You are on page 1of 22

Conhecimento Específicos

1) Qual o Objetivo da Política Nacional de Mobilidade Urbana?


contribuir para o acesso universal à cidade, o fomento e a concretização das condições
que contribuam para a efetivação dos princípios, objetivos e diretrizes da política de
desenvolvimento urbano, por meio do planejamento e da gestão democrática do Sistema
Nacional de Mobilidade Urbana.

2) São modos de Transporte público?


(A)de carga e de passageiros.
(B) trator misto e trator de rodas.
(C) automóvel e reboque.
(D) motorizados e não motorizados.

3) Os serviços de transportes urbanos são classificados. Cite os exemplos


Objeto: passageiro e carga, característica do serviço: individual e coletivo, e natureza do
serviço: público e privado.

4) Com relação à Lei no. 12.587, que instituiu a Política Nacional de Mobilidade Urbana e
considerada um marco para a mobilidade urbana, é correto afirmar que
(A) conseguiu reduzir significativamente o índice de acidentes envolvendo caminhões
porque proíbe a circulação desses veículos nos horários de pico nos corredores dos
centros urbanos.
(B) contribuiu para o crescimento do uso da motocicleta nas cidades, uma vez que a
Lei prioriza e incentiva o uso do modo de transporte urbano individual e motorizado.
(C) no que se refere à regulação dos serviços de transporte público coletivo, compete
ao operador privado a fixação dos níveis tarifários.
(D) é orientada pela priorização de projetos de transporte público coletivo
estruturadores do território e indutores do desenvolvimento urbano integrado.

Art. 6º A Política Nacional de Mobilidade Urbana é orientada pelas seguintes


diretrizes:
I - integração com a política de desenvolvimento urbano e respectivas políticas
setoriais de habitação, saneamento básico, planejamento e gestão do uso do solo no
âmbito dos entes federativos;
II - prioridade dos modos de transportes não motorizados sobre os motorizados e dos
serviços de transporte público coletivo sobre o transporte individual motorizado;
III - integração entre os modos e serviços de transporte urbano;
IV - mitigação dos custos ambientais, sociais e econômicos dos deslocamentos de
pessoas e cargas na cidade;
V - incentivo ao desenvolvimento científico-tecnológico e ao uso de energias
renováveis e menos poluentes;
VI - priorização de projetos de transporte público coletivo estruturadores do território
e indutores do desenvolvimento urbano integrado; e
VII - integração entre as cidades gêmeas localizadas na faixa de fronteira com outros
países sobre a linha divisória internacional.

5) Em quais princípios a política Nacional de transito esta fundamentada?


a) acessibilidade universal;
b) desenvolvimento sustentável das cidades, nas dimensões socioeconômicas e
ambientais;
c) equidade no acesso dos cidadãos ao transporte público coletivo;
d) eficiência, eficácia e efetividade na prestação dos serviços de transporte urbano;
e) gestão democrática e controle social do planejamento e avaliação da Política
Nacional de Mobilidade Urbana;
f) segurança nos deslocamentos das pessoas;
g) justa distribuição dos benefícios e ônus decorrentes do uso dos diferentes modos e
serviços;
h) equidade no uso do espaço público de circulação, vias e logradouros; e
i) eficiência, eficácia e efetividade na circulação urbana.
j) Todas as alternativas

6) Qual o objetivo da política nacional de transito??


a) eficiência, eficácia e efetividade na circulação urbana.
b) incentivo ao desenvolvimento científico-tecnológico e ao uso de energias
renováveis e menos poluentes;
c) contribuiu para o crescimento do uso da motocicleta nas cidades, uma vez que a Lei
prioriza e incentiva o uso do modo de transporte urbano individual e motorizado.
d) reduzir as desigualdades e promover a inclusão social;

