Вы находитесь на странице: 1из 51
Orientação para apresentação de EMENDAS PARLAMENTARES ao orçamento de 2019 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO 2019

Orientação para apresentação de

Orientação para apresentação de EMENDAS PARLAMENTARES ao orçamento de 2019 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO 2019

EMENDAS

PARLAMENTARES

ao orçamento de 2019

Orientação para apresentação de EMENDAS PARLAMENTARES ao orçamento de 2019 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO 2019
Orientação para apresentação de EMENDAS PARLAMENTARES ao orçamento de 2019 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO 2019

MINISTÉRIO

DA

EDUCAÇÃO

2019

Orientação para apresentação de

Orientação para apresentação de

EMENDAS

PARLAMENTARES

ao orçamento de 2019

Mensagem ao

Parlamentar

7

Apresentação

9

Princípios Orçamentários

11

Educação Básica Programa de Fomento às Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral (EMTI)

13

Programa de Apoio à Implementação da Base Nacional Comum Curricular (ProBNCC) 16

da Base Nacional Comum Curricular (ProBNCC) 16 SUMÁRIO Formação para Temas Transversais 18
SUMÁRIO
SUMÁRIO
da Base Nacional Comum Curricular (ProBNCC) 16 SUMÁRIO Formação para Temas Transversais 18 Plano de

Formação para

Temas Transversais

18

Plano de Ações Articuladas (PAR)

21

Infraestrutura para Educação Infantil

23

Construção e Ampliação de Escolas da Educação Infantil

24

Reforma, Ampliação e Construção de Novas Escolas

26

Construção de Novas Escolas de Ensino Fundamental

27

Reforma e Ampliação de Escolas Existentes

29

Construção de Quadras Esportivas Escolares Cobertas e Coberturas para Quadras Esportivas Existentes

31

Painéis Solares (aquisição e instalação)

33

Caminho da Escola (ônibus escolares)

35

Mobiliários e Equipamentos Escolares

37

Instrumentos Musicais

39

Brinquedos e Materiais Escolares

41

Formação de Professores

44

Educação Digital: equipamentos de tecnologia para uso pedagógico

46

Inovação e Tecnologia na Educação

47

Educação Especial

50

Educação Profissional e Tecnológica Reestruturação e Modernização da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica

55

Expansão da Rede Federal de Educação Profissional

56

Fomento ao Desenvolvimento da Educação Profissional e Tecnológica

57

Educação Profissional e Tecnológica – cursos técnicos e de qualificação profissional

60

Educação Profissional e Tecnológica a Distância (e-Tec Brasil)

62

Funcionamento das Instituições Federais de Educação Profissional e Tecnológica

64

Apoio ao Funcionamento das Instituições Federais de Educação Profissional, Científica e Tecnológica

65

Assistência ao Estudante da Educação Profissional e Tecnológica

66

Projetos de Extensão e Promoção da Acessibilidade nas Instituições Federais de Educação Profissional e

Tecnológica

67

Apoio à Rede Pública Estadual de Educação Profissional e Tecnológica (BrasilPro)

71

Educação Superior Adequação e Modernização das Instituições Federais de Ensino Superior

75

Ampliação e Expansão das Instituições Federais de Ensino Superior

76

Funcionamento das Instituições Federais de Ensino Superior

77

Apoio ao Funcionamento das Instituições Federais de Educação Superior

78

Assistência ao Estudante das Instituições Federais de Ensino Superior

80

Projetos de Extensão e Promoção da Acessibilidade nas Instituições Federais de Ensino Superior

82

Apoio a Entidades de Ensino Superior Públicas não Federais

86

Modernização e Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (REHUF)

87

Funcionamento dos Hospitais Universitários Federais

88

Anexos Anexo I – Códigos de subtítulo ou localizador de gasto

92

Anexo II – Unidades Orçamentárias dos Institutos Federais

93

Anexo III – Unidades Orçamentárias das Universidades Federais

94

Anexo IV – Unidades Orçamentárias dos Hospitais Universitários Federais

95

Anexo V – Orientações para o preenchimento do formulário de emenda ao Orçamento de 2019

96

MENSAGEM AO PARLAMENTAR O Governo Federal tem envidado esforços para melhor servir à sociedade, respeitando
MENSAGEM AO PARLAMENTAR
MENSAGEM AO
PARLAMENTAR
MENSAGEM AO PARLAMENTAR O Governo Federal tem envidado esforços para melhor servir à sociedade, respeitando os

O Governo Federal tem envidado esforços para melhor servir à sociedade,

respeitando os direitos fundamentais da cidadania e da garantia da universalização

do acesso aos serviços públicos essenciais, especialmente à educação.

Para que sejam ampliados os resultados já alcançados, faz-se necessária a cooperação entre os poderes, a ser traduzida em benefícios para regiões, estados e municípios.

O Ministério da Educação (MEC) considera imperioso a ampliação de

estratégias que sejam capazes de qualificar ainda mais os serviços públicos da educação, especialmente aquelas vinculadas à execução orçamentária de programas, ações e projetos tão importantes para o alcance dos resultados almejados.

As emendas parlamentares são a forma democrática de representantes do

povo apresentarem propostas para investir os recursos do governo federal para o atendimento de demandas específicas da sociedade, fortalecendo os laços entre o legislativo, o executivo e o povo brasileiro.

Esta cartilha possui importantes orientações para a apresentação de emendas parlamentares, visando nortear a alocação de recursos públicos destinados ao desenvolvimento, à ampliação e ao fortalecimento das políticas públicas educacionais. Assim, este Ministério apresenta um conjunto de ações desenvolvidas para as quais Vossa Excelência poderá propor a destinação de recursos, como construção de escolas, melhoria da infraestrutura física e pedagógica, fornecimento de materiais didáticos e atividades de formação dos profissionais da educação, dentre outras ações.

Ministério da Educação

APRESENTAÇÃO O compromisso do MEC com a qualidade da educação em todos os níveis, etapas
APRESENTAÇÃO
APRESENTAÇÃO
APRESENTAÇÃO O compromisso do MEC com a qualidade da educação em todos os níveis, etapas e

O

compromisso do MEC com a qualidade da educação em todos os níveis, etapas

e

modalidades de ensino se encontra alinhado com as diretrizes e metas do

Plano Nacional de Educação (PNE), bem como refletido em programas e projetos passíveis de serem contemplados em emendas parlamentares.

Nesse sentido, para o ano de 2019, os parlamentares poderão utilizar esta Cartilha para orientação quanto aos programas e projetos do MEC que podem ser objetos de emendas relacionados com a educação básica, educação profissional e tecnológica e ensino superior.

Esses programas e ações englobam, no âmbito da Educação Básica,

transporte escolar, reforma, ampliação e construção de creches, escolas urbanas

e rurais, além da aquisição de produtos, mobiliários e equipamentos, tais como

materiais escolares, brinquedos pedagógicos e Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs), dentre outros.

No âmbito da educação superior e da educação profissional e tecnológica,

destacam-se os programas de assistência ao educando, na perspectiva de apoiar

a

permanência de alunos de baixa renda nos cursos de educação profissional

e

superior. Evidencia-se também a modernização e reestruturação de

universidades, institutos e hospitais universitários federais, visando à otimização

de seu funcionamento.

A expectativa deste Ministério é que a destinação de emendas

parlamentares seja de grande importância para o êxito do Plano Nacional

de Educação, uma vez que deve focar na ampliação das ações educacionais,

fortalecendo a escola pública e oferecendo melhores condições para a educação

de crianças, jovens e adultos.

PRINCÍPIOS ORÇAMENTÁRIOS De acordo com a Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2019 (LDO-2019), as emendas
PRINCÍPIOS ORÇAMENTÁRIOS
PRINCÍPIOS
ORÇAMENTÁRIOS
PRINCÍPIOS ORÇAMENTÁRIOS De acordo com a Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2019 (LDO-2019), as emendas direcionadas

De acordo com a Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2019 (LDO-2019), as emendas direcionadas às programações do Ministério da Educação poderão alocar recursos para qualquer programação de custeio de natureza discricionária, ao passo que as emendas alocadas no Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) poderão ser destinadas ao apoio ao desenvolvimento da educação básica em todas as suas etapas e modalidades (Art. 70).PRINCÍPIOS ORÇAMENTÁRIOS As emendas de Bancada Estaduais deverão se restringir à quantidade estabelecida na

As emendas de Bancada Estaduais deverão se restringir à quantidade estabelecida na LDO-2019, de seis por bancada e, no processo de execução orçamentária e financeira, não podem ser objeto de fragmentação para mais de uma programação, ou seja, cada emenda de Bancada só poderá beneficiar uma única Unidade Orçamentária combinada com uma única funcional programática/ação/ subtítulo.básica em todas as suas etapas e modalidades (Art. 70). As emendas orçamentárias deverão ser solicitadas

com uma única funcional programática/ação/ subtítulo. As emendas orçamentárias deverão ser solicitadas nas

As emendas orçamentárias deverão ser solicitadas nas ações orçamentárias indicadas neste manual, não se deve utilizar ações abrangentes para despesas que possuem ações específicas. Conforme preconiza a LDO, “as atividades que possuem a mesma finalidade devem ser classificadas sob um único código, independentemente da unidade executora. ”.

