C) ÍSQUIO
(D) FÊMUR
(E) TÍBIA

1481 – QUAIS S INCIDÊNCIAS BÁSICAS EM MAMOGRAFIA?


(A) CRÂNIO-CAUDAL E OBLÍQUA MÉDIO-LATERAL
(B) CRÂNIO-CAUDAL E TANGENCIAL
(C) OBLÍQUA MÉDIO-LATERAL E PERFIL
(D) TANGENCIAL E OBLÍQUA MÉDIO-LATERAL
(E) LÁTERO-MEDIAL E PERFIL
GABARITO:

1482 – D
1482 –QUAL O EXAME DE IMAGEM MAIS EMPREGADO NO ESTUDO DO CRÂNIO NS LESÕES POR
ARMA DE FOGO? 1483 – C
(A) TOMOGRAFIA POR EMISSÃO DE PÓSITRONS
(B) RESSONÂNCIA MAGNÉTICA 1484 - A
(C) ULTRA-SONOGRAFIA
(D) TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA
(E) CINTILOGRAFIA ÓSSEA

1483 – QUAIS SÃO OS OSSÍCULOS AUDITIVOS SITUADOS NO OUVIDO MÉDIO?


(A) CÓCLEA E VESTÍBULO
(B) MARTELO, CÓCLEA E LABIRINTO
(C) ESTRIBO, BIGORNA E MARTELO
(D) VESTIBULO, ESTRIBO E CANAL SEMICIRCULAR
(E) BIGORNA E DUCTO ENDOLINFÁTICO

1484 – QUAL A MEDIDA USADA PARA REDUÇÃO DA EXPOSIÇÃO À RADIAÇAO DO PACIENTE


DURANTE O EXAME RADIOLOGICO?
(A) COLIMAÇÃO PRECISA
(B) USO DE COMBINAÇÃO FILME-ÉCRAN DE BAIXA VELOCIDADE
(C) FLEXÃO EXCESSIVA DA COLUNA CERVICAL, FLOU CINÉTICO E MILIAMPERAGEM BAIXA
(D) ANGULAÇÃO INCORRETA DO RAIO CENTRAL (RC), MILIAMPERAGEM ALTA E ROTAÇÃO
(E) ROTAÇÃO, INCLINAÇÃO E ANGULAÇÃO INCORRETA DO RAIO CENTRAL (RC)
GABARITO:

1485 – E
1485 - QUAIS OS ERROS POTENCIAS DE POSICIONAMENTO RELACIONADOS ÀS POSIÇÕES DO
CRÂNIO NOS EXAMES RADIOLÓGICOS SIMPLES? 1486 – C
(A) ROTAÇÃO, KVp ALTA E INCLINAÇÃO
(B) INCLINAÇÃO CINÉTICA E FLEXÃO EXCESSIVA DA COLUNA LOMBAR 1487 - D
(C) FLEXÃO EXCESSIVA DA COLUNA CERVICAL, FLOU CINÉTICO E MILIAMPERAGEM BAIXA
(D) ANGULAÇÃO INCORRETA DO RAIO CENTRAL (RC), MILIAMPERAGEM ALTA E ROTAÇÃO.
(E) ROTAÇÃO, INCLINAÇÃO E ANGULAÇÃO INCORRETA DO RAIO CENTRAL (RC)

1486 – QUAL É O FATOR PRIMÁRIO DE CONTROLE PARA O CONTRASTE DA IMAGEM


RADIOGRAFICA?
(A) mAs
(B) rem
(C) kVp
(D) rad
(E) TEMPO

1487 – QUAL A FINALIDADE DA RADIOGRAFIA DE TÓRAX NA INCIDÊNCIA AP EM DÉCUBITO


LATERAL?
(A) EVIDENCIAR FRATURAS EM ARCOS COSTAIS
(B) AVALIAR LESÕES PULMONARES NOS LOBOS SUPERIORS
(C) MENSURAR VOLUME CARDÍACO
(D) DEMONSTRAR PEQUENOS DERRAMES PLEURAIS
(E) AVALIAR ESÔGAFO E TRAQUÉIA
GABARITO:

1488 – B
1488 – QUAIS S INCIDÊNCIAS BÁSICAS PARA O ESTUDO RADIOLOGICO DA PERNA?
(A) OBLIQUA E PERFIL 1489 – C
(B) AP E LATERAL
(C) AXIAL E AP 1490 - B
(D) AP E OBLIQUA
(E) LATERAL E AXIAL

1489 – A QUE NÍVEL DEVE ESTAR POSICIONADO O RAIO CENTRAL NA RADIOGRAFIA DO TÓRAX EM
AP?
(A) T 2
(B) T 3
(C) T 7
(D) T 10
(E) T 12

1490 – QUAL A ROTINA BÁSICA PARA O EXAME DE UROGRAFIA EXCRETORA APÓS A INJEÇÃO
ENDOVENOSA DO MEIO DE CONTRASTE?
(A) RADIOGRAFIAS APÓS 10 MINUTOS, 15 MINUTOS, 30 MINUTOS E 60 MINUTOS
(B) RADIOGRAFIAS APÓS 04 MINUTOS, 05 MINUTOS, 15 MINUTOS, 20 MINUROS E PÓS-MICCIONAL
(C) RADIOGRAFIAS APÓS 04 MINUTOS, 05 MINUTOS E AS SEGUINTES DE 10 EM 10 MINUTOS ATÉ
COMPLETAR 01 HORA
(D) RADIOGRAFIAS DE 10 EM 10 MINUTOS ATÉ COMPLETAR 40 MINUTOS E PÓS -MICCIONAL
(E) RAIOGRAFIAS APÓS 15 MINUTOS, 20 MINUTOS, 60 MINUTOS E PÓS-MICCIONAL.
GABARITO:

1491 – B
1491 – QUAL A DOSE-LIMITE ANUAL PARA EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL À RADIAÇAO DE
TRABALHADORES EM RADIOLOGIA MÉDICA? 1492 – E
(A) 2 REM
(B) 5 REM 1493 - B
(C) 10 REM
(D) 15 REM
(E) 18 REM

1492 – A ROTINA BÁSICA PARA O ESTUDO RADIOLÓGICO SIMPLES DOS SEIOS PARANASAIS É AS
INCIDÊNCIAS DE:
(A) CALDWELL E DE WATERS
(B) WATERS E LATERAL
(C) CALDWELL, LATERAL E SUBMENTOVÉRTICE
(D) WATERS, DE TOWNE E DE CALDWELL
(E) WATERS, DE CALDWELL E LATERAL

1493 – EM QUE SEGMENTO DO INTESTINO GROSSO LOCALIZA-SE O APÊNDICE VERMIFORME?


(A) FLEXURA HEPÁTICA
(B) CECO
(C) CÓLON DESCENDENTE
(D) RETO
(E) CÓLON TRANSVERSO
GABARITO:

1494 – D
1494 – A RESOLUÇÃO ESPACIAL É O PARÂMETRO PARA A REPRODUÇÃO DE IMAGENS COM:
(A) MUITO RUIDO 1495 – B
(B) GRANDES DETALHES
(C) PEQUENOS DETALHES 1496 - B
(D) B E C ESTÃO CERTAS
(E) NRA

1495 – AS ESTRUTURAS DENSAS NA TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA, COMO OSSO E METAL,


SÃO MOSTRADAS POR:
(A) PRETO
(B) BRANCO
(C) TONS CINZA
(D) TONS DE CINZA E PRETO
(E) TRANSPARENTES

1496 – OS DOIS GASES UTILIZADOS PARA RESFRIAR O IMÃ SUPERCONDUTOR (RESSONÂNCIA


MAGNÉTICA) SÃO :
(A) BUTANO / METANO
(B) HÉLIO / NITROGÊNIO
(C) OXIGÊNIO / HIDROGÊNIO
(D) CARBÔNICO / PROTÓXIDO DE AZÔTO
(E) HIDROGÊNIO / BUTANO
GABARITO:

1497 – C
1497 – O CONTRASTE USADO EM RESSONÂNCIA É :
(A) BÁRIO 1498 – C
(B) HYPAQUE
(C) GADOLÍNIO 1499 - D
(D) OMNYPAQUE
(E) BILOPAQUE

1498 – DOS EXAMES ABAIXO, O MAIS INDICADO PARA AVALIAR MAMAS COM PRÓTESE DE SILICONE
É:
(A) MAMOGRAFIA
(B) ULTRA-SONOGRAFIA
(C) RESSONÂNCIA MAGNÉTICA
(D) TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA
(E) DENSITOMETRIA ÓSSEA

1499 – A TEMPERATURA DA CÂMARA ESCURA DEVE VARIAR ENTRE :


(A) 32º E 36º
(B) 25º E 32º
(C) 12º E 17º
(D) 18º E 24º
(E) 32º E 40º
GABARITO:

1500 – B
1500 – A INCIDÊNCIA DE RHEESE É USADA PARA O ESTUDO DO(A):
(A) SELA TÙRSICA 1501 – C
(B) FORAMEM ÓPTICO
(C) PROCESSO ODONTÓIDE 1502 - C
(D) ARTICULAÇÃO TEMPOROMANDIBULAR
(E) ARTICULAÇÃO SACRO-ILÍACA

1501 – A LINHA DE FRANKFURT É CONHECIDA TAMBÉM COMO:


(A) RHEESE
(B) AURICULAR
(C) LINHA DO PLANO ANTROPOLÓGICO
(D) SUPRAÓRBITOMEÁTICA
(E) LINHA DE CHAMBERLAIN

1502 – A DOSE EFETIVA CORPORAL TOTAL POR ANO, PARA OS TRABALHADORES DA ÁREA
RADIOLÓGICA, É DE :
(A )30 mSv
(B) 40 mSv
(C) 50 mSv
(D) 60 mSv
(E) 100 mSv
GABARITO:

1503 – A
1503- NA INCIDÊNCIA LATERAL VERDADEIRA DA ESCÁPULA, OS ACIDENTES ANATÔMICOS BÁSICOS
QUE RESULTAM NO FORMATO DE “Y” ESTÃO NA SEGUINTE ALTERNATIVA : 1504 – B
(A) ACRÔMIO, PROCESSO CORACÓIDE E CORPO.
(B) FOSSA SUPRA ESPINHOSA, CRISTA DA ESPINHA E ACRÔMIO. 1505 - D
(C) ÂNGULO INFERIOR, CAVIDADE GLENÓIDE E FOSSA ESCAPULAR.
(D) SUPERFÍCIE DORSAL, BORDO LATERAL E SUPERFÍCIE VENTRAL.
(E) ACRÔMIO, CAVIDADE GLENÓIDE E ESOINHA DA ESCÁPULA

1504 – NA INCIDÊNCIA “ TUNNEL VIEW “ , DO JOELHO, O RAIO CETRAL DEVEINCIDIR;


(A) NO TERÇO MÉDIO DA COXA.
(B) NA PREGA POPLÍTEA
(C) NO ÁPICE DA PATELA
(D) NO TERÇO PROXIMAL DA COXA
(E) NO MALÉOLO FIBULAR

1505 – DENTRE AS INCIDÊNCIAS PARA ESTUDO RADIOLÓGICO DO JOELHO, QUAL PROPORCIONA


UMA PROJEÇÃO AXIAL DA PATELA
(A) ”TUNNEL VIEW “
(B) AP
(C) LATERAL
(D) MARCHANT
(E) RHEESE
GABARITO:

1506 – B
1506 – É UMA INCIDÊNCIA QUE DEMONSTRA O ESPAÇO ARTICULAR GLENO-UMERAL ABERTO:
(A) AP COM ROTAÇÃO INTERNA DO BRAÇO. 1507 – A
(B) OBLIQUA, COM O CORPO RODADO 35º - 45º PARA O LADO A SER EXAMINADO.
(C) AP COM ROTAÇÃO EXTERNA DO BRAÇO. 1508 - A
(D) OBLIQUA, COM O CORPO RODADO 35º - 45º PARA O LADO OPOSTO A SER EXAMINADO.
(E) INCIDÊNCIA DE LAWRENCE

1507 – QUAL DAS ABAIXO MENCIONADAS É A INCIDÊNCIA DE TORNOZÊLO QUE PROPORCIONA UMA
AVALIAÇÃO MAIS COMPLETA DA SINDESMOSE TIBIO-FIBULAR ?
(A) RODAR A PERNA E O PÉ INTERNAMENTE EM 45º.
(B) AP NEUTRO
(C) RODAR A PERNA E O PÉ EXTERNAMENTE EM 45º.
(D) LATERAL.
(E) PERFIL INTERNO COM FLEXÃO DO PÉ

1508 – UMA MANEIRA SIMPLES DE EVITAR QUE A SOMBRA DA MANDÍBULA SE PROJETE SOBRE A
VÉRTEBRA C3, NA INCIDÊNCIA DE AP DA COLUNA CERVICAL É :
(A) ANGULAÇÃO CEFÁLICA DE 12º.
(B) ANGULAÇÃO LATERAL DE 20º.
(C) ANGULAÇÃO CAUDAL DE 12º.
(D) ANGULAÇÃO CAUDAL DE 20º.
(E) ANGULAÇÃO CAUDAL DE 5º.
GABARITO:

1509 – B
1509 – POR QUE O PERFIL DE COLUNA CERVICAL DEVE SER FEITO EM TELERADIOGRAFIA /
(A) PARA COMPENSAR A DIMINUIÇÃO DA DIATÂNCIA OBJETO-FILME. 1510 – D
(B) PARA COMPENSAR O AUMENTO DA DISTÂNCIA OBJETO-FILME.
(C) PARA DIMINUIR A DOSE DE RADIAÇÃO APLICADA NO PACIENTE. 1511 - D
(D) PARA EVITAR O FLOW CINÉTICO DURANTE A EXPOSIÇÃO.
(E) PARA MOSTRAR MELHOR OS FORAMENS DE CONJUGAÇÃO

1510 – NA PROJEÇÃO DE WATERS PARA AVALIAÇÃO DOS OSSOS DA FACE.


(A) O RAIO CENTRAL DEVE SER ORIENTADO PARALELAMENTE A LINHA ÓRBITOMEATAL.
(B) O RAIO CENTRAL DEVE SER ORIENTADO PERPENDICULARMENTE A LINHA ÓRBITOMEATAL.
(C) O RAIO CENTRAL DEVE SER ORIENTADO PARALELAMENTE AO FILME.
(D) O RAIO CENTRAL DEVE SER ORIENTADO PARALELAMENTE A LINHA TRAGUS -MENTONIANA.
(E) O RAIO CENTRAL DEVERÁ INCIDIR NA GLABELA

1511 – DEVE-SE EVITAR EXPOSIÇÃO DESNECESSÁRIA ’A RADIAÇÃO QUANDO SE TRATA DE ;


(A) ADULTOS.
(B) GESTANTES.
(C) CRIANÇAS.
(D) TODAS AS ALTERNATIVAS ANTERIORES.
(E) SOMENTE A E C ESTÃO CERTAS
GABARITO:

1512 – A
1512 – EM SE TRATANDO SE EXAMES RADIOLÓGICOS DE MULHERES EM IDADE FÉRTIL, NO QUE
CONSISTE A REGRA DOS 10 DIAS ? 1513 – C
(A) UMA MEDIDA PREVENTIVA QUE VISA AVALIAR ESSAS PACIENTES EM UM PERÍODO DO CICLO
MENSTRUAL EM QUE DIFICILMENTE ESTARÃO GRÁVIDAS. 1514 - A
(B) UMA MEDIDA QUE VISA FLAGRAR O MOMENTO EM QUE UMA MULHER TEM MAIOR CHANCE DE
ESTAR GRÁVIDA, DE MODO QUE SE POSSA FAZER O EXAME NESSA ÉPOCA.
(C) UMA MEDIDA PREVENTIVA NA QUAL MULHERES QUE FORAM SUBMETIDAS A UM EXAME
RADIOLÓGICO, DEVEM ESPERAR 10 DIAS ANTES DE ENGRAVIDAR.
(D) TODAS AS OPÇÕES ANTERIORES ESTÃO ERRADAS.
(E) AS OPÇÕES A,B E C ESTÃO CERTAS

1513 – SÃO FATORES QUE DIMINUEM A DOSE DE RADIAÇÃO RECEBIDA PELO PACIENTE, EXCETO :
(A) FILTRAÇAÕ CORRETA.
(B) REPETIÇÃO MINIMA DE EXPOSIÇÕES
(C) COLIMAÇÃO AMPLA.
(D) PROTEÇÃO GONADAL.
(E) USO DE CILINDRO DE EXTENSAÕ QUANDO NECESSÁRIO

1514 – COMPÕEM A EXTREMIDADE PROXIMAL DO FÊMUR, EXCETO :


(A )FOSSA INTERCONDILIANA.
(B) GRANDE TROCÂNTER
(C) CABEÇA DO FÊMUR
(D) PEQUENO TROCÂNTER
(E) FÓVEA
GABARITO:

1515 – B
1515 – QUANTO AO ACETÁBULO, É CORRETO AFIRMAR :
(A É UMA PARTE DO ÍLEO 1516 – D
(B) É FORMADO PELO PÚBIS, PELO ÍSQUIO E PELO ÍLEO.
(C) É UMA PARTE DO ÍSQUIO. 1517 - C
(D) É FORMADO PELO ÍSQUIO E PELO ÍLEO.
(E) FICA LOCALIZADO SOBRE A CRISTA DO ILIACO

1516 – CORRESPONDE A UM INDIVIDUO EM POSIÇÃO ANATÔMICA :


(A) INDIVIDUO DEITADO, OLHANDO PARA CIMA, COM REGIÃO PALMAR VOLTADAS PARA BAIXO.
(B) INDIVIDUO DEITADO EM DECUBITO VENTRAL,OLHANDO PARA BAIXO, COM REGIÃO PALMAR
VOLTADAS PARA DENTRO.
(C) INDIVUO DEITADO, OLHANDO PARA CIMA, COM REGIÃO PALMAR VOLTADAS PARA DENTRO.
(D) INDIVIDUO DE PÉ, OLHANDO PARA FRENTE, COM REGIÃO PALMAR VOLTADAS PARA FRENTE.
(E) INDIVÍDUO EM DECUBITO LATERAL ESQUERDO

1517 – QUANTO A ANATOMIA DA ARTICULAÇÃO DO JOELHO , É INCORRETO AFIRMAR


(A) A EXTREMIDADE DISTAL DO FÊMUR SE ARTICULA COM A PATELA E COM A TIBIA.
(B) A EXTREMIDADE PROXIMAL DA FIBULA SE ARTICULA APENAS COM A TIBIA.
(C) A PATELA SE ARTICULA COM O FÊRMUR E COM A TIBIA.
(D) A EXTREMIDADE PROXIMAL DA TÍBIAS E ARTICULA COM O FÊMUR E COM A FÍBULA.
(E) A PATELA FICA SITUADA NA FACE POSTERIOR DO JOELHO
GABARITO:

1518 – D
1518 – PRONAÇAÕ DA MÃO, SIGNIFICA :
(A) ROTAÇAÕ EXTERNA DA MÃO. 1519 – B
(B) FLETIR OS DEDOS DA MÃO
(C) EXTENDER OS DEDOS DA MÃO. 1520 - D
(D) ROTAÇAÕ INTERNA DA MÃO.
(E) AFASTAR A MÃO DO EIXO SAGITAL DO CORPO

1519 – O TERMO “IPSILATERAL”, SIGNIFICA :


(A) DO LADO OPOSTO.
(B) DO MESMO LADO.
(C) LATERALMENTE A UMA REFERENCIA.
(D) NOS DOIS LADOS.
(E) EM AMBOS OS LADOS

1520 – É INCORRETO AFIRMAR:


(A) O ASPÉCTO VOLAR DA MÃO CORRESPONDE A PALMA DA MÃO.
(B) O ASPÉCTO ULNAR DO ANTEBRAÇO CORRESPONDE A SUA SUPERFÍCIE MEDIAL
(C) O ASPÉCTO RADIAL DO ANTEBRAÇO FICA NA FACE EXTERNA
(D) O PERFIL DO CAVUM PODE SER POSICIONADO COMO SE FOSSE UM PERFIL DE CRÂNIO
(E) O DORSO DO PÉ CORRESPONDE A SUA SUPERFÍCIE INFERIOR
GABARITO:

1521 – A
1521 – DOS FATORES DE EXPOSIÇÃO ABAIXO, QUAL É O PRINCIPAL RESPONSÁVEL PELO
CONTROLE DE CONTRASTE DA IMAGEM ? 1522 – B
(A) kVp
(B) mA 1523 - D
(C) TEMPO
(D) DISTÂNCIA
(E) NENHUMA RESPOSTA SATISFAZ

1522 – O AUMENTO DA DISTÂNCIA FOCO-FILME LEVA A :


(A) DIMINUIÇÃO DO CONTRASTE.
(B) DIMINUIÇÃO DA DISTORÇÃO.
(C) DIMINUIÇÃO DO DETALHE.
(D) TODAS ESTÃO CERTAS
(E) A, B E C ESTÃO ERRADAS

1523 – UM AUMENTO DA KILOVOLTAGEM ( kV ) LEVA A :


(A) AUMENTO DO CONTRASTE.
(B) AUMENTO DA DOSE RECEBIDA PELO PACIENTE.
(C) AUMENTO DO TEMPO DE EXPOSIÇÃO.
(D) REDUÇAÕ DO CONTRASTE.
(E) OBRIGATÓRIAMENTE FAZER RADIOGRAFIAS SEM GRADE POOTER-BUCK
GABARITO:

