Вы находитесь на странице: 1из 24

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA

PARAÍBA
CAMPUS MONTEIRO
CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS

CRISMAYRA PEREIRA DOS SANTOS

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO PARA A


CONCLUSÃO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO DE
EDIFÍCIOS

Monteiro-PB
2018
CRISMAYRA PEREIRA DOS SANTOS

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO PARA A


CONCLUSÃO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO DE
EDIFÍCIOS

Relatório de Estágio apresentado à


Coordenação de Estágio do Instituto
Federal de Educação, Ciência e
Tecnologia da Paraíba, Campus Monteiro,
como requisito parcial para conclusão do
Curso de Tecnologia em Construção de
Edifícios.

Orientador(a): Whelson Oliveira de Brito

Monteiro-PB
2018
CRISMAYRA PEREIRA DOS SANTOS

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO PARA A


CONCLUSÃO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO DE
EDIFÍCIOS

Relatório de Estágio apresentado à


Coordenação de Estágio do Instituto
Federal de Educação, Ciência e
Tecnologia da Paraíba, Campus Monteiro,
como requisito parcial para conclusão do
Curso de Tecnologia em Construção de
Edifícios.
Orientador(a): Whelson Oliveira de Brito

Aprovado em ______de ___________________de 2018.

BANCA EXAMINADORA

______________________________________________________

Prof. Whelson Oliveira de Brito

______________________________________________________

Prof. Adri Duarte Lucena

______________________________________________________

Prof. Hewerton Agra Oliveira


AGRADECIMENTOS

Começo agradecendo a Deus que me proporcionou a oportunidade de


concretizar um sonho, despertando toda garra e determinação existente em
mim, mostrando o quanto sou capaz de alcançar os meus objetivos. Meus pais
foram peças chave para que o ponta pé inicial fosse dado e sou grata por tudo
que eles fizeram e ainda fazem por mim. Agradeço também aos meus irmãos,
meu namorado e aos amigos que a instituição me concedeu. Sou grata à
Prefeitura Municipal de Monteiro pela oportunidade ofertada e aos
colaboradores que tive o prazer de conviver durante o estágio. O Instituto
Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba e todo corpo docente
foram de extrema importância na minha formação como profissional.
RESUMO

O presente relatório de estágio supervisionado tem como principal


objetivo a descrição das atividades vivenciadas em campo, realizadas na obra
de ampliação do mercado público de Monteiro na Paraíba, como requisito de
exigência para a conclusão do curso de Tecnologia em Construção de Edifícios
do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba, Campus
Monteiro. O acompanhamento da referida obra contou com a fiscalização dos
serviços de levantamento de alvenaria, chapisco, reboco, montagem e
colocação de formas, concretagem, e piso. A obra que possui localização
central, conta com um conjunto de lojas e WC femininos e masculinos e foi
realizada pela Prefeitura do Município. Através da observação executada em
campo é possível identificar a quantidade de serviços que são consumados
dentro do canteiro de obras e as reais medidas que são tomadas em virtude de
falhas. Vale salientar que é de extrema e fundamental importância da
supervisão das tarefas, onde o profissional irá adquirir novos conhecimentos e
viver novas experiências.

Palavras-chave: Mercado público. Ampliação. Prefeitura.


ABSTRACT

The main objective of this supervised internship report is to describe


the activities carried out in the field of construction of the Monteiro public market
in Paraíba, as a requirement for the conclusion of Technology in Building
Construction course of the Federal Institute of Education, Science and
Technology of Paraíba, Campus Monteiro. The monitoring of this work was the
supervision of the services of survey of masonry, slab, plaster, assembly and
placement of forms, concreting, and flooring. The work that has a central
location, has a set of shops and women's and men's bathrooms and was held
by the Municipality. Through field observation it is possible to identify the
amount of services that are consumed within the construction site and the
actual measures that are taken by virtue of failures. It is worth stressing that it is
extremely important to supervise the tasks, where the professional will acquire
new knowledge and live new experiences.

