You are on page 1of 60

Lipídios e Membranas

Biológicas

Prof. Dawidson Assis Gomes


Departamento de Bioquímica e Imunologia
ICB-UFMG
Histórico
• (1827) Willian Proust – lipídios como
importante macro nutriente para a nutrição
humana.

• (1918) Aron – lipídeos como essenciais


para o crescimento e desenvolvimento
normais de animais.
O que são?
O que são ?

Os lipídeos são biomoléculas insolúveis em


água e solúveis em solventes orgânicos

Grupo heterogêneo de substâncias


Quais suas funções?
Principais funções:
• Formas de armazenamento de energia
• Elementos estruturais de membranas biológicas
• Isolamento e proteção de órgãos
- Impermeabilizante (ceras)
- Isolante térmico
• Mensageiros intracelulares (InsP3)
• Anti-oxidante (vitaminas A e E)
• Digestiva (sais biliares)
Lipídios de armazenamento

• São conhecidos como:


- Gorduras

- Óleos

• São derivados de ácidos graxos


O que são ácidos graxos?
• Os ácidos graxos são ácidos carboxílicos
(COOH) com cadeias hidrocarbonadas entre 4 a
36 carbonos (C4 a C36).

Cadeia saturada

Cadeia insaturada
Nomenclatura Simplificada para
Representar os Ácidos Graxos

 A partir do C1(carboxila)

Número de carbonos 16:0 Número de ligações duplas

18:1 (9) Posição da ligação dupla


ou
18:1 (D9)
ou
18:1-D9
ou
18:1;9
Numeração dos carbonos a
C-18 partir de C1

Região
Apolar

Região
Polar

C-9

C-1 18:1(D9) = Ácido oléico


Qual doença pode ser tratada
com o ácido oléico?
Adrenoleucodistrofia
• Leucodistrofia é uma doença genética que tem
como resultado final a destruição da bainha de
mielina.
• A adrenoleucodistrofia, também conhecida pelo
acrônimo ALD, é uma doença genética rara.
• Afeta o cromossomo X, sendo uma herança
ligada ao sexo de caráter recessivo transmitida
por mulheres portadoras e que afeta
fundamentalmente homens.
Como ocorre?
• Na ALD, a atividade anormal dos peroxissomos
leva a um acúmulo excessivo de ácidos graxos
de cadeia muito longa (AGCML) constituídos de
24 ou 26 átomos de carbono em tecidos
corporais, sobretudo no cérebro e nas glândulas
adrenais.
• A conseqüência desse acúmulo é a destruição
da bainha de mielina, o revestimento dos
axônios das células nervosas, afetando, assim,
a transmissão de impulsos nervosos.
• O gene defeituoso que ocasiona a doença está
localizado no lócus Xq-28 do cromossomo X.
• Tal gene é responsável pela codificação de uma
enzima denominada ligase acil CoA gordurosa,
que é encontrada na membrana dos
peroxissomos e está relacionada ao transporte
de ácidos graxos para o interior dessa estrutura
celular.
• Como o gene defeituoso ocasiona uma mutação
nessa enzima, os AGCML ficam impedidos de
penetrar nos peroxissomos e se acumulam no
interior celular. Os mecanismos precisos através
dos quais os AGCML ocasionam a destruição
da bainha de mielina ainda são desconhecidos.
Como é tratado?
• Não existe terapia definitiva para a ALD até o
momento.
• Alimentos ricos em AGCML, como espinafre,
queijo e carne vermelha, devem ser restringidos
na dieta.
• Segundo estudos, a dieta baseada no “óleo de
Lorenzo” tem obtido êxito, especialmente
quando administrada antes da aparição dos
sintomas.
• O “óleo de Lorenzo” é uma composição obtida
através da mistura de ácido erúcico e ácido
oléico.
O filme Lorenzo's Oil ("O óleo de Lorenzo") trata da
manifestação da doença e da busca pela cura por
parte dos pais de Lorenzo Odone, menino portador
de ALD, sendo baseado em fatos reais
Por que a temperatura ambiente os óleos são
líquido e as gorduras são sólidas?
Pontos de fusão são fortemente influenciados
pelo comprimento e pelo grau de insaturação
da cadeia hidrocarbonada
Esqueleto Nome P. F.
carbônico Comum (°C)

12:0 Ácido láurico 44


14:0 58
Saturado

Ácido mirístico
16:0 Ácido palmítico 63
18:0 Ácido esteárico 71
20:0 Ácido araquídico 77