De acordo com a Política Nacional de Mobilidade Urbana, os entes federativos


poderão utilizar como instrumento de gestão do sistema de transporte e da
mobilidade urbana
A.o rodízio de veículos de tração humana.
B.vedações à criação de faixas de transporte público não motorizado.
C.o combate ao transporte ilegal de passageiros, sendo vedado o
estabelecimento de convênios para tal fim.
D.o rodízio de veículos motorizados.
E.a delegação do poder de polícia para o combate ao transporte ilegal de
passageiros.
A Política Nacional de Mobilidade Urbana (PNMU), aprovada pela Lei Federal no
12.587/2012, traz como medida a necessidade de integração da política de
desenvolvimento urbano com os meios de deslocamento nas cidades, com
destaque para o planejamento e a gestão do solo urbano. Neste sentido, as
diretrizes estabelecidas pelo PNMU devem
A.estabelecer ações prioritárias nas definições da política municipal de
desenvolvimento urbano.
B.apresentar elementos complementares aos fundamentos dos Planos
Diretores em suas atuais revisões.
C.determinar a forma urbana das cidades afim de propiciar maior
racionalização na circulação de pessoas e mercadorias.
D.regular os parâmetros e índices urbanísticos a fim de desincentivar o
transporte individual.
E.determinar o traçado do sistema viário da cidade, existente e projetado
A Lei no 12.587/2012 – que dispõe sobre a Política Nacional de Mobilidade Urbana
– está fundamentada nos seguintes princípios:
I. Acessibilidade universal; desenvolvimento sustentável das cidades, nas
dimensões socioeconômicas e ambientais; equidade no acesso dos cidadãos ao
transporte público coletivo.
II. Eficiência, eficácia e efetividade na prestação dos serviços de transporte
urbano; gestão democrática e controle social do planejamento e avaliação da
Política Nacional de Mobilidade Urbana.
III. Prioridade dos modos de transportes não motorizados sobre os motorizados e
dos serviços de transporte público coletivo sobre o transporte individual
motorizado.
IV. Reduzir as desigualdades e promover a inclusão social; promover o acesso aos
serviços básicos e equipamentos sociais.
Está correto o que se afirma em
A.I e II, apenas.
B.I, II, III e IV.
C.II e III, apenas.
D.III e IV, apenas.
E.I, II e III, apenas.
Com base na Lei nº 12.587, de 03 de janeiro de 2012, que “institui as diretrizes da
Política Nacional de Mobilidade Urbana”, sobre os instrumentos de gestão do
sistema de transporte e da mobilidade urbana que poderão ser utilizados pelos
entes federativos, analise as opções a seguir e identifique com V as verdadeiras e
F as falsas.
( ) Estipulação de padrões de emissão de poluentes para locais e horários
determinados, podendo condicionar o acesso e a circulação aos espaços urbanos
sob controle.
( ) Estabelecimento da política de estacionamentos de uso público e privado, com
e sem pagamento pela sua utilização, como parte integrante da Política Nacional
de Mobilidade Urbana.
( ) Dedicação de espaço exclusivo nas vias públicas para os serviços de transporte
público coletivo e modos de transporte não motorizados.
( ) Aplicação de tributos sobre modos e serviços de transporte urbano pela
utilização da infraestrutura urbana, visando a desestimular o uso de determinados
modos e serviços de mobilidade, sendo facultada aos entes federativos, a
aplicação da receita em infraestrutura urbana destinada ao transporte público
coletivo e ao transporte não motorizado, e no financiamento do subsídio público da
tarifa de transporte público, na forma da lei.
( ) Restrição e controle de acesso e circulação, permanente ou temporário, de
veículos motorizados em locais e horários predeterminados.
A alternativa que contém a sequência correta, de cima para baixo, é
A.V V V F V
B.V F V V F
C.V V F F V
D.F V F F V
E.F V V V F
Uma cidade paulista de porte médio vem fixando suas tarifas de transporte coletivo
público com base nos preços praticados na Capital e irá reorganizar seus contratos
e adequá-los ao marco legal vigente. Foi feita uma auditoria que apontou a
existência de diferença a maior entre o valor monetário da tarifa de remuneração
da prestação do serviço e a tarifa pública cobrada do usuário, isto é, de superavit
tarifário. Dentro das diretrizes para a regulação dos serviços de transporte público
coletivo que integram a Política Nacional de Mobilidade Urbana, estabelecida pela
Lei Federal no 12.587/2012, determina-se que a receita decorrente desse
superavit
A.será necessariamente abatida do valor da tarifa, para atender a exigência
de repasse ao usuário.
B.reverterá para o Sistema de Mobilidade Urbana.
C.será recolhida ao Tesouro Municipal, para livre utilização na execução
das despesas públicas.
D.caberá aos proprietários das empresas de transporte que prestam o
serviço, dado que a operação é privada.
E.reverterá para um fundo de compensação dos impactos ambientais
causados pelo sistema.
Com base no disposto na Lei n.º 12.587/2012 — Lei da Mobilidade Urbana —,
julgue os itens subsequentes, referentes ao planejamento e à mobilidade urbana.
Na referida lei, são considerados infraestruturas de mobilidade urbana as vias e
ciclovias, os estacionamentos, a sinalização viária e de trânsito, entre outros
elementos.
C.Certo
E.Errado
Com base no disposto na Lei n.º 12.587/2012 — Lei da Mobilidade Urbana —,
julgue os itens subsequentes, referentes ao planejamento e à mobilidade urbana.
Essa lei não priorizou os modos não motorizados e o transporte público coletivo
em detrimento dos modos motorizados e do transporte individual, respectivamente.
C.Certo
E.Errado
Com base no disposto na Lei n.º 12.587/2012 — Lei da Mobilidade Urbana —,
julgue os itens subsequentes, referentes ao planejamento e à mobilidade urbana.
A lei determina que todos os municípios brasileiros com mais de 20.000 habitantes
elaborem planos de mobilidade urbana.
C.Certo
E.Errado
A partir da análise comparativa do tratamento jurídico dispensado pelas Leis
Federais no 12.587, de 3 de janeiro de 2012, que instituiu as diretrizes da Política
Nacional de Mobilidade Urbana − PMNU (Lei da PMNU), e Lei Federal no 8.987,
de 13 de fevereiro de 1995, que dispõe sobre o regime de concessão e permissão
da prestação de serviços públicos, conforme previsão do artigo 175 da
Constituição Federal (Lei de Concessões), acerca da política tarifária, da
adequação dos serviços e dos direitos dos usuários dos serviços públicos de
transporte coletivo, é INCORRETO afirmar:
A.Ambos os diplomas normativos preveem a possibilidade de utilização de
receitas extratarifárias complementares, que contribuam para a modicidade
das tarifas ou possibilitem a cobertura de eventual déficit tarifário.
B.Nos termos da Lei da PNMU, inserem-se no rol de direitos dos usuários,
dentre outros, o direito a ser informado nos locais de embarque e
desembarque sobre os horários, itinerários, tarifas e, se o caso, sobre as
formas de interação com outros modais de transporte.
C.Enquanto a Lei de Concessões fixa um prazo máximo de resposta às
reclamações dos usuários de até trinta dias, a Lei da PMNU não contém
dispositivo expresso fixando prazo certo para resposta ao usuário sobre
eventual reclamação, ga rantindo, entretanto, o direito de o usuário ser
informado sobre os meios para reclamações e respectivos prazos de
resposta.
D.A Lei da PMNU restringiu a possibilidade de aferição do equilíbrio
econômico e financeiro da concessão ou da permissão às revisões
ordinárias da tarifa, enquanto a Lei de Concessões permite tal aferição
também por revisão extraordinária.
E.A Lei da PMNU adotou o conceito de serviço adequado contido na Lei de
Concessões, que o define como sendo aquele que satisfaz as condições de
regularidade, continuidade, eficiência, segurança, atualidade, generalidade,
cortesia na sua prestação e modicidade das tarifas.
Com base na Lei n.º 12.587/2012, que institui as diretrizes da Política Nacional de
Mobilidade Urbana (PNMU), julgue os itens que se seguem. O plano de mobilidade
urbana deverá contemplar as áreas de estacionamentos públicos e privados bem como
garantir acessibilidade às pessoas com deficiência e restrição de mobilidade.
 C.Certo
 E.Errado

Tomando por base as disposições da lei federal nº 12.587, de 03/01/2012 que institui
as diretrizes da política nacional de mobilidade urbana, assinale a alternativa correta
sobre as diretrizes para a regulação dos serviços de transporte público coletivo.