único código, independentemente da unidade executora. ”. Algumas políticas são desenvolvidas por mais de uma ação

Algumas políticas são desenvolvidas por mais de uma ação orçamentária, como é o caso do Programa de Apoio à Implementação da Base Nacional Comum Curricular (ProBNCC).

Destacamos a importância da articulação entre os parlamentares e as entidades beneficiadas para que a destinação dos recursos continue sendo realizada de acordo com as prioridades definidas por esses entes no Módulo PAR do SIMEC. (http://simec.mec.gov.br/).

de acordo com as prioridades definidas por esses entes no Módulo PAR do SIMEC. (http://simec.mec.gov.br/). 10
EDUCAÇÃO BÁSICA DESCRIÇÃO DOS PROGRAMAS E PROJETOS A educação básica é o caminho para assegurar

EDUCAÇÃO

BÁSICA

EDUCAÇÃO BÁSICA DESCRIÇÃO DOS PROGRAMAS E PROJETOS A educação básica é o caminho para assegurar a
DESCRIÇÃO DOS PROGRAMAS E PROJETOS
DESCRIÇÃO
DOS PROGRAMAS
E PROJETOS
EDUCAÇÃO BÁSICA DESCRIÇÃO DOS PROGRAMAS E PROJETOS A educação básica é o caminho para assegurar a
EDUCAÇÃO BÁSICA DESCRIÇÃO DOS PROGRAMAS E PROJETOS A educação básica é o caminho para assegurar a
EDUCAÇÃO BÁSICA DESCRIÇÃO DOS PROGRAMAS E PROJETOS A educação básica é o caminho para assegurar a
EDUCAÇÃO BÁSICA DESCRIÇÃO DOS PROGRAMAS E PROJETOS A educação básica é o caminho para assegurar a

A educação básica é o caminho para assegurar a todos os brasileiros a formação

comum indispensável para o exercício da cidadania e lhes fornecer os meios para

progredir no trabalho e em estudos posteriores. Atualmente, os documentos que

norteiam a educação básica são a Lei nº 9.394/1996, que estabelece as Diretrizes

e Bases

da

Educação

Nacional (LDB), as

Diretrizes

Curriculares

Nacionais

para

a Educação Básica e o Plano Nacional de Educação, este aprovado pelo Congresso

Nacional em 25 de junho de 2014. Outros documentos fundamentais são a Constituição

da República Federativa do Brasil e o Estatuto da Criança e do Adolescente. O MEC,

objetivando envidar esforços para o fortalecimento desse nível de ensino, realiza as

ações descritas a seguir.

nível de ensino, realiza as ações descritas a seguir. PROGRAMA DE FOMENTO ÀS ESCOLAS DE ENSINO
PROGRAMA DE FOMENTO ÀS ESCOLAS DE ENSINO MÉDIO EM TEMPO INTEGRAL (EMTI)
PROGRAMA DE FOMENTO ÀS ESCOLAS DE
ENSINO MÉDIO EM TEMPO INTEGRAL
(EMTI)

O MEC tem fomentado estratégias de apoio, visando estabelecer ações conjuntas

entre os entes federados que propiciem novas organizações curriculares para o

novo ensino médio compatíveis com as perspectivas da sociedade contemporânea

e com os anseios dos jovens, em conformidade com a Lei nº 13.415/2017, além

do compromisso disposto no PNE de oferecer educação em tempo integral em,

no mínimo, 50% das escolas públicas, de forma a atender, pelo menos, 25% dos

estudantes da educação básica.

Nesse contexto, o Programa de Fomento às Escolas de Ensino Médio em Tempo

Integral tem como objetivo geral apoiar a ampliação da oferta de educação de ensino

médio em tempo integral nas redes públicas dos estados e do Distrito Federal, por

meio da transferência de recursos às secretarias estaduais e distrital de educação

que participarem do programa, conforme os critérios definidos na Portaria MEC nº

727, de 13 junho de 2017.

Os

recursos

transferidos

para

apoio

ao

Programa

devem

ser

utilizados

exclusivamente em

despesas para a manutenção e desenvolvimento do ensino

nas

escolas

participantes. Conforme

a

Lei nº 13.415/2017

e

a

Resolução/CD/

FNDE nº 7/2016, os recursos podem ser utilizados nas seguintes despesas para a

manutenção das escolas de ensino médio integral participantes:

I – remuneração e aperfeiçoamento do pessoal docente e demais profissionais

da educação;

II

– aquisição, manutenção, construção e conservação de instalações e

Produto da ação: Iniciativa Apoiada

equipamentos necessários ao ensino;

III – uso e manutenção de bens e serviços vinculados ao ensino;

V – realização de atividades-meio necessárias ao funcionamento dos sistemas

de ensino; [

]

e

VIII – aquisição de material didático-escolar e manutenção de programas de

transporte escolar. (Lei nº 9.394/1996, art. 70)

Para garantir qualidade ao Programa, é importante que os investimentos

tenham

foco nas ações de formação continuada dos profissionais de educação

das secretarias e das escolas; no financiamento de construções de refeitórios,

laboratórios

e

outros

ambientes

de

aprendizagem;

na

aquisição

de

materiais

pedagógicos, tais como robótica, equipamentos para laboratórios, dentre outros.

Maiores informações sobre a utilização de recursos do programa podem ser

obtidas acessando o Manual de Execução Financeira do Programa de Fomento

às

Escolas

de

Ensino

FNDE

7/2016,

no

Médio

em

Tempo

Integral,

anexo

2

da

Resolução/CD/

sítio

eletrônico:

https://www.fnde.gov.br/fndelegis/action/

ActionDatalegis.php? cod_menu=926&cod_modulo=21&acao=abrirTreeview.

Para que serve:

• Fomentar a oferta de educação de qualidade em tempo integral no ensino médio;

• Reduzir o abandono e a reprovação dos estudantes no ensino médio das escolas

participantes;

• Melhorar os índices de aprendizagem dos estudantes de ensino médio das

escolas participantes;

• Priorizar o atendimento de estudantes em contextos de vulnerabilidade nas

escolas em tempo integral;

• Fomentar o protagonismo juvenil e flexibilização curricular.

Vinculação Orçamentária

Ação: 0509 – Apoio ao Desenvolvimento da Educação Básica

Descrição: Apoio a iniciativas voltadas para o desenvolvimento, a universalização

e

a

melhoria

do

processo

educacional em

todas as etapas e

modalidades da

educação básica; apoio a instituições públicas de todas as esferas do governo para

o desenvolvimento de ações que visem à melhoria da qualidade do ensino; apoio à

implementação de programas e políticas para a educação básica geridos pelo MEC

e unidades vinculadas.

Especificação

do

Produto:

Consideram-se

Iniciativa

Apoiada

entes

federados beneficiados, entidades públicas de todas as esferas do governo,

organizações não governamentais e organismos internacionais beneficiados,

projetos educacionais apoiados.

Funcional Programática Esfera Unidade Função Subfunção Programa Ação Localizador Orçamentária
Funcional Programática
Esfera
Unidade
Função
Subfunção
Programa
Ação
Localizador
Orçamentária
Orçamentária
10
26298
12
368
2080
0509
XXXX
Fiscal
FNDE
Educação
Educação
Básica
Educação
Apoio ao
de qualidade
desenvolvimento
para todos
da educação
básica

Informar o código de subtítulo ou localizador de gasto, conforme o anexo I

de subtítulo ou localizador de gasto, conforme o anexo I PROGRAMA DE APOIO À IMPLEMENTAÇÃO DA
PROGRAMA DE APOIO À IMPLEMENTAÇÃO DA BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR (PROBNCC)
PROGRAMA DE APOIO À IMPLEMENTAÇÃO
DA BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR
(PROBNCC)

No dia 20 de dezembro de 2017 a educação brasileira teve um marco histórico, com

a homologação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) nas etapas da educação

infantil e ensino fundamental.

