Вы находитесь на странице: 1из 6

Titulo: questões preliminares sobre as Ciências sociais.

O autor tem uma pretensão critica, incitador residindo que no facto de leres esta obra
nasça uma reação critica, portanto acha-se insatisfeito pela obra..., mas pretende
substituir por outro livro.

O que são fenômenos sociais totais e o que caracteriza as ciências sociais e como
podemos classificá-las? Trindagação (três indagações ou perguntas).

Mas é importante primeiro descortinar a ciência social que também é chamada de


ciência do homem?

É condicionalizada por um estado fragmentário sob a forma de uma colecção de


disciplina dispares e desconexas.

E de certo, faz certa diferença entre as ciências sociais e as ciências ou disciplinas


científicas segundo a classifica de Jean Piaget que propõe: ciências lógico-matemáticas,
ciências física, ciências biológicas e ciências psicossociologicas. Os três primeiros
apesar de ter numerosos ramos especializados, são ciências unitárias na medida em que
existe um corpo teórico central onde as especializações se afiliam, neste caso das Fisicas
e Biologias especializadas pressupõe ou apóiam-se a Física e a Biologia fundamentais,
mesmo se enriquecerem, sofrer revisões e rectificações extensas ou profundas.

Quanto às ciências sociais a esquematização de ciência fundamental – ciências


especializadas conforme se verifica nas ciências naturais e exactas, não tem ainda
aplicação, por quê? Porque nenhuma das ciências sociais jamais desempenhou o papel
de ciência fundamental a que as demais se ligariam como outros tantos ramos
especializados.

Jean Piaget chama de ciências sócias (e Humanas) de Nomotéticas por serem aquelas
que procuram enunciar leis cientificas e recorrem a métodos de verificação que sujeitam
os esquemas teóricos ao controlo dos “factos de experiência” e fala que são varias:
Geografia Humana, Demografia, a Economia, a Ciência política, sociologia, a
Psicologia Social, a Lingüística e a Etnologia Social e Antropologia Cultural. Deve-se
saber que existem varias ciências consideradas sociais e estas são disjuntas.

Ok! A primeira parte desta obra tem uma pergunta geradora, que é como as ciências
sociais distinguem entre si. Como se individualizam uma por uma dentro do conjunto de
elementos discretos que constituem?

1.º Parte

Unidade do social e a pluralidade das ciências sociais.

Introdução: A unidade do social.

A pergunta que se põe aqui é o que representam as ciências sociais (a resposta esta
associada à definição de Ciência social),,,
Portanto para Georges Gurvitch as ciências sociais (e humanas) representam o “estudo
dos esforços colectivos e individuais mediante os quais a sociedade e os homens que a
compõem se criam ou produzem eles mesmos.”

Surge uma nova pergunta o que caracteriza as ciências sociais?

Ainda o autor referenciado na pergunta de cima, neste caso Gurvitch diz que o que
caracteriza as ciências sociais é a realidade por elas estudadas é uma só: É a condição
humana considerada sob certa luz e tornada objecto de um método especifico.

Mas o autor afirma que a definição dada por Gurvitch (estudo dos esforços colectivos e
individuais mediante os quais a sociedade e os homens que a compõem se criam ou
produzem eles mesmos) não é muito convincente e quanto a sua caracterização afirma
que devemos reter esta como sendo correcta, neste caso a unidade que exprime a da
própria realidade, que é uma só: objecto real das ciências sociais.

Com Marcel Mauss o objecto real das ciências sociais começou a ser reconhecida na
base da noção de fenômeno social total. E a noção de fenômeno social total surge em
reacção contra uma idéia que antes era aceite: a de que cada uma das ciências sociais
caberia investigar um distinto campo do real, isto é, um conjunto de fenômenos reais
perfeitamente separados ou separáveis de qualquer outro.

Ex: A Economia ocuparia da realidade econômica (ou fenômeno econômico),


demografia ocuparia da realidade demográfica (ou fenômeno demográfico)...

