You are on page 1of 7

Semana 2 Ciências do Ambiente

2
1.2 Ecossistemas e biomas brasileiros

Até aqui, vimos que ecossistema diz respeito às


interações entre todos os seres com os fatores químicos e
físicos do ambiente. Dessa forma, podemos pensar nas
seguintes indagações para prosseguir nosso estudo: o que
mantém os organismos vivos no ecossistema? Quais os
principais componentes de um ecossistema? Qual a relação
entre ecossistema e bioma?
Nos próximos segmentos, encontraremos respostas para
estas questões e aprofundaremos nossos estudos sobre a
temática.

▪▪Como funcionam os ecossistemas


Os componentes bióticos e abióticos de um ecossistema
mantém uma complexa interação por meio das transferências
de matéria e energia entre os organismos vivos e entre estes
e os demais elementos do ambiente.
Entenda que a vida em um ecossistema depende
basicamente de três fatores. O primeiro deles é o fluxo
unidirecional de energia de alta qualidade proveniente do
sol durante a cadeia alimentar. Essa energia é transformada
em trabalho nos organismos vivos e parte dela é dispersa para
o ambiente em energia de baixa qualidade, como a troca de
energia térmica entre organismo e ambiente. Essa energia
nunca volta ao sistema (ODUM, 2012; BRAGA et al, 2005).
O segundo fator importante para a manutenção da vida
é a ciclagem de nutrientes no ecossistema. O ciclo desses
elementos é mantido pela lei da conservação da matéria,
ou seja, a matéria sofre alterações na natureza, estando
disponível de diferentes formas e em diferentes lugares.
Entenda que tal processo pode demorar poucos dias ou até
séculos para ocorrer. O terceiro fator é a gravidade, que
mantém a atmosfera do planeta estável e auxilia na ciclagem
da matéria no ecossistema.

© DeVry Brasil/Fanor. Todos os direitos reservados. Página 1

License-292668-4448-0-6
A Lei da gravidade auxilia no ecossistema

O fluxo de energia e a ciclagem da matéria


são garantidos pelas complexas relações entre os
componentes do ecossistema, ou seja, os fatores
bióticos e abióticos

A interdependência alimentar entre os seres vivos é um


exemplo em que fica evidente a ciclagem de nutrientes e o
fluxo de energia. Neste tipo de relação, os organismos podem
ser classificados em níveis tróficos de acordo com a fonte de
alimento ou nutriente.

Dentre esses organismos encontramos os seres


produtores (autótrofos) - vegetais e algas - capazes de
produzir sua própria nutrição orgânica por meio da fotossíntese.
Este processo transforma a energia luminosa do Sol em
energia química que fica armazenada em moléculas orgânicas,
as quais servirão de alimento para esses organismos.

© DeVry Brasil/Fanor. Todos os direitos reservados. Página 2

License-292668-4448-0-6
Outros indivíduos dessa relação são os seres
consumidores (heterótrofos), que dependem de outros
seres para obter sua nutrição orgânica e, consequentemente,
da energia para sobreviverem (exemplo: animais). Para
fechar essa relação temos os seres decompositores (também
heterótrofos) que são responsáveis pela ciclagem da matéria
orgânica no ambiente (exemplo: bactérias e fungos). Em
outras palavras, eles decompõem os organismos mortos, ou
parte deles, devolvendo ao ambiente os nutrientes inorgânicos
que serão aproveitados novamente pelos produtores.

Energia
Nutrientes químicos solar
(dióxido de
Calor
carbono, oxigênio
nitrogênio, minerais)

Calor Calor

Decompositores
Produtos
(bactérias,
(plantas)
fungos)

Consumidores
(comedores de
Calor plantas e de Calor
animais)

Fluxo de energia e ciclagem da matéria no ambiente


Fonte: MILLER; SPOOLMAN, 2012, p. 63.

© DeVry Brasil/Fanor. Todos os direitos reservados. Página 3

License-292668-4448-0-6
A relação de interdependência alimentar
entre os seres vivos evidencia a ciclagem da
matéria e o fluxo de energia no ambiente.

▪▪Biomas brasileiros
A definição de bioma também está relacionada aos fatores
bióticos e abióticos de um determinado espaço geográfico,
no entanto, diferente do ecossistema, levamos em conta as
características peculiares do local e sua abrangência. Nesse
sentido, cada bioma tem por características a uniformidade de
um macroclima ou clima regional definido, de uma determinada
formação vegetal, de uma fauna e outros organismos vivos
associados, e de outras condições ambientais (como a
altitude, o solo, alagamentos, o fogo, a salinidade etc.) que
lhe conferem uma característica própria. Considere que por
macroclima devemos entender o clima médio ocorrente em
um território relativamente vasto (KOETZEL, 2000).
Existem diferentes classificações de biomas brasileiros,
além de divergências entre os cientistas sobre o que seria
considerado bioma ou não dentro dessas classificações. Neste
tópico, tomaremos como base a classificação apresentada pelo
Ministério do Meio Ambiente (BRASIL, 2016), que segmenta
os biomas brasileiros em seis: Amazônia, Caatinga, Cerrado,
Mata Atlântica, Pampa e Pantanal.

▪▪Amazônia
A Amazônia é o maior bioma do Brasil, abrangendo nove
estados do país (Amazonas, Acre, Amapá, Pará, Roraima,
Rondônia, Mato Grosso, Maranhão e Tocantins). O clima
característico é quente e úmido com temperatura média de
25°C e chuvas bem distribuídas durante o ano.

