Вы находитесь на странице: 1из 11

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO

OBRIGATÓRIO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL – 2018

Este documento refere-se às orientações sobre o relatório que deverá ser


postado pelos alunos após a finalização do Estágio.

O Relatório deverá ser elaborado e postado individualmente.

CAPA: Contendo no início da página a logomarca da Universidade Anhanguera –


Uniderp – Centro de Educação a Distância, o Nome do Acadêmico e RA
(centralizado - Arial 16 - maiúscula), no meio da página Relatório de Estágio
Supervisionado (fonte Arial 16 maiúscula, negrito e centralizado) no final da página a
cidade, Estado e ano (fonte Arial 12 - maiúscula e centralizada).

NOME DO ACADÊMICO – RA 111111

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO


xxxxx

CIDADE – ESTADO
2018

FOLHA DE ROSTO: Contendo no início da página a logomarca da Universidade


Anhanguera – Uniderp – Centro de Educação a Distância, o Nome do Acadêmico e
RA (centralizado - Arial 16 - maiúsculo), no meio da página Relatório de Estágio
Supervisionado (fonte Arial 16 maiúscula, negrito e centralizado).
Logo abaixo a descrição do relatório “Relatório de Estágio apresentado ao Curso de
Serviço Social do Centro de Educação a Distância-CEAD da Universidade Anhanguera
UNIDERP como requisito obrigatório para cumprimento da disciplina de
Estágio Supervisionado I ou II ou III.” Dica de Word: digite o texto ao lado
normalmente, a partir da margem esquerda (na opção justificar, quanto às
margens) e depois o selecione com o mouse e use a seta de recuo para deslocá-lo
para a direita.
No final da página a cidade, Estado e ano (fonte Arial 12 - maiúscula e centralizada).

NOME DO ACADÊMICO – RA 111111

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO


xxxxx

Relatório de Estágio apresentado


ao Curso de XXXXXX do Centro de
Educação a Distância-CEAD da
Universidade Anhanguera
UNIDERP como requisito
obrigatório para cumprimento
da disciplina de
Estágio Supervisionado XXXXXXX.

CIDADE – ESTADO
2018

SUMÁRIO: O sumário1 consiste na enumeração das principais divisões, seções e


outras partes do trabalho, na ordem em que aparecem no texto, acompanhadas da
página inicial.

As divisões devem estar numeradas em algarismos arábicos, a partir da Introdução


até as Referências. Havendo subdivisões, deve ser adotada a numeração progressiva,
sempre em número arábico e a distinção de caracteres. Segue exemplo de sumário.

1ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR6027: Informação e documentação –


Sumário – Apresentação. Rio de Janeiro, 2002.
SUMÁRIO
1 INTRODUÇÃO .........................................9
2 O CONTEXTO CIENTÍFICO DA PESQUISA SURVEY ...10
2.1 A LÓGICA DA CIÊNCIA ............................... 12
2.1.1 A perspectiva tradicional .............................. 15
2.1.2 A desmistificação da ciência ...........................17
2.1.3 A ciência na prática .................................. 19
3 A PESQUISA DE SURVEY COMO MÉTODO DAS
CIÊNCIAS SOCIAIS ...................................... 21
3.1 BREVE HISTÓRIA DA PESQUISA DE SURVEY .......... 23
3.1.1 Características científicas da pesquisa de survey .........25
3.1.2 Comparação do survey com outros métodos ............. 27
3.1.2.1 Análise de conteúdo ................................... 29
3.1.2.2 História de vida ......................................35
3.1.2.3 Observação direta .................................... 37
REFERÊNCIAS ..........................................73
APÊNDICES
............................. 82
A - Tabela de números aleatórios
B - Erro estimado de amostragem para uma bionomial ...........85
ANEXOS
...............89
A - Código de ética profissional do administrador
B - Regulamentação da profissão de administrador .............. 91

IDENTIFICAÇÃO (Fonte Arial 14 no título)


(Arial 12 no texto, com espaçamento de 1,5 entre linhas)
Nome do Estagiário:
Curso: Serviço Social
Telefone_: e-mail:
Nível do Estágio Supervisionado:
Local de Estágio:
Endereço:
Nome do (a) Supervisor (a) Acadêmico (a): Nº CRESS
Nome do (a) Supervisor (a) de Campo: Nº CRESS
Carga horária: Início: / / Término: / /
I – INTRODUÇÃO (Fonte Arial 14 no título)
(Arial 12 no texto, com espaçamento de 1,5 entre linhas)

