Вы находитесь на странице: 1из 12

14 REAGENTES

14.1 INDICADORES E SOLUÇÕES INDICADORAS

(...)

Amarelo de metanila SI
Preparação – Dissolver 0,1 g em 100 mL de metanol.
Mudança de cor – Em titulações desenvolvidas em meio não aquoso muda a coloração de amarela
(meio básico) para carmim (meio ácido).
Ensaio de sensibilidade – Dissolver 0,1 mL de amarelo de metanila SI em 50 mL de ácido acético
glacial anidro. Esta solução deve apresentar coloração vermelho-rosada. Adicionar 0,05 mL de
ácido perclórico 0,1 M. A coloração deve mudar para violeta.

(...)

Amido iodetado SI
Preparação –Pesar 0,5g de amido, acrescentar 50 a 60 mL de água e dissolver com aquecimento.
Dissolver 0,5 g de iodeto de potássio na solução e completar o volume para 100 mL com água.
Proteger da luz. Usar dentro de 24 horas após a preparação. Impregnar papel de filtro com amido SI,
recém-preparado, acrescido de 0,5 g de iodeto de potássio.

(...)

Azul de oracet B SI
Preparação – Dissolver 0,5 g em ácido acético glacial anidro e completar o volume para 100 mL.
Mudança de cor - Quando utilizado em titulações em meio não aquoso muda de coloração azul
(meio básico) para púrpura (meio neutro) e para rosa (meio ácido).

(...)

Azul do nilo A SI
Preparação – Dissolver 1 g em ácido acético glacial anidro para 100 mL.
Faixa de pH – 9,0 – 13,0
Mudança de cor - Confere coloração azul a soluções fracamente alcalinas e coloração vermelha a
soluções fracamente alcalinas.
Ensaio de sensibilidade - A mistura de 0,25 mL de azul do Nilo A SI em 50 mL de ácido acético
glacial anidro apresenta cor azul. A coloração passa a azul-esverdeada pela adição de não mais que
0,1 mL de ácido perclórico 0,1 M em ácido acético glacial.
Ensaio de identificação – A solução a 0,0005% (p/v) em etanol a 50% (v/v) apresenta máximo de
absorção (5.2.14) em 640 nm.

(...)

Cloreto de metilrosanilínio SI
Preparação – Dissolver 0,5 g em 100 mL de ácido acético glacial anidro.
Mudança de cor – Em titulações em meio não aquoso a coloração muda de violeta (meio básico)
para azul-esverdeada (meio neutro) e para verde-amarelada (meio ácido).
Ensaio de sensibilidade – A mistura de 0,1 mL de cloreto de metilrosanilínio SI com 50 mL de
ácido acético glacial anidro mostra coloração púrpura azulada. A adição de 0,1 mL de ácido
perclórico 0,1 M em ácido acético altera a coloração para verde.

(...)

1-Naftolbenzeína SI
Preparação – Dissolver 0,2 g de 1–naftolbenzeína em 100 mL de ácido acético glacial.
Mudança de cor – Quando utilizado em titulações não-aquosas, muda a coloração azul ou verde-
azulada (meio básico) para laranja (meio neutro) e para verde-escura (meio ácido).
Ensaio de sensibilidade - Adicionar 0,25 mL de solução de 1–naftolbenzeína SI a 50 mL de ácido
acético glacial anidro. São necessários não mais que 0,05 mL de ácido perclórico 0,1 M em ácido
acético glacial para efetuar a mudança da coloração amarelo-marrom para verde.

14.2 REAGENTES E SOLUÇÕES REAGENTES

Amaranto – vide vermelho amaranto (CI 16185)


CAS – [915-67-3]
Fórmula e massa molecular – C20H11N2Na3O10S3 – 604,06
Descrição – Pó fino, facilmente solúvel em água, praticamente insolúvel em etanol, acetona, éter
etílico e clorofórmio.
Conservação – Em recipientes bem fechados.

(...)

Cloreto de sódio
CAS – [7647-14-5]
Fórmula e massa molecular – NaCI – 58,44
Especificação – Contém, no mínimo, 99,0% (p/p) calculado sobre a substância dessecada.
Descrição – Cristais incolores ou pó cristalino branco, inodoro, de sabor salino.
Solubilidade – Facilmente solúvel em água e praticamente insolúvel em etanol anidroabsoluto.
Conservação – Em recipientes bem fechados.
Informação adicional – Sal isento de aditivo.

