Вы находитесь на странице: 1из 18

Control en la legislación de seguridad 22/08/2007

contra incendio en San Paulo - Brasil

SEMINARIO INTERNACIONAL DE SEGURIDAD


CONTRA INCENDIO EM LA EDIFICACIÓN

CONTROLE DOS MATERIAIS


EMPREGADOS NAS EDIFICAÇÕES

ANTONIO FERNANDO BERTO


afberto@ipt.br

Reação ao Fogo dos Materiais


n Comportamento dos materiais em situação
de incêndio
– Sofrendo e sustentando a ignição
– Desenvolvendo calor
– Propagando chamas
– Desprendendo partículas em chamas
– Desenvolvendo fumaça

Antonio Fernando Berto 1


Control en la legislación de seguridad 22/08/2007
contra incendio en San Paulo - Brasil

Características de reação ao fogo


dos materiais
Podem ser determinadas em laboratório
mediante condições padronizadas de ensaio,
onde são fixados alguns parâmetros, tais como:

Temperatura do ambiente
n
n Radiação incidente sobre o material
n Existência ou não de chama-piloto
n Dimensões do material
n Condicionamento prévio do material

Métodos de Ensaios de
Reação ao Fogo
n Incombustibilidade
n Ignitabilidade
n Propagação superficial de chamas
n Resistência à chama
n Desenvolvimento de calor
n Desenvolvimento de fumaça

Antonio Fernando Berto 2


Control en la legislación de seguridad 22/08/2007
contra incendio en San Paulo - Brasil

Contribuição dos Materiais ao


Desenvolvimento do Incêndio
n Ocorrência da inflamação generalizada
(flashover)
– Razão de desenvolvimento de calor pelo foco
do incêndio
– Distância do piso ao teto
– Inércia térmica da envoltória do ambiente
– Potencial térmico total
– Características dos materiais: sofrer e
sustentar a ignição, propagar chamas e
desenvolver calor

Fases do Desenvolvimento do
Incêndio

Antonio Fernando Berto 3


Control en la legislación de seguridad 22/08/2007
contra incendio en San Paulo - Brasil

Influência dos materiais incorporados


aos elementos construtivos
n Posição relativa ao elemento no
ambiente:
A propagação de chamas na superfície
inferior do forro é fator mais crítico para o
desenvolvimento do incêndio do que a
propagação de chamas no revestimento
do piso

Influência dos materiais incorporados


aos elementos construtivos
n Posição relativa do material no
elemento construtivo
Material utilizado como revestimento ou como
miolo isolante térmico em uma parede pode ter
influência totalmente distinta no crescimento do
incêndio
n Recinto onde o material está instalado
Materiais instalados em locais com maior risco de
início de incêndio devem ter melhores
características de reação

Antonio Fernando Berto 4


Control en la legislación de seguridad 22/08/2007
contra incendio en San Paulo - Brasil

Contribuição dos Materiais ao


Desenvolvimento do Incêndio

INCÊNDIO CANECÃO MINEIRO 2001


07 mortos e 340 feridos

Antonio Fernando Berto 5


Control en la legislación de seguridad 22/08/2007
contra incendio en San Paulo - Brasil

INCÊNDIO CANECÃO MINEIRO 2001

Classificação dos Materiais


quanto à Reação ao Fogo

Antonio Fernando Berto 6


Control en la legislación de seguridad 22/08/2007
contra incendio en San Paulo - Brasil

Classificação dos Materiais


quanto à Reação ao Fogo

Contribuição dos Materiais ao


Desenvolvimento do Incêndio

n Propagação do incêndio
- Potencial destrutivo do incêndio influenciado
pelo potencial térmico
- Reação ao fogo dos materiais
• Forro / Cobertura
• Revestimento das fachadas

Antonio Fernando Berto 7


Control en la legislación de seguridad 22/08/2007
contra incendio en San Paulo - Brasil

Contribuição dos Materiais ao


Desenvolvimento do Incêndio

NESTLÊ 2001

Contribuição dos Materiais ao


Desenvolvimento do Incêndio

NESTLÊ 2001

Antonio Fernando Berto 8


Control en la legislación de seguridad 22/08/2007
contra incendio en San Paulo - Brasil

Contribuição dos Materiais ao


Desenvolvimento do Incêndio

Contribuição dos Materiais ao


Desenvolvimento do Incêndio

INSS DF 2005

Antonio Fernando Berto 9


Control en la legislación de seguridad 22/08/2007
contra incendio en San Paulo - Brasil

Contribuição dos Materiais ao


Desenvolvimento do Incêndio

Contribuição dos Materiais ao


Desenvolvimento do Incêndio

n Extinção inicial e evacuação do ambiente


incendiado

– Fumaça gerada pelos materiais na fase


de pré-flashover

Antonio Fernando Berto 10


Control en la legislación de seguridad 22/08/2007
contra incendio en San Paulo - Brasil