A BNCC é um documento de caráter normativo que define o conjunto orgânico

e progressivo de aprendizagens essenciais que todos os alunos devem desenvolver

ao longo das etapas e modalidades da educação básica, de modo que tenham

assegurados seus direitos de aprendizagem e desenvolvimento, em conformidade

com o que preceitua o Plano Nacional de Educação (PNE).

Para garantir que esse normativo seja efetivamente implementado e que estados

e municípios, em regime de colaboração, elaborem seus documentos curriculares

à luz da BNCC, foi instituído, pelo MEC, CONSED e UNDIME, o Programa de Apoio à

Implementação da Base Nacional Comum Curricular – ProBNCC.

O ProBNCC está normatizado pela Portaria MEC nº 331, de 5 de abril de 2018, e

tem o propósito de apoiar as Secretarias Estaduais e Distrital de Educação – SEDEs e

as Secretarias Municipais de Educação – SMEs no processo de revisão ou elaboração

e implementação de seus currículos alinhados à BNCC, em regime de colaboração

As emendas parlamentares podem direcionar recursos para o programa, cujo

apoio aos estados e municípios acontece em três frentes de ação:

I - Assistência financeira, com vistas a assegurar: qualidade técnica na construção

do documento curricular em regime de colaboração entre estados, Distrito Federal

e

municípios, e disseminação dos currículos elaborados à luz da BNCC;

II

- Formação oferecida pelo MEC das equipes técnicas de currículo e gestão do

Programa;

III - Assistência técnica que contempla apoio à gestão do programa, elaboração,

impressão e distribuição de materiais de apoio sobre a BNCC e currículos, e

soluções informatizadas para (re) elaboração do currículo e realização de consultas

públicas, dentre outras.

Para que serve:

• Apoiar os estados e os municípios a (re) elaborarem seus currículos à luz da

BNCC;

• Superar a fragmentação das políticas educacionais através do Regime de

Colaboração;

• Garantir aprendizagem essenciais aos alunos de todas as redes da Educação

Básica em âmbito nacional, em conformidade com o que preceitua o Plano Nacional

de Educação (PNE).

Vinculação orçamentária (apoiar os estados e os municípios a (re) elaborarem seus currículos à luz da BNCC):

Ação: 0509 – Apoio ao Desenvolvimento da Educação Básica

Descrição: Apoio a iniciativas voltadas para o desenvolvimento, a universalização

e

a

melhoria

do

processo

educacional

em

todas

as

etapas

e

modalidades

da

educação básica; apoio a instituições públicas de todas as esferas do governo para

o desenvolvimento de ações que visem à melhoria da qualidade do ensino; apoio à

implementação de programas e políticas para a educação básica geridos pelo MEC e

unidades vinculadas.

Produto da ação: Iniciativa Apoiada.

Especificação

do

Produto: Consideram-se

Iniciativa

Apoiada

entes

federados

beneficiados, entidades públicas de todas as esferas do governo, organizações

não

governamentais

e

organismos

educacionais apoiados.

internacionais

beneficiados,

projetos

Funcional Programática Esfera Unidade Função Subfunção Programa Ação Localizador Orçamentária
Funcional Programática
Esfera
Unidade
Função
Subfunção
Programa
Ação
Localizador
Orçamentária
Orçamentária
10
26298
12
368
2080
0509
XXXX
Fiscal
FNDE
Educação
Educação
Básica
Educação
Apoio ao
de qualidade
desenvolvimento
para todos
da educação
básica

Informar o código de subtítulo ou localizador de gasto, conforme o anexo I

Vinculação orçamentária (formação das equipes técnicas de currículo e gestão do Programa):

Ação: 20RJ - Apoio à Capacitação e Formação Inicial e Continuada para a

Educação Básica

Descrição: Incentivo e promoção da formação inicial e continuada para a Educação

Básica nas modalidades presencial e a distância; desenvolvimento de programas, cursos,

pesquisas, estudos, projetos, plataformas, avaliações, mobilidade nacional e internacional

de profissionais do magistério e de estudantes de nível superior, por meio de apoio técnico,

pedagógico e financeiro, inclusive ao sistema Universidade Aberta do Brasil – UAB,

visando à melhoria da qualidade do ensino, considerando programas específicos para

população indígena, do campo e quilombola; a formação para a docência intercultural; o

ensino da história e cultura indígena, afro-brasileira e africana; o atendimento educacional

especializado; a educação de jovens e adultos; a educação em direitos humanos; a

educação ambiental; as relações étnico-raciais e de gênero; a diversidade sexual; a política

da educação especial na perspectiva da educação inclusiva.

Produto da ação: Projeto Apoiado.

Especificação do Produto: Consideram-se Projeto Apoiado o curso, programa,

estudo ou pesquisa promovidos com recursos desta ação.

   

Funcional Programática

 
 

Esfera

 

Unidade

 

Função

 

Subfunção

 

Programa

 

Ação

Localizador

Orçamentária

Orçamentária

       
 

10

26101

 

12

 

368

 

2080

 

20RJ

XXXX

         
         
         

Fiscal

Administração

Fiscal Administração
 

direta

Educação

  direta Educação
 

Educação

  Educação  
  Educação  
 
 

Básica

Educação

Apoio à Capacitação e Formação Inicial e Continuada para a Educação Básica

 

de qualidade

para todos

a Educação Básica   de qualidade para todos Informar o código de subtítulo ou localizador de

Informar o código de subtítulo ou localizador de gasto, conforme o anexo I

FORMAÇÃO PARA TEMAS TRANSVERSAIS Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e
FORMAÇÃO PARA TEMAS TRANSVERSAIS
FORMAÇÃO PARA
TEMAS TRANSVERSAIS

Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e

para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana; Parecer CNE/CEB

nº 14/2015, com as Diretrizes Operacionais para a implementação da história e

das culturas dos povos indígenas na Educação Básica, em decorrência da Lei nº

11.645/2008 configura-se como conteúdo pedagógico e curricular obrigatório,

O

Ministério

da

Educação

tem

fomentado

estratégias

de

apoio,

visando

conforme disposto no Artigo 26-A da LDB.

 

estabelecer

ações

conjuntas

entre

os

entes

federados

que

propiciem

novas

 

Assim,

visando

fortalecer

a

implementação

das

Diretrizes

Curriculares

organizações

curriculares

compatíveis

com

as

perspectivas

e

anseios

da

Nacionais do CNE para as modalidades da educação básica; a implementação

sociedade contemporânea. Com o marco da elaboração da Base Nacional Comum

Curricular (BNCC), prevista na Lei de Diretrizes e Bases e no Plano Nacional de

Educação, homologada pelo Parecer CNE/CP nº 15/2017, toda a Educação Básica

(educação infantil, ensino fundamental e ensino médio) foi contemplada. A BNCC é

fruto de amplo processo de debate e negociação com diferentes atores do campo

educacional e com a sociedade brasileira.

da educação para as relações étnico-raciais; a implementação da educação em

direitos humanos e a inserção dos Temas Transversais na Educação Básica, o

apoio parlamentar para a alocação de recursos às instituições de ensino superior,

sob

a coordenação deste Ministério da Educação, será de grande importância

para o desenvolvimento de processos formativos para estudantes, professores e

gestores.

O

novo texto da BNCC (MEC, 2017, pp 19-20) orienta os sistemas e redes de

A

ação

proposta

se

dará

em

apoio

aos

processos

formativos

nas

ensino, assim como as escolas, em suas respectivas esferas de autonomia e

modalidades

de

Extensão,

Especialização

e

Aperfeiçoamento,

abordando

os

competência, a incorporar aos currículos e às propostas pedagógicas a abordagem

de temas contemporâneos que afetam a vida humana em escala local, regional e

global, preferencialmente de forma transversal e integradora.