(...)

o-Cresol
CAS – [95-48-7]
Sinonímia – 2-Metilfenol.
Fórmula e massa molecular – C7H8O – 108,14.
Descrição – Líquido ou sólido, incolor a amarelo-marrom, que se cora pela luz e na presença de
oxigênio; de odor fenólico. Deliquescente.
Características físicas – Temperatura de fusão: aproximadamente 30 °C. Temperatura de ebulição:
aproximadamente 191 °C. Densidade: aproximadamente 1,03. Índice de refração (20 °C): 1,540 -
1,550.
Miscibilidade – Miscível com etanol anidroabsoluto, ligeiramente solúvel em água e solúvel em
soluções hidróxi-alcalinas.
Conservação – Em recipientes herméticos.
Armazenagem – Proteger da luz, umidade e oxigênio.
Segurança – Irritante. Cáustico. Tóxico.
Categoria – Desinfetante.

(...)

2,6-Dicloroindofenol sódico
CAS – [620-45-1]
Sinonímia – 2,6-Diclorofenolindofenol sódico.
Fórmula e massa molecular – C12H6Cl2NNaO2 – 290,08.
Descrição – Pó verde escuro.
Solubilidade – Facilmente solúvel em água e em etanol anidroabsoluto. A solução aquosa apresenta
coloração azul escura e quando acidificada se torna rosa.
Conservação – Em recipientes bem fechados.

(...)

Fluido intestinal simulado (sem enzima) pH 6,8


Preparação – Misturar 250mL de solução de fosfato de potássio monobásico 0,2 M e 112 mL de
solução de hidróxido de sódio 0,2 M e diluir para 1 000 mL com água. Ajustar o pH em 6,8 ± 0,1
com hidróxido de sódio 0,2 M.

Ftalato de dibutila
CAS – [84-74-2]
Fórmula e massa molecular – C16H22O4 – 278,3
Sinonímia – Éster dibutílico do ácido ftálico, ftalato de din- butila e dibutil ftalato.
Descrição – Líquido oleoso, límpido, incolor ou ligeiramente corado.
Características físicas – Temperatura de ebulição: 340 °C. Densidade: 1,043 a 1,048.
Miscibilidade – Muito pouco solúvel em água, muito solúvel em acetona, benzeno, etanol e éter
etílico.

(...)

Ftalazina
CAS – [253-52-1]
Fórmula e massa molecular – C8H6N2 – 130,15
Descrição – Cristais amarelo pálidos.
Característica física – Faixa de fusão: entre 90 °C e 91 °C.
Solubilidade – Facilmente solúvel em água e solúvel em etanol anidroabsoluto, em acetato de etila e
em metanol.

(...)

n-Heptano
CAS – [142-82-5]
Fórmula e massa molecular – C7H16 – 100,20
Especificação – Principal componente de heptano.
Descrição – Líquido límpido e inflamável.
Características físicas – Temperatura de ebulição: 98,4 °C. Densidade: 0,684. Índice de refração
(20 °C): 1,3855.
Miscibilidade – Praticamente insolúvel em água e miscível em etanol anidroabsoluto.

(...)

n–Hexano
CAS – [110-54-3]
Fórmula e massa molecular – C6H14 – 86,18
Especificação – Principal componente de éter de petróleo e de hexano.
Descrição – Líquido límpido, volátil, de odor semelhante ao do petróleo.
Características físicas – Temperatura de ebulição: 69 °C. Densidade: 0,66. Índice de refração (20
°C): 1,375.
Miscibilidade – Praticamente insolúvel em água e miscível em etanol anidroabsoluto.
Conservação – Em recipientes herméticos.
Armazenagem – Proteger do calor. Manter distante de chama/centelha.
Segurança – Inflamável.

(...)

Lecitina
Especificação – Mistura de diglicerídeos, principalmente dos ácidos esteárico, palmítico e
oléicooleico, ligados ao éster fosfórico da colina. Estrutura e composição variáveis de acordo com a
fonte de obtenção.
Descrição – Massa gordurosa amarelo amarronzado a marrom, de odor fraco característico.
Conservação – Em recipientes bem fechados.
Rotulagem – Especificar origem.

(...)

