Вы находитесь на странице: 1из 36

MEMORIAL DE CÁLCULO

PROJETO BÁSICO DE ESTRUTURAS METÁLICAS DE


UMA TRELIÇA DE GALPÃO
Este memorial foi realizado para feitos acadêmicos , não nos
responsabilizamos com quem for usar e qualquer problema que
houver, as informações contidas não devem ser copiadas, somente
servirem de exemplo acadêmico .

SUMÁRIO
1. Introdução ...................................................................................................... 5
2. Forças atuantes.............................................................................................. 5
2.1. Cargas consideradas ............................................................................... 5
2.3. Combinações ........................................................................................... 6
2.5 Dimensionamento do banzo inferior parafusado com uso da carga de
tração obtida na barra mais critica .................................................................. 7
2.5.1. Pré-dimensionamento dos parafusos ................................................ 7
2.5.2 Verificações das distâncias mínimas necessárias eff, efc e efb ......... 8
2.5.3. Pré-dimensionamento pelo escoamento da seção bruta ................... 8
2.5.4. Pré-dimensionamento da ruptura da seção líquida............................ 8
2.6. Cisalhamento dos parafusos .................................................................... 9
2.7. Pressão de apoio e rasgamento da chapa ............................................... 9
2.8. Ruptura por cisalhamento de bloco ........................................................ 10
2.81. Esbeltes ............................................................................................... 12
2.9. Banzo superior ....................................................................................... 12
2.9.1. Pré-dimensionamento dos parafusos .............................................. 12
2.9.2 Verificações das distâncias mínimas necessárias eff, efc e efb ....... 13
2.9.3. Pré-dimensionamento pelo escoamento da seção bruta ................. 13
2.9.4. Pré-dimensionamento da ruptura da seção líquida.......................... 14
2.5.5. Cálculo da ruptura da seção liquida ................................................. 14
2.9.6. Escoamento da seção bruta ............................................................ 14
2.10. Cisalhamento dos parafusos ................................................................ 14
2.12. Ruptura por cisalhamento de bloco...................................................... 15
2.12.1. Esbeltes ............................................................................................ 16
2.13. Barra montante .................................................................................... 16
2.13.1. Pré-dimensionamento dos parafusos ............................................ 16
2.13.2 Verificações das distâncias mínimas necessárias eff, efc e efb ..... 17
2.13.3. Pré-dimensionamento pelo escoamento da seção bruta ............... 17
2.13.4. Pré-dimensionamento da ruptura da seção líquida........................ 17
2.13.5. Cálculo da ruptura da seção liquida ............................................... 18
2.13.6. Escoamento da seção bruta .......................................................... 18
2.14. Cisalhamento dos parafusos ................................................................ 18
2.15. Pressão de apoio e rasgamento da chapa ........................................... 18
2.16. Ruptura por cisalhamento de bloco ...................................................... 19
2.16.1. Esbeltez ............................................................................................ 20
2.17. Barra Diagonal ..................................................................................... 20
2.17.1. Pré-dimensionamento dos parafusos ............................................ 20
2.17.2 Verificações das distâncias mínimas necessárias eff, efc e efb ..... 21
2.17.3. Pré-dimensionamento pelo escoamento da seção bruta ............... 21
2.17.4. Pré-dimensionamento da ruptura da seção líquida........................ 21
2.17.5. Cálculo da ruptura da seção liquida ............................................... 22
2.17.6. Escoamento da seção bruta .......................................................... 22
2.18. Cisalhamento dos parafusos ................................................................ 22
2.19. Pressão de apoio e rasgamento da chapa ........................................... 22
2.20. Ruptura por cisalhamento de bloco ...................................................... 23
2.20.1 Esbeltez ............................................................................................. 24
3. Dimensionamento do Banzo inferior com uso de solda ............................ 24
3.1. Tensões solicitantes em grupo de soldas F1 e F2 .............................. 24
3.2. Dimensionamento da solda para F1 ................................................... 25
3.3. Resistência das peças ligadas na chapa ............................................ 25
Resistência nas cantoneiras ...................................................................... 25
3.4. Dimensionamento da solda para F2 ...................................................... 25
3.5. Resistência das peças ligadas na chapa ............................................ 26
3.6. Ruptura da seção liquida .................................................................... 26
3.7. Escoamento da seção bruta ............................................................... 27
4. Dimensionamento do Banzo Superior com uso de solda .......................... 27
4.1. Tensões solicitantes em grupo de soldas F1 e F2 .............................. 27
4.2. Dimensionamento da solda para F1 ................................................... 28
4.3. Resistência das peças ligadas na chapa ............................................ 28
4.4. Dimensionamento da solda para F2 ...................................................... 29
4.5. Resistência das peças ligadas na chapa ............................................ 29
4.6. Ruptura da seção liquida .................................................................... 29
4.7. Escoamento da seção bruta ............................................................... 30
5. Dimensionamento da barra Montante ....................................................... 30
5.1. Tensões solicitantes em grupo de soldas F1 e F2 .............................. 30
5.2. Dimensionamento da solda para F1 ................................................... 31
5.3. Resistência das peças ligadas na chapa ............................................ 31
5.4. Dimensionamento da solda para F2 ................................................... 32
5.5. Resistência das peças ligadas na chapa ............................................ 32
5.6. Ruptura da seção liquida .................................................................... 33
5.7. Escoamento da seção bruta ............................................................... 33
6. Dimensionamento da barra Diagonal ........................................................ 33
5.1. Tensões solicitantes em grupo de soldas F1 e F2 .............................. 34
5.2. Dimensionamento da solda para F1 ................................................... 34
5.3. Resistência das peças ligadas na chapa ............................................ 34
5.4. Dimensionamento da solda para F2 ...................................................... 35
5.5. Resistência das peças ligadas na chapa ............................................ 35
5.6. Ruptura da seção liquida .................................................................... 36
5.7. Escoamento da seção bruta ............................................................... 36
1. Introdução

Este documento trata do memorial de cálculo da estrutura metálica de uma treliça


usada em galpões. A estrutura foi dimensionada com uso do aço ASTM A36,
com resistência fy=250 MPa e fu=400 MPa, ou equivalente. Todas as ligações
entre as peças metálicas do lado direito da treliça são soldadas e do lado
esquerdo são parafusadas. As telhas metálicas são apoiadas em terças, as quais
são apoiadas em treliças metálicas compostas por perfis. Essas treliças são
apoiadas em pilares e os parafusos usados nas ligações tem os diâmetros iguais
a 19 mm e 22 mm.

2. Forças atuantes

2.1. Cargas consideradas

Para verificação das peças componentes da estrutura auxiliar, foram


consideradas as seguintes cargas:

– Ação de peso próprio da cobertura + peso próprio da estrutura metálica de


1,5kN/m² de projeção (g = 1,5 kN/m²);

– Sobrecarga variável de 0,8 kN/m² de projeção (q = 0,8kN/m²);

– Vento 1 = 0,8 kN/m² (V1 = 0,8 kN/m²);

– Vento 2 (Vento de sucção) = -1,2 kN/m² (V2 = -1,2 kN/m²)

Cargas para combinações com valores dos coeficientes de ponderação das


ações e variáveis obtidos na tabela 4.5 da página 43 do livro Dimensionamento
de elementos estruturais de Aço e mistos de aço e concreto.

 g = 1,5 kN/m², γg = 1,25


 q = 0,8 kN/m², γq = 1,5, ψ = 0,5
 v1 = 0,8 kN/m² γ = 1,4 ψ = 0,6
 v2 = - 1,2 kN/m² γ = 1,4

Sobrecarga de utilização e de vento em conformidade com as normas NBR


8800:2008, e NBR 6123, respectivamente.
2.3. Combinações

𝑚 𝑛

𝐶𝑢𝑙= ∑(𝛾𝑔𝑖 𝐴𝐺𝑖,𝑘 ) + 𝛾𝑞1 𝐴𝑄1,𝑘 + ∑(𝛾𝑞𝑗 𝜓0𝑗 𝐴𝑄𝑗,𝑘 )


𝑖=𝑙 𝑗=2

 1° combinação

15𝑥(1,25) + 0,8𝑥(1,5) + 0,8𝑥(1,4𝑥0,6) = 3,747 𝑘𝑁/𝑚²

 2° combinação

1,5𝑥(1,25) + 0,8𝑥(1,4) + 0,8𝑥(1,5𝑥0,5) = 3,595 𝑘𝑁/𝑚²

 3° combinação

1,5𝑥(1,0) − 1,2𝑥(1,4) = −0,18 𝑘𝑁/𝑚²

Forças usadas para cálculo das barras da treliça por área de influência.

