Вы находитесь на странице: 1из 9

Antigo Regime

Antigo Regime é o sistema aristocrático político e social que surgiu na França no fim da Idade Média. Esse regime
começou com a formação dos Estados Nacionais. Os franceses são usados como exemplos porque o sistema no
país era o mais exato no quesito político e social. A sociedade era dividida em três estados: o clero, a nobreza e o
resto da população representada pelos burgueses, camponeses e demais trabalhadores.

Características do Antigo Regime


O Antigo Regime é caracterizado pelo absolutismo, expressão dada pelos iluministas, na qual o rei tem poder
sem limitações jurídicas. Existiam outras instâncias políticas na qual o rei poderia revogar ou dissolver, ele não
tinha poder absoluto porque haviam outras instituições. O poder na Inglaterra, antes da Revolução Gloriosa de
1688, era limitado pelo Parlamento, então o Rei reinava mas não governava. O Rei dependia da aristocracia, que
é uma classe na qual a nobreza tem privilégios e era sustentada economicamente pela burguesia.

Característica Econômica do Antigo Regime


Mercantilismo era a forma que a monarquia sustentava o absolutismo, burocracia de funcionários, integrantes do
exército e cobradores de impostos. Porém, no século XIV houve escassez de metais preciosos na Europa e o
mercantilismo foi a solução para dar dinheiro ao Rei. Surge, então, o capitalismo comercial ou a Acumulação
Primitiva de Capital, que é um conjunto de práticas que variam de país para país, baseadas no monopólio real
com o objetivo de acumular recursos, assim, o Rei conseguia estabelecer controle sobre a economia.

Característica Social do Antigo Regime


A sociedade era Estamental, ou seja, a mobilidade era praticamente inexistente. Na sociedade de classes, os
homens era diferentes por determinação divina. Há o Terceiro Estado, o Clero e a Nobreza.

Característica Cultural do Antigo Regime


A Igreja tinha mais poder do que as outras instituições. Há o predomínio da visão religiosa do mundo. Porém, a
partir do século XVIII essa visão foi criticada pelos iluministas.

Guerra dos Sete Anos


A Guerra dos Sete Anos foi uma Guerra entre Franceses e Ingleses. Nesse contexto, a França conquistou
Quebec, pois tinha interesse no caminho para os Rios Mississipi e Missouri. Dessa forma, ocorreu uma
aproximação entre austríacos e franceses. Porém, durante as batalhas na Guerra dos Sete Anos, os ingleses
ganharam quase todas as lutas.

Consequências da Guerra dos Sete Anos


A Guerra dos Sete Anos teve duas consequências, a primeira foi a inevitável Crise Financeira na França. A França
teve muitos gastos com a Guerra e, para completar, perdeu essa guerra. Com isso, houve endividamento coletivo
dos franceses, doenças e mortes da população. Muitas mulheres tiveram que trabalhar para cuidar de
suas famílias e seus filhos.
A segunda consequência dessa guerra, foi a má vontade dos colonos com a Metrópole, pois não queriam
alimentar as tropas. Estas foram conquistando território, e ficaram muito afastadas das cidades de origem. Não
havia alimentos suficientes e nem locais adequados para dormir. Dependiam da boa vontade dos colonos
franceses para ter um espaço adequado para higiene e alimentação. Porém, os colonos franceses não tiveram um
papel muito ativo na hora de ajudar as tropas. Ou seja, as tropas ficaram prejudicadas, os combatentes
enfraqueceram e por isso foram derrotados na Guerra dos Sete Anos.

Décadas de 1763 a 1773


A Inglaterra ganhou a guerra, mas ficou enfraquecida economicamente. Para contornar a situação, foram
cobrados diversos tributos dos colonos. Veja alguns exemplos de leis que aumentaram os impostos:
 Lei do Selo
 Lei do Açúcar
 Lei do Ferro
 Lei da Moeda
 Ato de Quebec
 Ato Touchend (monopólio sobre os produtos importados da Inglaterra que causou enorme reação dos
colonos)
Como consequência a tantas leis fiscalizadoras, colonos organizam-se militarmente para reagir às leis.
Esse foi o primeiro conflito que uniu os Estados Unidos em um objetivo comum e isso viabilizou a independência
norte-americana. Como a França perdeu a Guerra dos Sete Anos, ela financiou a independência das Treze
Colônias e como consequência a Franca ficou em crise financeira.