Reagente de aluminon
Solução A – Dissolver 250 g de acetato de amônio em 500 mL de água bidestiladapurificada.
Adicionar 40 mL de ácido acético glacial, 0,5 g de aluminon dissolvido em 50 mL de água
bidestiladapurificada, 1 g de ácido benzoico dissolvido em 150 mL de álcool isopropílico e 225 mL
de álcool isopropílico. Completar o volume para 1 000 mL com água bidestiladapurificada.

Solução B – Dissolver 5 g de gelatina em 125 mL de água bidestilada purificada quente e misturar


com 250 mL de água purificada bidestilada fria. Filtrar e completar a 500 mL com água
purificadabidestilada.
Preparação – Misturar com agitação as Soluções A e B. A mistura deve estar completamente
límpida quando fria. Armazenar em frasco de polietileno, protegida da luz.

(...)

Sacarose
CAS – [57-50-1]
Fórmula e massa molecular – C12H22O11 – 342,30
Especificação – É obtida da Saccharum officinarum Linné (Família Gramineae), Beta vulgares
Linné (Família Chenopodiaceae) e outras fontes.
Descrição – Cristais brancos ou incolores; pó cristalino ou massa cristalina ou blocos brancos.
Inodoro. Sabor adocicado. Estável ao ar. Finamente dividido é higroscópico e absorve até 1 % de
umidade. Não contém aditivos.
Característica física – Decomposição: entre 160 °C e 186 °C.
Solubilidade – Muito solúvel em água, pouco solúvel em etanol e praticamente insolúvel em etanol
anidroabsoluto.
Conservação – Em recipientes bem fechados.

(...)

Sudan IV
CAS – [85-83-6]
Fórmula e massa molecular – C24H20N4O – 380,44
Descrição – Pó marrom ou marrom avermelhado.
Características físicas – Faixa de fusão: 181 °C a 188 °C. Decompõe completamente a 260 °C.
Solubilidade – Praticamente insolúvel em água. Pouco solúvel em acetona, e em etanol e benzeno.
Solúvel em parafina e fenol
Conservação – Em recipientes bem fechados.

(...)

Sulfanilamida
CAS – [63-74-1]
Sinonímia – 4-Aminobenzenossulfonamida.
Fórmula e massa molecular – C6H8N2O2S – 172,20
Descrição – Cristais ou pó fino branco ou branco-amarelados.
Característica física – Temperatura de fusão: aproximadamente 165 °C.
Solubilidade – Solúvel em glicerol e praticamente insolúvel em clorofórmio, e em éter etílico e
benzeno.
Conservação – Em recipientes bem fechados.
Categoria – Antibacteriano.

(...)

Vermelho amaranto (CI 16185)


CAS – [915-67-3]
Fórmula e massa molecular – C20H11N2Na3O10S3 – 604,06
Descrição – Pó fino, facilmente solúvel em água, praticamente insolúvel em etanol, acetona, éter
etílico e clorofórmio.
Conservação – Em recipientes bem fechados.

14.3 SOLUÇÕES VOLUMÉTRICAS


(...)
Metóxido de lítio 0,1 M SV
Preparação – Dissolver, cuidadosamente, em balão volumétrico de 1 000 mL, 0,694 g de lítio em
150 mL de metanol anidro e completar o volume com tolueno.
Padronização – Padronizar sempre antes do uso. A 10 mL de dimetilformamida adicionar 0,05 mL
de azul de timol a 0,3% (p/v) em metanol e titular com metóxido de lítio 0,1 M SV até coloração
azul. Imediatamente, adicionar 0,2 g de ácido benzóicobenzoico, agitar e titular com metóxido de
lítio 0,1 M SV até coloração azul. Evitar a absorção de dióxido de carbono atmosférico. O volume
de titulante gasto na segunda titulação representa a quantidade de metóxido de lítio requerido. Cada
mL de metóxido de lítio 0,1 M SV equivale a 12,212 mg de C7H6O2.

(...)

Sulfato cérico 0,05 M SV


Especificação – Contém 16,6133,22 g de sulfato cérico ou 20,2 g de sulfato de cério tetraidratado
[Ce(SO4)2.4H2O] em 1 000 mL de água.
Padronização – Pesar, exatamente, cerca de 0,2 g de oxalato de sódio, dessecado previamente, e
dissolver em 75 mL de água. Adicionar, com agitação, 2 mL de ácido sulfúrico previamente
misturado com 5 mL de água, homogeneizar. Adicionar 10 mL de ácido clorídrico, e aquecer até
cerca de 75 °C. Titular com sulfato cérico 0,05 M até cor amarelo claro permanente. Cada 6,700 mg
de oxalato de sódio é equivalente a 1 mL de sulfato cérico 0,05 M SV.