 AA contratação dos serviços de transporte público coletivo será precedida de


licitação e deverá observar como diretriz a alocação dos riscos econômicos e
financeiros entre os contratados e o poder concedente
 BA contratação dos serviços de transporte público coletivo dispensa prévia
licitação e deverá observar como diretriz fxação de metas de qualidade e
desempenho a serem atingidas e seus instrumentos de controle e avaliação
 CA contratação dos serviços de transporte público coletivo dispensa prévia
licitação e deverá observar como diretriz a definição dos incentivos e das
penalidades aplicáveis vinculadas à consecução ou não das metas
 DA contratação dos serviços de transporte público coletivo será precedida de
licitação e deverá observar como diretriz a identifcação de eventuais fontes de
receitas alternativas, complementares, acessórias ou de projetos associados,
proibida parcela destinada à modicidade tarifária
 EA contratação dos serviços de transporte público coletivo dispensa prévia licitação
e deverá observar como diretriz o estabelecimento das condições e meios para a
prestação de informações operacionais, contábeis e financeiras ao poder
concedente
Tomando por base as disposições da lei federal nº 12.587, de 03/01/2012 que institui
as diretrizes da política nacional de mobilidade urbana, assinale a alternativa correta
sobre as diretrizes para a regulação dos serviços de transporte público coletivo.

 AO regime econômico e financeiro da concessão e o da permissão do serviço de


transporte público coletivo serão estabelecidos no respectivo edital de licitação,
sendo a tarifa de remuneração da prestação de serviço de transporte público
coletivo alheia ao processo licitatório da outorga do poder público
 BA tarifa de remuneração da prestação do serviço de transporte público coletivo
deverá ser constituída pelo preço público cobrado do usuário pelos serviços
subtraída a receita oriunda de outras fontes de custeio
 CA existência de diferença a menor entre o valor monetário da tarifa de
remuneração da prestação do serviço de transporte público de passageiros e a
tarifa pública cobrada do usuário denomina-se “superávit” ou subsídio tarifário
 DA existência de diferença a maior entre o valor monetário da tarifa de
remuneração da prestação do serviço de transporte público de passageiros e a
tarifa pública cobrada do usuário denomina-se “défcit” tarifário
 ECaso o poder público opte pela adoção de subsídio tarifário, o “défcit” originado
deverá ser coberto por receitas extratarifárias, receitas alternativas, subsídios
orçamentários, subsídios cruzados intrassetoriais, e intersetoriais provenientes de
outras categorias de beneficiários dos serviços de transporte, dentre outras fontes,
instituídos pelo poder público delegante
 a) O regime econômico e financeiro da concessão e o da permissão do
serviço de transporte público coletivo serão estabelecidos no respectivo
edital de licitação, sendo a tarifa de remuneração da prestação de serviço de
transporte público coletivo alheia ao processo licitatório da outorga do poder
público

 Art. 9o O regime econômico e financeiro da concessão e o da permissão do


serviço de transporte público coletivo serão estabelecidos no respectivo
edital de licitação, sendo a tarifa de remuneração da prestação de serviço de
transporte público coletivo resultante do processo licitatório da outorga do
poder público.

 b) A tarifa de remuneração da prestação do serviço de transporte público


coletivo deverá ser constituída pelo preço público cobrado do usuário pelos
serviços subtraída a receita oriunda de outras fontes de custeio

 Art. 9º, § 1o A tarifa de remuneração da prestação do serviço de transporte


público coletivo deverá ser constituída pelo preço público cobrado do
usuário pelos serviços somado à receita oriunda de outras fontes de custeio,
de forma a cobrir os reais custos do serviço prestado ao usuário por
operador público ou privado, além da remuneração do prestador.

 c) A existência de diferença a menor entre o valor monetário da tarifa de


remuneração da prestação do serviço de transporte público de passageiros e
a tarifa pública cobrada do usuário denomina-se “superávit” ou subsídio
tarifário

 Art. 9º, § 3o A existência de diferença a menor entre o valor monetário da


tarifa de remuneração da prestação do serviço de transporte público de
passageiros e a tarifa pública cobrada do usuário denomina-se deficit ou
subsídio tarifário.

 d) A existência de diferença a maior entre o valor monetário da tarifa de


remuneração da prestação do serviço de transporte público de passageiros e
a tarifa pública cobrada do usuário denomina-se “défcit”tarifário

 Art. 9º, § 4o A existência de diferença a maior entre o valor monetário da


tarifa de remuneração da prestação do serviço de transporte público de
passageiros e a tarifa pública cobrada do usuário denomina-
se superavit tarifário.

 e) Caso o poder público opte pela adoção de subsídio tarifário, o “défcit”


originado deverá ser coberto por receitas extratarifárias, receitas
alternativas, subsídios orçamentários, subsídios cruzados intrassetoriais, e
intersetoriais provenientes de outras categorias de beneficiários dos
serviços de transporte, dentre outras fontes, instituídos pelo poder público
delegante. CORRETA

 Art. 9º, § 5o Caso o poder público opte pela adoção de subsídio tarifário,
o deficit originado deverá ser coberto por receitas extratarifárias, receitas
alternativas, subsídios orçamentários, subsídios cruzados intrassetoriais e
intersetoriais provenientes de outras categorias de beneficiários dos
serviços de transporte, dentre outras fontes, instituídos pelo poder público
delegante.

Tomando por base as disposições da lei federal nº 12.587, de 03/01/2012, que institui
as diretrizes da política nacional de mobilidade urbana, assinale a alternativa
correta.

