Вы находитесь на странице: 1из 14

16/03/2012

UDESC – Universidade do Estado de Santa Catarina


CEO – Centro de Educação Superior do Oeste
Separação por Membranas
Depto de Engenharia de Alimentos
processo utilizado para
concentrar ou fracionar líquidos.
Aula 5 – Separação por
membranas Fundamento:baseia-se na
permeabilidade seletiva dos
Disciplina – Processamento de Alimentos
componentes da solução que
Profa: Andréia Zilio Dinon passam pela membrana.
2

Classificação das Membranas


Membranas
a) Homogêneas: mesma composição em toda
espessura, poros de tamanho uniforme;
Descrição geral: “uma membrana é uma
barreira que separa duas fases e que restringe
b) Heterogêneas: possuem mais de uma camada de
total ou parcial o transporte de uma ou várias material polimérico (poliamida, poliéster,
espécies químicas presentes nas fases” policarbonato) fixado a um suporte mecânico
(FELLOWS, 2006). poroso (cerâmica, silicone, aço inox).

3 4

Composição das Membranas

a) Material inorgânico ou mineral


- carbono, alumina, óxido de zircônio,
óxido de titânio.

b) Material orgânico
- acetato de celulose, polímeros de polissulfona,
poliéstersulfona, poliamida.

Fonte: ORDÓÑEZ, 2005.


5 6

1
16/03/2012

Separação por Membranas

- Processo: o líquido de alimentação procede de um


tanque de armazenamento e é impulsionado sob
pressão por uma bomba p/ passar pela membrana e
obter a separação desejada.

- OBS: podem ser usados sistemas de recirculação ou


várias etapas de separação até obter a concentração
desejada do produto.

Separação por Membranas


7 8

Separação por Membranas

- Filtrado ou permeado: fluido que atravessa a


membrana

- Concentrado ou retentado: solutos ou sólidos


suspensos que permanecem no lado da
alimentação

9
Fonte: ORDÓÑEZ, 2005.
10

Separação por Membranas Separação por Membranas


Controle do processo:
Fatores que afetam a separação:
Vazão
caract. da membrana,
Velocidade
capacidade de transf. de massa, Temperatura
velocidade de transporte, Pressão
permeabilidade, Caract. produto
seletividade de partículas. Tipo de membrana
- tamanho, porosidade, composição, interação
química c/ o líquido de alimentação.
11 12

2
16/03/2012

Separação por Membranas

Tipos de separação x retenção:

1) Microfiltração x PM > 200 kDa

2) Ultrafiltração x PM 1-200 kDa

3) Nanofiltração x PM 300-1000Da

4) Osmose Reversa x moléc.< 1 nm

5) Pervaporação x vapor

Fonte: ORDÓÑEZ, 2005.


13 6) Eletrodiálise x íons 14

Separação por Membranas


Microfiltração:
- Membranas c/ poro de 0,2-10 µM;
- Separação de subst. PM > 200kDa;
- Permeado: bactérias, mofos, leveduras, gordura
emulsificada, amido;
- Aplicação: esterilização a frio e clarificação de
cerveja, vinho, suco de frutas

- OBS: uso da microfiltração não substitui a


pasteurização.
Fonte: ORDÓÑEZ, 2005.
15 16

Separação por Membranas

Ultrafiltração:

- Membranas c/ poro de 1 nm a 0,2 µM;

- Separação de subst. PM 1-200 kDa;

- Pressão inferior a 1000 kPa;

- Remoção de moléculas grandes, alto PM:

- proteínas, vírus, colóides, polissacarídeos.

17 18

3
16/03/2012

Separação por Membranas Separação por Membranas

Ultrafiltração: Ultrafiltração:

- Aplicações: - Aplicações:

-clarificação (vinho, cerveja, suco de frutas), - concentração de extrato de tomate e de


sacarose;
- concentração (sucos, proteínas soro de queijos),
- separação e concentração de enzimas,
- fracionamento (proteínas do ovo, soro de leite,
proteínas, pectina;
carboidratos, sais, lactose),
- remoção de precipitados em mel e xaropes;
- recuperação de produtos (ácido láctico, enzimas,
aromas). - trat. de efluentes em cervejarias e destilarias.
19 20

Separação por Membranas


Ultrafiltração:
- Aplicações:
- indústria de laticínios:
- concentração do leite antes da fabricação de derivados
lácteos;
- concentração do soro até 20% de sólidos;
- remoção seletiva de lactose e sais
- fabricação de queijos: aumenta o rendimento e o valor
nutritivo, padroniza teor de sólidos, reduz consumo de
renina, facilita o processamento.
21 22