(...)

Tiossulfato de sódio 0,01 M SV


Preparação – Dissolver exatamente 2,5 g de tiossulfato de sódio pentaidratado e 20 mg de
carbonato de sódio em água, recentemente fervida e resfriada, transferir quantitativamente para
balão volumétrico de 100 mL, completar o volume com a mesma água e homogeneizar.
Padronização - Pesar exatamente 21 mg de dicromato de potássio, pulverizado e dessecado e
dissolver em 10 ml de água. Transferir para balão volumétrico de 50 mL, adicionar 0,3 g de iodeto
de potássio, 0,2 g de bicarbonato de sódio e 0,5 mL de ácido clorídrico SR. Tampar, agitar e deixar
em repouso, por 10 minutos, no escuro. Titular o iodo liberado com a solução de tiossulfato de
sódio até coloração verde-amarelada. Adicionar 3 mL de amido SI e continuar a titulação até
desaparecimento da cor azul.

14.4 TAMPÕES

Certos ensaios farmacopeicos exigem o ajuste ou a manutenção de pH. Para tal, empregam-se
soluções denominadas tampões, capazes de suportar variações na atividade de íons hidrogênio. Os
componentes requeridos estão descritos no item Reagentes. Os de natureza cristalina devem ser
previamente dessecados a 110 - 120 °C por uma hora; utilizar água isenta de dióxido de carbono. A
armazenagem deve ser feita em recipientes herméticos e apropriados. Considerar a estabilidade no
preparo das quantidades para consumo. A seguir, relacionam-se as soluções em ordem crescente de
valores de pH. Outros tampões com características particulares são descritos nos textos dos
respectivos ensaios.

Tampão ácido clorídrico pH 2,0


Preparação – Misturar 50 mL de solução aquosa de cloreto de potássio 0,2 M com 13 mL de
solução aquosa de ácido clorídrico 0,2 M. Completar o volume para 200 mL com água e ajustar o
pH se necessário.

Tampão acetato pH 3,0


Preparação – Dissolver 12 g de acetato de sódio em água, adicionar 6 mL de ácido acético glacial e
diluir com água para fazer 100 mL. Ajustar o pH se necessário.

Tampão acetato pH 3,5


Preparação – Dissolver 25 g de acetato de amônio em 35 mL de água, adicionar 38 mL de ácido
clorídrico 7 M, ajustar o pH para 3,5 com ácido clorídrico SR ou hidróxido de amônio 6 M e
completar o volume para 100 mL com água.

Tampão acetato pH 4,0


Preparação – Transferir 900 mL de água para balão volumétrico de 1 000 mL, adicionar 2,86 mL
de ácido acético glacial e 1 mL de hidróxido de sódio a 50% (p/v), completar o volume com água e
homogeneizar. Se necessário, ajustar o pH em 4,0 com ácido acético glacial ou hidróxido de sódio a
50% (p/v).

Tampão acetato pH 4,4


Preparação – Dissolver 136 g de acetato de sódio e 77 g de acetato de amônio em água e diluir a
1000 mL. Adicionar 250 mL de ácido acético glacial e homogeneizar.

Tampão ácido clorídrico pH 2,0


Preparação – Misturar 50 mL de solução aquosa de cloreto de potássio 0,2 M com 13 mL de
solução aquosa de ácido clorídrico 0,2 M. Completar o volume para 200 mL com água e ajustar o
pH se necessário.
Tampão biftalato pH 4,4
Preparação – Dissolver 2,042 g de biftalato de potássio em 50 mL de água, adicionar 7,5 mL de
hidróxido de hidrogênio sódio 0,2 M e diluir para 200 mL em água. Ajustar o pH se necessário.

Tampão acetato 0,05 M pH 4,5


Preparação – Transferir 2,99 g de acetato de sódio tri-hidratado e 1,66 mL de ácido acético glacial
para balão volumétrico de 1 000 mL. Dissolver em água e completar o volume com o mesmo
solvente. Ajustar o pH se necessário.