Nesse sentido, os temas Transversais da Educação Básica são 14, destacando-

se: 1) Direitos da Criança e do Adolescente (Lei nº 8.069/199016), 2) Educação

para o Trânsito (Lei nº 9.503/199717), 3) Educação Ambiental (Lei nº 9.795/1999,

Parecer

CNE/CP

nº 14/2012

e

Resolução

CNE/CP

nº 2/201218), 4) Educação

Alimentar e Nutricional (Lei nº 11.947/200919), 5) Processo de envelhecimento,

respeito e valorização do idoso (Lei nº 10.741/200320), 6) Educação em Direitos

Humanos (Decreto nº 7.037/2009, Parecer CNE/CP nº 8/2012 e Resolução CNE/

CP nº 1/201221), 7) Educação das relações étnico-raciais e ensino de história e

cultura afro-brasileira, africana e indígena (Leis nº 10.639/2003 e 11.645/2008,

Parecer CNE/CP nº 3/2004 e Resolução CNE/CP nº 1/200422), 8) Saúde, 9) Vida

familiar e social, 10) Educação para o consumo, 11) Educação Financeira e Fiscal,

12) Trabalho, 13) Ciência e Tecnologia e 14) Diversidade Cultural (Parecer CNE/CEB

nº 11/2010 e Resolução CNE/CEB nº 7/201023).

A temática da educação das relações étnico-raciais e ensino de história e

cultura afro-brasileira, africana e indígena (Leis nº 10.639/2003 e 11.645/2008)

normatizada pelo Parecer CNE/CP nº 3/2004 e Resolução CNE/CP nº 1/2004 –

14 temas transversais direcionados aos estudantes, professores e gestores da

educação básica. Os processos formativos deverão ser ofertados e realizados

pelas

faculdades, centros

universitários

e

universidades

federais, estaduais,

comunitárias, confessionais públicas e privadas reconhecidas e credenciadas pelo

MEC. Os cursos podem ser oferecidos nas modalidades presencial e a distância

(EaD).

Essa Iniciativa pode ser implementada de quatro formas:

• Orçamento para o estado;

• Orçamento para os municípios;

• Orçamento direto para a união – MEC; ou

• Orçamento direto para uma universidade federal .

Vinculação Orçamentária (implementação nos estados e municípios):

Ação: 0509 – Apoio ao Desenvolvimento da Educação Básica

Descrição: Apoio a iniciativas voltadas para o desenvolvimento, a universalização

e

a

melhoria

do

processo

educacional em

todas as etapas e

modalidades da

educação básica; apoio a instituições públicas de todas as esferas do governo para

o desenvolvimento de ações que visem à melhoria da qualidade do ensino; apoio à

implementação de programas e políticas para a educação básica geridos pelo MEC

e unidades vinculadas.

Produto da ação: Iniciativa Apoiada

Especificação

do

Produto:

Consideram-se

Iniciativa

Apoiada

entes

federados beneficiados, entidades públicas de todas as esferas do governo,

a comunidade, inclusive por meio de oferta de bolsas. Formação de grupos tutoriais

de alunos visando a otimizar seu potencial acadêmico e promover a integração entre

a atividade acadêmica com a futura atividade profissional, melhorando as condições

de ensino-aprendizagem.

Produto da ação: Iniciativa Apoiada

organizações não governamentais e organismos internacionais beneficiados,

Especificação

do

Produto:

Consideram-se

Iniciativa

Apoiada

o

programa

projetos educacionais apoiados.

ou

o

projeto

educacional, de

pesquisa

científica-tecnológica, de

educação

Funcional Programática Esfera Unidade Função Subfunção Programa Ação Localizador Orçamentária
Funcional Programática
Esfera
Unidade
Função
Subfunção
Programa
Ação
Localizador
Orçamentária
Orçamentária
10
26298
12
368
2080
0509
XXXX
Fiscal
FNDE
Educação
Educação
Básica
Educação
Apoio ao
de qualidade
desenvolvimento
para todos
da educação
básica

Informar o código de subtítulo ou localizador de gasto, conforme o anexo I

Vinculação Orçamentária (implementação no MEC ou nas universidades):

Ação: 20GK – Fomento às Ações de Graduação, Pós-Graduação, Ensino, Pesquisa

e Extensão.

Descrição: Desenvolvimento de programas e projetos no âmbito das Instituições

de Ensino Superior (IES), Instituições Científicas, Tecnológicas e de Inovação (ICTs),

hospitais universitários e da EBSERH voltados a: pesquisa, tutoria e extensão na

graduação e na pós-graduação; implementação de ações educativas e culturais;

formação,

aperfeiçoamento

Pós-Graduação. Incentivo

e

e

pesquisa

de

interesse

do

Sistema

Nacional

de

promoção

de

ações

de

integração

ensino

serviço-

comunidade, em cenários de aprendizagem vinculados ao SUS. Apoio à implantação

de novas diretrizes curriculares de cursos de graduação no âmbito das IES públicas;

à promoção e incentivo à participação em

congressos, seminários e simpósios

científicos e culturais; premiação de pesquisadores; bem como demais atividades

inerentes às ações de pesquisa, tutoria e extensão. Apoio à edição de obras científicas

e educacionais, assim como à permanência de estudantes e pesquisadores em

missão de estudo no exterior. Suporte a iniciativas e projetos que visem à consolidação

dos conhecimentos com

a prática, mediante atividades voltadas à coletividade,

viabilizando a indissociabilidade entre pesquisa, tutoria e extensão, bem como a

vivência social e comunitária e a integração entre a IES e hospitais universitários e

tutorial, de formação e aperfeiçoamento na área de saúde, e de extensão

universitária

promovido;vento

científico

e

cultural

promovido;

bem

como iniciativa de fomento às ações de graduação, pós-graduação, ensino,

pesquisa

e

extensão

promovida

com

recursos

desta

ação

orçamentária.

   

Funcional Programática

 
 

Esfera

 

Unidade

 

Função

 

Subfunção

 

Programa

 

Ação

Localizador

Orçamentária

Orçamentária

       
 

10

XXXXX

 

12

 

364

 

2080

 

20GK

XXXX

         
         
         

Fiscal

 
Fiscal  
 

Escolher uma UO do Anexo III

Educação

  Escolher uma UO do Anexo III Educação

Educação

Educação  
Educação  
 
 

Superior

Educação

Fomento às ações de Graduação, Pós-graduação Ensino , Pesquisa e Extensão

 

de qualidade

para todos

Pesquisa e Extensão   de qualidade para todos Informar o código de subtítulo ou localizador de

Informar o código de subtítulo ou localizador de gasto, conforme o anexo I

de subtítulo ou localizador de gasto, conforme o anexo I PLANO DE AÇÕES ARTICULADAS (PAR) O
PLANO DE AÇÕES ARTICULADAS (PAR)
PLANO DE AÇÕES
ARTICULADAS (PAR)

O Plano de Ações Articuladas (PAR) é uma estratégia de assistência técnica e

financeira

iniciada

pelo

Plano

de

Metas

Compromisso

Todos

pela

Educação,

instituído pelo Decreto nº 6.094, de 24 de abril de 2007, fundamentada no Plano

de Desenvolvimento da Educação (PDE), que consiste em

oferecer aos entes

federados um instrumento de diagnóstico e planejamento de política educacional,

concebido para estruturar e gerenciar metas definidas de forma estratégica e

contribuir para a construção de um sistema nacional de ensino.

Trata-se de uma estratégia para o planejamento plurianual das políticas de

educação, em que os entes subnacionais elaboram plano de trabalho a fim de

desenvolver ações que contribuam para a ampliação da oferta, permanência e

melhoria das condições escolares e, consequentemente, para o aprimoramento

do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de suas redes públicas

de ensino.

Nesse contexto, o PAR apresenta indicadores definidos a partir do diagnóstico

e planejamento local, consolidados anualmente, para quatro dimensões:

• Gestão educacional;

• Formação de professores, dos profissionais de serviço e apoio escolar; ·

• Práticas pedagógicas e de avaliação;

• Infraestrutura física e recursos pedagógicos.

Destaca-se

a

importância

da

articulação

entre

os

parlamentares

e

as

entidades

beneficiadas

para

que

a

destinação

dos

recursos

continue

sendo

realizada de acordo com as prioridades definidas por esses entes no PAR. Os

recursos destinados por emendas parlamentares são de fundamental importância

para a execução das ações planejadas por estados, Distrito Federal e municípios.

A operacionalização

do

PAR

ocorre

de

forma

totalmente

informatizada,

por meio do Sistema Integrado de Monitoramento, Execução e Controle do MEC

(SIMEC), o que, entre outras vantagens, torna todos os procedimentos necessários

à sua implementação mais céleres e eficientes.