1524 – B
1524 – A FUNÇÃO DO FILAMENTO DENTRO DE UMA AMPOLA DE RAIOS X É:
(A) DISSIPAR ENERGIA 1525 – D
(B) PRODUTORA DE ELÉTRONS
(C) PRODUÇAÕ DE RAIOS X 1526 - B
(D) DE ABSORÇÃO DE RAIOS X
(E) DE ABSORÇÃO DE ELÉTRONS

1525 – A COLIMAÇÃO DOS CAMPOS A SEREM IRRADIADOS, USANDO DE FORMA CORRETA O


DIAFRAGMA OU CILINDRO, É FATOR IMPORTANTE PARA:
(A) REDUZIR O TEMPO DE EXPOSIÇÃO, MELHORANDO A TÉCNICA RADIOGRÁFICA
(B) AUMENTAR A DENSIDADE ÓPTICA DAS IMAGENS A SEREM RADIOGRAFADAS CORRETAMENTE
(C) REDUZIR A MILIAMPERAGEM E A QUILOVOLAGEM
(D) REDUZIR O VOLUME DE TECIDO IRRADIADO E REDUZIR A RADIAÇÃO DISPERSA
(E)REDUZIR O VOLUME DE TECIDO A SER IRRADIADO SOMENTE REGIÕES SENSÍVEIS A RADIAÇÃOX

1526 – NA DEMONSTRAÇÃO DA IMAGEM DA RADIOGRAFIA DE TÓRAX , AS TRÊS PARTES


PRINCIPAIS DA ANATOMIA RADIOLÓGICA A SEREM VISUALIZADAS, COM FATORES TÉCNICOS
CORRETOS SÃO :
(A) PESCOÇO, PULMÕES E CORAÇÃO
(B) TÓRAX ÓSSEO, SISTEMA RESPIRATÓRIO E MEDIASTINO
(C) PESCOÇO, MEDIASTINO E MÚSCULO DIAFRAGMA
(D) TRAQUÉIA, MEDIASTINO E CORAÇÃO
(E) TÓRAX ÓSSEO, PULMÕES E MÚSCULO DIAFARGMA
GABARITO:

1527 – D
1527 – OS RAIOS X TÊM A MESMA NATUREZA DA LUZ OU DE QUALQUER OUTRA ONDA
ELETROMAGNÉTICA. ESSES RAIOS FORAM PRIMEIRAMENTE OBSERVADOS POR: 1528 – C
(A) BECQUEREL.
(B) MARIE E PIERRE CURIE. 1529 - A
(C) EINSTEIN.
(D) ROENTGEN.
(E) RAFAEL FURIATI

1528- TODAS AS ONDAS ELETROMAGNÉTICAS SE PROPAGAM NO VÁCUO COM A MESMA


VELOCIDADE. ASSINALE O TIPO DE ONDA ELETROMAGNÉTICA QUE POSSUI MENOR
COMPRIMENTO DE ONDA.
(A) ONDA DE RÁDIO (AM).
(B) ONDA DE RÁDIO (FM).
(C) RAIOS X.
(D) LUZ VISÍVEL.
(E) ONDA DE TV

1529-ASSINALE A OPÇÃO QUE NÃO CORRESPONDE A UMA UNIDADE USADA PARA A


RADIATIVIDADE.
(A) CANDELA.
(B) SIEVERT.
(C) GRAY.
(D) BECQUEREL.
(E) GRAMA
GABARITO:

1530 – B
1530-SUPONHA QUE A MÃO DE UMA MULHER USANDO UM ANEL FEITO DE UM METAL MUITO DENSO
SEJA EXPOSTA A UM FEIXE DE RAIOS X. ASSINALE A OPÇÃO CORRETA: 1531 – D
(A) OS TECIDOS MOLES ABSORVERÃO MAIS RAIOS X QUE OS OSSOS.
(B) O ANEL ABSORVERÁ MAIS RAIOS X QUE OS OSSOS. 1532 - D
(C) TECIDOS MOLES, OSSOS E ANEL ABSORVERÃO A MESMA QUANTIDADE DE RAIOS X.
(D) OS OSSOS ABSORVERÃO MAIS RAIOS X QUE OS TECIDOS MOLES E QUE O ANEL.
(E) OS OSSOS E O ANÉL NÃO ABSORVERÃO RAIOS X

1531-O COBRE 64 É USADO NA FORMA DE ACETATO DE COBRE PARA INVESTIGAR TUMORES NO


CÉREBRO. SABENDO-SE QUE A MEIA-VIDA DESTE RADIOISÓTOPO É DE 12,8 HORAS, QUAL A
MASSA DE COBRE 64 RESTANTE, EM MILIGRAMAS, APÓS 2 DIAS E 16 HORAS, SE SUA MASSA
INICIAL ERA DE 32 MILIGRAMAS?
(A) 128.
(B) 64.
(C) 4.
(D) 1.
(E) 256.

1532-A ARTROSE É UMA PATOLOGIA DEGENERATIVA, MAIS COMUM NOS OSSOS DAS SEGUINTES
ESTRUTURAS DO CORPO:
(A) MÃOS – TORNOZELOS – COLUNAS
(B) JOELHOS – TORNOZELOS – PÉS
(C) COLUNAS – JOELHOS – COTOVELOS
(D) COLUNAS – JOELHOS – TORNOZELOS
(E) OSSOS CRANIANOS – BACIA - OMBROS
GABARITO:

1533 – D
1533-QUE MEDIDAS DE PROTEÇÃO UM TÉCNICO DEVE TOMAR NUM EXAME RADIOLÓGICO
CONVENCIONAL? 1534 – C
(1) USAR O AVENTAL DE CHUMBO.
(2) USAR SEMPRE O DOSÍMETRO PESSOAL. 1535 - A
(3) MANTER-SE O MAIS DISTANTE POSSÍVEL DA FONTE DE RADIAÇÃO.
ASSINALE:
(A) SE APENAS I E II ESTIVEREM CORRETAS.
(B) SE APENAS I E III ESTIVEREM CORRETAS.
(C) SE APENAS II E III ESTIVEREM CORRETAS.
(D) SE TODAS ESTIVEREM CORRETAS.
(E) SE A B C ESTIVEREM ERRADAS

1534-PARA REALIZAR A ESCANOMETRIA DE MEMBROS INFERIORES, A SEQÜÊNCIA DEVE SER:


(A) ARTICULAÇÃO ESCÁPULO-UMERAIS – COTOVELOS – PUNHOS
(B) JOELHOS – TORNOZELOS – COXOFEMURAIS
(C) COXOFEMURAIS – JOELHO – TORNOZELOS
(D) BACIA – JOELHOS – PÉS
(E) TORNOZÊLOS - PÉS - COXOFEMURAIS

1535-AS INCIDÊNCIAS ALAR E OBTURATRIZ SÃO REFERENTES:


(A) À ARTICULAÇÃO SACROILÍACA.
(B) AO TÚNEL CARPEANO.
(C) AO BURACO RASGADO POSTERIOR.
(D) À ARTICULAÇÃO COXOFEMURAL.
(E) A ARTICULAÃO TEMPORO-MANDIBULAR
GABARITO:

1536 – D
1536-PARA REALIZAR UM EXAME RADIOLÓGICO DO CRÂNIO EM UM PACIENTE ACIDENTADO, A
ROTINA UTILIZADA É: 1537 – A
(A) ÂNTERO-POSTERIOR – PERFIL
(B) AP – PERFIL – TOWNE 1538 - B
(C) PA – PERFIL – TOWNE
(D) AP – TOWNE – PERFIL COM RAIOS HORIZONTAIS
(E) AP - PERFIL - RHEESE

1537-SEQÜENCIALMENTE, AS COLUNAS CERVICAL, TORÁCICA E LOMBAR TÊM O NÚMERO DE


VÉRTEBRAS, RESPECTIVAMENTE IGUAL A:
(A) SETE – DOZE – CINCO
(B) SETE – CINCO – DOZE
(C) DOZE – CINCO – SETE
(D) SETE – DOZE – SEIS
(E) SETE – QUATRO – CINCO

1538-NA CÂMARA ESCURA, A COR DA LÂMPADA DE SEGURANÇA É:


(A) BRANCA.
(B) VERMELHA.
(C) AZUL.
(D) AMARELA
(E) VERDE
GABARITO:

1539 – C
1539-AS INCIDÊNCIAS FEITAS EM PERFIL DOS CÔNDILOS DA MANDÍBULA COM A BOCA ABERTA E
FECHADA BILATERAIS COMPARATIVAS SÃO CHAMADAS DE: 1540 – C
(A )CAVUM
(B) ARCOS COSTAIS 1541 - A
(C) SCHÜLLER
(D) MANDÍBULA
(E) HIRTZ

1540-ONDE FICA LOCALIZADO O ACETÁBULO?


(A) NA PERNA.
(B) NO CRÂNIO.
(C) NA BACIA.
(D) NO PÉ.
(E) NO OMBRO

1541-UM EXAME EM POSIÇÃO ORTOSTÁTICA SIGNIFICA:


(A) EM PÉ
(B) SENTADO
(C) DEITADO
(D) DECÚBITO VENTRAL
(E) COM ABDUÇÃO DOS MEMBROS INFERIORES
GABARITO:

1542 – D
1542-OS RAIOS X SÃO:
(A) PARTÍCULAS ALFA 1543 – B
(B) PARTÍCULAS BETA
(C) ELÉTRONS 1544 - A
(D) FOTÓNS
(E) NEUTRONS RÁPIDOS

1543-RAIOS X DE BAIXO KV AUMENTAM A ABSORÇÃO:


(A) NA MAMA
(B) NOS OSSOS
(C) NOS RINS
(D) NOS OLHOS
(E) NOS PULMÕES

1544-AS TÉCNICAS MAIS ADEQUADAS PARA UMA RADIOGRAFIA DE MÃO E DE TÓRAX SÃO,
RESPECTIVAMENTE:
(A) 40 KV E 70 KV
(B) 10 KV E 100KV
(C) 100 KV E 50 KV
(D) 150 KV E 10 KV
(E) 40 KV E 50 KV
GABARITO:

1545 – C
1545-A COMBINAÇÃO MAIS ADEQUADA ENTRE FILME E ÉCRAN É, RESPECTIVAMENTE:
(A) FILME RÁPIDO COM ÉCRAN LENTO. 1546 – B
(B) FILME LENTO COM ÉCRAN LENTO.
(C) FILME RÁPIDO COM ÉCRAN RÁPIDO. 1547 - D
(D) FILME LENTO COM ÉCRAN RÁPIDO.
(E) FILME LENTO SEM ECRAN

1546-QUAL DAS ALTERNATIVAS ABAIXO APRESENTA PROCEDIMENTOS PRÓPRIOS DA REVELAÇÃO


DE PELÍCULAS QUE PODEM SER FEITAS FORA DA CAMA ESCURA?
(A) REVELAÇÃO E INTERRUPÇÃO.
(B) FIXAÇÃO E LAVAGEM.
(C) EXPOSIÇÃO E REVELAÇÃO.
(D) INTERRUPÇÃO E FIXAÇÃO.
(E) REVELAÇÃO E SECAGEM

1547-A DOSE OCUPACIONAL MÁXIMA QUE UM INDIVÍDUO PODE ABSORVER, EM 5 ANOS


CONSECUTIVOS NÃO DEVE ULTRAPASSAR:
(A) 15 mSV POR ANO.
(B) 10 mSV POR ANO.
(C) 20 mSV POR BIÊNIO.
(D) 20 mSV POR ANO.
(E) 100 mSV POR ANO
GABARITO:

1548 – B
1548-EM CASO DE DÚVIDA SOBRE A GRAVIDEZ DE UMA PACIENTE, O TÉCNICO DEVE:
(A) REALIZAR A RADIOGRAFIA. 1549 – B
(B) COMUNICAR AO RESPONSÁVEL PELO SETOR E NÃO REALIZAR A RADIOGRAFIA.
(C) RECUSAR-SE A REALIZAR A RADIOGRAFIA. 1550 - C
(D) REALIZAR A RADIOGRAFIA E AVISAR AO MÉDICO RADIOLOGISTA.
(E) REALIZAR A RADIOGRAFIA, PORÉM, COM TÉCNICA DE ALTA MILIAMPERAGEM

1549-A ABSORÇÃO PRODUZIDA PELA MESA OU PELO PORTA-CHASSIS VERTICAL DEVE EQUIVALER,
NO MÁXIMO, A:
(A) 12 MM DE ALUMÍNIO, A 100 KVP.
(B) 1,2 MM DE ALUMÍNIO, A 100 KVP.
(C) 1,2 MM DE ALUMÍNIO, A 10 KVP.
(D) 120 MM DE ALUMÍNIO, A 100 KVP.
(E) 150 MM DE ALUMÍNIO, A 100 KVP.

1550-A PRODUÇÃO DE CALOR, NA AMPOLA, EQUIVALENTE A 5.000 W, EM 2 SEGUNDOS, OCORRE


COM:
(A) 100 KV E 10 MA
(B) 500 KV, 10 MA E 1S
(C) 500 KV E 20 MAS
(D) 50 KV, 100 MA E 10 S
(E) 100 KV, 100 Ma e 12 S
GABARITO:

1551 – A
1551- UMA RADIOGRAFIA DE UMA REGIÃO ANATÔMICA EM SÃO APLICADOS EM TORNO DE 100 KV,
O CONTRASTE DA IMAGEM FICA COMPROMETIDO PRINCIPALMENTE POR: 1552 – A
(A) EFEITO COMPTON.
(B) EFEITO FOTOELÉTRICO.
(C) PRODUÇÃO DE PARES.
(D) DENSIDADE DO TECIDO RADIOGRAFADO.
(E) EFEITO ANODO

1552- NAS RADIOGRAFIAS, QUANDO O LARINGE E A TRAQUÉIA APARECEM CHEIAS DE AR, E A


REGIÃO DAS GLÂNDULAS TIREÓIDES, JUNTAMENTE COM O ESÔFAGO SUPERIOR
OPACIFICADO ,É DEMONSTRADA, PODE-SE AFIRMAR QUE O EXAME CORRESPONDE :
(A) AO EXAME DAS VIAS AÉREAS SUPERIORES
(B) AO EXAME DO CAVUM
(C) A DUCTOGRAFIA
(D) AO EXAME DO ESÔFAGO CONTRASTADO ARTIFICIALMENTE
(E) AO EXAME SIMPLES DAS GLÂNDULAS PARÓTIDAS
GABARITO:

1553 – E
1553 – DOS ITENS ABAIXO, O QUE CORRESPONDE A UMA INCIDÊNCIARADIOGRÁFICAEM QUE AS
ESTRUTURAS RADIOLÓGICASMAIS BEM DEMONSTRADAS SÃO VISUALIZADAS ( FIGADO, 1554 – C
BAÇO, RINS, MASSAS ABDOMINAIS, NÍVEIS HIDROAÉREOS E ACÚMULO DE GÁS OU AR LIVRE
INTRA ABDOMINAL), E O PACIENTE DEVERÁ FICAR MAIS OU MENOS 5 MINUTOS NA POSIÇÃO
1555 - E
ANTES DA EXPOSIÇÃO É:
(A) ABDOME EM DECUBITO LATERAL COM RAIO VERTICAL
(B) ABDOME EM DECUBITO DORSAL COM RAIO HORIZONTAL
(C) ADBOME EM DECUBITO VENTRAL COM RAIO HORIZONTAL
(D) TÓRACOABDOMINAL EM ORTOSTASE
(E) ABDOME EM DECUBITO LATERAL COM RAIO HORIZONTAL

1554 - COM RELAÇÃO AOS RAIOS-X, MARQUE O INCORRETO:


(A) É UMA ENERGIA IONIZANTE SEMELHANTE A LUZ.
(B) REVOLUCIONOU O CONCEITO SOBRE O CORPO HUMANO
(C) FOI DESCOBERTO NO DIA 9 DE NOVEMBRO DE 1895 PELO FÍSICO ALEMÃO ROENTGEN
(D) ROENTEGEN GANHOU O PRÊMIO NOBEL PELA SUA DESCOBERTA
(E) A PRIMEIRA RADIOGRAFIA FEITA FOI DA MÃO DE BERTHA, ESPOSA DO ROENTGEN.

1555 - SOBRE OS MEIOS DE CONTRASTE IODADOS, MARQUE O CORRETO:


(A) FORAM DESENVOLVIDOS PARA O ESTUDO DE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA
(B) REALÇAM O CORPO COMO UM TODO, MELHORANDO A ACUIDADE DO EXAME, SENDO POR ISTO
USADO EM TODOS OS TIPOS DE EXAMES.
(C) TAMBÉM PODE SER USADO EM EXAMES DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA
(D) A MOLÉCULA BÁSICA, RADIOLOGICAMENTE ATIVA É O IODO.
(E) TODAS SÃO INCORRETAS
GABARITO:

1556 – E
1556. SOBRE A RESSONÂNCIA MAGNÉTICA, MARQUE O CORRETO:
(A) É MUITO SUPERIOR AOS EXAMES DE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA NAS AVALIAÇÕES
1557 – A
DIAGNÓSTICAS.
(B) TODOS OS METAIS INTERFEREM NO EXAME, SENDO CONTRA-INDICADO QUANDO O PACIENTE
1558 - D
APRESENTA TAIS SUBSTANCIAS NO CORPO.
(C) MAGNETO É UMA PEÇA ACESSÓRIA NA GERAÇÃO DAS IMAGENS
(D) UTILIZA ENERGIA DO TIPO ELETROMAGNÉTICA PARA GERAR AS IMAGENS.
(E) PODE SER USADA PARA ESTUDAR A FUNÇÃO DE ALGUNS TECIDOS

1557. MARQUE A OPÇÃO INCORRETA COM RELAÇÃO A RESSONÂNCIA MAGNÉTICA:


(A) FOI DESENVOLVIDA PARA ESTUDOS MÉDICOS DE ALTA RESOLUÇÃO SENDO CAPAZ DE
MOSTRAR O CORPO HUMANO EM DETALHES.
(B) PODE FAZER IMAGENS EM TODOS OS PLANOS DE CONSTRUÇÃO DO CORPO HUMANO.
(C) CONTRASTE USADO É O GADOTERATO DE MEGLUMINA.
(D) MARCAPASSO É UMA CONTRA-INDICAÇÃO ABSOLUTA AO EXAME.
(E) TEM APLICABILIDADE EM TODAS AS ÁREAS MÉDICAS, PRINCIPALMENTE A NEUROLÓGICA E
ORTOPÉDICA.

1558. QUAL DOS ELEMENTOS ABAIXO É CAPAZ DE CONTRA-INDICAR O EXAME DE RESSONÂNCIA


MAGNÉTICA SE O PACIENTE APRESENTAR:
(A) APARELHOS ORTODÔNTICOS.
(B) PLACA COM PARAFUSOS METÁLICOS DE ORTOPEDIA.
(C) CLIP NEUROCIRÚRGICO DE TITÂNIO, PARA ANEURISMA CEREBRAL.
(D) IMPLANTE AUDITIVO DO TIPO COCLEAR
(E) PRÓTESE DE SILICONE MAMÁRIA
GABARITO:

1559 – E
1559 . É INCORRETO SOBRE A RESSONÂNCIA MAGNÉTICA:
(A) OS APARELHOS USADOS EM MEDICINA VARIAM DE 0,2 A 2,0 TESLA. 1560 – D
(B) OS APARELHOS PODEM SER DO TIPO: PERMANENTE, RESISTIVO OU SUPERCONDUTOR
(C) AS BOBINAS SÃO EQUIPAMENTOS USADOS PARA EMITIR E RECEBER RADIOFREQÜÊNCIA
(D) ALGUNS METAIS PODEM CONTRA-INDICAR O EXAME
(E) OS EXAMES SÃO MUITO RÁPIDOS E INDOLORES NÃO TRAZENDO PREJUÍZO AOS PACIENTES.

1560 . SABENDO-SE QUE, PARA DEFINIRMOS OS VALORES RADIOLÓGICOS EM UM EXAME DE


MAMOGRAFIA, DEVEMOS LEVAR EM CONTA TANTO A ESPESURA DA MAMA QUANTO A
DENSIDADE DO TECIDO A SER ESTUDADO, PODEMOS AFIRMAR QUE :
(A) A MAMA DAS MULHERES ENTRE 20 E 50 ANOS, DENOMINADA FIBROGLANDULAR, EM GERAL É A
QUE NECESSITA DE MENOR EXPOSIÇÃO RADIOLÓGICA
(B) A MAMA DE UMA MULHER DE 20 ANOS NECESSITA, GERALMENTE, DE MENOR EXPOSIÇÃO QUE
A DE UMA MULHER DE 70 ANOS
(C) UMA MAMA GORDUROSA NECESSITA DE MAIOR EXPOSIÇÃO QUE UMA MAMA
FIBROGLANDULAR
(D) UMA MAMA DE LACTENTE NECESSITA DE MAIOR EXPOSIÇÃO VIA DE REGRA, QUE A DE UMA
MULHER DE 65 ANOS
(E) TODOS OS TIPOS DE MAMA SÃO RADIOGRAFDAS COM IGUAL NIVEL DE EXPOSIÇÃO
GABARITO:

1561 – B
1561 . LÂMINA PAPIRÁCEA ORBITÁRIA, CORRESPONDE A:
(A) PAREDE LATERAL 1562 – D
(B) PAREDE MEDIAL
(C) PAREDE SUPERIOR 1563 - C
(D) PAREDE INFERIOR
(E) PAREDE ANTERIOR

1562 . OS TUBÉRCULOS MAIOR E MENOR, SÃO ACIDENTES ANATÔMICOS DE QUAL ESTRUTURA?