Keywords: Public market. Enlargement. City Hall.


LISTA DE FIGURAS

FIGURA1 – Execução da Alvenaria.............................................................13


FIGURA 2- Levantamento de alvenaria...................................................13
FIGURA 3 – Ajudante executando a dobra dos estribos...............................14
FIGURA 4- Pedreiro executando a montagem das armaduras...............15
FIGURA 5–Colocação da armadura do pilar..............................................15
FIGURA 6 – Escoramento das formas dos pilares.......................................16
FIGURA 7 – Execução da concretagem das vigas............................................17
FIGURA 8 – Adensamento do concreto.........................................................18
FIGURA 9 – Execução do reboco..................................................................19
FIGURA 10 – Contra piso recém finalizado.......................................................20
FIGURA 11 – Acabamento do contra piso.......................................................20
FIGURA 12 – Estocagem incorreta dos sacos de cimento.........................21
FIGURA 13 – Armazenamento inadequado das barras de aço.......................22
FIGURA 14 – Brita armazenada ao lado de um esgoto....................................22
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO ............................................................................................. 9
2 OBJETIVOS............................................................................................... 10
2.1 Objetivo geral ...................................................................................... 10
2.2 Objetivos Específicos .......................................................................... 10
3 RELATO DE ESTÁGIO.............................................................................. 11
3.1 Identificação da empresa .................................................................... 11
3.1.1 Local do estágio e aspectos físicos da empresa .......................... 11
3.1.2 Dados referentes ao estágio ......................................................... 12
3.1.3 Perfil da empresa.......................................................................... 12
3.2 Atividades desenvolvidas .................................................................... 12
3.2.1 Execução da Alvenaria ................................................................. 12
3.2.2 Corte, dobra e montagem da armadura dos pilares e vigas ......... 14
3.2.3 Corte, montagem e Colocação das formas .................................. 16
3.2.4 Concretagem dos pilares e vigas.................................................. 17
3.2.5 Execução do chapisco e reboco ................................................... 18
3.2.6 Execução do contra piso .............................................................. 19
4 PONTOS NEGATIVOS ENCONTRADOS ................................................. 21
5 CONCLUSÃO ............................................................................................ 23
REFERÊNCIAS ................................................................................................ 24
9

1 INTRODUÇÃO

A palavra estágio se denomina como a parte prática de qualquer


formação profissional, que se contradiz com a parte teórica (PIMENTA; LIMA,
2004). É notória a importância dada a essa atividade e se faz relevante a
execução da mesma. O presente estágio foi realizado com intuito de semear e
adquirir novos conhecimentos, auxiliando na formação de um novo profissional
capacitado para ingresso no mercado de trabalho.

O presente relatório conta com a descrição das atividades


presenciadas na obra de ampliação do mercado público da cidade de Monteiro,
realizada pela Prefeitura Municipal. O empreendimento fornece aos
comerciantes uma forma melhor de prestarem seus serviços e trazerem mais
conforto e comodidade para os seus clientes.

O acompanhamento das atividades de levantamento de alvenaria,


chapisco, reboco, montagem e colocação de formas, concretagem, e contra
piso consistiram na absorção de conteúdo e também na comparação da teoria
com a prática. Como supervisor dentro da obra contava-se com o auxílio do
Engenheiro Civil Francisco Sérgio Fernandes Diniz, sob orientação do
professor Whelson Oliveira de Brito do Instituto Federal de Educação, Ciência e
Tecnologia da Paraíba.
10

2 OBJETIVOS

2.1 Objetivo geral

Relatar as atividades vivenciadas no canteiro de obras da ampliação do


Mercado Público, desenvolvidas pela Prefeitura Municipal de Monteiro, PB.

2.2 Objetivos Específicos

- Relatar a execução dos diferentes processos construtivos da obra durante o


acompanhamento;

- Descrever experiências práticas dos canteiros de obras;

- Citar aspectos positivos e negativos das atividades desenvolvidas.