O acesso

ao

Módulo

PAR

para

Emendas

Parlamentares

será

realizado

por meio do SIMEC. Para acessá-lo, digite o endereço do Simec na barra de

seu navegador: http://simec.mec.gov.br. O Simec funciona melhor se usado os

navegadores Mozilla Firefox ou Google Chrome. Caso seja seu primeiro acesso ao

Simec, recorra ao Manual do Usuário, Etapa Preparatória e Diagnóstico, disponível

no espaço do PAR na página eletrônica do FNDE em: http://www.fnde.gov.br/

programas/par/areas-para-gestores/manuais.

Abrangência do PAR:

     

Ações

Ações de

Nível

Etapa

Modalidades

Pedagógicas

Infraestrutura

       

• Ampliação

• Construção

• Reforma

• Equipamentos

• Educação especial

• Acervos bibliográficos

• Ônibus escolares

• Ônibus acessível

Educação

Básica

• Educação infantil

• Ensino fundamental

• Ensino médio

• Ensino tecnológico e profissional

• Educação de jovens e

adultos

• Educação ambiental

• Educação do Campo

• Educação étnico-racial

• Educação indígena

• Educação quilombola

• Formação continuada e capacitação

• Jornada literária

• Material didático

• Material pedagógico

• Material escolar

• Material de consumo

• Cursos EAD

• Materiais esportivos

• Bicicleta e capacete

• Equipamentos e kit de

cozinha

• Brinquedos

• Quadras escolares

• Equipamentos de

climatização

• Instrumentos musicais

• Mobiliário

• Computadores, projetores e tablets

Estados, municípios e o Distrito Federal podem aderir a atas de registro de

preços do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) para adquirir uma

série de itens para suas redes de ensino. Informações sobre os itens registrados pelo

FNDE (preços e fornecedores registrados, especificações técnicas e orientações para

recebimento dos produtos, etc.) estão na página de Compras Governamentais: http://

www.fnde.gov.br/acoes/compras-governamentais/compras-nacionais/produtos

INFRAESTRUTURA PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL A construção de
INFRAESTRUTURA PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL
INFRAESTRUTURA PARA
A EDUCAÇÃO INFANTIL

A construção de creches e escolas de educação infantil faz parte do plano de ações

do MEC, que atua por meio de assistência financeira, em caráter suplementar, ao

Distrito Federal e aos municípios, para obras de infraestrutura em escolas públicas de

educação infantil.

De modo a facilitar a execução das obras e garantir o atendimento aos padrões

mínimos exigidos para a educação infantil, o MEC disponibiliza, em 2019, dois projetos

para atendimento a crianças de 0 a 6 anos de idade destinados à construção e

ampliações de escolas de ensino infantil: i) novos projetos de escolas de educação

infantil; ii) módulos para ampliação de escolas de educação infantil.

CONSTRUÇÃO E AMPLIAÇÃO DE ESCOLAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL i) Novos projetos de escolas de educação
CONSTRUÇÃO E AMPLIAÇÃO DE ESCOLAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL
CONSTRUÇÃO E AMPLIAÇÃO DE
ESCOLAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL

i) Novos projetos de escolas de educação infantil

Projeto Tipo 1 - Convencional – modelo de projeto padrão do FNDE para a

educação infantil, que atende 188 alunos em turno integral ou 376 em dois turnos

ii) Módulos para ampliação de escolas de educação infantil

Módulo de Educação Infantil Tipo A – Área construída de aproximadamente

176,34 m², que atenderá 48 alunos em turno integral ou 96 em dois turnos. Esse

módulo deve ser utilizado como uma ampliação de escolas do ensino básico,

urbanas ou rurais existentes, para possibilitar o atendimento das crianças da faixa

etária de seis meses a 5 anos e 11 meses.

Terreno (dimensões mínimas)

Área construída

Demanda Atendida

Definida pelo proponente

176,34 m²

Até 48 alunos por turno

e

poderá ser implantado em terreno com dimensões mínimas de 40m x 60m

Valor de referência: R$ 328.127,51 – SINAPI Brasília (janeiro de 2017.)

e

área construída de 1.317,99 m². O FNDE disponibiliza aos proponentes todas

as

informações

sobre

esse

projeto

no

site: http://www.fnde.gov.br/programas/

proinfancia/proinfancia-projetos-arquitetonicos-para-construcao/proinfancia-tipo-1.

Também estão disponíveis, além de informações sobre os documentos que

devem ser inseridos para a análise do FNDE, o projeto básico, o memorial descritivo

e a planilha orçamentária, documentos necessários para que o município possa

iniciar o processo licitatório após a aprovação técnica. Para a execução da obra, o

município deverá substituir o projeto básico pelo projeto executivo.

Terreno (dimensões mínimas)

Área construída

Demanda Atendida

40m x 60m

1.317,99 m²

188

alunos por turno

Valor de referência: R$ 2.439.693,73 – SINAPI Brasília (janeiro de 2017).

Projeto Tipo 2 – Convencional – modelo de projeto padrão do FNDE para

a educação infantil, que atenderá 94 alunos em turno integral ou 188 em dois

turnos e poderá ser implantado em terreno com dimensões mínimas de 35m

x 45m e área construída de 775,85 m².

O FNDE disponibiliza aos proponentes

todas as informações sobre esse projeto no seguinte link: http://www.fnde.gov.

br/programas/proinfancia/proinfancia-projetos-arquitetonicos-para-construcao/

proinfancia-tipo-2.

Também

estão disponíveis, além

de informações sobre os

documentos que devem ser inseridos para a análise do FNDE, o projeto básico, o

memorial descritivo e a planilha orçamentária para que o município possa iniciar o

processo licitatório após a aprovação técnica. Para a execução da obra, o município

deverá substituir o projeto básico pelo projeto executivo.

Terreno (dimensões mínimas)

Área construída

Demanda Atendida

35m x 45m

775,85 m²

94

alunos por turno

Valor de referência: R$ 1.532.546,87 – SINAPI Brasília (janeiro de 2017).

Módulo de Educação Infantil Tipo B – Área construída de aproximadamente

115,46 m², que atenderá 48 alunos em

turno integral ou 96 em

dois turnos.

Esse módulo de ampliação deve ser utilizado em creches padrão FNDE tipo B já

existentes no município, aumentando sua capacidade de atendimento.

Terreno (dimensões mínimas)

Área construída

Demanda Atendida

Definida pelo proponente

115,46 m²

48 alunos por turno

Valor de referência: R$ 269.647,32 – SINAPI Brasília (janeiro de 2017).

Ampliação de Educação Infantil Tipo C – Área construída de aproximadamente

66,17 m², que atenderá 24 alunos em turno integral ou 48 alunos em dois turnos

– crianças de seis meses a 5 anos e 11 meses. Esse módulo de ampliação deve

ser utilizado em creches padrão tipo C já existentes no município, aumentando sua

capacidade de atendimento.

Terreno (dimensões mínimas)

Área construída

Demanda Atendida

Definida pelo proponente

66,17 m²

Até 24 alunos por turno

Valor de referência: R$ 180.528,72 – SINAPI Brasília (janeiro de 2017).

Para que serve:

• Contribuir para a ampliação da oferta da educação infantil da rede pública;

• Garantir o acesso de crianças a creches e escolas da educação infantil da rede

pública;

• Contribuir para a melhoria da qualidade do ensino e aprendizagem dos

educandos;

• Permitir uma atuação mais qualificada dos profissionais da educação infantil.

Vinculação Orçamentária

Ação: 12KU – Apoio à implantação de Escolas para Educação Infantil

Descrição: Apoio à construção e à ampliação de escolas de educação infantil e

aquisição de equipamentos e mobiliário, com o fim de ampliar a oferta de vagas

para a educação infantil pública.

Produto da ação: Escola Apoiada.

Especificação do Produto: Considera-se Escola Apoiada a escola de educação

infantil que teve seu projeto de construção apoiado ou seu projeto de ampliação

apoiado ou ainda que tenha sido contemplada com mobiliário e equipamentos.