Década de 1773
Imposição da Lei do Chá, que era vendido nas Treze Colônias pela Companhia das Índias. Essa lei provocou a
maior Rebelião até então, pois houve a tentativa do Parlamento Inglês em implantar o exclusivismo metropolitano
durante 7 anos nos EUA. Porém, os colonos que eram esclarecidos e iluministas perceberam e criaram conflitos
para não aceitar as leis.
Leis Intoleráveis foi a resposta do Parlamento à Lei do Chá, no qual o Porto de Massachussets foi fechado, pois
a Colônia de Massachussets tinha maior presença política e maior presença militar.

Década de 1774
Ocorre o 1º Congresso da Filadélfia, do qual participaram Legalistas e Patriotas

Década de 1776
Ocorre o 2º Congresso da Filadélfia, no qual é proclamado a independência em 4 de Julho por Thomas Jefferson.

Guerra Fria
É o nome dado ao período (1945 a 1991) em que o poder político, armamentista e econômico foi disputado entre
a União Soviética e Estados Unidos. Há dúvidas entre os historiadores para concluir se essa guerra foi feita por
ideais ou pelo conflito de interesses entre socialismo e capitalismo. Ela recebeu esse nome porque não houve
conflito armado entre as partes e as diferenças ideológicas pesavam principalmente no aspecto econômico e
político.
Na União Soviética o sistema político era socialista, com partido único, igualdade social e economia planificada. O
outro lado da moeda eram os EUA, que defendiam o sistema capitalista com economia de mercado, incentivo a
propriedade privada e um sistema democrático.
Paz Armada: Termo para definir a Guerra Fria, pois os dois países estavam com um grande exército montado e
muitos armamentos, mas viviam em um período de paz disfarçada. Um ataque de ambas as partes seria terrível
para os dois países e para o mundo.
Na Guerra Fria também houve a criação de blocos militares que visavam a defesa desses países. Nos EUA foi
criada a OTAN(Organização do Tratado do Atlântico Norte), que tinha entre os integrantes países como a
Alemanha Ocidental, França, Inglaterra e Itália. Já os países socialistas tinham o Pacto de Varsóvia, sob o
comando da União Soviética e a participação de países como a Cuba, China, Alemanha Oriental e Polônia.
No aspecto econômico, as duas potências da época desenvolveram planos econômicos para ajudar
financeiramente os países socialistas e capitalistas. Nos EUA foi o Plano Marshall e na URSS foi o Plano Molotov.
Outra forma de disputa entre os países era a busca pelo espaço, pois cada uma das partes queria mostrar quem
tinha tecnologia mais avançada. Em 1957, a URSS, enviou um cachorro para o espaço com o satélite Sputinik e o
homem chegou apenas em 1969 por meio de uma missão especial Apolo 11, comandada pelos americanos.

Combate ao Comunismo
Os Estados Unidos condenava e combatia o comunismo em seu território e nos países pelo mundo por meio de
propagandas, no cinema, na TV, nos gibis e nos rádios. Os ideais socialistas eram vistos como algo que deveria
ser combatido por todos. O senador Joseph McCarthy promoveu o que ficou conhecido como Macartismo e
perseguiu qualquer pessoa que apoiasse ou defendesse ideias próximas ao comunismo.
Já na União Soviética havia outro tipo de perseguição, pois o Partido Comunista perseguia todos aqueles que não
seguiam suas regras. Haviam muitos espiões que perseguiam e também investigavam os americanos.

Conflitos durante a Guerra Fria


Guerra da Coreia
Foi um conflito ocorrido entre as duas Coreias (Norte e Sul) que teve a participação das lideranças capitalistas e
socialistas na Guerra Fria. Após a Segunda Guerra Mundial, a Coreia foi dividida em duas, pois uma parte era
capitalista e ficou sob o comando dos Estados Unidos, e a outra parte era ligada à União Soviética, ou seja,
comunista.
Em 1949, a situação ficou complicada na região porque a parte norte invadiu a Coreia do Sul. Em 1950, a ONU
autorizou a ofensiva militar contra a parte norte e os EUA mandaram tropas para auxiliar a parte Sul e a China
resolveu defender os norte-coreanos.
Apenas em 1953 foi assinado um acordo colocando fim ao conflito, mas milhares de pessoas já haviam morrido no
conflito. Após anos após a guerra, a Coreia do Norte ainda não conseguiu estabelecer uma convivência pacífica
com os países capitalistas. Desenvolveu boas políticas na saúde e educação, mas a preocupação com esse país
permanece, pois ele passou a investir em tecnologia nuclear.