(A) TÍBIA
(B) FÍBULA
(C) RÁDIO
(D) ÚMERO
(E) ULNA

1563 . QUANTOS BRÔNQUIOS LOBARES POSSUI O PULMÃO DIREITO?


(A ) 1
(B) 2
(C) 3
(D) 4
(E) 5
GABARITO:

1564 – A
1564. A SUTURA LAMBDÓIDE SITUA-SE: MARQUE A RESPOSTA CORRETA:
(A) ENTRE OS PARIETAIS E O OCCIPTAL 1565 – B
(B) ENTRE OS PARIETAIS E OS TEMPORAIS
(C) ENTRE OS PARIETAIS E O FRONTAL 1566 - C
(D) ENTRE OS PARIETAIS
(E) ENTRE OS OCCIPTAIS

1565. COLEÇÕES LINFÁTICAS, SANGUÍNEAS E PULMONARES NA CAVIDADE PLEURAL SÃO


CONHECIDAS COMO: MARQUE A RESPOSTA CORRETA:
(A) QUILOTÓRAX, HEMATÓRAX, DERRAME PLEURAL
(B) QUILOTÓRAX, HEMOTÓRAX, PIOTÓRAX
(C) LINFOTÓRAX, HEMOTÓRAX, DERRAME PLEURAL
(D) PIOTÓRAX, LINFOTÓRAX, HEMOTÓRAX
(E) PIOTÓRAX, QUILOTÓRAX, HEMOTÓRAX

1566. SÃO CAUSAS DE DESVIO MEDIASTINAL PARA ESQUERDA. MARQUE A RESPOSTA


INCORRETA:
(A) DERRAME PLEURAL VOLUMOSO DIREITO
(B) ATELECTASIA PULMONAR LOBAR ESQUERDA
(C) PNEUMOTORAX ESQUERDO
(D) HEMOTÓRAX VOLUMOSO DIREITO
(E) MASSA PULMONAR GRANDE A DIREITA
GABARITO:

1567 – A
1567. COM RELAÇÃO AOS TERMOS EM INGLÊS USADOS NOS EQUIPAMENTOS DE TOMOGRAFIA, O
QUE SIGNIFICA DELAY: 1568 – C
(A) TEMPO DECORRIDO ENTRE O INÍCIO DA INFUSÃO VENOSA DE CONTRASTE E O INÍCIO DA
LIBERAÇÃO DOS RAIOS-X 1569 - A
(B) TEMPO DECORRIDO ENTRE O INÍCIO DA LIBERAÇÃO DOS RAIOS-X E DA INFUSÃO DO MEIO DE
CONTRASTE
(C) TEMPO APÓS O QUAL O APARELHO MOSTRA AS IMAGENS APÓS A EMISSÃO DOS RAIOS -X
(D) TEMPO DECORRIDO ENTRE A INFUSÃO DO CONTRASTE E LIBERAÇÃO DAS IMAGENS
(E) NENNHUMA DAS ANTERIORES

1568. QUANTO MAIS CURTO FOR O COMPRIMENTO DE ONDA DOS RAIOS -X, MAIOR SERÁ A
CAPACIDADE DE:
(A) REVELAÇÃO DOS FILMES
(B) REVELAÇÃO DA PROCESSADORA
(C) PENETRAÇÃO NOS CORPOS
(D) TODAS ESTAS ACIMA
(E) NENHUMA DAS ACIMA

1569. TAMBÉM PODE-SE AFIRMAR QUE O PLANO MEATO-ORBITÁRIO COINCIDE COM A LINHA:
(A) HORIZONTAL ALEMÃ
(B) VERTICAL DO OUVIDO
(C) INTERPUPILAR
(D) HORIZONTAL AMERICANO
(E) NENHUMA DAS ANTERIORES
GABARITO:

1570 – B
1570. O PROCESSO ESPINHOSO DA VÉRTEBRA PROEMINENTE É UM PONTO DE REFERENCIA NAS
RADIOGRAFIAS DO TÓRAX EM PA. C1( PRIMEIRA VERTEBRA CERVICAL) É DE ANÁLISE DIFÍCIL
1571 – D
NA RADIOGRAFIA EM AP DA COLUNA CERVICAL. ELAS CORRESPONDEM:
(A) C6 E ATLAS 1572 - D
(B) C7 E ATLAS
(C) C6 E AXIS
(D) C7 E AXIS
(E) NENHUMA DAS ANTERIORES

1571. SÃO SINAIS TOMOGRÁFICOS POSSÍVEIS DE ABSCESSO CEREBRAL, EXCETO:


(A) CAPTAÇÃO DO CONTRASTE
(B) EDEMA
(C) HERNIAÇÃO
(D) NÓDULO MURAL
(E) CALCIFICAÇÃO

1572. SOBRE AS REAÇÕES DOS CONTRASTES IODADOS, MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA:


(A) VÔMITOS – REAÇÃO MODERADA
(B) HIPOTENSÃO ARTERIAL – REAÇÃO LEVE
(C) EDEMA ORBITÁRIO (CONJUNTIVA) – REAÇÃO GRAVE
(D) IÔNICOS SÃO MELHORES QUE OS NÃO IÔNICOS
(E) PREPARO PRÉVIO É OBRIGATÓRIO MESMO APÓS A TERCEIRAAPLICAÇÃO
GABARITO:

1573 – B
1573. SOBRE A UROGRAFIA EXCRETORA, MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA:
- SÃO CONTRA INDICADOS PARA USO DE COMPRESSOR 1574 – B
(A) CRIANÇAS LACTENTES E NA PRIMEIRA INFÂNCIA
(B) CIRURGIA ABDOMINAIS RECENTE 1575 - D
(C) TRAUMA
(D) INFEÇÃO RENAL
(E) PACIENTE JOVEM FORA DE CRISE AGUDA DE CÓLICA NEFRÉTICA

1574. CASO O PACIENTE NECESSITE ENCHER O SISTEMA PIELO-CALICIALPARA SER ESTUDADO OS


CÁLICES E BACINETE E NÃO POSSA SER COMPRIMIDO, PODEMOS OBTER O PRETENDIDO
USANDO A POSIÇÃO DE :
(A) FOWLER
(B) TRENDELEMBURG
(C) LAWRELL
(D) LITOTÔMICA
(E) SIMS

1575. SÃO SINAIS POSSÍVEIS DE TUMORES CEREBRAIS EM RELAÇÃO A HIPÓFISE:


(A) PODE DESVIAR O EIXO DA HASTE HIPOFISÁRIA
(B) PODE REBAIXAR O ASSOALHO SELAR
(C) PODE CAUSAR ALONGAMENTO SELAR
(D) PODE COMPRIMIR O NERVO OCULOMOTOR CAUSANDO AS HEMIANOPSIAS.
(E) PODE CAUSAR EROSÕES ÓSSEAS SELARES
GABARITO:

1576 – E
1576. MARQUE A ALTERNATIVA INCORRETA: SOBRE A RADIOGRAFUA SIMPLES DE ABDOME:
(A) É OBRIGATÓRIO O APARECIMENTO DO DIAFRAGMA 1577 – D
(B) É POSSÍVEL DISTINGUIR ALÇAS INTESTINAIS DELGADAS DAS GROSSAS.
(C) OS MUSCULOS PSOAS LOCALIZAM-SE LATERALMENTE A COLUNA VERTEBRAL 1578 - D
(D) CÁLCULOS RADIOPACOS SÃO OS CÁLCULOS VISIVEIS
(E) E O PREPARO INTESTINAL POSSIBILITA DIAGNÓSTICO MAIS PRECISO NO ABDOME AGUDO.

1577. PARA CONFIRMAÇÃO DE PNEUMOPERITONEIO EM PACIENTE CHOCADO (PA 80 X 0 MM HG(,


QUAL A MELHOR POSUÇÃO A SER UTILIZADA. MARQUE A CORRETA:
(A) ORTOSTÁTICA
(B) PERFIL
(C) DECÚBITO LATERAL DIREITO COM RAIOS HORIZONTAIS
(D) DECÚBITO LATERAL ESQUERDO COM RAIOS HORIZONTAIS
(E) OBLIQUA ANTERIOR DIREITA

1578. EM RELAÇÃO AO SISTEMA VENTRICULAR, MARQUE A ALTERNATIVA INCORRETA:


(A) QUANDO OCORRE OBSTRUÇÃO DO FLUXO LIQUÓRICO, TEMOS A HIDROCEFALIA NÃO
COMUNICANTE
(B) O VENTRICULO INTRA TENTORIAL É O QUARTO VENTRICULO.
(C) O LÍQUOR CIRCULA PARA O ESPAÇO SUBARACNÓIDEO DO CANAL VRTEBRAL, ATRAVÉS DOS
FORAMES DE LUSCHAKA E MAGENDIE.
(D) O AQUEDUTO CEREBRAL COMUNICA O III VENTRÍCULO COM OS VENTRÍCULOS LATERIAS
(E) COMO FRONTAIS SÃO ANTERIORES ENQUANTO OS CORNOS TEMPORAIS SÃO LATERAIS.
GABARITO:

1579 – C
1579. PACIENTE ALCOÓLATRA, 48 ANOS, MASCULINO, DEU ENTRADA NO SERVIÇO DE
TOMOGRAFIA, TENDO SIDO ENCONTRADO COLEÇÃO HIPODENSA, JUNTO A TÁBUA INTERNA,
1580 – C
LONGA E ESTREITA, DESVIANDO AS ESTRUTURAS DA LINHA MÉDIA PARA O OUTRO LADO.
ESTAMOS DIANTE DE: 1581 - E
(A) HEMATOMA EXTRADURAL – HERNIAÇÃO
(B) HEMATOMA SUBDURAL AGUDO – HERNIAÇÃO
(C) HEMATOMA SUBDURAL CRÔNICO – HERNIAÇÃO
(D) HEMATOMA SUBDURAL AGUDO – EDEMA
(E) HEMATOMA SUBDURAL CRÔNICO –EDEMA

1580. QUAIS OS PARES CRANIANOS NO CONDUTO AUDITIVO INTERNO:


(A) V E VI
(B) VI E VII
(C) VII E VIII
(D) VIII E IX
(E) IX E X

1581. QUAIS LESÕES DENTRE AS ABAIXO NÃO PODERIAM ALARGAR O MEDIASTINO SUPERIOR:
(A) BÓCIO MERGULHANTE.
(B) LINFOMA NÃO TRATADO
(C) TERATOMA SEM CALCIFICAÇÃO
(D) TIMOMA
(E) NEURINOMA DA GOTEIRA
GABARITO:

1582 – D
1582. SOBRE A TOMOGRAFIA HIPOFISÁRIA, MARQUE A INCORRETA:
(A) HIPÓFISE GERALMENTE MEDE DE 1 CM. 1583 – C
(B) MICROADENOMAS MEDEM ATÉ 1 CM
(C) CORTES CORONAIS SÃO MELHORES QUE OS AXIAIS. 1584 - D
(D) CONTRATES GOTA A GOTA – CORTES DE 1 MM SÃO PADRÕES
(E) MACROADENOMAS PODEM CURSAR COM ALTERAÇÕES VISUAIS.

1583. EM RADIOGRAFIA PEDIATRICA GERAL É CORRETO AFIRMAR:


(A) DEVE-SE SEMPRE USAR O FOCO MAIS FINO, DEVIDO AO TAMANHO MENOR DAS CRIANÇAS.
(B)OS PAIS NÃO DEVEM AUXILIAR NA IMOBILIZAÇÃO DA CRIANÇA
(C) DEVE-SE SEMPRE UTILIZAR OS MENORES TEMPO DE EXPOSIÇÃO POSSÍVEIS.
(D) DESCONFIANDO DE TRAUMATISMO NÃO ACIDENTAL (SINDROME DA CRIANÇA ESPANCADA)
VOCÊ DEVE DISCUTIR ISSO COM OS PAIS E NÃO COM O MÉDICO RADIOLOGISTA.
(E) ATÉ A PUBERDADE NÃO SE DEVE UTILIZAR PROTEÇÃO GONADAL

1584. EM RELAÇÃO AO PREPARO DE CRIANÇAS PARA PROCEDIMENTO COM MEIO DE CONTRASTE


BARITADO, ASSINALE A ALTERNATIVA FALSA:
(A) O JEJUM É IMPORTANTE POIS A CRIANÇA COM FOME FICA MAIS PROPENSA A BEBER O BÁRIO
(B) OS EXAMES COM DUPLO CONTRASTE SÃO REALIZADOS COM MENOR FREQUENCIA QUE EM
ADULTOS
(C) ATÉ 2 ANOS DE IDADE O PREPARO É MÍNIMO
(D) PACIENTES COM DIARRÉIA EXTENSA DEVEM RECEBER LAXANTES.
(E) OS EXAMES DEVEM SER AGENDADOS PARA O INÍCIO DA MANHÃ
GABARITO:

1585 – B
1585. NA REALIZAÇÃO DE UROGRAFIA EXCRETORA, AS SEGUINTES CONDIÇÕES PREDISPÕEM A
UM MAIOR RISCO DE REAÇÃO AO MEIO DE CONTRASTE, EXCETO: 1586 – B
(A) HIPERSENSIBILIDADE AO MEIO DE CONTRASTE IODADO.
(B) PACIENTES COM DOR ABDOMINAL TIPO CÓLICA
(C) ASMA
(D) DESITRADAÇÃO ACENTUADA
(E) DIABETES MELLITUS

1586. NA REALIZAÇÃO DE ESCANOMETRIA, UTILIZA-SE RAIO CENTRAL COM ÂNGULO RETO,


CENTRALIZADO DIRETAMENTE SOBRE AS ARTICULAÇÕES, EM MULTIPLAS EXPOSIÇÕES. A
RAZÃO PARA ISSO É:
(A) O MEMBRO INFERIOR NORMALMENTE NÃO PODE SER TODO INCLUÍDO NO FILME.
(B) PARA EVITAR AMPLIAÇÃO E ALONGAMENTO DEVIDO AO PRINCÍPIO DO RAIO DIVERGENTE.
(C) É MAIS REALIZADA EM ADULTOS
(D) ECONOMIA DE FILME
(E) FACILITA O DIAGNÓSTICO DE OSTEOARTROSE, POIS MÚLTIPLAS ARTICULAÇÕES ESTARÃO
INCLUÍDAS NO FILME.
GABARITO:

1587 – A
1587. A SUTURA QUE SEPARA O OSSO FRONTAL DOS DOIS PARIETAIS CHAMA-SE :
(A) CORONAL 1588 – C
(B) SAGITAL
(C) LAMBDÓIDE
(D) ESCAMOSA
(E) PARIETO-TEMPORAL

1588. ASSINALE A ALTERNATIVA INCORRETA QUANTO AOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DAS


POSIÇÕES OBLIQUAS ANTERIORES PARA RADIOGRAFIA DE TÓRAX .
(A) PARA AVALIAR UMA ROTAÇÃO DE 45º, A DISTÂNCIA DA MARGEM EXTERNA DAS COSTELAS ATÉ
A COLUNA VERTEBRAL NO LADO MAIS DISTANTE DO FILME DEVE SER APROXIMADAMENTE O
DOBRO DA DISTÂNCIA DO LADO MAIS PRÓXIMO DO FILME
(B) DEVEM SER INCLUIDOS AMBOS OS PULMÕES DESDE OS ÁPICES ATÉ OS ÂNGULOS
COSTOFRÊNICOS
(C) OS CONTORNOS DA TRAQUÉIA CHEIA DE AR, DOS GRANDES VASOS E DO CORAÇÃO SÃO BEM
VISUALIZADOS EM UMA OAE A 45º
(D) O CENTRO DA COLIMAÇÃO DEVE SER NA ÁREA MÉDIA DO PULMÃO AO NIVEL DE T7
(E) A INCIDENCIA EM OAE DEVE SER EM 60º
GABARITO:

1589 – A
1589. NUM PACIENTE DO SEXO MASCULINO, 40 ANOS, COM TRAUMATISMO FACIAL, EXTERNO,
APÕS COICE DE CAVALO É PEDIDO ESTUDO RADIOLOGICO DA FACE EM APENAS 01 1590 – D
INCIDÊNCIA. VOCÊ FARIA ENTÃO:
(A) MENTO-NASO, SEM CILINDRO
(B) PERFIL PANORÂMICO
(C) INCIDÊNCIA DE RHEESE, SEM CILINDRO
(D) HIRTZ
(E) INCIDÊNCIA DE SOLIDONIO-LACERDA.

1590. EM RELAÇÃO AO ESTUDO RADIOLÓGICO DO SACRO E DAS ARTICULAÇÕES SACROILÍACAS É


INCORRETO AFIRMAR:
(A) AS INCIDÊNCIAS EM OBLIQUA SÃO IMPORTANTES PARA EXAME DAS ARTICULAÇÕES
SACROILICAS.
(B) DEVE-SE ALINHAR O PLANO MÉDIO-SAGITAL EM RELAÇÃO AO RC (RAIO CENTRAL) E À LINHA
MÉDIA DA MESA.
(C) O RC PÓDE SER ANGULADO ENTRE 15 – 20º CEFALICAMENTE, PARA ESTUDO DO SACRO EM AP.
(D) É IMPORTANTE QUE A BEXIGA ETEJA CHEIA, POIS FACILITA A VISUALIZAÇÃO DOS FORAMES
SACRAIS.
(E) A REGIÃO SACRAL DEVE ESTAR LIVRE DE GÁS EXCESSIVO.
GABARITO:

1591 – C
1591. A POSIÇÃO DE TRENDELEMBURG É MUITO UTILIZADA NO(A):
(A) MAMOGRAFIA, POIS FACILITA O DESLOCAMENTO POSTERIOR DA PRÓTESE MAMÁRIA. 1592 – D
(B) COLANGIOGRAFIA PER OPERATORIA, POIS FACILITA A PASSAGEM DO CONTRASTE IODADO
PARA O DUODENO.
(C) ENEMA OPACO, POIS FACILITA A PROGRESSÃO RETRÓGRADA DO BÁRIO
(D) CISTOGRAFIA MICCIONAL, POIS FACILITA A MICÇÃO
(E) SEED (SERIOGRAFIA), POIS FACILITA O ESVAZIAMENTO GÁSTRICO.

1592. QUANTO AOS FATORES DE QUALIDADE DE IMAGEM RADIOGRÁFICA, ASSINALE A


ALTERNATIVA INCORRETA:
(A) O FATOR DE CONTROLE PRIMÁRIO DA DENSIDADE (ENEGRECIMENTO DA RADIOGRAFIA) É O
MAS
(B) O FATOR DE CONTROLE PRIMÁRIO DE CONTRASTE É O KVP
(C) O MAIOR IMPEDIMENTO PARA A NITIDEZ DA IMAGEM RELACIONADA AO POSICIONAMENTO É O
MOVIMENTO.
(D) O AUMENTO DA DISTÂNCIA FOCO-FILME AUMENTA A AMPLIAÇÃO E A DISTORÇÃO,
AUMENTANDO ASSIM O BORRAMENTO GEOMÉTRICO.
(E) DISTORÇÃO É A REPRESENTAÇÃO ERRADA DO TAMANHO OU DA FORMA DO OBJETO
PROJETADO NO FILME.
GABARITO:

1593 – D
1593. O PRINCÍPIO DE PROTEÇÃO RADIOLOGICA (EXPOSIÇÃO NO MENOR NÍVEL POSSÍVEL) PODE
SER OBTIDO COM TODAS AS MEDIDAS ABAIXO, EXCETO: 1594 – A
(A) COLIMAÇÃO
(B) ECRANS E FILMES DE ALTA VELOCIDADE 1595 - D
(C) MÍNIMA REPETIÇÃO DE EXAME
(D) QUANDO FOR NECESSÁRIO CONTER OS PACIENTES, ISSO DEVE SEMPRE SER FEITO PELA
EQUIPE DE RAIOLOGIA.
(E) KVP ÓTIMO

1594. NO ESTUDO RADIOLOGICO SIMPLES DAS ARTICULAÇÕES TEMPOROMANDIBULARES,


ASSINALE UMA DAS INCIDÊNCIAS MAIS IMPORTANTES:
(A) AXIAL LATERAL (SCHULLER)
(B) OBLIQUA AXIAL POSTERIOR (STENVERS)
(C) LATERAL
(D) INCIDÊNCIA PARIETO ACANTIAL (WATERS)
(E) CHAUSSÉ II

1595. EM RELAÇÃO A INCIDÊNCIA SUBMENTOVÉRTICE, UTILIZADA NO ESTUDO DOS SEIOS DA


FACE É FALSO AFIRMAR:
(A) UTILIZA-SE FILME 18 X 24.
(B) USAR PEQUENO PONTO FOCAL
(C) LINHA INFRA-ORBITOMEATAL PARALELA À MESA DE EXAME
(D) A SÍNFISE MANDIBULAR NÃO DEVE SE SUPERPOR AO OSSO FRONTAL ANTERIOR.
(E) VISUALIZA-SE O SEIO ESFENOIDAL NESSA INCIDÊNCIA.
GABARITO:

1596 – D
1596. AO REALIZARMOS RADIOGRAFIAS SIMPLES DA PERNA, OS SEGUINTES PROCEDIMENTOS
DEVEM SER CONSIDERADOS, EXCETO: 1597 – A
(A) ASSEGURAR QUE AS ARTICULAÇÕES DO TORNOZELO E DO JOELHO ESTEJAM DISTANTES 3 A 5
CM DAS EXTREMIDADES DO FILME
(B) NA MAIORIA DOS ADULTOS, A PERNA DEVE SER POSICIONADA NO SENTIDO DIAGONAL (DE
ÂNGULO A ÂNGULO) EM UM FILME 35 X 43 PARA ASSEGURAR A INCLUSÃO DE AMBAS AS
ARTICULAÇÕES.
(C) É IMPORTANTE UMA COLIMAÇÃO RIGOROSA DE AMBOS OS LADOS DAS MARGENS CUTÂNEAS
(D) PARA MELHOR UTILIZAR O EFEITO ANÓDICO COLOCAR O JOELHO NA EXTREMIDADE ANÓDICA
DO FEIXE DE RAIOS-X
(E) AJUSTAR A PELVE, O JOELHO E A PERNA EM UMA INCIDÊNCIA AP VERDADEIRA SEM ROTAÇÃO.

