You are on page 1of 16

XXIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO

DIREITO CONSTITUCIONAL

SIMULADO 5
Esse documento é uma simulação que usa os mesmos padrões da Prova Prático-Profissional
aplicada pela Fundação Getúlio Vargas | 2ª Fase do Exame de Ordem - Constitucional
Revisão: Prof. Caroline Müller Bitencourt e Prof. Janriê Rodrigues Reck

DIREITO CONSTITUCIONAL
PROVA PRÁTICO - PROFISSIONAL

SEU CADERNO
INFORMAÇÕES GERAIS

Além deste caderno de rascunho contendo o


enunciado da peça prático-profissional e das quatro Ÿ Verifique se a disciplina constante da capa deste caderno
questões discursivas, você receberá do fiscal de sala: coincide com a registrada em seu caderno de textos
definitivos. Caso contrário, notifique imediatamente o fiscal
Ÿ um caderno destinado à transcrição dos textos
da sala, para que sejam tomadas as devidas providências.
definitivos das respostas.
Ÿ Confira seus dados pessoais, especialmente nome, número
de inscrição e documento de identidade e leia atentamente
as instruções para preencher o caderno de textos definitivos.
TEMPO Ÿ Assine seu nome, no espaço reservado, com caneta
esferográfica transparente de cor azul ou preta.
Ÿ 5 horas é o tempo disponível para a realização da
Ÿ As questões discursivas são identificadas pelo número que se
prova, já incluindo o tempo para preenchimento
situa acima do seu enunciado.
do caderno de textos defini vos.
Ÿ Não será permitida a troca do caderno de textos definitivos
Ÿ 2 horas após o início da prova é possível re rar-se
por erro do examinando.
da sala, sem levar o caderno de rascunho.
Ÿ Para fins de avaliação, serão levadas em consideração
Ÿ 1 hora antes do término do período de prova é
apenas as respostas constantes do caderno de textos
possível re rar-se da sala levando o caderno de
definitivos.
rascunho.
Ÿ A FGV coletará as impressões digitais dos examinandos na
lista de presença .
Ÿ Os 3 (três) últimos examinandos de cada sala só poderão sair
NÃO SERÁ PERMITIDO juntos, após entregarem ao fiscal de aplicação os documentos
que serão utilizados na correção das provas. Esses examinandos
Ÿ Qualquer tipo de comunicação entre os examinandos.
poderão acompanhar, caso queiram, o procedimento de
Ÿ Levantar da cadeira sem a devida autorização do
conferência da documentação da sala de aplicação, que será
fiscal de sala.
realizada pelo Coordenador da unidade, na Coordenação do
Ÿ Portar aparelhos eletrônicos, tais como bipe,
local de provas. Caso algum desses examinandos insista em sair
walkman, agenda eletrônica, notebook, netbook,
do local de aplicação antes de autorizado pelo fiscal de aplicação,
palmtop, receptor, gravador, telefone celular,
deverá assinar termo desistindo do Exame e, caso se negue, será
máquina fotográfica, protetor auricular, MP3,
lavrado Termo de Ocorrência, testemunhado pelos 2 (dois)
MP4, controle de alarme de carro, pendrive, fones
outros examinandos, pelo fiscal de aplicação da sala e pelo
de ouvido, Ipad, Ipod, Iphone etc., bem como
Coordenador da unidade de provas.
relógio de qualquer espécie, óculos escuros ou
quaisquer acessórios de chapelaria, tais como Ÿ Boa prova!
chapéu, boné, gorro etc., e ainda lápis, lapiseira,
borracha e/ou corretivo de qualquer espécie.
Ÿ Usar o sanitário ao término da prova, após deixar
a sala.

‘‘Qualquer semelhança nominal e/ ou situacional presente nos enunciados das questões é mera coincidência’’
*ATENÇÃO: ANTES DE INICIAR A PROVA, VERIFIQUE SE TODOS OS SEUS APARELHOS ELETRÔNICOS FORAM
ACONDICIONADOS E LACRADOS DENTRO DA EMBALAGEM PRÓPRIA. CASO A QUALQUER MOMENTO DURANTE A
REALIZAÇÃO DO EXAME VOCÊ SEJA FLAGRADO PORTANDO QUAISQUER EQUIPAMENTOS PROIBIDOS PELO EDITAL, SUAS
PROVAS PODERÃO SER ANULADAS,ACARRETANDO EM SUA ELIMINAÇÃO DO CERTAME.
-------------------------------------------------------------------------
PEÇA PRÁTICO-PROFISSIONAL
Uma Agência Reguladora Federal editou, em 2016, uma portaria proibindo a utilização de mulheres em
propagandas de bebidas alcoólicas.
A Associação Brasileira de Jornalistas e Publicitários, entidade de âmbito nacional constituída há mais de 2 (dois)
anos, quer propor uma ação contra a portaria que foi editada, por entender que se trata de uma violação a
liberdade de expressão artística, configurando uma verdadeira censura, conduta esta vedada na Constituição.
Desta forma, pretende adentrar com uma ação junto ao STF, que produza efeito erga omnes em relação à sua decisão.
Levando em consideração as informações expostas, elabore a medida judicial adequada, com todos os
fundamentos jurídicos que conferem sustentação ao direito pleiteado. (Valor: 5,0)

Obs.: a peça deve abranger todos os fundamentos de Direito que possam ser utilizados para respaldo à pretensão.
A simples menção ou transcrição do dispositivo legal não confere pontuação.

XXIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO – PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL – DIREITO CONSTITUCIONAL


Página 2
01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

XXIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO – PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL – DIREITO CONSTITUCIONAL


Página 3
31

32

33

34

35

36

37

38

39

40

41

42

43

44

45

46

47

48

49

50

51

52

53

54

55

56

57

58

59

60

XXIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO – PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL – DIREITO CONSTITUCIONAL


Página 4
61

62

63

64

65

66

67

68

69

70

71

72

73

74

75

76

77

78

79

80

81

82

83

84

85

86

87

88

89

90

XXIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO – PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL – DIREITO CONSTITUCIONAL


Página 5
91

92

93

94

95

96

97

98

99

100

101

102

103

104

105

106

107

108

109

110

111

112

113

114

115

116

117

118

119

120

XXIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO – PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL – DIREITO CONSTITUCIONAL


Página 6
121

122

123

124

125

126

127

128

129

130

131

132

133

134

135

136

137

138

139

140

141

142

143

144

145

146

147

148

149

150

XXIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO – PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL – DIREITO CONSTITUCIONAL


Página 7
QUESTÃO 1
01) Imagine que grupos rivais que dominam o tráfico de drogas no município do Rio de
Janeiro, decidem dominar uma série de áreas públicas, impedindo o acesso a serviços públicos,
tráfego de carro e de pessoas, fechamento do comércio nos locais, com milícias nas vias públicas.
Essa situação denota caso de grave perigo e instabilidade à ordem pública, nesses locais restritos e
determinados, fazendo com que o Município do Rio de Janeiro busque junto ao Presidente da
República uma solução constitucionalmente possível para garantir a ordem pública. Desta forma, sendo
necessário tomar algumas medidas que impliquem em restrições aos direitos do cidadão, questiona-se:
(Valor:1,25)
A) Qual a medida constitucional adequada ante a situação em tela? Justifique.? (Valor: 0,50)
B) Qual o procedimento constitucional que deve ser observado para a regularidade da medida e por qual prazo ela
poderá vigorar? (Valor: 0,75)
Obs.: o(a) examinando(a) deve fundamentar as respostas. A mera citação do dispositivo legal não
confere pontuação.

XXIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO – PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL – DIREITO CONSTITUCIONAL


Página 8
01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

XXIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO – PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL – DIREITO CONSTITUCIONAL


Página 9
QUESTÃO 2
02) O Estado de Piauí, nas eleições de 2018 decide legislar sobre matéria de inelegibilidades, criando uma série
de novos critérios até então não previstos anteriormente, mediante lei ordinária, pretendendo aplicar tais critérios
ainda nas eleições desse mesmo ano, pois acredita que ajudará a impedir a eleição de políticos
corruptos. Acerca da regularidade da narrativa acima: (Valor: 1,25)

A) É possível o Estado do Piauí criar Lei ordinária sobre o conteúdo de inelegibilidades? Fundamente. (Valor: 0,60)
B) Quando entra em vigência uma lei eleitoral? É possível que seja aplicada no mesmo em que fora
criada? Fundamente. (Valor: 0,65)

Obs.: o(a) examinando(a) deve fundamentar as respostas. A mera citação do dispositivo legal não confere
pontuação.

XXIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO – PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL – DIREITO CONSTITUCIONAL


Página 10
01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

XXIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO – PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL – DIREITO CONSTITUCIONAL


Página 11
QUESTÃO 3
03) Há uma grande divergência interpretativa acerca da constitucionalidade da Lei Maria da Penha, tendo inúmeras
decisões contraditórias sobre sua aplicação. Imagine que a Associação Nacional das Mulheres Vítimas
de Violência, pretende adentrar com uma ação, a fim de sanar tais divergências jurisprudenciais e que possua
um efeito erga omnes. Você, como advogado, é procurado pela associação, com intuito de instruí-la
sobre qual o meio processual mais adequado para o pleito acima referido. Acerca do exposto, relate (Valor: 1,25)

A) Diga, de forma justificada, qual a ação adequada para a pretensão da Associação. Existe alguém requisito
para a propositura que é indispensável nesta ação que você optou? Cite-o. (Valor: 0,75)
B) Discorra sobre o principal aspecto a ser observado diante da legitimidade ativa da parte proponente. (Valor:
0,50)

Obs.: o(a) examinando(a) deve fundamentar suas respostas. A mera citação do dispositivo legal não confere
pontuação.

XXIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO – PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL – DIREITO CONSTITUCIONAL


Página 12
01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

XXIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO – PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL – DIREITO CONSTITUCIONAL


Página 13
QUESTÃO 4
04) Mévio é médico no município de Itu e quer abrir um hospital especializado em tratamentos para pessoas com
câncer. Ao buscar seguir os trâmites constitucionais, procura você como advogado especializado em direito
constitucional para que lhe oriente acerca de sua pretensão, indagando-o: (Valor: 1,25)

A) É possível um privado atuar na prestação do serviço de saúde, no ramo de hospital privado, como no caso de
Mévio? (Valor: 0,60)
B) Faria diferença para a ordem constitucional o hospital de Mévio ter caráter filantrópico? Explique. (Valor: 0,65)

Obs.: o(a) examinando(a) deve fundamentar suas respostas. A simples menção ao dispositivo legal não será
pontuada.

XXIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO – PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL – DIREITO CONSTITUCIONAL


Página 14
01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

XXIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO – PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL – DIREITO CONSTITUCIONAL


Página 15
,., FGV PROJETOS

SIMULADO
Esse documento é uma simulação que usa os mesmos padrões da Prova Prático-Profissional
aplicada pela Fundação Getúlio Vargas | 2ª Fase do Exame de Ordem - Constitucional
Revisão: Prof. Caroline Müller Bitencourt e Prof. Janriê Rodrigues Reck