   

Funcional Programática

 
 

Esfera

 

Unidade

Função

Subfunção

Programa

Ação

 

Localizador

Orçamentária

Orçamentária

 
 

10

 

26298

 

12

 

365

2080

12KU

 

XXXX

             
 
             
           

Fiscal

FNDE

 
  Educação

Educação

 
  Educação

Educação

Educação

Educação

Implantação de

Implantação de

 
 

Infantil

 

de qualidade

escolas para

para todos

educação infantil

 
 

Informar o código de subtítulo ou localizador de gasto, conforme o anexo I

de subtítulo ou localizador de gasto, conforme o anexo I REFORMA, AMPLIAÇÃO E CONSTRUÇÃO DE NOVAS
REFORMA, AMPLIAÇÃO E CONSTRUÇÃO DE NOVAS ESCOLAS
REFORMA, AMPLIAÇÃO E
CONSTRUÇÃO DE NOVAS ESCOLAS

Nas

emendas

parlamentares

destinadas

à

melhoria

da

infraestrutura

física

escolar

de

estados

e

municípios

brasileiros, o

parlamentar, após

definir

as

localidades a serem beneficiadas e definir se serão ações de construção, reforma

ou ampliação, deve orientar os municípios/prefeituras de sua região de atuação

acerca da documentação de engenharia necessária para que a ação definida para

seu município seja aprovada tecnicamente e efetivamente executada.

Desde

2014,

as

ações

de

construção

com

projeto

próprio,

reformas

e

ampliações analisadas no FNDE devem atender as exigências contidas na Portaria

do FNDE de nº 110, de 11/03/2014, no link: http://www.lex.com.br/legis_25349851_

PORTARIA_N_110_DE_10_DE_MARCO_DE_2014.aspx.

É

importante

ressaltar,

ainda, que qualquer ação de projeto próprio deve ser desenvolvida de acordo

com

os

parâmetros

estabelecidos

pela

Associação

Brasileira

de

Normas

Técnicas (ABNT), respeitando o conceito de desenho universal e as normas de

acessibilidade arquitetônica e urbanística, de modo a garantir a acessibilidade

em todos os espaços educacionais, cujas orientações podem ser colhidas junto ao

FNDE, na Coordenação-Geral de Infraestrutura Educacional – CGEST, pelo e-mail

projetos.engenharia@fnde.gov.br.

Informação importante:

projetos.engenharia@fnde.gov.br. Informação importante: Não haverá suplementação orçamentária por parte do

Não

haverá

suplementação

orçamentária

por

parte

do

FNDE

àquelas

emendas cujo valor seja inferior ao estabelecido para o tipo de obra Padrão

FNDE escolhido.

Com a finalidade de ampliar a infraestrutura escolar para melhores condições

de atendimento aos alunos e aumentar a oferta de vagas no ensino público, o MEC

apoia, com recursos, a construção de novas escolas utilizando projetos-padrão para:

i) construção de novas escolas de ensino fundamental e ii) reformas e ampliação

de escolas existentes.

e ii) reformas e ampliação de escolas existentes. CONSTRUÇÃO DE NOVAS ESCOLAS DE ENSINO FUNDAMENTAL Com
CONSTRUÇÃO DE NOVAS ESCOLAS DE ENSINO FUNDAMENTAL
CONSTRUÇÃO DE NOVAS ESCOLAS
DE ENSINO FUNDAMENTAL

Com o objetivo de ampliar a infraestrutura escolar, oferecer atendimento em

melhores condições aos alunos e aumentar a oferta de vagas no ensino público,

o MEC financia a construção de novas escolas, utilizando projetos-padrão FNDE.

Escola-padrão 1 (uma) sala de aula: atendimento a crianças de comunidades

rurais, indígenas ou quilombolas. Terreno com dimensão mínima de 25m x 35m.

Área construída de 113,96 m². O FNDE disponibiliza aos proponentes todas as

informações sobre esse projeto no site: http://www.fnde.gov.br/programas/par/

par-projetos-arquitetonicos-para-construcao.

Terreno (dimensões mínimas)

Área construída

Demanda Atendida

25m x 35m

113,96 m²

30 alunos por turno

Valor de referência: R$ 212.825,47 – SINAPI Brasília (janeiro de 2017).

Escola-padrão 2 (duas) salas de aula: atendimento a crianças de comunidades

rurais, indígenas ou quilombolas. Terreno com dimensão mínima de 25m x 35m.

Área

construída

as

informações

de

208,83

sobre

esse

m 2 .

O

FNDE

disponibiliza

projeto

no

seguinte

link:

aos

proponentes

todas

http://www.fnde.gov.br/

programas/par/par-projetos-arquitetonicos-para-construcao.

Terreno (dimensões mínimas)

Área construída

Demanda Atendida

25m x 35m

208,83 m²

60

alunos por turno

Valor de referência: R$ 308.992,64 – SINAPI Brasília (janeiro de 2017).

Escola-padrão 4 (quatro) salas de aula: atendimento a crianças de comunidades

urbanas, rurais, indígenas ou quilombolas. Necessita de terreno com dimensão

mínima de 50m x 80m, sem quadra coberta. Área construída de 740,88 m².

Terreno (dimensões mínimas)

Área construída

Demanda Atendida

50m x 80m

740,88 m²

120

alunos por turno

Valor de referência: R$ 1.098.493,45 – SINAPI Brasília (janeiro de 2017).

Escola-padrão 4 (quatro) salas de aula com Quadra Coberta: atendimento a

crianças de comunidades urbanas, rurais, indígenas ou quilombolas. Necessita de

terreno com dimensão mínima de 50m x 80m, com quadra coberta. Área construída

de 1.208,87 m².

Terreno (dimensões mínimas)

Área construída

Demanda Atendida

50m x 80m

1.208,87 m²

120

alunos por turno

Valor de referência: R$ 1.620.566,01 – SINAPI Brasília (janeiro de 2017).

Escola-padrão 6 (seis) salas de aula: atendimento a crianças de comunidades

urbanas, rurais, indígenas ou quilombolas. Necessita de terreno com

dimensão

mínima de 50m x 80m, sem quadra coberta. Área construída de 867,79 m².

Terreno (dimensões mínimas)

Área construída

Demanda Atendida

50m x 80m

867,79 m²

180

alunos por turno

Valor de referência: R$ 1.253.368,23 – SINAPI Brasília (janeiro de 2017).

Escola-padrão 6 (seis) salas de aula com Quadra Coberta: atendimento a

crianças de comunidades urbanas, rurais, indígenas ou quilombolas. Necessita de

terreno com dimensão mínima de 50m x 80m, com quadra coberta. Área construída

de 1.323,11 m².

Terreno (dimensões mínimas)

Área construída

Demanda Atendida

50m x 80m

867,79 m²

180

alunos por turno

Valor de referência: R$ 1.253.368,23 – SINAPI Brasília (janeiro de 2017).

Informação importante:

SINAPI Brasília (janeiro de 2017). Informação importante: Não haverá suplementação orçamentária por parte do

Não

haverá

suplementação

orçamentária

por

parte

do

FNDE

àquelas

emendas cujo valor seja inferior ao tipo de obra Padrão FNDE escolhido.

valor seja inferior ao tipo de obra Padrão FNDE escolhido. REFORMA E AMPLIAÇÃO DE ESCOLAS EXISTENTES
REFORMA E AMPLIAÇÃO DE ESCOLAS EXISTENTES
REFORMA E AMPLIAÇÃO
DE ESCOLAS EXISTENTES

Para

melhorar a

infraestrutura

escolar existente, o

MEC

financia

reforma

e

ampliação de unidades escolares, visando ao padrão mínimo necessário para o

bom desempenho dos alunos.

Ressalta-se que as reformas e ampliações de escolas existentes devem

obedecer aos parâmetros estabelecidos pela Associação Brasileira de Normas

Técnicas (ABNT), respeitando o conceito de desenho universal e as normas de

acessibilidade arquitetônica e urbanística, de modo a garantir a acessibilidade

em todos os espaços educacionais para pessoas com deficiência ou mobilidade

reduzida.

Projeto próprio de Ampliação – Construção de projetos visando atender

a demanda por mais espaços e que implicam no aumento da área construída

do edifício escolar já existente. Devem

ser desenvolvidos de acordo com

os

parâmetros do Manual de Orientações Técnicas de Elaboração de Projetos – em

seus diversos volumes –, disponibilizados para consulta no site do FNDE no link.

http://www.fnde.gov.br/programas/par/par_manuais.

Exemplos de ampliação: construção de salas de aula, sanitários, sala de

professores,

espaços

de

integração,

cozinha

e

refeitório,

biblioteca

escolar,

laboratórios – informática, ciências –, sala de recursos multifuncionais para a

educação especial, entre outros.