Guerra do Vietnã
Conflito que começou em 1959 e terminou apenas na metade da década de 70. O país era uma colônia francesa
que foi dividida em dois após a Guerra da Indochina. O Vietnã do Sul era aliado dos EUA e tinha ideais
capitalistas; Já o Vietnã do Norte possuía ideais comunistas. A guerra começou quando os vietcongues atacaram
uma base norte-americana.
Inicialmente o conflito era apenas entre os dois países e os Estados Unidos e a URSS prestavam apoio. No
entanto, os americanos decidiram enviar a partir de 1964, soldados e armamentos para auxiliar o conflito. Foram
conflitos complicados porque os americanos sofriam com o clima da região e com as técnicas usadas pelos
vietcongues durante a guerra. No fim da década de 60, o exército norte-vietnamita conseguiu atacar a capital de
Vietnã do Sul.
Nos Estados Unidos, a opinião pública suplicava pelo retorno dos soldados, pois a guerra estava cada vez mais
sangrenta e cruel. Os americanos faziam protestos nas ruas pedido o fim da guerra e os militares sofriam com as
desvantagens geográficas em relação aos soldados do Vietnã do Norte. Os Estados Unidos se retiraram da
guerra em 1973, mas apenas em 1975 todas as tropas estado-unidenses conseguiram ser retiradas do país
vietnamita. Um ano depois o país se reunificou e recebeu o nome de República Socialista do Vietnã.

Filmes sobre a Guerra Fria


Mesmo com o excesso de dramas e romances presentes nesses filmes, eles são importantes para agregar
informação aos estudos.
Apollo 13 (1995): O domínio do espaço era uma das “guerras internas” travadas entre americanos e soviéticos.
Esse filme aborda a expedição americana homônima para pousar na lua. Muitos ideais americanos são abordados
nesse filme e a superação dos astronautas também.
Adeus Lênin (2003): Esse filme conta a história de uma mulher que entra em coma durante a divisão das duas
Alemanhas e só acorda após a queda do muro de Berlim. No entanto, o médico aconselha que ela não sofra fortes
emoções e o filho monta uma encenação para que ela acredite que ainda vive do lado comunista e que o Muro
continua existindo. O filme é importante para constatar as mudanças causadas pela queda do muro e como era o
cotidiano da população que vivia no lado oriental.
Treze Dias que Abalaram o Mundo (2000): Fala sobre um conflito ocorrido em 1962 relacionado os mísseis de
Cuba. Foi um momento de muita tensão, pois os EUA constataram por meio de fotos aéreas, que a União
Soviética pretendia colocar uma plataforma de armas Nucleares em Cuba. O presidente Kennedy poderia ter
autorizado um ataque que provavelmente teria iniciado uma guerra mundial.
Jogos de Poder (2007): Aborda o período da Guerra do Afeganistão, onde os soviéticos apoiavam o governo
local e os americanos financiavam os rebeldes afegãos. O filme mostra bem como funcionava as regras políticas
nas instituições americanas envolvidas. Além disso, anos depois, os americanos combateriam esses rebeldes em
outra guerra.

Iluminismo
O Iluminismo foi um movimento cultural da elite intelectual francesa, na qual a Razão prevalece como a melhor
forma para alcançar a liberdade e autonomia. Eles pediam que fossem criadas escolas para todos e que houvesse
liberdade religiosa. Foram eles que inventaram as Enciclopédias, coletânea de livros que reunia todo o
conhecimento existente no mundo.
Esse movimento surgiu para reagir ao absolutismo europeu. Na Idade Média, a Razão ainda não existia, porém
nos séculos XII e XIII houve sistematização da Razão com o modelo Teocêntrico do Padre São Tomás de Aquino.
Nos séculos XV e XVI houve o Renascimento das Artes, com a pintura da Capela Sistina, e a escultura da Pietá
em Mármore, com perspectiva em profundidade, pois foram mostradas de maneira racional. E, finalmente, no
século XVIII teve início o Século das Luzes, da Razão Crítica. Por fim, no século XIX começou o Romantismo e as
emoções ultrapassavam a razão. O Iluminismo declinou, mas foram seus ideais que influenciaram a Revolução
Francesa.

Proposta Iluminista
1. Monarquia Constitucional, que enfraquece a autoridade do Rei e dá maior liberdade à população
2. Liberalismo, que amplia as liberdades individuais em detrimento do poder absoluto do Rei.
3. Há liberdade política e econômica. Por causa da acumulação de metais, houve a desvalorização da moeda, o
que resulta no desaparecimento no mercantilismo.
4. Igualdade Jurídica perante a lei, ou seja, o objetivo é acabar com os privilégios da nobreza e Universalização da
Razão, ou seja, todo o homem é capaz de discutir pela Razão, pois a educação é laica.
5. Todo homem nascia com os conceitos de igualdade e bondade dentro de si, mas cometia falhas graças ao meio
e a sociedade em que estava inserido.