11

3 RELATO DE ESTÁGIO

A realização do presente estágio foi de total relevância para que se


colocasse em prática o que foi absorvido na aprendizagem em sala de aula. O
acompanhamento de um gerente de obra se faz necessário em qualquer tipo
de construção, pois é função do mesmo avaliar se os processos produtivos
estão sendo executados de maneira correta e coerente. Em campo, a
percepção e instinto de lidar com situações complexas são despertadas mais
facilmente e por isso se fez importante o acompanhamento da obra.

A obra conduzida trata-se da ampliação do Mercado Público da cidade


de Monteiro, PB, realizada pela Prefeitura Municipal, onde a mesma já havia
sido iniciada e por falta de recursos não deu continuidade aos serviços. A obra
contava com 4 (quatro) funcionários fixos, 2 (dois) pedreiros e 2 (dois)
ajudantes, e quando havia uma demanda maior de serviço eram contratados
ajudantes diaristas.

3.1 Identificação da empresa

3.1.1 Local do estágio e aspectos físicos da empresa

Empresa: Prefeitura Municipal de Monteiro, PB. Secretaria de Planejamento e


Urbanismo
Localização: Av. Olímpio Gomes, 1º Andar - Centro - Monteiro-PB
CEP: 58500-000
Fone: (83) 3351-1505

Funcionamento: Segunda à Sexta. Das 07:00h às 13:00h.

Email: planejamentomonteiro@gmail.com
12

3.1.2 Dados referentes ao estágio

O estágio realizado teve duração de 3 meses, iniciando no dia 14 de


Março de 2018 e sendo finalizado no dia 15 de Junho de 2018. Para se obter
carga horária semanal de 30 horas, foi necessário 6 horas diárias, resultando
em 360 horas totais. Para melhor entendimento das atividades em campo
contou-se com a ajuda do Engenheiro Civil Francisco Sérgio Fernandes Diniz
na supervisão de todos os procedimentos, sob a orientação do professor
Whelson Oliveira de Brito.

A obra que foi dada para acompanhamento fica localizada dentro do


Mercado Público, onde a mesma será um bloco de lojas de vários
seguimentos, acompanhadas de WC femininos e masculinos.

3.1.3 Perfil da empresa

Empresa pública, que presta serviços à população, incluindo a


construção de obras, como por exemplo: praças, mercado público, escolas,
creches, hospitais, entre outros.

3.2 Atividades desenvolvidas

As atividades desenvolvidas no ambiente de estágio, no período de 14


Março à 15 de Junho, podem ser descritas como: Execução da alvenaria;
Corte, dobra e montagem das armaduras dos pilares e vigas; Corte, montagem
e colocação das formas; Concretagem dos pilares e vigas; Execução do
chapisco e reboco e Execução do contra piso.

3.2.1 Execução da Alvenaria

Ao longo das vigas baldrames já executadas, fez-se uma base com


argamassa e em seguida assentou-se um tijolo por vez, recobrindo as laterais
13

do material com argamassa para que o próximo bloco pudesse ser colocado.
Amarrava-se uma linha, mais conhecida como linha de pedreiro, nas
extremidades da parede para que servisse como guia na execução da fiada.
Tirava-se o prumo nas extremidades e repetia-se todo o processo, recobrindo
toda a fiada anterior com argamassa para que fosse feita a colagem de ambas.
Em cada parede por vez eram erguidas de seis à sete fiadas para que a
mesma não caísse por eventuais acontecimentos, já que os pilares ainda não
haviam sido executados por atraso da chegada dos materiais. (ver figuras 1 e
2).