Observação: Os recursos para financiamento de reformas e ampliações vêm

de fontes financeiras diferentes, sendo considerado custeio toda a ação de reforma,

e investimento, toda ação de ampliação. Assim, para melhor entendimento, segue

abaixo a definição do FNDE para os dois termos.

Reforma

Ampliação

Propostas de substituição, readequação e/ou melhorias das condições gerais do espaço educacional, incluindo acessibilidade.

Propostas de substituição, readequação e/ou melhorias das condições gerais do espaço educacional, incluindo acessibilidade.

Exemplos: pintura externa e interna, substituição de rede elétrica e hidráulica, troca de revestimentos, substituição de cobertura, substituição de esquadrias, substituição de forros, etc.

Exemplos: construção de salas de aula, sanitários, sala de professores, espaços de integração, cozinha e refeitório, biblioteca escolar, laboratórios de informática, de ciências, sala de recursos multifuncionais para a educação especial, entre outros.

Custeio

Investimento

A documentação técnica a ser enviada para análise das ampliações e reformas

das escolas que não utilizarem os módulos de ampliação – padrão FNDE descritos

acima, ainda assim devem utilizar os parâmetros desta autarquia como orientação,

bem como atender o solicitado na Portaria FNDE nº 110, de 10/03/2014 e disponível

no

link

http://www.lex.com.br/legis_25349851_PORTARIA_N_110_DE_10_DE_

MARCO_DE_2014.aspx.

MARCO_DE_2014.aspx. Cabe destacar que não haverá suplementação

Cabe destacar que não haverá suplementação orçamentária por parte do

FNDE àquelas emendas cujo valor a ser gasto seja inferior ao valor estabelecido

para o tipo de obra Padrão FNDE.

Para que serve:

• Contribuir para a ampliação da oferta da educação pública;

• Garantir o acesso de crianças a escolas do ensino fundamental da rede pública;

• Contribuir para a melhoria da qualidade do ensino e aprendizagem dos

educandos do ensino fundamental;

• Permitir uma atuação mais qualificada dos profissionais dessa etapa de ensino

com a melhoria dos espaços escolares.

Vinculação Orçamentária

Ação: 20RP – Apoio à Infraestrutura para a Educação

Descrição: Apoio técnico, material e financeiro para construção, ampliação, reforma

e adequação de espaços escolares e para aquisição de mobiliário e equipamentos

para todas as etapas e modalidades da educação básica. Apoio à infraestrutura e ao

uso pedagógico das tecnologias de informação e comunicação para todas as etapas

e modalidades da educação básica com o objetivo de melhorar o processo de ensino-

aprendizagem.

Produto da ação: Projeto Apoiado

Especificação

do

Produto:

Consideram-se

Projeto

Apoiado

obras

de

construção, ampliação, reforma, adequação de espaços escolares apoiadas

e bens adquiridos, inclusive apoio à infraestrutura e ao uso de tecnologia

da informação e comunicação e de ações voltadas para sustentabilidade.

   

Funcional Programática

 
 

Esfera

 

Unidade

 

Função

 

Subfunção

 

Programa

 

Ação

Localizador

Orçamentária

Orçamentária

       
 

10

26298

 

12

 

368

 

2080

 

20RP

XXXX

         
         
         

Fiscal

FNDE

Fiscal FNDE
 

Educação

  Educação
 

Educação

  Educação  
  Educação  
 
 

Básica

Educação

Infraestrutura para a Educação Básica

 

de qualidade

para todos

 
 

Informar o código de subtítulo ou localizador de gasto, conforme o anexo I

de subtítulo ou localizador de gasto, conforme o anexo I CONSTRUÇÃO DE QUADRAS ESPORTIVAS ESCOLARES COBERTAS
CONSTRUÇÃO DE QUADRAS ESPORTIVAS ESCOLARES COBERTAS E COBERTURAS PARA QUADRAS ESPORTIVAS EXISTENTES
CONSTRUÇÃO DE QUADRAS ESPORTIVAS
ESCOLARES COBERTAS E COBERTURAS
PARA QUADRAS ESPORTIVAS EXISTENTES

Com o intuito de atender as unidades escolares que não dispõem de espaço

escolar

adequado

para

a

realização

de

atividades

esportivas

e

recreativas,

o MEC propicia a construção de quadra poliesportiva coberta com

vestiário,

bem

como

a

cobertura

de

quadras

esportivas

existentes

baseadas

em

projeto-padrão.

Tais

projetos

se

encontram

disponibilizados

para

fins

de

consulta

no

site

do

FNDE

no

seguinte

endereço

eletrônico:

http://www.

fnde.gov.br/programas/par/par-projetos-arquitetonicos-para-construcao.

Abaixo estão descritas algumas tipologias de projeto padrão:

Quadra coberta com vestiário: O projeto destina-se ao atendimento a alunos

do ensino fundamental ou médio, sendo necessário um terreno com as dimensões

mínimas de 30m x 41m e área construída de 812,76 m 2 . A quadra poderá ser

edificada no terreno da escola existente ou em lote situado em um raio máximo de

500m da unidade escolar.

Terreno (dimensões mínimas)

Área construída

Demanda Atendida

30m x 41m

812,76 m²

Estudantes e comunidade do local

Valor de referência: R$ 564.211,74 – SINAPI Brasília (janeiro de 2017).

Cobertura de quadra pequena: O projeto destina-se ao atendimento a alunos

do ensino fundamental ou médio, sendo necessário um terreno com as dimensões

mínimas de 22m x 36m e área ocupada de 523,32 m 2 . A cobertura não inclui o projeto

do piso.

Terreno (dimensões mínimas)

Área construída

Demanda Atendida

22m x 36m

523,32 m²

Estudantes e comunidade do local

Valor de referência: R$ 283.877,18 – SINAPI Brasília (janeiro de 2017).

Cobertura de quadra grande: O

projeto destina-se ao atendimento a alunos

do ensino fundamental ou médio, sendo necessário um terreno com as dimensões

mínimas de 27m x 35m e área ocupada de 745,03 m². A cobertura não inclui o projeto

do piso.

Terreno (dimensões mínimas)

Área construída

Demanda Atendida

27m x 35m

745,03 m²

Estudantes e comunidade do local

Valor de referência: R$ 307.856,99 – SINAPI Brasília (janeiro de 2017).

Informação importante:

SINAPI Brasília (janeiro de 2017). Informação importante: Não haverá suplementação orçamentária por parte do

Não haverá suplementação orçamentária por parte do FNDE àquelas emendas

cujo valor seja inferior ao estabelecido para o tipo de obra Padrão FNDE escolhido.

Para que serve:

• Contribuir para a ampliação da oferta da educação pública;

• Garantir o acesso de crianças a escolas do ensino fundamental da rede pública;

• Contribuir para a melhoria da qualidade do ensino e aprendizagem dos

educandos do ensino fundamental;

• Permitir uma atuação mais qualificada dos profissionais dessa etapa de

ensino com a melhora dos espaços escolares.

Vinculação Orçamentária

Ação: 20RP – Apoio à Infraestrutura para a Educação

Descrição:

Apoio

técnico,

material

e

financeiro

para

construção,

ampliação,

reforma e adequação de espaços escolares e para aquisição de mobiliário e

equipamentos para todas as etapas e modalidades da educação básica. Apoio à

infraestrutura e ao uso pedagógico das tecnologias de informação e comunicação

para

todas

as

etapas

e

modalidades

da

educação

básica

com

o

objetivo

de

melhorar o processo de ensino-aprendizagem.

Produto da ação: Projeto Apoiado

Especificação

do

Produto:

Consideram-se

Projeto

Apoiado

obras

de

construção, ampliação, reforma, adequação de espaços escolares apoiadas

e bens adquiridos, inclusive apoio à infraestrutura e ao uso de tecnologia

da informação e comunicação e de ações voltadas para sustentabilidade.