Iluministas Famosos
John Locke (1632-1704): Filósofo inglês que não acreditava que Deus escolhia o futuro e destino das pessoas.
Para ele, a sociedade era moldada para praticar o bem ou mal.
Montesquieu (1689-1755): Para esse filósofo, o governo deveria ser mantido por três poderes: Judiciário,
Legislativo e Executivo. Esse ideal foi determinante para o cenário político da sociedade moderna.
Voltaire (1694-1778): Não era contra um monarca absoluto, mas defendia que ele fosse aberto as ideias e
propostas iluministas. Defendia que para alcançar Deus não era preciso uma igreja, mas apenas a razão.
Benjamin Franklin (1706-1790): Político e filósofo americano que ajudou a elaborar a constituição de 1787 e
participou de situações que culminaram na independência dos EUA.
Jean-Jacques Rousseau (1712-1778): Esse suíço defendia que as pessoas escolhessem seus representantes
políticos por meio de uma eleição. Ele era favorável as reformas sociais e contra a burguesia e nobreza.
Benjamin Constant (1767-1830): Foi um político, escritor e filósofo de nacionalidade francesa e suíça. Ele foi
influenciado pelo Iluminismo Escocês.

Independência das 13 Colônias


A Independência das Treze Colônias ocorreu em 1776, quando ainda não existiam os Estados Unidos da América.
Também pode ser chamada de Revolução Americana, porque é um movimento de Emancipação com elementos
iluministas radicais.

Antecedentes da Independência das 13 Colônias


A colonização da América Inglesa foi totalmente diferente da que ocorreu na América Latina, porque foi de
povoamento. Além disso, essa colonização teve duas motivações: uma religiosa primordial e teve também a
motivação mercantil.
Os calvinistas migraram para as Treze Colônias para fugir da perseguição na Inglaterra.

As Treze Colônias eram vistas como uma terra de liberdade Religiosa, mesmo antes da Independência.

A base do calvinismo é a predestinação, pois Deus conhece e sabe tudo, portanto, prosperidade é sinal de que
se é predestinado. Dessa forma, o calvinismo foi idealizado pela burguesia.
Valoriza-se:
1. a ética do trabalho
2. a lógica da acumulação
3. o investimento de recursos
Nas Treze Colônias havia formação de uma sociedade civil, pois o governo era fraco, pois havia o auto-governo.
Também ocorria, a servidão por contrato, que baseava-se em trazer indivíduos desempregados da Inglaterra.
Na época do governo de Stuart, houve cercamentos, na qual muitos colonos perderam suas terras. A viagem até
as Treze Colônias era paga pelos Estados Unidos e esses colonos deveriam trabalhar por 7 anos em média para
pagar seus custos.
Fatores que levaram a independência das 13 colônias:
- a metrópole cobrava impostos dos colonos e colocava muitas regras na população.
- a obrigação e ter participado da Guerra dos 7 anos.

Primeira Guerra Mundial


A 1º Guerra Mundial foi um conflito global que ocorreu de 1914 a 1918, envolvendo os grandes países da época
separados em duas alianças: Tríplice Aliança e Tríplice Entente. A primeira era formada pelo Império Alemão e
a Áustria -Hungria e a Entente tinha a participação do Reino Unido, o Império Russo e a França. O estopim para o
conflito foi o assassinato do arquiduque Francisco Ferdinando da Áustria. No fim de julho de 1914, os militares
austro-húngaros invadiram a Sérvia, a Alemanha invadiu Luxemburgo, Bélgica e França e a Rússia atacou a
Alemanha.
Naquele período havia interesse financeiro entre os alemães e ingleses que competiam pelo mercado consumidor.
Os conflitos dividiram-se em 3 fases:
- Guerra de Movimento
- Guerra de Trincheiras
- Ofensivas
Batalha da Sérvia: Essa batalha causou a primeira grande vitória da Tríplice Entente. Devido a necessidade de
manter uma grande parte de soldados na fronteira com a Sérvia, o Império-Húngaro ficou debilitado na batalha
com a Rússia, enfrentada pela outra frente.
A Primeira Guerra desenvolveu-se principalmente por meio de trincheiras onde os soldados passavam semanas
para conquistar um pequeno território. Nesses conflitos os militares passaram a usar tanques de guerra e aviões.
Em 1917, os Estados Unidos entrou na guerra para apoiar a Tríplice Entente. Com medo de que os países não
conseguissem pagar a dívida que tinham com o país, os EUA reforçaram os motivos para entrar no conflito. Aos
poucos,os países foram se retirando da guerra e em 1919 ocorreu a Conferência de Paris, com a participação dos
países vencedores que estipularam uma série de punições a Alemanha:
 O país perdeu suas colônias;
 Ficou impedido de ter Forças Armadas;
 Foi condenado como culpado pela guerra e teve que pagar uma indenização aos vencedores.