Classificação dos Materiais


quanto à Reação ao Fogo

n Ensaio de incombustibilidade

ISO 1182 - Fire tests - Building materials -


Non combustibility tests

Verifica a capacidade dos materiais sofrerem a ignição


e contribuírem para o desenvolvimento do incêndio

Forno para Ensaio de


Incombustibilidade - ISO 1182

Antonio Fernando Berto 11


Control en la legislación de seguridad 22/08/2007
contra incendio en San Paulo - Brasil

Forno para Ensaio de


Incombustibilidade - ISO 1182

Classificação dos Materiais


quanto à Reação ao Fogo
n Ensaio de propagação superficial de chamas

NBR 9442 - Determinação do índice de propagação


superficial de chamas pelo método do painel radiante

Caracteriza os materiais combustíveis sob o ponto de vista


da facilidade com que sustentam a ignição, rapidez com que
propagam as chamas e quantidade de calor que
desenvolvem neste processo

Antonio Fernando Berto 12


Control en la legislación de seguridad 22/08/2007
contra incendio en San Paulo - Brasil

Painel radiante para a determinação


da propagação superficial de chamas

Painel radiante para a determinação


da propagação superficial de chamas

Antonio Fernando Berto 13


Control en la legislación de seguridad 22/08/2007
contra incendio en San Paulo - Brasil

Painel radiante para a determinação


da propagação superficial de chamas

Classificação dos Materiais


quanto à Reação ao Fogo

n Ensaio de densidade ótica de fumaça

– ASTM E662 - Specific optic density of


smoke generated by solid materials

Qualifica os materiais quanto à capacidade de


desenvolver fumaça a ponto de causar
impedir danos às pessoas em situação de
incêndio.

Antonio Fernando Berto 14


Control en la legislación de seguridad 22/08/2007
contra incendio en San Paulo - Brasil

Câmara de fumaça - ASTM E 662

Classificação dos Materiais


quanto à Reação ao Fogo
Decreto do Estado de São Paulo Nº 46076/2001- IT 10
Método de
Ensaio ISO 1182 NBR 9442
Classe
ASTM E 662

I Incombustível - -

II A Combustível Ip< 25
Dm < 450
(classe A)

B Combustível Ip < 25
Dm > 450
(classe A)

III A Combustível 25 < Ip < 75


Dm < 450
(classe B)

B Combustível 25 < Ip < 75


Dm > 450
(classe B)

IV A Combustível 75 < Ip < 150


Dm < 450
(classe C)

B Combustível 75 < Ip < 150


Dm > 450
(classe C)

V A Combustível 150 < Ip < 400


Dm < 450
(classe D)

B Combustível 150 < Ip < 400


Dm > 450
(classe D)

VI Combustível Ip > 400


-
(classe E)

• Ip - Índice médio de propagação superficial de chama;


D m - Densidade ótica específica máxima de fumaça, para ensaios com e sem chama.

Antonio Fernando Berto 15


Control en la legislación de seguridad 22/08/2007
contra incendio en San Paulo - Brasil

Classificação dos Materiais


quanto à Reação ao Fogo
Finalidade do Material

Grupo/Divisão Piso Parede e Divisória Teto e Forro

Classe I, II-A, III-A Classe I, II-A, III-A Classe I, II-A ou III-


A2, A3 IV-A ou V-A ou IV-A A

B,D,E,G,H,I1,J1 e Classe I, II-A, III-A Classe I, II-A ou III-


J2 ou IV-A A Classe I ou II-A

C,F,I2,I3,J3,J4,L1, Classe I, II-A, III-A


M2 e M3 ou IV-A Classe I ou II-A Classe I ou II-A

Classificação dos Materiais


quanto à Reação ao Fogo
n Método de Ensaio Alternativo (escala real)

Uniform Building Code Standard 26-3


(UBC 26-3) Room fire test standard

Caracteriza os materiais que por alguma


razão técnica não possam ser ensaiados
de acordo com o método NBR 9442

Antonio Fernando Berto 16


Control en la legislación de seguridad 22/08/2007
contra incendio en San Paulo - Brasil

Ensaio em escala real

Ensaio em painéis
sanduiche com capas
de aço

Ensaio em escala real

Ensaio em painéis
sanduiche com capas
de aço

Antonio Fernando Berto 17


Control en la legislación de seguridad 22/08/2007
contra incendio en San Paulo - Brasil

Ensaio em escala real

Ensaio em painéis
sanduiche com capas
de aço

Ensaio em escala real

Ensaio em forro de
EPS

Antonio Fernando Berto 18