1597. QUANTO A RADIOGRAFIA DA BACIA, É INCORRETO:


(A) DEVE-SE RODAR INTERNAMENTE AS PERNAS SE HOUVER SUSPEITA DE FRATURA.
(B) PALPAR A CRISTA ILÍACA, PARA ASSEGURAR QUE A BORDA SUPERIOR DA PELVE ESTEJA
INCLUÍDA NA MARGEM SUPERIOR DO FILME.
(C) A INCIDÊNCIA AP DE TODA A PELVE DEVE SER REALIZADA QUANDO SE SUSPEITA DE FRATURA,
MESMO SE FOR CONHECIDO O LADO DA LESÃO.
(D) NA INCIDÊNCIA DE BATRÁQUIO DEVE-SE COLOCAR AS SUPERFÍCIES PLANTARES DOS PÉS
JUNTAS E ABDUZIR AMBOS OS FEMURES A 40º E 45º DO EIXO VERTICAL.
(E) FAZER A RADIOGRAFIA COM O PACIENTE SENTADO
GABARITO:

1598 – C
1598. EM RELAÇÃO AO ESTUDO RADIOLOGICO DA COLUNA CERVICAL EM POSIÇÃO LATERAL, COM
HIPERFLEXÃO E HIPEREXTENSÃO, É INCORRETO AFIRMAR: 1599 – D
(A) PARA HIPERFLEXÃO OS PROCESSOS ESPINHOSOS DEVEM ESTAR BEM SEPARADOS.
(B) A DISTANCIA FOCO-FILME É A MESMA UTILIZADA EM RADIOGRAFIA DO TÓRAX. 1600 - C
(C) É MUITO UTILIZADA NO DIAGNÓSTICO DE FRATURAS DE VÉRTEBRAS CERVICAIS
(D) DEVE-SE REALXAR E ABAIXAR OS OMBROSO MÁXIMO POSSÍVEL
(E) C1 A C7 DEVEM ESTAR INCLUÍDAS NO FILME.

1599. ASSINALE A ALTERNATIVA INCORRETA:


(A) A DENSIDADE FOTOGRÁFICA É A MEDIAÇÃO DE NEGRUME (ESCURECIEMNTO) DO FILME.
(B) A VELOCIDADE OU SENSIBILIDADE DE UM MATERIAL RADIOGRAFICO É INVERSAMENTE
PROPORCIONAL A EXPOSIÇÃO NECESSÁRIA PARA PRODUZIR UM DADO EFEITO.
(C) O VÉU É DEFINIDO COMO A DENSIDADE DE UM FILME QUE EMERGE DE FONTES QUE NÃO A
RADIAÇÃO PARA SE FORMAR A IMAGEM
(D) APÕS UMA EXPOSIÇÃO RADIOGRAFICA TER SIDO FEITA NUM FILME, ESSE SE TORNA MENOS
SENSÍVEL À LUZ DE SEGURANÇA DA CÂMARA ESCUDO DO QUE UM FILME VIRGEM.
(E) A SENSIBILIDADE DO FILME PODE SER AFETADA POR RADIAÇÕES GAMA.

1600. COM RELAÇÃO A TÉCNICA DE ALTA RESOLUÇÃO, MARQUE A OPÇÃO INCORRETA:


(A) É USADA SOMENTE NOS EXAMES DE TÓRAX.
(B) SERVE PARA AUMENTAR A NITIDEZ DO INTERSTÍCIO PULMONAR.
(C) É USADA PARA TODAS AS ENFERMIDADES PULMONARES
(D) UTILIZA CORTES DE 1 MM DE ESPESSURA COM ALTO KV E MAS.
(E) É A TÉCNICA QUE MAIS DESGASTA A AMPOLA DE RAIOS-X
GABARITO:

1601 – A
1601. QUAL O SIGNIFICADO DOS TERMOS RESPECTIVAMENTE: START, TURN OFF, SCAN, ERASE,
WINDOW LEVEL E MODE: 1602 – C
(A) COMEÇAR, DESLIGAR, CORTE, APAGAR, NÍVEL DA JANELA E FORMA.
(B) INICIAR, LIGAR, FATIA, APAGAR, FORMA DA JANELA E MODO. 1603 - E
(C) COMEÇAR, CORTE, DESLIGAR, NÍVEL DA JANELA, APAGAR E MODO.
(D) INICIAR, LIGAR, CORTE, APAGAR, JANELA E FORMA.
(E) NENHUMA DAS ANTERIORES.

1602. SÃO FUNÇÕES DE UM TÉCNICO DE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA, EXCETO:


(A) ZELAR PELA ORGANIZAÇÃO DA SALA DE EXAME, BEM COMO PELO MATERIAL USADO.
(B) POSICIONAR O PACIENTE PARA A REALIZAÇÃO DO EXAME.
(C) AVALIAR O TIPO DE CONTRASTE – IÔNICO X NÃO IÔNICO A SER USADO E ADMINISTRÁ-LO.
(D) COPIAR OS EXAMES
(E) ENTENDER A ANATOMIA NORMAL E ALTERAÇÕES DA MESMA.

1603. MARQUE A OPÇÃO QUE CORRELACIONA CORRETAMENTE O OBJETO COM SUA FUNÇÃO:
(A) MAGNETOX PRODUZIR RADIOFREQUÊNCIA.
(B) GADOLÍNEO – PRODUZIR ALTERAÇÕES EM T2
(C) BOBINAS –FAZER A LEITURA DA IMAGEM.
(D) GAIOLA DE FARADAY – PERMITIR A HOMOGENEIDADE DO CAMPO MAGNÉTICO
(E) HÉLIO – PERMITIR ALTAS TEMPERATURAS NO APARELHO PARA GERAR O CAMPO MAGNÉTICO.
GABARITO:

1604 – B
1604. CADA ARCO COSTAL É NUMERADO DE ACORDO COM A COLUNA TORÁCICA. AS
ARTICULAÇÕES ENTRE CADA ARCO COSTAL E A VÉRTEBRA DA REFERIDA COLUNA SÃO
1605 – B
DENOMINADAS:
(A) ARTICULAÇÃO TRANSVERSOCOSTAL E ARTICULAÇÃO COSTOVERTEBRAL;
(B) ARTICULAÇÃO COSTOTRANSVERSA E ARTICULAÇÃO COSTOVERTEBRAL;
(C) ARTICULAÇÃO COSTOTRANSESPINHOSA E ARTICULAÇÃO VERTEBRAL;
(D) ARTICULAÇÃO COSTOTRANSVERSA E ARTICULAÇÃO VERTEBRAL;
(E) ARTICULAÇÃO TRANSVERSOCOSTAL E ARTICULAÇÃO VERTEBRAL.

1605 - AS INCIDENCIAS RADIOLOGICAS PELO MÉTODO DE HUGHSTON E PELO MÉTODO DE


SEPTTEGAST SÃO REALIZADAS PARA AS ARTICULAÇÕES DO ______ ; E PELO MÉTODO DE
MARCHANT BI-LATERAL SÃO FEITAS, ESPECIFICAMENTE, PARA VISULIZAR
RADIOLOGICAMENTE O OSSO _____. PARA O PREENCHIMENTO DAS LACUNAS ACIMA TÊM DE
SER UDADOS, RESPECTIVAMENTE, OS TERMOS:
(A) TORNOZELO E MALÉOLO
(B) JOELHO E PATELA
(C) PUNHO E ESCAFÓIDE
(D) COTOVELO E OLECRÂNIO
(E) QUADRIL E ACETÁBULO
GABARITO:

1606 – D
1606. NA INCIDÊNCIA DE ARTICULAÇÃO SACROILÍACA, PROJEÇÂO AXIAL EM AP, PODE -SE AFIRMAR
QUE: 1607 – A
(A) O RC ANGULADO DE 15º - 20º CEFALICAMENTE ENTRANDO HORIZONTAL ENTRE O NÍVEL DA
EIAS E A SÍNFISE PÚBICA.
(B) O RC ANGULADO DE 30º - 35º CEFALICAMENTE ENTRANDO HORIZONTAL ENTRE O NÍVEL DA
EIAS E SÍNFISE PÚBICA.
(C) O RC ANGULADO DE 15º - 20º CEFALICAMENTE ENTRANDO A MEIO CAMINHO ENTRE O NÍVEL DA
EIAS E A SÍNFISE PÚBICA.
(D) O RC ANGULADO DE 30º - 35º CEFALICAMENTE ENTRANDO A MEIO CAMINHO ENTRE O NÍVEL DA
EIAS E A SÍNFISE PÚBICA.
(E) O RC ANGULADO DE 20º - 25º CEFALICAMENTE ENTRANDO A MEIO CAMINHO ENTRE O NÍVEL DA
EIAS E A SÍNFISE PÚBICA.

1607. CADA OSSO ZIGOMÁTICO SE ARTICULA COM 3 OSSOS NO CRÂNIO E COM 1 OSSO NA FACE,
OU SEJA:
(A) FRONTAL, ESFENÓIDE E TEMPORAL NO CRÂNIO E MAXILAR NA FACE
(B) FRONTAL, ESFENÓIDE E TEMPORAL NO CRÂNIO E MALAR OPOSTO NA FACE
(C) FRONTAL, ESFENÓIDE E PARIETAL NO CRÂNIO E MAXILAR NA FACE
(D) FRONTAL, ETMÓIDE E PARIETAL NO CRÂNIO E MAXILAR NA FACE
(E) FRONTAL, ESFENÓIDE E TEMPORAL NO CRÂNIO E MANDÍBULA NA FACE
GABARITO:

1608 – C
1608. A PEQUENA RAIZ DO OSSO QUE SEPARA A FISSURA ORBITAL SUPERIOR E O CANAL ÓPTICO
É DENOMINADA NA ANATOMIA RADIOLÓGICA, CORRETAMENTE, DE: 1609 – E
(A) FORAME ÓPTICO
(B) BURACO RASGADO ORBITAL 1610 - E
(C) SUPORTE ESFENÓIDE
(D) BURACO REDONDO ÓPTICO
(E) SUPORTE DO CANAL ÓPTICO

1609. NUM EXAME RADIOLÓGICO, EM QUE A IMAGEM É DEMONSTRADA NA PORÇÃO DA PAREDE


LATERAL DO CANAL ÓPTICO, É VISUALIZADO O AUMENTO ANORMAL:
(A) NOS VASOS SANGUÍNEOS ÓPTICOS E EROSÃO NO SUPORTE ÓSSEO
(B) NO CANAL ÓPTICO E CALCIFICAÇÃO NO SUPORTE ÓPTICO
(C) NA ARTÉRIA ÓPTICA E EROSÃO NO SUPORTE ÓSSEO
(D) NA ARTÉRIA ÓPTICA E CALCIFICAÇÃO NO SUPORTE ÓSSEO
(E) NO NERVO ÓPTICO E EROSÃO NO SUPORTE ÓSSEO

1610. AS INCIDÊNCIAS E MÉTODOS MAIS CORRETOS E INDICADOS QUE PODEM SER UTILIZADOS
NO ESTUDO RADIOLÓGICO DAS ARTICULAÇÕES TEMPOROMANDIBULARES (ATMs) SÃO:
(A) PERFIL RIGOROSO, HIRTZ E SHULLER
(B) HIRTZ, TOWNER MODIFICADO E LAW MODIFICADO.
(C) SHULLER, PERFIL RIGOROSO E LAW MODIFICADO.
(D) BRETON, SHULLER E LAW MODIFICADO
(E) SHULLER, LAW MODIFICADO E TOWNER MODIFICADO
GABARITO:

1611 – C
1611. AS INCIDÊNCIAS DE WATER E DE LATERAL RIGOROSO DIREITO E ESQUERDO SÃO BÁSICAS
NO ESTUDO RADIOLÓGICO DA REGIÃO: 1612 – D
(A) FOSSA MANDIBULAR;
(B) FORAMES ORBITÁRIOS
(C) OSSOS DO NARIZ
(D) ARCOS ZIGOMÁTICOS
(E) MASTÓIDES

1612. NAS INCIDÊNCIAS DE AP UNILATERAL DO QUADRIL (ARTICULAÇÃO COXO-FEMURAL) E DA


PELVE (PERNA DE RÃ) BILATERAL, MÉTODO DE CLEAVES, PODE-SE AFIRMAR QUE:
(A) NA 1a. O RC CEFÁLICO COM 5º INCIDINDO NO MEIO DO COLO DO FÊMUR, E A 2a. O RC
PERPENDICULAR AO FILME, DIRIGIDO A 2,5 CM ACIMA DA SÍNFISE PÚBICA;
(B) NA 1ª O RC PERPENDICULAR AO FILME INCIDINDO NO MEIO DO COLO DO FÊMUR, E A 2a. O RC
PERPENDICULAR AO FILME DIRIGIDO A 5 CM ACIMA DA SÍNFISE PÚBICA;
(C) NA 1a. O RC PERPENDICULAR AO FILME INCIDINDO NO MEIO DO COLO DO FÊMUR, E A 2a. O RC
CEFÁLICO COM 5º DIRIGIDO A 2,5 CM ACIMA DA SÍNFISE PÚBICA;
(D) NA 1a. O RC PERPENDICULAR AO FILME INCIDINDO NO MEIO DO COLO DO FÊMUR, E A 2a. O RC
PERPENDICULAR AO FILME, DIRIGIDO A 2,5 CM ACIMA DA SÍNFISE PÚBICA;
(E) NA 1a. O RC CEFÁLICO COM 5º INCIDINDO NO MEIO DO COLO DO FÊMUR, E A 2a. O RC
PERPENDICULAR AO FILME, DIRIGIDO A 5 CM ACIMA DA SÍNFISE PÚBICA.
GABARITO:

1613 – C
1613. COM RELAÇÃO AO RC, NA INCIDÊNCIA DO SEGMENTO DA COLUNA SACRO E DO CÓCCIX, NA
INCIDÊNCIA AXIAL EM AP DO SACRO E NA INCIDÊNCIA AXIAL AP DO CÓCCIX, PODE -SE
AFIRMAR QUE:
(A) O RC ANGULADO DE 15º CAUDALMENTE ENTRANDO A MEIO CAMINHO ENTRE O NÍVEL DA EIAS
E A SÍNFISE PÚBICA, E NO CÓCCIX O RC ANGULADO 10% CEFALICAMENTE E ENTRANDO 5 CM
ACIMA DA SÍNFESE PÚBICA.
(B) O RC ANGULADO DE 32º CAUDALMENTE ENTRANDO A MEIO CAMINHO ENTRE O NÍVEL DA EIAS
E A SÍNFISE PÚBICA, E NO CÓCCIX O RC ANGULADO 20% CEFALICAMENTE E ENTRANDO 10 CM
ACIMA DA SÍNFESE PÚBICA.
(C) O RC ANGULADO DE 15º CEFALICAMENTE ENTRANDO NO PLANO MÉDIO SAGITAL A MEIO
CAMINHO ENTRE O NÍVEL DA EIAS E A SÍNFISE PÚBICA, E NO CÓCCIX O RC ANGULADO 10%
CAUDALMENTE E ENTRANDO 5 CM ACIMA DA SÍNFESE PÚBICA.
(D) O RC ANGULADO DE 20º CEFALICAMENTE ENTRANDO A MEIO CAMINHO ENTRE O NÍVEL DA EIAS
E A SÍNFISE PÚBICA, E NO CÓCCIX O RC ANGULADO 20% CAUDALMENTE ENTRANDO 5 CM
ACIMA DA SÍNFESE PÚBICA.
(E) O RC ANGULADO DE 15º CEFALICAMENTE ENTRANDO A MEIO CAMINHO ENTRE O NÍVEL DA EIAS
E A SÍNFISE PÚBICA, E NO CÓCCIX O RC ANGULADO 10% CAUDALMENTE E ENTRANDO 10 CM
ACIMA DA SÍNFESE PÚBICA.
GABARITO:

1614 – A
1614. CAUDA DA MAMA, MAMILO, ARÉOLA, PREGA INFRAMAMÁRIA DE DIÂMENTRO APROXIMADO
DE 12 A 15 CM, CORRESPONDE: 1615 – C
(A) À ANATOMIA DA SUPERFÍCIE DA MAMA;
(B) À ANATOMIA INTERNA DA MAMA;
(C) ÀS IMAGENS A SEREM VISUALIZADAS
(D) AOS PROCEDIMENTOS DE DIAGNÓSTICO
(E) AOS PROCEDIMENTOS DE UMA BOA ANAMNESE

1615. SOBRE A TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA É CORRETO AFIRMAR QUE:


(A )INFORMAÇÕES TRIDIMENSIONAIS, IMAGENS CLARAMENTE DELINEADAS QUANDO ESTUDA A
NATUREZA DOS TECIDOS;
(B) INFORMAÇÕES QUADRIDIMENSIONAIS, IMAGENS CLARAMENTE DELINEADAS QUANDO ESTUDA
A NATUREZA DOS TECIDOS
(C) INFORMAÇÕES TRIDIMENSIONAIS, IMAGENS CINZAS DELINEADAS QUANDO ESTUDA A
NATUREZA DOS TECIDOS
(D) INFORMAÇÕES MULTIDIMENSIONAIS, IMAGENS CLARAMENTE DELINEADAS QUANDO ESTUDA A
NATUREZA DOS TECIDOS
(E) INFORMAÇÕES EM CORTES SIMPLES, IMAGENS CLARAMENTE DELINEADAS QUANDO ESTUDA
GABARITO:

1616 – E
1616. LEIA AS FRASES ABAIXO, OBSERVANDO COMO DEVEM SER PREENCHIDAS AS LACUNAS:
I – O ______PENETRA NA AMPOLA E É O RESPONSÁVEL PELO AQUECIMENTO DO FILAMENTO
CATÓDICO,QUE LIBERA OS ELÉTRONS PARA CHOCAREM-SE NO ANÓDIO, PRODUZINDO OS
RAIOS-X.
II- O ______ É UTILIZADO EM UMA RADIOGRAFIA, PROPOCIONALMENTE À INCIDÊNCIA, APLICADA
NO EXAME RADIOLÓGICO E COINCIDE COM O AQUECIMENTO DO CATÓDIO (PÓLO NEGATIVO).
III- O ____ REPRESENTAA QUANTIDADE DE RAIOS-X EMITIDA DURANTE A EXPOSIÇÃO E É
RESPONSÁVEL PELOS CONTRASTES FORTES.
IV – O ______ REPRESENTAA VELOCIDADE DE IMPACTO DOS ELÉTRONS LIBERADOS DO CATÓDIO (
- ) CONTRA OP ANÓDIO ( + ) E QUANTO MAIOR FOR, MENOR O COMPRIMENTO DE ONDAS E
MAIOR A PENETRAÇÃO DOS RAIOS-X.
O PREENCHIMENTO DAS LACUNAS DEVE SER FEITO COM OS TERMOS ABAIXO, NA ORDEM EM QUE
ESTÃO EXPRESSOS NA OPÇÃO:
(A) MA; MAS; KV; TEMPO.
(B) TEMPO; MAS; KV; MA.
(C) MAS; MA; TEMPO;KV.
(D) TEMPO; KV; MAS; MA.
(E) MA; TEMPO; MAS; KV.
GABARITO:

1617 – A
1617. EM PACIENTE NEONATO, A RADIOGRAFIA SIMPLES DE ABDOMEDEVE SER REALIZADA
OBEDECENDO-SE AOS SEGUINTES CRITÉRIOS: 1618 – D
(A) POSIÇÃO ANTEROPOSTERIOR, PROTEÇÃO GONADAL NO SEXO MASCULINO, kV ENTRE 65 E 85
E MENOR TEMPO DE XPOSIÇAÕ POSSÍVEL
(B) POSIÇÃO ANTEROPOSTERIOR, kVp ENTRE 45 E 65 E MÁXIMO TEMPO DE EXPOSIÇÃO POSSÍVEL
(C) POSIÇÃO VENTRAL, PROTEÇÃO GONADAL NO SEXO MASCULINO, kV ENTRE 85 E 100 E TEMPO
DE XPOSIÇÃO DE 4 SEGUNDOS
(D) POSIÇAÕ DORSAL, PROTEÇÃO GONADAL NO SEXO MASCULINO, kV ENTRE 85 E 100 E TEMPO
DE EXPOSIÇÃO ENTRE 6 E 10 SEGUNDOS
(E) POSIÇÃO DORSAL, SEM PROTEÇÃO GONADAL EM AMBOS OS SEXOS, kV ENTRE 40 E 52 COM
DIAFRAGMA TODO ABERTO