Revolução Francesa
A Revolução Francesa foi um período de movimentação social e política ocorrida na França, no fim do século
XVIII. A monarquia sofreu um baque rapidamente e a ordem social foi alterada. Os ideais desse período foram
importantes para diversas vertentes culturais e políticas no mundo todo.
Os franceses viviam sob o regime com três ordens sociais: clero, nobreza e povo. A França vivia um momento
de graves problemas financeiros devido a participação do país em conflitos. Naquela época o clero e a nobreza
dominavam os burgueses, camponeses e Sans-Culottes com impostos. Em detrimento, eles utilizavam toda a
riqueza do tesouro real. Os ideais iluministas começaram a influenciar a população do 3º estado que pretendia
acabar com o absolutismo e as vantagens do clero e nobreza. Grande parte da população francesa naquela época
vivia no campo e a população sofria com problemas econômicos. No campo e na cidade faltava comida e
condições mínimas para sobrevivência.

Assembleia Constituinte
Os 3 estados sociais tinha interesse em retirar o poder do rei, como havia acontecido com outros monarcas. Luís
XVI havia convocado os Estados Gerais para discutir o sistema tributário, mas essa situação acabava
desfavorecendo o povo que sempre era minoria. No entanto, o terceiro estado exigia que fossem computados
votos individuais e não um voto por estado como sempre era feito. Com a possibilidade de perder na votação, Luís
XVI tentou dissolver os Estados Gerais, mas populares do terceiro estado invadiram um jogo de Pela e
informaram que só sairiam quando fosse promulgada uma nova constituição da França. Portanto, os Estados
Gerais convocaram a Assembleia Nacional Constituinte.
O rei tentava reverter a situação, mas a população permanecia nas ruas lutando por: Liberdade, Igualdade e
Fraternidade. No dia 14 de julho de 1789, a população tomou a Bastilha, a prisão da época que representava todo
o poder do rei. Na tentativa de controlar os populares, o rei acabou com o regime feudal e retirou os privilégios
tributários da nobreza e do clero.
Em agosto de 1789 foi proclamada a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão com as seguintes
diretrizes: direito à propriedade individual, respeito à dignidade das pessoas, liberdade e igualdade dos cidadãos e
liberdade de pensamento. No ano seguinte, o clero teve suas terras tomadas e passou a ficar sob a autoridade do
Estado.
A Assembleia Constituinte só foi finalizada em 1791 e uma das principais decisões incidia sobre o poder do rei. O
monarca não concordou com a perda de poder e manteve contato com alguns nobres que estavam morando em
outros países em busca de apoio para lutar contra a revolução e retornar com a monarquia.
A República foi proclamada em 1792 e foi instituída a Convenção Nacional para elaborar uma nova constituição.
O país vivia a seguinte divisão política:
Jacobinos: Eram os burgueses e proletariados que apoiavam a morte do rei. Os líderes eram Saint-Just e
Robespierre.
Girondinos: Alta burguesia.
Grupo da Planície: Sempre ficavam ao lado de que estava no poder.
Em 1793, Luís XVI foi guilhotinado e isso causou muitos problemas no país e uma reorganização social das forças
absolutistas. Nesse período foi criado o Tribunal Revolucionário que guilhotinou muitas pessoas consideradas
traidoras durante o período do terror. Durante esse período, o poder foi assumido pelos jacobinos, que
espalharam o terror por Paris e Robespierre liderava a condenação de centenas de franceses.
A Constituição da República em 1793 garantia o direito a rebelião, ao voto, ao trabalho e garantia de que o
governo zelasse pelo bem e felicidade das pessoas. Os Grupos de Planície e os Girondinos estavam contra
Robespierre e ele foi guilhotinado no ano seguinte. Depois da morte do jacobino, foi montada uma nova
convenção para elaborar outra constituição.
Nessa nova constituição foi mantida a república, que foi controlada pelo Diretório de 1795 a 1799. A burguesia
tentava impor seu controle e a população permanecia descontente. No exército, Napoleão Bonaparte ganhava
prestígio e após receber apoio da burguesia ele aplicou um golpe. Em novembro de 1799 ele acabou com o
diretório e instaurou o Consulado, um golpe de estado que ficou conhecido como 18 de Brumário.