Separação por Membranas Separação por Membranas


Nanofiltração: Osmose Reversa:

- Separa partículas PM 300-1000 Da - Retém moléc. de 1 nm (≈ 100 Da);

- Permite eliminar íons - Pressão 5-10x maior que da ultrafiltração;

- Processo em pressão menor que usada em osmose


- Alimentação: solução concentrada;

reversa. - Permeado: solução diluída

- Aplicações:
- Aplicações:
- Concentração do leite antes da evaporação p/ obter derivados
- dessalinização da água e do soro de queijo. (queijo, iogurte, nata)
- Desmineralização e recuperação de lactose do soro.
23 24

4
16/03/2012

Ultrafiltração:
-Pressão inferior a
1000 kPa;
- separa proteínas,
vírus, colóides,
polissacarídeos

Osmose reversa:
- pressão 5-10x >
ultrafiltração;
- fluxo: da sol.
Concentrada
(alimentação) p/
solução diluida
(permeado).

25
Fonte: ORDÓÑEZ, 2005.
26

Aplicações da osmose reversa: Aplicações da Osmose Reversa:

concentração de soro de leite; Clarificação de cerveja e vinho;

concentração e purificação de sucos de frutas,


enzimas, licores de fermentação e óleos vegetais; Desmineralização e purificação da água de poço ou rio
ou dessanilização da água do mar;
concentração de amido de trigo, ácido cítrico, clara
de ovo, leite, café, xaropes, extratos naturais e Recuperação de proteínas;
aromatizantes.
Pré-concentração.

27 28

Separação por Membranas Separação por Membranas

Pervaporação Pervaporação

- Separação de mistura líquida por vaporização - Membranas: hidrofílicas p/ permeação de água,


parcial através de membrana não-porosa e hidrofóbicas p/ permeação de mat. orgânico
seletivamente permeável; - Aplicações:

- Vaporização: - remoção de álcool de vinho e cerveja (membrana


- pervaporação a vácuo: redução da pressão sobre o lado hidrofílica)
permeável da membrana;
- concentração e recuperação de compostos
- pervaporação gasosa de arraste: arraste de gás inerte
sobre o lado permeável da membrana
aromáticos: alcoóis, aldeídos, ésteres (membrana
hidrofóbica)
- Permeado = vapor - Retentado = líquido 29 30

5
16/03/2012

Separação por Membranas


Eletrodiálise:
- Membranas c/ carga elétrica catiônica e aniônica
- Poros pequenos: 1-2nm
- Princípio de troca iônica
- Migração de solutos por ≠ potencial elétrico
- Aplicações:
-Recuperação de enzimas, aromas, ácidos
-desmineralização do soro de queijos, sem alterar cor, sabor,
aroma.
Fonte: ORDÓÑEZ, 2005. 32

Vantagens da separação por membranas

• O alimento não é aquecido;

• Não envolve mudança de fase;

• Instalaçãosimples com custo de mão-de-


obra e operação mais baratos;

• Não há necessidade de caldeiras


Fonte: ORDÓÑEZ, 2005.
33 34

Desvantagens da Separação por Membranas

- PM de 100Da a 4.000 Da.


- Variação na tx de fluxo c/ mudança na
concentração do fluxo de alimentação
- investimento + alto do que os do sistema de
evaporação
- concentração máxima de sólidos totais até
30%
- dificuldade de limpeza por incrustração de
Fonte: Fellows, 2006.
polímeros.
35 36

6
16/03/2012

Fonte: Fellows, 2006.


37 38
Fonte: Fellows, 2006.

Equipamentos

- Estrutura molecular (taxa de difusão de


solutos);

- Principal exigência de uma membrana de


ultrafiltração é a capacidade de formar e
reter uma estrutura microporosa durante a
fabricação e operação.
Fonte: ORDÓÑEZ, 2005. 42

7
16/03/2012

Materiais Materiais
- Cerâmica rígida ou polímeros vítreos;
- Material de suporte macroporoso (alumina,
- O tamanho dos poros determina o tamanho
das moléculas que podem passar pela carbono, aço inox e níquel – 10 µm) e um
membrana; material de cobertura microporoso (vidro,
alumínio, zircônia e titânio);
- As moléculas maiores ficam retidas no lado
interno da membrana;
- Membranas tubulares e de placas.
- As membranas de MF e UF são
semelhantes.
43 44

Membranas Tubulares

- Mantidas dentro de tubos cilíndricos


montados em uma estrutura com
tubulações e controles associados;

- Fibra oca e tubo largo;

- Fibra oca: 50 a 1.000 fibras, 1 m de


comprimento e 0,001 a 1,2 mm de
diâmetro, com membranas de 250 µm de
espessura.
45 Fonte: Fellows, 2006. 46

Membranas Tubulares

- Ex.: dessanilização etc.;

- Mais caros (reposição do cartucho de


fibras);

- Fáceis de limpar e não entopem facilmente.