1618 – QUANDO SE REALIZA UMA RADIOGRAFIA SIMPLES DO ABDOME EM ADOLESCENTE, A


POSIÇAÕ CORRETA DO RAIO CENTRAL É:
(A) 2,5 CM ACIMA DO UMBIGO
(B) 2,5 CM ABAIXO DO UMBIGO
(C) AO NÍVEL DO UMBIGO
(D) AO NÍVEL DA CRISTA ILÍACA
(E) AO NÍVEL DO XIFESTERNO
GABARITO:

1619 – C
1619 . A PRESENÇA DE ALÇAS DILTADAS E NÍVEIS LÍQUIDOS NA RADIOGRAFIA DO ABDOME
DEMONSTRA QUE A MESMA FOI OBTIDA NA POSIÇÃO : 1620 – D
(A) VENTRAL
(B) DORSAL 1621 - B
(C) ORTOSTÁTICA
(D) LATERAL
(E) OBLIQUA

1620 –NA CIRCULAÇÃO PULMONAR, O SANGUE OXIGENADO RETORNA AO CORAÇÃO ATRAVÉS :


(A) DAS ARTÉRIAS PULMONARES
(B) DAS VEIAS CAVAS
(C) DO TRONCO ATRIAL BRAQUIOCEFÁLICO
(D) DAS VEIAS PULMONARES
(E) DA VEIA CAVA INFERIOR

1621 – SÃO EXEMPLOS DE OSSOS IRREGULARES:


(A) ARCO COSTAL E ESCÁPULA
(B) VÉRTEBRAS E OSSOS DA BASE DO CRÂNIO
(C) ESTERNO E FALANGES
(D) OSSOS DA FACE E TÍBIA
(E) FÍBULA E FÊMUR
GABARITO:

1622 – D
1622 . NO CORPO HUMANO O NÚMERO DE OSSOS SEPARADOS É :
(A) 126 1623 – A
(B) 156
(C) 186 1624 - C
(D) 206
(E) 256

1623 – A MELHOR POSIÇÃO PARA INTRODUÇAÕ DE TUBO RETAL, NA APLICAÇÃO DE ENEMA


BARITADO PARA O EXAME CONTRASTADO DO RETO E DO INTESTINO GROSSO, É :
(A) SIMS
(B) DECUBITO VENTRAL
(C) FOWLER
(D) TRENDELEMBURG
(E) LITOTÔMICA

1624 – A DENSIDADE É UM DOS FATORES PRINCIPAIS NA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA IMAGEM. O


FATOR PRIMÁRIO DE CONTROLE DA DENSIDADE É :
(A) IMPEDIR OS MOVIMENTOS DO PACIENTE DURANTE A EXPOSIÇÃO
(B) kV
(C) mAS
(D) AUMENTAR A DISTÂNCIA OBJETO-FILME
(E) REDUZIR A DISTÂNCIA OBJETO-FILME
GABARITO:

1625 – B
1625 . O USO DO EFEITO ANÓDICO, NA OBTENÇÃO DE RADIOGRAFIAS COM MELHOR QUALIDADE,
INCLUI O POSICIONAMENTO DA SEGUINTE PARTE DO CORPO NA EXTREMIDADE CATÓDICA
1626: – A
(A) A MENOS ESPESSA
(B) A MAIS ESPESSA 1627 - A
(C) A MAIS EXTERNA
(D) A MAIS INTERNA
(E) O CENTRO DA REGIÃO A SER RADIOGRAFADA

1626 – A ARTÉRIA BRAQUIOCEFÁLICA ORIGINA AS SEGUINTES ARTÉRIAS :


(A) SUBCLÁVIA E CARÓTIDA DIREITA
(B) SUBCLÁVIA E CARÓTIDA ESQUERDA
(C) CEREBRAL ANTERIOR E MÉDIA
(D) VERTEBRAIS
(E) ILÍACAS DIREITA E ESQUERDA

1627 – DE ACORDO COM O CÓDIGO DE ÉTICA PROFISSIONAL, A RESPONSABILIDADE PELO


CONTROLE DE EXPOSIÇÃO DE RADIAÇÃO AOS PACIENTES É, TAMBÉM, DO TÉCNICO EM
RADIOLOGIA. PARA EVITAR A SUPEREXPOSIÇÃO, UMA DAS MEDIDAS MAIS SIMPLES E
EFICAZES , NEM SEMPRE OBEDECIDAS, É :
(A) EVITAR A REPETIÇÃO DE EXAMES
(B) USAR SEMPRE BAIXA kVp
(C) UTILIZAR GRADES ANTIDIFUSORAS
(D) USAR COMBINAÇÃO FIME-ECRAN DE BAIXA VELOCIDADE
(E) USAR SEMPRE TÉCNICA COM ALTO mAS
GABARITO:

1628 – D
1628 . UM PA DE TÓRAX BEM FEITO, PREVÊ A REALIZAÇÃO DO EXAME EM INSPIRAÇÃO MÁXIMA.
ESTE DADO PODE SER COMPROVADO, NA RADIOGRAFIA, PELA OBSERVAÇÃO DO DIAFRAGMA
1629 – C
IMEDIATAMENTE ABAIXO DO SEGUINTE ARCO COSTAL POSTERIOR :
(A) SEXTO 1630 - B
(B) SÉTIMO
(C) OITAVO
(D) DÉCIMO
(E) QUINTO

1629 – PARA DEMONSTRAR PEQUENAS COLEÇÕES LÍQUIDAS NO ESPAÇO PLEURAL, NA


RADIOGRAFIA DO TÓRAX EM LAWRELL, OS RAIOS DEVEM INCIDIR, EM RELAÇÃO AO TÓRAX,
DE FORMA :
(A) OBLIQUA
(B) LATERAL
(C) HORIZONTAL
(D) VERTICAL
(E) TODAS AS RESPOSTAS ESTÃO ERRADAS

1630 – NA TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DO ABDOME DE UM INDIVÍDUO NORMAL, A IMAGEM


DO BAÇO É VISUALIZADA NO :
(A) ABDOME INFERIOR, POSTERIORMENTE AO RIM ESQUERDO
(B) ABDOME SUPERIOR, POSTERIORMENTE AO ESTÔMAGO
(C) CENTRO DO ABDOME , RECHAÇANDO O ESTÔMAGO
(D) ABDOME SUPERIOR, POSTERIORMENTE AO PÂNCREAS
(E) ABDOME INFERIOR, ATRAS DO FIGADO
GABARITO:

1631 – A
1631 . A ESPESURA DO CORTE EM PROTOCOLO DE ALTA RESOLUÇÃO, NA TOMOGRAFIA
COMPUTADORIZADA DO TÓRAX, DEVE SER DE NO MÁXIMO : 1632 – B
(A) 2 mm
(B) 3 mm 1633 - C
(C) 4 mm
(D) 5 mm
(E) 6 mm

1632 – NA UROGRAFIA EXCRETORA DE UM ADULTO, A RADIOGRAFIA SIMPLES DO ABDOME DEVE


SER REALIZADA COM O RAIO CENTRAL POSICIONADO NA ALTURA :
(A) DO APÊNDICE XIFÓIDE
(B) DA CRISTA ILÍACA
(C) DO UMBIGO
(D) DO ÂNGULO DE CHARPI
(E) DA SÍNFISE PUBIANA

1633 – NO ESTUDO DE PACIENTE COM SUSPEITA DE ABDOME AGUDO, A ROTINA BÁSICA INCLUI :
(A) UMA INCIDÊNCIA
(B) DUAS INCIDÊNCIAS
(C) TRÊS INCIDÊNCIAS
(D) QUATRO INCIDÊNCIAS
(E) CINCO INCIDÊNCIAS
GABARITO:

1634 – C
1634 . A INCIDÊNCIA TANGENCIAL DO PUNHO, COM O RAIO CENTRAL ENTRE 25º E 30º AO EIXO
LONGITUDINAL DA MÃO, É UTILIZADA, PRINCIPALMENTE, PARA DEMONSTRAR : 1635 – A
(A) FRATURA DE COLLES
(B) FRATURA DO ESCAFÓIDE 1636 - A
(C) SÍNDROME DO TÚNEL DO CARPO
(D) FRATURA DE FALÂNGES DISTAIS
(E) FRATURA DA CABEÇA DO RÁDIO

1635 – SEGUNDO RACIOCÍNIO LÓGICO, O TAMANHO DO FILME UTILIZADO NO ESTUDO DO


COTOVELO EM AP SOB EXTENSÃO COMPLETA É :
(A) 18 X 24
(B) 24 X 30
(C) 35 X 43
(D) 23 X 30
(E) 35 X 91

1636 – O OBJETIVO DA INCIDÊNCIA PARIETOACANTIAL É :


(A) PROJETAR AS CRISTAS PETROSAS ABAIXO DOS SEIOS MAXILARES
(B) DEMONSTRAR FRATURAS DO ARCO ZIGOMÁTICO
(C) DEMONSTRAR ALTERAÇÕES ÓSSEAS DOS FORAMES ÓPTICOS
(D) DIAGNOSTICR FRATURAS NA MANDÍBULA
(E) DEMONSTRAR ALTERAÇÕES NO ANEL PÉLVICO
GABARITO:

1637 – D
1637 . NA INCIDÊNCIA AXIAL PARA MENTO O FILME UTILIZADO DEVERÁ SER :
(A) 3 X 4 1638 – A
(B) 13 X 18
(C) 24 X 30 1639 - B
(D) OCLUSAL
(E) 30 X 40

1638 – NA TÉCNICA ESPIRAL EM TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA, A ROTAÇÃO DO TUBO E DOS


DETECTORES É :
(A) CONTÍNUA EM 360º, ENQUANTO A MESA SE MOVE PARA DENTRO OU PARA FORA
(B) DESCONTÍNUA EM 270º, ENQUANTO A MESA E MOVE PARA DENTRO
(C) CONTÍNUA EM 180º, ENQUANTO A MESA SE MOVE PARA FORA
(D) DESCONTÍNUA EM 180º, ENQUANTO A MESA SE MOVE PARA DENTRO
(E) DESCONTNUA EM 90º, ENQUANTO A MESA SE MOVE PARA FORA

1639 –NA INCIDÊNCIA CRANIOCAUDAL UTILIZADA EM MAMOGRAFIA, O RAIO DEVE SER


CENTRALIZADO COM A BASE DA MAMA E INCIDIR :
(A) LATERALMETE
(B) PERPENDICULARMENTE
(C) ANTERIORMENTE
(D) FRONTALMENTE
(E) HORIZONTALMENTE
GABARITO:

1640 – A
1640 . ASSINALE A AFIRMATIVA INCORRETA :
(A) O EXAME DE CAVUM PODERÁ SER EXECUTADO COM O PACIENTE EM DECUBITO VENTRAL, 1641 – A
CRANIO EM PERFIL RIGOROSO E RAIO CENTRAL PERPENDICULAR INCIDINDO NO GÔNIO COM
A CRIANÇA FAZENDO A MANOBRA DE VALSALVA
(B) NA INCIDÊNCIA DE HIRTZ O RAIO CENTRAL DEVERÁ SEMPRE INCIDIR PERPENDICULARMENTE A
LINHA HORIZONTAL ALEMÃ
(C) EM UMA RADIOGRAFIA DE PA DE CRÂNIO O ROCHEDOS DEVERÃO PROJETAR -SE NO TERÇO
INTERIOR DAS ÓRBITAS
(D) NA REGIÃO DO JOELHO, A PATELA SITUA-SE, NORMALMENTE, NA FACE INFERO-ANTERIOR DO
FEMUR
(E) OS PROCESSOS CRINÓIDES SÃO ACIDÊNTES ANATÔMICOS DO OSSO ESFENÓIDE

1641 – EM RESSONÂNCIA MAGNÉTICA, A IMAGEM PONDERADA EM T2 APRESENTA:


(A) TR LONGO E TE CURTO
(B) TR CURTO E TE CURTO
(C) TR LONGO E TR CURTO
(D) TR CURTO E TR LONGO
(E) TR LONGO E TE CURTO
GABARITO:

1642 – D
1642 . O ESQUELETO ADULTO HUMANO É DIVIDIDO EM ESQUELETO AXIAL E ESQUELETO
APENDICULAR. O ESQUELETO AXIAL INCLUI TODOS OS OSSOS LOCALIZADOS NO EIXO1643 – B
CENTRAL DO CORPO OU PRÓXIMO A ESTE. O ESQUELETO AXIAL DO ADULTO COMPREENDE:
(A) 206 OSSOS 1644 - C
(B) 126 OSSOS
(C) 96 OSSOS
(D) 80 OSSOS
(E) 70 OSSOS

1643 – AS ARTICULAÇÕES TAMBÉM PODEM SERE CLASSIFICADAS CONFORME SUA FUNÇÃO. OS


TRÊS TIPOS FUNCIONAIS MAIS COMUNS SÃO:
(A) SINCONDROSES, GONFOSES E SÍFISES
(B) SINARTROSES, ANFIARTROSES E DIARTROSES
(C) SINDESMOSES, DIARTROSES E SUTURAS
(D) SINARTROSES, SINCONDROSES E SÍNFISES
(E) DIARTROSES, SÍNFISES E SINARTROSES

1644 – QUAL O LIMITE PRIMÁRIO ANUAL RECOMENDADO PARA TRABALHADORES


OCUPACIONALMENTE EXPOSTOS A RADIAÇÃO IONIZANTE ?
(A) NÃO EXISTE RECOMENDAÇÃO DE DOSE LIMITE
(B) 4 mSv (C) 50 mSv (D) 10 mSv (E) 80 mSv
GABARITO:

1645 – A
1645 . QUANDO SE REFERE A UMA PARTE ESPECÍFICA DO CORPO O TÉCNICO PRECISA IMAGINAR A
POSIÇÃO ANATÔMICA TOMADA COMO REFERENCIAL. A POSIÇÃO ANATÔMICA É : 1646 – B
(A) EM POSIÇÃO ORTOSTÁTICA, MEMBROS SUPERIORES ADUZIDOS, REGIÇAO PALMAR VOLTADAS
PARA A FRENTE, CABEÇA E PÉS VOLTADOS PARA FRENTE 1647 - B
(B) EM POSIÇÃO ORTOSTÁTICA, MEMBROS SUPERIORES ABDUZIDOS, REGIÃO PALMAR VOLTADAS
PARA A FRENTE, CABEÇA E PÉS VOLTADOS EXATAMENTE PARA FRENTE
(C) EM DECUBITO DORSAL, MEMBROS SUPERIORES ABDUZIDOS, REGIÃO PALMAR VOLTADAS
PARA A FRENTE, CABEÇA E PÉS VOLTADOS EXATAMENTE PARA FRENTE
(D) EM DECUBITO VENTRAL, MEMBROS SUPERIORES ADUZIDOS, REGIÃO PALMAR VOLTADAS PARA
A FRENTE, CABEÇA E PÉS VOLTADOS EXATAMENTE PARA FRENTE
(E) NENHUME DAS ALTERNATIVAS ANTERIORES

1646 – QUANTO A MILIAMPERAGEM (mA), PODEMOS AFIRMAR QUE:


(A) DETERMINA A CAPACIDADE DO ULTRASOM
(B) DETERMINA A QUANTIDADE DE RAIOS X
(C) NÃO É UTILIZADO EM APARELHOS DE RAIOS X DE ÚLTIMA GERAÇÃO
(D) DETERMINA A CAPACIDADE DE PENETRAÇÃO DOS RAIOS X
(E) DETERMINA O EFEITO COMPTON

1647 – QUAL O LIMITE PRIMÁRIO MENSAL RECOMENDADO PARA TRABALHADORES


OCUPACIONALMENTE EXPOSTOS A RADIAÇÃO IONIZANTE ?
(A) 1 mSv (B) 4 mSv (C) 50 mSv (D) 10 mSv (E) 80 mSv
GABARITO:

1648 – C
1648 . A INCIDÊNCIA QUE MELHOR DEMONSTRA OS SEIOS ESFENOIDAIS E ETMOIDAIS É :
(A) MAYER 1649 – B
(B) CALDWELL
(C) HIRTZ 1650 - C
(D) WATERS
(E) STECHER

1649 – A INCIDÊNCIA RADIOGRÁFICA CONHECIDA COMO TRANS-ORAL VISA ESTUDAR:


(A) AS ARCADAS DENTÁRIAS
(B) A ARTICULAÇÃO ATLANTO-AXIAL
(C) AS ARTICULAÇÕES TEMPORO-MANDIBULARES
(D) AS ARTICULAÇÕES SACRO-ILÍACAS
(E) A ARTICULAÇÃO SACRO-COCCÍGEA

1650 – ASINALE UMA CARACTERÍSTICA DOS FILMES USADOS EM MAMOGRAFIA;


(A) DUPLA EMULSÃO
(B) BAIXO CONTRASTE
(C) MONO EMULSIONADO
(D) APENAS ENCONTRADOS EM TAMANHOS 30X40 CM
(E) ÚNICOS COM ESPESSURA DE 25 mm
GABARITO:

1651 – A
1651 . O MÉTODO DE MARCHANT BILATERAL REFERE-SE A :
(A) INCIDÊNCIA DE PATÉLA 1652 – C
(B) INCIDÊNCIA DE MASTÓIDE
(C) INCIDÊNCIA DE PÉS COM CARGA 1653 - C
(D) INCIDÊNCIA PARA ESTUDO DO FORÂME ÓPTICO
(E) INCIDÊNCIA PARA CANAL CARPIANO

1652 – OS TONS DE CINZA QUE APARECEM NO MONITOR DE UM EQUIPAMENTO DE TOMOGRAFIA


COMPUTADORIZADA SÃO DADOS EM UNIDADE DE :
(A) ROENTGEN
(B) NEWTON
(C) HOUNSFIELD
(D) EINSTEIN
(E) AMPÉRE

1653 – QUE DISPOSITIVO DO EQUIPAMENTO DE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA CONTROLA A


ESPESURA DO CORTE TOMOGRÁFICO ?
(A) DETECTOR
(B) TRANSFORMADOR
(C) COLIMADOR
(D) RETIFICADOR
(E) NENHUMA DAS ALTERNATIVAS ANTERIORES
GABARITO:

1654 – B
1654 . QUAL É A VELOCIDADE DE INJEÇÃO DE CONTRASTE PROGRAMADO NA BOMBA INJETORA
PARA REALIZAR UMA TC DE ABDOME NA ROTINA ? 1655 – B
(A) 1 mL/ SEG.
(B) 3 mL/ SEG. 1656 - A
(C) 10 mL/ SEG.
(D) 60 mL/ SEG.
(E) 50 mL/ SEG.

1655 – DE ACORDO COM A ORGANIZAÇÃO MUNDIAL SE SAÚDE :


(A) A REALIZAÇÃO DOS EXAMES DE RM EM MULHERES GRÁVIDAS É CONTRA-INDICADA
(B) MULHERES GRÁVIDAS NÃO DEVEM REALIZAR EXAME DE RM NO PRIMEIRO TRIMESTRE DA
GESTAÇÃO
(C) OS EXAMES DE RM DEVEM SER SUBSTITUIDOS PELOS DE TOMOGRAFIA OU DE MEDICINA
NUCLEAR
(D) OS EXAMES DE RM DEVEM SER SUBSTITUIDOS PELOS DE RAIOS X CONVENCIONAL
(E) NENHUMA RECOMENDAÇÃO É FEITA

1656 – NA CÂMARA ESCURA EXITEM PRINCIPALMENTE DUAS PARTES QUE SÃO:


(A) PARTE SECA E PARTE ÚMIDA
(B) CÂMARA CLARA E CÂMARA ESCURA
(C) PARTE SECA E SALA DE LAUDOS
(D) PARTE ÚMIDA E SALA DE LAUDOS
(E) NENHUMA DAS ALTERNATIVAS ANTERIORES
GABARITO:

1657 – D
1657 . QUAL DAS SEGUINTESALTERNATIVAS NÃO PERTENCE AS ETAPAS DO PROCESSO DE
REVELAÇÃO MANUAL? 1658 – D
(A) SOLUÇAÕ DE REVELADOR.
(B) SECAGEM. 1659 - C
(C) SOLUÇÃO DE FIXADOR.
(D) LIMPEZA DOS ECRANS.
(E) BANHO INTERRUPTOR DE ÁGUA.