Revolução Russa
A Revolução Russa consiste no período de conflitos ocorridos na Rússia a partir de 1917, que mudou o cenário
político daquele país. No início do século XX, a Rússia era um país extremamente dependente da agricultura e
com uma economia deficiente. A população rural vivia na miséria e custeando altos impostos para que o Sistema
Czarista fosse mantido.
O czar Nicolau II detinha todo o poder e não havia democracia. Ele investiu na industrialização do país, mas os
operários eram mantidos em estado de calamidade, trabalhando por várias horas diariamente e com péssimas
condições de trabalho. Anteriormente, havia surgido o Partido Operário Social Democrata Russo que era liderado
por Vladimir Ilyich e Lev Bronstein, respectivamente, Lênin e Trotsky.
Em 1903, o partido dividiu-se devido divergências internas levando a criação dos mencheviques e bolcheviques:
Mencheviques: Esse grupo era liderado por Martov e acreditava que os trabalhadores poderiam chegar ao poder.
No entanto, para eles era preciso aguardar que a Rússia capitalista se desenvolvesse para que uma atitude fosse
tomada. O significado de menchevique é minoria.
Bolcheviques: Segundo os ideais desse grupo, os trabalhadores só chegariam ao poder quando houvesse uma
revolução. Eles eram liderados por Lenin e combatiam o proletariado.
Em 1905, diversas manifestações estouraram com pedidos de reforma política e o fim do absolutismo Czar. Em
janeiro daquele ano, um grupo de manifestantes marcharam em direção ao Palácio de Inverno para levar uma
petição ao czar Nicolau II, mas o exército atirou contra a multidão matando muitas pessoa. O massacre ficou
conhecido como Domingo Sangrento e aumentou o ódio da população ao regime czarista.
Por causa da sua participação na Segunda Guerra, a Rússia encontrava-se em crise política e penava com a falta
de alimentos. Em março de 1917, Nicolau II foi deposto e executado. Havia começado a Revolução Russa.

Revolução de Fevereiro
É o nome dado a primeira fase dessa revolução ocorrida entre março e novembro de 1917. No começo daquele
ano aconteceram muitas passeatas e os manifestantes receberam o apoio de algumas tropas que não
concordavam com o ataque a civis. Trabalhadores e soldados invadiram o Palário Tauride e formaram comitês
provisórios. A atitude levou a abdicação de Nicolau II.
Revolução de Outubro
A segunda fase da Revolução Russa começou em novembro de 1917. Dois meses antes, Lenin liderou uma
revolução em que prometia liberdade, pão e terra a população. Ele assumiu o comando do país com a ajuda de
milícias populares e sovietes. Ele acreditava que a igualdade e o comunismo seriam a melhor solução para os
russos. Ele retirou a Rússia da 1º Guerra Mundial, o Partido Comunista passou a ser o único do país, terras dos
nobres e da igreja foram desapropriadas e repassadas aos camponeses e vários órgãos foram estatizados.
Em 1921 foram determinadas medidas chamadas de Nova Política Econômica (NEP) que estipulava abertura do
comércio interno, autorização para o funcionamento de empresas particulares e autorização para a entrada de
capital estrangeiro. No ano seguinte, os sovietes realizaram um congresso onde foi fundada a União das
Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS).
Com a morte de Lenin em 1924, ocorreu uma disputa sobre quem assumiria o poder e a disputa focou em Stalin e
Trotski. Stalin saiu vitorioso e assumiu o cargo de ditador da União Soviética. Ele controlava todas as vertentes do
Estado e conseguiu afastar todos os oposicionistas e muitos foram assassinados com falsas acusações de
espionagem.
Nesse período milhares de pessoas foram presas e assassinadas pelos soviéticos. No caráter econômico, o país
cresceu tornando-se uma das potências mundiais.

Segunda Guerra Mundial


A Segunda Guerra Mundial começou em setembro de 1939, sendo considerada a maior tragédia provocada pelo
homem. Causou a morte de milhares de pessoas, envolveu diversos países e todos os continentes.
Um dos principais motivos para o conflito foi a crise econômica que abateu os países depois da crise de 1929. Isso
levou ao crescimento de medidas protecionistas e ao desemprego de milhares de pessoas nos EUA e na Europa.
Além disso, a miséria atingiu diversos países por causa da ligação econômica que havia entre eles. Outra situação
que influenciou o início da guerra foi Hitler ter assumindo o poder na Alemanha em 1933.
Hitler desejava levar a Alemanha ao status de potência novamente, mas precisava derrubar o Tratado de
Versalhes, que impedia o crescimento militar alemão. Ele pretendia isolar a União Soviética para posteriormente
atacá-la. Por outro lado, o Japão estava expandindo seus domínios para regiões chinesas e isso incomodava os
norte-americanos.
Mas, estudos históricos indicam que a guerra foi causada pelas consequências geradas das imposições
do Tratado de Versalhes, que limitou diversos direitos comerciais e militares da Alemanha. Além disso, o país
possuía uma extensa dívida com os países aliados e essa série de sanções foi causando um sentimento de rancor
e amargura nos alemães. A defesa da nação passou então a ser explorada pelo partidos de extrema-direita.