Fonte: Fellows, 2006. 47 48

8
16/03/2012

Membranas Tubulares Membranas Tubulares

- Modelo Tubo Largo: uma quantidade de - Operam sob regime turbulento com taxas de
tubos de aço inox perfurados é fabricada fluxo mais altas, podem trabalhar com líquidos +
como um trocador de calor tubo-casco; viscosos e partículas pequenas;

- Suportam altas pressões; - Menos susceptíveis a incrustações;

- Tampões fixados nas extremidades - Adequados a CIP;


conectam até 20 tubos, cada um com 1,2 a
3,6 m de comprimento e 12 a 25 mm de
diâmetro. - Custos de bombeamento mais altos.
49 50

Membranas Tubulares Membranas de Placas


- Podem ser do tipo placa e moldura ou
cartuchos em espiral;

- Tipo placa e moldura: parece com


trocador de placas, membranas arranjadas
Características: uma do lado da outra e placas de coleta
Área: 10.000 m2/m3 para remover o permeado.
Custo: Muito baixo
Escoamento Ruím
Custos Oper
Oper.:
.: Baixos
Aplicações: OR
- Grande área de superfície.
51 52

Membranas de Placas Membranas de Placas

- Facilidade de substituição das membranas.

- Tipo cartucho em espiral: camadas


alternadas de membranas de polissulfona e
suportes de polietileno são acomodados ao
redor de um tubo oco central e são
separadas por um canal formado por tela
espaçadora e drenos.

53 54

9
16/03/2012

Membranas de Placas
Alimentação

Membrana
Material Poroso

Concentrado Permeado

55 Fonte: Fellows, 2006. 56

Membranas de Placas Membranas de Placas


- Cartucho com aprox. 12 cm de diâmetro e 1 m
de comprimento; - OR opera com fluxo de 450 L/h a 4.000 x
10³ Pa até um fluxo de 1.200 a 2.400 L/h a
- Fluxo flui tangencialmente a membrana; 8.000 x 10³ Pa.
- O permeado flui para os canais e para o tubo
central e o concentrado flui para fora; - Membranas de microfiltração tornam-se
mais rapidamente incrustadas que
- Custo mais baixo; membranas de OR e UF.
- Grande popularidade. 57 58

Efeitos nos alimentos

- Perda de nutrientes não é significativa (temperatura


ambiente);

- Boa manutenção da qualidade nutricional e


sensorial;

- Ex. lactose, suco de laranja, etc.

-Membranas (UF) retém carboidratos, gorduras e


proteínas de cadeia longa, mas a maior parte dos
poros permite que açúcares, vitaminas e
aminoácidos sejam perdidos (não ocorre para OR).
59 60

10
16/03/2012

Laticínios
Aplicação PM retentado Processo

Concentração de leite e soro <100 OR

Polimento de permeados <100 OR


Alguns exemplos de aplicações dE Dessalinização, concentração de
400-700 NF
proteínas, lactose e carboidratos
SEPARAÇÃO POR MEMBRANAS na área de Dessalinização, concentração de
200-300 NF
proteínas, lactose e carboidratos
alimentos Dessalinização, concentração de
150-200 NF
proteínas, lactose e carboidratos

Concentração de proteínas 5,000 UF

Concentração soro e leite 10,000 UF

Clarificação, Concentração 30,000 UF

Clarificação 100,000 UF

Clarificação 0.1 Micron MF

61 62

Laticínios Laticínios
UF • OR
Concentração de soro e leite – Concentração de soro
Produção de isolados de soro – Concentração de leite desnatado ou integral
Padronização do leite – Concentração de lactose (permeado de soro)
Filtração de salmoura
– Purificação de permeado de OR
NF
– Purificação de água de reuso
Desmineralização parcial e concentração de soro e
lactose • MF
Desalinização do soro – Remoção de bactérias e esporos

63 64

Laticínios Produção de sucos de frutas


Maioria dos sucos
Componentes traços
Aromas ( ésteres, aldeídos, álcoois, óleos essenciais voláteis)
Pigmentos (carotenóides, antocianinas, betaninas)
Lipídeos (graxas simples, esteróides, compostos alifáticos)
Sais minerais
Vitaminas (A, B, C)