FIGURA 1 – Execução da Alvenaria

Fonte:Autor (2018)

FIGURA 2- Levantamento de alvenaria

Fonte: Autor (2018)


14

3.2.2 Corte, dobra e montagem da armadura dos pilares e vigas

A barra de aço chegava à obra no tamanho convencional e era


necessário se fazer o corte das mesmas. Não existia nenhuma central
propriamente dita para a realização do serviço de dobra dos estribos, porém
existia um cavalete com pregos espaçados de acordo com a dimensão dada
em projeto pelo mestre de obras, e então com auxílio de um pedaço de barra
de ferro os colaboradores dobravam o mesmo. Após a realização do corte das
varas de aço em barras de 3 metros, eram amarrados os 17 estribos de
dimensões 7cm x 21cm espaçados à cada 15 cm para os pilares e amarrados
estribos de 10cm x 25cm para as vigas. Para finalização do serviço as
armaduras eram posicionadas nos ferros de espera da fundação em seus
respectivos locais e amarradas com o auxílio do arame recozido. (Ver figuras 3,
4 e 5)

FIGURA 3 –Ajudante executando a dobra dos estribos

Fonte: Autor (2018)


15

FIGURA 4- Pedreiro executando a montagem das armaduras

Fonte: Autor (2018)

FIGURA 5 – Colocação da armadura do pilar

Fonte: Autor (2018)


16

3.2.3 Corte, montagem e Colocação das formas

O material utilizado para compor a geometria das estruturas de concreto


era feito a partir de tábuas de compensados. Primeiro cortava-se a tábua nas
dimensões das estruturas, dadas pelo projeto, e em seguida amarravam-se as
quatro dimensões no entorno da armadura formando uma caixaria. Logo após
era feito o travamento da forma, para que a mesma não se movesse quando
estivesse sendo concretada. Não eram utilizados desmoldantes e jogava-se um
pouco de água para testar se havia muito vazamento na caixaria. Por fim,
tirava-se o prumo das formas e as mesmas eram escoradas com auxílio de
sarrafos. (Ver figura 6).

FIGURA 6–Escoramento das formas dos pilares

Fonte: Autor (2018)


17

3.2.4 Concretagem dos pilares e vigas

Através da utilização do concreto manual, de traço 1:2:1, sendo um saco


de cimento CPII-Z 32, para dois carrinhos de areia, para um carrinho de brita e
adição de água sem controle, os colaborados enchiam as superestruturas com
a ajuda de baldes. Não existia a presença de testes de resistência do concreto.
Na mesma medida em que se colocava certa quantidade de concreto, o
pedreiro, com auxílio de um pedaço de barra de aço para as vigas e com a
ajuda de um martelo para os pilares, fazia o adensamento do material. Nos
pilares, inicialmente enchia-se a medida de 150 cm e com o andamento do
levantamento da alvenaria, preenchia-se o restante. Na concretagem das
vigas, a estrutura era preenchida de modo que ficasse com um espaço vazio
para que fosse feita a amarração da armadura da laje. A cura do concreto era
feita por três vezes ao dia durante três dias e a retirada das formas das vigas
se dava com o passar de um dia para as laterais e quatro dias para a base e
dos pilares após um dia já eram retiradas todas as formas. (Ver figura 7 e 8).

FIGURA 7 – Execução da concretagem das vigas

Fonte: Autor (2018)


18

FIGURA 8 – Adensamento do concreto

Fonte: Autor (2018)

3.2.5 Execução do chapisco e reboco

Para garantir a aderência do reboco paulista à alvenaria foi realizado o


chapisco. Reboco paulista é mais conhecido como o tipo de revestimento que
une em um só serviço o emboço e reboco. Concluído o chapisco, deu-se início
ao reboco, onde a argamassa utilizada era de traço 1:6, sendo um saco de
cimento CPII-Z 32 para seis carrinhos de massame e água adicionada aos
poucos, sem nenhum controle. Inicialmente eram colocadas taliscas (pequenos
pedaços de peças cerâmicas) como o ponto de partida para que se retirasse o
prumo, em seguida, com auxilio de uma colher de pedreiro, era adicionada a
argamassa e posteriormente era utilizada a régua e desempenadeira para
realizar o acabamento. (Ver figura 9).
19