Carga positiva = 3,747 kN/m²

 𝑃1 = (1𝑥4)𝑥3,747 = 14,98 𝑘𝑁
 𝑃2 = (2𝑥4)𝑥3,747 = 29,976 𝑘𝑁

Carga negativa = -0,18 kN/m²

 𝑃1 = (1𝑥4)𝑥(−0,18) = −0,72 𝑘𝑁
 𝑃2 = (2𝑥4)𝑥(−0,18) = −1,44 𝑘𝑁

Figura 1: Treliça 1
Figura 2: Treliça 2

2.5 Dimensionamento do banzo inferior parafusado com uso da carga de tração


obtida na barra mais critica

𝑁𝑡, 𝑆𝑑 = 449,64 𝑘𝑁

2.5.1. Pré-dimensionamento dos parafusos

𝐹𝑢, 𝑅𝑑 ≥ 𝑁𝑡, 𝑆𝑑

∝ 𝑏 = 0,4 valor usado para parafusos comuns

𝜋 𝑥 1,9²
𝐴𝑏 = = 2,84 𝑐𝑚²
4

𝑓𝑢𝑏 = 415 𝑀𝑃𝑎

∝ 𝑏 𝑥 𝐴𝑏 𝑥 𝑓𝑢𝑏 0,4 𝑥 2,84 𝑥 41,5


𝐹𝑢, 𝑅𝑑 = = = 34,92 𝑘𝑁
𝛾𝑎2 1,35

𝑁𝑡, 𝑆𝑑 449,64
𝑁° = =
𝐹𝑢, 𝑅𝑑 (34,92 𝑥 2)
= 6,44 𝑝𝑎𝑟𝑎𝑓𝑢𝑠𝑜𝑠, 𝑎𝑑𝑜𝑡𝑎𝑟 8 𝑝𝑎𝑟𝑎𝑓𝑢𝑠𝑜𝑠 𝑐𝑜𝑚 𝑑𝑖𝑎𝑚ê𝑡𝑟𝑜 𝑑𝑒 19 𝑚𝑚 𝑝𝑜𝑟 𝑞𝑢𝑒𝑠𝑡ã𝑜 𝑑𝑒 𝑠𝑖𝑚𝑒𝑡𝑟𝑖𝑎

Desenho:
2.5.2 Verificações das distâncias mínimas necessárias eff, efc e efb

Efc distância da aba da cantoneira até o centro do furo

𝑒𝑓𝑐 = 1,35𝑥𝑑𝑏 = 1,35𝑥19 = 25,65 𝑚𝑚 𝑎𝑑𝑜𝑡𝑎𝑟 30 𝑚𝑚

Efb distância da borda da chapa e da cantoneira até o centro do furo

𝑒𝑓𝑏 = 1,25𝑥𝑑𝑏 = 1,25𝑥19 = 23,75 𝑚𝑚 𝑎𝑑𝑜𝑡𝑎𝑟 30 𝑚𝑚

Eff distância entre furos

24𝑥𝑡 = 24𝑥6,35 = 152,4 𝑚𝑚


𝑒𝑓𝑓 = 3𝑥𝑑𝑏 = 3𝑥19 = 57 𝑚𝑚 ≤ 𝑒𝑓𝑓 60 𝑚𝑚 ≤ {
300𝑚𝑚

2.5.3. Pré-dimensionamento pelo escoamento da seção bruta

𝐴𝑔 𝑥 𝐹𝑦
𝑁𝑡, 𝑆𝑑 =
𝛾𝑎1

449,64 𝑥 1,1 19,78


𝐴𝑔 = = 19,78 𝑐𝑚2 𝑝𝑎𝑟𝑎 𝑑𝑢𝑎𝑠 𝑐𝑎𝑛𝑡𝑜𝑛𝑒𝑖𝑟𝑎𝑠 = 9,89 𝑐𝑚²
25 2

Portanto, cada cantoneira deverá ter a área mínima de 9,89 cm² e se tentará
usar o duplo L 127 x 6,35, Ag = 15,73 cm² e Xg = 34,1 mm (𝐴𝑔 = 2 𝑥 15,73 =
31,46 𝑐𝑚²).

2.5.4. Pré-dimensionamento da ruptura da seção líquida

𝐴𝑒 𝑥 𝑓𝑢 𝐴𝑒 𝑥 40
𝑁𝑡, 𝑆𝑑 = 449,64 𝑘𝑁 ≤ 𝑁𝑡, 𝑅𝑑 = = → 𝐴𝑒 ≥ 15,17 𝑐𝑚2
𝛾𝑎2 1,35

𝐴𝑒 = 𝐶𝑡 . 𝐴𝑛

Para o cálculo da área liquida An, obtém-se o diâmetro dos furos:

𝑑ℎ = 19 + 3,5 = 22,5 𝑚𝑚 = 2,25 𝑐𝑚

Como a furação tem padrão uniforme, basta fazer:

𝐴𝑛 = 2𝑥(15,73 − 2,25𝑥0,635) = 25,75 𝑐𝑚²


O coeficiente Ct vale:

𝑒𝑐 3,41
𝐶𝑡 = 1 − =1− = 0,81
𝑙𝑐 18

𝐴𝑒 = 0,81𝑥25,75 = 20,86 𝑐𝑚2 á𝑟𝑒𝑎 𝑠𝑢𝑓𝑖𝑐𝑖𝑒𝑛𝑡𝑒!

2.5.5. Cálculo da ruptura da seção liquida

𝐴𝑒 𝑥 𝑓𝑢 20,86𝑥40
𝑁𝑡, 𝑅𝑑 = = = 618,07 𝑘𝑁
𝛾𝑎2 1,35

2.5.6. Escoamento da seção bruta

𝐴𝑔 𝑥 𝑓𝑦 31,46𝑥25
𝑁𝑡, 𝑅𝑑 = = = 715 𝑘𝑁
𝛾𝑎1 1,1

Portanto a carga resistente de cálculo é igual a 618,07 kN.

2.6. Cisalhamento dos parafusos

∝ 𝑏𝑥𝐴𝑏𝑥𝑓𝑢𝑏 0,4𝑥2,84𝑥41,5
𝐹𝑢, 𝑅𝑑 = = 𝑥8𝑥2 = 558,74 𝑘𝑁
𝛾𝑎2 1,35

Portanto este valor de Fu,Rd ≥ Nt,Sd atende ao cisalhamento!

2.7. Pressão de apoio e rasgamento da chapa

Por razões construtivas a chapa Gusset é tomada com a espessura de 6 mm a


10 mm para garantir a segurança contra a ruptura.

Furos externos:

(22,5)
𝑙𝑓 = 30 − = 18,75 𝑚𝑚
2

1,2𝑥𝑙𝑓𝑥𝑡𝑥𝑓𝑢 1,2𝑥1,875𝑥0,8𝑥40
= = 53,33 𝑘𝑁
𝛾𝑎2 1,35
𝐹𝑐, 𝑅𝑑 ≤
2,4𝑥𝑑𝑏𝑥𝑡𝑥𝑓𝑢 2,4𝑥1,9𝑥0,8𝑥40
= = 108,09 𝑘𝑁
{ 𝛾𝑎2 1,35
Furos internos:

𝑙𝑓 = 60 − 22,5 = 37,5 𝑚𝑚

1,2𝑥3,75𝑥0,8𝑥40
= 106,67 𝑘𝑁
1,35
𝐹𝑐, 𝑅𝑑 ≤
2,4𝑥1,9𝑥0,8𝑥40
= 108,09 𝑘𝑁
{ 1,35

𝑃𝑜𝑟𝑡𝑎𝑛𝑡𝑜 𝐹𝑐, 𝑅𝑑 = 53,33𝑥2 + 106,67𝑥6 = 746,68 𝑘𝑁

2.8. Ruptura por cisalhamento de bloco

Perímetro 1

Desenho:

0,6𝑥𝐴𝑁𝑉𝑥𝑓𝑢 + 𝐶𝑇𝑆𝑥𝐴𝑁𝑇𝑥𝑓𝑢
𝛾𝑎2
𝐹𝑟, 𝑅𝑑 ≤
0,6𝑥𝐴𝐺𝑉𝑥𝑓𝑦 + 𝐶𝑇𝑆𝑥𝐴𝑁𝑇𝑥𝑓𝑢
{ 𝛾𝑎2

 𝐴𝑁𝑉 = (3 + 18 − 3,5𝑥2,25)𝑥0,635𝑥2 = 16,67 𝑐𝑚2


 𝐴𝑁𝑇 = (6 + 3 − 1,5𝑥2,25)𝑥0,635𝑥2 = 7,14 𝑐𝑚2
 𝐴𝐺𝑉 = (3 + 18)𝑥0,635𝑥2 = 26,67 𝑐𝑚²

0,6𝑥16,67𝑥40 + 1𝑥7,14𝑥40
= 507,91 𝑘𝑁
1,35
𝐹𝑟, 𝑅𝑑 ≤
0,6𝑥26,67𝑥25 + 1𝑥7,14𝑥40
= 507,89 𝑘𝑁
{ 1,35
Perímetro 2:

0,6𝑥𝐴𝑁𝑉𝑥𝑓𝑢 + 𝐶𝑇𝑆𝑥𝐴𝑁𝑇𝑥𝑓𝑢
𝛾𝑎2
𝐹𝑟, 𝑅𝑑 ≤
0,6𝑥𝐴𝐺𝑉𝑥𝑓𝑦 + 𝐶𝑇𝑆𝑥𝐴𝑁𝑇𝑥𝑓𝑢
{ 𝛾𝑎2

 𝐴𝑁𝑉 = 2𝑥(3 + 18 − 3,5𝑥2,25)𝑥0,635𝑥2 = 33,34 𝑐𝑚2

 𝐴𝑁𝑇 = (6 − 2,25)𝑥0,635𝑥2 = 4,76 𝑐𝑚2

 𝐴𝐺𝑉 = 2𝑥(3 + 18)𝑥0,635𝑥2 = 53,34 𝑐𝑚²

0,6𝑥33,34𝑥40 + 1𝑥4,76𝑥40
= 733,75 𝑘𝑁
1,35
𝐹𝑟, 𝑅𝑑 ≤
0,6𝑥53,34𝑥25 + 1𝑥4,76𝑥40
= 733,70 𝑘𝑁
{ 1,35

Perímetro da chapa Gusset

0,6𝑥𝐴𝑁𝑉𝑥𝑓𝑢 + 𝐶𝑇𝑆𝑥𝐴𝑁𝑇𝑥𝑓𝑢
𝛾𝑎2
𝐹𝑟, 𝑅𝑑 ≤
0,6𝑥𝐴𝐺𝑉𝑥𝑓𝑦 + 𝐶𝑇𝑆𝑥𝐴𝑁𝑇𝑥𝑓𝑢
{ 𝛾𝑎2
 𝐴𝑁𝑉 = (3 + 18 − 3,5𝑥2,25)𝑥0,8𝑥2 = 21 𝑐𝑚2

 𝐴𝑁𝑇 = (6 − 2,25)𝑥0,8 = 3 𝑐𝑚2

 𝐴𝐺𝑉 = (3 + 18)𝑥0,8𝑥2 = 33,6 𝑐𝑚²

0,6𝑥21𝑥40 + 1𝑥3𝑥40
= 462,22 𝑘𝑁
1,35
𝐹𝑟, 𝑅𝑑 ≤
0,6𝑥33,6𝑥25 + 1𝑥3𝑥40
= 462,22 𝑘𝑁
{ 1,35

Portanto a carga resistente ao cisalhamento é igual a 507,89 kN.

2.81. Esbeltes

 Limite recomendado de 300 mm em relação ao eixo y.

𝐿𝑟 200
( )= = 79,05 ≤ 300 𝑚𝑚 𝑜𝑘
𝑟 2,53

2.9. Banzo superior

Dimensionamento do banzo superior parafusado com uso da carga de tração


obtida na barra mais crítica e comparada a barra de compressão de maior valor.

𝑁𝑡, 𝑆𝑑 = 21,708 𝑘𝑁 𝑇𝑟𝑎çã𝑜 ≤ 𝑁𝑡, 𝑆𝑑 = 451,883 𝑘𝑁 𝐶𝑜𝑚𝑝𝑟𝑒𝑠𝑠ã𝑜

2.9.1. Pré-dimensionamento dos parafusos

𝐹𝑢, 𝑅𝑑 ≥ 𝑁𝑡, 𝑆𝑑

∝ 𝑏 = 0,4 valor usado para parafusos comuns

𝜋 𝑥 2,2²
𝐴𝑏 = = 3,80 𝑐𝑚²
4

𝑓𝑢𝑏 = 415 𝑀𝑃𝑎

∝ 𝑏 𝑥 𝐴𝑏 𝑥 𝑓𝑢𝑏 0,4 𝑥 3,80 𝑥 41,5


𝐹𝑢, 𝑅𝑑 = = = 46,73 𝑘𝑁
𝛾𝑎2 1,35

𝑁𝑡, 𝑆𝑑 21,708
𝑁° = =
𝐹𝑢, 𝑅𝑑 (46,73𝑥 2)
= 0,23 𝑝𝑎𝑟𝑎𝑓𝑢𝑠𝑜𝑠, 𝑎𝑑𝑜𝑡𝑎𝑟 5 𝑝𝑎𝑟𝑎𝑓𝑢𝑠𝑜𝑠 𝑐𝑜𝑚 𝑑𝑖𝑎𝑚ê𝑡𝑟𝑜 𝑑𝑒 22 𝑚𝑚
Desenho:

2.9.2 Verificações das distâncias mínimas necessárias eff, efc e efb

Efc distância da aba da cantoneira até o centro do furo

𝑒𝑓𝑐 = 1,35𝑥𝑑𝑏 = 1,35𝑥22 = 29,7 𝑚𝑚 𝑎𝑑𝑜𝑡𝑎𝑟 60,325 𝑚𝑚

Efb distância da borda da chapa e da cantoneira até o centro do furo

𝑒𝑓𝑏 = 1,25𝑥𝑑𝑏 = 1,25𝑥22 = 27,5 𝑚𝑚 𝑎𝑑𝑜𝑡𝑎𝑟 60,325 𝑚𝑚

Eff distância entre furos

24𝑥𝑡 = 24𝑥6,35 = 152,4 𝑚𝑚


𝑒𝑓𝑓 = 3𝑥𝑑𝑏 = 3𝑥22 = 66 𝑚𝑚 ≤ 𝑒𝑓𝑓 90 𝑚𝑚 ≤ {
300𝑚𝑚

2.9.3. Pré-dimensionamento pelo escoamento da seção bruta

𝐴𝑔 𝑥 𝐹𝑦
𝑁𝑡, 𝑆𝑑 =
𝛾𝑎1

21,708 𝑥 1,1 0,955


𝐴𝑔 = = 0,955 𝑐𝑚2 𝑝𝑎𝑟𝑎 𝑑𝑢𝑎𝑠 𝑐𝑎𝑛𝑡𝑜𝑛𝑒𝑖𝑟𝑎𝑠 = 0,478 𝑐𝑚²
25 2

Portanto, cada cantoneira deverá ter a área mínima 0,478 cm² e se tentará usar
o duplo L 127 x 6,35, Ag = 15,73 cm² e Xg = 34,1 mm (𝐴𝑔 = 2 𝑥 15,73 =
31,46 𝑐𝑚²), devido a carga de compressão com valor de -451,883 kN para que a
comparação das verificações nos ligamentos sejam suficientes.
2.9.4. Pré-dimensionamento da ruptura da seção líquida

𝐴𝑒 𝑥 𝑓𝑢 𝐴𝑒 𝑥 40
𝑁𝑡, 𝑆𝑑 = 21,708 𝑘𝑁 ≤ 𝑁𝑡, 𝑅𝑑 = = → 𝐴𝑒 ≥ 0,733𝑐𝑚2
𝛾𝑎2 1,35

𝐴𝑒 = 𝐶𝑡 . 𝐴𝑛

Para o cálculo da área liquida An, obtém-se o diâmetro dos furos:

𝑑ℎ = 22 + 3,5 = 25,5 𝑚𝑚 = 2,55 𝑐𝑚

Como a furação tem padrão uniforme, basta fazer:

𝐴𝑛 = 2𝑥(15,73 − 2,55𝑥0,635) = 28,22 𝑐𝑚²

O coeficiente Ct vale:

𝑒𝑐 3,41
𝐶𝑡 = 1 − =1− = 0,91 𝑎𝑑𝑜𝑡𝑎𝑟 0,9 𝑣𝑎𝑙𝑜𝑟 𝑙𝑖𝑚𝑖𝑡𝑒
𝑙𝑐 36

𝐴𝑒 = 0,9𝑥28,22 = 25,39 𝑐𝑚2 á𝑟𝑒𝑎 𝑠𝑢𝑓𝑖𝑐𝑖𝑒𝑛𝑡𝑒!

2.5.5. Cálculo da ruptura da seção liquida

𝐴𝑒 𝑥 𝑓𝑢 25,39𝑥40
𝑁𝑡, 𝑅𝑑 = = = 752,30 𝑘𝑁
𝛾𝑎2 1,35

2.9.6. Escoamento da seção bruta

𝐴𝑔 𝑥 𝑓𝑦 31,46𝑥25
𝑁𝑡, 𝑅𝑑 = = = 715 𝑘𝑁
𝛾𝑎1 1,1

Portanto a carga resistente de cálculo é igual a 715 kN!