 APara efeitos da referida lei, são modos de transporte urbano apenas os


motorizados
 BOs serviços de transporte urbano são classificados, quanto ao objeto, em
transporte oneroso e transporte gratuito
 COs serviços de transporte urbano são classificados, quanto à natureza do serviço,
em transporte coletivo e transporte individual
 D Os serviços de transporte urbano são classificados, quanto à característica do
serviço, em transporte público e transporte privado
 EO Sistema Nacional de Mobilidade Urbana é o conjunto organizado e coordenado
dos modos de transporte, de serviços e de infraestruturas que garante os
deslocamentos de pessoas e cargas no território do Município

VER RESPOSTA DA QUESTÃO


CARREGAR MAIS QUESTÕES
7)

RESOLUÇÃO Nº 607, DE 24 DE MAIO DE 2016


DICAS
REVISAR E REVISAR E REVISAR
FICAR DE OLHOS NOS PERIODOS

1) O que é a Renaeste?
é o sistema de registro, gestão e controle de informações sobre acidentes de trânsito,
integrado aos sistemas: Registro Nacional de Veículos Automotores - Renavam, Registro
Nacional de Condutores Habilitados - Renach e Registro Nacional de Infrações - Renainf, e
complementado por informações dos diversos órgãos integrados.

2) Nome do sistema de registro de acidentes no transito? Renaest

3) Boat? Boletim de Ocorrência de Acidente de Trânsito

4) Qual o objetivo da Renaest? tem por objetivo disponibilizar sistemática de registro e


consolidação das variáveis relativas à acidentalidade no trânsito, à segurança viária e outras
informações sobre o trânsito, com vistas ao desenvolvimento de estudos, pesquisas e ações
que possibilitem tornar o trânsito brasileiro mais seguro.

Outras palavras: disponibilizar a sistematização de registros com vistas em


desenvolvimento de estudo.

5) Quais os órgão integrados ao Renaest? coordenado pelo Departamento Nacional de


Trânsito - Denatran, será integrado pelos órgãos e entidades do Sistema Nacional de
Trânsito - SNT, pelos órgãos e entidades que realizem o registro de boletins de
ocorrência de acidentes de trânsito.

Art. 4º - Os órgãos e entidades de que trata o art. 3º deverão integrar-se ao Renaest para
fins de fornecimento das informações referentes aos acidentes e estatísticas regionais e
locais e para participação no processo de homologação de tais informações, objetivando
o seu registro na base nacional.

6) Cabe ao Denatran?

I - organizar e manter o Renaest;

II - desenvolver e padronizar os procedimentos operacionais do sistema;

III - assegurar correta gestão do Renaest;


IV - definir as atribuições operacionais dos órgãos e entidades
integrados;

V - cumprir e fazer cumprir esta Resolução e as instruções


complementares;

VI - estabelecer procedimentos para a integração dos órgãos e entidades


de que trata o art. 3º;

VII - solucionar conflitos entre os órgãos e entidades integrados;

VIII - apresentar ao Contran relatório semestral das informações obtidas


pelo Renaest.

7)

Integra o COTRAN, EXCETO:


A) um representante do Ministério da Ciência e Tecnologia.
B) um representante do Ministério da Educação e do Desporto.
C) um representante do Ministério do Exército.
D) um representante do Ministério Público.
E) um representante do Ministério do Meio Ambiente e da
Amazônia Legal
Anulada

8)

Compete às JARI:
A) julgar os recursos interpostos pelos infratores.
B) cumprir e fazer cumprir a legislação e as normas de trânsito,
no âmbito das respectivas atribuições.
C) elaborar normas no âmbito das respectivas competências.
D) responder a consultas relativas à aplicação da legislação e
dos procedimentos normativos de trânsito.
E) estimular e orientar a execução de campanhas educativas de
trânsito.

9)

Deverá constar no auto de infração, EXCETO:


A) assinatura do infrator, sem a qual o auto será ineficaz.
B) tipificação da infração.
C) local, data e hora do cometimento da infração.
D) caracteres da placa de identificação do veículo, sua marca e
espécie, e outros elementos julgados necessários à sua
identificação.
E) identificação do órgão ou entidade e da autoridade ou agente
autuador ou equipamento que comprovar a infração.

10) De acordo com a Política Nacional de Mobilidade Urbana, a escala


hierárquica de prioridade dos
modos de transporte obedece à seguinte ordem:
(A) ônibus, motocicleta e pedestre.
(B) bicicleta, automóvel e ônibus.
(C) bicicleta, ônibus e motocicleta.
(D) motocicleta, pedestre e ônibus.

11) Tomando-se por base o CTB, é correto afirmar que são regulamentadas pelo
CONTRAN:

I. autorização para conduzir ciclomotores;


II. autorização para conduzir veículos de propulsão humana e de tração animal;
III. normas relativas à aprendizagem para conduzir veículos automotores e elétricos.

Estão corretas as complementações contidas em

 AI e III apenas.
 BI, II e III.
 CII e III apenas.
 DI e II apenas.

12) Atente ao que dispõe o artigo 16 do Código de Trânsito Brasileiro – CTB:

“Junto a cada órgão ou entidade executivos de trânsito ou rodoviário funcionarão Juntas


Administrativas de Recursos de Infrações – JARI, órgãos colegiados responsáveis pelo
julgamento dos recursos interpostos contra penalidades por eles impostas”.

Considerando a competência legal das JARI, observe os seguintes itens:

I. julgar os recursos interpostos pelos infratores;


II. solicitar aos órgãos e entidades executivos de trânsito e executivos rodoviários
informações complementares relativas aos recursos, objetivando uma melhor análise da
situação recorrida;
III. instruir os recursos interpostos das decisões do CONTRAN, ao ministro ou dirigente
coordenador máximo do Sistema Nacional de Trânsito.

Faz parte da competência legal das JARI o que consta em

 AI, II e III.
 BII e III apenas.
 CI e II apenas.
 DI e III apenas.

13) Compete às Juntas Administrativas de Recursos de Infração – JARI –

 A organizar e manter o Registro Nacional de Veículos Automotores – RENAVAM.


 B proceder à supervisão, à coordenação, à correição dos órgãos delegados, ao
controle e à fiscalização da execução da Política Nacional de Trânsito e do
Programa Nacional de Trânsito.
 C apurar, prevenir e reprimir a prática de atos de improbidade contra a fé pública, o
patrimônio, ou a administração pública ou privada, referentes à segurança do
trânsito.
 D encaminhar aos órgãos e entidades executivos de trânsito e executivos
rodoviários informações sobre problemas observados nas autuações e apontados
em recursos, e que se repitam sistematicamente.