© DeVry Brasil/Fanor. Todos os direitos reservados. Página 4

License-292668-4448-0-6
A vegetação é caracterizada pela floresta densa e
fechada, com árvores altas e bem próximas uma das outras.
Suas folhas são largas e grandes, adaptadas ao clima quente
e úmido. Este bioma também é caracterizado pela grande
biodiversidade e por abrigar a maior bacia hidrográfica do
mundo, a bacia Amazônica.

▪▪Caatinga
A Caatinga abrange 11% do território nacional. Engloba
os estados Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Pernambuco,
Paraíba, Rio Grande do Norte, Piauí, Sergipe e o norte de Minas
Gerais. Há certo preconceito quando se fala deste bioma, devido
à falta de informação que leva muitas pessoas a pensar que
ele é pobre em biodiversidade. Embora o clima seja semiárido,
isto é, temperaturas elevadas com longos períodos de secas,
este bioma abriga uma grande biodiversidade. A vegetação
predominante possui adaptações contra perda de água, como
presença de espinhos nas cactáceas e reserva de água, como
ocorre no juazeiro. Além disso, neste bioma existem diversas
espécies de aves, mamíferos, répteis, anfíbios, insetos.

▪▪Cerrado
O Cerrado é o segundo maior bioma brasileiro, abrange os
estados de Goiás, Tocantins, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul,
Minas Gerais, Bahia, Maranhão, Piauí, Rondônia, Paraná, São
Paulo e Distrito Federal, além de pequenas partes no Amapá,
Roraima e Amazonas. Este bioma é considerado como um
dos hotspots mundiais de biodiversidade, a abrigando várias
espécies endêmicas. Além disso, no Cerrado encontram-se as
nascentes das três maiores bacias da América do Sul a bacia
Amazônica, a do São Francisco e a do Prata.
No Cerrado predominam formações da savana
caracterizadas por arbustos e árvores em densidades variáveis,
com adaptações ao fogo e seca, com galhos retorcidos, folhas
ásperas, casca do tronco grossa e com raízes profundas.
No entanto, existem várias outras fisionomias, indo desde
cerradão arbóreo, com árvores de grande porte a campos
limpos, caracterizados por gramíneas e arbustos. O clima
característico é o tropical quente subúmido, com uma estação
seca no inverno e uma chuvosa no verão, e temperatura média
é em torno de 25°C.
Saiba que o Cerrado é o segundo bioma que mais sofreu
alterações com a ocupação humana, sendo o mais impactado a
Mata Atlântica. Nas últimas décadas, a expansão agrícola sem
planejamento continua causando sérios problemas a este bioma.

© DeVry Brasil/Fanor. Todos os direitos reservados. Página 5

License-292668-4448-0-6
▪▪Mata Atlântica
A Mata Atlântica é formada por um conjunto de formações
florestais. Como foi dito anteriormente, este bioma foi o
mais impactado pela ação antrópica desde a colonização do
país. Atualmente, apenas 7% de sua cobertura original estão
conservados em fragmentos maiores localizados entre o Rio
Grande do Norte até a Região Sul, nas encostas das serras e
planícies litorâneas.
O clima característico é o tropical úmido com grande taxa
pluviométrica anual.
A vegetação é composta por uma floresta ombrófila
densa, formada por árvores altas e adaptadas ao um clima
quente e úmido. Embora tenha sofrido uma grande redução, a
Mata atlântica ainda é considerada um dos biomas mais ricos
em biodiversidade do mundo e habitat de várias espécies
endêmicas.

▪▪Pampa
O Pampa está localizado no Rio Grande do Sul. O clima
característico deste bioma é o subtropical, com as quatro
estações do ano bem definidas. A vegetação é composta
principalmente por gramíneas e arbustos. Existe uma
expressiva diversidade de animais, destacando algumas
espécies de aves como o jacu, o macuco e a jacutinga.

Mata densa e fechada da Amazônia

© DeVry Brasil/Fanor. Todos os direitos reservados. Página 6

License-292668-4448-0-6
A expansão das monoculturas e introdução de espécies
exóticas vem trazendo sérios problemas para o bioma,
descaracterizando as paisagens e comprometendo a
biodiversidade.

▪▪Pantanal
O Pantanal abrange os Estados do Mato Grosso e Mato
Grosso do Sul, é caracterizado por uma vasta planície inundada
e apresenta um clima predominante tropical continental com
altas temperaturas. O período de chuvas se concentra no
verão e o inverno é seco.
A característica da vegetação do Pantanal é mista, sendo
as mais comuns a formação de Savana Estépica ou vegetação
de Chaco, caracterizada por vegetação arbustiva caducifólia,
com pequenas folhas e espinescente, geralmente associada
a solos salinos; formações pioneiras e áreas de ecótones, ou
seja, transição com outros biomas (Amazônia, Cerrado e Mata
Atlântica) (SILVA, et.al., 2000).
Embora seja o menor bioma em extensão territorial, o
Pantanal abriga várias espécies de animais (exemplo: jacaré-
do-papo-amarelo, onça pintada, tuiuiú) e vegetais.
O principal impacto causado pela ação antrópica na região
é a utilização de grandes áreas para a criação de gados em
pastos plantados e a monocultura de soja.

A exuberância da Floresta Amazônica esconde


sua grande fragilidade. A floresta vive a partir da
decomposição do seu próprio material orgânico,
pois o solo é pobre em nutrientes. Por isso seu
equilíbrio é extremamente sensível a quaisquer
interferências, os danos causados pela ação
antrópica, como o desmatamento e queimadas,
podem ser irreversíveis.

© DeVry Brasil/Fanor. Todos os direitos reservados. Página 7

License-292668-4448-0-6