2.10. Cisalhamento dos parafusos

∝ 𝑏𝑥𝐴𝑏𝑥𝑓𝑢𝑏 0,4𝑥3,80𝑥41,5
𝐹𝑢, 𝑅𝑑 = = 𝑥5𝑥2 = 467,26 𝑘𝑁
𝛾𝑎2 1,35

Portanto o valor de Fu,Rd= 467,26 ≥ Fu,Sd atende ao cisalhamento!

2.11. Pressão de apoio e rasgamento da chapa

Por razões construtivas a chapa Gusset é tomada com a espessura de 6 mm a


10 mm para garantir a segurança contra a ruptura.
Furos externos:

(25,5)
𝑙𝑓 = 60,325 − = 47,7575 𝑚𝑚
2

1,2𝑥𝑙𝑓𝑥𝑡𝑥𝑓𝑢 1,2𝑥4,76𝑥0,8𝑥40
= = 135,40 𝑘𝑁
𝛾𝑎2 1,35
𝐹𝑐, 𝑅𝑑 ≤
2,4𝑥𝑑𝑏𝑥𝑡𝑥𝑓𝑢 2,4𝑥2,2𝑥0,8𝑥40
= = 125,16 𝑘𝑁
{ 𝛾𝑎2 1,35

Furos internos:

𝑙𝑓 = 90 − 25,5 = 64,5 𝑚𝑚

1,2𝑥6,45𝑥0,8𝑥40
= 183,47 𝑘𝑁
1,35
𝐹𝑐, 𝑅𝑑 ≤
2,4𝑥2,2𝑥0,8𝑥40
= 125,16 𝑘𝑁
{ 1,35

𝑃𝑜𝑟𝑡𝑎𝑛𝑡𝑜 𝐹𝑐, 𝑅𝑑 = 125,16𝑥1 + 125,16𝑥4 = 625,80 𝑘𝑁

2.12. Ruptura por cisalhamento de bloco

Perímetro:

0,6𝑥𝐴𝑁𝑉𝑥𝑓𝑢 + 𝐶𝑇𝑆𝑥𝐴𝑁𝑇𝑥𝑓𝑢
𝛾𝑎2
𝐹𝑟, 𝑅𝑑 ≤
0,6𝑥𝐴𝐺𝑉𝑥𝑓𝑦 + 𝐶𝑇𝑆𝑥𝐴𝑁𝑇𝑥𝑓𝑢
{ 𝛾𝑎2

 𝐴𝑁𝑉 = (6,0325 + 45 − 4,5𝑥2,55)𝑥0,635𝑥2 = 50,24 𝑐𝑚2


 𝐴𝑁𝑇 = (6,0325 − 0,5𝑥2,55)𝑥0,635𝑥2 = 6,04 𝑐𝑚2
 𝐴𝐺𝑉 = (6,0325 + 45)𝑥0,635𝑥2 = 64,81𝑐𝑚²

0,6𝑥50,24𝑥40 + 1𝑥6,04𝑥40
= 1072,12 𝑘𝑁
1,35
𝐹𝑟, 𝑅𝑑 ≤
0,6𝑥64,81𝑥25 + 1𝑥6,04𝑥40
= 899,07 𝑘𝑁
{ 1,35

Portanto a carga resistente ao cisalhamento de bloco é igual a 899,07 kN!

2.12.1. Esbeltes

 Limite recomendado de 300 mm em relação ao eixo y.

𝐿𝑟 201,1
( )= = 79,49 ≤ 300 𝑚𝑚
𝑟 2,53

2.13. Barra montante

Dimensionamento da barra montante parafusada com uso da carga de tração


obtida na barra mais crítica.

𝑁𝑡, 𝑆𝑑 = 53,291 𝑘𝑁 𝑇𝑟𝑎çã𝑜 ≤ 𝑁𝑡, 𝑆𝑑 = −149,880 𝑘𝑁 𝐶𝑜𝑚𝑝𝑟𝑒𝑠𝑠ã𝑜

2.13.1. Pré-dimensionamento dos parafusos

𝐹𝑢, 𝑅𝑑 ≥ 𝑁𝑡, 𝑆𝑑

∝ 𝑏 = 0,4 valor usado para parafusos comuns

𝜋 𝑥 1,9²
𝐴𝑏 = = 2,84 𝑐𝑚²
4

𝑓𝑢𝑏 = 415 𝑀𝑃𝑎

∝ 𝑏 𝑥 𝐴𝑏 𝑥 𝑓𝑢𝑏 0,4 𝑥 2,84 𝑥 41,5


𝐹𝑢, 𝑅𝑑 = = = 34,92 𝑘𝑁
𝛾𝑎2 1,35

𝑁𝑡, 𝑆𝑑 53,291
𝑁° = =
𝐹𝑢, 𝑅𝑑 (34,92𝑥 2)
= 0,76 𝑝𝑎𝑟𝑎𝑓𝑢𝑠𝑜𝑠, 𝑎𝑑𝑜𝑡𝑎𝑟 3 𝑝𝑎𝑟𝑎𝑓𝑢𝑠𝑜𝑠 𝑐𝑜𝑚 𝑑𝑖𝑎𝑚ê𝑡𝑟𝑜 𝑑𝑒 19 𝑚𝑚
Desenho:

2.13.2 Verificações das distâncias mínimas necessárias eff, efc e efb

Efc distância da aba da cantoneira até o centro do furo

𝑒𝑓𝑐 = 1,35𝑥𝑑𝑏 = 1,35𝑥19 = 25,65 𝑚𝑚 𝑎𝑑𝑜𝑡𝑎𝑟 35 𝑚𝑚

Efb distância da borda da chapa e da cantoneira até o centro do furo

𝑒𝑓𝑏 = 1,25𝑥𝑑𝑏 = 1,25𝑥19 = 23,75 𝑚𝑚 𝑎𝑑𝑜𝑡𝑎𝑟 35 𝑚𝑚

Eff distância entre furos

24𝑥𝑡 = 24𝑥4,76 = 114,24 𝑚𝑚


𝑒𝑓𝑓 = 3𝑥𝑑𝑏 = 3𝑥19 = 57 𝑚𝑚 ≤ 𝑒𝑓𝑓 80 𝑚𝑚 ≤ {
300𝑚𝑚

2.13.3. Pré-dimensionamento pelo escoamento da seção bruta

𝐴𝑔 𝑥 𝐹𝑦
𝑁𝑡, 𝑆𝑑 =
𝛾𝑎1

53,291 𝑥 1,1 2,34


𝐴𝑔 = = 2,34 𝑐𝑚2 𝑝𝑎𝑟𝑎 𝑑𝑢𝑎𝑠 𝑐𝑎𝑛𝑡𝑜𝑛𝑒𝑖𝑟𝑎𝑠 = 1,17 𝑐𝑚²
25 2

Portanto, cada cantoneira deverá ter a área mínima 1,17 cm² e se tentará usar o
duplo L 76,2 x 4,76, Ag = 7,03 cm² e Xg = 20,8 mm (𝐴𝑔 = 2 𝑥 7,03 =
14,06 𝑐𝑚²), devido a carga de compressão com valor de (-149,880 kN) para que
a comparação das verificações nos ligamentos sejam suficientes.

2.13.4. Pré-dimensionamento da ruptura da seção líquida

𝐴𝑒 𝑥 𝑓𝑢 𝐴𝑒 𝑥 40
𝑁𝑡, 𝑆𝑑 = 53,291 𝑘𝑁 ≤ 𝑁𝑡, 𝑅𝑑 = = → 𝐴𝑒 ≥ 1,80𝑐𝑚2
𝛾𝑎2 1,35

𝐴𝑒 = 𝐶𝑡 . 𝐴𝑛
Para o cálculo da área liquida An, obtém-se o diâmetro dos furos:

𝑑ℎ = 19 + 3,5 = 22,5 𝑚𝑚 = 2,25 𝑐𝑚

Como a furação tem padrão uniforme, basta fazer:

𝐴𝑛 = 2𝑥(7,03 − 2,25𝑥0,476) = 11,91 𝑐𝑚²

O coeficiente Ct vale:

𝑒𝑐 2,08
𝐶𝑡 = 1 − =1− = 0,87
𝑙𝑐 16

𝐴𝑒 = 0,87𝑥11,91 = 10,36 𝑐𝑚2 á𝑟𝑒𝑎 𝑠𝑢𝑓𝑖𝑐𝑖𝑒𝑛𝑡𝑒!