14) Compete aos Conselhos Estaduais de Trânsito – CETRAN – e ao Conselho de


Trânsito do Distrito Federal – CONTRANDIFE –

 A normatizar os procedimentos sobre a aprendizagem, habilitação, expedição de


documentos de condutores, e registro e licenciamento de veículos.
 B julgar os recursos interpostos contra decisões das Juntas Administrativas de
Recursos de Infração – JARI.
 C aprovar, complementar ou alterar os dispositivos de sinalização e os dispositivos
e equipamentos de trânsito.
 D dirimir conflitos sobre circunscrição e competência de trânsito no âmbito da
União, dos Estados e do Distrito Federal.

15) Considere:

I. Conselho Nacional de Trânsito − CONTRAN.


II. Juntas Administrativas de Recursos de Infrações − JARI.
III. Departamento Nacional de Trânsito − DENATRAN.
IV. Conselho Estadual de Trânsito − CETRAN.
V. Departamento Estadual de Trânsito − DETRAN.
VI. Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes − DNIT.
VII. Departamento de Estradas de Rodagem − DER.

São órgãos normativos e consultivos pertencentes ao Sistema Nacional de Trânsito os que


constam APENAS em

 A II, III e V.
 B VI e VII.
 C I, II, IV e V.
 D III, VI e VII.
 E I e IV.

DICAS: Começou com C = NORMATIVO CONSULTIVO COORDENATIVO

Começou com D = EXECUTIVOS

Começou com P = FISCAIS

e JARI = Recursais

CUIDADO COM ESSAS DIFERENÇAS SUTÍS:


Ministério das Cidades ~> Coordenador máximo do SNT

CONTRAM ~> Coordenador do SNT e órgão máximo consultivo e normativo

CETRAN/CONTRANDIFE ~> Coordenador do SNT e órgão consultivo e normativo

16) Considere:

I. Julgar os recursos interpostos pelos infratores.


II. Solicitar aos órgãos e entidades executivos de trânsito e executivos rodoviários
informações complementares relativas aos recursos, objetivando uma melhor análise da
situação recorrida.
III. Encaminhar aos órgãos e entidades executivos de trânsito e executivos rodoviários
informações sobre problemas observados nas autuações e apontados em recursos, e que
se repitam sistematicamente.
IV. Estimular e orientar a execução de campanhas educativas de trânsito.
V. Acompanhar e coordenar as atividades de administração, educação, registro e
licenciamento dos veículos.

São de competência das Juntas Administrativas de Recursos de Infrações − JARI o que se


afirma APENAS em

 A I, II e IV.
 B I, III e V.
 C I, II e III.
 DII, IV e V.
 EIII, IV e V.

17) Entre outras atribuições, compete aos órgãos ou entidades executivos de trânsito dos
Estados e do Distrito Federal, no âmbito de sua circunscrição,

 A implantar, manter e operar sistema de estacionamento rotativo pago nas vias.


 B credenciar os serviços de escolta, fiscalizar e adotar medidas de segurança
relativas aos serviços de remoção de veículos, escolta e transporte de carga
indivisível.
 C planejar e implantar medidas para redução de circulação de veículos e
reorientação do tráfego, com o objetivo de diminuir a emissão global de poluentes.
 D conceder autorização para conduzir veículos de propulsão humana e de tração
animal.
 E comunicar ao órgão executivo de trânsito da União a suspensão e a cassação do
direito de dirigir e o recolhimento da Carteira Nacional de Habilitação.

18) Compete ao CONTRAN

 Aestabelecer e normatizar os procedimentos para a aplicação das multas por


infrações, a arrecadação e o repasse dos valores arrecadados.
 Bestimular e orientar a execução de campanhas educativas de trânsito.
 Cresponder a consultas relativas à aplicação da legislação e dos procedimentos
normativos de trânsito.
 Ddirimir conflitos sobre circunscrição e competência de trânsito no âmbito dos
Municípios.
A estabelecer e normatizar os procedimentos para a aplicação das multas por infrações, a
arrecadação e o repasse dos valores arrecadados. B estimular e orientar a execução de
campanhas educativas de trânsito.(CETRAN) C responder a consultas relativas à
aplicação da legislação e dos procedimentos normativos de trânsito. (CETRAN e
CONTRAN) D dirimir conflitos sobre circunscrição e competência de trânsito no âmbito dos
Municípios.(CETRAN)

19) Compete aos órgãos ou entidades executivos de trânsito dos Estados e do Distrito
Federal, no âmbito de sua circunscrição:

 Avistoriar veículos que necessitem de autorização especial para transitar, e


estabelecer os requisitos técnicos a serem observados para a circulação desses
veículos.
 Bcredenciar órgãos ou entidades para a execução de atividades previstas na
legislação de trânsito, na forma estabelecida em norma do CONTRAN.
 Carrecadar valores provenientes de estada e remoção de veículos e objetos, e
escolta de veículos de cargas superdimensionadas ou perigosas.
 Dimplantar, manter e operar o sistema de sinalização, os dispositivos e os
equipamentos de controle viário.

20) as decisões das Juntas Administrativas de Recursos de Infrações – JARI, cabe


recurso a ser interposto:

 Ano prazo de trinta dias contado, exclusivamente, da juntada da notificação da


decisão.
 Bno prazo de trinta dias contado da publicação ou da notificação da decisão.
 Cno prazo de quinze dias contado da publicação ou da notificação da decisão.
 Dno prazo de quinze dias contado, exclusivamente, da juntada da notificação da
decisão.

21) Os órgãos ou entidades do Sistema Nacional de Trânsito respondem por danos


causados aos cidadãos, no âmbito de suas respectivas competências,

 A subjetivamente, por ação, omissão ou erro na execução de suas ações.


 B objetivamente, apenas por ação ou omissão em suas ações.
 C subjetivamente, por ação ou omissão em suas ações.
 D objetivamente, por ação, omissão ou erro na execução de suas ações.
 E nem objetiva nem subjetivamente em suas ações.