Tampão acetato de sódio pH 4,5


Preparação – Diluir 2,8 mL de ácido acético glacial com água para 1 000 mL. Ajustar o pH em 4,5
± 0,05 com hidróxido de sódio a 50% (p/v).

Tampão acetato de sódio 0,1 M pH 5,0


Preparação – Transferir 13,61 g de acetato de sódio tri-hidratado para balão volumétrico de 1 000
mL, dissolver em quantidade suficiente de água e completar o volume com o mesmo solvente.
Homogeneizar. Ajustar o pH em 5,0 com ácido acético 0,1 M.

Tampão ácido clorídrico pH 2,0


Preparação – Misturar 50 mL de solução aquosa de cloreto de potássio 0,2 M com 13 mL de
solução aquosa de ácido clorídrico 0,2 M. Completar o volume para 200 mL com água e ajustar o
pH se necessário.

Tampão biftalato pH 4,4


Preparação – Dissolver 2,042 g de biftalato de potássio em 50 mL de água, adicionar 7,5 mL de
hidróxido de sódio hidrogênio 0,2 M e diluir para 200 mL em água. Ajustar o pH se necessário.

Tampão citrato-fosfato pH 5,0


Solução A – Dissolver 0,8 g de fosfato de sódio dibásico hepta-hidratado em 500 mL de água.
Solução B – Dissolver 3,5 g de ácido cítrico monoidratado em 500 mL de água.
Preparação – Misturar, com agitação, as Soluções A e B até ajustar o pH para 5,0. Distribuir em
recipientes com 50 mL cada. Autoclavar a 121 °C, pressão de 1 atm, por 20 minutos. Estocar a 4
°C.

Tampão fosfato pH 2,2


Preparação – Dissolver 1,38 g de fosfato de sódio monobásico em 800 mL de água. Ajustar o pH
com ácido fosfórico e diluir para 1 000 mL com água.

Tampão fosfato pH 5,5


Solução A – Dissolver 13,61 g de fosfato de potássio monobásico em água e completar para 1 000
mL com o mesmo solvente.
Solução B – Dissolver 35,81 g de fosfato de sódio dibásico dodeca-hidratado em água e completar
para 1 000 mL com o mesmo solvente.
Preparação – Misturar 96,4 mL da Solução A e 3,6 mL da Solução B. Ajustar o pH se necessário.

Tampão fosfato pH 5,8


Preparação – Em balão volumétrico de 200 mL, adicionar 3,6 mL de hidróxido de sódio 0,2 M a 50
mL de fosfato de potássio monobásico 0,2 M e completar o volume com água. Ajustar o pH se
necessário.

Tampão fosfato pH 6,0


Preparação – Misturar 50 mL de fosfato de potássio monobásico 0,2 M e 5,7 mL de hidróxido de
sódio 0,2 M. Completar o volume a 200 mL com água. Ajustar o pH se necessário.

Tampão acetato pH 6,0


Preparação – Dissolver 100 g de acetato de amônia em 300 mL de água, adicionar 4,1 mL de ácido
acético glacial, se necessário ajustar o pH, utilizando hidróxido de amônio 10 M ou ácido acético
glacial 5 M e completar a 500 mL com água.

Tampão citro-fosfato pH 6,0


Nome alternativo – Tampão fosfato de sódio pH 6,0
Preparação – Misturar 36,8 mL de ácido cítrico a 2,1% (p/v) com 63,2 mL de fosfato de sódio
dibásico a 7,15% (p/v). Ajustar o pH se necessário.

Tampão fosfato pH 6,5


Preparação – Dissolver 2,75 g de fosfato de sódio dibásico di-hidratado e 4,5 g de cloreto de sódio
em 500 mL de água. Ajustar o pH em 6,5 com tampão fosfato pH 8,5.

Tampão fosfato pH 6,8


Preparação – Dissolver 28,8 g de fosfato de sódio dibásico e 11,45 g de fosfato de potássio
tribásico em água e completar o volume a 1 000 mL. Ajustar o pH se necessário.

Tampão fosfato-laurilsulfato de sódio pH 6,8


Preparação – Misturar 19 partes de ácido clorídrico 0,1 M com 17 partes de tampão fosfato-
laurilsulfato de sódio pH 11,0. Se necessário, ajustar o pH para 6,8 com ácido fosfórico a 20% (v/v)
ou hidróxido de sódio a 40% (p/v).