2.13.5. Cálculo da ruptura da seção liquida

𝐴𝑒 𝑥 𝑓𝑢 10,36𝑥40
𝑁𝑡, 𝑅𝑑 = = = 306,96 𝑘𝑁
𝛾𝑎2 1,35

2.13.6. Escoamento da seção bruta

𝐴𝑔 𝑥 𝑓𝑦 14,06𝑥25
𝑁𝑡, 𝑅𝑑 = = = 319,55 𝑘𝑁
𝛾𝑎1 1,1

Portanto a carga resistente de cálculo é igual a 306,96 kN!

2.14. Cisalhamento dos parafusos

∝ 𝑏𝑥𝐴𝑏𝑥𝑓𝑢𝑏 0,4𝑥2,84𝑥41,5
𝐹𝑢, 𝑅𝑑 = = 𝑥3𝑥2 = 209,53 𝑘𝑁
𝛾𝑎2 1,35

Portanto o valor de Fu,Rd= 209,53 ≥ Fu,Sd atende ao cisalhamento!

2.15. Pressão de apoio e rasgamento da chapa

Por razões construtivas a chapa Gusset é tomada com a espessura de 6 mm a


10 mm para garantir a segurança contra a ruptura.

Furos externos:

(22,5)
𝑙𝑓 = 35 − = 23,75 𝑚𝑚 𝑜𝑢 2,375 𝑐𝑚
2
1,2𝑥𝑙𝑓𝑥𝑡𝑥𝑓𝑢 1,2𝑥2,375𝑥0,8𝑥40
= = 67,56 𝑘𝑁
𝛾𝑎2 1,35
𝐹𝑐, 𝑅𝑑 ≤
2,4𝑥𝑑𝑏𝑥𝑡𝑥𝑓𝑢 2,4𝑥1,9𝑥0,8𝑥40
= = 108,09 𝑘𝑁
{ 𝛾𝑎2 1,35

Furos internos:

𝑙𝑓 = 80 − 22,5 = 57,5 𝑚𝑚 𝑜𝑢 5,75 𝑐𝑚

1,2𝑥5,75𝑥0,8𝑥40
= 163,56 𝑘𝑁
1,35
𝐹𝑐, 𝑅𝑑 ≤
2,4𝑥1,9𝑥0,8𝑥40
= 108,09 𝑘𝑁
{ 1,35

𝑃𝑜𝑟𝑡𝑎𝑛𝑡𝑜 𝐹𝑐, 𝑅𝑑 = 67,56𝑥1 + 108,09𝑥2 = 283,74 𝑘𝑁

2.16. Ruptura por cisalhamento de bloco

Perímetro:

0,6𝑥𝐴𝑁𝑉𝑥𝑓𝑢 + 𝐶𝑇𝑆𝑥𝐴𝑁𝑇𝑥𝑓𝑢
𝛾𝑎2
𝐹𝑟, 𝑅𝑑 ≤
0,6𝑥𝐴𝐺𝑉𝑥𝑓𝑦 + 𝐶𝑇𝑆𝑥𝐴𝑁𝑇𝑥𝑓𝑢
{ 𝛾𝑎2

 𝐴𝑁𝑉 = (3,5 + 16 − 2,5𝑥2,25)𝑥0,476𝑥2 = 13,21 𝑐𝑚2


 𝐴𝑁𝑇 = (3,5 − 0,5𝑥2,25)𝑥0,476𝑥2 = 2,26 𝑐𝑚2
 𝐴𝐺𝑉 = (3,5 + 16)𝑥0,476𝑥2 = 18,56 𝑐𝑚²

0,6𝑥13,21𝑥40 + 1𝑥2,26𝑥40
= 301,81 𝑘𝑁
1,35
𝐹𝑟, 𝑅𝑑 ≤
0,6𝑥18,56𝑥25 + 1𝑥2,26𝑥40
= 273,19 𝑘𝑁
{ 1,35
Portanto a carga Fr,Rd é igual a 273,19 resistindo ao cisalhamento de bloco!

2.16.1. Esbeltez

 Limite recomendado de 300 mm em relação ao eixo y.

𝐿𝑟 152
( )= = 101,33 ≤ 300 𝑚𝑚 𝑜𝑘
𝑟 1,50

2.17. Barra Diagonal

Dimensionamento da barra diagonal inferior parafusada com uso da carga de


tração obtida na barra mais critica

𝑁𝑡, 𝑆𝑑 = 290,566 𝑘𝑁

2.17.1. Pré-dimensionamento dos parafusos

𝐹𝑢, 𝑅𝑑 ≥ 𝑁𝑡, 𝑆𝑑

∝ 𝑏 = 0,4 valor usado para parafusos comuns

𝜋 𝑥2,2²
𝐴𝑏 = 3,80 𝑐𝑚²
4

𝑓𝑢𝑏 = 415 𝑀𝑃𝑎

∝ 𝑏 𝑥 𝐴𝑏 𝑥 𝑓𝑢𝑏 0,4 𝑥 3,80 𝑥 41,5


𝐹𝑢, 𝑅𝑑 = = = 46,72 𝑘𝑁
𝛾𝑎2 1,35

𝑁𝑡, 𝑆𝑑 290,566
𝑁° = =
𝐹𝑢, 𝑅𝑑 (46,72 𝑥 2)
= 3,10 𝑝𝑎𝑟𝑎𝑓𝑢𝑠𝑜𝑠, 𝑎𝑑𝑜𝑡𝑎𝑟 4 𝑝𝑎𝑟𝑎𝑓𝑢𝑠𝑜𝑠 𝑐𝑜𝑚 𝑑𝑖𝑎𝑚ê𝑡𝑟𝑜 𝑑𝑒 22 𝑚𝑚

Desenho:
2.17.2 Verificações das distâncias mínimas necessárias eff, efc e efb

Efc distância da aba da cantoneira até o centro do furo

𝑒𝑓𝑐 = 1,35𝑥𝑑𝑏 = 1,35𝑥22 = 29,70 𝑚𝑚 𝑎𝑑𝑜𝑡𝑎𝑟 35 𝑚𝑚

Efb distância da borda da chapa e da cantoneira até o centro do furo

𝑒𝑓𝑏 = 1,25𝑥𝑑𝑏 = 1,25𝑥22 = 27,5 𝑚𝑚 𝑎𝑑𝑜𝑡𝑎𝑟 35 𝑚𝑚

Eff distância entre furos

24𝑥𝑡 = 24𝑥4,76 = 114,24 𝑚𝑚


𝑒𝑓𝑓 = 3𝑥𝑑𝑏 = 3𝑥22 = 66 𝑚𝑚 ≤ 𝑒𝑓𝑓 70 𝑚𝑚 ≤ {
300𝑚𝑚

2.17.3. Pré-dimensionamento pelo escoamento da seção bruta

𝐴𝑔 𝑥 𝐹𝑦
𝑁𝑡, 𝑆𝑑 =
𝛾𝑎1

290,566 𝑥 1,1 12,78


𝐴𝑔 = = 12,78 𝑐𝑚2 𝑝𝑎𝑟𝑎 𝑑𝑢𝑎𝑠 𝑐𝑎𝑛𝑡𝑜𝑛𝑒𝑖𝑟𝑎𝑠 = 6,39 𝑐𝑚²
25 2

Portanto, cada cantoneira deverá ter a área mínima de 9,89 cm² e se tentará
usar o duplo L 76,2 x 4,76, Ag = 7,03 cm² e Xg = 20,8 mm (𝐴𝑔 = 2 𝑥 7,03 =
14,06 𝑐𝑚²).

2.17.4. Pré-dimensionamento da ruptura da seção líquida

𝐴𝑒 𝑥 𝑓𝑢 𝐴𝑒 𝑥 40
𝑁𝑡, 𝑆𝑑 = 290,566 𝑘𝑁 ≤ 𝑁𝑡, 𝑅𝑑 = = → 𝐴𝑒 ≥ 9,81 𝑐𝑚2
𝛾𝑎2 1,35

𝐴𝑒 = 𝐶𝑡 . 𝐴𝑛

Para o cálculo da área liquida An, obtém-se o diâmetro dos furos:

𝑑ℎ = 22 + 3,5 = 25,5 𝑚𝑚 = 2,55 𝑐𝑚

Como a furação tem padrão uniforme, basta fazer:

𝐴𝑛 = 2𝑥(7,03 − 2,55𝑥0,476) = 11,63 𝑐𝑚²


O coeficiente Ct vale:

𝑒𝑐 2,08
𝐶𝑡 = 1 − =1− = 0,90
𝑙𝑐 21

𝐴𝑒 = 0,90𝑥11,63 = 10,47 𝑐𝑚2 á𝑟𝑒𝑎 𝑠𝑢𝑓𝑖𝑐𝑖𝑒𝑛𝑡𝑒!