Antecedentes da Segunda Guerra


Guerra Civil Espanhola: Em 1936, a Frente Popular venceu as eleições no país, mas a frente conservadora,
liderada pelo General Mola e Francisco Franco, deu início a uma Guerra Civil que durou quase três anos. Os
nacionalistas receberam apoio de Hitler e os republicanos foram derrotados em 1939 porque não conseguiram ser
ajudados pela URSS.
Pacto Germano Soviético: Nome dado ao acordo de não-agressão entre a União Soviética e a Alemanha
Nazista em 1939. O pacto estipulava que não haveria conflitos entre as partes e estipulada uma neutralidade caso
alguns países europeus fossem anexados aos mesmos. O pacto foi uma forma encontrada pelos alemães para
não terem a URSS como inimiga.

I Fase da Segunda Guerra


Em setembro de 1939 os alemães entraram na Polônia e partiram em direção a Varsóvia. Foi a primeira cidade a
receber bombardeio aéreo e foram usadas técnicas de guerra-relâmpago (estratégia blitzkrieg). Para Hitler, os
povos eslavos eram de uma raça inferior, ou seja, o ditador queria transformá-los em escravos e as cidades do
leste europeu teriam suas indústrias destruídas para serem ruralizadas. Posteriormente, a França e Inglaterra
deram um ultimato para que os alemães se retirassem do território polonês e como não foram atendidos
declararam guerra ao país germânico.
Os ingleses e franceses demoraram para atacar a Alemanha, fazendo com que a nova estratégia de guerra alemã
levasse a ocupação rápida de grande parte da Polônia. As forças alemãs conseguiram ocupar a Dinamarca e a
Noruega em 1940. Naquele mesmo ano os Países Baixos foram atacados: Holanda e Bélgica também foram
ocupados.
Antes de atacar a França, a Alemanha havia conquistado apenas países menores e acreditava-se que os
franceses seriam resistentes em uma investida. Eles tinham uma quantidade equivalente de soldados e melhores
condições bélicas como aviões e tanques. A França protegeu a fronteira com a Bélgica, pois foi por ali que os
alemães haviam entrado durante a primeira guerra, mas dessa vez eles vieram pela região das Ardenas.
Em outra frente, a Itália atacava os países árabes em 1940 e suas tropas chegaram na Líbia e ao Egito, mas logo
foram repelidas pelos soldados britânicos. Porém, o exército inglês sofreu algumas derrotas e precisou recuar. O
conflito ainda atingiu a região dos balcãs com a ocupação total da Grécia e Ioguslávia em 1941.
Enquanto isso, a Inglaterra permanecia isolada, sendo protegida pela sua esquadra. Mesmo assim, o país inglês
sofreu com duros ataques até a Alemanha começar a se interessar pela invasão URSS. Em menos de dois anos,
a Alemanha já havia conquistado oito países, tinha poder sobre recursos agrícolas e industriais e havia destituído
o poder da França. Os militares alemães eram considerados uma máquina de guerra.

II Fase da Segunda Guerra


Essa fase é marcada pela invasão da URSS realizada através da seguinte regra: ataque o inimigo antes de ser
atacado. Stalin havia sido alertado por outros países e por seus espiões de que a invasão alemã estava eminente,
mas ele não acreditava e pensava que eram boatos tentando colocá-lo de frente com o poder militar da Alemanha.
Com mais de 3 milhões de soldados, os alemães surpreenderam o líder soviético com um dos maiores exércitos
de todos os tempos. O que os invasores não se atentaram era a dificuldade em invadir um país de dimensões
continentais e a capacidade de resistência dos russos. Além disso, o inverno daquele ano chegou mais cedo e foi
arrebatador.
Hitler mandou que os soldados aguardassem em suas posições esperando o início da primavera de 1942 para se
deslocar. Foi quando eles receberam um contra-ataque russo que os afastou de Moscou e levou pânico entre os
comandantes do exército alemão.
Os nazistas eram extremamente preconceituosos e racistas. Fizeram uso de medidas cruéis contra a população
que vivia no Leste Europeu, pois os consideravam inferiores. Universidades e escolas foram fechadas, permitindo
que apenas algumas pessoas tivessem a escolarização mínima. Havia grupos de extermínio responsáveis pela
eliminação de marxistas, professores, sindicalistas, judeus, democratas-burgueses e comissários políticos.
Foram criados diversos campos de concentração que aprisionavam milhares de pessoas que eram obrigadas a
realizar trabalho escravo nas piores condições. Um dos campos de concentração mais conhecido foi Auschwitz,
que era capaz de matar 2 mil pessoas de uma vez na câmara de gás. Além das condições com que os prisioneiros
eram tratados, os médicos alemães realizavam experiências médicas .
O médico mais conhecido por essas atrocidades foi Josef Mengele, responsável por diversas experiências com
gêmeos, na tentativa de mudança da cor dos olhos em crianças, colagem de membros em pessoas amputadas e
realização de cirurgias estranhas. Ele fazia experiências nos judeus, em pessoas com doenças hereditárias e nos
ciganos.

