Вы находитесь на странице: 1из 3

As categorias do texto dramático

A AÇÃO (intriga)
A ação é o desenrolar dos acontecimentos, através dos diálogos e das movimentações das personagens.

1. Estrutura da ação:
a) Externa: Divide-se em *actos e em *cenas.

Exposição- fase inicial em que se apresentam as personagens e os antecedentes da ação;

b) Interna:
Conflito – Sucessão de acontecimentos que constituem a ação

Desenlace – Final onde acontece o desfecho da acção dramática (final


feliz ou infeliz)

2. AS PERSONAGENS

2.1.Conceção e formulação
- planas ou tipos : estáticas, sem vida interior.
- redondas ou modeladas : dinâmicas, dotadas de densidade psicológica.
- individuais
- colectivas / tipos: representam uma classe.

2.2. Relevo
- protagonista – personagem à volta da qual se organiza a ação.
- personagens secundárias – personagens menos importantes que a principal, mas que são fundamentais
no desenrolar da ação.
- figurantes – personagens que têm como função ilustrar o cenário, mas que não têm qualquer influência na
ação.

2.3. Quanto à sua caracterização:

Direta → pelas palavras da personagem ou de outras personagens, através do diálogo ou através das
informações dadas pelo narrador;

Indireta deduzida pelo leitor a partir das atitudes e comportamentos da personagem.

Física: descrição do aspecto físico da personagem.

Psicológica apresentação de atitudes e comportamentos das personagens relacionados com a sua


personalidade. Estas características podem ser reveladas pelas falas das personagens (caracterização directa)
ou deduzidas pelo espectador/ leitor a partir das suas atitudes e comportamentos.

3. O TEMPO

São os momentos em que a acção se desenrola.


1
4. O ESPAÇO

É o lugar ou lugares onde decorre a acção.

5. CLASSIFICAÇÃO DA OBRA

O Auto da Barca do Inferno é considerado uma moralidade, ou seja, uma


representação simbólica onde as personagens encarnam vícios ou virtudes com
o objectivo de moralizar a sociedade.

• Estrutura externa – esta peça tem apenas um acto, uma vez que não há qualquer mudança
de cenário. E, apesar de Gil Vicente não usar a divisão em cenas, nós podemos fazer
corresponder a cada entrada das personagens uma cena. Assim, o texto consta de onze cenas.

• Estrutura interna – Sendo o texto composto de pequenas acções, tendo cada uma delas
uma forma muito semelhante (breve apresentação de cada personagem, argumentação com o
Diabo e Anjo e embarque numa das barcas) e não havendo qualquer ligação entre as várias
sequências, não podemos afirmar que haja um enredo.
• O percurso que cada personagem faz é muito semelhante: chegam ao cais, dialogam com o
Diabo, vão à barca da Glória, falam com o Anjo e retornam à barca do Inferno, aonde quase
todas embarcam.
• A presença do Parvo no cais e a sua intervenção impede que a peça se torne monótona.

Tipos de cómico
• Gil Vicente usa vários tipos de cómico:
- Cómico de linguagem.
Exemplo: o caso da linguagem (insultos trocados) entre o Parvo e o Diabo;
- Cómico de situação.
Exemplo: o facto do Judeu ter de ir a reboque;
- Cómico de carácter.
Exemplo: qualquer uma das personagens, mas destaque-se o Parvo; a forma como o Fidalgo se
apresenta todo presunçoso, não perceberem que no outro mundo os bens materiais e os títulos
de nada servem, …

2
Intenção da obra e o seu valor

• Este texto de Gil Vicente, mais do que um pretexto para rir, é sem dúvida um documento
histórico que nos permite conhecer os hábitos, defeitos e virtudes da nossa sociedade na época
dos descobrimentos.
• Claro que o seu carácter satírico e humorístico se conjugam e nos fazem rir ainda hoje, uma
vez que os tipos sociais evidenciados são ainda actuais, porque humanos. Esse outro aspecto da
intemporalidade de Gil Vicente. E é óbvio que o estudo da obra nos permite ainda viajar no
tempo com as palavras.

Personagens-tipo/tipos

O teatro de Gil Vicente é um teatro de tipos. Tipos são figuras colectivas que sintetizam
as qualidades e defeitos de uma classe social ou profissional.

Para além dos objectos que transportam, a linguagem funciona também como elemento
distintivo e caracterizador de alguns tipos como é o caso do Parvo, do Sapateiro, do Corregedor,
da Alcoviteira e do Procurador.

ALEGORIA:

Poder-se-á dizer que consiste no facto de representar algo abstrato através


de algo concreto a fim de se perceber melhor a ideia / mensagem que se
pretende transmitir.

alegoria
a.le.go.ri.a
nome feminino
1.figura de retórica que consiste na representação de uma realidadeabstrata através de uma realidade concreta, por meio
de analogias,metáforas, imagens e comparações; representação simbólica
2.obra de arte que representa uma ideia abstrata
3.expressão verbal ou plástica de uma coisa, com o fim de que as palavrasou imagens usadas sugiram outra coisa
4.concretização por meio de imagens, pessoas e figuras, de ideias ouentidades abstratas