2.17.5. Cálculo da ruptura da seção liquida

𝐴𝑒 𝑥 𝑓𝑢 10,47𝑥40
𝑁𝑡, 𝑅𝑑 = = = 310,22 𝑘𝑁
𝛾𝑎2 1,35

2.17.6. Escoamento da seção bruta

𝐴𝑔 𝑥 𝑓𝑦 14,06𝑥25
𝑁𝑡, 𝑅𝑑 = = = 319,55 𝑘𝑁
𝛾𝑎1 1,1

Portanto a carga resistente de cálculo é igual a 310,22 kN!

2.18. Cisalhamento dos parafusos

∝ 𝑏𝑥𝐴𝑏𝑥𝑓𝑢𝑏 0,4𝑥3,80𝑥41,5
𝐹𝑢, 𝑅𝑑 = = 𝑥4𝑥2 = 373,81 𝑘𝑁
𝛾𝑎2 1,35

Portanto este valor de Fu,Rd ≥ Fu,Sd atende ao cisalhamento!

2.19. Pressão de apoio e rasgamento da chapa

Por razões construtivas a chapa Gusset é tomada com a espessura de 6 mm a


10 mm para garantir a segurança contra a ruptura.

Furos externos:

(25,5)
𝑙𝑓 = 35 − = 22,25 𝑚𝑚 𝑜𝑢 2,225 𝑐𝑚
2

1,2𝑥𝑙𝑓𝑥𝑡𝑥𝑓𝑢 1,2𝑥2,225𝑥0,8𝑥40
= = 63,29 𝑘𝑁
𝛾𝑎2 1,35
𝐹𝑐, 𝑅𝑑 ≤
2,4𝑥𝑑𝑏𝑥𝑡𝑥𝑓𝑢 2,4𝑥2,2𝑥0,8𝑥40
= = 125,16 𝑘𝑁
{ 𝛾𝑎2 1,35
Furos internos:

𝑙𝑓 = 70 − 25,5 = 44,5 𝑚𝑚 𝑜𝑢 4,45 𝑐𝑚

1,2𝑥4,45𝑥0,8𝑥40
= 126,58𝑘𝑁
1,35
𝐹𝑐, 𝑅𝑑 ≤
2,4𝑥2,2𝑥0,8𝑥40
= 125,16 𝑘𝑁
{ 1,35

𝑃𝑜𝑟𝑡𝑎𝑛𝑡𝑜 𝐹𝑐, 𝑅𝑑 = 63,29𝑥1 + 125,16𝑥3 = 438,77 𝑘𝑁 𝑜𝑘 !

2.20. Ruptura por cisalhamento de bloco

Perímetro:

0,6𝑥𝐴𝑁𝑉𝑥𝑓𝑢 + 𝐶𝑇𝑆𝑥𝐴𝑁𝑇𝑥𝑓𝑢
𝛾𝑎2
𝐹𝑟, 𝑅𝑑 ≤
0,6𝑥𝐴𝐺𝑉𝑥𝑓𝑦 + 𝐶𝑇𝑆𝑥𝐴𝑁𝑇𝑥𝑓𝑢
{ 𝛾𝑎2

 𝐴𝑁𝑉 = (3,5 + 21 − 3,5𝑥2,55)𝑥0,476𝑥2 = 14,83 𝑐𝑚2


 𝐴𝑁𝑇 = (3,5 − 0,5𝑥2,55)𝑥0,476𝑥2 = 2,118 𝑐𝑚2
 𝐴𝐺𝑉 = (3,5 + 21)𝑥0,476𝑥2 = 23,324 𝑐𝑚²

0,6𝑥14,83𝑥40 + 1𝑥2,118𝑥40
= 326,4 𝑘𝑁
1,35
𝐹𝑟, 𝑅𝑑 ≤
0,6𝑥23,324𝑥25 + 1𝑥2,118𝑥40
= 321,91 𝑘𝑁
{ 1,35

Portanto carga Fr,Rd é igual a 321,91 kN.


2.20.1 Esbeltez

 Limite recomendado de 300 mm em relação ao eixo y.

𝐿𝑟 137
( )= = 91,33 ≤ 300 𝑚𝑚 𝑜𝑘
𝑟 1,50

3. Dimensionamento do Banzo inferior com uso de solda

Dimensionamento do banzo inferior com uso da solda nas ligações, carga de


tração obtida na barra mais crítica.

𝑁𝑡, 𝑆𝑑 = 449,64 𝑘𝑁

Perfil usado L127 x 6,35 Ag: 15,73 cm² XG=YG= 34,1 mm

Desenho:

3.1. Tensões solicitantes em grupo de soldas F1 e F2

∑𝑀 = 0

𝐹1𝑥(92,9 + 34,1) − 449,64𝑥34,1 = 0

15332,72
𝐹1 = = 120,73 𝑘𝑁 𝐹2 = 328,91 𝑘𝑁
127
 Admitindo o filete de solda com valor mínimo de espessura de filete igual
a 4 mm de perna tabelado encontrado no livro Dimensionamento dos
elementos estruturais de aço e mistos de aço e concreto, página 278 na
tabela 10.6 dimensões mínimas das soldas de filete, também foi usado o
eletrodo de classe de resistência 7 ou 70.

3.2. Dimensionamento da solda para F1

𝑓𝑊 = 485 𝑀𝑃𝑎 𝑜𝑢 41,5 𝑘𝑁/𝑐𝑚²

𝛾𝑤2 = 1,35

𝑁𝑡, 𝑅𝑑 = 𝐴𝑊 𝑥 𝜎, 𝑅𝑑

0,6𝑥𝑓𝑊
𝜎𝑊, 𝑅𝑑 =
𝛾𝑎2

𝐴𝑊 = 0,7𝑥0,4𝑥𝑙1 = 0,28𝑥𝑙1

0,6𝑥48,5
𝜎𝑊, 𝑅𝑑 = = 21,56 𝑘𝑁/𝑐𝑚²
1,35

120,73
21,56𝑥0,28𝑙1 = 6,04𝑥𝑙1 ≥ = 𝑙1 = 19,988 𝑐𝑚 𝑎𝑑𝑜𝑡𝑎𝑟 20 𝑐𝑚
6,04

3.3. Resistência das peças ligadas na chapa

Obs: espessura da chapa igual adotada de 8 mm mesma chapa usada nas


ligações parafusadas.

𝐴𝐺𝑉 = 0,8𝑥2𝑥20 = 32 𝑐𝑚2

0,6𝑥𝐴𝐺𝑉𝑥𝐹𝑦 0,6𝑥32𝑥25
𝐹𝑟𝑑 = = = 436,36 𝑘𝑁
𝛾𝑎1 1,1

Resistência nas cantoneiras

𝐴𝐺𝑉 = 0,635𝑥2𝑥20 = 25,4 𝑐𝑚2

0,6𝑥𝐴𝐺𝑉𝑥𝐹𝑦 0,6𝑥25,4𝑥25
𝐹𝑟𝑑 = = = 346,36 𝑘𝑁
𝛾𝑎1 1,1

3.4. Dimensionamento da solda para F2

𝑓𝑊 = 485 𝑀𝑃𝑎 𝑜𝑢 41,5 𝑘𝑁/𝑐𝑚²


𝛾𝑤2 = 1,35

𝑁𝑡, 𝑅𝑑 = 𝐴𝑊 𝑥 𝜎, 𝑅𝑑

0,6𝑥𝑓𝑊
𝜎𝑊, 𝑅𝑑 =
𝛾𝑎2

𝐴𝑊 = 0,7𝑥0,4𝑥𝑙1 = 0,28𝑥𝑙2

0,6𝑥48,5
𝜎𝑊, 𝑅𝑑 = = 21,56 𝑘𝑁/𝑐𝑚²
1,35

328,91
21,56𝑥0,28𝑙2 = 6,04𝑥𝑙2 ≥ = 𝑙2 = 54,45 𝑐𝑚 𝑎𝑑𝑜𝑡𝑎𝑟 55 𝑐𝑚
6,04

3.5. Resistência das peças ligadas na chapa

Obs: espessura da chapa igual adotada de 8 mm mesma chapa usada nas


ligações parafusadas.

𝐴𝐺𝑉 = 0,8𝑥2𝑥55 = 88 𝑐𝑚2

0,6𝑥𝐴𝐺𝑉𝑥𝐹𝑦 0,6𝑥88𝑥25
𝐹𝑟𝑑 = = = 1200 𝑘𝑁
𝛾𝑎1 1,1

Resistência nas cantoneiras

𝐴𝐺𝑉 = 0,635𝑥2𝑥55 = 69,85 𝑐𝑚2

0,6𝑥𝐴𝐺𝑉𝑥𝐹𝑦 0,6𝑥69,85𝑥25
𝐹𝑟𝑑 = = = 952,5 𝑘𝑁
𝛾𝑎1 1,1

Portanto Frd resistente é igual a 952,5 kN.