Art. 1º

§ 3º Os órgãos e entidades componentes do Sistema Nacional de Trânsito respondem, no


âmbito das respectivas competências, objetivamente, por danos causados aos cidadãos
em virtude de ação, omissão ou erro na execução e manutenção de programas, projetos e
serviços que garantam o exercício do direito do trânsito seguro.

22) As disposições do Código de Trânsito Brasileiro, nos termos do art. 3.º, são aplicáveis
 A aos veículos, proprietários e condutores nacionais, exceto os estrangeiros.
 B apenas aos veículos e seus proprietários e a outras pessoas nele mencionadas.
 Capenas aos veículos e seus condutores e a outras pessoas nele mencionadas.
 D apenas aos proprietários e condutores de veículos.
 E aos veículos, proprietários e condutores nacionais ou estrangeiros e a outras
pessoas nele mencionadas.

Art. 3º As disposições deste Código são aplicáveis a qualquer veículo, bem como
aos proprietários, condutores dos veículos nacionais ou estrangeiros e às pessoas
nele expressamente mencionadas.

23) Nos termos do art. 15, § 3.º do C.T.B., o mandato dos membros do CETRAN e do
CONTRANDIFE é:

 A 1 ano, admitida a recondução.


 B 4 anos, admitida a recondução.
 C 3 anos, admitida a recondução.
 D 2 anos, admitida a recondução.
 E 1 ano.

rt. 15. § 3º O mandato dos membros do CETRAN e do CONTRANDIFE é de dois


anos, amitida a recondução.

24) O Sistema Nacional de Trânsito, de acordo com o art. 5.º do C.T.B., é o conjunto de

 A órgãos de trânsito da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios.


 B órgãos e entidades de trânsito da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos
Municípios.
 C órgãos e entidades de trânsito da União e do Distrito Federal.
 D órgãos e entidades de trânsito da União e dos Estados.
 E entidades de trânsito da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos
Municípios.

 Art. 5º O Sistema Nacional de Trânsito é o conjunto de órgãos e entidades da


União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios que tem por finalidade o
exercício das atividades de planejamento, administração, normatização, pesquisa,
registro e licenciamento de veículos, formação, habilitação e reciclagem de
condutores, educação, engenharia, operação do sistema viário, policiamento,
fiscalização, julgamento de infrações e de recursos e aplicação de penalidades.

 mnemônico finalidades: PREPARHAR PELO

 Planejamento Registro Educação Policiamento Aplicação de


penalidades Recursos e infrações julgar Habilitação e reciclagem

 Pesquisa Engenharia Licenciamento Operação sistema viário


25) Os órgãos e entidades do Sistema Nacional de Trânsito, nos termos do art. 1.º, § 5.º
do C.T.B., darão

 A prioridade em suas ações à defesa da vida, à preservação da saúde e do meio


ambiente.
 B prioridade em suas ações à defesa da vida, à segurança, à preservação da
saúde e do meio ambiente.
 C preferência em suas ações à defesa da vida, à segurança e à preservação do
meio ambiente.
 D preferência em suas ações à defesa da vida, à segurança, à preservação da
saúde e do meio ambiente.
 E preferência em suas ações à defesa da vida, à segurança, à circulação, à
preservação da saúde e do meio ambiente.

26) De acordo com o Código Brasileiro de Trânsito (DENATRAN, 2008), um dos objetivos
básicos do Sistema Nacional de Trânsito consiste em:

 A estabelecer diretrizes da Política Nacional de Trânsito, com vistas à segurança, à


fluidez, ao conforto, à defesa ambiental e à educação para o trânsito, e fiscalizar
seu cumprimento
 B zelar pela uniformidade e cumprimento das normas contidas no Código Brasileiro
de Trânsito e nas resoluções complementares
 C dirimir conflitos sobre circunscrição e competência de trânsito no âmbito da
União, dos Estados e do Distrito Federal
 D estimular e orientar a execução de campanhas educativas de trânsito

 Os objetivos básicos do Sistema Nacional de Trânsito (SNT) podem ser assim


memorizados: estabelecer(CAFÉ S), fixar e estabelecer.

Art. 6o São objetivos básicos do Sistema Nacional de Trânsito:

I - estabelecer diretrizes da Polit́ ica Nacional de Trânsito, com vistas à segurança,


à fluidez, ao conforto, à defesa ambiental e à educação para o trânsito, e fiscalizar
seu cumprimento; (CAFÉ S)

 II - fixar, mediante normas e procedimentos, a padronização de critérios técnicos,


financeiros e administrativos para a execução das atividades de trânsito;

III - estabelecer a sistemática de fluxos permanentes de informaçoe


̃ s entre os
seus diversos órgãos e entidades, a fim de facilitar o processo decisório e a
integração do Sistema.

27) As Câmaras Temáticas são órgãos técnicos que têm entre seus objetivos estudar e
oferecer sugestões para assuntos específicos relacionados ao trânsito. Esses órgãos
são vinculados ao(s)

 A Conselho Nacional de Trânsito.


 B Departamento Nacional de Trânsito.
 C Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes.
 D Departamentos Estaduais de Trânsito.
 E Conselhos Estaduais de Trânsito.

Art. 12. Compete ao CONTRAN:

IV - criar Câmaras Temáticas;

28) De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, a educação para o trânsito será
promovida na Educação Escolar, em regime de colaboração entre União, Estados, Distrito
Federal e Municípios, nas respectivas áreas de atuação. Em relação às finalidades desse
regime, considere:

I - Elaboração de planos de redução de acidentes de trânsito por profissionais dos núcleos


de saúde pública dos municípios.

II - Adoção de conteúdos relativos à educação para o trânsito nas escolas de formação


para o magistério e o treinamento de professores e multiplicadores.

III - Criação de corpos técnicos interprofissionais para levantamento e análise de dados


estatísticos relativos ao trânsito.

IV - Adoção, em todos os níveis de ensino, de um currículo interdisciplinar com conteúdo


programático sobre segurança de trânsito.