Portanto é contraria ao fenômeno social total porque este corresponde ao domínio


humano e social que existem campos de realidade e fenômenos que se distinguem uns
dos outros, ou seja, o campo de realidade sobre o qual as ciências sociais se debruça, é,
de facto, um só (o da realidade humana e social).

O que são fenômenos sociais totais?

São os fenômenos pelo qual as ciências as ciências sociais se debruça, ou seja, são
aqueles que correspondem à realidade humana e social porque a sua estrutura, relação e
determinação têm implicações simultaneamente em vários níveis e em diferentes
dimensões do real – social.

Para clarificar a definição o autor dá um exemplo sobre classes sociais.

A Sociologia as classes sociais tem sido objecto de inúmeras investigações.

A Economia: as classes sociais têm sido estudadas na perspectiva da estrutura das


actividades e relações econômicas e na formação de capital, esquema da sua utilização,
ritmo do crescimento, repartição dos rendimentos...

A Ciência Política: as classes sociais têm sido estudadas como a força social portadora
de interesses distintos, interesses antagônicos alguns deles.
A Demografia: as ciências sociais têm sido estudadas a natalidade, mortalidade,
dimensão da idade...

A pluralidade das ciências sociais

Principio lógicos de identificação empírica das ciências sociais.

Já falamos que todas as ciências sociais se ocupam na realidade social.

A diferença das ciências sociais reside no facto de cada uma das disciplinas encaram,
abordam e analisam de uma forma diferente aquela mesma realidade.

Ex: A Economia, a Demografia e a Ciência Política diferenciam-se porque encaram,


abordam e analisam de maneira diferente os mesmos fenômenos sociais, os mesmos
grupos, as mesmas sociedades, ou seja, cada uma das ciências sociais nomotéticas,
adapta em relação a realidade social, uma óptica de análise diferente.

O autor diferencia ou destrinça quatro (4) níveis para diferenciação das ciências sociais
nomotéticas.

1.º Nível: os fins ou objectos que comandam a investigação: o que interessa aos
investigadores analisar, explicar e compreender.

2.º Nível: a natureza, condicionada esses fins, dos problemas de investigação que os
investigadores definem como sendo aqueles sobre os quais a sua pesquisa deve incidir.

3.º Nível: Os critérios pelos investigadores, a fim de selecionarem as variáveis


relevantes para o estudo desses problemas.

4.º Nível: Os métodos e técnicas de pesquisa empírica e de interpretação teórica que os


investigadores consideram adequados para trabalhar com as variáveis escolhidas,
resolver os problemas de investigação com que se defrontam e atingir os fins ou
objectivos visados.

Alguns autores falam que o que está na base da diferença entre as ciências sociais é o
“centro de interesse” da investigação ser, para cada uma delas, diferente de todas
restantes disciplinas. “É sempre o centro de interesse que distingue qualquer outra uma
ciência social.

Robert Mcivel “não se deve imaginar que as diversas ciências sociais têm domínios
materialmente distintos”.

A diferenciação empírica das ciências sociais, como produto histórico.

Fala propriamente da história e a situação actual das ciências sociais, portanto


demonstram inequivocamente que uma disciplina pode concentrar a sua atenção sobre
certos problemas, não dispondo de uma previa definição clara do seu “centro de
interesse”. Exemplo: Psicologia Social fez importantes progressos na investigação
acerca de um numero considerável de problemas, mas a respeito da qual subsiste grande
apreensão no que se refere à determinação dos seus objectos específicos.

Portanto, o desenvolvimento das ciências sociais pode ser a partir da manipulação de


certo tipo de variáveis escolhidos ou não para o estudo de problemas antecipadamente
identificados. Exemplo: Demografia supõe o autor interessou-se com variáveis tais
como: numero de habitantes, números de nascimento, números de óbitos, etc. e depois
foi descobrindo uma gama de problemas a investigar com relações directas e indirectas
a variáveis apresentadas.

Qual é o carácter das ciências sociais?

Todo carácter de uma ciência social são: primeiro o processo histórico da sua formação
e o desenvolvimento ter prevalecido e recurso determinado a métodos e técnicas de
pesquisas, relegando ou excluindo outros métodos e técnicas.