3.6. Ruptura da seção liquida

𝑒𝑐 3,41
𝐶𝑡 = 1 − = = 0,83
𝑙 20

𝐴𝑒 = 0,83𝑥31,46 = 26,11 𝑐𝑚²

𝐴𝑒𝑥𝑓𝑢 26,11𝑥40
𝑁𝑡, 𝑅𝑑 = = = 773,63 𝑘𝑁
𝛾𝑎2 1,35
3.7. Escoamento da seção bruta

𝐴𝑔𝑥𝑓𝑦 31,46𝑥25
𝑁𝑡, 𝑅𝑑 = = = 715 𝑘𝑁
𝛾𝑎1 1,1

Portanto o valor de Nt,Rd é igual a 715 kN.

4. Dimensionamento do Banzo Superior com uso de solda

Dimensionamento do banzo superior com uso da solda nas ligações, carga de


tração obtida na barra mais crítica.

𝑁𝑡, 𝑆𝑑 = −451,883 𝑘𝑁

Perfil usado L127 x 6,35 Ag: 15,73 cm² XG=YG= 34,1 mm

Desenho:

4.1. Tensões solicitantes em grupo de soldas F1 e F2

∑𝑀 = 0

𝐹1𝑥(92,9 + 34,1) − 451,883𝑥92,9 = 0


41663,6126
𝐹1 = = 328,06 𝑘𝑁 𝐹2 = 123,82 𝑘𝑁
127

 Admitindo o filete de solda com valor mínimo de espessura de filete é igual


a 4 mm de perna tabelado encontrado no livro Dimensionamento dos
elementos estruturais de aço e mistos de aço e concreto, página 278, na
tabela 10.6 dimensões mínimas das soldas de filete, também foi usado o
eletrodo de classe de resistência 7 ou 70.

4.2. Dimensionamento da solda para F1

𝑓𝑊 = 485 𝑀𝑃𝑎 𝑜𝑢 41,5 𝑘𝑁/𝑐𝑚²

𝛾𝑤2 = 1,35

𝑁𝑡, 𝑅𝑑 = 𝐴𝑊 𝑥 𝜎, 𝑅𝑑

0,6𝑥𝑓𝑊
𝜎𝑊, 𝑅𝑑 =
𝛾𝑎2

𝐴𝑊 = 0,7𝑥0,4𝑥𝑙1 = 0,28𝑥𝑙1

0,6𝑥48,5
𝜎𝑊, 𝑅𝑑 = = 21,56 𝑘𝑁/𝑐𝑚²
1,35

328,06
21,56𝑥0,28𝑙1 = 6,04𝑥𝑙1 ≥ = 𝑙1 = 54,31 𝑐𝑚 𝑎𝑑𝑜𝑡𝑎𝑟 55 𝑐𝑚
6,04

4.3. Resistência das peças ligadas na chapa

Obs: espessura da chapa igual adotada de 8 mm mesma chapa usada nas


ligações parafusadas.

𝐴𝐺𝑉 = 0,8𝑥2𝑥55 = 88 𝑐𝑚2

0,6𝑥𝐴𝐺𝑉𝑥𝐹𝑦 0,6𝑥88𝑥25
𝐹𝑟𝑑 = = = 1200 𝑘𝑁
𝛾𝑎1 1,1

Resistência nas cantoneiras

𝐴𝐺𝑉 = 0,635𝑥2𝑥55 = 69,85 𝑐𝑚2

0,6𝑥𝐴𝐺𝑉𝑥𝐹𝑦 0,6𝑥69,85𝑥25
𝐹𝑟𝑑 = = = 952,5 𝑘𝑁
𝛾𝑎1 1,1
4.4. Dimensionamento da solda para F2

𝑓𝑊 = 485 𝑀𝑃𝑎 𝑜𝑢 41,5 𝑘𝑁/𝑐𝑚²

𝛾𝑤2 = 1,35

𝑁𝑡, 𝑅𝑑 = 𝐴𝑊 𝑥 𝜎, 𝑅𝑑

0,6𝑥𝑓𝑊
𝜎𝑊, 𝑅𝑑 =
𝛾𝑎2

𝐴𝑊 = 0,7𝑥0,4𝑥𝑙2 = 0,28𝑥𝑙2

0,6𝑥48,5
𝜎𝑊, 𝑅𝑑 = = 21,56 𝑘𝑁/𝑐𝑚²
1,35

123,82
21,56𝑥0,28𝑙2 = 6,04𝑥𝑙2 ≥ = 𝑙2 = 20,5 𝑐𝑚 𝑎𝑑𝑜𝑡𝑎𝑟 21 𝑐𝑚
6,04

4.5. Resistência das peças ligadas na chapa

Obs: espessura da chapa igual adotada de 8 mm mesma chapa usada nas


ligações parafusadas.

𝐴𝐺𝑉 = 0,8𝑥2𝑥21 = 33,6 𝑐𝑚2

0,6𝑥𝐴𝐺𝑉𝑥𝐹𝑦 0,6𝑥33,6𝑥25
𝐹𝑟𝑑 = = = 458,18 𝑘𝑁
𝛾𝑎1 1,1

Resistência nas cantoneiras

𝐴𝐺𝑉 = 0,635𝑥2𝑥21 = 26,27 𝑐𝑚2

0,6𝑥𝐴𝐺𝑉𝑥𝐹𝑦 0,6𝑥26,27𝑥25
𝐹𝑟𝑑 = = = 358,23 𝑘𝑁
𝛾𝑎1 1,1

Portanto Frd resistente é igual a 358,23 kN.

4.6. Ruptura da seção liquida

𝑒𝑐 3,41
𝐶𝑡 = 1 − = = 0,84
𝑙 21

𝐴𝑒 = 0,84𝑥31,46 = 26,43 𝑐𝑚²

𝐴𝑒𝑥𝑓𝑢 26,43𝑥40
𝑁𝑡, 𝑅𝑑 = = = 783,11 𝑘𝑁
𝛾𝑎2 1,35
4.7. Escoamento da seção bruta

𝐴𝑔𝑥𝑓𝑦 31,46𝑥25
𝑁𝑡, 𝑅𝑑 = = = 715 𝑘𝑁
𝛾𝑎1 1,1

Portanto o valor de Nt,Rd é igual a 715 kN.

5. Dimensionamento da barra Montante

Dimensionamento da montante com uso da solda nas ligações, carga de tração


compara a de compressão obtida na barra mais crítica.

𝑁𝑡, 𝑆𝑑 = −149,88 𝑘𝑁

Perfil usado L76,2 x 4,76 Ag: 7,03 cm² XG=YG= 20,8 mm

Desenho:

5.1. Tensões solicitantes em grupo de soldas F1 e F2

∑𝑀 = 0

𝐹1𝑥(55,4 + 20,8) − 149,88𝑥20,8 = 0


3117,50
𝐹1 = = 40,91 𝑘𝑁 𝐹2 = 108,97 𝑘𝑁
76,2

 Admitindo o filete de solda com valor mínimo de espessura de filete é igual


a 4 mm de perna tabelado encontrado no livro Dimensionamento dos
elementos estruturais de aço e mistos de aço e concreto, página 278, na
tabela 10.6 dimensões mínimas das soldas de filete, também foi usado o
eletrodo de classe de resistência 7 ou 70.

5.2. Dimensionamento da solda para F1

𝑓𝑊 = 485 𝑀𝑃𝑎 𝑜𝑢 41,5 𝑘𝑁/𝑐𝑚²

𝛾𝑤2 = 1,35

𝑁𝑡, 𝑅𝑑 = 𝐴𝑊 𝑥 𝜎, 𝑅𝑑

0,6𝑥𝑓𝑊
𝜎𝑊, 𝑅𝑑 =
𝛾𝑎2

𝐴𝑊 = 0,7𝑥0,4𝑥𝑙1 = 0,28𝑥𝑙1

0,6𝑥48,5
𝜎𝑊, 𝑅𝑑 = = 21,56 𝑘𝑁/𝑐𝑚²
1,35

40,91
21,56𝑥0,28𝑙1 = 6,04𝑥𝑙1 ≥ = 𝑙1 = 6,77 𝑐𝑚 𝑎𝑑𝑜𝑡𝑎𝑟 10 𝑐𝑚
6,04

5.3. Resistência das peças ligadas na chapa

Obs: espessura da chapa igual adotada de 8 mm mesma chapa usada nas


ligações parafusadas.