1658 – O ECRAN EMISSOR DE LUZ NO ESPÉCTRO AZUL É COMPOSTO DE :


(A) TUNGSTATO DE ALUMÍNIO
(B) NITRATO DE AMÔNIA
(C) NITRATO DE ALUMÍNIO
(D) TUNGSTATO DE CÁLCIO
(E) NENHUMA DAS RESPOSTAS ANTERIORES

1659 – QUAL A SEQUÊNCIA CORRETA DAS FASES DO PROCESSAMENTO MANUAL DE UMA


PELÍCULA RADIOGRÁFICA EXPOSTA AOS RAIOS X ?
(A) FIXAÇÃO, ENXÁGUE, REVELAÇÃO, LAVAGEM E SECAGEM
(B) FIXAÇÃO, REVELAÇÃO, ENXÁGUE, LAVAGEM E SECAGEM
(C) REVELAÇÃO, ENXÁGUE, FIXAÇÃO, LAVAGEM E SECAGEM
(D) REVELAÇÃO, LAVAGEM, ENXÁGUE, LAVAGEM E SECAGEM
(E) REVELAÇÃO, FIXAÇÃO, LAVAGEM E SECAGEM
GABARITO:

1660 – A
1660 . A FUNÇAÕ DO ÁCIDO ACÉTICO GLACIAL NO MECANÍSMO DE FIXAÇÃO DO FILME
RADIOGRÁFICO É : 1661 – C
(A) ACIDIFICAR A SOLUÇÃO E INTERROMPER A REVELAÇÃO.
(B) ESTABILIOZAR A SOLUÇÃO. 1662 - A
(C) ENDURECER A GELATINA.
(D) LAVAR O FILME RETIRANDO O EXCESSO DE REVELADOR
(E) ABRIR OS POROS DA GELATINA.

1661 – AS SUBSTÂNCIAS QUE FAZEM PARTE DA COMPOSIÇÃO DO REVELADOR E TÊM FUNÇÃO


REDUTORA SÃO :
(A) BROMETO DE POTÁSSIO E METOL
(B) CARBONATO SE SÓDIO E METOL
(C) HIDROQUINONA E METOL
(D) METOL E SULFITO DE SÓDIO
(E) METOL E ALUMEM DE CROMO

1662 – SOBRE A IDENTIFICAÇÃO DOS EXAMES DE RAIOS X, ASSINALE A ALTERNATIVA CORRETA :


(A) COMO REGRA GERAL A IDENTIFICAÇÃO DOS EXAMES DE TÓRAX É FEITA NA MARGEM
SUPERIOR DIREITA DO FILME
(B) DEVE-SE SEMPRE ESCREVER NO FILME COM UM MARCADOR PERMANENTE PARA EVITAR QUE
SE MANCHE OU BORRE
(C) OS MARCADORES UTILIZADOS SÃO RADIOLUCENTES
(D) APENAS O NOME DO PACIENTE DEVE SER COLOCADO NA IDENTIFICAÇÃO
(E) NÃO EXISTE NECESSIDADE DE IDENTIFICAÇÃO NOS EXAMES RADIOLÓGICOS
GABARITO:

1663 – D
1663 .A POSIÇÃO DE TRENDELEMBURG CONSISTE EM :
(A) DECÚBITO DORSAL COM AS MÃOS LEVANTADAS E AS PERNAS ABERTAS. 1664 – D
(B) DECÚBITO VENTRAL COM A MESA INCLINADA DE MODO QUE OS PÉS FIQUEM PARA BAIXO.
(C) DECÚBITO LATERAL ESQUERDO COM FLEXÃO DO PESCOÇO. 1665 - C
(D) DECÚBITO DORSAL COM O PLANO DO CORPO INCLINADO, DE MODO QUE OS PÉS FIQUEM MAIS
ELEVADOS QUE A CABEÇA
(E) DECÚBITO VENTRAL COM OS DOIS JOELHOS FLETIDOS .

1664 – A SOLUÇÃO DA MAIORIA DOS MEIOS DE CONTRASTE ORAL É FEITA A BASE DE :


(A) IODO
(B) TUNGSTÊNIO
(C) PRATA
(D) SULFATO DE BÁRIO
(E) PROTÓXIDO DE AZÔTO

1665 – ASSINALE A ALTERNATIVA QUE CONTÉM CAUSAS DE ARTEFATOS NO FILME RADIOGRÁFICO


:
(A) “ALIASING”, MARCA DE UNHA
(B) SUJEIRA NO ECRAN, CHASSIS PARCIALMENTE ABERTO “ OVERSAMPLING”
(C) QUEBRA DA EMULSÃO, IIMPRESSÕES DIGITAIS, SUJEIRA NO ECRAN
(D) ‘ALIASING”, “ OVERSAMPLING”, REVERBERAÇÃO
(E) NENHUMA DAS ALTERNATIVAS ANTERIORES
GABARITO:

1666 – D
1666 . O SISTEMA ESQUELÉTICO É FORMADO POR 206 OSSOS DISTINTOS COM SUAS CARTILAGENS
E ARTICULAÇÕES ASSOCIADAS. O ESTUDO DOS OSSOS É DENOMINADO OSTEOLOGIA, 1667 – D
ENQUANTO QUE O ESTUDO DAS ARTICULAÇÕES É A ARTROLOGIA. AS FUNÇÕES PRESENTES
NO SITEMA ESQUELÉTICO SÃO TODAS AS APRESENTADAS, EXCETO :
(A) PRODUZIR CÉLULAS SANGUÍNEAS.
(B) PERMITIR OS MOVIMENTOS POR INTERAÇÃO COM OS MÚSCULOS PARA FORMAR ALAVANCA
(C) ARMAZENAR CÁLCIO
(D) CONDUZIR ESTÍMULOS NERVOSOS
(E) CONDUZIR A BILE DA VESÍCULA ATÉ O DUODENO

1667 – ASSINALE A ALTERNATIVA CORRETA AO COMPLETAR A FRASE: “AO PARTICIPAR DE UM


EXAME DE FLUOROSCOPIA, O AUXILIAR DE RADIOLOGIA”...
(A) NÃO PRECISA USAR O AVENTAL DE BORRACHA PLUMBÍFERA
(B) COLOCARÁ O AVENTAL DE BORRACHA PLUMBÍFERA, MAS O PROTETOR DE TIREÓIDE É
DESNECESSÁRIO
(C) COLOCA O AVENTAL DE BORRACHA PLUMBÍFERA E O PROTETOR DE TIREÓIDE, MAS MANTÉM
AS PORTAS DA SALA ABERTAS PARA ESPALHAR A RADIAÇÃO
(D) NÃO PRECISA USAR O AVENTAL DE BORRACHA PLUMBÍFERA SE TODA VEZ QUE FOR FEITA A
EXPOSIÇÃO ELE ESTIVER FORA DA SALA
(E) NÃO HÁ NECESSIDADE DE PREOCUPAÇÃO POIS OS RAIOS X SÃO INÓCUOS
GABARITO:

1668 – E
1668 . NA INCIDÊNCIA OBLIQUA POSTERIOR DIREITA DA COLUNA NO SEGMENTO CERVICAL, QUAL A
ANGULAÇÃO DO RAIO CENTRAL PARA QUE PENETRE PARALELO AO EIXO DOS FORAMES DE– E
1669
CONJUGAÇÃO ?
(A) 15º PODÁLICOS 1670 - E
(B) 30º PODÁLICOS
(C) 35º CEFÁLICOS
(D) 30º CEFÁLICOS
(E) 15º CEFÁLICOS

1669 – NA MARCAÇÃO DE EXAMES ELETIVOS COM OU SEM PREPARO EM MULHERES EM IDADE


FÉRTIL QUE ENVOLVA RADIAÇÃO IONIZANTE DEVEMOS TER O CUIDADO DE:
(A) MARCAR PARA APÓS 10º DIA DO CICLO MENSTRUAL
(B) MARCAR PARA O 14º DIA DO CICLO MENSTRUAL
(C) MARCAR ENTRE O 15º E O 20º DIA DO CICLO MENTRUAL
(D) MARCAR ENTRE O 5º E O 20º DIA DO CICLO MENSTRUAL
(E) MARCAR ENTRE O 5º E O 10º DIA DO CICLO MENSTRUAL

1670 – AS INCIDÊNCIA DE STECHER, ZANCA E STENVERS, ESTUDAM RESPECTIVAMENTE QUE


OSSOS ?
(A) ESCAFÓIDE, ESCÁPULA E MANDÍBULA
(B) ESCÁPULA, ESCAFÓIDE E MANDÍBULA
(C) MANDÍBULA, ESCAFÓIDE E ESCÁPULA
(D) ESCAFÓIDE, MANDÍBULA E ESCÁPULA
(E) ESCAFÓIDE, ESCÁPULA E TEMPORAL
GABARITO:

1671 – B
1671 .”O POSICIONAMENTO RADIOGRÁFICO REQUER UM CONHECIMENTO DAS VARIAÇÕES
COMUNS DA FORMA DO CORPO (BIOTIPO)”.
DE ACORDO COM O DESCRITO ACIMA, RELACIONE A COLUNA DA DIREITA À DA ESQUERDA E, EM
SEGUIDA, ASSINALE A ALTERNATIVA CORRETA:

I – REPRESENTAAS PESSOAS MAIS PRÓXIMAS DA MÉDIA, ( ) ASTÊNICO


MAS LIGEIRAMENTE ATARRACADAS E FEQUENTEMENTE
MAIS MUSCULOSAS.

II – BIOTIPO MAGRO MAIS EXTREMO (10% )COMUM A CAVIDADE


TORÁCICA ESTREITA E RASA, MAS COM UMA DIMENSÃO ( ) HIPOESTÊNICO
VERTICAL LONGA INDICANDO DIAFRAGMA BAIXO.

III – REPRESENTAAPENAS 5% DA POPULAÇÃO, BIOTIPO


MAIS “ATARRACADO”, MACIÇO. A CAVIDADE TORÁCICA
É LARGA E PROFUNDA DE FRENTE PARA TRÁS COM UMA ( ) ESTÊNICO
DIMENSÃO CURTA, INDICANDO UM DIAFRAGMA ALTO.

IV – REPRESENTA O BIOTIPO MAIS PRÓXIMO DA MÉDIA,


PORÉM MAIS MAGRO E ALGUMAS VEZES MAIS ALTO. ( ) HIPERESTÊNICO

(A) III – IV – I - II (B) II –I V – I - III (C) I – II – III – IV


(D) IV – III – II – I (E) III – I – II - IV
GABARITO:

1672 – C
1672 . QUAL É A INCIDÊNCIA GERALMENTE MAIS UTILIZADA NAS CRIANÇAS PARA VERIFICAR A
POSSIBILIDADE DE NECROSE ASSÉPTICA DO QUADRIL ( ENFERMIDADE DE LEGG-PERTHES-
1673 – D
CALVÉ ) E NOS CASOS DE LUXAÇÃO CONGÊNITA ?
(A) INCIDÊNCIA DE RÃ ( LOVENSTEIN)
(B) AP DE BACIA
(C) INCIDÊNCIA DE VAN ROSEN
(D) INCIDÊNCIA DE JUAN FARILL
(E) INCIDÊNCIA DE CHASSARD LAPIÑE

1673 – ASSINALE FALSO (F) OU VERDADEIRO (V) SOBRE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA (TC). A
SEGUIR, INDIQUE AOPÇÃO COM A SEQUÊNCIA CORETA.
( ) A TC ESPIRAL PRODUZ UM VOLUME INITERRUPTO E SEM ESPAÇOS, CHEGANDO ATÉ 100
SEÇÕES SUPERPOSTAS.
( ) EM PACIENTES DE TRAUMATOLOGIA, GERIATRIA OU PEDIATRIA É IMPORTANTE E
ESCLARECEDORAA TC ESPIRAL PELA CARACTERÍSTICA ESPECIAL DESSES PACIENTES.
( ) COM O PROGRAMA 3D, É OBSERVADO QUE AS ESTRUTURAS ANATÔMICAS SÃO ELIMINADAS,
PORÉM O PROGRAMA 2D PERMITE UMA MELHOR VISUALIZAÇÃO INTERNA DAS ESTRUTURAS
SUPERPOSTAS (ESTRUTURAS OCULTAS).
( ) NO PROGRAMA 3D, OS TUMORES SÃO DELIMITADOS EM RELAÇÃO AO TECIDO MOLE QUE OS
RODEIA.
(A) F – F –V – V (B) V – F – V – F (C) V – V – F – V (D) F – V – F – V (E) V – V – V - V
GABARITO:

1674 – A

1675 – B
1674 . A VISUALIZAÇÃO DOS TRÊS ARCOS CONCÊNTRICOS (SULCO TROCLEAR, CRISTAS DUPLAS
DO CAPÍTULO E DA TRÓCLEA E CHANFRADURA TROCLEAR DA ULNA) É INDICATIVO DE
CORREÇÃO EM QUAL POSICIONAMENTO DO COTOVEL?
(A) LATERAL VERDADEIRA
(B) ROTAÇÃO MEDIAL (INTERNA)
(C) ROTAÇÃO LATERAL (EXTERNA)
(D) INCIDÊNCIA EM FLEXÃO AGUDA
(E) AP EM EXTENSÃO MÁXIMA

1675 – NA ANATOMIA DO CRÂNIO DO LATENTE, SÃO OBSERVADAS 6 FONTANELAS. QUAIS AS DUAS


FONTANELAS QUE SE FECHAM LOGO APÓS O NASCIMENTO?
(A) ANTERIOR E POSTERIOR
(B) ESFENÓIDE E MASTÓIDE
(C) MASTÓIDE E ANTERIOR
(D) POSTERIOR E ESFENÓIDE
(E) MASTÓIDE E POSTERIOR
GABARITO:

1676 – C
1676 . A INCIDÊNCIA ADEQUADA PARA O ESTUDO DAS MASTÓIDES DEPENDE MUITO DA INDICAÇÃO
CLINICA.NÃO ADIANTA EFETUAR AS INCIDÊNCIAS QUANDO AS ESTRUTURAS PRINCIPAIS DO– B
1677
EXAME NÃO SÃO VISUALIZADAS. SENDO ASSIM, ASSINALE A ALTERNATIVA QUE DEVE SER
UTILIZADA COMO ROTINA PARA OS CASOS DE DIMINUIÇÃO DE ACUIDADE AUDITIVA
(HIPOACUSIA), LABIRINTITE E ZUMBIDOS, TODOS COM SUSPEITA DE LESÃO DO NERVO
ACÚSTICO (NEURINOMA).
(A) TRANSORBITÁRIA UNILATERAL DE GUILLEN
(B) AXIAL DE WORMS-BRETON
(C) OBLIQUA DE STENVERS BILATERAL
(D) OBLIQUA DE CHAUSSÉ III
(E) SHULLER BILATERAL

1677 – NÃO É CONTRA-INDICAÇÃO À COMPRESSÃO URETRAL DURANTE EXAME DE UROGRAFIA


EXCRETORA OU INTRAVENOSA:
(A) TRAUMATISMO AGUDO DO ABDOME
(B) POSÍVEL CÁLCULO NO RIM
(C) ANEURISMA DA AORTA ABDOMINAL
(D) CIRURGIA ABDOMINAL RECENTE
(E) PACIENTE TRANSPLANTADO DE RIM
GABARITO:

1678 – B
1678 . QUAL INCIDÊNCIA DEMONSTRARÁ MELHOR O ESPAÇO ENTRE O 1º E O 2º METATARSIANOS,
ENTRE O 1º E O 2º CUNEIFORMES E O NAVICULAR ? 1679 – A
(A) OBLIQUA MEDIAL DO PÉ (30º A 45º COM O FILME)
(B) OBLIQUA LATERAL ALTERNATIVA DO PÉ (30º COM O FILME) 1680 - A
(C) LATERAL DO PÉ
(D) AP DO PÉ
(E) AXIAL DE CALCÂNEO

1679 – NO MÉTODO DE CALDWELL, PARA RADIOGRAFIA DE CRÂNIO NA INCIDÊNCIA AXIAL PA, A


ANGULAÇÃO DO RAIO CENTRAL É :
(A) 15º CAUDAL
(B) 25º CAUDAL
(C) 25º CEFÁLICO
(D) 15º CEFÁLICO
(E) 45º CEFÁLICO

1680 - MARQUE A OPÇÃO CORRETA: QUANTOS DUCTOS EXISTEM NO PÂNCREAS:


(A) 1 (UM)
(B) 2 (DOIS)
(C) 3 (TRÊS)
(D) INÚMEROS
(E) NENHUM. POIS É UMA GLÂNDULA ENDÓCRINA.
GABARITO:

1681 – C
1681 . NO ESTUDO RADIOLÓGICO DA COLUNA TORÁCICA, PARA MELHOR VISUALIZAR A
ARTICULAÇÃO ZIGAPOFISÁRIA DIREITA EM SUA PORÇÃO SUPERIOR, DEVEMOS UTILIZAR
1682 – B
QUAL INCIDÊNCIA ?
(A) OPE A 45º 1683 - A
(B) OAD A 70º
(C) OPE A 70º
(D) OAD A 45º
(E) OAD A 20º

1682 – ASSINALE A ALTERNATIVA EM QUE UM DOS OSSOS COMPÕE O ASSOALHO DO CRÂNIO.


(A) FRONTAL (B) TEMPORAL (C) PARIETAL (D) OCCIPITAL (E) ETMÓIDE

1683 – QUANDO UMA PARTÍCULA CARREGADA ALFA OU BETA PASSA PERTO DE UM ÁTOMO, AS
FORÇAS ELETROSTÁTICAS ATUAM ENTRE ELAS E OS ELÉTRONS ORBITAIS. SE A PARTÍCULA
PASSA MUITO PERTO, PODE ACONTECER QUE UM DOS ELÉTRONS ADQUIRA ENERGIA
SUFICIENTE PARA SEPARAR-SE DO ÁTOMO. COMO É CHAMADO ESTE PROCESSO ?
(A) IONIZAÇÃO
(B) EFEITO ANÓDIO
(C) RADIAÇÃO ELETROMAGNÉTICA
(D) EMISSÃO DE PARTÍCULAS
(E) EFEITO JOULE
GABARITO:

1684 – D
1684 . ASSINALE A ALTERNATIVA CUJO MÉTODO UTILIZA, COMO ROTINA PARA ESCOLIOSE DA
COLUNA VERTEBRAL, DUAS RADIOGRAFIAS – UM AP EM ORTOSTATÍSMO BÁSICO E OUTRA1685 – D
COM O PÉ OU QUADRIL DO LADO CONVEXO DA CURVA ELEVADO – PARA IDENTIFICAR CURVA
DEFORMANTE (PRIMÁRIA) DA CURVA COMPENSTÓRIA.
(A) MÉTODO DE JUD
(B) MÉTODO DE FUCH
(C) MÉTODO DE TWNING
(D) MÉTODO DE FERGUNSON
(E) MÉTODO E TOWNE

1685 – PARA REALIZAR O ESTUDO BÁSICO DE TÓRAX DE UM PACIENTE DO SEXO MASCULINO DE


75 ANOS, QUE TENHA CHEGADO AO SERVIÇO DE RADIOLOGIA DEAMBULANDO
NORMALMENTE, CUJA INDICAÇÃO CLÍNICA DO PEDIDO SEJA TOSSE PRODUTIVA E FEBRE,
DEVEMOS FAZER QUAIS INCIDÊNCIAS PARA O SEU ESTUDO RADIOLÓGICO ?
(A) AP, LATERAL ESQUERDA E ÁPICO- LORDÓTICA
(B) AP E LATERAL ESQUERDA
(C) PA E DECÚBITO LATERAL DIREITO COM FEIXE HORIZONTAL
(D) PA E LATERAL ESQUERDA
(E) AP, PA E ÁPICO-LORDÓTICA
GABARITO:

1686 – B
1686 . “PARA SE REALIZAR DETERMINADAS INCIDÊNCIAS, É PRECISO TER A NOÇÃO DO TIPO DE
FRATURA A SER RADIOGRAFADA” DE ACORDO COM ESSA AFIRMATIVA, RELACIONE AS
COLUNAS ABAIXO. A SEGUIR, INDIQUE A OPÇÃO COM A SEQUÊNCIA CORRETA. ALGUNS
NÚMEROS PODERÃO SER UTILIZADOS MAIS DE UMA VEZ E OUTROS PODERÃO NÃO SER
USADOS.
1 – FRATURA EM GALHO VERDE
2 – FRATURA EM ESPIRAL
3 – FRATURA EM LASCAS
4 – FRATURA SEGUIMENTAR

( ) FRATURA INCOMPLETA EM APENAS UM LADO


( ) FRATURA DUPLA COM DUAS LINHAS DE FRATURA ISOLANDO UM SEGMENTO DISTINTO DO
OSSO
( ) FRATURA EM FRAGMENTOS FINOS E PONTIAGUDOS
( ) FRATURA EM A CORTICAL DE UM LADO DO OSSO É ROMPIDA E O OUTRO LADO SE CURVA
( ) É UMA FRATURA COMINUTIVA
(A) 1 – 4 - 3 – 3 - 2
(B) 1 – 4 – 3 – 1 - 3
(C) 4 – 2 – 1 – 1 - 2
(D) 4 – 2 – 1 – 3 - 4
(E) 3 – 3 – 1 – 1 - 4
GABARITO:

1687 – C
1687 . EM RELAÇÃO À ANATOMIA DO ENCÉFALO É CORRETO AFIRMAR:
(A) O ROMBOENCÉFALO ESTÁ LOCALIZADO CENTRALMENTE ENTRE O HIPOTÁLAMO 1688 – B
SUPERIORMENTE E A PONTE INFERIORMENTE
(B) O MESENCÉFALO CONSISTE EM 3 PARTES: TELENCÉFALO, TÁLAMO E HIPOTÁLAMO 1689 - D
(C) A COMBINAÇÃO DO MESENCÉFALO, PONTE E BULBO CONSISTEM O TRONCO CEREBRAL
(D) O PROSENCÉFALO CONSISTE EM 3 PARTES: CEREBELO,PONTE E BULBO
(E) O CÉREBRO É COMPOSTO PELO ENCÉFALO E MEDULA