Todo o texto deverá ser escrito na terceira pessoa, dando caráter impessoal ao
Relatório de Estágio.
Neste espaço deve constar, uma apresentação, de no mínimo uma página cheia, dos
resultados obtidos pelo/a acadêmico/a durante sua experiência no campo de estágio.
Deve conter:
O qual o projeto de intervenção proposto, justificar o motivo da escolha do tema e a
relação com o Serviço Social, apresentar a demanda do Serviço Social no espaço
sócio institucional que culminou na definição dos objetivos do projeto;

II – DESENVOLVIMENTO: (Fonte Arial 14 no título)


(Arial 12 no texto, com espaçamento de 1,5 entre linhas)

a) Após analisar a realidade da instituição concedente de estágio, realizado no estágio


I, por meio do Diagnóstico Institucional e Social, você deve fazer uma breve
introdução sobre a instituição em que realizou o estágio, os programas e projetos
por ela desenvolvidos junto à comunidade e sua eficácia e efetividade junto ao
público, contextualizando sobre o projeto de intervenção proposto neste período.

b) Descrever o alcance social pretendido com a execução do projeto de intervenção


proposto para atender a demanda diagnosticada dentro da Organização,
correlacionando-os com aprendizado teórico-metodológico articulado à prática do
Serviço Social.

III – CONSIDERAÇÕES FINAIS (Fonte Arial 14 no título)


(Arial 12 no texto, com espaçamento de 1,5 entre linhas)

Elaborar suas considerações finais do trabalho de no mínimo duas páginas, constando


suas considerações sobre o Serviço Social dentro da instituição.
Para realização deste tópico, é conveniente apresentar de forma resumida uma síntese
das principais conclusões obtidas por meio da elaboração do projeto de intervenção.
Os pontos positivos e os negativos que influenciaram na decisão e planejamento do
projeto.
As perguntas que devem ser respondidas:
1. Qual a relação do Serviço Social e o tema proposto?
2. Qual a intervenção do/a Assistente Social no projeto proposto e como se
dará essa ação?
3. Especificar como se dará a metodologia para a execução do Projeto de
Intervenção: Ex. Mobilização, Atividades ofertadas, encaminhamentos as
demandas identificadas, entre outros.
4. Como será avaliada a eficiência, eficácia e efetividade do Projeto de
Intervenção.

IV - Referências (Todos os sites, documentos, livros, revistas utilizados no


processo de escrita do relatório de estágio)
Referência2 é um conjunto padronizado de elementos descritivos de documentos
que permite a sua identificação no todo ou em parte. Apresentação de
referências: em ordem alfabética e não-numeradas; sequência padronizada dos
elementos essenciais e complementares (São complementares: número de
página, número do ISBN, ISSN e dimensões); alinhamento somente à margem
esquerda; uso de espaço simples; uso de espaço duplo entre referências;
pontuação uniforme; destaque de títulos com itálico; nas entradas pelo título
utilizam-se maiúsculas na primeira palavra, com exclusão de artigos e palavras
monossilábicas; casos omissos seguem as normas técnicas da ABNT.
A elaboração das referências necessita de uma atenção especial, pois é
fundamental que todos os autores que foram citados no texto, estejam nas
referências. Por sua vez, se o autor “não” foi citado na fundamentação, também
“não” pode estar listado nas referências.

Segue abaixo alguns exemplos (apenas com os elementos


essenciais):
4.1 Livro com um único autor

PARO, Vitor Henrique. Administração escolar: introdução crítica. 7. ed. São


Paulo: Cortez, 1996.

4.2 Livro com até três autores:

TOMMASI, L.; WARDE, M. J.; HADDAD, S. O Banco Mundial e as políticas


educacionais. São Paulo: Cortez, 1996.

4.3 Livro com mais de três autores

CANDAU, V. M. et al. Oficina pedagógica de direitos humanos. Petrópolis: Vozes,


1995.