𝐴𝐺𝑉 = 0,8𝑥2𝑥10 = 16 𝑐𝑚2

0,6𝑥𝐴𝐺𝑉𝑥𝐹𝑦 0,6𝑥16𝑥25
𝐹𝑟𝑑 = = = 218,18 𝑘𝑁
𝛾𝑎1 1,1
Resistência nas cantoneiras

𝐴𝐺𝑉 = 0,476𝑥2𝑥10 = 9,52 𝑐𝑚2

0,6𝑥𝐴𝐺𝑉𝑥𝐹𝑦 0,6𝑥9,52𝑥25
𝐹𝑟𝑑 = = = 129,82 𝑘𝑁
𝛾𝑎1 1,1

5.4. Dimensionamento da solda para F2

𝑓𝑊 = 485 𝑀𝑃𝑎 𝑜𝑢 41,5 𝑘𝑁/𝑐𝑚²

𝛾𝑤2 = 1,35

𝑁𝑡, 𝑅𝑑 = 𝐴𝑊 𝑥 𝜎, 𝑅𝑑

0,6𝑥𝑓𝑊
𝜎𝑊, 𝑅𝑑 =
𝛾𝑎2

𝐴𝑊 = 0,7𝑥0,4𝑥𝑙2 = 0,28𝑥𝑙2

0,6𝑥48,5
𝜎𝑊, 𝑅𝑑 = = 21,56 𝑘𝑁/𝑐𝑚²
1,35

108,97
21,56𝑥0,28𝑙2 = 6,04𝑥𝑙2 ≥ = 𝑙2 = 18,04 𝑐𝑚 𝑎𝑑𝑜𝑡𝑎𝑟 19 𝑐𝑚
6,04

5.5. Resistência das peças ligadas na chapa

Obs: espessura da chapa igual adotada de 8 mm mesma chapa usada nas


ligações parafusadas.

𝐴𝐺𝑉 = 0,8𝑥2𝑥19 = 30,4 𝑐𝑚2

0,6𝑥𝐴𝐺𝑉𝑥𝐹𝑦 0,6𝑥30,4𝑥25
𝐹𝑟𝑑 = = = 414,55 𝑘𝑁
𝛾𝑎1 1,1

Resistência nas cantoneiras

𝐴𝐺𝑉 = 0,476𝑥2𝑥19 = 18,09 𝑐𝑚2

0,6𝑥𝐴𝐺𝑉𝑥𝐹𝑦 0,6𝑥18,09𝑥25
𝐹𝑟𝑑 = = = 246,68 𝑘𝑁
𝛾𝑎1 1,1

Portanto Frd resistente é igual a 246,68 kN.


5.6. Ruptura da seção liquida

𝑒𝑐 2,08
𝐶𝑡 = 1 − =1− = 0,79
𝑙 10

𝐴𝑒 = 0,79𝑥14,06 = 11,11 𝑐𝑚²

𝐴𝑒𝑥𝑓𝑢 11,11𝑥40
𝑁𝑡, 𝑅𝑑 = = = 329,19 𝑘𝑁
𝛾𝑎2 1,35

5.7. Escoamento da seção bruta

𝐴𝑔𝑥𝑓𝑦 14,06𝑥25
𝑁𝑡, 𝑅𝑑 = = = 319,55 𝑘𝑁
𝛾𝑎1 1,1

Portanto o valor de Nt,Rd é igual a 319,55 kN.

6. Dimensionamento da barra Diagonal

Dimensionamento da barra diagonal com uso da solda nas ligações, carga de


tração obtida na barra mais crítica.

𝑁𝑡, 𝑆𝑑 = 290,566 𝑘𝑁

Perfil usado L76,2 x 4,76 Ag: 7,03 cm² XG=YG= 20,8 mm

Desenho:
5.1. Tensões solicitantes em grupo de soldas F1 e F2

∑𝑀 = 0

𝐹1𝑥(55,4 + 20,8) − 290,566𝑥20,8 = 0

6043,77
𝐹1 = = 79,31 𝑘𝑁 𝐹2 = 211,26 𝑘𝑁
76,2

 Admitindo o filete de solda com valor mínimo de espessura de filete é igual


a 4 mm de perna tabelado encontrado no livro Dimensionamento dos
elementos estruturais de aço e mistos de aço e concreto, página 278, na
tabela 10.6 dimensões mínimas das soldas de filete, também foi usado o
eletrodo de classe de resistência 7 ou 70.

5.2. Dimensionamento da solda para F1

𝑓𝑊 = 485 𝑀𝑃𝑎 𝑜𝑢 41,5 𝑘𝑁/𝑐𝑚²

𝛾𝑤2 = 1,35

𝑁𝑡, 𝑅𝑑 = 𝐴𝑊 𝑥 𝜎, 𝑅𝑑

0,6𝑥𝑓𝑊
𝜎𝑊, 𝑅𝑑 =
𝛾𝑎2

𝐴𝑊 = 0,7𝑥0,4𝑥𝑙1 = 0,28𝑥𝑙1

0,6𝑥48,5
𝜎𝑊, 𝑅𝑑 = = 21,56 𝑘𝑁/𝑐𝑚²
1,35

79,31
21,56𝑥0,28𝑙1 = 6,04𝑥𝑙1 ≥ = 𝑙1 = 13,13 𝑐𝑚 𝑎𝑑𝑜𝑡𝑎𝑟 14 𝑐𝑚
6,04

5.3. Resistência das peças ligadas na chapa

Obs: espessura da chapa igual adotada de 8 mm mesma chapa usada nas


ligações parafusadas.

𝐴𝐺𝑉 = 0,8𝑥2𝑥14 = 22,4 𝑐𝑚2

0,6𝑥𝐴𝐺𝑉𝑥𝐹𝑦 0,6𝑥22,4𝑥25
𝐹𝑟𝑑 = = = 305,45 𝑘
𝛾𝑎1 1,1
Resistência nas cantoneiras

𝐴𝐺𝑉 = 0,476𝑥2𝑥14 = 13,33 𝑐𝑚2

0,6𝑥𝐴𝐺𝑉𝑥𝐹𝑦 0,6𝑥13,33𝑥25
𝐹𝑟𝑑 = = = 181,77 𝑘𝑁
𝛾𝑎1 1,1

5.4. Dimensionamento da solda para F2

𝑓𝑊 = 485 𝑀𝑃𝑎 𝑜𝑢 41,5 𝑘𝑁/𝑐𝑚²

𝛾𝑤2 = 1,35

𝑁𝑡, 𝑅𝑑 = 𝐴𝑊 𝑥 𝜎, 𝑅𝑑

0,6𝑥𝑓𝑊
𝜎𝑊, 𝑅𝑑 =
𝛾𝑎2

𝐴𝑊 = 0,7𝑥0,4𝑥𝑙2 = 0,28𝑥𝑙2

0,6𝑥48,5
𝜎𝑊, 𝑅𝑑 = = 21,56 𝑘𝑁/𝑐𝑚²
1,35

211,26
21,56𝑥0,28𝑙2 = 6,04𝑥𝑙2 ≥ = 𝑙2 = 34,98 𝑐𝑚 𝑎𝑑𝑜𝑡𝑎𝑟 35 𝑐𝑚
6,04

5.5. Resistência das peças ligadas na chapa

Obs: espessura da chapa igual adotada de 8 mm mesma chapa usada nas


ligações parafusadas.

𝐴𝐺𝑉 = 0,8𝑥2𝑥35 = 56 𝑐𝑚2

0,6𝑥𝐴𝐺𝑉𝑥𝐹𝑦 0,6𝑥56𝑥25
𝐹𝑟𝑑 = = = 763,64 𝑘𝑁
𝛾𝑎1 1,1

Resistência nas cantoneiras

𝐴𝐺𝑉 = 0,476𝑥2𝑥35 = 33,32 𝑐𝑚2

0,6𝑥𝐴𝐺𝑉𝑥𝐹𝑦 0,6𝑥33,32𝑥25
𝐹𝑟𝑑 = = = 454,36 𝑘𝑁
𝛾𝑎1 1,1

Portanto Frd resistente é igual a 454,36 kN.


5.6. Ruptura da seção liquida

𝑒𝑐 2,08
𝐶𝑡 = 1 − =1− = 0,85
𝑙 14

𝐴𝑒 = 0,85𝑥14,06 = 11,95 𝑐𝑚²

𝐴𝑒𝑥𝑓𝑢 11,95𝑥40
𝑁𝑡, 𝑅𝑑 = = = 354,07 𝑘𝑁
𝛾𝑎2 1,35

5.7. Escoamento da seção bruta

𝐴𝑔𝑥𝑓𝑦 14,06𝑥25
𝑁𝑡, 𝑅𝑑 = = = 319,55 𝑘𝑁
𝛾𝑎1 1,1

Portanto o valor de Nt,Rd é igual a 319,55 kN.