16:1(D9) Ácido palmitoléico -0.5


insaturado

18:1(D9) Ácido oléico 16


18:2(D9,12) Ácido linoléico -5
18:3(D9,12,15) Ácido a-linoléico -11
20:4(D5,8,11,14) Ácido araquidónico -49
Nome Sistemático
Ácido graxo saturado - prefixo “óico”
Ácido graxo insaturado - prefixo “enóico”

Nome Comum Abreviatura Nome


Sistemático
Palmítico 16:0 Hexadecanóico

Esteárico 18:0 Octadecanóico

Araquídico 20:0 Eicosanóico

Palmitoléico 16:1(9) Hexadecenóico

Oléico 18:1(9) Octadecenóico

Linoléico 18:2(9,12) Octadecedienóico

Linolênico 18:3(9,12,15) Octadecetrienóico

Araquidônico 20:4(5,8,11,14) Eicosatetraenóico


Qual é o lipídeo mais
abundante da nossa dieta?
• Os triacilgliceróis é o lipídio mais
abundantes da dieta.
• São compostos de três ácidos graxos,
cada um em ligação éster com o mesmo
glicerol.

1-estearoil, 2-linoleolil, 3-palmitoil glicerol


Glicerol
• Glicerol ou propano-1,2,3-
triol (IUPAC, 1993) é um
composto orgânico
pertencente à função
álcool.
• É líquido à temperatura
ambiente (25 °C),
higroscópico, inodoro,
viscoso e de sabor
adocicado.
• O nome origina-se da
palavra grega glykos, que
significa doce.
Como ocorre o transporte de
lipídeos nos líquidos corporais?
O que é um quilomícron?
É uma lipoproteína responsável
pelo transporte de lipídeos.
Apolipoproteínas

Colesterol Triacilglicerois Fosfolipídios


Lipoproteínas transportam colesterol e
triacilgliceróis por todo o organismo
• Os componentes protéicos destes
agregados macromoleculares têm dois
papeis:
1. Solubilizam lipídios hidrófobos
2. Contém sinais de endereçamento a
células

• As partículas são classificadas de


acordo com sua densidade crescente
Propriedades das lipoproteínas
do plasma
Os níveis de certas lipoproteínas no
sangue podem ter utilidade diagnóstica

• Altos níveis de colesterol no soro podem causar


placas ateroscleróticas em artérias por todo o
organismo.

• Este colesterol em excesso esta presente na


forma de partículas de LDL (mau colesterol)

• A relação entre HDL (bom colesterol) e LDL


pode ser usada para avaliar susceptibilidade ao
desenvolvimento de doença cardíaca.
LDL/HDL < 3.5
Uma visão geral do metabolismo das
partículas de lipoproteínas
EXCESSO DE LDL
HIPÓTESES DA INFILTRAÇAO LIPIDICA

O excesso de LDL pode contribuir para a lesão


da parede arterial.

Nesta interação, a LDL pode acabar


sendo oxidada por radicais livres
presentes na célula.

Esta oxidação aciona o mecanismo de defesa,


desencadeando um processo inflamatório com
infiltração de leucócitos. Moléculas inflamatórias
acabam por promover a formação de uma capa de
coágulos sobre o núcleo lipídico.
EXCESSO DE LDL
Após algum tempo cria-se uma placa (ateroma) no
vaso sanguíneo; sobre esta placa, pode ocorrer
uma lenta deposição de cálcio, numa tentativa de
isolar a área afetada.

Isto pode interromper o fluxo sanguíneo


normal (aterosclerose) e vir a provocar
inúmeras doenças cardíacas. De fato, a
concentração elevada de LDL no sangue é
a principal causa de cardiopatias
Membranas biológicas
Conceito vs Evidências
Histórico
• 1665 - Robert Hooke publicou o livro intitulado:
“Micrographia” e nele foi utilizado o termo célula
e para definir as unidades estruturas de uma
fatia de cortiça.
“Observ. XVIII. Of the Schematisme or Texture of Cork, and of
the Cells and Pores of some other such frothy Bodies”.

“ nosso microscópio nos informou que


a substância da cortiça é preenchida
com ar, e este ar é perfeitamente
enclausurado em pequenas caixas ou
“células” que são distintas entre si”

“ O microscópio nos assegurou por


sua demonstração ocular, ou melhor
nos descobriu os poros dos corpos,
na qual são demonstradas como
membranas da cortiça, poderíamos
esperar em uma polegada de cortiça
dezenas de pequenas células, como é
evidente nas cinzas dos vegetais;
assim prodigiosamente curioso são os
trabalhos da natureza”
Bolhas de sabão e membranas
biológicas
• 1672 – Robert Hooke
“ ...é muito difícil de
imaginar o que mantêm
a forma das bolhas....”