Batalha de Stalingrado
A região em que ficava Stalingrado era um importante centro fluvial e ferroviário que ligava a região do Cáucaso e
Moscou. Foi por essa cidade que Hitler decidiu lançar sua ofensiva para abalar os russos. Hitler acreditava que
rapidamente ocuparia a cidade, mas os dias passavam e a cidade não era ocupada pelos alemães. Os dois
exércitos iam perdendo militares e o inverno ficava cada vez mais rigoroso.
Mesmo com o quadro cada vez pior, Hitler insistia que os soldados deveriam manter as posições e apelou para o
caráter emocional da situação para dar ânimo aos militares. Muitos deles morreram com o frio e pela falta de
comida. Essa batalha foi responsável pela rendição de uma boa parte dos soldados alemães, uma mudança
drástica nos rumos da guerra e o início da queda do Nazismo.

Japão e Estados Unidos


Até o fim de 1941 a guerra se concentrava apenas nos países europeus, mas no ano seguinte os conflitos se
estenderam para países asiáticos como a China e o Japão. O Japão conseguiu conquistar alguns territórios
chineses e começou a ser visto com receio por parte dos Estados Unidos. O presidente Roosevelt finalizou
acordos comerciais mantidos com os japoneses, congelou créditos financeiros e embargou fornecimento de
matérias-primas e petróleo.
A opinião pública não queria que os EUA se envolvesse, mas a situação ficava cada vez mais complicada. No dia
07 de dezembro de 1941 o Japão atacou a base naval de Pearl Harbor e o país entrou de vez na guerra. O ataque
causou a morte de mais de 2000 soldados e a destruição de navios e aviões da Marinha americana. Os japoneses
também avançavam sobre as colônias inglesas e americanas visando enfraquecer esses países.
A Itália e Alemanha também declararam guerra aos EUA, enquanto os americanos tentavam aumentar seu poder
bélico e treinar seu exército. A ofensiva americana começou em 1942 e o Japão se rendeu apenas em setembro
de 1945. Esse conflito foi marcado pela artilharia pesada das unidades navais e aéreas.
Dia D – Invasão da Normandia
A conhecida Batalha da Normandia foi um conflito ocasionado pela invasão em 1944 feita pelos aliados na França
(que naquele período era ocupada pelos nazistas). Em 6 de junho daquele ano o ataque ocorreu e ficou conhecido
como o Dia D. Recebeu esse nome pelo tamanho da operação que mudou os rumos da guerra. Estima-se que
mais de 3 milhões de soldados chegaram pelo mar da Normandia naquele dia. Essa batalha enfraqueceu o ataque
alemão, que migrou seus esforços para esse conflito e reduziu a defesa contra a União Soviética.
Paris foi dominada em setembro de 1944 e a Alemanha começou a ser invadida no fim daquele ano pelas forças
aliadas. Em abril de 1945 Mussolini foi capturado e dois dias depois Hitler cometeu suicídio. Em agosto daquele
ano, após o Japão se recusar a cumprir o acordo de Potsdam, os Estados Unidos atacaram as cidades de
Hiroshima e Nagasaki com bombas atômicas. Dia 15 de agosto de 1945 o Japão finalmente se rendeu colocando
fim a guerra.

Filmes sobre a Segunda Guerra


 A Lista de Schindler (1993)
 O Resgate do Soldado Ryan (1998)
 Operação Valquíria (2008)
 A Vida é Bela (1998)
 A Queda – As Últimas Horas de Hitler (2004)
 O Pianista (2002)
 Pearl Harbor (2001)
 O Grande Ditador (1940)
 Bastardos Inglórios (2009)