2
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR6023: Informação
e documentação – Referências - Elaboração. Rio de Janeiro, 2002.
4.4 Livro traduzido

GRAMSCI, A. Concepção dialética da História. Tradução de Carlos Nelson


Coutinho. 8. ed.Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1989.

4.5 Coletânea
MACHADO, L. M.; FERREIRA, N. S. C. (Orgs.). Política e gestão da educação:
dois olhares. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

4.6 Capítulo de coletânea

SILVA JÚNIOR, C. A. da. O espaço da administração no tempo da


gestão. In: MACHADO, L. M.; FERREIRA, N. S. C. (Orgs.). Política e gestão da
educação: dois olhares. Rio de Janeiro: DP&A, 2002. p. 199-211.

4.7 Artigo de periódico (revista)

ROSAR, Maria de Fátima Félix. A dialética entre a concepção e a prática da


“gestão democrática” no âmbito da educação básica no Brasil. Educação &
Sociedade. São Paulo: CEDES, v. 20, n. 69, p.165-176, dez. 1999.

4.8 Artigo de periódico (jornal)

BRAGA, José Carlos de Souza. O espectro que ronda o capitalismo. Folha de S.


Paulo. São Paulo, 1 set. 1996. Caderno MAIS! p. 3. · Obra de instituições:
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023: Referências -
Elaboração. Rio de Janeiro, 2002.

4.9 Teses, dissertações e trabalhos de final de curso

FREITAS, Dirce Nei Teixeira de. A avaliação da educação básica no Brasil:


dimensão normativa, pedagógica e educativa. São Paulo, 2005. Tese (Doutorado
em Educação), Universidade do Estado de São Paulo, 2005.

BITTAR, Marisa. Estado e política educacional em Mato Grosso do Sul (1983-


1986): limites de uma proposta democrática. Campo Grande, 1992.
Dissertação (Mestrado em Educação), Universidade Federal de Mato Grosso do
Sul, 1992.
DUARTE, Jaina Garcia. O fracasso escolar na produção educacional brasileira
do período 1995-2005. Dourados, 2007. Trabalho de conclusão de curso
(Pedagogia), Universidade Federal da Grande Dourados, 2007.

4.10 Texto em anais de eventos editados em CD-ROM

NASCIMENTO, A. C. O índio, a diferença e a escola. In: SEMINÁRIO


INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO, 1. 2001, Cianorte. Anais... Cianorte: UEM,
2001. 1 CD-ROM.

4.11 Texto em meio eletrônico

SOARES, José Francisco. Qualidade e eqüidade na educação básica


Brasileira: A evidência do SAEB-2001. Arquivos Analíticos de Políticas
Educativas, v. 12, n. 38, ago. 2004. Disponível em:
<http://epaa.asu.edu/epaa/v12n38/>. Acesso em: 19 jan. 2006.

4.12 Legislação

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil.


Brasília DF: Senado, 1999.

. Emenda Constitucional (1998). Emenda Constitucional nº. 19, de 4 de


junho de 1998. Modifica o regime e dispõe sobre princípios e normas de
Administração Pública, servidores e agentes políticos, controle de despesas e
finanças públicas e custeio de atividades a cargo do Distrito Federal, e dá outras
providências. In: Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília:
Senado, 1999. p. 201-211.

. Lei nº. 9.394, de 20 de dezembro de1996. Estabelece as diretrizes e


bases da educação nacional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil,
Brasília, DF, n.248, 23 de dez. 1996. MATO GROSSO DO SUL. (Estado). Lei
nº. 2.787, de 24 de dezembro de 2003. Dispõe sobre o Sistema Estadual de
Ensino de Mato Grosso do Sul e dá outras providências. Campo Grande: SED,
2004.

DOURADOS. (Municípios). Resolução nº 09, de 22 de setembro de 1999.


Dourados: SEME, 1999. ·

4.13 Página Institucional

CONSED. Desenvolvido pelo Conselho Nacional de Secretários Estaduais de


Educação. Apresenta notícias sobre a educação nos estados, documentos e
debates nacionais, programas e projetos voltados para a gestão
educacional. Disponível em: <www.consed.org.br>. Acesso em: 12 abr. 2007.
V - Apêndices
Optativo (Material produzido pelo acadêmico)

VI – Margens
Superior 3 cm

Esquerda 3cm Direita 2 cm

Inferior 2
cm
As margens deverão apresentar a seguinte formatação: 3 cm para a margem
superior e esquerda e 2 cm para a margem inferior e direita;
O recuo de parágrafo para o texto será de 1,5 cm.

