Вы находитесь на странице: 1из 4

FACULDADES INTEGRADAS DE JACAREPAGUÁ

ADRIANA DOS REIS COSTA DE CARVALHO

Comentários sobre Educação à Distância,


consubstanciado pelo artigo: Os modelos
educacionais na aprendizagem on-line, de
José Manuel Moran.

GUARATUBA
2010
A Educação a Distância vem se destacamos nos últimos anos. Atualmente faço
quatro cursos a distância, inclusive a pós-graduação na FIJ. Acredito que essa modalidade
veio pra ficar, como aponta o texto do professor Moran 2009, a tendência é que até os cursos
presenciais se tornem semi-presenciais; o texto já nem cogita a realização de cursos
totalmente presenciais. É uma realidade da qual não há como fugir, ao meu ver. Os brasileiros
são os que mais horas passam na internet, de acordo com o IBGE. Evidentemente, como
aponta o texto supra, se faz necessário uma gestão “muito atenta e criteriosa”, pois prevê um
educando autônomo, que seja responsável com sua própria educação. Certamente uma grande
preocupação é com a ética. O que impede um aluno de procurar no Google pelo tema de
estudo e/ou trabalho e então selecionar algum material sem sequer lê-lo? Ainda assim vejo
mais prós do que contra.
O professor que não se adequar a essa modalidade da educação certamente não
acompanhará os avanços que gradativamente vem surgindo. O professor Moran prevê um
professor que não dará aula:
“Os professores orientarão mais que ensinarão, acompanharão mais do
que informarão. Organizarão, orientarão e avaliarão processos e “não
darão aula” no sentido tradicional de foco na transmissão da
informação”.
É imperativo, portanto, para um professor ético e responsável a assimilação de novas
tecnologias objetivando não trazer prejuízos educacionais a seus discentes, seja por omissão
e/ou desconhecimento, seja por uma recusa deliberada e “consciente”.
Em minha casa tenho acesso a computador com internet, multifuncional com
scanner. Na escola em que trabalho existe o laboratório de informática, com acesso à internet;
“devedeteca” com vasto acervo de documentários educativos; TV-pendrive com USB. Todas
evidentemente servem para estudo presencial e à distância. Em meu trabalho o que utilizo
com mais frequência é a TV-pendrive, exibindo slides produzidos e/ou compilados em meu
computador. Já usei alguns aplicativos do Paraná digital1 que foram muito úteis, como o
GeoGebra, XaOs, usei até mesmo a planilha do BrOffice para construir gráficos. Foi muito
interessante, especialmente ver a reação surpresa de alguns.
Vejo muita semelhança no papel do tutor e do professor, muito embora, no meu
entender, o tutor faça mais um trabalho de direcionamento e orientação do ambiente de
aprendizagem, ao passo que o professor, além disso, media a aprendizagem, transmite o que
sabe do conteúdo curricular. Se entendi o ponto de vista do professor Moran, haverá um
aumento de tutores. Seria mais ou menos assim: o tutor presencial conduziria os alunos até
um laboratório para acessarem um determinado portal onde contatariam o professor e material
online, ou ainda o tutor providenciaria a exibição de teleaulas e/ou teleconferências.
Aparentemente os alunos teriam acesso “direto” aos grandes produtores do conhecimento.
A educação a distância aproxima estudantes da matemática, em especial da subárea
tratamento da informação, na medida que possibilita discussões, compartilhamento de
assuntos ligados a estatística, análise combinatória, processos de contagem, etc.
Para exemplificar, recentemente trabalhei em uma tabela e um gráfico com minha
turma de 8ª. Série que foi originalmente postado em Brasília, pois apresentava dados
estatísticos do IBGE. Isso me fez pensar que praticamente não há limites para os benefícios
decorrentes da educação a distância. Graças a ela posso possibilitar a meus discentes acesso a
materiais de qualidade indicados por renomados professores.

Referências

MORAN, J. M. Modelos Educacionais na aprendizagem on line. Disponível em:


<http://www.eca.usp.br/prof/moran/modelos.htm>. Acessado em 25/03/2010.

FOLHA ONLINE. Internet chega a 66,3 mi de brasileiros em dezembro de 2009. disponível


em: http://www1.folha.uol.com.br/folha/informatica/ult124u692185.shtml>. acessado em
04/04/2010

1
Programa do Governo do Estado do Paraná, que leva a internet até as escolas