Micro resumo

Ao longo da formação e desenvolvimento das ciências sociais o centro de interesse, os


problemas de investigação, as variáveis relevantes e os métodos e técnicas de pesquisa
não se definem sucessivamente, uns após outros, mas conjunta e progressivamente
como aspectos interdependentes e inter-relacionados de um mesmo movimento de
sucessivas re-estruturas e estruturações da ciência social a que se referem.

As ciências sociais como conhecimento e como actividade ou prática social.

A ciência como produto e como sistema de produção.

As exposições anteriores: relacionam com o ponto fundamental: ambigüidade.

Numa conceituação mais vulgar que o autor de defende acerca da ciência que o Jean
Jacques Salomon deu a ciência “é um campo de conhecimento e resultados que por se
basearem nos métodos da explicação e da verificação, se encontram submetidos a um
reconhecimento em teoria universal.”

Para ele a ciência é actividade a que se dedicam os investigadores (...) no quadro dos
conhecimentos metódicos, procedimentos e técnicas sancionadas pela experimentação e
pela experiência.

Noutro lado coerente a palavra ciência tem duas realidades distintas:

1.º realidade: um produto de determinado tipo de actividade humana, que é aquela a que
os investigadores se dedicam que se consubstancia em “corpo de conceito e de
resultados”.
2.º realidade: um sistema de produção desse produto que no dizer de Elísco Verón
implica “meios de produção, relações de produção, circuito de circulação e consumo,
mecanismo de conservação e mudanças”. Os quais definem “ as condições concretas da
elaboração, difusão e desenvolvimento acumulativo” do produto cientifico: condições
concretas em que se exerce a actividade dos investigadores.

Resumo ilustrativo

Produto Ciência Sistema de produção

Como corpo de Dependende do que ela Como sistema de


conhecimento e de é como actividades produtoras de
resultados. conhecimento cientifico

Cada ciência social produz o seu próprio objecto cientifico.

A pergunta que se Poe aqui é o que é fazer uma ciência, mas precisamente o que é a
ciência social?

Toda ciência só está propriamente constituída como tal, isto é, como “corpo de
conhecimento e de resultado” quando o seu sistema de produção que a produz já
construiu o seu próprio aspecto científico.

O código de leitura é que diferencia a ciência do senso comum, pois o código de leitura
é o conjunto de concepção construído com fim de dar conta de uma multiplicidade de
objectos reais que por hipótese, essa ciência tem em vista analisar.

Ex: Para estudar o professor, os assistentes e os alunos de uma cadeira de teoria


econômica o objecto não será o real concreto, mas sim um todo conjunto de conceitos e
de relações conceituais: circuito econômico, produto, despesa, rendimento nacional,
procura, oferta, consumo, capital..., porque os economistas já produziram todo conjunto
sistemático de conceitos próprios.

O objecto de investigação leia-se objecto cientifico: que permite submeter a uma


interrogação sistemática os aspectos da realidade posto em relação pela questão que lhes
é dirigida.

E objecto científico vai-se construindo, des-construindo e re-construindo


progressivamente ao longo do tempo.

As ciências sociais nomotéticas todo o conhecimento é abstração e construção.

A diferença das ciências sociais está ou provém delas e não da realidade – que é uma só.
No ponto de vista teórico diferencia pelos:
As problemáticas teóricas que elaboram;

As interrogações a que sujeitam a realidade;

Os códigos de leitura do real-concreto social que para decifrá-la nos propõe.

Construção teórica das ciências sociais nomotéticas está ligada no conhecimento do real
concreto e social e para isso é necessário a “abstração provisória” este é segundo a
perspectiva de Goldmann usa-se desde que se mantenha encerrado dentro dos limites do
código de leitura de uma ciência social. Portanto o real-concreto social das ciências
sociais nomotéticas não é puramente econômico, demográfico, mas sim um “facto
social” captados por outras ciências sociais. Todo conhecimento por mais que empírico
que se afigure é de facto abstracção e construção.

Похожие интересы