ORIENTAÇÕES PARA REALIZAR CITAÇÕES: Citações diretas (transcrição


literal)

Sistema de chamada “autor-data-página” – antecede obrigatoriamente a


citação, quando esta estiver no corpo do texto.
Grafa-se o sobrenome do autor somente com a inicial maiúscula,
quando este aparecer incluído na sentença. Exemplo: Segundo Dallari (2004, p.
41)
Grafa-se o sobrenome do autor em caixa-alta, quando estiver no interior
do parêntesis. Exemplo: (DALLARI, 2004, p. 41)

Nas citações com até três linhas usam-se aspas duplas. Quando o
trecho transcrito trouxer aspas estas deverão ser substituídas por aspas
simples.
Citação direta com mais de três linhas aparece em parágrafo
próprio, com recuo de 4 cm da margem esquerda, sem deslocamento da
primeira linha do parágrafo, sem aspas, sem itálico, transcrita em fonte 10 ou
11 e pontuada conforme o texto original. A chamada pode aparecer no
parágrafo anterior ou após o trecho transcrito. Neste segundo caso, como no
exemplo: (DALLARI, 2004, p. 41).
2.2 Citações indiretas (síntese de dados retirados de fonte consultada, sem
alteração das ideias do autor)
Usa-se o sistema de chamada “autor-data”, antes ou depois da citação, sem
obrigatoriedade de menção da página. Exemplos:
Dallari (2004) afirma que .................... (DALLARI, 2004).

2.2.1 Citação indireta de diversos textos de um mesmo autor, publicados em


anos diferentes e mencionados simultaneamente, têm as suas datas separadas
por vírgula. Ex: (PARO, 1997, 2001, 2004).

2.2.2 Citação indireta de diversos textos de vários autores, mencionados


simultaneamente, são separados por ponto e vírgula, em ordem alfabética.
Ex: (AZEVEDO, 2002; CURY, 1998; SILVA, 2002).

2.3 Citação de citação (utilizadas apenas nos casos em que o acesso à fonte
original não é possível) Indica-se o nome do autor do trecho transcrito seguido
das expressões citado por ou apud. Exemplo: (SILVA, 2005, p. 9 apud
FERREIRA, 2006, p. 7).

2.4 Citação em língua estrangeira


Apresentar traduzidas as citações em língua estrangeira usando após a
chamada a expressão tradução nossa. Exemplo: (NEAVE, 1998, p. 7, tradução
nossa). Nas citações, usar: [...] para supressões; [ ] para interpolações,
acréscimos ou comentários. Exemplo: [do mesmo modo] Negrito ou itálico para
ênfase ou destaque, acrescentando-se as seguintes expressões: “grifos
nossos” ou “grifos do autor”. Exemplo: Para Dallari (2004, p. 41, grifo do autor),
“[...] democracia é muito mais do que a formalidade do voto, pois seu pleno
exercício pressupõe liberdade e igualdade”.
ANEXO N. 01 - MODELO DE CAPA

NOME DO ALUNO – RA
(Arial, tam.16, maiúsculo, normal, centralizado)

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO XXXX


(Arial, tam. 16, maiúsculo, negrito, centralizado e, verticalmente ao meio da página)

SUA CIDADE - ESTADO


2018
(Arial,tam.12, maiúsculo, normal, centralizado )
ANEXO N. 02 - MODELO DE FOLHA DE ROSTO
NOME DO ALUNO – RA
(Arial, tam.16, maiúsculo, normal, centralizado)

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO XXXX


(Arial, tam. 16, maiúsculo, negrito, centralizado e, verticalmente ao meio da página)

Relatório de Estágio apresentado ao Curso


de XXXXXX do Centro de Educação a
Distância - CEAD da Universidade
Anhanguera UNIDERP como requisito
obrigatório para cumprimento da disciplina de
Estágio Supervisionado XXXXXXX.

SUA CIDADE - ESTADO


2018
(Arial, tam.12, maiúsculo, normal, centralizado )

Похожие интересы