FIGURA 9 – Execução do reboco

Fonte: Autor (2018)

3.2.6 Execução do contra piso

Dando continuidade nas tarefas após o término do reboco de toda


alvenaria, começou a ser executado o aterro de pisos irregulares e como
material da atividade empregava-se o entulho e em alguns locais eram
acrescentados areia. O traço usado para concretagem era de 1:3:2, sendo um
saco de cimento, para dois carrinhos de areia, para dois carrinhos de brita e
adição de água sem controle. O serviço realizava-se com a colocação de
taliscas que serviam como base para que fosse retirado o nível do piso. A
concretagem era realizada com o auxílio de carrinho de mão e espalhava-se o
20

material com a ajuda da colher de pedreiro. Para dar acabamento utilizava-se


régua e desempenadeira. (Ver figura 10 e 11).

FIGURA 10 – Contra piso recém finalizado

Fonte: Autor (2018)

FIGURA 11 – Correção e acabamento do contra piso

Fonte: Autor (2018)


21

4 PONTOS NEGATIVOS ENCONTRADOS

Infelizmente algumas atividades eram interrompidas por falta de


material, levando muitas vezes a equipe a deixar o ambiente de trabalho para
irem as suas respectivas casas, causando atrasos e transtornos nas atividades.
Ocorreu também falha na leitura do projeto, pois os pilares deveriam ter sido
realizados antes da alvenaria.

Em relação ao canteiro de obras, não se tinha organização de materiais,


equipamentos, ferramentas e nem muito menos banheiros. O ambiente era
sujo e para piorar a situação os usuários do mercado público lançavam lixo por
cima do tapume da obra, como se a mesma fosse um lixão. Não possuía
sistema de instalações elétricas e a água utilizada vinha de uma caixa d’água
utilizada pelos donos dos comércios. (Ver figura12, 13 e 14).

FIGURA 12 – Estocagem incorreta dos sacos de cimento

Fonte: Autor (2018)


22

FIGURA 13– Armazenamento inadequado das barras de aço

Fonte: Autor (2018)

FIGURA 14 – Brita armazenada ao lado de um esgoto

Fonte: Autor (2018)

Se tratando de segurança do trabalho, um item de extrema importância


para o bom funcionamento das atividades, a empresa não fornecia
Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e nem Equipamentos de Proteção
Coletiva (EPC). O descaso com esses materiais pode ocasionar sérios danos à
saúde do trabalhador assim como à própria empresa.
23

5 CONCLUSÃO

O estágio teve como finalidade a absorção de prática e conhecimento que


só é adquirida com o passar dos dias em meio ao convívio no canteiro de
obras. O mesmo proporciona ao aluno estagiário uma nova forma de enxergar
a teoria que é vista em sala de aula, fazendo com que se desperte o senso
critico para a resolução de falhas e problemas que acontecem na execução dos
serviços. Prepara o profissional para o mercado de trabalho, alertando-o do
quanto será cobrado no cenário atual, tornando-o cada vez mais exigente e
competitivo consigo mesmo, para que possa alcançar os seus objetivos.
É uma experiência totalmente satisfatória e benéfica para quem a realiza e
permite que o aluno conheça e compreenda com que área da construção civil
mais se identifica, já que a mesma tem uma grande variedade de atividades.
A mente do profissional se abre e o mesmo tem como reconhecer suas
limitações. Vale também salientar que o estágio melhora as relações
interpessoais e proporciona novas amizades.
24

REFERÊNCIAS

PIMENTA, Selma G, LIMA Maria S. Lucena. Estágio e Docência. São Paulo:


Cortez, 2004. (Coleção docência em formação, séries saberes pedagógicos).
PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTEIRO. Disponível em:
<http://www.monteiro.pb.gov.br/>. Acesso em 09 de Jul. de 2018.