1688 – ASSINALE A ALTERNATIVA QUE COMPLETA CORRETA E RESPECTIVAMENTE AS LACUNAS EM


“QUANTO MAIOR A DIFERENÇA______________PARA UMA MESMA DIFERENÇA DE EXPOSIÇÃO
SERÁ_______________________”.
(A) DA VELOCIDADE; O CONTRASTE
(B) DAS DENSIDADES ÓPTICAS; O CONTRASTE
(C) A VELOCIDADE; A LATITUDE
(D) DAS DENSIDADES ÓPTICAS; A VELOCIDADE
(E) A VELOCIDADE; A VELOCIDADE

1689 – APÓS REALIZAR A INCIDÊNCIA LATERAL DE COLUNA CERVICAL DE UM PACIENTE


POLITRAUMATIZADO EM DECÚBITO DORSAL, O TÉCNICO NÃO CONSEGUIU VISUALIZAR C7,
UTILIZOU ENTÃO, A INCIDÊNCIA :
(A) OBLIQUA (C) LATERAL TRACIONANDO OS MEMBROS SUPERIORES
(B) LATERAL COM FEIXE HORIZONTAL (D) LATERAL DO NADADOR
(E) TRANS-ORAL
GABARITO:

1690 – D
1690 . O TÉCNICO HENRIQUE, AO RECEBR UMA SOLICITAÇÃO DE EXAME NA INCIDÊNCIA AXIAL
LATERAL PARA MANDÍBULA, CHAMOU UM ESTAGIÁRIO E EXPLICOU-LHE PASSO A PASSO O– B
1691
QUE IRIA REALIZAR. SENDO ASSIM, INFORME SE É FALSO (F) OU VERDADEIRO (V) O QUE SE
AFIRMA ABAIXO E, A SEGUIR, INDIQUE A OPÇÃO CORRETA.
( ) PACIENTE COM A CABEÇA NA POSIÇÃO LATERAL VERDADEIRA DEMONSTRA MELHOR MENTO
( ) PACIENTE FAZENDO ROTAÇÃO DA CABEÇA DE 30º EM DIREÇÃO AO FILME DEMONSTRA
MELHOR O RAMO
( ) PACIENTE FAZENDO ROTAÇÃO DA CABEÇA DE 45º EM DIREÇÃO AO FILME DEMONSTRA
MELHOR O CORPO DA MANDIBULA
( ) ROTAÇÃO DE 10º A 15º DA CABEÇA É USADA PARA ESTUDO GERAL DA MANDIBULA
(A) F – V – F - F
(B) V – F – F - V
(C) F – F – V - F
(D) F – F – F - V
(E) V – V – F – F

1691 – CALCULE A CORRENTE DE ELÉTRONS EM AMPÉRES, EM UM TUBO DE


RADIOTERAPIA,CONSIDERANDO QUE O POTENCIAL APLICADO EM VOLTS É DE 100 Kv E A
POTÊNCIA DISSIPADA NO ALVO É DE 300 W.
(A) 1,5 A (B) 0,03 A (C) 3 A (D) 0,15 A (E) 0,003 A
GABARITO:

1692 – A
1692 . “ PACIENTE SENTADO SOBRE A MESA DE EXAME EM HIPERFLEXÃO COM RAIO VERTICAL
INCIDINDO AO NÍVEL DA REGIÃO SACROLOMBAR, ONDE O PACIENTE DEVE ENCOSTAR 1693
O – C
TÓRAX SOBRE OS FÊMURES “. QUAL POSIÇÃO FOI DESCRITA ACIMA, SABENDO-SE QUE É
UTILIZADA PARA O ESTUDO DA REGIÃO RETO-SIGMÓIDE NO CLISTER OPACO ?
(A) CHASSARD-LAPIÑÉ
(B) MOUTHIER
(C) PAYER
(D) BALLI
(E) OTONELLO

1693 – EM RELAÇÃO AO EXAME DE RESSONÂNCIA NUCLEAR MAGNÉTICA É INCORRETO AFIRMAR


QUE:
(A) PODE SER REPETIDO VÁRIAS VEZES SEM PROBLEMAS PARA O PACIENTE, DESDE QUE ELE NÃO
APRESENTE NENHUMA CONTRA-INDICAÇÃO AO MÉTODO
(B) APRESENTA IMAGENS NOS PLANOS AXIAL, CORONAL, SAGITAL E OBLIQUO
(C) PRODUZ RADIAÇÃO IONIZANTE EM ESCALA MENOR QUE A TOGRAFIA COMPUTADORIZADA
(D) APRESENTA RESOLUÇÃO DE CONTRASTE DE TECIDO MOLE BEM SUPERIOR EM RELAÇÃO À
TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA
(E) HÁ NECESSIDADE DO PACIENTE RETIRAR SEUS PERTENCES METÁLICOS ANTES DA EXECUÇÃO
DO EXAME
GABARITO:

1694 – D
1694 . DURANTE A FLUOROSCOPIA DO INTESTINO GROSSO EM UMA CRIANÇA, É INCORRETO
AFIRMAR QUE:
(A) É NECESSÁRIO REALIZAR INCIDÊNCIA DE AP EM DECÚBITO DORSAL DO ABDOME ANTES DE
INICIAR A FLUOROSCOPIA
(B) AS GÔNADAS NÃO PODEM SER PROTEGIDAS DURANTE UM EXAME DE FLUOROSCÓPICO DO
INTESTINO GROSSO
(C) A INCIDÊNCIA AP EM DECÚBITO DORSAL, PÓS-REDUÇÃO DE INTUSSUSCEPÇÃO (APÓS ENEMA
DE AR OU BARITADO), VAI DEPENDER DO CONTRASTEUSADO
(D) ASSIM COMO NOS EXAMES REALIZADOS EM ADULTOS, DEVEMOS FAZER MUITAS
RADIOGRAFIAS DE ACOMPANHAMENTO AO FIM DA FLUOROSCOPIA
(E) É INDISPENSSÁVEL QUE AO FINAL DO EXAME, EM ATENDIMENTO A ESPECIFICAÇÃO CLÍNICA
DIRECIONADA PARA TAL, A CRIANÇA SEJA COLOCADA SENTADA SOBRE A MESA DE EXAMES
EM HIPERFLEXÃO E QUE O RAIO CETRAL INCIDA AO NÍVEL DA REGIÃO LOMBOSACRA, ONDE A
CRIANÇA DEVERÁ ENCOSTAR O TÓRAX SOBRE OS FÊMURES FAVORECENDO ASSI M A
REALIZAÇÃO DA INCIDÊNCIA PARA ESTUDAR A REGIÃO RETO-SIGMÓIDE (INCIDÊNCIA DE
CHASSARD LAPIÑÉ)
GABARITO:

1695 – B
1695 . OS MÉTODOS ESPECIAIS DE EXAMES RADIOLÓGICOS, INDICADOS PARA QUANDO O
PACIENTE NÃO CONSEGUE ESTENDER TOTALMENTE O COTOVELO PRA A REALIZAÇÃO1696
DE – B
OBLIQUA MEDIAL OU LATERAL E TAMBÉM NÃO CONSEGUE ESTENDER O MEMBRO SUPERIOR
PARA A INCIDÊNCIA AP DO MESMO, SÃO RESPECTIVAMENTE :
(A) MÉTODO DE GAYNER-HEART E MÉTODO DE STECHER MODIFICADO
(B) MÉTODO DE COYLE E MÉTODO DE JONES
(C) LATERAIS DE CABEÇA DO RÁDIO E MÉTODODE WEST-POINT
(D) MÉTODO DE JONES E MÉTODO DE ROBERT
(E) MÉTODO DE COURT E MÉTODO DE LAVOISIEUR

1696 – EM RELAÇÃO AO EXAME DE RESSONÂNCIA NUCLEAR MAGNÉTICA É CORRETO AFIRMAR


QUE:
(A) NÃO DEVE SER REPETIDO, POIS O PACIENTE NÃO DEVE SER EXPOSTO A RADIAÇÃO IONIZANTE
EM EXCESSO
(B) APRESENTA IMAGENS NOS PLANOS AXIAL, CORONAL, SAGITAL E OBLIQUO
(C) PRODUZ RADIAÇÃO IONIZANTE EM ESCALA MENOR QUE A TOGRAFIA COMPUTADORIZADA
(D) APRESENTA RESOLUÇÃO DE CONTRASTE DEFICITÁRIA, POR ISSO AS IMAGENS DE PARTES
MOLES DEVEM SER ESTUDADAS ATRAVÉS DE OUTRO MÉTODO DE AQUISIÇÃO DE IMAGEM
(E) NÃO HÁ NECESSIDADE DO PACIENTE RETIRAR SEUS PERTENCES METÁLICOS ANTES DA
EXECUÇÃO DO EXAME
GABARITO:

1697 – A
1697 . ASSINALE FALSO (F) OU VERDADEIRO (V). A SEGUIR, INDIQUE A OPÇÃO COM A SEQUÊNCIA
CORRETA. 1698 – A
( ) O GERADOR DE ELÉTRONS DE UM TUBO DE RAIOS X É NORMALMENTE FEITO DE TUNGSTÊNIO,
DEVIDO AO SEU ALTO PONTO DE FUSÃO, QUE É DE 3280º C
( ) OS FÓTONS DE BAIXA ENERGIA SÃO ABSORVIDOS PELO PRÓPRIO VIDRO DA AMPOLA
( ) O FEIXE PRIMÁRIO DE RAIOS X EMITIDOS DO ALVO, NÃO TEM NECESSÁRIAMENTE QUE PASSAR
ATRAVÉS DA PAREDE DE VIDRO DA AMPOLA, DO ÓLEO E DE OUTROS MATERIAIS ANTES DE
SAIR TOTALMENTE DO SISTEMA DA AMPOLA
( ) O ANODO GIRA DE 3500 A 8300 ROTAÇÕES / MIN, AUMENTANDO ASSIM A ÁREA DO FOCO ONDE É
DISSIPADO O CALOR
(A) F -V – F – F (B) V – F – V – F (C) F – F – F – V (D) V – V – V – V (E) F – F – F - F

1698 – O MÉTODO DE GAYNER-HEART PARA ESTUDO DE SINDROME DO TÚNEL DO CARPO, É


REALIZADO DA SEGUINTE FORMA :
(A) ANGULAR O RAIO CENTRAL 25º A 30º, COM O EIXO LONGITUDINAL DA MÃO
(B) ANGULANDO O RAIO CENTRAL EM 10º COM O EIXO LONGITUDINAL DA MÃO
(C) RODAR O PUNHO E A MÃO EM CERCA DE 15º INTERNAMENTE
(D) ORIENTAR O RAIO CENTRAL PARA UM PONTO APROXIMADAMENTE 5 CM PRÓXIMO À BASE DO
4º METACARPIANO
(E) ORIENTAR O RAIO CENTRAL PERPENDICULARMENTE TANGENCIANDO A BASE DA MÃO
GABARITO:

1699 – B
1699 . EM RELAÇÃO A CIRCULAÇÃO PULMONAR PODEMOS AFIRMAR QUE :
(A) O SANGUE DESOXIGENADO CHEGA AO ÁTRIO ESQUERDO DO CORAÇÃO 1700 – C
(B) AS ARTÉRIAS PULMONARES SÃO AS ÚNICAS A TRANSPORTAR SANGUE DESOXIGENADO
(VENOSO) 1701 - C
(C) DO VENTRÍCULO DIREITO O SANGUE VAI PARA OS PULMÕES ATRAVÉS DAS VEIAS
PULMONARES
(D) DO ÁTRIO ESQUERDO O SANGUE OXIGENADO ATINGE A ARTÉRIA AORTA
(E) CHEGAM AO ÁTRIO DIEITO CINCO VEIAS PULMONARES TRAZENDO SANGUE DESOXIGENADO

1700 – EM RELAÇÃO AOS PLANOS QUE DIVIDEM O CORPO HUMANO, É CORRETO AFIRMAR QUE :
(A) O PLANO SAGITAL DIVIDE O CORPO HUMANO EM PORÇÕES SUPERIOR E INFERIOR
(B) O PLANO CORONAL DIVIDE O CORPO HUMANO EM PARTES DIREITA E ESQUERDA
(C) SÃO PLANOS IMAGINÁRIOS QUE ATRAVESSAM O CORPO HUMANO NA POSIÇÃO ANTÔMICA
(D) O PLANO HORIZONTAL DIVIDE O CORPO HUMANO EM PARTES ANTERIOR E POSTERIOR
(E) O PLANO MEDIANO SAGITAL DIVIDE O CORPO HUMANO EM PARTES ANTERIOR E POSTERIOR

1701 – OS FORAMES INTERVERTEBRAIS SÃO MAIS BEM VISUALIZADOS NO ESTUDO RADIOLÓGICO


DA COLUNA LOMBAR NA INCIDÊNCIA DE :
(A) AP VERDADEIRO
(B) OBLIQUA ANTERIOR
(C) LATERAL VERDADEIRA
(D) OBLIQUA POSTERIOR
(E) FERGUNSON
GABARITO:

1702 – B
1702 . COM RELAÇÃO AS DOSES MÁXIMAS PERMISSÍVEIS (DMP), TANTO PARA O TRABALHADOR
COM RADIAÇÕES IONIZANTES, COMO TAMBÉM PARA O PÚBLICO EM GERAL, ASSINALE1703A – A
ALTERNATIVA INCORRETA.
(A) AS DOSES MÁXIMAS PERMISSÍVEIS NÃO DEVEM SER EXCEDIDAS EM UM PERIODO DE 1 ANO,
MAS A DOSE EM UM TRIMESTRE DO ANO PODE SER, NO MÁXIMO, A METADE DO VALOR
PERMISSÍVEL PARA O ANO TODO
(B) PARA O CORPO TODO, GÔNADAS E ÓRGÃOS FORMADORES DE SANGUE, A DOSE MÁXIMA
PERMISSÍVEL, EM UM TRIMESTRE, É DE 2 R DESDE QUE A DOSE NOS ÚLTIMOS 12 MESES NÃO
EXCEDA A 5 R
(C) SE NÃO FOR CONHECIDA A DOSE ANTERIORMENTE ACUMULADA POR UM TRABALHADOR COM
RADIAÇÕES IONIZANTES, ADMITE-SE QUE ESTE TRABALHADOR RECEBEU A DOSE MÁXIMA
PERMISSÍVEL
(D) O FETO DE MULHERES GRÁVIDAS, TRABALHADORAS COM RADIAÇÕES IONIZANTES, NÃO PODE
RECEBER UMA DOSE MAIOR QUE 1 R
(E) A DOSE MENSAL MÁXIMA PERMISSÍVEL PARA PROFISSIONAIS TÉCNICOS EM RADIOLOGIA
ATUANDO REGULARMENTE COM RADIAÇÕES IONIZANTES É DE 100 mR

1703 – NA ROTINA PARA EXAME DE UROGRAFIA EXCRETORA EM PACIENTES DO SEXO MASCULINO


COM MAIS DE 45 ANOS, DEVE-SE ADICIONAR À ROTINA BÁSICA A(S) INCIDÊNCIA(S) :
(A) OBLIQUAS DE BEXIGA (COM BEXIGA CHEIA)
(B) AP DE BEXIGA COM 5 MINUTOS
(C) PANORÂMICA DE ABDOME EM PA COM 25 MINUTOS
(D) NEFROTOMOGRAFIA COM COMPRESSÃO URETRAL
(E) PERFIL DE BEXIGA PÓS MIXIONAL
GABARITO:

1704 – C
1704 . ASSINALE A ALTERNATIVA INCORRETA.
(A) CERTAS SUBSTÂNCIAS, SE SUBMETIDAS A ALGUM ESTÍMULO (LUZ, IONIZAÇÃO, CALOR...),
1705 – B
PODEM CONVERTER ENERGIA EM RADIAÇÃO ELETROMEGNÁTICA, NO INTERVALO DO
ESPÉCTRO DA LUZ VISÍVEL
(B) FLUORESCÊNCIA É O FENÔMENO DE LUMINESCÊNCIA QUE OCORRE EM UM INTERVALO DE
TEMPO DE 10-8 SEGUNDOS
(C) FOSFORESCÊNCIA É O FENÔMENO DE LUMINESCÊNCIA QUE OCORRE EM UM INTERVALO DE
-8
TEMPO MENOR QUE 10 SEGUNDOS
(D) A QUANTIDADE DE LUZ EMITIDA É PROPORCIONAL A QUANTIDADE DE RAIOS X ABSORVIDA
PELAS TELAS INTENSIFICADORAS E FLUORESCÊNTES E, PORTANTO, PROPORCIONAL À
EXPOSIÇÃO RECEBIDA
(E) A RADIAÇÃO X TEM COMPRIMENTO DE ONDA MUITO PEQUENO POR ISSO É INVISÍVEL

1705 – SÃO PRINCÍPIOS PRECONIZADOS POR BONTRAGER PARA REALIZAÇÃO DE EXAMES EM


PACIENTES POLITRAUMATIZADOS, EXCETO :
(A) SEMPRE QUE POSSÍVEL, REALIZAR DUAS INCIDÊNCIAS QUE FORMEM 90º ENTRE SI
(B) OS EXAMES DE ABDOME SEMPRE DEVEM INCLUIR INCIDÊNCIAS EM AP, PA E PERFIL CO RAIOS
HORIZONTAIS
(C) INCLUIR TODA ESTRUTURA OU ÁREA DO TRAUMATÍSMO NO FILME
(D) EM SUSPEITA DE LESÃO VERTEBRAL, A CABEÇA E O PESCOÇO NÃO DEVEM SER ELEVADOS
(E) INDEPENDENTE DAS REGIÕES LESIONADAS, O PACIENTE DEVE SER TRANSPORTADO PARA A
MESA DE EXAMES PARA ENTÃO DAR INÍCIO DO ESTUDO RADIOLÓGICO SOLICITADO
GABARITO:

1706 – A
1706 . ASSINALE A ALTERNATIVA INCORRETA
(A) NO MÉTODO DE GARTH (INCIDÊNCIA AXIAL OBLIQUA APICAL), UTILIZA-SE O RAIO CENTRAL
1707A– C
45º CEFÁLICOS E SÃO BEM DEMONSTRADOS A CABEÇA DO ÚMERO E A CAVIDADE GLENÓIDE
(B) O MÉTODO DE FISK (INCIDÊNCIA TANGENCIAL) DEMONSTRA OS TUBÉRCULOS UMERAIS E O
SULCO INTERTUBERCULAR EM PERFIL NÃO ENCUBERTOS POR OUTRAS ESTRUTURAS
(C) NA INCIDÊNCIA AP AXIAL PARA CLAVÍCULA, O RAIO CENTRAL DEVE SER ANGULADO DE 15º A
30º CEFÁLICOS, NO MEIO DA CLAVICULA
(D) O MÉTODO DE LAWRENCE (INCIDÊNCIA AXIAL LATERAL INFERO-SUPERIOR), QUANDO FEITA
COM ROTAÇÃO EXAGERADA, DEMONSTRA O DEFEITO DE HILL-SACHS
(E) QUANDO DO ESTUDO DA ARTICULAÇÃO ESCÁPULO-UMERAL PARA VERIFICAÇÃO DE
PERITENDINITE CALCIFICADA, DEVE-SE INCLINAR O RAIO CENTRAL PODÁLICAMENTE CERCA
DE 15º A 20º

1707 – ASSINALE A ALTERNATIVA QUE COMPLETA CORRETA E RESPECTIVAMENTE AS LACUNAS


EM “A INCIDÊNCIA AXIAL PA DE JOELHO (TUNEL VIEW), PODE SER REALIZADA EM DECÚBITO
VENTRAL PELO MÉTODO DE _______E, DE JOELHOS, PELO MÉTODO DE______COM FLEXÃO
DO MEMBRO DE _____________”.
(A) HOLMBLAD – 60º A 70º - HUGSTON – 50º A 55º
(B) HUGSTON – 50º A 55º - HOLMBLAD – 60º A 70º
(C) CAMP COVENTRY – 40º A 50º - HOLMBLAD – 60º A 70º
(D) CAMP COVENTRY – 40º A 55º - HUGSTON – 60º A 65º
(E) CAMP COVENTRY – 40º A 55º - HUGSTON – 50º A 55º
GABARITO:

1708 – A
1708 . O TÉCNICO JÃO PAULO REALIZARÁ UM EXAME DAS ARTICULAÇÕES
ACRÔMIOCLAVICULARES COM PESOS (STRESS) DE UM PACIENTE ONDE JÁ FOI DESCARTADA1709 – A
A PRESENÇA DE FRATURAS EM UM EXAME ANTERIOR. QUAL O PROCEDIMENTO QUE O
TÉCNICO NAÕ DEVERÁ FAZER PARA CONCLUIR SEU EXAME DENTRO DA TÉCNICA EXIGIDA ?
(A) SOLICITAR QUE O PACIENTE SEGURE OS PESOS COM SUAS MÃOS
(B) EM PACIENTES MENORES OU ASTÊNICOS, UTILIZAR PESOS DE NO MÍNIMO 3,6 A 4,5 KG POR
MEMBRO
(C) EM PACIENTES ADULTOS GRANDES, UTILIZAR PESOS DE NO MÍNIMO 4,5 A 7 KG POR MEMBRO
(D) APLICAR A DISTÂNCIA FOCO-FILME DE 1:80 CM
(E) OBSERVAR PARA QUE O PACIENTE ESTEJA COM O PLANO MEDIANO SAGITAL COINCIDINDO
COM A LINHA CENTRAL DA ESTATIVA

1709 – NO EFEITO FOTOELÉTRICO, O FOTON DE RAIOS X PREFERENCIALMENTE ATIGE NO ÁTOMO.