Tampão de tris-cloridrato M de pH 6,8


Preparação – Dissolver 60,6 g de trometamina em 400 mL água. Ajustar o pH para 6,8 com ácido
clorídrico e completar para 500 mL com água. Ajustar o pH se necessário.

Tampão fosfato 0,025 M pH 6,86


Preparação – Dissolver 3,53 g de fosfato de sódio dibásico e 3,39 g de fosfato de potássio
monobásico em água a completar o volume a 1 000 mL. Ajustar o pH se necessário.

Tampão acetato pH 7,0


Preparação – Dissolver 2,73 g de acetato de sódio em aproximadamente 70 mL de água. Ajustar o
pH a 7,0 com ácido acético 0,5 M. Completar com água a 100 mL. Ajustar o pH se necessário.
Conservação – Em recipientes bem fechados.

Tampão citro-fosfato pH 7,0


Nome alternativo – Tampão fosfato de sódio pH 7,0
Preparação – Misturar 82,4 mL de fosfato de sódio dibásico dodecaidratado a 7,15% (p/v) com
17,6 mL de ácido cítrico a 2,1% (p/v). Ajustar o pH se necessário.

Tampão fosfato pH 7,0


Solução A – Hidróxido de sódio M
Solução B – Dissolver 13,6 g de fosfato de potássio monobásico em água e completar o volume
para 100 mL com o mesmo solvente.
Preparação – Misturar 29,5 mL da Solução A e 50 mL da Solução B. Ajustar o pH em 7,0 ± 0,1
utilizando as Soluções A e B e completar o volume para 100 mL com água.

Tampão fosfato M/l5 pH 7,0


Preparação – Dissolver 0,908 g de fosfato de potássio monobásico em água e diluir a 100 mL.
Separadamente, dissolver 2,38 g de fosfato de sódio dibásico em água e diluir a 100 mL. Misturar
38,9 mL da solução de fosfato de potássio monobásico com 61,1 mL de solução de fosfato de sódio
dibásico. Ajustar o pH se necessário.

Tampão fosfato pH 7,1


Preparação – Transferir 1 g de fosfato de potássio monobásico e 1,8 g de fosfato de sódio dibásico
anidro para balão volumétrico de 1 000 mL, adicionar 900 mL em água e ajustar o pH para 7,1 ±
0,1 com ácido fosfórico ou hidróxido de sódio 10 M. Completar o volume com o mesmo solvente.

Tampão fosfato pH 7,2


Preparação – Juntar 250 mL de fosfato de potássio monobásico 0,2 M e 175 mL de hidróxido de
sódio 0,2 M. Completar o volume a 1 000 mL. Ajustar o pH se necessário.

Tampão albumina-fosfato pH 7,2


Preparação – Dissolver 4,26 g de fosfato de sódio dibásico anidro, 7,6 g de cloreto de sódio e 10 g
de albumina bovina em água. Completar o volume a 1 000 mL e antes de usar ajustar o pH com
hidróxido de sódio 2 M ou com ácido fosfórico.

Tampão fosfato pH 7,3


Preparação – Dissolver 20,8 g de fosfato de sódio dibásico hepta-hidratado e 3,08 g de fosfato de
sódio monobásico monoidratado em 900 mL de água, ajustar o pH em 7,3 ± 0,1 com ácido fosfórico
SR ou hidróxido de sódio SR e diluir para 1 000 mL com o mesmo solvente.

Tampão barbital de pH 7,4


Preparação – Misturar 50 mL de uma solução contendo 1,94% (p/v) de acetato de sódio e 2,95%
(p/v) de barbital sódico em água com 50,5 mL de ácido clorídrico 0,1 M. Juntar 20 mL de solução a
8,5% (p/v) de cloreto de sódio e completar a 250 mL com água.

Tampão fosfato de potássio pH 7,4 com polissorbato 80 a 2% (v/v)


Preparação – Dissolver 27,22 g de fosfato de potássio monobásico em 1 000 mL de água.
Transferir 250 mL da solução anterior para balão volumétrico de 1 000 mL, adicionar 195,5 mL de
hidróxido de sódio 0,2 M e 450 mL de água. Ajustar o pH para 7,4 com ácido fosfórico ou
hidróxido de sódio e completar o volume com água. O polissorbato 80 deve ser adicionado depois,
devido a difícil solubilidade do mesmo.