Está correto o que se afirma em

 A I e II, apenas.
 B II, III e IV, apenas.
 C I, III e IV, apenas.
 D I, II e IV, apenas.
 Art. 76. A educação para o trânsito será promovida na pré-escola e nas escolas de
1º, 2º e 3º graus, por meio de planejamento e ações coordenadas entre os órgãos
e entidades do Sistema Nacional de Trânsito e de Educação, da União, dos
Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, nas respectivas áreas de atuação.


 Parágrafo único. Para a finalidade prevista neste artigo, o Ministério da Educação e
do Desporto, mediante proposta do CONTRAN e do Conselho de Reitores das
Universidades Brasileiras, diretamente ou mediante convênio, promoverá:

 I - a adoção, em todos os níveis de ensino, de um currículo interdisciplinar
com conteúdo programático sobre segurança de trânsito;

 II - a adoção de conteúdos relativos à educação para o trânsito nas escolas
de formação para o magistério e o treinamento de professores e
multiplicadores;

 III - a criação de corpos técnicos interprofissionais para levantamento e
análise de dados estatísticos relativos ao trânsito;

 IV - a elaboração de planos de redução de acidentes de trânsito junto aos núcleos
interdisciplinares universitários de trânsito, com vistas à integração
universidades-sociedade na área de trânsito.

29) As alternativas, a seguir, indicam órgãos/entidades que compõem o Sistema


Nacional de Trânsito, EXCETO:

 A Consórcio Intermunicipal de Saúde do Litoral do Paraná – CISLIPA.


 B Conselhos Estaduais de Trânsito – CETRAN.
 C Conselho Nacional de Trânsito – CONTRAN.
 D Juntas Administrativas de Recursos de Infração – JARI.

30) O Sistema Nacional de Trânsito, conforme a Lei N.º 9.503/1997, Código de Trânsito
Brasileiro (CTB), NÃO é integrado

 A pela Polícia Rodoviária Federal.


 B pelos Conselhos Estaduais de Trânsito (CETRAN).
 C pela Polícia Ferroviária Federal.
 D pelas Juntas Administrativas de Recursos de Infrações (JARI).

31) O Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN) compõe o Sistema Nacional de


Trânsito. Com base nisso, é correto afirmar:

 A O CONTRAN tem em sua composição um representante do Ministério de Minas


e Energia.
 B Não compete ao CONTRAN apreciar os recursos interpostos contra as decisões
das instâncias inferiores.
 C O CONTRAN não é competente para normatizar procedimentos sobre registro e
licenciamento de veículos.
 D O Presidente da República designará o ministério ou órgão da Presidência
responsável pela coordenação máxima do Sistema Nacional de Trânsito, ao qual
estará vinculado o CONTRAN e subordinado o órgão máximo executivo de trânsito
da União.
Art. 9º O Presidente da República designará o ministério ou órgão da Presidência
responsável pela coordenação máxima do Sistema Nacional de Trânsito, ao qual estará
vinculado o CONTRAN e subordinado o órgão máximo executivo de trânsito da União.

32) Considere os seguintes órgãos e entidades:

I - Autoridade portuária, mesmo que não celebre quaisquer tipos de convênio e


independentemente da interveniência dos Estados.
II - Polícia Civil.
III - Juntas Administrativas de Recursos e Infrações (JARI).
IV - Polícia Rodoviária Federal.

Compõem o Sistema Nacional de Trânsito:

 A I e II.
 B II e IV.
 C III e IV.
 D I e III.
 A autoridade portuária ou a entidade concessionária de porto organizado poderá
celebrar convênios com os órgãos previstos no art. 7o, com a interveniência dos
Municípios e Estados, juridicamente interessados, para o fim específico de facilitar
a autuação por descumprimento da legislação de trânsito. (Incluído pela Lei nº
12.058, de 2009)

 § 1o O convênio valerá para toda a área física do porto organizado, inclusive, nas
áreas dos terminais alfandegados, nas estações de transbordo, nas instalações
portuárias públicas de pequeno porte e nos respectivos estacionamentos ou vias
de trânsito internas. (Incluído pela Lei nº 12.058, de 2009)

33) Sobre o Sistema Nacional de Trânsito, é correto afirmar:

 A Não se incluem entre os objetivos do Sistema Nacional de Trânsito fixar,


mediante normas e procedimentos, a padronização de critérios técnicos,
financeiros e administrativos para a execução das atividades de trânsito.
 B É o conjunto de órgãos e entidades da União, dos Estados, do Distrito Federal e
dos Municípios que tem por finalidade o exercício das atividades de planejamento,
administração, normatização, pesquisa, registro e licenciamento de veículos,
formação, habilitação e reciclagem de condutores, educação, engenharia,
operação do sistema viário, policiamento, fiscalização, julgamento de infrações e
de recursos e aplicação de penalidades.
 C Os órgãos e entidades componentes do Sistema Nacional de Trânsito
respondem, no âmbito das respectivas competências, subjetivamente, por danos
causados aos cidadãos em virtude de ação, omissão ou erro na execução e
manutenção de programas, projetos e serviços que garantam o exercício do direito
do trânsito seguro.
 D Considera-se trânsito a utilização das vias somente por veículos, para fins de
circulação, parada, estacionamento e operação de carga ou descarga.

 a) Não se incluem entre os objetivos do Sistema Nacional de Trânsito fixar,
mediante normas e procedimentos, a padronização de critérios técnicos,
financeiros e administrativos para a execução das atividades de trânsito. -incluem

 b) É o conjunto de órgãos e entidades da União, dos Estados, do Distrito Federal


e dos Municípios que tem por finalidade o exercício das atividades de
planejamento, administração, normatização, pesquisa, registro e licenciamento de
veículos, formação, habilitação e reciclagem de condutores, educação, engenharia,
operação do sistema viário, policiamento, fiscalização, julgamento de infrações e
de recursos e aplicação de penalidades.

 c) Os órgãos e entidades componentes do Sistema Nacional de Trânsito


respondem, no âmbito das respectivas competências, subjetivamente, por danos
causados aos cidadãos em virtude de ação, omissão ou erro na execução e
manutenção de programas, projetos e serviços que garantam o exercício do direito
do trânsito seguro. - Objetivamente

 d Considera-se trânsito a utilização das vias somente por veículos, para fins de
circulação, parada, estacionamento e operação de carga ou descarga. - Também
pode ser por animais, guiados ou não.