(A) O ELÉTRON DA CAMADA MAIS INTERNA (K)
(B) O ELÉTRON DA CAMADA MAIS EXTERNA
(C) UM DOS PROTONS
(D) UM DOS NEUTROS
(E) UM PÓSITRON
GABARITO:

1710 – B
1710 . NO ESPALHAMENTO COMPTON (ESTUDADO POR ARTHUR COMPTON) O FOTON DE RAIOS X
ATINGE ELÉTRON DE CAMADA MAIS EXTERNA. A ENERGIA DA RADIAÇÃO (SECUNDÁRIA)
EMERGENTE DO ÁTOMO ATINGIDO, SERÁ PRODUTO DA INFLUÊNCIA:
(A) DO NUMERO ATÔMICO DO ÁTOMO ATINGIDO
(B) DA ENERGIA DO FOTON INCIDENTE (QUE ATINGIU O ÁTOMO)
(C) DO RAIO ATÔMICO DO ÁTOMO ATINGIDO
(D) DA ENERGIA DE LIGAÇÃO DO ELÉTRON ATINGIDO
(E) NÃO EXISTE INFLUÊNCIA DE NENHUMA DAS OPÇÕES OFERECIDAS
GABARITO

1- B 21- C 41- E 61- B 81 - B 101 - D 121 - C 141 - D 161 - D 181 - D


2- B 22- A 42- A 62- E 82 - D 102 - D 122 - A 142 - E 162 - A 182 - E
3- B 23- C 43- C 63- C 83 - A 103 - B 123 - E 143 - D 163 - C 183 - C
4 -A 24- C 44- A 64- D 84 - A 104 - B 124 - B 144 - E 164 - B 184 - A
5- C 25- D 45- C 65- E 85 - B 105 - D 125 - E 145 - B 165 – B 185 - B
6- D 26- D 46- B 66 -C 86 - A 106 - C 126 - C 146 - D 166 - C 186 - D
7- B 27- D 47- D 67- B 87 - A 107 - A 127 - D 147 - C 167 - D 187 - B
8- D 28- B 48- D 68- D 88 - B 108 - C 128 - C 148 - D 168 - D 188 - A
9- C 29- D 49- A 69- D 89 - D 109 - A 129 - B 149 - D 169 - E 189 –B
10- A 30- B 50- D 70- C 90 - B 110 - B 130 - D 150 - B 170 - E 190 - D
11- A 31- A 51- B 71- C 91 - E 111 - E 131 - C 151 - C 171 - C 191 - E
12- B 32- B 52- A 72- C 92 - A 112 - E 132 - B 152 - C 172 - E 192 - D
13- A 33- D 53- D 73- C 93 - A 113 - E 133 - D 153 - E 173 - A 193 - B
14- B 34- D 54- C 74- C 94 - A 114 - B 134 - E 154 - A 174 - D 194 - A
15- B 35- A 55- A 75- B 95 - C 115 - C 135 - C 155 - B 175 - A 195 - C
16- B 36- D 56- E 76- C 96 - A 116 - D 136 - C 156 - A 176 - B 196 - E
17- E 37- A 57- A 77- B 97 - B 117 - B 137 - D 157 - A 177 - B 197 - E
18- B 38- B 58- B 78- D 98 - A 118 - C 138 - D 158 - A 178 - D 198 - A
19- C 39- E 59- E 79- D 99 - D 119 - D 139 - C 159 - E 179 - B 199 - D
20- B 40- A 60- A 80- C 100–B 120 - B 140 - D 160 - B 180 - D 200 - C
GABARITO

201 - E 221 - E 241 - C 261 – B 281 - E 301 - C 321 - C 341 - D 361 - B 381 – A
202 - D 222 - E 242 - B 262 - C 282 - D 302 - B 322 - B 342- D 362 - C 382 - B
203 - A 223 - B 243 - D 263 - E 283 - E 303 - D 323 - A 343- B 363 - B 383 - E
204 - C 224 - C 244 - C 264 - E 284 - C 304 - A 324 - C 344- B 364 - E 384 - B
205 - B 225 - D 245 - B 265 - B 285 – E 305 - E 325 - A 345- B 365 - A 385 - B
206 - E 226 - C 246 - E 266 - C 286 - E 306 - E 326 - C 346- B 366 - D 386 - B
207 - E 227 - A 247 - D 267 - A 287 - B 307 - D 327 - C 347- B 367 - D 387 - E
208 - B 228 - D 248 - D 268 - D 288 - C 308 - D 328 - A 348- B 368 - D 388 - B
209 - A 229 - B 249 - A 269 - D 289 - A 309 – E 329 - D 349- C 369 - B 389 - A
210 - B 230 - E 250 - D 270 - B 290 - C 310 - A 330 - E 350- E 370 - E 390 - C
211 - B 231 - B 251 - B 271 - C 291 - B 311 - C 331 - B 351- A 371 - C 391 - A
212 - E 232 - B 252 - A 272 - E 292 - D 312 - B 332- A 352- B 372 - E 392 - D
213– C 233 - D 253 - B 273 - D 293 - E 313 - A 333 - B 353- D 373 - C 393 - D
214 - A 234 - A 254 - C 274 - D 294 - D 314 - C 334 - C 354- A 374 - E 394 - C
215 - C 235 - D 255 - B 275 - C 295 - A 315 - D 335 - D 355- C 375 - D 395 - E
216 - D 236 - C 256 - B 276 - E 296 - A 316 - B 336 - C 356- C 376 - D 396 - D
217 - E 237– B 257 - B 277 - E 297 - E 317 - D 337 - D 357- D 377 - C 397 - A
218 - B 238 - E 258 - D 278 - A 298 - A 318 - D 338 - D 358- E 378 - A 398 - D
219 - C 239 - A 259 - C 279 - E 299 - C 319 - E 339 - C 359- A 379 - C 399 - D
220 - E 240 - D 260 - A 280 - C 300 - B 320 - C 340 - E 360- D 380 - A 400 - B
GABARITO

401 - B 421 - B 441 - A 461- C 481 – D 501– E 521- D 541- C 561- D 581- C
402 - C 422 - E 442 - A 462– C 482 – C 502- A 522- B 542- C 562- A 582- A
403 - A 423 - B 443 - B 463– D 483 – C 503- C 523-B 543- E 563- C 583- E
404 - A 424 - C 444 - B 464– E 484 – A 504- E 524- A 544- E 564- D 584- B
405 - C 425 - A 445 - B 465– C 485 – E 505- B 525- B 545- A 565- A 585- B
406 - D 426 - C 446 - C 466- A 486 – E 506- C 526- D 546- C 566- E 586- A
407 - D 427 - C 447 - B 467– D 487 – B 507- D 527- B 547- D 567- A 587- C
408 - A 428 - A 448 - A 468– B 488 – A 508- C 528- A 548- A 568- D 588- D
409 - B 429 - B 449 - A 469– C 489 – B 509- C 529- D 549-A 569- A 589- A
410 - C 430 - B 450 - B 470– B 490 – C 510- C 530- C 550- C 570- C 590- C
411 - D 431 - A 451– D 471– A 491 – A 511- C 531- D 551- C 571- A 591- A
412 - A 432 - B 452 --D 472– A 492 – C 512- D 532- A 552- A 572- E 592- C
413 - C 433 - A 453 –E 473– C 493 – A 513- D 533- C 553- D 573- C 593- D
414 - D 434 - C 454 – E 474– A 494 – C 514- D 534- A 554- A 574- A 594- C
415 - D 435 - B 455 – E 475– D 495 - A 515- D 535- A 555-C 575- B 595- B
416 - A 436 - B 456 - B 476– D 496 - C 516- B 536- C 556- D 576- D 596- A
417 - D 437 - D 457- A 477– B 497 - D 517- B 537- E 557- D 577- D 597- B
418 - C 438 - B 458– D 478 - D 498 - D 518- B 538- D 558- B 578- B 598- B
419 - D 439 - D 459– D 479 - B 499 - B 519- D 539- B 559- E 579- E 599- A
420 - D 440 - A 460– E 480– C 500 - D 520- A 540- A 560- A 580- D 600- A
GABARITO

601- B 621- C 641- A 661- B 681- A 701- A 721- C 741- D 761- C 781- B
602- B 622- C 642- C 662- E 682- A 702- B 722- C 742- B 762- D 782- A
603- A 623- B 643-C 663- E 683- B 703- B 723- B 743- B 763- E 783- C
604- C 624- A 644- E 664- A 684- C 704- B 724- B 744- C 764- C 784- C
605- D 625- A 645- B 665- C 685- B 705- D 725- A 745- A 765- D 785- D
606- D 626- C 646- A 666- A 686- C 706- D 726- D 746- B 766- A 786- D
607- B 627- B 647- C 667- A 687- B 707- E 727- A 747- D 767- E 787- B
608- D 628- B 648- B 668- E 688- C 708- A 728- B 748- C 768- E 788- A
609- B 629- A 649- C 669- C 689- B 709- A 729- C 749- E 769- A 789- C
610- D 630- A 650- D 670- A 690- A 710- B 730- C 750- C 770- A 790- A
611- B 631- C 651- C 671- C 691- D 711- C 731- A 751- B 771- A 791- D
612- A 632- B 652- A 672- D 692- E 712- B 732- B 752- C 772- C 792- C
613- D 633- B 653- A 673- B 693- C 713- B 733- D 753- D 773- B 793- D
614- A 634- C 654- A 674- C 694- A 714- D 734- D 754- A 774- B 794- C
615- E 635- A 655- B 675- A 695- E 715- C 735- B 755- A 775- B 795- A
616- D 636- D 656- C 676- C 696- E 716- A 736- A 756- A 776- C 796- A
617- A 637- C 657- C 677- C 697- E 717- A 737- D 757- A 777- E 797- B
618- C 638-C 658- C 678- C 698- D 718- B 738- C 758- D 778- D 798- A
619- A 639- D 659- D 679- D 699- C 719- B 739- B 759- E 779- D 799- A
620 -A 640- A 660- B 680- E 700- B 720- A 740- C 760- E 780- B 800- B
GABARITO

801- C 821- D 841- B 861- C 881- B 901- C 921- B 941- D 961- A 981- E
802- A 822- C 842- B 862- C 882- C 902- C 922- C 942- D 962- C 982- C
803- C 823- E 843- A 863- D 883- B 903- E 923- D 943- C 963- C 983- C
804- A 824- E 844- C 864- E 884- B 904- D 924- B 944- D 964- E 984- B
805- A 825- C 845- D 865- C 885- D 905- C 925- D 945- C 965- A 985- B
806- C 826- A 846- E 866- B 886- D 906- C 926- B 946- B 966- A 986- E
807- E 827- B 847- B 867- C 887- C 907- E 927- D 947- A 967- B 987- A
808- D 828- A 848- E 868- B 888- B 908- B 928- C 948- C 968- D 988- A
809- D 829- B 849- B 869- B 889- B 909- E 929- C 949- C 969- A 989- B
810- D 830- D 850- D 870- B 890- B 910- D 930- D 950- D 970- B 990- C
811- A 831- C 851- B 871- A 891- D 911- D 931- C 951- C 871- D 991- A
812- B 832- B 852- C 872- E 892- D 912- E 932- E 952- A 972- A 992- A
813- A 833- C 853- A 873- A 893- E 913- D 933- E 953- C 973- C 993- A
814- A 834- C 854- C 874- D 894- D 914- D 934- C 954- E 974- A 994- D
815- A 835- C 855- B 875- A 895- C 915- C 935- E 955- D 975- E 995- D
816- C 836- B 856- C 876- D 896- B 916- A 936- B 956- D 976- E 996- D
817- A 837- E 857- B 877- C 897- D 917- B 937- A 957- B 977- E 997- C
818- D 838- C 858- A 878- B 898- B 918- B 938- B 958- D 978- D 998- A
819- D 839- A 859- A 879- A 899- B 919- D 939- C 959- C 979- B 999- E
820- A 840- A 860- C 880- D 900- D 920- E 940- C 960- E 980- B 1000- D
GABARITO

1001-D 1021- D 1041- D 1061- B 1081- D 1101- C 1121- E 1141- B 1161- C 1181- D
1002-B 1022- B 1042- D 1062- C 1082- E 1102- A 1122- B 1142- C 1162- C 1182- B
1003-B 1023- B 1043- C 1063- D 1083- B 1103- C 1123- D 1143- A 1163- D 1183- B
1004-D 1024- A 1044- B 1064- E 1084- C 1104- B 1124- B 1144- A 1164- B 1184- A
1005-D 1025- D 1045- D 1065- B 1085- A 1105- A 1125- D 1145- D 1165- A 1185- C
1006-D 1026- C 1046- D 1066- A 1086- C 1106- D 1126- B 1146- A 1166- D 1186- A
1007-C 1027- A 1047- B 1067- C 1087- A 1107- A 1127- D 1147- D 1167- B 1187- D
1008-B 1028- B 1048- D 1068- E 1088- D 1108- E 1128- A 1148- A 1168- C 1188- B
1009 A 1029- B 1049- B 1069- B 1089- A 1109- B 1129- D 1149- B 1169- C 1189- A
1010-C 1030- C 1050- C 1070- A 1090- D 1110- B 1130- D 1150- C 1170- B 1190- A
1011-C 1031- D 1051- D 1071- A 1091- B 1111- D 1131- B 1151- A 1171- C 1191- D
1012-B 1032- D 1052- D 1072- D 1092- C 1112- A 1132- D 1152- E 1172- D 1192- B
1013-A 1033- D 1053- B 1073- C 1093- D 1113- D 1133- C 1153- D 1173- A 1193- C
1014-A 1034- C 1054- D 1074- B 1094- A 1114- B 1134- B 1154- D 1174- A 1194- D
1015-D 1035- D 1055- C 1075- E 1095- E 1115- E 1135- A 1155- E 1175- D 1195- B
1016-D 1036- C 1056- D 1076- A 1096- A 1116- E 1136- D 1156- C 1176- B 1196- B
1017-A 1037- D 1057- A 1077- C 1097- B 1117- A 1137- B 1157- D 1177- C 1197- C
1018-C 1038- C 1058- C 1078- A 1098- A 1118- B 1138- C 1158- C 1178- D 1198- C
1019-B 1039- C 1059- E 1079- B 1099- A 1119- B 1139- D 1159- A 1179- B 1199 B
1020-C 1040- C 1060- A 1080- A 1100- B 1120- D 1140- B 1160- D 1180- C 1200- A
GABARITO

1201-C 1221- B 1241- B 1261- B 1281- A 1301- C 1321- A 1341- E 1361– D 1381- C
1202-A 1222- E 1242- C 1262- D 1282- B 1302- C 1322- C 1342- E 1362 –C 1382- D
1203-C 1223- D 1243- B 1263- C 1283- A 1303- D 1323- A 1343- C 1363 –A 1383- C
1204-A 1224- C 1244- B 1264- D 1284- B 1304- C 1324- D 1344- C 1364 –C 1384- C
1205-A 1225- B 1245- A 1265- D 1285- C 1305- C 1325- C 1345- A 1365– B 1385- B
1206-C 1226- A 1246- A 1266- C 1286- D 1306- C 1326- E 1346- C 1366– A 1386- B
1207-D 1227- D 1247- D 1267- B 1287- A 1307- A 1327- B 1347- D 1367– A 1387- B
1208-D 1228- C 1248- C 1268- A 1288- D 1308- A 1328- D 1348- C 1368– D 1388- C
1209-D 1229 -D 1249- B 1269- D 1289- C 1309- C 1329- B 1349- A 1369– B 1389- C
1210-B 1230- B 1250- C 1270- D 1290- D 1310- C 1330- B 1350- D 1370– D 1390- C
1211-B 1231- A 1251- D 1271- B 1291- C 1311- B 1331- C 1351– C 1371– A 1391- D
1212-A 1232- D 1252- A 1272- B 1292- B 1312- C 1332- B 1352– D 1372– B 1392- B
1213-A 1233- B 1253- C 1273- C 1293- A 1313- C 1333- A 1353– B 1373– A 1393- B
1214-C 1234- A 1254- B 1274- B 1294- C 1314- D 1334- D 1354– D 1374– D 1394- A
1215-B 1235- E 1255- B 1275- D 1295- A 1315- B 1335- A 1355– D 1375– B 1395- D
1216-C 1236- B 1256- C 1276- D 1296- B 1316- C 1336- C 1356- B 1376– D 1396- D
1217-A 1237- D 1257- A 1277- B 1297- A 1317- C 1337- D 1357– B 1377– B 1397- A
1218-E 1238- A 1258- D 1278- A 1298- B 1318- C 1338- C 1358– D 1378– B 1398- B
1219-A 1239- C 1259- A 1279- C 1299- A 1319- C 1339- C 1359 - A 1379– D 1399- D
1220-C 1240- E 1260- C 1280- D 1300- D 1320- C 1340- E 1360– D 1380– A 1400- D
GABARITO

1401-D 1421- A 1441- A 1461- A 1481- A 1501- C 1521- A 1541- A 1561- B 1581- E
1402-A 1422- B 1442- C 1462- A 1482- D 1502- C 1522- B 1542- D 1562- D 1582- D
1403-D 1423- C 1443- B 1463- D 1483- C 1503- A 1523- D 1543- B 1563- C 1583- C
1404-B 1424- C 1444- A 1464- A 1484- A 1504- B 1524- B 1544- A 1564- A 1584- D
1405-C 1425- A 1445- D 1465- B 1485- E 1505- D 1525- D 1545- C 1565- B 1585- B
1406-A 1426- D 1446- B 1466- C 1486- C 1506- B 1526- B 1546- B 1566- C 1586- B
1407-D 1427- A 1447- B 1467- B 1487- D 1507- A 1527- D 1547- D 1567- A 1587- A
1408-C 1428- C 1448- D 1468- A 1488- B 1508- A 1528- C 1548- B 1568- C 1588- C
1409 D 1429- B 1449- A 1469- B 1489- C 1509- B 1529- A 1549- B 1569- A 1589- A
1410-A 1430- A 1450- A 1470- A 1490- B 1510- D 1530- B 1550- C 1570- B 1590- D
1411-D 1431- D 1451- E 1471- B 1491- B 1511- D 1531- D 1551- A 1571- D 1591- C
1412-B 1432- C 1452- C 1472- A 1492- E 1512- A 1532- D 1552- A 1572- D 1592- D
1413-C 1433- B 1453- A 1473- B 1493- B 1513- C 1533- D 1553- E 1573- B 1593- D
1414-B 1434- A 1454- C 1474- E 1494- D 1514- A 1534- C 1554- C 1574- B 1594- A
1415-B 1435- D 1455- B 1475- C 1495- B 1515- B 1535- A 1555- E 1575- D 1595- D
1416-C 1436- B 1456- B 1476- E 1496- B 1516- D 1536- D 1556- E 1576- E 1596- D
1417-C 1437- D 1457- C 1477- C 1497- C 1517- C 1537- A 1557- A 1577- D 1597- A
1418-C 1438- C 1458- C 1478- B 1498- C 1518- D 1538- B 1558- D 1578- D 1598- C
1419-C 1439- A 1459- C 1479- D 1499- D 1519- B 1539- C 1559- E 1579- C 1599- D
1420-B 1440- B 1460- C 1480- D 1500- B 1520- D 1540- C 1560- D 1580- C 1600- C
GABARITO

1601-A 1621-B 1641-A 1661-C 1681- C 1701-C


1602-C 1622-D 1642-D 1662-A 1682- B 1702-B
1603-E 1623-A 1643-B 1663-D 1683- A 1703-A
1604-B 1624-C 1644-C 1664-D 1684- D 1704-C
1605-B 1625-B 1645-A 1665-C 1685- D 1705-B
1606-D 1626-A 1646-B 1666-D 1686- B 1706-A
1607-A 1627-A 1647-B 1667-D 1687- C 1707-C
1608-C 1628-D 1648-C 1668- E 1688- B 1708-A
1609-E 1629-C 1649-B 1669- E 1689- D 1709-A
1610-E 1630-B 1650-C 1670 -E 1690- D 1710-B
1611-C 1631-A 1651-A 1671–B 1691–B
1612-D 1632-B 1652-C 1672–C 1692- A
1613-C 1633-C 1653-C 1673–D 1693–C
1614-A 1634-C 1654-B 1674–A 1694–D
1615-C 1635-A 1655-B 1675–B 1695–B
1616-E 1636-A 1656-A 1676–C 1696–B
1617-A 1637-D 1657-D 1677–B 1697–A
1618-D 1638-A 1658-D 1678–B 1698–A
1619-C 1639-B 1659-C 1679–A 1699–B
1620-D 1640-A 1660-A 1680 -A 1700-C
FICHA TÉCNICA

• PROGRAMAÇÃO VISUAL

RAFAEL FURIATI

• DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO

• ADEQUAÇÃO DE ALGUMAS QUESTÕES,


ELABORAÇÃO DE OUTRAS, PREFÁCIO.

JOSÉ LUÍS FERREIRA FILHO

Contato para aquisição deste material

e_ mail : jlfpapillon@hotmail.com