Tampão imidazol pH 7,4


Preparação – Dissolver 3,4 g de imidazol e 5,84 g de cloreto de sódio em água. Adicionar 18,6 mL
de ácido clorídrico M e completar com água a 1 000 mL. Se necessário, ajustar o pH para 7,4 ± 0,1.

Tampão de trometamina-cloreto de sódio de pH 7,4.


Preparação – Dissolver 6,08 g de trometamina e 8,77 g de cloreto de sódio em 500 mL de água
destilada. Junte 10 g de albumina bovina. Ajustar o pH com ácido clorídrico e complete 1 000 mL
com água destilada.

Tampão tris-cloreto de sódio pH 7,5


Preparação - Dissolver 7,27 g de trometamina e 5,27 g de cloreto de sódio em 950 mL de água.
Ajustar o pH em 7,5 com ácido clorídrico 2 M e completar com água a 1 000 mL.

Tampão borato pH 8,0


Preparação – Misturar 0,619 g de ácido bórico e 0,746 g cloreto de potássio em 50 mL de água.
Adicionar 3,97 mL de hidróxido de sódio 0,2 M e diluir para 200 mL de água. Ajustar o pH se
necessário.

Tampão de barbital de pH 8,4


Preparação – Dissolver 8,25 g de barbital sódico em água e completar a 1 000 mL com o mesmo
solvente. Ajustar o pH se necessário.

Tampão de trometamina-EDTA de pH 8,4.


Preparação – Dissolver 5,12 g de cloreto de sódio, 3,03 g de trometamina e 1,40 g de iodeto de
sódio em 250 mL água destilada. Ajuste o pH com ácido clorídrico e complete 500 mL com água
destilada.

Tampão de tris-EDTA ASB de pH 8,4


Preparação – Dissolver 6,1 g de trometamina, 2,8 g de iodeto de sódio, 10,2 g de cloreto de sódio e
10 g de albumina bovina em água, ajustar o pH com ácido clorídrico M e completar para 1 000 mL
com água.

Tampão acetato de amônio pH 8,5


Preparação – Dissolver 50 g de acetato de amônio em 1 000 mL de etanol a 20% (v/v). Ajustar o
pH em 8,5 com hidróxido de amônio 6 M.
Tampão fosfato pH 8,5
Preparação – Dissolver 3,5 g de fosfato de potássio dibásico anidro e 4,5 g de cloreto de sódio em
500 mL de água. Ajustar o pH em 8,5 com uma mistura de água e ácido fosfórico (1:1).

Tampão barbital pH 8,6


Preparação – Misturar 129 mL de ácido clorídrico 0,1 M adicionar volume suficiente de barbital
sódico 0,1 M para completar 1 000 mL. Ajustar o pH se necessário.

Tampão fosfato pH 8,6


Preparação – Misturar 2,3 volumes de hidróxido de sódio 0,2 M, com 2,5 volumes de fosfato de
potássio monobásico 0,2 M e 2 volumes de metanol. Resfriar e misturar com água para obter 10
volumes de solução. Ajustar, se necessário, o pH para 8,60 ± 0,05 com hidróxido de sódio.

Tampão de tris-cloridrato 1,5 M pH 8,8


Preparação – Dissolver 90,8 g de trometamina em 400 mL de água. Ajustar o pH para 8,8 com
ácido clorídrico e diluir para 500 mL com água.

Tampão borato pH 9,0


Preparação – Dissolver 12,37 g de ácido bórico e 14,91 g de cloreto de potássio em água e
completar o volume para 1 000 mL com o mesmo solvente. Transferir 50 mL da solução obtida para
balão volumétrico de 200 mL, adicionar 20 mL de hidróxido de sódio 0,2 M e 120 mL de água.
Ajustar o pH em 9,0 com hidróxido de sódio SR ou ácido clorídrico SR e completar o volume com
água.

Tampão tris 0,05 M pH 9,0


Preparação – Transferir 6,05 g de trometamina para balão volumétrico de 1 000 mL. Dissolver em
água e completar o volume com o mesmo solvente. Ajustar o pH em 9,0 ± 0,05 utilizando ácido
fosfórico. Dissolver 10 g de laurilsulfato de sódio em cerca de 600 mL do tampão. Misturar a
solução obtida com o restante do tampão.