Nucleotídeos
Amido
Pectina
Microorganismos

65 66

11
16/03/2012

Produção de sucos de frutas Produção de sucos de frutas


– Classificação dos componentes Baseando-se na classificação
• Baixo PM (< 1000) Osmose inversa
– Açúcares, ácidos orgânicos, aminoácidos, compostos fenólicos, pigmentos, Concentração por remoção de água
óleos essenciais, voláteis, minerais
Recuperação de voláteis
• Médio a alto PM
Nanofiltração
– Proteínas, enzimas (pectinases, fenoloxidases PM ~ 30.000)
– Substâncias pécticas (PM 10.000 a 500.000) Concentração, descoloração, clarificação
Ultrafiltração/Microfiltração (comerciais desde 1970)
• Particulados Clarificação (remoção de colóides, partículas em suspensão, proteínas)
– Amido – partículas insolúveis de 1 a 16 µm
– Colóides – polissacarídeos (0,001 a 0,1 µm) Pervaporação
– Partículas dispersas (> 1 µm) Remoção/Recuperação de voláteis
– Microorganismos ( 0,2 a 10 µm)
Todos removem microorganismos

67 68

Produção de sucos de frutas Produção de sucos de frutas


UF no processamento de sucos UF no processamento de sucos
Tipos de sucos comercialmente processados por UF Objetivos da UF
Maçã*
Remover SS, colóides , proteínas, taninos
Uva
Vantagens
Pera
Diminuição do consumo de enzimas
Abacaxi
Redução do tempo de processamento
Cítricos
Diminuição de perdas
Pêssego (desenvolvido na URI / Embrapa)
Evitar o uso de agentes de refino
(Santin M.M., Cabral, L.M.C., Di Luccio M.; 2004)

69 70

Exemplo Produção de sucos de frutas


Frutas selecionadas

Bagaço Maceração/Prensagem
• Vantagens da utilização de PSM na produção de sucos
Recuperação de aromas PV
– Combinação das etapas de refino e filtração
Despectinização
Processo enzimática Processo – Retenção de enzimas pécticas e fenoloxidases
tradicional com • Eliminação do escurecimento
Agentes Ultrafiltração membranas
de refino Microfiltração
– Operação contínua e automatizada
Permeado
Osmose • Redução de custos com mão-de-obra e capital (tanques menores)
Evaporação
reversa
– Redução dos custos com enzimas e tratamento de efluentes
Filtração
de polimento • Enzimas podem ser recicladas ao processo

Concentrado
71 72

12
16/03/2012

Produção de sucos de frutas Concentração de sucos por OI


• Vantagens da utilização de PSM na produção de sucos – Mantém cor e sabor originais
• Eliminação do “gosto de cozido”
– Sem adição de agentes de refino (terra diatomácea, gelatina,
– Economia de energia
bentonita)
• Menor uso do evaporador
• Eliminação das etapas de separação destes agentes
– Alta pressão requerida para chegar até 45~60oBrix
• Eliminação do problema do rejeito do refino
• Pode ser facilmente contornada utilizando unidades em dois
• Eliminação dos problemas do refino excessivo ou insuficiente
estágios
– Sucos estéreis
Suco 10 oBrix
OI
UF BR
OI
AR
73 Concentrado 63 oBrix 74

Clarificação de vinhos

75 76

Clarificação de vinhos Clarificação de vinhos

Redução de turbidez, teor de proteínas

Melhora características sensoriais se utilizados antes


da fermentação
Remove coloração marrom

Reduz atividade das polifenoloxidases

Estabiliza a cor do vinho ao remover os precursores de


coloração (polifenóis)

77 78

13
16/03/2012

Produção de cerveja Recuperação de aromas


Pervaporação
Recuperação/concentração de aromas de sucos ou de mostos
fermentados

Vantagens
Recuperação de compostos termolábeis
Processos térmicos de recuperação tendem a degradar determinadas
substâncias, dando odor e sabor “de cozido”

Recuperação de compostos sensíveis à extração por solvente

Altos fatores de recuperação (de 5 a 1000)

79 80

Recuperação de aromas

Aromas produzidos por microorganismos em


Processos de Separação
biorreator
com Membranas aplicados ao
Acoplamento da PV ao biorreator
Reduz inibição – aumento de produtividade
Tratamento de Águas
Reduz perdas por evaporação ou reações paralelas

Diminuição de custos com recuperação (orgânicos diluídos


em água)

81 82

Tratamento de efluentes
Vantagens
Economia de água no processo
Redução da carga orgânica descartada
Recuperação de sub-produtos
Planta compacta – pouco espaço ocupado
Processo modular – facilmente escalonável
Fácil automação - menor necessidade de mão de obra

83 84

14