34) Marque (C) para os itens certos e (E) para os itens errados.
( ) A Semana Nacional de Trânsito é comemorada anualmente no período compreendido
entre 18 e 25 de setembro.
( ) As Juntas Administrativas de Recursos de Infração – JARI compõem o Sistema
Nacional de Trânsito.
( ) É obrigatória a existência de coordenação educacional em cada órgão ou entidade
componente do Sistema Nacional de Trânsito.
A sequência correta da análise dos itens acima é:

 A V – V – F.
 B V – V – V.
 C F – V – V.
 D F – F – V.
 I) Art. 326. A Semana Nacional de Trânsito será comemorada anualmente no
período compreendido entre 18 e 25 de setembro.

 II) Art. 7º Compõem o Sistema Nacional de Trânsito os seguintes órgãos e


entidades:
 (...)
 VII - as Juntas Administrativas de Recursos de Infrações - JARI.

 III) Art. 74; § 1º É obrigatória a existência de coordenação educacional em cada


órgão ou entidade componente do Sistema Nacional de Trânsito
 Gostei (79)

35) Analise as afirmativas abaixo: I – Dentre as competências do CONTRAN, está a de


executar as fiscalizações de trânsito. II – As JARI – Juntas Administrativas de Recursos de
Infrações – são responsáveis pelo julgamento dos recursos interpostos contra penalidades
aplicadas pelos órgãos e entidades executivas de trânsito ou rodoviários. III – Os
Conselhos Estaduais de Trânsito – CETRAN – são os coordenadores do Sistema Nacional
de Trânsito e órgãos máximos normativos e consultivos. Está correto somente o que se
afirma em:

 A I;
 BII;
 C III;
 D I e III;
 E II e III.

36) O Sistema Nacional de Trânsito tem como objetivo

I. estabelecer as diretrizes da Política Nacional de Trânsito e fiscalizar seu cumprimento.


II. fixar, mediante normas e procedimentos, a padronização de critérios técnicos,
financeiros e administrativos para a execução das atividades de trânsito.
III. estabelecer os fluxos de informação entre seus diferentes órgãos e entidades, a fim de
facilitar o processo decisório e a integração do sistema.

Assinale:

 Ase somente a afirmativa I estiver correta.


 Bse somente a afirmativa II estiver correta.
 Cse somente as afirmativas I e III estiverem corretas.
 Dse somente as afirmativas II e III estiverem corretas.
 Ese todos as afirmativas estiverem corretas.

Com relação ao Conselho Nacional de Trânsito - CONTRAN, no Sistema Nacional de


Transito, avalie os itens a seguir.

I. É o coordenador do Sistema.
II. É o órgão máximo normativo.
III. É o órgão máximo consultivo.

Assinale:

 A se somente o item I estiver correto.


 B se somente o item II estiver correto.
 C se somente os itens I e II estiverem corretos.
 D se somente os itens I e III estiverem corretos.
 E se todos os itens estiverem corretos.

Art. 7º Compõem o Sistema Nacional de Trânsito os seguintes órgãos e entidades:

I - o Conselho Nacional de Trânsito - CONTRAN, coordenador do Sistema e órgão


máximo normativo e consultivo;

Gostei (13)
37) Dentre diversas medidas tomadas para a proteção do meio ambiente, o Código de
Trânsito previu, exceto:

 A Que é infração de Trânsito a condução de animais em veículos.


 B Que os cursos de formação de condutores deve incluir obrigatoriamente
conceitos básicos de proteção ao meio ambiente.
 C Que os importadores, as montadoras, as encarroçadoras e fabricantes de
veículos e autopeças são responsáveis civil e criminalmente por danos causados.
 D Que o Conselho Nacional de Trânsito tem em sua composição um representante
do Ministério do Meio Ambiente e da Amazonia Legal.
 E Que os usuários de vias terrestres devem abster-se de todo ato que possa
constituir perigo ou obstáculo para o trânsito.

38) De acordo com o CTB, os órgãos e entidades de trânsito pertencentes ao Sistema


Nacional de Trânsito darão prioridade em suas ações à

 Ainformatização dos meios de monitoramento do trânsito.


 Bfiscalização e controle das normas de conduta no trânsito.
 Corientação de conduta e correção punitiva, quando necessário.
 Dengenharia de trânsito no favorecimento do deslocamento.
 Edefesa da vida, preservação da saúde e do meio- ambiente.
 Conforme BIZU ensinado por, acredito eu, LUCAS PRF:

 VI MESA

 Defesa da VIda

 Preservação do MEio ambiente e da SAúde.

39) Em conformidade com a Lei nº 9.503/97 - Código de Trânsito Brasileiro - e


alterações, responder à questão.

No tocante à composição e à competência do Sistema Nacional de Trânsito, assinalar a


alternativa CORRETA:

 A O Presidente da República designará o Ministério ou o Órgão da Presidência


responsável pela coordenação máxima do Sistema Nacional de Trânsito, ao qual
estará vinculado o CETRAN e subordinado o órgão máximo executivo de trânsito
da União.
 B Os órgãos e as entidades de trânsito poderão prestar serviços de capacitação
técnica, de assessoria e de monitoramento das atividades relativas ao trânsito
durante prazo a ser estabelecido entre as partes, com ressarcimento dos custos
apropriados.
 C Os presidentes dos CETRAN e do CONTRANDIFE são nomeados pelo
Presidente da República e deverão ter reconhecida experiência em matéria de
trânsito.
 DO Conselho de Trânsito do Distrito Federal - CONTRANDIFE é presidido pelo
dirigente do órgão máximo executivo de trânsito da União.

40) De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, o órgão de trânsito responsável por
coordenar os demais órgãos do Sistema Nacional de Trânsito, objetivando a integração de
suas atividades, é o
 A CETRAN.
 B DETRAN.
 C CIRETRAN.
 D CONTRAN.
 EDENATRAN.

 Art. 12. Compete ao CONTRAN:

 II coordenar os órgãos do Sistema Nacional de Trânsito, objetivando a


integração de suas atividades;

7)