Tampão borato pH 9,6


Preparação – Transferir 3,093 g de ácido bórico e 3,728 g de cloreto de potássio para balão
volumétrico de 1 000 mL, adicionar 250 mL de água e agitar até dissolução. Acrescentar 182 mL de
hidróxido de sódio 0,2 M e completar o volume com água. Ajustar o pH se necessário.

Tampão carbonato-bicarbonato de sódio pH 9,6


Preparação – Dissolver 0,75 g de carbonato de sódio e 1,5 g de bicarbonato de sódio em 500 mL de
água. Distribuir em recipientes com 50 mL cada. Autoclavar a 121 °C, pressão de 1 atm, por 20
minutos. Estocar a 4 °C.

Tampão cloreto de amônio pH 10,0


Preparação – Dissolver 5,4 g de cloreto de amônio em 70 mL de hidróxido de amônio 5 M e diluir
com água a 100 mL.

Tampão cloreto de amônio pH 10,7


Preparação – Dissolver 67,5 g de cloreto de amônio em água, adicionar 570 mL de solução
concentrada de amônia e diluir para 1 000 mL com água. Ajustar o pH se necessário.

Tampão fosfato-laurilsulfato de sódio pH 11,0


Preparação – Dissolver em água 16,35 g de fosfato de sódio monobásico, 7,05 g de hidróxido de
sódio e 3 g de laurilsulfato de sódio e diluir com água para 1 000 mL. Ajustar o pH se necessário.
Tampão ácido acético-acetato de amônio
Preparação – Dissolver 77,1 g de acetato de amônio em água, adicionar 57,0 mL de ácido acético
glacial e completar com água a 1 000 mL. Ajustar o pH se necessário.

Tampão de eletroforese DSS-EGPA


Preparação – Dissolver 151,4 g de trometamina, 721 g de glicina e 50 g laurilsulfato de sódio em
água e completar 5 000 mL com o mesmo solvente. Diluir a 1:10 com água, imediatamente antes do
uso. O pH da solução diluída deve estar compreendido entre 8,1 e 8,8.

Tampão concentrado para amostras DSS-EGPA.


Preparação – Dissolver 1,89 g de trometamina, 5 g de laurilsulfato de sódio e 50 mg de azul de
bromofenol em água; juntar 25 mL de glicerina e completar para 100 mL com água. Ajustar o pH
para 6,8 com ácido clorídrico e completar para 125 mL com água.

Tampão concentrado para amostras DSS-EGPA em condições redutoras


Preparação – Dissolver 3,78 g de trometamina, 10 g de laurilsulfato de sódio, 100 mg de azul de
bromofenol e 50 mL de glicerina em 200 mL de água. Juntar 25 mL de 2-mercaptoetanol. Ajustar o
pH para 6,8 com ácido clorídrico e completar para 250 mL com água. Em vez do 2-mercaptoetanol,
pode ser usado o ditiotreitol como agente redutor. Nesse caso, proceda como se indica: dissolva
3,78 g de trometamina, 10 g de laurilsulfato de sódio, 100 mg de azul de bromofenol e 50 mL de
glicerina em 200 mL de água. Ajustar o pH para 6,8 com ácido clorídrico e completar para 250 mL
com água. Imediatamente antes do emprego, adicionar o ditiotreitol, de modo a obter uma
concentração final de 0,1 M.

Tampão fosfato-salina (PBS)


Preparação – Dissolver, com agitação, 24 g de cloreto de sódio, 0,6 g de cloreto de potássio, 4,3 g
de fosfato de sódio dibásico dodeca-hidratado e 0,6 g de fosfato de potássio monobásico em 4 L de
água. Autoclavar a 121 °C, pressão de 1 atm, por 20 minutos. Estocar a 4 °C.

Tampão sulfato cúprico


Solução A – Dissolver 15,22 g de fosfato de sódio dibásico anidro em quantidade suficiente de
água. Adicionar 9,75 g de ácido cítrico monoidratado e diluir para 1 000 mL com água. Ajustar o
pH em 5,2 com auxílio de hidróxido de sódio ou ácido cítrico.
Solução B – Dissolver 0,313 g de sulfato cúprico penta-hidratado em água e diluir para 100 mL com
o mesmo solvente.
Preparação – No momento do uso misturar 15 mL da Solução B com 985 mL da Solução A.

Похожие интересы