• 1704 – Issac Newton


publicou a espessura
média das membranas
das bolhas de sabão
(9.5 nm)
Evidências experimentais para o
modelo de bicamada lipídica
• 1877- Pfeffer
Após Van´t Hoff demonstrar empírica que
a pressão osmótica é proporcional a
concentração de soluto. Pfeffer emergiu
células de plantas em soluções salinas e
observou que elas incham em soluções
hipotônicas e murcham em soluções
hipertônicas.
Qual é a natureza da membrana
plasmática?
• 1890 -1899 – Overton realizou mais de
10000 experimentos com mais de 500
compostos químicos. Ele mediu a taxa de
entrada de compostos nas células e
comparou as taxas com coeficientes de
partição (K) destes componentes entre
soluções aquosas e o óleo de oliva.
Overton concluiu com estes experimentos
que as membranas deveriam ser de
natureza lipídica.
Qual é a organização molecular dos
lipídios na membrana plasmática?

• 1925 – Gorter e Grendel demonstraram


que a área ocupada por lipídeos extraídos
de células era capaz de ocupar
aproximadamente duas vezes a superfície
celular.
Quando foi possível observar a
membrana plasmática em alta resolução?
Na década de 50 houve um grande avanço
nas técnicas de preparação de amostras
para microscopia eletrônica o que
possibilitou a visualização da membrana
plasmática em alta resolução.
Características das membrana
biológicas
• Estruturas laminares tipicamente com 60 a 100
Å de espessura.
• Compostas de moléculas de proteínas e de
lipídios mantidas juntas por interações não
covalentes
• As membranas são barreiras de permeabilidade
altamente seletivas.
• Criam compartimentos fechados, que podem
ser células inteiras ou organelas dentro de uma
célula.
• Proteínas nas membranas regulam as
composições moleculares e iônicas destes
compartimentos.
Um lipídio de membrana é uma
molécula anfipática

Porção Porção
hidrofóbica Hidrofílica
(cabeça
polar)
Diagrama de uma seção de uma
bicamada de membrana
Membrana Plasmática

Glicolipídio
Exterior

Cabeças polares interior


dos fosfolipídios Esterol

Lehninger Princípios de Bioquímica, David L. Nelson et. al., 2002


Há três tipos comuns de lipídeos
de membranas

1. Fosfolipídios

2. Glicolipídios

3. Colesterol
Há três tipos comuns de lipídeos
de membranas
1. Fosfolipídios são feitos de quatro tipos de
componentes:

Ácido G
graxo L
I
Ácido C
graxo E
R
O
L Fosfato Álcool

Obs: A plataforma pode ser também um álcool com três carbonos ou a esfingosina.
Há três tipos comuns de lipídeos
de membranas
2. Glicolípidios, como seu nome indica, são
lipídios com oses

E Ácido
S
F
graxo
I
N
G
O
S
I Mono ou
N
dissacarídeo
A
Há três tipos comuns de lipídeos
de membranas
3. Colesterol é um esteróide constituído de
quatro anéis hidrocarbonados ligados
Cada tipo de membrana possui lipídios
característicos
O sistema das endomembranas

Lehninger Princípios de Bioquímica, David L. Nelson et. al., 2002


O núcleo e o envelope nuclear
Biogênese do envelope nuclear

Anderson D, Heltzer M, Nature Cell Biology, 2007


A maioria dos lipídios de membrana
são sintetizados no ER
• A membrana do ER
sintetiza quase todas
as principais classes
de lipídios, incluindo
os fosfolipídios e o
colesterol.

• A síntese dos
fosfolipídios acontece
no lado
citoplasmático.
Lipídios como mensageiros
intracelulares
Membrana plasmática

b g a
PLC P P
DAG
PIP2
P
P
P

P P P
InsP3
RE
Ca2+ Ca2+
InsP3R
Referências Bibliográficas
• Molecular Biology of the Cell, Alberts B, et.
al., 2002.
• Lehninger Princípios de Bioquímica,
Nelson DL e Cox MM, 2002.
• Bioquímica, Berg JM, et. al., 6 ed.,
Capítulo 12, 2008.