   

Funcional Programática

 
 

Esfera

 

Unidade

 

Função

 

Subfunção

 

Programa

 

Ação

Localizador

Orçamentária

Orçamentária

       
 

10

26298

 

12

 

368

 

2080

 

20RP

XXXX

         
         
         

Fiscal

FNDE

Fiscal FNDE
 

Educação

  Educação
 

Educação

  Educação  
  Educação  
 
 

Básica

Educação

Infraestrutura para a Educação Básica

 

de qualidade

para todos

 
 

Informar o código de subtítulo ou localizador de gasto, conforme o anexo I

de subtítulo ou localizador de gasto, conforme o anexo I PAINÉIS SOLARES (AQUISIÇÃO E INSTALAÇÃO) Desde
PAINÉIS SOLARES (AQUISIÇÃO E INSTALAÇÃO)
PAINÉIS SOLARES
(AQUISIÇÃO E INSTALAÇÃO)

Desde 2015, o FNDE passou a disponibilizar linha de financiamento, por meio de

emendas parlamentares, para a instalação de painéis de energia solar em escolas

e creches. A medida visa fomentar a utilização de energia solar nas edificações

públicas, reduzindo os custos com o consumo de energia elétrica e, paralelamente,

produzindo um efeito pedagógico no público escolar, no sentido de sensibilizar a

sociedade para a importância de ações sustentáveis. O investimento inicial para a

instalação do sistema reduz o custeio da escola durante a vida útil dos painéis, que

é cerca de 25 anos, disponibilizando inversor solar, placas fotovoltaicas e relógio

bidirecional.

A destinação de recursos para a instalação de painéis fotovoltaicos nos telhados

de escolas públicas é uma iniciativa que envolve investimento social, educação

ambiental e economia de energia. Além disso, as escolas terão a oportunidade de

adicionar um novo elemento à formação dos alunos, desenvolvendo na prática o uso

de uma das tecnologias mais importantes para a preservação do meio ambiente. A

escola é o local da comunidade que agrega mais atores da sociedade: professores,

pais, alunos e, no caso das escolas públicas, também o governo. Por causa disso,

quando a energia solar chega até as escolas, ela chega também a todos esses

atores e muda a rotina dos alunos e a forma como eles aprendem e lidam com

sustentabilidade e uso consciente de recursos energéticos. Solarizar as escolas

representa levar o tema da energia solar e sua importância para mais pessoas e

criar hábitos mais conscientes na sociedade.

Importante ressaltar que, para a instalação dos painéis solares, são necessários

dois tipos de investimentos: um para a aquisição (GND 4- Investimento) e outro para a

instalação desses painéis (GND 3 – Outras despesas correntes). Assim, é necessário

que a emenda considere recursos para abranger os dois tipos de despesas.

Para que serve:

• Estimular o fortalecimento do regime de colaboração entre os entes federados;

• Disponibilizar um instrumento eficaz de avaliação e implementação de políticas

de melhoria da qualidade da educação;

• Melhorar os indicadores educacionais;

• Fortalecer o princípio da transparência e do controle social;

• Elaborar o planejamento educacional.

Vinculação Orçamentária

Ação: 20RP – Apoio à Infraestrutura para a Educação

Descrição: Apoio técnico, material e financeiro para construção, ampliação, reforma

e adequação de espaços escolares e para aquisição de mobiliário e equipamentos

para todas as etapas e modalidades da educação básica. Apoio à infraestrutura e ao

uso pedagógico das tecnologias de informação e comunicação para todas as etapas

e modalidades da educação básica com o objetivo de melhorar o processo de ensino-

aprendizagem.

Produto da ação: Projeto Apoiado

Especificação

do

Produto:

Consideram-se

Projeto

Apoiado

obras

de

construção, ampliação, reforma, adequação de espaços escolares apoiadas

e bens adquiridos, inclusive apoio à infraestrutura e ao uso de tecnologia

da informação e comunicação e de ações voltadas para sustentabilidade.

Observação importante: A emenda deve considerar os custos para aquisição

(GND 4- Investimento) e para a instalação desses painéis (GND 3 – Outras despesas

correntes).

   

Funcional Programática

 
 

Esfera

 

Unidade

 

Função

 

Subfunção

 

Programa

 

Ação

Localizador

Orçamentária

Orçamentária

       
 

10

26298

 

12

 

368

 

2080

 

20RP

XXXX

         
         
         

Fiscal

FNDE

Fiscal FNDE
 

Educação

  Educação
 

Educação

  Educação  
  Educação  
 
 

Básica

Educação

Infraestrutura para a Educação Básica

 

de qualidade

para todos

 
 

Informar o código de subtítulo ou localizador de gasto, conforme o anexo I

de subtítulo ou localizador de gasto, conforme o anexo I CAMINHO DA ESCOLA (ÔNIBUS ESCOLARES) Abaixo,
CAMINHO DA ESCOLA (ÔNIBUS ESCOLARES)
CAMINHO DA ESCOLA
(ÔNIBUS ESCOLARES)

Abaixo, estão descritos os veículos cujas atas de preço se encontram disponíveis

para adesão, bem como aqueles cuja licitação está em andamento. Para informações

mais atualizadas, consultar o site do FNDE (http://www.fnde.gov.br/acoes/compras-

governamentais).

1. Ônibus escolar

1.1. Ônibus rural escolar

 

VALORES ESTIMATIVOS

Item

Descrição

Grupo

Valor

Abrangência

Unitário

 

Ônibus Rural Escolar – ORE 1: para transporte de até 23 passageiros adultos ou 29 estudantes sentados, mais o condutor, equipado com

   

1

dispositivo para transposição de fronteira, do tipo poltrona móvel (DPM), para embarque e desembarque de estudante com deficiência, ou com mobilidade reduzida.

Nacional

R$

189.900,00

 

Ônibus Rural Escolar – ORE 3: para transporte de até 40 passageiros adultos sentados ou 59 estudantes sentados, mais o condutor,

   

2

equipado com dispositivo para transposição de fronteira, do tipo poltrona móvel (DPM), para embarque e desembarque de estudante com deficiência, ou com mobilidade reduzida.

Nacional

R$

228.912,00

 

Ônibus Rural Escolar – ORE 1 (4X4): para transporte de até 23 passageiros adultos sentados ou 29 estudantes sentados, mais o

   

3

condutor, equipado com dispositivo para transposição de fronteira, do tipo poltrona móvel (DPM), para embarque e desembarque de estudante com deficiência, ou com mobilidade reduzida.

Nacional

R$

271.500,00

 

Ônibus Rural Escolar – ORE 2: para transporte de até 32 passageiros adultos ou 44 estudantes sentados, mais o condutor, equipado com

   

4

dispositivo para transposição de fronteira, do tipo poltrona móvel (DPM), para embarque e desembarque de estudante com deficiência, ou com mobilidade reduzida.

Nacional

R$

226.550,00

1.2. Ônibus urbano escolar acessível

 

VALORES ESTIMATIVOS

Item

Descrição

Grupo

Valor

Abrangência

Unitário

 

Ônibus Urbano Escolar Acessível – ONUREA – PISO ALTO: para transporte mínimo de 23 passageiros adultos sentados ou 29

   

1

estudantes sentados, mais o motorista, e deve ser equipado com

Nacional

R$

dispositivo para transposição de fronteira, do tipo poltrona móvel (DPM), para embarque e desembarque de estudante com deficiência, ou com mobilidade reduzida.

199.940,00

 

Ônibus Urbano Escolar Acessível – ONUREA – PISO BAIXO: para transporte mínimo de 16 passageiros adultos sentados ou 21

   

estudantes sentados, mais o motorista, e deve ser equipado com dispositivo do tipo rampa de acesso veicular que permita ao estudante com deficiência ou com mobilidade reduzida o acesso ao interior do veículo por meio de plano inclinado.

R$

2

Nacional

274.050,00

Para que serve:

• Garantir segurança e qualidade ao transporte dos estudantes;

• Contribuir para a redução da evasão escolar;

• Contribuir para o acesso e permanência no espaço de aprendizagem;

• Propiciar a economicidade do gasto público e a transparência nas aquisições.

Vinculação Orçamentária

Ação: 0E53 – Aquisição de Veículos para o Transporte Escolar da Educação Básica

– Caminho da Escola

Descrição:

Aquisição

de

veículos

padronizados,

inclusive

de

acessórios

de

segurança e apoio às atividades inerentes à certificação, para transporte escolar dos

estudantes das redes públicas de educação básica, prioritariamente da zona rural,

com o objetivo de promover o acesso e a permanência dos estudantes e reduzir a

evasão escolar.

Produto da ação: Veículo Adquirido

Especificação do Produto: Considera-se Veículo Adquirido aquele padronizado

para transporte escolar individual ou coletivo.

   

Funcional Programática

 
 

Esfera

 

Unidade

 

Função

 

Subfunção

 

Programa

 

Ação

Localizador

Orçamentária

Orçamentária